RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício 2003

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício 2003"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Instituto de Pesquiss Jrdim Botânico do Rio de Jneiro Em tenção à Instrução Normtiv/TCU nº 12/1996 e à Instrução Normtiv SFC/MF nº 12/2000, o Instituto de Pesquiss Jrdim Botânico do Rio de Jneiro (JBRJ), Autrqui federl vinculd o Ministério do Meio Ambiente (MMA), present o seu Processo de Prestção de Conts Anul do exercício RELATÓRIO DE GESTÃO Exercício Gestão Opercionl / Finlístic 1.1- Competêncis Legis e Regimentis - Missão Institucionl 1.2- Público Alvo dos Processos Gerenciis 1.3- Vinculções com o Plno Plurinul 1.4- Indicdores Relevntes 1.5- Demonstrtivos do Comportmento ds Mets Anuis 1.6- Resultdos - Incidênci Socil 2- Gestão Orçmentári 3- Gestão Finnceir 4- Gestão Ptrimonil 5- Gestão de Pessos 5.1- Gstos com Remunerção / Mnutenção 5.2- Ações de Vlorizção do Servidor 5.3- Terceirizção de Mão-de-Obr 5.2- Ações Disciplinres - Correicionis 6- Gestão de Suprimento de Bens e Serviços 6.1- Contrtções: Obrs, Comprs e Serviços 6.2- Convênios e Prceris 6.3- Estoques 7- Processos de Controle 7.1- Processos do Controle Prlmentr 7.2- Processos dos Controles Internos 8- Conclusão 1- Gestão Opercionl / Finlístic

2 JBRJ - Reltório de Gestão Competêncis Legis e Regimentis - Missão Institucionl O Instituto de Pesquiss Jrdim Botânico do Rio de Jneiro (JBRJ), utrqui federl crid pel Lei nº , de 6/12/2001, vinculd o Ministério do Meio Ambiente (MMA), dotd de personlidde jurídic de direito público, com utonomi dministrtiv e finnceir, tem como finlidde promover, relizr e divulgr o ensino e s pesquiss técnico-científics sobre os recursos florísticos do Brsil, visndo o conhecimento e conservção d biodiversidde, bem como mnter s coleções científics sob su responsbilidde, competindo-lhe em especil, e em consonânci com s diretrizes ds polítics ncionis de meio mbiente, fixds pelo MMA: I- subsidir o MMA n elborção d Polític Ncionl de Biodiversidde e de Acesso Recursos Genéticos; II- crir e mnter progrms de poio à implementção, estruturção e desenvolvimento de jrdins botânicos, nos âmbitos federl, estdul e municipl; III- mnter opercionlizção e o controle do Sistem Ncionl de Jrdins Botânicos; IV- desenvolver e difundir progrms de pesquis científic, visndo à conservção d flor ncionl, e estimulr o desenvolvimento tecnológico ds tividdes de interesse d Botânic e de áres correlts; V- mnter e mplir coleções ncionis de referênci, representtivs d flor ntiv e exótic, em estruturs dequds, crpotec, xilotec, herbário, bibliotec, coleção de plnts vivs; VI- mnter e mplir o cervo bibliográfico, especilizdo n áre d Botânic, meio mbiente e áres fins; VII-estimulr e mnter progrms de formção e cpcitção de recursos humnos nos cmpos d Botânic, Ecologi, Educção Ambientl e gestão de jrdins botânicos; VIII- mnter bnco de germoplsm e promover divulgção nul do index seminum no Diário Oficil d União; IX- mnter uniddes ssocids representtivs dos diversos ecossistems brsileiros; X- nlisr proposts e mnter cordos e convênios interncionis, objetivndo cooperção no cmpo ds tividdes de pesquis e compnhr su execução, ouvido o MMA Público Alvo dos Processos Gerenciis Aberto o público desde 1819, o Jrdim Botânico represent um espço institucionlmente voltdo pr o triplo ppel socil de lzer contempltivo, educção e conservção mbientl. Atulmente com cerc de visitntes nuis, número composto de turists ncionis e estrngeiros, frequentdores hbituis, estudntes, pesquisdores e personliddes ilustres, o Jrdim Botânico busc propicir o público que o frequent pens pelo lzer contempltivo, compreensão do relevnte cervo botânico, histórico e culturl existente em seu Prque Florístico com 54 hectres, por meio do tendimento direto no Centro de Visitntes, visits guids, informções disponíveis em folhetos ou ns plcs de interpretção mbientl, e ind exposições e tividdes diverss desenvolvids em dts comemortivs. O potencil educcionl contido no rico cervo mbientl do Prque Florístico propiciou tender, no cmpo d educção mbientl, lunos compnhdos por professores treindos pelo Projeto Conhecendo Nosso Jrdim do Núcleo de Educção Ambientl (NEA), bem como form treindos 395 professores, considerdos gentes multiplicdores. Um contingente de pessos prticipou ds tividdes oferecids n Semn d Mt Atlântic, Semn do Meio Ambiente, Aniversário do JBRJ e Di d Árvore. N áre científic, o Jrdim Botânico destc-se como um grnde centro formdor de pesquisdores que contribuem tivmente pr o vnço do ensino e d pesquis em Botânic e ciêncis correlts, em âmbito ncionl e interncionl. Nesse contexto, são inúmeros os bolsists, estgiários e voluntários, orientdos pelos pesquisdores d Diretori de Pesquis Científic (Dipeq), ptrocindos por entiddes de fomento à pesquis, como CNPq e Fperj. Além d orientção os bolsists, os pesquisdores mplirm o leque de tividdes n formção e cpcitção de recursos humnos grçs à consolidção ds tividdes de ensino junto à Escol Ncionl de Botânic Tropicl (ENBT), que promove o Progrm de Pós- Grdução (stricto sensu). Por outro ldo, em cooperção com outrs instituições, entre s quis o Serviço Ncionl de Aprendizgem Rurl, o Juizdo d Infânci e Juventude e o Exército Brsileiro, o Jrdim Botânico relizou cursos de jrdingem grtuitos pr menores crentes e solddos, visndo su inserção produtiv no mercdo de trblho.

3 JBRJ - Reltório de Gestão Vinculções com o Plno Plurinul O Jrdim Botânico desenvolveu sus ções de Governo de cordo com Plno Purinul A progrmção contemplou cinco ções finlístics pr s quis hvim sido feits previsões orçmentáris. O qudro seguir relcion esss ções com s competêncis regimentis referids no item nterior. Progrm Biodiversidde e Recursos Genéticos - PPA Ação Finlidde / Competênci regimentl Pesquis em Diversidde Vegetl Gerr produtos científicos que sejm diretmente plicáveis no vnço do (Diretori de Pesquis) conhecimento sobre riquez e diversidde d flor brsileir e representem elementos seguros pr subsidir s ções de conservção. Conservção ds Coleções Botânics Científics de Referênci (Diretori de Pesquis) Mnejo d Coleção Viv do Arboreto (Prefeitur do Instituto) Mnter e mplir o cervo do Herbário, Crpotec e Xilotec, visndo preservr informções e gerr conhecimentos sobre os recursos florísticos do Brsil. Conservr s coleções científics de plnts vivs com o objetivo técnicocientífico de conservção d biodiversidde, educção, cultur e lzer. Progrm Educção Ambientl - PPA Informção e Divulgção Técnico- Educr pr mudnç de comportmento e titudes frente às questões Científic mbientis, visndo conservção de mbientes nturis e dos (Núcleo de Educção Ambientl) componentes d diversidde biológic, bem como grnti d qulidde de vid respeitndo os princípios de sustentbilidde e solidriedde. Progrm Desenvolvimento do Ensino de Pós-Grdução - PPA Formção de Recursos Humnos n Áre Ambientl (Escol Ncionl de Botânic Tropicl) Estimulr e mnter progrms de formção e cpcitção de recursos humnos nos cmpos d Botânic, Ecologi, Educção Ambientl e Gestão de Jrdins Botânicos. Obs1: As demis competêncis, não relcionds no qudro cim, têm um cráter mis mplo do ponto de vist institucionl. Obs2: O próximo período, PPA , vi contr com um número mior de ções finlístics, tendo em vist s especificiddes ds tividdes exercids pelo Jrdim Botânico, ms que não erm contemplds com orçmento próprio Indicdores Relevntes No Jrdim Botânico, os indicdores sociis estão intimmente relciondos os bens e serviços destindos o seu público-lvo: visitntes do Prque Florístico, professores e estudntes d rede públic do ensino médio e fundmentl, pesquisdores em Botânic e ciêncis fins, estgiários e bolsists de grdução e pós-grdução, mestrndos, instituições congêneres e prceiros privdos e governmentis. Apesr d Instituição não trblhr com indicdores sociis precisos cotejdos com su missão institucionl, objetivos e vlores, os resultdos obtidos no exercício, no que tnge os bens e serviços disponibilizdos à sociedde, demonstrrm preocupção com o perfeiçomento e qulidde do trblho desenvolvido por tods s uniddes finlístics. NA ÁREA DE PRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA O desenvolvimento de ções coordends em qutro progrms de pesquiss e execução de tividdes em uniddes lbortoriis e de cervo científico têm sido estrtégi pr tender os compromissos ligdos às tribuições direcionds pr produção, orgnizção e divulgção de conhecimentos sobre diversidde vegetl brsileir. A tução junto às Uniddes de Conservção no Estdo do Rio de Jneiro, visndo o conhecimento d diversidde vegetl e su conservção; produção científic disponibilizd por meio de rtigos, trblhos e livros publicdos; s presentções em seminários, congressos e outros eventos científicos; e o intercâmbio com instituições de pesquiss fins, representrm mior contribuição o público lvo d Diretori de Pesquis Científic. NA ÁREA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O Núcleo de Educção Ambientl deu continuidde o Projeto Conhecendo Nosso Jrdim Roteiro Básico dirigido os professores d rede oficil de ensino e gentes envolvidos em processos de educção mbientl. Em prceri com Furns, foi desenvolvido o Projeto Uso Rcionl dos Nossos Recursos com elborção do dignóstico energético e do curso de cpcitção pr o público interno, e relizção de entrevists com público interno externo, visndo execução e vlição pr colet seletiv de resíduos sólidos secos pr o JBRJ. IV, VI, VIII V V VII VII

4 JBRJ - Reltório de Gestão NA ÁREA DE CULTURA E LAZER O Prque Florístico, com 54 hectres, onde se encontrm coleções vivs representtivs d flor ncionl e de outros píses, estufs, monumentos, obrs de rte e museu-sítio rqueológico, recebeu visitção de cerc de pessos, que se beneficirm do excelente estdo de conservção e belez deste espço e ds tividdes desenvolvids em dts comemortivs específics, especilmente dedicds às crinçs. NA ÁREA DE FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO O expressivo investimento n formção de recursos humnos, com o poio ds gêncis de finncimento de pesquiss os progrms de bolss e estágios do JBRJ e os vnços n consolidção ds tividdes de ensino em interção com Escol Ncionl de Botânic Tropicl permitiu que se lcnçsse um excelente desempenho n formção e cpcitção em Biologi Vegetl, o que vem demonstrr o elevdo potencil d Instituição pr mplir s interções com o Ministério do Meio Ambiente, principlmente no cumprimento dos compromissos referentes às estrtégis de conservção d diversidde biológic brsileir. O início do curso mestrdo em Botânic e o oferecimento de cursos de extensão n áre de Botânic, Ecologi e fins, bem como diversos eventos, incluindo plestrs, congressos e seminários internos, ncionis e interncionis, permitirm consolidr e ssegurr à sociedde um espço pr especilizção de profissionis, indispensáveis à pesquis e gestão dos recursos mbientis do pís. NA ÁREA DE PARCERIAS O envolvimento com os prceiros institucionis, privdos e governmentis, tem permitido grntir benefícios mútuos por meio de cooperções técnico-científics com s uniddes finlístics, bem como poios de mntenedores o Prque Florístico, em que o principl beneficiário dos resultdos tingidos é própri sociedde. NA ÁREA SOCIAL O Lbortório Socil, crido no exercício, tende à prioridde governmentl de vlorizr s inicitivs de enfrentmento o processo de exclusão socil, formlizndo o mesmo tempo su cpcidde de efetivr responsbilidde socil do JBRJ, pelo esforço de democrtizr s bses que dão sustentção à su missão. O projeto político pedgógico pr cpcitção profissionl e desenvolvimento humno dos jovens em situção de risco ns comuniddes populres do Rio de Jneiro, e que circundm Instituição, tem o objetivo de mplir o exercício d ciddni, preprr pr o mundo do trblho e contribuir n continuidde do prendizdo o longo d vid. NA INTERFACE COM O MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Com o objetivo de buscr um mior interção com setores do MMA, foi inicid rticulção com Secretri de Biodiversidde e Florests, no sentido de integrr esforços pr tender lgums ções reltivs à Estrtégi Ncionl de Diversidde Biológic. Avnços consideráveis form tingidos com identificção de demnds ns áres de competênci do JBRJ, justes iniciis pr o envolvimento de representntes d Instituição nos grupos de trblhoss e comitês, e efetiv prticipção de pesquisdores em reuniões de discussão dos mecnismos de implntção d Convenção d Diversidde Biológic e ssuntos correltos. Nesse contexto, há grnde expecttiv de prceris prtir de 2004 pr poir o desenvolvimento de pesquiss com indicdores florísticos pr vlição d diversidde biológic, flor de Uniddes de Conservção e conservção ex situ em jrdins botânicos.

5 JBRJ - Reltório de Gestão Demonstrtivos do Comportmento ds Mets Anuis Desempenho Institucionl Indicdor Produto Un. 1º semestre 2º semestre Previsto Executdo Previsto Executdo 1- Difusão d produção técnico-científic. Informção fornecid. un Documentção d flor brsileir. Exemplr trblhdo. un Produção científic. Trblho produzido. un Estudo d flor brsileir. Espécie trblhd. un Implntção do BD Arboreto. Bnco implntdo. % 40% 100% 60% 100% 6- Difusão d produção científic. Atendimento o público. un Mnutenção d áre verde Áre verde conservd. % 50% 100% 50% 100% 8- Formção e perfeiçomento de RH Aluno tendido. un Cpcitção de RH n áre mbientl. Professor treindo. un Difusão d produção técnico-científic. Informção fornecid. un Produção científic. Trblho produzido. un Ações do PPA x Indicdores Institucionis - Prog. Biodiversidde / Ação Pesquis em Diversidde Vegetl / Dipeq / indicdores 1, 2, 3 e 4 - Prog. Biodiversidde / Conservção ds Coleções Botânics Científics de Referênci / Dipeq / indicdor 2 - Prog. Biodiversidde / Ação Mnejo ds Coleções Vivs / Prefeitur / indicdores 5, 6 e 7 - Prog. Desenvolvimento do Ensino de Pós-Grdução / Ação Formção de RH n Áre Ambientl / Dipeq-ENBT / indicdor 8 - Prog. Educção Ambientl / Ação Informção e Divulgção / NEA / indicdores 9, 10 e 11 Fonte: Presidênci do JBRJ e Diretoris Os resultdos obtidos pel Instituição estão intimmente ligdos à execução ds ções finlístics sob su responsbilidde. As mets fixds pr os dois semestres, confirmrm mis um vez o máximo esperdo. As tividdes e projetos executdos pels Diretoris tiverm su performnce prejudicd pel form progressiv como os recursos form liberdos. Vigens de cmpo, de perfeiçomento e de divulgção d produção científic form restringids, bem como projetos específicos de pesquis e de conservção do Arboreto não puderm ser contempldos. Como esses resultdos estão intimmente ssocidos àqueles que ferem s ções finlístics do Plno Plurinul, podemos firmr que no âmbito de cd Diretori s tribuições form cumprids de form stisftóri. Os expressivos resultdos obtidos no cso d vlição institucionl ds mets do Progrm Biodiversidde e Recursos Genéticos devem-se às considerções pessimists sobre o cenário orçmentário no início do exercício. As dificulddes relcionds à liberção orçmentári e finnceir dos recursos necessários às ções finlístics, sinlizds pelo ministério supervisor, implicrm num previsão cutelos por prte dos progrms d Diretori de Pesquis Científic e d Prefeitur do Instituto. Dess mneir, o longo do período, s crcterístics própris ds tividdes de pesquis e de tendimento o público visitnte, bem como o esforço ds equipes, contribuírm pr que o desempenho supersse o previsto. Com relção o bixo desempenho no primeiro semestre, nturez dos trblhos (trblhos de cmpo e lbortório, vigens congressos, intercâmbios, etc.), e os poucos recursos liberdos no período, fizerm com que os resultdos pens emptssem com s mets fixds. No segundo semestre, pesr d lent liberção dos recursos, s áres relizrm sus progrmções, lido o esforço já menciondo ds equipes. No cso do Progrm de Desenvolvimento do Ensino de Pós-Grdução, o vlor constnte do qudro de mets institucionis, muito superior o previsto, tmbém pode ser explicdo pels mesms rzões do Progrm Biovid, isto é, cutel por prte d Diretori de Pesquis Científic. No entnto, O número expressivo se refere o universo de lunos tendidos por todos os pesquisdores d Diretori: lunos de grdução, pós-grdução, estgiários e bolsists, resultdo do investimento n formção em recursos humnos. O vlor muito superior o previsto deve-se, como já ocorreu em 2002, o incremento do poio ds gêncis de finncimento de pesquiss os progrms de bolss e estágios do JBRJ e os vnços n consolidção ds tividdes de ensino em interção com Escol Ncionl de Botânic Tropicl. O fto ds mets físics ds três ções especificds (Pesquis em Diversidde Vegetl, Informção e Divulgção Técnico-Científic, e Formção de RH n Áre Ambientl), terem lcnçdo excelentes resultdos justific-se pels seguintes rzões:

6 JBRJ - Reltório de Gestão Pesquis em Diversidde Vegetl - os esforços dequdmente direciondos pr nálise e divulgção de ddos oriundos de pesquiss de cmpo e de lbortório relizds em nos nteriores. Informção e Divulgção Técnico-Científic - O Projeto Conhecendo Nosso Jrdim - Roteiro Básico dirigido os professores d rede oficil de ensino e gentes envolvidos em processos de educção mbientl, relizdo há mis de 10 nos, tem possibilitdo mplo conhecimento d rede públic de ensino sobre s tividdes de educção mbientl n Instituição. Formção de RH n Áre Ambientl - Os cursos de mestrdo e extensão oferecidos pel Escol Ncionl de Botânic Tropicl contrm com prticipção dos pesquisdores e outros profissionis d Instituição que permitirm o desenvolvimento ds tividdes cdêmics sem prejuízo ds mets estbelecids Resultdos - Incidênci Socil O Jrdim Botânico, pesr ds dificulddes de ordem orçmentári - e dquels nturis o processo de dptção de um nov gestão - pôde encerrr o no comemorndo o fto de ter cumprido su missão institucionl, com muito esforço, critividde e principlmente com colborção do excelente qudro de servidores. Merece destque: O visitntes, em número mior que o no nterior, se beneficirm do excelente estdo de conservção do Prque Florístico e ds tividdes lúdics e culturis oferecids, especilmente dirigids às crinçs. O elevdo número de pessos permitiu que Instituição obtivesse um excelente nível de rrecdção com ingressos e estcionmento de veículos, recursos indispensáveis à composição do orçmento nul que execut. O treinmento de professores d rede oficil de primeiro e segundo grus, mis um vez, grntiu o efeito multiplicdor em tividdes de educção mbientl junto os seus estbelecimentos de ensino e lunos. A produção de trblhos, su divulgção, intercâmbio com entiddes fins e estudos em Uniddes de Conservção, mis um vez colocou em destque Instituição junto à comunidde científic. A mplição d ocupção e vlorizção de espços do Arboreto, com finlidde educcionl, de modo permitir mior integrção ds áres de Educção Ambientl e Prefeitur do Instituto pr o desenvolvimento e oferecimento de tividdes nest áre verde. Com o objetivo de integrr mis comunidde o JBRJ, foi oferecid um progrmção culturl com um concepção que hoje vnç pr um propost de difusão d ciênci tmbém pel cultur e que integre s áres do Instituto com esse viés. Os pesquisdores intensificrm esforços n tenttiv de o menos equiprr os resultdos do no nterior e cumprir prte ds mets proposts. Nesse intuito, houve umento nos indicdores ds tividdes de difusão (representd principlmente por preceres técnicos e prticipção em congressos representdos por outros utores) e formção de recursos humnos. A relizção do Progrm Educção e Trblho está em conformidde com Constituição Federl, com o Esttuto d Crinç e do Adolescente, com s novs orientções ds Diretrizes e Bses d Educção e os desfios lnçdos pel Unesco pr Educção no séc. XXI. Form beneficidos pels tividdes do Lbortório c. de 913 prticipntes, que o se proximrem dos conteúdos pedgógicos, ds ções metodológics e dos recursos tecnológicos disponibilizdos, possibilitou momentos de efetiv promoção e inclusão sociis, trvés ds ções empreendids com foco n gerção de rend e emprego. A efetiv implntção d Escol Ncionl de Botânic Tropicl, que deu início o seu curso de mestrdo stricto sensu e ofereceu outros cursos de extensão, veio formlizr trdição de ensino d Instituição. As prceris e convênios de cooperção (com recursos indiretos), permitirm que no período fossem empreendids ções, tis como, revitlizção e mnutenção do meio físico, monumentos e estufs no Prque Florístico, desenvolvidos projetos de pesquis em áres de preservção do Estdo do Rio de Jneiro, quisição de equipmentos e infrestrutur lbortoril, e presentção de trblhos em congressos.

