ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENSINO MÉDIO DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO. Processo de Admissão"

Transcrição

1 ENSINO MÉDIO PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ESTUDANTES PARA 2015 PROPOSTAS PEDAGÓGICAS A fase da escolha de qual carreira seguir acontece, normalmente, durante o ensino médio. Tendo de vivenciar mudanças pertinentes ao período de adolescência e, ainda, tendo de definir um caminho profissional a seguir, o adolescente pode encontrar dificuldades, uma vez que a decisão implica uma escolha para definir o futuro, uma maneira de sobreviver é a etapa do profissionalismo a ser vencida pela passagem da adolescência para a vida adulta. A escolha de um colégio para cursar o Ensino Médio é crucial para o futuro do jovem. Nesse segmento escolar, a preocupação é preparar o aluno para dar continuidade aos estudos. É o início da vida adulta e profissional. DIFERENCIAIS PEDAGÓGICOS - Turma de nivelamento de Matemática e Redação - Avaliações coerentes com o desenvolvimento acadêmico individualizado - Aulas de Planejamento de Estudo e Carreira - Monitorias Por isso, os pais tem a responsabilidade de analisar com cautela quais são as diferenças pedagógicas de cada instituição. A decisão final deve levar em conta os objetivos do jovem, de modo que a educação formal não se limite a um período isolado de sua vida, mas faça parte de sua trajetória rumo ao sucesso profissional e pessoal. Se o ensino superior faz parte dessa trajetória, os responsáveis devem priorizar um Ensino Médio que é construído sobre as bases pedagógicas do Enem - na maior parte dos casos o único meio de acesso a uma universidade. PROCESSO DE ADMISSÃO O Colégio Prima entende que para uma proposta de educação ter sucesso é necessário que instituição, responsável e estudante compartilhem dos mesmos valores educacionais. Para isso, eles fazem questão de conversar com cada futuro estudante e seus responsáveis. Nessa entrevista, será possível esclarecer possíveis dúvidas sobre o colégio. Para respeitar as afinidades e dificuldades de cada estudante, o Colégio precisa conhecer um pouco melhor de cada um. Além da entrevista com os responsáveis, o estudante realizará um Exame de Seleção. Essa avaliação será constituída de dez questões discursivas de matemática e uma produção textual, que poderá ser realizado na primeira semana de aula. ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Para fazer parte do quadro de estudantes do Colégio Prima em 2015 é necessário passar por um processo de admissão. 6 ano (fundamental) - Vagas: 25 9 ano (fundamental) - Vagas: 25 1 ano (médio) - Vagas: 35 3 ano (médio) - Vagas: 35 * Os alunos matriculados no Curso Prima em 2014, e seus irmãos, terão prioridades na matrícula até Novembro de Processo de Admissão 1) Entrevista dos Responsáveis com a Direção (Com o objetivo de alinhar os valores educacionais e esclarecer sobre as regras do Colégio) 2) Exame de Seleção (Avaliação com conteúdo básico das séries anteriores realizado na primeira semana de aula) PROVA QUESTÕES PONTOS Matemática 10 (discursiva) 10 Redação - 10

2 EXAME DE SELEÇÃO E TURMA DE NIVELAMENTO Com a preocupação de compreender academicamente seus futuros alunos, o Colégio Prima utilizará este exame como ferramenta pedagógica de diagnóstico. Este exame é composto pelos conteúdos básicos das séries anteriores da turma pretendida pelo futuro estudante, portanto ele serve para identificar os alunos que precisam se nivelar com os conteúdos do ano escolar vigente. Desta forma, o Colégio utilizará o resultado do Exame de Seleção pedagogicamente para ajudar os alunos que apresentam um déficit educacional em matemática ou redação, oferecendo (gratuitamente) um curso de nivelamento nessas duas disciplinas. Entendemos que as deficiências em séries anteriores são um ponto crítico para o aprendizado e para a autoconfiança dos estudantes. Ao contrário da maioria das instituições que apenas identificam este problema, compreendemos que é nosso compromisso e responsabilidade auxiliar os responsáveis na resolução desse tipo de entrave educacional. REGRAS PARA A MATRÍCULA Na entrevista o responsável ficará sabendo da nossa tabela de investimento e política de pagamento. Após ser préaprovado no processo de admissão e possuir vaga na turma pretendida, o responsável poderá dar sequência a matrícula. O processo de matrícula acontecerá em nossa secretaria escolar com assinatura do contrato de prestação de serviço, entre outros documentos, além da exigência de documentos do responsável e do estudante. MATRIZ CURRICULAR ENSINO MÉDIO BASE NACIONAL COMUM PARTE DIVERSIFICA DA ÁREA DE CONHECIMENTO Linguagens, códigos e suas tecnologias Matemática e suas tecnologias Ciências da Natureza e suas tecnologias Ciências Humanas e suas tecnologias COMPONENTES CURRICULARES 1 Série (EM) 3 série (EM) AS NAA CHA AS NAA CHA Língua Portuguesa h20' h Educação Física h40' h40' Artes / Música / Teatro h20' Matemática h h Química h h Ciências Biologia h h Física h h História h h Geografia h h Filosofia h20' h20' Sociologia h20' h20' SUB TOTAL - Base Nacional Comum h h Língua Estrangeira Moderna - Inglês h40' h40' Língua Estrangeira Moderna - Espanhol h40' h40' 0 0 SUB TOTAL - Parte Diversificada h20' h20' TOTAL h20' h20'

