Revisão de Literatura Aula 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Revisão de Literatura Aula 1"

Transcrição

1 Revisão de Literatura Aula 1

2 Literatura Portuguesa século XVI

3 Século XVI - Portugal *Gil Vicente Teatro popular (para a Corte...) Transição da Idade Média para a Renascença (Humanismo) Sátira contrabalançada por elevados valores cristãos., Auto da Índia (crítica contemporânea) Auto da Barca do Inferno (juízo final) Farsa de Inês Pereira ( mais quero asno que me leve, que cavalo que me derrube.)

4 *Camões Lírico Medida velha Redondilha (versos de 5 ou 7 sílabas métricas). Medida Nova (10 sílabas) Sonetos (Amor é fogo; Alma minha gentil; Sete anos de pastor...). Desconcerto do Mundo desarmonia, desencanto... Maneirismo crise do Renascimento (transição para o Barroco). Platonismo busca do Ideal. Temática bíblica. Movimentos narrativos conta pequenas histórias. Apolo e as Musas

5 Os Lusíadas Luís de Camões

6 Os Lusíadas quanto à forma: 1. Poema dividido em 10 cantos 2. Medida nova (versos decassílabos) As / ar / mas / e os / ba / rões / as / si / na / la / dos Estrofe: Oitava Rima última sílaba tônica As armas e os barões assinalados, A Que da ocidental praia Lusitana, B Por mares nunca de antes navegados, A Passaram ainda além da Taprobana, B Em perigos e guerras esforçados, A Mais do que prometia a força humana, B E entre gente remota edificaram C Novo Reino, que tanto sublimaram; C

7 Canto I Partes da Epopéia Proposição (1-3): Temas Invocação (4-5): Tágides (ninfas do Tejo) Dedicatória (6-18): Rei D. Sebastião Narração (19 final do Canto X) Epílogo (fechamento do Canto X)

8 Canto I Narração (19...): in medias res ( no meio da coisa ) Concílio dos Deuses (20-41): Júpiter elogio aos portugueses Baco medo de ser superado pelos lusos Vênus simpatia e desejo de homenagem Marte amor por Vênus e crítica a Baco

9 Canto III Episódio da Morte de Inês de Castro Ano de 1355 Rei D. Afonso IV D. Pedro D. Constança (de Castela) Inês de Castro (companhia) Com a morte de D. Constança, nobres da corte de D. Afonso tramam o assassinato de Inês em virtude de possíveis implicações políticas. Anos depois, ao assumir o trono, D. Pedro I persegue os algozes de Inês e depois a proclama rainha de Portugal: Aconteceu da mísera e mesquinha Que depois de ser morta foi rainha.

10 Canto IV O Velho do Restelo: voz discordante Mas um velho d'aspeito venerando, Que ficava nas praias, entre a gente, Postos em nós os olhos, meneando Três vezes a cabeça, descontente, A voz pesada um pouco alevantando, Que nós no mar ouvimos claramente, C'um saber só de experiências feito, Tais palavras tirou do experto peito:

11 Canto V O Gigante Adamastor Cabo das Tormentas (épico) Amante infeliz (lírico) Tétis

12 Canto IX Início do regresso. Vênus prepara um prêmio para os heróis navegadores: na Ilha dos Amores, Vasco da Gama une-se à bela ninfa Tétis e seus marinheiros às Nereidas (divindades do mar). Assim lho aconselhara a mestra experta: Que andassem pelos campos espalhadas; Que, vista dos barões a presa incerta, Se fizessem primeiro desejadas. Algumas, que na forma descoberta Do belo corpo estavam confiadas, Posta a artificiosa formosura, Nuas lavar se deixam na água pura.

13 Canto X Ainda na Ilha dos Amores, Tétis oferece aos portugueses um banquete, e mostra a Vasco da Gama uma miniatura do Universo, a Máquina do Mundo, destacando futuras glórias portuguesas. Vês aqui a grande máquina do Mundo, Etérea e elemental, que fabricada Assim foi do Saber, alto e profundo, Que é sem princípio e meta limitada. Quem cerca em derredor este rotundo Globo e sua superfície tão limada, É Deus: mas o que é Deus, ninguém o entende, Que a tanto o engenho humano não se estende.

14 *Brasil Século XVI (Pau-brasil) Literatura Informativa ou dos Viajantes Destaque: Carta de Caminha Literatura Jesuítica ou de Catequese Destaque: poesia e teatro de Anchieta

15 Barroco Século XVII - Bahia Usina de Açúcar Franz Post

16 Gregório de Matos Guerra ( ) Eu sou aquele que os passados anos Cantei na minha lira maldizente Torpezas do Brasil, vícios e enganos. Lírico-amoroso Lírico-religioso Dilemas barrocos Satírico crítica à sociedade da Bahia

17 Características gerais de Gregório de Matos Lírico-amoroso: estabelece um jogo oposições, apela para os sentidos, explora imagens fugidias para retratar a fugacidade do amor, da vida. Lírico-religioso: a religiosidade do poeta é expressa mais por sua retórica do que pela noção sincera a respeito de pecado ou perdão. Satírico: crítica à sociedade da Bahia através de uma linguagem popular. Humor violento e corrosivo.

