Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO"

Transcrição

1 Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Janeiro de 2014 Versão INTRODUÇÃO O presente Regulamento é fundamental para reger as operações-chave do programa de Certificação Profissional FEBRABAN. Está baseado em regulamentos de órgãos certificadores que já atendem as exigências da norma ISO e, por consequência, considera-se que, quando a FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos julgar conveniente submeter-se ao processo de acreditação nos termos dessa norma, já estará devidamente adequada. 1.1 Apresentação. FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos é uma entidade civil, sem fins lucrativos, com os seguintes elementos de identificação e contato: Razão Social: FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos CNPJ: / Sede Social: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1485 Torre Norte 14º andar - CEP.: São Paulo PABX.: FAX.: Site: e Certificação de pessoas A certificação de pessoas processa-se de acordo com o Programa de Certificação de Pessoas desenvolvido e gerido pela FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos e seus parceiros. A Certificação tem por finalidade o reconhecimento formal de conhecimentos e habilidades individuais com critérios objetivos e de aceitação geral, promovendo a qualidade no mercado de trabalho como um todo. É um programa voluntário e disponível a todos os que reúnam os requisitos de acesso à categoria de certificação na qual pretendem concorrer. As categorias de certificação são desenvolvidas pelo Comitê de Certificação e pelos subcomitês específicos de cada categoria. Para cada categoria é definida uma especificação técnica, devendo os exames respectivos enquadrar-se nessa especificação. Os certificados emitidos pela FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos comprovam que foi obtida evidência objetiva do conhecimento ou habilidade dos candidatos face aos critérios aplicáveis de Especificação Técnica para cada categoria de certificação. A reunião de evidências é feita através da realização de exames ou processos definidos pelo Comitê de Certificação. 1

2 2. ÂMBITO Este Regulamento estabelece as regras gerais de funcionamento da Certificação Profissional FEBRABAN nas suas atividades de certificação de habilidades e conhecimentos dos Candidatos. Estas regras são complementadas por especificações técnicas que estabelecem requisitos específicos aplicáveis a cada categoria de certificação, além de todas as informações julgadas pertinentes pelo Comitê de Certificação. No Processo de Certificação são aplicados como documentos de referência: 1) O presente Regulamento; 2) A especificação técnica aplicável a cada categoria de certificação e ao exame em questão, como consta no Manual de Candidatura referente ao mesmo; 3) Código de Conduta; 4) Manual de Identidade Visual Certificação FEBRABAN. O Regulamento, o Manual de Candidatura e o Código de Conduta serão documentos suplementares e são aplicados como referência para os candidatos inscritos no processo de Certificação Profissional FEBRABAN. 3. DEFINIÇÕES Quando usados neste Regulamento, os termos listados serão interpretados e entendidos de acordo com as definições a seguir: Área restrita um ambiente no Site da Certificação cujo acesso é restrito ao candidato, a pessoa certificada e ao administrador do sistema, onde são divulgadas informações pertinentes ao candidato(s), referente ao(s) certificado(s) concedido(s) àquela pessoa. Candidato pessoa que cumpre os requisitos de acesso especificados a um dado exame de certificação, cuja competência será objeto de avaliação no Processo de Certificação e em nome da qual se pretende que seja emitido o certificado dentro da categoria escolhida. Categoria ou Modalidade de Certificação áreas de conhecimento objeto de exame de Certificação de pessoas para as quais são aplicáveis as normas e regras e, ainda, os procedimentos e informações definidos pelo Comitê de Certificação. Centro de Testes um local autorizado pela FEBRABAN para a aplicação de exames. Certificado documento digital emitido pela Certificação de acordo com este Regulamento, que declara/reconhece que uma determinada pessoa demonstrou competência em conformidade com os requisitos de uma dada categoria de certificação, norma ou outro documento normativo específico. Código de Conduta um conjunto de regras que regulamentam a conduta de candidatos, pessoas certificadas, além do uso do certificado, e sua logomarca de certificação, emitido pela FEBRABAN e concedido a uma pessoa certificada, cuja aceitação é a condição primária para o 2

3 uso dos mesmos, inclusive o gozo dos direitos e privilégios pós-certificação/exame nele mencionados. Comitê de Certificação um comitê de pessoas nomeadas pela FEBRABAN que governa toda a escolha e operação das categorias de certificação incluídas no Programa de Certificação, os procedimentos e meios de avaliação, informações pertinentes e regras de divulgação e uso do certificado. Comissão de Recursos uma comissão de pessoas nomeadas pelo Comitê de Certificação para tratar dos recursos interpostos por pessoas certificadas ou candidatos referentes aos processos de certificação. Competência capacidade demonstrada de possuir conhecimentos definido na categoria de certificação. Exame mecanismo integrado na avaliação que mede a competência do candidato. Formulário de Ocorrências é o meio pelo qual o candidato registrará o seu recurso ou pedido de revisão de uma questão integrante do exame de certificação. Manual de Candidatura manual preparado e divulgado pelo Comitê de Certificação, referente a cada categoria, que contém as especificações técnicas, as informações, prazo de validade, regras e requisitos, inclusive os que governam o comportamento no ato de se submeter ao Processo de Certificação. Pessoa Certificada pessoa em nome da qual foi emitido um certificado de competência, passando a ter o direito à utilização da logomarca ou distintivo da pessoa certificada. Processo de Certificação todas as atividades por meio das quais a FEBRABAN demonstra que uma pessoa preenche os requisitos especificados de certificação, incluindo candidatura, avaliação, decisão de certificação, acompanhamento e renovação da mesma, e a utilização de certificados e de logotipos e logomarcas onde apropriado. Reclamante o próprio candidato ou terceiro que reclama contra a FEBRABAN, seus membros, conselheiros, diretores e funcionários, ou contra qualquer um dos seus candidatos, pessoas certificadas, parceiras e contratadas. Recorrente o candidato que exerce seu direito de entrar com um pedido de recurso perante o Comitê de Certificação, obedecendo às regras do processo de recurso. Recurso pedido do requerente, candidato ou pessoa certificada para reanálise de um ponto incontroverso quando da realização do exame de Certificação. Sanções medidas que podem ser aplicadas pela FEBRABAN e descritas no ponto 11.1 deste Regulamento. Programa de Certificação conjunto de procedimentos destinados à realização do Processo de Certificação referente a uma categoria de certificação, conduzindo à emissão de um 3

