Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing"

Transcrição

1 Mário Trinca

2 Quando existem uma multiplicidade de Produtos / Serviços, oferecidos a diferentes segmentos de clientes, através de diversos canais de distribuição, em várias geografias, nunca é fácil responder à questão: Que Preço Aplicar? Page 2

3 Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing 1 Estratégia de Pricing por Produto/Serviço Impactos Pricing por Produto Pricing por Campanha Pricing por desconto (ofertas promocionais) Actuação copiável pela concorrência Estreitamento desnecessário das margens Negociação conservadora dos preços Nem todos os Clientes aceitam do mesmo modo os preços praticados Desconhecimento do preço limite que seria aceite por um Cliente. Cenários de gestão comercial mais agressiva para alcançar objectivos comerciais (lógica de curto-prazo) Aumento da taxa de abandono dos Clientes Page 3

4 Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing 2 Simplicidade da Análise Impactos Baseado na Concorrência Status Quo ± Preço de Custo + Prémio Não reflecte a realidade da instituição e a sua base de clientes Não tem em consideração impactos futuros nas quantidades, volume de negócio e rendibilidade Não tem por base o conhecimento efectivo do custo produto/serviço (fixo vs variável) Page 4

5 Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing 3 Silver Bullet Problem Impactos Novas tecnologias: Modelos de optimização de receita Fortes capacidades analíticas que integram custos, preços, rendibilidade e necessidades dos clientes. Dão a ideia errada que a formulação do preço é integralmente sistematizável. Libertam os gestores de topo da aparente desnecessária tomada de decisão de negócio sobre o pricing. Page 5

6 Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing 4 Descentralização da formulação do Pricing Impactos A definição do pricing é um tema que não está na agenda da Comissão Executiva Decisões sobre a definição do pricing são tomadas por equipas técnicas, de níveis intermédios na organização Desalinhamento da formulação do preço com as linhas de orientação estratégica Os produtos/serviços são concebidos em primeiro lugar e só depois é formulado o preço (i.e., não contribui activamente para a concepção do produto) Não optimizam o trade-off preço vs Volume Negócio vs Rendibilidade Page 6

7 O nosso entendimento do Pricing Regras / Catálogo de Pricing Formulação / Simulação de Pricing Auditoria, Controlo e Gestão de Pricing Strategic Pricing Page 7

8 A nossa Visão STRATEGIC PRICING CAPABILITY OBJECTIVO Construçãode estratégias mais evoluídas de gestão avançada de clientes, que permitem estabelecer políticas comerciais pró-activas - One-to-One -consequentemente, não copiáveis pela concorrência. Curva de Benefícios Para um qualquer evento de Preçário, obter opreço Óptimo por Cliente, que maximiza a rendibilidade e minimiza o risco de abandono. Page 8

9 FORMULAÇÃO - Factores de DIFERENCIAÇÃO do PREÇO Produto 1 Concorrência 1 Exemplos Montante, prazo, transaccionalidade, risco, bundling, protocolos Políticas de preço, cobertura geográfica Cliente Segmento PREÇO Factores Internos Custo produtos/serviços, margem rendibilidade mínima, LOE Taxas intermediação, distribuição geográfica clientes, fiscalidade 5 Canais Factores Externos 5 Balcão títular, Gestor, rede ATM, rede seguradora, SMS, net, phone 4 6 Segmento, sensibilidade preço, importância, risco, vinculação, ciclo de vida, idade, atributos comportamentais Page 9

10 FORMULAÇÃO - Factores de DIFERENCIAÇÃO do PREÇO Metodologia Recolha e tratamento de dados Matriz Escala de Preços Segmentação de Clientes Análise da Sensibilidade do Cliente Análise da Importância do Cliente Sensibilidade Preço Importância Cliente Categoria de Preço Preço Objectivo Escala de Preços Preço Standard Alta Estrela D++ P2 P1-P4 P3 Alta Promessa D+ Alta Standard D Média Estrela D+ Média Promessa M Média Standard A+ Baixa Estrela A+ Baixa Promessa A++ Baixa Standard A++ Matriz Escala de Preços Page 10

11 OPERACIONALIZAÇÃO do PREÇO Catálogo Aplicações Distribuidas Canais Preçário? 75 Aplicações Operacionais Comissão Vistoria? (standard - 100,00) Resposta Preçário - 75,00 Realizado- 60,00 Estorno- 15,00 ILUSTRATIVO Contabilidade Geral MIS Controlo e Gestão Preços Preçário Warehouse Page 11

12 OPERACIONALIZAÇÃO Arquitectura Tecnológica da Solução Sist. Centrais Aplicaçóes Operacionais Windows Servers Aplicações Distribuídas Personalization / Decisioning Architecture BRMS Inf. Gestão CRM Analítico Information Delivery Architecture Insight Generation Architecture Page 12

