LULA E FHC: AS DUAS FACES DE UMA MESMA MENTIRA!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LULA E FHC: AS DUAS FACES DE UMA MESMA MENTIRA!"

Transcrição

1 LULA E FHC: AS DUAS FACES DE UMA MESMA MENTIRA! FRENTE INTEGRALISTA BRASILEIRA Deus, Pátria e Família

2 DE VERGONHA PARA O BRASIL Com a nova crise política instaurada e a gravidade das acusações contra o partido que hoje é posição no Governo Federal, se repete novamente uma triste história que vem acontecendo acentuadamente na democracia brasileira desde o fim do governo militar: corrupção e impunidade. Infelizmente, se antes disso, os vícios políticos tão recorrentes, como o clientelismo e a compra de favorecimento, sempre existiram; após o período referido, tornaram-se generalizados, atingindo no governo anterior de FHC e agora, o seu ápice. A primeira evidência de toda podridão enquistada na cúpula da agremiação política que foi, nas últimas duas décadas, uma espécie de ícone das chamadas forças de esquerda no Brasil, começou com as acusações da família do ex-prefeito do Santo André, Celso Daniel, sobre o esquema de corrupção no município, chefiado pelo ex-ministro e deputado cassado José Dirceu; igualmente ao próprio PT, um símbolo para a esquerda no país. Afinal, José Dirceu foi, em sua juventude, participante da chamada "Ala Marighella e das organizações que vieram depois por inspiração dela, todas de orientação marxista-leninista e, portanto, defendendo a luta armada como meio para tomar o poder no país e instaurar aqui uma ferrenha e totalitária ditadura vermelha que, a exemplo da ANL de Prestes, na década de trinta do século passado, queria transformar o Brasil num mero satélite da antiga União Soviética. O irmão do prefeito assassinado nunca pôde fazer uma esperada acareação com o ex-terrorista, já que nunca a mesma foi autorizada pela justiça, tendo sido a própria polícia impedida de investigar o corrupto José Dirceu. Na verdade, ficou claramente revelado que o presidente Lula consentiu o uso da máquina do Governo Federal para poder angariar mais dinheiro para o partido, a fim de torná-lo a estrutura política mais forte da América Latina. Marcos Valério, oficialmente responsável pela publicidade do Governo, era apenas mais um entre os vários "laranjas", utilizados para arrecadação e lavagem de dinheiro. Em síntese, administrando cargos, o PT determinava o "vencedor" de licitações milionárias. As empresas vencedoras das licitações eram, na verdade, "laranjas" que atuavam como receptores. Isto ficou comprovado através dos empréstimos autorizados por José Genoíno, então Presidente do PT (a exemplo do colega, também antigo terrorista e revolucionário comunista), e avalizados por Marcos Valério que, por fim, acabou pagando os empréstimos com o dinheiro que o mesmo Valério ganhava através das licitações fraudulentas. Com a sobra desse dinheiro, o partido ainda corrompia deputados e cometia de forma cínica os mesmos erros que sempre condenou e apontou: corrupção e compra de favorecimento. O mensalão e os escândalos dos Correios e dos Bingos, sob CPI, foram assim, apenas algumas das faces evidentes de toda roubalheira contra o país. OPOSIÇÃO ATUAL... Historicamente formado, também, em grande parte, por antigos exilados políticos pelo governo militar, por suas ligações com os movimentos revolucionários marxista-leninistas, o PSDB posa hoje, ao lado do PFL, como a maior frente de oposição ao governo atual. Chega a ser hilariante que, mesmo representando legendas que, oito anos no poder, além de diversas atitudes lesivas ao país, promoveram dezenas de privatizações criminosas e espúrias (atendendo a ordens provindas dos grandes centros de poder mundial), e cometendo o maior atentado contra a soberania do Brasil em toda sua história, tentem se impor agora de arautos em defesa da ética e dos princípios mais elevados!

