Para onde foi o jornalismo turístico? Análise de capas da revista Viagem & Turismo em 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Para onde foi o jornalismo turístico? Análise de capas da revista Viagem & Turismo em 2007"

Transcrição

1 Para onde foi o jornalismo turístico? Análise de capas da revista Viagem & Turismo em 2007 Autor: Marcelo Carmo Rodrigues Titulação: Professor efetivo do Departamento de Turismo da UFJF; Mestrando em Comunicação pela FACOM-UFJF (Linha de pesquisa: Comunicação e Identidades); Especialista em Gestão de Negócios e Empreendedorismo pela FEA UFJF; Graduado em Turismo pela FACTUR (Santos Dumont /MG). Instituição: Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF Estado: Minas Gerais Endereço digital: Grupo temático: História do jornalismo Palavras-chave: comunicação; turismo; jornalismo turístico. Resumo: A prática do jornalismo remete ao século XVI. O turismo, quando relacionado ao Brasil, passa a ter seus primeiros registros impressos a partir dos Relatos de viagem. No século XXI, a revista Viagem & Turismo, aqui tomada como objeto empírico, pode ser considerada importante representante do jornalismo turístico, uma publicação da Editora Abril que chega à sua 149ª edição em março/2008 (ISSN X). O trabalho objetiva refletir o processo de desenvolvimento dessas duas ciências, discutindo o jornalismo turístico produzido pela revista, ao analisar as capas das 12 edições publicadas em 2007 e propor uma categorização a partir dos critérios de noticiabilidade utilizados por Nelson Traquina. Nesse artigo, que se pretende interdisciplinar, busca-se ainda apresentar reflexões quanto à existência (ou não) do jornalismo turístico. Introdução O desenvolvimento do turismo acabou por integrar-se ao processo de desenvolvimento da comunicação, particularmente a partir da invenção da escrita e, mais especificamente, com o estabelecimento da sociedade capitalista. As coincidências se dão a partir do advento da imprensa e se mantém até os dias de hoje. Dos relatos de viagem às novas tecnologias da comunicação, turismo e jornalismo sempre caminharam lado a lado. Os primeiros textos jornalísticos foram publicados na Inglaterra no início do século XVII. O mesmo não pode ser dito em relação ao turismo. Se o jornalismo tem quatro séculos de desenvolvimento, o turismo tem, a partir do século XX, seu período

2 de maior desenvolvimento. É no século XX que o turismo ganha maior expansão, entrando em sua fase chamada de turismo de massa ou turismo capitalista. O importante é ressaltar que, a partir do momento em que o turismo entra na sua fase capitalista (passando a ser importante componente do PIB de diversos países e regiões) começa a ser desenvolvido um jornalismo que talvez possa ser chamado de jornalismo turístico especializado na construção de textos que revelam (e também por isso encobrem) destinos turísticos ao redor do mundo. A proposta é refletir sobre os destinos que a revista Viagem & Turismo (a partir de agora abreviada para VT) apresentou durante as 12 edições mensais de 2007, sendo analisadas as capas dessas edições. Somente título, destino (praia, sol, montanha, urbano, cultural, nacional, internacional por exemplo) ou serviço (hotelaria out/2007) turístico apresentados. Serão utilizados os critérios estabelecidos por Nelson Traquina, para tentar descobrir quais são os valores-notícia utilizados pelos jornalistas e editores da VT em sua edição mensal. Pesquisar é ampliar os horizontes do conhecimento humano, incitando novas discussões e descobertas. Ao trabalhar novos temas, os profissionais de turismo, bem como de outras ciências, ampliam e revelam a importância do conhecimento adquirido na elaboração de novos rumos a serem seguidos para a profissão de turismólogo. Mais que um estudo de caso, o presente trabalho objetiva fazer uma reflexão sobre o desenvolvimento das relações entre turismo e jornalismo. 1. A informação como alavanca para o desenvolvimento do turismo O desenvolvimento do turismo coincide com o estabelecimento e o desenvolvimento da indústria da comunicação. Desde a chegada dos portugueses ao Brasil são inúmeros os exemplos - tanto da população local como dos estrangeiros - em representar a realidade brasileira, através de textos ou iconografias. Nos séculos da colonização brasileira pelos europeus, sempre houve a preocupação com os relatos histórico-sociais da época. Os séculos XV e XVI foram marcados pelas navegações, pelas grandes descobertas e avanços tecnológicos. Gutenberg, no final do século XV, inventa a 2

3 tipografia, que gera a possibilidade de ter textos reproduzidos em larga escala. Nos anos que se sucedem, começam a surgir os primeiros livros e os primeiros jornais. Concomitante ao desenvolvimento da imprensa, a Europa começa a preparar-se para a Revolução Industrial. As cidades se proliferam e as indústrias se multiplicam. A classe trabalhadora que está nascendo começa a lutar por seus direitos. Há êxodo rural, melhora nas condições de trabalho da população urbana e o surgimento de uma preocupação com o tempo livre dos empregados. Ao amplo processo de desenvolvimento industrial, alia-se um amplo processo de desenvolvimento das comunicações e do turismo, conforme descrito no livro Fundamentos do Turismo (DIAS, 2002, pag.44): No século XVII começou a haver o incremento do número de pessoas que visitavam os centros culturais e as grandes cidades... Estes grupos atingiram tal importância, sobretudo na França, que foi publicado por Saint Maurice em 1672 o Guia Fiel nas Viagens pela França. O escritor Reinaldo Dias, no texto acima, refere-se ao primeiro guia turístico impresso. Logo estava se referindo à primeira peça gráfica a respeito de um destino ou turístico, com cunho informativo. Pode-se atribuir a esse fato o início do estreitamento das relações entre turismo e comunicação. Nos anos seguintes, começa a haver também a impressão de outros guias turísticos na Inglaterra. A Terra Brazilis durante quatro séculos esteve mantida à margem da sociedade letrada, tido como terra de natureza exuberante, porém habitada por selvagens de acordo com documentos da época. Segundo relatos da historiografia oficial, apesar de ser uma ótima fonte de recursos e riquezas naturais, seu povo se mostra indolente e de difícil domesticação. Durante o descobrimento, bem como nos séculos subseqüentes e, principalmente no século XIX, há a publicação de inúmeros livros de viagem que se constituem na versão europeizada e/ou estrangeira do Brasil que encontrava-se em colonização. Em seu Relatos de viajantes como fontes da história social da população brasileira, a escritora Miriam L. Moreira Leite (1997, p. 10) revela: Antes de mais nada, convém constatar a extensão desse campo de literatura. Ela aparece em livros muito extensos (com cinco ou mais volumes), em livros curtos (de cem ou duzentas páginas), em artigos de revistas e em manuscritos, guardados em diferentes arquivos e museus do mundo. Existe sob a forma de literatura para adultos e para 3