3 HORÁRIO: TURNO MANHÃ 07:30-08:20h 1 Tempo 08:20-09:10h 2 Tempo 09:10-10:00h 3 Tempo 10:00-10:30h Intervalo 10:30-11:20h 4 Tempo 11:20-12:10h 5 Tempo 12:10-13:00h 6 Tempo MATRIZ CURRICULAR X ENEM/VESTIBULAR A matriz curricular do Ensino Médio do Colégio Prima foi elaborada para estabelecer equilíbrio entres as disciplinas e a preparação para o ENEM. Pois percebemos que muitos colégios ainda trabalham seguindo antigos modelos de preparação. Em 2014, Universidades como UFF, UFRJ, UNIRIO, UFRRJ (Rural), UENF e CEFET utilizam o ENEM como única forma de acesso. Outras instituições públicas de referência fora do nosso estado que também utilizam o ENEM: UFC (Ceará), UnB (Brasília), UFMG (Minas Gerais), UFV (Viçosa/MG), UFSCAR (São Paulo), entre outras. Além de várias instituições privadas como PUC/RJ, FGV/RJ e IBMEC/RJ. Além do ENEM servir como processo seletivo para diversas Universidades, ele também possibilita a participação do estudante no programa Ciência sem Fronteira, que concede bolsa de estudos para estudantes fazer intercâmbio em Universidades de outros países. Bem como, garantir participação no programa de financiamento estudantil, o FIES e disputar bolsas de estudo em diversas Universidades Privadas. PLANEJAMENTO Você sabia que se dois alunos acertarem a mesma quantidade de questões no ENEM, faz mais ponto aquele que acertar as mais fáceis? Você sabia que Redação e Matemática são as disciplinas mais importantes para entrar em Medicina na UNIRIO e não Biologia? Você sabe criar um plano de estudo que valorize seu tempo e conhecimento com seus objetivos? É importante que o aluno saiba responder essas e outras questões relacionadas ao ENEM e outros vestibulares. E esse sempre foi um dos norteadores do Curso Prima. Essa equação de sucesso foi potencializada graças a uma metodologia de planejamento de estudo. Todo início de ano letivo, é realizado no Prima uma semana de imersão que foi nomeada de Planejamento eficiente e coerente. Eficiente, pois entende-se que o aluno deve utilizar da melhor forma possível seus recursos : tempo e conhecimento. E coerente, pois todo planejamento precisa estar alinhado com o plano de ação (ENEM ou outro vestibular) Na imersão, todos os alunos aprendem a organizar horários, mapear afinidades e dificuldade, traçar metas e objetivos acadêmicos e profissionais, dividir tempo de estudo semanal por disciplina, aprender a fazer adaptações no planejamento, conhecer as instituições de ensino e seus cursos, como são seus processos seletivos, construir um possível plano de carreira e profissão, entre outras atividades. Ao término dessa imersão cada aluno sai com um planejamento de estudo completo e individualizado. Útil para aqueles que irão prestar algum concurso, ou por aqueles que simplesmente querem aumentar sua eficiência acadêmica. Pois o principal objetivo da metodologia é tornar o aluno autônomo na busca pelas melhores práticas de estudo e responsável na realização de seus desafios.

4 PROPOSTA PEDAGÓGICA SISTEMA PRIMA DE ENISNO E APRENDIZAGEM (SPEA) Ao invés de seguir o antigo modelo de preparação do Ensino Médio, a equipe pedagógica do Colégio Prima resolveu que a melhor forma de preparar os alunos era conhecer a fundo as novas diretrizes curriculares nacionais e internacionais, adotadas pelo Enem. O currículo do ensino médio, do Colégio Prima, está alinhado com essas propostas que garantem ao aluno uma preparação mais coerente e eficiente. REDAÇÃO UM DIFERENCIAL Uma das grandes diferenças do SPEA é a importância atribuída ao aprendizado da escrita. A prova de dissertação do Enem é a prova em que o candidato pode garantir uma maior pontuação, dentre todas as cinco provas. E isso não é aleatório; ser capaz de se expressar sobre assuntos complexos, e propor soluções para problemas sociais é essencial para a formação de jovens e adultos. O preparo do aluno nas aulas de redação serve não só para ensinar os diferentes modelos de redação, mas para inserir o aluno em debates éticos, políticos e sociais, que garantam uma relação entre o que se aprende em sala de aula e o que é importante para seu futuro profissional e pessoal. Além das aulas de redação, os alunos do Colégio Prima irão participar de debates interdisciplinares que é essencial para a formação de cidadãos conscientes de sua atuação no mundo e bons candidatos em concursos (ENEM, vestibulares ou outros concursos públicos) MATERIAL DIDÁTICO Entendemos que as opções metodológicas e de material pedagógico feitas pela instituição precisam estar coerentes com a proposta pedagógica e alinhada com o corpo docente. O livro didático tem papel central na organização e direcionamento da prática em sala de aula. Além de apostilas produzidas pelo SPEA com o objetivo de garantir um maior aproveitamento do aluno em sala de aula, estudo individualizado e aprofundamento. Obs.: Na turma do 3 ano do Ensino Médio será utilizado apenas o material (apostilas) produzidas pelo próprio SPEA. MONITORIAS Dúvidas surgem, naturalmente, em uma rotina de estudo. Exercícios não resolvidos, redações mal escritas, aulas perdidas, regra da língua portuguesa esquecida são situações que acontecem e precisam ser resolvidas. As monitorias têm como objetivo reduzir ou acabar com dúvidas dos alunos. Tais atividades ocorrem sempre fora do horário de aula da turma. SISTEMA DE AVALIAÇÕES O Colégio Prima adota o Sistema Trimestral ao dividir o ano escolar. Nesse formato é possível criar um sistema de avaliações mais variado por haver mais tempo. E o Sistema de Avaliações foi desenvolvido com o objetivo de valorizar diferentes práticas educacionais. A média do trimestre será calculada como a média das três avaliações, que por sua vez vale dez pontos cada uma. 1) Avaliação Diagnóstica (AD) Assim como recomenda o Conselho Nacional de Educação, a avaliação dos estudantes precisa ser contínua e cumulativa. Afinal, uma nota isolada nem sempre contém a informação necessária ao professor, isto é, a medida precisa de quanto o aluno realmente sabe.

