Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares Manutenção Ambiente Segurança Sistemas de Impermeabilização...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares... 3. Manutenção... 4. Ambiente... 4. Segurança... 4. Sistemas de Impermeabilização..."

Transcrição

1 ÍNDICE Descrição Geral...2 Aplicação em Obra...2 Pontos Singulares... 3 Manutenção... 4 Ambiente... 4 Segurança... 4 Sistemas de Impermeabilização... 5 Coberturas Acessíveis... 5 Coberturas de Acessibilidade Limitada... 5 coberturas Ajardinadas... 6 Coberturas Acessíveis a Veículos... 6 Pavimentos Térreos... 7 Paredes Enterradas... 7 Muretes e Platibandas... 8 Caleiras e Palas... 8 Juntas de Dilatação... 9 Saidas de Água Características das Membranas Betuminosas associadas à marcação CE Membranas betuminosas com armadura de fibra de vidro e 4 kg/m Membranas betuminosas de betume polímero com armadura de poliéster e 4kg/m Membranas betuminosas com armadura de poliéster e 4 kg/m 2 e acabamento mineralizado... 13

2 2 Descrição Geral Pretende-se através deste documento, definir as características e estabelecer as condições gerais de execução dos sistemas de impermeabilização de coberturas em terraço com membranas betuminosas. As membranas para impermeabilização de coberturas em terraço deverão ser fabricadas de acordo com a regulamentação em vigor e possuir a marcação CE, respeitando as características associadas à marcação CE. Deverão ser constituídas por betumes modificados contendo resinas plastómeras à base de polipropileno atáctico (APP), ou resinas elastoméricas à base de estireno-butadieno-estireno (SBS), e integrando armaduras não tecidas de poliéster ou de fibra de vidro. São normalmente fabricadas em rolos com 1,0 m de largura e 10 m de comprimento, devendo em coberturas em terraço ser aplicadas em sistemas bicapas. Os rolos deverão ser armazenados na posição vertical sobre superfícies planas, secas, isentas de elementos que as possam ferir, devendo conter rótulo identificativo das características das membranas. São usados primários de impregnação superficial do suporte com vista a melhorar a aderência das membranas. Este primário é constituído por uma emulsão à base de betume e água, em partes iguais. Aplicação em Obra Os sistemas betuminosos podem ser aplicados, em superfície corrente, em sistemas totalmente aderentes, independentes ou semi-aderentes ao suporte, sendo feita a escolha do tipo de sistema de acordo com as características do suporte e da pendente da cobertura. O manuseamento das membranas deve ser feito de forma cuidada, em especial se a temperatura for inferior a 5ºC. A aplicação não deve ser efectuada com condições atmosféricas desfavoráveis, nomeadamente chuva, neve, humidade muito elevada ou temperaturas inferiores a 0ºC. As membranas devem ser aplicadas sobre suportes secos, limpos e isentos de asperezas e ressaltos. As transições entre planos horizontais e verticais, bem como todas as arestas, deverão ser arredondadas ou chanfradas de forma a evitar superfícies angulosas e permitir uma correcta colagem.

3 3 É aconselhável que o suporte tenha uma pendente superior a 2% de modo a permitir o escoamento adequado das águas pluviais. Os rolos deverão ser desenrolados sobre o suporte de modo a não ficarem sujeitos a tensões, devendo as juntas ficar alinhadas, com uma sobreposição mínima de 8cm de largura ou igual à banda de soldadura existente no rolo. A ligação entre as membranas nas juntas é efectuada através de chama de maçarico, de modo que a mistura betuminosa funda e faça a respectiva colagem. A segunda camada deverá ser aplicada no mesmo sentido, e de modo que as juntas fiquem desencontradas das juntas da primeira camada. É igualmente admissível a aplicação das membranas em camadas cruzadas. A soldadura entre a segunda membrana e a primeira é efectuada através de chama de maçarico para que a ligação seja total. Nos sistemas totalmente aderidos, semi-independentes ou em remates a pontos singulares, as membranas deverão ser soldadas através de chama de maçarico ao suporte, que deverá nas zonas de colagem estar previamente impregnado com um primário betuminoso. Na aplicação em sistemas semi-independentes, a ligação da primeira membrana ao suporte é efectuada por pontos ou bandas regularmente espaçadas através de chama de maçarico ou de betume vazado a quente. A segunda camada de membrana deverá ser totalmente fundida com a primeira através de chama de maçarico. Pontos Singulares A execução de pontos singulares (elementos emergentes, embocaduras em saídas de água etc.), assim como a transição de planos, deverá ser sempre feita através de colagem por soldadura com chama de maçarico sobre suportes previamente impregnados com primário betuminoso. Os remates a embocaduras em saídas de água, deverão ser executados sempre que possível com acessórios pré-fabricados, que deverão ficar intercalados entre as duas membranas. As juntas de dilatação deverão ser tratadas através da colocação de duas membranas betuminosas de betume polímero com armadura de poliéster reforçada, formando um fole preenchido com um cordão deformável.

4 4 Manutenção Os sistemas de impermeabilização em coberturas em terraço, deverão ser alvo de manutenção e limpeza sempre que necessário, devendo ter no mínimo uma inspecção anual que se aconselha ser efectuada no inicio do Inverno. Ambiente As membranas betuminosas são consideradas resíduos industriais banais e não contêm alcatrão - Código "Mistura Betuminosa não contendo Alcatrão. Este código faz parte da LER Lista Europeia de Resíduos e classifica os materiais como RIB Resíduos Industriais Banais. Segurança Durante a aplicação das membranas betuminosas deve ser tido em conta o seguinte: - Verificar se os equipamentos de protecção colectiva garantem as condições de segurança; - Usar os equipamentos de protecção individual adequados nomeadamente: capacete de protecção; - Calçado de protecção (biqueira e palmilha de aço); - Luvas adequadas, de preferência com reforço na palma da mão; - Máscaras com filtro, se aplicado em espaços confinados; - Ter um extintor de pó químico ABC nas proximidades para o caso de ocorrer um incêndio.

