Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programas e Ações VALOR DO PROGRAMA NO ANO 2016 2017 2018 2019 ORÇAMENTO FISCAL 131.747.455 6.000 6.000 6.000"

Transcrição

1 PROGRAMA : DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA GOVERNAMENTAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS PROVER A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MINEIRA DE INFRAESTRUTURA FÍSICA ADEQUADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS À SOCIEDADE, ATRAVÉS DE INVESTIMENTOS EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA E OBRAS DE CONSTRUÇÃO, REFORMA, AMPLIAÇÃO DE EDIFICAÇÕES, DESAPROPRIAÇÕES E INDENIZAÇÕES. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - FORTALECER OS CANAIS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL PRESENCIAIS E DIGITAIS NOS PROCESSOS DE EXECUÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS E TRANSPORTES PÚBLICOS - MODERNIZAR A CAPACIDADE INSTITUCIONAL DE EXECUÇÃO DAS POLÍTICAS DE OBRAS PÚBLICAS E DE TRANSPORTES NO QUE SE REFERE AOS PROCESSOS DE PLANEJAMENTO, COORDENAÇÃO, GESTÃO, FISCALIZAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE TECIDOS BIOLÓGICOS DE MINAS GERAIS - CETEBIO UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : ENTREGAR À SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE UMA EDIFICAÇÃO COM INFRAESTRUTURA ADEQUADA PARA ATENDIMENTOS DE ALTA COMPLEXIDADE COMO TECIDOS E MATERIAIS BIOLÓGICOS. PRODUTO : % DE SEDE IMPLANTADA UNIDADE DE MEDIDA : PERCENTUAL PÚBLICO-ALVO : HOSPITAIS PÚBLICOS E PRIVADOS CONVENIADOS AO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) Metropolitano TOTAL AÇÃO : CONSTRUÇÃO, AMPLIAÇÃO E/OU REFORMAS DE EDIFICAÇÕES GOVERNAMENTAIS UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : PROVER A ADMINISTRAÇÃO PUBLICA DE EDIFICAÇÕES E EQUIPAMENTOS PUBLICOS DE QUALIDADE E CAPAZES DE VIABILIZAR PRESTAÇÃO ADEQUADA DE SERVIÇOS PUBLICOS. PRODUTO : UNIDADE PREDIAL CONSTRUÍDA/REFORMADA/AMPLIADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E CIDADÃOS Metropolitano TOTAL

2 AÇÃO : PROJETOS, CONSTRUÇÕES, REFORMAS E AMPLIAÇÕES DE UNIDADES DA EDUCAÇÃO UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : GARANTIR O FUNCIONAMENTO ADEQUADO DAS UNIDADES EDUCACIONAIS POR MEIO DE PROVIMENTO DE INFRAESTRUTURA FÍSICA. PRODUTO : UNIDADE PREDIAL CONSTRUÍDA/REFORMADA/AMPLIADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E CIDADÃOS Metropolitano TOTAL AÇÃO : PROJETOS, CONSTRUÇÕES, REFORMAS E AMPLIAÇÕES DE UNIDADES DA DEFESA SOCIAL UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : GARANTIR O FUNCIONAMENTO DA SEGURANÇA PÚBLICA POR MEIO DO PROVIMENTO ADEQUADO DE INFRAESTRUTURA FÍSICA. PRODUTO : UNIDADE PREDIAL CONSTRUÍDA/REFORMADA/AMPLIADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Oeste Mata Vertentes Sul Triângulo Norte Triângulo Sul Norte TOTAL AÇÃO : PROJETOS, CONSTRUÇÕES, REFORMAS E AMPLIAÇÕES DE UNIDADES DE SAÚDE UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : GARANTIR O FUNCIONAMENTO ADEQUADO DAS UNIDADES DE SAÚDE POR MEIO DO PROVIMENTO DE INFRAESTRUTURA FÍSICA. PRODUTO : UNIDADE PREDIAL CONSTRUÍDA/REFORMADA/AMPLIADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E CIDADÃOS Caparaó Vertentes Sul TOTAL

3 PROGRAMA : GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. AUMENTAR A CAPACIDADE INSTALADA DE GERAÇÃO POR MEIO DA CONSTRUÇÃO DE NOVAS USINAS HIDRELÉTRICAS, TÉRMICAS E/OU DE FONTES ALTERNATIVAS, ATENDENDO AOS REQUISITOS INSTITUCIONAIS DE PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, COMPETITIVO, SUSTENTÁVEL E INCLUSIVO - AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DA ECONOMIA MINEIRA ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTOS DE FINANCIAMENTO DE INVESTIMENTOS E MELHORIA DAS CONDIÇÕES TRIBUTÁRIAS, NA PROTEÇÃO DOS SISTEMAS ECONÔMICOS TERRITORIAIS, INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA, APERFEIÇOAMENTO DO AMBIENTE REGULATÓRIO E MELHORIA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS - AMPLIAR A PARTICIPAÇÃO DAS FONTES RENOVÁVEIS NA MATRIZ ENERGÉTICA ESTADUAL - CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO - DESENVOLVER SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA OS PROCESSOS INDUSTRIAIS, PROMOVENDO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E HÍDRICA Indicador do Programa (Unidade de Medida) TAXA DE CRESCIMENTO ANUAL DA CAPACIDADE INSTALADA DE GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (PERCENTUAL % ) Referência Data Índice 30/06/2015 7,500 0,000 0,000 0,000 0,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : CONSTRUÇÃO E AQUISIÇÃO DE USINAS HIDRELÉTRICAS TÉRMICAS E /OU DE FONTES ALTERNATIVAS UNIDADE RESPONSÁVEL : CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. FINALIDADE : CONSTRUIR E ADQUIRIR USINA HIDRELÉTRICA, TÉRMICA E/OU DE FONTES ALTERNATIVAS COM A PARTICIPAÇÃO DA INICIATIVA PRIVADA POR MEIO DE CONSÓRCIO, ALÉM DE ESTUDOS E PROJETOS PARA A AMPLIAÇÃO DE ATIVOS. PRODUTO : USINA CONSTRUÍDA UNIDADE DE MEDIDA : USINA PÚBLICO-ALVO : INDÚSTRIA, COMÉRCIO E POPULAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Multiterritorial TOTAL AÇÃO : MANUTENÇÃO DA INFRAESTRUTURA DAS USINAS HIDRELÉTRICAS E/OU TÉRMICAS UNIDADE RESPONSÁVEL : CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. FINALIDADE : PRESTAR SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES, MEIO AMBIENTE E AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS, APOIO GERAL, ASSOCIADOS À GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. PRODUTO : MANUTENÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : SERVIÇO PÚBLICO-ALVO : INDÚSTRIA, COMÉRCIO E POPULAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Multiterritorial TOTAL

4 AÇÃO : REFORMAS E MELHORIAS DE USINAS UNIDADE RESPONSÁVEL : CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. FINALIDADE : EXECUTAR SERVIÇOS DE REFORMAS E MELHORIAS NAS USINAS EM OPERAÇÃO, VISANDO MANTER A EFICÊNCIA DO PARQUE GERADOR INSTALADO, ALÉM DE ESTUDOS E PROJETOS PARA A AMAPLIAÇÃO DE ATIVOS. PRODUTO : REFORMA REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : REFORMA PÚBLICO-ALVO : INDÚSTRIA, COMÉRCIO E POPULAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Multiterritorial TOTAL

5 PROGRAMA : DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA MUNICIPAL E REGIONAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS CONTRIBUIR PARA O DINAMISMO ESTADUAL ATRAVÉS DE AÇÕES DIRECIONADAS AO DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA MUNICIPAL E REGIONAL. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - APOIAR OS MUNICÍPIOS NO PLANEJAMENTO E CONSTRUÇÃO DA INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA AO DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL E REGIONAL ALINHADO COM O PLANEJAMENTO MUNICIPAL, ESTADUAL E NACIONAL E ÀS CAPACIDADES INSTITUCIONAIS LOCAIS - AMPLIAR, DIVERSIFICAR, MODERNIZAR E INTEGRAR A INFRAESTRUTURA E AS MODALIDADES DE TRANSPORTES, PROPORCIONANDO COMPETITIVIDADE LOGÍSTICA, REDUZINDO TEMPO E CUSTO E AUMENTANDO QUALIDADE, CONFORTO E SEGURANÇA - FOMENTAR A MODERNIZAÇÃO DA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS COM FOCO NA TÉCNICA, QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E SUSTENTABILIDADE Indicador do Programa (Unidade de Medida) Referência Data Índice ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO TRIBUTÁRIO E ECONÔMICO (%) 30/01/ ,700 14,700 20,000 30,000 40,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : APOIO A INFRAESTRUTURA MUNICIPAL E REGIONAL COM FORNECIMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : FORNECER SUPORTE AO DESENVOLVIMENTO DA INFRAESTRUTURA MUNICIPAL ATRAVÉS DO FORNECIMENTO DE ELEMENTOS ESTRUTURAIS, CONTRIBUINDO PARA A MELHORIA DA MOBILIDADE DE PESSOAS, BENS E SERVIÇOS NO DIVERSOS MUNICÍPIOS DO ESTADO E NAS SUAS ÁREAS RURAIS. PRODUTO : MATERIAL ADQUIRIDO E DISTRIBUÍDO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL AÇÃO : APOIO AOS MUNICÍPIOS E REGIÕES EM INTERVENÇÕES DE INFRAESTRUTURA URBANA E RURAL UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL E REGIONAL POR MEIO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA VIÁRIA E EQUIPAMENTOS PÚBLICOS VISANDO A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO. PRODUTO : CONVÊNIO REALIZADO UNIDADE DE MEDIDA : CONVÊNIO PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Alto Jequitinhonha TOTAL

6 AÇÃO : URBANIZAÇÃO DE FAVELAS E REVITALIZAÇÃO DO ARRUDAS/TEREZA CRISTINA - PAC ARRUDAS UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROMOVER A URBANIZAÇÃO DE FAVELAS, A MELHORIA SANITÁRIA E A QUALIDADE AMBIENTAL NO TRECHO MONTANTE DO RIBEIRÃO ARRUDAS, ENTRE OS MUNICÍPIOS DE BELO HORIZONTE E CONTAGEM ELEVANDO A QUALIDADE DE VIDA DOS CIDADÃOS METROPOLITANOS. PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL AÇÃO : RECUPERAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA CALHA DO RIO BETIM EM BETIM - PAC BETIM UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROVER A INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA PARA CONTROLE DAS CHEIAS DO RIO BETIM COM O OBJETIVO DE EVITAR OS DANOS CAUSADOS PELAS ENCHENTES. PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL AÇÃO : REQUALIFICAÇAO URBANA E AMBIENTAL E CONTROLE DE CHEIAS DO CÓRREGO FERRUGEM - PAC FERRUGEM UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROVER A INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA PARA CONTROLE DAS CHEIAS DO CÓRREGO FERRUGEM COM O OBJETIVO DE EVITAR OS DANOS CAUSADOS PELAS ENCHENTES. PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL

7 AÇÃO : CONTROLE DE CHEIAS DO RIO MURIAÉ E RIO PRETO EM MURIAÉ - PAC MURIAÉ UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROVER A INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA PARA CONTROLE DAS CHEIAS DO RIO MURIAÉ E RIO PRETO COM OBJETIVO DE EVITAR DANOS CAUSADOS POR ENCHENTES. PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Mata TOTAL AÇÃO : REQUALIFICAÇÃO URBANA E AMBIENTAL E DE CONTROLE DE CHEIAS DO CÓRREGO RIACHO DAS PEDRAS UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROVER A INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA PARA CONTROLE DAS CHEIAS DO CÓRREGO RIACHO DAS PEDRAS COM O OBJETIVO DE EVITAR OS DANOS CAUSADOS PELAS ENCHENTES. PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL AÇÃO : CONTENÇÃO DE ENCOSTAS EM ÁREAS DE RISCO - PAC ENCOSTAS UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PREVENIR DESLIZAMENTOS DE TERRA ATRAVÉS DA EXECUÇÃO DE OBRAS DE CONTENÇÃO DE ENCOSTAS EM ÁREAS DE RISCO PRODUTO : OBRA EXECUTADA UNIDADE DE MEDIDA : % DE EXECUÇÃO FÍSICA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Multiterritorial TOTAL

8 AÇÃO : DESAPROPRIAÇÃO E REMOÇÃO DE FAMÍLIAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE DESPOLUIÇÃO DA LAGOA DA PAMPULHA UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PARA A EXECUÇÃO DO PROGRAMA DE DESPOLUIÇÃO DA LAGOA DA PAMPULHA DA COPASA MG, SE FAZ NECESSÁRIA A REMOÇÃO E REASSENTAMENTO DAS 342 FAMÍLIAS QUE RESIDEM NAS ÁREAS QUE SERÃO ATINGIDAS PELAS OBRAS E SERVIÇOS DE AMPLIAÇÃO DO SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO, A SEREM REALIZADAS PELA COPASA MG, COMPREENDENDO TODAS AS OBRAS DO PROGRAMA DE DESPOLUIÇÃO DA LAGOA DA PAMPULHA. PRODUTO : FAMÍLIA BENEFICIADA UNIDADE DE MEDIDA : FAMÍLIA PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL

9 PROGRAMA : REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE MINAS GERAIS PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS REGULAR E FISCALIZAR OS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PRESTADO PELOS PRESTADORES DE SERVIÇO, DO PONTO DE VISTA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS TÉCNICOS E ECONÔMICO-FINANCEIRO ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, COMPETITIVO, SUSTENTÁVEL E INCLUSIVO - AMPLIAR A COMPETITIVIDADE DA ECONOMIA MINEIRA ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO DE INSTRUMENTOS DE FINANCIAMENTO DE INVESTIMENTOS E MELHORIA DAS CONDIÇÕES TRIBUTÁRIAS, NA PROTEÇÃO DOS SISTEMAS ECONÔMICOS TERRITORIAIS, INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA, APERFEIÇOAMENTO DO AMBIENTE REGULATÓRIO E MELHORIA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS - DESENVOLVIMENTO DE CIDADES E REGIÕES METROPOLITANAS - AMPLIAR O ACESSO AOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO BÁSICO CONTEMPLANDO AS ÁREAS RURAIS, POR MEIO DE UMA EFETIVA COORDENAÇÃO ESTADUAL PARA O SANEAMENTO VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : REGULAÇÃO OPERACIONAL E FISCALIZAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : REGULAR, FISCALIZAR E ORIENTAR A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO, QUANTO AOS ASPECTOS TÉCNICOS E OPERACIONAIS. PRODUTO : DOCUMENTO EMITIDO UNIDADE DE MEDIDA : DOCUMENTO PÚBLICO-ALVO : PODERES CONCEDENTES, PRESTADORES DE SERVIÇOS E USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Noroeste Oeste Mata Sul Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce TOTAL

10 AÇÃO : REGULAÇÃO E FISCALIZAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA REGULADORA DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : DEFINIR O REAJUSTE E A REVISÃO DE TARIFAS E A HOMOLOGAÇÃO DOS PREÇOS NÃO TARIFADOS RELATIVOS À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO, PROPOR AS DIRETRIZES DA RESPECTIVA POLÍTICA TARIFÁRIA, AUDITAR E CERTIFICAR OS INVESTIMENTOS REALIZADOS, BEM COMO MONITORAR CUSTOS E INDICADORES DE DESEMPENHO E EXERCER A FISCALIZAÇÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA DAS ENTIDADES REGULADAS, ALÉM DE DESENVOLVER ESTUDOS ECONÔMICOS. PRODUTO : DOCUMENTO EMITIDO UNIDADE DE MEDIDA : DOCUMENTO PÚBLICO-ALVO : PODERES CONCEDENTES, PRESTADORES DE SERVIÇOS E USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Mata Sudoeste Triângulo Norte Mucuri Metropolitano TOTAL

11 PROGRAMA : GESTÃO METROPOLITANA DO NÚCLEO E COLAR DO VALE DO AÇO PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO PROMOVER A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DOS CIDADÃOS DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO E SEU COLAR, POR MEIO DA ORGANIZAÇÃO, DO PLANEJAMENTO E DA EXECUÇÃO DE FUNÇÕES PÚBLICAS DE INTERESSE COMUM. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - DESENVOLVIMENTO DE CIDADES E REGIÕES METROPOLITANAS - APOIAR A INTEGRAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS E INTERVENÇÕES SETORIAIS AOS PLANOS DIRETORES MUNICIPAIS E PLANOS REGIONAIS, FOMENTANDO O ADEQUADO DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL - FORTALECER A REDE DE INTEGRAÇÃO DE CIDADES E ESTIMULAR OS ARRANJOS INTERMUNICIPAIS PARA A GESTÃO DE FUNÇÕES PÚBLICAS DE INTERESSE COMUM, BUSCANDO A EFETIVIDADE NA IMPLEMENTAÇÃO DOS INSTRUMENTOS PREVISTOS NOS ESTATUTOS DA CIDADE E DA METRÓPOLE VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : INTEGRAÇÃO DA GESTÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO FINALIDADE : PROMOVER A IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS RELACIONADOS ÀS FUNÇÕES PÚBLICAS DE INTERESSE COMUM, COM BASE NAS POLITICAS DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PROPOSTAS NO PDDI PRODUTO : AÇÃO DE INTEGRAÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : AÇÃO PÚBLICO-ALVO : ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL Vale do Aço TOTAL AÇÃO : DIFUSÃO DE CONHECIMENTOS PARA GESTÃO METROPOLITANA UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO FINALIDADE : PROMOVER A INTEGRAÇÃO DOS ATORES METROPOLITANOS DO NÚCLEO E COLAR, FORTALECER A IDENTIDADE REGIONAL E PROMOVER A IMPLEMENTAÇÃO DAS POLITICAS PROPOSTAS NO PDDI PRODUTO : RELATÓRIO ELABORADO UNIDADE DE MEDIDA : RELATÓRIO PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DA REGIÃO - VALE DO AÇO Vale do Aço TOTAL

12 AÇÃO : APOIO TÉCNICO AOS MUNICÍPIOS DA RMVA E SEU COLAR PARA A ORDENAÇÃO TERRITORIAL UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO FINALIDADE : CAPACITAR OS MUNICIPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO E DE SEU COLAR NA APLICAÇÃO DA LEGISLAÇAO URBANÍSTICA PRODUTO : ATIVIDADE DE CAPACITAÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : ATIVIDADE PÚBLICO-ALVO : ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL Vale do Aço TOTAL AÇÃO : REGULAÇÃO DA EXPANSÃO URBANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO E SEU COLAR UNIDADE RESPONSÁVEL : AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO FINALIDADE : GARANTIR O CUMPRIMENTO DAS NORMAS E DIRETRIZES RELACIONADAS AO PARCELAMENTO DO SOLO METROPOLITANO E SEU COLAR PRODUTO : PARCELAMENTO DO SOLO ANALISADO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DA REGIÃO - VALE DO AÇO Vale do Aço TOTAL

13 PROGRAMA : ESTRADAS VICINAIS DE MINAS PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS RECUPERAR, READEQUAR, CONSERVAR E PRESERVAR AS ESTRADAS VICINAIS PARA MELHORAR AS CONDIÇÕES DE TRANSPORTES DAS PESSOAS, DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA, DOS INSUMOS E OUTRAS MERCADORIAS; MELHORAR A INTEGRAÇAO ITER-REGIONAL E INTRA-REGIONAL; DIMINUIR OS CUSTOS DO TRANSPORTE; DESPERTAR A CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA E A NOÇAO DE RESPONSABILIDADE DA COMUNIDADE NA MANUTENÇAO DAS ESTRADAS QUE LHE SERVEM ATRAVÉS DA DIVULGAÇÃO DAS PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS E CAPACITAÇÃO DOS TÉCNICOS DAS ADMINISTRAÇÕES MUNICIPAIS E MEMBROS DA SOCIEDADE ORGANIZADA NA TECNOLOGIA DA CONSERVAÇÃO DAS ESTRADAS. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - AMPLIAR E FORTALECER OS SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA RURAL, PESQUISA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA, EXTENSÃO RURAL E DEFESA AGROPECUÁRIA - CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS, ASSENTADOS DA REFORMA AGRÁRIA E ATINGIDOS POR BARRAGENS VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : READEQUAÇÃO DE ESTRADAS VICINAIS COM ENFOQUE AMBIENTAL UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : READEQUAR E CONSERVAR OS LEITOS DAS ESTRADAS VICINAIS COM ENFOQUE AMBIENTAL, TRANSFERINDO ÀS PREFEITURAS MUNICIPAIS A TECNOLOGIA NECESSÁRIA PARA QUE MANTENHAM AS ESTRADAS EM BOAS CONDIÇÕES E, AO MESMO TEMPO, ELIMINEM AS CAUSAS DA EROSÃO E OUTROS DANOS AMBIENTAIS. PRODUTO : QUILÔMETRO MELHORADO AMPLIADO UNIDADE DE MEDIDA : METRO PÚBLICO-ALVO : ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL Noroeste Oeste Norte Metropolitano TOTAL

14 AÇÃO : CONSERVACÃO DE ESTRADAS VICINAIS UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : CONSERVAR E MELHORAR OS LEITOS DAS ESTRADAS VICINAIS, PROPORCIONANDO TRAFEGABILIDADE E VIABILIZANDO O ACESSO DA POPULAÇÃO RURAL AOS CENTROS URBANOS E SEUS SERVIÇOS, COM ASSESSORAMENTO TÉCNICO DO ESTADO AOS MUNICÍPIOS PARA SE EVITAR DANOS AMBIENTAIS PRODUTO : ESTRADA CONSTRUÍDA/CONSERVADA UNIDADE DE MEDIDA : QUILÔMETRO PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Noroeste Oeste Caparaó Mata Vertentes Sul Sudoeste Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce Vale do Aço Metropolitano TOTAL

15 PROGRAMA : INFRAESTRUTURA RURAL PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS MELHORAR A INFRAESTRUTURA RURAL E O MEIO AMBIENTE, CONTRIBUINDO PARA O DESENVOLVIMENTO SÓCIO-ECONÔMICO LOCAL E REGIONAL ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - AMPLIAR E FORTALECER OS SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA RURAL, PESQUISA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA, EXTENSÃO RURAL E DEFESA AGROPECUÁRIA - CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS, ASSENTADOS DA REFORMA AGRÁRIA E ATINGIDOS POR BARRAGENS VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : CONSERVAÇÃO E REVITALIZAÇÃO DE SUB BACIAS HIDROGRÁFICAS UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : RECUPERAR, PRESERVAR E CONSERVAR A SUB BACIA HIDROGRÁFICA, POR MEIO DE AÇÕES INTEGRADAS E PERMANENTES, QUE PROMOVAM A MELHORIA DA DISPONIBILIDADE HÍDRICA, EM QUANTIDADE E QUALIDADE, E DAS CONDIÇÕES SOCIOAMBIENTAIS. PRODUTO : BACIA CONSERVADA E REVITALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : AGRICULTORES USUÁRIOS DA SUB-BACIA SELECIONADA Noroeste Oeste Vertentes Triângulo Norte Norte Central Metropolitano TOTAL

16 AÇÃO : SERVIÇOS DE ENGENHARIA E MOTOMECANIZAÇAO UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : DAR SUPORTE AOS MUNICÍPIOS, ASSOCIAÇÕES E COOPERATIVAS ATRAVÉS DOS SERVIÇOS DE ENGENHARIA E MOTOMECANIZAÇÃO, VOLTADOS PARA A RECUPERAÇÃO, DRAGAGEM, DESASSORIAMENTO DE CURSO D ÁGUA, IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO, PREPARO DE SOLO, IRRIGAÇÃO E, IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA, VISANDO A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO RURAL E URBANA. PRODUTO : SERVIÇOS OPERACIONAIS DISPONIBILIZADOS UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DAS COMUNIDADES RURAIS E URBANAS Noroeste Oeste Caparaó Mata Vertentes Sul Sudoeste Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce Vale do Aço Metropolitano TOTAL AÇÃO : PISCICULTURA UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : IMPLANTAR E CONSOLIDAR ESTRUTURAS DE CRIAÇÃO DE PEIXES EM CATIVEIRO, PROPORCIONANDO SEGURANÇA ALIMENTAR E GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA. PRODUTO : TANQUE IMPLANTADO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DAS COMUNIDADES RURAIS E URBANAS Norte TOTAL

17 PROGRAMA : BARRAGENS DE MINAS PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO, CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS MELHORAR AS CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO RURAL E URBANA, POR MEIO DA CONVIVÊNCIA COM A SECA E INCLUSÃO PRODUTIVA, PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DO AUMENTO DA DISPONIBLIDIDADE DE ÁGUA PARA USOS MÚLTIPLOS, TAIS COMO ABASTECIMENTO HUMANO, IRRIGAÇÃO, CONTROLE DE CHEIAS, PESCA, AQUICULTURA E PERENIZAÇÃO DOS RIOS. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO - AMPLIAR E FORTALECER OS SERVIÇOS DE INFRAESTRUTURA RURAL, PESQUISA, ASSISTÊNCIA TÉCNICA, EXTENSÃO RURAL E DEFESA AGROPECUÁRIA - CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS, ASSENTADOS DA REFORMA AGRÁRIA E ATINGIDOS POR BARRAGENS VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : CONSTRUÇÃO DE RESERVATORIOS DE PEQUENO PORTE UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : ARMAZENAR E DISTRIBUIR VOLUMES DE ÁGUA AUMENTANDO A DISPONIBILIDADE PARA O CONSUMO HUMANO E ANIMAL, PARA HORTAS E PEQUENAS IRRIGAÇÕES, VISANDO MINIMIZAR OS EFEITOS DA SECA PRODUTO : RESERVATÓRIO CONSTRUÍDO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DAS COMUNIDADES RURAIS E URBANAS Norte Central TOTAL AÇÃO : IMPLANTAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE BARRAGENS UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : AUMENTAR A DISPONIBLIDADE DE ÁGUA DESTINADA A USOS MÚLTIPLOS E REGULARIZAR OS CURSOS D AGUA PARA MELHORAR AS CONDIÇÕES DE VIDA DA POPULAÇÃO RURAL E URBANA NO ÂMBITO DA BACIA HIDROGRÁFICA COMTEMPLADA PELA BARRAGEM. PRODUTO : INTERVENÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA; POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS; AGRICULTORES FAMILIARES; ATINGIDOS POR BARRAGENS E GRANDES EMPREENDIMENTOS; ÓRGÃOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS E FEDERAIS Norte TOTAL

