Level of Disclosure of Environmental Information in the Electricity Sector: an Empirical Study of Brazil and Iberian Peninsula

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Level of Disclosure of Environmental Information in the Electricity Sector: an Empirical Study of Brazil and Iberian Peninsula"

Transcrição

1 Level of Disclosure of Environmental Information in the Electricity Sector: an Empirical Study of Brazil and Iberian Peninsula Célia Braga UFC CAPES FEUC - INESCC Patrícia Pereira da Silva FEUC - INESCC Greyciane Passos dos Santos - UFC

2 Introdução Tema: Divulgação ambiental Objeto de estudo: Indicadores ambientais GRI Aplicação empírica: Setor de energia elétrica no Brasil, Portugal e Espanha Período: 2006 a 2008

3 OBJETIVO DO ESTUDO Identificar o Nível de Divulgação da Informação Ambiental (NDIA) de 23 empresas brasileiras, 2 portuguesas e 6 espanholas publicadas no website da GRI, que fizeram divulgação ambiental no período de 2006 a 2008 utilizando os indicadores GRI, G3.

4 QUESTÕES CIENTÍFICAS 1. Como evoluiu individualmente a divulgação ambiental das empresas da amostra? 2. Qual a relação entre o nível de divulgação da informação ambiental e o país de localização da empresa? 3. Quais os principais stakeholders das empresas investigadas? 4. Quais os canais de comunicação disponibilizados pelas empresas nos seus relatórios de sustentabilidade?

5 O ESTUDO: Revisão de Literatura Divulgação da Informação ambiental O relatório e a divulgação ambiental O conteúdo da divulgação ambiental e os Indicadores GRI Nível de divulgação da informação ambiental

6 Metodologia e Identificação da Amostra Amostra Setor de energia elétrica 23 Brasil 2 Portugal 3 6 Espanha Métrica: 39 indicadores ambientais (19 essenciais, 12 adicionais e 8 específicos). GRI 07 indicadores do perfil organizacional e o indicador de engajamento e comunicação com stakeholders.

7 Metodologia e Identificação da Amostra ESCALA PESQUISA EXPLORATÓRIA Zero: Não Publicado, NA e ND Um ponto: Qualitativa Dois pontos: Quanti Três pontos: qualitativa, quantitativa Quatro pontos: Qualitativa, quantitativa e no transcurso do tempo Pesquisa Documental Análise de Conteúdo Análise de Correspondência (ANACOR) com dados em painéis RESULTADOS

8 Resultados Organização Ano NDIA (%) Ano NDIA (%) Ano NDIA (%) AES Tietê S A % Endesa Cachoeira % % Eletronorte % % Furnas Centrais Elétricas % % Itaipu Binacional % % % Tractebel Energia % % Endesa Fortaleza % % Endesa CIEN % % CTEEP % AES Eletropaulo % % COELBA % % COELCE % % % Ampla % % % Elektro % % % COSERN % CEMIG % % % COPEL % % % Energias do Brasil % % % CPFL Energia % % % Eletrobrás % NDIA As empresas brasileiras estão em processo de melhoria no nível de divulgação Light S.A % % Endesa Brasil ,10% % Grupo Rede %

9 Resultados Organização Ano NDIA (%) Ano NDIA (%) Ano NDIA (%) EDP Portugal % % % REN % % % Iberdrola % % % Endesa Espanha % % % Red Eléctrica % % % Gás Natural Fenosa % % % Iberdrola Renovável % % HC Energia % NDIA As empresas da Península dividem-se entre as que aumentam o nível de divulgação (63%) e as que reduzem (25%)

10 Resultados Nível de Divulgação da Informação País Ruim Regular Ambiental Bom Ótimo (NDIA) Active Margin Brasil Portugal Espanha Active Margin A Tabela de Contingência revela que a amostra apresenta um equilíbrio entre as quatro categorias, porém com mais empresas com nível de divulgação ruim (19), com maior contribuição do Brasil, e menor número com nível ótimo (16), com maior contribuição da Espanha.

11 Resultados O nível de divulgação das empresas do setor de energia elétrica no Brasil está situado entre ruim e regular. Portugal está entre os níveis regular e bom. Espanha, próximo do ótimo Um fator que pode contribuir para a distância da categoria Portugal das categorias NDIA é a pequena quantidade de empresas no país

12 Resultados A localização da empresa - nível de divulgação e a cultura dos stakeholders. Stakeholders Prioritários: acionistas/ investidores, consumidores/clientes, o governo e o agente regulador

13 Resultados Comunicação Analisando 20 empresas brasileiras e 8 da península ibérica no exercício de Divulgam EMPRESAS Brasil Península Telefone para contato Página web 15 7 Pessoa para contato 11 Informam todos 8 5

14 Conclusão Indicadores GRI são importantes para a análise do nível de divulgação da informação ambiental. Analisando-se o resultado individual, no transcurso do tempo, constata-se que as empresas brasileiras estão em processo de melhoria no nível de divulgação. Enquanto, as empresas ibéricas dividem-se entre as que cresceram em divulgação e as que sofreram redução. Os resultados obtidos indicam que os relatórios das empresas espanholas possuem um ótimo nível de divulgação, as empresas portuguesas possuem um nível mais próximo de regular e as empresas brasileiras situamse entre ruim e regular.

