P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura"

Transcrição

1 P812 BAVIERA EXPO Projecto de Execução da Reparação da Abril 2014

2

3 MEMÓRIA DESCRITIVA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEDIÇÕES ANEXOS ÍNDICE DE PEÇAS DESENHADAS

4

5 ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Objectivo Descrição das patologias existentes Descrição das soluções a adoptar Terraço Cobertura Trabalhos auxiliares Terraço Cobertura Outros Condições Gerais Objecto Apresentação de preços Prazo de garantia Elementos a fornecer pelo empreiteiro após adjudicação Ensaios, arranques e funcionamento da instalação Telas finais Recepção provisória Recepção definitiva Propostas Especificações Técnicas... Anexo (9 páginas) Fichas das situações pontuais de remate... Anexo (24 páginas) Lista de medições... Anexo (11 páginas) Índice de Peças Desenhadas... Anexo (2 páginas) Memória Descritiva 5 / 17

6 Memória Descritiva 1 Introdução O presente projecto tem como objectivo definir a solução para a s s do edifício da Baviera, S.A. do Parque das Nações, Alameda dos Oceanos, lote , Moscavide. Trata-se de um edifício existente com cerca de 16 anos com algumas patologias ao nível da e terraço, com várias zonas de infiltrações e problemas em termos de drenagem de águas pluviais desses espaços. Estão definidas duas zonas principais de intervenção, a zona do terraço, sobre o espaço de escritórios e zonas sociais do edifício e a zona da, sobre a zona das oficinas, que tem um acesso por uma rampa, e que se pretende utilizar como zona de exposição de viaturas. 2 Objectivo A intervenção a realizar no edifício pretende corrigir algumas patologias relacionadas quer com a construção inicial quer com outras intervenções posteriores, garantindo a s s exteriores e o encaminhamento das águas pluviais para a rede existente do edifício, eliminando algumas zonas problemáticas em que se verifica a existência de infiltrações de água. A par disso, é apresentada uma solução alternativa para a utilização da para a exposição de veículos, com uma definição da solução diferente e com a criação de camada de protecção pesada para degradação das cargas dos mesmos e remates com a rampa de acesso. Memória Descritiva 6 / 17

7 3 Descrição das patologias existentes Tal como indicado acima, as zonas de intervenção são essencialmente o terraço, sobre a zona de escritórios, e a, sobre a zona de oficinas. Na zona do terraço, onde se situam os equipamentos exteriores de ventilação e ar condicionado, existem várias infiltrações junto ao atravessamento da laje pelas condutas e muretes, bem como na zona da clarabóia próxima da caixa do elevador. É visível a degradação dos remates junto aos muretes e outros negativos na laje (enchimento), bem como junto das caleiras. Nestas, o remate com a laje apresenta-se também degradado, com vegetação no meio. Na própria caleira ao longo do edifício existe bastante vegetação, que oculta parcialmente os ralos da drenagem de águas pluviais. Ainda no que respeita às águas pluviais, não foi possível encontrar 2 dos ralos indicados no projecto, que poderão ter sido tamponados aquando da execução do enchimento. Verifica-se também que o remate com a platibanda está danificado, havendo vegetação a nascer nessa junta ao longo de toda a platibanda. Parte da da zona de escritórios já foi intervencionada, apresentando um comportamento eficaz em termos de impermeabilização. No entanto, torna-se necessário corrigir as pendentes das caleiras, de modo a encaminhar a água para os ralos directamente, sendo que na caleira limite com a zona a intervencionar o ralo mais próximo está bastante acima da cota mais baixa da caleira. No que respeita à da zona das oficinas, a solução da impermeabilização existente é a de telas asfálticas sobre isolamento em poliestireno extrudido. Com as amplitudes de temperatura, o poliestireno foi dilatando e contraindo, fazendo com que as telas acabassem por ceder, verificando-se várias zonas com as telas rompidas e pelas quais o isolamento térmico vai tendendo a sair. De igual modo, há vários locais em que as telas estão desagregadas do isolamento, com pregas, quer na horizontal quer nas platibandas. Os remates com as saídas de ar das oficinas estão executados correctamente, no entanto o Memória Descritiva 7 / 17

8 remate com os ralos de drenagem de águas pluviais e respectivos tubos de queda estão mal executados, havendo água que acaba por sair nessas zonas por fora dos tubos, causando infiltrações para as oficinas e babados pelo exterior dos tubos de queda. 4 Descrição das soluções a adoptar As soluções a adoptar para a resolução das patologias detectadas são distintas para o terraço e para a. Para além disso, serão consideradas duas alternativas para a, uma para a solução acessível a veículos (Versão A) e outra para acesso apenas de pessoas (Versão B). Deste modo, teremos: 1. Zona de terraço A - Camada de Forma (existente) B - Imperkote F C - Polyplas 30 D - Polyxis R40 A solução passa por executar a impermeabilização sobre a laje (enchimento) existente, com a aplicação de emulsão betuminosa tipo Imperlote F e telas de impermeabilização Polyplas 30 e Polyxis R40. A aplicação dessas telas deverá respeitar alguns cuidados, nomeadamente na colocação de filtro de separação (Impersat 400) na zona das juntas de retracção da laje existente com 50 cm de largura (será necessário cortar ao meio o material que vem em rolos de 1 m de largura) entre a emulsão betuminosa e a primeira tela, de modo a que nesses locais a mesma não fique solidarizada com as telas. Os remates deverão ser cuidados, de acordo com o especificado nas peças desenhadas, garantindo o prolongamento das telas até ao final Memória Descritiva 8 / 17

9 do topo do capeamento (periferia) e a uma altura de pelo menos 50 cm do lado do edifício da oficina. Nas peças desenhadas são apresentados alguns pormenores de remate destas zonas. Deverá ser dada especial atenção ao remate com os ralos de drenagem de águas pluviais, que se encontram ocultos pela chapa da fachada da zona da oficina. Será necessário retirar a primeira chapa de revestimento dessa fachada, para que sejam colocadas as peças de remate dos ralos (ref.ª 8 da Imperalum em dutral ou ref.ª 311 no mesmo material) e feitos os necessários remates das telas. Na zona da caleira, deverá ser previamente feita a remoção do material existente, com a reposição das pendentes conforme os ralos existentes ao longo da fachada da oficina. Previamente, na zona de transição para a já intervencionada, deverá ser refeita a pendente da caleira, de modo a encaminhar a água da mesma para o ralo que fica no cunhal do corpo do edifício da oficina. Na caleira perpendicular a essa será feita também a correcção de pendentes, de modo a encaminhar a água para os ralos existentes mais próximos. 2. Zona da a. Versão A com acesso de veículos A - Camada de Forma (existente) B - Imperkote F C - Polyster 40 D - Polyster 40 T E Isolamento térmico (4 cm) F Impersep 200 (geotêxtil) Memória Descritiva 9 / 17