18 Padre Antônio Vieira ( ) Autor ligado tanto à literatura portuguesa quanto à brasileira, Vieira é considerado o maior orador sacro da nossa história, tendo escrito cerca de duzentos sermões. É também a mais alta expressão da prosa conceptista nas nossas letras. Procurou adaptar textos religiosos às realidades de que tratava.

19 Arcadismo / Neoclassicismo Minas Gerais Vila Rica Século XVIII

20 Contexto Século XVIII Iluminismo Razão como luz da História A Liberdade guiando o povo, Delacroix Progresso científico Revolução Francesa Inconfidência Mineira Ciclo do Ouro Escravos garimpando - Debret

21 Características: Retomada das características clássicas razão, objetividade, equilíbrio, harmonia, mitologia, etc. Adoção do mito da Arcádia Simplicidade Bucolismo Pastoralismo E o amor? Amor Galante ou Amor Cortês Enquanto pasta alegre o manso gado, Minha bela Marília, nos sentemos À sombra deste cedro levantado. Um pouco meditemos Na regular beleza, Que em tudo quanto vive, nos descobre A sábia natureza. (Gonzaga)

22 Observação: as outras artes em Minas no século XVIII Mesmo com o surgimento do Arcadismo na literatura, o Barroco continuou dominando a escultura de Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho) e a pintura de Manuel da Costa Ataíde (Mestre Ataíde). Na fotografia, Os Profetas, de Aleijadinho.

23 *Poesia Romântica Século XIX 1 a 3 a Oh, dor! Gonçalves Dias Nacionalismo Culto à natureza Indianismo 2 a Álvares de Azevedo Mal do Século Ultra-romantismo Escapismo Castro Alves Condoreirismo Poesia social Poesia sensual

24 *Tendências do Romance Romântico

25 AUTOR OBRA CARACTERÍSTICAS Joaquim Manuel de Macedo (Introdutor da prosa) A Moreninha Personagens: Augusto e Carolina Costumes da burguesia do RJ imperial. Sentimental e superficial. Romance Urbano: Senhora; Lucíola Problemas da burguesia do RJ imperial. José de Alencar (Mostra, num vasto painel, os costumes e os tipos característicos das principais regiões do país) Romance Histórico: Minas de Prata; A Guerra dos Mascates Romance Regionalista: O Gaúcho; O Sertanejo Romance Indianista: Iracema; O Guarani Período colonial. Formação da nacionalidade.

26 Manuel Antônio de Almeida Memórias de um Sargento de Milícias Romance picaresco; costumes populares do RJ do tempo de D. João VI. Personagens caricaturados; Leonardo Pataca, Maria da Hortaliça, Major Vidigal. Precursor do Realismo. A Escrava Isaura Pretensões abolicionistas. Bernardo Guimarães (Regionalista) O Seminarista Crítica ao celibato. Personagens: Margarida e Eugênio. Alfredo Taunay (Regionalista) Inocência Vida no interior do Mato Grosso. Tipos sertanejos. Cirino, Pereira, Manecão.

27 O Teatro Romântico de Martins Pena Considerado o fundador do teatro nacional, Martins Pena criou a comédia de costumes, em que focalizou as classes menos favorecidas através da sátira à sociedade da época (primeira metade do século XIX), por isso o autor costuma ser comparado a Manuel Antônio de Almeida (Memórias de um Sargento de Milícias). Suas personagens são figuras populares e caricatas: pequenos comerciantes, malandros, estrangeiros espertalhões, moças casadoiras e velhas solteironas vale lembrar que a mulher tem sempre um papel ativo nas peças. O enredo é superficial e repleto de peripécias, em que o final feliz se dá pelo casamento. Obra: O Juiz de Paz na Roça; Os Dois ou O Inglês Maquinista; O Noviço.

28 Um abraço e até a semana que vem!

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

(...) 3 Cessem do sábio Grego e do Troiano As navegações grandes que fizeram;

(...) 3 Cessem do sábio Grego e do Troiano As navegações grandes que fizeram; Anotação de aula LUSÍADAS Canto I - PROPOSIÇÃO 1. As armas e os barões assinalados, Que da ocidental praia Lusitana, Por mares nunca dantes navegados, Passaram ainda além da Taprobana,* Em perigos e guerras

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE

Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE Prova bimestral 4 o ANO 2 o BIMESTRE HISTÓRIA Escola: Nome: Data: / / Turma: Pedro Álvares Cabral foi o comandante da primeira expedição portuguesa que chegou ao território que mais tarde receberia o nome