7 JBRJ - Reltório de Gestão Gestão Orçmentári O orçmento inicil pr o exercício do JBRJ, constnte d Lei Orçmentári Anul, fixou s despess em R$ ,00. Durnte o período, os pedidos de créditos dicionis implicrm em cncelmentos e suplementções o orçmento d Instituição, definindo um dotção finl de R$ ,00. Estão relciondos seguir os vlores executdos de cordo com os principis grupos de despess: - Pessol... R$ ,87 - Benefícios / Cpcitção... R$ ,14 - Administrção... R$ ,53 - Ações Finlístics... R$ ,14 - Destque oriundo d Cpes R$ ,40 - Totl executdo pelo JBRJ R$ ,08 Orçmento Anul - Progrm Apoio Administrtivo e Progrms Finlísticos (em reis) Especificção do Orçmento LOA* (A) Dotção** (B) Autorizdo*** (C) Execução**** (D) % Exec. (D/C) Progrm Apoio Administrtivo , , , ,53 81,2% Administrção d Unidde , , , ,53 81,2% Progrm Biovid , , , ,22 81,2% Pesquis em Diversidde Vegetl , , , ,77 74,1% Conservção ds Coleções Nc. de Refer , , , ,93 87,2% Mnejo d Coleção Viv do Arboreto , , , ,52 96,5% Amplição do Prédio do Herbário (projeto) , ,00 0,00 0, Progrm Educção Ambientl , , , ,36 66,6% Informção e Divulgção Técnico-Científic , , , ,36 66,6% Progrm Desenv. Ensino Pós-grdução , , , ,56 52,9% Formção de RH n Áre Ambientl , , , ,56 52,9% * LOA = Lei Orçmentári Anul ** Dotção = LOA + Cncelmentos/Suplementções Adicionis. *** Autorizdo = limites té dezembro referente o Dec /2003. **** Execução = estão incluídos os vlores inscritos em Restos Pgr. Composição do Orçmento Executdo Pessol + Encrgos 73% Benefícios 5% Administrção 19% Ações Finlístics 3% Fonte: Sifi (Posição 31/12/2003)

8 JBRJ - Reltório de Gestão A liberção do orçmento ocorreu de form progressiv, em rzão ds necessiddes de equilíbrio fiscl do Governo federl. O Ministério do Plnejmento exerceu s medids necessáris o controle orçmentário e finnceiro, contingencindo recursos e impondo limites rígidos pr movimentção e empenho. A execução tingiu o excelente percentul de 94,2 % pr Instituição como um todo. No entnto, o percentul de execução não foi igul pr tods s áres. No cso d áre dministrtiv, que execut os recursos d ção Administrção d Unidde, o índice ficou em 81,2%. A liberção de recursos pr s áres finlístics, decorridos quse seis meses do exercício, invibilizou demnds dos Progrms. Por outro ldo, publicção d Portri que restringi os gstos com pssgens e diáris, invibilizou muits tividdes fundmentis dos projetos de pesquiss, vigens técnics à instituições congêneres e herbários, e expedições em áres de interesse científico. O Progrm Biovid tmbém executou 81,2% dos seus recursos, e s ções de Educção Ambientl e Formção de RH n Áre Ambientl lcnçrm 66,6% e 52,9%, respectivmente. Esss vrições ns execuções contecerm em rzão ds dificulddes de plnejmento dos gstos, um vez que somente em novembro e dezembro ficrm disponíveis integrlmente os recursos orçmentários. Dess mneir, s uniddes responsáveis pel execução ds ções tiverm dificulddes de estbelecerem um plnejmento de sus demnds, que precism ser concretizds trvés de um rotin que se inici com os pedidos de comprs e serviços, empenho de recursos e culmin, n miori ds vezes, em processos licittórios. Ns diretrizes estbelecids pr execução ds despess correntes e de cpitl Instituição cumpriu s mets fiscis d Lei Orçmentári Anul (Reltório de Auditori Intern nº 009/2003). 3- Gestão Finnceir Considerndo performnce dos indicdores do item 1.5, todos lcnçdos - pode precer que gestão dos recursos finnceiros ocorreu sem trnstornos. N verdde, lém ds liberções grdtivs do ponto de vist orçmentário, liberção dos recursos finnceiros - limitds às mets do cronogrm finnceiro - crirm dificulddes opercionis no tocnte o pgmento dos compromissos contrtuis e depess com permissionáris e concessionáris. A receit devido os visitntes (ingresso+estcionmento) correspondeu 74% d rrecdção obtid pelo JBRJ. Como em nos nteriores, representou o principl item de receit, seguido pelo luguéis e vend de muds. Vle ressltr que os recursos próprios têm sido um importnte indicdor institucionl, no que se refere o interesse gerdo pel visitção o Prque, pelo esforço do Horto Florestl n produção e vend de muds e utilizção oneros de espços d União pel Instituição. Com relção o orçmento utorizdo no exercício, representou cerc de 25% do totl de recursos pr custeio e investimentos. Arrecdção (em reis) Mês Visitção* Muds* Xerox* Publicções* Aluguel* Eventos* Pousd* Escol* Outros* Totl Totl , , ,60 407, , , ,00 730, , ,86 * Apurção contábil pelo Serv. Contbilidde e Finnçs/Dird do movimento diário no período de 1/1/ /12/2003 (inclusive). Fonte: Serv. Contbilidde e Finnçs/Dird (Posição 31/12/2003) 4- Gestão Ptrimonil Não foi feito dignóstico cpz de relcionr eventuis problems n execução ds mets prevists no período com situção d infr-estrutur que dá suporte às tividdes meio e dministrtivs. Não obstnte o tendimento stisftório d miori ds mets, lgums dificulddes inerentes à situção precári de prte d áre físic d Diretori de Pesquis Científic e d Bibliotec Brbos Rodrigues, lém d má conservção d miori dos veículos destindos os trblhos de cmpo, que não permitem relizr com segurnç s excursões lguns locis de estudo dos progrms de pesquis, colocndo em risco equipe de pesquisdores e cusndo descontinuidde n colet de ddos - form prejudiciis o bom desempenho d equipe de pesquisdores. As restrições orçmentáris do governo federl não permitirm que os trblhos de recuperção do Prédio d Botânic Sistemátic (que tem ção orçmentári específic) fossem relizdos em De cordo com o novo plnejmento previsto pr o período de , somente estão previstos recursos orçmentários pr o exercício de Por ess rzão, o longo de exercício, inúmers intervenções pel equipe d Coordenção de Obrs form necessáris pr grntir condições de uso dequds. Com relção os veículos, não foi possível grntir recursos e um plno de mnutenção periódic poido em contrto continudo.

9 JBRJ - Reltório de Gestão Outrs dificulddes, devem-se inexistênci de um sistem próprio que vibilize e dê gilidde o controle de bens móveis. A Instituição ind crece de relizr o dignóstico do estdo de conservção ds edificções, visndo o plnejmento ds tividdes de mnutenção preventiv/reprdor, bem como de fzer o levntmento do histórico dos monumentos e edificções. Form concluídos o Inventário Especil de Bens Móveis ( ) e o Inventário de Bens Móveis 2002/2003, lém d Incorporção de Bens de Convênios Finlizdos o Ptrimônio do JBRJ. 5- Gestão de Pessos 5.1- Gstos com Remunerção / Mnutenção Orçmento Anul (em reis) Especificção do Orçmento LOA* (A) Dotção** (B) Autorizdo*** (C) Execução**** (D) % Exec. (D/C) Pessol , , , ,87 99,0% Remunerção de Pessol Ativo + Encrgos , , , ,71 99,8% Pgmento de Aposentdoris e Pensões , , , ,16 87,8% Benefícios + Cpcitção , , , ,14 99,1% Assistênci Médic e Odontológic , , , ,0% Auxílio Trnsporte , , , ,76 98,5% Auxílio Alimentção , , , ,15 99,2% Assistênci Pré-Escolr , , , ,43 96,5% Cpcitção Servidores Públicos Federis , , , ,80 98,6% * LOA = Lei Orçmentári Anul ** Dotção = LOA + Cncelmentos/Suplementções Adicionis. *** Autorizdo = limites té dezembro referente o Dec /2003. **** Execução = estão incluídos os vlores inscritos em Restos Pgr e tmbém recursos repssdos e executdos pelo MMA. Fonte: Sifi (Posição 31/12/2003) Servidor por Ctegori Funcionl x Crgo Efetivo Ctegori Ativo permnente Requisitdo Nomedo Lotdo Totl Superior Intermediário Auxilir Totl Fonte: CRH/Dird Servidor por Unidde x Ctegori Funcionl Unidde Nível uxilir Nível intermediário Nível superior Totl Presidênci ENBT Dipeq Prefeitur Dird Totl Fonte: CRH/Dird Servidores por Crgo em C&T tecnologist 20% nlist 12% técnico 20% pesquisdor 19% uxilir em C&T 4% uxilir técnico 8% ssistente em C&T 17%