4 crianças, como romance de aventuras, como literatura fantástica ou romance epistolar, havendo, na segunda metade do século XIX, reportagens jornalísticas e guias turísticos. Nesses relatos há uma grande preocupação em descrever as características do Brasil, bem como uma curiosidade em relação às condições de vida da sociedade brasileira. Os livros de viagem são os primeiros guias turísticos produzidos no Brasil. Eles são o relato das viagens e pesquisas de inúmeros escritores, pintores, intelectuais, botânicos, militares, excêntricos, educadores, padres e estudiosos das mais diversas áreas. Entretanto, eles mostram o Brasil visto sob o olhar do estrangeiro, conforme afirma a escritora Ana Maria de Moraes Beluzzo: Uma grande motivação para estudar o legado iconográfico e a literatura de viagem dos cronistas europeus está na possibilidade que oferecem de rever o Brasil. Mas, como estigma, essas obras só podem dar a conhecer o Brasil visto por outros. O olhar dos viajantes espelha também a condição de nos vermos pelos olhos deles. 2 A segunda metade do século XIX traz para o Brasil os primeiros indícios da Revolução Industrial. Em meio à efervescência política e econômica da época, surgem os primeiros jornais brasileiros. São daquele período o Correio Braziliense (1811), Gazeta da Tarde, 25 de março, Gazeta de Notícias, A República, Revista Ilustrada (1881), Jornal do Commercio e uma infinitude de outros periódicos. No início, os jornais se prestam mais à publicação de obras literárias e fatos curiosos. Em muitos desses jornais a escrita possui muito mais características de literatura e crônica do que características de texto jornalístico, como o concebemos na atualidade. Inclusive com espaço reservado para a comercialização de escravos e gêneros alimentícios. Sobre as características do texto jornalístico da época, afirma o texto Entre a História e o Jornalismo : O termo crônica foi retomado no século XVIII para textos que resgatavam sua forma primitiva, ou seja, ostentando características literárias. Foi quando as crônicas começaram a ser publicadas em 2 Entrevista concedida ao jornalista Helvécio Carlos (Estado de Minas, caderno Espetáculo, 19/03/00), por Ana Maria de Moraes Beluzzo, Doutora em História da Arte e autora do livro O Brasil dos viajantes (Metalivros/Objetiva). 4

5 jornais, confundindo ou fundindo o seu tempo histórico ao tempo jornalístico. E até ganharem imortalidade, sendo publicadas em livros, permanecerão presas ao tempo jornalístico, nascendo hoje e morrendo amanhã. 1 Os primeiros anos do século XX são marcados pelo aprimoramento dos meios de transporte. O automóvel começa a ser utilizado em maior escala pelas classes abastadas. A aviação começa a ganhar destaque, sendo que, em 1919, a KLM (Companhia aérea holandesa) realiza o primeiro vôo transatlântico. As estradas de ferro são cada vez mais utilizadas por unir pontos longínquos e devido ao seu baixo custo. Nessa época, há uma mudança na percepção do turismo, que pode ser notada através da fundação em Paris, em 1911, do Office National de Tourisme. Há também a fundação, em 1925, das Organizações Oficiais da propaganda Turística (UIOOPT), em Haia. Essa fundação é antecessora à Organização Mundial de Turismo (OMT), e tem como objetivo promover o turismo em todas as nações para seu progresso econômico, social e cultural (DIAS, 2002). A segunda metade do século XX é marcada por dois fatos importantes: o desenvolvimento do turismo de massas e a chegada da televisão no Brasil. O mundo assiste ao desenvolvimento da atividade turística como nunca visto antes: o lançamento do avião a jato; a expansão da indústria automobilística; construção, modernização e diversificação dos estabelecimentos de hospedagem; incremento da infra-estrutura, como: portos marítimos, marinas, vias expressas, aeroportos, instalações de energia elétrica, água potável e centros respectivos; estabelecimento de itinerários fixos, rápidos e seguros; criação de pacotes turísticos abertos ao crédito; efetivação de numerosas disposições em leis que passam a regulamentar as atividades turísticas e trabalhistas; profissionalização das atividades turísticas, em face da criação de inúmeros organismos de turismo oficiais e privados; e, por último, disponibilização para a população de sistemas de crédito, para implementar o lado social do turismo. Para revelar a importância que o turismo estava assumindo, no ano de 1967 é comemorado o Ano do Turismo Mundial. No caso do Brasil, todos os benefícios citados acima fazem parte também da nossa realidade. O jornalismo e o turismo no início do século XXI, e suas inter-relações, representam o desenvolvimento de duas poderosas estruturas do mundo moderno. 1 site TRÍALOGOS, texto Entre a História e o Jornalismo de Priscilla Fernandes. 5

6 Enquanto o turismo solidifica-se como a terceira economia do planeta que mais gera empregos (diretos e indiretos), o jornalismo apresenta-se como o quarto poder. Ao longo do tempo, o homem também se viu obrigado a criar pautas para a sua comunicação. Entre os temas que sempre foram pauta, em todo processo histórico da civilização atual, são os temas relacionados às diferentes culturas, seus deuses, sobre o que é novo, diferente e até mesmo igual. Dessas discussões sobre o novo, sobre o sacro, sobre o que é diferente. Se há séculos atrás, os primeiros relatos turísticos saíram das canetas bico de pena dos mais diferentes escritores e estudiosos, provenientes dos mais diferentes países, hoje esses mesmos relatos históricos são os precursores de uma ampla rede de informação via mídia de massa que procura mostrar os mais diversificados pontos turísticos da Terra. Sobre o papel do jornalismo no desenvolvimento do turismo, Nielsen afirma que a criação de publicações especializadas em turismo, a partir de 1950, fornece uma visão interessante dos avanços dos estudos em turismo como ciência social (2002, p. 33). Apesar de o turismo de massa ter se desenvolvido posteriormente ao jornalismo, são muitas as similaridades que envolvem as duas ciências, conforme explica a escritora Sabáh Auon (2001, p. 15) em À procura do paraíso no universo do turismo. O livro aborda principalmente as publicações em mídia impressa (revistas), mas mostra-se como parâmetro no estudo das relações entre turismo e jornalismo: Distanciando-se gradativamente dos discursos vigentes até o final da década de 1970, proferidos pelos teóricos da área que apreciavam definí-lo nas profusões dos slogans como indústria da paz, ou indústria sem chaminés, limpa por excelência, como portador de uma missão salvadora, ou difusor de conhecimento e cultura (Barreto 1995, pp ) -, o turismo tem sido compreendido dentro de uma nova ordem econômica em que valores e padrões se globalizam, agilizados pelos avanços das tecnologias da comunicação. Curiosamente, as duas entidades que mais discutem o papel da comunicação no desenvolvimento do turismo são o Vaticano e a OMT (Organização Mundial do Turismo). Como indício dessa preocupação, dentre as comemorações do Dia Mundial do Turismo - sempre comemorado em 27 de setembro em 1991, o tema discutido pela OMT foi: Comunicação, informação e educação: elementos motores do 6