13 AUDITORIA, CONTROLO E GESTÃO Monitorização da performance dos eventos de Preçário Evolução da Receita depende: Base de incidência dos preços Pricing dos eventos de negócio Grau de aplicação efectiva dos preços Ópticas de Análise Tipo de Preço Níveis de Autorização Pretende distinguir os eventos cuja receita efectiva mais se aproxima/afasta do seu nível teórico. Pretende-se evidenciar onde se concentram as isenções/estornos. Finalidade Pretende-se determinar o motivo da isenção (ex: adopção de uma estratégia comercial relativa a um cliente, protocolo, Incorrecção, etc.) Page 13

14 Qual a abordagem a seguir? Caracterização do Pricing Formulação do Pricing Operacionalização do Pricing Controlo e Gestão de Pricing Setup / Arquitectura Roll-out Prods 1 Prods 2 Prods n Page 14

15 Obrigado Mário Trinca

16 Ernst & Young Assurance Tax Transactions Advisory About Ernst & Young Ernst & Young is a global leader in assurance, tax, transaction and advisory services. Worldwide, our 152,000 people are united by our shared values and an unwavering commitment to quality. We make a difference by helping our people, our clients and our wider communities achieve their potential. Ernst & Young refers to the global organization of member firms of Ernst & Young Global Limited, each of which is a separate legal entity. Ernst & Young Global Limited, a UK company limited by guarantee, does not provide services to clients. For more information, please visit EYGM Limited All Rights Reserved. This publication contains information in summary form and is therefore intended for general guidance only. It is not intended to be a substitute for detailed research or the exercise of professional judgment. Neither EYGM Limited nor any other member of the global Ernst & Young organization can accept any responsibility for loss occasioned to any person acting or refraining from action as a result or any material in this publication. On any specific matter, reference should be made to the appropriate advisor.

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos 15 de Novembro de 2011 Tax Alert Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos For additional information, please contact: António Neves antonio.neves@pt.ey.com Carlos Lobo carlos.lobo@pt.ey.com

Leia mais

Guia Fiscal 2012. Índice. Informação Fiscal 7. Região Autónoma da Madeira. Imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS)

Guia Fiscal 2012. Índice. Informação Fiscal 7. Região Autónoma da Madeira. Imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) Guia Fiscal 2012 Guia Fiscal 2012 Índice Informação Fiscal 7 Região Autónoma da Madeira 59 Imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) 14 Desvalorizações excepcionais de elementos do activo

Leia mais

Novo programa Portugal 2020: Incentivos financeiros ao investimento

Novo programa Portugal 2020: Incentivos financeiros ao investimento Incentives Alert 19 de Novembro de 2014 Novo programa Portugal 2020: Incentivos financeiros ao investimento A regulamentação do Portugal 2020 começou com a publicação do Decreto-Lei n.º 137/2014, de 12

Leia mais

CCCTB Administração e procedimentos para a repartição da base tributável

CCCTB Administração e procedimentos para a repartição da base tributável CCCTB Administração e procedimentos para a repartição da base tributável FEUC Gonçalo Cid 24 Fevereiro 2012 Enquadramento CCCTB 2001: Estudo da UE sobre a tributação das empresas 2002-08: Formação de Grupos

Leia mais

Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico

Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Incentives Alert 6 de Março de 2015 Programa Portugal 2020: Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico A Portaria n.º 57-A/2015, de 27 de Fevereiro de 2015, vem estabelecer a regulamentação

Leia mais

Reforma do IRC Uma oportunidade única para Portugal

Reforma do IRC Uma oportunidade única para Portugal Reforma do IRC Uma oportunidade única para Portugal Lisboa, 12 de Março de 2013 Agenda 1. A influência do IRC na atractividade da Economia Portuguesa 2. Medidas idealizadas para um sistema fiscal competitivo

Leia mais

Assurance Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance. Management Essentials I

Assurance Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance. Management Essentials I Assurance Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance Management Essentials I Introdução A Baker Tilly Portugal, enquanto Organização de referência em Serviços Profissionais e a Baker Tilly Academy tendo

Leia mais

PROGRAMA FOCUS CLIENTE

PROGRAMA FOCUS CLIENTE PROGRAMA 1 Focus Cliente O que é? O Programa consiste numa abordagem pioneira ao desenvolvimento de competências na área do serviço ao cliente alinhadas com uma visão de excelência na gestão da relação

Leia mais

26-10-2011. www.pwc.com/pt. Impostos Indirectos OE2012. Agenda. Impostos Indirectos I. IVA. PwC

26-10-2011. www.pwc.com/pt. Impostos Indirectos OE2012. Agenda. Impostos Indirectos I. IVA. PwC www.pwc.com/pt Impostos Indirectos OE2012 Agenda Impostos Indirectos I. II. IECs III. Conclusão PwC 2 1 Eliminação das isenções Transmissão do direito de autor e a autorização para utilização da obra intelectual

Leia mais

Projecto de Reforma da Fiscalidade Verde

Projecto de Reforma da Fiscalidade Verde 17 de Setembro de 2014 Tax Alert Projecto de Reforma da Fiscalidade Verde O Despacho 1962/2014, de 29 de Janeiro, constitui a Comissão para a Reforma da Fiscalidade Verde, tendo como objectivo a revisão