4 certificado de competência, incluindo sua divulgação e manutenção. 4. INFORMAÇÃO Além de aderir aos termos deste Regulamento ao se cadastrar no Programa de Certificação Profissional FEBRABAN o Candidato deve fornecer as informações relevantes ao Processo de Certificação conforme estabelecido no Manual de Candidatura. 5. CONFIDENCIALIDADE A FEBRABAN garante a confidencialidade, quanto aos seus candidatos, pessoas certificadas, membros, conselheiros, diretores, funcionários e parceiros, de toda a informação confidencial obtida nos procedimentos de certificação, divulgação e manutenção desta de acordo com este Regulamento. 6. ADESÃO AO REGULAMENTO E ATENDIMENTO PELA FEBRABAN 6.1 A adesão a este Regulamento é efetivada por meio: da confirmação eletrônica pelo Candidato da aceitação do Termo de Adesão, após o devido preenchimento dos dados na tela da página de inscrição; da verificação e confirmação dos dados fornecidos. Uma vez aceito pela FEBRABAN, o Candidato, usando seu login e senha, poderá consultar todas as informações disponibilizadas, participar do Processo de Certificação e usufruir de todos os serviços, direitos e privilégios fornecidos pela FEBRABAN. 6.2 O Candidato tem direito ao atendimento a partir da aceitação pela FEBRABAN da sua inscrição no site ( ou O Candidato é atendido em qualquer ponto de atendimento ao público que a FEBRABAN venha a abrir, divulgado no site e pelos meios de comunicação. O serviço de divulgação do resultado do exame feito pelo Candidato estará disponível a ele no site de acordo com as regras do Manual de Candidatura referente à categoria de certificação. 7. DA INSCRIÇÃO 7.1 Inscrição/Candidatura A formalização do pedido de certificação deve ser feita no do site ou seguindo as orientações para inscrição. As informações relativas ao profissional inscrito são de total responsabilidade da pessoa que realizou a respectiva inscrição. 4

5 7.2 Avaliação dos Requisitos. A FEBRABAN reserva-se o direito de não aceitar o processo, caso: Não estejam preenchidos os requisitos de acesso ao Processo de Certificação; Não estejam cumpridos pontos deste Regulamento; Sejam detectadas incorreções ou anomalias nas informações ou comprovantes apresentados na candidatura. A decisão e os motivos da não aceitação da candidatura serão comunicados por mensagem eletrônica cadastrada pelo próprio candidato quando da inscrição. 8. CANCELAMENTO 8.1 Cancelamento da inscrição por parte da FEBRABAN: Dar-se a ao Candidato, que não respeitar o Regulamento da FEBRABAN e/ou o Código de Conduta, faltar com a verdade, omitir dados ou usar de ma fé, falsificando ou emprestando dados pessoais para terceiros para que possam se prevalecer dos benefícios ofertados, ou infringir qualquer termo constante no Manual de Candidatura. 8.2 Cancelamento do agendamento por parte da FEBRABAN: A FEBRABAN poderá cancelar o exame, quando da ocorrência de algum caso fortuito ou por força maior, disponibilizando, somente neste caso, nova data para agendamento de novo exame. 8.3 Cancelamento do agendamento por parte do Candidato: O cancelamento do agendamento deverá ser realizado com antecedência mínima de 08 (oito) dias da data do exame e deve ser feito pelo próprio candidato através do site da Certificação, na área restrita, com acesso via login e senha Não haverá restituição do valor pago referente à taxa de inscrição, seja qual for o motivo alegado, mesmo nos casos em que o candidato faltar ao exame agendado O dia, hora e local do Exame poderão ser alterados por até duas (2) vezes, antes de ser confirmado pelo sistema Em caso de não comparecimento por motivos de saúde, o atestado médico deverá ser encaminhado para o em até 48 horas após a data do exame. Os atestados recebidos após este prazo serão desconsiderados. 5