15 Conclusão A definição de stakeholders para as empresas é semelhante nos três países. Quanto ao processo de comunicação da empresa com os stakeholders também há semelhanças. Os principais canais de comunicação são telefone, e/ou a página da web. No Brasil, 40% da amostra em análise divulgam todos os canais, e na Península 62,5%.

16 Referência Bibliográfica Ahmad, Z.; Hassan, S.; Mohammad, J., Determinants of environmental reporting in Malaysia. International Journal of Business Studies. 11, ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica (2010) acessado em Outubro/2010. Bardin, L. (1997) Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. Bolívar, M. P. R., Evaluating Corporate Environmental Reporting on the Internet: The Utility and Resource Industries in Spain. Business & Society. 48, Braga, J. P.; Oliveira, J. R. S.; Salotti, B. M., Determinantes do Nível de Divulgação Ambiental nas Demonstrações Contábeis de Empresas Brasileiras. Revista de Contabilidade da Universidade Federal da Bahia, 3 (3), CNE Comisión Nacional de Energía, El consumo eléctrico en el mercado peninsular em el año Dirección de Relaciones Institucionales. ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, Caracterização da procura de energia elétrica em Fávero, L. P.; Belfiore, P.; Silva, F. L.; Chan, B. L., Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões, Elsevier, Rio de Janeiro. Global Reporting Initiative GRI 2010 GRI report list. The Electronic Farmer acessado em Outubro/2010.

17 Muito Obrigada!

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores Conferência do Diário Económico Vitor Santos Presidente da ERSE Hotel Sheraton, Lisboa 4 de Julho de 2012 Agenda 1. Liberalização efetiva

Leia mais

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil

Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Realidade das Tarifas de Energia Elétrica no Brasil Sumário Executivo Este documento oferece uma análise factual sobre a composição da tarifa de energia elétrica, os fatores que levam à variação de cada

Leia mais

EDP Investor Day. 5 Anos de IPO EDP no Brasil

EDP Investor Day. 5 Anos de IPO EDP no Brasil EDP Investor Day 5 Anos de IPO EDP no Brasil Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

A DIVULGAÇÃO AMBIENTAL NO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA BRASILEIRO

A DIVULGAÇÃO AMBIENTAL NO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA BRASILEIRO ISSN 1984-9354 A DIVULGAÇÃO AMBIENTAL NO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA BRASILEIRO CÉLIA MARIA BRAGA CARNEIRO (UFC/COIMBRA) Patrícia Pereira da Silva (UNIVERSIDADE DE COIMBRA) Ariovaldo dos Santos (USP) Greyciane

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento 5.

Leia mais

A Evolução dos Relatórios de Sustentabilidade de Empresas Brasileiras do Setor de Energia Elétrica

A Evolução dos Relatórios de Sustentabilidade de Empresas Brasileiras do Setor de Energia Elétrica A Evolução dos Relatórios de Sustentabilidade de Empresas Brasileiras do Setor de Energia Elétrica A Evolução dos Relatórios de Sustentabilidade de Empresas Brasileiras do Setor de Energia Elétrica Heloisa

Leia mais

Analysis of the evolution of after sales and post-consumption reverse logistics actions by the brazilian electricity sector in 2009 to 2011 RESUMO

Analysis of the evolution of after sales and post-consumption reverse logistics actions by the brazilian electricity sector in 2009 to 2011 RESUMO Análise da evolução das ações de logística reversa de pós-venda e pós-consumo realizada pelo setor brasileiro de energia elétrica nos anos de 2009 a 2011 Analysis of the evolution of after sales and post-consumption

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS E SOCIAIS: COMPARAÇÃO ENTRE EMPRESAS ESTATAIS E PRIVADAS DO SETOR ELÉTRICO

INDICADORES ECONÔMICOS E SOCIAIS: COMPARAÇÃO ENTRE EMPRESAS ESTATAIS E PRIVADAS DO SETOR ELÉTRICO INDICADORES ECONÔMICOS E SOCIAIS: COMPARAÇÃO ENTRE EMPRESAS ESTATAIS E PRIVADAS DO SETOR ELÉTRICO ANTONIO CARLOS CINTRA DO AMARAL FILHO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO BRUNO MEIRELLES SALOTTI UNIVERSIDADE DE

Leia mais

Resultados da Pesquisa

Resultados da Pesquisa Resultados da Pesquisa Experiências com Instalações de Sistemas Fotovoltaicos conectados à rede Paula Scheidt Manoel 26 de março de 2014 Metodologia Pesquisa online com instaladores convidados Número de

Leia mais

Sustentabilidade no Setor Sucroenergético

Sustentabilidade no Setor Sucroenergético Sustentabilidade no Setor Sucroenergético Maria Luiza Barbosa Gerente Responsabilidade Social Corporativa Piracicaba 14 de junho de 2011 Sustentabilidade Atendimento das necessidades das gerações atuais,