10 JBRJ - Reltório de Gestão Ações de Vlorizção do Servidor A Coordenção de Recursos Humnos em prceri com Escol Superior de Administrção Fzendári, sem dispêndio de recursos orçmentários, possibilitou o treinmento de 24 servidores d Instituição no Progrm de Desenvolvimento Gerencil (DGOS). Relizou tmbém junto os seus servidores cpcitção ns rotins de cdstro e pgmento. For isso, Coordenção foi responsável pel gestão dos seguintes benefícios com vínculos orçmentários: ssistênci médic-odontológic, uxílio trnsporte, uxílio limentção e ssistênci pré-escolr. Com relção outros processos gerenciis de Vlorizção, o Jrdim Botânico não contempl um progrm institucionl de curto ou médio przo Terceirizção de Mão-de-Obr A contrtção de pessol terceirizdo em tividdes de segurnç ptrimonil, limpez, jrdingem e mnutenção predil, relizd de cordo com legislção vigente, pesr de dequd, precis ser contempld com um estudo que leve em considerção ftores precisos, tis como, número de prédios e sls, espço físico, efetivo de pessol, especificiddes profissionis e dis úteis/fins de semn, de modo corrigir possíveis distorções entre s uniddes d Instituição qunto locção de profissionis. Os convênios com Comlurb, Texco, Sociedde de Amigos do JB e H4 Adornos, sem custos pr Instituição, disponiblizm pessol pr poir Prefeitur do Instituto em tividdes de limpez, jrdingem e relizção de serviços específicos no cmpus Ações Disciplinres - Correicionis No período form ssinds dus Portris pr insturção de Comissão de Sindicânci: Portri JBRJ Objeto Resultdo nº 26, de 17/3/2003 Apurr os ftos referentes os indícios de desvio público dos cixs de rrecdção de ingressos o Arboreto d Instituição. O presidente d Comissão concluiu no sentido de responsbilizr o ex-presidente do JBRJ por negligênci e omissão d dministrção pssd, sugerindo bertur de processo dministrtivo disciplinr, com fulcro nos rts. 124 e 132 d Lei nº 8.112/90. Recomend, ind, Proc nº / remess dos utos do referido processo dministrtivo o Ministério Público e o Tribunl de Conts d União, conforme dispões o rt. 15 d lei nº 8.429/92. Os demis integrntes d Comissão chegrm à mesm conclusão, descrevem os mesmos ftos, embor não tipifiquem condut do ex-presidente do JBRJ. O Presidente do JBRJ (em 29/7/2004), blizdo n conclusão d procurdor-chefe do Instituto, determinou bertur de um nov sindicânci, tendo em vist divergênci de interpretção e n clssificção do nº 101, de 24/10/2003 Apurr os ftos referentes à regulrizção e utilizção do veículo oficil, mrc Toyot, modelo Bndeirntes, plc LHV Proc nº / Fonte: Auditori Intern dispositivo d lei. O presidente d Comissão, n qulidde de procurdor federl, relizou o exme curdo no processo objeto d denúnci e detectou flhs de interpretção nos ftos pontdos no documento (Memo JBRJ/Dird nº 202/2003), nexdo o processo, que não crcterizrm necessidde de bertur de sindicânci, pois são tos de mer rotin dministrtiv que não crretrm qulquer lesão o interesse público nem prejuízo terceiros, sugerindo o rquivmento do feito, o que foi ceito pelo Presidente do JBRJ.

11 JBRJ - Reltório de Gestão Gestão de Suprimento de Bens e Serviços 6.1- Contrtções: Obrs, Comprs e Serviços A Áre de Contrtos relizou sus trefs rigorosmente em consonânci com legislção pertinente cd setor, tendo enfrentdo situções excepcionis pr dr continuidde às prestções de serviços contrtdos. Como exemplo podem ser citdos dois csos de significtiv relevânci ns ções d áre. O primeiro cso importnte form s providêncis dotds pr migrção dos serviços de mnutenção predil d empres Alpin pr tul contrtd, Tecnisn. O segundo cso foi o processo de rescisão do contrto de limpez com empres Ferlim que exigiu bstnte hbilidde e empenho d áre, resultndo em economi de recursos pr Instituição. Contrtos de serviços Empres Objeto Observção Brsif Tricom Triunfo Componentes S/A Proc. nº /97-31 Locção, mnutenção e ssistênci de três máquins de reprogrfi. termo finl em 26/11/2003 Freilimr Serviços Técnicos Ltd. Proc. nº /00-49 Mnutenção preventiv e corretiv do sistem de refrigerção do Herbário. Multi Stock Unids Armzéns Geris Ltd. Proc. nº /02-12 Fornecimento de águ minerl. termo finl em 31/12/2003 Free Port Vigilânci e Segurnç Ptrim. Ltd. Proc. nº /98-66 Serviço de vigilânci ostensiv, rmd e desrmd ns dependêncis do JBRJ. Ferlim Serviços Técnicos Ltd. Proc. nº /01-89 Serviço de limpez e conservção em gerl. rescindido em 5/8/2003 Tecnisn - Técnic de Servs. e Com. Ltd. Serviço de sseio, limpez e conservção em gerl. Proc. nº /03-12 Tecnisn - Técnic de Servs. e Com. Ltd. Serviço de mnutenção predil e resturção em gerl. Proc. nº /03-59 Iter Vigens e Turismo Ltd. Fornecimento de pssgens éres e terrestres. Proc. nº /98-03 Posto de Gsolin Bo Prd Ltd. Proc. nº /02-60 Fornecimento de gsolin, álcool e diesel. termo finl em 31/12/2003 Xerox Comércio e Indústri Ltd. Proc. nº /97-31 Locção, mnutenção e ssistênci de um máquin de reprogrfi. termo finl em 31/12/2003 SM-21 Engenhri e Construções Ltd. Serviço de jrdingem e conservção em gerl. Proc. nº /02-56 Alpin Construções Ltd. Proc. nº /02-81 Serviço de mnutenção predil e resturção em gerl. rescindido em 25/3/2003 Fonte: Serviço de Recursos Mteriis/Dird Ação Administrção d Unidde (gstos com custeio) (em reis) Diáris Pssgens Mt. Consumo OST- P. Jurídic Locção Mão-Obr Outros , , , , , ,80 Obs1: N execução estão incluídos os vlores de Restos Pgr. Obs2: As despess com equipmentos e mteril permnente (clssificds como investimento) form de R$ 7.442,70. Obs3: Os recursos totis executdos nest ção corresponderm R$ ,53. Locção Mão-de-Obr 61% Administrção d Unidde (execução por elemento de despes) Outros 2% Diáris 1% Pssgens 2% Mteril de Consumo 4% OST - Pesso Jurídic 30% Fonte: Sifi (Posição 31/12/2003)

12 JBRJ - Reltório de Gestão Convênios e Prceris As prceris e convênios de cooperção (com recursos indiretos), permitirm que no período fossem empreendids ções, tis como, revitlizção e mnutenção do meio físico, monumentos e estufs no Prque Florístico, desenvolvidos projetos de pesquis em áres de preservção do Estdo do Rio de Jneiro, quisição de equipmentos e infrestrutur lbortoril, e presentção de trblhos em congressos. Prceris Governmentis (sem trnsferênci de recursos finnceiros) Convênio Objeto Vigênci Cix Processo nº 705/98-29 (pensdo o de nº 527/93-68) Repres. JBRJ Crlos A. Zenícol Os recursos do projeto form usdos em su totlidde pr reform e resturção do Solr d Impertriz. Obr inugurd em /3/ /3/2008 Comlurb Processo nº 298/02-04 Repres. JBRJ Mrcelo Luz Mtos CPRM Processo nº 792/02-99 Repres. JBRJ Cleber P. Teixeir Fundção Cs Rui Brbos Processo n 953/ Furns Processo nº 814/01-30 Repres. JBRJ Crmelit Sntoto IBGE Processo nº 600/99-41 Repres. JBRJ Ney Alves Ferreir - Inp - Museu Emílio Goeldi Processo n 1.151/ Light Processo nº 420/99-60 Repres. JBRJ Ney Alves Ferreir Museu Ncionl Processo nº 009/02-97 Repres. JBRJ Diretor d Dipeq Petrobrs (interveniênci d FBMM) Processo nº 015/ Repres. JBRJ Coordendor PMA Reduc Processo nº 238/02-10 Repres. JBRJ Rul Figueiredo UFRRJ Processo nº 3.009/00 Repres. JBRJ Cludine M. Mynsen UFRJ Processo nº 126/ Fonte: Copln/Dird Curso de Jrdingem pr 80 gris (20 por semestre), promovido pelo JBRJ. Em contrprtid, o pessol treindo trblh n limpez dos logrdouros públicos internos do JBRJ. Estimtiv: R$ 1.440,00 Análise periódic de potbilizção de oito pontos de bstecimento de águ de uso público no interior do Arboreto. Estbelecimento de um progrm de cooperção técnic, visndo desenvolver projetos de intercâmbio de ssistênci e / ou ssessori técnic-científic ns áres de botânic e do rquivo institucionl e científico. Estbelecer um sistem de cooperção técnic pr o desenvolvimento, no JBRJ, de um projeto de eficientizção energétic e um progrm de cpcitção de pessol com finlidde de identificr s oportuniddes e s medids necessáris pr redução dos gstos com eletricidde, e de estbelecer um enfoque interdisciplinr junto os funcionários, sobre ssuntos de combte o desperdício de energi e eficiênci energétic. Cooperção nos trblhos de estudos mbientis, no sentido de possibilitr mplo intercâmbio técnico e científico por meio de desenvolvimento de projetos de interesse comum, intercâmbio de ddos e de informções técnics, ssistêncis/ssessori técnic-científic, treinmento profissionl e desenvolvimento experimentl. Protocolo de cooperção técnico-científic pr desenvolver esforços no sentido de poio recíproco n áre de ensino, pesquis, cpcitção de pessol, trblhos, coleções científics, publicções conjunts, gestão de áres verdes, educção mbientl e demis tividdes. 08/7/2002 7/7/ /11/ /11/2006 6/12/2003 5/12/ /11/ /11/ /12/ /12/ /12/ /12/2007 Relizção de serviços técnicos específicos no cmpus do JBRJ. té 25/1/2003 Estbelecimento de um progrm de cooperção cdêmic e intercâmbio técnico-científico e culturl, entre o Museu Ncionl e o JBRJ, com prticipção cdêmic junto o PPG em Ciêncis Biológics - Botânic e o intercâmbio técnico-científico e culturl entre s instituições. Execução do Projeto A Diversidde d Florest Atlântic em Uniddes de Conservção do Estdo do Rio de Jneiro: Inventários e Conservção, prte integrnte ds linhs de pesquiss do PMA. Estimtiv: R$ ,33 Apoio técnico científico o Progrm de Mnejo d Cobertur Vegetl, constnte do Plno Diretor de Áres Verdes d Reduc e poio à infrestrutur do JBRJ, em especil o Horto Florestl. Cooperção entre s prtes nos trblhos de pesquis, ensino e extensão, com mplo intercâmbio ns áres de Botânic, Fitoptologi e outrs fins, que serão relizds por intermédio de projetos de interesse comuns, ssistênci, ssessori técnic. Convênio Gerl - desenvolvimento de projetos voltdos pr o incentivo, pesquis e estudos vnçdos em áres vinculds o estudo de estrutur de populções ntivs, filogeni moleculr, formção e conservção de bncos de DNA, e outros tópicos de interesse mútuo que envolv metodologis de biologi moleculr pr entender questões de interesse botânico. Convênio Específico progrm de cooperção e intercâmbio com o Instituto de Ciêncis Biomédics. 20/12/ /12/ /12/ /12/ /6/ /6/ /11/ /11/ /3/ /3/2007

