REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE"

Transcrição

1 REGRAS DE CODIFICAÇÃO PARA O SMARTSHARE 1. Como nomear variáveis, classes métodos e etc... Métodos descrevem ações, portanto todos os métodos DEVEM conter no mínimo um verbo SEMPRE no infinitivo. Toda a regra de negócio DEVE ser em Português (Brasil), ou seja, a área de informática também implica num ótimo conhecimento da nossa língua. O nome da variável, método, classe ou propriedade e etc. DEVE possibilitar o fácil reconhecimento de sua função/funcionalidade. Não é necessário economizar espaço em disco. Os nomes de variáveis PODEM ser grandes. Se for muito exagerado, abreviar as palavras comuns como Nome (nm), Data (dt) e etc. O caractere underscore (_) não poderá ser usado no meio de nomes de variáveis e etc.. (Ex: string nm_pessoa; //Errado). Não utilizar nenhum caractere especial. Ou seja, sem acentos, sem cê-cedilha ou símbolos fora do alfabeto. Sintaxe:

2 2. Usar prefixos em: Variáveis internas da classe Parâmetros de métodos Variáveis internas do método Ou, não usar sufixos em: namespaces, classes, propriedades ou métodos. Tipo Int String Long Double Float Bool Object DateTime Button Image CheckBox DropDownList (Combo Box) Validator TextBox GridView PlaceHolder Repeater Prefixo int str lng dbl flt boo obj dt btn img chk ddl vld txt grid plh rpt

3 3. Comentários XML Todas as classes, métodos, propriedades e variáveis DEVEM conter comentários XML. Após o terminar de escrever a assinatura do método (tipo de retorno e parâmetros), classe ou propriedade, uma linha acima do mesmo, digitar três barras invertidas (///). A tag <summary> deverá conter uma BREVE descrição do que a variável, método, classe e etc... faz ou para o que serve. A tag <param name="parameter"> descreve cada parâmetro de um método. Se o método tiver mais de um parâmetro, haverá várias tags param. Descrever o que o método espera que este parâmetro seja? A tag <remarks> é usada para colocar um comentário adicional que não caberia no summary. E também para chamar a atenção de quem o está usando para alguma regra interna que seja necessário saber. A tag <returns> serve para descrever o que resultará do método. Além dos comentários XML, utilizar os comentários padrão explicar lógicas em blocos de código que podem parecer confusas mesmo com a aplicação dos comentários xml e programação orientada à objetos. Todos os comentários servirão para gerar a documentação técnica do projeto que será disponibilizada internamente. Portanto, atentem-se as regras de português e ao profissionalismo.

4 4. Blocos de código e Regions: O código deverá ser divido basicamente em blocos e regions (Exemplo na próxima página): o Using o Namespace o Classe o Variáveis o Construtor (es) (ou page_load, no case de uma página asp.net) o Propriedades o Métodos

5 Exemplo de comentários XML, estrutura do código e regions: using System; using System.Text; using System.Windows.Forms; using SmartShare.Count; using SmartShare.Database; namespace Framework_Tester.DAL /// Exemplo de uso dos comentários XML class XmlComment #region Variáveis internas /// Indica o estado atual da página private int _intvar = 10; /// Indica o nome da página private const String NomePagina = ""; #endregion [a1] Comentário: A primeira parte da classe são os namespaces. Agrupar os namespaces caso venham de locais diferentes como System, Windows, SmartShare e etc... [a2] Comentário: Localização da classe, ou tudo o que estiver dentro do mesmo #region Construtores /// Método construtor da classe public XmlComment() /// Método construtor da classe com parâmetro /// <param name="parameter"> /// Objeto a ser iniciado com o construtor da classe

6 /// </param> /// <remarks> /// A classe já inicia o objeto internamente. /// </remarks> public XmlComment(object objparameter) #endregion #region Propriedades públicas /// Propriedade que indica o nome da pessoa public String Property get return ""; #endregion [a3] Comentário: O uso de regions é importantíssimo pois facilita a visualização do código criando blocos ocultáveis com comentários #region Métodos públicos /// Altera a chave de criptografia /// <param name="strparameter"> /// Chave nova para criptografia /// </param> /// <returns>nova string criptografada</returns> public String Method(String strparameter) #endregion