5 A AD foi desenvolvida para estimular no estudante um ritmo de estudo e uma prática de planejamento e organização. Ela será aplicada semanalmente, dividida em dois blocos de disciplinas. O objetivo principal da AD é valorizar a aula, mostrar ao estudante que toda aula é importante pois ela sempre será véspera de uma avaliação. Com isso, estimulamos e valorizamos a cultura de um estudo regular. A exigência para um bom desempenho nessa avaliação é o entendimento da aula, pois na AD serão cobrados apenas assuntos e questões similares aos resolvidos pelo professor. Aquele aluno que participar e entender a aula, terá facilidade para resolver a avaliação. Além disso, a Avaliação Diagnóstica servirá como uma poderosa ferramenta de diagnóstico, pois ajudará a identificar de forma prévia qualquer dificuldade de aprendizado do aluno. Por ela ser contínua, os problemas acadêmicos serão rapidamente identificados, devendo o Colégio, professor e responsável atuar de forma precisa a eliminar as dificuldades. 2) Exame (E) Além de um processo de formação, o Colégio precisa estar alinhado com os concursos. Nessa modalidade de avaliação, o estudante realizará uma avaliação elaborada por uma banca. Os professores não tem conhecimento das questões, e esta será realizada fora do horário escolar. O objetivo é colocar os alunos em contato com o mundo dos concursos/vestibulares. E iniciar, progressivamente, uma preparação sólida. 3) Verificação (V) Na Verificação, o professor terá a liberdade (e dever) de avaliar outras habilidades e competências dos estudantes. Seminários, provas discursivas, apresentação de uma peça de teatro, produção de um vídeo ou fotografia, tribunal de justiça, experiências científicas ou relatórios são alguns dos formatos que os professores deverão explorar para avaliar os estudantes. Em qualquer formato de apresentação serão exigidos do estudante formatos padronizados, cumprimento de regras pré-estabelecidas e rigor no conteúdo e produção. 4) Recuperação A recuperação, no Prima, serve para que o conhecimento se estruture de fato no estudante. Até porque se um estudante ficou com nota inferior a média, ele não precisa recuperá-lo, mas fazer com que o conhecimento se efetive. Por entender que as aquisições de conhecimento constituem a base para outras, a efetivação de conhecimentos não aprendidos de forma eficiente deve ser revisto o mais rapidamente. Logo, optamos por fazer recuperação trimestral, e não anual. A nota da recuperação irá substituir a nota mais baixa do Exame ou da Verificação. Não irá substituir a média, e sim uma das duas notas. A nota da recuperação nunca irá substituir a média das ADs. Pois como a AD é uma avaliação alinhada com a participação do aluno em sala de aula, essa nota não deve ser substituída. Pois estaríamos sendo incoerentes com o discurso da valorização da sala de aula. SISTEMA DE AVALIAÇÃO TRIMESTRAL Média de aprovação: 7,0 Média do Trimestre = AD+E+V 3

6 AUMENTANDO A EFICIÊNCIA EM SALA DE AULA O Colégio Prima entende que a construção de uma educação de qualidade é um processo lento, contínuo e gradual. Sendo assim, a valorização da aula, do dia a dia, é essencial. Criar políticas de eficiência em sala de aula é garantir consistência no trabalho realizado. Para isso, o Colégio lança uma política de respeito e eficiência ao tempo. - Planejamento de Estudo Eficiente e Coerente No início do ano letivo, é dado no Colégio um curso sobre como planejar os estudos de forma eficiente, para garantir um bom desempenho acadêmico, além de sobrar tempo para brincar, dormir, participar de esportes ou outras atividades. Demonstrar como a organização pode contribuir numa vida mais simples e prazerosa. - Utilizar o espaço da sala de aula apenas para assistir aula, resolver exercícios e tirar dúvidas. O Colégio garantirá armários para todos os estudantes, para que possam guardar seu material e entrar em sala apenas com o material a ser utilizado na aula. Evitando, assim, objetos que podem desconcentrar alunos em aula, como celular, lixa de unha, jogos eletrônicos, entre outros. Além de estimular os estudantes a práticas simples, como ir ao banheiro antes da aula iniciar e ter uma garrafa de água são exemplos para não desperdiçar tempo de aprendizado. - Controle de Disciplina O controle da disciplina dos estudantes, dentro e fora da sala de aula, é um dever de toda instituição de ensino. Para uma prática educacional ter consistência é necessário um equilíbrio entre ordenamento e liberdade. Logo estimulamos nossos professores a serem coerentes nas melhores práticas em sala de aula, e ter o controle de todas as suas atividades. EDUCAÇÃO FÍSICA A educação física dentro do ambiente escolar deve se preocupar com o desenvolvimento integral dos alunos, considerando seus avanços motores, cognitivos, sociais e afetivos. Além da prática sistemática de atividades físicas, esportivas ou lúdicas. Bem como o incentivo a participação de Jogos Estudantis. O prática de educação física será fora das dependências escolares, em local sublocado, e será no turno da tarde. A Direção encontra-se à disposição dos responsáveis ou alunos para quaisquer dúvidas ou esclarecimentos sobre questões financeiras, pedagógicas ou sobre qualquer outra área relativa ao colégio. Atenciosamente, A Direção Tel.: (21) Rua Ribeiro de Almeida, 158, Centro, Maricá

PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015

PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015 PROJETO PEDAGÓGICO ENEM / 2015 Profª Esp.Carla Menezes Coord. Pedagógica A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma das mais importantes do país, tendo em vista seu crescente número de candidatos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº. 035/2016/GS/SEDUC/MT

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº. 035/2016/GS/SEDUC/MT ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº. 035/2016/GS/SEDUC/MT Dispõe sobre os procedimentos do processo de IMPLANTAÇÃO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL EM TEMPO INTEGRAL, para Educação Básica/MT.

Leia mais

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014

Diário Oficial 31 32 Diário Oficial Resolução SE 52, de 2-10-2014 sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 124 (187) 31 32 São Paulo, 124 (187) Diário Oficial Poder Executivo - Seção I sexta-feira, 3 de outubro de 2014 Resolução

Leia mais

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio

PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO. Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL CAMPUS RIO DE JANEIRO Cursos Técnicos Integrado ao Ensino Médio PESQUISA INSTITUCIONAL IFRJ - CAMPUS RIO DE JANEIRO CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO 1 Capa

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA Karine Gantes Monteiro (kahh_gtm@hotmail.com) 1 Márcia Lorena Martinez (marcialorenam@hotmail.com) 2 Thaís Gonçalves D Avila (thais.avila@ig.com.br) 3 Vagner

Leia mais

Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) no Estado do Rio de Janeiro: uma nova realidade Marianna Bernstein e Julia Fernandes Lopes

Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) no Estado do Rio de Janeiro: uma nova realidade Marianna Bernstein e Julia Fernandes Lopes Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) no Estado do Rio de Janeiro: uma nova realidade Marianna Bernstein e Julia Fernandes Lopes Coordenação Acadêmica Rede CEJA-Fundação CECIERJ ... a educação

Leia mais

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos

PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010. Pais e Alunos PROPOSTA DE TRABALHO ENSINO MÉDIO 2010 Pais e Alunos Proposta de Trabalho Ensino Médio 2010 A partir de 2010 o nosso projeto pedagógico do Ensino Médio estará ainda mais comprometido com a formação integral

Leia mais

Informações gerais Colégio Decisão

Informações gerais Colégio Decisão 1 Informações gerais Colégio Decisão 2 Carta da Diretora Colégio Decisão Venha, que estamos de portas abertas para você. Carta da Direção Prezados país e responsáveis, A Organização de uma escola pede

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros.

3.1 Ampliar o número de escolas de Ensino Médio de forma a atender a demanda dos bairros. Meta 1 - Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de quatro e cinco anos, e ampliar, até 2025, a oferta de Educação Infantil de forma a atender a 50% da população de até 3 anos. Estratégias:

Leia mais

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF

EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF EDITAL PARA A SELEÇÃO DE TUTORES ENTRE JOVENS PROEMI/PJF 1. DO EDITAL A Escola de Ensino Médio Barão de Aracati 10ª CREDE, torna pública a seleção de Tutores para atuar na escola, em conformidade com a

Leia mais

Informações básicas. Programa Ensino Integral

Informações básicas. Programa Ensino Integral Informações básicas Programa Ensino Integral Abril/2014 1) Premissas básicas do novo modelo de Ensino Integral O novo modelo de Ensino Integral pressupõe inovações em alguns componentes fundamentais da

Leia mais

Ensino Médio/Ensino Integral Esforços da Secretaria da Educação de São Paulo Maio/2013 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 1

Ensino Médio/Ensino Integral Esforços da Secretaria da Educação de São Paulo Maio/2013 SECRETARIA DA EDUCAÇÃO 1 Ensino Médio/Ensino Integral Esforços da Secretaria da Educação de São Paulo Maio/2013 1 Pilares do Educação: Compromisso de São Paulo ( Decreto nº 57.571, de 2 de dezembro de 2011) Valorizar e investir

Leia mais

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 Rochelle Lopes da Silva- UVA 2 Andrea Abreu Astigarraga- UVA INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes 1) O que é o projeto Inovaeduc? O projeto Inovaeduc é um projeto pedagógico / educacional que contempla um conjunto de soluções tecnológicas educacionais que objetivam

Leia mais

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por

META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por META NACIONAL 12: elevar a taxa bruta de matrícula na educação superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população de 18 (dezoito) a 24 (vinte e quatro)

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1) PERFIL DO CURSO: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO A missão do Curso de Administração da PUC Minas consiste em atender às necessidades de adaptação às transformações ambientais,

Leia mais

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES

MANUAL DO ALUNO (A) ATIVIDADES COMPLEMENTARES/ESTUDOS INDEPENDENTES A formação complementar é fruto da participação do aluno, durante o período de realização do seu curso superior, em atividades que não estão inseridas na grade curricular, mas que reconhecidamente contribuem

Leia mais

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15

Conversando sobre a REALIDADE. Propostas Educação. Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Conversando sobre a REALIDADE social do BRASIL Propostas Educação Ano 1 - nº 3 - Nov/15 Partido da Social Democracia Brasileira Presidente: Senador Aécio Neves Instituto Teotônio Vilela Presidente: José

Leia mais

Parecer n 275/2009-CEDF Processo n 410.000084/2009 Interessado: Colégio Sagrado Coração de Maria

Parecer n 275/2009-CEDF Processo n 410.000084/2009 Interessado: Colégio Sagrado Coração de Maria Homologado em 21 de dezembro de 2009. DODF Nº 246, terça-feira, 22 de dezembro de 2009. PÁGINA 8 PORTARIA Nº 524, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. DODF Nº 7, terça-feira, 12 de janeiro de 2010. PÁGINA 8 Parecer

Leia mais

EDITAL N.01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS BOLSISTAS PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID)

EDITAL N.01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS BOLSISTAS PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PROGRAMAS E PROJETOS PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID EDITAL N.01/2014

Leia mais

ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS N. 18/2015

ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS N. 18/2015 ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS N. 18/2015 TÓPICO DE ESTUDO: ROTINA AMPLIADA 1 ROTINAS A FAVOR DA APRENDIZAGEM A literatura educacional trata com frequência da atenção à rotina na sala de aula. Comumente reflete-se

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

TEXTO PRODUZIDO PELA GERÊNCIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O DEBATE

TEXTO PRODUZIDO PELA GERÊNCIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O DEBATE TEXTO PRODUZIDO PELA GERÊNCIA DE ENSINO FUNDAMENTAL COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O DEBATE Avaliação institucional: potencialização do processo ensino e aprendizagem A avaliação institucional é uma prática recente

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

WONCA IBEROAMERICANA CIMF

WONCA IBEROAMERICANA CIMF WONCA IBEROAMERICANA CIMF III CÚPULA IBERO AMERICANA DE MEDICINA FAMILIAR FORTALEZA, BRASIL 29 e 30 de abril de 2008 CARTA DE FORTALEZA No ano em que se comemora o 30º Aniversário da Declaração de Alma

Leia mais

www.queroserprofessor.

www.queroserprofessor. www.queroserprofessor. Documento Revisado em março de 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. O QUE É A MONITORIA? 3. OBJETIVOS DA MONITORIA 4. CONDIÇÕES PARA PARTICIPAR DA MONITORIA 5. INSCRIÇÃO 6. ATRIBUIÇÕES

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO INFANTIL 1 ANEXO I FORMULÁRIOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL FORMULÁRIO 1: COMISSÃO DE ANÁLISE E SISTEMATIZAÇÃO DA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Nome Completo Cargo/Função Turno 1º 2º Integral

Leia mais

DOCUMENTO NORTEADOR PARA COMISSÕES DE AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSO DE PEDAGOGIA

DOCUMENTO NORTEADOR PARA COMISSÕES DE AUTORIZAÇÃO E RECONHECIMENTO DE CURSO DE PEDAGOGIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DO ENSINO DE PEDAGOGIA

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.375, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2013 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2015-2º. semestre Caro Candidato, Este é o manual do processo seletivo para o 2º. semestre de 2015 para os cursos de Licenciatura em Pedagogia e Letras-Língua Portuguesa

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2016 CONCURSO VESTIBULAR EDITAL

PROCESSO SELETIVO DE INVERNO 2016 CONCURSO VESTIBULAR EDITAL U N I V E R S I D A D E D E P A S S O F U N D O V i c e - R e i t o r i a d e G r a d u a ç ã o S e c r e t a r i a G e r a l d o s C u r s o s Campus I Rodovia BR 285 Km 292,7 - Bairro São José CEP 99052-900

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO I ( INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA)

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO I ( INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA) Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA MATRIZ CURRICULAR FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO NAS QUATRO PRIMEIRAS SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL SERIADO ANUAL - NOTURNO 04 (QUATRO)

Leia mais

Instituto de Humanidades e Letras. Curso: Pedagogia

Instituto de Humanidades e Letras. Curso: Pedagogia Instituto de Humanidades e Letras Curso: Pedagogia AVALIAÇÃO Avaliamos cotidianamente as diversas ações de pessoas que nos envolvem, o desempenho de instituições e nossas próprias condutas. Nesse sentido,

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE GUARULHOS SUL DISCUSSÃO

PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE GUARULHOS SUL DISCUSSÃO PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE GUARULHOS SUL DISCUSSÃO Metas e Estratégias Consolidação a partir do documento do FEESP com contribuições da SEESP e CEESP

Leia mais

Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Objetivos da aula: Revisão da aula de 2 de abril. Ciências Sociais. Profa. Cristiane Gandolfi

Estrutura e Funcionamento da Educação Básica. Objetivos da aula: Revisão da aula de 2 de abril. Ciências Sociais. Profa. Cristiane Gandolfi Estrutura e Funcionamento da Educação Básica Ciências Sociais Profa. Cristiane Gandolfi Objetivos da aula: Compreender a estrutura didática definida na LDBEN 9394/96 e sua articulação com o conceito de

Leia mais

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA Paloma Cristina Gadens de Almeida UNICENTRO, CAPES palomagadens@gmail.com

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO Lista de Anexos... 3 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 5 3. DEFINIÇÕES... 5 4. OBJETIVOS... 6 5. PLANEJAMENTO E COMPETÊNCIAS...

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conselho de Educação do Distrito Federal

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conselho de Educação do Distrito Federal Homologado em 5/4/2013, DODF nº 71, de 8/4/2013, p. 14. Portaria nº 69, de 8/4/2013, DODF nº 73, de 10/4/2013, p. 14. PARECER Nº 46/2013-CEDF Processo nº 410.001292/2011 Interessado: Colégio La Salle -

Leia mais

Plataforma. Portal Educacional

Plataforma. Portal Educacional Plataforma Portal Educacional O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon

Leia mais

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013

Contexto. Educação para o mundo do trabalho. Por Mozart Neves Ramos - Todos Pela Educação em 01/03/2013 META NACIONAL 11 - Educação Profissional- Triplicar as matrículas da Educação Profissional Técnica de nível médio, assegurando a qualidade da oferta e pelo menos 50% da expansão no segmento público. Contexto

Leia mais

Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade

Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade 1. Educação Especial: histórico, funcionamento e legislação Para suprir a demanda da Educação Especial e

Leia mais

Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus.

Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus. PROJETO DE LEI N º 280/2013 ESTADO DO AMAZONAS Dispõe sobre o atendimento educacional especializado aos alunos identificados com altas habilidades ou superdotados no âmbito do Município de Manaus. Art.

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

ALEXANDRE MODESTO BRAUNE Educação Participativa: União, Transparência, Construção da Qualidade

ALEXANDRE MODESTO BRAUNE Educação Participativa: União, Transparência, Construção da Qualidade PLANO DE GESTÃO À CANDIDATURA AO CARGO DE DIRETOR-GERAL PRO-TEMPORE DO CAMPUS ARAGUAÍNA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS. ALEXANDRE MODESTO BRAUNE Educação Participativa:

Leia mais

FACULDADE DE MÚSICA CARLOS GOMES

FACULDADE DE MÚSICA CARLOS GOMES FACULDADE DE MÚSICA CARLOS GOMES MANTIDA PELA ARTE E MÚSICA LTDA. REGULAMENTO DE ESTÁGIO APRESENTAÇÃO O Núcleo de Coordenação de Estágios tem por objetivo propiciar orientações praticas sobre o estágio

Leia mais

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO

INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO Jorge, A. M. UEM alinemjorge@hotmail.com Eixo Temático: Didática: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou

Leia mais

GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em

Leia mais

De acordo com o art. 35 da LDBEN, o ensino médio tem como objetivos:

De acordo com o art. 35 da LDBEN, o ensino médio tem como objetivos: 10. ENSINO MÉDIO 10.1 ORGANIZAÇÃO GERAL DO ENSINO MÉDIO O ensino médio, no Brasil, é a etapa final da educação básica e integraliza a formação que todo brasileiro deve ter para enfrentar com melhores condições

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO...

RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO... Roteiro para elaboração de relatório parcial de estágio RELATÓRIO PARCIAL REFERENTE À ETAPA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO Estudante: Orientador: Local / / SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 3 REFERÊNCIAS Identificação

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 INCLUIR NA UFU ACESSIBILIDADE E PERMANÂNCIA COM QUALIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Valéria Manna Oliveira FAEFI - Universidade Federal Uberlândia Claudia Dechichi CEPAE - Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Lei nº 12.796 de 04/04/2013

Lei nº 12.796 de 04/04/2013 O governo federal publicou nesta sexta-feira (5), no Diário Oficial da União, a lei número 12.796 que altera a lei que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Como novidade, o texto muda

Leia mais

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Índice Quem é o Pedagogo?... Qual a duração do curso?... Quais os objetivos do curso?... E os campos de atuação?... Que

Leia mais

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 07/04 Define o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelece diretrizes e normas para seu funcionamento.

Leia mais

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br

Av. Gen. Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - Tel. 0** (42) 220-3000 - Ponta Grossa Pr. - www.uepg.br CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Turno: MATUTINO/NOTURNO MATUTINO CURRICULO Nº 1 NOTURNO CURRICULO Nº 1 Reconhecido pelo Decreto nº 3.554 de 15.02.01, D.O.E. de 16.02.01. Renovação de Reconhecimento

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS VIEIRA, Débora Cristina de Oliveira PUCPR mmdvieira@hotmail.com MARTINS, Pura Lúcia Oliver - PUCPR Pura.oliver@pucpr.br Eixo Temático: Didática: Teorias,

Leia mais

Quanto custam as matrículas e mensalidades na UFFS? Nada! A UFFS é pública e, portanto, não cobra matrículas ou mensalidades.

Quanto custam as matrículas e mensalidades na UFFS? Nada! A UFFS é pública e, portanto, não cobra matrículas ou mensalidades. A Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) prorrogou em uma semana as inscrições para o Processo Seletivo. O prazo, agora, vai até o dia 23. Quem quer ser aluno de um dos cursos de graduação da UFFS

Leia mais

Pró-Reitoria Acadêmica Coordenadoria de Graduação Serviço de Apoio ao Estudante GUIA DO MONITOR

Pró-Reitoria Acadêmica Coordenadoria de Graduação Serviço de Apoio ao Estudante GUIA DO MONITOR Pró-Reitoria Acadêmica Coordenadoria de Graduação Serviço de Apoio ao Estudante GUIA DO MONITOR 2008 SUMÁRIO 1 Introdução 2 O que é Monitoria 2 Quem é o Monitor do Cesupa 2 Competências e Deveres do Monitor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Diretoria de Extensão e Políticas de Inclusão

Leia mais

BRINCANDO DE MATEMÁTICO

BRINCANDO DE MATEMÁTICO BRINCANDO DE MATEMÁTICO Carlos Alberto Rezende de Carvalho Junior Universidade Federal do Paraná (UFPR) carloscarvalhoj@gmail.com Janio de Jesus Cardoso Universidade Federal do Paraná (UFPR) ijanio_pt@yahoo.com.br

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES

DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES DIFICULDADES NA APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NA ESCOLA OSVALDO DA COSTA E SILVA: ALGUMAS CAUSAS E POSSÍVESIS SOLUÇÕES Rogério Sousa AZEVEDO (1); Iara M Cavalcante NOLETO (2) (1 e 2) Instituto Federal de

Leia mais

PROGRAMA SEGUNDO TEMPO UNIVERSITÁRIO: ESPORTE E LAZER NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

PROGRAMA SEGUNDO TEMPO UNIVERSITÁRIO: ESPORTE E LAZER NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA SEGUNDO TEMPO UNIVERSITÁRIO: ESPORTE E LAZER NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Área Temática: Saúde Matheus Francisco Saldanha Filho 1 Daiana Cristina Dickel 2 Simone Neiva Milbradt 3 Daiane

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão EDITAL Nº. 251/2015 - CHAMAMENTO PÚBLICO Nº. 18/2015 CHAMAMENTO PÚBLICO PARA INSCRIÇÕES DE ESTAGIÁRIOS, PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA E PREENCHIMENTO DAS VAGAS DE ESTÁGIO NO ÂMBITO DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Setor de Processo Seletivo Discente EDITAL

Setor de Processo Seletivo Discente EDITAL Setor de Processo Seletivo Discente EDITAL O Reitor da Universidade Severino Sombra, torna público o presente Edital, com normas, rotinas e procedimentos relativos ao Processo Seletivo com vistas ao preenchimento

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PROGRAMADAS: APROXIMAÇÃO DO ACADÊMICO DE PEDAGOGIA COM O PROFISSIONAL DO ENSINO Resumo HOÇA, Liliamar Universidade Positivo liliamarh@up.com.br MORASTONI, Josemary- Universidade Positivo

Leia mais

COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 2/2016 PIC PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA 2016.1

COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 2/2016 PIC PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA 2016.1 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 2/2016 PIC PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA 2016.1 A União Educacional do Norte, por meio da Coordenação do Programa de Iniciação Científica (PIC),

Leia mais

CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica

CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica. SECRETARIA DA EDUCAÇÃO Coordenadoria de Gestão da Educação Básica CGEB Coordenadoria de Gestão da Educação Básica 1 DEGEB Departamento de Desenvolvimento Curricular de Gestão da Educação Básica 2 CEFAF Centro de Ensino dos Anos Finais, Ensino Médio e Educação Profissional

Leia mais

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ARTE-EDUCAÇÃO 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Curso de Especialização Lato Sensu

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, tendo

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, tendo Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação RESOLUÇÃO SEE Nº 6 DE DE JANEIRO DE 00. ESTABELECE AS MATRIZES CURRICULARES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NAS UNIDADES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA

Leia mais

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho Dois assuntos atualmente recebem muita atenção dos educadores e gestores em Educação: o acompanhamento da evolução do Índice de Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Página1 SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO BÁSICA E EQUIPE MULTI FUNCIONAL PARA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - 2011 PROVA PARA PSICOLOGIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTANEJA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERTANEJA Estado do Paraná LEI COMPLEMENTAR Nº 53/2014 DE 29 DE AGOSTO DE 2014 Súmula: DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DE CARGOS DE PROVIMENTO EFETIVO DE PROFESSOR EM CAMPOS ESPECIFICOS NOS TERMOS DA LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL Nº 029/2010,

Leia mais

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015.