Leia mais

Angola Tax Alert 2-2012

Angola Tax Alert 2-2012 29 de Fevereiro de 2012 Tax Alert Angola Tax Alert 2-2012 Reforma Fiscal Imposto sobre a Aplicação de Capitais, Imposto do Selo e Imposto de Consumo Decreto Legislativo Presidencial n.º 5/11 Aprova a revisão

Leia mais

Reforma do IRC Uma oportunidade única. Outubro de 2013

Reforma do IRC Uma oportunidade única. Outubro de 2013 Reforma do IRC Uma oportunidade única Outubro de 2013 Agenda Os desafios da Reforma do IRC Enquadramento internacional Contributo EY para a Reforma do IRC Sugestões EY Q&A? Page 2 Os desafios da Reforma

Leia mais

Seminário Financiamento ao Agronegócio Internacionalização da Agroindústria ABDE. Ernst & Young Agroindústria

Seminário Financiamento ao Agronegócio Internacionalização da Agroindústria ABDE. Ernst & Young Agroindústria Seminário Financiamento ao Agronegócio Internacionalização da Agroindústria ABDE Brasília, 31 de Julho de 2015 2 Mudança de Paradigma sobre Agricultura, Agroindústria & Exportações Produção agroindustrial

Leia mais

Setembro 2014. Aspectos pragmáticos das importações indiretas

Setembro 2014. Aspectos pragmáticos das importações indiretas Setembro 2014 Aspectos pragmáticos das importações indiretas Agenda 1. Contexto 2. Modalidades de Importação 3. Real adquirente x Real importador 4. Conclusão PwC 2 PwC Contexto 1. Contexto Responsável

Leia mais

Riscos na Contratação de Terceiros

Riscos na Contratação de Terceiros Riscos na Contratação de Terceiros Monitoramento das Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil 22 de agosto de 2013 Legislação Inexiste legislação específica

Leia mais

Responsabilidade Corporativa Estratégia e iniciativas PwC Brasil

Responsabilidade Corporativa Estratégia e iniciativas PwC Brasil www.pwc.com/br Responsabilidade Corporativa Estratégia e iniciativas Brasil Março de 2013 Presença da no Mundo A é um network global de firmas, presente em 158 países. Mais de 180 mil profissionais em

Leia mais

Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management

Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management Incentivos Financeiros e Fiscais Global Incentives Management Incentivos Índice 1. Apresentação i. Incentivos Financeiros ii. Incentivos Fiscais 2. Metodologia i. Apresentação ii. iii. iv. Analysis & Reporting

Leia mais

Reforma do IRC e OE 2014

Reforma do IRC e OE 2014 Fevereiro 2014 Audit Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance Information Systems An independent member of Baker Tilly International Payroll IRS e Segurança Social Ameaças Conceito de regularidade

Leia mais

Future Nearshore. Desafios na captação e manutenção de operações de serviços Workshop 12 Março. Março de 2015

Future Nearshore. Desafios na captação e manutenção de operações de serviços Workshop 12 Março. Março de 2015 Future Nearshore Desafios na captação e manutenção de operações de serviços Workshop Março de 2015 Confidencialidade A informação contida neste Documento é confidencial e propriedade da EY. A reprodução

Leia mais

O SNC e os juízos de valor Auditoria e estimativa

O SNC e os juízos de valor Auditoria e estimativa www.pwc.com/pt O SNC e os juízos de valor Ana Catarina Vieira Universidade de Coimbra Agenda 1. Overview 2. Auditoria fiscal e a estimativa 3. Conclusão (planeamento ) 2 Overview 3 Overview Conceito tradicional

Leia mais

O IRC e a TSU em 2013 Jorge Figueiredo

O IRC e a TSU em 2013 Jorge Figueiredo www.pwc.com/pt O IRC e a TSU em 2013 Jorge Figueiredo 3,9% Aumento da receita de IRC (previsão OE 2013 face à receita prevista para 2012) 2 Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas Limitação à

Leia mais

Ernst & Young. Assurance Tax Transactions Advisory. About Ernst & Young

Ernst & Young. Assurance Tax Transactions Advisory. About Ernst & Young Ernst & Young Assurance Tax Transactions Advisory About Ernst & Young Ernst & Young is a global leader in assurance, tax, transaction and advisory services. Worldwide, our 130,000 people are united by

Leia mais

SPTRANS. Verificador Independente. Apresentação de Resultados. Taxa Interna de Retorno (TIR) dos Contratos de Concessão e Permissão.

SPTRANS. Verificador Independente. Apresentação de Resultados. Taxa Interna de Retorno (TIR) dos Contratos de Concessão e Permissão. SPTRANS Verificador Independente Apresentação de Resultados Taxa Interna de Retorno (TIR) dos Contratos de Concessão e Permissão Dezembro de 2014 Resultados Apuração da TIR com base no FCFF e no FCFE Área

Leia mais

www.pwc.com Aspectos Tributários atuais aplicáveis à Indústria da Mineração.

www.pwc.com Aspectos Tributários atuais aplicáveis à Indústria da Mineração. www.pwc.com Aspectos Tributários atuais aplicáveis à Indústria da Mineração. Agenda 1. TFRM 2. Transfer Pricing PECEX 3. CFEM 4. Conclusão PwC 2 www.pwc.com TFRM Taxa de Controle, Acompanhamento e Fiscalização

Leia mais

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras.

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras. Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras Ouro Preto - MG 13 de maio de 2014 ANY TAX ADVICE IN THIS COMMUNICATION

Leia mais

Carros elétricos - Ganhando força? Opinião dos brasileiros quanto ao uso e viabilidade

Carros elétricos - Ganhando força? Opinião dos brasileiros quanto ao uso e viabilidade Carros elétricos - Ganhando força? Opinião dos brasileiros quanto ao uso e viabilidade Setembro, 2011 Resumo dos principais resultados Os veículos elétricos são considerados melhores que os veículos tradicionais

Leia mais

Copyright 2003, SAS Institute Inc. All rights reserved. 60. Copyright 2003, SAS Institute Inc. All rights reserved. 62

Copyright 2003, SAS Institute Inc. All rights reserved. 60. Copyright 2003, SAS Institute Inc. All rights reserved. 62 Copyright 2003, SAS Institute Inc. All rights reserved. Agenda Human Capital Management João Miguel Alves Projecto ISCTE/SAS 2003-2004 Recursos Humanos Gestão de Recursos Humanos Sistemas Operacionais

Leia mais

Principais Alterações Trazidas pela Instrução CVM nº 552/2014. Preparação para a Assembleia Geral Ordinária. 06 de março de 2015

Principais Alterações Trazidas pela Instrução CVM nº 552/2014. Preparação para a Assembleia Geral Ordinária. 06 de março de 2015 Principais Alterações Trazidas pela Instrução CVM nº 552/2014 e Preparação para a Assembleia Geral Ordinária 06 de março de 2015 1 Principais Alterações - Instrução CVM nº 552/2014 Divulgação Imediata

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

Lisboa, 18 e 19 de Outubro

Lisboa, 18 e 19 de Outubro Formação Profissional Implementar um programa de Gestão do risco operacional e resiliência de negó ócio Lisboa, 18 e 19 de Outubro Assessoria de Gestão, Lda Gestão do risco operacional e resilência de

Leia mais

Norma Interpretativa 2 Uso de Técnicas de Valor Presente para mensurar o Valor de Uso

Norma Interpretativa 2 Uso de Técnicas de Valor Presente para mensurar o Valor de Uso Norma Interpretativa 2 Uso de Técnicas de Valor Presente para mensurar o Valor de Uso Esta Norma Interpretativa decorre da NCRF 12 - Imparidade de Activos. Sempre que na presente norma existam remissões

Leia mais

Café com Target. Andrea Leal APS MKT Manager Março, 2009 advertising.microsoft.com/brasil

Café com Target. Andrea Leal APS MKT Manager Março, 2009 advertising.microsoft.com/brasil Café com Target Andrea Leal APS MKT Manager Março, 2009 advertising.microsoft.com/brasil BOM DIA! Mapa de Navegação do Dia 09h00 Café da Manhã 09h30 Abertura 09h35 QUE *($^*#)@(*$ EU ESTOU FAZENDO AQUI?

Leia mais

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO Lloyd s no brasil 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO July 2010 Lloyd s no Brasil abril 2008: O Lloyd s foi o primeiro ressegurador a receber a licença da SUSEP,

Leia mais

Tax Alert. Anteprojecto com propostas de alteração ao Código do IRC. Simplificação de processos

Tax Alert. Anteprojecto com propostas de alteração ao Código do IRC. Simplificação de processos 30 de Julho de 2013 Tax Alert Anteprojecto com propostas de alteração ao Código do IRC O Governo Português, representado pelo Exmo. Senhor Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, nomeou uma Comissão

Leia mais

Tax Alert. Novo Código do Imposto sobre os Rendimentos do Trabalho. Incidência. Não sujeito

Tax Alert. Novo Código do Imposto sobre os Rendimentos do Trabalho. Incidência. Não sujeito Outubro de 2014 Tax Alert Aprovação do novo Código do Imposto sobre os Rendimentos do Trabalho Novo Código do Imposto sobre os Rendimentos do Trabalho Foi publicada a 22 de Outubro de 2014, a Lei n.º 18/14,

Leia mais

Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil

Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil Inovar-Auto Aspectos relevantes Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores 22 Janeiro de 2015

Leia mais

MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. Companhia de Capital Autorizado CNPJ n.º 27.093.558/0001-15 NIRE 33.3.0028974-7. Rio de Janeiro - RJ

MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. Companhia de Capital Autorizado CNPJ n.º 27.093.558/0001-15 NIRE 33.3.0028974-7. Rio de Janeiro - RJ MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. Companhia de Capital Autorizado CNPJ n.º 27.093.558/0001-15 NIRE 33.3.0028974-7 Avenida das Américas 500, bloco 14, loja 108 e salas 207 e 208, Barra da Tijuca,

Leia mais

Sistemas de Informação para o Desenvolvimento 2012/06/13

Sistemas de Informação para o Desenvolvimento 2012/06/13 Sistemas de Informação para o Desenvolvimento Agenda Paradigma de um Sistema de Informação Processo Delivery Management Os principais factores críticos Desafio dos Sistemas de Informação em empresas Angolanas

Leia mais

ANNUAL REPORT 2011-12-13

ANNUAL REPORT 2011-12-13 ANNUAL REPORT 2011-12-13 Member organizationʼs name: Beraca Sabará Quimicos e Ingredientes - Divisão HPC Main address: Rua Emilia Marengo, 682 segundo andar Jardim Analia Franco, São Paulo SP Brasil CEP

Leia mais

As instituições financeiras e as mudanças climáticas Maio, 2011

As instituições financeiras e as mudanças climáticas Maio, 2011 As instituições financeiras e as mudanças climáticas Maio, 2011 Agenda 1. Causas e Impactos das Mudanças Climáticas 2. Oportunidades de Adaptação e Mitigação 3. Inovando o business as usual 4. Comentários

Leia mais

Marketing. Objectivos. Conceito de estratégia. Planeamento Estratégico

Marketing. Objectivos. Conceito de estratégia. Planeamento Estratégico Marketing Planeamento Estratégico Prof. José M. Veríssimo 1 Objectivos Compreender como o planeamento estratégico é conduzido nos diversos níveis organizacionais Identificar as diversas fases do processo

Leia mais

Programa de Educação Continuada em Ressonância Magnética

Programa de Educação Continuada em Ressonância Magnética Healthcare Customer Services Information de Educação Continuada em Ressonância Magnética Este programa tem como objetivo levar ao cliente um maior e melhor nível de conhecimento teórico-prático através

Leia mais

CONTABILIDADE, TOMADA DE DECISÃO E AMBIENTE: CONTRIBUTOS PARA REFORÇO DO DESEMPENHO ECONÓMICO DAS ORGANIZAÇÕES

CONTABILIDADE, TOMADA DE DECISÃO E AMBIENTE: CONTRIBUTOS PARA REFORÇO DO DESEMPENHO ECONÓMICO DAS ORGANIZAÇÕES 3D CONTABILIDADE, TOMADA DE DECISÃO E AMBIENTE: CONTRIBUTOS PARA REFORÇO DO DESEMPENHO ECONÓMICO DAS ORGANIZAÇÕES Maria da Conceição da Costa Marques, Ph.D Doutora em Gestão, especialidade em Contabilidade

Leia mais

Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes

Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes Agenda 1.Introdução 2.Matriz energética mundial 3.Soluções para sustentabilidade 4.Mecanismos de mercado 5.

Leia mais

Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino

Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino Workshop Descrição de cargos Julho/2011 Volcei Marcon Gabriel Albino Agenda 1 2 3 Nossa metodologia O Projeto Workshop de Descrição de Cargos 2011 Hay Group. All rights reserved 1 01 Nossa metodologia

Leia mais

Código de Boas Práticas da APOL Logistics & Supply Chain Maio 2010. PwC

Código de Boas Práticas da APOL Logistics & Supply Chain Maio 2010. PwC Código de Boas Práticas da APOL PwC Agenda Enquadramento Principais riscos/desafios dos clientes Benefícios do Outsourcing Continnunm da criação de valor Código de Boas Práticas Enquadramento Definição

Leia mais

Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores

Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores Microsoft Dynamics CRM Customer Solution Case Study APCER Na APCER, o Microsoft Dynamics CRM é central na gestão comercial e na obtenção de indicadores Sumário País Portugal Sector Serviços Perfil do Cliente

Leia mais

protect decorate communicate

protect decorate communicate protect decorate communicate Make your Brand Talk. O seu produto. Um smartphone. Uma digitalização. E eis que o seu cliente mergulha num universo cintilante de marcas. Recebe informações sobre produtos,

Leia mais

Programa de Educação Continuada em Angiografia

Programa de Educação Continuada em Angiografia Healthcare Customer Services Information de Educação Continuada em Angiografia Este programa tem como objetivo levar ao cliente um maior e melhor nível de conhecimento teórico-prático por meio de orientação

Leia mais

Seja Bem-Vindo. System Center Family. Inicio: 09:00 Termino: 12:00

Seja Bem-Vindo. System Center Family. Inicio: 09:00 Termino: 12:00 Seja Bem-Vindo System Center Family Inicio: 09:00 Termino: 12:00 Intervalo: 15 minutos Marcelo Sincic Consultor / Instrutor msincic@uol.com.br blog: http://www.marcelosincic.eti.br Microsoft como CPLS

Leia mais

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015 O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil Mario Lima Maio 2015 1 A Matriz Energética no Brasil A base da matriz energética brasileira foi formada por recursos

Leia mais

Marketing Operacional

Marketing Operacional Estratégia de Preço Objectivos Analisar a forma com as empresas fixam um preço para um produto ou serviço Avaliar como os preços podem ser adaptados às condições do mercado Discutir em que condições deverão

Leia mais

Computador móvel Dolphin TM 6500. Guia Rápido de Instalação

Computador móvel Dolphin TM 6500. Guia Rápido de Instalação Computador móvel Dolphin TM 6500 Guia Rápido de Instalação Computador móvel Dolphin 6500 Conteúdo da caixa Verifique se a caixa de seu produto contém os seguintes itens: Computador móvel Dolphin 6500

Leia mais

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal 2013 (STARTMEUP) Regulamento. Artigo 1.º Organização e objectivos

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal 2013 (STARTMEUP) Regulamento. Artigo 1.º Organização e objectivos StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal 2013 (STARTMEUP) Regulamento Artigo 1.º Organização e objectivos 1. O STARTMEUP é uma iniciativa organizada conjuntamente pela Embaixada dos Estados Unidos

Leia mais

1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005

1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005 1 a Jornada de Contabilidade Práticas de Governança Corporativa e Transparência 22 de setembro de 2005 Agenda Introdução Demandas do mercado de capitais Governança corporativa Governança corporativa no

Leia mais

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA II

AVALIAÇÃO IMOBILIÁRIA II Indice Fases do Processo de Avaliação Fases do processo de avaliação Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5 Fase 6 Negociação dos termos do acordo Recolha de informação sobre o activo Definição dos pressupostos

Leia mais

GESTÃO LOGÍSTICA 05. O Papel da Logística na Organização Empresarial e na Economia. Padrões de SaC. Amílcar Arantes 1

GESTÃO LOGÍSTICA 05. O Papel da Logística na Organização Empresarial e na Economia. Padrões de SaC. Amílcar Arantes 1 GESTÃO LOGÍSTICA 2004-05 05 Capítulo - 2 Índice 1. Introdução 2. Definição de 3. 4. Desenvolvimento e Documentação de Padrões de SaC 5. Barreiras a uma Estratégia efectiva de SaC 6. Melhorar o Desempenho

Leia mais

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1?

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1? Respostas às questões da secção 8 do LIVRO VERDE Melhorar a saúde mental da população Rumo a uma estratégia de saúde mental para a União Europeia Bruxelas 14.10.2005 (1) Qual a importância da saúde mental

Leia mais

+ = Page 2. Sistema : Características. A Empresa como um Sistema. Os Processos de Negócio como Sub-sistemas

+ = Page 2. Sistema : Características. A Empresa como um Sistema. Os Processos de Negócio como Sub-sistemas Sistemas Informação José Cruz Filipe Tópicos Conceito de Sistema A Empresa como um Sistema Conceito de Informação Dados e Informação Informação e o Processo de Decisão Sistema de Informação JCFilipe 1

Leia mais

U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A

U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A i U M O L H A R S O B R E... A R E A L I D A D E S O C I E T Á R I A P O R T U G U E S A INFORMAÇÃO GERAL TAX & BUSINESS This Tax Information is intended for general distribution to clients and colleagues

Leia mais

Microsoft Software + Serviços

Microsoft Software + Serviços 9 de Março de 2010 Microsoft Software + Serviços O Poder de Escolha Nas Instalações (On-Premise) Controlo e propriedade Capacidades estratégicas Integração avançada Alojado por Parceiros (Hosting) TI em

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO DE EMPRESAS

MESTRADO EM GESTÃO DE EMPRESAS MESTRADO EM GESTÃO DE EMPRESAS Sistemas de Informação Contabilística e Financeira CASO 4 PARTE 1 e 2 (enunciado e resolução) 2007/2008 CASO 4 Enunciado (PARTE 1) Tendo presente o contributo da estrutura

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO DA QUALIDADE Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor Consumidor: qualidade é o grau em que o produto satisfaz as

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses

Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses Funcionamento da Base de Dados de Perfis de ADN Francisco Corte-Real Council Resolution of 9 June

Leia mais

Page 1. Gestão da Mudança. Tópicos. Evolução das Organizações. As organizações COM FUTURO Network. As 5 Disciplinas (Peter M.

Page 1. Gestão da Mudança. Tópicos. Evolução das Organizações. As organizações COM FUTURO Network. As 5 Disciplinas (Peter M. Tópicos A evolução das organizações A Learning Organization as 5 disciplinas Mudança organizacional Reengenharia dos Processos de Negócio e Sistemas de Informação José Cruz Filipe JCFilipe 1 JCFilipe 2

Leia mais

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE

CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE CICLO DE PALESTRAS GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA: ASPECTOS ESTRATÉGICOS E OPERACIONAIS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE Objetivo: Apresentar aos participantes os principais pontos a serem considerados no planejamento

Leia mais

JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo )

JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo ) JPMorgan Investment Funds Global Healthtech Fund (o Sub-Fundo ) prospecto simplificado agosto de 2006 Sub-Fundo do JPMorgan Investment Funds (o Fundo ), SICAV constituída nos termos da lei do Grão-Ducado

Leia mais

SÍNTESE DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO

SÍNTESE DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 10.7.2007 SEC(2007) 870 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO Documento apenso à Proposta de DIRECTIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO aos seguros

Leia mais

Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website.

Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website. marketing e comunicação SITE E IMAGEM INSTITUCIONAL Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website. Entender o enquadramento

Leia mais

Uma das novidades do Plano de Formação para 2014 relaciona-se com a parceria estabelecida entre a Inesting e o DMI Digital Marketing Institute.

Uma das novidades do Plano de Formação para 2014 relaciona-se com a parceria estabelecida entre a Inesting e o DMI Digital Marketing Institute. Apresentação Uma das novidades do Plano de Formação para 2014 relaciona-se com a parceria estabelecida entre a Inesting e o DMI Digital Marketing Institute. O DMI é uma organização baseada na Irlanda,

Leia mais

A Avaliação do Desenvolvimento Socioeconómico, MANUAL TÉCNICO II: Métodos e Técnicas A Recolha de Dados: Avaliação de Prioridades

A Avaliação do Desenvolvimento Socioeconómico, MANUAL TÉCNICO II: Métodos e Técnicas A Recolha de Dados: Avaliação de Prioridades A Recolha de Dados Inquéritos Sociais Inquéritos aos Beneficiários Entrevistas individuais (parceiros e partes interessadas) Avaliação de prioridades Focus Groups (Grupos de discussão) Estudos de caso

Leia mais

Espírito Santo Private Banking aumenta eficiência na gestão de clientes com Dynamics CRM

Espírito Santo Private Banking aumenta eficiência na gestão de clientes com Dynamics CRM Microsoft Dynamics CRM Customer Solution Case Study Espírito Santo Private Banking Espírito Santo Private Banking aumenta eficiência na gestão de clientes com Dynamics CRM Sumário País Portugal Sector

Leia mais

Sumário Executivo. NOTA: este texto não foi redigido ao abrigo no novo acordo ortográfico. organização nãogovernamental

Sumário Executivo. NOTA: este texto não foi redigido ao abrigo no novo acordo ortográfico. organização nãogovernamental SUMÁRIO EXECUTIVO Optimização das políticas públicas de apoio ao empreendedorismo e inclusão social: estudando o acesso dos microempreendedores às medidas de promoção do auto-emprego 2 Sumário Executivo

Leia mais

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio João Pequito Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio Qualquer instituição tem hoje

Leia mais

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 9: 3/3/2) ( 每 一 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please fill

Leia mais

Preço Madeira de Pinus Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (4 Tri/2013)

Preço Madeira de Pinus Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (4 Tri/2013) Preço Madeira de Pinus Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (4 Tri/13) Curitiba Janeiro, 14 CONTEÚDO 1. Introdução 3 2. Metodologia 4 3. Base Amostral 5 4. Estado do Paraná 6 4.1. Pólo de Telêmaco

Leia mais

Opções de financiamento existentes no mercado para estruturação de projetos. 18 de agosto de 2006. Luzia Hirata. Sustainability Solutions.

Opções de financiamento existentes no mercado para estruturação de projetos. 18 de agosto de 2006. Luzia Hirata. Sustainability Solutions. Opções de financiamento existentes no mercado para estruturação de projetos 18 de agosto de 2006 Luzia Hirata Sustainability Solutions P w C Network Global PwC Cerca de 400 profissionais na área de Sustentabilidade

Leia mais

Return on Investment for Usability

Return on Investment for Usability 150 113 75 2001 2003 38 2005 0 2007 Return on Investment for Usability Interacção Homem-Computador, Prof. Pedro Faria Lopes Ricardo Carvalho a24668@iscte.pt ISCTE, Abril 2007 1 1 Quoting It is foolish

Leia mais

A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza

A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza A Energia em Portugal Perspectiva de quem a utiliza 2 Introdução A Associação Portuguesa da Energia (APE) publica a terceira edição de A Energia em Portugal - perspectiva de quem a utiliza, estudo que

Leia mais

Agenda. 1. Situação 2. Desafios 3. Benefícios 4. Contatos. Page 2

Agenda. 1. Situação 2. Desafios 3. Benefícios 4. Contatos. Page 2 Resolução 3.721 do BaCen Uma avaliação criteriosa de sua implementação CEB FGV Centro de Excelência Bancária Agenda 1. Situação 2. Desafios 3. Benefícios 4. Contatos Page 2 1 Situação Page 3 A recente

Leia mais

Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Portuguê

Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Portuguê Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos [Português] [Capa comum] Download: Análise de Falhas em Equipamentos de Processo. Mecanismos de Danos e Casos Práticos

Leia mais

ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO

ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO >> Voltar ao índice ANEXO II - MODELOS DE DIVULGAÇÕES RESPEITANTES A PLANOS DE BENEFÍCIO DEFINIDO O presente Anexo apresenta um conjunto de modelos que as instituições devem considerar no âmbito das divulgações

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Dossiê de Preços de Transferência

Dossiê de Preços de Transferência Dossiê de Preços de Transferência Fiscalidade 2011 3 Índice Pág. 1. Preços de Transferência 03 1.1 Conceito 03 1.2 O que são Preços de Transferência 03 1.3 Porquê os Preços de Transferência? 03 1.4 Entidades

Leia mais

Gestão Capítulo 3: Planeamento:

Gestão Capítulo 3: Planeamento: Gestão Capítulo 3: Planeamento: Tipos de Plano: Planos Estratégicos conjunto coerente de acções através das quais uma Organização procura alcançar as metas estratégicas (strategic goals). Longo prazo.

Leia mais

DOCUMENTOS DE GESTÃO FINANCEIRA Realizado por GESTLUZ - Consultores de Gestão

DOCUMENTOS DE GESTÃO FINANCEIRA Realizado por GESTLUZ - Consultores de Gestão DOCUMENTOS DE GESTÃO FINANCEIRA Realizado por GESTLUZ - Consultores de Gestão A Análise das Demonstrações Financeiras Este artigo pretende apoiar o jovem empreendedor, informando-o de como utilizar os

Leia mais

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014

Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014 Demonstração de Desempenho do Tokyo-Mitsubishi UFJ Leader FI Referenciado DI CNPJ: Nº 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 2014 1. Denominação completa do fundo conforme o cadastro na CVM: Tokyo-Mitsubishi

Leia mais

www.pwcacademy.pt Soluções de Outsourcing na gestão da formação PwC Academy

www.pwcacademy.pt Soluções de Outsourcing na gestão da formação PwC Academy www.pwcacademy.pt Soluções de Outsourcing na gestão da formação PwC Academy Novembro 2010 Antecipar o futuro 1. Desafios 2. Porquê o Outsourcing na gestão da formação? 3. A nossa metodologia 4. Porquê

Leia mais

Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft

Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft Microsoft Exchange Server 2007 Caso de Estudo Microsoft Porto Editora Porto Editora acentua ganhos de produtividade e eficiência com investimento em tecnologia Microsoft Sumário País Portugal Sector Cultura

Leia mais

Desempenho Hospitalar no Brasil

Desempenho Hospitalar no Brasil Desempenho Hospitalar no Brasil Em Busca da Excelência Gerard M. La Forgia Bernard F. Couttolenc Editora Singular 2008 The International Bank for Reconstruction and Development / The World Bank 1818 H

Leia mais

ErP@Junkers: Diretrizes para etiquetagem e documentação

ErP@Junkers: Diretrizes para etiquetagem e documentação 1 Glossário Fornecedor = fabricante ou o seu representante autorizado na União Europeia ou o importador que coloca os produtos no mercado da União Europeia. Na sua ausência, qualquer entidade legal que

Leia mais

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 17:, 23/3/2) ( 每 一 項 目 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please

Leia mais

Gestão do Risco Operacional

Gestão do Risco Operacional www.pwc.pt/academia Gestão do Risco Operacional 2ª Edição Lisboa, 13 e 14 de março de 2013 Academia da PwC Considerando que existe um conjunto de factores na questão da gestão de risco operacional, é importante

Leia mais

Eficiência e qualidade: mitos e contradições

Eficiência e qualidade: mitos e contradições 1 Eficiência e qualidade: mitos e contradições Colóquio-debate Eficiência e Justiça em Cuidados de Saúde Academia das Ciências, Lisboa, 25 de Maio de 1999 Pedro Pita Barros * 1. Introdução O tema de discussão

Leia mais

Spirit Sampler Guia Rápido de Operação Manual Doc Number SpiritSampler-02-201406 - Tradução

Spirit Sampler Guia Rápido de Operação Manual Doc Number SpiritSampler-02-201406 - Tradução Spirit Sampler Guia Rápido de Operação Manual Doc Number SpiritSampler-02-201406 - Tradução Offices: Ocean Optics, Inc. World Headquarters 830 Douglas Ave., Dunedin, FL, USA 34698 Phone 727.733.2447 Fax

Leia mais

Contabilidade e Gestão Financeira

Contabilidade e Gestão Financeira Contabilidade e Gestão Financeira A Função Financeira MESG - Mestrado Engenharia de Serviços e Gestão FEUP 2010 Rui Padrão A Função (Financeira) Gestão Financeira: Decisões Financeiras Estruturais: 1.

Leia mais

Thor VM3. Guia rápido de introdução. Computador veicular. VM3-PTBR-QS Rev A 1/16

Thor VM3. Guia rápido de introdução. Computador veicular. VM3-PTBR-QS Rev A 1/16 Thor VM3 Computador veicular Guia rápido de introdução VM3-PTBR-QS Rev A 1/16 Componentes - Vista frontal P1 P8 P2 P9 P3 P10 P4 P11 P5 P12 P6 P13 P7 P14 LEDs do sistema Botão de Liga/Desliga LEDs de conexão

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação:

Leia mais