5 5 Sistemas de Impermeabilização Coberturas Acessíveis 1. Betão com Fibras 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC 3. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC 4. Betonilha Armada 5. Isolamento Térmico em placas de espuma rígida de Poliestireno Extrudido com aprox. 35 Kg/m 3 6. Camada de separação em manta geotextil 7. Lajetas pré-fabricadas 8. Apoios de Lajetas 9. Mosaico 10. Camada de forma com inclinação mínima de 2% 11. Calhau rolado ou brita Coberturas de Acessibilidade Limitada 1. Camada de forma com inclinação mínima de 2% 2. Barreira ao vapor 3. Isolamento térmico em Lã Mineral 4. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume 5. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, com acabamento mineralizado, de betume 6. Perfil de remate

6 6 coberturas Ajardinadas 1. Membrana betuminosa com 5 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC, com aditivo anti-raízes e acabamento mineralizado 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC 3. Isolamento Térmico em placas de espuma rígida de Poliestireno Extrudido, com aprox. 35 Kg/m 3 4. Manta alveolar 5. Camada de forma com inclinação mínima de 2% 6. Elemento Drenante 7. Camada Filtrante 8. Terra vegetal 9. Perfil de remate Coberturas Acessíveis a Veículos

7 7 1. Junta com elemento compressível 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume 3. Membrana betuminosa com 5 kg/m 2 e armadura de poliéster reforçada, de betume 4. Betão armado com fibras metálicas 5. Isolamento Térmico em placas de espuma rígida de Poliestireno Extrudido, com aprox. 35 Kg/m 3 6. Camada de separação em manta geotextil 7. Betão armado com malha em aço 8. Camada de forma com inclinação mínima de 2% 9. Perfil de remate Pavimentos Térreos 1. Suporte 2. Camada de forma regularizada 3. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC 4. Camada de separação em manta geotextil 5. Pavimento de protecção Paredes Enterradas 1. Terreno 2. Camada filtrante 3. Tubo geodreno com manta geotextil 4. Membrana drenante com manta geotextil 5. Manta Geotextil 6. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume polímero com flexibilidade a frio a -10ºC 7. Parede enterrada

8 8 Muretes e Platibandas 1. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliester, com acabamento mineralizado, de betume 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume 3. Perfil de remate Caleiras e Palas 1. Perfil de remate periférico 2. Suporte regularizado com inclinação mínima de 2% 3. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliester, com acabamento mineralizado, de betume 4. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume 5. Cobertura em telhado 6. Barreira ao vapor 7. Isolamento térmico em Lã Mineral

9 9 Juntas de Dilatação 1. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, com acabamento mineralizado, de betume 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume 3. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster reforçada, de betume 4. Enchimento de junta 5. Cordão flexível 6. Protecção pesada em camada de godo ou brita 7. Elemento filtrante 8. Isolamento Térmico em placas de espuma rígida de Poliestireno Extrudido com aprox. 35 Kg/m 3 9. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, com acabamento mineralizado, de betume

10 10 Saidas de Água 1. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de poliéster, de betume 2. Membrana betuminosa com 4 kg/m 2 e armadura de fibra de vidro, de betume 3. Camada de separação em manta geotextil 4. Ralo de pinha 5. Pavimento / Protecção pesada em brita ou godo 6. Isolamento Térmico em placas de espuma rígida de Poliestireno Extrudido, com aprox. 35 Kg/m 3 7. Peça de remate pré-fabricada 8. Concordância em chanfro 9. Tubo de drenagem 10. Laje

11 11 Características das Membranas Betuminosas associadas à marcação CE Membranas betuminosas com armadura de fibra de vidro e 4 kg/m 2 Características Essenciais Valor Unidade Método de Ensaio Massa Nominal por Unidade de Superfície 4 kg/m2 EN Desempenho ao Fogo Exterior Broof (t1) X roof (t1) ENE-EN 1187 Reacção ao Fogo Classe E Classe EN / EN Estanquidade à Água Estanque (S/N) EN Resistência à Tracção Longitudinal 300 N/5cm EN Resistência à Tracção Transversal 200 N/5cm EN Resistência à acção das raízes (S/N) EN Resistência a cargas estáticas 5 Kg NP EN Resistência ao Impacto 500 mm NP EN Resistência ao Rasgamento Longitudinal N EN Resistência ao Rasgamento Transversal N EN Flexibilidade a Baixas Temperaturas -10 ºC EN 1109 Resistência das juntas ao corte 400 ± 100 N/5cm NP EN Resistência ao escorrimento a elevada temperatura 120 ± 10 ºC NP EN 1110 Substâncias perigosas Produtos Nocivos Quadro 1 - Características das membranas betuminosas associadas à marcação CE

12 12 Membranas betuminosas de betume polímero com armadura de poliéster e 4kg/m 2 Características Essenciais Valor Unidade Método de Ensaio Massa Nominal por Unidade de Superfície 4 kg/m2 EN Desempenho ao Fogo Exterior Broof (t1) X roof (t1) ENE-EN 1187 Reacção ao Fogo Classe E Classe EN / EN Estanquidade à Água Estanque (S/N) EN Resistência à Tracção Longitudinal 700 ± 200 N/5cm EN Resistência à Tracção Transversal 350 ± 150 N/5cm EN Resistência à acção das raízes (S/N) EN Resistência a cargas estáticas 15 kg NP EN Resistência ao Impacto 1000 mm NP EN Resistência ao Rasgamento Longitudinal 150 N EN Resistência ao Rasgamento Transversal 150 N EN Flexibilidade a Baixas Temperaturas -10 ºC EN 1109 Resistência das juntas ao corte 450 ± 150 N/5cm NP EN Resistência ao escorrimento a elevada temperatura 120 ± 10 ºC NP EN 1110 Substâncias perigosas Produtos Nocivos Quadro 2 - Características das membranas betuminosas associadas à marcação CE

13 13 Membranas betuminosas com armadura de poliéster e 4 kg/m 2 e acabamento mineralizado Características Essenciais Valor Unidade Método de Ensaio Massa Nominal por Unidade de Superfície 4 kg/m2 EN Desempenho ao Fogo Exterior Broof (t1) X roof (t1) ENE-EN 1187 Reacção ao Fogo Classe E Classe EN / EN Estanquidade à Água Estanque (S/N) EN Resistência à Tracção Longitudinal 700 ± 200 N/5cm EN Resistência à Tracção Transversal 350 ± 150 N/5cm EN Resistência à acção das raízes (S/N) EN Resistência a cargas estáticas 15 kg NP EN Resistência ao Impacto 1000 mm NP EN Resistência ao Rasgamento Longitudinal 150 N EN Resistência ao Rasgamento Transversal 150 N EN Flexibilidade a Baixas Temperaturas -10 ºC EN 1109 Resistência das juntas ao corte 450 ± 150 N/5cm NP EN Resistência ao escorrimento a elevada temperatura 120 ± 10 ºC NP EN 1110 Substâncias perigosas Produtos Nocivos Quadro 3 - Características das membranas betuminosas associadas à marcação CE

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção.