7 Exemplo do mesmo código acima com as regions ocultas:

8 5. Regras de SQL Os comandos, funções e palavras-chave deverão estar em letra maiúscula. Ex: SELECT, INTO, UPPER, CONVERT. Os nomes de tabela e seu apelido deverão estar em letra maiúscula. Ex: FROM USUARIO, DOCUMENTO DOC Os nomes de campos deverão estar em letra minúscula Ex: DOC.cd_documento, SELECT ds_usuario, dt_nasc Ao utilizar uma string de entrada do usuário como valor de comparação em um SQL (Ex: SELECT cd_documento WHERE ds_documento LIKE [variavel digitada pelo usuário] ) SEMPRE escapar a string (em C#) para prevenir código malicioso. Nunca utilizar SELECT *. Sempre especificar cada um dos campos que serão selecionados da tabela um por um. Ao inserir em um campo cujo tipo seja bit (boolean) sempre trabalhar com os valores 0 ou 1 sem aspas. Nunca inserir os valores true ou false. Lembrando que 0 significa false e 1 significa true.

9 6. Banco de Dados Lembrar da existência do ExecuteScalar() para consultas que retornam somente uma coluna e uma linha. Importantíssimo lembrar que o ExecuteReader fica conectado ao banco de dados enquanto você não finalizá-lo. Execute o SQL, repasse os resultados e feche-o o mais rápido possível. Quando for necessário executar comandos SQL recursivos, SEMPRE utilizar o objeto DataSet (comando FillDataSet) para manipular os dados. 7. Strings Não será mais permitida a declaração de variáveis do tipo string primitivo ( s com letra minúscula). Apenas a versão orientada a objeto do mesmo: String ( s com letra maiúscula). O objeto String se encontra em System.String. É importantíssimo lembrar que a concatenação de strings é um processo lento. ( ola + + mundo + variável...). Portanto em casos de concatenação dinâmica de strings SEMPRE utilizar a classe StringBuilder. A classe se encontra em System.Text.StringBuilder. StringBuilder sql = new StringBuilder(); string x = ok ; while( x!= y) sql.append(x); //Equivalente a: sql = sql + x; mas de forma muito mais rápida. Conn.ExecuteReader(sql.ToString()); 8. Parâmetros pela URL É importantíssimo utilizar nomes para a chave do parâmetro que sejam abstratos. Ou seja, se um usuário olhar a URL, não irá entender o parâmetro ou como utilizá-lo. Colocar nomes de chaves simples como id, cd. Com o mínimo de letras possíveis e que não formem palavras coerentes. Comentar internamento no código para que o desenvolvedor saiba o significado do parâmetro Cuidar com os valores passados pela URL. Não passar informações restritas do sistema como ID dos registros sem que estejam criptografados.

10 9. Validação de Formulário Todos os formulários DEVEM primariamente ser validados no servidor. A validação no cliente (javascript) deve ser usada apenas como uma facilidade extra Ao utilizar controles de validação do.net, também é necessário fazer esta verificação no servidor, que é feita da seguinte forma: Assim, todo o código dentro do bloco da validação if(page.isvalid) está protegido no servidor. Funcionamento: A propriedade da página IsValid é alimentada de True ou False automaticamente pelo.net quando a página é carregada. Ou seja, todas as validações são executadas antes do evento Page_Load e dependendo do resultado alimenta a propriedade com True ou False. O.NET irá continuar o carregamento da página e/ou eventos que foram acionados independente do valor final da propriedade IsValid, pois cabe ao programador tomar a ação desejada baseada nesta propriedade. No caso da Tela de Gerenciamento Padrão, não há nenhum tratamento especial, simplesmente o bloco do evento fica protegido da execução caso o formulário não esteja válido.

11 CHANGELOG: Tópico Data Descrição 5 Adicionada regra para uso de valores bit 8 21/02/2007 Novo tópico 9 20/03/2007 Novo tópico

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

Aula 06 Usando controles em ASP.NET

Aula 06 Usando controles em ASP.NET Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Linguagem de Programação Plataforma.NET 2 Aula 06 Usando controles em ASP.NET Nas propriedades do FORM temos a opções EnableViewState. Esta

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Consulta de endereço através do Cep

Consulta de endereço através do Cep --------------------------------------------------------------------------------------------- Por: Giancarlo Fim giancarlo.fim@gmail.com Acesse: http://giancarlofim.wordpress.com/ ---------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014

MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP. Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 MANUAL DE NORMAS PARA DESENVOLVIMENTO DE CÓDIGO DA FÁBRICA VIRTUAL DE SOFTWARE DA FIPP Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet 2/2014 1. Nomes e localização dos arquivos do projeto: O template

Leia mais

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi Introdução ao PHP Prof. Késsia Marchi PHP Originalmente PHP era um assíncrono para Personal Home Page. De acordo com convenções para atribuições de nomes recursivas do GNU foi alterado para PHP Hypertext

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

using System; using System.Collections.Generic; using System.Text; namespace Estudo { public class PessoaJuridica : Pessoa { private string cnpj;

using System; using System.Collections.Generic; using System.Text; namespace Estudo { public class PessoaJuridica : Pessoa { private string cnpj; using System; using System.Collections.Generic; using System.Text; namespace Estudo public abstract class Pessoa private int idpessoa; private string nome; public int IdPessoa get return this.idpessoa;

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

Validando dados de páginas WEB

Validando dados de páginas WEB Validando dados de páginas WEB Para que validar os dados? Validar os dados informados pelo usuário garante que sua aplicação funcione corretamente e as informações contidas nela tenha algum sentido. Outro

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

e à Linguagem de Programação Python

e à Linguagem de Programação Python Introdução a Algoritmos, Computação Algébrica e à Linguagem de Programação Python Curso de Números Inteiros e Criptografia Prof. Luis Menasché Schechter Departamento de Ciência da Computação UFRJ Agosto

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA

CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA CONVENÇÃO DE CÓDIGO JAVA Eligiane Ceron - Abril de 2012 Versão 1.0 Conteúdo Considerações iniciais... 2 Introdução... 2 Extensão de arquivos... 2 Arquivos de código Java... 2 Comentários iniciais... 2

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel Competências a serem trabalhadas nessa aula Criação da Base de Dados (MySQL) Criação de Tabelas Tipo de Dados Chave Primária

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas

PHP() é uma linguagem de integração de servidor que permite a criação de paginas dinâmicas. Como todas O que é PHP? Acrônimo de PHP: Hipertext Language PostProcessor Inicialmente escrita para o desenvolvimento de aplicações Web Facilidade para iniciantes e recursos poderosos para programadores profissionais

Leia mais

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1

Informática I. Aula 6. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Informática I Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 6-12/09/2007 1 Ementa Noções Básicas de Computação (Hardware, Software e Internet) HTML e Páginas Web Internet e a Web Javascript e

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Manual de padrões e convenções para desenvolvimento de sistemas PHP Versão Conteúdo 1.

Leia mais

Criando um carrinho de compras

Criando um carrinho de compras Criando um carrinho de compras Um carrinho de compras feito em ASP.NET para você adaptar ao seu negócio e incluir no seu site. Além de aprender conceitos importantes relacionados a tecnologia ASP.NET vai

Leia mais

Internet e Programação Web

Internet e Programação Web COLÉGIO ESTADUAL PEDRO MACEDO Ensino Profissionalizante Internet e Programação Web 3 Técnico Prof. Cesar 2014 1 SUMÁRIO Criar sites dinâmicos em PHP --------------------------------------------------------

Leia mais

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II

Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Microsoft Visual Studio 2010 C# Volume II Apostila desenvolvida pelos Professores Ricardo Santos de Jesus e Rovilson de Freitas, para as Disciplinas de Desenvolvimento de Software I e II, nas Etecs de

Leia mais

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia.

O atacante pode roubar a sessão de um usuário legítimo do sistema, que esteja previamente autenticado e realizar operações que o mesmo poderia. Explorando e tratando a falha de Cross-site-scripting (XSS) 1 D E D E Z E M B R O D E 2 0 1 5 Muito pouco falada e com alto nível crítico dentro das vulnerabilidades relatadas, o Cross-site-scripting (XSS)

Leia mais

Padrões de Codificação Java

Padrões de Codificação Java Padrões de Codificação Java João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 1.0 Última Atualização: Março / 2005 1 Objetivos Apresentar os padrões de codificação Java da SUN 2 Introdução Um padrão

Leia mais

Então vamos ao que interessa. 1. Introdução

Então vamos ao que interessa. 1. Introdução Tentarei ser o mais genérico possível. Nos exemplos irei utilizar ASP.Net 2.0 e acesso a dados através do ADO.NET, mas pode ter certeza que para outros casos a idéia não irá mudar muito, seja com LINQ,

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25

Sumário. Capítulo 1 O que é o PHP?... 19. Capítulo 2 Instalação do PHP... 23. Capítulo 3 Noções básicas de programação... 25 9 Sobre o autor... 8 Introdução... 15 Capítulo 1 O que é o PHP?... 19 Características do PHP...20 Gratuito e com código aberto...20 Embutido no HTML...20 Baseado no servidor...21 Bancos de dados...22 Portabilidade...22

Leia mais

Login. Criar um novo website File > New > WebSite Framework 4.5 Visual C# ASP.NET Empty Web Site Nome do projeto: WebLogin

Login. Criar um novo website File > New > WebSite Framework 4.5 Visual C# ASP.NET Empty Web Site Nome do projeto: WebLogin Login Criar um novo website File > New > WebSite Framework 4.5 Visual C# ASP.NET Empty Web Site Nome do projeto: WebLogin Estrutura do projeto Criar pastas e deixar a estrutura do projeto conforme a figura.

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br Java - Introdução Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda O que é Java? Sun / Oracle. IDE - NetBeans. Linguagem Java; Maquina Virtual; Atividade Prática. Identificando Elementos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Sumário. Implantação do WebService de Aposentadoria. Implantação do WebService de Pensão

Sumário. Implantação do WebService de Aposentadoria. Implantação do WebService de Pensão Manual de Implantação do WebService de Aposentadoria e Pensão Sumário Implantação do WebService de Aposentadoria 1. ConsultarStatusProcesso Esse método é responsável por consultar o Status do Processo

Leia mais

1-03/11/03 INTRODUÇÃO

1-03/11/03 INTRODUÇÃO 1-03/11/03 INTRODUÇÃO JavaScript é uma linguagem que permite injetar lógica em páginas escritas em HTML (HiperText Mark-up Language). As páginas HTML podem ser escritas utilizando-se editores de texto,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Formulários Os formulários em HTML são usados para selecionar diferentes tipos de entradas do usuário. Um formulário é uma área que

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários)

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Linguagem de Programação para Web JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Prof. Mauro Lopes 1-31 23 Objetivos Iremos avançar um pouco mais em nosso estudo sobre o JavaScript. Iremos

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Trabalhando com XML RENATO CORREIA DE MATOS

Trabalhando com XML RENATO CORREIA DE MATOS Trabalhando com XML RENATO CORREIA DE MATOS Para que aplicações heterogêneas possam se comunicar é necessário que haja um padrão. Uma boa escolha para a troca de mensagens seria por meio de arquivo texto,

Leia mais

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++ Fundamentos de Programação II Introdução à linguagem de programação C++ Prof. Rafael Henrique D. Zottesso Material cedido por Prof. Msc. Everton Fernando Baro Agenda IDE HelloWorld Variáveis Operadores

Leia mais

A Lixeira do Dri. Gerar XMLs pelo SQL Server (FOR XML) 10/2/2011 A Lixeira do Dri: Gerar XMLs pelo SQL. blogspot.com/ /gerar-xmls-pelo-sql 1/13

A Lixeira do Dri. Gerar XMLs pelo SQL Server (FOR XML) 10/2/2011 A Lixeira do Dri: Gerar XMLs pelo SQL. blogspot.com/ /gerar-xmls-pelo-sql 1/13 A Lixeira do Dri Se eu não apertei Shift + Del... D E L E T A D O E M 24 D E N O V E M B R O D E 200 9 Gerar XMLs pelo SQL Server (FOR XML) Depois de 3 meses de muita quebradeira em casa, agora tenho meu

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Linguagens de programação

Linguagens de programação Prof. André Backes Linguagens de programação Linguagem de Máquina Computador entende apenas pulsos elétricos Presença ou não de pulso 1 ou 0 Tudo no computador deve ser descrito em termos de 1 s ou 0 s

Leia mais

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS

DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Cursos: Análise, Ciência da Computação e Sistemas de Informação Programação I - Prof. Aníbal Notas de aula 2 DEFINIÇÃO DE MÉTODOS Todo o processamento que um programa Java faz está definido dentro dos

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Características do PHP. Começando a programar

Características do PHP. Começando a programar PHP Introdução Olá pessoal. Desculpe o atraso na publicação da aula. Pude perceber pelas respostas (poucas) ao fórum que a realização da atividade do módulo I foi relativamente tranquila. Assistam ao vídeo

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VII Acesso a Bases de Dados via Web Duração: 50 tempos Conteúdos (1) Conceitos

Leia mais

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Apresento neste artigo como criar uma aplicação web totalmente orientada a objetos usando o framework NHibernate e a linguagem C#. Nossa meta é construir

Leia mais

AULA 12 CLASSES DA API JAVA. Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br

AULA 12 CLASSES DA API JAVA. Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br AULA 12 CLASSES DA API JAVA Disciplina: Programação Orientada a Objetos Professora: Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br CLASSES DA API JAVA A maioria dos programas de computador que resolvem problemas do

Leia mais

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil

SQL. Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno. Faculdade de Informática de Taquara. Igrejinha - RS Brazil SQL Jacir de Oliveira, José Alencar Philereno Faculdade de Informática de Taquara Igrejinha - RS Brazil jacirdeoliveira@faccat.br, alencar@philler.com.br Resumo. Este artigo irá descrever a linguagem de

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Entendendo Injeção de SQL

Entendendo Injeção de SQL Entendendo Injeção de SQL Autor K4m1k451 < k4m1k451@gmail.com bere_bad@hotmail.com > 18/05/2009 Sumário: ---[ 0x00 Introdução... 4 ---[ 0x01 Desmistificando as single quotes... 4 ---[ 0x02 Injetando...

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

Programação de Computadores. Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim

Programação de Computadores. Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim Programação de Computadores Professor Ilaim Costa Junior ilaim@ic.uff.br Www.ic.uff.br/~ilaim Roteiro da Aula de Hoje Introdução ao FORTRAN (Parte I) Organização de programas Tipos de dados Variáveis Programação

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Sintaxe da Linguagem: Delimitadores e etc Profª MSc. Elizabete Munzlinger JavaScript Sintaxe da Linguagem Índice 1 SINTAXE DA LINGUAGEM... 2 1.1 Delimitadores de

Leia mais

Linguagem de Programação. Introdução ao PHP. Prof Mauricio Lederer Ciência da Computação - UNIANDRADE 1

Linguagem de Programação. Introdução ao PHP. Prof Mauricio Lederer Ciência da Computação - UNIANDRADE 1 Linguagem de Programação Introdução ao PHP 1 O que é PHP? - significa: Hypertext Preprocessor - uma das linguagens mais utilizadas para web - transforma sites estáticos em dinâmicos - atualização de páginas

Leia mais

Laboratório de Programação I

Laboratório de Programação I Laboratório de Programação I Introdução à Programação em Visual Basic Fabricio Breve Objetivos Ser capaz de escrever programas simples em Visual Basic Ser capaz de usar os comandos de entrada e saída Familiarizar-se

Leia mais

Olimpíadas de Informática

Olimpíadas de Informática Olimpíadas de Informática Aulas preparatórias Introdução a Programação em C++. Prof. Gemilson George gemilson_geo gemilson@colegiogeo.com.br (83)8792-7419 informaticageo.wordpress.com (Grupo): GEO.OBI

Leia mais

Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C#

Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C# Tarefa Orientada 2 Visual Studio 2005 e Visual C# Nesta tarefa é proposta a realização de um conjunto de actividades que têm como finalidade a familiarização com o programa e adquirir alguma destreza na

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Java. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Java Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Java! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET

PADI 2015/16. Aula 1 Introdução à Plataforma.NET PADI 2015/16 Aula 1 Introdução à Plataforma.NET 1 Sumário 1. Framework.NET Arquitectura 2. Linguagem C# 2.0 Sintaxe C# vs. Java vs. C++ 3. IDE: MS Visual Studio 2005 ou superior Ferramentas Console/Win

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. josineys@inf.ufpr.br Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 2 (07/08/15) Introdução ao Python História Características Estrutura dos código-fonte Primeiros elementos

Leia mais

6. Introdução à Linguagem PHP

6. Introdução à Linguagem PHP 6. Introdução à Linguagem PHP A comunicação na Web exige dois agentes: o cliente web e o servidor web. O cliente requer informação (a partir de uma página HTML acessada pelo navegador) e o servidor fornece

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe

Conteúdo. Linguagem Estática x Dinâmica O que é PHP? Configurando o Ambiente do PHP Sintaxe Unidade IV Introdução à Linguagem PHP Parte 1 Professor Fabiano de Paula Soldati fpsoldati@yahoo.com.br http://br.groups.yahoo.com/group/professorsoldati/ Conteúdo Linguagem Estática x Dinâmica O que é

Leia mais

Criando documentação com javadoc

Criando documentação com javadoc H Criando documentação com javadoc H.1 Introdução Neste apêndice, fornecemos uma introdução a javadoc ferramenta utilizada para criar arquivos HTML que documentam o código Java. Essa ferramenta é usada

Leia mais

Arquivos de Textos no C - Básico

Arquivos de Textos no C - Básico OpenStax-CNX module: m47676 1 Arquivos de Textos no C - Básico Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License 3.0 TRABALHANDO

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008

Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008 Criando um projeto ASP.Net no Visual Studio 2008 Ao abrir o Visual Studio 2008, vá no menu File > New > Project (como mostra a imagem abaixo) ou simplesmente pressionando as teclas Ctrl + Shift + N. Nas

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL Objetivos Revisando a sintaxe SQL SELECT, UPDATE, INSERT, DELETE Manipulando expressões Funções matemáticas, etc Condições de Pesquisa Funções de Agregação

Leia mais

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL Programação para Android Aula 08: Persistência de dados SQL Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados. Para guardar informações de forma persistente

Leia mais

Prof. Esp. Adriano Carvalho

Prof. Esp. Adriano Carvalho Prof. Esp. Adriano Carvalho O que é um Programa? Um arquivo contendo uma sequência de comandos em uma linguagem de programação especifica Esses comandosrespeitam regras de como serem escritos e quais

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Formulários e JavaScript Como visto anteriormente, JavaScript pode ser usada para

Leia mais

Programação WEB II. Introdução. Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. Introdução. Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores. Thiago Miranda dos Santos Souza Introdução Variáveis, Constantes, Operadores, Estruturas de Seleção e Repetição Arrays e Vetores Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Ementa da Disciplina

Leia mais

Introdução à estrutura de dados com Python

Introdução à estrutura de dados com Python Introdução à estrutura de dados com Python CLEIBSON APARECIDO DE ALMEIDA UFPR Universidade Federal do Paraná PPGMNE Programa de Pós Graduação em Métodos Numéricos em Engenharia Centro Politécnico CEP 81.531-980

Leia mais

Criando & Consumindo um WebService com ASP.NET 2.0 Publicado em: 25 de Agosto de 2007 Por Herman Ferdinando Arais

Criando & Consumindo um WebService com ASP.NET 2.0 Publicado em: 25 de Agosto de 2007 Por Herman Ferdinando Arais ASP.NET > WebService herman_arais@yahoo.com.br Introdução Um WebService é um componente, ou unidade lógica de aplicação, acessível através de protocolos padrões de Internet. Como componentes, esses serviços

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Layout de Utilização via software proprio/particular ISSQN NFSE DANFE

Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Layout de Utilização via software proprio/particular ISSQN NFSE DANFE Nota Fiscal de Serviço Eletrônica Layout de Utilização via software proprio/particular ISSQN NFSE DANFE 1. Introdução Este manual tem como objetivo apresentar a definição das especificações e critérios

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br

Organização de programas em Python. Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Organização de programas em Python Vanessa Braganholo vanessa@ic.uff.br Vamos programar em Python! Mas... } Como um programa é organizado? } Quais são os tipos de dados disponíveis? } Como variáveis podem

Leia mais

PostgreSQL o SGBD das 1001 linguagens Diogo Biazus diogob@gmail.com

PostgreSQL o SGBD das 1001 linguagens Diogo Biazus diogob@gmail.com PostgreSQL o SGBD das 1001 linguagens Diogo Biazus diogob@gmail.com Um dos grandes diferenciais do PostgreSQL em relação à maioria dos outros sistemas de bancos de dados é a presença de diversas linguagens

Leia mais

43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML

43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML 43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML Aqui serão exemplificados os relatórios que podem ser definidos pelo usuário. Esses Relatórios podem ser impressos em Impressora Lazer,

Leia mais

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java

POO Programação Orientada a Objetos. Classes em Java + POO Programação Orientada a Objetos Classes em Java + Classes 2 Para que a JVM crie objetos: Ela precisa saber qual classe o objeto pertence Na classe estão definidos os atributos e métodos Programamos

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais