Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância"

Transcrição

1 Tânia Martins Preto 85 Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância Tânia Martins Preto (Mestre) Curso de Tecnologia em Processamento de Dados - Universidade Tuiuti do Paraná

2 86 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... Resumo Os ambientes de aprendizagem através da WEB (World Wide Web) utilizam a internet como meio de publicação e transmissão de material didático, avaliação e comunicação. Existem diversos tipos de ambientes, cada qual com suas características, vantagens e desvantagens. Na escolha de um determinado ambiente para ser utilizado ou implementado, devem ser avaliados diversos fatores, tais como: o assunto a ser abordado, forma de comunicação, pessoas envolvidas e outros. Este trabalho tem como objetivo abordar alguns tipos de ambientes e analisar alguns fatores a serem considerados na escolha de um ambiente. Palavras-chave: educação a distância, ambientes de aprendizagem, comunicação. Abstract The learning environment through the WEB (World Wide Web) utilize the internet as a medium for communication, transmission, evaluation and publication of didactic materials. There are many types of environments, each with its own characteristics, advantages and drawbacks. In the selection of one such environment to be implemented and utilized, many factors must be evaluated, such as: the subject to be treated, the form of communication, the persons involved and others. This work has the objective of undertake some types of environment and analyze some factors to be considered in the environment choice. Key words: education at distance, learning environment, communication.

3 Tânia Martins Preto 87 Introdução A utilização de ambientes computacionais para apoiar o ensino tem obtido um grande sucesso devido às diversas vantagens que apresenta, dentre elas: o aluno poder estudar onde e quando quiser e no seu próprio ritmo; diminuição do custo de alguns cursos pois não ocorre a necessidade de deslocamento de pessoal e material; desenvolvimento de interfaces cada vez mais amigáveis e utilização de diversos conceitos de hipermídia, inteligência artificial, pedagogia e outros. O ensino a distância existe há vários anos, no entanto a utilização da Web, para esse fim, é um processo mais recente. A aprendizagem através da Web é uma das formas de educação à distância (EDA), tipo de aprendizagem onde professores e estudantes estão separados pelo tempo e/ou espaço. Antes do advento da Web, o material didático para ensino a distância era divulgado através de recursos impressos, áudio e vídeo.

4 88 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... A educação a distância pode ser situada entre a educação presencial (face a face) e a solitária (autodidata), pois conta com uma instituição de ensino ou um tutor (professor) que tem por finalidade apoiar o aluno, motivando-o, facilitando e avaliando continuamente sua aprendizagem. É possível que uma pessoa, dispondo de bons recursos didáticos autoinstrucionais, seja capaz de aprender sozinha ou parcialmente sozinha. Os ambientes de aprendizagem através da Web utilizam a Internet como meio de publicação e transmissão de material didático, avaliação e comunicação entre estudantes e professor. Termos e temas novos de discussão e pesquisa têm surgido, como Educação Baseada na Web (EBA), Educação Mediada por Computador (EDMC) e também diversas novas tendências dessas pesquisas, como por exemplo ambientes cooperativos, hipermídia, ambientes de simulação, sistemas de autoria, dentre outros. Novas ferramentas computacionais para desenvolvimentos de sistemas educacionais na Web também têm surgido, ex.: HTML, DHTML, XML, CGI, Java, ECMAScript, VRML (Raposo, 1999). A variedade de tipos de ambientes educacionais existentes é muito grande, bem como seus objetivos. É difícil dizer qual é o melhor, cada tipo de ambiente se adapta melhor a um determinado objetivo. Existem vários itens a serem considerados na escolha de um ambiente de ensino e para se efetuar uma boa escolha de um ambiente a ser utilizado ou desenvolvido, devese fazer uma boa analise das necessidades, objetivos e pessoas envolvidas Ambientes de aprendizagem Existem diversos tipos de ambientes de aprendizagem. Às vezes, ambientes com propósitos distintos contêm ferramentas em comum, sendo que, muitas vezes, é difícil fazer a distinção exata entre um tipo e outro. Alguns tipos de ambientes são os seguintes: Sistemas hipermídia O conceito de hipermídia está profundamente ligado ao conceito de hipertexto. Hipertexto refere-se a um documento eletrônico que permite percorrer um texto de forma não-linear, isto é, a partir de um determinado documento (ou página) existem várias possibilidades de navegação entre as informações (Vaughan, 1994). A informação em hipertextos é associada extensivamente a referências cruzadas, com um fato ligado a outro fato e assim sucessivamente. Hipermídia é a combinação do hipertexto com diversas mídia e a informação pode estar sob o formato de texto,

5 Tânia Martins Preto 89 imagens, animações, vídeo, som ou outros programas (Martins, 1992). Para navegar em documentos hipermídia, o usuário seleciona botões chamados de links ou âncoras e desta maneira passa para outras partes do mesmo documento (página), para outros documentos na mesma localidade ou para qualquer outra localidade na Web. As informações na Web, estão por natureza, organizadas na forma de hipermídia. Um dos grandes problemas desse tipo de organização é que o usuário pode se perder no universo de informações e se afastar do seu objetivo inicial. Sistemas para ensino através da Web devem guiar o usuário de maneira que ele não se afaste de seu objetivo e também fornecer informações sobre caminhos percorridos desde inicio de sua seção de trabalho até o momento corrente. A hipermídia pode ser considerada como um dos caminhos para a viabilização dos mais variados tipos de ambientes, por exemplo: Sistemas Tutoriais, Ambientes Colaborativos, Sites Educacionais e outros. Sistemas tutoriais e interfaces adaptativas Podem ou não utilizar técnicas de Inteligência Artificial em sua concepção. Os Tutoriais tradicionais (não inteligentes), buscam ensinar e controlar o processo de aprendizagem apresentando o mesmo tipo de conduta para todos os usuários. Podem ser elaborados na forma de documentos hipermídia com variação no grau de interatividade que é dada pela diversidade da mídias utilizadas e pelo grau de liberdade fornecido para a exploração do sistema. Alguns sistemas permitem que o aluno escolha um caminho dentre várias opções, de acordo com seus interesses e necessidades, outros sistemas impõem o caminho a ser percorrido. No segundo caso, se os recursos de apresentação não forem bem elaborados, corre-se o risco de desmotivar o aluno. Os Sistemas Tutoriais Inteligentes (STIs) executam acompanhamento individualizado. A incorporação das técnicas de IA permitem que o sistema tome decisões dinamicamente possuindo autonomia para decidir o que e como ensinar, fazendo com que as necessidades particulares dos alunos sejam atendidas. O sistemas inteligentes acrescentam aos sistemas tradicionais um maior grau de individualização e de resposta. As Interfaces Adaptativas possuem a característica de se moldarem às habilidades do usuário ou estudante. Para isto é preciso que o sistema tenha o conhecimento do que o estudante sabe e/ou quais são as suas preferências. As Interfaces Adaptativas permitem a mudança da apresentação em diversos níveis como por exemplo: (1) Alterações nas estratégias de

6 90 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... ensino (ex.: mais exercícios ou mais teoria), (2) Alterações na interface do sistema. A construção de Interfaces Adaptativas está ligada à construção de Sistemas Tutoriais inteligentes, uma vez que, para construir Interfaces Adaptativas, faz-se necessário executar um acompanhamento individualizado do aluno, através de técnicas como, por exemplo, a modelagem de seu conhecimento e a comparação deste conhecimento com o que se espera que o aluno adquira ao final da etapa de estudo. Quanto melhor for esse acompanhamento, melhor será a adaptação do sistema e consequentemente o seu aproveitamento. Ambientes para aprendizagem cooperativa São ambientes que permitem a comunicação e cooperação de duas ou mais pessoas simultaneamente, trocando e compartilhando informações, de forma síncrona (ao mesmo tempo) e também assíncrona (em tempos diferentes). Podem conter diversas ferramentas acopladas em um mesmo ambiente. Os ambientes cooperativos destinam-se basicamente a organizar e facilitar a comunicação e a troca de informações entre seus participantes. Os fatores humanos necessários ao trabalho em grupo são considerados na construção do sistema. Existes diversos tipos de Ambientes de Aprendizagem Cooperativa, destacando-se os Frameworks e os Ambientes Distribuídos (Santos, 1999). Os Frameworks de Aprendizagem Cooperativa permitem o desenvolvimento de ambientes através da integração de ferramentas disponíveis. Usuários podem construir aplicações diversas a fim de compartilhálas com outros usuários. A maior parte dos Frameworks permitem a comunicação síncrona e caracterizam-se por serem muito flexíveis, no entanto não são muito fáceis de usar. Os Ambientes Distribuídos para Aprendizagem Cooperativa integram várias ferramentas, no entanto geralmente contêm módulos prontos para serem usados. Podem combinar diversos recursos e agregar diversas tendências dos ambientes de aprendizagem, por exemplo: (1) Partes dos frameworks, ou seja, ferramentas (não prontas) a serem integradas/implementadas pelos usuários; (2) Sistemas Tutoriais Inteligentes; (3) Ambientes de Simulação construtivistas, onde são propostos problemas para os alunos resolverem individualmente ou em conjunto; (4) Páginas virtuais de cada participante com suas opiniões (bloco de notas) onde muitas vezes todo o grupo tem acesso a essas informações; (5) Fóruns de discussões com ou sem ferramentas para apoio na classificação de assuntos propostos em discussões (idéia nova, pergunta ao grupo, contestação e etc.); (7) Discussões na forma síncrona

7 Tânia Martins Preto 91 ou assíncrona; (8) Existência de bibliotecas virtuais prontas ou elaboradas pelos usuários do sistema. A maior parte desses ambientes possui uma fonte de informação pronta (ex. Sistema Tutorial), um espaço para as discussões e uma biblioteca virtual. Os ambientes para aprendizagem cooperativa representam uma ferramenta poderosa pois podem possuir diversas funcionalidades, no entanto sua construção ainda é complexa. Ambientes para elaboração de cursos Alguns ambientes fornecem ferramentas para que o professor elabore seus cursos, podem ser de dois tipos: salas de aula virtuais e os sistemas de autoria (Santos, 1999). As Salas de aula Virtuais são ambientes para apoiar o professor na criação, manutenção e aplicação de cursos, possuindo ferramentas para incorporação de outros software, arquivos diversos (textos, imagens, vídeo, etc.). Os cursos podem ter abordagens tanto instrucionista como construcionista, ficando esta característica a critério do professor. Outra característica destes ambientes é a existência de ferramentas para apoiar a elaboração e correção de provas, além de fornecer informações sobre o progresso dos alunos. Os salas de aula virtuais também podem oferecer ferramentas síncronas de comunicação. Os sistemas de autoria, assim como as salas de aula virtuais, também apoiam o professor na elaboração de cursos. Tais sistemas atendem melhor ao enfoque instrucionista, não enfatizam o trabalho cooperativo, no entanto, fornecem ferramentas para comunicação. Os sistemas de autoria são fáceis de usar, não necessitando de grandes conhecimentos de informática. Fontes de consulta: sites educacionais Coleção de sites (páginas na Internet) sobre conteúdos curriculares, alguns são chamados também de Bibliotecas Virtuais (Santos, 1999). Contém ferramentas para busca por assunto, mecanismos de orientação (mapas, caminhos percorridos). Alguns sites possuem espaços de comunicação para discussões e debates, mural de notícias, etc. Alguns problemas dos sites educacionais são os seguintes: (1) muitas vezes assuntos são escritos por diversos autores e ocorrem muitas diferenças entre as interfaces de cada site; (2) desorientação do aluno que, muitas vezes, acaba se afastando de seu objetivo inicial; (3) excesso de informações podendo atrapalhar a assimilação do conteúdo que realmente interessa.