7 desenvolvimento do turismo. A norma estabelecida, na data dessa comemoração, manda que as instituições promovam amplos debates sobre o tema abordado, preparando em seguida documentos que regulem e registrem as discussões. Para corroborar essa preocupação da OMT com as relações que unem turismo e imprensa, o artigo 06 do Código Mundial de Ética do Turismo declara (apud DIAS, 2002, p. 236): 6.6. A imprensa, sobretudo a imprensa especializada em turismo, e os outros meios de comunicação, incluindo os modernos meios de comunicação eletrônica, devem fornecer uma informação honesta e equilibrada sobre os acontecimentos e situações suscetíveis de influência na freqüência turística. Igualmente, devem ter por missão o fornecimento de indicações precisas e fiáveis aos consumidores de serviços turísticos. As novas tecnologias de comunicação e comércio eletrônico devem ser desenvolvidos e utilizados para esse fim, não devendo, de forma alguma, assim como a imprensa e os outros meios de comunicação, incentivar o turismo sexual. No Brasil também já começam a ser desenvolvidas discussões para nortear o desenvolvimento do turismo em suas relações com o jornalismo. No ano de 2001, foi realizado pela Universidade Metodista de São Paulo, na Faculdade Cátedra Unesco o I Congresso Internacional de Comunicação e Turismo. Em 2002, é lançado o livro Turismo e Mídia, pela editora Contexto, do escritor Christian Nielsen. No livro são apresentadas regras básicas para os profissionais de turismo que objetivam trabalhar com jornalismo turístico e/ou pretendam desenvolver uma boa comunicação e redação para turismo. 2. A revista VT e os valores-notícia de Nelson Traquina A revista VT em janeiro de 2008 chegou à sua 147ª edição, é uma publicação da editora Abril, está no mercado há mais de 12 anos e é líder em tiragem. A categorização se dará a partir de critérios de classificação do conteúdo e imagem da capa das edições mensais publicadas durante o ano de 2007, conforme tabela abaixo: MÊS/2007 MATÉRIA DE CAPA NAC/INTER REGIÕES GEO. JANEIRO Os segredos do litoral norte de São Paulo NAC BRASIL 7

8 FEVEREIRO O barato do Caribe INTER MARÇO Buenos Aires em dose dupla INTER ABRIL MAIO Sul da Bahia: oito dias perfeitos de sol, praia, boa comida e muito axé Orlando: as incríveis aventuras da VT em Orlando NAC INTER AMÉRICA CENTRAL AMÉRICA DO SUL BRASIL EUA JUNHO Esqui para econômicos e gastadores INTER AMÉRICA DO SUL JULHO Portugal de carro INTER EUROPA AGOSTO Espanha em transe INTER EUROPA SETEMBRO Taiti: você pode. A gente ensina INTER POLINÉSIA FRANCESA OUTUBRO As 33 pousadas mais charmosas e baratas do Brasil NAC BRASIL NOVEMBRO 12 motivos para amar Santa Catarina NAC BRASIL DEZEMBRO 12 dias nas praias mais bonitas do sul da Bahia (entretanto no site oficial da revista o título postado é Verão do dólar: com o real valorizado este fim de ano no exterior é dos brasileiros ) NAC BRASIL Tabela 01: Matérias de capa da revista VT no ano de Fonte: Revista VT Dentro do total de 12 publicações, cinco matérias de capa (41,6%) referem-se ao Brasil. Sobre a América do Sul há duas matérias (16,6%) que apresentem Buenos Aires e regiões de esqui na Cordilheira dos Andes. A Europa está presente em duas matérias (16,6%), através capas sobre Portugal e Espanha. Com uma matéria cada (8,4%) são apresentados os Estados Unidos (Orlando), América Central (praias do Caribe) e Polinésia Francesa (Taiti, Ilhas Galápagos, Ilhas Maurício). Pode-se concluir, que em quase metade das matérias (cinco edições) um destino brasileiro foi capa da revista: quatro dessas matérias referem-se ao turismo de sol e mar e uma faz análise pousadas e hotéis charmosos e baratos. Para avançar na pesquisa foram observados os valores-notícia propostos e discutidos por Nelson Traquina, em seu livro Teoria do jornalismo. Segundo o autor, os valores-notícia de seleção dividem-se em contextuais (dia noticioso, disponibilidade, equilíbrio, visualidade, concorrência) e substantivos (proximidade, relevância, tempo, novidade, notabilidade, inesperado, conflito, infração e escândalo). Já os valores-notícia de construção podem ser categorizados assim: personalização, simplificação, amplificação, relevância, dramatização, consonância. É baseado nesses valores-notícia 8

9 que serão analisadas as matérias de capa das edições mensais da revista VT durante o ano de Textos soltos, grande utilização de fotos (se for analisado minuciosamente poder-se-á chegar à conclusão que as fotos ocupam mais espaço que o texto redigido), aparente falta de preocupação com o texto jornalístico (às vezes podendo chegar a textos quase literários), título sem preocupação com o tamanho e/ou número de letras, utilização de gírias e jargões populares no corpo do texto esses itens compõem a capa e o corpo das matérias em análise. Numa tentativa de criar um campo de interseção entre o está publicado das capas da revista VT e as categorias propostas por Traquina foram construídas três tabelas. A primeira, apresentada abaixo refere-se ao valores-notícia de seleção, pelos critérios substantivos que, de acordo com Traquina, dizem respeito à avaliação direta do acontecimento em termos da sua importância ou interesse como notícia (Traquina, 2004, p. 78). Valor-notícia de Seleção - substantivos Notoriedade Proximidade Relevância Novidade Tempo Descrição Do ator principal Geográfica ou cultural Capacidade do acontecimento incidir ou ter impacto sobre as pessoas O que há de novo Forma de atualidade Presente/Ausente O ator é o destino. A pergunta é se há outros atores que poderiam ter sido escolhidos e os motivos que levaram à escolha. Geográfica: tanto há destinos próximos como distantes. Cultural: há cultural que são mais conhecidas dos leitores, mas há outras sem vínculos estreitos (Polinésia Francesa). Econômico-financeira: para qual percentual da população brasileira esses destinos estão próximos? Em uma primeira análise, não se percebe a presença desse valor-notícia. Até pelo fato de as matérias não informarem sobre as mazelas dos destinos apresentados, como se essas não existissem. Um dos valores mais presentes. Sempre há a preocupação de mostrar uma angulação nova, novos equipamentos. Mas, pode-se perceber ao longo dos anos, que os mesmos destinos são reapresentados. Ou seja, a pauta não varia muito ano a ano. As matérias são escritas de maneira a serem independente do tempo atuais, guias de bolso para o viajante 9