10 G Protecção pesada em betão reforçado com fibras polipropileno (8 cm) Após a remoção das telas de, platibandas e outras zonas singulares de remates, deverá ser retirado o isolamento térmico existente, que será reaproveitado. Estima-se que seja possível aproveitar cerca de 85% do material existente. Após verificação das pendentes será feito o reperfilamento da zona das caleiras para garantir as correctas pendentes para os ralos. Posteriormente será aplicada a emulsão betuminosa (Imperkote F) e telas de impermeabilização Polyster 40 e Polyster 40T. Nas zonas de remate com as platibandas e outros elementos singulares, onde as telas ficarão expostas à radiação solar, será aplicada tela Polyxis R40. Sobre a impermeabilização é reaplicado o isolamento térmico em poliestireno extrudido de 4 cm, sendo posteriormente aplicado geotêxtil Impersep 200 sob a protecção pesada em betão reforçado com fibras de polipropileno (Classe C20/25 com 20Kg de fibras por m3) com 8 cm de espessura. Deverá haver o cuidado de colocar elemento de separação entre a protecção pesada e as platibandas e elementos singulares de remate, nomeadamente espuma em rolo Imperimpact 10 (1 cm de espessura). Os remates das telas com esses elementos singulares e platibandas estão descritos nas fichas de remates pontuais e peças desenhadas. Nas caleiras serão colocadas grelhas em ferro fundido (classe C250) com excepção das caleiras encostadas às platibandas, onde não se prevê que circulem veículos. Nesses locais ficará a tela Polyxis R40 com o isolamento térmico e uma camada de godo com dimensão mínima de 5 cm. Deverá ser dada especial atenção ao remate das telas com os ralos, de modo a que não existam futuramente infiltrações por essas zonas. Nessas zonas de ralos o isolamento térmico será interrompido num quadrado de 40x40 cm, sendo aplicada nesses locais tela Polyxis R40. No acesso à rampa, numa zona a partir de 1 m da caleira, será feito o disfarce da altura do isolamento e camada de protecção para a cota da rampa, sendo feito um entalhe no final da Memória Descritiva 10 / 17

11 rampa com cerca de 4 cm para encaixe desse rampeado de transição. Será para manter a tela existente sobre a rampa, que rematará nesse entalhe. b. Versão B com acesso apenas a pessoas A - Camada de Forma (existente) B - Imperkote F C - Polyplas 30 D - Polyster 40 E Isolamento térmico (4 cm) F Impersep 150 (geotêxtil) G Protecção pesada em betão reforçado com fibras polipropileno (8 cm) Esta alternativa é bastante semelhante à anterior, com a simplificação de alguns pormenores e utilização de materiais menos robustos / resistentes. De igual modo, após a remoção das telas de, platibandas e outras zonas singulares de remates, deverá ser retirado o isolamento térmico existente, que será reaproveitado. Estima-se que seja possível aproveitar cerca de 85% do material existente. Após verificação das pendentes será feito o reperfilamento da zona das caleiras para garantir as correctas pendentes para os ralos. Posteriormente será aplicada a emulsão betuminosa (Imperkote F) e telas de impermeabilização Polyplas 30 e Polyster 40. Nas zonas de remate com as platibandas e outros elementos singulares, onde as telas ficarão expostas à radiação solar, será aplicada Memória Descritiva 11 / 17

12 tela Polyxis R40. Sobre a impermeabilização é reaplicado o isolamento térmico em poliestireno extrudido de 4 cm, sendo posteriormente aplicado geotêxtil Impersep 150 sob a protecção pesada em betão reforçado com fibras de polipropileno (Classe C20/25 com 20Kg de fibras por m3) com 5 cm de espessura. Deverá igualmente haver o cuidado de colocar elemento de separação entre a protecção pesada e as platibandas e elementos singulares de remate, nomeadamente espuma em rolo Imperimpact 10 (1 cm de espessura). Os remates das telas com esses elementos singulares e platibandas estão descritos nas fichas de remates pontuais e peças desenhadas. Nas caleiras será aplicado godo sobre o isolamento térmico (excepto caleiras encostadas a platibandas). Na zona junto aos ralos o isolamento térmico será interrompido num quadrado de 40x40 cm, sendo aplicada nesses locais tela Polyxis R40. Deverá ser dada especial atenção ao remate das telas com os ralos, de modo a que não existam futuramente infiltrações por essas zonas. No acesso à rampa, será prolongada a solução da numa faixa de largura de 1 m a partir da caleira. Aí ficará um degrau na camada de protecção (12 cm aproximadamente), sendo o patamar restante impermeabilizado com tela Polyplas 30 e Polyster 40 sobre (com Imperkote F previamente) sobre a camada de forma existente. Será para manter a tela existente sobre a rampa, que rematará sob a tela Poysxis R40 do patamar superior. 5 Trabalhos auxiliares Para além das tarefas descritas no ponto anterior, estão também previstos os seguintes trabalhos. 1. Terraço: - Remoção dos rufos da platibanda e remontagem dos mesmos após aplicação dos remates das telas, bem como da chapa da fachada da oficina na altura suficiente para a execução do Memória Descritiva 12 / 17

13 remate das telas e demais trabalhos associados e restantes elementos que estejam fixos à mesma (tubagem de água, forras de condutas, caminhos de cabos, etc.). - Reposicionamento da tubagem de água das torneiras de serviço (apenas na zona a intervencionar) na zona das platibandas, de modo a que a fixação dos tubos às mesmas seja feita apenas sob os rufos. - Execução de remates de elementos pontuais de acordo com as fichas de singularidades anexas e peças desenhadas. - Execução de remates lineares de acordo com as peças desenhadas. - Colocação de pinhas em plástico nos ralos. 2. Cobertura: - Remoção dos rufos da platibanda e remontagem dos mesmos após aplicação dos remates das telas. - Execução de remates de elementos pontuais de acordo com as fichas de singularidades anexas e peças desenhadas. - Execução de remates lineares de acordo com as peças desenhadas. - Execução de novo rufo na zona de acesso à escada metálica exterior - Remoção da tubagem de água existente e fixação da mesma com acessórios que sejam fixos apenas na zona superior da platibanda, sob os rufos. - Colocação de pinhas em plástico nos ralos. Memória Descritiva 13 / 17

14 3. Outros: - Criação de portão de acesso à rampa a partir da oficina no piso anterior à (solução A), incluindo a demolição da parede e vãos existentes e montagem de portão seccionado da Refral de abertura manual com 5,00 x 3,80 m (largura x altura) e fecho superior de 1 m em painel sandwich. - Trabalhos de instalações eléctricas associadas à abertura do vão para o novo portão. - Limpeza de tubos de queda da oficina e verificação das uniões dos tubos. - Reparação de paredes e tectos na zona interior dos escritórios onde houve previamente entrada de água (estuque em paredes, tectos falsos em pladur, alçapões em pladur e pinturas). Lisboa, 3 de Abril de 2014 O Eng. Civil João Alexandre Barreiros Sobral (Inscrito na OE sob o nº 60172) Memória Descritiva 14 / 17

15 Condições Gerais 1 Objecto Compreende o presente projecto os elementos base para a execução da s s do edifício da Baviera, S.A. do Parque das Nações, Alameda dos Oceanos, lote , Moscavide. 2 Apresentação de preços Com a proposta devem ser apresentados todos os preços unitários e compostos para os materiais e equipamentos. Estes preços incluirão todos os encargos relativos a custos, transportes e elevações, montagem e lucro. Deverão ser fornecidos catálogos com as características de todos os materiais e equipamentos propostos. 3 Prazo de garantia O prazo de garantia de todos os trabalhos e equipamentos é de cinco anos após a recepção provisória e depois de resolvidos os defeitos de fabrico, deficiências de funcionamento e montagem. 4 Elementos a fornecer pelo empreiteiro após adjudicação Após a recepção da encomenda, o empreiteiro deve fornecer: Memória Descritiva 15 / 17

16 Desenho com marcação de furações, aberturas e valas, etc., que irá executar; Planeamento pormenorizado dos trabalhos; Planeamento financeiro. 5 Ensaios O adjudicatário é responsável pela eficiência das soluções adoptadas, não podendo a interpretação do projecto justificar deficiências. Por isso, deve o adjudicatário incluir todos os elementos que, porventura omissos no projecto, considera indispensáveis ao bom desempenho das soluções apresentadas e deve apresentar uma lista de preços destas omissões. Deverá realizar todos os ensaios indispensáveis à garantia da estanquicidade das impermeabilizações, conforme descrito nas condições técnicas específicas. 6 Telas finais Após a recepção provisória, e no prazo de um mês, deve o empreiteiro fornecer uma colecção em papel completa e duas cópias dos desenhos finais do executado, bem como os elementos necessários à elaboração da compilação técnica. 7 Recepção provisória A recepção provisória será após a conclusão dos trabalhos e respectivos ensaios. No acto da recepção deverá ser entregue um relatório de todos os ensaios realizados. Memória Descritiva 16 / 17

17 8 Recepção definitiva A recepção definitiva será no fim do prazo de garantia. 9 Propostas Os concorrentes deverão fazer acompanhar as suas propostas de um mapa de quantidades necessários para a execução da obra, de acordo com as medições que fazem parte deste Caderno de Encargos, e que poderá eventualmente ser completado, com outros elementos, que o adjudicatário julgue necessários. Os concorrentes farão acompanhar as suas propostas ainda dos seguintes elementos elucidativos: Memória Descritiva e Justificativa, com indicação das marcas e modelos dos materiais e equipamentos, acompanhada de catálogos; Características técnicas fundamentais dos equipamentos, que se propõem instalar; Lista de preços unitários; Lista de referências que achem de interesse apresentar. Memória Descritiva 17 / 17

18

19 Especificações Técnicas Especificações Técnicas

20

21 P812 BAVIERA EXPO Anexos Fichas das situações pontuais de remate P747 Moradia Av. da Boavista - Porto Anexos Projecto de Execução da Rede de Gás

22

23 Anexo Fichas das situações pontuais de remate Ficha A Maciços do reclame (Cobertura) Ficha B Tubos de ventilação de esgotos (Cobertura e terraço) Ficha C Saídas de ventilação da oficina (Cobertura) Ficha D Negativos de saída de condutas (Cobertura) Ficha E Clarabóia (Cobertura) Ficha F Estação de radiocomunicações (Cobertura) Ficha G Saídas de ventilação da oficina (Cobertura) Ficha HA Chaminé alta da oficina (Cobertura) Ficha HB Chaminé baixa da oficina (Cobertura) Ficha I Maciço da UTAN 1 (Terraço) Ficha J Negativos de saída de condutas (Terraço) Ficha K Ventilador de exaustão da cozinha (Terraço) Ficha L Negativos de saída de condutas (Terraço) Ficha M Maciço de ventilador (Terraço) Ficha N Tubos de ventilação de esgotos (Terraço) Ficha O Ventilador de extracção (Terraço) Ficha P Maciço da UTAN 2 (Terraço) Ficha Q Apoios de condutas (Terraço) Ficha R Apoios de esteiras metálicas (Terraço) Anexos

24 Ficha S Apoios de tubagem das UTANs (Terraço) Ficha T Cobertura da caixa do elevador (Terraço) Ficha U Maciço do split (ar condicionado) (Terraço) Ficha V Clarabóia (Terraço) Ficha X Tubos de ventilação de esgotos (Terraço) Anexos

25 P812 BAVIERA EXPO Mapa de Trabalhos e Quantidades Lista de Medições Mapa de Quantidades

26

27 LISTA DE MEDIÇÕES Todos os elementos aqui designados estão conforme as Especificações Técnicas deste caderno de encargos. A sua leitura é obrigatória para uma cotação correcta de todos os trabalhos. Não serão aceites cotações erradas com a alegação de não estarem discriminadas todas as características dos remates ou outros trabalhos acessórios. Mapa de Quantidades

28

29 P812 BAVIERA EXPO Índice de Peças Desenhadas Peças Desenhadas

30

31 Índice de Peças Desenhadas Plantas gerais Desenho n.º P812-IMP-PL-PE-001-R00 Planta de remates pontuais Desenho n.º P812-IMP-PL-PE-002-R00 Planta de remates lineares Desenho n.º P812-IMP-PL-PE-003-R00 Planta de drenagem de águas pluviais Desenho n.º P812-IMP-PL-PE-004-R00 Planta de abastecimento de água Desenho n.º P812-IMP-PL-PE-004-R00 Planta de vermelhos e amarelos (2.º andar) Pormenores da zona do terraço Desenho n.º P812-IMP-PT-PE-001-R00 Pormenor juntas esquartelamento (Terraço) Desenho n.º P812-IMP-PT-PE-002-R00 Pormenor remate platibanda (Terraço) Desenho n.º P812-IMP-PT-PE-003-R00 Pormenor caleira fachada (Terraço) Desenho n.º P812-IMP-PT-PE-004-R00 Pormenor caleira entre zonas de intervenção (Terraço) Desenho n.º P812-IMP-PT-PE-005-R00 Pormenor remate dos maciços das UTANs (Terraço) Pormenores da zona da Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-001-R00 Pormenor remate dos maciços do reclame (Cobertura) Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-002-R00 Pormenor remate dos tubos de ventilação (Cobertura) Peças Desenhadas

32 Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-003-R00 Pormenor remate muretes (Cobertura) Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-004-R00 Pormenor remate caleiras isoladas (Cobertura) Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-005-R00 Pormenor remate platibanda (Cobertura) Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-006-R00 Pormenor remate platibanda com caleira (Cobertura) Desenho n.º P812-IMP-PC-PE-007-R00 Pormenor remate escada metálica (Cobertura) Pormenores gerais Desenho n.º P812-IMP-PG-PE-001-R00 Pormenor fixação tubos de água Desenho n.º P812-IMP-PG-PE-002-R00 Pormenor remates telas em triângulo Desenho n.º P812-IMP-PG-PE-003-R00 Pormenor junta de dilatação Peças Desenhadas

Listagem de Erros e Omissões

Listagem de Erros e Omissões Listagem de Erros e Omissões - No ponto 13 do caderno de encargos - Critérios de adjudicação, factor preço, uma fórmula matemática, em que uma das parcelas, nomeadamente a PREm - o menor preço proposto,

Leia mais

Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares... 3. Manutenção... 4. Ambiente... 4. Segurança... 4. Sistemas de Impermeabilização...

Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares... 3. Manutenção... 4. Ambiente... 4. Segurança... 4. Sistemas de Impermeabilização... ÍNDICE Descrição Geral...2 Aplicação em Obra...2 Pontos Singulares... 3 Manutenção... 4 Ambiente... 4 Segurança... 4 Sistemas de Impermeabilização... 5 Coberturas Acessíveis... 5 Coberturas de Acessibilidade

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL

REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL O presente documento visa servir o interesse do cliente da EPAL, dando a conhecer algumas das condições ideais de construção, de

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS Coberturas Inclinadas de Telhado 1 de 10 1.Objectivos 1.1 A presente especificação estabelece as condições técnicas a satisfazer em coberturas inclinadas de telhado LightCob

Leia mais

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo

Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Desempenho Acústico de Edifícios Casos de Estudo Diogo Mateus (dm@contraruido.com) Conteúdo da apresentação: Enquadramento e objectivos do trabalho Problemas típicos na execução de soluções construtivas

Leia mais

Projecto para um conjunto de habitações unifamiliares São Luís, Maranhão, Brasil. Projecto

Projecto para um conjunto de habitações unifamiliares São Luís, Maranhão, Brasil. Projecto O sistema construtivo é simples, tendo sido dada preferência a materiais correntes, ou seja, de utilização mais frequente no local, com soluções técnicas enquadradas na mão-de-obra local e adequadas ao

Leia mais

APARTAMENTO NO 3º ANDAR DE UM PRÉDIO SEM ELEVADOR

APARTAMENTO NO 3º ANDAR DE UM PRÉDIO SEM ELEVADOR Pedido Orçamento Obras apartamento Algés Lisboa APARTAMENTO NO 3º ANDAR DE UM PRÉDIO SEM ELEVADOR AREA APROX. 80m2 3 quartos 1 casa de banho Cozinha Prédio de construção pombalina. Remodelação para habitação

Leia mais

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção.

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção. DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY50G JARDIM COBERTURAS JARDIM DTA 06 Impermeabilização de coberturas FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 40, ECOPLAS PY 50G JARDIM

Leia mais

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção

Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção Regulamento de Edificabilidade do Pólo Industrial da Lagoa Cortes - Monção CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito e aplicação Para efeitos de uso do solo e de licenciamento de quaisquer obras de

Leia mais

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO Total Cap I ESTALEIRO 1.1 Montagem e desmontagem do Estaleiro, incluindo elementos infraestruturais necessários, transportes e todos os trabalhos e materiais necessários para o efeito, de acordo com mapa

Leia mais

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 09IS.11.--.--. TÍTULO 09IS.--. IMPERMEABILIZAÇÕES E ISOLAMENTOS SUB.CAPº.11. PROTECÇÃO POR EMULSÃO BETUMINOSA

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 09IS.11.--.--. TÍTULO 09IS.--. IMPERMEABILIZAÇÕES E ISOLAMENTOS SUB.CAPº.11. PROTECÇÃO POR EMULSÃO BETUMINOSA 09IS.11.-- TÍTULO 09IS IMPERMEABILIZAÇÕES E ISOLAMENTOS CAPÍTULO.1-. IMPERMEABILIZAÇÕES SUB.CAPº.11. PROTECÇÃO POR EMULSÃO BETUMINOSA I. UNIDADE E CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Medição por metro quadrado de superfície

Leia mais

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS Hélder Maurício Antunes Cruz * a40472@alunos.uminho.pt José Barroso de Aguiar aguiar@civil.uminho.pt Resumo A presente comunicação reflecte um estudo na

Leia mais

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS 14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Aplicam-se a todos os materiais as disposições constantes do capítulo 14.00 deste caderno de encargos, nomeadamente 14.00.1, 14.00.2, 14.00.3 e 14.00.4 e

Leia mais

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA 3.1.1 INTRODUÇÃO A Câmara Municipal de Viana do Alentejo pretende, com este projecto, proceder à construção/reparação/reforço do pavimento

Leia mais

Construção de varandas e terraços Variantes 1-8

Construção de varandas e terraços Variantes 1-8 Construção de varandas e terraços Variantes 1-8 CONSTRUÇÃO DE VARANDAS E DE TERRAÇOS ESTRUTURA DE CONSTRUÇÃO 1 Construção de pavimentos com Schlüter -DITRA Conjunto impermeável Desacoplamento conjunto

Leia mais

CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA

CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA CONCEPÇÃO DE REDES INTERIORES DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS PRINCÍPIOS GERAIS ORIENTADORES NOTA TÉCNICA 1. ÂMBITO DA NOTA TÉCNICA A presente nota técnica diz respeito aos princípios gerais orientadores

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Refere-se a presente Memória Descritiva e Justificativa ao Projecto de Arquitectura relativo á obra de Construção do Quartel/Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros

Leia mais

Escoamento. Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta

Escoamento. Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta Schlüter -KERDI-DRAIN Escoamento 8.2 Escoamentos de água no solo para a impermeabilização conjunta Aplicação e funcionamento Schlüter -KERDI-DRAIN é um sistema de escoamento de águas no solo destinado

Leia mais

Marketing & Comercialização. Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011

Marketing & Comercialização. Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011 Especificação para Cadernos de Encargos Lajetas Térmicas 14/03/2011 Campo de Aplicação as lajetas Grisol aplicam-se em todos os terraços e coberturas planas onde se pretenda isolar termicamente o edifício

Leia mais

ESCLARECIMENTOS PRESTADOS AO ABRIGO DO ARTIGO 50.º DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS E DO ARTIGO 5.º DO PROGRAMA DE CONCURSO, APROVADOS PELO CONSELHO