8 92 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... Uma análise mais detalhada dos ambientes para aprendizagem cooperativa, ambientes para elaboração de cursos e dos sites educacionais bem como exemplos dos mesmos podem ser encontrados em (Santos, 1999). Ambientes de simulação Ambientes de Simulação correspondem a conjuntos de ferramentas gráficas destinadas a testar (simular) determinadas situações nas mais variadas áreas do conhecimento como biologia, física, química e também na área de engenharia e informática, por exemplo no ensino de programação, estruturas de dados e eletrônica. Os ambientes de simulação podem variar quanto ao grau de interação do aluno com o sistema. Existe ambientes menos interativos, onde o aluno apenas especifica alguns valores, seleciona opções e assiste a simulação. Em ambientes mais interativos, o aluno cria suas próprias simulações, que geralmente correspondem a solução de problemas propostos, a partir de ferramentas disponíveis. Tais sistemas possuem abordagem construtivista, onde o aluno constrói seu conhecimento a partir de tentativas e observação do resultado obtido. Considerações no uso de ambientes para ensino O crescente número de ambientes para ensino através da Web causou um aumento tanto no desenvolvimento de novas ferramentas computacionais, como de regras e princípios para projeto e desenvolvimento. Ao se optar por um determinado tipo de ambiente, deve-se fazer uma análise das reais necessidades e para isto deve-se fazer algumas considerações como descrito a seguir. Conteúdo a ser ensinado: Se o ambiente for destinado à apresentação (explicação) de conceitos e conteúdos diversos, existem duas possibilidades: 1 Ensino de um conteúdo específico: O ambiente deve possuir estrutura e ferramentas destinadas a esse assunto, em geral são ferramentas gráficas e destinam-se a construção de animações, cálculos, simulações e outros. O sistema pode ser hipermídia com a informação sendo passada através das diversas mídias e/ou pode ser um sistema destinado a simulação. 2 Ensino de diversos conteúdos: O ambiente não possui ferramentas específicas para um determinado

9 Tânia Martins Preto 93 assunto, no entanto deve possuir várias facilidades para importar informações e se adaptar a diversos conteúdos. Comunicação Quanto a comunicação existem duas possibilidades: 1 Comunicação síncrona: A interação é feita no mesmo momento, ou seja, uma forma de comunicação feita em tempo real. Este tipo de interação requer ferramentas especificas para capturar e transmitir dados, voz, imagens de um ponto para ou mais pontos. Exemplos de ferramentas síncronas de comunicação: chat ( bate-papo ), videoconferência. 2 Comunicação assíncrona: A interação entre os usuários é feita em tempos diferentes. Neste caso a informação é transmitida e a resposta se dá em outro momento. Exemplos de ferramentas assíncronas: , lista de discussão. Objetivos gerais do ambiente Os ambientes podem diferir e muito quanto aos seus objetivos gerais, alguns possíveis objetivos são: 1 Apresentação de conteúdo: Utiliza ferramentas para hipermídia e/ou simulação. Os conteúdos podem ser elaborados por uma ou mais pessoas e devese executar a interação entre as partes dos conteúdos, padronização de interfaces e regras de acesso ao ambiente. 2 Comunicação: São os ambientes destinados a troca de informações e distribuição de tarefas entre aluno e professor e/ou entre grupos de alunos. Geralmente servem de apoio para um curso realizado a distância ou em sala de aula. Os ambientes devem prover ferramentas para a comunicação como os citados no item anterior, bem como mural de notícias, sugestões e também devem conter mecanismos para a definição de grupos de alunos com interesses e perfis semelhantes, se for o caso. 3 Coleções de endereços e/ou textos: Fornecem apoio para estudo e pesquisa e correspondem aos sites educacionais citados anteriormente. 4 Avaliação: Devem fornecer informações suficientes para que sejam identificados os assuntos que necessitam de revisão ou para que sejam estabelecidas novas metas. Os ambientes devem possuir mecanismos eficientes de resposta ao aluno sobre o seu progresso e sobre o que deve fazer (Ragan, 1999). 5 Tarefas colaborativas: A troca de informações é considerada uma tarefa colaborativa, no entanto,

10 94 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... ambientes que possibilitam ter dois ou mais alunos trabalhando junto na realização de uma determinada tarefa, são complexos de serem utilizados e construídos. O ambiente deve prover ferramentas para incorporar inserção, modificação e retirada de elementos do objeto de estudo; deve gerenciar ações incompatíveis sobre um mesmo objeto; deve facilitar a comunicação entre os participantes uma vez que não é fácil identificar suas vontades e interpretações a respeito de uma ação; deve gerenciar as janelas de exibição, entrada de dados e outros. 6 Ambientes mistos: Possuem características de dois ou mais ambientes citados acima. Quanto mais funcionalidades, melhor o ambiente, no entanto aumentam também as dificuldades de construção, manutenção e gerenciamento. Perfil dos usuários do ambiente O perfil dos usuários deve ser considerado, em especial dos alunos, observando-se os seguintes pontos: 1 Conhecimento do usuário sobre a utilização das interfaces do ambiente e das ferramentas de comunicação. Problemas relacionado a utilização de interfaces podem ser solucionado através da utilização de Interfaces Adaptativas e de bons recursos de ajuda. 2 Se o ambiente for destinado a apresentação de conteúdos, deve-se considerar se o aluno tem o pré-requisito necessário para acompanhar o curso. Este tipo de problema também pode ser contornado através da utilização de Sistemas Tutoriais que executam o acompanhamento do aluno e adaptam a apresentação de acordo com as necessidades do aluno. 3 Se o ambiente gerenciar tarefas cooperativas, então o mesmo deve possuir ferramentas para apoiar a definição de grupos de usuários e tratamento de cada grupo de acordo com seu conhecimento e interesses. Desenvolvedores e administradores Tem-se três possibilidades: 1 Desenvolver um novo ambiente: Não é uma tarefa fácil, exige um grupo de pessoas com conhecimentos diversos tais como computação, pedagogia, lingüística, comunicação, etc. O grau de dificuldade da construção vai depender da quantidade de recursos que o ambiente irá oferecer. 2 Utilização de um sistema pronto: Deve-se fazer uma boa pesquisa sobre os ambientes disponíveis. Os ambientes para elaboração de cursos citados anteriormente atendem a esse propósito.

11 Tânia Martins Preto 95 3 Adaptação de um sistema existente: Os frameworks de aprendizagem cooperativa, citados anteriormente, oferecem um conjunto de ferramentas para a construção de ambientes de aprendizagem. Outra possibilidade é adaptar parte de um ambiente a outro já existente, neste caso deve-se observar como será feita a interface entre as diferentes partes. 4 Administração: No caso de ambientes cooperativos, além das pessoas (professores) responsáveis pela elaboração dos conteúdos e tarefas, necessita-se de um administrador do ambiente. Este será responsável por fornecer suporte ao funcionamento, criar espaços para cursos, habilitar professores, criar grupos, fornecer permissões para alunos. Conclusão As possibilidades de ensino através da Web aumentam a cada dia, pois estudos estão sempre sendo feitos em busca de novas tecnologias, estratégias pedagógicas e novas formas de comunicação. A escolha de um ambiente de ensino requer uma análise minuciosa das reais necessidades, em especial no que diz respeitos aos objetivos e pessoas envolvidas. As considerações a serem feitas podem necessitar um certo investimento de tempo e pesquisa na fase inicial de concepção do ambiente, no entanto vale ressaltar sua importância no processo de ensino e aprendizagem, seja ele em qualquer área de conhecimento.

12 96 Considerações sobre uso de ambientes para ensino... Referências bibliográficas MARTINS, J. (1992). Hiperdocumentos e como criá-los. Editora Campus. RAGAN, L. C. (1999). Good Teaching is Good Teaching: An Emerging Set of Guiding Principles and Practices for the Design and Development of Distance Education. CAUSE/EFFECT Journal, vol. 22, no 1. RAPOSO, A. B.; MAGALHÃES, L. P.; RICARTE, I. L. M. (1999). Interação na Web. Anais do XIX Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Computação, vol II. SANTOS, N. (1999). Estado da arte em espaços virtuais de ensino e aprendizagem. Revista Brasileira de Informática na Educação - ISSN , n. 4, Abril. VAUGHAN, T (1994). Fazendo multimídia na prática. Editora MacGrawHill.

COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO. Versão 1.0

COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO. Versão 1.0 COORDENAÇÃO DE EAD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2015 SUMÁRIO 1. O MOODLE 3 2. Acesso à Plataforma 3 2.1. Cadastrar-se em uma disciplina 4 2.2. Página Inicial do Curso 5 3.

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Concurso Público para a Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ESCOLA DE APLICAÇÃO ------/UFPA 24 de outubro de 2010 INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

Leia mais

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância

ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância ESTUDO DE CASO: LeCS: Ensino a Distância HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça FAEG - Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone (14) 3407-8000

Leia mais

Escola de Contas Públicas Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

Escola de Contas Públicas Tribunal de Contas do Estado de São Paulo Escola de Contas Públicas Tribunal de Contas do Estado de São Paulo PROGRAMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA Novembro 2008 São Paulo SP Primeiramente queremos observar que este texto não se trata de um manual,

Leia mais

Unidade: O perfil do aluno virtual e orientações didáticas. Unidade I:

Unidade: O perfil do aluno virtual e orientações didáticas. Unidade I: Unidade: O perfil do aluno virtual e orientações didáticas Unidade I: 0 Unidade: O perfil do aluno virtual e orientações didáticas O aluno que procura um curso na modalidade a distância, mediado por computadores,

Leia mais

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA

O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA 1 O MOODLE COMO FERRAMENTA DIDÁTICA Andréia de Souza Alencar Fernanda Cristina de Paula Matias Fernanda Pereira Guimarães Rodrigo Sanches de Oliveira Resumo: Educação a distância (EaD) e Software Livre

Leia mais

AMBIENTAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E AÇÃO TUTORIAL AULA 01: AMBIENTAÇÃO TÓPICO 03: HISTÓRIA E FUNDAMENTOS DA EAD VERSÃO TEXTUAL DO FLASH Você conhece a origem da Educação a Distância? Como se iniciaram

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

Guia de utilização da notação BPMN

Guia de utilização da notação BPMN 1 Guia de utilização da notação BPMN Agosto 2011 2 Sumário de Informações do Documento Documento: Guia_de_utilização_da_notação_BPMN.odt Número de páginas: 31 Versão Data Mudanças Autor 1.0 15/09/11 Criação

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Paradigma Pedagógico da Informática Educativa Parte III. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Paradigma Pedagógico da Informática Educativa Parte III. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Paradigma Pedagógico da Informática Educativa Parte III Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após vermos uma abordagem acerca do paradigma da informática

Leia mais

POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIAS ATRAVÉS DE APLICATIVO PUBLICADOR E SIMULADOR EM TABLETS PARA O ENSINO MÉDIO

POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIAS ATRAVÉS DE APLICATIVO PUBLICADOR E SIMULADOR EM TABLETS PARA O ENSINO MÉDIO POPULARIZAÇÃO DA CIÊNCIAS ATRAVÉS DE APLICATIVO PUBLICADOR E SIMULADOR EM TABLETS PARA O ENSINO MÉDIO Edgley Alves Batista; Antonio Augusto Pereira de Sousa; Welida Tamires Alves da Silva; Amanda Monteiro

Leia mais

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA LUCIANE MULAZANI DOS SANTOS PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de

Leia mais

Tutorial 7 Fóruns no Moodle

Tutorial 7 Fóruns no Moodle Tutorial 7 Fóruns no Moodle O Fórum é uma atividade do Moodle que permite uma comunicação assíncrona entre os participantes de uma comunidade virtual. A comunicação assíncrona estabelecida em fóruns acontece

Leia mais

Em FORMATO E-LEARNING PQ 11.04.A Página 1 de 6

Em FORMATO E-LEARNING PQ 11.04.A Página 1 de 6 Página 1 de 6 1. FUNCIONAMENTO Os cursos na modalidade de e-learning do são frequentados totalmente online, à exceção do Curso de Trabalhador Designado para a Segurança e Saúde no Trabalho em que a 1ª

Leia mais

DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD

DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD DidaTIC: ferramenta para elaboração de conteúdos didáticos digitais para EAD Cristiane Borges Braga 1, Cassandra Ribeiro de O. e Silva 1, Fabrice Joye 1, Marcos Portela 1, Jane Fontes Guedes Melo 2 1 Núcleo

Leia mais

Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano

Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano Programação Servidor para Sistemas Web 1 Unidade 8: Padrão MVC e DAO Prof. Daniel Caetano Objetivo: Apresentar a teoria por trás dos padrões na construção de aplicações Web. INTRODUÇÃO Nas aulas anteriores

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO Utilitário ConfigXpress no CA IdentityMinder a minha solução de gerenciamento de identidades pode se adaptar rapidamente aos requisitos e processos de negócio em constante mudança? agility

Leia mais

Caro participante, seja bem-vindo!!!

Caro participante, seja bem-vindo!!! Caro participante, seja bem-vindo!!! Aqui você aprenderá: 1. Como navegar no seu Ambiente Virtual 2. Como utilizar o Fórum 3. Como utilizar o Memorial 1. NAVEGANDO NO AMBIENTE VIRTUAL (ACTOR) Esse tutorial

Leia mais

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados 1. Introdução O governo é um dos maiores detentores de recursos da informação. Consequentemente, tem sido o responsável por assegurar que tais recursos estejam agregando valor para os cidadãos, as empresas,

Leia mais

Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública

Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública Eixo temático 2: Formação de professores e cultura digital 1 Ana Paula Ferreira Sebastião 2 Rosemary

Leia mais

A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção

A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção Carolina Pinheiro Bicalho Maria Clara Duarte Schettino Maria Laura Quaresma Ragone Mário Santiago Israel

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS CPD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS CPD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAZONAS - CIESA CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS CPD MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.8 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

MOODLE NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Carmen Mathias Agosto - 2009 I. CADASTRO 1. Acessar o site de treinamento (teste): http://moodle_course.unifra.br/ 2. Faça o login, clicando em acesso no lado direito superior da tela: 3. Coloque seu nome

Leia mais

UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Ricardo Fidelis Dantas Universidade Estadual da Paraíba richarges@gmail.com Francisco Eudes Almeida da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇÃO DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO O INTERCÂMBIO DE CURSOS ENTRE O TRT8 E O INTERLEGIS RODOPIANO NETO Assessor de Planejamento e Gestão OBJETIVOS 1. Orientar

Leia mais

Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual

Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual Tiago de Souza Lima Gomes 1 (UM, Universidade do Minho) Marcelo Mendonça Teixeira 2 (UM, Universidade do Minho) Resumo: Na actual sociedade

Leia mais

Instruções ao Usuário

Instruções ao Usuário Módulo Básico da Mídia Rádio Íntegra do Tópico Instruções Instruções ao Usuário Mapa do site O Módulo Básico da Mídia Rádio do Curso Formação Continuada Mídias na Educação, da SEED/MEC é composto por treze

Leia mais

A PRÁTICA DA INTERDICIPLINARIEDADE NO ENSINO DE PROJETOS DE MOLDES E MATRIZES NO CURSO DE TECNOLOGIA EM MECÂNICA DO IST

A PRÁTICA DA INTERDICIPLINARIEDADE NO ENSINO DE PROJETOS DE MOLDES E MATRIZES NO CURSO DE TECNOLOGIA EM MECÂNICA DO IST A PRÁTICA DA INTERDICIPLINARIEDADE NO ENSINO DE PROJETOS DE MOLDES E MATRIZES NO CURSO DE TECNOLOGIA EM MECÂNICA DO IST Carlos Maurício Sacchelli sacchelli@sociesc.com.br Leonidas Mamani Gilapa leonidas@sociesc.com.br

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após vermos uma breve abordagem acerca das novas tecnologias agregadas ao ensino, veremos

Leia mais

MANUAL DO AVA GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Rua Ramos Ferreira, 991 A - Centro Fone: (92) 3878-7479 / 3233-6836 Manaus AM CEP: 69010-120

MANUAL DO AVA GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Rua Ramos Ferreira, 991 A - Centro Fone: (92) 3878-7479 / 3233-6836 Manaus AM CEP: 69010-120 MANUAL DO AVA 1. O QUE É EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA? A Educação a Distância, como dispõe o Decreto nº 5.622, de 19/12/2005, caracterizase como uma modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica

Leia mais

FAESA@Online: Um ambiente para criação e manutenção de cursos a distância

FAESA@Online: Um ambiente para criação e manutenção de cursos a distância FAESA@Online: Um ambiente para criação e manutenção de cursos a distância Short paper Autores: Luciano Lessa Lorenzoni - Apresentador luciano@faesa.br 27-3279152 Denise Frazotti Togneri togneri@zaz.com.br

Leia mais

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL Prezado(a) aluno(a); Este material que você está começando a ler trata-se do manual do aluno, referente às disciplinas que serão ministradas através

Leia mais

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Aula 7 SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA META Discutir a utilização de softwares no ensino de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através da utilização do software carbópolis,

Leia mais

3 Qualidade de Software

3 Qualidade de Software 3 Qualidade de Software Este capítulo tem como objetivo esclarecer conceitos relacionados à qualidade de software; conceitos estes muito importantes para o entendimento do presente trabalho, cujo objetivo

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Unidade III MODELAGEM DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Ciclo de Vida de Sistemas Engenharia de Software Aplicações de Software Diagramação de Software Ciclo

Leia mais

TEC - EAD PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONCEPÇÕES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS

TEC - EAD PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONCEPÇÕES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS TEC - EAD PRESSUPOSTOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONCEPÇÕES TEÓRICAS E METODOLÓGICAS O que é mesmo Educação a Distância (EAD)? Você está fazendo um curso a distância, mas já parou para pensar no conceito

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA Marcos Leomar Calson Mestrando em Educação em Ciências e Matemática, PUCRS Helena Noronha Cury Doutora em Educação

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

Chatterbot: uma ferramenta para motivar estudantes de cursos a distância

Chatterbot: uma ferramenta para motivar estudantes de cursos a distância Chatterbot: uma ferramenta para motivar estudantes de cursos a distância Sérgio Teixeira E-mail: sergio@multicast.com.br Sergio Teixeira é professor da Faculdade Salesiana de Vitória e Especialista em

Leia mais

Perguntas. Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo. Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting

Perguntas. Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo. Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting Perguntas Que todo usuário deveria fazer antes de comprar um software CAD de baixo custo Por Robert Green, proprietário da Robert Green Consulting 5 perguntas que todo usuário deveria fazer antes de comprar

Leia mais

O vídeo nos processos de ensino e aprendizagem

O vídeo nos processos de ensino e aprendizagem PACC / UAB / UFABC O vídeo nos processos de ensino e aprendizagem Por Lilian Menezes Como dito anteriormente, na linguagem audiovisual as imagens ocupam lugar de destaque e quando começamos a trabalhar

Leia mais

1 Um guia para este livro

1 Um guia para este livro PARTE 1 A estrutura A Parte I constitui-se de uma estrutura para o procedimento da pesquisa qualitativa e para a compreensão dos capítulos posteriores. O Capítulo 1 serve como um guia para o livro, apresentando

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG. Identificação

PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG. Identificação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PROJETO PEDAGÓGICO UNIFICADO: FORMAÇÕES SIG Campus: Reitoria

Leia mais

Manual do Usuário do Integrador de Notícias de Governo

Manual do Usuário do Integrador de Notícias de Governo Manual do Usuário do Integrador de Notícias de Governo 1 Versão: 2.0 Manual do Usuário Integrador de Notícias de Governo Envolvidos: Secretaria Executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura

A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura A utilização da Web no apoio ao ensino de Desenho na Arquitetura HARRIS, Ana Lúcia Nogueira de Camargo (1) Av. Prof. Almeida Prado trav.2 n o 271 Cidade Universitária 05508-900 São Paulo SP Tel.: (011)

Leia mais

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas

11 a 14 de dezembro de 2012 Campus de Palmas EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM ESTUDO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA, NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS, NO CAMPUS DE GURUPI. Nome dos autores: Josilia Ferreira Dos Santos,

Leia mais

BUSCANDO UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA AUXILIAR A GESTÃO DE PRODUÇÃO DO PBL-VE E DO PBL-VS

BUSCANDO UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA AUXILIAR A GESTÃO DE PRODUÇÃO DO PBL-VE E DO PBL-VS 973 BUSCANDO UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA AUXILIAR A GESTÃO DE PRODUÇÃO DO PBL-VE E DO PBL-VS Jéssica Magally de Jesus Santos 1 ; Gabriela Ribeiro Peixoto Rezende Pinto 2 1. Bolsista

Leia mais

As respostas devem ser assinadalas na Folha de Resposta, a qual deverá ser entregue ao Fiscal de Sala Itapetininga, 04 de Dezembro de 2015

As respostas devem ser assinadalas na Folha de Resposta, a qual deverá ser entregue ao Fiscal de Sala Itapetininga, 04 de Dezembro de 2015 As respostas devem ser assinadalas na Folha de Resposta, a qual deverá ser entregue ao Fiscal de Sala Itapetininga, 04 de Dezembro de 2015 1) Moraes (2014) apresenta em seu texto Tecnologias digitais e

Leia mais

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1 ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS SITES QUE DISPONIBILIZAM OBJETOS DE APRENDIZAGEM DE ESTATÍSTICA PARA O ENSINO MÉDIO 1 Kethleen Da Silva 2, Tânia Michel Pereira 3, Edson Luiz Padoin 4, Matheus Reis De Almeida

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes 1) O que é o projeto Inovaeduc? O projeto Inovaeduc é um projeto pedagógico / educacional que contempla um conjunto de soluções tecnológicas educacionais que objetivam

Leia mais

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar Tatiana Medeiros Cardoso Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório RS Brasil tati.info@gmail.com

Leia mais

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW

Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW Simulador Virtual para Treinamento em Visão de Máquina com LabVIEW "Esse ambiente pode ser usado para simular e explorar as possibilidades e alcances de uma solução empregando visão de máquina, testar

Leia mais

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO www.webaula.com.br Índice 3 introdução 3 introdução 3 O que são cursos livres, afinal? 4 Características dos cursos livres 5 Vantagens dos cursos livres

Leia mais

A INFORMÁTICA NO ENSINO

A INFORMÁTICA NO ENSINO A INFORMÁTICA NO ENSINO Renato Vairo Belhot Escola de Engenharia de São Carlos - USP Departamento de Engenharia de Produção Caixa Postal 359-13560-970 - São Carlos - SP RVBELHOT@SC.USP.BR RESUMO A informática

Leia mais

CEDERJ - CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CEDERJ - CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CEDERJ - CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO MATERIAL DIDÁTICO IMPRESSO CURSO: Física DISCIPLINA: Informática para o Ensino de Física CONTEUDISTA: Carlos Eduardo Aguiar

Leia mais

Tecnologias e tempo docente

Tecnologias e tempo docente http://portalrevistas.ucb.br/index.php/raead ISSN: 2357-7843 Tecnologias e tempo docente Autor 1 1 : Ana Maria Brigatte KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente ocente. Papirus Editora, 2013.

Leia mais

1-O que é EaD? 2-O significa a sigla AVA?

1-O que é EaD? 2-O significa a sigla AVA? 1-O que é EaD? EaD significa Educação a Distância, vejamos alguns conceitos de EaD: "Educação a distância pode ser caracterizada com um ensino no qual o professor e alunos, separados no espaço/ tempo,

Leia mais

GUIA DO PARTICIPANTE

GUIA DO PARTICIPANTE Curso Aprofundamento para INSPAC Submódulo Operações Aeronáuticas e Aeroportuárias Orientações Gerais GUIA DO PARTICIPANTE A Gerência Técnica de Capacitação - GTCA da Superintendência de Gestão de Pessoas

Leia mais

Educação a Distância. Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira. Resumo

Educação a Distância. Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira. Resumo Educação a Distância Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira Resumo Educação a distância é uma modalidade de educação mediada por tecnologias e ocorre

Leia mais

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD?

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? Índice SUA EMPRESA DE TREINAMENTOS ESTÁ PARADA NO TEMPO? Introdução 2 Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4 Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? 6 A gestão de cursos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

As tecnologias de informação e comunicação

As tecnologias de informação e comunicação As tecnologias de informação e comunicação Edilaine Silva 83382 Guilherme Barros 75700 Pedro Fernandes 78842 Tainara Aleixo 83494 Universidade Federal de Viçosa CCE- Departamento de Matemática. O que são

Leia mais

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web 2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web A eficiência da educação a distância (EAD) depende da contribuição de diversas disciplinas. É comum encontrarmos estudos nas áreas da ciência da computação,

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA Tema debatido na série Integração de tecnologias, linguagens e representações, apresentado no programa Salto para o Futuro/TV Escola, de 2 a 6 de maio de 2005 (Programa 1) INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO

Leia mais

DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS

DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE CEUMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS O QUE VOCÊ PRECISA

Leia mais

O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL

O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL O USO DE PROGRAMAS COMPUTACIONAIS COMO RECURSO AUXILIAR PARA O ENSINO DE GEOMETRIA ESPACIAL Angélica Menegassi da Silveira UNIFRA Eleni Bisognin - UNIFRA Resumo: O presente artigo tem como objetivo apresentar

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Arquitetura de Software Aula 03 Agenda 1. Arquitetura de Software 1.1.Introdução 1.2.Vantagens da Arquitetura de Software

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais

Educação a Distância e Ensino de Graduação Presenci al: interfaces, alternativas e recursos tecnol ógicos. Profa. Apuena Vieira Gomes SEDIS-UFRN

Educação a Distância e Ensino de Graduação Presenci al: interfaces, alternativas e recursos tecnol ógicos. Profa. Apuena Vieira Gomes SEDIS-UFRN Educação a Distância e Ensino de Graduação Presenci al: interfaces, alternativas e recursos tecnol ógicos Profa. Apuena Vieira Gomes SEDIS-UFRN Pontos para o Debate Educação a Distância O que é? Características

Leia mais

UM MODELO PARA GESTÃO DE LICENCIATURAS NO EAD: EXPERIÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA IFES

UM MODELO PARA GESTÃO DE LICENCIATURAS NO EAD: EXPERIÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA IFES 1 UM MODELO PARA GESTÃO DE LICENCIATURAS NO EAD: EXPERIÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA IFES Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) Campus Cachoeiro de Itapemirim 03/2010 Giovany F. Teixeira

Leia mais

ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO

ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO APLICATIVOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COLABORATIVOS COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA PARA FORMAÇÃO DO QUADRO DOCENTE E ADMINISTRATIVO DA

Leia mais

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos

Pró-Reitoria de Educação a Distância. Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Pró-Reitoria de Educação a Distância Manual do Ambiente Virtual de Aprendizagem para alunos Como acessar o ambiente 1. Entre no Ambiente Virtual de Aprendizagem localizado na página principal do Portal

Leia mais

UM MODELO PARA AVALIAÇÃO DE PRÉ-REQUISITOS ENTRE DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UM MODELO PARA AVALIAÇÃO DE PRÉ-REQUISITOS ENTRE DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UM MODELO PARA AVALIAÇÃO DE PRÉ-REQUISITOS ENTRE DISCIPLINAS DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Julio C.B. Silva julio.barcellos@area1.br Catiane M. de Carvalho - catiane.mc@pop.com.br Carolina L. B. Cajazeira

Leia mais

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática José Adson D. Pacheco & Janaina V. Barros - UPE Resumo: O presente artigo avalia a utilização de softwares educativos de matemática na sala de aula

Leia mais

Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância

Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância 1 Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância 05/2008 Maria de Fátima Rodrigues de Lemos Núcleo de Educação a Distância - NEAD / Unidade Estratégica de Desenvolvimento

Leia mais

1 Introdução Qualquer tipo de veiculação de conteúdo pago na internet pode ser considerado como uma ação publicitária. Esta ação é semelhante aos modelos tradicionais de mídia (televisão, rádio, revistas

Leia mais

E-mail: anthony.valenca@gmail.com, (24) 9843-3407. E-mail: joanafarias@yahoo.com.br (21) 7162-0872.

E-mail: anthony.valenca@gmail.com, (24) 9843-3407. E-mail: joanafarias@yahoo.com.br (21) 7162-0872. IMPORTÂNCIA DO USO DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM (AVA) PARA MELHORIA DO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E MILITAR Cadete Anthony Santos Valença 1 Curso

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição?

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição? Caríssimo aluno da Rede CEJA, Seja muito bem vindo à sua escola! Estamos muito felizes que você tenha optado por dar continuidade aos seus estudos conosco, confiando e acreditando em tudo o que poderemos

Leia mais

Guia de Acesso ao AVA. Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho

Guia de Acesso ao AVA. Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho Guia de Acesso ao AVA Ms. Eng. Claudio Ferreira de Carvalho Introdução Este guia apresenta os procedimentos iniciais para acessar o AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem), que será utilizado para as disciplinas

Leia mais

EGC Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação

EGC Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação EGC Gestão Estratégica da Tecnologia da Informação Resenha Crítica: Qual a relação entre competitividade, gestão do conhecimento e tecnologia da informação? Paulo Fernando da Silva Para discutirmos a relação

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR EM MATEMÁTICA RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA GESTAR II Sidnei Luís da Silva Escola Municipal Vereador Benedito Batista Congatem - MG sidneiluisdasilva@yahoo.com.br Camila

Leia mais

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS Afonso, A.E. 1 ; Silva, T.M. 2 ; 1 DGEO/FFP/UERJ Email:aniceafonso@gmail.com; 2 DEPTO. GEOGRAFIA/UFRJ Email:telmendes@globo.com; RESUMO: O ensino

Leia mais

Gerenciamento de memória

Gerenciamento de memória Na memória principal ficam todos os programas e os dados que serão executados pelo processador. Possui menor capacidade e custo maior. S.O buscam minimizar a ocupação da memória e otimizar sua utilização.

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD

A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD Ednei Nunes de Oliveira A TUTORIA A DISTÂNCIA NA EaD DA UFGD UFGD/Faculdade de Educação a Distância Dourados MS, E-mail: edneioliveira@ufgd.edu.br Professor da FACED, Bolsista PIBID/EaD/UFGD. RESUMO Esta

Leia mais

Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância

Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância Manual do Aluno para o Curso do SEER à Distância Elaborado por: Alexandre Faria de Oliveira Consultor TI / Monitor Colaborador: Dr.Miguel Ángel Márdero Arellano Coordenador SEER - IBICT Brasília, 2011

Leia mais

Aprimoramento através da integração

Aprimoramento através da integração Aprimoramento através da integração Uma parceria para implementar uma solução de aprendizagem em tempo recorde Visão Geral Com mais de 70 anos de excelência na produção de conhecimento no Brasil, a Fundação

Leia mais

Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD

Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD Crenças, emoções e competências de professores de LE em EaD Patrícia Roberta de Almeida Castro MACHADO (FL-UFG) patricia_cultura@hotmail.com Lucielena Mendonça de LIMA orientadora (FL-UFG) lucielenalima@gmail.com

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO

Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Universidade de Cruz Alta UNICRUZ Centro de Ciências Agrárias, Exatas e da Terra Curso de Ciência da Computação PLANO DE ENSINO Curso/Habilitação: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Disciplina: Empreendimentos em Informática

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Marabá Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação Sistemas Distribuídos Prof.: Warley Junior warleyjunior05@gmail.com Plano de Ensino. Turma SI

Leia mais

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu É o gerenciamento do ciclo de vida de todos os registros, em todos os tipos de mídia, desde a criação até a destruição ou arquivo permanente.

Leia mais

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso!

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso! GUIA DO ALUNO Olá! Seja bem-vindo novamente! Este guia apresenta algumas informações e orientações para auxiliá-lo na sua participação e aprendizagem. Também lhe ajudará a organizar seu estudo no decorrer

Leia mais

Educação, Tecnologias e Formação de Professores

Educação, Tecnologias e Formação de Professores Educação, Tecnologias e Formação de Professores Luís Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas Coordenadoria Institucional de Educação a Distância Universidade Aberta do Brasil Aula Inaugural

Leia mais