Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo"

Transcrição

1 Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Ernani Viriato de Melo V Jornada Científica 24/10/2006

2 Tópicos Abordados Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 1 / 51

3 Motivação Grande volume de dados complexos gerados pelos sistemas computacionais Imagens, vídeos, áudio... As imagens podem ser aproveitadas em diversas áreas da aplicação; As imagens são naturalmente comparadas por semelhança (similaridade), diferentemente dos dados simples: 30 < 50 Araxá < Uberaba? 2 / 51

4 Motivação Recuperação de imagens por conteúdo (CBIR Content- Based Image Retrieval ) Recuperação de imagens baseada em descrição: Retorne a imagem do exame de mamografia feito pela Adriana Melo em 2006 Recuperação de imagens baseada em conteúdo: Retorne as 5 imagens mais semelhantes à imagem de Marilene Rios Busca por similaridade Duas imagens são semelhantes, nunca iguais (se for igual é a mesma!) O que é similaridade? Critérios de Similaridade Características a serem comparadas Métricas para comparação 3 / 51

5 Motivação 4 / 51

6 Motivação Armazenamento das imagens: Cada imagem é analisada individualmente utilizando técnicas de processamento de imagens; Características das imagens são extraídas e armazenadas; Procura-se extrair as informações que o analista humano utiliza no processo de comparação entre as imagens: Cores, formas, textura e relacionamento entre objetos A similaridade entre os dados sobre as características extraídas das imagens eficiência nas consultas. 5 / 51

7 Motivação Conceitos de Banco de Dados Relacionais: cas_id pac_id cas_data cas_tumor cas_img_mamo /05/2003 B /08/2005 B /04/2004 M /11/2004 M 6 / 51

8 Motivação SGBDs: Armazenam imagens em blocos de memória não interpretável BLOB. Consultas convencionais: SELECT p.pac_id, c.cas_id, c.cas_data, c.cas_tumor FROM paciente p, caso c WHERE p.pac_id = c.cas_id AND p.pac_nome LIKE LAURA% AND c.cas_data >= 01/01/2006 Dada a lesão de mama: encontrada na mamografia, retornar os casos benignos similares a esta imagem de referência 7 / 51

9 Motivação Estender as funcionalidades dos SGBDs: Um novo tipo de dados que suporte o armazenamento e recuperação de imagens; Processar as características das imagens: cor, textura e forma; Utilizar as características para o cálculo de similaridade entre as imagens; Novas funções o operadores para a manipulação de imagens POSTGRESQL - IE 8 / 51

10 Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 9 / 51

11 Recuperação por Conteúdo Etapas: Extração de Características da Imagem; Calcular a distância; Ranking utilizando operadores de similaridade 10 / 51

12 CBIR: Extração de Características 11 / 51

13 CBIR: Extração de Características Características de imagens: Valores Numéricos ou categóricos que descrevem as características das imagens; Características comumente usadas: cor, textura, forma e relacionamento entre objetos da imagem; OBJETIVO: a partir da imagem original, definir um vetor de características que: descreva com fidelidade o conteúdo semântico da mesma, aceite a aplicação de uma medida de similaridade (função de distância), Possa ser usada em uma estrutura de indexação. 12 / 51

14 Exemplos de Características Histograma (Cor) : Rápido de obter; Mais de uma imagem pode corresponder ao mesmo histograma! Solução: Usar mais de uma característica 13 / 51

15 Exemplos de Características Textura : Padrão visual em que elementos gráficos semelhantes se repetem em densidade variável. Exemplo: homogeneidade, contraste / 51

16 Exemplos de Características Forma : Utilizar segmentação de imagem para obter o contorno dos objetos: Manualmente Algoritmos de segmentação A análise de forma é baseada no contorno dos objetos; Exemplo: Área, Perímetro / 51

17 Calcular a distância Medidas de Similaridade Função de Distância: Simetria: d(x,y) = d(y,x); Não negatividade: 0 <= d(x,y) < Desigualdade triangular: d(x,y) <= d(y,z)+d(x,z) Manhattan: Euclidiana: 16 / 51

18 Operadores de Similaridade Range Query: K - K-Nearest Neighbor Query - KNNQ 17 / 51

19 Ranking usando um exemplo Considerando área, perímetro e contraste : Imagem de Consulta: Imagens no banco de dados: 18 / 51

20 Ranking usando um exemplo Utilizando a função de distância: Weighted Minkowsky p = 2 w1 = w2 = w3 = / 51

21 Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 20 / 51

22 PostgreSQL Image Extender Gratuito e com o código aberto; Disponibiliza funções para tratar e atualizar atributos do tipo imagem e definir consultas complexas utilizando os operadores de similaridade KNN e RANGE; Desenvolvido em PLPGSQL e C Apresenta facilidades para: criar novos extratores de características, criar novos métodos de acesso. 21 / 51

23 PostgreSQL Image Extender Disponibiliza um novo tipo de dado para imagens (PGImage) que permite: encapsular mais de uma imagem em um mesmo atributo; Cada imagem é associada a uma classe; associar características de diferentes classes de imagens em um mesmo vetor característica. 22 / 51

24 PostgreSQL Image Extender Exemplo: Armazenar as classes de imagem: região de interesse da mamografia (Mamografia_RI) e o contorno de lesão da mama feito por um radiologista (Mamografia_CL): Utilizar a tabela caso que relaciona com paciente: 23 / 51

25 PostgreSQL Image Extender Utilizando o SGBD PostgreSQL sem a extensão: Será controlado pela aplicação: Extração de características, Armazenamento e organização das características, Operadores de similaridade e calculo de distância / 51

26 PostgreSQL Image Extender Utilizando o PostgreSQL-IE: Todas as fases da recuperação por conteúdo feita pelo SGBD, Os vetores são definidos pelo usuário, combinando as características visuais das classes Mamografia_RI e Mamografia_CL usuários possuem liberdade nas consultas 25 / 51

27 PostgreSQL Image Extender Para cada mamografia: armazenar mais de um contorno de lesão feito por um radiologista: Utilizando apenas o SGBD PostgreSQL: PostgreSQL-IE: 26 / 51

28 PostgreSQL Image Extender Sistema de Catálogo do SGBD PostgreSQL: Armazena os metadados (informações sobre tabelas, colunas, triggers, índices, restrições); O Catálogo é composto por tabelas comuns, que são mantidas por comandos SQL (ex: CREATE TABLE insere uma linha na tabela do catálogo pg_class e cria a tabela em disco); Possui tabelas globais: pertencem a todos os bancos de dados (ex: pg_database); Possui tabelas locais: são próprias do banco de dados da aplicação; Na criação de um banco de dados, as tabelas locais do catálogo são geradas pela duplicação de um banco de dados modelo, normalmente o template1 27 / 51

29 PostgreSQL Image Extender Sistema de Catálogo estendido do PostgreSQL-IE: Composto pelas tabelas do catalogo clonadas do template1 e mais novas tabelas: 28 / 51

30 PostgreSQL Image Extender Criar um banco de dados sem a extensão: CREATE DATABASE nome_novo_banco Criar um banco de dados com a extensão: CREATE DATABASE nome_novo_banco WITH TEMPLATE = extended_template1 29 / 51

31 PostgreSQL Image Extender Funções da linguagem estendida (SQL-IE): Create_Extractor KNN Delete_Extractor RANGE Define_Feature_Vector Insert_Image Delete_Feature_Vector Update_Image_Attr Show_Extractors Replace_Image_Attr Create_AccessMethod Height_IE Delete_AccessMethod Width_IE Set_Feature_Vector Value_Extractor UnSet_Feature_Vector Show_Image 30 / 51

32 Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 31 / 51

33 Exemplo usando o SQL-IE Considere o seguinte esquema relacional: 32 / 51

34 Exemplo usando o SQL-IE Criação da tabela e inserção de registro: CREATE TABLE caso ( cas_id integer NOT NULL, pac_id integer NOT NULL, cas_tumor char(1), cas_data date NOT NULL, cas_tumor char(1), img_mamo pgimage, CHECK ( (img_mamo).classes in ('mamografia', 'contorno_lesao1','contorno_lesao2', 'contorno_lesao3') ) ); INSERT INTO caso(cas_id,pac_id,cas_tumor,cas_data, img_mamo) VALUES (1, 1, 'N', ' ', Insert_Image('caso', 'img_mamo', 'mamografia,/img/mamo.bmp; contorno_lesao1,/img/cont1.bmp; contorno_lesao2,/img/cont2.bmp; contorno_lesao3,/img/cont3.bmp ) 33 / 51

35 Exemplo usando o SQL-IE Criação de extratores de características e definição de vetores de características: SELECT Create_Extractor('compacidade','getCc','float', 'ExtShape'); SELECT Create_Extractor('perimetro','getPerimeter','float', 'ExtShape'); SELECT Create_Extractor('indice_espiculos','getSI','float', 'ExtShape'); SELECT Define_Feature_Vector('Vetor1', 'compacidade:contorno_lesao1;perimetro:contorno_lesao1; indice_espiculos:contorno_lesao1'); SELECT Define_Feature_Vector('VetorSI', 'indice_espiculos:contorno_lesao1; indice_espiculos:contorno_lesao2; indice_espiculos:contorno_lesao3'); 34 / 51

36 Exemplo usando o SQL-IE Associação entre um vetor de características e um atributo PGImage: SELECT Set_Feature_Vector('Query1', 'caso', 'img_mamo', 'Vetor1'); Utilizando método de acesso: SELECT Create_AccessMethod ('SlimTree', 'ExtAM'); SELECT Set_Feature_Vector('QuerySI', 'caso', 'img_mamo', 'VetorSI', 'SlimTree'); 35 / 51

37 Exemplo usando o SQL-IE Recuperação de imagens por conteúdo (KNN): Retorne as pacientes que possuem as 5 imagens mais similares a contorno1.bnd considerando 70% de compacidade e 30% de perímetro e que tenha idade entre 30 e 50 anos SELECT paciente.pac_registro, caso.cas_data, Pac_Registro Score_IE('sc_1',caso.img_mamo) Cas_data AS Score Score FROM paciente, caso WHERE (caso.img_mamo).imgid in (SELECT * FROM KNN('sc_1', , 'Query1:compacidade=0.7;perimetro=0.3', 'contorno_lesao1,/img/contorno1.bnd ) ); AND paciente.pac_id = caso.pac_id AND ( EXTRACT(YEAR FROM age(current_date, paciente.pac_datanasc)) >= 30 AND EXTRACT(YEAR FROM age(current_date, paciente.pac_datanasc)) <= 50 ) ORDER BY Score; / 51

38 Exemplo usando o SQL-IE Recuperação de imagens por conteúdo (RANGE): Retorne as pacientes considerando um raio de abrangência igual a 0.9 entre suas imagens e as imagens de referência: contorno1.bnd, contorno2.bnd e contorno3.bnd (utilizando índice de espículos) SELECT paciente.pac_registro, caso.cas_data, Score_IE('sc_2',caso.img_mamo) AS score FROM paciente, caso WHERE (caso.img_mamo).imgid in (SELECT * FROM RANGE('sc_2', 0.9, 'QuerySI', 'contorno_lesao1,/img/contorno1.bnd; contorno_lesao2,/img/contorno2.bnd; contorno_lesao3,/img/contorno3.bnd') ) AND paciente.pac_id = caso.pac_id ORDER BY score 37 / 51

39 Exemplo usando o SQL-IE Recuperação de imagens por conteúdo (RANGE): Retorne as pacientes considerando um raio de abrangência igual a 0.9 entre suas imagens e as imagens do caso 54; e que a compacidade do contorno de lesão do radiologista 1 seja > 0.6 SELECT paciente.pac_registro, caso.cas_data, Score_IE('sc_3',caso1.img_mamo) AS score FROM paciente, caso1, caso2 WHERE caso2.cas_id = 54 (caso1.img_mamo).imgid in (SELECT * FROM RANGE('sc_3', 0.9, 'QuerySI', caso2.img_mamo) ) AND Value_Extractor('compacidade', 'contorno_lesao1', caso1.img_mamo) > 0.6 AND paciente.pac_id = caso1.pac_id ORDER BY score 38 / 51

40 Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 39 / 51

41 SISPRIM SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo; Disponibiliza interface gráfica via web; Foi desenvolvido utilizando o PostgreSQL-IE; Integrado ao AMDI Atlas Indexado de Mamografias Digitais; Permite associar dados visuais a dados convencionais; Responde consultas do tipo: retorne as 10 imagens mais semelhantes a uma mamografia e que tenha diagnóstico benigno ; 40 / 51

42 SISPRIM Visão geral do AMDI: 41 / 51

43 SISPRIM: Interface de Configuração 42 / 51

44 SISPRIM: Interface de Configuração 43 / 51

45 SISPRIM: Interface de Configuração 44 / 51

46 SISPRIM: Interface de Configuração 45 / 51

47 SISPRIM: Interface de Consulta 46 / 51

48 SISPRIM: Interface de Resultado 47 / 51

49 Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE: PostgreSQL Image Extender Exemplo usando o SQL-IE SISPRIM: Sistema de Pesquisa com Suporte para Recuperação de Imagens Mamográficas Baseada em Conteúdo Conclusões 48 / 51

50 Conclusões Este trabalho apresentou o PostgreSQL-IE: uma extensão do SGBD PostgreSQL para suportar CBIR; O PostgreSQL-IE: é gratuito e com o código aberto; permite criação de extratores e métodos de acesso, e a definição de vetores- características; é independente de aplicação; Disponibiliza o PGImage: permite armazenar mais de uma classe de imagem em um mesmo atributo, dando flexibilidade na modelagem do banco de dados; Desenvolvimento do SISPRIM integrado ao AMDI. 49 / 51

51 Trabalhos Futuros e Publicações Desenvolvimento de novos extratores de características; Desenvolvimento de novos métodos de acesso; Publicações: D. Guliato, R. S. Boaventura, E. V. Melo, V. Deus, F. R. Janones, and R. M. Rangayyan. AMDI: An atlas to integrate case studies, e-learning, and research systems via the web. In Proc. IASTED International Conference on Telehealth, pages 69 74, D. Guliato, R. S. Boaventura, E. V. Melo, and R. M. Rangayyan. AMDI indexed atlas of digital mammograms that integrates case studies, e-learning, and research systems via the web. In J.S. Suri and R.M. Rangayyan (Ed.). Recent Advances in Breast Imaging, Mammography, and Computer-aided Diagnosis of Breast Cancer. SPIE, Bellingham, WA, USA, pages , E. V. Melo, D. Guliato, R. M. Rangayyan, and R. C. Soares. SISPRIM sistema de pesquisa com suporte para recuperação de imagens mamográficas baseada em conteúdo. WIM VI Workshop de Informática Médica, O PostgreSQL-IE está em processo de registro junto ao INPI 50 / 51

52 Agradecimentos CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 51 / 51

53 Obrigado pela atenção Ernani Viriato de Melo

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges BANCO DE DADOS II SQL Básico COTEMIG Gerson Borges gerson@cotemig.com.br Definição de Banco de Dados [Elmasri & Navathe, 2000] Um banco de dados é uma coleção de dados relacionados Representando algum

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados

SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais

Leia mais

O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de

O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de Introdução O modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language). O padrão SQL define precisamente uma interface SQL para a

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José;

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; MySQL SQL (Structured Query Languagem ) Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; Inicialmente - Sequel

Leia mais

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW AS ;

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW <nome> AS <query>; Views uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. sintaxe: CREATE VIEW AS ; 1 Exemplo Criar uma view que dá o nome, ano e duração

Leia mais

- Um "query block" permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional.

- Um query block permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional. 2.3 Linguagens relacionais (continuação) SQL Structured Query Language 1) "Query block" Select From Where - Um "query block" permite a implementação

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 02/06/2016 SUMÁRIO SQL DDL DML SQL (STRUCTURED

Leia mais

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language)

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language) AULA 8 8.1. OBJETIVO DA AULA Relembrar conceitos e recursos básicos apresentados nas aulas anteriores, dar continuidade nas codificações iniciadas e ainda não finalizadas, explorar acesso a banco de dados

Leia mais

PostgreSQL Desenvolvedor

PostgreSQL Desenvolvedor CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PostgreSQL Desenvolvedor Carga horária: 32 horas TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Ementa do

Leia mais

Programando em SQL. Triggers, Stored Procedures e funções. Profa. Késsia Marchi

Programando em SQL. Triggers, Stored Procedures e funções. Profa. Késsia Marchi Programando em SQL Triggers, Stored Procedures e funções Objetivo Descrever as funcionalidades de triggers, store procedures e funções; Apresentar vantagens e benefícios; Criação e Gerenciamento de Store

Leia mais

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes

Flickr, shindotv/ / BASES DE DADOS. Laboratórios de Informática João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Flickr, shindotv/3835365695/ BASES DE DADOS Laboratórios de Informática 2014-2015 João Paulo Barraca, André Zúquete, Diogo Gomes Armazenamento de Informação Aplicações necessitam de armazenar informação

Leia mais

Bancos (Bases) de Dados

Bancos (Bases) de Dados Bancos (Bases) de Dados Aula #8 SQL Prof. Eduardo R. Hruschka * Slides baseados no material elaborado pelas professoras: Cristina D. A. Ciferri Elaine P. M. de Souza SQL (Structured Query Language) Linguagem

Leia mais

A linguagem SQL

A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists]

MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS. create database [if not exists] <nome> 1. Manuseio do banco de dados MYSQL - PRIMEIROS COMANDOS CRIAÇÃCO DO BD E DAS TABELAS, INSERÇÃO E CONSULTA DE REGISTROS As seguintes instruções manuseiam o banco de dados: cria o banco mostra os bancos

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informação Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 6.1 Revisão de Banco de Dados (SQL e acesso via aplicativo)

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS SQL FELIPE G. TORRES SQL A linguagem SQL (Struct Query Language) é utilizada como padrão em bancos de dados relacionais. Seu desenvolvimento foi originalmente no início

Leia mais

Modelos de Dados Temporais

Modelos de Dados Temporais CMP 151 Modelos de Dados Temporais Roteiro! Conceitos de representação temporal! Modelos de dados temporais! Linguagens de consulta temporais " Bancos de dados temporais " Implementação de BDs temporais

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente. Figura 1. Base de dados de exemplo Departamento de Engenharia Informática 2013/2014 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

11/8/2010. Tópicos. Organização e Indexação de Dados em Memória Secundária

11/8/2010. Tópicos. Organização e Indexação de Dados em Memória Secundária /8/00 Tópicos Organização e Indexação de Dados em Memória Secundária Disciplina Bancos de Dados II Prof Renato Fileto INE/CTC/UF Bancos de dados e acesso a memória secundária Noções de organização de dados

Leia mais

Material Teórico. Organização de Dados. Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque

Material Teórico. Organização de Dados. Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque Banco de Dados Organização de Dados Material Teórico Responsável pelo Conteúdo: Prof. Ms. Alexander Gobbato Albuquerque Revisão Textual: Profa. Esp.Vera Lídia de Sá Cicarone Organização de Dados Introdução

Leia mais

Revisão de Bancos de Dados

Revisão de Bancos de Dados Revisão de Bancos de Dados Conceitos Básicos 1. Defina o que é um banco de dados e o que é um sistema gerenciador de bancos de dados (SGBD). 2. Defina as arquiteturas de software em duas camadas (cliente/servidor)

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 16 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE SQL - Structured Query Language Linguagem de acesso a Banco de Dados

Leia mais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais Linguagem de Consulta SQL Profa. Carla A. Lima Reis SQL Agenda Introdução Histórico BD relacionais Linguagem SQL Definição de BD Manipulação de BD com SQL Consultas SQL Consultas com várias tabelas Subconsultas

Leia mais

NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto Web no qual iremos realizar os passos abaixo.

NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto Web no qual iremos realizar os passos abaixo. TUTORIAL 03 Criando uma base de dados SQL Server com o Visual Studio ETAPA 1: Criando um novo Web Site usando o Visual Studio 2010 NOTA: Neste tutorial foi utilizado o Visual Studio 2010 para criar o Projeto

Leia mais

8 Referências Bibliográficas

8 Referências Bibliográficas Referências Bibliográficas 8 Referências Bibliográficas 95 [Aditya, Bhalotia, Chakrabarti, Hulgeri, Nakhe, Parag & Sudarshan, 2002] - B. Aditya, Gaurav Bhalotia, Soumen Chakrabarti, Arvind Hulgeri, Charuta

Leia mais

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe

A Linguagem SQL. Tecnologia de Base de Dados. MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL Tecnologia de Base de Dados MSc. Eugénio. Macumbe A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que na IBM corp. se desenvolvia o protótipo de um sistema relacional

Leia mais

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas Banco de Dados -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas O que é banco de dados? São conjuntos de registros dispostos

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com AULA 03 SQL (Structure Query Language)

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS MODULO 2 LINGUAGEM SQL CONTEÚDO 2. LINGUAGEM SQL 2.1 Linguagens de Definição de Dados (DDL) 2.1.1 Criação de tabela: CREATE 2.1.2 Alteração de Tabela: ALTER 2.1.3 Exclusão

Leia mais

O Modelo Relacional. Database Management Systems, R. Ramakrishnan (tradução, autorizada, de Anna & Mario Nascimento)

O Modelo Relacional. Database Management Systems, R. Ramakrishnan (tradução, autorizada, de Anna & Mario Nascimento) O Modelo Relacional 1 Criando relações em SQL Observe que o tipo (domínio) de cada campo está especificado, e reforçado pelo SGBD, não importando se tuplas são adicionadas ou modificadas. A tabela Enrolled

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011

Banco de Dados I. Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011 Banco de Dados I Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011 Plano de Aula INSERT UPDATE SELECT-FROM-WHERE Uso de ALIASES SELECT com * DISTINCT Operações de Conjuntos Comparação entre substrings Operadores

Leia mais

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte Banco de Dados Diego Silveira Costa Nascimento Instituto Federal do Rio Grande do Norte diego.nascimento@ifrn.edu.br 20 de março de 2015 Ementa do Curso 1 Introdução 2 Abordagem Entidade-relacionamento

Leia mais

L Q S m e g a u g n Li A

L Q S m e g a u g n Li A A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Bases de Dados. DDL Data Definition Language

Bases de Dados. DDL Data Definition Language Bases de Dados DDL Data Definition Language SQL SQL = Structured Query Language Foi originalmente criada pela IBM nos anos 70 como parte de um protótipo de sistema relacional Posteriormente foi implementada

Leia mais

Oracle Comandos para Processamento de Transações

Oracle Comandos para Processamento de Transações Oracle Comandos para Processamento de Transações Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri Transação Unidade lógica de trabalho contém um ou mais comandos SQL para manipulação

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho Laboratório de Banco de Dados II Aula 04 Prof. Érick de Souza Carvalho 1 SQL (Structured Query Language ) Prof. Érick de Souza Carvalho 2 SQL Structured Query Language - Introdução É uma Linguagem para

Leia mais

BANCO DE DADOS. Araújo Lima. Fev / Araújo

BANCO DE DADOS. Araújo Lima. Fev / Araújo BANCO DE DADOS Lima Fev / 2016 1 Aula 3 3.Modelos de dados Modelo Conceitual Modelo Lógico Modelo Físico Classificação de Bancos de Dados Hierárquico Rede Relacional 2 MODELOS DE DADOS... Ferramenta usada

Leia mais

Jeferson Betarello DBA Brasil 1.0 abril de 2016

Jeferson Betarello DBA Brasil 1.0 abril de 2016 Jeferson Betarello DBA Brasil 1.0 abril de 2016 1 IT Specialist DB2 Mainframe Experiência Desde 1983 programador Cobol Analista de desenvolvimento Analista de suporte ao desenvolvimento DBA Analista de

Leia mais

'%'! $!0" $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,"/)!)+,/)% *! +,"0''% * %$!*!$$ #!"%&%'%'%$! "94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31?

'%'! $!0 $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,/)!)+,/)% *! +,0''% * %$!*!$$ #!%&%'%'%$! 94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31? MODELAGEM FÍSICA Capítulo 3! " # $ $!%%%& '$! $% $$%"%' ) ' *'!%'!$ $ $ $% +, %#!!" '$*'#%! $ $$%" % '$%!!% $% * % $ *-! %$% $!* '% $!$$.!'% & $%!% $ $ ' %/!$ 0 $*' $% *0 )#%!$0% 1&$$$%+#!*22,"$% )'%$$%%&

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior

OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL. Prof. Antonio Almeida de Barros Junior OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS - MYSQL Prof. Antonio Almeida de Barros Junior Para a otimização de um SGBD precisamos identificar as consultas lentas que eventualmente são submetidas ao banco: Configurações do

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Documentação Forward Engineer Ferramenta Case Modelos Reverse Engineer Figura 1 Esquema para Ferramentas Case FERRAMENTAS CASE CASE: Computer Aided Software Engineering. Seu principal

Leia mais

Introdução. descrever os tipos de interfaces e linguagens oferecidas por um SGBD. mostrar o ambiente de programas dos SGBD s

Introdução. descrever os tipos de interfaces e linguagens oferecidas por um SGBD. mostrar o ambiente de programas dos SGBD s Introdução Contribuição do Capítulo 2: discutir modelos de dados definir conceitos de esquemas e instâncias descrever os tipos de interfaces e linguagens oferecidas por um SGBD mostrar o ambiente de programas

Leia mais

Funções em PostgreSQL

Funções em PostgreSQL Funções em PostgreSQL traduzido e adaptado do manual oficial do PostgreSQL O SGBD PostgreSQL permite que sejam criadas funções pré-definidas pelo usuário sendo que as mesmas são armazenadas como objetos

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

BANCO DE DADOS WEB AULA 3. programas cliente: psql - pgadmin 3 - phppgadmin. professor Luciano Roberto Rocha.

BANCO DE DADOS WEB AULA 3. programas cliente: psql - pgadmin 3 - phppgadmin. professor Luciano Roberto Rocha. BANCO DE DADOS WEB AULA 3 programas cliente: psql - pgadmin 3 - phppgadmin professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com Gerenciar o PostgreSQL Existem diversas ferramentas que realizam a ponte entre

Leia mais

BANCO DE DADOS WEB AULA 9. concessão e revogação de privilégios. professor Luciano Roberto Rocha.

BANCO DE DADOS WEB AULA 9. concessão e revogação de privilégios. professor Luciano Roberto Rocha. BANCO DE DADOS WEB AULA 9 concessão e revogação de privilégios professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com O que são privilégios Quem cria o objeto no banco de dados se torna o seu dono. Por padrão,

Leia mais

Aprendizado de Máquina

Aprendizado de Máquina Aprendizado de Máquina André C. P. L. F. de Carvalho Posdoutorando: Isvani Frias-Blanco ICMC-USP Agrupamento de dados Tópicos Agrupamento de dados Dificuldades em agrupamento Algoritmos de agrupamento

Leia mais

Extração de características de imagens. Descritores de cor

Extração de características de imagens. Descritores de cor Extração de características de imagens Descritores de cor Descritores de imagens Problema: computar, de forma eficiente, valores que descrevam uma imagem (ou parte dela) Vetores de características (feature

Leia mais

Linguagem SQL - Structured Query Language

Linguagem SQL - Structured Query Language Linguagem SQL - Structured Query Language Breve introdução aos comandos: insert delete update select Alguns casos práticos: Campeonato de Fórmula 1 1 Campeonato de Fórmula 1 Marca nome país nºpontos Carro

Leia mais

PROVA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROVA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Nome: Data: 12/07/2016 1. A arquitetura de três esquemas possui três níveis: nível interno, nível conceitual e o nível externo ou de visão. Com respeito ao nível conceitual podemos afirmar que; (A) Descreve

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Apresentação do Plano de Ensino (PED) 2 Ementa Modelo Relacional, Linguagem Sql, Indexação, Transações, Otimização e Processamento de Consultas.

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML Parte 2. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML Parte 2. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Parte 2 Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: DML: Criando registros Alterando e removendo registros Selecionando registros 2 Criando registros em uma relação

Leia mais

Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados

Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados Abel J.P. Gomes Bibliografia usada: T. Connoly e C. Begg. Database Systems: a pratical approach to design,implementation, and management. Addison-Wesley,

Leia mais

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Oracle University Contact Us: 0800 891 6502 Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Duration: 5 Days What you will learn Neste curso, os alunos aprendem os conceitos de bancos de dados relacionais.

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Conteúdo: Aula 2 UNIDADE 1: MODELO RELACIONAL 1. Introdução ao Modelo Relacional 2. Estrutura relacional domínios, relações, variáveis

Leia mais

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente

Bases de Dados. Lab 1: Introdução ao ambiente Departamento de Engenharia Informática 2009/2010 Bases de Dados Lab 1: Introdução ao ambiente 1º semestre O ficheiro bank.sql contém um conjunto de instruções SQL para criar a base de dados de exemplo

Leia mais

Subconsulta na Cláusula FROM

Subconsulta na Cláusula FROM Subconsulta na Cláusula FROM Gera uma tabela derivada a partir de uma ou mais tabelas, para uso na consulta externa otimização: filtra linhas e colunas de uma tabela que são desejadas pela consulta externa

Leia mais

Tarefa Orientada 17 Scripts

Tarefa Orientada 17 Scripts Tarefa Orientada 17 Scripts Objectivos: Declaração de variáveis escalares Declaração de variáveis do tipo tabela Tabelas temporárias Estruturas Condicionais Estruturas de Repetição Tratamento de erros

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 18. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 18. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 18 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 SEGURANÇA EM BANCO DE DADOS Segurança em Banco de Dados proteção dos dados contra acessos não autorizados

Leia mais

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc SISTEMAS DE BANCOS DE DADOS Os Sistemas de Bancos de Dados apareceram para acabar com os problemas e desvantagens dos tradicionais Sistemas de Processamento de Arquivos, onde os registros permanentes eram

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais. Prof. Marlon Marcon

Administração de Sistemas Operacionais. Prof. Marlon Marcon Administração de Sistemas Operacionais Prof. Marlon Marcon SGBD SGBD: Sistema de gerenciamento de banco de dados. é o conjunto de programas de computador (softwares) responsáveis pelo gerenciamento de

Leia mais

Banco de Dados SQL injection

Banco de Dados SQL injection Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Curso de Computação, Licenciatura Banco de Dados SQL injection '1 = 1 Prof. José Gonçalves Dias Neto profneto_ti@hotmail.com SQL Injection - Introdução Injeção

Leia mais

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Alberto Sardinha Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 Captura e Tratamento das RIs

Leia mais

Modelagem Conceitual parte I

Modelagem Conceitual parte I Modelagem Conceitual parte I Vitor Valerio de Souza Campos Objetivos Apresentar a modelagem conceitual como parte integrante do projeto de um BD Mostrar as vantagens de uma documentação conceitual de dados

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 04/2009 PS 19 - ANALISTA DE SISTEMAS I (Suporte a Aplicativos) Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 04/2009 PS 19 - ANALISTA DE SISTEMAS I (Suporte a Aplicativos) Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 04/200 /2009 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 19 ANALISTA DE SISTEMAS I (Suporte a Aplicativos) 01. A 11. C 21. C 02.

Leia mais

UM EXTRATOR DE CARACTERÍSTICAS BASEADO EM COMPLEXIDADE APLICADO À CLASSIFICAÇÃO TUMORES DE MAMA

UM EXTRATOR DE CARACTERÍSTICAS BASEADO EM COMPLEXIDADE APLICADO À CLASSIFICAÇÃO TUMORES DE MAMA CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos UM EXTRATOR

Leia mais

Lock. Administração de Banco de Dados

Lock. Administração de Banco de Dados Lock Administração de Banco de Dados 1 Tópicos o Lock o Tipos de Lock o Recursos que podem ser bloqueados o Dica de Lock sobre uma Tabela o Dica de Lock em uma Sessão o Compatibilidade entre Locks 2 Lock

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO

MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO MODELAGEM DE DADOS MODELO FÍSICO Profa. Rosemary Melo MODELO FÍSICO Objetivo Elaborar Modelos Físicos de Dados Migrando do Modelo Lógico ou Criando as tabelas diretamente no SGBD 2 MODELO FÍSICO Na elaboração

Leia mais

ORACLE IN-MEMORY 12c. Vantagens e Cenários de Utilização do Oracle In-Memory 12c. Willian Frasson

ORACLE IN-MEMORY 12c. Vantagens e Cenários de Utilização do Oracle In-Memory 12c. Willian Frasson ORACLE IN-MEMORY 12c Vantagens e Cenários de Utilização do Oracle In-Memory 12c Willian Frasson Apresentação Willian Frasson DBA Oracle Tecnologia em Processamento de dados pela Universidade de Maringá

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Rhyan Ximenes SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Banco de Dados II E x c e l ê n c i a n o s e u f u t u r o fluci anofei j ao.com. br Semest r e: º Turma: 02 Turno: Noite Dat a: 21/06/13 Not a:

Leia mais

BD Objeto-Relacional - Motivação

BD Objeto-Relacional - Motivação BD Objeto-Relacional - Motivação SGBDs Relacionais (SGBDRs) sistemas já consolidados no mercado boa performance muitos anos de pesquisa e aprimoramento eficiência: otimização de consultas, gerenciamento

Leia mais

Modelagem Física e SQL

Modelagem Física e SQL Programação em Banco de Dados - Parte 1 Modelagem Física e SQL Prof. Pablo Passos prof.pablo.passos@gmail.com SQL - Um modelo físico é gerado a partir de um modelo lógico já construído. A geração dos objetos

Leia mais

Banco de Dados. SQL Structured Query Language

Banco de Dados. SQL Structured Query Language Banco de Dados SQL Structured Query Language Euclides Arcoverde profearcoverde [at] gmail.com http://sites.google.com/site/euneto/ Introdução à SQL Linguagem comercial para BD relacional Padrão ISO desde

Leia mais

Álgebra Relacional e SQL

Álgebra Relacional e SQL Álgebra Relacional e SQL Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri Álgebra Relacional Maneira teórica de se manipular o banco de dados relacional Linguagem de consulta procedural usuários

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 SQL Structured Query Language SQL Desenvolvida pela IBM Structured English Query Language Sequel Linguagem de consulta para o sistema R Primeiro

Leia mais

Lidando com Armazenamento de Dados

Lidando com Armazenamento de Dados Lidando com Armazenamento de Dados Paulo Ricardo Lisboa de Almeida 1 Armazenamento de Dados A grande maioria das aplicações possuem algum mecanismo para armazenagem de dados Dados de usuários Permissões

Leia mais

TUTORIAL PARA INSTALAÇÃO DO MYSQL SERVER

TUTORIAL PARA INSTALAÇÃO DO MYSQL SERVER TUTORIAL PARA INSTALAÇÃO DO MYSQL SERVER O MySQL é um sistema gerenciador de banco de dados relacional de código aberto usado na maioria das aplicações gratuitas para gerir suas bases de dados. O serviço

Leia mais

169 Tecnologia em Análises e Desenvolvimento de Sistemas

169 Tecnologia em Análises e Desenvolvimento de Sistemas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Coordenação de Políticas de Acesso e Permanência Unidade de Ocupação de Vagas Remanescentes PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS

Leia mais

# Normalização # 1 Forma normal, não podem ter recursos com mais de um item (vetores) # dados que devem ser detalhados... #Revisão #não normalizado #Normalização (Nada é redundante) Cliente idcliente nome

Leia mais

2 Instalando e configurando o ambiente de desenvolvimento do Microsoft SQL Server

2 Instalando e configurando o ambiente de desenvolvimento do Microsoft SQL Server Sumário Parte 1 Introdução ao desenvolvimento de banco de dados com o Microsoft SQL Server 2005 1 Apresentando o desenvolvimento de banco de dados com o Microsoft SQL Server 2005... 21 O processo de armazenar

Leia mais

Visão computacional. Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva

Visão computacional. Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva Visão computacional Juliana Patrícia Detroz Orientador: André Tavares Silva Visão computacional Tentativa de replicar a habilidade humana da visão através da percepção e entendimento de uma imagem; Fazer

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 20. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 20. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 20 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 PROCEDIMENTOS TRIGGER STORED PROCEDURE Regras de Negócio controladas pelo SGBD SGDB Relacional dispoõe

Leia mais

Web Design Aula 10: Formulários - Parte2

Web Design Aula 10: Formulários - Parte2 Web Design Aula 10: Formulários - Parte2 Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Roteiro Textarea Select FieldSet e Legend Atributo Action Atributo Method Exercício Form Um formulário

Leia mais

Sistemas de Informação (SI) Gestão da informação e de banco de dados (II)

Sistemas de Informação (SI) Gestão da informação e de banco de dados (II) Sistemas de Informação (SI) Gestão da informação e de banco de dados (II) Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Faculdade de Ciências e Tecnologia

Leia mais

Banco de Dados. Profa. Marta Mattoso. COPPE- Sistemas / UFRJ. Arquiteturas em Banco de Dados

Banco de Dados. Profa. Marta Mattoso.  COPPE- Sistemas / UFRJ. Arquiteturas em Banco de Dados Banco de Dados Profa. Marta Mattoso marta@cos.ufrj.br http://ww.cos.ufrj.br/~marta COPPE- Sistemas / UFRJ Arquiteturas em Banco de Dados Roteiro Introdução a arquiteturas de SGBD SGBD (ANSI/SPARC) SGBD

Leia mais

Introdução à Banco de Dados em Delphi:

Introdução à Banco de Dados em Delphi: SISTEMA COM BANCO DE DADOS EM DELPHI Pág. 1 Introdução à Banco de Dados em Delphi: Uma das alternativas para uso de BD mais usadas atualmente para fazer conexão de aplicativos a Bancos de Dados é o ActiveX

Leia mais

INDEX. Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas.

INDEX. Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas. INDEX Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas. 1 INDEX o Criação de index segue o padrão ANSI (o mesmo comando para criar index em um determinado SGBD,

Leia mais

Linked Data Management. Capítulo 9: Experiences with Virtuoso Cluster RDF Column Store

Linked Data Management. Capítulo 9: Experiences with Virtuoso Cluster RDF Column Store Linked Data Management Capítulo 9: Experiences with Virtuoso Cluster RDF Column Store Jean Souza 18 de outubro de 2016 Proposta do artigo Avanços no suporte a escalabilidade com Virtuoso e seus recursos

Leia mais

Introdução 20 Diagramas de fluxos de dados 20 O processo de elaboração de DFD 22 Regras práticas para a elaboração de DFD 24 Dicionário de dados 26

Introdução 20 Diagramas de fluxos de dados 20 O processo de elaboração de DFD 22 Regras práticas para a elaboração de DFD 24 Dicionário de dados 26 ÍNDICE MÓDULO 1 ANÁLISE DE SISTEMAS 9 1.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 10 Sistema conceito e exemplos 10 Dados e informação 11 Sistema de informação conceito e componentes 12 Sistema de informação e sistemas

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Funções e procedimentos Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção de

Leia mais

Gestão de Base de dados Conceitos Básicos

Gestão de Base de dados Conceitos Básicos Gestão de Base de dados Conceitos Básicos Ano Letivo 2014/2015 Professora: Vanda Pereira Sumário: Introdução ao módulo 2 Gestão de Base de Dados Conceitos básicos de Gestão de Base de Dados Atividade nº1

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 5 (pág. 136 - PLT) Fundamentos da Inteligência de Negócios:

Leia mais

Localizar um determinado trecho de texto que só se tem idéia das variações possíveis.

Localizar um determinado trecho de texto que só se tem idéia das variações possíveis. Para a Ciência da Computação Expressões Regulares(ERs ou do inglês abreviado regex - regular expression) provê uma forma eficiente de identificar e manusear cadeias de caracteres de interesse, como caracteres

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E pág. 1/23 pág. 2/23 pág. 3/23 pág. 4/23 pág. 5/23 pág. 6/23 pág. 7/23 pág. 8/23 pág. 9/23 pág. 10/23 pág. 11/23 pág. 12/23 pág. 13/23 pág. 14/23 pág. 15/23 pág. 16/23 pág. 17/23 pág. 18/23 pág. 19/23 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e pág. 1/71 pág. 2/71 pág. 3/71 pág. 4/71 pág. 5/71 pág. 6/71 pág. 7/71 pág. 8/71 pág. 9/71 pág. 10/71 pág. 11/71 pág. 12/71 pág. 13/71 pág. 14/71 pág. 15/71 pág. 16/71 pág. 17/71 pág. 18/71 pág. 19/71 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO pág. 16/49 pág. 17/49 pág. 18/49 pág. 19/49 pág. 20/49 pág. 21/49 pág. 22/49 pág. 23/49 pág. 24/49 pág. 25/49 pág. 26/49 pág. 27/49 pág. 28/49 pág. 29/49 pág. 30/49 pág. 31/49 pág. 32/49 pág. 33/49 pág.

Leia mais