Projeto do transportador

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto do transportador"

Transcrição

1 Tel: I Área de transporte Na Figura, os tipos A, B e C ilustram possiveis montagens de transportadoras. As longarinas são usinas por espaçadores e ligas pela corrente na superficie. Eles devem ser ligeiramente maior que o fundo corrente. Tipos A e B mostram diferentes possibilides de transportadoras. Tipo C ilustra a separação s duas correntes, que podem trabalhar tanto na mesma direção como sentidos opostos. A fim de evitar o contato e nos conseqüentes, uma vantagem entre as cadeias. A menos que orientação extremamente preciso, seja necessário que as correntes que trabalham na mesma direção e velocide não requerem a separação. Articulações entre as pistas Em trechos retos, com um comprimento de mais de três metros, ou para aplicação de alta temperatura (40-70 C), é recomendável separar os slides em seções mais ", devido à expansão térmica. O tamanho do jogo depende do esperado devido à expansão térmica, ver desenho. C de apuramento depende do comprimento dos trilhos e as temperaturas ambientais. exemplo: Para PLASNEC material de UHMWPE o coeficiente de expansão é: 0.2 mm/m/ C Tipo A C Um aumento na temperatura de 40 C largura alongar um medidor 2: 40 C 2 mt. 0.2 = 6 mm Neste caso, a distância entre os trilhos guia deve ser maior que 6 mm, 7 milímetros, por exemplo. Fig. - Disposições s áreas de correntes de transporte e guias. Tabela abaixo mostra a folga recomen () entre os trilhos guia Corrente SSR 82 K25/ Tipo B Tipo C Tabella - Largura guia () para transportadores reta execução Largura guia () 44,5 82, ,3 34,9 44, ,8 36,5 Nota Nota: Mais informações, séries 8 e 9. É aconselhável cortar as pistas dupla 45. Isso permite que um deslizamento suave cadeia. Ao montar os slides, certifique-se que apenas a parte inicial do guia (na direção do movimento cadeia) é fixado à estrutura fita, a fim de evitar o inchaço s guias. Chanframento de trilhos As guias devem ser sempre suaves na seção inicial (onde são fixos). A suavização reduz o risco de guias conjunta cadeia, tornando o transporte mais suave. Desta forma, a corrente ou correia é suavemente guiado através do transportador. As guias devem ser chanfrados nas laterais e superior. O desenho mostra como ela deve ser um chanfro adequado Cálculo de expansão térmica Lt = L0 [ + a ( T 20 C ) ] Lt = Comprimento final (mm) L0 = Comprimento inicial (mm) a = Coeficiente de dilatação linear. T = Temperatura ( C). 20 C = Temperatura ambiente. Exemplo: Uma guia com comprimento inicial L0 = 000 mm, com um coeficiente de expansão lieare 2X0-4 a uma temperatura de 70 C, sofre um alongamento final: Lt = 000 mm [ + 0,0002 ( 70 C - 20 C ) ] = 00 mm Fig. 2 - Chanframento de trilhos Nota Mais informações e idéias sobre o projeto de transportadores podem ser encontrados no catálogo COMPONENTES PLASNEC.

2 Tel: I Correntes MaxTop 820/83 Correntes MaxTop 880M Correntes MaxTop 880 Reta execução Caminhos curvilíneos Correntes MaxTop 880TAB/882TAB Caminhos Retos Caminhos curvilíneos Guias Topo TAB *) Mais informações série 6 do catálogo.

3 Tel: I Uma unide intermediária permite comprimentos de transporte do que seria possível com apenas uma extremide unide transportadora. Ca unide intermediária move a mesma cadeia para a frente para a próxima unide. Há quatro configurações possíveis: ) Movimentação tangencial 2) Compensar movimentação 3) Transmissão contínua 4) Carrossel com ros dentas tangencial Unide intermediária Movimentação tangencial Transmissão contínua Um pinhão envolve a corrente em uma linha reta, mesma forma como Na visão plano este é um design simples, mas requer uma placa de uma cremalheira e pinhão. Esta aborgem é relativamente simples, transferência. mas tem vários inconvenientes. Em primeiro lugar, a fim de garantir que a corrente não "se sobrepõe" depois de deixar a ro, o sistema de transportes no seu todo deve permanecer em constante tensão. Em segundo Part. lugar, em caso de cargas elevas, a corrente tende a saltar a ro denta. Esta aborgem não é recomen. Movimentação unide Adiamento Unide Ao contrário do disco tangencial, este arranjo é limita a corrente de s. Figuras 9 e 0 mostram duas possíveis variações dessa aborgem. Basicamente, a tensão corrente não é completamente absorvi pela ro, mas é compensado pela catenária (bem como a corrente em excesso). A corrente, em segui, envolve em torno de uma ro denta ou polia e continua seu trajeto de transporte. Fig. - Transmissão contínua Rolo tensionador Pattino di gui Pattino di gui Carrossel com ros dentas tangencial. Correntes apenas com 880 BO, BO 879. Fig. 9- Unide com a transferência de lado Drive Dente ro Dente de ro secção Catenária para compensar a duração excessiva ea tensão não é absorvi pelo pinhão Fig. 2- Carrossel com ros dentas tangencial. Fig. 0- Unide com transferência inline.

4 Tel: I Transferências A transferência suave de uma corrente para outra é funmental para evitar nos no produto e reduzir o tempo de inativide. Estas transferências são feitas diretamente a partir corrente de cadeia ou por meio de toca-discos e placas de mortos. Transferências laterais Transferências laterais são a forma mais comum e mais barato para transferir o produto de uma corrente para outra. Bom design e alinhamento cuidoso corrente e guias são críticos. Embora esta seja uma transferência relativamente simples dos produtos, certifique-se que ambas as correntes correm na mesma altura, ou que a corrente de saí é um pouco menor. O arranjo s guias deve ser feito para que o produto seja entregue em uma velocide uniforme e constante (ver Figura 3). Plataforma giratória transferência Toca-discos deve ser instalado seguindo os mesmos princípios s placas mortos. A transferência suave de produtos só é possível se a corrente e os toca-discos estão em alinhamento exato entre si. A transferência pode ser melhorado, suavizando o limite exterior plataforma giratória (ver Figura 5). O prato será um pouco menor do que o de alimentação e um pouco maior do que a corrente de saí. Em qualquer caso, a diferença de altura deve ser de aproximamente mm. Alimentação Saí corrente Saí corrente Fig. 3- Transferência lateral Transferências Plataforma giratória A Figura 4 mostra um Plataforma Fixa. A placa morta deve sempre ser montado um milímetro menor que o corrente e mm maior do que a corrente de saí. A placa deve ser chanfra nos cantos mortos. Placa morta flexível pode "flutuar" com a ação s cors corrente, sem causar desgaste excessivo sobre as ros. A placa morta pode causar nos para o funcionamento pleno do transportador, caso não seja devimente projeta. Largura variável Entra Corrente Fig. 5- Plataforma giratória transferência Saí corrente Entra Corrente Transferência de Topo A transferência de placas de rolo PLASNEC são firmes e estáveis. Para outras placas são recomens plascas mortas. Part. Fig. 4- Transferência usando placas mortas Nota : Para transferências por Sistema de Transferência de Dinâmica, consulte o catálogo PlasNEC Fig. 6- Transferência de Topo

5 Tel: I Correntes Multflex Corrente Retorno Uma grande variede de retornos, são possíveis com correntes Multiflex. Esta variede de retornos consideráveis oferece liberde de design dos transportadores. O melhor tipo de retorno em qualquer caso do depende do projeto corrente e outros fatores (fluxo de produto, espaço, etc.). Transportadores convencionais Se a corrente é executa em um nível, pode ser um retorno ao indicado convencional (ver Figura 2). Transportadores em elevação Correntes Multiflex PlasNEC têm a capacide de elevar ou abaixar os produtos de uma forma muito compacta. Esta figura mostra um típico sistema de elevador fechado. Note-se que a corrente de trava reta ro para a referência e não há a secção de retorno cadeia deslizante guias. (Veja figura 22). Ro Denta Ros de tura Rolo para a entra no caminho de retorno Ros dentas Ros de tura pinhão catenária Nota: a corrente "na posição de transporte Fig. 2- Retorno convencionais Nota: Na secção traseira do disco de canto é montado mesma forma como a secção de transportes. * Não é montado de cabeça para baixo. A bor superior ro deve estar alinha com a bor inferior s costas corrente. Nota: A ro intermediária é recomendo para seção de canto. Se a ro não tem flange flexão para o suporte corrente, deve haver um sistema para apoiar a corrente no quadro. *) É uma exceção. O disco de retorno é montado de cabeça para baixo. Isto é devido à forma particular cadeia. Transferência do produto Retornar para suspender livre Direção do trabalho Fig. 22- Retorno sobre o sistema de elevador típico Ro denta (ro de cau) A fim de evitar a que dos produtos, a corrente deve ser do mesmo nível ou aproximamente mm abaixo alimentação corrente. Sistemas de negociação simples pode ser usado nos pontos de transferência diferentes para uma distribuição contínua de produtos para diferentes locais na planta (ver Figuras 23 e 24). A flexibilide s cadeias Multiflex permite o uso de diferentes tipos de transferência. Figuras 25 e 26 mostram transferências diferentes, utilizando corrente Multiflex 700. Sistema de intercâmbio Sistema de troca Fig. 23- Cruz de transferência. Utilizando switches, os produtos podem ser transferidos de uma corrente para outra, ou ser transportados mais ao longo mesma cadeia. Fig. 24- Curva de transferência. Fig. 25- Transferência de produtos em uma linha reta Fig. 26- Transferência lateral de produtos de uma corrente para outra.

Instalação da Corrente

Instalação da Corrente Instalação da Corrente Nivelando e Alinhando Todos os componentes devem estar nívelados e alinhados corretamente, para que a corrente e as rodas dentadas possa ter um tempo de vida mais longo. As duas

Leia mais

GSR-R. Tipo separado de guia linear (radial) modelo GSR-R

GSR-R. Tipo separado de guia linear (radial) modelo GSR-R Tipo separado de guia linear (radial) modelo Trilho com cremalheira Recirculador Raspador Bloco Diagrama de Seleção A Posições de montagem Opcionais Codificação Precauções de uso Acessórios para lubrificação

Leia mais

Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação

Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação Sistema de Esteira Porta Cabos igus Guia de Instalação Cursos Longos (Deslizantes) Horizontais Atenção: Não seguir as instruções instalação pode resultar em falha séria Antes de iniciar o processo de instalação,

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação fornecida com o gabinete do rack para obter informações de segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

CO C MP M ONEN E TES E D A D TEL E A ele l ment n o t s de d f i f x i a x çã ç o voltar para o índice

CO C MP M ONEN E TES E D A D TEL E A ele l ment n o t s de d f i f x i a x çã ç o voltar para o índice FERRAMENTAS NECESSÁRIAS Instalação COMPONENTES DA TELA Montagem Instalação elementos de fixação perfil acessórios GUIA DE MONTAGEM Guia da tela correr AJUSTE DA TELA MONTAGEM DA TELA corte dos perfis usinagem

Leia mais

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000)

Manual de Usuário. (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) AUTOMATIZADORES PARA PORTAS DE ENROLAR IMPORTAÇÃO E SUPORTE TÉCNICO NA INSTALAÇÃO Manual de Usuário (Y-200, Y-300, Y-400, Y-500, Y-550, Y- 600, Y-700, Y-850, Y-1200, Y-1500 e Y- 2000) SAC: 55 + 11 3088

Leia mais

Caminhões basculantes. Design PGRT

Caminhões basculantes. Design PGRT Informações gerais sobre caminhões basculantes Informações gerais sobre caminhões basculantes Os caminhões basculantes são considerados como uma carroceria sujeita à torção. Os caminhões basculantes são

Leia mais

Calibradores de Minerais

Calibradores de Minerais uma Companhia Astec Industries Calibradores de Minerais Calibradores de Minerais/Calibradores de Rolos para Aplicações Primárias/Secundárias e Terciárias A gama Osborn de Calibradores de Rolos de Eixo

Leia mais

Transmissões de Potência

Transmissões de Potência Transmissões de Potência PMR 2201 Transmissões O emprego de transmissões torna-se necessário para compatibilizar a velocidade angular ou conjugado da máquina motriz com a necessidade da máquina acionada,

Leia mais

Epson SureColor F6070 Manual de instalação

Epson SureColor F6070 Manual de instalação Epson SureColor F6070 Manual de instalação 2 Remoção da embalagem e montagem da impressora Leia todas estas instruções antes de usar a sua impressora. Também siga todos os alertas e instruções indicados

Leia mais

Calandra de 4 Rolos modelo VRM

Calandra de 4 Rolos modelo VRM Calandra de 4 Rolos modelo VRM Sumário Construção de Máquinas é nossa Profissão com Criatividade e Paixão. Nós da HAEUSLER 3 Calandra de 4 Rolos 4 Particularidades da Calandra de 4 Rolos HAEUSLER Modelo

Leia mais

Barramento Elétrico Blindado KSL70

Barramento Elétrico Blindado KSL70 Barramento Elétrico Blindado KSL70 PG: 2 / 19 ÍNDICE PÁG. 1.0 DADOS TÉCNICOS 03 2.0 - MÓDULO 04 3.0 SUSPENSÃO DESLIZANTE 05 4.0 TRAVESSA DE SUSTENTAÇÃO 06 5.0 EMENDA DOS CONDUTORES E DOS MÓDULOS 07 6.0

Leia mais

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação A U A UL LA Acoplamento Introdução Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, percebeu um estranho ruído na roda. Preocupada, procurou um mecânico. Ao analisar o problema, o mecânico concluiu que

Leia mais

Guia de inicialização

Guia de inicialização 2. Configuração da impressora Guia de inicialização 1. Verifique o conteúdo da embalagem Unidade da impressora Cabo de alimentação (*) Suporte do papel Bandeja de papel (*) CD (*) Driver da impressora

Leia mais

Sistemas de Portas de Correr e Sanfonadas

Sistemas de Portas de Correr e Sanfonadas Sistemas de Portas de Correr e Sanfonadas Aprecie a liberdade dos movimentos Mais flexibilidade aos seus projetos Os sistemas de portas de correr e sanfonadas da Hettich foram cuidadosamente planejados,

Leia mais

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores Robótica Industrial Projeto de Manipuladores Robôs são os típicos representantes da Mecatrônica. Integram aspectos de: Manipulação Sensoreamento Controle Comunicação 1 Robótica e Mecatrônica 2 Princípios

Leia mais

Sistemas para Portas. Correr, Sanfonadas e Coplanares

Sistemas para Portas. Correr, Sanfonadas e Coplanares Sistemas para Portas Correr, Sanfonadas e Coplanares Bigfer + Hettich A Hettich é uma empresa alemã, líder mundial em ferragens e acessórios para móveis. No Brasil seus produtos são distribuídos pelo Grupo

Leia mais

Trench Former. Sistema de moldagem de calha de drenagem com molde pré-fabricado colocado

Trench Former. Sistema de moldagem de calha de drenagem com molde pré-fabricado colocado Trench Former Sistema de moldagem de calha de drenagem com molde pré-fabricado colocado MHD & XHD Guia de instalação P.O. Box 837-259 Murdock Road - Troutman, NC 28166 Tel (704) 528-9806 - Fax (704) 528-5478

Leia mais

POLIAS DE CORRENTE PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS. Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono

POLIAS DE CORRENTE PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS. Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono POLIAS DE CORRENTE E ACESSÓRIOS PARA OPERAÇÃO DE VÁLVULAS ELEVADAS Ferro dúctil Aço inox Alumínio Aço carbono Industries, Inc. POLIAS DE CORRENTE AJUSTÁVEIS DE FERRO DÚCTIL USADAS PARA OPERAR VÁLVULAS

Leia mais

MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT

MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT MASTRO TELESCÄPICO CT1BAT ou COMO FAZER UM MASTRO TELESCÄPICO, APRESENTÅVEL E FUNCIONAL, POR POUCO DINHEIRO (menos de 150,00) OlÄ companheiros Radioamadores! Todos nås, Radioamadores, temos os nossos constrangimentos.

Leia mais

Placa de orifício 1495 da Rosemount, União de flange de orifício 1496 da Rosemount

Placa de orifício 1495 da Rosemount, União de flange de orifício 1496 da Rosemount Manual de Referência Placa de orifício 1495 da Rosemount, União de flange de orifício 1496 da Rosemount Rosemount 1495 Placa do orifício Rosemount 1496 União de flange de orifício www.rosemount.com Manual

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação fornecida com o gabinete do rack para obter informações de segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais

Selecione o tipo de rolamento e configuração. Limitações dimensionais Seleção do 2. Seleção do Os s e de estão disponíveis numa variedade de tipos, formas e dimensões. Quando se faz a correta seleção do para a sua aplicação, é importante considerar diversos fatores, e analisar

Leia mais

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA ALGODEN INSTRUÇÕES GERAIS Antes de colocar em operação o equipamento, este deve funcionar em vazio durante algum tempo. Neste período deve se dar atenção nos diferentes pontos de lubrificação. Durante

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title

Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Extensômetro de Alto Alongamento AHX800 Manual Title Additional Manual do Information Produto be certain. 100-238-343 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada Informação

Leia mais

Protocolo de Instalação de Parcelas Terrestres

Protocolo de Instalação de Parcelas Terrestres MATERIAL NECESSÁRIO GPS Clinômetro Barbante plástico Vara para suporte do clinômetro e vara alvo (Figura 1) Cano para apoiar bússola Jogo de marcador alfa-numérico Trena de 10 metros Tubos de PVC ½ marrom

Leia mais

Tratores Agrícolas 1

Tratores Agrícolas 1 Tratores Agrícolas 1 TRATOR AGRÍCOLA 1 DEFINIÇÃO???? Máquina autopropelida provida de meios que, além de lhe conferirem apoio estável sobre uma superfície horizontal, capacitam-no a tracionar, transportar

Leia mais

Instruções para utilização

Instruções para utilização Instruções para utilização MÁQUINA DE LAVAR ROUPA Português AWM 129 Sumário Instalação, 16-17-18-19 Desembalar e nivelar Ligações hidráulicas e eléctricas Primeiro ciclo de lavagem Dados técnicos Instruções

Leia mais

Sistemas para Portas. Correr, Sanfonadas e Coplanares

Sistemas para Portas. Correr, Sanfonadas e Coplanares Sistemas para Portas Correr, Sanfonadas e Coplanares Bigfer + Hettich A Hettich é uma empresa alemã, líder mundial em ferragens e acessórios para móveis. No Brasil seus produtos são distribuídos pelo Grupo

Leia mais

Sumário Serra Fita FAM

Sumário Serra Fita FAM Sumário Serra Fita FAM 1 Componentes... 1 Painel de controle... 1 Sensores de segurança... 2 Especificações... 2 Instalação... 3 Condições Gerais do Local... 3 Rede Elétrica... 3 Instalação da Tomada...

Leia mais

Introdução. Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!!

Introdução. Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!! D I S T R I B U I D O R Introdução Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!! A NEW AUTOMATIZADORES atua no mercado nacional há 1 ano, distribuindo para todo Brasil e America Latina.

Leia mais

Cat Sistema Acoplador Fusion

Cat Sistema Acoplador Fusion Cat Sistema Acoplador Fusion Carregadeiras de Rodas Características: Maior Desempenho da Máquina A nova interface patenteada da Carregadeira de Rodas oferece desempenho praticamente igual a um sistema

Leia mais

Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro

Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro Relógio de Bolinhas Montagem de Flávio Machado Desenhos de Alex Sandro Construir este relógio foi um desafio, pois não dispunha de nenhum projeto e o que tinha eram apenas fotos, por isso relutava em entrar

Leia mais

Rolamentos de rolos cônicos

Rolamentos de rolos cônicos Rolamentos de rolos cônicos Rolamentos de rolos cônicos 314 Definições e aptidões 314 Séries 315 Variantes 315 Tolerâncias e jogos 316 Elementos de cálculo 318 Elementos de montagem 320 Prefixos e sufixos

Leia mais

dobradeiras horizontais euromac bending machines

dobradeiras horizontais euromac bending machines dobradeiras horizontais 1 Toda empresa que trabalhe com aço e cobre pode tirar proveito de uma Digibend Você está usando ou pensando em usar uma dobradeira convencional para dobrar peças pequenas, material

Leia mais

Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão.

Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão. METAL MECÂNICA AUTOCUT 4.0P HDX/2HDX Robustez e alta velocidade com a garantia de cortes de alta precisão. AutoCut 4.0P HDX/2HDX A AutoCut 4.0P é uma máquina CNC para corte de chapas de aço-carbono, aço

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Correias e Polias Correntes Definição Polia: São peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo do motor e pelas correias. Correias: É o elemento da máquina que,

Leia mais

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 06 CISALHAMENTO

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 06 CISALHAMENTO CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Cálculo de solda de filete Resistências de cálculo a solicitação de cálculo é igual à resultante vetorial de todas as forças de cálculo na junta que produzam tensões normais

Leia mais

Guia do Usuário. Modelo RPM10 Tacômetro Laser de Foto / Contato com Termômetro IV. Patenteado

Guia do Usuário. Modelo RPM10 Tacômetro Laser de Foto / Contato com Termômetro IV. Patenteado Guia do Usuário Modelo RPM10 Tacômetro Laser de Foto / Contato com Termômetro IV Patenteado Introdução Parabéns pela sua compra do Tacômetro Laser de Foto/Contato com Termômetro Infravermelho sem contato

Leia mais

Pedro Rocha 2015-10-15

Pedro Rocha 2015-10-15 Pedro Rocha 2015-10-15 Circulação O veiculo não pode sair do centro para se posicionar nas linhas ou áreas de inspeção Via de fuga Evitar o cruzamento de veículos 2 As linhas devem ser estruturadas para

Leia mais

Transportadores de Tela

Transportadores de Tela Transportadores de Tela N QUAL/199/11817 156, route de Lyon F- 38300 DOMARIN Telefone (33) 4 37 03 33 55 Fax (33) 4 37 03 33 59 Maio 2002 e-mail : tlm@elcom.fr web : www.elcom-transfer.com Notas TLM SA

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

PA-2000 Series Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks

PA-2000 Series Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks PA-2000 Series Hardware Reference Guide 8/31/11 Esboço de Revisão Final - CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks Palo Alto Networks, Inc. www.paloaltonetworks.com Copyright 2011 Palo Alto Networks.

Leia mais

IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS.

IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS. IME - AUTOFLIFT - ESPECIALISTA EM SISTEMAS DE ELEVAÇÃO MÓVEL PARA TODO O TIPO DE VEÍCULOS. Equipamentos Oficinais SSH ELEVADOR DE TESOURAS PARA CAMIÕES E AUTOCARROS Equipamentos Oficinais CARACTERÍSTICAS

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda.

International Paper do Brasil Ltda. International Paper do Brasil Ltda. Autor do Doc.: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Técnicas de Inspeção, Montagem, uso de Rebolos ( Esmeris

Leia mais

Bordas Laterais (Sidewalls) Caracteristicas

Bordas Laterais (Sidewalls) Caracteristicas Bordas Laterais (Sidewalls) Caracteristicas Técnicas www.plasnec.com.br O - 1 Componentes e acessórios para esteiras transportadoras Bordas Laterais (Sidewalls) A Plasnec fornece bordas laterais sanfonadas

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS SERVICE MANUAL LAVADORA DE ROUPAS FRONT LOAD TRW10 TRW 10 FRONT LOAD WASHING MACHINE MACHINE SERVICE MANUAL MÓDULO III

MANUAL DE SERVIÇOS SERVICE MANUAL LAVADORA DE ROUPAS FRONT LOAD TRW10 TRW 10 FRONT LOAD WASHING MACHINE MACHINE SERVICE MANUAL MÓDULO III MANUAL DE SERVIÇOS SERVICE MANUAL LAVADORA DE ROUPAS FRONT LOAD TRW10 TRW 10 FRONT LOAD WASHING MACHINE MACHINE SERVICE MANUAL MÓDULO III INSTALAÇÃO DO PEDESTAL INSTALAÇÃO DO KIT JUNÇÃO REVISÃO 0 REVISION

Leia mais

GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento

GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento GRUNDOBURST Sistema estático de substituição de tubulação sob o mesmo encaminhamento O sistema estático de pipe bursting é recomendado para substituição de tubulações de água e esgoto especialmente em

Leia mais

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES Pregão 003/2006 Alteração ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES ITEM O1 Sistema de arquivamento composto de módulos de arquivos deslizantes, com acionamento

Leia mais

SISTEMA DE RODAS INTERMEDIÁRIAS DE IMPACTO ELEVADO

SISTEMA DE RODAS INTERMEDIÁRIAS DE IMPACTO ELEVADO SISTEMA DE RODAS INTERMEDIÁRIAS DE IMPACTO ELEVADO SISTEMA DE RODAS INTERMEDIÁRIAS DE IMPACTO ELEVADO PATENTEADO APLICAÇÕES Um sistema de suporte da correia no ponto de carga concebido para proporcionar

Leia mais

FIXANDO AS CAVERNAS NO PICADEIRO 33

FIXANDO AS CAVERNAS NO PICADEIRO 33 2 1 100 1 132 1 000 FIXANDO AS CAVERNAS NO PICADEIRO 33 1. Coloque a caverna do meio sobre o picadeiro a frente da traverssa. Para o barco de 5,2 m a caverna 2, para os barcos maiores a caverna 3. 2. Alinhe

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação que acompanha o gabinete do rack para as informações sobre segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

Identificando áreas de atolamento de papel

Identificando áreas de atolamento de papel Selecionando cuidadosamente os materiais de impressão e carregando-os adequadamente, será possível evitar atolamento de papel na maioria das vezes. (Veja as sugestões em Dicas para evitar atolamentos de

Leia mais

Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações

Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações Exercícios 3 Movimentos em 2 Dimensões, Movimento Circular e Aplicações Movimentos em 2D 1) Você está operando um modelo de carro com controle remoto em um campo de tênis vazio. Sua posição é a origem

Leia mais

Projecto de uma mini mini-hídrica

Projecto de uma mini mini-hídrica Projecto de uma mini mini-hídrica José Pinto da Cunha 1 Lista de material 1 tupperware cilíndrico em PVC transparente com 20 cm e altura 9 cm;(marca Canasta; Continente; Jumbo) (ref. 5601323101891); 1

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR:

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR: Código UASG: 393003 Pregão Eletrônico SRP n 511/14 Vigência: 26/11/2014 a 25/11/2015 Sr. Luciano Sacramento Fone: (61) 3315-4241/4601

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX

INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM E UTILIZAÇÃO DAS FÔRMAS ATEX 1. É indispensável passar desmoldante nas fôrmas. 2. É expressamente proibido o uso de pregos nas fôrmas. O uso destes danifica e fragiliza a mesma,

Leia mais

Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial

Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial 3 Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Fevereiro/2004 Substitui: Janeiro/2002 Página 1 de 8 Introdução: As Rodas Laminadas EXL e EXL Roloc Scotch-Brite para rebarbação

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

Kit de Montagem de Mastro

Kit de Montagem de Mastro Parabéns pela aquisição do seu novo kit de montagem de mastro! Kit de Montagem de Mastro Manual de Instalação Este kit de montagem de mastro foi concebido para postes com 48 milímetros de diâmetro externo

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO HISTÓRICO DE VERSÕES

INSTRUÇÃO DE TRABALHO HISTÓRICO DE VERSÕES HISTÓRICO DE VERSÕES 1/25 Versão Data Elaborado por Motivo da Revisão Revisado por Aprovado por 01 03 14/10/2013 09/04/2014 28/07/2014 Lucival B. R. Rocha Marco Antonio F. da Silva Inclusão montagem conector

Leia mais

Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha

Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha Isoladores de Sinais Convencionais, Alimentados pela Malha Isolação simples, fixação por grampos! Transmissão de 20 ma com isolação elétrica. A Tarefa Para prevenir erros de medição ou mesmo destruição

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Sistema de Enlonamento Pneumático Índice Apresentação...03 Termo de Garantia...04 Sistema de Enlonamento Pneumático...05 Suporte de Fixação...06 Movimentador...08 Flange de Fixação Lona Retrátil...09 Lona

Leia mais

Impressora HP LaserJet Série P2030. Guia de papel e mídia de impressão

Impressora HP LaserJet Série P2030. Guia de papel e mídia de impressão Impressora HP LaserJet Série P2030 Guia de papel e mídia de impressão Impressora HP LaserJet Série P2030 Guia de papel e mídia de impressão Copyright e licença 2008 Copyright Hewlett-Packard Development

Leia mais

AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções

AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções AFIADOR ELÉTRICO 511 A Manual de Instruções ESTE MANUAL CONTÉM INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE MONTAGEM, OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E SEGURANÇA REFERENTES AO AFIADOR ELÉTRICO DE BANCADA OREGON 511A. FAVOR LER

Leia mais

Metalo. Modular. Sistema de Andaimes em Alumínio. Instruções Técnicas

Metalo. Modular. Sistema de Andaimes em Alumínio. Instruções Técnicas Metalo Modular Sistema de Andaimes em Alumínio Instruções Técnicas Modular_AF4.indd 1 Modular Índice Favor observar: Nestas instruções técnicas, encontram-se todas as informações e indicações importantes

Leia mais

COMPONENTES PARA TRANSMISSÃO

COMPONENTES PARA TRANSMISSÃO COMPONENTES PARA TRANSMISSÃO CATÁLOGO DE PRODUTOS * ENGRENAGEM DENTADA CILÍNDRICA * CREMALHEIRAS * ENGRENAGEM CÔNICA * BARRAS E PORCAS DE ROSCA TRAPEOIDAL * ENGRENAGEM PARA CORRENTE NORMA DIN * BUCHAS

Leia mais

Just do it yourself ;) Dispositivo de Controle de Tráfego Modelos 300 a 421 e ITSLUX/SUPERLUX/GREENLUX/ WHITELUX

Just do it yourself ;) Dispositivo de Controle de Tráfego Modelos 300 a 421 e ITSLUX/SUPERLUX/GREENLUX/ WHITELUX Just do it yourself ;) Guia de Lentes para Dispositivo de Controle de Tráfego Modelos 300 a 421 e ITSLUX/SUPERLUX/GREENLUX/ WHITELUX Versão 3.3 Janeiro 2016 Sumário 6.8 Distância de 30 a 40 metros... 15

Leia mais

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica CEMAR NORMA DE PROCEDIMENTOS Função: Área: Processo: Código: Técnica Técnica Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica NP-12.306.02 Redes de Distribuição Aéreas Urbanas de Energia Elétrica

Leia mais

Yep. Nicho para Fogão 80/90-57cm. Partes do Produto. Componentes

Yep. Nicho para Fogão 80/90-57cm. Partes do Produto. Componentes Yep Partes do Produto Nicho para Fogão 80/90-57cm Tampo Vendido Separadamente - Lateral Direita/ Esquerda (x) - Fechamento Frontal (x) - Travessa Inferior (x) - Travessa Traseira (x) 5- Fechamento Lateral

Leia mais

COTIP Colégio Técnico e Industrial de Piracicaba (Escola de Ensino Médio e Educação Profissional da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba)

COTIP Colégio Técnico e Industrial de Piracicaba (Escola de Ensino Médio e Educação Profissional da Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba) 1 MOENDAS 1. Moendas Conjunto de 04 rolos de moenda dispostos de maneira a formar aberturas entre si, sendo que 03 rolos giram no sentido horário e apenas 01 no sentido antihorário. Sua função é forçar

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 11

Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo EXPERIMENTO 11 Faculdade de Tecnologia de Mogi Mirim Arthur de Azevedo Roteiro para prática experimental EXPERIMENTO 11 Momento Linear e Impulso Disciplina: Física Experimental GRUPO DE TRABALHO: Estudante 1 (nome e

Leia mais

Classificação e Características dos Rolamentos

Classificação e Características dos Rolamentos Classificação e Características dos 1. Classificação e Características dos 1.1 dos rolamentos A maioria dos rolamentos é constituída de anéis com pistas (um anel e um anel ), corpos rolantes (tanto esferas

Leia mais

Elevadores veiculares de plataforma com liberdade única de movimentos SKYLIFT

Elevadores veiculares de plataforma com liberdade única de movimentos SKYLIFT Elevadores veiculares de plataforma com liberdade única de movimentos SKYLIFT S T E R T I L S u p e r i o r s o l u t i o n s b y q u a l i t y p e o p l e Superior solutions by quality people O Stertil

Leia mais

Esteiras Especificações para Esteiras

Esteiras Especificações para Esteiras UNIRONS Esteiras Especificações para Esteiras Eficiência, durabilidade, higiene e fácil manutenção são requisitos básicos em um sistema de transporte interno de produtos. Ciente disso, a UNIRONS oferece

Leia mais

Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX

Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX 1 Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX Manual No. 103-0001 R EV. 8/07 ISO 9001 REGISTERED CONTEUDO 2 Advertencias... 3 Recebimento... 5 Ajustes...6 Kit de Transporte...8 Instalação dos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Professor: Renato Medeiros EXERCÍCIOS NOTA DE AULA IV Goiânia - 2014 EXERCÍCIOS 1. Uma partícula eletrizada positivamente é

Leia mais

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X.

3. Pressione o cotovelo, com a maior força possível com a outra mão, em direção ao outro ombro. Fique nesta posição por 10 segundos. Repita 3X. THIAGO MURILO EXERCÍCIOS PARA DEPOIS DO TÊNIS 1. Em Pé de costas para um canto de parede flexione a sua perna mais forte para frente, alinhe a coluna e leve os braços para trás até apoiar as palmas das

Leia mais

Hoefer SE1210 Gel Drying Frame

Hoefer SE1210 Gel Drying Frame man ual do usuário Português Hoefer SE1210 Gel Drying Frame Para géis de secagem do ar mu SE1210-IM/Portuguese/Rev.H0/08-12 Conteúdo 1. Gel função Moldura Secagem e descrição...1 Desempacotando...1 Montagem...1

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

Corrente(11-velocidades)

Corrente(11-velocidades) (Portuguese) DM-CN0001-03 Manual do Revendedor Corrente(11-velocidades) CN-9000 CN-6800 CN-HG900-11 CN-HG701-11 CN-HG700-11 CN-HG600-11 AVISO IMPORTANTE Este manual de revendedor tem como objetivo principal

Leia mais

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES

1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1 1. TRANSMISSÕES POR CORRENTES 1.1 - Introdução As correntes fazem parte das transmissões flexíveis, conjuntamente com as correias. Apresentam menor capacidade de absorção de choques em virtude de sua

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO OPERACIONAL ITOPR 007- REV 01 Título: EMENDAS EM CORREIAS TRANSPORTADORAS CABO DE AÇO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO OPERACIONAL ITOPR 007- REV 01 Título: EMENDAS EM CORREIAS TRANSPORTADORAS CABO DE AÇO 1- DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA: Catálogos Goodyear, Mercúrio, Contitech 2- MATERIAIS E FERRAMENTAS: 2.1) Materiais: IT Descrição 01 Borracha de ligação, cabos/cobertura 02 Borracha de cobertura inferior e

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos

Curso de Engenharia de Produção. Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Curso de Engenharia de Produção Sistemas Mecânicos e Eletromecânicos Mancais: São elementos de máquinas que suportam eixo girante, deslizante ou oscilante. São classificados em mancais de: Deslizamento

Leia mais

. linear ou rotativo. analógico ou digital. absoluto, incremental ou incremental-absoluto. princípio de operação

. linear ou rotativo. analógico ou digital. absoluto, incremental ou incremental-absoluto. princípio de operação 8 - Transdutores Um transdut or é um equipamento que converte variações de uma determinada grandeza física em outra. Por exemplo, um transdut or de posição converte variações de movimento em um sinal de

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DE BRITADORES APLICADOS AO PROCESSAMENTO MINERAL J. Varela Dr.-Ing, Tecnologias de Britagem e Peneiramento,ThyssenKrupp Fördertechnik Latino Americana Rua Ceará, 1566, Belo Horizonte-MG,

Leia mais

NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004

NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004 NORMA TÉCNICA MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE CPRH N 2.004 MEDIÇÃO DE VAZÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS ESCOAMENTO LIVRE 1 OBJETIVO Esta Norma fixa as condições exigíveis para a indicação

Leia mais

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas.

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas. MEMORIAL DESCRITIVO CAPEAMENTO ASFÁLTICO SOBRE PEDRAS IRREGULARES Proprietário: MUNICÍPIO DE ITATIBA DO SUL Local: - Rua Argentina = 5.910,43 m²; - Rua Estados Unidos = 1.528,98 m². Total = 7.439,41 m²

Leia mais

TREINAMENTO DE CERTIFICAÇÃO QTEK Bomber

TREINAMENTO DE CERTIFICAÇÃO QTEK Bomber TREINAMENTO DE CERTIFICAÇÃO QTEK Bomber O QTEK Bomber é um dispositivo de separação de camada independente, projetado para remover ou adicionar camadas de produtos sobre um palete. O Bomber também pode

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário:

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (11) Número de Publicação: PT 105304 (51) Classificação Internacional: F24D 17/00 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2010.09.23 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação

Leia mais

Def e in i i n ç i ã ç o S o ã o f er e ram a en e t n as a s rot o at a iva v s a s pa p r a a a us u i s na n g a e g m e d e d

Def e in i i n ç i ã ç o S o ã o f er e ram a en e t n as a s rot o at a iva v s a s pa p r a a a us u i s na n g a e g m e d e d Definição Fresas São ferramentas rotativas para usinagem de materiais, constituídas por uma série de dentes e gumes, geralmente dispostos simetricamente em torno de um eixo. Os dentes e gumes removem o

Leia mais

LISTA DE MONTAGEM MULTIPLA POR FAVOR INFORME O NÚMERO OU CÓDIGO, CASO VOCE NECESSITE DE ATENDIMENTO OU PEÇAS. F I T N E S S

LISTA DE MONTAGEM MULTIPLA POR FAVOR INFORME O NÚMERO OU CÓDIGO, CASO VOCE NECESSITE DE ATENDIMENTO OU PEÇAS. F I T N E S S A V I S O : ANTES DE INICIAR QUALQUER EXERCÍCIO OU PROGRAMA DE EXERCÍCIOS, POR FAVOR CONSULTE SEU MÉDICO. ANTES DOS EXERCÍCIOS, TENHA CERTEZA QUE TODAS AS PARTES DESTE EQUIPAMENTO FORAM BEM FIXADOS PELOS

Leia mais

ZJ20U93 Montagem e Operacional

ZJ20U93 Montagem e Operacional www.zoje.com.br ZJ20U93 Montagem e Operacional ÍNDICE 1. Aplicação...2 2. Operação segura...2 3. Cuidados antes da operação...2 4. Lubrificação...2 5. Seleção da agulha e do fio...3 6. A Inserção da agulha...3

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Victor H. A. Okazaki http://okazaki.webs.com Material de Apoio: Desenvolvimento & Aprendizado

Leia mais

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES 11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES O futsal, como outras modalidades, está associado a certos riscos de lesões por parte dos jogadores. No entanto, estudos científicos comprovaram que a incidência de lesões

Leia mais

(a) a aceleração do sistema. (b) as tensões T 1 e T 2 nos fios ligados a m 1 e m 2. Dado: momento de inércia da polia I = MR / 2

(a) a aceleração do sistema. (b) as tensões T 1 e T 2 nos fios ligados a m 1 e m 2. Dado: momento de inércia da polia I = MR / 2 F128-Lista 11 1) Como parte de uma inspeção de manutenção, a turbina de um motor a jato é posta a girar de acordo com o gráfico mostrado na Fig. 15. Quantas revoluções esta turbina realizou durante o teste?

Leia mais

Correias, Polias e Transmissões. O que são?

Correias, Polias e Transmissões. O que são? Correias, Polias e Transmissões. O que são? Obs.: Fotos são meramente ilustrativas (sem escala). Página 1 TRANSMISSÕES COM CORREIAS O QUE É UMA CORREIA? Elemento de maquina que, sendo movimentado por uma

Leia mais