PREFEITURA DE NOVA VENÉCIA-ES SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. PORTARIA Nº 1612 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2015. DISPÕE SOBRE O FUNCIONAMENTO E ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DAS UNIDADES DE ENSINO DA EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE NOVA VENÉCIA-ES

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS 1) Perfil do curso: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENGENHARIA CIVIL POÇOS DE CALDAS O curso de Engenharia Civil da PUC Minas, campus de Poços de Caldas, tem como objetivo principal formar um profissional

Leia mais

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM Mariglei Severo Maraschin CTISM/UFSM Camila Sehnem - CTISM/UFSM Débora Marschal CTISM/UFSM

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE EDUCAÇÃO

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE EDUCAÇÃO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DA DISCIPLINA: EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS: PESQUISA E PRÁTICA CODICRED: 142AU-04 EMENTA: Caracterização, organização e gestão dos espaços não-formais na promoção da aprendizagem

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS Belo Horizonte

Leia mais

UNIFRAN Universidade de Franca PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 2/2015

UNIFRAN Universidade de Franca PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 2/2015 UNIFRAN Universidade de Franca PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 2/2015 PROCESSO SELETIVO PARA MONITORIA A Pró-Reitora de Graduação, no uso de suas atribuições regimentais e tendo em vista o disposto

Leia mais

NORMAL SUPERIOR 2001 NORMAL SUPERIOR 2005. Fund. E Met. Da Educação Inclusiva. Leitura e Prática de Produçao Textual

NORMAL SUPERIOR 2001 NORMAL SUPERIOR 2005. Fund. E Met. Da Educação Inclusiva. Leitura e Prática de Produçao Textual FINALIZAÇÃO DISCIPLINAR: PEDAGOGIA NORMAL SUPERIOR E COMPLEMENTAÇÃO DE ESTUDOS EQUIVALENTES POR TURMA E CURSO PEDAGOGIA 2004 PEDAGOGIA 2006 PEDAGOGIA 2007 TURMA 2008 NORMAL SUPERIOR 2001 NORMAL SUPERIOR

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO N o 24/2012, DO CONSELHO DE GRADUAÇÃO Aprova as Normas Gerais de Estágio de Graduação da Universidade Federal de Uberlândia, e dá outras providências. O CONSELHO DE GRADUAÇÃO DA, no uso das competências

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DESENVOLVIMENTO INTEGRAL NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR A BASE A Base Nacional Comum é um conjunto de conhecimentos e habilidades essenciais que cada estudante brasileiro tem o direito de aprender a

Leia mais

Educação Integral Desafios para a implementação

Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral: uma demanda da sociedade Enfrentamento da desigualdade social: Garantia de direitos Ampliação das redes de proteção para crianças e adolescentes

Leia mais

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Curso de Publicidade e Propaganda NORMAS DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Viçosa, Minas Gerais 2015 1 INTRODUÇÃO As atividades complementares, inseridas no projeto pedagógico, têm por finalidade proporcionar

Leia mais

MANUAL. Atenção! Para garantir a correta utilização do sistema AlunoNet, recomendamos o uso do navegador Internet Explorer 6.0 ou superior.

MANUAL. Atenção! Para garantir a correta utilização do sistema AlunoNet, recomendamos o uso do navegador Internet Explorer 6.0 ou superior. MANUAL O PERÍODO PARA REMATRÍCULA ON-LINE SERÁ: 15/07/2013 A 19/07/2013. REMATRÍCULA FORA DO PRAZO (15 A 19/07/2013), INCIDIRÁ EM MULTA, E SERÁ FEITA SOMENTE NA CENTRAL DE ATENDIMENTO AO ALUNO. Atenção!

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 A LDB, no Titulo VI, trata dos Profissionais da Educação, considerando sob essa categoria não só os professores, que são responsáveis pela gestão da sala de aula, mas

Leia mais

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PROPOSTA PARA MINIMIZAÇÃO DA EVASÃO ESCOLAR COM O USO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA São Paulo SP 04/2012 Categoria: C - Métodos e Tecnologias Setor Educacional: 3 Educação Universitária Natureza do Trabalho:

Leia mais

CONSULTEC: CONSULTORIA EM PROJETOS EDUCACIONAIS E CONCURSOS LTDA

CONSULTEC: CONSULTORIA EM PROJETOS EDUCACIONAIS E CONCURSOS LTDA CARGO: PROFESSOR EDUCAÇÃO BÁSICA LÍNGUA PORTUGUESA/LITERATURA BRASILEIRA 1) 02 21) 04 2) 02 22) 03 3) 01 23) 05 4) 04 24) 01 5) 01 25) 01 6) 04 26) 03 7) 05 27) 05 8) 03 28) 04 9) 04 29) 01 10) 01 30)

Leia mais

Institui as Matrizes Curriculares para as Escolas Municipais de Ensino Fundamental EMEFs, Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio EMEFMs,

Institui as Matrizes Curriculares para as Escolas Municipais de Ensino Fundamental EMEFs, Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio EMEFMs, Institui as Matrizes Curriculares para as Escolas Municipais de Ensino Fundamental EMEFs, Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio EMEFMs, Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos -

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

Colégio Hugo Sarmento

Colégio Hugo Sarmento TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA CAPÍTULO ÚNICO Artigo 1º O COLÉGIO HUGO SARMENTO, com sede à R. Dom Rosalvo, nº 131, Jardim Jacarandás, CEP 05442-030, São Paulo, SP, CGC 61.046.041/0002-94, mantido

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais