Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág."

Transcrição

1 P r me r ae d ç ã o J a n e r od e No t í c a s d omu n d ol n u xn al í n g u ap o r t u g u e s a

2 Indce Capa...pág. 1 Indce...pád. 2 Notas Introdutóras (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4 Projecto LacOS (por Fernando Couto)...pág. 5 Segudor de Serva (por Fernando Couto)...pág. 6 Vagem para o Lnux (por Nuno Duarte)...pág. 7 Segurança no Lnux (por Helder Belchor)...pág. 8 e 9 Lnux, Estatstcas, Observações e Revsões (por Leor)...pág. 10 Novo no Gnu/Lnux (por onde começar)...pág. 11 e 12 (por JP Tugaz) Dcas sobre Hardware (por Lus Texera)...pág. 13 e 14 Btcons: Muto mas que uma Moeda...pág. 15 e 16 (por Helder Belchor) Explcação PlayonLnux (Pol) e Wne...pág. 17, 18 e 19 (por Nkarapnha) LbreOffce: Gua do utlzador (por Ruka)...pág. 20, 21 e 22 Capa fnal...pág. 23

3

4

5 Projeto - LacOS Por Fernando Couto Nasce em Portugal da vontade de um grupo de amgos, o fórum Lnux & Companha Tem como objetvo a dvulgação do Lnux na língua portuguesa O fórum crado á cerca de 2 meses, tem vndo daramente a crescer ultrapassando as espectatvas. É um espaço de amzade, troca de experencas, e de partlha do conhecmento na área do open source, nomeadamente o sstema operatvo Lnux como alternatva vável a qualquer utlzador. O fórum Lnux & Companha, além da partlha do conhecmento para quem já utlza Lnux como sstema operatvo prncpal, ajuda e ncentva o utlzador com menor conhecmento na sua ntegração. Hoje, o fórum Lnux & Companha devdo a essa partlha de conhecmento, e ao seu envolvmento voluntaro entre os seus membros, crou uma dstrbução que se chama LacOS (pronunca-se lácos )Baseado em Deban testng com ambente de trabalho Xfce, acredtamos que mutos dos nossos desenvolvmentos poderão e acabarão sendo portados para outras plataformas através das suas respetvas comundades.o LacOS está na versão "alpha 1.1", e o nome do cclo atual de desenvolvmento é "Eanes", em homenagem ao navegador português Gl Eanes. A dstrbução em s é perfetamente segura para uso, mas o processo de nstalação está sendo aprmorado. Ela não se encontra dsponível anda ao públco em geral, mas aos nscrtos do fórum, para ser testada á exaustão, para garantr a sua usabldade ao utlzador comum. Estamos empenhados em melhorar e smplfcar todo o processo. A versão fnal estará e será dsponblzada, quando preencher todos os requstos exgdos pelos seus membros. O nome LacOS surge porque nós tínhamos: as ncas "LCOS", às quas nós ncluímos as vogas "a" e "" para formar uma palavra fonetcamente semelhante a "Láco", regão onde hstorcamente nasceu o Latm, do qual a língua portuguesa é a sua "últma flor", segundo o poeta braslero Olavo Blac no soneto "Língua Portuguesa" Convdo todos vós a partcparem neste projeto lvre, basta aceder ao Fórum Lnux & Companha, fazer o respetvo regsto e uma breve apresentação. Tenham um excelente da.

