ANOS ao serviço da mediação de seguros. Jornal dos Seguros n.º 612/Ano XII Edição de 15/04/2013 Página

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1976 2013 37 ANOS ao serviço da mediação de seguros. Jornal dos Seguros n.º 612/Ano XII Edição de 15/04/2013 Página"

Transcrição

1 SEGURADORAS TRANQUILAS QUANTO À EVOLUÇÃO DO RISCO DO PAÍS O chumbo do Tribunal Constitucional de algumas medidas de austeridade do Orçamento do Estado de 2013 poderá provocar algum aumento do risco de Portugal, mas não para níveis preocupantes, disse o presidente da Associação Portuguesa de Seguradores (APS), que têm nove mil milhões em dívida soberana lusa. Pedro Seixas Vale adiantou, em entrevista à Reuters, que a "reação interna e internacional a esse e outros fatores vai depender da atuação das autoridades europeias", frisando que "as variáveis são muitas". "Podem existir fatores que possam causar o aumento do risco da dívida portuguesa, mas não é uma situação preocupante, do nosso ponto de vista", salientou o presidente da APS. Diário Económico 12/04/2013 DISPARAM FRAUDES COM SEGUROS Três homens, armados e encapuzados, assaltaram um restaurante de Vila do Conde de onde fugiram com dinheiro e equipamentos. O caso foi investigado pela Policia Judiciária que esta semana deteve os autores da façanha. Em vez de um assalto tratou-se de uma fraude para enganar uma companhia de seguros e receber os valores da indemnização. O expediente não é novo mas aumenta em tempo de crise. A investigação da Judiciária permitiu apurar que o roubo com arma de fogo e sequestro, denunciado a 18 de Fevereiro, foi apenas a "simulação de crime como forma de defraudar ilicitamente uma companhia de seguros" anunciou aquela polícia em comunicado. Os inspetores conseguiram mesmo apreender os bens e valores dados como roubados, que estavam guardados na residência do empresário, e os proprietários do restaurante acabaram constituídos arguidos, indiciados da prática dos crimes de burla a seguros e de simulação de crime. Nas residências das alegadas vítimas do crime violento foram apreendidos os bens e valores que deram como roubados, quer às autoridades policiais quer à seguradora para efeito de pedido de indemnização. Um fenómeno que não é novo e que dispara em tempos de crise. O expediente levou mesmo a PSP e a GNR a alterarem os procedimentos quando são apresentadas queixas de roubos. Agora as polícias deixaram de entregar os documentos das queixas e isto porque, explica fonte da PSP, "há pessoas que quando lhes assaltam a casa, exageram nos bens furtados. E como as autoridades "não podem confirmar a veracidade das declarações os fatos são participados ao Ministério Público. Um procedimento que, explica o comissário, "impede que os queixosos recebam imediatamente o valor dos bens furtados das seguradoras" E isto porque, "a emissão de uma certidão da queixa apresentada permite obter o ressarcimento junto das seguradoras. Mas o caso de Vila do Conde não é único. Esta semana o Tribunal de Albergaria-a-Velha iniciou o julgamento de um engenheiro eletrotécnico que entregava orçamentos para reparações de equipamentos destruídos pelas trovoadas. O engenheiro, que terá obtido quase cem mil euros com o esquema, entregava os orçamentos e as seguradoras pagavam os danos. Em tribunal o engenheiro contou que "as seguradoras nunca verificavam as avarias". Já este ano a PJ deteve um gangue que encenava acidentes rodoviários para receber os valores dos estragos pagos pelas seguradoras. O esquema, liderado por um bate-chapas, foi descoberto pela GNR de Guimarães que constituiu arguidas 43 pessoas. Seria o chapeiro que convencia os donos dos veículos a alinharem no esquema, a troco de montantes entre os 1500 e os 3500 euros. Uma fraude que terá contribuído para que entre 2007 e 2011 as fraudes nos seguros automóveis tenham duplicado. Os dados são da Companhia de Seguros Liberty e mostram que naqueles anos os casos de fraude registaram um aumento de 112% em todos os sinistros automóveis. A crise económica é a principal razão apontada para este forte crescimento das práticas fraudulentas nos seguros e é extensível a todas as apólices. Como os seguros de viagem, que incluem acidentes pessoais e perda ou furto de bagagem. As seguradoras registaram um aumento de 80% no número de queixas sobre malas extraviadas. As investigações revelaram que cerca de 80% das reclamações são fraudulentas e o caso foi encaminhado para as autoridades que estão neste momento a investigar um grupo organizado. O Crime 11/04/2013 FINANÇAS VÃO ESCLARECER BENEFÍCIOS FISCAIS NO RESGATE DE PPR Proposta de clarificação da legislação que permite resgate de PPR para pagar o crédito à habitação será entregue depois do esclarecimento das Finanças PSD, CDS e PS questionaram o Ministério das Finanças em relação ao regime dos benefícios fiscais, em caso de resgate de PPR para o pagamento do crédito à habitação. Os deputados pretendem saber se, mesmo nos casos em que o produto tenha sido constituído há menos de cinco anos, os aforradores estão isentos da obrigatoriedade de devolver os benefícios fiscais. Depois de algumas queixas de que os bancos estavam a impedir o reembolso antecipado destes produtos e do apelo do Banco de Portugal para que haja uma clarificação da legislação, os deputados ouviram várias entidades. O principal objetivo é apresentar uma proposta de clarificação que responda às várias dúvidas que foram suscitadas.

2 Antes da apresentação desta proposta os deputados do PSD, CDS e PS aguardam um esclarecimento do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. "Quando o reembolso dos montantes depositados em PPR é realizado antes de decorridos cinco anos após as respetivas entregas, pretende-se o esclarecimento sobre: se o reembolso é possível antes dos cinco anos? Se haverá lugar à devolução dos respetivos benefícios fiscais, por parte dos depositantes, relativamente às entregas realizadas há menos de cinco anos?", refere o documento a que o Negócios teve acesso. Os deputados dos três partidos pretendem ainda que seja esclarecido o "tratamento diferenciado das várias situações de reembolso" antecipado de PPR previstas na lei. Uma terceira questão pretende clarificar se, do ponto de vista fiscal, existem ou não, em matéria de reembolso, diferenças entre PPR Plano de Poupança Educação (PPE) e Plano de Poupança Reforma e Educação (PPR/E). Nos últimos meses, os deputados manifestaram já as suas posições quanto aos aspetos que consideram essenciais para o esclarecimento desta legislação e há pontos em que revelam consenso. Por um lado, os reembolsos não podem gerar alterações de "spreads", isto porque é frequente que os consumidores subscrevam produtos de poupança para baixar a margem cobrada pelo banco no crédito. Além disso, a proposta de clarificação deverá também esclarecer que esta legislação abrange todos os créditos à habitação, incluindo os empréstimos para a construção. Jornal de Negócios 08/04/2013 Regulação PRODUTOS MAIS COMPLEXOS FORA DO BALCÃO DE BANCOS E SEGURADORAS Venda de produtos complexos deixará de dar bónus no salário segundo o protocolo que está a ser negociado entre a CMVM, a banca e os seguros A CMVM e a Associação Portuguesa de Bancos estão na fase final de negociação de um protocolo que proibirá a venda ao balcão de produtos financeiros de excessiva complexidade. O regulador está a preparar um acordo semelhante com a Associação Portuguesa de Seguradores. O anúncio foi feito na quarta-feira pelo presidente da CMVM no Parlamento. "Estamos a negociar um protocolo com a Associação Portuguesa de Bancos para que a banca se abstenha de vender aos investidores de retalho produtos financeiros excessivamente complexos", disse Carlos Tavares durante a audição anual na Comissão de Orçamento e Finanças. Os critérios que determinarão esta classificação não foram divulgados. Este tipo de produto deixa assim de poder ser comercializado pela rede de balcões dos bancos aos pequenos investidores, ficando limitados aos investidores institucionais. Segundo a CMVM, a comercialização deste tipo de solução de investimento junto dos investidores de retalho tem vindo a crescer nos últimos anos. O protocolo, que está na fase final de negociação, impede também que possa existir uma indexação do salário dos gestores de conta dos bancos ao volume de produtos financeiros complexos vendidos. Por último, prevê que os intermediários financeiros garantam formação adequada de quem está ao balcão para a venda destes produtos. Estas medidas chegaram a estar previstas na versão inicial do último regulamento da CMVM sobre a comercialização de produtos financeiros complexos, que entrou em vigor em Janeiro. As respostas recebidas pelo regulador no âmbito do processo de consulta pública levou-o a recuar na inclusão destas normas. Mas ficou o compromisso de elas serem adotadas num processo de autorregulação, a que o protocolo vem dar corpo. O regulador pretende celebrar um acordo idêntico com a Associação Portuguesa de Seguradores, mas o processo está numa fase mais inicial, segundo afirmou ao Negócios fonte oficial da CMVM. No caso da atividade seguradora, os produtos financeiros mais complexos assumem a forma de contratos de seguro "unit-linked" ou Instrumentos de Captação de Aforro Estruturados (ICAE), cuja rendibilidade está associada ao desempenho de um ou mais fundos de investimento. Neste âmbito, está também em negociação um protocolo com o Instituto Civil da Autodisciplina da Comunicação Comercial. O objetivo é regular a publicidade a produtos financeiros, nomeadamente o destaque que deve ser dado ao risco da aplicação. Outra matéria que poderá ser abrangida é a utilização abusiva de figuras públicas. Recorde-se que em Outubro a CMVM questionou o BCP sobre se José Mourinho, treinador do Real Madrid, tinha investido no aumento de capital do banco, como era afirmado na mensagem publicitária da operação. Jornal de Negócios 11/04/2013 Advogado Arrobas da Silva é um dos 45 arguidos julgados por burla e branqueamento no tribunal de Monsanto, Lisboa ANGARIADORA DE CONTAS BANCÁRIAS INCRIMINA ARROBAS Miquelina Silva, arguida do processo que senta 45 pessoas no Tribunal de Monsanto, Lisboa, por burla qualificada, associação criminosa, e branqueamento de capitais, acusou ontem o advogado Arrobas da Silva de ter fornecido cheques pessoais para adulterar um cheque de uma seguradora.

