Criando e executando consultas. Formas de criar consultas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Criando e executando consultas. Formas de criar consultas"

Transcrição

1 Criando e executando consultas Formas de criar consultas 1

2 Formas de consultas Hibernate Query Language (HQL), e um subconjunto do padrão JPA QL (Java Persistence API Query Language : session.createquery("from Category c where c.name like 'Laptop%'"); entitymanager.createquery("select c from Category c where c.name like 'Laptop%' ); Criteria API para consulta por critério (QBC) e consulta por exemplo (QBE): session.createcriteria(category.class).add( Restrictions.like("name", "Laptop%") ); SQL direto com ou sem mapeamento automático do resultsets para objeto. session.createsqlquery( "select {c.*} from CATEGORY {c} where NAME like 'Laptop%'").addEntity("c", Category.class); 2

3 Preparando uma consulta As interfaces org.hibernate.query e org.hibernate.criteria possuem inúmeros métodos para controlar a execução de uma consulta. Query provê métodos para atribuir valores para parâmetros de consulta. Para executar uma consulta em uma aplicação é necessário obter uma instância de uma destas interfaces utilizando a Session. Query hqlquery = session.createquery("from Event"); 3

4 Associação <one-to-many> Uma associação <um-para-muitos> liga as tabelas de duas classes através de uma chave estrangeira sem intervensão nas tabelas. Este mapeamento perde certa semântica para uma coleção normal Java: Uma instância que contem uma classe entidade não pode pertencer a mais de uma instância de coleção. Uma instância que contem uma classe entidade não pode aparecer em mais de um valor de um índice de coleção. Uma associação de Estados e Municípios requer a existência de uma coluna de chave estrangeira e a possibilidade de uma coluna índice para a tabela Municípios. 4

5 <one-to-many class="classname" not-found="ignore exception" entity-name="entityname" node="element-name" embed-xml="true false" /> class (obrigatório): O nome da classe associada not-found (opcional): Especifica como colocar em cache identificadores que referenciam as linhas inexistentes devem ser manipuladas. ignore tratará uma linha inexistente como uma associação nula. entity-name (opcional): O nome da entidade classe associada, como uma classe alternativa. 5

6 Exemplo <hibernate-mapping> <class name="exemploestadolista.estado" table="estados"> <id name="ibge" column="ibge"> </id> <property name="sigla"/> <property name="nome"/> <property name="area"/> <set name="municipios" table="municipios"> <key column="uf"/> <one-to-many class="exemploestadolista.municipio" /> </set> </class> </hibernate-mapping> 6

7 Limitando a quantidade de respostas Query consulta = session.createquery("from Estado order by sigla asc"); consulta.setmaxresults(10); Apresenta um conjunto com 10 elementos 7

8 Utiliza SQL e limitador Query consulta = session.createsqlquery("select {e.*} from estados {e} order by {e.sigla}"). addentity("e",estado.class); consulta.setfirstresult(5); consulta.setmaxresults(10); Utiliza expressão SQL. Inicia o resultado no quinto elemento e apresenta 10 registros. 8

9 Utiliza Criteria Query consulta = session.createquery(" from Estado order by sigla asc").setmaxresults(10); Criteria crit = session.createcriteria(estado.class).addorder(order.desc("sigla")).setfirstresult(5).setmaxresults(6); List relestados = crit.list(); 9

10 Consulta com parâmetro String consultastring = "from Estado uf where uf.sigla = :pesquisa"; String ufstring = "PR"; Query consulta = session.createquery(consultastring).setstring ("pesquisa", ufstring); 10

11 HQL Hibernate Query Language Caio Nakashima 11

12 HQL Hibernate é equipado com uma linguagem de consulta extremamente poderosa que (intencionalmente) é muito parecida com SQL. HQL é completamente orientado a objetos, entendendo noções como herança, polifomorfismo e associação. Consultas são case-insensitive (não sensíveis à letra), com exceção de nomes para as classes e propriedades Java. Assim SeleCT tem o mesmo significado que select e SELECT mas org.hibernate.eg.foo não é igual a org.hibernate.eg.foo e foo.barset não é igual a not foo.barset. 12

13 Cláusula FROM A mais simples consulta Hibernate é: from eg.cat Que retorna todas as instâncias da classe Cat. Não é necessário qualificar o nome da classe, desde que a auto importação é o padrão. Assim geralmente escreve-se: from Cat Muitas vezes, é necessário atribuir uma alias, desde que deseja-se referir ao Cat em outras partes da consulta. from Cat as cat 13