6

7

8 Lnux: Estatstcas, Observações e Revsões Por Leor Flor Desde que o PC (Computador Pessoal) exste que mutas pessoas não sabem sobre nformátca, programação e hardware de computadoração mas o que essas pessoas não podem gnorar é o desperdíco de dnhero e lxo electrónco feto por desconhecerem a valorosdade que um computador antgo pode ter nos das de hoje. Nos das de hoje o Lnux consegue abrr mutas portas a computadores mas antgo permtndo assm reduzr a acumulação de lxo electrónco e a economzar algum dnhero por sso decd crar este artgo que pode ajudar muta gente. 4 Usos que pode dar ao seu PC antgo com Lnux1. Servdor casero ou de escrtóroas versões mas antgas do Wndows Server já perderam suporte e para usar as versões mas recentes é necessára a compra de um computador mas recente, aqu o truque para evtar custos e mas lxo eletrónco é fazer o download de um Lnux para servdores, gravar num CD e nstalar no lugar do Wndows Server.2. Máquna ArcadaLembra-se dos clásscos que você jogava na sua nfânca? É possível voltar a jogá-los no computador com emuladores que são programas que emulam consolas da nntendo, sega, playstaton e mutas outras no seu computador. Como o suporte ao XP está a acabar o Lnux é uma boa solução para sso e com sso pode ter uma mega consola qye pode fcar para s, para uma nsttução/orfanato ou fazer algum dnhero com sso num café.3. Substtução de peçasdar o seu computador antgo a uma loja que acete computadores para peças poderá benefecar muto aqueles que procuram construr computadores de baxo custo. Com sso não só reduz o lxo eletrónco mas como também ncentva a alternatvas e está a permtr que nsttuções, empresas façam uma redução nas despesas.4. Computadores de baxo custo é do tpo de pessoa que navega na nternet todo o da? É artsta, músco, programador, empresáro? É uma pessoa com poucos fundos? Então é aqu que o Lnux se encaxa mas para s pos com ele pode poupar muto na compra de um computador novo de baxos recursos ou num computador usado porque o Lnux funcona em computadores antgos e de baxos recursos e dá para trabalhar com documentos, apresentações, composção de músca, cração de vídeos e muto mas.se este artgo fo de seu nteresse e nunca ouvu falar de Lnux então recomendo a vstar o Dstrowatch para procurar o Lnux certo para s e se quser trar dúvdas e aprender mas sobre o Lnux vste o nosso fórum do Lnux E Companha que teremos muto gosto em trar todas as suas dúvdas.

9 Segurança no Lnux Por Helder Belchor Este é o meu prmero artgo para a revsta Lnux&Companha e é com grande orgulho que faço parte desta pequena mas, grande comundade. Quando me fo peddo para escrever um artgo para a revsta Lnux&Companha o meu espírto cratvo começa a se nterrogar e agora? Fo fácl porque o motvo que me leva a escrever este artgo veo de uma dea que tve ao conversar com um grupo de amgos. Conversa para aqu conversa para al, até que eu dsse a palavra Lnux. Qual o meu espanto que alguém me dz Lnux? Mas sso é seguro? Antvírus esse sstema usa?esse sstema consegue ser mas rápdo do que o meu XP porque eu agora até tve que nstalar o Frefox porque o explorer do meu XP arrastasse um pouco. Todas estas respostas para quem usa Lnux são de mas fácl compreensão mas, para quem nunca se quer ouvu a palavra Lnux, é bastante dfícl de explcar e fazer acredtar que o Lnux é bastante mas seguro que qualquer sstema que requer um antvírus para salvaguardar a segurança do utlzador. Exstem város motvos para que os vírus não afectam os utlzadores de Lnux. Todas as famílas de Lnux utlzam um kernel, fazer um vírus que afecte todos os Kernes é pratcamente mpossível, para além do mas o Lnux não dá a mão a nenhum tpo de vírus, grande maora é desenvolvda por executável ou seja um fchero exe que para o Lnux não sabe o que é sso smplesmente não executa esse tpo de fchero. Este assunto da segurança é bastante vasto e complexo talvez eu só o consga abordar de uma forma bastante lgera mas, a dversdade de famílas dentro do Lnux é...//...

10

11

12

13

14 Novo no Gnu/Lnux?Por onde começar? elementary OS elementaryos.org O elementary OS é das Dstrbuções que mas elogos têm vndo a receber relatvamente ao seu vsual e establdade. É uma Dstrbução muto fácl de usar e a sua comundade também tem vndo a aumentar. Esta versão (ultma e únca) esta bastante estável, mas a próxma versão, segundo rumores, va estar anda mas completa e va contar também com característcas úncas. Estas são apenas 3 Dstrbuções, pos exstem mutas mas.uma das melhores maneras de ter a certeza que gosta ou não de uma determnada Dstrbução éexpermentar antes de nstalar. Se anda estver com o Wndows (ou mesmo numa DstrbuçãoGnu/Lnux) pode expermentar va VrtualBox, não é o mesmo que nstalar no Dsco da maquna,mas é muto proxmo. Um pequeno conselho, não expermente demasadas pos va fcar anda mas confuso, o melhorsera mesmo assm que ver uma que lhe agrade, nstalar essa Dstrbução nem que seja em Dual-Boot.Não se esqueça também de confrmar se todo o Software que va precsar esta dsponvel nognu/lnux, a maor parte é certo que sm, apenas mudam o nome e o vsual, de resto esta tudo lá.caso não encontre algo não dessta, procure ajuda, por exemplo, se for ao ForumLnux&Companha va encontrar dezenas de pessoas com muta vontade de ajudar, seja qual for adstrbução que escolheu nstalar.

15

16

17

18

19

20

21

22

23 Ag u a r d eap r o x ma E d ç ã o V s t eon o s s of o r u m: h t t p : / / l n u x e c o mp a n h a. f o r u n s. c o m. p t / n s c r e v a s eep a r t c p eq u es e r á B e mv n d o ( a )

Das ideias ao sucesso

Das ideias ao sucesso www.pwc.pt Das deas ao sucesso PwC Startup Portugal 1 mllon fund project Busness Plan FY 2014/2015 Crou recentemente uma empresa com forte capacdade de crescmento? Tem espírto empreendedor com deas novadoras?

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA COLEGIADO DO CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL CAMPUS I - SALVADOR

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA COLEGIADO DO CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL CAMPUS I - SALVADOR Matéra / Dscplna: Introdução à Informátca Sstema de Numeração Defnção Um sstema de numeração pode ser defndo como o conjunto dos dígtos utlzados para representar quantdades e as regras que defnem a forma

Leia mais

Escolha do Consumidor sob condições de Risco e de Incerteza

Escolha do Consumidor sob condições de Risco e de Incerteza 9/04/06 Escolha do Consumdor sob condções de Rsco e de Incerteza (Capítulo 7 Snyder/Ncholson e Capítulo Varan) Turma do Prof. Déco Kadota Dstnção entre Rsco e Incerteza Na lteratura econômca, a prmera

Leia mais

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma.

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA AV. FERNANDO FERRARI, 514 - GOIABEIRAS 29075-910 VITÓRIA - ES PROF. ANDERSON COSER GAUDIO FONE: 4009.7820 FAX: 4009.2823

Leia mais

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar?

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Sumáro Sstemas Robótcos Navegação Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Carlos Carreto Curso de Engenhara Informátca Ano lectvo 2003/2004 Escola Superor de Tecnologa e Gestão da Guarda

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnlesteMG Dscplna: Introdução à Intelgênca Artfcal Professor: Luz Carlos Fgueredo GUIA DE LABORATÓRIO LF. 01 Assunto: Lógca Fuzzy Objetvo: Apresentar o

Leia mais

Dicas para investir em Imóveis

Dicas para investir em Imóveis Dicas para investir em Imóveis Aqui exploraremos dicas de como investir quando investir e porque investir em imóveis. Hoje estamos vivendo numa crise política, alta taxa de desemprego, dólar nas alturas,

Leia mais

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado Equpas Educatvas Para uma nova organzação da escola João Formosnho Joaqum Machado TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA A expansão escolar e a mplementação das polítcas de nclusão

Leia mais

Rastreando Algoritmos

Rastreando Algoritmos Rastreando lgortmos José ugusto aranauskas epartamento de Físca e Matemátca FFCLRP-USP Sala loco P Fone () - Uma vez desenvolvdo um algortmo, como saber se ele faz o que se supõe que faça? esta aula veremos

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4)

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4) REGULAMENTO GERAL (Modaldades 1, 2, 3 e 4) 1. PARTICIPAÇÃO 1.1 Podem concorrer ao 11º Prêmo FIEB de Desempenho Socoambental da Indústra Baana empresas do setor ndustral nas categoras MICRO E PEQUENO, MÉDIO

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

1 Princípios da entropia e da energia

1 Princípios da entropia e da energia 1 Prncípos da entropa e da energa Das dscussões anterores vmos como o conceto de entropa fo dervado do conceto de temperatura. E esta últma uma conseqüênca da le zero da termodnâmca. Dentro da nossa descrção

Leia mais

Um amigo, chamado computador!

Um amigo, chamado computador! Um amigo, chamado computador! NARRADOR: Era uma vez uma menina chamada Isa, ela era uma menina muito curiosa e com uma imaginação bastante fértil. Na escola, durante uma aula no laboratório de informática,

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

Associação de resistores em série

Associação de resistores em série Assocação de resstores em sére Fg.... Na Fg.. está representada uma assocação de resstores. Chamemos de I, B, C e D. as correntes que, num mesmo nstante, passam, respectvamente pelos pontos A, B, C e D.

Leia mais

As 10 Melhores Dicas de Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Poderoso

As 10 Melhores Dicas de Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Poderoso As 10 Melhores Dicas de Como Fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Poderoso Nesse artigo quero lhe ensinar a fazer um Planejamento Financeiro Pessoal Poderoso. Elaborei 10 dicas para você fazer um excelente

Leia mais

Luciano Debastiani Direitos Reservados www.ggrabovoi.com.br

Luciano Debastiani Direitos Reservados www.ggrabovoi.com.br Luciano Debastiani Direitos Reservados www.ggrabovoi.com.br Ensinamentos de Grigori Grabovoi Luciano Debastiani Facilitador Autorizado Grabovoi Sobre todos os conteúdos que possuem a expressão cura, curar,

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES O Danel Slvera pedu para eu resolver mas questões do concurso da CEF. Vou usar como base a numeração do caderno foxtrot Vamos lá: 9) Se, ao descontar uma promssóra com valor de face de R$ 5.000,00, seu

Leia mais

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou!

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou! A U A UL LA Hoje não tem vtamna, o lqudfcador quebrou! Essa fo a notíca dramátca dada por Crstana no café da manhã, lgeramente amenzada pela promessa de uma breve solução. - Seu pa dsse que arruma à note!

Leia mais

Esta revista foi elaborada para ser usada em casa durante a semana.

Esta revista foi elaborada para ser usada em casa durante a semana. Devocionais 1 Esta revista foi elaborada para ser usada em casa durante a semana. Deus escolhe pessoas para transmitir a sua mensagem. No entanto, essas mensagens algumas vezes contêm mistérios e significados

Leia mais

Guia Prático para Encontrar o Seu. www.vidadvisor.com.br

Guia Prático para Encontrar o Seu. www.vidadvisor.com.br Guia Prático para Encontrar o Seu Propósito de Vida www.vidadvisor.com.br "Onde os seus talentos e as necessidades do mundo se cruzam: aí está a sua vocação". Aristóteles Orientações Este é um documento

Leia mais

Regressão e Correlação Linear

Regressão e Correlação Linear Probabldade e Estatístca I Antono Roque Aula 5 Regressão e Correlação Lnear Até o momento, vmos técncas estatístcas em que se estuda uma varável de cada vez, estabelecendo-se sua dstrbução de freqüêncas,

Leia mais

Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça

Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça Serviço de Rádio Escuta da Prefeitura de Porto Alegre Emissora: Rádio Guaíba Assunto: Entrevista com a primeira dama de Porto Alegre Isabela Fogaça Data: 07/03/2007 14:50 Programa: Guaíba Revista Apresentação:

Leia mais

Um jogo de preencher casas

Um jogo de preencher casas Um jogo de preencher casas 12 de Janeiro de 2015 Resumo Objetivos principais da aula de hoje: resolver um jogo com a ajuda de problemas de divisibilidade. Descrevemos nestas notas um jogo que estudamos

Leia mais

www.halten.com.br 21-3095-6006

www.halten.com.br 21-3095-6006 NÍVEL: BÁSCO www.halten.com.br 21-3095-6006 ASSUNTO:CUROSDADES SOBRE RAOS E PROTEÇÃO O QUE É O RAO? O RAO É UM FENÔMENO DA NATUREZA, ALEATÓRO E MPREVSÍVEL. É COMO SE FOSSE UM CURTO CRCUÍTO ENTRE A NUVEM

Leia mais

O sucesso de hoje não garante o sucesso de amanhã

O sucesso de hoje não garante o sucesso de amanhã Com certeza, esse final de século XX e começo de século XXI mudarão nossas vidas mais do que elas mudaram há 30-40 anos atrás. É muito difícil avaliar como será essa mudança, mas é certo que ela virá e

Leia mais

Variabilidade Espacial do Teor de Água de um Argissolo sob Plantio Convencional de Feijão Irrigado

Variabilidade Espacial do Teor de Água de um Argissolo sob Plantio Convencional de Feijão Irrigado Varabldade Espacal do Teor de Água de um Argssolo sob Planto Convenconal de Fejão Irrgado Elder Sânzo Aguar Cerquera 1 Nerlson Terra Santos 2 Cásso Pnho dos Res 3 1 Introdução O uso da água na rrgação

Leia mais

Motores síncronos. São motores com velocidade de rotação fixa velocidade de sincronismo.

Motores síncronos. São motores com velocidade de rotação fixa velocidade de sincronismo. Motores síncronos Prncípo de funconamento ão motores com velocdade de rotação fxa velocdade de sncronsmo. O seu prncípo de funconamento está esquematzado na fgura 1.1 um motor com 2 pólos. Uma corrente

Leia mais

NOTA II TABELAS E GRÁFICOS

NOTA II TABELAS E GRÁFICOS Depto de Físca/UFMG Laboratóro de Fundamentos de Físca NOTA II TABELAS E GRÁFICOS II.1 - TABELAS A manera mas adequada na apresentação de uma sére de meddas de um certo epermento é através de tabelas.

Leia mais

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN)

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Instituto Superior Técnico Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Núcleo de Engenharia Biológica Em primeiro lugar, a direcção do NEB gostaria de deixar claro que a resposta de forma

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

Conferência Crianças e Meios Digitais Móveis em Portugal

Conferência Crianças e Meios Digitais Móveis em Portugal Conferência Crianças e Meios Digitais Móveis em Portugal Painel 1 Meios móveis de acesso à internet: O contexto português Cristina Ponte Co-funded by the European Union Estrutura da apresentação o Locais

Leia mais

E FICIÊNCIA EM S AÚDE E C OBERTURA DE P LANOS DE S AÚDE NO B RASIL

E FICIÊNCIA EM S AÚDE E C OBERTURA DE P LANOS DE S AÚDE NO B RASIL E FICIÊNCIA EM S AÚDE E C OBERTURA DE P LANOS DE S AÚDE NO B RASIL Clarssa Côrtes Pres Ernesto Cordero Marujo José Cechn Superntendente Executvo 1 Apresentação Este artgo examna se o rankng das Undades

Leia mais

Estimativa dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro.

Estimativa dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro. Estmatva dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro. O. L. L. Moraes 1, H. R. da Rocha 2, M. A. Faus da Slva Das 2, O Cabral 3 1 Departamento

Leia mais

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS r Navegar NA NET a SEM PROBLEMAS rr r rrr r rr r REDES SOCIAIS Atualmente a Internet faz parte das nossas vidas e todos utilizamos ou conhecemos alguém que utiliza uma ou várias Redes Sociais, que são

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA

MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA PURE CYCLING MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA 1 13 14 2 3 4 5 c a 15 16 17 6 7 8 9 10 11 12 e d b 18 19 20 21 22 23 24 25 Importante! Instruções de montagem pág. 12. Lea cudadosamente as págs.

Leia mais

PROPOSIÇÃO, VALIDAÇÃO E ANÁLISE DOS MODELOS QUE CORRELACIONAM ESTRUTURA QUÍMICA E ATIVIDADE BIOLÓGICA

PROPOSIÇÃO, VALIDAÇÃO E ANÁLISE DOS MODELOS QUE CORRELACIONAM ESTRUTURA QUÍMICA E ATIVIDADE BIOLÓGICA 658 Gaudo & Zandonade Qum. Nova Qum. Nova, Vol. 4, No. 5, 658-671, 001. Dvulgação PROPOSIÇÃO, VALIDAÇÃO E ANÁLISE DOS MODELOS QUE CORRELACIONAM ESTRUTURA QUÍMICA E ATIVIDADE BIOLÓGICA Anderson Coser Gaudo

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

7. Resolução Numérica de Equações Diferenciais Ordinárias

7. Resolução Numérica de Equações Diferenciais Ordinárias 7. Resolução Numérca de Equações Dferencas Ordnáras Fenômenos físcos em dversas áreas, tas como: mecânca dos fludos, fluo de calor, vbrações, crcutos elétrcos, reações químcas, dentre váras outras, podem

Leia mais

Introdução. Bom, mas antes de começar, eu gostaria de me apresentar..

Introdução. Bom, mas antes de começar, eu gostaria de me apresentar.. Introdução O que você faria se descobrisse um método, altamente lucrativo que te permite trabalhar exclusivamente pela internet? Um método que você pode trabalhar aonde quiser e quando quiser, usando apenas

Leia mais

QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader

QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE: Quer ganhar dinheiro; Quer uma renda extra; Deseja conhecer pessoas e fazer novas amizades;

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA (Ofíco n. 077/2013-GDJAFS) PISO LAMINADO - CARPETE DE MADEIRA 1. DOOBJETO O presente Termo tem por objetvo a aqusção e nstalação de pso lamnado do tpo carpete de madera numa

Leia mais

Capítulo 1: Erros em cálculo numérico

Capítulo 1: Erros em cálculo numérico Capítulo : Erros em cálculo umérco. Itrodução Um método umérco é um método ão aalítco, que tem como objectvo determar um ou mas valores umércos, que são soluções de um certo problema. Ao cotráro das metodologas

Leia mais

Controlo Metrológico de Contadores de Gás

Controlo Metrológico de Contadores de Gás Controlo Metrológco de Contadores de Gás José Mendonça Das (jad@fct.unl.pt), Zulema Lopes Perera (zlp@fct.unl.pt) Departamento de Engenhara Mecânca e Industral, Faculdade de Cêncas e Tecnologa da Unversdade

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES 182 APÊNDICE A UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGE MESTRADO EM EDUCAÇÃO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO PESQUISA:

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola Nota Técnca Médas do ENEM 2009 por Escola Crado em 1998, o Exame Naconal do Ensno Médo (ENEM) tem o objetvo de avalar o desempenho do estudante ao fm da escolardade básca. O Exame destna-se aos alunos

Leia mais

3 PASSOS DE MILIONÁRIOS PARA SEUS FILHOS

3 PASSOS DE MILIONÁRIOS PARA SEUS FILHOS 3 PASSOS DE MILIONÁRIOS PARA SEUS FILHOS 1. POUPAR 2. DOAR 3. SONHAR Alfabetização: sistema ortográfico; letramento; ensino. * A alfabetização dos próprios filhos não é apenas uma questão de opção ou de

Leia mais

Instruções de Utilização. Actuador de motor via rádio 1187 00

Instruções de Utilização. Actuador de motor via rádio 1187 00 Instruções de Utlzação Actuador de motor va rádo 1187 00 Índce Relatvamente a estas nstruções... 2 Esquema do aparelho... 3 Montagem... 3 Desmontagem... 3 Tensão de almentação... 4 Colocar as plhas...

Leia mais

http://www.comoorganizarcasamento.com

http://www.comoorganizarcasamento.com Como Planejar seu Casamento Sem Stress Copyright 2014 Este e- book é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei 9.610/98), é proibida a reprodução do livro por meio eletrônico ou impresso. O e- book

Leia mais

Infraestrutura com Linux

Infraestrutura com Linux Infraestrutura com Linux Infraestrutura com Linux A aula de hoje no Tecnojovem (10 min) O que é o Linux? (45min, com dinâmica) Bons motivos pra escolher o Linux (20 min) Posso ganhar dinheiro com o Linux?

Leia mais

5 Passos para vender mais com o Instagram

5 Passos para vender mais com o Instagram 5 Passos para vender mais com o Instagram Guia para iniciantes melhorarem suas estratégias ÍNDICE 1. Introdução 2. O Comportamento das pessoas na internet 3. Passo 1: Tenha um objetivo 4. Passo 2: Defina

Leia mais

Como Instalar Wordpress Manualmente

Como Instalar Wordpress Manualmente Antes de começar quero te fazer uma pergunta: Você gostaria de ganhar R$1714.48 reais de renda extra trabalhando apenas 1 hora por dia? Como Instalar Wordpress Manualmente Pense bem e reflita na pergunta

Leia mais

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo -. -. - - - -- - -. ~- -- MERCADO -- -=-- - - -=-=-= - ---=- =-= - ~ Oportundades e desafos no mundo do aquecmento o setor tem crescdo a cada ano, é verdade, mas contnuar nesse rtmo requer a superação

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

MAE5778 - Teoria da Resposta ao Item

MAE5778 - Teoria da Resposta ao Item MAE5778 - Teora da Resposta ao Item Fernando Henrque Ferraz Perera da Rosa Robson Lunard 1 de feverero de 2005 Lsta 2 1. Na Tabela 1 estão apresentados os parâmetros de 6 tens, na escala (0,1). a b c 1

Leia mais

Expressão da Incerteza de Medição para a Grandeza Energia Elétrica

Expressão da Incerteza de Medição para a Grandeza Energia Elétrica 1 a 5 de Agosto de 006 Belo Horzonte - MG Expressão da ncerteza de Medção para a Grandeza Energa Elétrca Eng. Carlos Alberto Montero Letão CEMG Dstrbução S.A caletao@cemg.com.br Eng. Sérgo Antôno dos Santos

Leia mais

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS 11. Já vimos que Jesus Cristo desceu do céu, habitou entre nós, sofreu, morreu, ressuscitou e foi para a presença de Deus. Leia João 17:13 e responda: Onde está Jesus Cristo agora? Lembremo-nos que: Jesus

Leia mais

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação números e funções Gua do professor Software Como comprar sua moto Objetvos da undade 1. Aplcar o conceto de juros compostos; 2. Introduzr o conceto de empréstmo sob juros; 3. Mostrar aplcações de progressão

Leia mais

Desarrumar. Margarida Fonseca Santos. Inês do Carmo

Desarrumar. Margarida Fonseca Santos. Inês do Carmo Desarrumar Margarida Fonseca Santos Inês do Carmo Números em palco Nuno Crato 1 O ensino, talvez em especial o da matemática, não pode ser deixado exclusivamente à escola. Pais, professores, jornalistas,

Leia mais

Software para Furação e Rebitagem de Fuselagem de Aeronaves

Software para Furação e Rebitagem de Fuselagem de Aeronaves Anas do 14 O Encontro de Incação Centífca e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Insttuto Tecnológco de Aeronáutca São José dos Campos SP Brasl Outubro 20 a 23 2008. Software para Furação e Rebtagem

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

SOFTWARE LIVRE NA EDUCAÇÃO: Diálogos com uma Pedagogia da Autonomia

SOFTWARE LIVRE NA EDUCAÇÃO: Diálogos com uma Pedagogia da Autonomia SOFTWARE LIVRE NA EDUCAÇÃO: Diálogos com uma Pedagogia da Autonomia Prof. Denis Carlos Luckner Prof. Luís Carlos Zuze Dhein "não morda meu dedo, olhe para onde estou apontando". (Seymour Papert) FEEVALE

Leia mais

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado.

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado. Carlos Macedo, Goldman Sachs: Bom dia. Obrigado pela oportunidade. Duas perguntas, a primeira se refere à sinistralidade em seguro de saúde. Na página sete do release, vocês falam de uma despesa extraordinária

Leia mais

Análise Econômica da Aplicação de Motores de Alto Rendimento

Análise Econômica da Aplicação de Motores de Alto Rendimento Análse Econômca da Aplcação de Motores de Alto Rendmento 1. Introdução Nesta apostla são abordados os prncpas aspectos relaconados com a análse econômca da aplcação de motores de alto rendmento. Incalmente

Leia mais

Ame Aquilo Que Faz! Mude a Sua Vida. Transforme a sua paixão pela beleza numa história de sucesso!

Ame Aquilo Que Faz! Mude a Sua Vida. Transforme a sua paixão pela beleza numa história de sucesso! Ame Aquilo Que Faz! Mude a Sua Vida. Transforme a sua paixão pela beleza numa história de sucesso! Tanto para Desfrutar Este é o seu momento para explorar o que é importante para si. Tem tudo a ver com

Leia mais

Direito de Autor e Internet

Direito de Autor e Internet Direito de Autor e Internet Sabes o que estás a fazer? P2P Peer-to-peer (P2P) partilha de ficheiros em que dois computadores são ao mesmo tempo cliente e servidor, conseguindo assim, por exemplo, com recurso

Leia mais

A importância do Software Livre no mundo de hoje

A importância do Software Livre no mundo de hoje A importância do Software Livre no mundo de hoje Date : 15 de Janeiro de 2014 Por Luis da Costa para o Pplware! Uma questão de conceitos, termos e liberdades. Uma das grandes e mais importantes temáticas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recfe - PE GRUPO - VI GRUPO DE ESTUDO DE COMERCIALIZAÇÃO, ECONOMIA E REGULAÇÃO DE ENERGIA

Leia mais

Ligue o seu eletrodoméstico ao futuro. Guia de Iniciação Rápida

Ligue o seu eletrodoméstico ao futuro. Guia de Iniciação Rápida Lgue o seu eletrodoméstco ao futuro. Gua de Incação Rápda 1 No seu lar, o futuro começa agora! Obrgado por utlzar a Home onnect * Mutos parabéns pelo seu eletrodoméstco do futuro que já hoje faclta e torna

Leia mais

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c Marcos hstórcos: 1993 1996 2004 Objetvo da Pastoral da Pessoa Idosa A Pastoral da Pessoa Idosa tem por

Leia mais

2ª PARTE Estudo do choque elástico e inelástico.

2ª PARTE Estudo do choque elástico e inelástico. 2ª PARTE Estudo do choque elástco e nelástco. Introdução Consderemos dos corpos de massas m 1 e m 2, anmados de velocdades v 1 e v 2, respectvamente, movmentando-se em rota de colsão. Na colsão, os corpos

Leia mais

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para Objetvos da aula Essa aula objetva fornecer algumas ferramentas descrtvas útes para escolha de uma forma funconal adequada. Por exemplo, qual sera a forma funconal adequada para estudar a relação entre

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CCSA - Centro de Ciências Sociais e Aplicadas Curso de Economia CCSA - Centro de Cêncas Socas e Aplcadas Curso de Economa ECONOMIA REGIONAL E URBANA Prof. ladmr Fernandes Macel LISTA DE ESTUDO. Explque a lógca da teora da base econômca. A déa que sustenta a teora da

Leia mais

Criação de Orçamentos

Criação de Orçamentos Criação de Orçamentos As pessoas primeiro, depois o as coisas. Suze Orman, Consultora financeira H á muitas maneiras de gastar seu dinheiro. Será que você deve comprar aquele livro que você está querendo

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza Uso de Cenários no Design de IHC 19/05/2010 2 O que é um CENÁRIO? O design de interação pode

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem SENTIDOS (principal) Gosto de informações que eu posso verificar. Não há nada melhor para mim do que aprender junto

Leia mais

COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO

COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO! A FÓRMULA DEFINITIVA DE FIDELIZAÇÃO Parabéns pela opção que você fez de ler este livro digital. Tenha certeza

Leia mais

IBMEC São Paulo Faculdade de Economia e Administração

IBMEC São Paulo Faculdade de Economia e Administração IBMEC São Paulo Faculdade de Economa e Admnstração O Sstema de Transplantes de Rns do Estado de São Paulo: uma Análse Sob a Ótca da Teora dos Jogos Proponente: Marcel Zmmermann Aranha Orentador: Prof.

Leia mais

SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis

SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis CURRÍCULO DE PROGRAMA SESSÃO 3: Criando Metas Atingíveis Esta sessão trata da importante habilidade pessoal e profissional do estabelecimento de metas. As participantes podem ter sentimentos diferentes

Leia mais

Índice. - Introdução... 3. - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos. - Controle Seus Sentimentos... 11

Índice. - Introdução... 3. - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos. - Controle Seus Sentimentos... 11 1 Índice - Introdução... 3 - Economize em Gastos... 7 com Supérfluos - Controle Seus Sentimentos... 11 - Quite suas Dívidas, mesmo... 14 que Seja Necessário Fazer um Empréstimo - Não Siga a Massa, Existem...

Leia mais

PREVISÃO DE PARTIDAS DE FUTEBOL USANDO MODELOS DINÂMICOS

PREVISÃO DE PARTIDAS DE FUTEBOL USANDO MODELOS DINÂMICOS PREVISÃO DE PRTIDS DE FUTEBOL USNDO MODELOS DINÂMICOS Oswaldo Gomes de Souza Junor Insttuto de Matemátca Unversdade Federal do Ro de Janero junor@dme.ufrj.br Dan Gamerman Insttuto de Matemátca Unversdade

Leia mais

Objectivos PLANEAR 2/90. O que se pretende comunicar ou expor. Queremos:

Objectivos PLANEAR 2/90. O que se pretende comunicar ou expor. Queremos: Objectivos O que se pretende comunicar ou expor Queremos: De todos os passos deste e-book, começamos pelo maior desafio: ter boas ideias. Estas estão só à espera que alguém as tenha, e até há técnicas

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

Campos do Lis ALGUMAS LINHAGENS DA RAÇA DE CÃO DE CASTRO LABOREIRO NA REGIÃO DO SOLAR PARTE 2

Campos do Lis ALGUMAS LINHAGENS DA RAÇA DE CÃO DE CASTRO LABOREIRO NA REGIÃO DO SOLAR PARTE 2 NEWSLETTER Nº 29 / Fevereiro 2011 Esta newsletter destina-se a ser um espaço de informação e divulgação dos Cães de Castro Laboreiro, detentores do afixo de criador "", bem como um espaço de intervenção

Leia mais

Portugal - João Seixas: "As cidades são grandes espelhos de nós próprios"

Portugal - João Seixas: As cidades são grandes espelhos de nós próprios Portugal - João Seixas: "As cidades são grandes espelhos de nós próprios" Nas crônicas urbanas do investigador João Seixas, agora publicadas em livro, a cidade é o reflexo das realizações e aspirações

Leia mais

Richard Uchôa C. Vasconcelos CEO LEO Brasil. leolearning.com

Richard Uchôa C. Vasconcelos CEO LEO Brasil. leolearning.com Richard Uchôa C. Vasconcelos CEO LEO Brasil leolearning.com O tema hoje é engajamento, vamos falar de dez maneiras de engajar o público em treinamentos a distância. Como vocês podem ver, toda a minha apresentação

Leia mais

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO - SEPLAG INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ - IPECE NOTA TÉCNICA Nº 29 PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS

Leia mais

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA Metodologa IHFA - Índce de Hedge Funds ANBIMA Versão Abrl 2011 Metodologa IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA 1. O Que é o IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA? O IHFA é um índce representatvo da ndústra de hedge

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES NÍVEL: FUNDAMENTAL TURNO: MANHÃ GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO APOLÔNIO SALLES SUPLETIVO 2013 QUADRO DE PROVAS PORTUGUÊS PRÉDIO: SALA: NOME COMPLETO: RG: Nº DE INSCRIÇÃO:

Leia mais

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Este cordel pode ser distribuído e modificado, desde que você respeite a licença Creative Commons Atribuição Compartilhamento pela Mesma Licença. Ou seja, você

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

ALGORITMO E PROGRAMAÇÃO

ALGORITMO E PROGRAMAÇÃO ALGORITMO E PROGRAMAÇÃO 1 ALGORITMO É a descrção de um conjunto de ações que, obedecdas, resultam numa sucessão fnta de passos, atngndo um objetvo. 1.1 AÇÃO É um acontecmento que a partr de um estado ncal,

Leia mais