3 Alianças escusas, com direito à coleta de dinheiro sujo de bancos alinhados e favorecidos, escândalos envolvendo a compra de votos para e emenda da reeleição e, em suma, o empreendimento de inúmeras ações ilícitas com a mesma gravidade daquelas que vemos nesse momento, se fizeram presentes em todo período em que FHC, ao lado de sua gangue, prejudicaram e assaltaram o país. A diferença fundamental reside apenas no fato de que a base aliada do governo anterior foi mais hábil no sentido de abafar os seus próprios podres e calar a então oposição, que no momento atual, ocupa o poder. OU ENGODO EM QUE NÃO SE PODE CAIR? Na verdade, essa falsa percepção de polarização e oposição nas opiniões e pressupostos ideológicos, representados por PT e PSDB e seus partidos aliados ou similares, é alimentada por um processo que se estende de forma quase imperceptível aos olhos menos atentos. E é justamente em sua natureza que reside seu enorme poder, alicerçado, fundamentalmente, no engodo das massas. Com isso, notamos que todos os pretensos antagonismos políticos geralmente discutidos na mídia de massa representam apenas as duas faces da mesma moeda: lacaios representados pela oligarquia local, no jogo político armado pela comunidade financeira internacional. Desde 1989, com a queda do Muro de Berlim e o fim da Guerra Fria e, conseqüentemente, com o desaparecimento dos antigos valores (defesa da civilização ocidental ou anti-imperialismo militante), os conceitos de esquerda e direita se tornaram anacrônicos. Terminologia herdada da Revolução Francesa que permanece após o início da década de 90 apenas para criar uma falsa percepção de bipolaridade política alimentada, principalmente, pelos veículos de comunicação de massa e por facções integradas em sua maioria por alienados. Essas facções políticas representam apenas a parcela da massa de manobra dirigida para preencher o vácuo em que os jovens descontentes deveriam encontrar movimentos nacionalistas, e não ingênuos, ainda vislumbrados por mais que superados delírios marxista-leninistas com propostas vagas, utópicas e até ridículas. No Brasil, poderíamos citar agremiações políticas como o PSTU, PCO, PCML, PSOL, MR8, MST, entre outras, em que o tosco discurso atual tem grande semelhança justamente com o discurso de certa facção do PT nos anos 80. Acima de tudo isso o processo de globalização imposto pelo sistema financeiro internacional, que vai provocando seus efeitos nefastos em todo planeta, está muito acima da suposta autoridade exercida pelas marionetes que tem ocupado o poder no Brasil. Afinal, estas últimas, por exigência do FMI, restringem até as verbas sociais para pagar juros das dívidas externas e internas. A Lei de Responsabilidade Fiscal, por exemplo, foi implantada apenas para garantir que as metas estabelecidas pelo comando alienígena realmente sejam cumpridas. Enquanto os bancos nacionais crescem cada vez mais e aumentam seus lucros, o Brasil mantêm, com o continuísmo da agiotagem institucionalizada permitida pelo Governo Federal, a maior taxa de juros do mundo aproximadamente o dobro da segunda colocada, a Turquia. Com o apoio da mídia de massa conivente, venal e quase totalmente composta por veículos de informação (TV, rádio, jornais e revistas) controlados pelos algozes do nosso ingênuo povo, cria-se a miragem de haver melhoras no quadro econômico e social do Brasil. A verdade é que, enquanto quase metade da população continua vivendo na mais absoluta miséria, a política econômica do governo atual permanece totalmente servil à oligarquia financeira internacional e dependente de investimentos diretos estrangeiros. Com o país amarrado, o Estado endividado e impedido de fazer investimentos produtivos e desenvolver tecnologias, a produção e os mercados permanecem controlados pelas transnacionais. Da mesma forma, a política econômica permanece intacta, sendo determinada por bancos estrangeiros e por entidades inimigas do Brasil, como a FEBRABAN.

4 Tal fenômeno, produzido propositadamente, leva as transnacionais e empresas nacionais que restaram da destruição levada a cabo por FHC, a se voltarem demasiadamente para as exportações, aproveitando-se da espoliação dos recursos naturais, transferidos para o exterior, por meio do agronegócio e da extração de minérios. Dessa forma, combinadas com os juros e impostos extorsivos, as transferências ao exterior dos ganhos no mercado interno e no comércio exterior impedem uma demanda interna minimamente adequada às potencialidades do país. DESTRUIÇÃO DO ESTADO NACIONAL SOBERANO Estando, portanto, os conceitos de direita e esquerda hoje descartados, devemos entender que hoje a luta se reduz a duas frentes de confrontação: Estado Nacional Soberano X Globalização ou Nacionalismo X Internacionalismo. E infelizmente, o segundo vem vencendo o jogo até aqui. capitalista. Vivemos agora numa espécie de sociedade que tem como referência imposta uma simbiose de idéias socialistas e libertárias, camuflando os excessos do mercado e adaptadas a um sistema Na visão atual de muitos órfãos políticos da antiga URSS, abandonados seus antigos princípios, o socialismo poderia futuramente acontecer pelo governo de grupos ou de indivíduos detentores das riquezas, dos meios de produção e do capital. Um certo número de magnatas unidos em grupo que tomariam a forma de sociedades industriais e comerciais, dirigindo o trabalho do proletariado, subordinando os detentores de pequenos capitais, detentores de pequenos bens e os que exercem as atividades em profissões liberais. Ou seja, o liberalismo anarquizante substituindo a idéia do estatismo máximo; mas, supostamente, almejando o mesmo fim. Não podemos, portanto, negligenciar o combate ao andamento de um processo de neocolonialismo que, através da imposição da falsa noção de um caminho único a seguir, está, em passos largos, descaracterizando o ser humano ao mais bestial materialismo; enquanto ameaça decididamente a possibilidade para a autodeterminação dos povos e às suas culturas, assim como modos de vida diferenciados. Em suma, uma ditadura global, tirânica e inaudita. A verdade é que, por trás desse ingênuo romantismo na chamada globalização, se esconde o mais ambicioso projeto de toda história da humanidade: através de organizações multicruzadas, norteadas pelo mais crasso materialismo, vislumbra-se, através da máxima concentração de poderes políticos e econômicos, a possibilidade do completo domínio da ciência e de todos os processos de produção pela via pacífica do convencimento do mercado, minando lentamente, em paralelo, os valores patrióticos (para que não surjam contestações ideológicas ou resistências armadas, civis ou militares) possibilitando uma reorganização consentida de toda humanidade em torno dos interesses de uma reduzida elite financeira. A meta final é destruir os estados nacionais e seu poder de intervir na vida econômica dos seus países, abolindo suas fronteiras fixas e o conceito de soberania. Para isso, existem dois pontos inamovíveis: é necessário lentamente suprimir todas as Forças Armadas nacionais, substituindo-as por um contingente policial supranacional que tenha respaldo de uma "corte internacional" à qual ninguém tenha condições de oferecer a mínima resistência; e o gradual afastamento da civilização ocidental dos seus antigos valores morais, éticos e religiosos, substituindo-os por uma nova ética materialista, com base exclusiva na razão, no conhecimento científico e no direito positivo.

5 A estratégia atual adotada e imposta pelos detentores do capital transnacional, líderes do sistema financeiro internacional, para progressivamente implementar um Governo Mundial, é exatamente o que estamos assistindo agora no mundo inteiro e decididamente no Brasil. Muitos poderão a esta altura se referir ao relativo controle da inflação, que passou a existir a partir da farsa do Plano Real. Este, porém, tem servido apenas garantir o retorno das aplicações de capital dos agiotas internacionais. Com o domínio da expressão econômica do Poder Nacional, através da imposição dos ditames dos organismos internacionais tais quais o FMI, a OMC, o Banco Mundial, o BID, entre outros, foi possível a abertura da economia, com eliminação de barreiras protecionistas, adoção da lei de patentes e privatização selvagem, para transferir o nosso patrimônio real à camarilha de banqueiros, que representam, na verdade, as mesmas famílias oligárquicas que vêm controlando as mais poderosas instituições financeiras do planeta há séculos. Para dissuadir os povos são adotadas, ainda, estratégias que vêm sendo paulatinamente empregadas. Criam-se neologismos para mascarar seus objetivos escusos. Fala-se em governança num mundo pós-interdepentente, ajustes estruturais e instituições multilaterais. Substituem-se a figura do Estado nacional meramente por base territorial formal e os próprios governos apenas por ambientes institucionais. Com a desculpa de propor uma nova esfera de integração global, vende-se a idéia que os estados sozinhos não tem mais capacidade operacional para atender às necessidades das suas respectivas populações. Cinicamente e sempre ocultando o fato de estarem entre os maiores responsáveis pelas desgraças que vêm afligindo a humanidade nos últimos dois séculos, os detentores do poder mundial tentam arvorar para si próprios a tarefa de organizar o mundo em torno das tendências universalizantes consolidadas pela humanidade: a manutenção da paz e da ordem; a expansão da atividade econômica; a preservação do meio ambiente, que engloba a diminuição da poluição e a preservação da diversidade genética do planeta; o combate ao comércio de armamentos; o combate à fome; a luta contra a exclusão social; a contenção ao terrorismo; o uso racional e comunitário dos recursos naturais, cada vez mais escassos; entre outras. É evidente que todos essas tendências estão acima das preferências culturais, políticas, religiosas e filosóficas de cada nação. No entanto, é justamente na pretensa defesa desses valores, que os donos do mundo expandem seus tentáculos, tentado justificar o objetivo de colocar os interesses públicos e privados diretamente sob sua direção, fazendo, logicamente, com que a faixa de atividades por eles empreendidas não sejam limitadas por fronteiras políticas. A inclusão dessas políticas, por sua vez, deverá ser e já vem sendo amparada por um quadro jurídico internacional, em que os magistrados seriam obviamente compostos por títeres. O caminho apontado é justamente a necessidade de incluir a ação das entidades multilaterais e das ONGs por eles criadas, com o respaldo de uma legislação compulsória internacional. Com isso, fica caracterizado o fim da soberania nacional, justificado, principalmente, pelo fato dos estados já terem perdido parte de sua soberania interna, levando em conta que os mesmos, tendo seguido e adotado o receituário sugerido pelos donos do papel pintado, aceitaram a gradual abertura dos seus mercados atendendo aos objetivos corporativos das transnacionais. Tais objetivos, por sua vez, pressupõem a necessidade de operar em um espaço econômico que engloba agora múltiplos espaços políticos. A última novidade da subserviência, planificada sob a chancela do Banco Mundial e adotada pelo desgoverno Lula, é levar adiante o projeto das parcerias público-privadas (PPPs). Trata-se de oferecer dinheiro público a grupos privados, especialmente estrangeiros, com total garantia de lucro para estes. Logicamente que, em caso de prejuízo, a conta fica por conta do contribuinte.

6 A AMAZÔNIA E O AMBIENTALISMO Da ótica de simples cidadãos, muitos se perguntam se há realmente alguma coisa a fazer. O fato é que, nós brasileiros, devemos considerar que vivemos num país extremamente privilegiado do ponto de vista geopolítico. Diferentemente de dezenas de republiquetas espalhadas pelo mundo, realmente sem muitas condições de se antepor aos manda-chuvas do capitalismo internacional, o Brasil é dotado de um subsolo único, que torna o país o mais rico do mundo em recursos naturais e minérios imprescindíveis para todo processo de industrialização avançada deste século. Além disso, somos donos da maior reserva de água potável do planeta, e estão sendo previstas guerras no século por conta de reservatórios de água. Somos ainda, proprietários de uma área agricultável que potencialmente, e considerando sua área total e posição geográfica, pode tornar o Brasil, sozinho, em condições de produzir mais do que todo o NAFTA (EUA, México e Canadá), ou a Europa inteira (tirando a Rússia). O Brasil pode, se colocado sob a gerência de um governo nacionalista que possa erigir um Estado forte e interventor, desequilibrar o andamento da ordem internacional norteada hoje pelos desígnios dos donos do mundo. Dentro da riqueza incomensurável pertencente aos brasileiros, não podíamos deixar de citar a Amazônia Brasileira que, sozinha, ocupa cerca de metade do território nacional. Explorada racional e corretamente, pode esta ser o diferencial que transformará o Brasil numa grande potência no século XXI. Eis porque, os donos do mundo tudo fazem para destruir nossas forças armadas e impedir a criação de ogivas nucleares brasileiras, nos mantendo ineptos para defender nosso próprio território contra uma eventual intervenção militar dos EUA e, lentamente, criar todos os obstáculos possíveis para evitar a industrialização, a integração e o desenvolvimento econômico da região. Desde 1990, pelo menos, vemos com pesar que todos os governos aqui instituídos apenas têm consentido com subserviência a contínua ingerência de ONGs ambientalistas que, orientadas por escusos interesses e favorecidas pela conivência de lacaios brasileiros como Fábio Feldman e José Goldemberg, por exemplo desejam tirar dos brasileiros o que pertence a eles por direito. Desde o advento da ECO-92, ao lado de organizações hoje supostamente defensoras dos direitos humanos e dos nossos indígenas (tornando estes os maiores latifundiários do planeta), estas ONGs ambientalistas são hoje, precisamente, uma das maiores ameaças ao futuro do Brasil. A Amazônia apresenta hoje elevado nível de infiltração de estrangeiros, que somam mais de , com alto índice de clandestinidade e com crescimento em torno de 5% ao ano. Ocupando posições estratégicas, e amparados por todo um esquema forjado por um comando alienígena, vão lentamente criando as condições favoráveis para a internacionalização da região:

7 São bem conhecidas, por exemplo, as ações mal-sucedidas do Greenpeace que subsidiado pelos poderosos organismos representantes da comunidade financeira internacional, desfruta de um orçamento da ordem de 100 milhões de dólares ao ano na tentativa de barrar a pesquisa dos transgênicos no Brasil, numa campanha irracional e acientífica, assim como as pesquisas referentes à energia nuclear no Brasil. Por outro lado, vimos indignados a recente entrega criminosa do governo Lula do nosso sistema de gerenciamento de recursos hídricos para a World Wildlife Fund (WWF: uma receptora regular de doações de corporações como a Shell, a Fundação Rockefeller, a ICI e a Fundação Ford, ou no Brasil, as Organizações Globo, o Banco Safra, entre outras). A ANA, Agência Nacional de Águas, criada por FHC em 2000 e consentida pelo governo atual, tem por objetivo tirar dos ministérios a responsabilidade do gerenciamento da maior reserva de água potável do planeta, e a transferir para ONGs capitaneadas por interesses muito distantes dos interesses do Brasil. Entre as inúmeras intervenções danosas da WWF, contra os nossos interesses, podemos citar a obstaculização para a construção da Hidrovia Paraná-Paraguai, e seu desdobramento natural, que seria ligação das bacias do Amazonas e do Prata que, juntamente com a interligação da Bacia do Orenoco, poderiam formar um grande hidrovia (com 10 mil quilômetros de extensão), integrando todos os países sul-americanos, com exceção do Chile. O INTEGRALISMO EM DEFESA DO BRASIL! Historicamente, o integralismo representou a união de um grupo de intelectuais patriotas que se ergueu a nível nacional, criando o primeiro grande movimento de massa em nosso território congregando brasileiros de todas as raças, credos e origens, levando adiante a maior experiência de civismo já vivida por essa grande nação através de um clamor patriótico sem paralelo em nenhuma outra época da história do país. Formada a partir de uma convergência de idéias e fatores, a Ação Integralista Brasileira meritoriamente soube catalisar as ansiedades gerais brasileiras em torno da real necessidade da nação amparar-se num Estado forte, propondo-se como um meio para instrumentá-lo efetivamente, buscando a solução dos seus graves problemas nacionais de natureza social, econômica, política e moral. Previu os excessos do capitalismo e as mazelas do cosmopolitismo, num país que ainda vivia uma época que podia ser definida como pré-capitalista e prestes a entrar numa era industrial em maior plenitude. Inserida neste contexto, alertou para a conseqüência dos desmandos capitalistas e dos enormes riscos do avanço do marxismo em solo pátrio, defendendo uma economia planificada com um programa de libertação nacional anti-imperialista, contrário à exploração predatória dos nossos recursos naturais e ao argentarismo internacional de que somos vítimas desde o nascedouro. Propôs ainda, em consonância com experiências bem-sucedidas realizadas na Europa da primeira metade do século passado, a substituição do Estado liberal democrático e dos partidos políticos regionalistas de então, por estruturas corporativas nacionais. E, acima de tudo, fez o maior chamado da História do Brasil, através um clamor patriótico e exemplo de civismo, até hoje sem qualquer paralelo no país, para este povo emergir da sua secular condição de coadjuvante, finalmente assumindo seu devido papel colocando-nos entre as nações poderosas e predestinadas pelo Criador.

8 No século XXI, a despeito da mudança colossal ocorrida em nossa sociedade, concomitantemente ao incremento da própria complexidade dos meios de produção, a evolução tecnológica e o crescimento populacional mundiais, os mais importantes princípios do integralismo se mantêm intactos e incrivelmente atuais. Nesse momento extremamente crítico, e na absoluta ausência de lideranças políticas confiáveis, a ponto da única legenda digna de votos pelos brasileiros conscientes ser o pequeno PRONA, é chegado o momento de buscarmos referências válidas na nossa história e lembrarmos da mensagem deixada por dois dos maiores homens já paridos em solo pátrio: Plínio Salgado e Gustavo Barroso. O Integralismo não é um partido político, nem de modo algum deve ser confundido com qualquer partido político. Os partidos políticos representam interesses parciais de um grupo de eleitores organizados à sombra de um programa destinado à duração dos mandatos daqueles que elege. O Integralismo põe o interesse da NAÇÃO acima de todos os interesses parciais ou partidários e se guia por uma doutrina, não por um programa. O Programa é um projeto ou resolução daquilo que se pretende fazer em um tempo determinado. Doutrina é um conjunto de princípios filosóficos, morais e científicos na qual se baseia um sistema político por tempo indeterminado. A diferença é essencial. Uma doutrina dá origem a um incalculável número de programas. Um programa não produz nenhuma doutrina. O Integralismo é uma Ação Social, um Movimento de Renovação Nacional em todos os pontos e em todos os sentidos. Prega uma doutrina de renovação política, econômica, financeira, cultural e moral. Prega essa doutrina, completa-a e a amplifica constantemente com seus estudos, e prepara os homens capazes de executar as medidas dela decorrentes. Abrange, nos seus postulados, indagações e finalidades, todas as atividades nacionais. O Estado não deve ser somente o governo, a administração de um país. A Nação não deve ser somente a comunidade dos indivíduos unidos pela origem e pela língua sob o mesmo regime político. A Nação e o Estado devem integrar-se num corpo só, na mesma associação de interesses e de sentimentos, confundindo-se na mesma identidade e para os mesmo fins. A sociedade humana não vale somente pelo que apresenta aos nossos olhos, vale muito mais ainda pelo que nela existe e não conseguimos ver, isto é, as forças ocultas do seu Passado e do seu Espírito. Os homens prendem-se ao Passado através de seus ascendentes, cujos característicos essenciais herdam, cujas conquistas morais, intelectuais, técnicas e materiais lhes são transmitidas como um verdadeiro patrimônio. Essa herança é a civilização e nela as gerações que se sucedem são solidárias. Compostas de homens, as Nações ligam-se ao passado pelas suas tradições de toda a espécie. Enraizada nelas é que a Pátria Brasileira deve florescer no Presente para frutificar no Futuro. GUSTAVO BARROSO Baseada no legado deixado pelo maior movimento nacionalista da história do Brasil, a FRENTE INTEGRALISTA BRASILEIRA surge no século XXI, fundada por patriotas da nossa terra, com o objetivo de criar uma escola de cultura e civismo, inspirada em valores cristãos, para despertar o nosso povo em torno das reais possibilidades da nação, elevando sua auto-estima e afirmando-se para a construção da mais bela civilização do século XXI! FRENTE INTEGRALISTA BRASILEIRA Deus, Pátria e Família Marcelo Silveira São Paulo, 25 de Janeiro de 2006.

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE PARECER DOS RECURSOS 11) China, Japão e Índia são três dos principais países asiáticos. Sobre sua História, cultura e relações com o Ocidente, analise as afirmações a seguir. l A China passou por um forte processo de modernização

Leia mais

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes.

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. A ECONOMIA GLOBAL Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. O século XX marcou o momento em que hábitos culturais, passaram a ser ditados pelas grandes

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

AMBIENTE ECONÔMICO GLOBAL MÓDULO 5

AMBIENTE ECONÔMICO GLOBAL MÓDULO 5 AMBIENTE ECONÔMICO GLOBAL MÓDULO 5 Índice 1. A globalização: variáveis relacionadas ao sucesso e ao fracasso do modelo...3 1.1 Obstáculos à globalização... 3 2 1. A GLOBALIZAÇÃO: VARIÁVEIS RELACIONADAS

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor do trabalho: 2.0 Nota: Data: /dezembro/2014 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 8º Trabalho de Recuperação Final de Geografia ORIENTAÇÕES: Leia atentamente

Leia mais

EUA: Expansão Territorial

EUA: Expansão Territorial EUA: Expansão Territorial Atividades: Ler Livro didático págs. 29, 30 e 81 a 86 e em seguida responda: 1) Qual era a abrangência do território dos Estados Unidos no final da guerra de independência? 2)

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4

VERSÃO APROVADA Tradução de cortesia ANEXO 4 ANEXO 4 RELATÓRIO PRELIMINAR DO CEED AO CONSELHO DE DEFESA SUL- AMERICANO SOBRE OS TERMOS DE REFERÊNCIA PARA OS CONCEITOS DE SEGURANÇA E DEFESA NA REGIÃO SUL- AMERICANA O é uma instância de conhecimento

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

MACROECONOMIA DA ESTAGNAÇÃO

MACROECONOMIA DA ESTAGNAÇÃO MACROECONOMIA DA ESTAGNAÇÃO Fernando Ferrari Filho Resenha do livro Macroeconomia da Estagnação: crítica da ortodoxia convencional no Brasil pós- 1994, de Luiz Carlos Bresser Pereira, Editora 34, São Paulo,

Leia mais

Mateus Bortolini e Giovane Chaves 7ºC

Mateus Bortolini e Giovane Chaves 7ºC Mateus Bortolini e Giovane Chaves 7ºC O QUE ÉFOME? Quando a pessoa não ingere alimentos em quantidade suficiente para suas necessidades aponto de afetar seu crescimento ou atividades.quem tem menos que

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA.

DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA. DECLARAÇÃO FINAL CÚPULA DOS POVOS NA RIO+20 POR JUSTIÇA SOCIAL E AMBIENTAL EM DEFESA DOS BENS COMUNS, CONTRA A MERCANTILIZAÇÃO DA VIDA. Movimentos sociais e populares, sindicatos, povos, organizações da

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS

FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS A FUP defende Mudanças Imediatas no Marco Regulatório da Indústria de Exploração, Produção e Comercialização de Petróleo e Gás Natural no Brasil Documento final aprovado pela primeira reunião do Conselho

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES

A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES A INFLUÊNCIA DA BOLSA AMERICANA NA ECONOMIA DOS PAÍSES EMERGENTES JOÃO RICARDO SANTOS TORRES DA MOTTA Consultor Legislativo da Área IX Política e Planejamento Econômicos, Desenvolvimento Econômico, Economia

Leia mais

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra. Senhor Representante de Sua Excelência o Presidente da República, General Rocha Viera, Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau XII CONGRESSO BRASILEIRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE MEIO AMBIENTE PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau FUNDAMENTOS

Leia mais

Fernanda de Paula Ramos Conte Lílian Santos Marques Severino RESUMO:

Fernanda de Paula Ramos Conte Lílian Santos Marques Severino RESUMO: O Brasil e suas políticas sociais: características e consequências para com o desenvolvimento do país e para os agrupamentos sociais de nível de renda mais baixo nas duas últimas décadas RESUMO: Fernanda

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno.

COMÉRCIO EXTERIOR. Causas da dívida Empréstimos internacionais para projetar e manter grandes obras. Aquisição de tecnologia e maquinário moderno. 1. ASPECTOS GERAIS Comércio é um conceito que possui como significado prático, trocas, venda e compra de determinado produto. No início do desenvolvimento econômico, o comércio era efetuado através da

Leia mais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais

O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Complexo Jogo dos Espaços Mundiais O Mundo está fragmentado em centenas de países, mas ao mesmo tempo, os países se agrupam a partir de interesses em comum. Esses agrupamentos, embora não deixem de refletir

Leia mais

Fluxos de capitais, informações e turistas

Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxo de capitais especulativos e produtivos ESPECULATIVO Capital alocado nos mercados de títulos financeiros, ações, moedas ou mesmo de mercadorias, com o objetivo

Leia mais

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio São Paulo, 28 de outubro de 2011 Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio Bom dia a todos. É com grande prazer que, pela segunda vez, participo de evento para

Leia mais

Até então o confronto direto entre os aliados não havia acontecido.

Até então o confronto direto entre os aliados não havia acontecido. Confronto entre os aliados, vencedores da 2ª Guerra: Inglaterra, França, EUA e União Soviética. Acordo pós-guerra definiria a área de influência da URSS, onde estavam suas tropas (leste europeu). Conferência

Leia mais

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Causas da Hegemonia atual dos EUA Hegemonia dos EUA Influência Cultural: músicas, alimentações, vestuários e língua Poderio Econômico: 20% do PIB global Capacidade Militar sem

Leia mais

Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20

Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20 Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20 Rodrigo Otávio Rio de Janeiro - A antropóloga e ambientalista Iara Pietricovsky faz parte do grupo de articulação da Cúpula dos Povos (evento das organizações

Leia mais

GUERRA FRIA 1945 1991

GUERRA FRIA 1945 1991 GUERRA FRIA 1945 1991 Guerra Fria 1945-1991 Conceito: Conflitos políticos, ideológicos e militares (indiretos), que aconteceram no pós guerra entre as duas potências mundiais EUA e URSS entre 1945-1991.

Leia mais

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000

BR/2001/PI/H/3. Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 BR/2001/PI/H/3 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO), Dakar, 25 de Abril de 2000 2001 Declaração das ONGs Educação para Todos Consulta Internacional de ONGS (CCNGO),

Leia mais

DIPLOMACIA Introdução

DIPLOMACIA Introdução DIPLOMACIA Introdução Ao longo dos tempos, o pensamento político e o pensamento jurídico sempre foram o reflexo das relações entre os homens, os povos, os Estados e as Nações. Foram se operando constantemente

Leia mais

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com O que foi a Revolução Cultural na China? Caio Lóssio Botelho * É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com uma superfície de mais de 9.500.000 km², com a população superior a 1.180.000.000 habitantes.

Leia mais

Biologia da Conservação. Disciplina: Biologia da Conservação Docente: Profa. Dra. Maria Elisa de Castro Almeida

Biologia da Conservação. Disciplina: Biologia da Conservação Docente: Profa. Dra. Maria Elisa de Castro Almeida Biologia da Conservação Disciplina: Biologia da Conservação Docente: Profa. Dra. Maria Elisa de Castro Almeida BIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO Ciência multidisciplinar que foi desenvolvida como resposta à crise

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Capacitação professores Maio 2013 Módulo SUSTENTABILIDADE Definições de sustentabilidade sustentar - suster 1. Impedir que caia; suportar; apoiar; resistir a;

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA

TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA TEMA 3 UMA EXPERIÊNCIA DOLOROSA: O NAZISMO ALEMÃO A ascensão dos nazistas ao poder na Alemanha colocou em ação a política de expansão territorial do país e o preparou para a Segunda Guerra Mundial. O saldo

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano Principais Conferências Internacionais sobre o Meio Ambiente Prof. Claudimar Fontinele Em dois momentos a ONU reuniu nações para debater

Leia mais

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá)

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) Sugere ao Poder Executivo, a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti, e indica a necessidade de revogar o Decreto Legislativo nº 207, de 19 de maio de 2004,

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp.

SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp. SANTOS, B. S. Os processos da globalização In SANTOS, B. S. (org) (2001), Globalização Fatalidade ou utopia, Porto, Edições Afrontamento, pp. 31-50 2º Ano ASE Sociologia do Desenvolvimento e da Mudança

Leia mais

Carta dos Povos da Terra

Carta dos Povos da Terra Carta dos Povos da Terra Primeira Proposta Janeiro 2011 Para contribuir no debate e enriquecer esta proposta de Carta, pode se inscrever enviando um e-mail para carta@forums.rio20.net www.rio20.net Um

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA?

BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? BRIC A EMERGÊNCIA OU INSURGÊNCIA DA PERIFERIA? Ontem, Brasília foi realmente o foco das atenções mundiais. No Brasil, um pouco menos. Não foi o Brasil que inventou isso, mas a gente registrou o fenômeno

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS * NEGÓCIOS INTERNACIONAIS: Definição: Por negócios internacionais entende-se todo negócio realizado além das fronteiras de um país.

Leia mais

Os "fundos de confiança" como mecanismo de financiamento para a agricultura urbana participativa

Os fundos de confiança como mecanismo de financiamento para a agricultura urbana participativa Os "fundos de confiança" como mecanismo de financiamento para a agricultura urbana participativa César Jaramillo Avila - aurbana@quito.gov.ec Coordenador do Programa Municipal de Agricultura Urbana da

Leia mais

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO

TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO [25] TRATADO SOBRE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL PREÂMBULO Entendendo que: 1. O sistema sócio-econômico e político internacionalmente dominante, ao qual se articula o modelo industrial de produção agrícola e

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

A DITADURA BRASILEIRA DE 1964

A DITADURA BRASILEIRA DE 1964 A DITADURA BRASILEIRA DE 1964 Dalmo A. Dallari * 1. A DITADURA E SUAS VARIANTES A história da humanidade tem sido uma confirmação reiterada do acerto da advertência do eminente político e historiador inglês

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca VISITA AOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Michael Haradom - www.shalomsalampaz.org - ssp@shalomsalampaz.org tel (11) 3031.0944 - fax (11)

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa *Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago Segunda Cúpula das Américas Santiago, Chile, 18 e 19 de abril de 1998 Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago O seguinte documento é o texto completo da Declaração de Santiago assinada pelos

Leia mais

Um dos grandes desafios para tornar o Brasil mais condizente com os anseios da sua população é a "modernização" da vida política.

Um dos grandes desafios para tornar o Brasil mais condizente com os anseios da sua população é a modernização da vida política. Apesar dos problemas associados à má distribuição de renda, o Brasil- ingressa no século XXI com uma das maiores economias do mundo e um compromisso com a paz mundial e o sistema democrático e sem conflitos

Leia mais

1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO

1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO 1. INTRODUÇÃO CONCEITUAL SOBRE O DESENVOLVIMENTO E O CRESCIMENTO ECONÔMICO A análise da evolução temporal (ou dinâmica) da economia constitui o objeto de atenção fundamental do desenvolvimento econômico,

Leia mais

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003 Propostas de luta para tornar nossa vida melhor Maio de 2003 Companheiros e companheiras A s políticas capitalistas neoliberais, aplicadas com mais força no governo FHC, foram muito duras com os trabalhadores

Leia mais

Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável

Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável Este artigo é cópia fiel do publicado na revista Nu e va So c i e d a d especial em português, junho de 2012, ISSN: 0251-3552, . Aprofundar mudanças rumo a um modelo de desenvolvimento sustentável

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro , Luiz Inácio Lula da Silva, durante reunião plenária dos Ministros da Fazenda do G-20 Financeiro São Paulo-SP, 08 de novembro de 2008 Centrais, Senhoras e senhores ministros das Finanças e presidentes

Leia mais

Organizações de defesa do cidadão

Organizações de defesa do cidadão Organizações de defesa do cidadão Denise Catarina Silva Mangue Ser cidadão na sociedade da informação Em 1976, o inglês T. H. Marshall um dos principais pensadores contemporâneos envolvidos na discussão

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NO PNE

AVALIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NO PNE ESTUDO AVALIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO NO PNE George de Cerqueira Leite Zarur Consultor Legislativo da Área XV Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia ESTUDO DEZEMBRO/2004 Câmara dos Deputados Praça

Leia mais

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE

AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE AMÉRICA: PROJETOS DE INTEGRAÇÃO GEOGRAFIA 8ºANO PRFª BRUNA ANDRADE A FORMAÇÃO DOS ESTADOS LATINO- AMERICANOS OS PAÍSES DA AMÉRICA LATINA FORMARAM-SE A PARTIR DA INDEPENDÊNCIA DA ESPANHA E PORTUGAL. AMÉRICA

Leia mais

DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS

DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS DISCURSO DO SECRETÁRIO-GERAL DA ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS, JOSÉ MIGUEL INSULZA, NA SESSÃO DE ABERTURA DA QUARTA CÚPULA DAS AMÉRICAS Mar del Plata, 4 de novembro de 2005. Senhor Presidente da Nação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 97 Discurso no banquete oferece/do

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 13 Discurso em jantar oferecido ao

Leia mais

Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP. Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil!

Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP. Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil! Tese da AJR para o XI Congresso dos Estudantes da USP Fora Rodas! Fora PM! Ensino público e gratuito! Poder Estudantil! Fora PM da USP! O estado de sítio na USP, com a instalação de bases da Polícia Militar

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares

CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares CARREIRAS DIPLOMÁTICAS Disciplina: Política Internacional Prof. Diego Araujo Campos Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares MATERIAL DE APOIO MONITORIA Tratado Sobre a Não Proliferação de Armas

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

Governança Sustentável nos BRICS. Resumo executivo

Governança Sustentável nos BRICS. Resumo executivo Governança Sustentável nos BRICS Resumo executivo Sumário executivo A rapidez com que, nos últimos anos, as economias emergentes do Brasil, da Rússia, da Índia, da China e da África do Sul vêm se aproximando

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca OS TEMAS DO DIÁLOGO "Mudando os temas

Leia mais

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI Como pode cair no enem A desconcentração industrial verificada no Brasil, na última década, decorre, entre outros fatores,

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois

FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO. Prof. Israel Frois FORMAÇÃO DO TERRITORIO BRASILEIRO Prof. Israel Frois SÉCULO XV Território desconhecido; Era habitado por ameríndios ; Natureza praticamente intocada Riqueza imediata: Pau-Brasil (Mata Atlântica) Seus limites

Leia mais

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende *

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado é a expressão da participação da sociedade na vida pública mais significativa da atualidade. Os movimentos de participação

Leia mais

Voluntariado. Sete dicas para ser um voluntário. Por Redação EcoD

Voluntariado. Sete dicas para ser um voluntário. Por Redação EcoD Voluntariado Sete dicas para ser um voluntário Por Redação EcoD O Dia Internacional dos Voluntários, celebrado no dia 5 de dezembro, pode inspirar muitas pessoas a dedicarem seu tempo e talento em prol

Leia mais

Destacando que a responsabilidade primordial e o dever de promover e proteger os direitos humanos, e as liberdades fundamentais incumbem ao Estado,

Destacando que a responsabilidade primordial e o dever de promover e proteger os direitos humanos, e as liberdades fundamentais incumbem ao Estado, Declaração sobre o Direito e o Dever dos Indivíduos, Grupos e Instituições de Promover e Proteger os Direitos Humanos e as Liberdades Fundamentais Universalmente Reconhecidos 1 A Assembléia Geral, Reafirmando

Leia mais

República Popular Chinesa (1912-1949)

República Popular Chinesa (1912-1949) China atual Revolução Chinesa Primeiro momento (1911): revolução nacionalista contra neocolonialismo, liderada por SunYat-sen e fundador do Kuomitang (Partido Nacionalista) Segundo momento (1949): revolução

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL Geografia Leituras e Interação 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta útil à análise e

Leia mais

Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança

Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança Como Bogotá conseguiu melhorar sua segurança Publicado em: http://www.comunidadesegura.org Hugo Acero* 16/11/2006 Quando se analisa o tema da segurança cidadã no âmbito da América Latina, comprova-se que

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

Direitos Autorais e Patrimônio Cultural

Direitos Autorais e Patrimônio Cultural Direitos Autorais e Patrimônio Cultural Diretoria de Direito Intelectual Secretaria de Políticas Culturais Ministério da Cultura Constituição Federal - Art. 216 - Constituem patrimônio cultural brasileiro

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social Desafios à Gestão Universitária Prof. Dr. Adolfo Ignacio Calderón Coordenador do Núcleo de Pesquisas em Ciências Sociais Aplicadas da UMC, membro do comitê científico do Fórum de

Leia mais

Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares

Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares Direito Internacional Aplicado Tratados e Convenções Manutenção da Paz Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares Conclusão e assinatura: 01 de julho de 1968 Entrada em vigor: No Brasil: Aprovação:

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1. CONCEITOS COMPLEMENTARES DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, presidida por Gro Harlem Brundtland Nosso Futuro Comum (1987)

Leia mais

Prova Escrita de História B

Prova Escrita de História B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História B.º/2.º anos de Escolaridade Prova 72/2.ª Fase 9 Páginas Duração da Prova: 20 minutos. Tolerância:

Leia mais

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS

SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS SIMULAÇÃO NACIONAL DOS ORGANIZADORES DE MODELOS DAS NAÇÕES UNIDAS MODELOS DE DOCUMENTOS Fortaleza/CE, 2015 Senhores Delegados, As simulações de organizações internacionais são, em sua essência, exercícios

Leia mais

TRABALHO COMO DIREITO

TRABALHO COMO DIREITO Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 419 CEP: 05403-000 São Paulo SP Brasil TRABALHO COMO DIREITO () 04/12/2013 1 O direito ao trabalho no campo da Saúde Mental: desafio para a Reforma Psiquiátrica brasileira

Leia mais

Mensagem de Ano Novo. do Presidente da República

Mensagem de Ano Novo. do Presidente da República Mensagem de Ano Novo do Presidente da República Palácio de Belém, 1 de janeiro de 2015 Boa noite. Desejo a todos um Feliz Ano de 2015. Os meus votos dirigem-se a todos os Portugueses, quer aos que residem

Leia mais

Investimento internacional. Fluxos de capitais e reservas internacionais

Investimento internacional. Fluxos de capitais e reservas internacionais Investimento internacional Fluxos de capitais e reservas internacionais Movimento internacional de fatores Determinantes da migração internacional: diferencial de salários; possibilidades e condições do

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 5B AULA 14 e 15 Profº André Tomasini Formação Industrial Brasileira Proibição da produção (fim do século XVIII). Barão de Mauá (ferrovias e indústrias). Ciclo do café fase capitalista

Leia mais

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Fernando Veloso IBRE/FGV Book Launch of Surmounting the Middle Income Trap: The Main Issues for Brazil (IBRE/FGV e ILAS/CASS) Beijing, 6 de Maio

Leia mais

PROJETO MUTAÇÕES: Cada um na sua, mas todos ligados em rede O mundo e o planeta Urbanização e cidades Globalização: o mundo em toda parte

PROJETO MUTAÇÕES: Cada um na sua, mas todos ligados em rede O mundo e o planeta Urbanização e cidades Globalização: o mundo em toda parte PROJETO MUTAÇÕES: O início do século XXI impressiona não apenas pelo volume das mudanças que se efetivaram em todos os campos da ação humana, mas também na velocidade com que elas têm se processado. Em

Leia mais

Exercícios Reorganização Política Internacional

Exercícios Reorganização Política Internacional Exercícios Reorganização Política Internacional 1. (Ufg 2013) Analise a charge a seguir. A charge refere-se a dois temas: o papel do Estado na economia e as relações de trabalho. A respeito desses temas,

Leia mais

Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o. Não Pagamento da Dívida Pública

Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o. Não Pagamento da Dívida Pública Defesa dos Serviços e Trabalhadores Públicos Brasileiros e o Não Pagamento da Dívida Pública O endividamento público vem pautando a vida do povo brasileiro sob diversas formas, especialmente a partir da

Leia mais

O SISTEMA DA DÍVIDA NO BRASIL E SEUS IMPACTOS SOCIAIS

O SISTEMA DA DÍVIDA NO BRASIL E SEUS IMPACTOS SOCIAIS O SISTEMA DA DÍVIDA NO BRASIL E SEUS IMPACTOS SOCIAIS Coordenadora Nacional da auditoria Cidadã da Dívida Maria Lúcia Fattorelli CICLO DE PALESTRAS promovido em parceria com a UnBTV Brasília, 5 de dezembro

Leia mais