18 AÇÃO : REGULARIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE BARRAGENS UNIDADE RESPONSÁVEL : FUNDAÇÃO RURAL MINEIRA-RURALMINAS FINALIDADE : MANTER AS BARRAGENS EM CONDIÇÕES DE FUNCIONALIDADE ADEQUADA GARANTINDO A DISPONIBILIDADE DE ÁGUA PARA USOS MÚLTIPLOS. PRODUTO : OPERAÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : OPERAÇÃO PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO COM DIFICULDADE DE ACESSO A ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO E PARA A PRODUÇÃO NA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO SISTEMA SEDINOR/IDENE Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Alto Jequitinhonha TOTAL

19 PROGRAMA : APOIO AOS MUNICÍPIOS E AO DESENVOLVIMENTO REGIONAL DE MINAS GERAIS PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS PRESTAR ASSESSORIA TÉCNICA AO PLANEJAMENTO MUNICIPAL E REGIONAL, DESENVOLVENDO ESTUDOS E PROJETOS DEMANDADOS PELOS MUNICÍPIOS, ASSOCIAÇÕES REGIONAIS E DEMAIS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL PARA EXECUÇÃO DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA E DE OBRAS PÚBLICAS. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - APOIAR OS MUNICÍPIOS NO PLANEJAMENTO E CONSTRUÇÃO DA INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA AO DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL E REGIONAL ALINHADO COM O PLANEJAMENTO MUNICIPAL, ESTADUAL E NACIONAL E ÀS CAPACIDADES INSTITUCIONAIS LOCAIS - AMPLIAR, DIVERSIFICAR, MODERNIZAR E INTEGRAR A INFRAESTRUTURA E AS MODALIDADES DE TRANSPORTES, PROPORCIONANDO COMPETITIVIDADE LOGÍSTICA, REDUZINDO TEMPO E CUSTO E AUMENTANDO QUALIDADE, CONFORTO E SEGURANÇA - FOMENTAR A MODERNIZAÇÃO DA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS COM FOCO NA TÉCNICA, QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E SUSTENTABILIDADE Indicador do Programa (Unidade de Medida) PERCENTUAL DE EXECUÇÃO DO PROGRAMA APOIO AOS MUNICÍPIOS E AO DESENVOLVIMENTO REGIONAL DE MINAS GERAIS. (%) Referência Data Índice 30/01/ ,000 30,000 60,000 85, ,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO DE ESTUDOS E PROJETOS DE INFRAESTRUTURA E DE OBRAS PÚBLICAS UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROPORCIONAR MELHORES CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DE INFRAESTRUTURA E DE EDIFICAÇÃO POR PARTE DAS PREFEITURAS, ASSOCIAÇÕES REGIONAIS E ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL, FORNECENDO ESTUDOS TÉCNICOS E PROJETOS EXECUTIVOS DE QUALIDADE QUE CONTRIBUAM PARA A MELHORIA DA PROBABILIDADE DE OBTENÇÃO DE RECURSOS DE FINANCIAMENTO. PRODUTO : ESTUDO, PROJETO E MONITORAMENTO REALIZADO UNIDADE DE MEDIDA : ESTUDO / PROJETO PÚBLICO-ALVO : MUNICÍPIOS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Metropolitano TOTAL

20 PROGRAMA : DESENVOLVIMENTO E INTEGRAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS DESENVOLVER E INTEGRAR O TRANSPORTE AO DESENVOLVIMENTO URBANO, REDUZIR AS DESECONOMIAS DA CIRCULAÇÃO, OFERTAR UM TRANSPORTE PÚBLICO EFICIENTE E DE QUALIDADE, E CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - FORTALECER OS CANAIS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL PRESENCIAIS E DIGITAIS NOS PROCESSOS DE EXECUÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS E TRANSPORTES PÚBLICOS - AMPLIAR, DIVERSIFICAR, MODERNIZAR E INTEGRAR A INFRAESTRUTURA E AS MODALIDADES DE TRANSPORTES, PROPORCIONANDO COMPETITIVIDADE LOGÍSTICA, REDUZINDO TEMPO E CUSTO E AUMENTANDO QUALIDADE, CONFORTO E SEGURANÇA - ADEQUAR OS MODELOS DE REGULAÇÃO NOS SETORES DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS AO PLANEJAMENTO DE CONCESSÕES Indicador do Programa (Unidade de Medida) Referência Data Índice INFRAESTRUTURA CONSTRUÍDA OU MELHORADA (PERCENTUAL ALCANÇADO) 30/01/ ,000 20,000 25,000 25,000 30,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : REDE DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO RODOVIÁRIO UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : CONSTRUIR, REFORMAR, AMPLIAR, MANTER E MELHORAR A INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS, OBJETIVANDO A MANUTENÇÃO DO BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO IMPLANTADO E A REGULARIDADE DOS SERVIÇOS NO ESTADO. PRODUTO : PROJETO/OBRA REALIZADO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO METROPOLITANO E INTERMUNICIPAL, USUÁRIOS DAS RODOVIAS ESTADUAIS CONCESSIONADAS E DOS AEROPORTOS MINEIROS, ENTES E ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL QUE DEMANDAM INFORMAÇÕES PARA SUBSIDIAR O PLANEJAMENTO E MELHORAR OS SERVIÇOS DE TRANSPORTES E INFRAESTRUTURA Metropolitano TOTAL AÇÃO : DESENVOLVIMENTO AEROVIÁRIO UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : CONSTRUIR, REFORMAR, AMPLIAR, MANTER E MELHORAR A INFRAESTRUTURA DE AEROPORTOS PARA O TRANSPORTE DE PASSAGEIROS, CARGAS E SERVIÇOS, OBJETIVANDO A MANUTENÇÃO DO BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO AEROPORTUÁRIO IMPLANTADO E A REGULARIDADE DAS OPERAÇÕES AÉREAS NO ESTADO. PRODUTO : AEROPORTO CONSTRUÍDO/MELHORADO UNIDADE DE MEDIDA : AEROPORTO PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SOB RESPONSABILIDADE DO ESTADO Mata Sul TOTAL

21 AÇÃO : REDE DE METRÔ UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : CONTRIBUIR PARA A MELHORIA DA MOBILIDADE URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE (RMBH), COM O AUMENTO DA PARTICIPAÇÃO DA MODALIDADE METROVIÁRIA, AUMENTANDO A OFERTA DO SERVIÇO, O CONFORTO E A SEGURANÇA DOS USUÁRIOS. PRODUTO : MALHA METROVIÁRIA GERENCIADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO METROPOLITANO Metropolitano TOTAL

22 PROGRAMA : PLANEJAMENTO, GERENCIAMENTO E FISCALIZAÇÃO DE SERVIÇOS E INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES PROGRAMA : MULTISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS GERIR E APOIAR A PROGRAMAÇÃO, COORDENAÇÃO, REGULAÇÃO, FISCALIZAÇÃO, CONTROLE DA EXECUÇÃO E DA IMPLEMENTAÇÃO DE POLITICAS PÚBLICAS DO SETOR DE TRANSPORTES POR MEIO DE ESTUDOS, PROJETOS E CONSULTORIAS QUE PERMITAM DEMONSTRAR A VIABILIDADE DE PROJETOS APRESENTADOS E O ACOMPANHAMENTO DAQUELES APROVADOS, BEM COMO NA IMPLANTAÇÃO DE METODOLOGIAS PARA MELHORAMENTO DAS ATIVIDADES DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - FORTALECER OS CANAIS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL PRESENCIAIS E DIGITAIS NOS PROCESSOS DE EXECUÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS E TRANSPORTES PÚBLICOS - MODERNIZAR A CAPACIDADE INSTITUCIONAL DE EXECUÇÃO DAS POLÍTICAS DE OBRAS PÚBLICAS E DE TRANSPORTES NO QUE SE REFERE AOS PROCESSOS DE PLANEJAMENTO, COORDENAÇÃO, GESTÃO, FISCALIZAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO - AMPLIAR, DIVERSIFICAR, MODERNIZAR E INTEGRAR A INFRAESTRUTURA E AS MODALIDADES DE TRANSPORTES, PROPORCIONANDO COMPETITIVIDADE LOGÍSTICA, REDUZINDO TEMPO E CUSTO E AUMENTANDO QUALIDADE, CONFORTO E SEGURANÇA - ADEQUAR OS MODELOS DE REGULAÇÃO NOS SETORES DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS AO PLANEJAMENTO DE CONCESSÕES Indicador do Programa (Unidade de Medida) Referência Data Índice SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS REGULADOS PELA SETOP (%) 30/01/ ,000 70,000 73,000 75,000 77,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : ADMINISTRAÇÃO DE CONCESSÕES DE SERVIÇOS E INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : APOIAR A GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONCESSÕES COMUNS, PATROCINADAS OU ADMINISTRATIVAS, PERMISSÕES E AUTORIZAÇÕES COM O OBJETIVO DE CONSOLIDAR A ESTRUTURA DE REGULAÇÃO DOS CONTRATOS DE SERVIÇOS E INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES. PRODUTO : CONTRATO DE CONCESSÃO GERENCIADO UNIDADE DE MEDIDA : CONTRATO PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO METROPOLITANO E INTERMUNICIPAL, USUÁRIOS DAS RODOVIAS ESTADUAIS CONCESSIONADAS E DOS AEROPORTOS MINEIROS, ENTES E ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL QUE DEMANDAM INFORMAÇÕES PARA SUBSIDIAR O PLANEJAMENTO E MELHORAR OS SERVIÇOS DE TRANSPORTES E INFRAESTRUTURA Metropolitano TOTAL AÇÃO : DESENVOLVIMENTO E GERENCIAMENTO DE ESTUDOS E PROJETOS DE TRANSPORTES UNIDADE RESPONSÁVEL : SECRETARIA DE ESTADO DE TRANSPORTES E OBRAS PÚBLICAS FINALIDADE : PROVER POLÍTICAS PÚBLICAS COM MELHOR QUALIDADE TÉCNICA E METODOLOGIA IDENTIFICANDO E PROPONDO ALTERNATIVAS DE MELHOR RELAÇÃO ENTRE CUSTO E BENEFICIO SOCIAL DOS INVESTIMENTOS EM TRANSPORTES. PRODUTO : ESTUDO, PROJETO E MONITORAMENTO REALIZADO UNIDADE DE MEDIDA : ESTUDO / PROJETO PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DO TRANSPORTE PÚBLICO METROPOLITANO E INTERMUNICIPAL, USUÁRIOS DAS RODOVIAS ESTADUAIS CONCESSIONADAS E DOS AEROPORTOS MINEIROS, ENTES E ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO ESTADUAL QUE DEMANDAM INFORMAÇÕES PARA SUBSIDIAR O PLANEJAMENTO E MELHORAR OS SERVIÇOS DE TRANSPORTES E INFRAESTRUTURA Metropolitano TOTAL

23 AÇÃO : FISCALIZAÇÃO DE CONCESSÕES UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : FISCALIZAR AS OBRAS E SERVIÇOS REALIZADOS PELA CONCESSIONÁRIA E MONITORAR OS PARÂMETROS DO QUADRO DE INDICADORES DE DESEMPENHO ESTABELECIDOS PELO CONTRATO DE CONCESSÃO, INICIALMENTE SOMENTE PARA A CONCESSÃO DA MG050, PODENDO ABRANGER NOVAS CONCESSÕES. PRODUTO : RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO ELABORADO UNIDADE DE MEDIDA : RELATÓRIO PÚBLICO-ALVO : USUÁRIOS DAS RODOVIAS ESTADUAIS CONCESSIONADAS Oeste TOTAL

24 PROGRAMA : RADIODIFUSÃO PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : EDUCAÇÃO E CULTURA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TELECOMUNICAÇÕES DE MINAS GERAIS - EFETIVAR O DIREITO FUNDAMENTAL DO CIDADÃO AO ACESSO À COMUNICAÇÃO E LAZER. - IMPLANTAÇÃO E MANUTER SISTEMAS DE PROPRIEDADE DO DETEL DESTINADOS À TRANSMISSÃO E À RETRANSMISSÃO DE SINAIS DE TELEVISÃO, VIA SATÉLITE E VIA TERRESTRE, OS QUAIS SÃO DESTINADOS AOS MUNICÍPIOS MINEIROS NÃO ATENDIDOS DIRETAMENTE PELAS EMISSORAS PÚBLICAS E PRIVADAS. - PROMOVER CONDIÇÕES PARA A PRESTAÇÃO DO SERVIÇO DE RETRAMISSÃO DE SINAIS DIRETAMENTE PELAS EMISSORAS PÚBLICAS E PRIVADAS A PARTIR DO COMPARTILHAMENTO DO USO DE ESTAÇÕES RETRAMISSORAS E REPETIDORAS DE PROPRIEDADE DO DETEL. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - CULTURA - DIFUNDIR A PRODUÇÃO CULTURAL ESTADUAL INCENTIVANDO A FORMAÇÃO DE PÚBLICO PARA AS ARTES E CULTURA, OTIMIZANDO O USO DOS EQUIPAMENTOS CULTURAIS E DE COMUNICAÇÃO PÚBLICA EXISTENTES E APOIANDO O INTERCÂMBIO COM OS DEMAIS ESTADOS E O CAMPO INTERNACIONAL Indicador do Programa (Unidade de Medida) SISTEMAS DE RETRANSMISSÃO DE SINAIS DE TV DE PROPRIEDADE DO DETEL INSTALDOS E EM FUNCIONAMENTO (%) Referência Data Índice 31/12/ ,860 92,000 93,000 94,000 95,000 VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : MANUTENÇÃO DOS SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RETRANSMISSÃO DE TV IMPLANTADOS UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TELECOMUNICAÇÕES DE MINAS GERAIS FINALIDADE : MANTER EM FUNCIONAMENTO, COM BOA QUALIDADE, OS SISTEMAS DE TRANSMISSÃO E RETRANSMISSÃO DE SINAIS DE TELEVISÃO DE PROPRIEDADE DO DETEL INSTALADOS PARA ATENDIMENTO AOS MUNICÍPIOS MINEIROS. PRODUTO : MANUTENÇÃO EFETUADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DOS MUNICIPIOS MINEIROS QUE RECEBEM SINAIS DE TELEVISÃO ATRAVÉS DOS SISTEMAS DE RETRANSMISSÃO INSTALADOS E MANTIDOS PELO DETEL Noroeste Oeste Caparaó Mata Vertentes Sul Sudoeste Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce Vale do Aço Metropolitano TOTAL

25 AÇÃO : IMPLANTAÇÃO DO SINAL DIGITAL DE RETRANSMISSÃO DE TV NO INTERIOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TELECOMUNICAÇÕES DE MINAS GERAIS FINALIDADE : INSTALAR OS SISTEMAS DE RETRANSMISSÃO COM SINAL DIGITAL NOS MUNICÍPIOS MINEIROS, GARANTINDO O ACESSO AOS SINAIS DE TV À POPULAÇÃO MINEIRA, ATENDENDO OBRIGAÇÃO LEGAL CONTINDA NA PORTARIA Nº 481, DE 9 DE JULHO DE 2014, EXPEDIDO PELO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES, QUE DEFINIU OS PRAZOS DE DESLIGAMENTO DOS SINAIS ANALÓGICOS EM TODO BRASIL. PRODUTO : UNIDADE COM SISTEMA IMPLANTADO UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DOS MUNICIPIOS MINEIROS QUE RECEBEM SINAIS DE TELEVISÃO ATRAVÉS DOS SISTEMAS DE RETRANSMISSÃO INSTALADOS E MANTIDOS PELO DETEL Noroeste Oeste Caparaó Mata Vertentes Sul Sudoeste Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce Vale do Aço Metropolitano Multiterritorial TOTAL AÇÃO : ALOCAÇÃO DE CAPACIDADE DE SEGMENTO ESPACIAL PARA TRANSMISSÃO DE SINAIS DE TELEVISÃO UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TELECOMUNICAÇÕES DE MINAS GERAIS FINALIDADE : OBTER E MANTER A CESSÃO DE CAPACIDADE DE SEGMENTO ESPACIAL PARA EFETUAR TRANSMISSÃO DE SINAIS DE TELEVISÃO VIA SATÉLITE COM RECEPÇÃO E RETRANSMISSÃO POR MEIO DOS SISTEMAS DE TELEVISÃO DE PROPRIEDADE DO DETEL INSTALADOS NO INTERIOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS. PRODUTO : CONTRATO CUSTEADO UNIDADE DE MEDIDA : CONTRATO PÚBLICO-ALVO : POPULAÇÃO DOS MUNICIPIOS MINEIROS QUE RECEBEM SINAIS DE TELEVISÃO ATRAVÉS DOS SISTEMAS DE RETRANSMISSÃO INSTALADOS E MANTIDOS PELO DETEL Metropolitano TOTAL

26 PROGRAMA : GERENCIAMENTO E EXECUÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PÚBLICA PROGRAMA : UNISSETORIAL EIXO : INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA UNIDADE RESPONSÁVEL : OBJETIVO DO PROGRAMA : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS PLANEJAR, ELABORAR, COORDENAR E EXECUTAR ESTUDOS PRELIMINARES, PROJETOS, ORÇAMENTOS, SONDAGEM, DENTRE OUTROS SERVIÇOS DE ENGENHARIA PÚBLICA, E FISCALIZAR AS OBRAS DE ENGENHARIA PÚBLICA DE INTERESSE DAS ADMINISTRAÇÕES DIRETAS E INDIRETAS. ÁREAS X OBJETIVOS ESTRATÉGICOS: - INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA - FOMENTAR A MODERNIZAÇÃO DA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS COM FOCO NA TÉCNICA, QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E SUSTENTABILIDADE VALOR DO PROGRAMA NO ANO ORÇAMENTO FISCAL Despesas correntes Despesas de capital ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS CONTROLADAS PELO ESTADO TOTAL AÇÃO : SERVIÇOS DE ENGENHARIA PÚBLICA E GERENCIAMENTO UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : ELABORAR E EXECUTAR SERVIÇOS PRELIMINARES, PROJETOS, ORÇAMENTOS E OUTROS SERVIÇOS DE ENGENHARIA, E CONTRATAR CONSULTORIA PARA SUPORTE TÉCNICO OPERACIONAL ÀS DIRETORIAS FINALÍSTICAS. PRODUTO : SERVIÇO DE ENGENHARIA PÚBLICA UNIDADE DE MEDIDA : SERVIÇO PÚBLICO-ALVO : ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Metropolitano TOTAL

27 AÇÃO : VISTORIA E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS UNIDADE RESPONSÁVEL : DEPARTAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FINALIDADE : REALIZAR VISTORIAS EM TERRENOS PARA IMPLANTAR NOVAS EDIFICAÇÕES PÚBLICAS, OU EM EDIFICAÇÕES EXISTENTES VISANDO A REFORMA, AMPLIAÇÃO, ADEQUAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO DE UNIDADES ADMINISTRATIVAS DO ESTADO, E FISCALIZAR A EXECUÇÃO DAS OBRAS/SERVIÇOS. PRODUTO : VISTORIA/FISCALIZAÇÃO REALIZADA UNIDADE DE MEDIDA : UNIDADE PÚBLICO-ALVO : ÓRGÃOS E ENTIDADES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E CIDADÃOS Noroeste Oeste Caparaó Mata Vertentes Sul Sudoeste Triângulo Norte Triângulo Sul Norte Médio e Baixo Jequitinhonha Mucuri Alto Jequitinhonha Central Vale do Rio Doce Vale do Aço Metropolitano Multiterritorial TOTAL

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA

PROGRAMA COMPROMISSO META INICIATIVA Secretaria de 1 Produtivo 1. Ampliar a oferta de infraestrutura adequada para promover a segurança no consumo de gêneros alimentícios em mercados municipais 1. Oferecer espaços adequados para comercialização

Leia mais

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015 CódigoDenominação 1001 1002 1003 1004 1005 1006 1007 1008 1009 1011 1012 Objetivo 1013 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO Promover o desenvolvimento pessoal e

Leia mais

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados Proposta preliminar para discussão com Versão de 23 de abril de 2004 Potenciais Parceiros Privados Apresentação O Governo do Estado de Minas Gerais, com a publicação da Lei nº 14.868, de 16 de dezembro

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO CONSULTOR

TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO CONSULTOR TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS Nº ACORDO EMPRÉSTIMO: 8185-0/BR NÃO OBJEÇÃO - (TERMO DE REFERÊNCIA) Nº DO TDR:

Leia mais

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades Metrô de Salvador Linha 1 Trecho Lapa - Acesso Norte Salvador BA apresentação O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) completa

Leia mais

Estratégias de Desenvolvimento Regional

Estratégias de Desenvolvimento Regional Estratégias de Desenvolvimento Regional Mesa Redonda sobre Desenvolvimento Regional nos Estados Brasileiros Marcelo Sacenco Asquino Coordenador da Área Regional Secretaria de Economia e Planejamento do

Leia mais

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR.

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. (PUBLICAÇÃO - MINAS GERAIS DIÁRIO DO EXECUTIVO - 18/01/2014 PÁG. 2 e 03)

Leia mais

Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016

Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016 Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016 NOME ÓRGÃO Demanda Produto FUNDAÇÃO DE AMPARO A FOMENTO À PESQUISA, AO PESQUISA DO ESTADO DO RIO DESENVOLVIMENTO E À GRANDE

Leia mais

O Pacto das Águas é uma ferramenta de:

O Pacto das Águas é uma ferramenta de: O Pacto das Águas é uma ferramenta de: Construção de visão estratégica e consensual sobre os recursos hídricos no Ceará Envolvimento dos diversos atores (públicos e privados) na elaboração de um Plano

Leia mais

Recursos Naturais e Biodiversidade

Recursos Naturais e Biodiversidade 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 Florestas Gestão dos Recursos Hídricos Qualidade e Ocupação do Solo Proteção da Atmosfera e Qualidade

Leia mais

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará. Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação Assembleia Legislativa do Estado do Ceará Comissão de Orçamento, Finanças e Tributação Plano Plurianual PPA (2016-2019) O Plano Plurianual (PPA) é um instrumento de planejamento de médio prazo que estabelece,

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Projeto Estruturador Revitalização do Rio das Velhas Meta 2010/2014 Palestrante: Wanderlene Ferreira Nacif Gerência de Monitoramento

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

Revisão do PPAG 2008-2011

Revisão do PPAG 2008-2011 Revisão do PPAG 2008-2011 Projeto Estruturador: Convivência com a Seca e Inclusão Produtiva SEDVAN/IDENE Gerente: Rubio de Andrade Objetivo do Projeto PROVER ALTERNATIVAS PARA A CONVIVÊNCIA COM A SECA

Leia mais

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí

Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Competências dos atores intervenientes Dra. Noemia Bohn (FURB) Lei nº 9.433/97 Política Nacional de Recursos

Leia mais

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU EIXO 1 PARTE 1 - A PARTICIPAÇÃO E O CONTROLE SOCIAL NO SNDU DEVERÃO SER EXERCIDOS: (i) no âmbito federal, pelo Conselho

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

Lei nº 9.433/97. Fundamentos Objetivos Diretrizes Instrumentos. Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos

Lei nº 9.433/97. Fundamentos Objetivos Diretrizes Instrumentos. Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos Articulação e operacionalização do sistema de alerta de cheias da Bacia Hidrográfica do rio Itajaí Competências dos atores intervenientes Dra. Noemia Bohn (FURB) Lei nº 9.433/97 Política Nacional de Recursos

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS

ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS ORÇAMENTO DE INVESTIMENTO DAS EMPRESAS ESTATAIS Agência de Fomento e Desenvolvimento do Estado do Piauí S.A PIAUÍ FOMENTO Águas e Esgotos do Piauí S/A AGESPISA Companhia Administradora da Zona de Processamento

Leia mais

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB

PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Implementação do Marco Regulatório do Saneamento Ambiental PLANO NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - PLANSAB Ernani Ciríaco de Miranda Diretor da DARIN/SNSA/MCIDADES Belo Horizonte, 20 de março de 2013 Art.

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos Municipal Tibagi -PR A Cidade Que Nós Queremos Bem Vindos a Tibagi A Cidade Que Nós Queremos Planejamento Estratégico Municipal Tibagi -PR Municipal Cidades e Cidadãos As cidades são as pessoas A vida

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DE BRASIL NOVO, MEDICILÂNDIA, URUARÁ E PLACAS PROJETO042/2014

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Aranranguá 29 e 30 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta

Leia mais

Etapas do PLHIS PROPOSTAS

Etapas do PLHIS PROPOSTAS Plano Local de Habitação de Interesse Social de Boituva Seminário de Homologação do PLHIS de Boituva 25 de Fevereiro de 2010 Etapas do PLHIS etapa 1 etapa 2 etapa 3 METODOLOGIA DIAGNÓSTICO PROPOSTAS Princípios

Leia mais

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura

PLANO ESTADUAL DA CULTURA. Matriz Situacional da Cultura PLANO ESTADUAL DA CULTURA Matriz Situacional da Cultura Fórum de Planejamento Regional Cidade Sede: Tubarão 27 e 28 de agosto de 2012 Priorização de Diretrizes e Ações Objetivo: Discussão da proposta de

Leia mais

PROGRAMA : 104 - Educação Superior no Século XXI ÓRGÃOS PARTICIPANTES

PROGRAMA : 104 - Educação Superior no Século XXI ÓRGÃOS PARTICIPANTES Governo do Estado da Bahia Seplan / SPO Cadastro do PPA PPA 22 25 Valores Iniciais Parametrização: Órgão Coordenador Órgão Responsável Órgão Orçamentário 3.11.640 Universidade Estadual de Santa Cruz PROGRAMA

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 15.020.000 15.020.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 67.755.000 67.755.000 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.784.000 3.784.000

Leia mais

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA

A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA A REGIÃO METROPOLITA NA NA REVISÃO DO PLANO DIRETOR DE CURITIBA SITUAÇÃO ATUAL INTEGRAÇÃO METROPOLITANA NA LEI ORGÂNICA DE CURITIBA TÍTULO IV - DA ORDEM ECONÔMICA E SOCIAL CAPÍTULO I - DA ORDEM ECONÔMICA

Leia mais

Marco de Política para o Reassentamento Involuntário

Marco de Política para o Reassentamento Involuntário Marco de Política para o Reassentamento Involuntário Introdução O Marco de Políticas serve para orientar as equipes estaduais para os casos em que a construção de infra-estrutura hídrica com financiamento

Leia mais

Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil

Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil Tanguá (Rio de Janeiro), Brazil Relatório do progresso local sobre a implementação do Quadro de Ação de Hyogo (2013-2014) Prefeito: VALBER LUIZ MARCELO DE CARVALHO Nome do ponto focal: Alexander Anthony

Leia mais

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) foi criada pela Lei estadual 14.028 de março de 2010 e tem como uma de suas finalidades executar a Política

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO VELHO

PREFEITURA DE PORTO VELHO LEI Nº. 1628, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005. Institui a Política Municipal de fomento à Economia Popular e Solidária na Cidade de Porto Velho e estabelece outras disposições. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2007-2010 INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E URBANA SANEAMENTO PANORAMA DO SANEAMENTO

Leia mais

O Plano Nacional de Recursos Hídricos e as Mudanças climáticas

O Plano Nacional de Recursos Hídricos e as Mudanças climáticas Workshop Adaptação às mudanças climáticas e os desafios da gestão ambiental integrada no Brasil O Plano Nacional de Recursos Hídricos e as Mudanças climáticas Diretoria de Recursos Hídricos Ministério

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH

PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH PROPOSTA DE PROGRAMAS E AÇÕES PARA O PNRH Objetivo Geral PROPOR PROGRAMAS, AÇÕES E ESTRATÉGIAS, INTERSETORIAIS E INTERINSTITUCIONAIS, VISANDO ASSEGURAR O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO E SUSTENTÁVEL DOS USOS

Leia mais

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA

EIXO I GESTÃO CULTURAL DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA PLANO MUNICIPAL DE CULTURA DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Comissão de Elaboração do Plano Municipal de Cultura: Anderson Beluzzo, Celso Peixoto, Dagma Castro, Elias Alcides Luciano, Guilhermina Stuker, João Alexandre

Leia mais

00NY - Transferência de Recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (Lei nº 10.438, de 26 de abril de 2002)

00NY - Transferência de Recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (Lei nº 10.438, de 26 de abril de 2002) Programa 2033 - Energia Elétrica Número de Ações 17 Tipo: Operações Especiais 00NY - Transferência de Recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (Lei nº 10.438, de 26 de abril de 2002) Unidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL PPA 2010/2013 CLASSIFICAÇÃO DOS PROGRAMAS E AÇÕES POR FUNÇÃO E SUBFUNÇÃO SUBFUNÇÃO PROGRAMA AÇÃO FUNÇÃO: 01 - LEGISLATIVA 031 Ação Legislativa 0001 - Execução da Ação Legislativa Manutenção das Atividades Legislativas FUNÇÃO: 02 - JUDICIÁRIA 122 Administração Geral 0006 - Defesa Jurídica do Município

Leia mais

É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios

É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios É HORA DE INCLUIR O DESENVOLVIMENTO LOCAL NAS PRIORIDADES DO SEU MUNICÍPIO! Especialistas em pequenos negócios MÃOS À OBRA!!! Prefeito e Prefeita, seguem sugestões de Programas e Ações a serem inseridos

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DIRETRIZES E PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTOS NO MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Nov 2012 DIAGNÓSTICO DO DESTINO

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE

1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE PROJETO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL DO VALE DO RIBEIRA E IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS PRIORITÁRIOS 1ª CONFERÊNCIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL SUSTENTÁVEL

Leia mais

Veja a íntegra da lei 12.587/2012. Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012.

Veja a íntegra da lei 12.587/2012. Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012. A presidente Dilma Rousseff sancionou com vetos a lei nº 12.587/2012, que institui no país as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, publicada no DOU (Diário Oficial da União), nesta quarta-feira

Leia mais

Plano Agropecuário Municipal de Preparação e Resposta à Seca Piquet Carneiro-Ceará Mônica Amorim

Plano Agropecuário Municipal de Preparação e Resposta à Seca Piquet Carneiro-Ceará Mônica Amorim Plano Agropecuário Municipal de Preparação e Resposta à Seca Piquet Carneiro-Ceará Mônica Amorim Fortaleza 20 de novembro de 2014 Plano de Preparação e Resposta a Seca é parte de estratégia maior Diálogo

Leia mais

EDITAL DE HABILITAÇÃO n 02/2015 FOPEMIMPE REGIONAL

EDITAL DE HABILITAÇÃO n 02/2015 FOPEMIMPE REGIONAL EDITAL DE HABILITAÇÃO n 02/2015 FOPEMIMPE REGIONAL PROCESSO DE HABILITAÇÃO DE ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS, DE REPRESENTAÇÃO E APOIO AO SEGMENTO DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO FOPEMIMPE REGIONAL A Secretaria

Leia mais

LEI ORDINÁRIA N º Dispõe sobre a reorganização administrativa da Administração Pública Municipal de Iguatemi e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE IGUATEMI Estado de Mato Grosso do Sul Excelentíssimo

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA CECÍLIA GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA CECÍLIA GABINETE DO PREFEITO Lei Nº 181/2014 Dispõe sobre a utilização de equipamentos e máquinas doados ao município no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento PAC2, assim como os equipamentos e máquinas objetos de compra

Leia mais

Prazo Limite de envio da Proposta ( informações atualizadas em 31/05/2012)

Prazo Limite de envio da Proposta ( informações atualizadas em 31/05/2012) ACESSE A PÁGINA DO SICOV PARA MAIORES DETALHES: https://www.convenios.gov.br/siconv/programa/listarchamamentopublico/listarchamamentopublico.do?op=disp Código do Programa Projetos referentes aos saberes,

Leia mais

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE PREFEITURA DE BELO HORIZONTE DADOS DA CIDADE Data de fundação: 12 de dezembro de 1897 Área: 331 km 2 Latitude y Longitude 19 55'S, 43 56'W Minas Gerais BH INDICADORES DEMOGRÁFICOS População: 2.375.151

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

REVISÃO E ATUALIZAÇÃO

REVISÃO E ATUALIZAÇÃO PREFEITURA DE SOROCABA 1ª AUDIÊNCIA PÚBLICA REVISÃO E ATUALIZAÇÃO PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO FÍSICOTERRITORIAL 1 OBJETIVO 1ª Audiência Pública APRESENTAÇÃO DAS PRINCIPAIS PROPOSTAS DE REVISÃO E ATUALIZAÇÃO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA SEINFRA RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO 2007 FEVEREIRO - 2008 SECRETARIA DE INFRA-ESTRUTURA ANTONIO CARLOS BATISTA NEVES Secretário de Infra-Estrutura

Leia mais

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS

PROPOSTAS PARA DESENVOLVIMENTO NAS ÁREAS POLÍTICAS PÚBLICAS: SANEAMENTO OBRAS PARTICIPAÇÃO POPULAR EDUCAÇÃO SAÚDE O que são políticas públicas? Políticas públicas podem ser entendidas como ações desenvolvidas pelo Estado, tendo em vista atender

Leia mais

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades

Governo do Estado do Rio Grande do Norte Sistema Integrado para Administração Financeira Anexo de Metas e Prioridades Programa 1704 - APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR 17000 - Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca Fortalecer a agricultura familiar, através de um conjunto de ações implementadas em parceria

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA 1 LEI Nº 007/2001 DISPÕE SOBRE O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE COLNIZA, PARA O PERÍODO DE 2001 A 2005 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A Sra. NELCI CAPITANI, Prefeita Municipal de Colniza, Estado de Mato Grosso,

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 Redação do vencido, para o turno suplementar, do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 90, de 2013 (nº 757, de 2011, na Casa de origem). A Comissão

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios Desafios do PMCMV Sustentabilidade, Perenidade e Imagem O sucesso do PMCMV depende da produção de moradias bem localizadas, servidas de infraestrutura,

Leia mais

PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS

PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS PAC Cidade Melhor Enfrentar os principais desafios das grandes aglomerações urbanas, propiciando melhor qualidade de vida PAC Comunidade Cidadã Presença do Estado

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Vereador ELIAS EMANUEL

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS ESTADO DO AMAZONAS Gabinete do Vereador ELIAS EMANUEL PROJETO LEI Nº. 044/2015. Institui a criação da Política Municipal de Captação, Armazenamento e Aproveitamento da Água da Chuva no Município de Manaus, e dá outras providências. Art. 1º Fica instituída

Leia mais

EDITAL Seleção para apoio a implantação de projetos que contribuam com o Desenvolvimento Territorial

EDITAL Seleção para apoio a implantação de projetos que contribuam com o Desenvolvimento Territorial FUNDO MULTILATERAL DE INVESTIMENTOS PROGRAMA REGIONAL DE FORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL COM INCLUSÃO SOCIAL- ConectaDEL EDITAL Seleção para apoio a implantação de projetos que contribuam

Leia mais

Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM

Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM 2016 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Ministério da Integração Nacional Gilberto Magalhães Occhi Superintendência do Desenvolvimento

Leia mais

Sistema Único de Saúde, para fortalecimento dos processos de descentralização da gestão da saúde, em conformidade com a legislação vigente.

Sistema Único de Saúde, para fortalecimento dos processos de descentralização da gestão da saúde, em conformidade com a legislação vigente. GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRÍTO SANTO SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE DO ESPÍRITO SANTO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR EDITAL Nº 1 SESA/ES,

Leia mais

IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ

IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ Belo Horizonte, 18 de março de 2013 HISTÓRICO DO SANEAMENTO RURAL NO CEARÁ Implantação do Programa KfW I pela CAGECE

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR ÁGUA INTERÁGUAS MANUAL OPERATIVO VOLUME 1

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR ÁGUA INTERÁGUAS MANUAL OPERATIVO VOLUME 1 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL MINISTÉRIO DAS CIDADES AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR ÁGUA INTERÁGUAS MANUAL OPERATIVO VOLUME 1 Apoio Técnico

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 Institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da Caatinga. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da

Leia mais

Tabela para classificação de ações de extensão

Tabela para classificação de ações de extensão Tabela para classificação de ações de extensão Linha de Extensão 1. Alfabetização, leitura e escrita Formas mais freqüentes de operacionalização Alfabetização e letramento de crianças, jovens e adultos;

Leia mais

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Autores: Emílio Rodrigues Versiani Junior 1 Geraldo Aristides Rabelo Nuzzi Andréa Rodrigues Fróes Resumo O Projeto

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Apresentação Esse relatório trata do Financiamento do Desenvolvimento Regional formulado pelo Ministério da Integração Nacional-MI, como contribuição à reflexão do tema

Leia mais

DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010

DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010 DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010 Institui o Programa Paulista de Petróleo e Gás Natural, cria o Conselho Estadual de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo e dá providências correlatas

Leia mais

Estrutura do PDI 2014-2018

Estrutura do PDI 2014-2018 APRESENTAÇÃO O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) além de constituir um requisito legal, tal como previsto no Artigo

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS AGRÁRIOS E DESENVOLVIMENTO RURAL PCT FAO UTF/BRA/083/BRA

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS AGRÁRIOS E DESENVOLVIMENTO RURAL PCT FAO UTF/BRA/083/BRA TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS NÃO CONTINUADOS TR Nº MODALIDADE PROCESSO SELETIVO CONS NEAD 024/2013 Consultoria por produto FUNDAMENTO LEGAL Decreto nº 5.151/2004; Portaria MRE Nº 717/2006 e Portaria MDA

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA SECRETARIA DE MUNICÍPIO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE SANTA MARIA PLAMSAB

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

PARTIDO DOS TRABALHADORES DIRETÓRIO ESTADUAL DO CEARÁ

PARTIDO DOS TRABALHADORES DIRETÓRIO ESTADUAL DO CEARÁ REUNIÃO DA EXECUTIVA ESTADUAL RESOLUÇÃO PT CEARÁ: DIRETRIZES PARA O MODO PETISTA DE GOVERNAR O CEARÁ Após 32 (trinta e dois) anos da primeira disputa ao governo do estado, com a candidatura do inesquecível

Leia mais

Levantamento Qualitativo e Quantitativo

Levantamento Qualitativo e Quantitativo Estabelecer ações conjuntas no sentido de enfrentar os desafios e potencializar as muitas oportunidades existentes para o desenvolvimento do setor artesanal, gerando oportunidades de trabalho e renda,

Leia mais

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos

RESPONSÁVEL PELA APRESENTAÇÃO ORAL: Lourival Rodrigues dos Santos TÍTULO DO TRABALHO: Sustentabilidade e Viabilidade do Tratamento de Resíduos de Serviço de Saúde pelo sistema de autoclavagem a experiência do município de Penápolis (SP ) TEMA : III Resíduos Sólidos NOME

Leia mais

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento

Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR. República Federativa do Brasil e o Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMO DE REFERÊNCIA Projeto BRA/97/032 Coordenação do Programa de Modernização Fiscal dos Estados Brasileiros - PNAFE Contrato de Empréstimo n.º 980/OC-BR entre a República Federativa do Brasil e o Banco

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Capacitação para o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia

Capacitação para o Desenvolvimento Sustentável na Amazônia Programa 0502 Amazônia Sustentável Objetivo Promover o desenvolvimento da Amazônia, mediante o uso sustentável de seus recursos naturais. Indicador(es) Número de Ações 9 Taxa de participação de produtos

Leia mais

Premiação de Boas Práticas de Gestão Ambiental

Premiação de Boas Práticas de Gestão Ambiental Premiação de Boas Práticas de Gestão Ambiental Andrea Pitanguy de Romani 20º Reunião do COGES, 9 de março Boas práticas são iniciativas bem sucedidas que: apresentam impacto tangível na melhoria da qualidade

Leia mais

Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental

Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental Proposta para que o PAA possa apoiar a regularização ambiental Considerando a Diretriz 2 do Plano Nacional de Segurança Alimentar: Promoção do abastecimento e estruturação de sistemas descentralizados,

Leia mais

Área das Engenharias

Área das Engenharias Engenharia de Alimentos Área das Engenharias Unidade: Escola Agronomia e Engenharia Alimentos - (EAEA) www.agro.ufg.br Duração: 10 semestres O Engenheiro de Alimentos é, atualmente, um dos profissionais

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012.

LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012. LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis n os 3.326, de 3 de junho de 1941, e 5.405, de 13 de abril

Leia mais

A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA

A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA QUEM SOMOS Empresa pública de direito privado, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional - SEDIR, criada por Lei Estadual em

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG.

SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG. SUSTENTABILIDADE: Melhor qualidade de vida na RMBH e COLAR METROPOLITANA de Belo Horizonte/MG. Fevereiro 2013 Associação dos Catadores de Papel Papelão e Material Reaproveitável ASMARE INTRODUÇÃO SUSTENTABILIDADE:

Leia mais

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo:

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo: Oficina em Ilhabela Relatoria da Plenária Final Esta oficina, realizada no dia 28 de março de 2012, no Hotel Ilhabela, na sede do município, faz parte do processo de escuta comunitária no âmbito do projeto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 5. 746, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Autoriza o Poder Executivo a contratar, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho, por tempo determinado

Leia mais

ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Ralf Majevski Santos 1 Flávio Tongo da Silva 2 ( 1 Ralf_majevski@yahoo.com.br, 2 ftongo@bitavel.com) Fundamentos em Energia Professor Wanderley

Leia mais

Mecanismos de Financiamento

Mecanismos de Financiamento Mecanismos de Financiamento Parauapebas, 14 de novembro de 2014. Apoio: Realização: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Mecanismos de Financiamento PAC: principal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE HORIZONTE ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos

PREFEITURA MUNICIPAL DE HORIZONTE ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos ANEXO VIII (EDITAL DE CONCURSO 01/2014) Atribuições sumárias dos cargos ADMINISTRADOR Desempenhar atividades relativas à administração de pessoal, material, orçamento, organização e métodos, sistemas de

Leia mais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais

Contribuição da União, de suas Autarquias e Fundações para o Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Públicos Federais Programa 0391 Mineração e Desenvolvimento Sustentável Objetivo Promover o desenvolvimento da produção mineral do País Indicador(es) úmero de Ações 15 úmero-índice da Produção Mineral úmero-índice de Pessoal

Leia mais

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV)

PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) PLANO METROPOLITANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS COM FOCO EM RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS) E RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS (RCCV) II Workshop Construindo o diagnóstico dos RCCV e RSS

Leia mais

JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS

JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS JOVEM ÍNDIO E JOVEM AFRODESCENDENTE/JOVEM CIGANO E OUTRAS ETNIAS OBJETIVOS E METAS 1. Assegurar com políticas públicas e programas de financiamento o direito dos jovens índios, afrodescendentes, camponeses

Leia mais