Convenção Coletiva de trabalho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Convenção Coletiva de trabalho"

Transcrição

1 JORNAL ANO 10 Nº 86 ABR/ MAI SINDICATO DAS EMPRESAS LOCADORAS DE VEÍCULOS AUTOMOTORES NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Convenção Coletiva de trabalho Coordenada pelo Sindloc-eS e Sindrodoviarios-eS, Convenção Coletiva de trabalho conquista benefícios para empregadores e motoristas página 03 entrevista em ação perfil Dr. Alberto Nemer tira todas as dúvidas sobre a Convenção Coletiva de Trabalho. Vale a pena conferir Confira 10 mitos e verdades sobre seguro de automóvel Conheça melhor Edson Gottardi, diretor-presidente da Transfenix páginas 04 página 06 página 08

2 2 editorial E x p e d i e n t e Diretoria Marcio Castelo Branco Gonçalves Presidente Edson Ganho Vice-presidente Convenção Coletiva: uma grande conquista Perseverança. Essa palavra pode definir o processo de assinatura da Convenção Coletiva do Sindloc-ES com o Sindrodoviários-ES para o biênio 2013/2014. Após vários anos tentando assinar um acordo, impossibilitado durante muito tempo por disputas judiciais sobre territorialismo e falta de acordo com a diretoria, enfim atingimos nosso objetivo, homologando uma convenção equilibrada. A assinatura de uma convenção, antes de ser uma conquista dos trabalhadores, é muito mais uma conquista do empresariado, pois traz segurança jurídica e uma regulação do mercado, impondo práticas comuns a todos e levando a um desenvolvimento continuo das relações trabalhistas do setor. Paulo Fernando Azevedo Gottardi 1º Diretor Secretário Eduardo Corrêa da Silva 2º Diretor Secretário Luiz Carlos Armini Gottardi 1º Diretor Financeiro Carlos Chieppe Netto 2º Diretor Financeiro Jacqueline Moraes de Mello Diretora de Comunicação e Eventos Paulo Roberto do Val Nemer Diretor de RP e Institucionais Esta edição será dedicada a esclarecer vários pontos da convenção. O Sindloc-ES também já se coloca aqui à disposição para auxiliar a empresa sindicalizada a dirimir suas dúvidas junto ao nosso escritório de advocacia. Por fim, fica a lição de que ainda temos muito que caminhar e muitos obstáculos para vencer, mas muitos assuntos são resolvidos com o tempo, trabalhando constantemente em cima deles. Soluções imediatistas podem ser efêmeras. Por isso, temos que trabalhar no ritmo certo para obtermos resultados duradouros. Temos que ser perseverantes. Marcio Gonçalves, presidente do Sindloc-ES Vinícius Ávila de Carvalho Diretor Jurídico Conselho Fiscal Edson Cézar Armini Gottardi 1º Conselheiro Fiscal Antônio Carlos Vieira da Silva Filho 2º Conselheiro Fiscal Marcos Armini Gottardi 3º Conselheiro Fiscal Rafael de Araújo Pimentel 1º Suplente Conselheiro Fiscal Carolina Emery dos Santos 2º Suplente Conselheiro Fiscal Joedes Ganho 3º Suplente Conselheiro Fiscal Juliana Arthidoro Kummel Gerente Executiva Produção Editorial Luz Estratégias em Comunicação Jornalista Responsável Fernanda de Albuquerque Textos Fernanda de Albuquerque e Mariana Melo Projeto Gráfico e Diagramação Link Editoração Av. Nossa Senhora da Penha, 356, Boulevard da Praia, 3º piso, lj. 22, Praia do Canto, CEP , Vitória, ES, Tel

3 capa 3 Convenção Coletiva de Trabalho Coordenada pelo Sindloc-ES e Sindrodoviarios-ES Convenção Coletiva de Trabalho conquista benefícios para empregadores e motoristas Com o objetivo de beneficiar tanto as empresas de locadoras de veículos quanto os motoristas, a Convenção Coletiva de Trabalho (2012/2014), coordenada pelo Sindloc-ES e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Espírito Santo (Sindrodoviarios-ES), foi realizada em abril e entrou em vigor para regulamentar, estabelecer e estipular regras, trazendo segurança e regendo de forma harmônica a relação entre o capital e empregado. A Convenção Coletiva foi alcançada com o trabalho árduo do jurídico junto com a diretoria do sindicato. No site do Sindloc-ES, no link biblioteca e documentos, os associados podem encontrar no arquivo: Convenção Coletiva Sindloc x Sindrodoviarios , todas as informações sobre essa importante conquista para o setor de locação de automóveis. A assinatura de uma convenção, antes de ser uma conquista dos trabalhadores, é muito mais uma conquista do empresariado, pois traz segurança jurídica e uma regulação do mercado, impondo práticas comuns a todos e levando a um desenvolvimento continuo das relações trabalhistas do setor, disse Marcio Gonçalves, presidente do Sindloc-ES. Confira abaixo quais são os benefícios oferecidos pela Convenção Coletiva de Trabalho tanto para os empregadores quanto para os motoristas. Seguro de vida. Convênio farmácia. Viabilização de empréstimo consignado. Tabela mínima de salário de cada classe de motorista. Plano de saúde, onde as empresas terão que arcar com até R$ 60,00 do plano de saúde individual ou até R$ 84,00 para o plano familiar. Jornada de trabalho de 44 horas semanais. Caso a empresa necessite de uma jornada diferenciada poderá ser feito um acordo coletivo para definir essa precisão. Regulamentação do mínimo para vale alimentação no valor de R$ 13,00. A Convenção estabelece o piso para ter uma referência, se a empresa quiser negociar para mais não tem problema, só não pode ser para menos. Estipulação da data base, que no setor será dia 1 de outubro. Nos 30 dias que antecederem a data base o sindicato patronal e o sindicato dos empregados sentarão para definir as cláusulas econômicas e pactuar novas cláusulas, dar novos benefícios e regulamentar outras questões em pauta.. Com base na lei 7.238/84 nenhum motorista pode ser dispensado no período dos 30 dias que antecedem a data base. Caso isso aconteça, com base no artigo 9 dessa mesma lei, a empresa terá que pagar uma multa equivalente a um salário.

4 4 entrevista Dr. Alberto Nemer Neto Advogado especialista em direito do trabalho e sócio do escritório de advocacia Da Luz Rizk Nemer Advogados O mês de abril foi de conquista para o Sindloc-ES, que acaba de alcançar mais uma vitória: a celebração da Convenção Coletiva de Trabalho ( ), que durante cinco anos esteve ausente no sindicato. A novidade vai regulamentar a relação da empresa com o empregado com deveres e obrigações de ambos. Entrevistamos o Dr. Alberto Nemer Neto, advogado especialista em direito do trabalho e sócio do escritório de advocacia Da Luz Rizk Nemer Advogados, que explica o que significa, pontua os benefícios, diz a importância e como funciona a Convenção Coletiva.» O que diz a Convenção Coletiva? Estabelece e estipula regras para reger de forma harmônica a relação entre o capital e empregado. É importante lembrar que o setor ficou mais de cinco anos sem Convenção Coletiva em vigor, então ela veio para regulamentar e, também, para trazer uma segurança tanto para as empresas locadoras de veículos quanto para os empregados. Com a ausência de Convenção Coletiva o empregado fica sem saber como serão os reajustes e outros direitos em relação à compensação da jornada de trabalho, quanto será o valor da hora extra acertada, além do valor da refeição, entre outros. Então, a Convenção Coletiva serve para regulamentar essa relação.» Quais são os principais benefícios aos trabalhadores? Dentro dessa Convenção está à estipulação da data base, que no setor será dia 1 de outubro. Ela é importante porque os 30 dias que antecederem a data base o sindicato patronal e o sindicato dos empregados terão que sentar para definir as cláusulas econômicas, ou seja, quanto será reajustado no salário dos empregados e, de repente, pactuar novas cláusulas, dar novos benefícios e regulamentar outras questões em pauta. A data base também tem a sua importante, porque com base na lei 7.238/84 nenhum motorista pode ser dispensado no período dos 30 dias que antecedem a data base. Caso ele seja demitido, com base no artigo 9 dessa mesma lei, a empresa terá que pagar uma multa equivalente a um salário. Então, é uma segurança ao trabalhador, enquanto os sindicatos estão resolvendo as causas econômicas ninguém pode ser demitido.» Trata-se de uma importante conquista para o Sindloc-ES já que o sindicato vinha trabalhando muito tempo por isso? Há muito tempo o Sindloc-ES vem trabalhando para isso, essa conquista foi uma das grandes vitórias e um grande marco do sindicato. A ausência da Convenção Coletiva prejudica o setor, que na época pagava valores sem piso salarial aos seus empregados.» Essa Convenção também já foi realizada em outros estados? Muitos estados têm esse tipo de Convenção Coletiva. No Espírito Santo, o sindicato teve uma Convenção Coletiva anteriormente, mas ficou esse vácuo de no mínimo cinco anos sem Convenção. Com o trabalho árduo do jurídico junto com a diretoria do sindicato, agora conseguimos finalizar e homologar essa Convenção, que é de grande importância ao empregado e empregador.» Os trabalhadores terão muitos benefícios e os empregadores terão de oferecer todos eles. Como vai funcionar? Vai funcionar da seguinte forma: será instituído o plano de saúde onde as empresas terão que arcar com até R$ 60,00 do plano de saúde individual ou até R$ 84,00 para o plano familiar. Também foi estabelecida a tabela mínima de salário de cada classe de motorista, foi estipulado convênio farmácia, viabilização de empréstimo consignado, o aumento no valor do vale alimentação para R$ 13,00. Vale lembrar que antes não existia uma referência, é importante dizer que a Convenção Coletiva regulamenta o mínimo. O vale refeição está R$ 13,00, mas nada impede que a empresa dê R$ 15,00 ou R$ 16,00. A Convenção estabelece o piso para ter uma referência, se a empresa quiser negociar para mais não tem problema nenhum, só não pode ser para menos. Também foi estipulado seguro de vida e jornada de trabalho de 44 horas semanais, porém caso a empresa necessite de uma jornada diferenciada poderá ser feito um acordo coletivo para definir essa precisão.

5 Coluna Jurídica 5 Participação nos lucros e resultados expectativa de isenção de tributos Em razão da Medida Provisória 597/12, que disciplina a tributação na fonte do imposto de renda da pessoa física, o trabalhador brasileiro poderá ter isenção do valor recebido a título de participação nos lucros e resultados. No dia 21 de maio de 2013, foi aprovado o relatório apresentado pelo deputado Luiz Alberto (PT-BA) que assegura a isenção do imposto de renda aos trabalhadores que receberem até R$ 6.000,00 (seis mil reais) anuais de participação nos lucros e resultados. Conforme estudo feito, o valor máximo que terá isenção de IRPF alcança o patamar de 60% dos trabalhadores que são contemplados com o referido benefício. Assim, as centrais sindicais tiveram o seu pleito atendido com os termos do relatório apresentado. Importante destacar que antes da Me- dida Provisória 597/12 a tributação a título de participação nos lucros e resultados é que a correção dos valores da tabela do im- Outra questão que vale a pena destacar era de acordo com a tabela normal do IRPF posto incidente sobre as participações seguirá o mesmo percentual de reajuste da tabe- utilizado para os salários. Diante desta renúncia fi scal, especula- la mensal do IRPF normal. -se que a União estará abrindo mão de arrecadar R$ 1,7 bilhão em 2013, R$ 1,88 bi- Medida Provisória 597/12 tanto os trabalha- Por fi m, acredito que com a aprovação da lhão em 2014 e R$ 2,09 bilhões em dores quanto os empregadores serão benefi - Caso a MP 597/12 venha ser aprovada, ciados, vez que, com o referido benefício, por a tabela de incidência de imposto de renda certo aumentará o incentivo para a implementação da participação nos lucros e resultados. será da seguinte forma: isenção DE imposto DE renda Participação nos lucros imposto de renda Até R$ 6 mil Isento Entre R$ 6 mil e R$ 9 mil 7,5 % Entre R$ 9 mil e R$ 12 mil 15 % Entre R$ 12 mil e R$ 15 mil 22,5 % Acima de R$ 15 mil 27,5 % Fonte: MP 597/12 abla lança anuário de 2013 A Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA) lançou em maio o Anuário ABLA 2013, que traz os números apurados pelo Censo da Indústria do Aluguel de Automóveis, referentes ao ano de A apresentação dos números do setor contidos no Anuário ABLA 2013 fi cou a cargo do presidente do Conselho Nacional da Associação, Paulo Gaba Jr. E o evento de lançamento, que foi realizado em São Paulo, reuniu os mais importantes dirigentes da indústria automobilística, das instituições fi nanceiras, da cadeia produtiva do turismo nacional e de empresas e entidades parceiras do setor. Gaba mostrou que o faturamento do setor em 2012 foi de R$ 6,23 bilhões, crescendo 9,88% em relação a As locadoras que atuam no País passaram a contar com automóveis, 9,89% a mais do que no ano anterior. A importância da atividade na economia do País também se refl e- te em outros aspectos. No ano passado, as locadoras contribuíram com R$ 2,05 bilhões em impostos aos cofres públicos, nos âmbitos federal, estadual e municipal. Ao todo, postos diretos e indiretos de trabalho foram gerados e/ou mantidos graças a esta atividade. A participação das locadoras associadas da ABLA nas vendas do setor automobilístico no Brasil foi de 7,85% no último ano. A Fiat mantém a liderança de vendas entre as locadoras de automóveis, com 31,08% de participação na frota total do setor, seguida pela Volkswagen, com 24,39%. Depois surgem a General Motors (18,20%), Ford (6,32%) e Renault (5,79%). As demais montadoras somaram juntas 14,22% de participação no total da frota das locadoras. O número de usuários passou de 18,6 milhões para 20,2 milhões em todo o Brasil. No último ano, 57% das locações de automóveis foram destinadas para a terceirização (locação de frotas para empresas), 19% para o turismo e lazer e 24% para o turismo de negócios.

6 6 em ação Confi ra 10 mitos e verdades sobre o seguro de automóvel Quem tem carro antigo paga seguro mais caro? Há cobertura para os bens no interior do veículo? Se você fi cou em dúvida sobre essas e outras questões, você não está sozinho. Com tantos serviços que as seguradoras oferecem aos clientes, fi ca difícil saber ao certo o que o seguro de carro cobre. O diretor-executivo da Smartia, site que faz cotação on-line de seguros para carros, Rodrigo Caixeta, listou algumas dicas para quem quer conhecer melhor os mitos e as verdades sobre o seguro de automóvel. Segundo Caixeta, nessa era digital, muitas pessoas buscam preços mais competitivos na hora de pagar por um seguro. Mas é preciso tirar as dúvidas antes de contratar o serviço. Veja abaixo 10 dúvidas comuns sobre o seguro de automóvel e se elas são verdadeiras ou mitos: 1. Quem tem carro antigo paga seguro mais caro? VERDADE. Quanto mais antigo o carro, mais caras serão as peças de reposição. Tudo isso é levado em conta na hora do cálculo do prêmio, ou seja, o valor pago pelo cliente. Por- tanto, o ideal é trocar de carro a cada 3 a 5 anos. 2. Rastreadores e bloqueadores reduzem o preço do seguro? VERDADE. Os carros que têm rastreadores ou bloqueadores instalados podem ter desconto de até 20% no valor do seguro. Esses dispositivos de segurança trazem mais proteção para o veículo e facilitam a localização do bem em caso de roubo. 3. Mulheres pagam seguro de carro mais barato? VERDADE. As mulheres são mais cautelosas ao volante. Segundo Rodrigo, elas pagam seguro de carro de 9 a 12% mais barato que os homens, que são responsáveis por 71% dos acidentes de trânsito.

7 em ação 7 4. Tranca de volante impede roubo do automóvel? MITO. O uso da tranca no volante do carro é muito comum, mas não impede o roubo ou furto do carro. 5. Seguro de carro só pode ser renovado se a documentação estiver em dia? VERDADE. É preciso que tudo esteja em dia para que a seguradora autorize a emissão da apólice de seguro do cliente. Caso contrário, é preciso pagar taxas e impostos antes de renovar o benefício. 6. O aumento de roubos impacta no valor do seguro do carro? VERDADE. Diferença nas condições de segurança e acidentes, conforme a região, são levados em conta pelas seguradoras na hora de precifi car o seguro do automóvel. 7. Há cobertura para os bens no interior do veículo? MITO. Não há cobertura de seguro para computadores, câmeras fotográfi cas, celulares e outros bens que estejam dentro do carro. Por isso, é importante não deixar nenhum objeto à mostra no momento em que deixar seu carro estaciona- do ou quando estiver circulando pela cidade. 8. Seguro de carro que fica estacionado em garagem é mais barato? VERDADE. O fato do carro ter local fi xo para fi car estacionado reduz em até 20% o preço do seguro do automóvel. Quando o carro fi ca na rua os riscos de roubo e furto são maiores. Sendo assim, vale a pena investir numa garagem para deixar o carro. 9. Não existe cobertura para catástrofes naturais? MITO. Há tipos diferentes de coberturas para automóveis. Mas a cobertura mais completa inclui, além da colisão, roubo ou furto, dano causado por alagamento, enchente ou inundação, além de ressaca, vendaval, granizo, terremoto e raios. 10. Se deixar de pagar o seguro do carro, ele pode ser cancelado? VERDADE. A inadimplência pode resultar na perda do seguro do veículo. Caso o cliente deixe de pagar uma parcela do prêmio (valor do seguro) até o vencimento, o fi m da vigência da apólice pode ser antecipada. A seguradora pode emitir um endosso de redução do prazo de validade da apólice (vigência). Proporcionalmente às parcelas do prêmio já pagas será calculado um novo prazo de vigência, com base na Tabela de Prazo Curto.

8 8 perfil do associado Conheça melhor... O Perfil do Associado desta edição destaca a participação de Edson Cezar Armini Gottardi, de 58 anos. Ele é o diretor-presidente da Transfenix Locadora de Veículos e Transportes. Aqui ele conta como iniciou sua carreira de empresário e sobre o que gosta de fazer nos momentos de lazer.» apresente quem é edson? Edson é dinâmico, trabalha muito desde os 12 anos de idade, tinha o sonho de se formar em engenharia, mas acabou se tornando empresário. Fiz o curso de administração na FAESA.» Como você entrou no mercado de locação? Comecei a trabalhar aos 12 anos de idade. Com 12, entrei na Valle do Rio Doce, onde trabalhei por três anos. Passei no con-» Na sua opinião, você acha que o espírito curso da Caixa Econômica, onde passei por todos os cargos, Santo poderia fazer mais pelo turismo? e me aposentei como Gerente Geral de Agência. Paralelo a Não só o Espírito Santo, mas todo o País. Quando viajamos isso, em outubro de 1988 fundei uma locadora de veículos, para outros países, percebemos como o Brasil está atrasado pois meu pai já havia trabalhado com transportadora; o início na área de turismo. Para incrementar o turismo no País é ne- foi meio por acaso, mas na sequência comecei a participar de cessário investimentos em segurança, revitalização de monu- licitações e assim entrei na ciranda financeira. mentos e pontos turísticos, etc...» Qual o seu lugar preferido no estado?» o que mais gosta de fazer nas horas vagas? Guarapari, Praia de Bacutia. Caminhar na praia, viajar, bater papo com os amigos. Parabéns! abril 2013 Dia Maio 2013 Associado Avelino Vargas Dadalto Valdo Boning Gabriella Santorio de Oliveira Alberto Nemer Edson Ganho Empresa AQUI Centro Automotivo Ltda Transportes Sem Limite Ltda GK Locadora de Véiculos Ltda Federal Automarcas Ltda Carro Zero Veículos Ltda Dia Associado João Ferreira de Souza Filho Luiz Nemer Filho Elias Mognhol Felipe Mazzei Ferreira Corrêa Maria Aparecida Barbosa Sergio Monteiro Sório Eunice Campos Agostini Empresa JFM Locadora de Veículos Ltda Sul Automarcas e Veiculos Ltda Biby s Locadora de Veículos Ltda ME DSN Locações Ltda Barbosa Locadora de Veículos Ltda Sório Locadora de Automóveis Ltda Local-Locadora de Veiculos Agostini

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 22/12/2011

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 22/12/2011 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061899/2012 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 47998.008319/2011-22 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

Nº Cotação: Data: 07/03/2017 Moeda: REAL Quantidade de Itens: 4

Nº Cotação: Data: 07/03/2017 Moeda: REAL Quantidade de Itens: 4 Dados de Controle Vigência do Seguro: Das 24h00 do dia 07/03/2017 às 24h00 do dia 07/03/2018 Nº Cotação: 1006307 Data: 07/03/2017 Moeda: REAL Quantidade de Itens: 4 A ABR AREA BRASIL CORR DE SEGS L Atendendo

Leia mais

Dimob. Avenida AUGUSTO DE LIMA 479 Bairro CENTRO cep

Dimob. Avenida AUGUSTO DE LIMA 479 Bairro CENTRO cep MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DECLARAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS Dimob Ficha 01 - Dados Iniciais CNPJ: 00.708.033/0001-90 Ano-calendário: 2015 Situação

Leia mais

DPVAT. Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre. REDE TRÂNSITO

DPVAT. Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre. REDE TRÂNSITO DPVAT Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre SUMÁRIO 1. O que é 1.1. Coberturas 1.2. Valores de indenização 1.3. Vigência 2. Quem pode usar 2.1. Veículos não identificados 2.2.

Leia mais

1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS. Documento Prazo de Guarda Prazo de Precaução Observações

1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS. Documento Prazo de Guarda Prazo de Precaução Observações 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF. 5 anos, contados a partir do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter

Leia mais

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física

Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTOS DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF 1.1.2 Imposto Predial e Territorial

Leia mais

Detalhamento de Coberturas. SEGURO PATRIMONIAL (Seguro Proteção Empresarial)

Detalhamento de Coberturas. SEGURO PATRIMONIAL (Seguro Proteção Empresarial) Detalhamento de Coberturas SEGURO PATRIMONIAL (Seguro Proteção Empresarial) Comércio Perda e pagamento de aluguel 6% 8% Danos elétricos 3% 5% 7,5% Despesas fixas - 6 meses 10% 15% 20% Deterioração de mercadorias

Leia mais

Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP,

Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP, Fernando Versignassi Cirurgião dentista pela UNIP-SP / 2001 - Especialista em saúde pública Experiência profissional APCD Central, Santa Casa SP, SPDM, Hospital Albert Einstein Palestrante Programa Integração

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2000 Entre as partes, de um lado: SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS FABRICANTES DE PEÇAS E PRÉ-FABRICADOS EM CONCRETO DO ESTADO DE SÃO PAULO e de outro lado: SINDICATO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP005372/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023931/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 47998.003161/2013-66

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO 1ª VIA X D. Apólice nº Ramo Endosso Proposta

APÓLICE DE SEGURO 1ª VIA X D. Apólice nº Ramo Endosso Proposta MS CONDOMÍNIO APÓLICE DE SEGURO 1ª VIA X D Apólice nº Ramo Endosso Proposta 01160013426 16 00000000000 01160015257 O C EMISSÃO APÓLICE Segurado Nome / Razão Social CNPJ/CPF COND EDIF LOPES COELHO 042.788.232/0001-04

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002174/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR056753/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.013282/2011-21 DATA DO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador autônomo de veículo Como é calculada a contribuição previdenciária sobre a remuneração paga ao transportador 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

SENHORAS E SENHORES, CARISSÍMOS BELINI E LÉLIO, EM NOME DE VOCÊS DOIS SAÚDO TODOS DA FIAT,

SENHORAS E SENHORES, CARISSÍMOS BELINI E LÉLIO, EM NOME DE VOCÊS DOIS SAÚDO TODOS DA FIAT, DISCURSO GUIDO VIVIANI JANTAR DE CONFRATERNIZAÇÃO DE 2014 DIA 05 DE DEZEMBRO DE 2014 SENHORAS E SENHORES, CARISSÍMOS BELINI E LÉLIO, EM NOME DE VOCÊS DOIS SAÚDO TODOS DA FIAT, CARO GILSON CARVALHO, DO

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA Objetivando a uniformização do procedimento relativos à Convenção Coletiva de Trabalho 2009/2011, firmado entre SETCERGS SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES DE CARGA NO

Leia mais

Para facilitar o entendimento sobre o BENEFÍCIO SOCIAL FAMILIAR, segue abaixo: 1. Página inicial da Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2017; 2.

Para facilitar o entendimento sobre o BENEFÍCIO SOCIAL FAMILIAR, segue abaixo: 1. Página inicial da Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2017; 2. Para facilitar o entendimento sobre o BENEFÍCIO SOCIAL FAMILIAR, segue abaixo: 1. Página inicial da Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2017; 2. Cláusula específica do Benefício Social Familiar; 3. Manual

Leia mais

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU

Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) BLUMENAU FECOMÉRCIO SC SUMÁRIO Endividamento em Blumenau 7 Considerações

Leia mais

1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2

1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2 SUMÁRIO Prefácio, xi 1 Acordo, 1 Acordo de prorrogação da jornada de trabalho: hora extra, 2 2 Acordo coletivo, 3 Acordo coletivo de trabalho, 4 Acordo de compensação de dias úteis intercalados durante

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 08/02/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 08/02/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR070368/2012 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 47999.001011/2012-27 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS AUXÍLIO ALIMENTAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2016/2017 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP015883/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/12/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055086/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46435.000929/2016 03 DATA DO

Leia mais

TREINAMENTO DOS SISTEMAS PROSOL

TREINAMENTO DOS SISTEMAS PROSOL TREINAMENTO DOS SISTEMAS PROSOL Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves Administrador, Contador, Consultor, Palestrante, Professor Universitário, MBA pela FGV RJ em Gestão Estratégica de Pessoas, Presidente

Leia mais

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013

CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 CIRCULAR CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2013 Esta circular do segmento VAREJISTA se aplica aos comerciários da base comum dos sindicatos signatários deste documento: SINCOMÉRCIARIOS E SINCOMÉRCIO,

Leia mais

Proposta de Admissão. Direção e Principais objetivos. Benefícios oferecidos aos associados. Estrutura de atendimento ao Associado.

Proposta de Admissão. Direção e Principais objetivos. Benefícios oferecidos aos associados. Estrutura de atendimento ao Associado. Proposta de Admissão A ABLA Fundada há 39 anos, a partir da união de empresas do setor, é hoje a única associação de abrangência nacional que representa o setor de locação no Brasil. Com duas sedes: uma

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Departamento Regional de Santa Catarina

Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Departamento Regional de Santa Catarina Florianópolis, 05 de janeiro de 2017. Em atenção ao questionamento ao Edital Pregão Eletrônico nº 12/2016: Para que todos tenham o mesmo entendimento, abaixo os questionamentos formulados por interessados

Leia mais

APÓLICE. SEGURADORA 19 SUL AMERICA CIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: / Cód. SUSEP: /

APÓLICE. SEGURADORA 19 SUL AMERICA CIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: / Cód. SUSEP: / APÓLICE SEGURADORA 19 SUL AMERICA CIA NACIONAL DE SEGUROS CNPJ: 33.041.062/0001-09 Cód. SUSEP: 15414.002078/2008-30 15414.000542/2009-34 REGISTRO SUSEP: 5118 End: RUA BEATRIZ LARRAGOITI LUCAS 121 - PARTE

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço

Confira a autenticidade no endereço ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000816/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/12/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060199/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46306.002066/2015-95 DATA DO

Leia mais

GRUPO DE SERVIÇOS - Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO

GRUPO DE SERVIÇOS - Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO GRUPO DE SERVIÇOS - Documentos necessários para LIBERAÇÃO DO CRÉDITO ao CONSORCIADO CONTEMPLADO 1. PESSOA FÍSICA CONSORCIADO / DOCUMENTAÇÃO Ficha Cadastral atualizada*; Cópia de RG e CPF; Comprovante de

Leia mais

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição Dados da Empresa CNPJ: Razão Social: CEP do Estabelecimento: Data de Início das Atividades neste Endereço: Logradouro: Número: Complemento Bairro: Município: Estado: Inscrição do ISS no município de origem

Leia mais

13/06/14. Introdução. Profº Me. Hugo David Santana.

13/06/14. Introdução. Profº Me. Hugo David Santana. CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA Curso de Ciências Contábeis Profº Me. Hugo David Santana. Introdução Nesta aula será apresentado o tratamento contábil dos principais itens relacionados à folha de pagamento, por

Leia mais

CCT - CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CCT - CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CCT - CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO e FENATRACOOP - FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES CELETISTAS NAS COOPERATIVAS NO BRASIL 01.11.2010 a 31.05.2011 CCT - CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

conquistam vitória histórica

conquistam vitória histórica Na luta pelo servidor público municipal Informativo abril/2014 SINDEPROF e servidores públicos conquistam vitória histórica Política de valorização do Servidor acresceu em até 50% o total de vencimentos

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000281/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR063713/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.034431/2012-05

Leia mais

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA

CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA CIRCULAR INFORMATIVA CONJUNTA Objetivando a uniformização do procedimento relativos à Convenção Coletiva de Trabalho 2009/2011, firmado entre SETCERGS SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES DE CARGA NO

Leia mais

CHECK LIST DE DOCUMENTOS SOLICITADOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROGRAMAS

CHECK LIST DE DOCUMENTOS SOLICITADOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROGRAMAS CHECK LIST DE DOCUMENTOS SOLICITADOS PARA CONTRATAÇÃO DE PROGRAMAS DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR: A CPSA deverá solicitar, salvo em caso de dúvida, somente

Leia mais

Sicredi Cheque Especial. Periodicidade de pagamento. Juros mensalmente e principal a qualquer momento ou no vencimento do limite.

Sicredi Cheque Especial. Periodicidade de pagamento. Juros mensalmente e principal a qualquer momento ou no vencimento do limite. Sicredi Cheque Especial Definição Limite de crédito Forma de Limite de crédito disponibilizado em conta corrente para utilização imediata pelo associado, quando e como desejar. do tomador e respectivo

Leia mais

MANUAL PARA LOCAÇÃO DO SEU IMÓVEL

MANUAL PARA LOCAÇÃO DO SEU IMÓVEL MANUAL PARA LOCAÇÃO DO SEU IMÓVEL Sediada na Av. Central do Kobrasol, Grande Florianópolis, a imobiliária Vento Norte existe há mais de 20 anos no mercado imobiliário. Primando sempre pelo BOM ATENDIMENTO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PAUTA DE REIVINDICAÇÃO 2015 AGOSTO/2015 CLÁUSULA PRIMEIRA: DATA-BASE Fica mantida a data-base da categoria profissional representada pelo Sindicato dos Engenheiros do Estado

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS PREGÃO PRESENCIAL Nº01/2010 ANEXO II - MODELOS 2 ANEXO II - MODELOS ÍNDICE DECLARAÇÃO DE CUMPRIMENTO DE HABILITAÇÃO...3

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC.

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC. Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do

Leia mais

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho, nos termos do Regimento Interno do TST. É o relatório.

Dispensada a remessa dos autos ao Ministério Público do Trabalho, nos termos do Regimento Interno do TST. É o relatório. A C Ó R D Ã O (8ª Turma) GMMEA/lf I - AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (CEF). COMPLEMENTO TEMPORÁRIO VARIÁVEL (CTVA) PERCEBIDO POR MAIS DE DEZ ANOS. INCORPORAÇÃO. Constatada

Leia mais

A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA

A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA A DEFASAGEM NA CORREÇÃO DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 1. Marco Legal Vigente Em 25 de março de 2011 o Governo Federal editou a MP 528 que foi convertida na Lei nº 12.469, de 26 de agosto

Leia mais

XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII XP CORPORATE MACAÉ (XPCM11) FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII Relatório Gerencial 1º Trimestre de 2014 ÍNDICE 1. OBRA 1.1. Escritura Definitiva de Compra e Venda 1.2. Manutenções do imóvel no 1º Trimestre

Leia mais

Terceiro Setor. Apresentação da ECF

Terceiro Setor. Apresentação da ECF Terceiro Setor e Apresentação da ECF 1 PALESTRANTES Marcone Hahan de Souza, contador, mestre em Economia, com ênfase em Controladoria, professor universitário e membro da Comissão de Estudos do Terceiro

Leia mais

MEU VEÍCULO. Veículo segurado... Seguradoras... Contatos da Seguradora(s) Contratadas...

MEU VEÍCULO. Veículo segurado... Seguradoras... Contatos da Seguradora(s) Contratadas... MANUAL DO SEGURADO PARABÉNS, Você acaba de adquirir um seguro personalizado com a garantia da Uai Brasil. Obrigado por contratar nossos serviços. Aqui você irá encontrar uma equipe preparada para te atender

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SETEMBRO AGOSTO 2005

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SETEMBRO AGOSTO 2005 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SETEMBRO 2004 - AGOSTO 2005 O SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DE TRATORES, CAMINHÕES, AUTOMÓVEIS E VEÍCULOS SIMILARES, sediado na Avenida Indianópolis, 496 Capital SP, CNPJ

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 31/01/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 31/01/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061901/2012 NÚMERO DO PROCESSO DA CONVENÇÃO COLETIVA PRINCIPAL: 46254.000044/2012-09 DATA DE REGISTRO DA CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

MINUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017

MINUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 MINUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2016/2017 SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINTESP, entidade sindical profissional, inscrita no CNPJ/MF sob o no. 60.266.996/0001-03,

Leia mais

FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR

FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR Formulário Prazo Status 1. Apresentação da Montadora 2. Credenciamento da Montadora 3. Responsabilidade da Montadora 4. Elétrica 17/10 Obrigatório 5. Credenciamento Expositor

Leia mais

PESSOA FÍSICA Advogados Autônomos PESSOA JURÍDICA Sociedade Unipessoal de Advogado e Escritórios de Sociedades de Advogados

PESSOA FÍSICA Advogados Autônomos PESSOA JURÍDICA Sociedade Unipessoal de Advogado e Escritórios de Sociedades de Advogados SEGURADO PESSOA FÍSICA Advogados Autônomos PESSOA JURÍDICA Sociedade Unipessoal de Advogado e Escritórios de Sociedades de Advogados IMPORTÂNCIA SEGURADA São cinco opções de limites do seguro, de R$ 100.000,00

Leia mais

TRANSFORME VISIBILIDADE EM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO

TRANSFORME VISIBILIDADE EM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO TRANSFORME VISIBILIDADE EM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC oferece soluções completas para a sua empresa se comunicar de maneira eficaz com o setor

Leia mais

ESTAS TAXAS DEVERÃO SER PAGAS À VISTA.

ESTAS TAXAS DEVERÃO SER PAGAS À VISTA. regulamento 01- Todos os animais inscritos deverão passar obrigatoriamente pela pista de leilão. 02- A critério dos vendedores, da Rural Leilões e KMB Leilões, compradores que não apresentarem referências

Leia mais

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni

MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS. Alessandro Dessimoni MODELAGEM FISCAL E TRIBUTOS OPORTUNIDADES E DESAFIOS Alessandro Dessimoni Temas abordados 1. Alta carga tributária; 2. A burocracia e entraves da legislação; 3. Interpretação restritiva do Fisco sobre

Leia mais

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS:

RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: Diário Oficial do Município de Urandi - Bahia Poder Executivo Ano II Nº 1022 26 de Outubro de 2015 RESUMO DO DIÁRIO PUBLICAMOS NESTA EDIÇÃO OS SEGUINTES DOCUMENTOS: LEIS LEI Nº. MU-00184/2015, DE 20 DE

Leia mais

Seminário GVcev Varejo Baixa Renda: oportunidades e desafios

Seminário GVcev Varejo Baixa Renda: oportunidades e desafios Seminário GVcev Varejo Baixa Renda: oportunidades e desafios JOSÉ ROBERTO RESENDE BANCO Focado no público A, B e, eventualmente, C ; Pouca possibilidade de expansão no público atual; Sem acesso ao público

Leia mais

LEI Nº DE 18 DE JANEIRO DE 2012

LEI Nº DE 18 DE JANEIRO DE 2012 LEI Nº 12.592 DE 18 DE JANEIRO DE 2012 Dispõe sobre o exercício das atividades profissionais de Cabeleireiro, Barbeiro, Esteticista, Manicure, Pedicure, Depilador e Maquiador. LEI Nº 13.352 DE 27 DE OUTUBRO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO I 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO I 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2014 I 2015 Pelo presente instrumento particular, de um lado o SEABENS - Sindicato das Empresas Administradoras de Bens e Condomínios de Santos e Região, inscrito ~ no

Leia mais

Relação de Cálculo - Período: 01/03/2015 a 31/03/ Mensal

Relação de Cálculo - Período: 01/03/2015 a 31/03/ Mensal 01/04/2015 15:29 Pág:0001 Analítico Contratos Func: 1 HECTOR BEZERRA SIQUEIRA Adm 13/02/2012 Dem Dep.IR: 01 Dedução IR.: 187,80 Dep.SF: 00 Cargo: ASSESSOR JURIDICO Salário: 4.538,96 Cbo: 241040 Sind: 0067

Leia mais

Vencimento 16/11/2016

Vencimento 16/11/2016 Nº do Cliente: 1188346 Período: 28/9/216 a 27/1/216 Mês de referência: 1/216 Data de emissão: 4/11/216 Número do celular: 11 9384-5977 Nº da fatura: 92538 Vencimento 16/11/216 Total a Pagar R$ 131,24 GABRIEL

Leia mais

Evolução do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PBE Veicular. 13/09/2013 PBE Veicular

Evolução do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PBE Veicular. 13/09/2013 PBE Veicular Evolução do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PBE Veicular Sumário Histórico do Programa e Marcos Legais O programa veicular PBEV Próximos Passos Inovar Auto Resultados Conclusões Histórico e

Leia mais

Quando sonhava em ser empresário desde os 15 anos, pensava em fundar uma empresa com características de uma Palmeira Imperial. Que a cada dia cresce

Quando sonhava em ser empresário desde os 15 anos, pensava em fundar uma empresa com características de uma Palmeira Imperial. Que a cada dia cresce Quando sonhava em ser empresário desde os 15 anos, pensava em fundar uma empresa com características de uma Palmeira Imperial. Que a cada dia cresce com solidez e com o tempo vai amadurecendo e ficando

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS SINDICATO CONTABILISTAS ESTADO DE GOIÁS Palestrante: Otávio Martins de Oliveira Júnior 2º Vice-Presidente Assuntos Téc. Jurídicos Goiânia - Goiás - 03/01/2017 www.scesgo.com.br

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito

Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito Sumário Executivo do Contrato de Cartão de Crédito O Personnalité, sempre preocupado em manter a total transparência com você, preparou um resumo do contrato do seu cartão. Lembre que este é apenas um

Leia mais

ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE

ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE ANÁLISE DO COMANDOO DE GREVE DA UFRB EM RELAÇÃO AO ACORDO PROPOSTOO PELO GOVERNO EM 01/08/2012 CARREIRA DOCENTE 1. Cargo de professor titular Governo: inclusão do cargo de professor titular como classe

Leia mais

MÉDIAS POR SEGMENTO 12ª PESQUISA FENABRAVE DE RELACIONAMENTO COM O MERCADO 1ª ONDA 2010

MÉDIAS POR SEGMENTO 12ª PESQUISA FENABRAVE DE RELACIONAMENTO COM O MERCADO 1ª ONDA 2010 MÉDIAS POR SEGMENTO 12ª PESQUISA FENABRAVE DE RELACIONAMENTO COM O MERCADO 1ª ONDA 2010 1 Conceito: A Pesquisa Fenabrave de Relacionamento com o Mercado nasceu em 2003, com base em pesquisa similar feita

Leia mais

Pauta de Reivindicações dos Trabalhadores da CELEPAR 2008/2009

Pauta de Reivindicações dos Trabalhadores da CELEPAR 2008/2009 Pauta de Reivindicações dos Trabalhadores da CELEPAR 2008/2009 CLÁUSULAS ECONÔMICAS 01 DATA BASE Fica assegurada a data base dos Empregados da Empresa CELEPAR Informática do Paraná, em 01 de maio de 2008.

Leia mais

a construção conectada MÍDIA KIT - AGO 2017

a construção conectada MÍDIA KIT - AGO 2017 a construção conectada MÍDIA KIT - AGO 2017 No ar desde abril de 2016, somos a primeira rede social e profissional exclusiva para o setor da construção. Nosso ambiente FACILITA e estímula CONEXÕES e NEGÓCIOS

Leia mais

Vencimento 10/03/2016

Vencimento 10/03/2016 Nº do Cliente: 779858 Período: 23/01/2016 a 22/02/2016 Mês de referência: 02/2016 Data de emissão: 27/02/2016 Número do celular: 11 94308-2878 Nº da fatura: 000000353968 Vencimento 10/03/2016 Total a Pagar

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

IPREVI - INSTITUTO DE PREVIDENCIA DE VIANA IPREVI - INSTITUTO DE PREVIDENCIA DE VIANA Listagem de Pagamentos Período De 01/05/2012 Até 31/05/2012

IPREVI - INSTITUTO DE PREVIDENCIA DE VIANA IPREVI - INSTITUTO DE PREVIDENCIA DE VIANA Listagem de Pagamentos Período De 01/05/2012 Até 31/05/2012 Período De 01/05/2012 Até 0000290 212110700000 - PENSÃO ALIMENTÍCIA PAGAMENTO DE PENSÃO ALIMENTICIA A EDNA NENEGUETI, DESCONTADA DO SERVIDOR JOSÉ LUIZ DOS SANTOS, RELATIVO AO MÊS DE ABRIL DE 2012 (FOLHA

Leia mais

Gestão de Pessoas I AULAS 19_20. 27_ Prof.Procópio

Gestão de Pessoas I AULAS 19_20. 27_ Prof.Procópio Gestão de Pessoas I AULAS 19_20 27_28-07-2016 Prof.Procópio RECAPITULANDO... DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS ADIANTAMENTO SALARIAL ADICIONAL DE INSALUBRIDADE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE ADICIONAL NOTURNO FALTAS

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS EDITAL DE PREGÃO DAA N 05/2007 ANEXO I - MODELOS

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS EDITAL DE PREGÃO DAA N 05/2007 ANEXO I - MODELOS Av. Marechal Floriano, nº 19-26º 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS EDITAL DE PREGÃO N 05/2007 ANEXO I - MODELOS (Revisão 03/10/2007 verificar alterações no

Leia mais

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS

ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS ESPECIALISTAS EM PEQUENOS NEGÓCIOS 98,5% do total de empresas no País MICRO E PEQUENAS NA ECONOMIA BRASILEIRA O QUE É CONSIDERADO PEQUENO NEGÓCIO NO BRASIL MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta

Leia mais

Escola Profissional de Alvito

Escola Profissional de Alvito Escola Profissional de Alvito Técnico de Informática de Gestão Triénio (2008-2011) Ano lectivo (2009/2010) Disciplina de O.A.E.G Professor: Sérgio Luís Batalha Quintas Trabalho Realizado por: Pedro Branquinho

Leia mais

Sumário. Nota Preliminar, xvii. Introdução, 1

Sumário. Nota Preliminar, xvii. Introdução, 1 Nota Preliminar, xvii Introdução, 1 1 Comentários gerais, 3 1.1 Finalidade, 3 1.2 Do patrimônio, 4 1.3 Dos fatos, 5 1.3.1 Do fato administrativo permutativo, 5 1.3.2 Do fato administrativo modificativo,

Leia mais

Prof Flávio S. Ferreira

Prof Flávio S. Ferreira Prof Flávio S. Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com 1 Conceitos Introdutórios Receita produto da venda Gasto sacrifício financeiro Investimento gasto ativado em

Leia mais

Conselho Reg. de Medicina/SE - CRM/SE Siscontw - v

Conselho Reg. de Medicina/SE - CRM/SE Siscontw - v Folha : 1 2 SISTEMA FINANCEIRO 286.691,03D 322.235,08 221.824,24 387.101,87D 2.1 ATIVO FINANCEIRO 453.716,42D 252.884,38 207.573,39 499.027,41D 2.1.1 DISPONIBILIDADES 176.677,60D 252.749,13 205.659,61

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO E www.questoesdeconcursos.com.br DIREITO PROCESSUAL TRIBUTÁRIO PEÇA PROFISSIONAL Tia Rosa Educação Infantil Ltda., pessoa jurídica de direito privado constituída em 10 de agosto de 2004,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000100/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/03/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004170/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.001985/2012-17 DATA DO

Leia mais

COMISSÃO DE LICITAÇÃO

COMISSÃO DE LICITAÇÃO COMISSÃO DE LICITAÇÃO C A P A D E P R O C E S S O (Processo Administrativo Artigo 38 da Lei nº 8.666 de 21/06/1993). PROCESSO DE LICITAÇÃO Nº 06/2016 MODALIDADE DE LICITAÇÃO: DISPENSA 05/2016 DISPENSA

Leia mais

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4.23 Faturamento Direto a Consumidor. Veículos Automotores Novos com Substituição Tributária

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4.23 Faturamento Direto a Consumidor. Veículos Automotores Novos com Substituição Tributária Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4.23 Faturamento Direto a Consumidor. Veículos Automotores Novos com Substituição Tributária Convênio ICMS 51/2000 Alterações: Convênio ICMS 3/01, 19/01, 94/02,

Leia mais

Indicadores SEBRAE-SP

Indicadores SEBRAE-SP Indicadores SEBRAE-SP Especial: Mercado de Trabalho (resultados de 2012) Abril/13 Especial: Mercado de trabalho Este especial é um suplemento dos Indicadores Sebrae-SP, que traz dados inéditos sobre o

Leia mais

Ano II Número 5 Março/2012

Ano II Número 5 Março/2012 Ano II Número 5 Março/2012 Troca de LFT reflete estratégia de desindexação das taxas de curto prazo» Efeitos da menor oferta de títulos indexados à taxa Selic deve se estender para além dos segmentos diretamente

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES PUBLICOS DO MUNICIPIO DE TEOFILO OTONI EXECUÇÃO Exercício: 2010 Relação de Despesas por Período Pág.

INSTITUTO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES PUBLICOS DO MUNICIPIO DE TEOFILO OTONI EXECUÇÃO Exercício: 2010 Relação de Despesas por Período Pág. Relação de Despesas por Período Pág.: 1 Data do Pagamento: 01/05/2010 Exercício: 2010 Tipo de Despesa: Empenho Orçamentário Nº/Parcela: 2/ 9 Licitação: -0 - Dispensa Licitat Credor: TELEMAR NORTE LESTE

Leia mais

Página de Fatura de Serviços de Telecomunicações

Página de Fatura de Serviços de Telecomunicações FIXO Oi S.A. Av. Madre Benvenuta, 2080 - BAIRRO SANTA MONICA CEP 88036-500 - Florianópolis SC CNPJ Matriz :76.535.764/0001-43 CNPJ: 76.535.764/0322-66 I.E: 25.042.764-8 Fatura de Serviços de Telecomunicações

Leia mais

MANUAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA 24 HORAS. Nov/16

MANUAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA 24 HORAS. Nov/16 MANUAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA 24 HORAS Nov/16 Para dar mais tranquilidade ao usuário, este modelo traz em sua garupa o Serviço de Assistência 24 horas, gratuito, por 01 (um) ano, podendo ser renovado a

Leia mais

Distrito - CASTELO BRANCO. SINISTRALIDADE Dez de Observatório de Segurança Rodoviária Relatório - Distrito 1

Distrito - CASTELO BRANCO. SINISTRALIDADE Dez de Observatório de Segurança Rodoviária Relatório - Distrito 1 Distrito - CASTELO BRANCO SINISTRALIDADE Dez de 2014 Observatório de Segurança Rodoviária 1 ÍNDICE DEFINIÇÕES... 3 EVOLUÇÃO 2005-2014... 4 1. com... 4 2.... 5 ACIDENTES E VÍTIMAS... 6 1. e 2005/2014...

Leia mais

QUEM SOMOS. Sem dispersão A MUNDOCOOP É UMA EMPRESA DE COMUNICAÇÃO ESPECIALIZADA NO SETOR COOPERATIVISTA.

QUEM SOMOS. Sem dispersão A MUNDOCOOP É UMA EMPRESA DE COMUNICAÇÃO ESPECIALIZADA NO SETOR COOPERATIVISTA. QUEM SOMOS A MUNDOCOOP É UMA EMPRESA DE COMUNICAÇÃO ESPECIALIZADA NO SETOR COOPERATIVISTA. Com a missão de transformar informação em conhecimento, a MundoCoop faz a mais ampla e abrangente cobertura jornalística

Leia mais

IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 10/2013 São Paulo, 21 de Fevereiro de 2013. IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2012 Prezado cliente, No dia 19 de Fevereiro de 2013 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

CAIXA DE APOS. E PENSAO DOS SERV. MUN. SARANDI - PRESERV Estado do Paraná

CAIXA DE APOS. E PENSAO DOS SERV. MUN. SARANDI - PRESERV Estado do Paraná 32 06/02/2012 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS 120010927200142151339039000 1005 42,30 Objeto: Despesa relativo ao envio de Correspondências no mês de Janeiro de 2012, conforme Contrato 9912287221.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 Entre as partes, de um lado, SIMPI SINDICATO DA MICRO E PEQUENA INDÚSTRIA DO TIPO ARTESANAL DO ESTADO DE SÃO PAULO, entidade sindical patronal de primeiro grau,

Leia mais

CLUBE DE BENEFÍCIOS SINDIRECEITA GUIA DO USUÁRIO

CLUBE DE BENEFÍCIOS SINDIRECEITA GUIA DO USUÁRIO CLUBE DE BENEFÍCIOS SINDIRECEITA GUIA DO USUÁRIO ÍNDICE 1 - Sua tela de login 03 2 - Tela Convênios 07 3 - Tela turismo 15 4 - Tela Carros 21 5 - Tela Medicamento 26 6 - Tela Promoções 28 7 - Área do Cliente

Leia mais

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição Dados da Empresa CNPJ: Razão Social: CEP do Estabelecimento: Data de Início das Atividades neste Endereço: Logradouro: Número: Complemento Bairro: Município: Estado: Inscrição do ISS no município de origem

Leia mais

Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Elo Grafite

Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Elo Grafite Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Elo Grafite 1. CONHEÇA O CARTÃO...2 Dados do Cartão...2 Desbloqueio...3 Senha...3 Chip...3 Aceitação na Rede Elo...3 Utilização no Exterior...3 2. FACILIDADES...4

Leia mais

PÁG. 1 SECRETARIA EXECUTIVA - DEPTO. DE COORD. E GOVERNANÇA DAS EMPRESAS ESTATAIS CÓDIGO DA EMPRESA: Programado NOV (B) Programado DEZ (C)

PÁG. 1 SECRETARIA EXECUTIVA - DEPTO. DE COORD. E GOVERNANÇA DAS EMPRESAS ESTATAIS CÓDIGO DA EMPRESA: Programado NOV (B) Programado DEZ (C) PÁG. 1 Descrição Rubr. Último Aprovado Programado NOV (B) Programado DEZ (C) NOV (D) DEZ (E) (D/A) (E/A) DICOR RECEITAS 110000 24.408.579 44.651.537 24.408.579 20.469.007 21.799.516 0,84 0,89 SUBSIDIO

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP005919/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/06/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR028026/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.002658/2011-47

Leia mais

Cedente CPF/CNPJ Agência / Código do Cedente KELP SERVICOS MEDICOS LTDA / /

Cedente CPF/CNPJ Agência / Código do Cedente KELP SERVICOS MEDICOS LTDA / / RECLAMAÇÕES E SUGESTÕES DISQUE CAIXA 0800 726 0101 OUVIDORIA 0800 725 7474 www.caixa.gov.br Cedente CPF/CNPJ Agência / Código do Cedente KELP SERVICOS MEDICOS LTDA 03.072.191/0001-95 3040/353056-6 Data

Leia mais

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição

Declaração de Prestadores de Outros Municípios - Protocolo de Inscrição Dados da Empresa CNPJ: Razão Social: CEP do Estabelecimento: Data de Início das Atividades neste Endereço: Logradouro: Número: Complemento Bairro: Município: Estado: Inscrição do ISS no município de origem

Leia mais

/ IDENTIFICAÇÃO DO CREDOR

/ IDENTIFICAÇÃO DO CREDOR 08.492.787/00-68 CAERN-COMPAHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RN 1020 02//25 08.334.385/00-35 ENDEREÇO: CEP: : 8 BAIRRO: CIDADE: ESTADO: RN NATAL 00 031 031 00.031.00.00.0000 3.3.90.39.44 INEXIGIBILIDADE (ART.

Leia mais

CIRCULAR Nº 11/2017 São Paulo, 22 de fevereiro de IRPF 2017 Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda

CIRCULAR Nº 11/2017 São Paulo, 22 de fevereiro de IRPF 2017 Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda CIRCULAR Nº 11/2017 São Paulo, 22 de fevereiro de 2017. IRPF 2017 Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda Pessoa Física Ano-Base 2016 Prezado Cliente, No dia 20 de fevereiro de 2017 a Receita

Leia mais

Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Visa

Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Visa Cartão de Crédito Bradesco Empresarial Visa 1. CONHEÇA SEU CARTÃO...2 Dados do Cartão...2 Desbloqueio...3 Senha...3 Chip...3 Aceitação na Rede Visa...3 Utilização no Exterior...3 2. FACILIDADES...4 Infoemail...4

Leia mais