13 JBRJ - Reltório de Gestão Prceris com Inicitiv Privd (com trnsferênci de recursos finnceiros) Convênio Objeto Vigênci ATL-ALGAR Processo nº 307/ Repres. JBRJ Vicente M. Conti Termo de Concessão de Direito Rel de Uso, que tem como objeto fcultr à ATL-Algr Telecon Leste S/A, título oneroso, o uso do imóvel pertencente à União Federl dministrdo pelo JBRJ, situdo à Ru Pcheco Leão Estimtiv: R$ ,00 22/9/ /9/2005 Telerj Celulr S/A Processo nº 542/96-02 Fonte: Copln/Dird Termo de Concessão de Direito Rel de Uso, que tem como objetivo fcultr à Telerj Celulr, título o oneroso, o uso do imóvel pertencente à União Federl, dministrdo pelo JBRJ, situdo à Ru Pcheco Leão nº Estimtiv: R$ ,00 20/12/ /12/2005 Prceris com Inicitiv Privd (sem trnsferênci de recursos finnceiros) Convênio Objeto Vigênci Bnco BBM (interveniênci d SAJB) Processo nº 313/ Estbelecimento de um progrm de cooperção técnic entre s prtes, medinte o qul serão relizds identificção, com revisão nomenclturl, dos espécimes vegetis contidos ns áres d entrd n 4/8/2003 3/8/2004 Repres. JBRJ Luiz Crlos d S. Giordno 1008 d Ru Jrdim Botânico, do grdil d Ru Pcheco Leão, do Plyground, djcêncis e ds seções do Arboreto do JBRJ, bem como conclusão d identificção científic de lguns espécimes ds Seções 1 23, com confecção e colocção ds respectivs plcs de identificção. Estimtiv: R$ ,00 Brsil Telecon (interveniênci d SAJB) Processo n 1.010/02-39 Repres. JBRJ Mônic R. Neves Execução do Projeto Reform do Chfriz Centrl. Ebendinger Systems Informátic Ltd. Processo n 358/ FBMM Fundção Botânic Mrgreth Mee Processo n 388/ Repres. JBRJ Mônic A. Crdoso HB4 Adornos Processo nº 915/98-71 Repres. JBRJ Thís dos Reis M. Hidlgo - Instituto Herbert Levy - Emp. de Mrketing Culturl Ltd Processo nº 279/01-17 Repres. JBRJ Ney A. Ferreir e Murício Ferrão Lts Processo nº 2.659/00-34 Repres. JBRJ Márci A. Lobinco SAJB Processo nº 2.551/00-41 Repres. JBRJ Ronld Hess SAJB (prceris relizds diretmente pel SAJB) Telemr Processo nº 2.689/00-41 Repres. JBRJ João Elisiário L. de Resende Estbelecimento de um Progrm de Cooperção Técnic entre s prtes, com vists complementr e primorr págin d Internet do JBRJ, trvés de módulos de visits virtuis de cordo com o Plno de Trblho, prte integrnte deste Instrumento. Execução do Projeto Produção de um Plno de Conservção pr o Pu Brsil, Ceslpini Echint, no Estdo do Rio de Jneiro. Estimtiv: R$ ,00 Mnutenção e incremento d estuf, d Coleção de Orquídes e do entorno do Orquidário do JBRJ. Elborção dos projetos institucionis de mrketing culturl, rquitetônico, de fundções, estruturl, de instlções complementres, museológicos e museográficos, bem como relizção ds obrs de resturção, dptção e mplição do edifício destindo o Museu Botânico. 3/10/2003 2/4/ /7/ /1/ /8/ /8/2004 3/7/2001 2/7/2004 Aproveitmento de lts vzis recolhids no interior do Arboreto. té 8/6/2003 Promoção e implementção, com prticipção d SAJB, conforme sus finliddes esttutáris, de progrms, projetos e tividdes ns áres de pesquis científic, cultur, educção, mnutenção e preservção ptrimonil e pisgístic de cordo com os objetivos institucionis do JBRJ. 1- Leite de Ross mnutenção do Roseirl. 2- Embelleze Processo n 952/02-08 Processo n 648/ Representnte JBRJ João Crlos d Silv Cpcitção profissionl em jrdingem pr jovens entre 16 e 21 nos, oriundos de fmílis com rend mensl té três slários mínimos, que contemple em seu conteúdo disciplins e tividdes voltds à formção básic e profissionl, conforme s norms educcionis e de formção profissionl em vigor. Estimtiv: R$ , Dresdner Bnk mnutenção dos bncos do Arboreto e compr de novos bncos. Termo de Concessão de Direito Rel de Uso, que tem como objetivo fcultr Telemr, título o oneroso, o uso do imóvel pertencente à União Federl, dministrdo pelo JBRJ, situdo à Ru Pcheco Leão nº /9/ /9/ /2/ /2/2007

14 JBRJ - Reltório de Gestão Prceris com Inicitiv Privd (sem trnsferênci de recursos finnceiros) Convênio Objeto Vigênci Texco Processo nº 375/01-65 Repres. JBRJ Ney A. Ferreir Relizção de serviços técnicos específicos no cmpus do JBRJ, loclizdo à Ru Jrdim Botânico /9/ /12/2003 USP Processo nº 306/02-32 Repres. JBRJ: Cludi F. Brros Fonte: Copln/Dird Concessão, pelo JBRJ, de estágios lunos regulrmente mtriculdos n USP, e que venhm freqüentr, efetivmente, os cursos de Engenhri Agronômic e Engenhri Florestl. 5/8/2003 5/8/2004 Prceris Interncionis (sem trnsferênci de recursos finnceiros) Convênio Objeto Vigênci Inst. de Ecologi A. C. do México Processo nº 409/02-01 Protocolo de cooperção técnico-científic, que tem como objetivo o desenvolvimento conjunto de esforços no sentido de poio recíproco ns áres de ensino, pesquiss e demis tividdes no âmbito de tução de mbs s Instituições, como conservção, mnutenção e desenvolvimento dos recursos florísticos e ds coleções científics sob sus responsbiliddes, bem como o desenvolvimento ds tividdes de interesse d botânic e de áres correlts, relcionds os jbs. Cent-Rio - Comitê de Eventos Comemortivos Brsil-Jpão Processo n 225/02-32 Jrdim Botânico de Beijing Processo nº 908/02-90 Fonte: Copln/Dird Estbelecimento de um progrm de cooperção técnic medinte o qul será relizdo conservção, mnutenção, funcionmento do Jrdim Jponês, prte integrnte do Arboreto. Memorndo de entendimento de cooperção com o Jrdim Botânico de Beijing, com intercâmbio de sus equipes e gestão pr treinr estudntes em conservção, horticultur e gestão de jrdins botânicos e pr desenvolver projetos conjuntos, custedos pelo Brsil e/ou Chin ou ind de fontes interncionis. 19/11/ /11/2007 Destques Recebidos Convênio Objeto Vigênci Cpes Processo n 581/ Repres. JBRJ Márci B. Demby Apoio bolss de pós-grdução. Dotção: R$ ,40 Execução: R$ ,40 30/6/ /6/2006 Fonte: Copln/Dird 6.3- Gestão de Estoques Atrvés de dois processos licittórios (modlidde convite), form dquiridos mteril de expediente e crtuchos, no vlor de R$ 8.254,53 e R$ ,53, respectivmente, com o objetivo de repor todo o estoque do JBRJ. Segundo Reltório d Auditori Intern, s instlções do Almoxrifdo oferecem segurnç contr roubo e outrs intempéries que possm recir sobre os bens estocdos, bem como permite orgnizção rcionl. Entretnto, consttou que os mteriis inflmáveis não estão rmzendos em locl proprido. 7- Processos de Controle 7.1- Processos do Controle Prlmentr Atução do TCU Recomendções implementds no exercício de UG JBRJ Documento/Dt Acórdão n 782/2003-1ª Câmr, de 29/4/2003. Recomendção ) Controle de rrecdção de receits: primorr os controles existentes medinte doção de procedimentos seguros no recolhimento e depósito dos recursos, bem como n conferênci e rquivmento d documentção de suporte d receit. b) Controles de bens imóveis e veículos: b.1) proceder comptibilizção dos vlores dos bens imóveis registrdos no inventário do JBRJ, nos SPIU e no Sifi; b.2) regulrizr o registro crtoril dos bens imóveis, bem como seu regime de utilizção junto à SPU; b.3) providencir, junto o Detrn, regulrizção dos Certificdos de Registro e Licencimento de Veículos (CLRV) que ind se encontrem pendentes. c) Bens imobiliários: utilizção de espço público do Jrdim Botânico deverá obedecer às disposições do rt. 22 d Lei nº 9.636, de 15/05/1998, que determin.... d) Processos licittórios: obediênci dos dispositivos contidos n Lei nº 8.666/93, fzendo constr dos processos os seguintes elementos:....