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

A PROSA ROMÂNTICA BRASILEIRA

A PROSA ROMÂNTICA BRASILEIRA A PROSA ROMÂNTICA BRASILEIRA Introdução A ficção no Brasil: romances, contos e novelas aparecem na literatura brasileira no período romântico. Folhetins (romances publicados semanalmente em jornais ou

Leia mais

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1

Língua Portuguesa. 1º ano. Unidade 1 Língua Portuguesa 1º ano Unidade 1 Linguagem Linguagem, língua, fala Unidade 4 - capítulo 12 Linguagem verbal e não verbal Unidade 4 - capítulo 12 e 13 Signo linguístico Unidade 4 - capítulo 12 Denotação

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LITERATURA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LITERATURA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LITERATURA Nome: Nº 1 a. Série Data: / /2015 Professores: Fernando, Roberto Nota: (valor: 1,0) Introdução Caro aluno. 3º bimestre Neste semestre, você obteve média inferior a

Leia mais

PROVA DE LITERATURA 2 o BIMESTRE DE 2012 PROF. BANDINI

PROVA DE LITERATURA 2 o BIMESTRE DE 2012 PROF. BANDINI PROVA DE LITERATURA 2 o BIMESTRE DE 2012 PROF. BANDINI Boa Prova NOME N o 1 a SÉRIE A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta

Leia mais

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA

ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA MARIA PEREIRA SARMENTO-PANTOJA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CASTANHAL FACULDADE DE LETRAS CURSO LETRAS- HABILITAÇÃO PORTUGUÊS PLANO DE CURSO ATIVIDADE CURRICULAR: LITERATURA BRASILEIRA MODERNA PROFESSOR: TÂNIA

Leia mais

Memórias de um Brasil holandês. 1. Responda: a) Qual é o período da história do Brasil retratado nesta canção?

Memórias de um Brasil holandês. 1. Responda: a) Qual é o período da história do Brasil retratado nesta canção? Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3 o Bimestre 4 o ano história Data: / / Nível: Escola: Nome: Memórias de um Brasil holandês Nessa terra

Leia mais

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário Habilidades: Conhecer o trabalho missionário jesuítico na figura de seu principal mentor: Padre José de Anchieta Revisão 1º Período

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 1º ano FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS ROMANTISMO O Romantismo foi uma estética artística surgida no início do século XVIII, que provocou uma verdadeira revolução na produção literária da época. Retratando a força dos sentimentos, ela propôs

Leia mais

Idade Média. Barroco RENASCIMENTO. Prof. Vinicius Rodrigues

Idade Média. Barroco RENASCIMENTO. Prof. Vinicius Rodrigues Idade Média, RENASCIMENTO Barroco e Prof. Vinicius Rodrigues LITERATURA MEDIEVAL Alta Idade Média TROVADORISMO (Século XI-XIV) Novelas de Cavalaria (PROSA) - O herói-cavaleiro carrega os ideias da Igreja

Leia mais

Período Joanino 1808-1821

Período Joanino 1808-1821 Período Joanino 1808-1821 Bloqueio Continental - 1806 Tratado de Fontainebleau - 1807 Guerras Napoleônicas Fatores Motivadores Invasão das tropas Napoleônicas - Espanha Invasão das tropas Napoleônicas

Leia mais

MINERAÇÃO NO BRASIL A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE

MINERAÇÃO NO BRASIL A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE A DESCOBERTA E EXPLORAÇÃO DO OURO E DO DIAMANTE O início da mineração no Brasil; Mudanças sociais e econômicas; Atuação da Coroa portuguesa na região mineira; Revoltas ocorridas pela exploração aurífera;

Leia mais

6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º. Valor: 80

6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º. Valor: 80 6ª 10 4/out/11 HISTÓRIA 4º Valor: 80 1. A invasão holandesa no Nordeste brasileiro, ao longo do século XVII, está relacionada com a exploração de um produto trazido para o Brasil pelos portugueses. Que

Leia mais

Conteúdo: Navegadores e comerciantes Sociedade e costumes APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Navegadores e comerciantes Sociedade e costumes APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES A Conteúdo: Navegadores e comerciantes Sociedade e costumes A Habilidades: Compreender a organização política e administrativa da sociedade fenícia Identificar alguns elementos próprios da cultura fenícia

Leia mais

Resumo de Os Lusíadas

Resumo de Os Lusíadas Biografia Luís de Camões Resumo de Os Lusíadas A biografia de Camões permanece repleta de incertezas. Tudo parece indicar que nasceu em Lisboa, por volta de 1525, mas muito jovem partiu para Coimbra, onde

Leia mais

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite

Emília Amaral. Ricardo Silva Leite coleção Nov s P l vr s N O V A E D I Ç Ã O Nov s P l vr s Nov e ıç o 2 Ricardo Silva Leite Emília Amaral Mestre em Teoria Literária e doutora em Educação pela Unicamp, professora do Ensino Médio e Superior

Leia mais

Português 3 Módulo 5 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA O ROMANTISMO NO BRASIL

Português 3 Módulo 5 COMENTÁRIOS ATIVIDADES PROPOSTAS COMENTÁRIOS ATIVIDADES PARA SALA O ROMANTISMO NO BRASIL Português 3 Módulo 5 O ROMANTISMO NO BRASIL 1. a) O poeta defende o menosprezo pelas regras de metrificação enquanto mera convenção. O poeta a- firma usar todas as metrificações, baseado apenas em sua

Leia mais

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo

Mineração e a Crise do Sistema Colonial. Prof. Osvaldo Mineração e a Crise do Sistema Colonial Prof. Osvaldo Mineração No final do século XVII, os bandeirantes encontraram ouro na região de Minas Gerais Grande parte do ouro extraído era de aluvião, ou seja,

Leia mais

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL

REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL AULA 13 LITERATURA PROFª Edna Prado REALISMO NATURALISMO EM PORTUGAL Na aula de hoje falaremos sobre o Realismo português. Mas para começarmos é importante que você saiba o que é realismo. Veja: REAL+ISMO

Leia mais

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam.

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. Convite Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: quanto mais se brinca com elas mais novas ficam.

Leia mais

E alegre se fez triste

E alegre se fez triste Manuel Alegre Manuel Alegre nasceu em 1936 e estudou na Faculdade de Direito de Coimbra, onde participou activamente nas lutas académicas. Cumpriu o serviço militar na guerra colonial em Angola. Nessa

Leia mais

CURRÍCULOS 2015/2016

CURRÍCULOS 2015/2016 CURRÍCULOS 2015/2016 Ensino Regular Departamento: Línguas Disciplina: Português Ano de Escolaridade: 10º ano 1.º Período Aulas Previstas: +/- 54 Conteúdos Programáticos: Unidade 0 Diagnóstico e Projeto

Leia mais

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor.

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. O Poeta canta o amor platónico, a saudade, o destino e a beleza

Leia mais

BARROCO O que foi? O barroco foi uma manifestação que caracterizava-se pelo movimento, dramatismo e exagero. Uma época de conflitos espirituais e religiosos, o estilo barroco traduz a tentativa angustiante

Leia mais

Os Lusíadas Luís Vaz de Camões /1580

Os Lusíadas Luís Vaz de Camões /1580 Os Lusíadas 1572 Luís Vaz de Camões +- 1524/1580 Influências Grandes navegações: período dos descobrimentos (séc. XV ao XVII): financiadas pela Igreja Católica, que buscava domínio em terras distantes

Leia mais

Brasil - Colônia e Império 1500-1889

Brasil - Colônia e Império 1500-1889 Brasil - Colônia e Império 1500-1889 Texto adaptado do livro "História do Brazil", de Rocha Pombo, publicado em 1919 pela Editora "Weiszflog Irmãos" Atualização e adaptação: Paulo Victorino José Francisco

Leia mais

A DOMINAÇÃO JESUÍTICA E O INÍCIO DA LITERATURA NACIONAL

A DOMINAÇÃO JESUÍTICA E O INÍCIO DA LITERATURA NACIONAL A DOMINAÇÃO JESUÍTICA E O INÍCIO DA LITERATURA NACIONAL Ederson da Paixão (Especialista em Educação Especial: Atendimento às Necessidades Especiais Integrante do Projeto de Pesquisa Os Primeiros Dramas

Leia mais

meu jeito de dizer que te amo

meu jeito de dizer que te amo Anderson Cavalcante meu jeito de dizer que te amo Dedicatória A Tabata, minha esposa, mulher, amante e melhor amiga, que com muito charme, carinho e um pouco de paciência compartilha comigo as descobertas

Leia mais

Festa da Avé Maria 31 de Maio de 2009

Festa da Avé Maria   31 de Maio de 2009 Festa da Avé Maria 31 de Maio de 2009 Cântico Inicial Eu era pequeno, nem me lembro Só lembro que à noite, ao pé da cama Juntava as mãozinhas e rezava apressado Mas rezava como alguém que ama Nas Ave -

Leia mais

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA PERSONAGENS: CLEMÊNCIA (a viúva de Alberto, mãe de Mariquinha e Júlia) MARIQUINHA (a filha que ama Felício, mas tem dois outros pretendentes interessados em seu dote) JÚLIA (a irmã de Mariquinha de 10

Leia mais

Externato Arco-Íris. As salas de aula vestidas de flores. 1.º Ano. 2.º Ano. 3.º Ano. 4.º Ano

Externato Arco-Íris. As salas de aula vestidas de flores. 1.º Ano. 2.º Ano. 3.º Ano. 4.º Ano Externato Arco-Íris a/verão015 r e v a m i r p s n age m i e junho de 2 e io d a m o l, ã ri ç b a e l Co As salas de aula vestidas de flores 1.º Ano 2.º Ano 3.º Ano 4.º Ano Inspiração: obra O Livro da

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 1. ENTRADA (Deixa a luz do céu entrar) Tu anseias, eu bem sei, por salvação,

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 13 Em relação à produção literária do Modernismo brasileiro, mais especificamente à de Mário e Oswald de Andrade, assinale a alternativa correta. a) A ficção de Mário de Andrade aborda

Leia mais

PROFESSOR: Daniel. ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15

PROFESSOR: Daniel. ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15 GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 2 ano ALUNO (a): Data da prova: 09/05/15 No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2 BIMESTRE O Barroco - a arte que predominou

Leia mais

JOSÉ DE ALENCAR: ENTRE O CAMPO E A CIDADE

JOSÉ DE ALENCAR: ENTRE O CAMPO E A CIDADE JOSÉ DE ALENCAR: ENTRE O CAMPO E A CIDADE Thayanne Oliveira Rosa LUCENA¹, Dr. Gustavo Abílio Galeno ARNT² 1. Bolsista PIBIC/IFB - Instituto Federal de Brasília- Campus: São Sebastião- DF thayanne.001@gmail.com

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

Arte e História: O museu Afro Brasil e o papel da Curadoria na construção da narrativa museal

Arte e História: O museu Afro Brasil e o papel da Curadoria na construção da narrativa museal Arte e História: O museu Afro Brasil e o papel da Curadoria na construção da narrativa museal Isla Andrade Pereira de Matos 1 Introduça o O Museu Afro Brasil foi criado no ano de 2004 através da iniciativa

Leia mais

Fascículo 2 História Unidade 4 Sociedades indígenas e sociedades africanas

Fascículo 2 História Unidade 4 Sociedades indígenas e sociedades africanas Atividade extra Fascículo 2 História Unidade 4 Sociedades indígenas e sociedades africanas Questão 1 O canto das três raças, de Clara Nunes Ninguém ouviu Um soluçar de dor No canto do Brasil Um lamento

Leia mais

História do Brasil Colônia. Profª Maria Auxiliadora

História do Brasil Colônia. Profª Maria Auxiliadora História do Brasil Colônia Profª Maria Auxiliadora O PERÍODO PRÉ-COLONIAL (1500 1530) Pau-Brasil Extrativismo Vegetal Fabricação de tintura para tecidos. Exploração nômade e predatória. Escambo com índios.

Leia mais

SIMULADO 1ªS SÉRIES PORTUGUÊS - TODOS COLÉGIOS

SIMULADO 1ªS SÉRIES PORTUGUÊS - TODOS COLÉGIOS SIMULADO 1ªS SÉRIES PORTUGUÊS - TODOS COLÉGIOS 1. Assinale a alternativa em que aparece uma característica Imprópria do Arcadismo. a) Bucolismo d) Tranqüilidade no relacionamento amoroso b) Presença de

Leia mais

1. A TRADIÇÃO REALISTA

1. A TRADIÇÃO REALISTA 1. A TRADIÇÃO REALISTA Se você alguma vez passou os olhos por um livro chamado Raízes do Brasil (1936)*, talvez tenha lido uma passagem famosa, que refere uma característica portuguesa que Sérgio Buarque

Leia mais

A um poeta Olavo Bilac

A um poeta Olavo Bilac A um poeta Olavo Bilac Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce

Leia mais

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava O Príncipe das Histórias Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava histórias. Ele gostava de histórias de todos os tipos. Ele lia todos os livros, as revistas, os jornais, os

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt São Paulo-SP, 05 de dezembro de 2008 Presidente: A minha presença aqui

Leia mais

5º ano. Atividade de Estudo - Português

5º ano. Atividade de Estudo - Português Atividade de Estudo - Português 5º ano O texto que você vai ler abaixo pertence ao gênero crônica. As crônicas transformam um acontecimento comum, do nosso dia a dia, em uma história muito interessante.

Leia mais

Iva Joana & Magno Énio

Iva Joana & Magno Énio Casamento de: Iva Joana & Magno Énio Igreja do Socorro 22 de Maio de 2010 Entrada do Noivo Hino de Alegria Entrada da Noiva Marcha Nupcial Entrada Dizem que é preciso Dizem que é preciso aprender a viver

Leia mais

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas.

NOTA: Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto 1 Todas as cartas de amor são. Ridículas. Não seriam de amor se não fossem. Ridículas. GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: 1º ANO ALUNO (a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS - P1 3º BIMESTRE Leia com muita atenção os textos a seguir: Texto

Leia mais

Teatro O Santo e a Porca ( 1957)

Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Modernismo Teatro O Santo e a Porca ( 1957) Biografia Ariano Suassuna (1927-2014) foi um escritor brasileiro. "O Auto da Compadecida", sua obra prima, foi adaptada para a televisão e para o cinema. Sua

Leia mais

Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3.

Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3. Leia o poema abaixo de João Ruiz de Castelo-Branco, composto do século XVI, para responder às questões 1, 2 e 3. Senhora, partem tão tristes meus olhos por vós, meu bem, que nunca tão tristes vistes outros

Leia mais

Bicho de sete cabeças e outros seres fantásticos, de Eucanaã Ferraz: poesia para não ter medo do desconhecido. Ana Paula Klauck

Bicho de sete cabeças e outros seres fantásticos, de Eucanaã Ferraz: poesia para não ter medo do desconhecido. Ana Paula Klauck Publicado na revista eletrônica Tigre Albino Volume 3, Número 3. 2010. ISSN: 1982-9434 Disponível em: http://www.tigrealbino.com.br/texto.php?idtitulo=08f1c7471182e83b619f12bfa4 27e1e0&&idvolume=9a2be2ed7998330d41811b14e9f81f2d

Leia mais

BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL)

BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL) BANDEIRAS EUROPÉIAS: CORES E SÍMBOLOS (PORTUGAL) Resumo A série apresenta a formação dos Estados europeus por meio da simbologia das cores de suas bandeiras. Uniões e cisões políticas ocorridas ao longo

Leia mais

Equilíbrio Col 3: 8-4: 6

Equilíbrio Col 3: 8-4: 6 1 Equilíbrio Col 3: 8-4: 6 Introdução: Todos os seres humanos passam a vida buscando equilibrar- se entre as circunstâncias São exatamente as circunstâncias que nos tiram do eixo e nos levam a atos e hábitos

Leia mais

Literatura. Literatura

Literatura. Literatura Literatura Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer

Leia mais

FOLHA INFORMATIVA Nº38-2011. O Centro histórico de Macau Património da Humanidade

FOLHA INFORMATIVA Nº38-2011. O Centro histórico de Macau Património da Humanidade FOLHA INFORMATIVA Nº38-2011 O Centro histórico de Macau Património da Humanidade À primeira vista pode parecer que a Cultura Avieira nada tem a ver com o tema desta publicação. Porquê uma referência ao

Leia mais

3º trimestre de 2014 Literatura

3º trimestre de 2014 Literatura LEITURAS INDICADAS 3º trimestre de 2014 Literatura 1ª Leitura: TOMÁS, Antônio Gonzaga. Cartas Chilenas. Sinopse: O livro Cartas Chilenas (1788-1789), de autoria do inconfidente Tomás Antônio Gonzaga, é

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8

Livro de Nuno Afonso CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES. 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 CENTRO CULTURAL MESTRE JOSÉ RODRIGUES 8 de Agosto 15.00 horas 1 / 8 Apresentação do livro de Nuno Baptista-Afonso Nuno Baptista-Afonso nasceu em Mirandela, em 1979, mas é um Alfandeguense, pois aqui foi

Leia mais

Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo

Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo Mestrando Marcos Francisco ALVES Orientadora Dra. Maria Amélia Garcia

Leia mais

IRACEMA (Lenda do Ceará)

IRACEMA (Lenda do Ceará) IRACEMA (Lenda do Ceará) ROMANTISMO Homem burguês sensível x Mundo burguês Livro-síntese: FRANKENSTEIN criador x criatura Escapismo / Exótico IDEALIZAÇÃO Maniqueísmo Nacionalismo ROMANTISMO Europa: nacionalismo/medievalismo

Leia mais

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS

MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS MÓDULO 03 CICLOS ECONÔMICOS E REBELIÕES COLONIAIS 3.1- A AGROMANUFATURA AÇUCAREIRA O COMPLEXO AÇUCAREIRO ( XVI / XVII ) - Pré-condições favoráveis( solo, clima, mão-deobra,mercado externo ) - Participação

Leia mais

Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Ouro Preto Processo Seletivo 2013/1

Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Ouro Preto Processo Seletivo 2013/1 Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Ouro Preto Processo Seletivo 2013/1 Número de Inscrição Título do Projeto Nota Situação 1 Escritas Confessionais nos Compêndios Didáticos

Leia mais

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO PROFISSÃO DE FÉ AMBIENTAÇÃO Irmãos, celebramos hoje o Domingo de Pentecostes, dia por excelência da manifestação do Espírito Santo a toda a Igreja. O Espírito manifesta-se onde quer, como quer e a quem

Leia mais

Respostas: 02. 03. 01. 3º P34 M B 27/08/2008. Esta prova contém 10 questões.

Respostas: 02. 03. 01. 3º P34 M B 27/08/2008. Esta prova contém 10 questões. 3º P34 M B 27/08/2008 Esta prova contém 10 questões. INSTRUÇÕES: Verifique se sua prova está completa. Preencha corretamente todos os dados solicitados no cabeçalho. Resoluções e respostas somente a tinta,

Leia mais

CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012

CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 1 CONCURSO PARA LETRA DO HINO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2012 Prezado(a) compositor(a) letrista, A paz de Cristo! Brasília-DF, 19 de novembro de 2010 ML 0952 Com alegria e expectativa, estamos lançando

Leia mais

História. Programação 3. bimestre. Temas de estudo

História. Programação 3. bimestre. Temas de estudo História Olá, pessoal! Vamos conhecer, entre outros fatos, como era o trabalho escravo no Brasil? CHIQUINHA GONZAGA Programação 3. bimestre Temas de estudo O trabalho escravo na formação do Brasil - Os

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES

LITERATURA BRASILEIRA - ALGUNS ELEMENTOS INFLUENCIADORES 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA DEPARTAMENTO DE LETRAS E ARTES DLA LICENCIATURA EM LETRAS COM A LÍNGUA INGLESA LITERATURA BRASILEIRA I Professor: Manoel Anchieta Nery JOÃO BOSCO DA SILVA (prof.bosco.uefs@gmail.com)

Leia mais

"Todas as artes contribuem para a maior de todas as artes, a arte de viver." (Bertold Brecht)

Todas as artes contribuem para a maior de todas as artes, a arte de viver. (Bertold Brecht) Estagio Meu estagio também foi realizado nesta escola, acompanhei as aulas de arte ministrada pelo professor Jocymar na 8ºC vespertino. Ela cedeu duas aula para eu aplicar o meu projeto na mesmo turma.

Leia mais

História da Educação. Pedagogia. - Período colonial brasileiro. Professor Edson Fasano

História da Educação. Pedagogia. - Período colonial brasileiro. Professor Edson Fasano Pedagogia Professor Edson Fasano História da Educação O Brasil cresceu isolado do mundo, apenas convivendo com aquele pobre e retrógrado Portugal que não permitiu a criação de um sistema escolar de ensino

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca INAUGURAÇÃO DA «CASA DE CULTURA JORGE

Leia mais

FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36

FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36 FILOSOFIA DE VIDA Atos 13.36 Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua geração, adormeceu, foi sepultado com os seus antepassados e seu corpo se decompôs. Não são todos que têm o privilégio

Leia mais

História/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / /

História/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / História/15 8º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / 8ºhist301r ROTEIRO DE ESTUDO RECUPERAÇÃO 2015 8º ano do Ensino Fundamental II HISTÓRIA 1º TRIMESTRE 1. Conteúdos Objetivo 1: Africanos no Brasil (Cap.

Leia mais

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo!

HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! HOMILIA: A CARIDADE PASTORAL A SERVIÇO DO POVO DE DEUS (1 Pd 5,1-4; Sl 22; Mc 10, 41-45) Amados irmãos e irmãs na graça do Batismo! A vida e o ministério do padre é um serviço. Configurado a Jesus, que

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS 2015/2016. Conteúdos

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MARTIM DE FREITAS ESCOLA BÁSICA 2/3 MARTIM DE FREITAS 2015/2016. Conteúdos Português/ Planificação anual 9º ano, de acordo com as metas: conteúdos essenciais a trabalhar com os alunos. Domínios de Referência Conteúdos 1º Período ( 65 aulas) Compreensão do oral: texto jornalístico;

Leia mais

Sete Trombetas (Lauriete)

Sete Trombetas (Lauriete) Sete Trombetas (Lauriete) Uma mistura de sangue com fogo A terça parte deste mundo queimará Eu quero estar distante, quero estar no céu Quando o anjo a primeira trombeta tocar Um grande meteoro vai cair

Leia mais

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista?

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? Navegar era preciso, era Navegar era preciso navegar... Por quê? O que motivou o expansionismo marítimo no século

Leia mais

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO Analisar a atuação das Entradas e Bandeiras entre os séculos XVI e XVIII na expansão do território da América Portuguesa, concluindo

Leia mais

Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho

Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho 19 de novembro Hino à Bandeira Música de Francisco Braga Letra de Olavo Bilac Apresentado pela primeira vez em 15 de agosto de 1906 (Extraído do livro Bandeira

Leia mais

Zumbi dos Palmares Vida do líder negro Zumbi dos Palmares, os quilombos, resistência negra no Brasil Colonial, escravidão, cultura africana

Zumbi dos Palmares Vida do líder negro Zumbi dos Palmares, os quilombos, resistência negra no Brasil Colonial, escravidão, cultura africana DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A data foi escolhida por coincidir

Leia mais

Os Cânticos do Natal # 03 O Cântico de Zacarias Lucas 1.67-79

Os Cânticos do Natal # 03 O Cântico de Zacarias Lucas 1.67-79 Benedictus - O Cântico de Zacarias Lucas 1.67-79 67 Seu pai, Zacarias, foi cheio do Espírito Santo e profetizou: 68 Louvado seja o Senhor, o Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo. 69 Ele

Leia mais

Turma: 3º ano FG e ADM

Turma: 3º ano FG e ADM COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 3º ano FG e ADM Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO ENSINO NO BRASIL: PERÍODO COLONIAL

ORGANIZAÇÃO DO ENSINO NO BRASIL: PERÍODO COLONIAL Aula ORGANIZAÇÃO DO ENSINO NO BRASIL: PERÍODO COLONIAL META Apresentar as razões da expansão da pedagogia (ensino) jesuítica no Brasil-colônia e, posteriormente, a sua expulsão motivada pela reforma da

Leia mais

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar

A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar A Direção Municipal da Cultura dispõe de um conjunto de exposições e de apresentações multimédia, sobre diversos temas, que poderá disponibilizar através de empréstimo, a instituições, nomeadamente, de

Leia mais

A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA.

A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA. A FORMAÇÃO TERRITORIAL BRASILEIRA: UMA ABORDAGEM HISTÓRICA. A UNIÃO IBÉRICA (1580 A 1640) OS DESDOBRAMENTOS DA UNIÃO IBÉRICA Juramento de Tomar Perda de Valor da Linha de Tordesilhas Intensificação das

Leia mais

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere.

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. Revisão Específicas 1. (FUVEST) Observe esta charge: a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. b) Explique quais são os principais elementos do desenho que permitem identificar

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL CRISTO REI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua das Ameixeiras, 119 Núcleo Cristo Rei Fone/Fax: 0xx42 3624 3095 CEP 85060-160 Guarapuava Paraná grpcristorei@seed.pr.gov.br PLANO DE TRABALHO

Leia mais

Duplo sentido e ironia / Maria Irma Hadler Coudry. Caro Aluno:

Duplo sentido e ironia / Maria Irma Hadler Coudry. Caro Aluno: 1 Caro Aluno: Essa atividade pós-exibição é a quinta, de um conjunto de 7 propostas, que têm por base o primeiro episódio do programa de vídeo Viagem ao cérebro. As atividades pós-exibição são compostas

Leia mais

A gente tenta acertar, mas o que conseguimos é VERGONHA DECEPÇÃO CULPA MEDO

A gente tenta acertar, mas o que conseguimos é VERGONHA DECEPÇÃO CULPA MEDO A gente tenta acertar, mas o que conseguimos é VERGONHA DECEPÇÃO CULPA MEDO ÁGUA QUE PURIFICA Água como ilustração para purificação Pilatos lavou as mãos Os fariseus lavam as mãos O cego lavou os olhos

Leia mais

BOM DIA DIÁRIO. Guia: Em nome do Pai

BOM DIA DIÁRIO. Guia: Em nome do Pai BOM DIA DIÁRIO Segunda-feira (04.05.2015) Maria, mãe de Jesus e nossa mãe Guia: 2.º Ciclo: Padre Luís Almeida 3.º Ciclo: Padre Aníbal Afonso Mi+ Si+ Uma entre todas foi a escolhida, Do#- Sol#+ Foste tu,

Leia mais

Trabalho realizado por: Mónica Algares. Nº10 Turma: S Ano: 11º. Disciplina de: Português. Módulo 8

Trabalho realizado por: Mónica Algares. Nº10 Turma: S Ano: 11º. Disciplina de: Português. Módulo 8 Trabalho realizado por: Mónica Algares Nº10 Turma: S Ano: 11º Disciplina de: Português Módulo 8 José Joaquim Cesário Verde nasceu no dia 25 de Fevereiro de 1855 em Lisboa, na Rua da Padaria, freguesia

Leia mais

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 5 Lendo e vivendo poemas. Recomendada para EF II ou EM. Tempo previsto: 4 aulas

Apresentação. Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa. Situação 5 Lendo e vivendo poemas. Recomendada para EF II ou EM. Tempo previsto: 4 aulas Práticas Pedagógicas Língua Portuguesa Situação 5 Lendo e vivendo poemas Recomendada para EF II ou EM Tempo previsto: 4 aulas Elaboração: Equipe Técnica da CENP Apresentação Ler é um ato de recriação praticado

Leia mais

3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão

3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão 3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão ACADEMIA DE PLATÃO. Rafael, 1510 afresco, Vaticano. I-Revisão brevíssima

Leia mais

Gabarito 7º Simulado Humanas

Gabarito 7º Simulado Humanas GEOGRAFIA QUESTÃO 01 a) Alguns fatores físico-naturais são: relevo, área de encosta de forte declividade; clima, elevada precipitação pluviométrica e infiltrações em áreas desflorestadas, levando a deslizamentos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: Professor Mário Antonio Verza Código: 164 Município: Palmital Área de conhecimento: Linguagens e códigos Componente Curricular: Língua Portuguesa

Leia mais

Língua Portuguesa 10º ano. Planificação anual e trimestral

Língua Portuguesa 10º ano. Planificação anual e trimestral Língua Portuguesa 10º ano Planificação anual e trimestral Ano lectivo: 2010 / 2011 As competências e objectivos que a seguir se indicam foram escolhidos e extraídos do Programa, no âmbito da Leitura, da

Leia mais