6 9. SISTEMA DE AVALIAÇÃO 9.1 O Exame O exame é elaborado sob a supervisão do Comitê de Certificação e pelos responsáveis pela Categoria de Certificação podendo ser constituído por partes e formatos diferentes, conforme definido no Manual de Candidatura aplicável. As questões do exame serão de múltipla escolha com 04 alternativas de resposta cada. O preenchimento das questões é de inteira responsabilidade do inscrito, que deverá estar em conformidade com as instruções contidas na tela inicial do exame. 9.2 Locais e Datas dos Exames O candidato deverá realizar o exame na data, local e horário agendado no site da Certificação. Qualquer impossibilidade de realizar o exame o candidato deverá cancelar o agendamento, conforme itens 8.3 do regulamento e do Manual de Candidatura. A FEBRABAN assegurará os meios necessários à realização do exame nas instalações indicadas, bem como os locais e datas de exame também serão estabelecidos no site da Certificação. O inscrito não poderá alegar desconhecimento quanto à realização do exame como justificativa de sua ausência. O não comparecimento ao exame, por qualquer que seja o motivo, caracterizará desistência. 9.3 Realização do Exame Os Candidatos deverão se apresentar ao local no dia e hora agendados 30 minutos de antecedência conforme norma 4 do Manual de Candidatura. O Candidato deverá apresentar documento original de seu CPF e documento oficial com foto para sua identificação. Estes documentos deverão estar em perfeitas condições de acordo com as normas estabelecidas no Manual de Candidatura e deverá seguir as orientações do fiscal do Centro de Testes. Os Candidatos que, durante o exame, violem as regras pré-estabelecidas pela FEBRABAN e divulgadas no Manual de Candidatura serão excluídos e impossibilitados de efetuar qualquer outro exame. O Candidato será notificado do motivo da suspensão. Durante o exame não será permitida em nenhuma hipótese a consulta ou empréstimo de material. É de responsabilidade do profissional a leitura das instruções disponibilizadas na tela do exame. O candidato se compromete a não copiar, o todo ou em parte, assim como a manter sigilo total em relação aos enunciados e respectiva alternativas de respostas de todas as questões dos exames realizados. O candidato se compromete ainda a não utilizar e/ou reproduzir sob qualquer pretexto, por prazo indeterminado, no todo ou em parte as questões sob pena de 6

7 cancelamento da certificação e proibição de realizar novos exames. Durante a realização do exame, caso o candidato esteja em desacordo com o conteúdo de alguma questão e/ou alternativa de resposta, poderá solicitar ao Fiscal, o formulário de ocorrências e registrar seu questionamento devidamente fundamentado, conforme disposto no item 12 deste regulamento. A FEBRABAN não fornecerá exemplares das Questões aos candidatos, mesmo após o encerramento. E fica proibido transcrever qualquer questão do exame. 9.4 Aprovação do Exame O candidato que tiver aproveitamento igual ou superior a 70% (setenta por cento) do exame será considerado aprovado e apto a receber a Certificação. 10. CONCESSÃO DA CERTIFICAÇÃO, USO DA LOGOMARCA E EMISSÃO DO CERTIFICADO 10.1 Concessão da Certificação O resultado do exame será publicado no site da Certificação no prazo e forma definidos no item 2.7 do Manual de candidatura. A certificação não isenta a pessoa certificada do cumprimento integral dos seus compromissos legais, nem torna a FEBRABAN responsável perante terceiros por quaisquer danos, pessoais ou materiais, direta ou indiretamente resultantes de atividades dos profissionais por si certificados. O Certificado é intransmissível e de validade condicionada ao prazo estipulado pela FEBRABAN, em conformidade com o Manual de Candidatura. O certificado é válido a partir da sua emissão, desde que não se verifique nesse período a sua suspensão ou anulação Uso da Logomarca de Certificação Uma vez Certificado, candidato terá acesso a Logomarca de Certificação. Os direitos, orientações, obrigações e restrições referentes ao uso da logomarca encontram-se no anexo do Código de Conduta intitulado Manual de Uso e Aplicação da Logomarca. Findo o prazo de validade, a renovação da Certificação será efetuada de acordo com os critérios e procedimentos definidos no programa de Certificação. Caso a Pessoa Certificada, quando da realização do novo exame seja reprovada, será obrigada a desistir do uso do certificado e sua respectiva logomarca até aprovação em novo exame, conforme disposto no código de conduta. 11. USO INDEVIDO DO CERTIFICADO OU LOGOMARCA DE CERTIFICAÇÃO O uso indevido de certificados e suas respectivas logomarcas de certificação por parte da pessoa certificada ou de terceiros confere à FEBRABAN o direito de proceder, conforme os 7

8 casos, às sanções previstas neste Regulamento ou a interpor as ações judiciais que determinar como convenientes Sanções A FEBRABAN poderá aplicar sanções sempre que se verificar descumprimento das condições estabelecidas: a) No presente Regulamento; b) Nas regras de uso de certificados e suas logomarcas de certificação da FEBRABAN, previstas no Código de Conduta. Em função da gravidade, cabe ao Comitê de Certificação Profissional FEBRABAN determinar a sanção aplicável, que pode traduzir-se em: a) Advertência formal, com manutenção do certificado; b) Suspensão do certificado por prazo determinado; c) Anulação do certificado. As sanções determinadas serão comunicadas por escrito à pessoa certificada, a qual poderá recorrer da decisão. 12. RECURSOS O candidato que desejar interpor o recurso contra algum ponto que considerar controverso no exame poderá fazê-lo no ato da realização da prova. Durante a realização do exame, caso o candidato esteja em desacordo com o conteúdo de alguma questão e/ou alternativa de resposta, poderá solicitar ao Fiscal, o formulário de ocorrências e registrar seu questionamento devidamente fundamentado. Este formulário deverá ser devolvido ao fiscal ao término da prova. O Comitê de recursos, quando do julgamento, o fará de modo a garantir a impessoalidade quanto ao pedido de revisão. Caso o Comitê entenda que a questão deva ser anulada, a pontuação correspondente será distribuída a todos os candidatos indistintamente, inclusive aos candidatos que não tenham interposto recurso. Não será aceito recurso posterior à realização do exame, seja ele enviado por fax, correio eletrônico ou pelos Correios. Em nenhuma hipótese a FEBRABAN aceitará pedidos de revisão/reconsideração da decisão de recursos. 13. RECLAMAÇÕES 13.1 Reclamação do Candidato 8

9 Os Candidatos podem reclamar da atuação da FEBRABAN durante os processos de certificação, excetuadas as decisões da Comissão de Recursos. A Reclamação deve ser apresentada usando a ferramenta disponibilizada no site da Certificação, sempre obedecendo às orientações de procedimento. Após a análise da Reclamação, será dada resposta por escrito ao Reclamante, devidamente justificada Reclamação de Terceiros A FEBRABAN procederá igualmente no tratamento de quaisquer reclamações inclusive quando realizada terceiros interessados, que queiram algum tipo de esclarecimento. As reclamações devem ser feitas usando a ferramenta disponibilizada no site da Certificação Profissional FEBRABAN. Após a análise da Reclamação, será dada resposta por escrito ao Reclamante, devidamente justificada. 14. RESPONSABILIDADE CIVIL Não caberá à FEBRABAN responsabilidade civil ou penal por atos danosos causados aos Candidatos resultantes de procedimentos prestados nos locais conveniados, cujos funcionários e gestores terão a exclusiva responsabilidade pelos fatos causadores dos danos verificados. Não caberá à FEBRABAN responsabilidade civil ou penal pelos serviços prestados por Pessoas Certificadas, nem por quaisquer atos ou fatos deles decorrentes ou a eles pertinentes. 15. ALTERAÇÃO OU ATUALIZAÇÃO DESTE REGULAMENTO O presente Regulamento poderá ser alterado e atualizado pelo Comitê de Certificação FEBRABAN a qualquer tempo. 9

MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN em Ouvidoria - CERT.FBB-400

MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN em Ouvidoria - CERT.FBB-400 Abril de 2014 Versão 1.3 MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN em Ouvidoria - CERT.FBB-400 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Candidato deve ler com atenção todas as partes que compõem

Leia mais

MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN Análise e Aprovação de Crédito CERT.FBB-200

MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN Análise e Aprovação de Crédito CERT.FBB-200 Março de 2013 Versão 1.2 MANUAL DE CANDIDATURA da Certificação Profissional FEBRABAN Análise e Aprovação de Crédito CERT.FBB-200 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Candidato deve ler com atenção todas as

Leia mais

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO

Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Certificação Profissional FEBRABAN REGULAMENTO Maio de 2012 Versão 1.1 1. INTRODUÇÃO O presente Regulamento é fundamental para reger as operações-chave do programa de Certificação Profissional FEBRABAN.

Leia mais

REGULAMENTO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO CA-600 I - INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO CA-600 I - INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO CA-600 I - INTRODUÇÃO A ABECIP Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, tendo em vista o Programa de Certificação Profissional ABECIP,

Leia mais

Os Promotores e ou Afiliados podem incentivar outras pessoas a Divulgarem e comercializarem os serviços, tornando-se seus patrocinadores.

Os Promotores e ou Afiliados podem incentivar outras pessoas a Divulgarem e comercializarem os serviços, tornando-se seus patrocinadores. Liquida Net Rogério Richard - ME. Atua na área de Assinaturas de Lojas, e utiliza um plano de marketing que incentiva e apoia o uso e a divulgação de seus serviços através de uma Rede de Promotores autônomos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO N 02-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

PROCESSO SELETIVO N 02-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PROCESSO SELETIVO N 02-2010 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL A unidade nacional do Sescoop Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, personalidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO ABRACO 00 de 0 OBJETIVO Esta norma estabelece a sistemática adotada pela Associação Brasileira de Corrosão ABRACO para o funcionamento do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação em Corrosão e Proteção.

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO O presente Regulamento institui a normatização adotada pelo Conselho

Leia mais

Considerando que abrange, para os fins do presente termo, o bloqueio à ligações para telefones fixos e aparelhos de telefonia móvel em geral.

Considerando que abrange, para os fins do presente termo, o bloqueio à ligações para telefones fixos e aparelhos de telefonia móvel em geral. TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DO CADASTRO DE BLOQUEIO DE LIGAÇÕES DE TELEMARKETING OFERECIDO PELA GERÊNCIA DE DEFESA E PROTEÇÃO AO CONSUMIDOR PROCON/MA, NOS TERMOS DA LEI 9.053/2009,

Leia mais

EDITAL DE OFERTA PÚBLICA PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL 012_2015 GÁVEA COMERCIALIZADORA DE ENERGIA LTDA - GAVEA

EDITAL DE OFERTA PÚBLICA PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL 012_2015 GÁVEA COMERCIALIZADORA DE ENERGIA LTDA - GAVEA EDITAL DE OFERTA PÚBLICA PARA VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL 012_2015 GÁVEA COMERCIALIZADORA DE ENERGIA LTDA - GAVEA A oferta pública ( OFERTA PÚBLICA ou leilão ) e os procedimentos a ela relativos

Leia mais

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro.

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. CADASTRO DO CURRÍCULO DO USUÁRIO Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. Fica expressamente estipulado

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS DA VILLEVOX

TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS DA VILLEVOX TERMO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS DA VILLEVOX Pelo presente instrumento particular as PARTES: VILLEVOX COMUNICAÇÃO E MARKETING com sede em Guarapari-ES, na Rua Batista Catani, nº 193/01, bairro

Leia mais

REGULAMENTO DO CREDENCIAMENTO PARA COMPOR O CADASTRO DE CONSULTORES DO MOVIMENTO CATARINENSE PARA EXCELÊNCIA

REGULAMENTO DO CREDENCIAMENTO PARA COMPOR O CADASTRO DE CONSULTORES DO MOVIMENTO CATARINENSE PARA EXCELÊNCIA REGULAMENTO DO CREDENCIAMENTO PARA COMPOR O CADASTRO DE CONSULTORES DO MOVIMENTO CATARINENSE PARA EXCELÊNCIA O processo de credenciamento acontecerá de acordo com as etapas abaixo, a serem aplicadas a

Leia mais

Regulamento para Concessão do Selo Plantamos Árvores para reduzir os efeitos das emissões de CO 2 - Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Totum

Regulamento para Concessão do Selo Plantamos Árvores para reduzir os efeitos das emissões de CO 2 - Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Totum Controle de alterações 10 de março de 2008 emissão inicial 1 ÍNDICE 0. Condições Gerais... 3 1. Condições de Admissão e Visão Geral do Processo... 4 2. Abertura de Processo... 5 3. Processo Técnico Reconhecimento

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo.

Art. 1º Aprovar o Regulamento para Designação de Organismos de Avaliação da Conformidade, em anexo. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 087, de 03 de maio de 2002. O PRESIDENTE DO INSTITUTO

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD Nº 01 - Edital de Solicitação de Matrícula A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) torna pública a divulgação do Edital Complementar ao Edital UFU/PROGRAD Nº

Leia mais

Termo de Uso ANEAS Colégio São Francisco Xavier

Termo de Uso ANEAS Colégio São Francisco Xavier Termo de Uso ANEAS Colégio São Francisco Xavier ACORDO COM O USUÁRIO Este Termo de Uso apresenta as Condições Gerais aplicáveis ao uso dos serviços oferecidos pelo ANEAS COLÉGIO SÃO FRANCISCO XAVIER, inscrita

Leia mais

Referencial GBC Brasil Casa MANUAL DO CANDIDATO: PROVA CONSULTOR GBC BRASIL CASA

Referencial GBC Brasil Casa MANUAL DO CANDIDATO: PROVA CONSULTOR GBC BRASIL CASA Referencial GBC Brasil Casa MANUAL DO CANDIDATO: PROVA CONSULTOR GBC BRASIL CASA Agosto de 2014 1 Green Building Council Brasil SUMÁRIO Inscrição para o exame... 3 Requisitos de qualificação... 3 Agendamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA. PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA AS SECRETARIAS MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA.

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - Visita técnica é atividade complementar dos componentes curriculares dos cursos

Leia mais

CONTRATO PARTICULAR DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS

CONTRATO PARTICULAR DE ADESÃO AO PROGRAMA DE AFILIADOS Pelo presente instrumento particular, as partes a seguir identificadas, de um lado T A Soluções em Marketing Digital Ltda, empresa devidamente inscrita no CNPJ/MF sob nº 03.007.331/0001-41, situada na

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS

REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS REGULAMENTO DO CONCURSO PARA ARRENDAMENTO DE IMÓVEIS CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais o Instituto de Gestão Financeira da Segurança

Leia mais

TELEFONES: (0XX11) 3175 5351 Mesa de Operações FAX: (0XX11) 3283 5849

TELEFONES: (0XX11) 3175 5351 Mesa de Operações FAX: (0XX11) 3283 5849 REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO BM&F TELEFONES: (0XX11) 3175 5351 Mesa de Operações FAX: (0XX11) 3283 5849 ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. Nº 04, com sede no Município de São Paulo,

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula

EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula EDITAL COMPLEMENTAR AO EDITAL UFU/PROGRAD/DIRPS 01/2014 - Edital de Solicitação de Matrícula A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) torna pública a divulgação do Edital Complementar ao Edital UFU/PROGRAD/DIRPS

Leia mais

EDITAL Nº.006/2014 CONCURSO PÚBLICO - REABERTURA DE INSCRIÇÃO PELA INTERNET E NOVO CRONOGRAMA

EDITAL Nº.006/2014 CONCURSO PÚBLICO - REABERTURA DE INSCRIÇÃO PELA INTERNET E NOVO CRONOGRAMA EDITAL Nº.006/ CONCURSO PÚBLICO - REABERTURA DE INSCRIÇÃO PELA INTERNET E NOVO CRONOGRAMA A, conforme autorização do Excelentíssimo Senhor Prefeito Municipal, Sr. Volmar Telles do Amaral, no uso de suas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO DE CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DOCENTE CAPÍTULO 1 DA ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 - O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de agosto

Leia mais

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013

TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 769/CIENTEC/2013 1. DO TERMO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 1.1 A Fundação de Ciência e Tecnologia, torna público o presente Termo de Dispensa de Licitação, autorizada no expediente

Leia mais

Programa Bolsa-Sênior

Programa Bolsa-Sênior CHAMADA PÚBLICA 09/2015 Programa Bolsa-Sênior A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná divulga a presente Chamada Pública e convida as instituições de ensino

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO GERALDO REIS EDITAL Nº 002/ 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO GERALDO REIS EDITAL Nº 002/ 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ REITORIA DE GRADUAÇÃO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO GERALDO REIS EDITAL Nº 002/ 2015 SORTEIO PARA ADMISSÃO DE ALUNOS AO COLÉGIO UNIVERSITÁRIO GERALDO

Leia mais

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS O Diretor do Colégio Santo Agostinho - Leblon, no uso de suas atribuições regimentais e em consonância com a legislação em vigor, traz a público este Edital e estabelece as normas regentes para o Processo

Leia mais

SELEÇÃO 2016/1 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS

SELEÇÃO 2016/1 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS EDITAL Nº 010/CCEI, DE 04 DE NOVEMBRO DE 2015. SELEÇÃO 2016/1 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS DA ABERTURA O DIRETOR-GERAL DO CAMPUS CEILÂNDIA DO INSTITUTO

Leia mais

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional...

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional... SUMÁRIO 1. Registro Profissional... 2 2. Isenção de Anuidade... 3 3. Transferência de Regional... 4 4. Cancelamento de Registro (Pessoa Física)... 5 5. Reativação de Registro Profissional... 6 6. Parcelamento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONTRATANTE: A PESSOA FÍSICA identificada no formulário de matrícula do curso, que, para todos os efeitos,

Leia mais

CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA

CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O presente Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para as Atividades Conveniadas ( Código ) estabelece normas relativas à atuação da ANBIMA Associação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES REGIMENTAIS

REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES REGIMENTAIS 1 REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES REGIMENTAIS Art. 1º - Este Regimento Interno estabelece processos e procedimentos necessários ao funcionamento e administração da COOPERATIVA e se regula

Leia mais

C Â M A R A D O S D E P U T A D O S

C Â M A R A D O S D E P U T A D O S REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 518-A DE 2010 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 12 DE 2011 Disciplina a formação e consulta a bancos de dados com informações de adimplemento, de pessoas naturais ou de

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0561-2010-01 AUXILIAR DE ENFERMAGEM CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO INICIALMENTE ATÉ 16.05

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0561-2010-01 AUXILIAR DE ENFERMAGEM CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO INICIALMENTE ATÉ 16.05 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0561-2010-01 AUXILIAR DE ENFERMAGEM CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO INICIALMENTE ATÉ 16.05.2011 DIVISÃO DE SAÚDE / PROGRAMA DIAGNÓSTICO DE SAÚDE E ESTILO DE VIDA CAT SÃO

Leia mais

Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT

Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT Pelo presente instrumento particular, de um lado POLICARD SYSTEMS E SERVIÇOS S.A., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 00.904.951/0001-95,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR EXPERIÊNCIA DE ADMINISTRADORES. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Fluxo e Detalhamento

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR EXPERIÊNCIA DE ADMINISTRADORES. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Fluxo e Detalhamento CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR EXPERIÊNCIA DE ADMINISTRADORES DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Fluxo e Detalhamento ICSS 2013 1 2 Índice 1 FLUXO DO PROCESO DE CERTIFICAÇÃO POR EXPERIÊNCIA... 4 2 DETALHAMENTO DO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 54, 27 DE NOVEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 54, 27 DE NOVEMBRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 54, 27 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre o protocolo eletrônico de impugnações e recursos de processos administrativos híbridos de ressarcimento ao SUS, previsto no artigo 32 da

Leia mais

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA ANEXO I TERMO DE ADESÃO Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA INTERNET GRATUITA. 1. ÍNTEGRA DO TERMO 1.1. Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO Nº 0589-2012-01 ASSISTENTE DE SERVIÇOS JURÍDICOS DIRETORIA JURÍDICA R$ 3.380,66 40 HORAS SEMANAIS DRH-SS-SE 0589-2012-01 A Diretoria de Recursos Humanos do SESI-SP abre

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM J HELLO FARM SERVIÇOS DE TECNOLOGIA LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 23.694.884/0001-27, doravante denominada simplesmente como Hello Farm, adota

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, de um lado

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Data de emissão: Associação Paulista de Gestão Pública - APGP Elaborado por: Aprovado por: Francis da Silva Recursos Humanos Diretoria Geral // Sumário

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE BAIANA DE DIREITO E GESTÃO A Coordenação do Curso de Direito, no uso de suas atribuições, publica edital de abertura

Leia mais

EDITAL Nº 31/2016 SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 31, DE 10 DE MARÇO DE 2016

EDITAL Nº 31/2016 SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 31, DE 10 DE MARÇO DE 2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Esplanada dos Ministérios Bloco L, Edifício Sede - 3º Andar, Brasília/DF, CEP 70047-900 Telefone: 2022-8014 e Fax: 2022-8135 - http://www.mec.gov.br EDITAL Nº 31/2016 SECRETARIA

Leia mais

PORTARIA Nº 1386/2006 SMS.G. A SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe são legalmente conferidas,

PORTARIA Nº 1386/2006 SMS.G. A SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe são legalmente conferidas, PORTARIA Nº 1386/2006 SMS.G A SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe são legalmente conferidas, CONSIDERANDO a edição da Lei nº 14.084 de 27 de outubro de 2005 e do Decreto Municipal

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA Este Concurso Cultural, denominado Mostra de Ensaios e Sabores Audiovisuais- MESA" (Concurso) é promovido pela INFOGLOBO COMUNICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 A Diretora do Colégio de Aplicação da UFRJ, no uso de suas

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 16/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo dos Cursos Superiores na modalidade a Distância Vestibular 2º Semestre de 2015 O REITOR DA UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (Política de Voto para FII) SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Leste Administração

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE AUXILIAR ODONTOLÓGICO

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE AUXILIAR ODONTOLÓGICO DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE AUXILIAR ODONTOLÓGICO O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SESC para este processo seletivo.

Leia mais

VIX LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 32.681.371/0001-72 NIRE: 32.300.029.612 (Companhia Aberta de Capital Autorizado)

VIX LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 32.681.371/0001-72 NIRE: 32.300.029.612 (Companhia Aberta de Capital Autorizado) POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA VIX LOGÍSTICA S.A. 1. OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA 1.1. O objetivo da presente Política de Negociação é esclarecer as regras que deverão ser observadas pelos

Leia mais

EDITAL. EDITAL DIR N o 06/2016

EDITAL. EDITAL DIR N o 06/2016 EDITAL DIR N o 06/2016 PROCESSO SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS PARA ATUAÇÃO JUNTO AOS CURSOS DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS, GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DIREITO,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO.

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO NA MODALIDADE LOCAL PLANOS DE SERVIÇO CLARO FIXO. Objeto O objeto do presente Contrato é a prestação, pela EMBRATEL, do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional

Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional Instruções para Candidatos a Bolsa de Mestrado Sanduíche vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional 1. APRESENTAÇÃO Este documento orienta a apresentação de candidaturas

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 1 ICQ BRASIL OCA Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Ambiental, acreditado pelo INME- TRO para certificação de terceira parte, em conformidade com a norma da Série NBR ISO 14000, a ser usada

Leia mais

DIVULGAÇÃO DAS NORMAS DO PROCESSO SELETIVO

DIVULGAÇÃO DAS NORMAS DO PROCESSO SELETIVO Edital UNDB Nº 13/2015 Processo Seletivo para Ingresso por Transferência Externa e Graduado DIVULGAÇÃO DAS NORMAS DO PROCESSO SELETIVO A Unidade de Ensino Superior Dom Bosco - UNDB, por meio da Diretoria

Leia mais

EDITAL PRGDP Nº 29/2014

EDITAL PRGDP Nº 29/2014 EDITAL PRGDP Nº 29/2014 A PRGDP/UFLA, no uso de suas atribuições, e considerando a Lei nº 11.091, de 12/01/2005, Decreto nº 5.707, de 23/02/2006 e a Resolução CUNI nº 56 de 29/10/2013, torna público que

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público Diretoria de Estágios e Convênios Acadêmicos EDITAL PARA EXAME

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS

NORMAS DE ATENDIMENTO DA REDE DE BIBLIOTECAS 1. OBJETIVO As presentes NORMAS DE ATENDIMENTO regulam os procedimentos para utilização do espaço físico e acervo das Bibliotecas da Estácio. 2. DEFINIÇÕES Pergamum - Sistema Integrado de Bibliotecas utilizado

Leia mais

Programa de Pós Graduação Profissional - Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública ( Programa )

Programa de Pós Graduação Profissional - Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública ( Programa ) Programa de Pós Graduação Profissional - Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública ( Programa ) 1 - ESCOPO O Instituto Unibanco ( Instituto ) acredita na importância do desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO E-LEARNING

REGULAMENTO DA FORMAÇÃO E-LEARNING REGULAMENTO DA FORMAÇÃO E-LEARNING AMETSIS CONSULTORES, UNIPESSOAL LDA Elaborado: Aprovado: Pg. 1 de 9 ÍNDICE 1.ENQUADRAMENTO... 3 2.UTILIZAÇÃO ÚNICA E INDIVIDUAL... 3 3.PUBLICITAÇÃO DOS CURSOS... 3 4.INSCRIÇÕES...

Leia mais

Edital n.º 006/2011/PNAP/UAB/PROPESQ/REITORIA

Edital n.º 006/2011/PNAP/UAB/PROPESQ/REITORIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA REITORIA PRÓ-REITORIA DE POS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - DIRED UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA

REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA REGULAMENTO INTERNO DO SISTEMA DE BIBLIOTECAS KROTON EDUCACIONAL SA CONTROLE DE REVISÕES* Editadoem: Revisado em: Revisado por: Históricoda revisão: 04/07/2014 - - Primeira versão corporativa. * As atualizações

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA Nº 001/2014

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA Nº 001/2014 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA PARA COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA Nº 001/2014 A LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S. A. concessionária de serviços públicos de distribuição de energia

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Estudos de Cultura Contemporânea CEDEC, entidade privada sem fins lucrativos,

Leia mais

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO

DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO DESCRITIVO DO PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE ELETRICISTA DE MANUTENÇÃO O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SESC para este processo

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001, DE 08 DE JANEIRO DE 2015.

EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001, DE 08 DE JANEIRO DE 2015. EDITAL DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO EM CARÁTER TEMPORÁRIO ACT Nº. 0001, DE 08 DE JANEIRO DE 2015. O Sr. ELÓI REGALIN, PRESIDENTE DA AUTARQUIA MUNICIPAL DE SANEAMENTO DE FRAIBURGO - SANEFRAI, no uso de suas

Leia mais

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP

REQUISITOS PARA RECONHECIMENTO DA CONFORMIDADE PARA CABOS PROFIBUS PA - DP Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o Programa de Reconhecimento da Conformidade de Cabos Profibus PA e Profibus DP, atendendo aos requisitos técnicos, visando garantir a segurança na utilização

Leia mais

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações 1. TERMOS GERAIS Este é um serviço de usuários de web ou mesmo de criação espontânea de grupos virtuais, destinado à troca de assuntos interligados

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA EDITAL DE RESULTADOS E ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA REFERENTE AO EDITAL DE OFERTA G

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA EDITAL DE RESULTADOS E ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA REFERENTE AO EDITAL DE OFERTA G A Secretária Geral de Ensino, da Universidade do Sul de Santa Catarina - Unisul, considerando a legislação em vigor e no uso de suas atribuições, torna público o Edital de Resultados e Orientações para

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM

PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM PROCESSO SELETIVO 2º Sem/2014 Graduação Presencial Manual do Candidato Ingresso Via ENEM A Universidade Cidade de São Paulo UNICID, atendendo a Portaria Normativa MEC n o 40, de 12.12.2007, resolve promover

Leia mais

Edital do Processo Seletivo 2014. Ato Edital n 029. (Resolução CONSEPE - nº 23 de 06 de agosto de 2013)

Edital do Processo Seletivo 2014. Ato Edital n 029. (Resolução CONSEPE - nº 23 de 06 de agosto de 2013) CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE MANAUS Decreto de 26/03/2001 - DOU de 27/03/2001. Edital do Processo Seletivo 2014 Ato Edital n 029 (Resolução CONSEPE - nº 23 de 06 de agosto de 2013) O Diretor Geral

Leia mais

REGULAMENTO PARA ADESÃO A CARTEIRINHA DE SÓCIO DA MOCIDADE ALEGRE

REGULAMENTO PARA ADESÃO A CARTEIRINHA DE SÓCIO DA MOCIDADE ALEGRE REGULAMENTO PARA ADESÃO A CARTEIRINHA DE SÓCIO DA MOCIDADE ALEGRE O objeto do presente Regulamento é disciplinar as condições para adesão ao programa de relacionamento da escola de samba Mocidade Alegre.

Leia mais

ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições utilizadas na presente Política

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014 EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO COM RECURSOS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS 1. INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS E REGRAS PARA AGENTE AUTÔNOMO DE INVESTIMENTOS Em atendimento à Instrução CVM nº 497, de 03 de junho de 2011], o presente Manual dispõe sobre os procedimentos e regras

Leia mais

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado.

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado. TERMOS DE USO 1. O acesso ao(s) curso(s) contratado(s) só será efetivado com o correto preenchimento do cadastro de inscrição e após a confirmação do pagamento, conforme especificações no item 4 5, abaixo.

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO "Casa com Carro"

REGULAMENTO PROMOÇÃO Casa com Carro REGULAMENTO PROMOÇÃO "Casa com Carro" Porto Seguro Administradora de Consórcios LTDA pessoa jurídica com sede, na Rua Guaianases, 1238 6º andar - Campos Elíseos Cep: 01204-001 inscrita no CNPJ sob nº 48.041.735/0001-90,

Leia mais

Processo Seletivo CAp 2016 1º ano

Processo Seletivo CAp 2016 1º ano Edital de convocação A Universidade do Estado do Rio de Janeiro torna público o presente Edital, com normas, rotinas e procedimentos relativos ao processo seletivo, por meio de Sorteio Público, para ingresso

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO ITAPECERICA DA SERRA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO ITAPECERICA DA SERRA Edital de Abertura de Inscrição Processo Seletivo Simplificado Regional para contratação de Agente de Organização Escolar/2015 A Comissão Especial de Contratação por Tempo Determinado CE CTD da Diretoria

Leia mais

PROGRAMA DE RELACIONAMENTO LIDER INTERIORES CLUBE LIDER

PROGRAMA DE RELACIONAMENTO LIDER INTERIORES CLUBE LIDER PROGRAMA DE RELACIONAMENTO LIDER INTERIORES CLUBE LIDER Público-alvo: Profissionais de arquitetura, design de interiores e decoração. Objetivo: Regulamentar a participação dos clientes no programa pela

Leia mais

Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais

Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais 1 PROGRAMA CAS: CERTIFICAÇÃO AEROAGRÍCOLA SUSTENTÁVEL 1. Introdução CAS Nível I REGULAMENTO A FEPAF (Fundação de Estudos e Pesquisas ), com apoio da ANDEF (Associação Nacional de Defesa Vegetal), do SINDAG

Leia mais

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda.

Associação Brasileira do Drywall. TESIS Tecnologia e Qualidade de Sistemas em Engenharia Ltda. Entidade Setorial Nacional Mantenedora Associação Brasileira do Drywall Rua Julio Diniz, 56 cj. 41 V. Olímpia CEP 04547-090 São Paulo SP Tel./Fax: (11) 3842-2433 http://www.drywall.org.br Entidade Gestora

Leia mais

PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS

PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS PROGRAMA DE CULTURA BANCO DO NORDESTE/BNDES MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA PRESTAÇÃO DE CONTAS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 3 2. DELIMITAÇÃO DA NECESSIDADE DE PRESTAÇÃO DE CONTAS... 3 3. SOBRE O FORMULÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Alimentos é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES 1. OBJETIVO MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES O objetivo deste manual é servir de referência para demonstrar o funcionamento operacional dos serviços da Orla DTVM, relativo à sua mesa de

Leia mais

EDITAL Nº 0059/2014 UNESCO

EDITAL Nº 0059/2014 UNESCO UNESCO Brasília Office Representação da UNESCO no Brasil EDITAL Nº 0059/2014 UNESCO Desenvolvimento de um sistema de informações para a realização da atividade de gestão estratégica em nível governamental

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O Presente Regulamento estabelece as condições

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 06/2012/SES/CEFOR-PB A Secretaria do Estado da Saúde, através do CEFOR-PB, torna público para conhecimento dos interessados a realização de PROCESSO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL N.º 003/2015

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL N.º 003/2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Recredenciada pelo Decreto Estadual N 9.996, de 02.05.2006 EDITAL N.º 003/2015 O Reitor da UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB, no uso de

Leia mais

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015

MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 MANUAL DA CERTIFICAÇÃO POR PROVA PARA TÉCNICOS 2015 1 1. A Certificação por Prova é destinada a profissionais de Previdência Complementar Fechada que atuem na área de Contabilidade. IMPEDIMENTOS 2. O candidato

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO CEMIG 2015 REGULAMENTO

PROGRAMA DE ESTÁGIO CEMIG 2015 REGULAMENTO PROGRAMA DE ESTÁGIO CEMIG 2015 REGULAMENTO PROGRAMA DE ESTÁGIO CEMIG 2015 1- Introdução Regulamento O Programa de Estágio Cemig 2015 é uma iniciativa da Empresa e tem como objetivo preparar estudantes

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR

REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR REGULAMENTO PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR Edição: 1.1. Data de aprovação: 19 de Janeiro de 2011, Revogam-se todos os regulamentos ou resoluções do PROGRAMA SEMPRE TORCEDOR anteriores a esta edição e data. Nota:

Leia mais

CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON

CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON Administradora de Cartões SICREDI Ltda., com sede, foro e administração em Brasília/DF, no SCS Qd. 06, BL. A, Nº. 141, Ed. Presidente, inscrito

Leia mais