15 JBRJ - Reltório de Gestão Atução do TCU Recomendções não implementds no exercício - UG JBRJ Documento/Dt Acórdão n 782/2003-1ª Câmr, de 29/4/2003 Recomendção b) Controles de bens imóveis e veículos: b.2) regulrizr o registro crtoril dos bens imóveis, bem como seu regime de utilizção junto à SPU; b.3) providencir, junto o Detrn, regulrizção dos Certificdos de Registro e Licencimento de Veículos (CLRV) que ind se encontrem pendentes. Justifictivs/Motivções: O único documento disponível que dispõe sobre áre do JBRJ é Notificção nº 081/74, de 05/2/74, do Instituto do Ptrimônio Histórico e Artístico Ncionl, informndo que, de cordo com o rt. 5º do Decreto-Lei nº 25, de 30/11/1937, foi determind inscrição nos Livros do Tombo do Iphn do conjunto pisgístico d áre do ntigo Horto Florestl, sob dministrção do Jrdim Botânico. Foi encminhd correspondênci em mio/2003 o Gerente Regionl do Ptrimônio d União/RJ, ssim como form relizds váris reuniões, visndo obtenção d cessão de uso. Ocorre que o referido órgão público solicitou o JBRJ que elborsse mp com descrição dos seus limites, sendo que últim documentção dt de 1985, estndo, pois destulizd. A Diretori d Prefeitur está providencindo documentção necessári pr providencir cessão de uso, ser trnsformd posteriormente em título de propriedde. A Procurdori Jurídic tem relizdo reuniões e mntido contto pr o compnhmento ds ções de reintegrção de posse que trmitm no Juízo Federl, ssim como tmbém tem informdo o Ministério Público Federl, que já juizou oito ções civis públics, visndo responsbilizr àqueles que cometerm dno o meio mbiente. Qunto os veículos de plc LGL-2435 (cminhão F4000), LAI-2054 (Fit Elb) e JFO-8406 (Fit Elb), não form licencidos no exercício de 2003, fce às condições precáris de seus motores Processos dos Controles Internos Atução d CGU/SFC Recomendções implementds no exercício de UG JBRJ Documento/Dt Reltório de Auditori nº exercício de Recomendção Emissão de empenhos em descordo com Decreto nº 4.479/ Vulnerbilidde nos procedimentos e nos controles de rrecdção de receits. Atução d CGU/SFC Recomendções não implementds no exercício de UG JBRJ Documento/Dt Reltório de Auditori nº exercício de Recomendção Pgmento indevido o dicionl de inslubridde servidores fstdos pel extint licençprêmio Concessão indevid do benefício uxílio-limentção servidores fstdos pel ntig licenç-prêmio.... Justifictivs/Motivções: A fim de dirimir dúvid, CRH/JBRJ submeteu o ssunto à precição d Coordenção Gerl de Sistemtizção e Aplicção d Legislção/COGLE/SRH/MP, tendo em vist o entendimento d CGURJ conflitr com os rgumentos presentdos pel CRH/MMA. Não obstnte, referid concessão encontr-se sobrestd desde fevereiro de 2004 té o pronuncimento do órgão normtizdor. 8- Conclusão As informções constntes do Reltório de Auditori Intern de 5/2/2004, sobre o compnhmento d gestão do exercício de 2003, reltm que os tos e ftos d referid gestão não comprometerm ou cusrm prejuízo à Fzend Ncionl. LISZT VIEIRA Presidente do JBRJ

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS:

I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: PAINT 24 - I AÇÕES DE AUDITORIA INTERNA PREVISTAS: 1.1 - Auditoris de Conformidde Uniddes Orig d dnd: Intern com bse nos resultdos d Mtriz de Risco elbord pel Auditori Intern Nº UNIDADE OBJETIVOS ESCOPO

Leia mais

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS

AGENTE ADMINISTRATIVO DO MP/RS DIREITO ADMINISTRATIVO DELEGAÇÃO DE SERVIÇOS NOTARIAIS E REGISTRAIS DO RS 1 SUMÁRIO I. Administrção Públic... II. Atos Administrtivos... III. Poder de Políci... IV. Serviço Público... V. Responsbilidde Civil do Estdo... VI. Controle d Administrção Públic... 02 09 21 23 25 27

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL

ESTADO DO MARANHÃO MINISTÉRIO PÚBLICO PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA a CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE MEIO AMBIENTE, URBANISMO E PATRIMÔNIO CULTURAL 1 N O T A T É C N I C A N º. 0 0 3 / 2 0 0 7 Análise ds demnds identificds ns udiêncis públics do Plnejmento Estrtégico. Construção de plnejmento. 1 JUSTIFICATIVA Após relizção de seis udiêncis públics

Leia mais

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210

Área de Conhecimento ARTES. Período de Execução. Matrícula. Telefone. (84) 8112-2985 / ramal: 6210 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE APOIO INSTITUCIONAL À EXTENSÃO PROJETOS DE EXTENSÃO EDITAL 01/014-PROEX/IFRN Os cmpos sombredos

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA: 022 - Progrm Súde d Fmíli 1. Problem: Alto índice de pcientes que visitm unidde Mist de Súde pr trtr de problems que poderim ser resolvidos com visit do médico em su cs.

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Habilitação Profissional: Técnica de nível médio de Auxiliar de Contabilidade Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Hbilitção Profissionl: Técnic de nível médio de Auxilir de Contbilidde

Leia mais

Plano de Gestão 2012-2015

Plano de Gestão 2012-2015 Plno de Gestão 202-205 - Cmpus UFV - Florestl - Grdução Missão: Promover polítics de incentivo à pesquis, pós-grdução, inicição científic e cpcitção de recursos humnos, objetivndo excelênci do Cmpus Florestl

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Sntn de Prníb Áre de Conhecimento: : Proteção e Prevenção Componente Curriculr: LNR Legislção e Norms Regulmentodors

Leia mais

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do

Relatório de atividades. Abril / 2011 a Janeiro / 2014. A Coordenação de Convênios e Contratos da UFG/CAC está vinculada à direção do Reltório de tividdes Abril / 2011 Jneiro / 2014 A d UFG/CAC está vinculd à direção do Câmpus e, posteriormente, o Setor de Convênios e Contrtos do Gbinete d Reitori. Tem como função intermedir s relções

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ESOLA SEUNDÁRIA DR. JOAQUIM DE ARVALHO, FIGUEIRA DA FOZ PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015-2016 [Escrev texto] Págin 0 B I B L I O T E A E S O L A R PLANO ANUAL DE TRABALHO/ATIVIDADES A urrículo, litercis

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia

Eleições Diretório Acadêmico Fisioterapia Eleições Está berto o período de inscrição pr s novs chps do Diretório Acdêmico - Gestão 2015 Inscrições: dos dis 17 29 de gosto de 2015 somente pelo e-mil: fisioufu.d.@gmil.com A votção será relizd nos

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira Coorden http://www.etecermelind.com.br/etec/sis/ptd_tec_6.php 1 de 5 18/09/2015 12:45 Unidde de Ensino Médio e Técnico Cetec Ensino Técnico Integrdo o Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plno de Trblho Docente

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA

A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA A ÁGUA COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE QUÍMICA AUTORES: AMARAL, An Pul Mgno; NETO, Antônio d Luz Cost. E-MAIL: mgno_n@yhoo.com.br; ntonioluzneto@gmil.com INTRODUÇÃO Sendo um desfio ensinr químic pr

Leia mais

Vem aí, novo curso no Icesp/Promove

Vem aí, novo curso no Icesp/Promove Aem n S Informe Icesp Semnl Ano IV nº 49 11/04/2014 Vem í, novo curso no Icesp/Promove A prtir do segundo semestre de 2014, o ICESP Promove de Brsíli brirá inscrições pr o curso de Tecnologi em Construção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 3.768, DE 25 DE OUTUBRO DE 2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº.768, DE 5 DE OUTUBRO DE 005 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de sus tribuições legis, e considerndo o disposto n Portri MP no 08, de de julho

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 004/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP

WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Paulo/SP WASTE TO ENERGY: UMA ALTERNATIVA VIÁVEL PARA O BRASIL? 01/10/2015 FIESP São Pulo/SP PNRS E O WASTE-TO-ENERGY Definições do Artigo 3º - A nov ordenção básic dos processos Ordem de prioriddes do Artigo 9º

Leia mais

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA

Vo t a ç ão TEXTO DO CONGRESSO. PROPOSTA DO GOVERNO / Partidos da Base PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO E / OU ATEMPA / SIMPA PROPOSTA DO GOVERNO / Prtidos d Bse PROPOSTAS DAS BANCADAS DE OPOSIÇÃO do Governo (Mensgem Retifictiv) E / OU ATEMPA / SIMPA Vo t ç ão TEXTO DO CONGRESSO Diverss estrtégis pr tingir s mets Emend 1- exclui

Leia mais

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA (ABEM) Av. Brsil, 4036 sls 1006/1008 21040-361 Rio de Jneiro-RJ Tel.: (21) 2260.6161 ou 2573.0431 Fx: (21) 2260.6662 e-mil: rozne@bem-educmed.org.br Home-pge: www.bem-educmed.org.br

Leia mais

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

LEI Nº 5.580. Institui o Plano de Carreira e Vencimentos do Magistério Público Estadual do Espírito Santo O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 5.580 Institui o Plno de Crreir e Vencimentos do Mgistério Público Estdul do Espírito Snto O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Fço sber que Assembléi Legisltiv decretou e eu snciono seguinte

Leia mais

Data Tema Objetivos Atividades Recursos

Data Tema Objetivos Atividades Recursos Plno Anul de Atividdes do Pré-Escolr Dt Tem Objetivos Atividdes Recursos Setembro Integrção /dptção ds crinçs -Promover integrção/ (re) dptção ds crinçs á creche; -Proporcionr um mbiente que permit às

Leia mais

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente.

U04.6. Câmara Municipal da Amadora. Pág. 1 a. 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009) 01. Documento comprovativo da legitimidade do requerente. Câmr Municipl d Amdor Deprtmento de Administrção U04.6 Urbnísitic EMISSÃO DE LICENÇA ESPECIAL OU COMUNICAÇÃO PRÉVIA PARA OBRAS INACABADAS LISTA DE DOCUMENTOS 00. Requerimento (Modelo 04.6/CMA/DAU/2009)

Leia mais

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama.

Cartilha Explicativa. Segurança para quem você ama. Crtilh Explictiv Segurnç pr quem você m. Bem-vindo, novo prticipnte! É com stisfção que recebemos su desão o Fmíli Previdênci, plno desenhdo pr oferecer um complementção de posentdori num modelo moderno

Leia mais

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA

LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA LLF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA RESOLUÇÃO Nº 2/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 018/2012 UNEMAT A, no uso de sus tribuições legis e em cumprimento ds norms prevists no rtigo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA TERMO DE REFERÊNCIA PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA 1 - Ddos do Proponente 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F

Leia mais

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática.

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática. Desenvolvendo vs ferrments pedgógics pr formção gestores prques ncionis: jogos ppéis e simulção informátic 1 Equipe Jen-Pierre Briot (LIP6 & LES/DI/PUC-Rio) (coorndor) Mrt Irving (EICOS/IP/UFRJ) (vice-coorndor)

Leia mais

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG

1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Data da Fundação. 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P F 1.12- RG 1 - DADOS DO PROPONENTE 1.1- Nome d Entidde 1.2- CNPJ 1.3- Número de Sócios 1.4- Dt d Fundção 1.5- Endereço 20/09/2011 1.6- Município 1.7- CEP 1.8- U F 1.9- Telefone 1-10 - Nome do Presidente 1.11-C P

Leia mais

I - APRESENTAÇÃO. Prof. Dr. Ricardo Oliveira Lacerda de Melo Presidente do Conselho de Administração

I - APRESENTAÇÃO. Prof. Dr. Ricardo Oliveira Lacerda de Melo Presidente do Conselho de Administração 5 I - APRESENTAÇÃO Com mis um reltório nul, o décimo terceiro desde su crição, FAPESE present de form quntittiv e qulittiv um retrospectiv d su tução no no de 2006, ind n gestão do Prof. Dr. José Roberto

Leia mais

SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS:

SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS: ANO XLIV N.º 095 01/07/2014 SUMÁRIO ESTE BOLETIM DE SERVIÇO É CONSTITUÍDO DE 26 (VINTE E SEIS) PÁGINAS CONTENDO AS SEGUINTES MATÉRIAS: SEÇÃO I EXTRATO DE INSTRUMENTO CONVENIAL...02 SEÇÃO II PARTE 1: DESPACHOS

Leia mais

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015

Edital de Processo Seletivo Nº 21/2015 Editl de Processo Seletivo Nº 21/2015 O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO PIAUÍ, SENAC-PI, no uso de sus tribuições regimentis, torn público que estão berts

Leia mais

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis

A Diretoria de Relações Internacionais da Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas - 1. OBJETIVO 2. PRÉ-REQUISITOS. Re~ unis Crid pel Lei Estdul nn 2. 766/63 CNPJ.: 21.420.85610001-96 - lrrsc Estdul. ISENTA Entidde M ntenedor do Grupo Educcionl Uni: Centro Universitdrio do Sul d Mins - UNIS Fculdde Bum- FABE Fculdde Três Ponts

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CXLV 243 Brsíli - DF, segund-feir, 15 de dezembro de 2008. Sumário PÁGINA Atos do Poder Judiciário... 1 Atos do Poder Executivo... 1 Presidênci d Repúblic... 104 Ministério d Agricultur,

Leia mais

L E I Nº 6.969, DE 9 DE MAIO DE 2007

L E I Nº 6.969, DE 9 DE MAIO DE 2007 L E I Nº 6.969, DE 9 DE MIO DE 2007 Institui o Plno de rreirs, rgos e Remunerção dos Servidores do Poder Judiciário do Estdo do Prá e dá outrs providêncis. seguinte Lei: SSEMLÉI LEGISLTIV DO ESTDO DO PRÁ

Leia mais

ESMAFE/PR Escola da Magistratura Federal do Paraná

ESMAFE/PR Escola da Magistratura Federal do Paraná ESMAFE/PR Escol d Mgistrtur Federl do Prná Curso Regulr Preprtório pr Crreir d Mgistrtur Federl com opção de Pós-Grdução ltu sensu em Direito Público em prceri com UniBrsil - Fculddes Integrds do Brsil

Leia mais

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONALDO TRABALHO Escritório no Brasil. CURSO DE CAPACITAÇÃO E TROCA DE EXPERIÊNCIAS: 11 14 de setembro de 2012, Brasília DF

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONALDO TRABALHO Escritório no Brasil. CURSO DE CAPACITAÇÃO E TROCA DE EXPERIÊNCIAS: 11 14 de setembro de 2012, Brasília DF ORGANIZAÇÃO INTERNACIONALDO TRABALHO Escritório no Brsil CURSO DE CAPACITAÇÃO E TROCA DE EXPERIÊNCIAS: 11 14 de setembro de 2012, Brsíli DF Ferrments e Metodologis d OIT pr Promover Investimentos Públicos

Leia mais

Memória da 41ª Reunião do Comitê Gestor de Capacitação CGCAP 25/5/2015

Memória da 41ª Reunião do Comitê Gestor de Capacitação CGCAP 25/5/2015 Memóri d 41ª Reunião do Comitê Gestor de Cpcitção CGCAP 25/5/2015 Às quinze hors e vinte minutos do di vinte e cinco de mio de dois mil e quinze, presentes André de Mrque, Helen Arujo, Erismr Noves, Crl

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA MUNICIPAL DE MINISTRO ANDREAZZA Lei de Criação 372 13/02/92 PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA FINALÍSTICO PROGRAMA : 15 Mnutenção e Revitlizção do Ensino Infntil FUNDEB 40% 1. Problem: O município possui pens dus escol que oferece ensino infntil e não tende tod demnd.

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO. Exercício 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO. Exercício 2012 1 Conselho Federl de Engenhri e Agronomi SEPN 508, Bloco A, Ed. Confe, Brsíli-DF CEP 70740-541 Conselho Federl de Engenhri e Agronomi Superintendênci de Estrtégi e Gestão Gerênci de Plnejmento e Gestão

Leia mais

EXPO ENERGIA LUSOFONIA PROGRAMA PRELIMINAR

EXPO ENERGIA LUSOFONIA PROGRAMA PRELIMINAR A PROGRAMA PRELIMINAR ALTO PATROCÍNIO ECONOMIA DIPLOMACIA AMBIENTE CIDE ANFITRIÃ PATROCÍNIOS ORGANIZAÇÃO ENQUADRAMENTO Portugl pltform intercontinentl e polo de inovção Portugl tem de conseguir cpitlizr

Leia mais

REGULAÇÃO E GESTÃO COMPETITIVA NO SETOR ELÉTRICO: UM EQUILÍBRIO DINÂMICO. Prof. Carlos Raul Borenstein, Dr. UFSC

REGULAÇÃO E GESTÃO COMPETITIVA NO SETOR ELÉTRICO: UM EQUILÍBRIO DINÂMICO. Prof. Carlos Raul Borenstein, Dr. UFSC GAE/ 04 17 à 22 de outubro de 1999 Foz do Iguçu Prná - Brsil GRUPO VI GRUPO DE ASPECTOS EMPRESARIAIS (GAE) REGULAÇÃO E GESTÃO COMPETITIVA NO SETOR ELÉTRICO: UM EQUILÍBRIO DINÂMICO Prof. Crlos Rul Borenstein,

Leia mais

Fundação Norte Fluminense de Desenvolvimento Regional FUNDENOR RELATÓRIO DE ATIVIDADES PRESTAÇÃO DE CONTAS BALANÇO GERAL 2013

Fundação Norte Fluminense de Desenvolvimento Regional FUNDENOR RELATÓRIO DE ATIVIDADES PRESTAÇÃO DE CONTAS BALANÇO GERAL 2013 1 2 01 3 2 Fundção Norte Fluminense de Desenvolvimento Regionl FUNDENOR RELATÓRIO DE ATIVIDADES PRESTAÇÃO DE CONTAS BALANÇO GERAL 2013 Avenid Presidente Vrgs, 180 - Pecuári CNPJ: 28.976.710/0001-70 I.

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Prof. Msc. Frncis Regis Irineu Coordenção Gerl de Estágio Prof. Izequiel Sntos de Arújo Coordendor de Estágio Cmpins, 2015 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

Grupo Educacional Unis

Grupo Educacional Unis Fundção de Ensino e Pesquis do Sul de Mins Centro Universitário do Sul de Mins Editl de Processo Seletivo Modlidde Distânci - CPS 01/2015 Vestibulr 2015 1º Semestre Grupo Educcionl Unis O Reitor do Centro

Leia mais

EDITAL/SEE Nº 002/2014

EDITAL/SEE Nº 002/2014 EDITAL/SEE Nº 002/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO SIMPLIFICADA PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE MONITOR/A PROFESSOR/A INDÍGENA DO ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO PARA AS ESCOLAS INDÍGENAS DA REDE ESTADUAL DE

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS MATO GROSSO Objetivo 1: Grntir prioridde técnic, polític e finnceir pr ções de enfrentmento do HIV/DST voltds

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 1677-7042 Ano CXLVII 6 Brsíli - DF, qurt-feir, 27 de outubro de. Sumário PÁGINA Atos do Poder Legisltivo... 1 Atos do Congresso Ncionl... 2 Atos do Poder Executivo... 2 Presidênci d Repúblic... 3

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

EDITAL 001/2013 - EADUnC

EDITAL 001/2013 - EADUnC EDITAL 001/2013 - EADUnC O Reitor d Universidde do Contestdo-UnC, de cordo com o disposto no Regimento, fz sber, trvés do presente Editl, que estrão berts inscrições e mtriculs pr ingresso nos Cursos de

Leia mais

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU

ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU 1 ESTÁGIO PARA ESTUDANTE DA UFU EDITAL UFU/PREFE/044/2010 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO(A) A Pró-reitori de Grdução d Universidde Federl de Uberlândi, mprd no rtigo 248 ds Norms de Grdução

Leia mais

Considerando a necessidade de contínua atualização do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE;

Considerando a necessidade de contínua atualização do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE; http://www.mm.gov.br/port/conm/res/res97/res22697.html Pge 1 of 5 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 226, DE 20 DE AGOSTO DE 1997 O Conselho Ncionl do Meio Ambiente - CONAMA, no uso ds tribuições que lhe são conferids

Leia mais

Atos do Congresso Nacional

Atos do Congresso Nacional ISSN 1677-7042 Ano CXLIII 121 Brsíli - DF, terç-feir, 27 de junho de 2006 Sumário. PÁGINA Atos do Poder Judiciário... 1 Atos do Congresso Ncionl... 1 Atos do Poder

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY

SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY SOCIEDADE EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA INSTITUTO SUPERIOR TUPY IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO Curso: Engenhri de Produção Período/Módulo: 6º Período Disciplin/Unidde Curriculr: Simulção de Sistems de Produção

Leia mais

Ano CXLIV N o - 135 Brasília - DF, segunda-feira, 16 de julho de 2007

Ano CXLIV N o - 135 Brasília - DF, segunda-feira, 16 de julho de 2007 ISSN 1677-7042 Ano CXLIV N o - 135 Brsíli - DF, segund-feir, 16 de julho de 2007 Sumário. PÁGINA Presidênci d Repúblic... 1 Ministério d Agricultur, Pecuári e Abstecimento... 4 Ministério

Leia mais

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA

APRESENTAÇÃO HISTÓRICO MENSAGEM DA DIRETORIA APRESENTAÇÃO A Diretori Executiv present o Reltório Anul de Informções do Fundo de Pensão Multiptrocindo d OAB-PR e d CAA/PR reltivo o exercício de 2013, consolidndo s principis informções do Plno de Benefícios

Leia mais

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de

Ter formação mínima em nível superior comprovada que atenda a formação acadêmica ou formação ou vinculação em programa de ANEXO II EDITAL Nº 04/2014 2 º PRORROGAÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES QUADRO DE VAGAS REMANESCENTES PARA O PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSORES PESQUISADORES FORMADORES ÁREA DA PESQUISA EMENTA EIXO

Leia mais

DEMONSTRATIVO DAS LICITAÇÕES HOMOLOGADAS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014

DEMONSTRATIVO DAS LICITAÇÕES HOMOLOGADAS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014 ESTDO D BHI PREFEITUR MUNICIPL DE QUIJINGUE PODER EXECUTIVO MUNICIPL COMISSÃO DE LICITÇÃO DEMONSTRTIVO DS LICITÇÕES HOMOLOGDS NO MÊS DE FEVEREIRO/2014 Órgão/Entidade: PREFEITUR MUNICIPL DE QUIJINGUE Exercício:

Leia mais

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras

Liberdade de expressão na mídia: seus prós e contras Universidde Estdul de Cmpins Fernnd Resende Serrdourd RA: 093739 Disciplin: CS101- Métodos e Técnics de Pesquis Professor: Armndo Vlente Propost de Projeto de Pesquis Liberdde de expressão n mídi: seus

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Mnul de Operção e Instlção Clh Prshll MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS Cód: 073AA-025-122M Rev. B Novembro / 2008 S/A. Ru João Serrno, 250 Birro do Limão São Pulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

1 ANALISTA DE SISTEMAS 1.1 Cidade de realização das provas: MANAUS/AM 1.1.1 Local de realização das provas:

1 ANALISTA DE SISTEMAS 1.1 Cidade de realização das provas: MANAUS/AM 1.1.1 Local de realização das provas: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR EDITAL N.º 7 IPEA, DE 8 DE DEZEMBRO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA

TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA TERMO DE REFERÊNCIA ILUMINAÇÃO TÉCNICA FÁBRICAS DE CULTURA CAPÃO REDONDO Ru Lubvitch, 64 01123010 Bom Retiro São Pulo SP Tel/Fx: 11 3361 4976 www.poiesis.org.br TRIluminção Técnic ArenCPR ÍNDICE DO TERMO

Leia mais

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia.

Oferta n.º 1260. Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax 229 412 047 educacao@cm-maia.pt www.cm-maia. Procedimento de seleção pr recrutmento de Técnicos no âmbito do Progrm de Atividdes de Enriquecimento Curriculr do 1.º Ciclo de Ensino Básico Inglês Ofert n.º 1260 A Câmr Municipl Mi procede à bertur do

Leia mais

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2014

ELENCO DE CONTAS DE DESPESAS 2014 TRIBUNL DE CONTS DO ESTDO DO PRNÁ nexo IV da Instrução Técnica nº 20/2003 - de Contas da Despesa SIM-M/2014 C Ó D I G O TÍTULO Nível S/ ESPECIFICÇÃO Versão 3 0 00 00 00 00 DESPESS CORRENTES S Classificam-se

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO. DISCIPLINA: OPERAÇÕES TÉCNICAS DE RECEÇÃO (12º Ano Turma M) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RECEÇÃO DISCIPLINA: (12º Ano Turm M) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Teres Sous Docente Teres Bstos Ano Letivo 2015/2016 Competêncis

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO

TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO TÍTULO: MANAGEMENT ACCOUNTING: UMA FERRAMENTA NO DESENVOLVIMENTO GLOBAL DE UMA ORGANIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI

Leia mais

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013

Ilha Solteira, 17 de janeiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Nossos prceiros Pel trnsprênci e qulidde d plicção dos recursos públicos Ilh Solteir, 17 de jneiro de 2013. OFICIO OSISA 05/2013 Ao Exmo. Sr. Alberto dos Sntos Júnior Presidente d Câmr Municipl de Ilh

Leia mais

3º Ciclo do Ensino Básico

3º Ciclo do Ensino Básico ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO DE AMORA - ANO LETIVO 2014/2015 DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES GRUPO 600 Plnificção Anul Educção Visul 8º Ano 3º Ciclo do Ensino Básico Domínio Objetivos Geris

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE EDITAL COPPE/PENO/PÓS nº 235/2014: PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS PARA INSCRIÇÃO

Leia mais

Sindicatos. Indicadores sociais 2001

Sindicatos. Indicadores sociais 2001 Ministério do Plnejmento, Orçmento e Gestão Instituto Brsileiro de Geogrfi e Esttístic - IBGE Diretori de Pesquiss Deprtmento de Populção e Indicdores Sociis Sindictos Indicdores sociis 2001 Rio de Jneiro

Leia mais

2.012 MW. 2,934 milhões. 24.923 GWh DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. R$ 342 milhões. R$ 6,3 bilhões. R$ 1,3 bilhão. R$ 370 milhões.

2.012 MW. 2,934 milhões. 24.923 GWh DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. R$ 342 milhões. R$ 6,3 bilhões. R$ 1,3 bilhão. R$ 370 milhões. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2012 2,934 milhões de clientes tendidos 2.012 MW de cpcidde instld de gerção 24.923 GWh de energi distribuíd R$ 6,3 bilhões de receit opercionl líquid* * Não consider Receit de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminar)

PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminar) PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA (versão Preliminr) PLANO DE AÇÃO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DIREITOS HUMANOS NA EDUCAÇÃO BÁSICA Governo do Estdo de Rorim Secretri Estdul

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE PSG

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE PSG EDITAL Nº 031/2015 SENAC ACRE TRATA DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA RECRUTAMENTO, INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E MATRICULA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO PRESENCIAL, NO PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG, UNIDADE NEP

Leia mais

Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas publica:

Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas publica: Prefeitura Municipal de 1 Segunda-feira no VI Nº 1388 Prefeitura Municipal de publica: Lei N. º 612, de 27 de dezembro de 2011 - Estima a receita e fixa a despesa do Município de, para o exercício financeiro

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenção/Colegido o(s) qul(is) será vinculdo: Engenhris Curso (s) : Engenhris Nome do projeto: MtLb Aplicdo n Resolução de Sistems Lineres.

Leia mais

EQUAÇÕES INTENSIDADE / DURAÇÃO / PERÍODO DE RETORNO PARA ALTO GARÇAS (MT) - CAMPO ALEGRE DE GOIÁS (GO) E MORRINHOS (GO)

EQUAÇÕES INTENSIDADE / DURAÇÃO / PERÍODO DE RETORNO PARA ALTO GARÇAS (MT) - CAMPO ALEGRE DE GOIÁS (GO) E MORRINHOS (GO) ABES - Associção Brsileir de Engenhri Snitári e Ambientl V - 002 EQUAÇÕES INTENSIDADE / DURAÇÃO / PERÍODO DE RETORNO PARA ALTO GARÇAS (MT) - CAMPO ALEGRE DE GOIÁS (GO) E MORRINHOS (GO) Alfredo Ribeiro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA - COPPE EDITAL PEC/COPPE/UFRJ Nº 261/2015: PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS PARA INSCRIÇÃO

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra

Serviços de Acção Social da Universidade de Coimbra Serviços de Acção Socil d Universidde de Coimbr Serviço de Pessol e Recursos Humnos O que é o bono de fmíli pr crinçs e jovens? É um poio em dinheiro, pgo menslmente, pr judr s fmílis no sustento e n educção

Leia mais

Resumo Executivo. Violência contra a mulher

Resumo Executivo. Violência contra a mulher S T U L s R E K Q F zs B x f b w s X R e R y P Z K O q u A r G J M e z YLU E p z P c o Resumo Executivo iolênci contr mulher estudo revel predominânci de viés policilesco n cobertur noticios do tem Estudo

Leia mais

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul

Diário Oficial. Estado de Mato Grosso do Sul 11-1 0-1977 Diário Oficil Estdo de Mto Grosso do Sul ANO XXXIII 7.974 CAMPO GRANDE-MS, TERÇA-FEIRA, 87 PÁGINAS GOVERNADOR Vice-Governdor SIMONE TEBET Secretário de Estdo de Governo OSMAR DOMINGUES JERONYMO

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

PLANO ANUAL DE TRABALHO

PLANO ANUAL DE TRABALHO PLANO ANUAL DE TRABALHO DE ARAUCÁRIA 06 smed@rucri.pr.gov.br 1 1. APRESENTAÇÃO O Conselho Municipl de Educção CME de Arucári, crido nos termos d Lei Municipl nº 1.527/04, de 02 de novembro de 04, é o órgão

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

E D I T A L N º 0 3 / 2 0 1 5

E D I T A L N º 0 3 / 2 0 1 5 E D I T A L N º 0 3 / 2 0 1 5 A FACULDADE DE TECNOLOGIA MACHADO DE ASSIS FAMA, trvés d Comissão do Processo Seletivo COPS, comunic os interessdos bertur ds inscrições o PROCESSO SELETIVO pr ingresso nos

Leia mais

Escola SENAI Theobaldo De Nigris

Escola SENAI Theobaldo De Nigris Escol SENAI Theobldo De Nigris Conteúdos borddos nos cursos de Preservção 2011 1) CURSO ASSISTENTE DE CONSERVAÇÃO PREVENTIVA (362h) I Étic e históri n conservção (72h): 1. Étic e históri d Conservção/Resturo

Leia mais

Bandeirante Energia S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06

Bandeirante Energia S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06 Compnhi Abert - CNPJ/MF nº 02.302.100/0001-06 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2013 MENSAGEM DO DIRETOR PRESIDENTE No no de 2013, EDP Bndeirnte prosseguiu com su tução sustentável junto os cionists, clientes,

Leia mais

Expansão da Pós-Graduação no Brasil e o Mestrado de Educação da Umesp nesse contexto

Expansão da Pós-Graduação no Brasil e o Mestrado de Educação da Umesp nesse contexto Expnsão d Pós-Grdução no Brsil e o Mestrdo de Educção d Umesp nesse contexto Rinlv Cssino Silv Resumo Sem pretensão de esgotr o ssunto, o presente rtigo reflete sobre expnsão d pós-grdução no Brsil. Por

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plno de Trblho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA Código: 164 Município: PALMITAL Áre de conhecimento: Ciêncis d Nturez, Mtemátic e sus Tecnologis Componente Curriculr: FÍSICA

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 P.J.U.- TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO 1 PODER JUDICIÁRIO DA UNIÃO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 068/2012 Regido pel Lei nº 10.520/2002, Lei Complementr

Leia mais

Oportunidade de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV

Oportunidade de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV Oportunidde de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV Mio/2007 1 OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FICHA BÁSICA SEGMENTO: Prestção de Serviço Conversão de motores utomotivos (GNV) DESCRIÇÃO: Oficin pr montgem de Kit

Leia mais