3 Suspeita de ter angariado pelo menos 29 contas bancárias, que serviam para depositar os cheques adulterados pela rede, Miquelina Silva foi confrontada em tribunal com as acusações do Ministério Público. Numa delas, relativa ao desvio de um cheque da Lusitânia Seguros, a arguida disse que o advogado Arrobas da Silva, também ele acusado, deu um dos seus cheques para forjar um cheque de valor adulterado em 420 mil euros. Correio da Manhã 12/04/2013 África FIDELIDADE LANÇA 1.º SEGURO POR TELEFONE EM ANGOLA A Fidelidade, através da sua participada Universal, acaba de lançar a primeira operação de seguro por telefone em Angola, o UNiAUTO. Esta oferta pioneira de seguro automóvel permite a cobertura da totalidade do território de "forma fácil e eficaz" para os clientes e vai ser complementada com a criação de uma rede de centros de atendimento, estando a abertura do primeiro espaço prevista para este mês de abril, em Luanda. Jorge Magalhães Correia, presidente da Fidelidade e da Universal Seguros, afirma que "A presença da Fidelidade em Angola através da Universal Seguros tem como missão participar ativamente no desenvolvimento da economia angolana através de uma oferta global de produtos de seguros, explorando os canais de distribuição tradicionais, mas também inovando, como acontece agora com o lançamento do primeiro seguro por telefone. Acreditamos que este posicionamento distintivo, que cria valor para os clientes e para o País, nos vai permitir alcançar uma posição de referência no mercado angolano, que este ano se deve materializar num crescimento da base de clientes e num reforço da nossa carteira em dois dígitos. O UNiAUTO está apenas disponível através do telefone. Para aderir, os interessados necessitam apenas de ligar um número de telefone específico ( ) e em poucos minutos podem subscrever o seguro sem ter de sair de casa ou do escritório. O lançamento do primeiro seguro telefónico automóvel em Angola vai ser acompanhado de uma campanha multimeios neste País, que envolve rádio, imprensa generalista e portais de internet, na qual são salientadas as vantagens de aderir ao seguro via telefone. A campanha conta com a participação do antigo jogador de futebol do Benfica, Pedro Mantorras. Oje 12/04/2013 SEGUROS PARA O TARECO E PARA O BOBI ESCAPAM À CRISE Companhias dizem que austeridade não fez com que os donos de cães e gatos cortassem nos seguros dos seus animais de companhia Mais de dois milhões de famílias portuguesas têm animais de companhia, segundo a GfK. "Atualmente metade dos lares em Portugal possui, pelo menos, um animal de estimação", garante a consultora com dados recolhidos em novembro de Um mercado interessante para as companhias de seguros, sobretudo depois de se ter tornado obrigatório, no caso das raças de cães consideradas perigosas, um seguro de responsabilidade civil, com um capital mínimo de 50 mil. Apesar da crise, tem aumentado o número de donos que contratam estes produtos para garantir as despesas de danos causados pelos animais, mas também as contas do veterinário. As seguradoras contatadas dizem que é um mercado com potencial de crescimento. "A crise afetou o negócio de um ponto de vista positivo", garante a Mapfre, esclarecendo que apesar deste tipo de seguro ter sido criado para "as classes alta e média alta", há cada vez mais famílias com menor poder de compra a adquirir estes produtos. Houve uma mudança de mentalidade, diz a companhia: esta solução era tida como um luxo e passou a ser entendida como mais um meio para poupar no orçamento familiar. É que, por exemplo, os gastos a indemnizar alguém ferido pelo cão ou as despesas de veterinário podem ascender com facilidade a milhares de euros. Regra geral, a vacinação dos animais não está coberta, há penalizações nos prémios para cães de raça potencialmente perigosa, o período de carência (período a partir do qual as coberturas e garantias ficam ativas) é de 90 dias e não são pagas as contas de veterinário caso a doença decorra da falta das vacinas obrigatórias. Ainda é considerado um nicho de mercado, tendo em conta que o número de seguros está muito aquém do número de animais de estimação. Com 8 mil apólices Pétis em carteira, a Ocidental (grupo BCP) refere que "as vendas têm correspondido aos objetivos. No entanto, tem ainda uma penetração pouco significativa face ao total de lares com animais domésticos". A Liberty Seguros confirma que a austeridade não está a afetar o negócio nesta área. "Os proprietários valorizam este risco e reconhecem a necessidade de manter em vigor uma apólice que lhes assegure os danos causados pelo seu animal." O Liberty Pet, cobre apenas responsabilidade civil, tem 4653 subscrições e cresceu sobretudo desde 2009 com a entrada em vigor do decreto-lei que obriga os cães perigosos a terem seguro. Já a Fidelidade, grupo CGD, que está neste ramo há vários anos, reconhece que a crise afeta todos os setores, mas não quantifica o impacto. Cães de raças potencialmente perigosas estão sujeitos a seguro obrigatório e pagam prémio mais caro

4 COBERTURAS MÍNIMAS Pétis é um seguro de assistência para cães e gatos, da Ocidental (grupo BCP) que protege em situação de doença ou acidente e integra responsabilidade civil. O pacote mais básico custa 7,90 por mês. Patas Seguras da Mapfre cobre despesas de saúde e integra responsabilidade civil no caso de cães, gatos e também cavalos. Os preços mensais começam nos 6,07. Liberty Pet para cães só cobre responsabilidade civil e para um capital de 50 mil custa a partir de 32,7 por ano. Super Dono da Lusitania só tem responsabilidade civil, e custa 54,4 por ano para um capital de 50 mil. A Fidelidade Mundial (grupo CGD) tem seguros de responsabilidade civil (mínimo 27,05 por ano) e de saúde (desde 87,20 por ano, cerca de 7,26/mês) para cães e gatos. Expresso 13/04/2013 José de Sousa Presidente & CEO da Liberty Seguros O DINHEIRO DOS OUTROS Quando li no "i" de 9 de Março o título " António José Seguro quer países mais ricos a pagar as prestações sociais dos portugueses", esfreguei os olhos de incredulidade, voltei a ler, voltei a esfregar os olhos, e, ainda assim, não acreditei que nesta altura do campeonato ainda haja líderes partidários, ainda para mais com sérias hipóteses de virem a ser governo no curto prazo, a dizer barbaridades destas. Esse título fez-me lembrar uma citação do Konrad Adenauer que eu tinha lido há uns anos atrás numa revista alemã. Escrevi para a Fundação Adenauer, que, após demorada pesquisa, simpaticamente me reenviou o artigo, publicado na revista "Focus" em Setembro de A citação está em destaque na página 2, e diz em alemão no original: Alles, was Sozialisten von Geld verstehen, ist die Tatsache, dass sie es von anderen haben wollen". Traduzida para o português, a frase do Adenauer diz o seguinte: "Tudo o que os Socialistas entendem de dinheiro é que o querem tirar dos outros"! E não pude deixar de admirar, uma vez mais, esse grande estadista alemão, pela sua visão e pela precisão com que previa os acontecimentos políticos. O maior drama em Portugal não é o estarmos há anos sob um regime de austeridade insensata e destrutiva. É não termos alternativa viável. Toda a gente está disposta a fazer sacrifícios quando sabe que está a lutar por melhorar a sua situação. Há exemplos históricos de grandes estadistas, como o Churchill, que conseguiram dar esperança a um povo quando parecia que iam ser varridos do mapa por uma potência incomparavelmente superior em termos de poderio bélico. O que os alemães não entenderam, e o Churchill sim, é que um povo com esperança é um povo indomável. Aquilo que os nossos políticos ainda não entenderam é que não podem continuar a usar a ignorância financeira do nosso povo para nos enganar uma e outra vez com promessas irrealistas e falaciosas, em primeiro lugar porque a mentira hoje em dia é de curta duração e, por outro lado, porque já ninguém está disposto a financiar a vida da cigarra. Ou seja, o nosso trem de vida, as nossas prestações sociais, somos nós, e não os outros, que teremos de financiar com a riqueza que produzirmos. Deveria haver uma garantia ou uma emenda constitucional que proibisse os políticos de mentir para ganhar votos, e que nos permitisse retirá-los do poder sem eleições, se se comprovasse, como se está a ver agora, que um determinado político chegou ao poder e começou logo a exercê-lo fazendo tudo ao contrário do que prometeu. Vida Económica 12/04/2013 VENDER O CARRO! O QUE FAZER COM O SEGURO? Crónica por Liliana Fernandes, jurista DECO - Coimbra Se, por algum motivo, decidir vender o seu automóvel e não pretender adquirir um novo, então deverá, simplesmente, anular a sua apólice de seguro. A questão coloca-se quando decidir trocar de carro. O que fazer com a apólice: mantê-la ou contratar uma nova? A lei diz que o contrato de seguro não se transmite em caso de venda do veículo, cessando os seus efeitos às 24 horas do próprio dia da venda. Isto, se não for utilizado pelo próprio tomador do seguro (pessoa ou entidade que celebra o contrato de seguro) para segurar novo veículo. Assim, o tomador terá de avisar a sua seguradora, no prazo de 24 horas a contar da data de venda e devolver, no máximo de 8 dias depois, a Carta Verde e o dístico comprovativo do seguro. Adicionalmente, há seguradoras que exigem ainda uma cópia da declaração de venda do veículo. Depois de receber estes elementos, a seguradora devolverá o montante do prémio referente ao período que falta decorrer até ao final da anuidade. Por exemplo: se tiver pago 300,00 de prémio e, aquando da venda do veículo, faltarem 6 meses par a data do vencimento, a seguradora devolverá 150,00 relativos aos 6 meses do contrato que ainda não passaram. Todavia se trocar de automóvel, pode optar por transferir o seguro já existente para o novo veiculo ou subscrever um novo contrato noutra companhia. Se chegar à conclusão de que a sua companhia pratica preços competitivos e de que está satisfeito com o serviço, peça uma transferência do seguro para o novo veículo. Quando a venda do veículo antigo e a compra do novo não ocorrerem em simultâneo, pode solicitar a suspensão dos efeitos do contrato até à substituição do veículo, com prolongamento do prazo de validade da apólice (até ao máximo de 120 dias). A companhia pode também optar por suspender a garantia