ESCLARECIMENTOS PRESTADOS AO ABRIGO DO ARTIGO 50.º DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS E DO ARTIGO 5.º DO PROGRAMA DE CONCURSO, APROVADOS PELO CONSELHO ESCLARECIMENTOS PRESTADOS AO ABRIGO DO ARTIGO 50.º DO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS E DO ARTIGO 5.º DO PROGRAMA DE CONCURSO, APROVADOS PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA APFF, S.A., EM 2 DE SETEMBRO DE

Leia mais

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados);

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados); 9. COBERTURAS DE EDIFÍCIOS 9.1. CLASSIFICAÇÃO DAS COBERTURAS EM TERRAÇO As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: quanto à acessibilidade - não acessíveis (à excepção de trabalhos

Leia mais

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO

NORMA TÉCNICA LICENCIAMENTO ELEMENTOS ANEXOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE 1. PEDIDO DE DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO 2. PEDIDO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO 3. PEDIDO DE DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO 4. PEDIDO DE DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

Leia mais

Cabine de descontaminação. Manual do Proprietário

Cabine de descontaminação. Manual do Proprietário Página 1 de 7 Cabine de descontaminação Manual do Proprietário MARÇO DE 2010 Página 2 de 7 Instruções de segurança Leia atentamente este manual antes de instalar a cabine de descontaminação. Deverá seguir

Leia mais

kit imperband standard

kit imperband standard Ficha técnica kit imperband standard O kit imperband standard é um sistema de impermeabilização de interiores formado por um ralo de ABS termossoldado a uma membrana impermeável de 150 x 225 cm. Especialmente

Leia mais

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 07AV.11.--.--. SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 07AV.11.--.--. SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES 07AV.11.-- TÍTULO07AV ALVENARIAS CAPÍTULO.1-. TIJOLO CERÂMICO SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES I. UNIDADE E CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Medição por metro quadrado. II. DESCRIÇÃO DO TRABALHO

Leia mais

Sistemas de drenagem Geberit

Sistemas de drenagem Geberit Sistemas de drenagem Geberit 25.11.2009 Dr. José Seabra Director Geral Sistemas de drenagem Geberit Águas residuais domésticas Em Geberit PEAD Em Silent-db20 Águas residuais pluviais Em Geberit PEAD Sistemas

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

MAPA DE ACABAMENTOS Lotes 1 a 4

MAPA DE ACABAMENTOS Lotes 1 a 4 MAPA DE ACABAMENTOS Lotes 1 a 4 ASPECTOS GERAIS DA CONSTRUÇÃO 1. Estrutura de betão armado anti-sísmica constituída por lajes fungiformes, pilares, vigas e núcleos rígidos das escadas e elevadores; 2.

Leia mais

CHAPAS E ACESSÓRIOS P177

CHAPAS E ACESSÓRIOS P177 Chapas onduladas P177 As chapas de fibrocimento fazem parte da paisagem tradicional do nosso país há mais de 60 anos. De norte a sul é comum encontrá-las nos locais mais recônditos e nas mais variadas

Leia mais

INSTALAÇÃO DE CONTADORES DE PEQUENO CALIBRE

INSTALAÇÃO DE CONTADORES DE PEQUENO CALIBRE INSTALAÇÃO DE CONTADORES DE PEQUENO CALIBRE O presente documento visa fornecer as indicações necessárias para instalar um contador de pequeno calibre ( DN 40) em caixa. A informação aqui disponibilizada

Leia mais

Edificação de uma moradia unifamiliar de traça típica portuguesa num terreno em Sesimbra.

Edificação de uma moradia unifamiliar de traça típica portuguesa num terreno em Sesimbra. MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA DO MODO DE EXECUÇÃO DA OBRA 1 Obra Edificação de uma moradia unifamiliar de traça típica portuguesa num terreno em Sesimbra. Esta moradia foi construída de raiz num terreno

Leia mais

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS ISOLAMENTOS ACÚSTICOS Ruídos de impacto (intra inquilinos): Aplicação em pisos Außer ia02 Außer ia0 Außer ia1 Außer ia Ruídos aéreos: Aplicação em divisórias verticais Außer ia1 Außer ia Außer ia60 Außer

Leia mais

CASAS MODULARES ESPANHOLAS Qualidade europeia

CASAS MODULARES ESPANHOLAS Qualidade europeia C O N T R U Ç Ã O M O D U L A R C A N T E I R O S D E O B R A CASAS MODULARES ESPANHOLAS Qualidade europeia SUALSA CASAS MODULARES As casas pré-fabricadas baseiam-se numa estrutura resistente que incorpora

Leia mais

SIVAL 2. Plásticos. Catálogo Geral

SIVAL 2. Plásticos. Catálogo Geral SIVAL 2 Plásticos Catálogo Geral Índice 1.1 Tubo de Pressão... 4 1.2 Tubo de Esgoto... 5 1.2.1 Tubo de Esgoto Norma UNE EN 1329... 5 1.2.2 Tubo de Esgoto Classe Pressão 4kg/cm2... 6 1.2.3 Pontas de Tubo

Leia mais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais CAPº 0 - TRABALHOS PREPARATÓRIOS 0,01 Montagem e desmontagem de estaleiro, incluindo mobilização e desmobilização de todos os equipamentos, de acordo com a legislação em vigor, incluindo o fornecimento

Leia mais

Soluções Recomendadas

Soluções Recomendadas Cement Wood Board Soluções Recomendadas Fachadas Fichas de Aplicação Fachadas Ventiladas Sistema de s Fachadas Aplicação: Exterior Estrutura de suporte: Madeira ou metal Fixação: s de cabeça externa Espessura:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura

PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura PODER JUDICIÁRIO Justiça do Trabalho TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 9ª REGIÃO PARANÁ Secretaria de Engenharia e Arquitetura RELATÓRIO DE MEDIÇÃO PO 57/2014 INTERVENÇÃO NO FÓRUM TRABALHISTA DE GUARAPUAVA

Leia mais

Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções

Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções Spot Picker V 0.1 Plataforma móvel de trabalho em altura Manual de Instruções SPOT JET Serviços de Manutenção Industrial, Lda Rua D. Luís de Noronha n.º 22, 4 Dto. 1050-072 Lisboa Portugal Tel. (+351)

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Casa Museu Miguel Torga 2. LOCALIZAÇÃO Praça Sá de Miranda. Freguesia de Santo António dos Olivais 3. SCRIÇÃO GERAL A Câmara Municipal deliberou em

Leia mais

INSPECÇÃO E REABILITAÇÃO DO SEMINÁRIO CONCILIAR DE BRAGA

INSPECÇÃO E REABILITAÇÃO DO SEMINÁRIO CONCILIAR DE BRAGA Encontro Nacional Betão Estrutural 2004 1 INSPECÇÃO E REABILITAÇÃO DO SEMINÁRIO CONCILIAR DE BRAGA P.B. LOURENÇO Prof. Associado EEUM Guimarães J. BARBOSA LOURENÇO Eng. Civil GPBL, Lda Porto D.V. OLIVEIRA