Leia mais

INDICADORES AMBIENTAIS ESSENCIAIS: UMA ANÁLISE

INDICADORES AMBIENTAIS ESSENCIAIS: UMA ANÁLISE INDICADORES AMBIENTAIS ESSENCIAIS: UMA ANÁLISE DA SUA UTILIZAÇÃO NOS RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE DAS EMPRESAS DO SETOR DE ENERGIA ELÉTRICA SUL AMERICANO, ELABORADOS PELA VERSÃO G3 DA GLOBAL REPORTING

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012 Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Nos últimos anos tem havido evolução dos conceitos econômicos, sociais e

Leia mais

Iberia 125 Climate Change Report 2014 Key findings & scoring results

Iberia 125 Climate Change Report 2014 Key findings & scoring results www.pwc.com Iberia 125 Climate Change Report 2014 Key findings & scoring results Lisboa 30 Cláudia Coelho Sustainable Business Solutions Portugal , advisor do CDP Iberia pelo quarto ano Iberia 125 Climate

Leia mais

COMO FHC E SERRA VENDERAM O BRASIL

COMO FHC E SERRA VENDERAM O BRASIL COMO FHC E SERRA VENDERAM O BRASIL O Sr. José Serra do PSDB, tocava o programa de privatização e era o responsável pela vendas das estatais brasileiras, quando foi ministro do planejamento do governo FHC.

Leia mais

Indicadores de qualidade do fornecimento de energia elétrica Coelce

Indicadores de qualidade do fornecimento de energia elétrica Coelce Indicadores de qualidade do fornecimento de energia elétrica Coelce Ceará, 19/05/2016 CONERGE Agenda: Regulamentação Definição de Indicadores de Qualidade Histórico de Indicadores Coletivos Qualidade 2

Leia mais

SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico -

SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico - SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO - Sector Eléctrico - APE Energia e Ambiente metas e políticas Maio 2004 António Neves de Carvalho EDP Electricidade de Portugal, S.A. Gabinete de Ambiente

Leia mais

O MEIO AMBIENTE PARA INFRA-ESTRUTURA SEMANA FIESP-CIESP DO MEIO AMBIENTE 2008. Silvia M Calou Diretora Executiva ABCE

O MEIO AMBIENTE PARA INFRA-ESTRUTURA SEMANA FIESP-CIESP DO MEIO AMBIENTE 2008. Silvia M Calou Diretora Executiva ABCE O MEIO AMBIENTE PARA INFRA-ESTRUTURA SEMANA FIESP-CIESP DO MEIO AMBIENTE 2008 Silvia M Calou Diretora Executiva ABCE ABCE - Associação Brasileira de Concessionárias de Energia Elétrica - 71 anos de fundação

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Prémio Desenvolvimento Sustentável

Prémio Desenvolvimento Sustentável Prémio Desenvolvimento Sustentável 1 Prémio Desenvolvimento Sustentável A noção de que o desenvolvimento sustentável é um investimento a longo prazo, com vista à criação de valor para os stakeholders através

Leia mais

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI ENEGEP 2013 Relatórios de Sustentabilidade GRI 11 de Outubro 2013 1 Sustentabilidade, Sociedade e Mercado Recursos Ambientais Recursos Sociais SUS TENTA BILIDADE Recursos Econômico- Financeiros Adaptado

Leia mais

INFORMATIVO DE SEGURANÇA E SAÚDE

INFORMATIVO DE SEGURANÇA E SAÚDE INTRODUÇÃO O 8º SENSE Seminário Nacional de Segurança e Saúde no Setor Elétrico Brasileiro está sendo idealizado e, naturalmente, os parceiros e entidades envolvidas efetivamente com o tema, estão aderindo

Leia mais

1 a Reunião do Conselho de Administração de 2010. Eventos Técnicos Previstos em 2010

1 a Reunião do Conselho de Administração de 2010. Eventos Técnicos Previstos em 2010 1 a Reunião do Conselho de Administração de 21 Eventos Técnicos Previstos em 21 SUMÁRIO EXECUTIVO EVENTOS S: 12 EVENTOS DO CNB: EVENTOS DE CE: 12 ( 3 do B2) EVENTOS S/EITA: 1 (D2) EVENTOS DE MÉDIO PORTE:

Leia mais

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA Case study 2009 Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA A Galp Energia é um operador integrado presente em toda a cadeia de valor do petróleo e do gás natural e cada vez mais activo nas

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais?

Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais? Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais? 1 P r i n c í p i o s S u s t e n t á v e i s Agenda O que é Sustentabilidade?

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA CTC CÁVADO-MINHO LIMA-OURENSE COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO CÁVADO AGÊNCIA DE ENERGIA DO CÁVADO Setembro, 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 SEMINÁRIO Energia Solar Passiva...