5 durante este período, mantendo a data de vencimento, e descontar o prémio correspondente ao período de suspensão na anuidade seguinte. Se a substituição do veículo não for feita em 120 dias, contados a partir da data do pedido de suspensão, o prolongamento do prazo deixa de ser possível. Neste caso, a apólice considera-se anulada desde o início da suspensão. Se concluir que é mais vantajoso contratar um novo seguro noutra companhia terá de esperar pelo final da anuidade. Envie carta registada à companhia, com um mínimo de 30 dias de antecedência informando que não pretende renovar o seguro. Em alternativa basta não pagar o prémio na data de vencimento e o seguro é automaticamente anulado. Ao contratar, não se esqueça: - O seguro automóvel é contratado por um ano e renovado, automaticamente, por períodos idênticos; - No momento da renovação, a companhia também pode alterar o prémio. Não aceite um aumento do qual não tenha sido avisado com uma antecedência mínima de 30 dias; - Se comprar um extra e tiver um seguro de danos próprios, deverá comunicar essa aquisição à companhia e pagar uma soma adicional (sobre prémio). Caso contrário, o novo extra não estará coberto pela apólice; - Se não pagar o prémio até à data indicada no aviso, o contrato é automaticamente cancelado, sem possibilidade de ser reposto em vigor. Diário de Coimbra 07/04/2013 SEGURO MULTIRRISCOS. PROTEJA A SUA CASA DOS AZARES Nem sempre os proprietários estão preparados para assumir os prejuízos Nunca se sabe quando os azares batem à porta e nem todos os proprietários têm seguros para a sua habitação no caso de serem confrontados com algumas perdas. No caso de destruição, ficam a braços com prejuízos que nem sempre conseguem suportar. Contratar um seguro multirriscos pode ser uma solução para evitar encargos excessivos, já que esta oferta cobre riscos de incêndio e outros, como tempestades, inundações, roubos ou sismos. Mas nem todos os consumidores pensam assim. De acordo com os dados do Instituto de Seguros de Portugal (ISP), em 2011 existiam apenas 3,5 milhões de apólices de seguros multirriscos. Por isso mesmo, se é proprietário da casa onde reside o melhor será contratar a cobertura conjunta de paredes e recheio para evitar desagradáveis surpresas. No caso de ser inquilino, o seguro do imóvel fica a cargo da responsabilidade do senhorio e, neste caso, deve preocuparse apenas com a proteção do recheio. A oferta é variada e os preços também. De acordo com a ronda feita pela Associação de Defesa do Consumidor (Deco), para um apartamento construído em Lisboa com valor de cem mil euros e recheio avaliado em 35 mil euros, os valores do prémio anual podem ir dos 92,09 euros, no caso de aderir ao produto do Popular Seguros Habitação até aos 346,37 euros no caso do BES Casa Top. No entanto, se aderir ao protocolo Deco/Ok! teleseguros pode encontrar valores mais baixos: 54,62 euros (OKDeco Casa Simple). Estes preços aplicam-se apenas às apólices que não contam com fenómenos sísmicos. Se optar por esta opção para o mesmo imóvel, os preços vão desde os 147,66 euros anuais (OK! teleseguros Casa Plus) até aos 300,68 euros (BES Casa Maxi). Mais uma vez, com o protocolo é possível subscrever um seguro mais baixo: 100,10 euros anuais (OK! Deco Casa Simple). Coberturas Um dos cuidados a ter diz respeito à contratação de coberturas. Há algumas que têm pouco ou nenhum interesse, admite a Deco e lembra que, por exemplo, a queda ou quebra de painéis solares de nada serve a quem não tem esses equipamentos. A entidade diz ainda que algumas coberturas têm um carácter demasiado restritivo que lhes retira parte da utilidade, por outro lado, há certas exclusões, como a existência de danos ou defeitos de construção anteriores ao sinistro. A explicação é simples: como a seguradora não faz uma vistoria prévia, se invocada esta exclusão, o cliente poderá ter problemas para provar o contrário. Além disso, o desdobramento de coberturas também é desnecessário e pode levar o consumidor a contratar uma cobertura inferior à que pretendia. Ao mesmo tempo, deve fazer uma avaliação correta dos bens para calcular o capital a contratar. Por exemplo, se indicar um valor inferior ao real, em caso de sinistro, a seguradora pagará só uma parte dos prejuízos. Feitas as contas, uma casa que vale 100 mil euros, mas contratou o seguro por 70 mil euros (ou seja, 70% do valor real), só terá uma cobertura proporcional, igual ao valor contratado. Se ficar com parte da casa destruída, a seguradora só lhe pagará 70% dos danos. No entanto, o proprietário também não ganha nada em sobreavaliar os bens, pois a companhia só o indemniza no equivalente ao valor real, mesmo que esteja a pagar um prémio superior. Mas como avaliar? O capital seguro do imóvel deve corresponder ao valor de reconstrução. Determine a área da casa, incluindo a sua parte de zonas comuns (telhado, entradas, escadas, corredores, elevadores e garagens comuns) e multiplique pelo preço de reconstrução por metro quadrado do concelho. Caso tenha feito obras de melhoria ou a casa esteja equipada, por exemplo, com estores elétricos ou aquecimento central, acrescente 20% ou 30% ao valor apurado. Já para avaliar o recheio, faça uma lista dos bens, incluindo roupa e calçado, e calcule quanto custaria se tivesse de os comprar atualmente. Para as antiguidades ou obras de arte, deve consultar um especialista. Estes e outros objetos de valor elevado - como máquinas fotográficas e câmaras de vídeo, jóias, coleções, armas e casacos de pele, são considerados especiais e devem ser discriminados e valorizados individualmente na apólice. Caso contrário, a maioria das seguradoras paga até 1500 euros por cada um, mesmo que valham mais. Neste caso, some as parcelas e acrescente uma margem de 10%, como