Leia mais

Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6

Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6 Dados do Relatório Dados do Cliente Âmbito do Trabalho ISQ SAVE Nome Administração do condomínio Referência ED_SA_208_13 Morada Rua Afonso de Ornelas n.º 6 Data da Inspecção 24-03-2015 e 25-03-201515 Data

Leia mais

CONSTRUÇÃO. Boas práticas para uma construção ambientalmente correta devem ser consideradas ao longo do seu Ciclo de Vida:

CONSTRUÇÃO. Boas práticas para uma construção ambientalmente correta devem ser consideradas ao longo do seu Ciclo de Vida: Boas práticas para uma construção ambientalmente correta devem ser consideradas ao longo do seu Ciclo de Vida: 1. Fase de Projeto, além de todas as considerações com o contexto do lugar (clima, topologia,

Leia mais

Construção de varandas e terraços. Variantes 1-6

Construção de varandas e terraços. Variantes 1-6 Construção de varandas e terraços Variantes 1-6 IMPERMEABILIZAÇÃO, DESACOPLAMENTO E COMPENSAÇÃO DA PRESSÃO DE VAPOR ESTRUTURA DA CONSTRUÇÃO 1 Construção de varandas com Schlüter -DITRA Conjunto impermeável

Leia mais

Instruções para utilização

Instruções para utilização Instruções para utilização MÁQUINA DE LAVAR ROUPA Português AWM 129 Sumário Instalação, 16-17-18-19 Desembalar e nivelar Ligações hidráulicas e eléctricas Primeiro ciclo de lavagem Dados técnicos Instruções

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA DA CARAPINHEIRA, 14 E 16, Localidade CARAPINHEIRA

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA DA CARAPINHEIRA, 14 E 16, Localidade CARAPINHEIRA Válido até 05/05/2025 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada RUA DA CARAPINHEIRA, 14 E 16, Localidade CARAPINHEIRA Freguesia CARAPINHEIRA Concelho MONTEMOR-O-VELHO GPS 40.206620, -8.649000 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

Disposições de Natureza Administrativa

Disposições de Natureza Administrativa PLANO DE PORMENOR DO POÇO QUENTE EM VIZELA REGULAMENTO (Alteração em Outubro de 2013) Capítulo I Disposições de Natureza Administrativa Artigo 1º Objecto O Plano de Pormenor do Poço Quente, adiante designado

Leia mais

INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL

INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL ÍNDICE: INDRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS ALGUNS EXEMPLOS DE INTERVENÇÃO 2.1 Braga, Edifício, Rua do Anjo 2.2 Braga, Mosteiro de Tibães Reabilitação de coberturas 2.3

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE

TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE 1. OBJETO Contratação de empresa especializada em engenharia para execução de impermeabilização da laje de cobertura no 14º andar

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2 2. OBJECTO 2 3. RESPONSÁVEL DE SEGURANÇA 2 4. MEDIDAS DE PREVENÇÃO 2 ANEXO - LISTA DE VERIFICAÇÕES 7

1. INTRODUÇÃO 2 2. OBJECTO 2 3. RESPONSÁVEL DE SEGURANÇA 2 4. MEDIDAS DE PREVENÇÃO 2 ANEXO - LISTA DE VERIFICAÇÕES 7 Directivas Técnicas 01-02/2007 Prevenção de incêndios em hospitais Ficha técnica Número 01-02/2007 Data de publicação MAI 2007 Data última revisão MAI 2008 Revisão obrigatória MAI 2009 Autoria e edição

Leia mais

Pré-Certificado Energético Edifício de Habitação SCE84144829 PROVISÓRIO

Pré-Certificado Energético Edifício de Habitação SCE84144829 PROVISÓRIO Válido até IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada RUA DOS ESCUTEIROS,, Localidade RIBAMAR Freguesia RIBAMAR Concelho LOURINHÃ GPS 39.197874, -9.330633 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL Conservatória do Registo Predial

Leia mais

CHAPAS NATUROCIMENTO P177. Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto.

CHAPAS NATUROCIMENTO P177. Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto. Chapas NaturoCimento P177 Desde 1999 a Cimianto integrou na sua gama standard o NaturoCimento. A sua composição não inclui amianto. As características técnicas do produto bem como as suas performances

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 10. INSTALAÇÃO HIDRÁULICA

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 10. INSTALAÇÃO HIDRÁULICA DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 10. INSTALAÇÃO HIDRÁULICA Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP INSTALAÇÃO HIDRÁULICA 1. INTRODUÇÃO As instalações de água fria devem atender

Leia mais

entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR

entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR entidade promotora financiamento GUIA DO INSTALADOR José Maria Almeida Pedro.almeida@ineti.pt Jorge Cruz Costa Cruz.costa@ineti.pt Esquema unifilar utilização 8 INÍCIO Slides 4 a 12 9 7 1 CD 4 5 6 7 7

Leia mais

NOVO. ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas e terraços. O sistema de pavimentação monocomponete. para varandas e terraços

NOVO. ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas e terraços. O sistema de pavimentação monocomponete. para varandas e terraços P Reabilitação com garantia duradoira... porque a qualidade vale a pena! NOVO O sistema de pavimentação monocomponete para varandas e terraços ENKETOP O sistema de pavimentação monocomponente para varandas

Leia mais

Melhoramento dos Arruamentos do Centro Antigo. Tratamento e Valorização da Frente Urbana Poente

Melhoramento dos Arruamentos do Centro Antigo. Tratamento e Valorização da Frente Urbana Poente PROALGARVE Eixxo 2 Acções Inttegrradas I de Base Terrrri ittorri iall Medida 2 Acção Inttegrrada I de Qualiffi icação e Competti itti ividade das Cidades Componentte Terrrri ittorri iall Melhoramento dos

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS HC1 PISO TÉRREO ALA B - HEMODINÂMICA HOSPITAL DE CLÍNICAS DE MARÍLIA MARÍLIA SP PROJETO: ENGEST ENGENHARIA LTDA Eng. Civil Marcos Stroppa Rua Lupércio

Leia mais

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 APRESENTAÇÃO Os Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL, são equipamentos destinados

Leia mais

Acústica em Reabilitação de Edifícios

Acústica em Reabilitação de Edifícios Reabilitação 09- Parte 8 - Desempenho Acústico de - Soluções Construtivas e Problemas típicos na Execução Reabilitação 09- Conteúdo da apresentação: Problemas típicos de soluções construtivas correntes

Leia mais

CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID. Página 1

CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID. Página 1 CALDEIRAS A LENHA AQUASOLID Página 1 Índice Caldeiras a Lenha - Todo o conforto com a máxima economia Uma solução de aquecimento eficiente 03 Principais Características 04 Componentes e Benefícios 05 Princípio

Leia mais

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total ANEXO I-B PLANILHA DE PREÇOS, COM OS SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES DO MEMORIAL DESCRITIVO Item 1 Descrição dos Serviços Material Mão

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA

SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS COMPANHIA DAS DOCAS DO ESTADO DA BAHIA AUTORIDADE PORTUÁRIA CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REFERENTES A SERVIÇOS DE REFORMA PARA ELIMINA- ÇÃO DE PONTOS DE ABRIGO DE POMBOS, NO PRÉDIO SEDE DA CODEBA, LOCALIZADO NO PORTO ORGANIZADO DE SALVADOR-BA.

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVª FONTES PEREIRA DE MELO, 51 A 51-G, 8º ESQ Localidade LISBOA

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada AVª FONTES PEREIRA DE MELO, 51 A 51-G, 8º ESQ Localidade LISBOA Válido até 19/01/2015 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada AVª FONTES PEREIRA DE MELO, 51 A 51-G, 8º ESQ Localidade LISBOA Freguesia AVENIDAS NOVAS Concelho LISBOA GPS 39.700000, -8.000000 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL

Leia mais

FACHADA. Perfil de encaixe. Guia de utilização

FACHADA. Perfil de encaixe. Guia de utilização FACHADA Perfil de encaixe Guia de utilização Descripción del sistema Vantagens Estética, Durabilidade e nobreza do VMZINC. Sistema por módulos segundo as exigências do projecto. Garantia do líder mundial

Leia mais

1 INTRODUÇÃO... 3 2 Documentos do Projectista... 4 3 DESCRIÇÃO E PRESSUPOSTOS DO EDIFÍCIO... 7 3.1 Aparelhos Sanitários... 7 3.

1 INTRODUÇÃO... 3 2 Documentos do Projectista... 4 3 DESCRIÇÃO E PRESSUPOSTOS DO EDIFÍCIO... 7 3.1 Aparelhos Sanitários... 7 3. PROJECTO DA REDE PREDIAL DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS E PLUVIAIS Memória Descritiva e Justificativa COMUNICAÇÃO PRÉVIA, Mata do Duque 2ª Fase, 58A 59B, Santo Estêvão, Benavente Requerente: Karen Simpson

Leia mais

INSTALAÇÃO DE UM NOVO SISTEMA DE DRENAGEM PLUVIAL NO VIADUTO DO LOUREIRO

INSTALAÇÃO DE UM NOVO SISTEMA DE DRENAGEM PLUVIAL NO VIADUTO DO LOUREIRO INSTALAÇÃO DE UM NOVO SISTEMA DE DRENAGEM PLUVIAL NO VIADUTO DO LOUREIRO Manuel Lorena 1 1 COBA, Consultores de Engenharia e Ambiente, Serviço de Vias de Comunicação, Núcleo Rodoviário Av. 5 de Outubro

Leia mais

ESTRUTURA DA TORRE DE S. GABRIEL

ESTRUTURA DA TORRE DE S. GABRIEL ESTRUTURA DA TORRE DE S. GABRIEL João F. Almeida Júlio Appleton Tiago Abecassis João N. Silva José N. Camara Engº Civil Engº Civil Engº Civil Engº Civil Engº Civil JSJ, IST AP, IST TALPROJECTO AP JSJ,

Leia mais

GuiadeProjectoeObra ANEXO I- TERMINOLOGIA

GuiadeProjectoeObra ANEXO I- TERMINOLOGIA GuiadeProjectoeObra ANEXO I- A B C Acessórios Aparelhos Bateria de Contadores Boca de Incêndio Tamponada Boca de Rega Boca Tamponada Bomba Caixa de Contador Caleira Técnica Canalete Canalização Canalização

Leia mais

Painéis Sandwich de Fachada

Painéis Sandwich de Fachada Arval PAINEL HARISOL 1025LD PAINEL ARGA 900 Índice Página Painel com fixação oculta 3a15 HAIRISOL 1025 F HAIRISOL 1025 M HAIRISOL 1025 MD 2 3 4 HAIRISOL 1025 L 5 HAIRISOL 1025 LD TABELA DE UTILIZAÇÃO ARGA

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS

ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS Transitou em julgado em 04/07/06 ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS P. nº 371/06 1. A Câmara Municipal de Silves remeteu para efeitos de fiscalização prévia o segundo adicional ao contrato da empreitada

Leia mais

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP.

Lâminas em PVC-p para selagem de juntas. Isento de chumbo. Isento de plastificantes DOP. Ficha de Produto Edição de janeiro de 2015 Nº de identificação: 07.201 Versão nº 3 Lâminas em PVC-p para selagem de juntas Descrição do produto Lâminas flexíveis em PVC-p, produzidas em perfis específicos

Leia mais

DTA 11 SISTEMA. com base. de fibra de. O sistema. caleiras. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo

DTA 11 SISTEMA. com base. de fibra de. O sistema. caleiras. Massa nominal: kg/ m2. Armadura 4,0 4,0. PY 150g/m2. Delegação Coimbra: Lugar do Brejo DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY40G IMRMEABILIZAÇÃO DE CALEIRAS DTA 11 Impermeabilização de caleiras ABRIL DE 2011 1. DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 40, ECOPLAS PY 40G são fabricadas

Leia mais

CHECK LIST DAS OBRAS DO BLOCO DE LABORATÓRIOS 25/09/2013 BLOCO DE LABORATÓRIOS OK => pendência já resolvida 1. LABORATORIO DE TELECOMUNICAÇÕES

CHECK LIST DAS OBRAS DO BLOCO DE LABORATÓRIOS 25/09/2013 BLOCO DE LABORATÓRIOS OK => pendência já resolvida 1. LABORATORIO DE TELECOMUNICAÇÕES CHECK LIST DAS OBRAS DO BLOCO DE LABORATÓRIOS 25/09/2013 BLOCO DE LABORATÓRIOS OK => pendência já resolvida TELHADO Término de serviço de montagem do telhado Finalizar montagem dos rufos e vedação Montar

Leia mais

N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO. Estudo Comparativo.

N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO. Estudo Comparativo. N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO Estudo Comparativo Mafalda Ramalho EDIÇÃO: Construlink, SA Tagus Park, - Edifício Eastecníca 2780-920 Porto

Leia mais

GUIA DE PROJECTO E OBRA

GUIA DE PROJECTO E OBRA GUIA DE PROJECTO E OBRA Processos de Loteamento Direcção de Engenharia 2010 ÍNDICE 1. Âmbito de Aplicação e Objectivos... 3 2. Competências e Responsabilidades... 3 2.1 Projectista... 3 2.2 ÁGUAS DO SADO...

Leia mais

PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS

PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS PROJECTO DE IMPERMEABILIZAÇÃO E ISOLAMENTO TÉRMICO MEMÓRIA DESCRITIVA CONDIÇÕES TÉCNICAS 1. Objetivo A presente especificação tem como objetivo estabelecer as normas de boa execução dos trabalhos de impermeabilização

Leia mais

SISTEMA TUBULAR DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ENERGIA SOLAR (ILUMINAÇÃO NATURAL SOLAR)

SISTEMA TUBULAR DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ENERGIA SOLAR (ILUMINAÇÃO NATURAL SOLAR) LUZ NATURAL, SEM CALOR, EM TODO O EDIFÍCIO SISTEMA TUBULAR DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ENERGIA SOLAR (ILUMINAÇÃO NATURAL SOLAR) SOLARSPOT O sistema de captação e aproveitamento de energia solar iluminação

Leia mais

APROVEITAMENTO HIDROELÉCTRICO DE AGILDE

APROVEITAMENTO HIDROELÉCTRICO DE AGILDE APROVEITAMENTO HIDROELÉCTRICO DE AGILDE Ribeira de Santa Natália Concelho de Celorico de Basto Acesso rodoviário Açude Canal e conduta forçada Câmara de carga Central hidroeléctrica O aproveitamento hidroeléctrico

Leia mais

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA DO CASTELO,, Localidade MONTEMOR-O-VELHO

Certificado Energético Edifício de Habitação IDENTIFICAÇÃO POSTAL. Morada RUA DO CASTELO,, Localidade MONTEMOR-O-VELHO Válido até 29/03/2025 IDENTIFICAÇÃO POSTAL Morada RUA DO CASTELO,, Localidade MONTEMOR-O-VELHO Freguesia MONTEMOR-O-VELHO E GATÕES Concelho MONTEMOR-O-VELHO GPS 40.173269, -8.685544 IDENTIFICAÇÃO PREDIAL/FISCAL

Leia mais

Departamento de Instalações e Equipamentos. Item TRABALHOS UN Quant. Valor Unit. Valor Total

Departamento de Instalações e Equipamentos. Item TRABALHOS UN Quant. Valor Unit. Valor Total ESTIMATIVA ORÇAMENTAL Centro de Saúde da Parede Empreitada de beneficiação da envolvente exterior do Centro de Saúde da Parede Departamento de Instalações e Equipamentos DESCRIÇÃO DOS Item TRABALHOS UN

Leia mais

DRENAGEM DE AR CONDICIONADO

DRENAGEM DE AR CONDICIONADO SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES PARA DRENAGEM DE AR CONDICIONADO LOTE 2 Versão: 002 Vigência: 12/2014 GRUPO DRENAGEM DE AR-CONDICIONADO

Leia mais

Relatório de Auditoria Energética

Relatório de Auditoria Energética Relatório de Auditoria Energética Relatório de Certificação Energética Local: 0 Today() www.classe-energetica.com Índice 1. Objectivos da Certificação Energética 2. escrição do Imóvel 3. Resultados da

Leia mais

Carta de Apresentação. Fazemos melhor, porque sabemos como!

Carta de Apresentação. Fazemos melhor, porque sabemos como! ESTRUTURA METÁLICA Carta de Apresentação Fazemos melhor, porque sabemos como! Todas as grandes empresas passam por um caminho gradual que as faz enfrentar problemas, ultrapassar barreiras e crescer. Esse

Leia mais

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais.

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais. Parabond Zinco Produto elástico para todo tipo de metais. Produto: Parabond Zinco é um elastómero de alta qualidade, de rápido endurecimento, permanentemente elástico, à base de MS polímero com elevada

Leia mais

Manda o Governo, pelos Ministros da Administração Interna e da Economia, o seguinte:

Manda o Governo, pelos Ministros da Administração Interna e da Economia, o seguinte: A leitura deste documento, que transcreve o conteúdo do Decreto-Lei n.º 1063/97, de 21 de Outubro, não substitui a consulta da sua publicação em Diário da República. Portaria n.º 1063/97 de 21 de Outubro

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

Isolamento Térmico EZ

Isolamento Térmico EZ Catálogo de produtos Grazimac Isolamento Térmico EZ www.grazimac.pt 2 GRAZIMAC O isolamento térmico EZ é a solução indicada para uma cobertura inclinada. Permite aumentar o conforto térmico e diminuir

Leia mais

1 INTRODUÇÃO... 2 2 REDE SECA... 2 3 REDE HÚMIDA... 6

1 INTRODUÇÃO... 2 2 REDE SECA... 2 3 REDE HÚMIDA... 6 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Definir, na ausência de normas portuguesas, quais os requisitos e especificações a que deve obedecer a instalação de secas e húmidas, para uso do serviço

Leia mais

RELATÓRIO DE OBRAS. Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus

RELATÓRIO DE OBRAS. Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus RELATÓRIO DE OBRAS 2009 Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus ***Procedeu-se à limpeza e desobstrução das condutas de águas pluviais situadas nas garagens, utilizou-se máquina própria

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

Decoração de Interiores

Decoração de Interiores Novas moradias com 3 e 4 quartos, com excelentes acabamentos, inseridas num condomínio privado com apenas 23 fracções. Condomínio fechado com área de jardim comum, que permite uma relação saudável entre

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA BAIRRO

Leia mais

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro O artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 410/98, de 23 de Dezembro, que aprovou o Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios de Tipo Administrativo, determina

Leia mais

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL PROGRAMA PRELIMINAR CENTRO ESCOLAR DE S.JULIÃO/TAVAREDE PROJECTOS DE ESPECIALIDADES 1 1. Introdução Pretende a Câmara Municipal da Figueira da Foz, desenvolver

Leia mais

Fachadas Fichas de Aplicação

Fachadas Fichas de Aplicação Fichas de Aplicação Ventiladas - Sistema de s Ventiladas - Viroclin Ventiladas - Virocnail Ventiladas - Sistema Misto Consulte o Dossier Técnico Viroc disponível em www.viroc.pt, na página de Downloads.

Leia mais

Ralos lineares. Características do ralo linear de parede

Ralos lineares. Características do ralo linear de parede Ficha técnica Ralos lineares O ralo linear da butech é um ralo para bases de duche construídas, com saída horizontal. Caracteriza-se por um bandeja amplo em torno da grelha, o que facilita a ligação à

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 06. LAJE Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP LAJE As lajes são estruturas destinadas a servirem de cobertura, forro ou piso para uma edificação.

Leia mais

ELEGANTE w w w. w b. e b s e s s a s l a e l i e t i e t o e f o fi f c fi e c s e. s c. o c m

ELEGANTE w w w. w b. e b s e s s a s l a e l i e t i e t o e f o fi f c fi e c s e. s c. o c m THE PERFECT FIT ELEGANTE O ambiente de trabalho e a envolvente dos espaços de escritórios são cada vez mais um factor crucial de satisfação que condiciona a motivação, produtividade e o sucesso das empresas.

Leia mais