Leia mais

Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2002-03 e 2003-04

Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2002-03 e 2003-04 21 a 25 de Agosto de 6 Belo Horizonte - MG Avaliação dos Investimentos nos Programas de P&D e de Eficiência Energética das Grandes Empresas de Eletricidade no Brasil: Ciclos 2-3 e 3-4 Herivelto Tiago Marcondes

Leia mais

ANÁLISE DO PERFIL DE INVESTIMENTO SOCIAL: UM ESTUDO DAS CEM MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO NO BRASIL NO ANO DE 2009.

ANÁLISE DO PERFIL DE INVESTIMENTO SOCIAL: UM ESTUDO DAS CEM MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO NO BRASIL NO ANO DE 2009. ANÁLISE DO PERFIL DE INVESTIMENTO SOCIAL: UM ESTUDO DAS CEM MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO NO BRASIL NO ANO DE 2009. Maria Carolina Domingues Franco 1 ; Michel Mott Machado 2 ; Ricardo Trovão 3 Estudante

Leia mais

Consolidação no Setor Elétrico Brasileiro

Consolidação no Setor Elétrico Brasileiro www.pwc.com/br Consolidação no Setor Elétrico Brasileiro Edmundo Abreu Diretor Setembro de 2011 1 A reforma do setor elétrico alterou profundamente sua estrutura institucional Geração Modelo do Setor Energia

Leia mais

INFORMAÇÕES DE NATUREZA SOCIOAMBIENTAL: ANÁLISE DOS BALANÇOS SOCIAIS DAS EMPRESAS INTEGRANTES DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DA BM&FBOVESPA

INFORMAÇÕES DE NATUREZA SOCIOAMBIENTAL: ANÁLISE DOS BALANÇOS SOCIAIS DAS EMPRESAS INTEGRANTES DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DA BM&FBOVESPA DOI: 10.5902/198346598892 INFORMAÇÕES DE NATUREZA SOCIOAMBIENTAL: ANÁLISE DOS BALANÇOS SOCIAIS DAS EMPRESAS INTEGRANTES DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DA BM&FBOVESPA NATURE OF ENVIRONMENTAL

Leia mais

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 1 DE OUTUBRO DE 2012 Os preços apresentados neste documento são comunicados à

Leia mais

ABRAPP Relatório Social 2010 PERFIL DO SETOR E TRANSPARÊNCIA

ABRAPP Relatório Social 2010 PERFIL DO SETOR E TRANSPARÊNCIA ABRAPP Relatório Social PERFIL DO SETOR 15 GOVERNANÇA CORPORATIVA E TRANSPARÊNCIA ABRAPP Relatório Social 1 Uma boa governança, além de contemplar a autogestão das organizações, limitando-se à preocupação

Leia mais

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br)

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br) Obrigado por acessar esta pesquisa. Sei como é escasso o seu tempo, mas tenha a certeza que você estará contribuindo não somente para uma tese de doutorado, mas também para a melhoria das práticas da Comunidade

Leia mais

Contribuições da ANEEL ao Processo de Renovação das Concessões

Contribuições da ANEEL ao Processo de Renovação das Concessões Contribuições da ANEEL ao Processo de Renovação das Concessões NELSON JOSÉ HÜBNER MOREIRA DIRETOR GERAL 9 de novembro de 2012 Brasília DF Renovação das Concessões Indenização dos Ativos de Transmissão

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Companhia Energética de Minas Gerais S.A (Cemig),

Leia mais

A VISÃO DOS AUDITORES SOBRE NORMA ISO 9001:2015- BENEFÍCIOS E DIFICULDADES. Pedro Domingues/Luís Fonseca DEM ISEP

A VISÃO DOS AUDITORES SOBRE NORMA ISO 9001:2015- BENEFÍCIOS E DIFICULDADES. Pedro Domingues/Luís Fonseca DEM ISEP A VISÃO DOS AUDITORES SOBRE NORMA ISO 9001:2015- BENEFÍCIOS E DIFICULDADES Pedro Domingues/Luís Fonseca DEM ISEP Prof. Luís Fonseca Presidente da Delegação Norte da APQ. Fellow ASQ. Professor Adjunto no

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Energia Elétrica

Perspectivas para o Mercado de Energia Elétrica Perspectivas para o Mercado de Energia Elétrica Tractebel Energia GDF SUEZ - todos os direitos reservados São Paulo, 04 de Abril de 2013 1 Tractebel Energia 2 Tractebel Energia: Portfólio Balanceado de

Leia mais

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro RESUMO DESTE ESTUDO O sector da energia é estratégico em qualquer país, em termos de desenvolvimento e de independência nacional. Os governos, desde que tenham um mínimo de dignidade nacional e se preocupem

Leia mais

A Visão Empresarial sobre Viabilidade Ambiental dos Empreendimentos de Geração

A Visão Empresarial sobre Viabilidade Ambiental dos Empreendimentos de Geração Série Seminários FBDS Desafios Ambientais no Novo Modelo do Setor Elétrico Painel A Visão Empresarial sobre Viabilidade Ambiental dos Empreendimentos de Geração Claudio J. D. Sales 01 de Abril de 2005

Leia mais

ANEEL e perspectivas para o

ANEEL e perspectivas para o ANEEL e perspectivas para o setor Elétrico no Brasil BRITCHAM BRASIL Rio de Janeiro, julho de 9 Nelson Hubner Diretor-Geral Missão da ANEEL: Promover o equilíbrio entre consumidores, agentes regulados

Leia mais

Caderno de Cursos 2016/2017

Caderno de Cursos 2016/2017 Caderno de Cursos 2016/2017 No quadro infra constam informações sobre os cursos oferecidos por cada uma das Escolas*, o valor de mercado, o preço APEX e o número de vagas disponíveis. Comunicação Multimédia

Leia mais

ANAIS EVIDENCIAÇÃO DAS INFORMAÇÕES SOBRE EMISSÕES DE GEE DAS EMPRESAS LISTADAS NO ISE BOVESPA

ANAIS EVIDENCIAÇÃO DAS INFORMAÇÕES SOBRE EMISSÕES DE GEE DAS EMPRESAS LISTADAS NO ISE BOVESPA EVIDENCIAÇÃO DAS INFORMAÇÕES SOBRE EMISSÕES DE GEE DAS EMPRESAS LISTADAS NO ISE BOVESPA HENRIQUE CÉSAR MELO RIBEIRO ( hcmribeiro@hotmail.com ) UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO NARCISO BASTOS GOMES ( narcisogomes@ufgd.edu.br,

Leia mais

Estudo dos Relatórios de Sustentabilidade GRI de Empresas Brasileiras

Estudo dos Relatórios de Sustentabilidade GRI de Empresas Brasileiras Artigo original DOI: 105902/22361170 20021 Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 20, n. 1, jan.-abr. 2016, p. 566 579 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas

Leia mais

Financing evaluations of sustainable electricity projects Avaliações de financiamento de projetos sustentáveis de eletricidade Maria Helena de

Financing evaluations of sustainable electricity projects Avaliações de financiamento de projetos sustentáveis de eletricidade Maria Helena de Financing evaluations of sustainable electricity projects Avaliações de financiamento de projetos sustentáveis de eletricidade Maria Helena de Oliveira O BNDES e o Financiamento ao Setor Elétrico 03 de

Leia mais

Sustentabilidade Workshops

Sustentabilidade Workshops www.pwc.pt/academy Workshops PwC s Academy Portefólio de soluções formativas de profissionais para profissionais Workshops As empresas do futuro devem ser capazes de garantir a gestão dos seus pilares

Leia mais

ANÁLISE DO ALINHAMENTO ENTRE O BALANÇO SOCIAL E O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DOS TRÊS MAIORES BANCOS EM ATIVIDADE NO BRASIL

ANÁLISE DO ALINHAMENTO ENTRE O BALANÇO SOCIAL E O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DOS TRÊS MAIORES BANCOS EM ATIVIDADE NO BRASIL ANÁLISE DO ALINHAMENTO ENTRE O BALANÇO SOCIAL E O RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE DOS TRÊS MAIORES BANCOS EM ATIVIDADE NO BRASIL ANALYSIS OF ALIGNMENT AMONG SOCIAL BALANCE AND SUSTAINABILITY REPORT OF THREE

Leia mais

Impacto dos projetos de sustentabilidade

Impacto dos projetos de sustentabilidade Impacto dos projetos de sustentabilidade Angelica Blanco 24 de Maio, 2010 0 CONTEÚDO Parte 1: Sustentabilidade Direcionando investimentos Parte 2: Retornos em Sustentabilidade 1 QUEM SOMOS Estudos e rankings

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde

Leia mais

Eletrobrás. Projeto NBR 19000 1 / 31 DPT/DPTQ

Eletrobrás. Projeto NBR 19000 1 / 31 DPT/DPTQ Projeto NBR 19000 1 / 31 1 Histórico-1ª edição Projeto NBR 19000 Adoção das normas NBR ISO família 9000 para fornecimento de produtos; Lançado em 1992 em conjunto com 26 empresas de energia elétrica -

Leia mais

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br Processo 2013 05 de março de 2013 www.isebvmf.com.br Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e

Leia mais

PRÊMIOS E RECONHECIMENTOS

PRÊMIOS E RECONHECIMENTOS PRÊMIOS E RECONHECIMENTOS Em 2010, as empresas Eletrobras lançaram sua nova marca e, com ela, uma nova forma de atuação, novos objetivos e um novo posicionamento de mercado. O reconhecimento da mudança,

Leia mais

REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO. Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia

REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO. Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia 1 REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO edp comercial abril 2013 Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia 2 No mercado regulado o preço da eletricidade e do gás natural é definido pelo governo, através

Leia mais

Questionário ISE. Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima

Questionário ISE. Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima Questionário ISE Dimensão Mudanças Climáticas Mudança do Clima 2016 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 6 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR ELÉCTRICO Julho 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Women Empowerment Principles WEPs. ONU Mulheres & Rede Brasileira do Pacto Global

Women Empowerment Principles WEPs. ONU Mulheres & Rede Brasileira do Pacto Global Click Porque to se edit tornar Master signatário title style Women Empowerment Principles WEPs ONU Mulheres & Rede Brasileira do Pacto Global ONU Mulheres Click to edit Master Pacto title Global style

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NO BRASIL: UMA ANÁLISE NOS DISCLOSURE SOCIOAMBIENTAIS EM INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS PRIVADAS SIGNATÁRIAS DA GRI

SUSTENTABILIDADE NO BRASIL: UMA ANÁLISE NOS DISCLOSURE SOCIOAMBIENTAIS EM INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS PRIVADAS SIGNATÁRIAS DA GRI SUSTENTABILIDADE NO BRASIL: UMA ANÁLISE NOS DISCLOSURE SOCIOAMBIENTAIS EM INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS PRIVADAS SIGNATÁRIAS DA GRI Flavio Jose de Melo (UFPR) f.j.melo@uol.com.br Marcielle Anzilago (UFPR) marcianzilago@gmail.com

Leia mais

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador

A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador A Conversão de Redes de Distribuição de Energia Elétrica Aérea para Subterrânea: Uma Visão do Regulador Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição - SRD Carlos Alberto Calixto Mattar Superintendente

Leia mais

Gostaria de contribuir com alguns pontos que julgo relevantes a respeito da resolução nº 482 da ANEEL, que seguem:

Gostaria de contribuir com alguns pontos que julgo relevantes a respeito da resolução nº 482 da ANEEL, que seguem: De: Filipe Ribas [mailto:filipe@solarenergy.com.br] Enviada em: segunda-feira, 22 de junho de 2015 22:02 Para: ap026_2015 Assunto: Contribuição Solar Energy do Brasil Boa noite, Gostaria de contribuir

Leia mais

POSICIONAR-SE E INVESTIR NUM ANO DECISIVO PARA O SECTOR ENERGÉTICO PORTUGUÊS. Patrick Monteiro de Barros. Chairman Petroplus Holdings AG

POSICIONAR-SE E INVESTIR NUM ANO DECISIVO PARA O SECTOR ENERGÉTICO PORTUGUÊS. Patrick Monteiro de Barros. Chairman Petroplus Holdings AG 25% Desconto* Associados apren** Associado APREN** **Obrigatório o envio de comprovativo POSICIONAR-SE E INVESTIR NUM ANO DECISIVO PARA O SECTOR ENERGÉTICO PORTUGUÊS KEY SPEAKERS: Luis Mira Amaral Presidente

Leia mais

Informativo de Segurança e Saúde

Informativo de Segurança e Saúde Introdução: Informativo de Segurança e Saúde 01/ 2009 Começa o ano de 2009 e já estamos findando mais um pleno carnaval. Alguns editores afirmam que algumas pessoas já estão pensando e preocupadas com

Leia mais

Audiência Pública. Revisão Tarifária Periódica

Audiência Pública. Revisão Tarifária Periódica Audiência Pública Revisão Tarifária Periódica Agenda 1. Panorama Geral da Concessão 2. Evolução da Qualidade do Serviço 3. Investimentos Realizados no Ciclo (2007-2011) 4. Principais Desafios 3º Ciclo

Leia mais

Os Impactos da MP 579 no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro

Os Impactos da MP 579 no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro Os Impactos da MP 579 no Mercado de Energia Elétrica Brasileiro João Carlos Mello - CEO Novembro de 2012 Objetivo Esta é uma síntese do impacto da Medida Provisória nº 579 (MP 579) no setor elétrico nacional

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010

Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010 Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010 31 de março de 2010 Uma das maiores bolsas do mundo É a terceira maior bolsa do mundo, com valor de mercado de

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito 1. DEFINIÇÃO E TIPOS DE RISCO DE CRÉDITO A Resolução nº 3.721/09, do Conselho Monetário Nacional, definiu Risco de Crédito como a possibilidade de ocorrência

Leia mais

Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida

Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida HISTÓRIA DA INDÚSTRIA DA ENERGIA ELÉTRICA Primórdios. O Código das Águas. Regulamentação. Reestruturação (RE/SEB). O Modelo Dilma. A MP 579/2012. PRIMÓRDIOS OS TRÊS GIGANTES EDISON Persistente, inflexível.

Leia mais

O Relatório de Sustentabilidade e os seus benefícios na EDP. Porto, 5 de Junho de 2009

O Relatório de Sustentabilidade e os seus benefícios na EDP. Porto, 5 de Junho de 2009 O Relatório de Sustentabilidade e os seus benefícios na EDP Porto, 5 de Junho de 2009 Agenda 1. EDP 2. Motivações e Desafios 3. Reconhecimentos 4. Próximos Passos 20090605 Benefícios do RS na EDP Direcção

Leia mais

Evidenciação de informações ambientais: análise sob o aspecto do balanço social de empresas listadas na ISE Nayane Thais Krespi

Evidenciação de informações ambientais: análise sob o aspecto do balanço social de empresas listadas na ISE Nayane Thais Krespi Evidenciação de informações ambientais: análise sob o aspecto do balanço social de Evidenciação de informações ambientais: análise sob o aspecto do balanço social de Recebimento dos originais: 19/03/2012

Leia mais

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes KPMG Risk Advisory Services Ltda. R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970 - São Paulo, SP - Brasil Central Tel 55 (11) 2183-3000 Fax Nacional 55

Leia mais

Índice. 1. Quem somos? 2. Representações. 3. 4 Casos. 4. Quem ganha?

Índice. 1. Quem somos? 2. Representações. 3. 4 Casos. 4. Quem ganha? 1. Quem somos? Índice 2. Representações 3. 4 Casos 4. Quem ganha? 1. QUEM SOMOS? 1. DECO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA A DEFESA DO CONSUMIDOR 2. 300.000 ASSOCIADOS NUM UNIVERSO DE POUCO MAIS DE 4 MILHÕES

Leia mais

Comentários COGEN_PDIRT E 2014_2023.pdf

Comentários COGEN_PDIRT E 2014_2023.pdf Ana Oliveira De: COGEN Portugal [cogen.portugal@cogenportugal.com] Enviado: quinta-feira, 6 de Março de 2014 17:36 Para: pdirt-e2013 Assunto: Consulta Pública PDIRT - Envio de comentários Anexos: Comentários

Leia mais

Agenda. Visão do Setor de Energia. CPFL Energia Destaques e Resultados

Agenda. Visão do Setor de Energia. CPFL Energia Destaques e Resultados Agenda Visão do Setor de Energia CPFL Energia Destaques e Resultados O mercado brasileiro é atendido por 64 concessionárias de distribuição de energia Distribuição de Energia 2008 Market Share 1 (%) Distribuidoras

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício nº 6078/2005/SDE/GAB, de 23 de dezembro de 2005.

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Referência: Ofício nº 6078/2005/SDE/GAB, de 23 de dezembro de 2005. MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06503/2005/RJ COGAM/SEAE/MF 29 de dezembro de 2005 Referência: Ofício nº 6078/2005/SDE/GAB, de 23 de dezembro de 2005. Assunto:

Leia mais

A comunicação socialmente responsável das empresas da Sociedade de Informação. Dra. Ana Roque ( Sair da Casca )

A comunicação socialmente responsável das empresas da Sociedade de Informação. Dra. Ana Roque ( Sair da Casca ) A Ética no contexto da Sociedade do Conhecimento e da Informação 5 de Novembro de 2004 Ordem dos Engenheiros A comunicação socialmente responsável das empresas da Sociedade de Informação Dra. Ana Roque

Leia mais

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP 12 de Outubro 2005 Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP Neves de Carvalho EDP Energias de Portugal SA Existe globalmente uma crise de credibilidade nas instituições que

Leia mais

Seminário A Importância dos Websites de Sustentabilidade para os Públicos Estratégicos

Seminário A Importância dos Websites de Sustentabilidade para os Públicos Estratégicos Seminário A Importância dos Websites de Sustentabilidade para os Públicos Estratégicos A elaboração de um website de sustentabilidade 24 de abril de 2007 Por que informar via WEB A revolução da informação

Leia mais

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo Global Reporting Initiative Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo O que é relatório de Sustentabilidade? t d Ambiental Econômico Social Mas como medir e Monitorar esses impactos?

Leia mais

PLANO de ACTIVIDADES 2015

PLANO de ACTIVIDADES 2015 PLANO de ACTIVIDADES 2015 LEAP Center Espaço Amoreiras Rua D.João V, 24 1250-091 Lisboa N.º Registo APA 128/SA e-mail: geral@euronatura.pt Web site: www.euronatura.pt Enquadramento O presente Plano de

Leia mais

Dimensão Mudanças Climáticas

Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas Dimensão Mudanças Climáticas 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RESPONSABILIDADE...

Leia mais

Currículo. Carlos Roberto Vriesman. Engenheiro Eletricista Consultor

Currículo. Carlos Roberto Vriesman. Engenheiro Eletricista Consultor Currículo Carlos Roberto Vriesman Engenheiro Eletricista Consultor Out./2011 Currículo 1 - Tempo de Experiência Profissional 1.1 Tempo no cargo atual: Função: Superintendente desde 03.01.2011 Cargo: Engenheiro

Leia mais

PRESS RELEASE. Empresas portuguesas reduzem emissões de carbono, embora não possuam estratégias de redução de emissões a longo prazo

PRESS RELEASE. Empresas portuguesas reduzem emissões de carbono, embora não possuam estratégias de redução de emissões a longo prazo PRESS RELEASE Iberia 125 Climate Change Report Empresas portuguesas reduzem emissões de carbono, embora não possuam estratégias de redução de emissões a longo prazo O relatório Iberia 125 Climate Change

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

12 e 13 de agosto de 2011 ISSN 1984-9354

12 e 13 de agosto de 2011 ISSN 1984-9354 ISSN 1984-9354 QUALIDADE INFORMACIONAL DOS RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE DE EMPRESAS PREMIADAS POR SUAS PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UMA ANÁLISE COM BASE NOS INDICADORES DA ONU Luciana

Leia mais

O Pacote do Governo e o Impacto para o Mercado Livre de Energia Elétrica. Cristopher Alexander Vlavianos, Presidente Comerc Energia

O Pacote do Governo e o Impacto para o Mercado Livre de Energia Elétrica. Cristopher Alexander Vlavianos, Presidente Comerc Energia O Pacote do Governo e o Impacto para o Mercado Livre de Energia Elétrica Cristopher Alexander Vlavianos, Presidente Comerc Energia 10 de Dezembro de 2012 Linha do Tempo do Mercado Livre no Brasil 1995

Leia mais

José Gabino Matias dos Santos

José Gabino Matias dos Santos José Gabino Matias dos Santos Assessor da Diretoria da ABRADEE Brasília, 25 de setembro de 2008 Informações Gerais ABRADEE: 48 Associadas (99% do Mercado) Seminário Internacional de Medição Eletrônica

Leia mais

Prezado (a) Senhor (a)

Prezado (a) Senhor (a) Prezado (a) Senhor (a) Temos a satisfação de informar a V.Sa. a realização do TI Energia Encontro de Tecnologia da Informação do Setor Elétrico Brasileiro de 2013, que acontecerá no período de 23 a 25

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA

ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA Dossier de imprensa Comunicação Tel. +34 93 230 50 94 / +34 93 230 51 85 Tel. +34 91 563 66 26 comunicacion@abertislogistica.com ABERTIS LOGÍSTICA INICIA A CONSTRUÇÃO DO ABERTIS LOGISTICSPARK LISBOA O

Leia mais

23-11-2010. Comunicar os Relatórios de Sustentabilidade. Novembro de 2010. Prestação de contas ACCOUNTABILITY CAPACIDADE DE RESPOSTA INCLUSÃO

23-11-2010. Comunicar os Relatórios de Sustentabilidade. Novembro de 2010. Prestação de contas ACCOUNTABILITY CAPACIDADE DE RESPOSTA INCLUSÃO Comunicar os Relatórios de Sustentabilidade Novembro de 2010 Prestação de contas ACCOUNTABILITY INCLUSÃO CAPACIDADE DE RESPOSTA MATERIALIDADE Participação dos stakeholders no desenvolvimento e alcance

Leia mais

Página Web 1 de 1. Ana Oliveira

Página Web 1 de 1. Ana Oliveira Página Web 1 de 1 Ana Oliveira De: GEOTA [geota@mail.telepac.pt] Enviado: quarta-feira, 11 de Abril de 2001 20:53 Para: erse@erse.pt Assunto: Comentários do GEOTA à proposta de Revisão dos Regulamentos

Leia mais

Governança Corporativa Gestão de Riscos

Governança Corporativa Gestão de Riscos Governança Corporativa Gestão de Riscos Introdução As constantes mudanças no âmbito global têm fomentado a necessidade do aprimoramento dos controles executados pelas organizações e do ambiente de riscos,

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Serviços de Consultoria Pessoa Jurídica para a elaboração de metodologia que permita mensurar, verificar e avaliar os resultados decorrentes

Leia mais

Projeto de estudo de Desenvolvimento dos negócios no Exterior. Heisei 26 (2014) Relatório de investigação (Resumo)

Projeto de estudo de Desenvolvimento dos negócios no Exterior. Heisei 26 (2014) Relatório de investigação (Resumo) Projeto de estudo de Desenvolvimento dos negócios no Exterior Heisei 26 (2014) (Preparação de estabelecimento de negócio internacional e entrada de mercado infraestrutura (estudo sobre desenvolvimento

Leia mais

Gás Natural - Oportunidades de Crescimento Carlos Gomes da Silva Presidente da AGN Novembro 2014

Gás Natural - Oportunidades de Crescimento Carlos Gomes da Silva Presidente da AGN Novembro 2014 Gás Natural - Oportunidades de Crescimento Carlos Gomes da Silva Presidente da AGN Novembro 214 Procura de energia crescerá 32% até 235 O consumo de GN aumentará 42% reforçando o seu peso relativo no cabaz

Leia mais

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL

Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Seminário Energia e Cidadania 23 de Abril de 2009 Auditório CIUL Começo por agradecer a todos terem vindo a este seminário. Em especial à Senhora Secretária de Estado que muito nos honra com a sua presença

Leia mais

ANAIS DISCLOSURE AMBIENTAL NAS EMPRESAS DO SEGMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA DA BOVESPA

ANAIS DISCLOSURE AMBIENTAL NAS EMPRESAS DO SEGMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA DA BOVESPA DISCLOSURE AMBIENTAL NAS EMPRESAS DO SEGMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA DA BOVESPA FERNANDO CÉSAR BEZERRA DE AMORIM ( fceamorim@gmail.com, fernandocba@fei.edu.br ) FEI - Fundação Educacional Inaciana "Pe. Sabóia

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa São Paulo, 03 de setembro de 2013 VI SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS - SHS 2013 EMISSÕES

Leia mais