6 segurança. Não se esqueça que a seguradora atualiza o capital seguro do imóvel e do recheio anualmente, com base nos índices divulgados pelo Instituto de Seguros de Portugal. Mas o ideal é rever o valor do recheio a cada quatro ou cinco anos. Coberturas que não deve deixar de fora: Incêndio, queda de raio e explosão Cobre os prejuízos causadas por incêndio (incluindo os meios de combate e o calor, fumo ou valor resultantes), por queda de raio ou explosão e danos decorrentes de um salvamento. Nestes casos, a maioria das seguradoras indemniza até ao limite do capital seguro sem impor franquias. Danos por água Danos resultantes de rotura, entupimento ou transbordamento de canos de água e esgotos. Pode também incluir a pesquisa de avarias, reparação dos canos, pintura e substituição de azulejos. Inclui ainda infiltrações lentas e humidade. Por exemplo, a Allianz cobre os danos até ao limite do capital seguro sem impor franquias. Furto ou roubo Prejuízos causados por furto (através da entrada furtiva na habitação ou com chaves falsas) ou roubo (mediante ameaça ou violência), exceto se cometido por familiares ou empregadas domésticas. Pode ser reembolsado até certo limite. A OK! Teleseguros paga até ao limite do capital seguro sem impor franquias, incluindo os danos causados ao edifício. Fenómenos sísmicos Danos na sequência de tremores de terra, erupções vulcânicas ou maremotos, nas 72 horas após a constatação dos primeiros prejuízos. Portugal está dividido em cinco zonas de risco, às quais correspondem três tarifas diferentes. Todas as seguradoras indemnizam até ao capital seguro, mas regra geral, com uma franquia mínima de 5% do mesmo. Responsabilidade civil Danos causados de forma involuntária a terceiros pelo segurado enquanto proprietário ou inquilino da casa segura, exceto os sofridos pelo próprio ou pelo agregado familiar e os decorrentes de atividade profissional exercida no imóvel. A Ocidental indemniza até 250 mil euros e não impõe franquias. Tempestades Prejuízos decorrentes de ventos fortes (tufões e ciclones), superiores a 100 quilómetros por hora, que provoquem estragos em edifícios sólidos num raio de 5 quilómetros. Exclui danos em persianas, marquises, vedações ou portões. Pode também estender-se aos danos provocados por alagamento decorrente de queda de chuva, neve ou granizo. Inundações Estragos resultantes de inundações provocadas por chuvas torrenciais, rebentamento de diques e barragens e transbordamento de rios e ribeiras, exceto em persianas, marquises, vedações ou portões e danos resultantes da ação do mar. A precipitação deve atingir 10 milímetros em 10 minutos. Privação temporária da habitação Despesas de transporte e armazenamento dos objetos seguros não destruídos se a casa ficar inabitável devido a um sinistro coberto pela apólice, bem como com a estadia do segurado e família num hotel ou casa arrendada. Há seguradoras que reembolsam estas despesas até ao limite de 10% do capital seguro, sem impor franquias. Demolição e remoção de escombros Despesas com a demolição e remoção de escombros provocados por um sinistro coberto. Por exemplo, a Liberty indemniza os prejuízos até ao capital seguro sem franquias. Contudo, a maioria das seguradoras impõe limites bastante reduzidos para esta cobertura. Aluimento de terras Danos causados por aluimentos, deslizamentos e derrocadas de terrenos, exceto em edifícios com defeitos de construção ou danos prévios ao nível das paredes, telhados ou fundações. Selecione apólices que indemnizam a totalidade dos danos até ao limite do capital seguro. I 15/04/20132 Paços de Ferreira EQUIPA SENSAÇÃO É PATROCINADA AO JOGO Clube conseguiu acordo com seguradora para publicidade nas camisolas no jogo de amanhã da Taça com o Benfica Nem nos seus melhores sonhos o Paços de Ferreira esperava nesta altura da época ocupar o terceiro lugar da Liga e disputar com o Benfica, amanhã na Luz (20.00, SportTV), o acesso à final da Taça de Portugal - apesar de ter perdido em casa na primeira mão por 2-0. O estatuto de equipa-sensação do futebol português não tem, porém, sido suficiente para convencer empresas em tempo de crise a patrocinarem a camisola do clube. Sabe o DN que patrocinar a frente da camisola pacense custa cerca de 200 mil euros por época. Mas o investimento, que cobriria cerca de dez por cento do orçamento da equipa profissional de futebol, não atraiu qualquer interessado, desde

7 que no final da última época a marca Capital do Móvel (dinamizada pela Associação Empresarial e pela Câmara de Paços de Ferreira) deixou de apoiar o clube dessa forma - assinou agora um protocolo por três anos com o clube para dar o nome ao Estádio da Mata Real. Assim, a direção do clube viu-se forçada a uma solução de contingência: vender publicidade jogo a jogo. Uma estratégia que resultou para esta segunda mão da meia-final da Taça, através de um acordo com uma seguradora, à semelhança do que aconteceu na jornada 15 da Liga, no Dragão, onde quem patrocinou a camisola foi uma empresa de transporte e distribuição. "Temos negociado por valores baixos estes patrocínios pontuais, atendendo ao facto de os nossos jogos passarem também fora de Portugal. Temos boas perspetivas para negociar um acordo para toda a próxima época", explica ao DN o presidente pacense, Carlos Barbosa, sem adiantar valores. Relativamente ao jogo de amanhã com o Benfica, o defesa Tiago Valente acredita numa reviravolta do Paços."Temos de estar próximos da perfeição para virarmos a eliminatória. Sabemos que será muito difícil, mas iremos fazer tudo para ganhar, enquanto houver possibilidades", disse, não acreditando em algum relaxamento das águias devido ao jogo europeu de quinta-feira. Diário de Noticias 14/04/2013 Por danos morais EDP CONDENADA A PAGAR 15 MIL EUROS A CASAL O Tribunal da Relação de Guimarães condenou a EDP ao pagamento de 15 mil euros a um casal de Braga, pelos danos morais sofridos por uma descarga elétrica provocada por um raio. Segundo o acórdão, o casal, dono de uma habitação com estabelecimento comercial no rés-do-chão, já tinha sido indemnizado, pela companhia seguradora da EDP, em perto de 40 mil euros pelos danos patrimoniais resultantes da descarga. A primeira instância tinha indeferido o pedido de indemnização por danos morais, mas a Relação sublinhou que "se é certo que um simples raio não é suscetível de ser dominado por um homem, já não pode aceitar-se que esse raio não seja dominável por uma empresa [EDP] ", cujo negócio é a eletricidade. O Primeiro de Janeiro 12/04/2013 Seguros AXA VENDE MONY LIFE INSURANCE À PROTECTIVE A AXA anunciou que vai vender uma unidade norte-americana e transferir algumas obrigações para a Protective Life Corp. por 1,06 mil milhões de dólares (820 milhões de euros). De acordo com o comunicado da segunda maior seguradora da Europa, a Axa vai vender a Mony Life Insurance, referindo ainda que vai continuar a oferecer produtos de seguros de vida e de reforma nos EUA, já que o acordo não inclui a rede de distribuição da Mony. A intenção da Axa é libertar capital para se expandir na Ásia e em outros mercados emergentes, de forma a compensar o abrandamento económico na Europa. A seguradora europeia adquiriu o grupo Mony em 2004 por cerca de 1,5 mil milhões de dólares (1,23 mil milhões de euros) para se expandir nos EUA. A transação deverá estar concluída no segundo semestre deste ano, preveem as empresas. Oje 12/04/2013 MONTEPIO REFORÇA OFERTA DE SEGUROS NA ÁREA DA SAÚDE Montepio, em parceria com a sua seguradora Lusitânia, reforçou a oferta de seguros na área da saúde, com o lançamento dos novos cartões Seguro Montepio Saúde + Fácil. Os cartões permitem simplicidade na adesão ao seguro, sem necessidade de questionários clínicos, ausência de períodos de carência e liberdade de escolha de médicos, clínicas e centros auxiliares de diagnóstico dentro da rede de prestadores. Os valores são de 96 ou 145 euros ao ano por pessoa segura, dependendo da modalidade do cartão escolhido. Vida Económica 12/04/2013 LUSITANIA APOIA REGENERAÇÃO URBANA NO PORTO A Lusitania, seguradora do grupo Montepio, associou-se ao projeto Arrebita! Porto, através da oferta do seguro de voluntariado às equipas de jovens profissionais internacionais que, até Portugal, se deslocam para pôr mãos à obra na reabilitação de edifícios devolutos. O projeto Arrebita! Porto, que já se encontra numa fase de implementação piloto, tem como missão combater o abandono do centro da cidade do Porto. Assenta na atuação de uma rede de trocas e contrapartidas, integrando jovens arquitetos e engenheiros internacionais, empresas fornecedoras de materiais de construção, universidades e instituições de referência nacional.

8 "O apoio da Lusitânia a esta iniciativa é mais um contributo fundamental na união de esforços de várias instituições em torno da concretização do impacto de regeneração que todos ambicionamos e, ainda, um exemplo do papel ativo que todos na sociedade, incluindo as empresas, podem desempenhar na resolução dos problemas e desafios com que nos deparamos enquanto comunidade", refere um comunicado da seguradora. Vida Económica 12/04/2013 Prémios Excelência no Trabalho COLABORADORES FELIZES, EMPRESAS COM RESULTADOS Apresentamos-lhe as organizações que mais sobressaíram nas categorias de Grandes Empresas e Médias Empresas na área da Gestão de Pessoas no ano de 2012, nos Prémios Excelência no Trabalho. Pelo terceiro ano consecutivo a consultora Heidrick & Struggles e o INDEG/ISCTE, em parceria com o Diário Económico e com o apoio das revistas Human Resources Portugal e Executive Digest, apuraram e premiaram as empresas que apresentaram um melhor clima organizacional e que se destacaram como entidades de excelência no desenvolvimento do capital humano em Portugal no ano de 2012, através dos Prémios Excelência no Trabalho. Na última edição, a Human Resources Portugal publicou os dados mais relevantes do estudo e ainda uma entrevista com um dos responsáveis da EDP, empresa vencedora da categoria Grandes Empresas com mais de mil colaboradores. EMPRESA VENCEDORA Na categoria Grandes Empresas: Liberty Seguros Há dez anos a operar em Portugal, a Liberty Seguros venceu pelo terceiro ano consecutivo o Prémio Excelência no Trabalho na categoria de Grandes Empresas, uma situação única que demonstra a grande aposta da empresa na melhoria dos seus processos de gestão de pessoas. Com 472 colaboradores, a operar em Portugal, à data da realização do estudo, a Liberty Seguros arrecadou ainda o prémio de melhor empresa no setor da Banca, Seguros e Serviços Financeiros. Em entrevista à Human Resources Portugal, Paula Garrido, responsável pela direção de Gestão & Suporte ao Talento da Liberty Seguros, revela as práticas que diferenciam a empresa das demais e aborda temáticas como liderança, trabalho em equipa ou a meritocracia. A Liberty Seguros conquista pelo terceiro ano consecutivo este prémio. O que vos distingue? Mais uma vez ficámos muito orgulhosos por esta distinção. Existe um sentimento de reciprocidade do trabalho que desenvolvemos e o reconhecimento e valorização destas práticas. Sentimos, essencialmente, que não são meros processos instituídos, mas que trazem resultados e que é sobre estes que nós atuamos e trabalhamos. Vencer este prémio e conseguir fazê-lo pelo terceiro ano consecutivo, revela que o esforço e empenho que empregamos na nossa gestão diária, a nossa capacidade para motivar e envolver os trabalhadores no esforço e trabalho coletivo, sempre com enfoque no cumprimento dos objetivos. No que consiste a vossa política de Recursos Humanos? As práticas de recursos humanos que desenvolvemos e implementamos têm necessariamente de estar alinhadas e dar suporte à estratégia da Liberty. A nossa realidade, cultura e valores são muito fortes, pelo que podemos implementar novas práticas, ou simplesmente adaptá-las em função das necessidades dos nossos colaboradores. Trata-se de políticas que premeiam o mérito, promovem a inovação, desenvolvem as competências, tendo sempre a preocupação de serem políticas conhecidas transparentes e aplicadas a todos os colaboradores da Liberty. Quais as práticas de RH que gostaria de destacar? As práticas que impactam diretamente no desenvolvimento pessoal e profissional dos colaboradores e que passam pela oferta de formação que disponibilizamos e que consideramos um elemento diferenciador e de valorização; o sistema de avaliação de desempenho que premeia o mérito de uma forma transparente, clara e acessível a todos; as oportunidades de carreira através de mobilidade interna; e também a atribuição de benefícios a todos os colaboradores independentemente das suas funções. Estas práticas e outras contribuem para um forte envolvimento e compromisso por parte de todos os colaboradores, bem como a nossa Academia Liberty onde a partilha e passagem de conhecimentos são motores de motivação, quer nos formandos quer nos formadores. O que lhe dá mais prazer fazer enquanto profissional de RH? É partilhar o meu tempo com os meus colegas, conhecendo-os melhor, ajudá-los a crescer profissional e pessoalmente, contribuir para que sejam felizes no que fazem e contribuam para o crescimento da empresa em que todos trabalhamos. Acredito muito no ser humano, sei que somos capazes de fazer coisas extraordinárias se conseguirmos que um grupo de pessoas dedique a sua força e determinação num objetivo. Quando isso é atingido, o efeito é extraordinário e é nisso que todos trabalhamos. Qual o segredo para motivar equipas? Não acredito que exista um segredo, porque tudo evolui e as próprias equipas passam por determinadas fases e o que serviu em determinada altura pode não ser a resposta para uma outra. No entanto, temos que estar atentos às pessoas que nos rodeiam, ouvi-las, sermos honestos e assertivos no que dizemos, darmos oportunidades iguais, deixá-las crescer

9 profissionalmente e isso nem sempre é fácil de se fazer. No final um gestor disciplinado e que dá o exemplo ajuda neste processo. HUMAN RESOURCES PORTUGAL 05/04/2013 Entrevista a Sandra Moás, Directora-Coordenadora da Seguro Directo MATÉRIA SOBRE SEGUROS NÃO ESTÁ NA PONTA DA LÍNGUA Ao contrário do que acontece com inquiridos mais velhos, a maioria dos jovens (51%) revela não ler a informação " enviada pela sua seguradora, apenas 46% sabem quem é o tomador do seguro, 56% admitem conhecer as coberturas do seu seguro automóvel e uns escassos 26% sabem o que é o prémio de seguro. Estas são algumas das conclusões do estudo desenvolvido pela GfK para a Seguro Directo, que revela um desconhecimento sobre o tema dos seguros automóveis por parte dos mais jovens. Para Sandra Moas, Diretora-Coordenadora da Seguro Directo, em entrevista, a chave para uma reviravolta nestes resultados é "tornar cada vez mais simples e percetível para qualquer um, independentemente da idade". Quais foram as motivações deste estudo: havia já alguma pista de que os jovens nem sempre estão bem informados sobre isto? A grande motivação foi, sobretudo, sabermos que é importante conhecermos o mercado para nos adaptarmos às suas necessidades e às suas fragilidades, e isso é uma preocupação constante por parte da Seguro Directo. Este estudo vem confirmar aquilo que já constatávamos diariamente nos contactos com os clientes, mas queríamos ter uma noção mais abrangente. É importante, no entanto, clarificar que, apesar de numa faixa etária mais jovem o desconhecimento ser mais elevado, o estudo confirma-nos que a falta de informação sobre seguros tende a ser geral. Há alguma explicação para serem os mais velhos os mais atentos ao tema dos seguros automóveis? Além da inexperiência que é natural - porque só aos 18 anos é possível tirar a carta e, em seguida, fazer um seguro automóvel -, acaba também por haver algum distanciamento por parte jovens, que, apesar de serem os condutores habituais dos veículos, algumas vezes não o assumem e não têm o seguro em seu nome, porque fica mais barato em nome do pai ou da mãe do que para um jovem de 18 anos, já que o risco é maior. Esta prática de falsas declarações é ilegal, e no momento da verdade - que é o do sinistro - pode significar dissabores, já que a companhia tem legitimidade para não aceitar o risco nestas circunstâncias. Há que enquadrar esta realidade numa perspetiva de médio/longo prazo: os jovens podem pagar mais no início mas se forem bons condutores rapidamente serão bonificados em termos de preço e o prémio de seguro diminuirá. Naturalmente que quando têm o seguro em seu nome, acaba por haver um envolvimento maior e consequentemente maior nível de informação. Onde podem os jovens informar-se sobre estas questões de forma rápida e fácil? A Seguro Directo está sempre disponível para apoiar os seus clientes no esclarecimento de todas as questões. Além da informação enviada por ou por correio, temos o nosso site segurodirecto.pt e o nosso contact center, que é composto por operadores especializados e sempre prontos a esclarecer qualquer questão. Para além disso, temos ainda pontos de venda físicos em grandes centros comerciais de Lisboa e Porto, exatamente porque sentimos necessidade de estar mais próximos dos nossos clientes. De uma forma mais generalista, existem ainda outros locais com informação bastante pertinente sobre este setor, nomeadamente o site Todos Contam (www.todoscontam.pt), uma iniciativa do Banco de Portugal, Instituto de Seguros de Portugal e Comissão de Mercados e Valores Mobiliários (CMVM), que tem uma área específica para os seguros. O site do ISP (www.isp.pt) também tem uma área denominada Portal do Consumidor com bastante informação sobre o mercado segurador. A Associação Portuguesa de Seguradores também é fonte de informação (www.apseguradores.pt), na área de consumidores. Mais Superior 05/04/2013

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor segurtrade motor Segurtrade - Motor é uma solução de protecção para a sua empresa, direccionada para pequenas e médias

Leia mais

SEGURO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO VANTAGENS PARA QUEM? UM SEGURO À MEDIDA SEGURO INOVADOR PROTEÇÃO BASE PROTEÇÃO ALARGADA OPCIONAIS PROTEÇÃO SENHORIO

SEGURO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO VANTAGENS PARA QUEM? UM SEGURO À MEDIDA SEGURO INOVADOR PROTEÇÃO BASE PROTEÇÃO ALARGADA OPCIONAIS PROTEÇÃO SENHORIO VANTAGENS MAIS PROTEÇÃO E INOVAÇÃO Reembolso de despesas com o IMI e Quotas de Condomínio em caso de Desemprego, Hospitalização e Incapacidade por Acidente ou Doença. MAIS ABRANGENTE Os Objetos Especiais

Leia mais

Para circular na via pública, qualquer automóvel tem de possuir

Para circular na via pública, qualquer automóvel tem de possuir na DINHEIRO & DIREITOS n.º 111, maio 2012 Condições especiais em www.deco.proteste.pt/seguroauto XXAUTOMÓVEL Além do seguro obrigatório, há coberturas facultativas, que cobrem vários riscos. Mas nem sempre

Leia mais

ficha de produto multirriscos habitação

ficha de produto multirriscos habitação ficha de produto multirriscos habitação O que é? O Seguro de multirriscos habitação é um seguro que visa garantir os edifícios ou fracções de edifícios destinados à habitação permanente do Segurado e construídos

Leia mais

ficha de produto automóvel 2Rodas

ficha de produto automóvel 2Rodas ficha de produto automóvel 2Rodas O que é? O Seguro auto 2Rodas é um seguro que visa garantir o pagamento de indemnizações dos prejuízos sofridos em consequência direta das coberturas e com os limites

Leia mais

Contra todos ou só contra terceiros segure-se ao melhor preço

Contra todos ou só contra terceiros segure-se ao melhor preço Contra todos ou só contra terceiros segure-se ao melhor preço Porquê a MAPFRE? Sistematicamente com melhores prazos de regularização de sinistros, pelo Instituto de Seguros de Portugal Relação qualidade/preço

Leia mais

ficha de produto automóvel

ficha de produto automóvel ficha de produto automóvel O que é? O Seguro de Automóvel é um seguro que visa garantir o pagamento de indemnizações dos prejuízos sofridos em consequência direta das coberturas e com os limites de indemnização

Leia mais

CONTRATO DE SEGURO. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

CONTRATO DE SEGURO. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões CONTRATO DE SEGURO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Ficha Técnica Coleção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Contrato de Seguro Edição Autoridade de Supervisão de Seguros

Leia mais

Programa de Seguros da Farmácia

Programa de Seguros da Farmácia Programa de Seguros da Farmácia O Seguro Multirriscos Informação para 2015 A apólice de seguro para riscos múltiplos pode incluir as perdas de exploração, roubo de dinheiro e a quebra e avaria de máquinas,

Leia mais

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias?

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias? SEGURO HABITAÇÃO Qual a importância do Seguro de Habitação? Os bens imóveis, tal como os móveis, estão sujeitos à ocorrência de eventos que lhes podem causar danos. Se não possuir um seguro válido, terá

Leia mais

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços segurtrade serviços Segurtrade - Serviços é uma solução de protecção, desenvolvida para pequenas e médias empresas que exercem

Leia mais

Protocolo do Sindicato dos Professores do Norte

Protocolo do Sindicato dos Professores do Norte Protocolo do Sindicato dos Professores do Norte Produto / Seguros Modalidades Descontos Outras Vantagens Automóvel Essencial Valor Exclusivo Prestigio Protocolo 35% Transf. Bancária 10% 2ª Viatura 5% Venda

Leia mais

SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Responsabilidade Civil 1 SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL 2 Quais são os seguros de responsabilidade civil

Leia mais

POPULAR CONDOMÍNIO. Ano de construção

POPULAR CONDOMÍNIO. Ano de construção Popular Seguros Companhia de Seguros, S.A. Sede Social: 1099090 Lisboa Portugal CRCL 507 592 034 Pes. Col. / Capital Social 7.500.000 Euro Proposta de Seguro Novo Alteração à Apólice nº 32/ Alteração à

Leia mais

SEGURO MULTIRISCOS VIVACASA

SEGURO MULTIRISCOS VIVACASA SEGURO MULTIRISCOS VIVACASA Passe um risco por cima das preocupações e da insegurança! Roubos, incêndios, inundações, calamidades, etc. o mal que tudo isso acarreta, não acontece só aos outros. Ao subscrever

Leia mais

XXXII. Programa de Seguros1 ÍNDICE

XXXII. Programa de Seguros1 ÍNDICE XXXII Programa de Seguros1 ÍNDICE PARTE I ENTIDADE GESTORA DO ESTABELECIMENTO... 6 1. Seguro All Risks Edifícios Hospitalares Actuais... 6 1.1 Tomador do Seguro... 6 1.2 Segurados... 6 1.2.1 Secção I Danos

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Contrato de Seguro. Edição Instituto de Seguros de Portugal Ficha Técnica Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Contrato de Seguro Edição Instituto de Seguros de Portugal Coordenação editorial Direcção de Comunicação e Relações com os Consumidores

Leia mais

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Tipo de Propriedade 1ª Habitação Residência habitual do agregado familiar (habitação própria permanente). 2ª Habitação Residência não habitual do agregado familiar

Leia mais

Notas relevantes sobre o Programa de Seguros da sua Farmácia

Notas relevantes sobre o Programa de Seguros da sua Farmácia Notas relevantes sobre o Programa de Seguros da sua Farmácia A carteira de seguros das Farmácias integra apólices de seguro para múltiplos riscos, designadamente para acidentes de trabalho (obrigatório

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Instituto Português de Corporate Governance Auditório Victoria 27 de novembro 2013 Ana de Sá Leal economista Abordagem 1. Responsabilidade Social 2. Dimensão 3. Criar Valor 4. Outro

Leia mais

SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782. 808 29 39 49 fidelidade.

SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782. 808 29 39 49 fidelidade. PROTEÇÃO PESSOAL E FAMILIAR SEGURO DE CARTÕES DE CRÉDITO CAIXA WOMAN DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 221 APÓLICE N.º AG62635782 808 29 39 49 fidelidade.pt Fidelidade - Companhia de Seguros,

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Entre Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, com n.º de Contribuinte 600079970 e sede em Av. Dr. Joaquim de Albuquerque, 2540-004 Bombarral, adiante designado por Agr. Escolas Fernão

Leia mais

Sistematicamente com melhores prazos de regularização de sinistros, pelo Instituto de Seguros de Portugal

Sistematicamente com melhores prazos de regularização de sinistros, pelo Instituto de Seguros de Portugal segure-se ao melhor preço Porquê a MAPFRE? Sistematicamente com melhores prazos de regularização de sinistros, pelo Instituto de Seguros de Portugal Relação qualidade/preço reconhecida por entidades externas

Leia mais

Zurich seguro grossista

Zurich seguro grossista Zurich seguro grossista Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente Apólice nº. Regulado pela Lei Portuguesa: Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Linha

Leia mais

Zurich Comércio Tradicional

Zurich Comércio Tradicional Zurich Comércio Tradicional Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas a tracejado a preencher pela Zurich. Assinale com uma cruz X os casos aplicáveis. Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor

Leia mais

2. SEGUROS ÍNDICE. Euro ( ) Rentabilidades (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) - Mapfre Seguros Nota 1 (Em Comercialização) - - 200,00 -

2. SEGUROS ÍNDICE. Euro ( ) Rentabilidades (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) - Mapfre Seguros Nota 1 (Em Comercialização) - - 200,00 - Entrada em vigor: 01mai2015 2.1. Seguros de Poupança Euro ( ) Rentabilidades (%) Comissões (%) Plano de Poupança Reforma II (PPR BIC II) Mapfre Seguros (Em Comercialização) 1.1. Rendimento mínimo garantido

Leia mais

N.º contribuinte / Pessoa colectiva

N.º contribuinte / Pessoa colectiva Zurich pharma Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente n.º Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento Alvo Contrato

Leia mais

PLANOS DE POUPANÇA Reembolso do valor do plano de poupança Transferência do plano de poupança Gestão dos planos de poupança Glossário

PLANOS DE POUPANÇA Reembolso do valor do plano de poupança Transferência do plano de poupança Gestão dos planos de poupança Glossário PLANOS DE POUPANÇA 1 PLANOS DE POUPANÇA 2 Que tipo de planos de poupança existem? 2 Sob que forma podem existir os fundos de poupança? 2 Reembolso do valor do plano de poupança 2 Em que casos é possível

Leia mais

LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO

LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO LIBERTY ENFERMEIROS MANUAL PRÁTICO NA LIBERTY SER ENFERMEIRO É UMA VANTAGEM! DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS Fazemos nossas as suas exigências de Inovação! Planos da Solução Liberty Protecção Total Protecção

Leia mais

Zurich cabeleireiro seguro

Zurich cabeleireiro seguro Zurich cabeleireiro seguro Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento

Leia mais

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel?

SEGURO AUTOMÓVEL. Qual a importância do Seguro Automóvel? SEGURO AUTOMÓVEL Qual a importância do Seguro Automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e, em caso de acidente, podem incorrer em graves

Leia mais

SEGUROS DE HABITAÇÃO. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGUROS DE HABITAÇÃO. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGUROS DE HABITAÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões 1 SEGURO DE HABITAÇÃO 2 Seguro de incêndio 2 O que cobre o seguro obrigatório de incêndio? 2 Seguro multirriscos habitação

Leia mais

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt Ocidental Companhia Portuguesa de Seguros de Vida, SA. Sede: Avenida Dr. Mário Soares (Tagus Park), Edifício 10, Piso 1, 2744-002 Porto Salvo. Pessoa coletiva n.º 501 836 926, matriculada sob esse número

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO

DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO DÚVIDAS FREQUENTES SEGURO AUTOMOTIVO 1. DEVO FAZER O BOLETIM DE ACIDENTES DE TRÂNSITO (BAT)? Sim, principalmente se houver terceiros envolvidos e se você for o culpado pelo acidente. 2. QUER DIZER QUE

Leia mais

SEGURO DE SAÚDE 2 Como funcionam as garantias? 2 O que está normalmente excluído de um seguro de saúde? 2 As doenças preexistentes estão cobertas

SEGURO DE SAÚDE 2 Como funcionam as garantias? 2 O que está normalmente excluído de um seguro de saúde? 2 As doenças preexistentes estão cobertas SEGURO DE SAÚDE 1 SEGURO DE SAÚDE 2 Como funcionam as garantias? 2 O que está normalmente excluído de um seguro de saúde? 2 As doenças preexistentes estão cobertas pelo seguro de saúde? 2 O que fazer

Leia mais

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias

Seguro Auto Montepio Flex Coberturas e Garantias Quadro síntese das Coberturas/Garantias Coberturas Módulo "S" Módulo "M" Módulo "L" Special Leasing Special Pesados Special Ciclom. e Motoc. Responsabilidade Civil 6.000.000,00 50.000.000,00 6.000.000,00

Leia mais

Apólice N.º AG50001063 SEGURO DE CARTÕES DE DÉBITO PARA NÃO RESIDENTES DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 205

Apólice N.º AG50001063 SEGURO DE CARTÕES DE DÉBITO PARA NÃO RESIDENTES DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CONDIÇÕES GERAIS - 205 ARTIGO PRELIMINAR Entre a FIDELIDADE - COMPANHIA DE SEGUROS, S.A., adiante designada por Segurador, e a Caixa Geral de Depósitos, S.A., adiante designada por Tomador do Seguro, estabelece-se o presente

Leia mais

POPULAR HABITAÇÃO Boletim Informativo

POPULAR HABITAÇÃO Boletim Informativo 1. O que é o Popular O Popular Habitação é um seguro que se destina a assegurar um nível de proteção face a um conjunto de riscos que podem causar danos à sua habitação, bem como ao respetivo conteúdo.

Leia mais

Privado. Mas o consumidor também pode

Privado. Mas o consumidor também pode Guia Financeiro Investidor Privado Este artigo foi redigido ao abrigo do novo acordo ortográfico. SEGUROS DE VIDA Crédito e família protegidos Se vai contratar o seguro por causa do empréstimo da casa,

Leia mais

ALLIANZ HELP ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL ANUAL STANDARD

ALLIANZ HELP ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL ANUAL STANDARD ALLIANZ HELP ASSISTÊNCIA RESIDENCIAL ANUAL STANDARD Sempre que precisar utilizar sua Assistência, entre em contato com a CENTRAL DE ATENDIMENTO ALLIANZ GLOBAL ASSISTANCE: 0800 770 4374 (território nacional)

Leia mais

traçam 'plano de ataque'

traçam 'plano de ataque' Seguradoras contra a crise traçam 'plano de ataque' Com os rendimentos das famílias cada vez mais reduzidos, as seguradoras têm-se empenhado em oferecer pacotes mais atractivos aos clientes, que vão desde

Leia mais

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas

Conheça os seus direitos em caso de: Recusa de embarque Cancelamento de voo Atrasos prolongados Colocação em classe inferior Viagens organizadas OS DIREITOS DOS PASSAGEIROS DE TRANSPORTE AÉREO AS NOVAS REGRAS Dia 17 de Fevereiro entra em vigor o Regulamento (CE) n.º 261/2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Fevereiro de 2004, que

Leia mais

SEGURO DE SAÚDE. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

SEGURO DE SAÚDE. ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SEGURO DE SAÚDE ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões 1 SEGURO DE SAÚDE 2 Como funcionam as garantias? 2 O que está normalmente excluído de um seguro de saúde? 2 As doenças preexistentes

Leia mais

VALOR HABITAR PROPOSTA ALTERAÇÃO PRODUTO. MRVAL Valor Habitar (alterações) MRVAL01 Valor Habitar +

VALOR HABITAR PROPOSTA ALTERAÇÃO PRODUTO. MRVAL Valor Habitar (alterações) MRVAL01 Valor Habitar + DATA APROVAÇÃO: / / D. COM.: VSTO: CÓD. PROTOCOLO CLENTE / TOMADOR DE SEGURO VALOR HABTAR NOVO PROPOSTA ALTERAÇÃO PRODUTO MRVAL Valor Habitar (alterações) MRVAL01 Valor Habitar + DATA DE ENTRADA N.º APÓLCE

Leia mais

BASES DO CONTRATO...3

BASES DO CONTRATO...3 UNIT LINKED DB VIDA Condições Gerais...2 1. DEFINIÇÕES...2 2. BASES DO CONTRATO...3 3. INÍCIO E DURAÇÃO DO CONTRATO...4 4. ÂMBITO DA COBERTURA...4 5. GESTÃO DAS UNIDADES DE PARTICIPAÇÃO...4 6. PRÉMIOS...6

Leia mais

Proposta de Seguro de Art Dealers

Proposta de Seguro de Art Dealers Secção A Proponente Nome: NIF: Email: Há quantos anos negoceia com o nome atual Tem experiência anterior em outras empresas do mesmo ramo? Se sim, especifique Secção B Stocks e Conteúdos Valor dos Stocks

Leia mais

PRODUTOS ADICIONAVEIS que na subscrição dão acesso gratuito a SEGUROS E SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA - CARTÕES DE CRÉDITO -

PRODUTOS ADICIONAVEIS que na subscrição dão acesso gratuito a SEGUROS E SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA - CARTÕES DE CRÉDITO - PRODUTOS ADICIONAVEIS que na subscrição dão acesso gratuito a SEGUROS E SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA - CARTÕES DE CRÉDITO - Informações Úteis 1. Cartões/família de Cartões Elegíveis e Serviço de Utilização

Leia mais

Seguro Compreensivo Residencial

Seguro Compreensivo Residencial Seguro Compreensivo Residencial Este seguro é destinado à moradias (casas e apartamentos) HABITUAIS de alvenaria, de uso exclusivamente residencial, contra diversos riscos, de maneira rápida e descomplicada,

Leia mais

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos.

Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. Ficha técnica 1. TOMADOR DO SEGURO / SEGURADO Poderão contratar este seguro os colaboradores, incluindo os seus familiares directos. São considerados familiares directos: - o cônjuge, desde que viva em

Leia mais

SUPER EXPERIÊNCIA SELFIE NAMORADOS

SUPER EXPERIÊNCIA SELFIE NAMORADOS REGULAMENTO DO PASSATEMPO PROMOCIONAL DENOMINADO SUPER EXPERIÊNCIA SELFIE NAMORADOS PROMOVIDO POR: UNICER Bebidas, S.A. NIPC 505266202 Sede Via Norte, Leça do Balio, Matosinhos Endereço - Via Norte, S.

Leia mais

Abra uma Conta Ordenado BBVA e conheça todas as vantagens que tornam a sua vida mais fácil:

Abra uma Conta Ordenado BBVA e conheça todas as vantagens que tornam a sua vida mais fácil: Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Sócios e Filhos dos Sócios do COFRE DA

Leia mais

ANEXO 11. (Seguros) 1. FASE DE OPERAÇÃO. 1.1. Acidentes de Trabalho

ANEXO 11. (Seguros) 1. FASE DE OPERAÇÃO. 1.1. Acidentes de Trabalho Anexo 11 Seguros 1 ANEXO 11 (Seguros) 1. FASE DE OPERAÇÃO 1.1. Acidentes de Trabalho Deverá ser contratada uma Apólice de Seguro de Acidentes de Trabalho por Conta de Outrem por forma a garantir a responsabilidade

Leia mais

POPULAR HABITAÇÃO Boletim Informativo

POPULAR HABITAÇÃO Boletim Informativo 1. O que é o Popular O Popular Habitação é um seguro que se destina a assegurar um nível de proteção face a um conjunto de riscos que podem causar danos à sua habitação, bem como ao respetivo conteúdo.

Leia mais

POPULAR CONDOMÍNIO Boletim Informativo

POPULAR CONDOMÍNIO Boletim Informativo PPULAR CNDMÍNI 1. que é o Popular É um seguro multirriscos exclusivo para o seu condomínio ou para o condomínio gerido por si e que garante a proteção base de um multirriscos, aliada à possibilidade de

Leia mais

Mission Individual Travel. Plano Protecção Viagens

Mission Individual Travel. Plano Protecção Viagens Mission Individual Travel Plano Protecção Viagens Bring on tomorrow Para onde quer que a sua visão o leve, estaremos sempre consigo 2 Todas as viagens, em Portugal ou no estrangeiro, implicam uma tomada

Leia mais

SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA

SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA SEGURO PLANO DE PROTECÇÃO FINANCEIRA O seguro que paga a conta do seu cartão emitido pela Unicre nos momentos em que mais precisa, com todo o conforto e segurança. Quando se pergunta porquê ter um plano

Leia mais

Companhia de Seguros: MAPFRE SEGUROS GERAIS, S.A. Lançamento em março de 2010 (upgrade em julho de 2013).

Companhia de Seguros: MAPFRE SEGUROS GERAIS, S.A. Lançamento em março de 2010 (upgrade em julho de 2013). Definição Cliente-Alvo Garante casas de habitação (só conteúdo ou conteúdo e edifício), construídas a partir de 1960, em bom estado de conservação, quer sejam residência permanente quer não, contra a generalidade

Leia mais

Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas.

Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas. Adegas & Lagares O prazer de provar! Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas. Garante os riscos que dão origem a perdas

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

CAIXA SEGURO 2014 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPETO SIMPLIFICADO (atualizado a 30 de abril de 2012) CAIXA SEGURO 2014 SEGURO LIGADO A FUNDOS DE INVESTIMENTO INSTRUMENTO DE CAPTAÇÃO DE AFORRO ESTRUTURADO (ICAE) NÃO NORMALIZADO PRODUTO FINANCEIRO

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO)

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Empresa de Seguros PROSPECTO SIMPLIFICADO (Dezembro de 2009) CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Data de início de comercialização a 2 de Dezembro de 2009 Nome

Leia mais

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas

Manual de Usuário. Seguro para Igrejas Manual de Usuário Seguro para Igrejas Seguro para Igrejas Mensagem do Diretor A Adventist Risk Management Sul-Americana é uma parceira da Divisão Sul-Americana referente à administração de riscos. Nosso

Leia mais

A QUEM COMPETE FAZER O SEGURO DE INCÊNDIO?

A QUEM COMPETE FAZER O SEGURO DE INCÊNDIO? 2 Seguro Obrigatório de Incêndio para Imóveis em Regime de Propriedade Horizontal É proprietário de um imóvel ou fracção em regime de propriedade horizontal? É administrador de um condomínio? Sabe que

Leia mais

O presente Protocolo destina-se às empresas associadas da ANAREC Associação Nacional dos Revendedores de Combustiveis.

O presente Protocolo destina-se às empresas associadas da ANAREC Associação Nacional dos Revendedores de Combustiveis. 1. Introdução O presente Protocolo destina-se às empresas associadas da ANAREC Associação Nacional dos Revendedores de Combustiveis. TOMADORES DO SEGURO / SEGURADOS Empresas Associadas da ANAREC 1 2. Coberturas

Leia mais

CIRCULAR GERAL. TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010

CIRCULAR GERAL. TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010 DISTRIBUIÇÃO A TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010 1. A CAEFE Caixa de Assistência dos Empregados de FURNAS e ELETRONUCLEAR renovou com a SUL AMÉRICA Seguros, a Apólice Coletiva de Seguro de Veículos,

Leia mais

OS FUNDOS DE INVESTIMENTO

OS FUNDOS DE INVESTIMENTO OS FUNDOS DE INVESTIMENTO CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 Os Fundos de Investimento O que é um Fundo de investimento? Um fundo de investimento é um instrumento financeiro

Leia mais

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado

Várias Publicações. LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado 17-03-2006 13:11:00. Fonte LUSA. Notícia SIR-7829164 Temas: economia portugal finanças sociedade LusaTV: Aumento da carga fiscal melhorou qualidade da Segurança Social - Sec. Estado DATA:. ASSUNTO: Conferência

Leia mais

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS

BENEFÍCIOS DOS ADVOGADOS Produtos e serviços CGD para profissionais liberais e jovens advogados: CONTAS À ORDEM Conta Extracto A informação onde preferir. Com esta conta recebe um extracto com toda a informação da sua conta, na

Leia mais

PROPOSTA DE VALOR PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ADVOGADOS CONDIÇÕES

PROPOSTA DE VALOR PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ADVOGADOS CONDIÇÕES PROPOSTA DE VALOR PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ADVOGADOS CONDIÇÕES Cartão Ordem dos Advogados Um cartão de crédito PERSONALIZADO E DIFERENCIADOR com vantagens únicas para a classe profissional COMPRE AGORA

Leia mais

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA Protocolo exclusivo. Soluções Financeiras ANEXO I Aproveite o Protocolo BBVA para realizar os seus projectos pessoais. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, coloca ao seu dispor um conjunto de Produtos e

Leia mais

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 4. RECLAMAÇÕES 5. DURAÇÃO DO CONTRATO 6. RISCO DE 7. PRINCIPAIS RISCOS DO PRODUTO PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

Qual a importância do seguro automóvel?

Qual a importância do seguro automóvel? Qual a importância do seguro automóvel? O proprietário ou o condutor de um veículo são responsáveis pelos prejuízos que este possa causar e em caso de acidente podem ter de pagar indemnizações elevadas.para

Leia mais

AÇÕES DE FORMAÇÃO. Seguros DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. 24 de setembro de 2014

AÇÕES DE FORMAÇÃO. Seguros DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. 24 de setembro de 2014 AÇÕES DE FORMAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Seguros 24 de setembro de 2014 PLANO DE EXPOSIÇÃO Contrato de seguro Principais tipos de seguros Prevenção da fraude nos seguros 2 CONTRATO DE

Leia mais

Regulamento do Passatempo 12 anos SLB

Regulamento do Passatempo 12 anos SLB Regulamento do Passatempo 12 anos SLB 1. Identificação 1.1. O presente passatempo denominado 12 anos SLB (adiante abreviadamente designado por Passatempo ) é promovido pela EDP Comercial - Comercialização

Leia mais

Pessoa Segura os Clientes do Grupo EDP enquanto aderentes ao edp5d.

Pessoa Segura os Clientes do Grupo EDP enquanto aderentes ao edp5d. Seguro de Assistência edp5d Guia de benefícios DEFINIÇÕES Para efeitos do presente contrato, entende-se por: Segurador a entidade legalmente autorizada para a exploração do SEGURO ASSISTÊNCIA EDP5D que,

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Crise custa 860 milhões aos bancos portugueses (págs. 1, 4 a 6) Quase mil milhões. É este o custo da crise internacional para os

Leia mais

Módulos de Formação 2013

Módulos de Formação 2013 Módulos de Formação 2013 Documento de trabalho Editores Banco de Portugal Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Instituto de Seguros de Portugal Design, impressão e acabamento Banco de Portugal Departamento

Leia mais

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO

1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 1. INFORMAÇÃO SOBRE A EMPRESA DE SEGUROS 2. ENTIDADES COMERCIALIZADORAS 3. AUTORIDADES DE SUPERVISAO 4. RECLAMAÇÕES 5. DURAÇÃO DO CONTRATO 6. RISCO DE 7. PRINCIPAIS RISCOS DO PRODUTO PROSPECTO SIMPLIFICADO

Leia mais

ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões

ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Ficha Técnica Título Edição Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões Coordenação editorial Secretaria-Geral Presidente da Autoridade

Leia mais

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. - Sede Social: - 1099-090 Lisboa - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Data início de comercialização: 2000/04/13 por tempo

Leia mais

Seguro Viagem Travel Guard Group Business Travel Traveller

Seguro Viagem Travel Guard Group Business Travel Traveller Seguro Viagem Travel Guard Group Business Travel Condições Particulares Condições Particulares 2/8 Apólice:PA14AH0423 Acta: Tipo: Novo Corretor MDS Corretor de Seguros, SA Período de Seguro Início: 06/11/2014

Leia mais

Os seguros na crise financeira

Os seguros na crise financeira Os seguros na crise financeira Intervenção do Presidente do ISP, Professor Doutor José Figueiredo Almaça, na Conferência Os seguros em Portugal, organizada pelo Jornal de Negócios Lisboa, 13 maio 2014

Leia mais

Seguro Moto. Condições Gerais, Especiais e Particulares

Seguro Moto. Condições Gerais, Especiais e Particulares Seguro Moto Condições Gerais, Especiais e Particulares ÍNDICE CONDIÇÕES GERAIS PARTE I TUDO SOBRE A COBERTURA DE RESPONSABILIDADE CIVIL OBRIGATÓRIA E, NOS CASOS EXPRESSAMENTE ASSINALADOS, ALGO SOBRE AS

Leia mais

Produto Financeiro Complexo

Produto Financeiro Complexo Zurich Companhia de Seguros Vida, S.A. PROSPECTO SIMPLIFICADO (atualizado a 8 de fevereiro de 2013) Empresa de Seguros Entidades Comercializadoras Autoridades de supervisão Reclamações DB MULTIFUNDOS,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL

CONDIÇÕES GERAIS. Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL CONDIÇÕES GERAIS Protecção Vida Empresas RAMO VIDA GRUPO - TEMPORÁRIO ANUAL RENOVÁVEL 3 DEFINIÇÕES DISPOSIÇÕES FUNDAMENTAIS

Leia mais

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR Este documento apresenta-se como um resumo das Condições Gerais e Especiais do seguro Prévoir PPR e não dispensa a consulta integral das mesmas. SEGURADOR FINALIDADE SEGMENTO-ALVO CONDIÇÕES DE SUBSCRIÇÃO

Leia mais

Zurich agência de viagens

Zurich agência de viagens Zurich agência de viagens Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento Alvo

Leia mais

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS

SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE AGENTES DESPORTIVOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS ÉPOCA DESPORTIVA 2015/16 Seguro Desportivo Página 1 1. - DEFINIÇÕES De acordo com as Condições Gerais da Apólice de Acidentes

Leia mais

Protocolo BBVA Soluções Financeiras

Protocolo BBVA Soluções Financeiras Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Associados do SPLIU. Para o BBVA cada

Leia mais

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers)

Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) Seguro de Responsabilidade Civil D&O (Directors and Officers) O ônus de liderar.... Construí um patrimônio sólido depois de muitos anos de trabalho. Infelizmente não posso usufruir de nada com tranquilidade...

Leia mais

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Fundos de Pensões. Edição Instituto de Seguros de Portugal

Ficha Técnica. Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões. Título Fundos de Pensões. Edição Instituto de Seguros de Portugal Ficha Técnica Colecção Guia de Seguros e Fundos de Pensões Título Fundos de Pensões Edição Instituto de Seguros de Portugal Coordenação editorial Direcção de Comunicação e Relações com os Consumidores

Leia mais

500.000 FAMÍLIAS JÁ GEREM MELHOR AS SUAS DESPESAS

500.000 FAMÍLIAS JÁ GEREM MELHOR AS SUAS DESPESAS 500.000 FAMÍLIAS JÁ GEREM MELHOR AS SUAS DESPESAS CLIENTE FREQUENTE Poupe mais com esta solução integrada de produtos e serviços bancários e pague o mesmo todos os meses. MILLENNIUM. É PARA AVANÇAR. www.millenniumbcp.pt

Leia mais

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013

PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 PROPOSTA ÉPOCA DESPORTIVA 2012 / 2013 Proponente: Federação Portuguesa de Rugby Pág. 1 SEGURO DESPORTIVO DE ACIDENTES PESSOAIS ( Decreto-Lei Nº. 10/2009 ) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY ÉPOCA DESPORTIVA

Leia mais

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO MAPFRE INVEST CRESCENTE 2015 NÃO NORMALIZADO Entidade gestora: Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Contrato de Seguro ligado a Fundo de Investimento MAPFRE Seguros de Vida, S.A., com sede social:

Leia mais

Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª

Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª Projeto de Lei n.º 818/XII/4ª Determina a obrigatoriedade de as instituições de crédito disponibilizarem uma conta de depósito à ordem padronizada, designada de conta base, e proíbe a cobrança de comissões,

Leia mais

Ficha de Produto Condominio DECO

Ficha de Produto Condominio DECO Ficha de Produto Condominio DECO Generali Companhia de Seguros S.A. Sede: Rua Duque de Palmela, n.º 11 1269-270 Lisboa Tel.: 213 112 800 Fax: 213 563 067 Email: generali@generali.pt www.generali.pt Capital

Leia mais