BAKALÁŘSKÁ DIPLOMOVÁ PRÁCE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BAKALÁŘSKÁ DIPLOMOVÁ PRÁCE"

Transcrição

1 MASARYKOVA UNIVERZITA Filozofická fakulta BAKALÁŘSKÁ DIPLOMOVÁ PRÁCE Brno 2013 Markéta Krafková

2 Masarykova univerzita Filozofická fakulta ÚSTAV ROMÁNSKÝCH JAZYKŮ A LITERATUR Portugalský jazyk a literatura Markéta Krafková Tradução comentada do roteiro original do filme Terra estrangeira dirigido por Walter Salles Bakalářská diplomová práce Vedoucí práce: Mgr. Silvie Špánková, Ph.D. Brno 2013

3 Prohlašuji, že jsem diplomovou práci vypracovala samostatně s využitím uvedených pramenů a literatury. Taktéž prohlašuji, že se tištěná verze práce shoduje s verzí elektronickou. V Brně dne Markéta Krafková

4 Gostaria, em primeiro lugar, de agradecer à minha orientadora Doutora Silvie Špánková, agradeço as valiosas sugestões e comentários efetuados. Também agradeço aos membros do Departamento da Língua Portuguesa na Universidade Masaryk o apoio e o ambiente estimulante para os meus estudos, sobretudo à diretora do departamento, Mgr. Maria de Fátima Néry-Plch. Queria agradecer à minha família e aos meus amigos o carinho e apoio deles.

5 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO O FILME TERRA ESTRANGEIRA BREVE ANÁLISE DO FILME O narrador Análise dos personagens O tempo e o espaço Procura de identidade, identidade nacional, identidade cultural Discriminação de raça e preconceitos Comunicação intertextual Música do filme Terra Estrangeira, tradução da letra e comentário da tradução Tradução das canções Vapor Barato e Estranha Forma de Vida ABORDAGENS À TRADUÇÃO Comentários da tradução e as dificuldades TRADUÇÃO DO ROTEIRO ORIGINAL DO FILME TERRA ESTRANGEIRA CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXO

6 1. INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por objetivo a tradução do roteiro original do filme Terra Estrangeira. Trata-se de um filme muito interessante em vários aspetos, realizado pelo diretor contemporâneo e mundialmente conhecido, Walter Salles. Por meio da linguagem cinematográfica podem ser exprimidos sentimentos comuns às pessoas na "aldeia global" do mundo contemporâneo. Filme Terra estrangeira é um daqueles filmes, nos quais um conjunto de fotografias impressionantes e a acção dramática, seduzem o espectador na trama dos personagens buscando o seu lugar no mundo. Além de ter um efeito sobre as emoções do espectador, o filme ensina-nos muito sobre a cultura luso-brasileira, o que faz parte importante de estudos de todos os estudantes da língua portuguesa e, sem dúvida atrai também outros espectadores. O trabalho propõe-se a fazer uma análise dos temas principais do filme para entendimento profundo, necessário para fazer uma tradução compreensível do português para o checo. Uma vez que há divergências entre o filme e o roteiro do filme, para a análise de temas usamos ambas as fontes e para própria tradução, optámos pelo roteiro. Na primeira parte do presente trabalho introduzimos o principal objeto de análise e fazemos a síntese do enredo do filme. No capítulo seguinte oferecemos uma breve análise das categorias narrativas, tais como os personagens, tempo-espaço e narrador à base das teorias narratológicas expostas por Lothe. Os temas principais discutidos nesta parte da tese são conceitos correlatos ao estrangeiro como: imigração, emigração, exílio, discriminação e preconceitos entre as nações. Além disso, examina-se a função da música na obra e procura-se traduzir as letras das canções. Após uma análise do filme começa uma parte teórica de tradução em que é explicitado o processo da tradução e os apoios. No capítulo dedicado aos comentários de tradução apresentamos e comentamos as particularidades desta tradução e mostramos algumas dificuldades de tradução e as suas soluções. Na parte prática, em seguida, apresenta-se a tradução do roteiro original. 6

7 2. O FILME TERRA ESTRANGEIRA O filme Terra estrangeira, lançado pela Riofilme no Brasil em 1995, e co-dirigido por Walter Salles e Daniela Thomas, ganhou fama internacional e recebeu premiações não só no seu país (Prêmio Margarida de Prata), mas também em festivais europeus, como o Prêmio Golden Rosa Camuna, da Mostra Internazionale del Cinema d'essai e o Grand Prix do Entrevues, do Festival International du Film Belfort na categoria de O Melhor Filme Estrangeiro. O roteiro original, escrito por Daniela Thomas, Marcos Bernstein e Walter Salles, com a colaboração de Millôr Fernandes, foi premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte como o Melhor Roteiro de Daniela Thomas trabalha como diretora, dramaturga, roteirista, cenógrafa e figurinista nos teatros de Nova York e Stuttgart, sendo conhecida por ser inovadora no teatro e destacada diretora dos anos 80. Com Walter Salles participou na realização dos filmes Linha de Passe, Paris, je t'aime, O Primeiro Dia. Walter Moreira Salles Júnior é um realizador e produtor de cinema. Nascido no Rio de Janeiro, constantemente realiza filmes que ganham boa repercussão mundial. O cineasta tem como objetivo abordar a realidade brasileira contemporânea através de seus filmes, e fazer uma reflexão pessoal sobre o seu papel na sociedade. Nos seus filmes tenta não só agradar aos espectadores, mas procura também tratar uns temas interessantes. É por isso ganha o seu público. Numa das entrevistas Salles afirma: "Detesto sentir manipulado no cinema por filmes que tentam agradar a qualquer preço. Mais: defendo a unhas e dentes aqueles filmes que dialogam com poucos expectadores, mas fazem avançar a linguagem, experimentam com a forma e o conteúdo." 2 Graças à sua abordagem, os seus filmes alcançaram o sucesso no campo internacional da cinematografia. O filme Central do Brasil, por exemplo, recebeu indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro; e o Abril Despedaçado, foi indicado para o Globo de Ouro. Entretanto, o maior sucesso cinematográfico do diretor, foi Diários de Motocicleta, um filme sobre o Che Guevara, o grande revolucionário argentino. Seu último trabalho no cinema foi com o filme Na Estrada, uma adaptação do livro de Jack Kerouac, rodado no ano No início dos anos 90, na Era Collor, a produção cinematográfica no Brasil enfrentou uma grande crise, quando os órgãos estatais como a Embrafilme e a Concine foram extintas e consequentemente a produção de filmes brasileiros foi praticamente interrompida. Os dois primeiros anos da década de 90 pertencem certamente entre aos "piores da história do cinema brasileiro." 3 A partir de 1995, começa-se a falar em numa "retomada" do cinema brasileiro, a era 1 Arquivo do cinema brasileiro. Daniela Thomas [online][cit ]. Acessível em: <http://arquivodocinemabrasileiro.blogspot.cz/2009_11_01_archive.html/>. 2 COSTA, Grace Campos. A Instabilidade Brasiliera em Terra estrangeira. [online][cit ]. Acessível de (em): <http://gthistoriacultural.com.br/visimposio/anais/grace%20campos%20costa%20&%20alcides%20freire%20ramo s.pdf>. 3 NAGIB, Lúcia. O Cinema da Retomada. Depoimentos de 90 cineastas dos anos 90. [online][cit ]. 7

8 num novo movimento cinematográfico, com o aumento da produção de filmes. Este período era considerado "O Renascimento do cinema brasileiro". Como menciona Costa, este período trouxe uma "recuperação das novas produções cinematográficas, voltando para a reflexão da sociedade e resgatando o prestígio conquistado no passado." 4 O filme Terra estrangeira tornou-se um dos primeiros do Cinema de Retomada. A Retomada também significou uma redescoberta da Pátria. "Neste período, as obras audiovisuais revelam uma necessidade de compreensão do país. Nos dois ou três anos que se seguiram, verifica-se o aprofundamento da tentativa de apreensão do Brasil real." 5 A obra cinematográfica respondeu ao seu tempo e certamente reflete o estado da sociedade brasileira. O filme retrata o Brasil na Era Collor, um período em que pela primeira vez, o Brasil foi transformado num país de emigração, no qual mesmo os jovens não podiam conseguir um emprego e viviam em condições sociais deficientes, sem nenhuma outra possibilidade senão sair à procura de trabalho nos outros países. O tempo histórico é a virada da década de 80 para 90. Quando sobraram apenas o discurso político sem ideologia, o escapismo, a alienação e a onipresença da televisão." 6 No início da narrativa do filme, desenrolam-se histórias paralelas dos dois personagens - o Paco e a Alex nas duas margens do Oceano Atlântico. No Brasil, conta-se a história de Francisco Eizaguirre, Paco (Fernando Alves Pinto), que convive, em num pequeno apartamento em São Paulo em frente ao Minhocão, com a sua mãe Manuela (Laura Cardoso), uma modesta costureira e descendente de bascos, que sonha desesperadamente em conhecer a terra de seus antepassados, a cidade mítica San Sebastián. Neste período, no Brasil, o governo Collor anuncia o confisco das poupanças e o congelamento das contas bancárias, o que impediu e anulou imediatamente o sonho de Manuela, que, completamente abalada, morre em seguida. Paco, então, retrai-se num estado de profunda solidão e abandono, sem dinheiro, e com enorme desespero. Nesta situação, ele decide ir atrás do sonho da sua mãe, de conhecer San Sebastián. Porém, em troca do custo total da viagem, Paco aceita, a pedido de Igor (Luís Melo), um traficante e proprietário de uma loja de antiguidades, levar e entregar um pacote misterioso. Ao mesmo tempo do outro lado do Atlântico, na capital de país ex-colonizador, assistimos à Acessível de:<http://books.google.cz/books?id=5fh9bmp--b4c&printsec=frontcover&hl=cs#v=onepage&q&f=false>. p COSTA, Grace Campos. A Instabilidade Brasiliera em Terra estrangeira. [online][cit ]. Acessível de: <http://gthistoriacultural.com.br/visimposio/anais/grace%20campos%20costa%20&%20alcides%20freire%20ramo s.pdf> 5 NAGIB, op. cit., p.15 6 NEDER, Cristiane Pimentel. A Terceira identidade do Estrangeiro dentro e fora do cinema: Uma cidadania intermediária que nasce entre o portão do embarque e do desembarque.[online][cit ]. Acessível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/neder-cristiane-identidade-do-estrangeiro-cinema.pdf>. 8

9 luta de dois namorados, imigrantes brasileiros que vivem numa situação económica ruim. Alex (Fernanda Torres) trabalha como uma empregada num restaurante e Miguel (Alexandre Borges), um músico sonhador desempregado que ganha a vida fazendo contrabando. Após embarcar numa viagem sem retorono, Paco chega a Lisboa e procura Miguel para lhe entregar o pacote que tinha sido encomendado, e descobre que Miguel havia sido assassinado. Como única pista e contato que ele tem de Miguel, Paco procura por Alex. Ao encontrá-la, acaba por perder a encomenda misteriosa, que continha um violino com diamantes escondidos. O pacote fora resgatado por Alex, numa insana intenção de parar a operação que tinha causado a morte de Miguel. No final, Paco e Alex juntos, com ajuda do português Pedro (João Lagarto), buscam uma saída desta situação fugindo dos traficantes Igor e Kraft (Tchéky Karyo). O género de filme poderia ser definido de uma forma bem abrangente. Considerado um drama principalmente por sua tensão, o género cede ao road movie, suspense ou filme de ação, filme noir, documentário e até ao romance. Segundo os realizadores, o filme foi feito como um "trabalho coletivo espelhando desejos plurais" 7 e portanto, o resultado é uma obra pós-moderna composta da mistura de vários géneros. O filme se aproxima do documentário, já que captura a realidade e as situações como fatos, mostrando realidades duras e contraditórias. Utiliza ainda, uma estética de filme noir ou até mesmo neo-noir baseado nas imagens em preto e branco, como uma fotografia, formando uma atmosfera melancólica, e até pavorosa e mística, que "retrata seus personagens principais num mundo cínico e antipático." 8 No filme encontram-se também traços do realismo social, com a descrição do tempo da crise económica no país, em que chama atenção às condições cotidianas dos pobres e às condições sociais que os mantêm nessa situação. Todavia, o filme tem também um aspecto psicológico: a perda e busca de identidade e deslocamento dos personagens em relação ao mundo. O diretor faz uma reflexão sobre os objetivos da arte cinematográfica em geral, afirmando: "O papel de cinema é gerar uma memória de nós mesmos, um retrato de uma sociedade num dado momento. Mas sei que esses filmes nos explicam, dizem quem somos, de onde viemos." 9 3. BREVE ANÁLISE DO FILME Como um filme é uma forma complexa de comunicação, o espectador é atribuído a 7 THOMAS, Daniela. BERNSTEIN, Marcos e SALLES, Walter. Roteiro: Terra Estrangeira. Rio de Janeiro: Rocco,1996. p.5 8 Os Gêneros de cinema [online][cit ]. Acessível em:<http://virusdaarte.net/os-generos-do-cinema/>. 9 Época. Walter Salles." Cinema não é sabão em pó". [online][cit ]. Acessível em: <http://revistaepoca.globo.com/revista/epoca/0,,emi ,00walter+salles+ CINEMA+NAO+E+SABAO+ EM+PO.html>. 9

10 reconstruí-lo e penetrar no significado para compreender inteiramente os acontecimentos da história deste mundo imaginário criado pelo autor, os personagens, sua atitude e caracterização, e os significados ocultos desta obra de arte. No capítulo anterior nós simplesmente descrevemos os acontecimentos do filme. No capítulo Breve análise do filme, pretendemos analisar as estruturas mais profundas do filme do ponto de vista da terminologia narratológica, as abordagens e técnicas utilizadas principalmente pelos estudos literários para estudar a estrutura das obras de arte que decifre a história em si. Estamos a tratar quatro categorias narrativas básicas: o narrador, os personagens, o tempo e o espaço. A seguir, este capítulo trata de temas do filme e das suas interpretações. 3.1 O narrador Estudando a narração do filme, concentramo-nos em como se clenem os conhecimentos. Há alguns meios que tal propiciam personagens, enredo, focalização ou narrador. O conceito do narrador é central da análise de textos da narrativa. No caso do filme apresentado, o narrador está fora da ação e observa o enredo sem nela participar. Segundo Lothe, o tipo de perspectiva narrativa em que um narrador vê sem participar da trama é chamada perspectiva externa. No caso do filme presente, os espectadores não podem ver ou ouvir algum narrador, mas avaliam os significados baseando-se na comparação das cenas no filme. O papel de narrador cinematográfico é, assim, assumido pela câmara. A câmara decide não só o que o espectador vê, mas também como e por quanto tempo vê o que vê. A visão da câmara, que capta os eventos aparentemente reais, aproximase a visão de câmara dos filmes documentários. A intenção dos autores foi precisamente aproximarse de filme documentário, o que leva o espectador a acreditar que os eventos que ele vê são os eventos reais ocorridos no mundo real. 3.2 Análise dos personagens A construção do personagem tem que ser baseada em várias outras investigações - por exemplo o que é o mais importante e interessante sobre o personagem, em que medida é o personagem verosímil, etc. O retrato total que formamos de um personagem pode ser atribuído a vários sinais no texto. Segundo Lothe, "além da aparência externa e comportamento, além da sua fala, o personagem é apresentado também implicitamente - definido pela ação que ele realiza." 10 A partir desses sinais, podemos conhecer não só os personagens, mas através do seu comportamento e 10 LOTHE, Jakob. Narrative in fiction and film: an introduction. Oxford: Oxford University Press, p

11 intenções, conhecemos também o ambiente em que vivem. Por meio das personagens pode ser mostrado como a população sente os efeitos das mudanças económicas e políticas no seu país. No cinema os personagens manifestam-se de muitas maneiras diferentes e complementares. Os personagens estão envolvidos na trama, e as ações que eles executam constituem uma série de eventos. Nesta parte da tese, mostramos as características dos personagens principais e secundárias. Sobretudo pretendemos mostrar as características de dois personagens principais jovens, cujas histórias se entrelaçam, Paco e Alex. Alex, a principal personagem feminina, é apresentada aos espectadores como uma jovem brasileira de 28 anos que deve resistir às críticas de seu chefe durante horas extras numa cantina em Lisboa. Ela tem medo de ficar velha e sozinha e sente aquele estranhamento de um imigrante na cidade não comfortável, torna-se consciente do seu sotaque brasileiro e da sua nacionalidade brasileira, que possam ofender os portugueses. Por outro lado, ela tem medo de voltar para o Brasil, o seu país, parece deslocada. Alex representa uma personagem perdida sem raízes, solitária buscando seu próprio mundo, um lugar onde se sentisse em casa e pudesse resolver a sua vida. Por isso, na cena da praia com o navio encalhado ela quer ancorar num porto seguro, ou seja encontrar o seu lar e a família. A personagem de Alex desde o início não fica contente com o relacionamento conturbado com Miguel, que gasta seu dinheiro em drogas e por causa disso ela separa-se dele, mesmo que ainda sinta amor por ele. Ela fica num estado de confusão e angústia pelo assassinato do Miguel, quer vingar os contrabandistas e, por isso, rouba o pacote. Desde o início Alex sente insatisfação com a sua vida e parece alegre a partir do momento de estar na praia, quando o seu sonho de encontrar um lar torna-se a possibilidade real, mas infelizmente não para muito tempo. Miguel representa um músico brasileiro que embora talentoso, é viciado em cocaína e gasta todas as suas economias em drogas, eventualmente causando o separação dos amantes. Na personagem do Miguel sente-se a incapacidade de socializar-se com outros e adaptar-se às condições nas quais vive. Ele atua como um artista rasgado recusando adaptar-se à cultura do mainstream e, portanto, relegado à periferia e lutando com o insucesso e pobreza e, afinal, buscando refúgio no vício das drogas. Francisco Eizaguirre, outra personagem principal masculina, o jovem estudante de física de 21 anos, que, fascinado por teatro, desejava ser ator, mas perde esta oportunidade esquecendo o texto no teatro. Paco vive com a sua mãe debaixo do Minhocão, um lugar de periferia na cidade de São Paulo. Francisco Eizaguirre é um nome falante, uma reminiscência de um conquistador basco Ex-Aguirre, que se tornou infamoso buscando El Dorado na Amazônia. Depois da morte da sua mãe 11

12 sente-se perdido e procura sua identidade e seu lar. Por isso, para ver o país de origem da sua mãe, aceita levar o pacote do misterioso Igor para Europa. Após chegar ao hotel encontra os imigrantes africanos amigáveis e procurando Miguel também Alex com a qual foge para a fronteira espanhola. Voltar para o Brasil para ele não é a solução para a situação, não tem para onde e para quem voltar. No início, Paco e Alex têm em comum só a sua origem paulistana e o pacote. Quando o pacote está levado por Alex, seus destinos são entrelaçados por um desejo comum de resolver a situação e escapar aos contrabandistas. Os personagens sentem-se mais perto um do outro pela primeira vez no carro pelo caminho a San Sebastián. Ambos sentem-se relaxados e podem aproximar-se um do outro. Na cena da praia com um navio encalhado estão radiantes de felicidade, que dura apenas até o momento em que os traficantes os capturam. No fim emocionante sentimos o amor e carinho da Alex com a cabeça do Paco deitada no colo. Manuela, anos 40, a mãe do Paco, embora ser personagem secundária desempenha um papel central na narrativa. Numa das primeiras cenas do filme Manuela caminha em direção a um prédio decadente sob um outdoor de calcinhas da marca Hope. Ela tem esperança de voltar ao país dos seus pais, ao país Basco, "ela não pode amputar a raiz que seu país entranhou dentro dela por mais que tente enraizar-se em outro lugar. " 11 Numa das cena ela diz ao seu filho: "Você não entende mesmo. Você não pode dizer esquece San Sebastian, como se fosse um capricho meu. É San Sebastian que não me larga. Paco, sabe, às vezes eu ando pela casa, e sinto um cheiro, um cheiro antigo. Eu sei que não é possível, mas eu sinto. Tenho que voltar lá para acabar com está agonia. Será que não dá para entender isto? Será que não dá para entender?" 12 Manuela, tenta poupar dinheiro para a viagem ao País Basco de ordens que recebe como costureira, mas não tem o suficiente para a viagem. Quando ouve do confisco das poupanças, está prestes de um ataque cardíaco em frente da televisão dizendo uma palavra em basco, que significa pai "Aitá". Ela chama o seu próprio pai quem nunca pode rever. Em vez de encontrar paz no país dos seus antepassados, Mauela está enterrada num cemitério humilde. Como aponta Salles, "o filme é marcado pela ausência da figura paterna." 13 Excepto que a Manuela não é capaz de ver novamente a terra de seu pai, Paco está sem o pai parece toda vida, nem sequer menciona-lo, como a família não o conhecesse. Ao lado de Manuela que não é capaz de ver novamente a terra de seu pai, Paco parece crescer toda a vida sem o pai. Este fato segundo o diretor se refere a uma estatística de famílias brasileiras caracterizadas pela ausência do pai (entre 20 e 25%) e ao Portugal, o pai 11 NEDER, Cristiane Pimentel. A Terceira identidade do Estrangeiro dentro e fora do cinema: Uma cidadania intermediária que nasce entre o portão do embarque e do desembarque.[online][cit ]. Acessível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/neder-cristiane-identidade-do-estrangeiro-cinema.pdf>. 12 THOMAS, op. cit., p UOL Entretenimento Cinema. GIANNINI, Alessandro. "É o cinema comercial que está em crise no Brasil", diz Walter Salles" [online][cit ]. Acessível em: <http://cinema.uol.com.br/ultnot/2008/09/04/ult4332u858.jhtm>. 12

13 colonizador do Brasil que os abandonou. 14 Pedro, um português de meia idade, com sobrancelhas grossas e óculos, proprietário da livraria cheia de partituras e livros especializados em música, está sempre pronto para ajudar Alex, não importa o que está a acontecer na vida dela. Não sabemos muito sobre ele, para além de que gosta de livros, toca violino e usa óculos como Fernando Pessoa. Pouco antes da morte do Pedro, o espectador descobre que Igor e Pedro são velhos amigos. Uma personagem misteriosa, de aparência exótica, com o colete, rabo de cavalo e anéis nos dedos, aparece de repente no bar à noite e manda um uísque para Paco, "cachorro engarrafado", usando a phrase de Vinícios de Moraes. Desde o início ele começa chamar Paco pelo apelido com familiaridade. Ele tenta aproximar-se de Paco e chamar atenção dele por meio das suas piadas e conhecimentos sobre San Sebastián e cultura basca, mostrando-lhe a coleção de objetos antigos, vestígios dos conquistadores. Tentando para assinar o comércio diabólico de contrabando, Igor representa o Mefisto faustiano de carne e osso. Paco confirma o negócio, do qual não há saída. Igor faz negócios com Mr. Kraft, um imigrante francês, um exilado que vive à margem da lei, fazendo contrabando em Portugal. 3.3 O tempo e o espaço Por último, como a categoria narrativa que ainda não foi mencionada, permanece o tempo e o espaço. Em relação ao conceito do tempo no filme, o filme exibe em sucessão rápida uma série de imagens e cada uma é uma cópia da imagem espacial. 15 Portanto, para os propósitos do filme a categoria do tempo e o espaço é quase inseparável. Por outro lado, as duas categorias têm relevância para o entendimento do filme e por isso aqui são abordadas individualmente. Para uma compreensão mais profunda da própria categoria de tempo usamos a teoria da narrativa de Genette. Segundo ele, existem três principais termos de tempo narrativo: frequência, duração e ordem. 16 Em termos de ordem, poderíamos dizer que a maior parte do filme analisado por nós apresenta a ordem cronológica de duas histórias paralelas e entrelaçadas, sem interrupção na linha do tempo. Porém, no roteiro podemos encontrar algumas técnicas, como o uso de prolepse (saltos de narração para frente). A frequência é uma relação entre quantas vezes um evento ocorre na história e quantas vezes é narrado. A história do filme apresenta narração singulativa - o que aconteceu uma vez é contado 14 Ibid. 15 LOTHE, Jakob. Narrative in fiction and film: an introduction. Oxford: Oxford University Press, p Ibid., p

14 uma vez. No termo da duração existem outros conceitos como pausa descritiva, cena, sumário, elipse, que todos trabalham com a relação do tempo da narrativa e o tempo da história. O tempo da narrativa dura 01:40:15, enquanto o tempo da história descreve cerca de um mês começando com a data Março 13 de O tipo de duração mais comum é a cena, em que o tempo da narrativa corresponde ao tempo da história. As cenas alternam-se com sumários, por exemplo, vemos apenas uma parte do dia ou da noite, mas sabe-se, que era a noite inteira. Há algumas pausas descritivas capturadas pelo olhar da câmara no filme, nas quais o tempo da narrativa dura enquanto não há nenhuma progressão no tempo da história. Por exemplo, num momento em que Paco está no teatro há um close-up na sua testa encharcada de suor. O tempo parece ser parado. Além de abordar a identidade das pessoas, Terra estrangeira aborda a identidade dos lugares e as suas nações e nacionalidades. O espaço representa um papel importante nos filmes em geral e neste caso tem importância significativa, dado que assenta numa simbologia dos lugares comunicando com os personagens e enredo, completando o sentido e a atmosfera da obra. Aparece como um contexto em que as desigualdades acontecem. De lugares especiais nasceu a ideia inicial para criar o filme, como dizem os autores, no início havia apenas uma imagem: a de um casal à deriva, encalhado numa praia deserta como um navio emborcado na areia. "A gente começou a falar de Terra Estrangeira durante as filmagens dos cinqüenta anos do Caetano. Eu tinha tido a idéia original, estava tecendo um filme em volta daquela idéia. O Wenders é que diz, que às vezes, uma única imagem é suficiente para você construir um filme em volta daquela idéia. Havia uma imagem: um casal, exilado, perdido numa praia, um barco encalhado no fundo. Você tinha uma outra imagem forte...o minhocão de São Paulo. Eu tenho fascínio por esse lugar de onde o ser humano foi expulso, esse viaduto entre dois prédios. Tinha um anúncio das calcinhas Hope. Tinha assim: Hope 90, naquele prédio que acabou sendo o prédio do próprio personagem, uma imagem inacreditável. Um dia fomos eu, o Walter e a Carla fotografar, eu me lembro, você usou esta frase do Wenders nesse dia. Ali, exatamente no ponto em que o viaduto faz uma curva se encontra com esse prédio com o anúncio da Hope. Eu me lembro, era tão forte a imagem daquele lugar que o Terra nasceu também ali. Nasceu no navio e naquela confluência ali." 17 A ação do filme acontece nas margens do Oceano Atlântico, em países ligados por história, cultura e língua, Portugal, Cabo Verde e o Brasil. Há que se notar uma forte imagem destes países na obra. O maior número de imagens foi filmado em Portugal. O filme mostra Lisboa, capital deste país como um local de encontro das várias culturas, de cosmopolitismo heterogeneidade dos traços 17 SALLES, Walter e THOMAS, Daniela. Desejo de cinema. Terra Estrangeira. Rio de Janeiro: Relumé Dumará, in NEDER. 14

15 culturais, resultantes, sobretudo, da histórica miscigenação de etnias. Segundo os personagens do filme, a cidade de Lisboa é mostrada como a cidade branca que é bonita, mas às vezes me dá um medo, é um sítio em que vem gente de todo lado, dos brasis, das angolas, das guinés, um "cabaret das colônias". O filme exprime a auto-ironia do povo português que habita a periferia da Europa: "a gente te manda um cartão postal da Europa", afirma Miguel. "Vê lá se consegues entrar na Europa primeiro", replica Pedro, refletindo a sensação de que Portugal não pode ser identificado com o resto do continente europeu. Na Avenida 24 de Julho, uma das mais maiores e mais conhecidas avenidas de Lisboa que corre paralela ao rio Tejo, o Paco espera no Hotel dos Viajantes, no hotel onde os viajantes estrangeiros circulam rapidamente e deste modo ficam somente como passantes de um lugar para o outro. Outro lugar significante é o Cabo Espichel, o ponto mais extremo da Europa, como é explicado por Alex. Alex menciona a famosa história de Portugal, de exploração marítima. O Brasil a partir da perspectiva de Alex, é descrito negativamente por causa de sua situação sócio-política da época: "Você não tem ideia onde você está, né? Isso aqui é a ponta da Europa. Isso aqui é o fim. Coragem, né? Cruzar esse mar há quinhentos anos atrás... É que eles achavam que o paraíso estava ali, ó... Coitados dos portugueses... acabaram descobrindo o Brasil." 18 No outro lado do Oceano, um papel importante tem O Elevado Costa e Silva de São Paulo, onde mora o Paco com a sua mãe, que é mais conhecido como Viaduto Minhocão. Os governos de São Paulo construíram o Minhocão durante o regime militar para incrementar a rede viária no centro. Construção danificou a vida dos moradores de sua proximidade, desvalorizou os imóveis, trouxe o barulho e a poluição aos moradores tornando-a num espaço degradado. Nos últimos tempos o caráter do lugar muda-se para o centro de lazer do público aos domingos e feriados, quando no viaduto está proibido o trânsito de carros a foram introduzidas iniciativas para revitalizálo. O símbolo da degradação do centro, tornou-se para num dos pontos de convivência mais democráticos da cidade. Neste sítio desolado, o único sinal de esperança é um anúncio da marca de lingerie "Hope". A imagem da cidade corresponde aos conhecimentos da narrativa. Depois da morte da Manuela não há vida ou fluxo de carros no Minhocão, como se a cidade também tivesse parado de respirar. Além dos países da língua portuguesa estuda-se aqui a posição de um país lutando por sua identidade, o país Basco. O objetivo dos personagens é entrar na cidade de San Sebastián no país Basco. O roteiro fala da pequena cidade de Guernica, ao norte da Espanha, uma comunidade autônoma do País Basco: 18 THOMAS, op. cit., p

16 "A árvore de Guernica. Eh, maravilha! Que coisa fascinante esta língua sem literatura, perseguida por Franco. Vocês falam esse língua é por vingança, não é mesmo?" 19 Gernikako Arbola é uma árvore de carvalho na cidade de Guernica bombardeada por Francisco Franco em Segunda Guerra Mundial, símbolo da liberdade do País Basco desde a Idade Média. Ao mencionar a língua falada "por vingança", Igor refere-se aos esforços em curso para restabelecer Grande País Basco por meio da violência (ETA). A origem dos bascos e a língua basca é um tema controverso, que deu lugar a inúmeras hipóteses sobre sua origem e até agora nenhuma delas é conclusiva ou tenha sido completamente comprovada. A cidade de San Sebastián retorna à questão de uma nação, que por muitos anos está a tentar promover um estado independente e preservar sua cultura, tradições e língua única. Este lugar simbolizando a esperança poderia ser um resgate de mundo lusobrasileiro, onde miscigenação de culturas e sotaques provoca constante e cansativa busca de identidade nacional. Para a nação basca, a identidade é clara, mas neste caso é uma identidade nacional sem país, sem o qual uma nação não possa existir. No mundo contemporâneo há muitos casos dos povos ou individuais em busca da sua identidade, sua casa ou o direito de usar sua língua materna como língua oficial. Deste ponto de vista o filme Terra Estrangeira torna-se muito atual. Outra explicação para o uso da cidade basca poderia ser o próprio nome, San Sebastián, referindo-se ao famoso mito patriótico em de Dom Sebastião, que deve voltar quando o país lhe precisa, como um símbolo de esperança para o futuro. As imagens dos lugares e personagens no filme dão uma sensação de periferia, Portugal como uma periferia da Europa, o Minhocão uma periferia de São Paulo de sentido de vida social, Minhocão a periferia de São Paulo, Portugal como periferia da Europa, Cabo Espichel um ponto extremo de Portugal e Europa de onde os portugueses saíram para invadir outras terras, San Sebastian e o país Basco como periferia de Espanha, O Brasil como periferia da economia mundial, Paco como um imagem do próprio povo brasileiro na periferia do Brasil, Miguel, um contrabandista luso-brasileiro na fronteira de lei, os angolanos exilados da sua terra, a fronteira com Espanha que traz o sonho de liberdade para Alex e Paco. 3.4 Procura de identidade, identidade nacional, identidade cultural "Terra estrangeira marca um território de investigação que me interessa há muito tempo, que é a procura da identidade", disse Walter Salles. 20 Conforme os autores do filme Terra estrangeira 19 THOMAS, op. cit., p SALLES, Walter e THOMAS, Daniela. Desejo de cinema. Terra Estrangeira. Rio de Janeiro: Relumé Dumará, in NEDER, Cristiane Pimentel. A Terceira identidade do Estrangeiro dentro e fora do cinema: Uma cidadania intermediária que nasce entre o portão do embarque e do desembarque.[online][cit ]. Acessível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/neder-cristiane-identidade-do-estrangeiro-cinema.pdf>. 16

17 Thomas e Salles, a imagem inicial do cargueiro emborcado na areia era um emblema do exílio, não só do exílio da pátria, mas também do novo exílio político, econômico, até exílio amoroso. 21 Referem-se ao: "um desejo de fazer um filme sobre jovens desesperançados e sem alternativas em sua própria terra, que são incapazes de se fazer aceitar, de tomar posse de um novo país, e que, portanto se vêem condenados a um estado de eterno deslocamento." 22 O filme trata a solidão vivida pelos imigrantes na Terra estrangeira que desejam um regresso ao familiar, ao confortável, ao ambiente não hostil. Eles procuram um ponto fixo no mundo estrangeiro, seu lugar no mundo, a sua casa ou lar verdadeiro. No filme discutem-se os problemas de adaptação de imigrantes à vida nova, os problemas existenciais deles, o sentimento de alienação e desilusão de jovens deserdados e expatriados, busca e saudade do seu lar verdadeiro, da família. Paco, o protagonista procura o país dos seu pais e por isso quer chegar a San Sebastián. Alex, não satisfeita com a vida em Lisboa, mas tendo medo de voltar para o Brasil, o que não é um país de sonho, procura também um lugar onde se sentisse bem: "PACO: Eu estou indo para lá. ALEX: Praqui? Para quê? O que você quer fazer aqui? PACO: Eu quero ir lá olhar [...]. Olhar por alguém. ALEX: Olha, eu acho que eu não quero mais olhar para coisa nenhuma na minha vida, viu? Eu queria tanto voltar pra casa. PACO: E onde é que é tua casa? ALEX: Boa pergunta. Sei que aqui é que não é, né? Sei lá viu? Moema, Duque de Caxias, Mooca [...]. Acho que eu ficava feliz até se eu morasse debaixo do Minhocão, viu?" 23 O tema da busca de identidade é tratado nos ensaios teóricos de várias disciplinas das Ciências Sociais como a sociologia, a etnologia, a psicologia, a antropologia ou estudos culturais e foram também escritos ensaios estudando o filme Terra estrangeira. Para o nosso propósito, não é necessário cobrir todos os pontos de vista, só entender as questões e noções básicas como por exemplo conceito de identidade, identidade cultural e identidade nacional, os quais são as noções centrais no filme. A identidade na perspetiva de psicologia e sociologia representa um conceito em que o indivíduo forma sua personalidade com influências do meio, onde realiza a sua interação social. Identidade nacional sintetiza um conjunto de sentimentos, os quais fazem um indivíduo sentir-se parte integrante de uma sociedade ou nação, que é construída por meio de uma auto-descrição da cultura patrimonial de uma sociedade, buscando demonstrar a diferença com relação a outras culturas. 24 Segundo Stuart Hall, uma identidade cultural enfatiza aspectos relacionados com a nossa 21 Ibid. 22 NEDER, Cristiane Pimentel. A Terceira identidade do Estrangeiro dentro e fora do cinema: Uma cidadania intermediária que nasce entre o portão do embarque e do desembarque.[online][cit ]. Acessível em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/neder-cristiane-identidade-do-estrangeiro-cinema.pdf>. 23 THOMAS, op. cit., p UOL Entretenimento Cinema. GIANNINI, Alessandro. "É o cinema comercial que está em crise no Brasil", diz 17

18 pertença a culturas étnicas, raciais, linguísticas, religiosas, regionais ou nacionais. 25 O Brasil é um exemplo da terra de grande heterogeneidade de traços culturais ligados à variedade dos grupos étnicos que coexistem num espaço do mesmo país. Portugal revela-se como um país em crise de identidade, que recusa seus filhos, brasileiros, angolanos, moçambicanos, cabo-verdianos e outros, orfãos abandonados por seu pai, orfãos da colonização do mundo lusófono. Os colonizadores portugueses por ocupação da terra original dos povos criaram um conjunto heterogêneo, que por outro lado não podia existir sem certa homogeneidade, a qual inevitavelmente se fragmentou pelas etnias diferentes e produz os orfãos com cultura própria construída nas inúmeras misturas e nas diferenças absorvidas através das influências dos outros. O fato que este orfão não se sente bem na sua terra nem da terra do seu colonizador sublinha a diferença entre a cultura e mentalidade dos países. A identidade contemporânea, o deslocamento geográfico e consequentemente a perda de identidade dos emigrantes brasileiros são aspectos relevantes analisados no filme. 3.5 Discriminação de raça e preconceitos O roteiro mostra a forma preconceituosa com que os imigrantes são tratados, sempre marcados por estereótipos. Observa-se o preconceito ou a visão estereotipada e exótica do imigrante, a discriminação em relação aos outros. A visão em que um enxerga outro com inferioridade não só de ponto de vista dos portugueses para os brasileiros, mas também por brasileiros sobre si mesmos, os brasileiros para os angolanos e vice versa. A questão de discriminação e preconceitos abre até a primeira imagem do filme, um selo postal em que a República Federativa do Brasil é escrito "Terra Estrangeira", confundindo o emblema da nação com um carimbo do serviço de imigração. Os imigrantes têm marca de carimbo, são marcados de preconceitos. Como é mencionado no filme, o Brasil e os brasileiros são vistos como o povo inferior e o Brasil como o estado exótico e perigoso: "Ô, madjé, tu estás com medo de mim, ou o quê? Isto não é São Paulo, Rio de Janeiro, meu. Eu não te vou fazer nada." 26 Outro preconceito no filme mostra brasileiros como pessoas preguiçosas: "Brasileiros é tudo a mesma coisa. No princípio eles ficam mais baratos, mas depois... essa gente não nasceu para trabalhar." 27 Acreditamos que mostrando a discriminação e preconceitos, clichês e estereótipos sentidos Walter Salles" [online][cit ]. Acessível em: <http://cinema.uol.com.br/ultnot/2008/09/04/ult4332u858.jhtm>. 25 HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-modernidade. [online][cit ]. Acessível de: <http://www.cefetsp.br/edu/geo/identidade_cultural_posmodernidade.doc>. 26 THOMAS, op. cit., p THOMAS, op. cit., p

19 pelos povos, os cineastas tentaram apontar uma das razões da incapacidade de coexistência das nações num mesmo lugar. Os imigrantes enfrentam os preconceitos e as ofensas, não são tolerados pelos outros cidadões, pois, não são capazes de co-existência e não se sentem comfortáveis no país estrangeiro. 3.6 Comunicação intertextual Em geral, a colagem é uma das técnicas populares da arte pós-moderna combinando elementos diferentes em uma obra de arte coerente. São usados pastiche e intertextualidade ligando elementos específicos da literatura existente, incorporados em novas obras literárias. Esta técnica artística é baseada na ideia de que tudo já foi escrito de forma que algo novo pode ser criado através da combinação e transformação daquilo que já existe. Um texto pós-moderno é, portanto, cheio de referências e alusões à literatura e cultura da nação ou cultura global. Por exemplo, referindo-se aos acontecimentos históricos, oferece uma perspectiva inovadora ou alternativa. O autor explora e questiona a relação entre realidade e ficção e construi novos sentidos. Das muitas repetições narrativas diferentes no filme as marcantes são repetições de palavras individuais, gestos, reações que adquirem a qualidade simbólica sendo referidas várias vezes ligadas a caracterização dos personagens, tornam-se os diálogos chaves. Há uma forte referência intertextual a outras obras literárias ou artistas da cultura lusobrasileira e cultura do mundo globalizado. No filme podem-se encontrar alusões a Fausto do Goethe, Hamlet do Shakespeare, Fernando Pessoa ou Vinícios de Moraes, que o espectador deve decifrar para ganhar conhecimento mais profundo do filme próprio. Fausto é um poema dramático de escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe sobre uma figura histórica real dr. Johann Georg Faust, um cientista e alquimista medieval alemão, que durante a sua vida estava circulado de rumores sobre o seu pacto com o diabo. As palavras do cenário de Goethe repetem-se em vários lugares do filme: pela primeira vez ouvimos Paco repeti-las na primeira imagem, uma imagem escura do Minhocão, na qual o personagem principal estuda o texto até manhã. "Como é que vou dizer isto? Sinto meus poderes aumentarem Sinto os meus poderes aumentarem. Estou ardendo bêbado de um novo vinho. Sinto a coragem, o ímpeto de ir ao mundo, de carregar a dor da terra, o prazer da terra, de lutar contra tempestades, de enfrentar a ira do trovão enfrentar a ira do trovão. Nuvens se ajuntam sobre mim, à luz esconde sua luz, a lâmpada se apaga! A lâmpada se apaga. Devo levantar...devo levantar... Eu não era nada, e aquilo me bastava. Agora não quero mais a parte, eu quero toda a vida Os espíritos pairam próximos. Me ouvem! Desçam! Desçam dessa atmosfera áurea e levem-me daqui para uma vida nova e variada! Que um manto manto mágico seja meu e me carregue para terras estrangeiras." THOMAS, op. cit., p. 19

20 Fausto é um estudioso, ávido por conhecimento, mas isso não traz felicidade. Ele assina um contrato com Mefistófeles - se ele estivesse satisfeito pelo menos por um momento na sua vida, perdia a sua alma para o diabo. Fausto encontra a Margarida e sedu-la muito jovem. A relação deles termina tragicamente. Com o trabalho para os outros Fausto quer encontrar satisfação. Finalmente, graças à intercessão de Margarida perde a sua alma ao diabo, mas é levado para o céu. O fato de que o personagem principal, um cientista quer tornar-se ator, que supõe a mudança na sua vida, antecipa o destino de Paco. Paco assina o contrato com Mefistófeles (Igor), oferecendo sua alma em troca da realização de seu sonho, viajar para uma terra estrangeira. Como todos que assinam o contrato com o diabo, devem morrer, também o Paco inocente, que numa das cenas parece como Cristo Redentor, paga a sua viagem para a Europa com a morte. Ligação com o tema faustiano pode sugerir que pela intercessão de amor, obtenha a salvação. Paco, fascinado pelo teatro e atores escondido na coxia assiste a uma encenação de Hamlet, de Shakespeare. Paco observa embevecido, por detrás das telas que compõe o cenário, um monólogo da atriz que faz o papel do príncipe. Seus olhos brilham intensamente. "HAMLET: Que atores são esses? ROSENCRANTZ: Os mesmos com os quais o senhor se divertia tanto: os trágicos da cidade. HAMLET: Mas por que viajam? Permanecendo em Wittenberg lucrariam muito mais, tanto em reputação quanto em proventos. HAMLET: Não é monstruoso que esse ator aí, por uma fábula, uma paixão fingida, possa forçar a alma a sentir o que ele quer de tal forma que seu rosto empalidece, tem lágrimas nos olhos, angústia no semblante, a voz trêmula e toda a sua aparência se ajusta ao que ele pretende. E tudo isso por nada. Por Hécuba. O que é Hércuba para ele ou ele para Hécuba para que chore assim por ela?" 29 Tragédia shakespeariana descreve um príncipe dinamarquês Hamlet, depois revela o espírito de seu pai, fingindo loucura, para chamar a atenção para o assassino de seu pai. Há uma luta em que Hamlet mata o seu adversário, mas está ferido. Morre, mas ainda consegue matar o assassino de seu pai. Esse drama é caracterizado por longos monólogos filosóficos em que Hamlet aborda a questão da existência humana. Neste excerto aparece o nome Hécuba, que faz uma alusão à mitologia grega. O destino da rainha Hécuba era cruel: ela sobreviveu todos os seus filhos, aqueles caídos na guerra e ela vingou seu filho assassinado. Diante de seus olhos foi brutalmente assassinado seu marido. O destino da Alex poderia ser visto paralelamente ao destino de Hécuba. Como Hécuba, Alex deve sobreviver a morte dos seus amigos e amores, o Pedro, o Paco e o Miguel, e por isso, ela quer vingar por assassinar o Igor. 29 SHAKESPEARE, William. Hamlet. online][cit ]. Acessível de: 20

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior.

Cotas Pra Quê? 1. PALAVRAS-CHAVE: Documentário; Educação; Sistema de Cotas; Ensino Superior. Cotas Pra Quê? 1 Sarah Rocha MARTINS 2 Luan Barbosa OLIVEIRA 3 Camilla Alves Ribeiro PAES LEME 4 Instituto de Ensino Superior de Rio Verde, Rio Verde, Goiás RESUMO Este documentário foi planejado e desenvolvido

Leia mais

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios...

Sumário. PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... Sumário APRESENTAÇÃO DA EDIÇÃO BRASILEIRA... 13 PREFÁCIO... 19 PARTE 1 A arte do cinema e a realização cinematográfica 1 CAPÍTULO O cinema como arte: Criatividade, tecnologia e negócios... 29 Decisões

Leia mais

apaixonados um pelo outro. Fábio é homossexual e tem em torno de 45 anos. Madalena também tem mais ou menos a mesma idade, e é heterossexual.

apaixonados um pelo outro. Fábio é homossexual e tem em torno de 45 anos. Madalena também tem mais ou menos a mesma idade, e é heterossexual. Apresentação Este projeto é simples e pretende levar para o público algo de elevado conteúdo artístico. O orçamento da pré-produção e da produção é pequeno, já que a peça será encenada por dois atores

Leia mais

João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas

João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas João Canijo e a Tragédia Grega: adaptação da trilogia Oresteia ao cinema português contemporâneo 1 Daniel Ribas Nas entrevistas que se sucederam à estreia nacional de Noite Escura, em 2004, João Canijo

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Como os refugiados e imigrantes se adaptam no Brasil

Como os refugiados e imigrantes se adaptam no Brasil Como os refugiados e imigrantes se adaptam no Brasil O mundo tem passado por uma série de dificuldades nos últimos anos. Junto com crises financeiras que, muitas vezes, esvaziam países, nos vemos também

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

QUEM É ALICE CAYMMI? >> www.alicecaymmi.com.br

QUEM É ALICE CAYMMI? >> www.alicecaymmi.com.br QUEM É ALICE CAYMMI? A cantora e compositora carioca Alice Caymmi nasceu no dia 17 de março de 1990, na cidade do Rio de Janeiro. Neta de Dorival Caymmi, a musicista compõe desde os dez anos e começou

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

Maria Beatriz, 12ºA, nº23

Maria Beatriz, 12ºA, nº23 Estes dois irmãos sofrem, obviamente, com os acontecimentos do passado, uma nãoinfância : duas crianças que tiveram de crescer sozinhos, cuidar um do outro e, juntos do irmão mais novo, lidar com uma mãe

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus - Oi, dona Jurema, como vai? - Tudo bem, e o senhor? - Dona Jurema, a senhora que lê a Bíblia, do que mais gosta? - Ah! Gosto do Apocalipse. O meu entendimento é fraco, mas, esse livro me traz conforto

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

2 Público não é político. É o espaço coletivo, do cidadão.

2 Público não é político. É o espaço coletivo, do cidadão. A MÚSICA NA SOCIALIZAÇÃO DAS MENINAS DE SINHÁ GIL, Thais Nogueira UFMG thaisgil@terra.com.br GT: Movimentos Sociais e Educação / n.03 Agência Financiadora: CAPES O que acontece quando os sujeitos excluídos

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP

Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP Brasil: qual é o teu negócio? 1 Priscilla Cabett SANTOS 2 Talita Maria dos Santos Galvão da SILVA 3 Luiz Antônio FELICIANO 4 Faculdades Integradas Teresa D Ávila, Lorena, SP RESUMO Baseado na composição

Leia mais

UNIDADE 4. Welche dieser drei Unterkünfte finden Sie passend für Guida und Zé, Victor und Madalena? Warum?

UNIDADE 4. Welche dieser drei Unterkünfte finden Sie passend für Guida und Zé, Victor und Madalena? Warum? UNIDADE 4 9 Eu e a minha mulher, quando vamos para férias, preferimos a natureza porque gostamos muito de andar a pé. Mas também gostamos de um certo conforto. Guida e Zé Victor O que eu mais gosto é de

Leia mais

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica

Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Projeto: O cinema vai à escola Do enredo à trilha sonora: os desafios da linguagem cinematográfica Profª Mariana Villaça SESC-SP, 23/5/2013 Elementos da linguagem cinematográfica: identificando o enredo

Leia mais

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05

QUESTÃO 04 QUESTÃO 05 QUESTÃO 01 Arte abstrata é uma arte: a) que tem a intenção de representar figuras geométricas. b) que não pretende representar figuras ou objetos como realmente são. c) sequencial, como, por exemplo, a

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo Produzindo e divulgando fotos e vídeos Aula 1 Criando um vídeo Objetivos 1 Conhecer um pouco da história dos filmes. 2 Identificar a importância de um planejamento. 3 Entender como criar um roteiro. 4

Leia mais

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL

A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL A DRAMATURGIA NO ATO TEATRAL Calixto de Inhamuns A palavra dramaturgia, usando a pesquisa do mestre Alexandre Mate, nasce de drama (sentido conotativo de) ação e tourgia (sentido de trabalho, de tecimento),

Leia mais

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque?

LISTA DE ARTE. Quais são os elementos construídos no quadro, pelo artista em questão, que enfatizam os acontecimentos em destaque? Ensino Médio Unidade Parque Atheneu Professor (a): Elias Aluno (a): Série: 3ª Data: / / 2015. LISTA DE ARTE 1) Após analisar a obra a seguir, responda o que se pede. Os fuzilamentos de 3 de Maio de 1808.

Leia mais

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez

Roteiro. Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto. Autor Professor Conteudista Rafael Moralez Roteiro 1 Coordenador do curso Prof. Dr. Francisco Isidro Massetto Autor Professor Conteudista Rafael Moralez PACC Programa Anual de Capacitação Continuada Curso: Produção de Vídeo. de Massetto, F. I.,

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

E alegre se fez triste

E alegre se fez triste Manuel Alegre Manuel Alegre nasceu em 1936 e estudou na Faculdade de Direito de Coimbra, onde participou activamente nas lutas académicas. Cumpriu o serviço militar na guerra colonial em Angola. Nessa

Leia mais

Bernardo Carvalho, madeira de lei

Bernardo Carvalho, madeira de lei Bernardo Carvalho, madeira de lei por Moisés Neto O escritor Bernardo Carvalho nasceu no Rio de Janeiro, vive em São Paulo, mas para ele é fundamental o sentimento de não pertencer a um lugar, um certo

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

ARTES VISUAIS E LITERATURA

ARTES VISUAIS E LITERATURA Vestibular 2009 1ª Fase ARTES VISUAIS E LITERATURA Instruções Gerais: No dia de hoje (09/11), você deverá responder às questões de Geografia, História, Artes Visuais e Literatura e de Raciocínio Lógico-Matemático.

Leia mais

Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i

Cao Guimarães: Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i O cineasta mineiro Cao Guimarães, 41, terá seu filme mais recente "Andarilho" (2006) exibido pela primeira vez na Quinzena de Realizadores,

Leia mais

Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula

Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula Utilização do vídeo, CD e DVD na sala de aula José Manuel Moran A seguir são apresentadas sugestões de utilização de vídeo, CD e DVD. Vídeo como produção Como documentação, registro de eventos, de aulas,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

a seguir? 1 Gosto de sair de Portu- no final dos projectos, mas sempre com \gal os telemóveis ligados, porque se surgir uma proposta volto

a seguir? 1 Gosto de sair de Portu- no final dos projectos, mas sempre com \gal os telemóveis ligados, porque se surgir uma proposta volto a 'Gracinha' na novela 'Anjo Meu' (TVI). Sendo uma personagem cómica, sente que tem conquistado o público? Pela primeira vez sinto que há Interpreta mesmo um grande carinho do público, porque a 'Gracinha'

Leia mais

Contação de Histórias PEF

Contação de Histórias PEF Contação de Histórias PEF Qual a importância da narração oral? -Exerce influência tanto sobre aspectos intelectuais quanto emocionais da criança. -Tem a capacidade de estimular a imaginação, a criatividade

Leia mais

É O AMOR, de João Canijo

É O AMOR, de João Canijo É O AMOR, de João Canijo por Daniel Ribas Da experiência do amor: um filme-processo Em 2012, o festival de cinema Curtas Vila do Conde organizou o Campus / Estaleiro, um intenso programa com estudantes

Leia mais

Sou a nona filha entre dez irmãos. Nasci numa cultura com padrões rígidos de comportamento e com pouco afeto. Quando eu estava com um ano e quatro meses, contraí poliomielite que me deixou com sequelas

Leia mais

Ano Europeu para o Diálogo Intercultural

Ano Europeu para o Diálogo Intercultural Ano Europeu para o Diálogo Intercultural Na sexta-feira, dia 14 de Março do decorrente ano, eu e a minha turma 20 da Escola Secundária de Fafe, fomos assistir a uma conferência sobre o "O Ano Europeu para

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Em Roma: Surge como imitação do teatro grego (tragédia e comédia); Apogeu deu-se no séc. III-II a.c., com Plauto e Terêncio; Insere-se nos Jogos

Em Roma: Surge como imitação do teatro grego (tragédia e comédia); Apogeu deu-se no séc. III-II a.c., com Plauto e Terêncio; Insere-se nos Jogos O TEXTO DRAMÁTICO O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico García Lorca) Professor Luís Araújo 1 O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem

Leia mais

Apostila Artes Audiovisuais

Apostila Artes Audiovisuais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CAMPUS SERTÃOZINHO Apostila Artes Audiovisuais ROTEIRO Cinema,Televisão e Vídeo 3a. Revisão 2010 Prof. MS. Ricardo Stefanelli 1 Projeto para Roteiro Audiovisual Vídeo Artes

Leia mais

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ]

Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] ANA MAFALDA LEITE Entrevistada por Maria Augusta Silva [EM 1999, NA OCASIÃO DO LANÇAMENTO DO LIVRO ROSAS DA CHINA ] Um dizer poético pleno. Professora e poeta luso-moçambicana encantada por Florbela Espanca,

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

Evolução Filmes e Processo Multiartes Grafo Audiovisual, Par ou Ímpar e Off Beat apresentam

Evolução Filmes e Processo Multiartes Grafo Audiovisual, Par ou Ímpar e Off Beat apresentam Evolução Filmes e Processo Multiartes Grafo Audiovisual, Par ou Ímpar e Off Beat apresentam direção_adriano Esturilho e Fábio Allon Longa-metragem digital de ficção contemplado pelo Prêmio Estadual de

Leia mais

DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA

DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA 1 DRAMATURGIA ATORAL: ENTREVISTA AO DRAMATURGO ESPANHOL JOSÉ SANCHIS SINISTERRA Mariana Muniz 1 Sanchis Sinisterra é um ícone da dramaturgia espanhola contemporânea. Sua peça de maior repercusão foi Ay

Leia mais

A POESIA E O CINEMA EM TARKOVSKI

A POESIA E O CINEMA EM TARKOVSKI A POESIA E O CINEMA EM TARKOVSKI Roberto Acioli 1 O meu mais fervoroso desejo sempre foi o de conseguir me expressar nos meus filmes, de dizer tudo com absoluta sinceridade, sem impor aos outros os meus

Leia mais

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO

Constelação 1 RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: haicai; minimalismo; poesia; imaginação INTRODUÇÃO Constelação 1 Bruno Henrique de S. EVANGELISTA 2 Daniel HERRERA 3 Rafaela BERNARDAZZI 4 Williane Patrícia GOMES 5 Ubiratan NASCIMENTO 6 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO Este

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS Aline Cavalcante e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq/UFPB) aline.mbz@hotmail.com Orientador: Dr. Elio Chaves Flores (PPGH/UFPB) elioflores@terra.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA CENA 1:EXT/INT/CARRO/ESTRADA/NOITE CENA 2:EXT/ ESTRADA/NOITE. Mantém-se pontuação musical da cena anterior

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA CENA 1:EXT/INT/CARRO/ESTRADA/NOITE CENA 2:EXT/ ESTRADA/NOITE. Mantém-se pontuação musical da cena anterior FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS LICENCIATURA EM COMUNICAÇÃO E MULTIMÉDIA UNIDADE CURRICULAR DE PROJETO DE PRODUÇÃO MEDIATIZADA L U S I M É D I A 2013 GUIÃO LITERÁRIO Plano PV: Personagem a conduzir

Leia mais

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO Resumo Hoje muitas crianças convivem com narrativas audiovisuais na tv, no cinema e na Internet. Como se relacionam

Leia mais

um filme de MARCELO MACHADO GILBERTO GIL RITA LEE CAETANO VELOSO TOM ZÉ

um filme de MARCELO MACHADO GILBERTO GIL RITA LEE CAETANO VELOSO TOM ZÉ um filme de MARCELO MACHADO GILBERTO GIL RITA LEE CAETANO VELOSO TOM ZÉ Um filme de MARCELO MACHADO Festival Doclisboa - Seleccão Oficial Uma viagem de sons e imagens pela história de um dos mais icónicos

Leia mais

Coluna África em Conto: "Mamedjane, um conto moçambicano"

Coluna África em Conto: Mamedjane, um conto moçambicano Coluna África em Conto: "Mamedjane, um conto moçambicano" por Por Dentro da África - domingo, fevereiro 22, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/coluna-africa-em-conto-mamedjane-um-conto-mocambicano-2

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande.

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande. TEMPOS MODERNOS UM FILME DE Jeander Cristian, baseado na obra original de Charlie Chaplin. Pessoas apressadas andam pela cidade grande Tempo é dinheiro! Pessoas acessam informações em tempo recorde na

Leia mais

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos

Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos Brasileira percorre 7 mil quilômetros para contar histórias de refugiados africanos por Por Dentro da África - quarta-feira, julho 29, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/brasileira-percorre-7-mil-quilometros-para-contar-historias-derefugiados-africanos

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido.

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Assim que ela entrou, eu era qual um menino, tão alegre. bilhete, eu não estaria aqui. Demorei a vida toda para encontrá-lo. Se não fosse o

Leia mais

SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE

SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE CONCURSO SOBRE OS DIREITOS DAS CRIANÇAS 1. Apresentação TEMA GERAL DIREITO À DIFERENÇA EU MAIS TU REGULAMENTO DO CONCURSO O IAC-CEDI, Centro de Estudos, Documentação e Informação

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões Nosso entrevistado é o Prof. Dr. Rogério da Costa, da PUC-SP. A partir de um consistente referencial teórico-filosófico, mas em uma linguagem simples,

Leia mais

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história O Menino do futuro Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 83 Papo Reto com José Junior 12 de junho de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94)

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94) DIAS 94 de Claudio Simões (1990 / 94) 2 PERSONAGENS São cinco personagens identificadas apenas por números. Não têm gênero definido, podendo ser feitas por atores ou atrizes. As frases em que falam de

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A

Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A Instituto de Educação Infantil e Juvenil Verão, 2015. Londrina, Nome: de Ano: Tempo Início: Término: Total: Edição 2 MMXV Intermediária 2 Grupo A A TEMPESTADE É um quadro que mostra um profundo senso de

Leia mais

Projeto Conto de Fadas

Projeto Conto de Fadas Projeto Conto de Fadas 1. Título: Tudo ao contrário 2. Dados de identificação: Nome da Escola: Escola Municipal Santo Antônio Diretora: Ceriana Dall Mollin Tesch Coordenadora do Projeto: Mônica Sirtoli

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

Palavras-chave: Música caipira. Literatura. Valores. Imaginário. Cultura.

Palavras-chave: Música caipira. Literatura. Valores. Imaginário. Cultura. A MÚSICA CAIPIRA E A LITERATURA: do imaginário à representação cultural Meire Lisboa Santos Gonçalves Resumo: As manifestações sobre a tradição e cultura caipira e o seu reconhecimento são temáticas muito

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA

ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA Turmas: 6º C, 7ºA e 8º A Número de alunos: 95 Professores Envolvidos: Patrícia Pinto PROBLEMÁTICA

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 56 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Radionovela para e com deficientes visuais 1

Radionovela para e com deficientes visuais 1 Radionovela para e com deficientes visuais 1 Gabriela Rodrigues Pereira CAPPELLINI 2 Raquel PELLEGRINI 3 Christian GODOI 4 Centro Universitário do Monte Serrat, Santos, SP RESUMO Narrar histórias a deficientes

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

Educação escolar indígena

Educação escolar indígena Educação escolar indígena O principal objetivo desta apresentação é fazer uma reflexão sobre a cultura indígena kaingang, sobre as políticas educacionais integracionistas e sobre a política atual, que

Leia mais

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes A criança preocupada Claudia Mascarenhas Fernandes Em sua época Freud se perguntou o que queria uma mulher, devido ao enigma que essa posição subjetiva suscitava. Outras perguntas sempre fizeram da psicanálise

Leia mais

Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens

Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens Rotary International Distrito 4570 Programa de Intercâmbio Internacional de Jovens Depoimentos de Intercambistas Brasileiros 2 Carolina Castro foi aos Estados Unidos em 2011 Programa Longa Duração O ano

Leia mais

CINE TEXTOS A OUTRA MARGEM

CINE TEXTOS A OUTRA MARGEM 1 CINE TEXTOS ```````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````` Informação reunida e trabalhada para apoio à exibição

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA MOVIMENTO PARANÁ SEM CORRUPÇÃO Primeiro voto: o papel do jovem eleitor em relação ao combate à corrupção ROTEIRO

Leia mais

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri

José da Fonte Santa. Magia Alentejana. Poesia e desenhos. Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa. Edições Colibri José da Fonte Santa Magia Alentejana Poesia e desenhos Pesquisa e recolha de Isabel Fonte Santa Edições Colibri índice Nota Prévia 3 Prefácio 5 O Amor e a Natureza Desenho I 10 A rapariga mais triste do

Leia mais

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias Ideionildo E a Chave Azul Robson Dias Pelo Espírito Vovó Amália Livrinho da Série - As Histórias Que a Vovó Gosta de Contar (http:\www.vovoamalia.ubbi.com.br - Distribuição Gratuita) - A venda deste produto

Leia mais

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Glauce Souza Santos 2 O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Resumo Esta resenha objetiva analisar a relação local/global e a construção da identidade nacional na obra Luanda Beira Bahia do escritor

Leia mais

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano O Menino do Futuro Dhiogo José Caetano 1 Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno inventor que

Leia mais