14 Cláusula FROM (2) Esta consulta atribui para a instância Cat um alias cat, assim pode-se utiliza-lo em outras partes da expressão de consulta. A palavra chave AS é opcional, assim pode-se escrever também: from Cat cat Pode-se utilizar múltiplas classes, resultando um produto cartesiano ou um "cross" join. from Formula, Parameter from Formula as form, Parameter as param É considerado uma boa prática nomear alias de consulta utilizando a primeira letra em minúscula, sendo consistente com o padrão Java para nomear variáveis locais. 14

15 Associações e Junções Pode-se também associar aliases para entidades associadas ou também para elementos de uma coleção de valores utilizando JOIN. from Cat as cat inner join cat.mate as mate left outer join cat.kittens as kitten from Cat as cat left join cat.mate.kittens as kittens from Formula form full join form.parameter param 15

16 Associações e Junções Os tipos de junções (joins) suportados são emprestados do SQL ANSI: inner join left outer join right outer join fulljoin As construções inner join, left outer join e right outer join podem ser abreviadas. from Cat as cat join cat.mate as mate left join cat.kittens as kitten 16

17 Fetching strategies Em um acesso tradicional aos dados, pode-se pegar todos dos dados requeridos para um processo em particular para uma consulta SQL simples, contando com a vantagem de junções internas ou externas (inner or outer joins) para recuperar as entidades relacionadas. Algumas primitivas implementadas no modelo ORM (object/relational mapping) para pegar "pedaços" de dados com inúmeras requisições para pequenos pedaços de dados em resposta das aplicações navegando um grafo de objetos persistentes, não é uma forma eficiente de utilização das capacidades de junção (join) do banco de dados. 17

18 Esta estratégia de acesso a dados é pobre por natureza. Uma das maiores dificuldades em ORM é prover um acesso eficiente para os dados relacionais, dando uma aplicação que prefere tratar os dados como um objeto de grafo. Para os tipos mais comuns de aplicações (multiusuário, distribuído, web e aplicações coorporativas), a recuperação de objetos utilizando muitos acessos ao banco de dados não é aceitável. Será discutido que as ferramentas devem enfatizar o R em ORM para a extensão maior que a tradicional. 18

19 O problema de pegar objetos de grafos eficientemente, com acesso mínimo para o banco de dados, tem freqüentemente associando com o provimento ao nível de associação da estratégia de capturar um meta dados específico do mapeamento de associação. O problema com esta solução é que cada pedaço do código que utiliza um requisito de entidade um conjunto diferente de objetos associados. Mas isto não é suficiente. É necessário um suporte para refino da estratégia de execução da associação de captura. Hibernate suporta as duas estratégias, que permite especificar uma estratégia padrão de captura no arquivo de mapeamento e então sobre escrever em tempo de execução no código. 19

20 Hibernate permite escolher entre quarto estratégia de captura para qualquer associação, nos metadados de associação e em tempo de execução: Immediate fetching - Captura Imediata O objeto associado é capturado imediatamente, utilizando uma leitura em banco de dados seqüencial (cache). Lazy fetching - Captura preguiçosa O objeto associado ou coleção é capturado de "forma preguiçosa", quando é acessado. Resultada é uma nova requisição para o banco de dados (a não ser que o objeto associado esteja no cache). 20

21 Eager fetching - Captura urgente Um objeto associado ou coleção é capturado junto com o objeto proprietário, utilizando um outer join SQL, e nenhum outra requisição ao banco de dados é requerida. Batch fetching - Captura em Lote Esta abordagem pode ser utilizada para melhorar a performance da captura "preguiçosa" recuperando objetos ou coleções em lote, quando uma uma associação "preguiçosa" é acessada. Captura em lote pode ser utilizado para melhorar a performance da captura imediata. 21

22 Immediate fetching (captura imediata) Captura associativa imediata ocorre para recuperar uma entidade do banco de dados e então recuperar imediatamente outra entidade associada ou entidades em uma requisição futura do banco de dados ou do cache. Captura imediata não é uma estratégia captura eficiente a não ser que espere que as entidades associadas estejam quase sempre no cache. 22

23 Lazy fetching (captura preguiçosa) Quando um cliente requisita uma entidade e seu grafo de objetos associdado do banco de dados, não é usualmente necessário recuperar todo o grafo de todos os objetos associados (indiretamente). Não se deseja carregar todo o banco de dados para a memória de uma vez, por exemplo, carregar um Pedido simples, não deve disparar uma carga de todos os itens do pedido. Lazy fetching permite ao programador decidir quantos grafos de objetos serão carregados no primeiro acesso ao banco de dados e quais associações devem ser carregadas somente quando forem acessadas pela primeira vez. 23

24 Lazy fetching (cont.) Lazy fetching é um conceito fundamental em persistência de objetos e o primeiro passo para obter uma performance aceitável. Recomenda-se que, para começar com todas as associações sejam configurados para lazy ou talvez para batched lazy carregamento no arquivo de mapeamento. Esta estratégia pode ser carregada (definida) em tempo de execução por consultas que forçam uma carga urgente. 24

25 Eager (outer join) fetching Carga associada preguiçosa pode ajudar a reduzir a carga no banco de dados e é geralmente uma boa estratégia padrão. Porém, é algo parecido como um "chute no escuro" assim como uma otimização de performance. Carga urgente permite explicitamente especificar qual objeto associado deve ser carregado junto com o objeto referenciado. Hibernate pode então retornar o objeto associado em uma requisição simples no banco de dados, utilizando um SQL OUTER JOIN. 25

26 Eager (outer join) fetching Otimização de performance no Hibernate geralmente envolve um uso discreto da carga urgente para uma transação em particular. Desta forma, mesmo que padrão a carga urgente pode ser declarada no arquivo de mapeamento, é mais comum para uma utilização específica desta estratégia em tempo de execução para uma HQL particular ou critério de consulta. 26

27 Batch fetching Carga em lote não é estritamente uma estratégia de carga associada; é uma técnica que pode ajudar a melhorar a performance da carga preguiçosa ou carga imediata. Geralmente, quando se carrega um objeto ou uma coleção, a cláusula WHERE do SQL especifica o identificador do objeto ou os objetos que possuem a coleção. Se a carga em lote estiver habilitada, Hibernate procura ver o que outras instâncias de proxie ou coleções não inicializadas são referenciadas na seção corrente e tenta carrega-los ao mesmo tempo especificando múltiplos valores identificadores na clásula WHERE. 27

28 Carga urgente é geralmente mais rápida. Carga em batch é mais fácila para os usuários inexperientes que desejam arquivar com uma performance aceitável com Hibernate sem ter que pensar muito sobre o que SQL executará. 28

29 Selecionando uma estratégia de carga no mapeamento Hibernate permite selecionar associação padrão para estratégia de carga especificando atributos nos metadados de mapeamento. Pode-se carregar uma estratégia padrão utilizando características de consulta do Hibernate. A wrinkle in Hibernate s mapping format means that collection mappings function slightly differently than single-point associations; so, we ll cover the two cases separately. Let s first consider both ends of the bidirectional association between Bid and Item. 29

30 Uma junção "fetch" permite associações ou coleções de valores serem inicializadas por seus objetos pai, utilizando uma seleção simples. É útil particularmente em caso de uma coleção (collection). É eficiente para sobre escrever um outer join e lazy declarations do arquivo de mapeamento para associações e coleções. from Cat as cat inner join fetch cat.mate left join fetch cat.kittens 30

31 Um fetch join geralmente não necessita atribuir um alias, por que os objetos associados não deve ser utilizado na cláusula where ou qualquer outra cláusula. Objetos associados não retornam diretamente em resultados de uma consulta. Por outro lado, podem ser acessados por objetos pai. A única razão que se necessita um alias se existir um join fetching recursivo para uma coleção futura. 31

32 from Cat as cat inner join fetch cat.mate left join fetch cat.kittens child left join fetch child.kittens Prestar atenção que uma construção com fetch não deve ser utilizado com consultas chamadas utilizando scroll() ou iterate(). Nem o fetch pode ser utilizado junto com setmaxresults() ou setfirstresult(). 32

33 Produto Cartesiano É possível criar um produto cartesiano juntando mais de uma coleção de em uma consulta, assim deve-se tomar cuidado neste caso. Juntando múltiplas coleções pode resultar em resultados inesperados de um mapeamento mal feito. Se utilizar a propriedade lazy fetching com a instrumentalização bytecode, é possível forçar o Hibernate a percorrer a propriedade lazy imediatamente na primeira consulta utilizando todas as propriedades de navegação. from Document fetch all properties order by name from Document doc fetch all properties where lower(doc.name) like '%cats%' 33

Aula 5. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com)

Aula 5. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com) Persistência com JDBC e JPA Aula 5 Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com) Quem é sábio procura aprender, mas os tolos estão satisfeitos com a sua própria ignorância..

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem DML SQL Select Avançado. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem DML SQL Select Avançado. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem DML SQL Select Avançado Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: -União de tabelas em consultas; -Joins. 2 Até este momento, vimos as capacidades da SQL de completa manipulação

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

Figura 1.1 Código de inserção não baseado em Hibernate. Figura 1.2 Código de inserção baseado em Hibernate

Figura 1.1 Código de inserção não baseado em Hibernate. Figura 1.2 Código de inserção baseado em Hibernate Hibernate É um framework para mapeamento objeto/relacional para aplicações em Java. Tem como objetivo mor o mapeamento de classes Java em tabelas do banco de dados e viceversa, possibilitando a realização

Leia mais

Aula 4. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com)

Aula 4. Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com) Persistência com JDBC e JPA Aula 4 Carlos Eduardo de Carvalho Dantas (carloseduardocarvalhodantas@gmail.com) A sabedoria não se transmite, é preciso que nós a descubramos fazendo uma caminhada que ninguém

Leia mais

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Vinicius Teixeira Dallacqua Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTO AE 310 Sul, Avenida

Leia mais

Persistência de dados com JPA. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com

Persistência de dados com JPA. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Persistência de dados com JPA Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com O que é persistência? A persistência de dados é o fato de pegar um dado e torná-lo persistente, ou seja, salvar em algum banco

Leia mais

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações.

f. Vocês podem selecionar todos os campos indicando-os, ou seja, sem usar * (boa prática) g. Muito relevante na manutenção de BD e de aplicações. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 11 1) Cláusulas SELECT e FROM a. Apesar de ser a primeira, ela é a

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API)

Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API) Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API) Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Tabela para Revisão Assunto (JPA) Interesse? 1 Vantagens e Desvantagens 4 2 Principais Conceitos 7 3 Anotações

Leia mais

Junções e Índices em Tabelas

Junções e Índices em Tabelas Junções e Índices em Tabelas Prof. Fernanda Baião fernanda.baiao@uniriotec.com.br SGBD Considerados MySQL (http://www.mysql.org) SGBD gratuito e simples, sem muitos recursos avançados Fácil de instalar

Leia mais

Hibernate. Mapeamento O/R Marcio Aguiar Ribeiro aguiar.marcio@gmail.com

Hibernate. Mapeamento O/R Marcio Aguiar Ribeiro aguiar.marcio@gmail.com Hibernate Mapeamento O/R Marcio Aguiar Ribeiro aguiar.marcio@gmail.com Hibernate O que é? Ferramenta para mapeamento O/R em Java Uma das mais difundidas Transparência Independência quanto ao tipo de base

Leia mais

Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API)

Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API) Aula 2 - Revisão de JPA (Java Persistence API) Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Tabela para Revisão Assunto (JPA) Interesse? 1 Vantagens e Desvantagens 4 2 Principais Conceitos 7 3 Anotações

Leia mais

Memória de aula Semanas 15 e 16

Memória de aula Semanas 15 e 16 FMU Curso: Ciência da Computação Disciplina: Banco de Dados I Professor: Ecivaldo Matos Memória de aula Semanas 15 e 16 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Fundamentos de SQL Structured Query Language Aula2 Apresentado por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: B1SGB - Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Memória de aula Aula 10 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) PRONATEC - Programador de Sistemas Banco de Dados 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando INSERT INTO INSERT INTO tabela [ ( coluna [, coluna,...] ) ] VALUES

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro SQL- Strutured Query Language é a linguagem mais usada nas bases dados relacionais. Originalmente desenvolvida pela IBM Actualmente é um standard, o mais recente é o SQL:2003

Leia mais

Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate

Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate Resolvendo objeto-relacional impedance mismatch com hibernate August 7, 2013 Sumário I 1 Introdução 2 3 4 Sumário II 5 Contexto Mapeamento Objeto-Relacional (ORM) é uma técnica de programação para converter

Leia mais

1/97 PGBR2013. Desenvolvendo Otimizado com PostgreSQL e Programação Orientada a Objetos. Pablo Filetti Moreira pablo.filetti@gmail.

1/97 PGBR2013. Desenvolvendo Otimizado com PostgreSQL e Programação Orientada a Objetos. Pablo Filetti Moreira pablo.filetti@gmail. 1/97 PGBR2013 Desenvolvendo Otimizado com PostgreSQL e Programação Orientada a Objetos Pablo Filetti Moreira pablo.filetti@gmail.com 2/97 Agenda Baixa performance... ORM Mapeamento Objeto/Relacional JPA

Leia mais

Java Persistence Query Language JPQL

Java Persistence Query Language JPQL Introdução SELECT FROM WHERE GROUP BY HAVING ORDER BY Java Persistence Query Language JPQL Prof. Enzo Seraphim Definições Tornar SQL orientado a objetos Classes e propriedades ao invés de Tabelas e colunas

Leia mais

Bases de Dados 2005/2006. Aula 5

Bases de Dados 2005/2006. Aula 5 Bases de Dados 2005/2006 Aula 5 Sumário -1. (T.P.C.) Indique diferenças entre uma tabela e uma relação. 0. A base de dados Projecto 1. SQL Join (variantes) a. Cross Join b. Equi-Join c. Natural Join d.

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Persistência Com JPA & Hibernate Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 Mapeamento Objeto-Relacional Contexto: Linguagem de programação orientada a objetos

Leia mais

JPA: Persistência padronizada em Java

JPA: Persistência padronizada em Java JPA: Persistência padronizada em Java FLÁVIO HENRIQUE CURTE Bacharel em Engenharia de Computação flaviocurte.java@gmail.com Programação Orientada a Objetos X Banco de Dados Relacionais = Paradigmas diferentes

Leia mais

Java Persistence API. Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações

Java Persistence API. Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações Java Persistence API Entity Entity Campos e Propriedades Entity Chaves Primárias Entity Associações Entity Manager Entity Manager API Java Persistence Query Language (JPQL) Persistence Units 1 Java Persistence

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

BDII SQL Junção Revisão 8

BDII SQL Junção Revisão 8 exatasfepi.com.br BDII SQL Junção Revisão 8 André Luís Duarte Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos. Provérbios 27:6 SQL Introdução Produto cartesiano Nomes alternativos

Leia mais

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate

Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Uma Abordagem sobre Mapeamento Objeto Relacional com Hibernate Luis Gustavo Zandarim Soares 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paraná PR Brasil luisgustavo@live.co.uk,

Leia mais

Hibernate. Mapeamento Objeto-Relacional. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior

Hibernate. Mapeamento Objeto-Relacional. Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Hibernate Mapeamento Objeto-Relacional Baseado nas notas de aula de João Dalyson e Raphaela Galhardo Fernandes Prof. Anselmo Cardoso Paiva Prof. Geraldo Braz Junior Objetivos Aprender MOR usando Hibernate

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Estrutura Básica de consultas SQL: A cláusula SELECT; A cláusula FROM; A cláusula WHERE. Operação com cadeias

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informações Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 7 JPA A Persistência com JPA Para configurar o JPA

Leia mais

Parte II Persistência entre Modelos de Dados

Parte II Persistência entre Modelos de Dados Parte II Persistência entre Modelos de Dados Clodis Boscarioli Agenda: Hibernate Introdução; Configurações; Mapeamento com XML; Exemplos; Associações: 1-n; n-1; n-n; 1-1. Hibernate - Introdução O Hibernate

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Tarefa Orientada 11 Junção Interna

Tarefa Orientada 11 Junção Interna Tarefa Orientada 11 Junção Interna Objectivos: Junção Interna (INNER JOIN) Junção Interna A operação de junção interna (INNER JOIN) é utilizada para combinar colunas de duas ou mais tabelas. O resultado

Leia mais

Persistência. 2004 Fernando Lozano, http://www.lozano.eti.br Persistência Objeto-Relacional com Java Pag. 1

Persistência. 2004 Fernando Lozano, http://www.lozano.eti.br Persistência Objeto-Relacional com Java Pag. 1 Persistência Objeto-Relacional com Java Fernando Lozano http://www.lozano.eti.br Consultor Independente Prof. Faculdades UniABEU Prof. SENAC Editor Adjunto da Revista Java Magazine 2004 Fernando Lozano,

Leia mais

JPA Passo a Passo. Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br. Globalcode Open4Education

JPA Passo a Passo. Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br. Globalcode Open4Education JPA Passo a Passo Henrique Eduardo M. Oliveira henrique@voffice.com.br 1 Palestrante Henrique Eduardo M. Oliveira (henrique@voffice.com.br) > Trabalha: Arquiteto JEE / Instrutor Java > Formação: Ciências

Leia mais

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados

SQL (Structured Querie Language) Escola Secundária de Emídio Navarro 2001/2002 Estruturas, Tratamento e Organização de Dados SQL (Structured Querie Language) SQL é mais que uma linguagem de interrogação estruturada. Inclui características para a definição da estrutura de dados, para alterar os dados de uma base de dados, e para

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte

Programação SQL. INTRODUÇÃO II parte Programação SQL INTRODUÇÃO II parte Programação SQL SELECT; INSERT; UPDATE; DELETE. Este conjunto de comandos faz parte da sublinguagem denominada por DML Data Manipulation Language (Linguagem de manipulação

Leia mais

BANCO DE DADOS Parte 4

BANCO DE DADOS Parte 4 BANCO DE DADOS Parte 4 A Linguagem SQL Introdução Desenvolvida pelo depto de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R) Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

Novatec Editora Ltda. [2014].

Novatec Editora Ltda. [2014]. Novatec Authorized Portuguese translation of the English edition of Just Hibernate, ISBN 9781449334376 2014 Madhusudhan Konda. This translation is published and sold by permission of O'Reilly Media, Inc.,

Leia mais

JPA Java Persistence API. Prof. Ramon Chiara

JPA Java Persistence API. Prof. Ramon Chiara JPA Java Persistence API Prof. Ramon Chiara JDBC Java DataBase Connectivity Acesso a bancos de dados Independência de banco de dados JDBC Aplicação JDBC Driver Banco de Dados JDBC Java DataBase Connectivity

Leia mais

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS

LINGUAGEM SQL PARA CONSULTAS EM MICROSOFT ACCESS LINGUAGEM SQL PARA CSULTAS EM MICROSOFT ACCESS Objetivos: Neste tutorial serão apresentados os principais elementos da linguagem SQL (Structured Query Language). Serão apresentados diversos exemplos práticos

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta Bancos de dados XML Conceitos e linguagens de consulta Sidney Roberto de Sousa MC536 - Bancos de Dados: Teoria e prática Material base: W3Schools XPath and XQuery Tutorial http://www.w3schools.com/xpath/

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL SQL TGD/JMB 1 Projecto de Bases de Dados Linguagem SQL SQL TGD/JMB 2 O que é o SQL? SQL ("ess-que-el") significa Structured Query Language. É uma linguagem standard (universal) para comunicação com sistemas

Leia mais

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB

HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB HIBERNATE EM APLICAÇÃO JAVA WEB Raul Victtor Barbosa Claudino¹, Ricardo Ribeiro Rufino¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil victtor.claudino@gmail.com, ricardo@unipar.br Resumo: Este

Leia mais

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si.

3) Palavra-chave distinct (select-from). Obter apenas os pibs distintos entre si. NOME: BRUNO BRUNELI BANCO DE DADOS - ADS create database ProducaoMinerais use ProducaoMinerais create table Mineral( nome varchar(15) primary key, preco real) create table Pais( nome varchar(30) primary

Leia mais

FRWTC-235 WORKSHOP ORACLE CERTIFIED JAVA EE 6 JPA DEVELOPER

FRWTC-235 WORKSHOP ORACLE CERTIFIED JAVA EE 6 JPA DEVELOPER FRWTC-235 WORKSHOP ORACLE CERTIFIED JAVA EE 6 JPA DEVELOPER SOBRE A FRAMEWORK A Framework (www.frwtc.com) atua diretamente com profissionais do segmento de tecnologia em busca de capacitação, atualização

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br Os comandos SQL podem ser agrupados em 3 classes: DDL Data Definition Language Comandos para a Definição

Leia mais

Construção de Comandos SQL com boa performance

Construção de Comandos SQL com boa performance Construção de Comandos SQL com boa performance Em bancos de dados relacionais as informações são guardadas em tabelas. Para recuperar uma informação necessaria ao usuário, deve-se buscá-la em várias tabelas

Leia mais

1.264 Aula 7. Introdução ao SQL

1.264 Aula 7. Introdução ao SQL 1.264 Aula 7 Introdução ao SQL Linguagem Estruturada de Consulta (SQL) Aula 7 SELECT, INSERT, DELETE, UPDATE Junções Aula 8 Subconsultas Visões (tabelas virtuais) Índices Transações Segurança Desempenho

Leia mais

Curso de Java. Acesso a banco de dados através do Hibernate. Todos os direitos reservados Klais

Curso de Java. Acesso a banco de dados através do Hibernate. Todos os direitos reservados Klais Curso de Java Acesso a banco de dados através do Hibernate Todos os direitos reservados Klais Motivação Java é uma linguagem orientada a objetos: Numa aplicação, o uso de objetos é um recurso importante

Leia mais

PL/pgSQL por Diversão e Lucro

PL/pgSQL por Diversão e Lucro PL/pgSQL por Diversão e Lucro Roberto Mello 3a. Conferência Brasileira de PostgreSQL - PGCon-BR Campinas - 2009 1 Objetivos Apresentar as partes principais do PL/pgSQL Apresentar casos de uso comum do

Leia mais

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA

XML e Banco de Dados. Prof. Daniela Barreiro Claro DCC/IM/UFBA XML e Banco de Dados DCC/IM/UFBA Banco de Dados na Web Armazenamento de dados na Web HTML muito utilizada para formatar e estruturar documentos na Web Não é adequada para especificar dados estruturados

Leia mais

Banco de Dados I. SQL SELECT Parte 1 - Básico. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas

Banco de Dados I. SQL SELECT Parte 1 - Básico. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Banco de Dados I SQL SELECT Parte 1 - Básico Prof. Moser Fagundes Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Sumário da aula Notas sobre prioridade de restrições de integridade

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

Oracle 10g: SQL e PL/SQL

Oracle 10g: SQL e PL/SQL Oracle 10g: SQL e PL/SQL PL/SQL: Visão Geral Enzo Seraphim Visão Geral Vantagens de PL/SQL Suporte total à linguagem SQL Total integração com o Oracle Performance Redução da comunicação entre a aplicação

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br. Bancos de Dados. Fernando Albuquerque. 061-2733589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br. Bancos de Dados. Fernando Albuquerque. 061-2733589 fernando@cic.unb.br Bancos de Dados Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br Tópicos Introdução O modelo relacional A linguagem SQL Introdução O que é um banco de dados : Coleção de informações que existe por

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Introdução ao Hibernate 3

Introdução ao Hibernate 3 Introdução ao Hibernate 3 Maurício Linhares Mapeie o seu modelo de objetos diretamente para o banco de dados, de uma forma simples e se livrando de vez da SQL O que é o Hibernate? O Hibernate é uma ferramenta

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados.

Principais Instruções em SQL. Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Principais Instruções em SQL Contidas nesta apostila as principais instruções em SQL para a manutenção em Bancos de Dados. Atenção: Esta apostila foi desenvolvida com o auxílio on-line do banco MS-ACCESS,

Leia mais

Operação de União JOIN

Operação de União JOIN Operação de União JOIN Professor Victor Sotero SGD 1 JOIN O join é uma operação de multi-tabelas Select: o nome da coluna deve ser precedido pelo nome da tabela, se mais de uma coluna na tabela especificada

Leia mais

Tarefa Orientada 14 Subconsultas

Tarefa Orientada 14 Subconsultas Tarefa Orientada 14 Subconsultas Objectivos: Subconsultas não correlacionadas Operadores ALL, SOME e ANY Subconsultas correlacionadas Operador EXISTS Subconsultas incluídas na cláusula FROM de uma consulta

Leia mais

Desmistificando o Hibernate Envers em 10 passos

Desmistificando o Hibernate Envers em 10 passos _envers Desmistificando o Hibernate Envers em 10 passos Auditoria de dados? Registro de Log? Trilha de auditoria? Descubra como é fácil, através do Hibernate Envers, rastrear o histórico de mudanças e

Leia mais

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Aplicações - SQL Banco de Dados: Teoria e Prática André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Picture by Steve Kelley 2008 SQL SQL Structured Query Language Originalmente:

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Oracle University Entre em contato: 0800 891 6502 Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Duração: 5 Dias Objetivos do Curso Esta classe se aplica aos usuários do Banco de Dados Oracle8i,

Leia mais

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas;

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de informações relacionadas entre si; Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de Tabelas onde cada linha é um vetor de dados específico;

Leia mais

Projeto de Banco de Dados

Projeto de Banco de Dados Projeto de Banco de Dados SQL-Consultas Comando SELECT Prof. Luiz Antônio Vivacqua C. Meyer (la.vivacqua@gmail.com) Sintaxe Geral SELECT [ALL/DISTINCT] coluna1, coluna2,..., colunan FROM nome_tabela1,

Leia mais

Projeto e Implementação

Projeto e Implementação Felipe Nery Rodrigues Machado Banco de Dados Projeto e Implementação 2 Edição 4 Reimpressão São Paulo 2011 Editora Érica Ltda. 3 Projeto Sumário Capítulo 1 O Que É Projeto de Banco de Dados 15 Modelagem

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas

Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Universidade Federal de Viçosa CPD - Central de Processamento de Dados Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Manual de padrões e convenções para desenvolvimento de sistemas PHP Versão Conteúdo 1.

Leia mais

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com PALAVRAS CHAVES: inner join, left outer join, cross join, right outer join, full outer join, junções,

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE PERFORM O comando PERFORM permite a execução de um comando SELECT desprezando o resultado do comando. PERFORM query; A variável especial FOUND é definida como verdadeiro se a instrução produzir pelo menos

Leia mais

Álgebra Relacional. OBS: as operações Seleção e Projeção são operações unárias porque atuam em relações únicas.

Álgebra Relacional. OBS: as operações Seleção e Projeção são operações unárias porque atuam em relações únicas. Álgebra Relacional Álgebra Relacional é o conjunto básico de operações para o Modelo Relacional. Essas operações permitem a um usuário especificar as solicitações básicas de recuperação. O resultado de

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO ON-LINE EM Oracle 10g Express Edition XE nível básico. Edital de seleção

CURSO DE EXTENSÃO ON-LINE EM Oracle 10g Express Edition XE nível básico. Edital de seleção CURSO DE EXTENSÃO ON-LINE EM Oracle 10g Express Edition XE nível básico Edital de seleção Nome: Oracle 10g Express Edition XE nível básico Coordenador Geral: Profº Mestre Luis Naito Mendes Bezerra Área

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Engenharia de Software Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 12 Consultas JPQL Consultas JPQL Consultas em JPQL

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Conceitos sobre a versão ANSI da SQL, a sublinguagem de definição de dados (DDL) e a sublinguagem de manipulação de dados (DML) Prof. Flavio Augusto C. Correia 1

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada

SQL BANCO DE DADOS. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de consulta SQL. Linguagem de Consulta Estruturada Revisão de tpicos anteriores BANCO DE DADOS Linguagem de consulta SQL Roberto Duarte Fontes Brasília - DF roberto@fontes.pro.br Projeto de banco de dados Modelagem Conceitual (independe da implementação)

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Banco de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Banco de Dados Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Banco de Dados Relacionais; SQL; MySQL; Manipulando Banco de Dados com o JDBC; Bibliografia; Prof. Leonardo Barreto Campos 2/25 Introdução

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

SQL. Introdução. Por que SQL? Setenças Select-From-Where

SQL. Introdução. Por que SQL? Setenças Select-From-Where Introdução SQL Bancos de Dados I Altigran Soares da Silva IComp/UFAM 2013/02 Adaptado do Material do Professor Jeffrey Ullman Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

Bancos de Dados Objeto-Relacionais

Bancos de Dados Objeto-Relacionais CEFET-PI Pós-graduação Lato Sensu Especialização em Banco de Dados Bancos de Dados Objeto-Relacionais Prof. Ricardo Ramos BDOR Abril 2008 1 Evolução dos SGBDs Sistemas de Arquivos SGBD Hierárquico (1ª

Leia mais

Consultas SQL Parte II

Consultas SQL Parte II CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COMPONENTE CURRICULAR: BANCO DE DADOS PROFESSOR (A): Josiane Ferri TURMA: 11/1 - Tarde Consultas SQL Parte II Outras cláusulas que o comando select apresenta são DISTINCT,

Leia mais

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Robson Fidalgo SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta,

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO UTILIZANDO O HIBERNATE Rafael Laurino GUERRA, Dra. Luciana Aparecida Martinez ZAINA Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba FATEC-ID 1 RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

SQL. Structured Query Language

SQL. Structured Query Language SQL Structured Query Language Construções básicas Junção de Tabelas Join O uso da operação JOIN numa cláusula FROM especifica como se deseja que as tabelas sejam vinculadas. Use INNER JOIN para associar

Leia mais