10 Inesperado Conflito/Controvérsia Infração Aquilo que irrompe e surpreende Violência física ou verbal, disputas políticas Escândalo, crimes, violação, transgressão de regras Tabela 02: Valores-notícia de seleção: substantivos. Fonte: Revista VT tranformando-o em algo tangível. A maneira como o texto é redigido já é um simulacro: pretende-se, através da leitura, levar o cliente até o destino (como se turismo pode ser aprendido, e não somente experimentado). Há uma preocupação em apresentar destinos consolidados turisticamente, mas com novas angulações. Normalmente destinos em que há conflitos não são pauta de matérias da revista. As infrações são sempre a favor do belo ou bom serviço. Já os valores-notícia de seleção, pelos critérios contextuais, dizem respeito ao contexto da produção da notícia (Traquina, 2004, p. 78) e estão descritos e seguir: Valor-notícia de Seleção: Contextuais Disponibilidade Equilíbrio Visualidade Concorrência Dia noticioso Descrição Facilidade com que é possível fazer a cobertura Quantas vezes o acontecimento foi noticiado Elementos visuais fotografias e filmes Concorrência entre empresas Os acontecimentos em concorrência com outros acontecimentos Tabela 03: Valores-notícia de seleção: contextuais. Fonte: Revista VT Presente/Ausente A revista, após decidida a matéria de capa, tem condições financeiras de mandar seus jornalistas/articulistas para qualquer destino. O importante é procurar saber o porquê da escolha, do gatekeeper. Se forem observados, todos os continentes da Terra, percebe-se que não há equilíbrio. O equilíbrio se dá de outra forma: Talvez seja o valor-notícia que mais se aplica. Podese depreender que as fotos, algumas vezes, são mais importantes que o texto. Há leitores que vêem a revista, ao invés de lê-la. Sim, há em número e condições bastante mercadológicas. Há outros títulos nacionais que abordam turismo e há concorrência bastante acirrada entre eles. O dia noticioso de uma publicação mensal tem, no mínimo, 30 dias (definição de pauta, realização de matérias, editoração, impressão, publicação, distribuição, chegada à casa do assinante). As matérias de capa sempre apresentam destinos/serviços que estão muito relacionados com a estação climática que está se iniciando. Por último, os valores-notícia de construção são definidos por Traquina como os critérios de seleção dos elementos dentro do acontecimento dignos de serem incluídos 10

11 na elaboração da notícia (Traquina, 2004, p. 91). Para esse estudo, pode-se acenar que esses (apresentados abaixo) são determinantes da elaboração da pauta da revista VT: Valor-notícia de construção Simplificação Amplificação Relevância Personalização Dramatização Consonância Descrição Acontecimento desprovido de complexidade, ambigüidade Capacidade de o acontecimento ser notado Notícia cheia de sentidos Valorização das pessoas envolvidas no acontecimento O reforço do lado emocional, a natureza conflitual Estórias que os leitores já conhecem Tabela 04: Valores-notícia de construção. Fonte: SIM Presente Os destinos são apresentados por jornalistas/articulistas que o apresentam de maneira bastante coloquial, com um olhar e um texto bastante livres. Os destinos somente têm apresentados sob o ponto de vista do que há ser explorado. Não são apresentados os problemas do lugar, o ponto de vista da população, as dificuldades pelas quais passa o início/desenvolvimento das atividades turísticas da região, com seus problemas sociais. Os textos procuram construir o paraíso perfeito. Independente do lugar, continente, região ou estação do ano os melhores destinos para se fazer turismo são os publicados nas capas da revista VT. Os sentidos que uma matéria da revista VT tenta aguçar são outros se relacionados ao jornalismo diário. Os critérios de relevância são, portanto, outros. Pode-se perceber uma preocupação dos jornalistas/articulistas em rechear as matérias de pontos relevantes. Há também a preocupação com mapas e guias para tornar mais fácil o acesso do leitor/viajante aos lugares indicados. O texto sempre procura ser o mais informal, o mais próximo possível. Tanto do leitor, quanto do destino apresentado. O texto não objetiva construir uma imagem negativa do destino e sim, sempre, positiva. O lado emocional é um dos mais ressaltados na construção das matérias e dos destinos Estórias e histórias sobre turismo são uma constante no jornalismo mundial em todos os formatos (rádio, jornalismo impresso, televisão, internet etc). Como representa um importante bem de consumo na atualidade há destinos turísticos da moda, exóticos e tradicionais que sempre estão (e retornam) à mídia. E outros novos destinos que a mídia faz questão de apresentar periodicamente. 3. Considerações finais 11

12 Pode-se observar que as capas por vezes apresentam matéria frias, em outras fait divers, por conterem um grande percentual de atemporalidade, com um texto que beira a literatura e ao mesmo tempo procura estar falando ao pé do ouvido, como se o leitor estivesse fazendo junto com o jornalista/articulista a viagem apresentada. Na edição de dezembro de 2007, o jornalista Ricardo Freire se aventura a percorrer a pé as praias mais bonitas (e desertas) do sul da Bahia. Ao descrever suas caminhadas ele é muito coloquial em seu texto, falando das dificuldades das pedras escorregadias, do sobe e desce das marés. Uma clara tentativa de como se isso fosse possível levar o leitor a refazer com ele o percurso. Como se o turismo não fosse uma atividade só possível através da experimentação. Que por melhor que seja a revista, o meio ou a mídia eles jamais conseguirão reproduzir a experiência única e presencial que é fazer turismo. E por se tratarem de fait divers as matérias da revista VT tenham que se munir de muitos dos valores-notícia. Complementando o que já foi dito acima, o dia noticioso de uma revista de turismo é diferente do dia noticioso de um jornal diário. O tempo, os atores (destinos e/ou serviços turísticos), o objeto muda bastante de um meio para o outro. E se a necessidade de fotografia ou imagem é cada vez mais fundamental para que uma notícia seja percebida pelo público destinos/serviços turísticos sempre despertam interesse. Mas, o turismo está representado nas capas da VT? Por que foram escolhidos aqueles destinos? Essa é a pergunta-chave da questão: como se monta a pauta de uma revista de turismo. Como são escolhidos os lugares, os bares, restaurantes, hotéis e muitos outros destinos/serviços turísticos. A pesquisa a respeito da existência da categoria jornalismo turístico ainda permite espaço para novas discussões: se existe, se é bem feito, como poderia ser feito. Os estudos de Traquina auxiliam na elaboração desse raciocínio. Pelas tabelas pode-se perceber que a maior parte dos valores-notícia (independente da categoria) encontra-se também nos textos da revista VT. Entretanto, pelo fato de o ator ser outro (destino e/ou serviços turísticos) também são outros os gatekeepers, os interesses, os olhares. Talvez, o leitor de matérias de turismo talvez esteja procurando novos atores. 4. Anexos: 12

13 Ilustração 1 - janeiro/07 Ilustração 2 - fevereiro/07 Ilustração 3 - março/07 Ilustração 4 - abril/07 Ilustração 5 - maio/07 Ilustração 6 - junho/07 13

14 Ilustração 7 - julho/07 Ilustração 8 - agosto/07 Ilustração 9 - setembro/07 Ilustração 10 - outrubro/07 Ilustração 11 - novembro/07 Ilustração 12 - dezembro/07 5. Referências bibliográficas: AUON, Sabáh. A procura do paraíso no universo do turismo. Campinas: Papirus, BORDENAVE, Juan. Além dos meios e mensagens. Petrópolis: Vozes, DIAS, Reinaldo; AGUIAR, Marina Rodrigues de. Fundamentos do Turismo. Campinas: Alínea, GODOY, Ana Maria. Jornalismo turístico campo de pesquisa e atuação para turismólogos Monografia de conclusão de curso, Faculdade de Turismo de Curitiba, Curitiba. HALL, Stuart. A produção social das notícias: o mugging nos media. In: Jornalismo: questões, teorias e estórias. TRAQUINA, Nelson (org). Veja: Lisboa, 1993, p

15 LEITE, M. M. Livros de viagem: Rio de Janeiro: UFRJ, NEVES, Lúcia Maria Bastos Pereira das; MACHADO, Humberto Fernandes. O Império do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, NIELSEN, Christian. Turismo e Mídia. São Paulo: Contexto, PAULO II, João. XXII Dia Mundial do Turismo. Disponível em: <http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/messages/tourism/document> Acesso em 06 out PHILLIPS, E. Barbara. Novidade sem mudança. In: Jornalismo: questões, teorias e estórias. TRAQUINA, Nelson (org). Veja: Lisboa, 1993, p TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo, porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, Teorias do jornalismo, a tribo jornalística _ uma comunidade interpretativa transnacional. Vol. 2. Florianópolis: Insular, URRY, John. O olhar do turista: lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo, Studio Nobel, ZARDO, Eduardo. Respostas de questionário a Ana Marina Godoy. Curitiba, WEAVER, Paul H. As notícias de jornal e as notícias de televisão. In: Jornalismo: questões, teorias e estórias. TRAQUINA, Nelson (org). Veja: Lisboa, 1993, p

I Critérios substantivos Critérios que dizem respeito à avaliação direta do acontecimento em termos da sua importância ou interesse.

I Critérios substantivos Critérios que dizem respeito à avaliação direta do acontecimento em termos da sua importância ou interesse. 2) VALORES-NOTÍCIA B) Para Nelson Traquina e Pierre Bourdieu, os jornalistas têm óculos através dos quais vêem certas coisas e não outras. Vêem de certa maneira as coisas que vêem. Operam uma seleção e

Leia mais

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR

Humsol e a luta contra o câncer de mama 1. Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR Humsol e a luta contra o câncer de mama 1 Vinicius Arthur SANTOS 2 Luiz WITIUK 3 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO A reportagem foi realizada para a disciplina de Rádiojornalismo ainda no quarto

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 DO ACONTECIMENTO

Leia mais

Jornalismo Turístico: Breves apontamentos para uma pesquisa no jornalismo de viagem 1. Nícolas Barbosa 2 Universidade Federal do Piauí

Jornalismo Turístico: Breves apontamentos para uma pesquisa no jornalismo de viagem 1. Nícolas Barbosa 2 Universidade Federal do Piauí Jornalismo Turístico: Breves apontamentos para uma pesquisa no jornalismo de viagem 1 RESUMO Nícolas Barbosa 2 Universidade Federal do Piauí Este artigo objetiva apresentar uma breve análise do jornalismo

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº, DE 2006 Redação final do Projeto de Lei da Câmara nº 79, de 2004 (nº 708, de 2003, na Casa de origem). A Comissão Diretora apresenta a redação final do Projeto de Lei da Câmara

Leia mais

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias

Ações com profissionais de turismo (Blogueiros e Agentes de Viagem) Fam Tours Press Trips Notícias Embarque na Viagem Seu portal de Turismo, Lazer, Entretenimento e Gastronomia. Media Kit Redes Sociais Palestras Viagens de inspeção Publicidade Difenciada Ações com profissionais de turismo (Blogueiros

Leia mais

VIAGEM E TURISMO. Perfil da revista. Perfil do leitor. 76% de share³. Líder absoluta no segmento. 82% pertencem às classes AB

VIAGEM E TURISMO. Perfil da revista. Perfil do leitor. 76% de share³. Líder absoluta no segmento. 82% pertencem às classes AB VIAGEM E TURISMO Perfil da revista Líder absoluta no segmento Circulação de 97.630 exemplares¹ Mais de 286.000 leitores² 76% de share³ Perfil do leitor 82% pertencem às classes AB 63% possuem entre 25

Leia mais

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames.

1) A prática e o aprofundamento das habilidades comunicativas específicas que serão avaliadas nos exames. C U R S O S ESPECIAIS I n s t i t u t o C e r v a n t e s d e B r a s i l i a CURSOS ESPECIAIS O Instituto Cervantes de Brasília dispõe de uma ampla oferta de cursos especiais para se adaptar as necessidades

Leia mais

Receita infalível para uma boa viagem

Receita infalível para uma boa viagem Receita infalível para uma boa viagem Para que a tão sonhada viagem de férias não se transforme em um pesadelo, alguns cuidados básicos devem ser tomados. Pensando no seu conforto e na sua segurança nesse

Leia mais

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO Internationali Negotia Felipe Caian AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO MODELO INTERNACIONAL DO BRASIL Brasília - DF 2015 1 Conhecendo a Agência de Comunicação 1.1 Apresentação A Agência de Comunicação (AC) é a ponte

Leia mais

UMA. Publicação RIC EDITORA A MAIOR EDITORA DE SANTA CATARINA VERÃO 2014/2015 REVISTA 4ª EDIÇÃO

UMA. Publicação RIC EDITORA A MAIOR EDITORA DE SANTA CATARINA VERÃO 2014/2015 REVISTA 4ª EDIÇÃO UMA Publicação RIC EDITORA A MAIOR EDITORA DE SANTA CATARINA VERÃO 2014/2015 REVISTA 4ª EDIÇÃO DIVULGAÇÃO DE SANTA CATARINA Apresentação DA REVISTA SHOW ME é um produto inovador no mercado de Santa Catarina.

Leia mais

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1

CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 CORPO FEMININO E DETERMINAÇÕES DA INDÚSTRIA CULTURAL: CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA SOCIAL Bruna Trevizoli Ferraz Lobo 1 (Orientador) Profa. Dra. Tatiana Machiavelli Carmo Souza 2 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase. Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo. Ênfase. Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I Curso 2202D - Comunicação Social: Jornalismo Ênfase Identificação Disciplina 0003015A - Jornalismo Impresso I Docente(s) Angelo Sottovia Aranha Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo

Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo Práticas Laboratoriais de uma Rede de Comunicação Acadêmica Rede Teia de Jornalismo Autores: Maria Zaclis Veiga e Élson Faxina Docentes do Centro Universitário Positivo UnicenP Resumo: A Rede Teia de Jornalismo

Leia mais

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer

A novidade é que o Brasil não é só litoral É muito mais é muito mais que qualquer zona sul Tem gente boa espalhada por este Brasil Que vai fazer CAUSAS: Acirramento da concorrência comercial entre as potências coloniais; Crise das lavouras de cana; Estagnação da economia portuguesa na segunda metade do século XVII; Necessidade de encontrar metais

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE Gerson Luiz Martins PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE A contribuição da Reportagem, Assessorias e Agências para a formação do jornal diário. Equipe

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA Autora: Regina Coelli Gomes Nascimento - Professora do curso de História

Leia mais

Fam Tours Press Trips. Cliente Oculto

Fam Tours Press Trips. Cliente Oculto Embarque na Viagem Seu portal de Turismo, Lazer, Entretenimento e Gastronomia. Media Kit 2013 Notícias Fam Tours Press Trips Redes Sociais Publicidade Difenciada Projetos Especiais Perfil Cliente Oculto

Leia mais

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL

Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A/484566 Estrela Serrano JORNALISMO POLÍTICO EM PORTUGAL A cobertura de eleições presidenciais na imprensa e na televisão (1976-2001) Edições Colibri Instituto Politécnico de Lisboa ÍNDICE Introdução 23

Leia mais

Programa ADAI Projetos Brasileiros

Programa ADAI Projetos Brasileiros Programa ADAI Projetos Brasileiros Brasil 1999 1ª Convocatória Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte: Conservação preventiva de acervo audiovisual. Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami:

Leia mais

Mídia Kit 2015. Publicidade. Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014

Mídia Kit 2015. Publicidade. Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014 Mídia Kit 2015 Publicidade Tabela com vigência a partir de janeiro de 2015 Versão I em 26/11/2014 Multiplataforma A Prazeres da Mesa é hoje a mais dinâmica produtora de conteúdo de gastronomia em várias

Leia mais

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA LUÍS REIS TORGAL SUB Hamburg A/522454 ESTADOS NOVOS ESTADO NOVO Ensaios de História Política e Cultural [ 2. a E D I Ç Ã O R E V I S T A ] I u IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2 0 0 9 ' C O I M B R

Leia mais

POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE. Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa²

POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE. Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa² POVOS INDÍGENAS E A MÍDIA ESCRITA SUL-MATO-GROSSENSE Renata Guerreiro Barbosa¹; Beatriz dos Santos Landa² 1. 2. Bolsista UEMS, Acadêmica do Curso de Enfermagem da UEMS Professora do Curso de Ciências Biológicas

Leia mais

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 1 Jornal Marco Zero 1 Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 Faculdade internacional de Curitiba (Facinter) RESUMO O jornal-laboratório Marco Zero 6 é

Leia mais

Os Amigos do Pedrinho

Os Amigos do Pedrinho elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Os Amigos do Pedrinho escrito por & ilustrado por Ruth Rocha Eduardo Rocha Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

Bianca Arantes dos Santos 2 Célio José Losnak 3

Bianca Arantes dos Santos 2 Célio José Losnak 3 Cultura, história e gastronomia: análise de enquadramento do jornalismo gastronômico 1 RESUMO Bianca Arantes dos Santos 2 Célio José Losnak 3 O texto parte de uma pesquisa que tem como proposta realizar

Leia mais

O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres.

O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres. Assunto Turismo SOPHIA MIND A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem por cento

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO

EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO EMENTÁRIO DO CURO DE JORNALISMO LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de massa. Os tipos

Leia mais

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão.

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

A REVISTA VEJA E A CONSTRUÇÃO DE SUJEITOS SAUDÁVEIS

A REVISTA VEJA E A CONSTRUÇÃO DE SUJEITOS SAUDÁVEIS A REVISTA VEJA E A CONSTRUÇÃO DE SUJEITOS SAUDÁVEIS Lucimar Alberti - UFRGS Introdução Durante o século XX, mais precisamente após a Segunda Guerra Mundial, começaram a surgir diversas críticas ao mundo

Leia mais

Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1

Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1 Comunicação Solidária: um programa de rádio sobre a área social 1 Bruna Robassa 2 Lamartine Testa 3 Diana Prestes 4 Renata Orsato 5 Anna Carolina Cidade Neiva 6 Jakeline Piantandossi 7 Mônica Kaseker 8

Leia mais

SONHE. PLANEJE.EMBARQUE.

SONHE. PLANEJE.EMBARQUE. SONHE. PLANEJE.EMBARQUE. [na direção certa] A Viagem e Turismo é feita por pessoas que amam viajar e têm a sorte de trabalhar com o que amam. Isso se reflete em todas as dimensões da nossa marca. Nossa

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

(In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo.

(In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo. Mesa 24 (In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo. Cláudio de Sá Machado Júnior Dentre as várias tipologias fotográficas

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1

Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Jornalismo cultural na internet e a proposta do site Movamente 1 Letícia BARROSO 2 Thaís PEIXOTO 3 Centro Universitário Fluminense Campus II- Campos/RJ RESUMO: A falta de espaço nos veículos convencionais

Leia mais

O Rádio Educativo no Brasil

O Rádio Educativo no Brasil Série Memória 1 Cadernos da Comunicação Série Memória O Rádio Educativo no Brasil Secretaria Especial de Comunicação Social 2 Cadernos da Comunicação Agradecemos a colaboração da Sociedade dos Amigos Ouvintes

Leia mais

Uma revista, muitas experiências Porque cada viagem é para sempre

Uma revista, muitas experiências Porque cada viagem é para sempre Uma revista, muitas experiências Porque cada viagem é para sempre Uma forma única de Viajar Pelo Mundo Mostrar tendências, antecipar novidades e ajudar nossos leitores a realizarem seus sonhos, assim é

Leia mais

Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo

Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo Parceria faculdade-empresa na área de jornalismo ANA EUGÊNIA NUNES DE ANDRADE Jornalista, professora do Curso de Comunicação Social habilitação em Jornalismo, da Universidade do Vale do Sapucaí (Univás)

Leia mais

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA Prestação de Serviço de Configuração de Portal de Cidade VISÃO GERAL PESM Projeto Eu Sou de Minas tem a satisfação de enviar esta proposta de serviços

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE COMUNICAÇÃO, TURISMO E ARTES Coordenação de Jornalismo REGIMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM JORNALISMO Capítulo I Da concepção de estágio O Estágio visa oportunizar

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

fronpreôô Relatório de Atividades e Clipagem Grupo Flytour Dezembro/2011 . ^ Comunicação Conteúdo Posicionamento

fronpreôô Relatório de Atividades e Clipagem Grupo Flytour Dezembro/2011 . ^ Comunicação Conteúdo Posicionamento F L V T O U R' fronpreôô Comunicação Conteúdo Posicionamento (. ^ Relatório de Atividades e Clipagem Grupo Flytour Dezembro/2011 / Grupo Flytour Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Dezembro

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

Graduanda em Geografia pela Universidade de São Paulo. Bolsista de iniciação científica da FUSP/BNDES. Contato: ca-milafranco@hotmail.

Graduanda em Geografia pela Universidade de São Paulo. Bolsista de iniciação científica da FUSP/BNDES. Contato: ca-milafranco@hotmail. Implementação de bancos de dados georeferenciados das Viagens Filosóficas Portuguesas (1755-1808) e a criação de um material didático com o uso do Google Earth. Camila Franco 1 Ermelinda Moutinho Pataca

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE PINHEIRO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - HISTÓRIA 8º Ano Turma A ANO LECTIVO 2011/2012 Disciplina 1º Período Nº de aulas previstas 38

Leia mais

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Ponta do Calabouço e adjacências: história, memória e patrimônio nos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro CHAMADA PÚBLICA DE TRABALHOS A faixa de terra

Leia mais

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Maicon Ferreira de SOUZA 3 Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR. RESUMO O presente

Leia mais

Onde os estudantes querem viajar?*

Onde os estudantes querem viajar?* RELATÓRIO DE MÍDIA ESTATÍSTICAS Ao final de cada feira, durante o circuito de seis cidades do Salão do Estudante, a BMI entrega a todos os expositores uma avaliação, onde são colhidas informações e opniões

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003029A - História da Comunicação

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso null - null. Ênfase. Disciplina 0003029A - História da Comunicação Curso null - null Ênfase Identificação Disciplina 0003029A - História da Comunicação Docente(s) Vinicius Martins Carrasco de Oliveria Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no art. 19, XX, da Lei Complementar nº 85, de 27 de dezembro de 1999, Considerando

Leia mais

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP

Resumo. GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP GT Produção Laboratorial Impresso Jornal cultural 2ª Opinião Márcia Eliane Rosa Professora de Jornalismo, doutoranda na ECA/USP Resumo O 2ª Opinião - Espaço cultural é um jornal-laboratório que vem sendo

Leia mais

O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS.

O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS. O MAIOR E MAIS INFLUENTE PROJETO GASTRONÔMICO DO PAÍS. O Guia Comer & Beber Os Eventos Comer & Beber Comer & Beber Digital Envolvimento da Marca Proposta Comercial Patrocínio Nacional Apoio Nacional Apoio

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

Candomblé: Fé e Cultura 1. Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE

Candomblé: Fé e Cultura 1. Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE Candomblé: Fé e Cultura 1 Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE RESUMO O presente trabalho apresenta, por meio de um ensaio fotográfico, a cultura do

Leia mais

Comunicação Institucional. Curso de Administração SECAL Administração Mercadologica - 2. ano. Profa Msc Monalisa Rodrigues Zoldan

Comunicação Institucional. Curso de Administração SECAL Administração Mercadologica - 2. ano. Profa Msc Monalisa Rodrigues Zoldan Comunicação Institucional Curso de Administração SECAL Administração Mercadologica - 2. ano Profa Msc Monalisa Rodrigues Zoldan COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL É a estratégia de posicionamento da marca que define

Leia mais

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL

Norte Nordeste Centro-Oeste Sudeste Sul INTERNACIONAL 3.11 Perfil do turista Os documentos utilizados para a análise do perfil do turista que visita o Ceará são: Relatório de Pesquisa da Demanda Turística via Fortaleza 1999 foram aplicados 4.032 questionários

Leia mais

A AMÉRICA CENTRAL E O CARIBE. Professora:Luiza de Marilac Geografia 8º Ano 2015

A AMÉRICA CENTRAL E O CARIBE. Professora:Luiza de Marilac Geografia 8º Ano 2015 A AMÉRICA CENTRAL E O CARIBE Professora:Luiza de Marilac Geografia 8º Ano 2015 Fragmentação política Sub regiões Ístmica Insular Composição étnica: Euroameríndios Indígenas Afrodescendentes AMÉRICA CENTRAL

Leia mais

Quem fala quando o assunto é criança e adolescente: uma análise do uso das fontes de informação pelos jornalistas 1

Quem fala quando o assunto é criança e adolescente: uma análise do uso das fontes de informação pelos jornalistas 1 Quem fala quando o assunto é criança e adolescente: uma análise do uso das fontes de informação pelos jornalistas 1 Vinicius Andrade de Carvalho Rocha 2 Wellington Nogueira Amarante 3 Universidade Federal

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

EMBRATUR. Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013

EMBRATUR. Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013 EMBRATUR Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013 Com 20 anos de experiência em Estudos de Mercado, o Instituto Methodus garante aos seus clientes relatórios que

Leia mais

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico

Luau Bom D+ Bom D+ Verão. Desafio Ciclístico 4 Luau Bom D+ 10 Bom D+ Verão 16 Desafio Ciclístico 22 Triathlon Bahia de Todos os Santos 28 Revezamento a Nado Farol a Farol 34 Carnaval 2013 Record Bahia O que já era bom ficou ainda melhor. A primeira

Leia mais

Um Menino Igual a Todo Mundo

Um Menino Igual a Todo Mundo elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Um Menino Igual a Todo Mundo escrito por & ilustrado por Sandra Saruê Marcelo Boffa Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho IMPRENSA IT. 36 07 1 / 8 1. OBJETIVO Administrar o fluxo de informações e executar ações de comunicação junto aos públicos interno e externo do Crea GO de forma transparente, ágil, primando pela veracidade

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS CURSO DE JORNALISMO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E PROJETOS EXPERIMENTAIS 1 1 ÁREAS TEMÁTICAS Respeitada a disponibilidade de carga horária dos professores orientadores e a escolha dos alunos,

Leia mais

MIDIA E INCLUSÃO: RELATO DE EXPERIÊNCIAS DE UMA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL RESUMO. Fabiana Fator Gouvêa Bonilha Rede Anhanguera de Comunicação

MIDIA E INCLUSÃO: RELATO DE EXPERIÊNCIAS DE UMA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL RESUMO. Fabiana Fator Gouvêa Bonilha Rede Anhanguera de Comunicação MIDIA E INCLUSÃO: RELATO DE EXPERIÊNCIAS DE UMA PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL Fabiana Fator Gouvêa Bonilha Rede Anhanguera de Comunicação fabiana.ebraille@gmail.com RESUMO No presente trabalho, tenciona-se

Leia mais

Apresentação de projetos na Bahiatursa

Apresentação de projetos na Bahiatursa Apresentação de projetos na Bahiatursa - Orientações - janeiro/2012 Apresentação A Bahiatursa, empresa oficial de turismo do Estado da Bahia, é vinculada à Secretaria de Turismo do Estado e tem como finalidade

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

MisturaBOA. Uma seleção de boas notícias e boas ideias para se viver melhor. Revista SAÚDE BOAS NOTICIAS E BOAS IDEIAS PARA SE VIVER MELHOR

MisturaBOA. Uma seleção de boas notícias e boas ideias para se viver melhor. Revista SAÚDE BOAS NOTICIAS E BOAS IDEIAS PARA SE VIVER MELHOR Revista MisturaBOA BOAS NOTICIAS E BOAS IDEIAS BOAS NOTICIAS PARA SE VIVER MELHOR E BOAS IDEIAS PARA SE VIVER MELHOR Uma seleção de boas notícias e boas ideias para se viver melhor Projeto 2015 conceito

Leia mais

F-RANDress. Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Fevereiro / 2008. Avaliação

F-RANDress. Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Fevereiro / 2008. Avaliação i^assessoria DE IMPRENSA^ Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Fevereiro / 2008 Avaliação Em fevereiro, a Corporação Flytour obteve 26 inserções na mídia. Entre os destaques do período está

Leia mais

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número: este, esse, aquele. Existem três invariáveis:

Leia mais

PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014.

PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014. PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014. Aprova o Guia para o Relacionamento com a Imprensa do Ministério Público Federal. O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

MÍDIA KIT VAREJO PROMOCIONAL. meio & mídia

MÍDIA KIT VAREJO PROMOCIONAL. meio & mídia MÍDIA KIT VAREJO PROMOCIONAL 2015 O QUE É A CULT A revista Cult trouxe um novo conceito e quando chegou ao mercado, em 2005, agitou a mídia impressa com sua proposta inovadora. Já nasceu corajosa e trazendo

Leia mais

FOTOGRAFIA IMPRESSA E EXPOSIÇÕES FOTOJORNALÍSTICAS DO GRUPO FOCA FOTO

FOTOGRAFIA IMPRESSA E EXPOSIÇÕES FOTOJORNALÍSTICAS DO GRUPO FOCA FOTO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

Planos estratégicos de comunicação 2013/2014 Programa Áreas Protegidas da Amazônia - ARPA

Planos estratégicos de comunicação 2013/2014 Programa Áreas Protegidas da Amazônia - ARPA 1. Plano de Comunicação interna 1.1 Aspectos estruturantes 1.1.1 Objetivo O objetivo maior do plano de comunicação interna é fortalecer a gestão do Programa Arpa, a coesão entre parceiros e agentes diretamente

Leia mais

SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p.

SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p. 219 SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p. 220 Não é lenda; é Realidade It's not legend; it's Reality Joaquim Francisco

Leia mais

Jornal do Brasil - O primeiro jornal brasileiro da internet

Jornal do Brasil - O primeiro jornal brasileiro da internet 1 de 8 7/6/2010 13:48 ir direto para o conteúdo buscar notícias ir direto para as editorias Jornal do Brasil - O primeiro jornal brasileiro da internet Capa País Rio Economia Internacional Esportes Ciência

Leia mais

Uma ferramenta de comunicação é um meio, uma forma de transmitir uma informação, pensamento, ideia, opinião.

Uma ferramenta de comunicação é um meio, uma forma de transmitir uma informação, pensamento, ideia, opinião. Uma ferramenta de comunicação é um meio, uma forma de transmitir uma informação, pensamento, ideia, opinião. Uma forma oral? Uma forma sonora? ou Uma forma visual/escrita?? Off-line: Revistas; Panfletos;

Leia mais

A história do Balanço Social

A história do Balanço Social C A P Í T U L O 1 A história do Balanço Social D esde o início do século XX registram-se manifestações a favor de ações sociais por parte de empresas. Contudo, foi somente a partir da década de 1960, nos

Leia mais

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos.

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos. Questão nº 1 I. Seleção de dados relevantes para o assunto em pauta, comparação, hierarquização. Devem aparecer nos textos: a) a Internet grátis desafia os provedores estabelecidos. Ressaltar as posições

Leia mais

Grandes Exploradores

Grandes Exploradores Obras de referência para toda Grandes Exploradores A ousadia, a determinação e o espírito de aventura das figuras que marcam a descoberta e a exploração do Planeta. Do fundo do mar aos polos, do coração

Leia mais

Flytour Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Abril / 2008. Avaliação. Releases divulgados e ações em andamento.

Flytour Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Abril / 2008. Avaliação. Releases divulgados e ações em andamento. Flytour Relatório de Atividades Relações com a Imprensa Abril / 2008 F-RANoress Ij A S SESSORIA DE IMPRENSA: Avaliação Em abril, a Corporação Flytour obteve 27 inserções na mídia. Entre os destaques do

Leia mais

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010

WORLD CUP Turistas África do Sul, Junho/2010 WORLD CUP Turistas do Sul, Junho/20 Total: 4.835 entrevistas : 46% (n=2.204) : 4% (n=202) : 41% (n=2.000) : 6% (n=307) : 3% (n=122) Perfil dos entrevistados PRINCIPAL FINANCIADOR DA VIAGEM Está pagando

Leia mais

Geografia QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 15 pontos)

Geografia QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 15 pontos) Geografia QUESTÕES de 01 a 06 LEIA CUIDADOSAMENTE O ENUNCIADO DE CADA QUESTÃO, FORMULE SUAS RESPOSTAS COM OBJETIVIDADE E CORREÇÃO DE LINGUAGEM E, EM SEGUIDA, TRANSCREVA COMPLETAMENTE CADA UMA NA FOLHA

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

Mídia kit Outubro/2015

Mídia kit Outubro/2015 Mídia kit Outubro/2015 Quem somos? O Viajadora é um blog feito por duas amigas de infância que gostam de viajar gastando o mínimo possível, mas aproveitando ao máximo. De tanto dar dicas para os amigos,

Leia mais

1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS...

1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS... SUMÁRIO 1 TEMA... 2 2 JUSTIFICATIVA... 2 3 PROBLEMA DA PESQUISA... 3 4 OBJETIVOS: GERAL E ESPECÍFICOS... 3 4.1 OBJETIVO GERAL... 3 4.2 OBJETIVO ESPECÍFICO... 3 5 REFERENCIAL TEÓRICO... 4 6 METODOLOGIA

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais