Marketing de Varejo e de Serviços

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marketing de Varejo e de Serviços"

Transcrição

1 Universidade do Sul de Santa Catarina Marketing de Varejo e de Serviços Disciplina na modalidade a distância 2ª edição revista e atualizada Palhoça UnisulVirtual 2006

2

3 Apresentação Este livro didático corresponde à disciplina de Marketing de Varejo e de Serviços. O material foi elaborado visando a uma aprendizagem autônoma, abordando conteúdos especialmente selecionados e adotando uma linguagem que facilite seu estudo a distância. Por falar em distância, isso não significa que você estará sozinho. Não esqueça que sua caminhada nesta disciplina também será acompanhada constantemente pelo Sistema Tutorial da UnisulVirtual. Entre em contato sempre que sentir necessidade, seja por correio postal, fax, telefone, ou Ambiente Virtual de Aprendizagem. Nossa equipe terá o maior prazer em atendêlo, pois sua aprendizagem é nosso principal objetivo. Bom estudo e sucesso! Equipe UnisulVirtual.

4

5 Rodrigo Carioni Marketing de Varejo e de Serviços Livro didático 2ª edição revista e atualizada Design instrucional Denia Falcão de Bittencourt Viviane Bastos Palhoça UnisulVirtual 2006

6 Copyright UnisulVirtual 2006 N enhum a parte desta publicação pode ser reproduzida por qualquer m eio sem a prévia autorização desta instituição C27 Carioni, Rodrigo. Marketing de varejo e de serviços: livro didático / Rodrigo Carioni; design instrucional Dênia Falcão de Bittencourt, Viviane Bastos. 2. ed. rev. e atual. Palhoça : UnisulVirtual, p.: il. ; 28 cm. Inclui bibliografia. ISBN ISBN Comércio varejista Comercialização. 2. Comércio varejista Administração. 3. Marketing. I. Bastos, Viviane. II. Bittencourt, Denia Falcão de. III. Título. Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Universitária da Unisul Créditos Unisul- Universidade do Sulde Santa Catarina UnisulVirtual- Educação Superior a Distância Cam pus UnisulVirtual Rua João Pereira dos Santos, 303 Palhoça - SC Fone/fax:(48) e E-m unisul.br Site:ww.virtual.unisul.br Reitor Unisul Gerson LuizJoner da Silveira Vice-Reitor e Pró-Reitor Acadêm ico Sebastião Salésio Heerdt Pró-Reitor Adm inistrativo M arcus Vinícius Anátoles da Silva Ferreira Cam pus Tubarão e Araranguá Diretor:Valter Alves Schm itz Neto Diretora adjunta:alexandra Orseni Cam pus Grande Florianópolis e Norte da Ilha Diretor:Ailton Nazareno Soares Diretora adjunta:cibele Schuelter Cam pus UnisulVirtual Diretor:João Vianney Diretora adjunta:jucim ara Roesler Equipe UnisulVirtual Adm inistração Renato André Luz Valm ir Venício Inácio Biblioteca UnisulVirtual Soraya Arruda W altrick Coordenação dos Cursos Adriano Sérgio da Cunha Ana Luisa M ülbert Ana Paula Reusing Pacheco Diva M arília Flem m ing Elisa Flem m ing Luz Itam ar Pedro Bevilaqua Janete Elza Felisbino Jucim ara Roesler Lauro José Ba lock M auri LuizHeerdt M auro Faccioni Filho M auro Pacheco Ferreira Nélio Herzm ann Onei Tadeu Dutra Patrícia Alberton Patrícia Pozza RafaelPete.da Silva Raulino Jacó Brüning Design Gráfico Cristiano Neri Gonçalves Ribeiro (coordenador) Adriana Ferreira dos Santos Alex Sandro Xavier Fernando Roberto Dias Zim m erm ann Higor Ghisi Luciano Pedro Paulo Alves Teixeira RafaelPessi Vilson M artins Filho Equipe Didático- Pedagógica Angelita M arçalflores Carm en M aria Cipriani Pandini Caroline Batista Carolina Hoe ler da Silva Boeing Cristina Klipp de Oliveira Dalva M aria Alves Godoy Daniela Erani M onteiro W i l Dênia Falcão de Bittencourt Elisa Flem m ing Luz Enzo de Oliveira M oreira Flávia Lum i M atuzawa Karla Leonora Dahse Nunes M árcia Loch Patrícia M eneghel Silvana Denise Guim arães Tade-Ane de Am orim Viviane Bastos Viviani Poyer M onitoria e Suporte Harrison Laske (coordenador) Alessandro Rosa Arace li Araldi Caroline M endonça Edison Rodrigo Valim Gislane Frasson de Souza Josiane Conceição Leal Rafaelda Cunha Lara Vanessa Francine Corrêa Vinícius M aycot Serafim Produção Industriale Logística Arthur Em m anuelf.silveira Eduardo Kraus Francisco Asp Jeferson Cassiano Alm eida da Costa Projetos Corporativos Vanderlei Brasil Secretaria de Ensino a Distância Karine Augusta Zanoni (secretária de ensino) Andreza da Rosa M aziero Carla Cristina Sbarde la Grasiela M artins Jam es M arcelsilva Ribeiro Lam uniê Souza M aira M arina M artins Godinho M arcelo Pereira M arcos Alcides M edeiros Junior M aria IsabelAragon Ricardo Alexandre Bianchini Silvana Henrique Silva Secretária Executiva Viviane Schalata M artins Tecnologia Osm ar de Oliveira BrazJúnior (coordenador) Giorgio M assignani Rodrigo de Barcelos M artins Sidnei Rodrigo Basei Edição -- Livro Didático Professor Conteudista Rodrigo Carioni Design Instrucional Dênia Falcão de Bittencourt Viviane Bastos Carolina Hoe ler da Silva Boeing Projeto Gráfico e Capa Equipe UnisulVirtual Diagram ação Sandra M artins RafaelPessi (2ªedição revista e atualizada) Revisão Ortográfica Sim one Rejane M artins (2ªedição revista e atualizada)

7 Sumário Apresentação Palavras do professor Plano de estudo UNIDADE 1 Marketing: conceitos e evolução UNIDADE 2 O composto de Marketing UNIDADE 3 Produto: mercadorias e serviços UNIDADE 4 Preço UNIDADE 5 Promoção UNIDADE 6 Praça (distribuição ou varejo) UNIDADE 7 Comportamento do consumidor UNIDADE 8 Sistema de informações de Marketing UNIDADE 9 Processo de pesquisa de Marketing UNIDADE 10 Procedimentos para a pesquisa de Marketing UNIDADE 11 Planejamento de Marketing UNIDADE 12 Segmentação de mercado UNIDADE 13 Análise dos ambientes de Marketing e da concorrência UNIDADE 14 stabelecimento de estratégias e planos de ação Para concluir o estudo Glossário Referências Sobre o professor conteudista Respostas e comentários das atividades de auto-avaliação Atividades de avaliação a distância

8

9 Palavras do professor Prezado aluno, A partir de agora, vamos conhecer um pouco melhor o que é o marketing, do que ele trata e de que maneira ele pode ajudar as empresas - e também, por extensão, as pessoas - na realização de seus objetivos. Trata-se de um tema atual, sem dúvida, e de algo que você já vive, no seu dia a dia, mesmo que às vezes sem se dar conta. Entendidas as funções e os fundamentos do marketing como ferramenta geradora de competitividade para as empresas, você vai aprender como se instrumentalizar para o cumprimento de sua função. O conteúdo deste livro foi pensado de maneira a integrar os conceitos e práticas da pesquisa de marketing aos do planejamento de marketing, algo que poucos exploram dessa forma. Nossa preocupação foi proporcionarlhe condições de enxergar o começo e o fim da função Administração de Marketing. Ou seja, vamos primeiramente entender como conseguir informações para poder decidir - por meio da pesquisa de marketing - e, depois, como utilizar essas informações para a tomada de decisões capazes de apresentar soluções razoáveis e exeqüíveis para os problemas de marketing - por meio do planejamento de marketing. Vamos então, agora, adentrar um pouquinho mais nessa importante área do conhecimento humano que é o marketing, procurando tirar o maior proveito possível de tudo que vamos ver.

10 Universidade do Sul de Santa Catarina Tenho certeza que você vai ficar fascinado pelo que vai conhecer e, se já conhece, pela oportunidade de relembrar alguns conceitos. Vamos ficar juntos, mesmo que virtualmente, por algum tempo. Espero que seja uma convivência bastante proveitosa! Bons estudos! Professor Rodrigo Carioni. 10

11 Plano de estudo Ementa Histórico e evolução do marketing. Fundamentos, funções e orientações do marketing. Composto mercadológico. Marketing mix. Análise do ambiente de marketing. Comportamento do consumidor. Pesquisa de mercado. Planejamento estratégico de marketing. Metodologias e resultados. Objetivos da disciplina Geral Apresentar ao aluno os conceitos e os fundamentos do marketing, capacitando-o para a utilização de metodologias de pesquisa e de planejamento de marketing. Específicos Conceituar Marketing, identificando seu papel na valoração das informações de mercado que subsidiam o processo decisório das organizações. Apresentar o composto mercadológico como ponto de partida para a discussão da atividade de Gestão de Marketing. Discutir o conceito de valor e troca como gerador de satisfação para os clientes e consumidores. Proporcionar a compreensão do papel e a utilidade da informação na solução dos problemas de marketing.

12 Universidade do Sul de Santa Catarina Conceituar pesquisa de marketing e discorrer sobre sua relevância para a solução de problemas de marketing. Reconhecer as relações entre a pesquisa de marketing e o planejamento de marketing. Apresentar metodologia para a elaboração de um planejamento de marketing, discutindo suas interações com as demais áreas funcionais da empresa. Carga horária A carga horária total da disciplina é 120 horas-aula. 12

13 Marketing de Varejo e de Serviços Cronograma Semanas Carga horária Eventos Atividades Datas-chave 1 1 Início da disciplina 6 Unidade Unidade 2 6 Unidade 3 10 Unidade Unidade 5 10 Unidade Unidade 7 10 Unidade Unidade 9 Leitura da mensagem do tutor no Mural e do Plano de Ensino Estudo da Unidade 1 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 2 do livro didático Atividades de auto-avaliação Avaliação a distância / Estudo da Unidade 3 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 4 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 5 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 6 do livro didático Atividades no AVA Atividades no AVA Estudo da Unidade 7 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 8 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 9 do livro didático Atividades de auto-avaliação Avaliação a distância / / / / / / / 5 6 Estudo da Unidade 10 do livro didático 6 Unidade 10 Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA 7 Unidade 11 Estudo da Unidade 11 do livro didático Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 12 do livro didático / 7 Unidade 12 Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 13 do livro didático 8 Unidade 13 Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA Estudo da Unidade 14 do livro didático / 8 Unidade 14 Atividades de auto-avaliação Atividades no AVA 4 Encontro presencial Avaliação presencial / Encontro presencial Avaliação presencial 2ª. Chamada / Avaliação Final (Caso seja necessário) / 13

14

15 UNIDADE 1 Marketing: conceitos e evolução 1 Objetivos de aprendizagem Definir marketing, varejo e serviços. Entender o papel de cada um na satisfação das expectativas dos consumidores. Compreender a sua importância nas relações existentes entre as organizações e seus clientes, atuais e/ou potenciais. Reconhecer as mudanças nas relações de consumo ocorridas ao longo dos anos. Identificar os principais acontecimentos que marcaram a evolução do marketing. Identificar a situação do marketing hoje, no Brasil e no mundo. Identificar tendências que se apresentam na atualidade. Seções de estudo Seção 1 As relações de consumo ao longo do tempo. Seção 2 Quais as etapas de evolução do Marketing? Seção 3 Afinal, o que é Marketing? Seção 4 O que é varejo? Seção 5 O que são serviços? Seção 6 O Marketing atualmente. Seção 7 O futuro do Marketing.

16 Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de estudo Há muita confusão quando se fala de marketing, de varejo e de serviços. O importante é conhecer, primeiramente, os conceitos, para só depois poder tratar cada um de maneira isolada ou mesmo conjuntamente. Nessa unidade, você pôde conhecer alguns conceitos de marketing, de varejo e serviços, que lhe serão importantes para embasar o entendimento da sua dinâmica e de suas funções. Então, vamos em frente para entender melhor tudo isso. Para iniciar seu estudo, você vai conhecer um pouco do surgimento e da evolução do marketing. Bom estudo! SEÇÃO 1 As relações de consumo ao longo do tempo As trocas que ocorrem entre pessoas e pessoas, pessoas e empresas e entre empresas e empresas. Nas relações entre pessoas e empresas, que foi durante muito tempo o foco principal da literatura de marketing, aprendemos que ambas as partes buscam satisfação por meio de trocas. As pessoas procuram satisfazer suas necessidades e seus desejos, assim como as empresas buscam o lucro como forma de promover sua continuidade. Mas há, também, trocas anteriores a essas, que é o que vamos ver a partir de agora. Há quem diga que a Igreja foi a primeira instituição a utilizar-se do marketing de maneira sistematizada. Havia uma uniformidade em seus templos e rituais (ao menos entre aquelas da mesma linha doutrinária). O discurso era basicamente o mesmo, traduzindo a oferta de salvação espiritual e o conforto perante a iminência da morte, que eram os benefícios procurados pelos fiéis. Além disso, possuíam elementos que permitiam a sua identificação onde quer que 16

17 Marketing de Varejo e de Serviços estivessem instaladas dizem, também, que a cruz foi o primeiro símbolo a representar uma marca. Avançando um pouco no tempo, chegamos à época em que a atividade comercial começou a ser praticada de maneira embrionária em relação ao que conhecemos hoje. Segundo Costa (1987, p. 14): durante longo período da história, o comércio foi praticado de forma bastante rudimentar. O mercado era restrito, de âmbito local, resultado da auto-suficiência das cidades e vilas que produziam tudo que necessitavam consumir. A produção era sob encomenda, resultante do baixo poder de compra do mercado, e o processo de produção era artesanal. Havia a identificação produtorcomerciante, pois a mesma pessoa que produzia era a responsável pela comercialização dos produtos. Assim, se uma pessoa precisasse de um par de sapatos, ia até o sapateiro que providenciava as medidas e produzia o calçado. Não havia intermediários, ou seja, quem produzia era quem vendia. Dois acontecimentos, porém, marcam o início da mudança na relação entre produtor-comerciante e consumidor: o ciclo dos grandes descobrimentos e a Revolução Industrial. Alguns países europeus (Portugal, Espanha e Inglaterra, principalmente) começaram a promover grandes viagens marítimas em busca de novas terras e, conseqüentemente, novos mercados. Houve uma primeira e substancial mudança na maneira de enxergar o comércio. As trocas de especiarias, pedras e metais preciosos, por meio de escambo, começaram a ser praticadas entre povos, e houve a busca do estabelecimento de relações comerciais que permitissem a sistemática de contínua troca entre as partes. O Oriente e as Américas passaram, com isso, a constituir novos mercados. Já a Revolução Industrial, deflagrada na Inglaterra no século XVIII, constituiu-se no maior impulso ao sistema capitalista: a introdução da máquina no processo produtivo determinaria, se não o fim da atividade artesanal, Unidade 1 17

18 Universidade do Sul de Santa Catarina a redução substancial de sua importância na geração de riquezas e na movimentação da economia. Com base nessas mudanças, fez-se necessário repensar as relações entre produtores e consumidores, por uma razão bastante singular: a tecnologia agregada ao processo produtivo aumentou exponencialmente a capacidade produtiva gerando excedentes de produção, ou seja, já se produzia mais do que a capacidade de consumo. Com isso, as alternativas presentes para regular essa nova forma de relacionamento passaram a utilizar: a criação de marcas que permitissem identidade própria e identificação aos produtos; a utilização de canais alternativos de distribuição para fazer os produtos chegarem aos consumidores quando necessário e em condições adequadas; a criação de mecanismos de comunicação para informar sobre a existência e as características dos produtos. Pelo que você acompanhou nesta seção, mudou bastante a relação entre o produtor e o comerciante, não é? É isso aí, você já começou a conhecer algumas atividades do Marketing! SEÇÃO 2 Quais as etapas de evolução do Marketing? Entendido como ocorreram as mudanças nas relações comerciais, é preciso agora estudar um pouco sobre as etapas da evolução do marketing. Segundo Schewe, citado por Costa (1987), a evolução do marketing pode ser descrita em três grandes momentos: a Era da Produção, de Vendas e do Marketing. 18

19 Marketing de Varejo e de Serviços A visão apresentada na seção anterior mostra a evolução do que se pode chamar de Era da Produção, ou seja, os esforços convergiam para as possibilidades de aumento da eficiência produtiva, fazendo produtos em quantidade para um mercado que ao menos se imaginava estava ávido e em condições de comprá-los. Quando se percebeu que, além de não dispor das condições necessárias para absorver integralmente a produção, o mercado ainda padecia de falta de capacidade para fazer escolhas entre aquilo que lhe era colocado à disposição. Imaginou-se, com isso, que seria necessário criar mecanismos de escoamento dos produtos. Por volta de 1930, nos Estados Unidos, as técnicas de vendas passaram a ser encaradas como a alternativa mais racional para a comercialização da produção industrial, por meio da capacitação de vendedores e do incremento de atributos nos produtos que pudessem, aos olhos dos consumidores, parecer atraentes. Estava em vigor a Era das Vendas. Somente na década de 50, também nos Estados Unidos, é que tem início a compreensão de que a alternativa para o sucesso comercial das empresas passa pela observação das expectativas dos consumidores e, conseqüentemente, pela oferta de produtos de acordo com as suas necessidades e seus desejos. Estava inaugurada a Era do Marketing. Agora que você conheceu a trajetória histórica da evolução do Marketing, estude, na seção seguinte, sobre o que ele realmente significa. Unidade 1 19

20 Universidade do Sul de Santa Catarina SEÇÃO 3 Afinal, o que é Marketing? Você provavelmente já ouviu expressões como: ah, Fulano faz aquilo como estratégia de marketing ou é tudo jogada de marketing. Já deve ter lido também sobre uma empresa X que gastou milhões de reais em marketing, mas na verdade, nunca se explica o que significa marketing. Ocorre muita confusão sobre o que seja marketing, sobre sua real utilidade. Para começar, é interessante dizer que Marketing não é algo bom ou ruim, não tem personalidade nem vontade própria, e por isso não deveria ser acusado tão freqüentemente pelo mal uso que fazem dele. Na verdade, o que acontece é que em determinadas situações, profissionais fazem uso indevido do marketing e a culpa disso tudo é transferida para ele. Para ilustrar essa idéia, acompanhe a seguinte analogia: uma espingarda pode ter várias utilidades, como: servir para caçar (e com isso, matar a fome de várias pessoas, para proteção de uma propriedade, ou para a prática de esportes). Agora, se alguém faz uso da arma para o crime, a culpa não pode ser transferida para a espingarda mas, sim, para quem dela não fez bom uso. Quando se fala em Marketing, deve-se compreender o modo como ele está e como está sendo ou foi utilizado. Visto isso, vamos buscar compreender adequadamente seu conceito. Segundo Kotler (1994, p. 25), um dos mais respeitados autores da área: Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros. Para entender a função do marketing, lembre-se de que as pessoas têm desejos e necessidades. Elas buscam, o tempo todo, a satisfação desses desejos e necessidades. 20

21 Marketing de Varejo e de Serviços A função do marketing é, justamente, buscar conhecer o que as pessoas querem e precisam e, com base nisso, oferecer os meios para atendê-las. Mas, há diferença entre desejos e necessidades? Há diferença sim! E é justamente isso que você vai estudar a partir de agora. Para facilitar o entendimento, primeiro pense em algumas necessidades básicas que as pessoas têm. Utilize o espaço a seguir para anotá-las. Todos nós precisamos comer, beber, e também precisamos nos vestir, não é mesmo? Pois é, se você pensar em como satisfazer essas necessidades básicas, poderia pensar em um prato de arroz e feijão com um pedaço de carne, para matar a fome; para matar a sede, um copo de água. Já para nos vestir, bastaria alguns recortes de tecido costurados para proteger tanto nosso corpo do frio, quanto cobrir nossa nudez. E pronto, assim, estaríamos satisfazendo essas necessidades. Agora, se em vez de comer arroz com feijão e carne, se desejasse algo mais sofisticado, mais elaborado? Em vez de água para beber, se preferisse algo com mais sabor, como por exemplo, um refrigerante ou um suco? E para vestir? Não seria bom poder usar roupas de uma grife X, reconhecida pelas belas roupas que produz? Se você entendeu o que eu quero dizer, saiba que se está Unidade 1 21

22 Universidade do Sul de Santa Catarina tratando da realização de desejos, ou seja, algo mais elaborado que as necessidades. O que existe, na verdade, é uma hierarquização das necessidades, que vão se sofisticando até se transformarem em desejos. Quem primeiro explicou essa hierarquia foi Maslow, por meio de uma pirâmide reproduzida na figura a seguir: Auto-realização Cursos de arte, música, ioga PESSOAIS Prestígio,status Cargos, títulos, carros Afeição Títulos de clubes, reuniões de Igreja, escolha da escola dos filhos Segurança Seguro de vida, plano de saúde Fisológicas Alimentos, roupas, moradia } } SOCIAIS FÍSICAS Figura 1 Hierarquia das necessidades segundo Maslow (Adaptada de GOBE, 2004, p. 53). Segundo Maslow, as necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de importância e de influência. Uma pirâmide cuja base estão as necessidades mais baixas (necessidades fisiológicas) e, no topo, as necessidades mais elevadas (as necessidades de auto-realização). Kotler (1994) afirma que a teoria de Maslow pode ajudar o profissional de marketing a entender como vários produtos se ajustam aos planos, metas e vidas dos consumidores. Em resumo, esse autor diz que: necessidade: é um estado de privação de alguma satisfação básica; e, desejo: é uma carência por satisfações específicas para atender as necessidades mais profundas. 22

23 Marketing de Varejo e de Serviços É importante que você compreenda que, muitas vezes, o que os profissionais de Marketing fazem é buscar reconhecer quais são os desejos que as pessoas têm e, de posse dessa informação, passam a agir de maneira a transformar tais desejos em necessidades. Mas, como é possível se fazer isso? Nossa sociedade atual é voltada para o consumo, onde somos ensinados, desde pequenos, a sempre consumir mais e mais. E, muitas vezes, diante desse contexto, até as pessoas são julgadas pelo que possuem e, não pelo que são. Alguns bens que até pouco tempo eram tratados como supérfluos, hoje fazem parte do dia-a-dia de todos nós. Vivemos anos e anos bem sem celular, não é verdade? Hoje, porém, muitas pessoas incorporaram de tal forma o celular que, quando esquecem em casa ou ficam sem bateria, sentem-se perdidas, desprotegidas. Você conhece alguém que já tenha passado por algo parecido? Para os profissionais do marketing, é importante identificar as demandas existentes no mercado para poder atendê-las de maneira satisfatória e eficaz sob o ponto de vista dos clientes e consumidores, e de maneira racional e rentável do ponto de vista da empresa. Para isso, o marketing busca fomentar relacionamentos. Mas isso você vai ver mais à frente. Demandas são desejos e/ou necessidades. SEÇÃO 4 O que é varejo? Como você pôde estudar na seção anterior, a função do marketing é atender as necessidades e os desejos dos consumidores por meio de mercadorias e serviços. Mas para que isso ocorra, é necessário que os consumidores tenham acesso à produção das empresas, que se dá por meio de canais de distribuição. A distribuição, segundo Las Casas (2004, p. 16), envolve basicamente duas áreas de decisão: Unidade 1 23

24 Universidade do Sul de Santa Catarina distribuição física, onde são as consideradas decisões relacionadas com a logística (transportes, armazenagem e distribuição); canais de distribuição, são consideradas decisões referentes aos caminhos que os produtos devem seguir até chegar ao consumidor. Assim, podemos considerar que o varejo tem a responsabilidade de comprar um ou uma variedade de produtos para colocar à mão dos consumidores, na forma de mercadorias ou serviços. Las Casas (2004, p. 17) cita uma definição de varejo de acordo a American Marketing Association, onde considera o varejo como uma unidade de negócio que compra mercadorias de fabricantes, atacadistas e outros distribuidores e vende diretamente a consumidores finais e eventualmente aos outros consumidores. Quais as funções do varejo? Existem outras funções de varejista ou intermediário além das que já foram citadas. Segundo Webster Jr. (apud Las Casas, 2004, p.18), as principias funções do varejo são as seguintes: vendas: promover o produto junto a clientes atuais e potenciais; compras: comprar uma variedade de produtos de um ou vários vendedores, usualmente para a venda; seleção: fazer sortimento de produtos, geralmente interrelacionados, para os clientes; financiamento: oferecer crédito aos clientes, além de buscar providenciar recursos para os vendedores financiarem seus negócios; armazenamento: estocar o produto, guardando suas condições de consumo ideais; 24

25 Marketing de Varejo e de Serviços distribuição: comprar as mercadorias em quantidades e fracioná-las para consumo por parte dos consumidores; controle de qualidade: avaliar os produtos e oferecer sugestões de melhoria; transportes: é o ato de levar o produto do fabricante para o consumidor; informações de Marketing: auxiliar os fabricantes na obtenção de informações sobre potencial de mercado, tendências etc; riscos: absorver parte dos riscos dos negócios seja pela guarda das mercadorias, seja pela possibilidade de os produtos tornarem-se obsoletos. Agora que você já sabe sobre varejo, saiba mais sobre serviços, assunto tratado na próxima seção. SEÇÃO 5 O que são serviços? Serviços são promessas... Bem, pode parecer brincadeira tal afirmação, mas ela revela a dificuldade existente entre conceituar adequadamente produtos e, até mesmo, vender serviços. Uma das principais características dos serviços é que são realizações intangíveis, ou seja, não se pode tocá-los e, para prová-los, somente após seu consumo. Então, convenhamos ser muito mais fácil definir e vender uma camisa que você pode pegar, provar ou um automóvel aí estão os test drive para quem quiser fazer. Vamos, então, conhecer algumas definições, apresentadas por outros autores. Unidade 1 25

26 Universidade do Sul de Santa Catarina Para Lovelock e Wright (2000), serviços são difíceis de definir devido à sua grande diversidade. Mas, essencialmente, são atos ou desempenhos que criam benefícios para os clientes ao provocar uma mudança desejada ou no destinatário ou em seu favor. Para Grönroos (2003), a maioria das definições de serviços que se apresentam são ultrapassadas e enganadoras, porque negligenciam os serviços ocultos na indústria e agricultura e, ainda, vêem serviços como um setor da economia, não como uma perspectiva de como criar uma vantagem competitiva. Ainda, segundo o autor, clientes não compram bens ou serviços, compram os benefícios que os bens e os serviços lhes proporcionam. Compram ofertas consistindo em bens, serviços, informações, atenção pessoal e outros componentes. Tais ofertas lhes prestam serviços e é esse serviço na oferta percebido pelos clientes que cria valor para eles (GRÖNROOS, 2003). Independente da perspectiva que se empregue para definir serviços, o importante é reconhecer seu crescente papel na economia mundial. Nos países desenvolvidos, por exemplo, o setor de serviços há tempos é responsável por mais de 50% do produto interno bruto (PIB) ou do nível total de emprego. E essa participação vem crescendo. Como afirmam Lovelock e Wright (2000), as organizações de serviço variam de tamanho podendo ser grandes corporações internacionais como as bancárias, as de transportes e de telecomunicações como também as locais, possuídas e operadas pelo cliente, e as empresas de serviços para outras empresas, como copiadoras, dentistas e agências de empregos temporários. Então, você concorda que há boas razões para estudarmos o marketing dentro da perspectiva do varejo e dos serviços? Pois vamos em frente! 26

27 Marketing de Varejo e de Serviços SEÇÃO 6 O Marketing atualmente Por meio do estudo da evolução das relações comerciais, você pôde entender como surgiu o marketing e, principalmente, como e de onde ele surgiu. Mas você saberia dizer qual a situação atual do Marketing? Os tempos em que vivemos são bem diferentes dos que viveram nossos pais e avós. Hoje tudo acontece mais rápido: alguns até acreditam que o tempo passa mais rápido! A verdade é que vivemos numa época em que os costumes se modificam com uma velocidade enorme. As transformações, em todas as dimensões da existência humana, são tão freqüentes e céleres que nem sempre se consegue percebê-las; a quantidade de informação a que somos submetidos em curtos espaços de tempo equivale ao volume que algumas pessoas recebiam a vida toda, há alguns anos. Isso nos faz mais críticos, mais conscientes, mais exigentes. A função do Marketing é criar relações estáveis e duradouras que permitam reais condições para a realização de trocas. A verdade é que a dinâmica da vida moderna levou a mudanças tão radicais que se tornou imperativo para a sobrevivência de qualquer empresa estar constantemente monitorando o mercado, em busca de indícios do que possam ser as demandas dos consumidores. Essa competência faz parte das competências que o marketing possui e funcionalmente estão sob sua responsabilidade. Para o exercício de suas funções, os avanços tecnológicos auxiliam o marketing, permitindo o contato com os mercados de maneira cada vez mais próxima, mesmo que estejamos em tempos de exacerbação do individualismo. Permite-lhe ouvir o que cada um dos clientes e consumidores tem a dizer, mesmo que eles sejam em um número tão grande que não caberiam nem mesmo num estádio de futebol. E permite-lhe uma comunicação tão personalizada que cada um Unidade 1 27

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada

Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada Aula Nº 13 A Dissonância Cognitiva pode ser eliminada Objetivos da aula: Esta aula proporcionará ao aluno da disciplina de Marketing em Administração de Call Center compreender o sentido e a importância

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

Administração Mercadológica

Administração Mercadológica Organização Competitiva e Estratégias de Branding Administração Mercadológica Os elementos do mix de marketing Marketing-mix = Composto de MKt = 4P s Estratégia de produto Estratégia de preço Estratégia

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Marketing. - Fatos históricos.

Marketing. - Fatos históricos. Marketing - Fatos históricos. Escambo. Produção e consumo baixos. Crescimento do consumo. Crescimento da produção = paridade. Explosão da produção. Marketing é o desempenho das atividades de negócios que

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Tema Nº 7 Gestão Comercial

Tema Nº 7 Gestão Comercial Tema Nº 7 Gestão Comercial Habilidades a Desenvolver: Identificar as diferenças entre marketing e vendas. Definir as ações de marketing a serem adotadas pela empresa. Estruturar os procedimentos comerciais

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

Módulo 1. Introdução à Disciplina

Módulo 1. Introdução à Disciplina Módulo 1. Introdução à Disciplina Você conhece o Marketing ele está à sua volta em todos os locais. Você vê os resultados do Marketing na grande quantidade de produtos disponíveis no shopping center, nos

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce Você é do tipo que quer arrancar os cabelos toda vez que um concorrente diminui o preço? Então você precisa ler este guia rápido agora mesmo. Aqui

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

Ementa e Cronograma Programático...

Ementa e Cronograma Programático... Prof. Fabrício Rogério Parrilla Ementa e Cronograma Programático... AULA 01 Estratégia de Operações e Planejamento Agregado AULA 02 Planejamento e Controle de Operações AULA 03 Gestão da Demanda e da Capacidade

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS:

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: O QUE É PRECISO PARA SER UM CORRETOR DE SUCESSO gerenciador e site imobiliário Introdução O perfil do corretor de imóveis de sucesso Aprimorando os pontos fracos Conclusão

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 02 Disciplina: Planejamento Estratégico de Marketing Unidade I: Introdução ao Planejamento Estratégico Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 4º. ADM Marketing: Revisão dos

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência Administração de As responsabilidades da área de (MINADEO, 2008) - Investigar novos nichos de mercado - Identificar o perfil do cliente - Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

Desenvolvimento do Mix de Marketing

Desenvolvimento do Mix de Marketing Desenvolvimento do Mix de Marketing Mix de Marketing O composto de marketing é conhecido no escopo mercadológico como os 4Ps denominados por Jeronme Mc Carthy como: product, price, place e promotion. Na

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS

MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS MARKETING DE RELACIONAMENTO: UM ESTUDO DE CASO NO COMÉRCIO DE TRÊS LAGOAS ADRIELI DA COSTA FERNANDES Aluna da Pós-Graduação em Administração Estratégica: Marketing e Recursos Humanos da AEMS PATRICIA LUCIANA

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão em Marketing CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução

Leia mais

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios...

Abra. e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... Abra e conheça as oportunidades de fazer bons negócios... anos Chegou a hora de crescer! Conte com a Todescredi e faça bons negócios. Há 5 anos, iniciavam as operações daquela que se tornou a única financeira

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA II Atividades Gerenciais de MKT Produto Testar Novos Produtos; Modificar Atuais; Eliminar; Política de Marcas; Criar Satisfação e Valor; Embalagem. 2 1 Atividades Gerenciais

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo IV Capítulo Quatro O Guia Definitivo para enfrentar suas Dívidas Em algum nível, mesmo que rudimentar, todos sabemos que o endividamento é perigoso.

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Prof. Adriano Alves Fernandes DCAB - Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas CEUNES - Universidade Federal do Espírito Santo 1- Introdução Uma grande

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. "Uma arma verdadeiramente competitiva"

Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos. Uma arma verdadeiramente competitiva Logística e a Gestão da Cadeia de Suprimentos "Uma arma verdadeiramente competitiva" Pequeno Histórico No período do pós-guerra até a década de 70, num mercado em franca expansão, as empresas se voltaram

Leia mais

Fundamentos de Marketing Global Parte 02 Decisão sobre o programa de Marketing Global Alternativas estratégicas de expansão geográfica

Fundamentos de Marketing Global Parte 02 Decisão sobre o programa de Marketing Global Alternativas estratégicas de expansão geográfica Fundamentos de Marketing Global Parte 02 Decisão sobre o programa de Marketing Global Alternativas estratégicas de expansão geográfica As empresas podem crescer de três maneiras diferentes. Os métodos

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que

22/02/2009. Supply Chain Management. É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que Supply Chain Management SUMÁRIO Gestão da Cadeia de Suprimentos (SCM) SCM X Logística Dinâmica Sugestões Definição Cadeia de Suprimentos É a integração dos processos do negócio desde o usuário final até

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação

SCRUM. Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação SCRUM Desafios e benefícios trazidos pela implementação do método ágil SCRUM 2011 Bridge Consulting Apresentação Há muitos anos, empresas e equipes de desenvolvimento

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO BEM VINDO AO GUIA DE 10 PASSOS DE COMO MELHORAR MUITO A SUA VIDA FINANCEIRA! APROVEITE! 1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO Quando se trata do nosso dinheiro, a emoção sempre tende a ser um problema.

Leia mais

Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção. Professora Patrícia Abreu 1

Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção. Professora Patrícia Abreu 1 Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção Professora Patrícia Abreu 1 Introdução à administração da produção e operações / histórico; Diferenças entre produtos e serviços;

Leia mais

Pretendemos também abordar as filosofias e os tipos de Marketing. Outro dos pontos abordados é o planeamento estratégico e o processo de Marketing.

Pretendemos também abordar as filosofias e os tipos de Marketing. Outro dos pontos abordados é o planeamento estratégico e o processo de Marketing. Universidade do Algarve Escola superior de Tecnologia Engenharia Elétrica e Eletrónica MARKETING Docente: Jaime Martins Discentes: Mário Sousa Nº25649 Mário Fontainhas Nº24148 Paulo Rodrigues Nº23615 Introdução

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu. ISSN 2316-7785 A IMPORTÂNCIA DO PIBID NA FORMAÇÃO DE FUTUROS PROFESSORES Vitor José Petry Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS vitor.petry@uffs.edu.br Resumo O artigo é resultado da análise de

Leia mais

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA

whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA whitepaper PRECIFICAÇÃO DINÂMICA INTRODUÇÃO Quando se fala em precificar um produto, a primeira coisa que vem em mente é que essa é uma tarefa muito óbvia - são somados ao preço da mercadoria: os custos,

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO OS NEGÓCIOS Odilio Sepulcri* INTRODUÇÃO A sobrevivência dos negócios, dentre outros fatores, se dará pela sua capacidade de gerar lucro. O lucro, para um determinado produto, independente da forma como

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br

INTRODUÇÃO AO TRADE MARKETING Fazendo a diferença no Ponto de Venda. www.pdvativo.com.br Fazendo a diferença no Ponto de Venda EBOOK Sumário Revisão O que é Trade Marketing? Entenda o Comportamento de Compra do Consumidor O que é Merchandising? Revisão Para entender sobre Trade Marketing devemos

Leia mais

1 Visão Sistêmica das Organizações

1 Visão Sistêmica das Organizações Aula 10 Teoria Geral de Sistemas 27/09/2007 Universidade do Contestado UnC/Mafra Curso Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber ENFOQUE SISTÊMICO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Visão Sistêmica das Organizações

Leia mais

Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS

Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS Como marca, fachada e merchandising podem se ajudar O DESAFIO Competindo com Competência Todos sabem que a competitividade do mercado

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc.

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc. A3 - Produto e Preço O que é produto? Produto é o conjunto de benefícios que satisfaz o desejo e/ou a necessidade do consumidor, pelo qual ele está predisposto a pagar em função da sua disponibilidade

Leia mais