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção. DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY50G JARDIM COBERTURAS JARDIM DTA 06 Impermeabilização de coberturas FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 40, ECOPLAS PY 50G JARDIM

Leia mais

DTA 11 SISTEMA. com base. de fibra de. O sistema. caleiras. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo

DTA 11 SISTEMA. com base. de fibra de. O sistema. caleiras. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY40G IMRMEABILIZAÇÃO DE CALEIRAS DTA 11 Impermeabilização de caleiras ABRIL DE 2011 1. DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 40, ECOPLAS PY 40G são fabricadas

Leia mais

03.1 DTA SISTEMA. com base. de fibra de. coberturas. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 3,0. PY 150g/m2 4,0. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo

03.1 DTA SISTEMA. com base. de fibra de. coberturas. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 3,0. PY 150g/m2 4,0. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO DTA 03.1 SISTEMA SOTECNISOL FV30 + PY40G COBERTURAS DE ACESSÍBILIDADE LIMITADA Impermeabilização de coberturas ABRIL DE 2011 1. DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 30, ECOPLAS

Leia mais

DTA 08 MUROS. base em. Impermeabilização. de muros. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo

DTA 08 MUROS. base em. Impermeabilização. de muros. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL MUROS MUROS DE SUPORTE E CAVES DTA 08 Impermeabilização de muros de suporte e caves ABRIL DE 2011 1. DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS PY 40, são fabricadas

Leia mais

As membranas ECOPLAS PY 40, são fabricadas de acordo com as normas Europeias e são abrangidas

As membranas ECOPLAS PY 40, são fabricadas de acordo com as normas Europeias e são abrangidas DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL PY40 LAJES DE PAVIMENTO EM CONTATO DIRECTO COM O SOLO DTA 01 Impermeabilização de lajes de pavimento FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS

Leia mais

DOCUMENTO DE APLICAÇÃO

DOCUMENTO DE APLICAÇÃO DOCUMENTO DE APLICAÇÃO DA 6 CI/SfB 27 Tn2 (Ajv) CDU 692.43:699.82 ISSN 1646-3595 IMPERALUM Sociedade Comercial de Revestimentos e Impermeabilizações, S. A. Apartado 151 Zona Industrial Pau Queimado 2870-908

Leia mais

POLYPLAS 30 + POLYXIS R40 POLYPLAS 30 + POLYSTER 40T POLYSTER 40 + POLYSTER 40T REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO

POLYPLAS 30 + POLYXIS R40 POLYPLAS 30 + POLYSTER 40T POLYSTER 40 + POLYSTER 40T REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO CI/SfB (27) Tn2 (Ajs) CDU 692.43.699.82 ISSN 1646-3595 IIMPERALUM Sociedade Comercial de Revestimentos e Impermeabilizações, S. A. Apartado 151 Zona Industrial Pau Queimado 2870-908 MONTIJO tel.: 21 231

Leia mais

PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS

PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS 1. Objetivo A presente especificação tem como objetivo estabelecer as normas de boa execução dos trabalhos de impermeabilização

Leia mais

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados);

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados); 9. COBERTURAS DE EDIFÍCIOS 9.1. CLASSIFICAÇÃO DAS COBERTURAS EM TERRAÇO As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: quanto à acessibilidade - não acessíveis (à excepção de trabalhos

Leia mais

Sistemas de Impermeabilização

Sistemas de Impermeabilização Sistemas de Impermeabilização Projecto de Construção CET Seia Eng. Sá Neves Eng. Sá Neve Sistema invertido ou tradicional : Os sistemas em cobertura invertida são os mais aconselháveis devido a maior durabilidade

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO COM MEMBRANAS BETUMINOSAS CTE 01 Sistemas de Impermeabilização FEVEREIRO DE 2012 1. Objectivo As presentes Condições Técnicas dos Sistemas de

Leia mais

SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE

SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE F SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE renolit waterproofing EXCELLENCE IN ROOFING 1 SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE INFORMAÇÃO DO PRODUTO alkorplan F 35276 Membrana sintética de impermeabilização, à base de PVC-P, armada

Leia mais

SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY40 T COBERTURAS ACESSÍVEIS Á CIRCULAÇÃO E PERMANÊNCIA DE PESSOAS

SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY40 T COBERTURAS ACESSÍVEIS Á CIRCULAÇÃO E PERMANÊNCIA DE PESSOAS DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY40 T COBERTURAS ACESSÍVEIS Á CIRCULAÇÃO E PERMANÊNCIA DE PESSOAS DTA 02 Impermeabilização de coberturas FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE

INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTAO MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO II MEMBRANAS BETUMINOSAS Engenharia Civil 4º Ano Docente: Eng. Ludovina Pereira Trabalho

Leia mais

ALKORPLAN L 35177 (1,2 e 1,5 mm)

ALKORPLAN L 35177 (1,2 e 1,5 mm) CI/SfB (27) Tn2 (Ajv) CDU 692.43:699.82 ISSN 1646-3595 RENOLIT Belgium NV Industriepark De Bruwaan, 9 B-9700 OUDENAARDE tel.: +32 55 33 97 11 fax: +32 55 31 96 50 Representante em Portugal: RENOLIT PORTUGAL

Leia mais

O Sistema FLEXGARDEN é constituído pelo primário de aderência TECSOL 1 e pela emulsão impermeabilizante TECSOL ANTI-RAIZES.

O Sistema FLEXGARDEN é constituído pelo primário de aderência TECSOL 1 e pela emulsão impermeabilizante TECSOL ANTI-RAIZES. DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FLEXGARDEN IMPERMEABILIZAÇÃO LÍQUIDA ANTI-RAÍZES DTA 09 Impermeabilização de floreiras FEVEREIRO DE 2012 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA O Sistema FLEXGARDEN é

Leia mais

Construção de varandas e terraços. Variantes 1-6

Construção de varandas e terraços. Variantes 1-6 Construção de varandas e terraços Variantes 1-6 IMPERMEABILIZAÇÃO, DESACOPLAMENTO E COMPENSAÇÃO DA PRESSÃO DE VAPOR ESTRUTURA DA CONSTRUÇÃO 1 Construção de varandas com Schlüter -DITRA Conjunto impermeável

Leia mais

Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas. Aspecto: liso.

Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas. Aspecto: liso. Ficha de Produto Edição de abril de 2015 Nº de identificação: 09.341 Versão nº 1 Sikaplan -S 1.5 Sikaplan -S 1.5 (Trocal S 1,5 mm) Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas Descrição do

Leia mais

P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura

P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura P812 BAVIERA EXPO Projecto de Execução da Reparação da Abril 2014 MEMÓRIA DESCRITIVA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEDIÇÕES ANEXOS ÍNDICE DE PEÇAS DESENHADAS ÍNDICE Memória Descritiva... 6 1 Introdução...

Leia mais

Revestimento de protecção à base de resinas epoxi

Revestimento de protecção à base de resinas epoxi Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 06.202 Versão nº 2 Sikagard -63N PT Revestimento de protecção à base de resinas epoxi Descrição do produto Sikagard -63N PT é um revestimento

Leia mais

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO Total Cap I ESTALEIRO 1.1 Montagem e desmontagem do Estaleiro, incluindo elementos infraestruturais necessários, transportes e todos os trabalhos e materiais necessários para o efeito, de acordo com mapa

Leia mais

Danopol. Lâminas sintéticas à base de PVC para impermeabilização. www.danosa.com

Danopol. Lâminas sintéticas à base de PVC para impermeabilização. www.danosa.com Danopol Lâminas sintéticas à base de PVC para impermeabilização Impermeabilización Aislamiento Acústico Drenajes - Geotextiles Energía Solar www.danosa.com DESCRIÇÃO Lâmina sintética à base de PVC plastificado,

Leia mais

Construção de varandas e terraços Variantes 1-8

Construção de varandas e terraços Variantes 1-8 Construção de varandas e terraços Variantes 1-8 CONSTRUÇÃO DE VARANDAS E DE TERRAÇOS ESTRUTURA DE CONSTRUÇÃO 1 Construção de pavimentos com Schlüter -DITRA Conjunto impermeável Desacoplamento conjunto

Leia mais

As membranas ECOPLAS PY 40, ECOPLAS PY 40T são fabricadas de acordo com as normas

As membranas ECOPLAS PY 40, ECOPLAS PY 40T são fabricadas de acordo com as normas DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL PY40 + PY40T COBERTURAS PARAA TRÁFEGO AUTOMÓVEL DTA 04 Impermeabilização de coberturas FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS PY 40, ECOPLAS

Leia mais

Tabela de preços MEMBRANAS DRENANTES. 20 x 2,10 2,82 314022 20 x 1,50 2,96

Tabela de preços MEMBRANAS DRENANTES. 20 x 2,10 2,82 314022 20 x 1,50 2,96 MEMBRANAS DRENANTES IMPERMEABILIZAÇÃO CÓDIGO TIPO MEMBRANA NODULAR HDPE DANODREN 31400 DANODREN H 10 5 x,10,63 31401 DANODREN H15 0 x,10,8 3140 0 x 1,50,96 (membrana nodular de polietileno de alta densidade

Leia mais

Construction. Argamassa cimentosa fluída SCC reforçada com fibras para reparação de betão armado, pavimentação e ancoragem de varões de aço

Construction. Argamassa cimentosa fluída SCC reforçada com fibras para reparação de betão armado, pavimentação e ancoragem de varões de aço Ficha de Produto Edição de julho de 2014 Nº de identificação: 02.007 Versão nº 1 Sika Grout-312 RFA Argamassa cimentosa fluída SCC reforçada com fibras para reparação de betão armado, pavimentação e ancoragem

Leia mais

Listagem de Erros e Omissões

Listagem de Erros e Omissões Listagem de Erros e Omissões - No ponto 13 do caderno de encargos - Critérios de adjudicação, factor preço, uma fórmula matemática, em que uma das parcelas, nomeadamente a PREm - o menor preço proposto,

Leia mais

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS ISOLAMENTOS ACÚSTICOS Ruídos de impacto (intra inquilinos): Aplicação em pisos Außer ia02 Außer ia0 Außer ia1 Außer ia Ruídos aéreos: Aplicação em divisórias verticais Außer ia1 Außer ia Außer ia60 Außer

Leia mais

kit imperband standard

kit imperband standard Ficha técnica kit imperband standard O kit imperband standard é um sistema de impermeabilização de interiores formado por um ralo de ABS termossoldado a uma membrana impermeável de 150 x 225 cm. Especialmente

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS Coberturas Inclinadas de Telhado 1 de 10 1.Objectivos 1.1 A presente especificação estabelece as condições técnicas a satisfazer em coberturas inclinadas de telhado LightCob

Leia mais

DA 53 MORTERPLAS PARKING REVESTIMENTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DOCUMENTO DE APLICAÇÃO COM CERTIFICAÇÃO. CI/SfB DE COBERTURAS

DA 53 MORTERPLAS PARKING REVESTIMENTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DOCUMENTO DE APLICAÇÃO COM CERTIFICAÇÃO. CI/SfB DE COBERTURAS TEXSA SYSTEMS, S.L.U. Poligono Can Peligri, Calle Ferro nº 7 08755 CASTELLBISBAL (BARCELONA) tel.+34 93 635 14 00 fax : +34 93 635 14 80 Representante em Portugal: TEXSA PORTUGAL, S.A. Zona Industrial

Leia mais

LAJETAS TÉRMICAS. Dossier Técnico

LAJETAS TÉRMICAS. Dossier Técnico LAJETAS TÉRMICAS Dossier Técnico Índice Coberturas Planas Invertidas (catálogo) 1 Lajetas Térmicas Grisol (catálogo) 1 Principais Vantagens (catálogo) 3 Aplicação (catálogo) 4 Características Técnicas

Leia mais

SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO PELO EXTERIOR. O sistema de acabamento leve para isolamento térmico e protecção de paredes

SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO PELO EXTERIOR. O sistema de acabamento leve para isolamento térmico e protecção de paredes SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO PELO EXTERIOR O sistema de acabamento leve para isolamento térmico e protecção de paredes O SISTEMA DE ISOLAMENTO TÉRMICO DA VIERO O sistema de isolamento térmico da VIERO

Leia mais

ALKORPLAN F 35276 (1,2 e 1,5 mm) REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO

ALKORPLAN F 35276 (1,2 e 1,5 mm) REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO CI/SfB (27) Tn2 (Ajv) CDU 692.43:699.82 ISSN 1646-3595 RENOLIT Belgium NV Industriepark De Bruwaan, 9 B-9700 OUDENAARDE tel.: + 32 55 339711 fax: + 32 55 319650 Representação em Portugal: RENOLIT PORTUGAL

Leia mais

ÍNDICE 2. ISOLAMENTO ACÚSTICO. 1.1. Membranas, bandas e fitas... 4. 2.1. Construção... 13. 2.2. Auxiliares... 14

ÍNDICE 2. ISOLAMENTO ACÚSTICO. 1.1. Membranas, bandas e fitas... 4. 2.1. Construção... 13. 2.2. Auxiliares... 14 13 Fevereiro 2012 ÍNDICE 1. IMPERMEABILIZAÇÃO 2. ISOLAMENTO ACÚSTICO 1.1. Membranas, bandas e fitas.............. 4 1.1.1. Membranas asfálticas.......................... 4 Membranas asfálticas com areia.................

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS. Sistemas de enchimento leve Leca

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS. Sistemas de enchimento leve Leca CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESPECIFICAÇÃO PARA CADERNO DE ENCARGOS Sistemas de enchimento leve Leca 1. Sistemas de enchimento leve Leca...2 1.1. Coberturas...2 1.1.1. Coberturas acessíveis...2 1.1.2.

Leia mais

Escoamento. Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta

Escoamento. Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta Schlüter -KERDI-DRAIN Escoamento 8.2 Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta Aplicação e funcionamento Schlüter -KERDI-DRAIN é um sistema de escoamento de águas no solo destinado

Leia mais

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP.

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP. Ficha de Produto Edição de janeiro de 2015 Nº de identificação: 07.201 Versão nº 3 Lâminas em PVC-p para selagem de juntas Descrição do produto Lâminas flexíveis em PVC-p, produzidas em perfis específicos

Leia mais

Revestimento elástico de poliuretano

Revestimento elástico de poliuretano Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 08.301 Versão nº 1 Sikafloor -400 N Elastic Revestimento elástico de poliuretano Descrição do produto Sikafloor -400 N Elastic é um revestimento

Leia mais

MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FP 4 KG MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FPV 4 KG MIN MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FPV 4 KG

MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FP 4 KG MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FPV 4 KG MIN MORTERPLAS FV 3 KG + MORTERPLAS FPV 4 KG CI/SfB (27) n2 (Ajs) CDU 692.43:699.82 ISSN 1646-3595 exsa Portugal, S.A. Zona Industrial de Alpiarça Rua A, ote 4B 2090-242 APIARÇA tel.: (+351) 24 324 00 20 e-e: texsa@texsa-portugal.pt www.texta.pt

Leia mais

Primário de base epoxi e ligante para argamassas de reparação

Primário de base epoxi e ligante para argamassas de reparação Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 07.502 Versão nº 1 Sikagard 186 Primário de base epoxi e ligante para argamassas de reparação Construction Descrição do produto Utilizações

Leia mais

Bentofix BFG 5000 Geocomposto de bentonite para impermeabilização de estruturas.

Bentofix BFG 5000 Geocomposto de bentonite para impermeabilização de estruturas. Bentofix BFG 5000 Geocomposto de bentonite para impermeabilização de estruturas. Descrição BENTOFIX BFG 5000 é um geocomposto bentonítico impermeabilizante de expansão controlada. O suporte inferior, formado

Leia mais

CHAPAS E ACESSÓRIOS P177

CHAPAS E ACESSÓRIOS P177 Chapas onduladas P177 As chapas de fibrocimento fazem parte da paisagem tradicional do nosso país há mais de 60 anos. De norte a sul é comum encontrá-las nos locais mais recônditos e nas mais variadas

Leia mais

COBERTURAS EM TERRAÇO

COBERTURAS EM TERRAÇO COBERTURAS EM TERRAÇO Autor: Arq.º Paulo Serôdio e Prof. Pedro Vaz Paulo Coordenação: Prof. F.A. Branco, Prof. Jorge de Brito, Prof. Pedro Vaz Paulo e Prof. João Pedro Correia 1/91 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

ALKORPLAN F 35276 (1,2 e 1,5 mm) REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO

ALKORPLAN F 35276 (1,2 e 1,5 mm) REVESTIMENTOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO CI/SfB (27) Tn2 (Ajs) CDU 692.43:699.82 ISSN 1646-3595 RENOLIT Belgium NV Industriepark De Bruwaan, 9 B-9700 OUDENAARDE tel.: + 32 55 339711 fax: + 32 55 31 96 50 Representação em Portugal: RENOLIT PORTUGAL

Leia mais

CHAPAS NATUROCIMENTO P177. Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto.

CHAPAS NATUROCIMENTO P177. Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto. Chapas NaturoCimento P177 Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto. As características técnicas do produto bem como as suas performances

Leia mais

Isolamento Térmico EZ

Isolamento Térmico EZ Catálogo de produtos Grazimac Isolamento Térmico EZ www.grazimac.pt 2 GRAZIMAC O isolamento térmico EZ é a solução indicada para uma cobertura inclinada. Permite aumentar o conforto térmico e diminuir

Leia mais

MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S

MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S MANUAL TÉCNICO BETUMAT Perfil Nossa empresa foi fundada em 1963 como distribuidora de betumes e, em 1968, expandimos nossas atividades e iniciamos a produção de impermeabilizantes. Atuamos na área da

Leia mais

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO. Abr. 2007, rev. 16 1 EPS POLIESTIRENO EXPANDIDO

ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO. Abr. 2007, rev. 16 1 EPS POLIESTIRENO EXPANDIDO ACEPE ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL DO POLIESTIRENO EXPANDIDO Abr. 2007, rev. 16 1 EPS POLIESTIRENO EXPANDIDO EPS - SOLUÇÕES INOVADORAS DE ISOLAMENTO TÉRMICO ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE VISEU DIA DO DEC -

Leia mais

Sistemas de drenagem Geberit

Sistemas de drenagem Geberit Sistemas de drenagem Geberit 25.11.2009 Dr. José Seabra Director Geral Sistemas de drenagem Geberit Águas residuais domésticas Em Geberit PEAD Em Silent-db20 Águas residuais pluviais Em Geberit PEAD Sistemas

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÕES. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ll. Docente: João Guerra

IMPERMEABILIZAÇÕES. MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ll. Docente: João Guerra MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ll IMPERMEABILIZAÇÕES 2010 Docente: João Guerra Discentes: Carina Pereira - 19941 Francisco Pereira - 20285 José Franco - 20240 UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Definição geral de impermeabilização

Leia mais

Soluções FORTLEV para a Sua Obra

Soluções FORTLEV para a Sua Obra Soluções FORTLEV para a Sua Obra 1 2 3 6 9 8 7 5 Soluções para Cuidar da Água 1. Caixa de Polietileno FORTLEV 2. Tanque Fortplus FORTLEV 3. Filtro de Entrada FORTLEV Soluções para Cuidar do Meio Ambiente

Leia mais

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS Hélder Maurício Antunes Cruz * a40472@alunos.uminho.pt José Barroso de Aguiar aguiar@civil.uminho.pt Resumo A presente comunicação reflecte um estudo na

Leia mais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais CAPº 0 - TRABALHOS PREPARATÓRIOS 0,01 Montagem e desmontagem de estaleiro, incluindo mobilização e desmobilização de todos os equipamentos, de acordo com a legislação em vigor, incluindo o fornecimento

Leia mais

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais.

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais. Parabond Zinco Produto elástico para todo tipo de metais. Produto: Parabond Zinco é um elastómero de alta qualidade, de rápido endurecimento, permanentemente elástico, à base de MS polímero com elevada

Leia mais

epotech aqua Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Características

epotech aqua Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Características Ficha técnica epotech aqua epotech aqua é uma nova linha de massas de base epoxídica para a selagem de juntas em ladrilhos cerâmicos. Massa bicomponente isenta de solventes orgânicos, caracteriza-se pela

Leia mais

Isolamento Térmico Protecção Solar Ventilação Natural QUALIDADE TÉRMICA DOS EDIFÍCIOS...E QUALIDADE DE VIDA

Isolamento Térmico Protecção Solar Ventilação Natural QUALIDADE TÉRMICA DOS EDIFÍCIOS...E QUALIDADE DE VIDA Isolamento Térmico Protecção Solar Ventilação Natural QUALIDADE TÉRMICA DOS EDIFÍCIOS...E QUALIDADE DE VIDA Qualidade térmica dos edifícios... e qualidade de vida O quadro legislativo sobre o comportamento

Leia mais

Ligante de epoxi, bi-componente para pinturas, selagens e revestimentos auto-alisantes

Ligante de epoxi, bi-componente para pinturas, selagens e revestimentos auto-alisantes Ficha de Produto Edição de junho de 2015 Nº de identificação: 08.018 Versão nº 2 Sikafloor -264 Ligante de epoxi, bi-componente para pinturas, selagens e revestimentos auto-alisantes Descrição do produto

Leia mais

1-2. 6.500kg SCL. PnP CARACTERISTICAS COLETORES. Milenium Europa EVO Austral Cité. Contentores Enterrados de carga lateral. Contentores até 3500 L

1-2. 6.500kg SCL. PnP CARACTERISTICAS COLETORES. Milenium Europa EVO Austral Cité. Contentores Enterrados de carga lateral. Contentores até 3500 L 1-2 Contentores até 3500 L 6.500kg Peso nominal PnP Equipamento sem instalação CARACTERISTICAS Funcionamento com cilindros de efeito simples e tesoura de elevação e equilíbrio. Disponível em equipamentos

Leia mais

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA 3.1.1 INTRODUÇÃO A Câmara Municipal de Viana do Alentejo pretende, com este projecto, proceder à construção/reparação/reforço do pavimento

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II IMPERMEABILIZAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Conjunto de produtos e serviços destinados a conferir

Leia mais

Resina de epoxi bicomponente para ancoragens

Resina de epoxi bicomponente para ancoragens Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 04.202 Versão nº 1 Sika Anchorfix -3+ Resina de epoxi bicomponente para ancoragens Descrição do produto Cola à base de resina de epoxi para

Leia mais

AVALIAÇÃO DO EFEITO DO PAVIMENTO NO RUÍDO DE TRÁFEGO RODOVIÁRIO.

AVALIAÇÃO DO EFEITO DO PAVIMENTO NO RUÍDO DE TRÁFEGO RODOVIÁRIO. AVALIAÇÃO DO EFEITO DO PAVIMENTO NO RUÍDO DE TRÁFEGO RODOVIÁRIO. CARLOS GUERRA AUTO-ESTRADAS DO ATLANTICO, S.A.. FERNANDO PALMA RUIVO DIRECTOR TÉCNICO, CERTIPROJECTO, Lda. DIVISÃO DE ACÚSTICA APLICADA

Leia mais

Características Valor Declarado Unidade Norma Comportamento face a fogo externo Broof (t3)-broof(t1) - EN 13501-5 Reacção ao fogo E - EN 13501-1 [NO

Características Valor Declarado Unidade Norma Comportamento face a fogo externo Broof (t3)-broof(t1) - EN 13501-5 Reacção ao fogo E - EN 13501-1 [NO LÂMINAS SINTÉTICAS DANOPOL FV NI 1.2 Danopol FV NI 1.2 é uma lâmina sintética à base de PVC plastificado, fabricado mediante calandrado e reforçado com Véu de fibra-de-vidro. Esta lâmina não é resistente

Leia mais

(Revestimento baseado em poliuretano alifático)

(Revestimento baseado em poliuretano alifático) Ficha de Produto Edição de Agosto de 2012 Nº de identificação: 09.204 Versão nº 2 601 BC (Revestimento baseado em poliuretano alifático) Camada base do sistema de membranas líquidas de impermeabilização

Leia mais

CIMENTOS COLA ADHERE

CIMENTOS COLA ADHERE CIMENTOS COLA ADHERE Cimentos Cola Adhere. Introdução 03 A utilização de revestimentos cerâmicos como elemento decorativo nas paredes e pavimentos remonta à antiguidade, constituindo uma parte integrante

Leia mais

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS 14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Aplicam-se a todos os materiais as disposições constantes do capítulo 14.00 deste caderno de encargos, nomeadamente 14.00.1, 14.00.2, 14.00.3 e 14.00.4 e

Leia mais

Espessuras disponíveis (mm)!" #$

Espessuras disponíveis (mm)! #$ Composição constituídas por uma base de poliestireno extrudido (Roofmate) e uma camada de betonilha em argamassa de cimento e inertes seleccionados, reforçada com aditivos e fibras de polipropileno; Campo

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CTE 02 Sistemas de Impermeabilização SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO COM MEMBRANAS DE PVC-P FEVEREIRO DE 2012 1. Objectivo As presentes Condições Técnicas dos Sistemas de Impermeabilização

Leia mais

entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR

entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR José Maria Almeida Pedro.almeida@ineti.pt Jorge Cruz Costa Cruz.costa@ineti.pt Esquema unifilar utilização 8 INÍCIO Slides 4 a 12 9 7 1 CD 4 5 6 7 7

Leia mais

Construction. Sika Pyroplast HW-130. Com acabamento Sika Pyroplast HW-130 Top

Construction. Sika Pyroplast HW-130. Com acabamento Sika Pyroplast HW-130 Top Ficha de Produto Edição de julho de 2014 Nº de identificação: 06.315 Versão nº 1 Com acabamento Top Revestimento intumescente, dispersão aquosa, para madeira, para utilizações no interior Construction

Leia mais

Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas. Comprimento do rolo: 20.00 m

Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas. Comprimento do rolo: 20.00 m Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 09.004 Versão nº 1 Sikaplan -15 G Membrana polimérica para impermeabilização de coberturas Descrição do produto Sikaplan 15 G (espessura 1.5

Leia mais

Marketing & Comercialização. Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011

Marketing & Comercialização. Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011 Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011 Campo de Aplicação as lajetas Grisol aplicam-se em todos os terraços e coberturas planas onde se pretenda isolar termicamente o edifício

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

ETICS e argamassas térmicas: novos desafios de desempenho e sustentabilidade. Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Sofia Malanho smalanho@lnec.

ETICS e argamassas térmicas: novos desafios de desempenho e sustentabilidade. Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Sofia Malanho smalanho@lnec. e argamassas térmicas: novos desafios de desempenho e sustentabilidade Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Sofia Malanho smalanho@lnec.pt Isolamento térmico pelo exterior Vantagens O isolamento térmico

Leia mais

ANIPB ENSAIOS DE TIPO INICIAIS E CONCEPÇÃO DOS PAVIMENTOS DE VIGOTAS. DOCUMENTOS DE APLICAÇÃO SUMÁRIO

ANIPB ENSAIOS DE TIPO INICIAIS E CONCEPÇÃO DOS PAVIMENTOS DE VIGOTAS. DOCUMENTOS DE APLICAÇÃO SUMÁRIO ENSAIOS DE TIPO INICIAIS E CONCEPÇÃO DOS PAVIMENTOS DE VIGOTAS. DOCUMENTOS DE APLICAÇÃO Manuel Baião ANIPB Seminário sobre Marcação CE das vigotas Coimbra, CTCV, 9 de Dezembro de 2010 ENSAIOS DE TIPO INICIAIS

Leia mais

Engenharia Civil Geotêxteis Fibertex

Engenharia Civil Geotêxteis Fibertex C O N S T R U C T I O N 100.04 Engenharia Civil Geotêxteis Fibertex C O N S T R Construir com Geotêxteis Fibertex 2 A Fibertex oferece uma vasta gama de geotêxteis não tecidos fabricados para aplicações

Leia mais

Anexo: Plano de Controlo de Qualidade. Projecto: Edifício Multifamiliar Isolado Local: Rua Miguel João Amaral / Braga Promotor: Sá Imobiliária, Lda

Anexo: Plano de Controlo de Qualidade. Projecto: Edifício Multifamiliar Isolado Local: Rua Miguel João Amaral / Braga Promotor: Sá Imobiliária, Lda Anexo: Plano de Controlo de Qualidade Projecto: Edifício Multifamiliar Isolado ÍNDICE 1.- INTRODUÇÃO... 4 2.- CONTROLO DA RECEPÇÃO EM OBRA: ESPECIFICAÇÕES SOBRE OS MATERIAIS... 6 3.- CONTROLO DE QUALIDADE

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442 1 SELOFLEX R Primeira linha em impermeabilizante acrílico BOLETIM TÉCNICO Como qualquer tipo de impermeabilização flexível, a estrutura deverá estar seca, mínimo de 7 dias após a regularização, limpa de

Leia mais

EXCELLENCE IN ROOFING RENOLIT WATERPROOFING

EXCELLENCE IN ROOFING RENOLIT WATERPROOFING A sistema aderente por cola de poliuretano renolit waterproofing EXCELLENCE IN ROOFING 1 SISTEMA ADERENTE POR COLA DE POLIURETANO INFORMAÇÃO DO PRODUTO alkorplan A 35279 Membrana sintética de impermeabilização

Leia mais

Isolamento térmico de coberturas planas invertidas

Isolamento térmico de coberturas planas invertidas Dow - Soluções para a Construção Isolamento térmico de coberturas planas invertidas ROOFMATE SL-A ROOFMATE LG-X Produto conforme as novas disposições meio ambientais Europeias (EC 2037/2000) 23 Introdução

Leia mais

Acessórios. Iluminação Perfis. Aplicações: Fixação:

Acessórios. Iluminação Perfis. Aplicações: Fixação: Iluminação Perfis - Coberturas e fachadas com perfis metálicos que necessitem de iluminação - Tectos falsos - Estufas - Piscinas - Decorações interiores Fixação: A distância máxima recomendável entre correias

Leia mais

DA 54 MORTERPLAS PARKING REVESTIMENTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE TABULEIROS DE PONTES DOCUMENTO DE APLICAÇÃO COM CERTIFICAÇÃO. CI/SfB

DA 54 MORTERPLAS PARKING REVESTIMENTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE TABULEIROS DE PONTES DOCUMENTO DE APLICAÇÃO COM CERTIFICAÇÃO. CI/SfB CI/SfB (27) Tn2 (Ajs) CDU 625.8.06 624.21.095.33:625.8.06 ISSN 1646-3595 TEXSA SYSTEMS, S.L.U. Poligono Can Peligri, Calle Ferro n.º 7 08755 CASTELLBISBAL (barcelona) tel.: +34 93 635 14 00 fax: +34 93

Leia mais

MEMBRANAS BETUMINOSAS EMULSÕES BETUMINOSAS

MEMBRANAS BETUMINOSAS EMULSÕES BETUMINOSAS Índice Membranas Betuminosas Betume Modificado APP Betume Oxidado Imper. de Obras de Engenharia Civil 7 Emulsões e Solutos Betuminosos Imperkote 7 Membranas Autoadesivas e Bandas de Reforço Imperself 8

Leia mais

Aglomerado de cortiça expandida - ICB

Aglomerado de cortiça expandida - ICB Aglomerado de cortiça expandida - ICB Características Técnicas Características essenciais Massa Volúmica / Densidade Coeficiente de Condutibilidade Térmica Tensão de Ruptura à Flexão Tensão de Compressão

Leia mais

1 - PAREDES EXTERIORES

1 - PAREDES EXTERIORES 1 - PAREDES EXTERIORES 1.3. PAREDES ELEVADAS 1.3.2. PEE8 - PAREDE ELEVADA DE ENVOLVENTE EXTERIOR EM ALVENARIA SIMPLES DE BLOCO TÉRMICO LECA COM ETICS E REVESTIMENTO CERÂMICO I. UNIDADE E CRITÉRIO DE MEDIÇÃO

Leia mais

DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS

DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS DESEMPENHO ENERGÉTICO DOS EDIFÍCIOS As soluções para melhorar o desempenho energético dos edifícios têm benefícios para os proprietários e utilizadores dos edifícios. Conforto: o comportamento térmico

Leia mais

NOVO. ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas e terraços. O sistema de pavimentação monocomponete. para varandas e terraços

NOVO. ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas e terraços. O sistema de pavimentação monocomponete. para varandas e terraços P Reabilitação com garantia duradoira... porque a qualidade vale a pena! NOVO O sistema de pavimentação monocomponete para varandas e terraços ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Fernando S. Alves ABRIL 1992 Revisado JANEIRO

Leia mais

7F-240 C-FLOOR E240 WB Revestimento epoxi aquoso acetinado para pavimentos e suportes de betão

7F-240 C-FLOOR E240 WB Revestimento epoxi aquoso acetinado para pavimentos e suportes de betão DESCRIÇÃO C-Floor E240 WB é um revestimento epoxi aquoso acetinado para pavimentos e suportes de betão cujas principais propriedades são: Revestimento anti-poeiras para pavimentos de betão e superfícies

Leia mais

www.sje.pt geral@sje.pt

www.sje.pt geral@sje.pt Características Descritivo técnico de colocação: A realização de um pavimento de segurança sintético consiste na união de granulados de borracha SBR (para subcamada) e EPDM (para cor de acabamento) com

Leia mais

Memória Descritiva e Justificativa

Memória Descritiva e Justificativa Memória Descritiva e Justificativa 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente projecto diz respeito à pavimentação de arruamentos na freguesia de Santa Joana. Os arruamentos a pavimentar são os seguintes: Rua

Leia mais

MUNICIPIO DE PORTO DE MÓS

MUNICIPIO DE PORTO DE MÓS MUNICIPIO DE PORTO DE MÓS Praça da República N.1 2484-001 Porto de Mós Telef. 244499600 Fax 244499601 GABINETE DE OBRAS PÚBLICAS QUANTIDADES DE TRABALHO Empreitada: Remodelação e Ampliação do Centro Escolar

Leia mais

Mantas pré-fabricadas, a base de asfaltos modificados e estruturadas com armadura de alta performance.

Mantas pré-fabricadas, a base de asfaltos modificados e estruturadas com armadura de alta performance. ATENDEMOS: Aterros Sanitários Bacias de Contenção de Dejetos Box / Banheiros Box / Banheiros Sistema Drywall Espelhos D' água Estações de Tratamento de Água Estações de Tratamento de Efluentes Floreiras

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

FICHA TÉCNICA DO PRODUTO FICHA TÉCNICA DO PRODUTO TOPECA, Lda Rua do Mosqueiro 2490 115 Cercal Ourém PORTUGAL Tel.: 00 351 249 580 070 Fax.: 00 351 249 580 079 geral@ topeca. pt www.topeca.pt topeca floor OUT Pág. 2 incolor ou

Leia mais

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Diogo Mateus (dm@contraruido.com) Conteúdo da apresentação: Enquadramento e objectivos do trabalho Problemas típicos na execução de soluções construtivas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M)

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M) MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIA A APRESENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E OS RESULTADOS DOS ENSAIOS REALIZADOS EM CADA ETAPA DOS SERVIÇOS, CONFORME EXIGÊNCIAS DO DNIT Departamento Nacional

Leia mais

Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6

Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6 Dados do Relatório Dados do Cliente Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6 Data da Inspecção 24-03-2015 e 25-03-201515 Data

Leia mais