Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF"

Transcrição

1 III Simpósio de Doenças Transmitidas por Carrapatos Doenças Transmitidas por Carrapatos Experiência DF Anderson de Morais Leocadio 11/10/2013 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE Subsecretaria de Vigilância à Saúde Diretoria de Vigilância Ambiental Núcleo de Vigilância Entomológica e Animais peçonhentos

2 DISTRITO FEDERAL CAPITAL População es,mada 2013 Área (Km 2 ) Bioma Brasília Cerrado Nº de Municípios 1 31 Regiões Administra,vas

3 Secretaria de Saúde DF Secretaria de Saúde SES Subscretarias SVS SUPRAC SUAG SUTIS SAPS SAS Diretoria DIVAL DIVISA DIVEP CEREST LACEN Fatores Ambientais Fatores Epidemiológicos DIVAL\SVS\SES-DF

4 Secretaria de Saúde DF InvesOgação e Monitoramento de Ambientes das RickeUsioses no DF Diretoria de Vigilância Ambiental DIVAL Gerências GEVOC GVANBIOL GELOG GEVAZ Núcleos de Vigilância Núcleo de Vigilância Entomológica e Animais Peçonhentos Núcleos Regionais de Vigilância e Operações de Campo (15) Núcleo Controle Químico Núcleo de DiagnósOco Núcleo de Animais DomésOcos (CANIL) Núcleo de Vigilância de Animais Silvestres e Sinantrópicos

5 Diretoria de Vigilância Ambiental DIVAL- DF 15 Núcleos Regionais de Vigilância Ambiental Núcleo de Vigilância Entomológica e Animais Peçonhentos(NUVEP) Núcleo de Controle Químico GEVAZ DIVAL\SVS\SES-DF

6 Histórico da FMB no DF INFORMAÇÕES EPIDEMIOLÓGICAS CASOS NOTIFICADOS CONFIRMADOS AUTÓCTONES IMPORTADOS ANO FONTE: ENDEMIAS/DIVEP/SVS/SES- DF Bole,ns Epidemiológicos de 2011,2012 e 2013.

7 Histórico da FMB no DF Projeto com Parceria UnB\ DIVAL\Fio Cruz- RJ; Curso de Capacitação em Vigilância de Ambientes para FMB e outras Riquétsias no DF; Implantação do Programa de Vigilância de Ambiente e Riquétsias no DF;

8 Experiência DF DIVAL em Parceria com Universidade de Brasília- UnB/ FioCruz/GDF PROJETO: Primeiros Registros da circulação de Riquétsias do Grupo Febre Maculosa, em ciclo enzoóoco canino, no planalto central Gino Chaves, Gustavo Pereira,Lauricio Monteiro,Camila Cibeli,Ivanildo Santos, Simone P. Gilberto Salles Estudo mul,cêntrico e interins,tucional, entre a Universidade de Brasília, ins,tuto Oswaldo Cruz/Fiocruz e o Governo do Distrito Federal, vem sendo realizado, desde 2011, com o obje,vo de inves,gar sobre a circulação de Riquétsias do Grupo da Febre Maculosa (GFM), a Biodiversidade de potenciais vetores, hospedeiros e sobre os ciclos enzoó,co da infecção no Planalto Central.

9 Metodologia Amostras Biológicas (soro, coágulo e ectoparasitos vetores) Cães provenientes de capturas e/ou encaminhados; Todos animais triados em relação: raça, idade, sexo e condições clínicas; Coletas de vetores realizada antes de chegar as baias do CCZ;

10 RESULTADOS DA PESQUISA Os Resultados apontam que riquétsias do Grupo GFM estão circulando entre a população do DF; Total de amostras : 53 A Titulação de 1:2048 (51% ); Vetor coletado: Riphicephalus sanguineus Titulação para FMB em cães Jun a Nov, % 32% 51% 1:2048 1:1024 1: 512

11 Titulação canina por Região Administrativa -DF : : :

12 Experiência DF Curso de Capacitação em Vigilância de ambientes da Febre Maculosa Brasileira e outras Riquetsioses DF- Out/2012; Coordenação MS/FioCruz/GDF 37 servidores Capacitados DF; 03 servidores GO; Foi feita a diagnose de seiscentos e vinte e quatro (624) espécimes de Amblyomma cajennense, oitenta e cinco (85) de Anocentor nitens, dois (2) de Amblyomma dubitatum e doze (12) de Boophilus microplus, totalizando 723 espécimes iden,ficados ; 185 espécimes foram ao PCR,totalizando 126 ensaios; Todas as amostras ao teste com resultado Resultado: 2 projetos para fechamento do curso que enriqueceram o Programa de Vigilância Ambiental de FMB no DF;

13

14 Programa de Vigilância Ambiental de FMB no DF 2013

15 Programa de Vigilância Ambiental de FMB no DF 2013 Experiências 2012 a Foram realizados 15 atendimentos por demanda no DF por Infestação de Carrapatos; 12 atendimentos realizados por infestação por Riphecephalus sanguineus; 02 atendimentos com presença de Amblyomma em áreas ambientais favoráveis; Monitoramento de áreas favoravéis; Monitoramento de Casos suspeitos Humanos em 2013; Orientação da população;

16 Data de coleta Hospedeiro / Ambiente Espécie de Vetor Local Amostra DIVAL/Nº 15/05/2013 Ambiente Riphicephalus sanguineus Recanto das Emas Qd 300 conj 02 cs 22 DIVAL- 001/ /05/2013 Canis Lupus Familiares Riphicephalus sanguineus Recanto das Emas Qd 300 conj 02 cs 22 DIVAL- 002/ /05/2013 Ambiente Sem iden,ficação Farmacia Viva Riacho fundo I DF 13/05/2013 Ambiente Sem iden,ficação Farmacia Viva Riacho fundo I DF DIVAL- 003/2013 DIVAL- 004/ /06/2013 Canis Lupus Familiares Riphicephalus sanguineus Águas Claras Rua Copaíba lote 04 DIVAL- 005/ /08/2013 Bufo marinus Amblyoma Rotundatum Gama DF Chacrá 19 DF 290 DIVAL- 006/ /08/2013 Ambiente Ctenocephalides felis Guará DF QE- 23 Área especial DIVAL- 007/ /08/2013 Ambientes Amblyomma... Sobradinho I Qd 09 Área especial Casa do Ribeirão DIVAL- 008/ /08/2013 Canis Lupus Familiares Riphicephalus sanguineus Samambaia- DF CH. 122 CONJ V1 DIVAL- 009/ /09/2013 Ambiente/01 Amblyomma Sobradinho I Qd 09 Área especial Casa do Ribeirão DIVAL- 010/ /09/2013 Ambiente/02 Amblyomma Sobradinho I Qd 09 Área especial Casa do Ribeirão DIVAL- 011/ /09/2013 Ambiente/03 Amblyomma Sobradinho I Qd 09 Área especial Casa do Ribeirão DIVAL- 012/ /09/2013 Ambiente/04 Amblyomma Sobradinho I Qd 09 Área especial Casa do Ribeirão DIVAL- 013/2013

17 Programa de Vigilância Ambientes para FMB no DF 2013 Áreas InvesOgadas e Monitoradas com presença de Amblyomma Farmácia Viva- Riacho Fundo I Casa do Ribeirão- Sobradinho I

18 Programa de Vigilância Ambientes para FMB no DF 2013 Áreas Monitoradas: FARMÁCIA VIVA O Núcleo de Farmácia Viva da Secretária de Saúde do Distrito Federal (SES/DF): O Projeto de Fitoterapia foi criado em 1989 pela portaria n 13, de 14 de agosto, o obje,vo do projeto era integrar a fitoterapia como opção terapéu,ca no centros de saúde do DF.Para que o cul,vo das plantas pudesse ser feito de maneira correta e eficaz o local que não houvesse poluição, foi criada então a sede em riacho fundo I. O monitoramento da área começou por uma reclamação realizada pelos próprio trabalhadores do local, visto que havia uma infestação de carrapatos no local. A Vigilância Ambiental se deslocou para área afim de inves,gar a condições ambientais que favoreciam o aparecimento de carrapatos.

19

20 Localização

21

22 Programa de Vigilância Ambientes para FMB no DF 2013 Áreas Monitoradas: CASA DO RIBEIRÃO O Centro de A,vidades Sócio- Ambientais do Ribeirão Casa do Ribeirão. O obje,vo é fomentar projetos ligados à sustentabilidade. Muitas parcerias realizadas com outros órgãos do governo, movimento sociais e projetos. A Inves,gação iniciou devido a suspeita de caso humano de Febre Maculosa; A inves,gação ambiental foi evidenciada a alta infestação de carrapatos no local e presença de animais domés,cos e confirmação de presença de animais silvestres. Na inves,gação humana, foi realizada sorologia para riquétsias do grupo febre maculosa 1 é 2 amostras Resultado :nega,vo.

23

24

25 Localização

26

27 Programa de Vigilância Ambiental de FMB no DF 2013 Desafios Maior integração entre as equipes técnicas da SES- DF; Maior celeridade nos processos de aquisição; Materiais de Consumo; EPI s; Materiais para envio de Amostras; Descentralização do programa de vigilância de Ambientes para FMB as demais núcleo regionais de vigilância Ambiental; Capacitação de equipes; Realização de concurso público;

28

PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA

PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA PALESTRA SOBRE SITUAÇÃO ATUAL DA FEBRE MACULOSA BRASILEIRA NICOLAU MAUÉS SERRA-FREIRE BMV, MSc., PhD., Chefe do Laboratório de Ixodides Diretor do Curso de Medicina Veterinária - Universidade Estácio de

Leia mais

Raiva humana VS Componente Epidemiológico

Raiva humana VS Componente Epidemiológico GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal Subsecretaria de Vigilância à Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância Epidemiológica e Imunização

Leia mais

INFORME TÉCNICO FEBRE MACULOSA BRASILEIRA

INFORME TÉCNICO FEBRE MACULOSA BRASILEIRA SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE TRANSMISSÍVEIS E IMUNOPREVINÍVEIS GERENCIA DE DOENÇAS

Leia mais

1't.lMICIPAL DE. Diego De Nadai. Prefeito Municipal

1't.lMICIPAL DE. Diego De Nadai. Prefeito Municipal 1't.lMICIPAL DE FWÍOOÍ.0 Q6-A9O-2013-12! 11-006042-Í/2 1 ao GABINETE DO PREFEITO Americana, 05 de agosto de 2013. OF. 783/GP/08/2013 Prot. 16.123/2013 Senhor Presidente, REF. OF. 737/2013 - REQ. 83/2013

Leia mais

INFORME TÉCNICO 001/2014 3ª Atualização

INFORME TÉCNICO 001/2014 3ª Atualização SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE INFORME TÉCNICO 001/2014 3ª Atualização Subsecretaria de Vigilância em Saúde VIGILÂNCIA DA DOENÇA PELO VÍRUS EBOLA (DVE)

Leia mais

SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL COORDENAÇÃO GERAL DE COMBATE ÀS DOENÇAS COORDENAÇÃO DA RAIVA DOS HERBÍVOROS E DAS EETS

SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL COORDENAÇÃO GERAL DE COMBATE ÀS DOENÇAS COORDENAÇÃO DA RAIVA DOS HERBÍVOROS E DAS EETS SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL COORDENAÇÃO GERAL DE COMBATE ÀS DOENÇAS COORDENAÇÃO DA RAIVA DOS HERBÍVOROS E DAS EETS PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DA RAIVA DOS HERBIVOROS

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA VIGILÂNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (LVC)

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA VIGILÂNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA (LVC) ESTADO DE SANTA CATARINA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DE ZOONOSES E ENTOMOLOGIA

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DA DEMANDA HABITACIONAL

PROCESSO DE SELEÇÃO DA DEMANDA HABITACIONAL PROCESSO DE SELEÇÃO DA DEMANDA HABITACIONAL NOVO CADASTRO DA HABITAÇÃO MAIO/2012 Necessidade de adequação da gestão de processos da CODHAB para: Atingir meta de eliminar o deficit habitacional do DF ofertando

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GDF SECRETARIA DE ESTADO DE OBRAS PROGRAMA DE SANEAMENTO BÁSICO NO DISTRITO FEDERAL

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GDF SECRETARIA DE ESTADO DE OBRAS PROGRAMA DE SANEAMENTO BÁSICO NO DISTRITO FEDERAL GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GDF SECRETARIA DE ESTADO DE OBRAS PROGRAMA DE SANEAMENTO BÁSICO NO DISTRITO FEDERAL ACORDO DE EMPRÉSTIMO Nº 1288/OC-BR BID PLANO DIRETOR DE DRENAGEM URBANA DO DISTRITO FEDERAL

Leia mais

FORMAR PARA FORMAR: PROCESSOS PARTICIPATIVOS PARA FORMAÇÃO EM PNGATI.

FORMAR PARA FORMAR: PROCESSOS PARTICIPATIVOS PARA FORMAÇÃO EM PNGATI. EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PARTICIPANTES DOS CURSOS BÁSICOS DE FORMAÇÃO EM PNGATI DE RORAIMA, RONDÔNIA, SUL DO AMAZONAS, BIOMA MATA ATLÂNTICA SUL-SUDESTE E NORDESTE, MINAS GERAIS E ESPÍRITO SANTO PARA O CURSO

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem.

INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO. Palavras- Chave: Saúde, Pesquisa, Febre Maculosa, Patologia, Enfermagem. INCIDÊNCIA DE FEBRE MACULOSA NA CIDADE DE AMPARO Daniela Aparecida Correa Aline Gritti Rodrigues Resumo: O presente artigo terá como objetivo abordar a incidência de Febre Maculosa na cidade de Amparo

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº02/2015 SUVIGE/CPS/SESAP/RN. Assunto: Atualização sobre doença não esclarecida com exantema

NOTA TÉCNICA Nº02/2015 SUVIGE/CPS/SESAP/RN. Assunto: Atualização sobre doença não esclarecida com exantema GOVERNO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA COORDENADORIA DE PROMOÇÃO A SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 730, 5 andar CEP:

Leia mais

Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. III EnFarMed São Paulo Setembro_2009

Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. III EnFarMed São Paulo Setembro_2009 Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos III EnFarMed São Paulo Setembro_2009 Políticas Públicas para Plantas Medicinais e Fitoterápicos Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares

Leia mais

OBSERVATÓRIO JUSTIÇA CENTRO DE ALTOS ESTUDOS. RELATÓRIO DO PROJETO PRÁTICAS INVESTIGATIVAS SEMESTRE 2011.1 Linha de Pesquisa: LIBERDADE RELIGIOSA

OBSERVATÓRIO JUSTIÇA CENTRO DE ALTOS ESTUDOS. RELATÓRIO DO PROJETO PRÁTICAS INVESTIGATIVAS SEMESTRE 2011.1 Linha de Pesquisa: LIBERDADE RELIGIOSA OBSERVATÓRIO 1 1) INTRODUÇÃO JUSTIÇA CENTRO DE ALTOS ESTUDOS RELATÓRIO DO PROJETO PRÁTICAS INVESTIGATIVAS SEMESTRE 2011.1 Linha de Pesquisa: LIBERDADE RELIGIOSA Por Asdrubal Nascimento Lima Júnior 1 e

Leia mais

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SNUC - SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase em Agroecologia (UnB-DF)

Leia mais

FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA

FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA POSTER FORMAÇÃO DE MONITORES RELACIONANDO EDUCAÇÃO FORMAL E NÃO FORMAL EM MUSEUS DE CIÊNCIA Nome do Grupo de Trabalho: Educação Popular Número do Grupo de Trabalho: 06 Autora: ISABEL APARECIDA MENDES Co-autora

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Análise de situação e tendências - 21 A Secretaria de Vigilância em Saúde, em trabalho

Leia mais

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais)

Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais) Decreto Nº 46186 DE 15/03/2013 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 16/03/2013 Regulamenta a Lei nº 13.965, de 27 de julho de 2001, que cria o Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo, à Extração, ao Consumo,

Leia mais

DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS

DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS DISCIPLINA PARASITOLOGIA PROF. ISABELLA MARTINS ECTOPARASITOS CLASSE ARACHNIDA corpo dividido em cefalotórax e abdome ou fusionado 4 pares de patas quelíceras SUBCLASSE ACARI ÁCAROS Corpo fusionado Gnatosoma

Leia mais

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio

Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade. Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sisbio Sisbio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade Sistema interativo e simplificado de atendimento à distância e de informação. O

Leia mais

TREDF alerta eleitores para mudança de locais de votação

TREDF alerta eleitores para mudança de locais de votação TREDF alerta eleitores para mudança de locais de votação O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE/DF) informa que 21 de setembro é o último dia para os interessados requererem a segunda via

Leia mais

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo

Informe Técnico SARAMPO nº 5 Sarampo no Estado de São Paulo GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA

Leia mais

Ministério da Educação. SECRETARIA EXECUTIVA EDITAL No- 2, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO

Ministério da Educação. SECRETARIA EXECUTIVA EDITAL No- 2, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Ministério da Educação. SECRETARIA EXECUTIVA EDITAL No- 2, DE 31 DE AGOSTO DE 2009 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO O SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO torna

Leia mais

REGULAMENTO DA 2ª FENACEB FEIRA NACIONAL DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

REGULAMENTO DA 2ª FENACEB FEIRA NACIONAL DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica REGULAMENTO DA 2ª FENACEB FEIRA NACIONAL DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA I - CONCEITO, DENOMINAÇÃO, REALIZAÇÃO Art. 1º A 2ª Feira Nacional de Ciências

Leia mais

Dengue grave. Diagnóstico laboratorial da dengue em seres humanos

Dengue grave. Diagnóstico laboratorial da dengue em seres humanos Prefeitura Municipal de Curitiba - Secretaria Municipal da Saúde Centro de Epidemiologia - Vigilância Epidemiológica DENGUE (CID A90 ou A91) CHIKUNGUNYA (CID A92) ZIKA (CID A92.8) Definição de caso suspeito

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO 2º ENCONTRO PRESENCIAL POLO BRASÍLIA

PROGRAMAÇÃO DO 2º ENCONTRO PRESENCIAL POLO BRASÍLIA PROGRAMAÇÃO DO 2º ENCONTRO PRESENCIAL POLO BRASÍLIA 1) INFORMAÇÕES GERAIS Tema: Realizar a avaliação presencial dos Módulos 2 e 3; Esclarecer dúvidas relacionadas ao Curso (Moodle, conteúdo, Plano Operativo...);

Leia mais

OPORTUNIDADE DE ESTÁGIO

OPORTUNIDADE DE ESTÁGIO OPORTUNIDADE DE ESTÁGIO Para participar deste processo seletivo entre em contato conosco no número: 61 3048-0044 OU 61 3346 6738 de 10:00 as 12:00 horas e das 14:00 as 18:00 horas e AGENDE SUA ENTREVISTA

Leia mais

ANEXO I LOCAIS ONDE O CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS SERÁ EXECUTADO

ANEXO I LOCAIS ONDE O CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS SERÁ EXECUTADO ANEXO I LOCAIS ONDE O CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS SERÁ EXECUTADO Planaltina Itapoã Granja do Torto Paranoá Sobradinho São Sebastião Taguatinga Ceilândia Brazlândia

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública. Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento

Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública. Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Projeto de lei no. 440/2011 Audiência Pública Mercedes Bustamante Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Inovação com base na Biodiversidade CAPITAL NATURAL BRASIL PAÍS MEGADIVERSO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE. Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Dengue no Brasil Informe epidemiológico 17/2009 Monitoramento CGPNCD Período: Semana epidemiológica 1 a 26 de 2009 As notificações de casos suspeitos

Leia mais

EXPANSÃO DA LEISHMANIOSE E PERDA DE BIODIVERSIDADE

EXPANSÃO DA LEISHMANIOSE E PERDA DE BIODIVERSIDADE PROBIO II EXPANSÃO DA LEISHMANIOSE E PERDA DE BIODIVERSIDADE Drª CELESTE SOUZA LAB. DE IMUNOMODULAÇÃO E PROTOZOOLOGIA INSTITUTO OSWALDO CRUZ - RJ Leishmanioses Representam um complexo de doenças que afetam

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO. 2. Das Vagas

EDITAL DE SELEÇÃO. 2. Das Vagas EDITAL DE SELEÇÃO 1. Dos Objetivos A Funape Fundação de Apoio a Pesquisa em parceria com o Núcleo de Estudos Agrários NEAGRI/UnB vem por meio deste edital proceder ao recrutamento de profissionais, abaixo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA

TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA TERMO DE REFERÊNCIA Nº XXXX CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

Estamos encaminhando o informativo, em anexo, elaborado pela Equipe técnica

Estamos encaminhando o informativo, em anexo, elaborado pela Equipe técnica SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUBSECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL EM SAÚDE Estamos encaminhando o informativo, em anexo, elaborado

Leia mais

Faculdade UnB Gama no contexto do projeto REUNI:

Faculdade UnB Gama no contexto do projeto REUNI: Faculdade UnB Gama no contexto do projeto REUNI: Impactos Sociais Maria Vitória Ferrari O Projeto Reuni Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) em 54

Leia mais

SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015

SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015 SEMINÁRIO ZIKA, CHIKUNGUNYA, DENGUE BELO HORIZONTE, DEZEMBRO DE 2015 DENGUE- 2015 57.210 casos prováveis em 2014 semanas 01 a 49 183.761 casos prováveis em 2015 semanas 01 a 49 Aumento de 221% em relação

Leia mais

Dengue, Chikungunya e Zika

Dengue, Chikungunya e Zika SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DA PARAÍBA GERENCIA EXECUTIVA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Dengue, Chikungunya e Zika Nº 01/2016 Situação epidemiológica De 01 a 25 de janeiro de 2016 ( 4ª* semana epidemiológica

Leia mais

ATA DA SEXTA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA MESA SETORIAL DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE - MSNP/MS

ATA DA SEXTA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA MESA SETORIAL DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE - MSNP/MS ATA DA SEXTA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA MESA SETORIAL DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE - MSNP/MS 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 ABERTURA: Aos dezenove dias

Leia mais

ANEXO VI. Senhor Secretário Municipal de Saúde,

ANEXO VI. Senhor Secretário Municipal de Saúde, ANEXO VI Ofício nº 000 /2015. MODELO Goiânia, xx de xxxx de 2015. Senhor Secretário Municipal de Saúde, A par de cumprimentá-lo, servimo-nos do presente para SOLICITAR a V. Exa. informações acerca da atuação,

Leia mais

PROJETOS DA ADMINISTRAÇÃO PARA O BIÊNIO 2008/2009

PROJETOS DA ADMINISTRAÇÃO PARA O BIÊNIO 2008/2009 PROJETOS DA ADMINISTRAÇÃO PARA O BIÊNIO 2008/2009 LINHAS DE AÇÃO PROJETOS DESCRIÇÃO EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS / CELERIDADE Locação do 2º prédio na esquina da Av. Augusto de Lima com rua Mato

Leia mais

B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses

B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses B1-404 Curso de Formação Agroecológica e Cidadã para a inclusão produtiva de jovens camponeses Barbosa-Silva, Denise 1,2 ; Starr, Carolina Rizzi 3 ; Diniz, Janaína Deane de Abreu Sá 1,4 ; Molina, Mônica

Leia mais

V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia

V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA FEBRE CHIKUNGUNYA NO BRASIL E NO MUNDO Giovanini Coelho/Ministério da Saúde Vírus Chikungunya (CHIKV) Distribuição de vetores potenciais

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS

Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS Perguntas e Respostas sobre Chikungunya CARACTERÍSTICAS O que é Chikungunya? É uma doença infecciosa febril, causada pelo vírus Chikungunya (CHIKV), que pode ser transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti

Leia mais

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014 Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya 1. Características da doença A Febre do Chikungunya (CHIKV) é uma doença causada por

Leia mais

Um novo caminho para o desenvolvimento de Minas

Um novo caminho para o desenvolvimento de Minas Um novo caminho para o desenvolvimento de Minas Coordenação AÇÃO DA Participação Entidade 7 Nova 381... Trajeto rodoviário que ligará Belo Horizonte a Governador Valadares, no estado de Minas Gerais, com

Leia mais

Programa Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Distrito Federal - Relatório Mapeamento das Iniciativas -

Programa Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Distrito Federal - Relatório Mapeamento das Iniciativas - Programa Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Distrito Federal - Relatório Mapeamento das Iniciativas - Setembro 2009 1 ESTE RELATÓRIO FOI PRODUZIDO PELA EQUIPE TÉCNICA DO PROGRAMA TRABALHO E EMPREENDEDORISMO

Leia mais

PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010

PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010 PORTARIA CVS 05 de 05 de fevereiro de 2010 Atualização do fluxo de notificações em farmacovigilância para os Detentores de Registro de Medicamentos no Estado de São Paulo e dá providências correlatas;

Leia mais

BoletIM do Observatório Imobiliário do DF

BoletIM do Observatório Imobiliário do DF BoletIM do Observatório Imobiliário do DF Novembro/Dezembro/2012 6 SEDHAB - SUPLAN Edição Nº 06 NOV/DEZ 2012 SUMÁRIO 1. Introdução. 2. Situação do Mercado Imobiliário segundo o índice FIPEZAP em Novembro/Dezembro

Leia mais

Edital Instituto Bancorbrás 01/2015

Edital Instituto Bancorbrás 01/2015 Edital Instituto Bancorbrás 01/2015 O Instituto Bancorbrás, por meio do Projeto Bancorbrás Social torna público o presente edital e convoca as instituições interessadas a enviarem propostas para habilitarem-se

Leia mais

PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA

PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA PROGRAMA TÉMATICO: 6214 TRABALHO, EMPREGO E RENDA OBJETIVO GERAL: Estimular o crescimento e o desenvolvimento econômico e social do DF, por meio do fortalecimento do Sistema Público de Emprego, garantindo

Leia mais

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Subsecretaria de Pequenas Empresas A Subsecretaria é uma unidade orgânica subordinada ao Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e

Leia mais

Saúde do Trabalhador

Saúde do Trabalhador Saúde do Trabalhador 4 Metodologias de avaliação em ST São metodologias fundamentadas na lógica de sistema de informação em saúde, com o preenchimento dos formulários pré-existentes com varáveis geradoras

Leia mais

OS CAMINHOS DA FEBRE AMARELA NO TEMPO E NO ESPAÇO

OS CAMINHOS DA FEBRE AMARELA NO TEMPO E NO ESPAÇO Universidade Federal da Bahia Instituto de Saúde Coletiva OS CAMINHOS DA FEBRE AMARELA NO TEMPO E NO ESPAÇO Maria da Glória Teixeira SETEMBRO 2008 FAS: série histórica de casos e taxa de letalidade. Brasil

Leia mais

ESTUDO DE CASOS DAS DOENÇAS EXANTEMÁTICAS

ESTUDO DE CASOS DAS DOENÇAS EXANTEMÁTICAS SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS ESTUDO DE CASOS DAS

Leia mais

DISPONIBILIDADES 19/08/2013. Front-Lights. Novos Painéis. Taxidoor. Localização e reservas:

DISPONIBILIDADES 19/08/2013. Front-Lights. Novos Painéis. Taxidoor. Localização e reservas: DISPONIBILIDADES 19/08/2013 Front-Lights Localização e reservas: Águas Claras EPNB - Estrada Parque Núcleo Bandeirante Guará Lago Sul Lago Norte Park Shopping Park Way Porto Seco Samambaia / BR-060 SIA

Leia mais

PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO

PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO PACTUAÇÃO SA X SMS X SERVIÇO SAÚDE PRIVADO CR PARA GESTANTES E SINDROMES NEUROLÓGICAS SESA/SVS/CEVA/CIEVS Câmara Técnica de Vigilância me Saúde CIB/ fevereiro 2016 derando a declaração da Microcefalia

Leia mais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais

Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Federais Programa 0499 Parques do Brasil Objetivo Ampliar a conservação, no local, dos recursos genéticos e o manejo sustentável dos parques e áreas de proteção ambiental. Indicador(es) Taxa de proteção integral

Leia mais

Quadro 28: Percentual de matrículas inclusivas no Brasil e no DF

Quadro 28: Percentual de matrículas inclusivas no Brasil e no DF META 4 Universalizar o atendimento educacional aos estudantes com deficiência, transtorno global do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, independente da idade, garantindo a inclusão na

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 181/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 181/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 181/2015 Dispõe sobre o Currículo do Curso de Graduação Plena Licenciatura em Química, na modalidade a distância, do Programa Segunda Licenciatura. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA,

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009

Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Informe Epidemiológico da Dengue Semanas de 1 a 52 de 2009 A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

Leia mais

NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015. Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti

NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015. Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti NOTA TECNICA SAÚDE-N. 26-2015 Brasília, 01 de dezembro de 2015. Área: Área Técnica em Saúde Título: CNM alerta municípios em áreas de risco do mosquito Aedes aegypti Fonte: Dab/MS/SAS/CNS 1. Em comunicado

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

INSTITUIÇÃO:UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO

INSTITUIÇÃO:UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO TÍTULO:AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA DA DENGUE NO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO ATRAVÉS DA CONFIRMAÇÃO SOROLÓGICA AUTORES: Cavalcanti, A. C.; Oliveira A. C. S. de; Pires, E. C. ; Lima, L.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GERENCIA GERAL DE TOXICOLOGIA

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GERENCIA GERAL DE TOXICOLOGIA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA GERENCIA GERAL DE TOXICOLOGIA O REGISTRO DE AGROTÓXICOS E A REDE NACIONAL DE CENTROS DE INFORMAÇÕES E ASSISTÊNCIA TOXICOLÓGICA Heloisa Rey Farza Coordenação da

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PRÓ-REITORIA DE ENSINO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA DE ENSINO Regulamento do Programa de Monitoria de Ensino aprovado pelo Conselho Superior do IFS através da Resolução nº 07/CS/2011. Aracaju/SE

Leia mais

II Fórum de Qualidade de Vida do Senado Federal

II Fórum de Qualidade de Vida do Senado Federal II Fórum de Qualidade de Vida do Senado Federal "O dependente químico e a responsabilidade social" Patrícia Oliveira Barbosa Assistente Social PADQ/SEE Responsabilidade Social É a forma de gestão que se

Leia mais

VANTAGENS DE INVESTIR NA LIGA BRASÍLIA DE VOLEIBOL

VANTAGENS DE INVESTIR NA LIGA BRASÍLIA DE VOLEIBOL CONVITE A Direção da Liga Brasília de Voleibol, tem a honra de convidar sua Empresa para ser parceira na 4ª edição do evento que acontecerá em 2016. A Liga Brasília de Voleibol já nas três primeiras edições,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL O Instituto Sócio Cultural, Ambiental e Tecnológico Arthur Andrade IAA, organização não governamental, sem fins lucrativos, fundado

Leia mais

Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados. Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados. Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Wanderli Pedro Tadei tadei@inpa.gov.br CENÁRIOS ATUAIS DA

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. 19ª Edição Comercial - Janeiro de 2012

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Clipping. 19ª Edição Comercial - Janeiro de 2012 Boletim de Conjuntura Imobiliária 19ª Edição Comercial - Secovi-DF, Setor de Diversões Sul, Bloco A, nº44, Centro Comercial Boulevard, Salas 422/424, (61)3321-4444, www.secovidf.com.br Econsult Consultoria

Leia mais

Coordenação de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados do Rio Grande do Sul

Coordenação de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados do Rio Grande do Sul Eventos de Massa Coordenação de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados do Rio Grande do Sul Karem Gomes Modernell Porto Alegre, 14/04/2014 Eventos de Massa OBJETIVO GERAL Intensificar a

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PRESIDÊNCIA PROGRAMA INSTITUCIONAL BIODIVERSIDADE E SAÚDE Especificação técnica para contratação de empresa especializada em serviços de organização de eventos

Leia mais

Vigilância de Violências e Acidentes VIVA (Inquérito) 2006 e 2007 Notas Técnicas. Origem dos dados

Vigilância de Violências e Acidentes VIVA (Inquérito) 2006 e 2007 Notas Técnicas. Origem dos dados Vigilância de Violências e Acidentes VIVA (Inquérito) 2006 e 2007 Notas Técnicas Origem dos dados Descrição das variáveis disponíveis para tabulação Outras formas de obtenção de informações Origem dos

Leia mais

Programa de Controle da Dengue/SC

Programa de Controle da Dengue/SC Programa de Controle da Dengue/SC Estratégia operacional de prevenção e controle da dengue para municípios não infestados por Aedes aegypti, infestados por Aedes aegypti sem circulação viral e infestados

Leia mais

Nota técnica n.º 24 /2014 Recife, 21 de Agosto de 2014.

Nota técnica n.º 24 /2014 Recife, 21 de Agosto de 2014. Nota técnica n.º 24 /2014 Recife, 21 de Agosto de 2014. Assunto: orientações para ações de vigilância e serviços de saúde de referência para caso suspeito de Doença pelo Vírus Ebola A Secretária Estadual

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICO ALVO LINHAS DE PESQUISA Sustentabilidade na Mineração

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICO ALVO LINHAS DE PESQUISA Sustentabilidade na Mineração EDITAL DE SELEÇÃO O Instituto Tecnológico Vale (ITV) abre inscrições para o processo seletivo de candidatos ao Curso de Mestrado Profissional em Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais

Leia mais

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO Conciliando Biodiversidade e Agricultura DESAFIO Compatibilizar a Conservação e a Agricultura O crescimento da população global e a melhoria dos padrões de vida aumentaram

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ABC NA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA: CURSO DE FORMAÇÃO DE FORMADORES

RELATÓRIO TÉCNICO ABC NA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA: CURSO DE FORMAÇÃO DE FORMADORES RELATÓRIO TÉCNICO ABC NA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA: CURSO DE FORMAÇÃO DE FORMADORES 23-29 de março de 2009 Academia Brasileira de Ciências e Museu de Ciências da Terra/DNPM Rio de Janeiro, Brasil SUMÁRIO APRESENTAÇÃO

Leia mais

Telecentros em BRASÍLIA

Telecentros em BRASÍLIA ANEXO IV Telecentros em BRASÍLIA TELECENTRO COMUNITÁRIO ESTRUTURAL End.: VALE DO AMANHECER End. Comp : Quadra 12, conj. A ch 2140 - Estrutural Bairro : VALE DO AMANHECER SALA DE INFORMÁTICA ACISP End.

Leia mais

PORTARIA Nº 74, DE 29 DE JANEIRO DE 2009.

PORTARIA Nº 74, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. PORTARIA Nº 74, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO DISTRITO FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o inciso X, artigo 81 do Regimento Interno da Secretaria de Estado

Leia mais

PROJETO CRIANÇA NO CAMPO 2014

PROJETO CRIANÇA NO CAMPO 2014 SAFRA 2014 SAFRA 2014 PROJETO CRIANÇA NO CAMPO 2014 RESPONSABILIDADE SOCIAL Pelo 5º ano consecutivo acontece o Projeto Criança no Campo, ferramenta de educação ambiental capaz de introduzir conhecimento-prático

Leia mais

PORTARIA Nº 1679/GM Em 13 de agosto de 2004. PUBLICADA NO DIARIO OFICIAL DA UNIÃO EM 16 DE AGOSTO DE 2004 Nº 157 PAGINA 36 SEÇÃO 1

PORTARIA Nº 1679/GM Em 13 de agosto de 2004. PUBLICADA NO DIARIO OFICIAL DA UNIÃO EM 16 DE AGOSTO DE 2004 Nº 157 PAGINA 36 SEÇÃO 1 PORTARIA Nº 1679/GM Em 13 de agosto de 2004. PUBLICADA NO DIARIO OFICIAL DA UNIÃO EM 16 DE AGOSTO DE 2004 Nº 157 PAGINA 36 SEÇÃO 1 Aprova normas relativas ao Sistema de Monitoramento da Política de Incentivo

Leia mais

Arranjos Produtivos Locais de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no âmbito do SUS

Arranjos Produtivos Locais de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no âmbito do SUS Arranjos Produtivos Locais de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no âmbito do SUS Pré-Evento: II Encontro dos Núcleos Estaduais de Apoio a APLs 6ª Conferência Brasília, 3 dezembro de 2013 Contemplar as

Leia mais

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Versão Comercial - Outubro de 2010

Boletim de Conjuntura Imobiliária. Versão Comercial - Outubro de 2010 Comercialização No mês de outubro, foram analisados 18.164 imóveis destinados à comercialização, contemplados em imóveis residenciais e comerciais. Na amostra, a participação dos imóveis residenciais obteve

Leia mais

Projeto de Disseminação da Informação para ME e EPP no Brasil Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação

Projeto de Disseminação da Informação para ME e EPP no Brasil Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação Projeto de Disseminação da Informação Ação conjunta Secretaria Técnica e Comitê Informação Introdução Detalhamento da Proposta do Projeto Estratégia e desenvolvimento tático Atividades e ações Resultados

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE SISTEMAS AGRO- FLORESTAIS 1. IDENTIFICAÇÃO DOS

Leia mais

Programa Estadual de Saúde do Viajante. Programa Estadual de Saúde do Viajante (PESV)

Programa Estadual de Saúde do Viajante. Programa Estadual de Saúde do Viajante (PESV) Programa Estadual de Saúde do Viajante Programa Estadual de Saúde do Viajante (PESV) Turismo Programa Estadual de Saúde do Viajante Programa Estadual de Saúde do Viajante Trânsito Internacional de pessoas

Leia mais

ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015

ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015 ALERTA SARAMPO VACINAR, VACINAR e VACINAR ATUALIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA, ABRIL DE 2015 O estado de São Paulo não apresenta circulação endêmica do vírus do sarampo desde 2000, mas a doença continua ocorrendo

Leia mais

A responsabilidade dos municípios

A responsabilidade dos municípios Por que um Plano Municipal? A responsabilidade dos municípios A Constituição Federal estabelece que compete ao município promover, no que couber, o adequado ordenamento territorial, especialmente no meio

Leia mais

Projeto Ações de AcompanhamentoTécnico e Extensão Rural ( ATER) para Agricultura Familiar do Paraná. Relatório Físico Parcial Prestação de Contas

Projeto Ações de AcompanhamentoTécnico e Extensão Rural ( ATER) para Agricultura Familiar do Paraná. Relatório Físico Parcial Prestação de Contas Projeto Ações de AcompanhamentoTécnico e Extensão Rural ( ATER) para Agricultura Familiar do Paraná. Termo de Parceria n. 031 / 2008 Ministério de Desenvolvimento Agrário - MA e Agencia de Desenvolvimento

Leia mais

LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES DE SAÚDE LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E/OU PERICULOSIDADE N.º 015/2013 1

LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES DE SAÚDE LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E/OU PERICULOSIDADE N.º 015/2013 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE - SMS GERÊNCIA DE SAÚDE DO SERVIDOR MUNICIPAL - GSSM EQUIPE DE PERÍCIA TÉCNICA - EPT LAUDO 015/2013 - SMS LAUDO FISIOTERAPEUTA EM UNIDADES

Leia mais

GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF

GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF GRANDES PARCERIAS GERANDO GRANDES RESULTADOS NA GESTÃO SUSTENTAVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS PRODUTOR DE ÁGUA NO PIPIRIPAU-DF José Bento da Rocha Farmacêutico graduado pela Universidade Estadual de Goiás UEG,

Leia mais

Incêndios florestais no Amapá

Incêndios florestais no Amapá FLORESTA 30(1/2): 23-36 Incêndios florestais no Amapá DORACI MILANI RESUMO Os incêndios florestais são responsáveis por grandes perdas tanto vegetais quanto animais e em sua maioria estão associados a

Leia mais

ÍNDICE - 31/10/2005 O Estado de S.Paulo... 2 Capa/Vida&...2 Correio Braziliense... 4 Brasil/SAÚDE...4 Jornal do Brasil... 5 Rio...

ÍNDICE - 31/10/2005 O Estado de S.Paulo... 2 Capa/Vida&...2 Correio Braziliense... 4 Brasil/SAÚDE...4 Jornal do Brasil... 5 Rio... ÍNDICE - O Estado de S.Paulo...2 Capa/Vida&...2 Foco da maculosa pode ter sido encontrado...2 Localizado foco de maculosa no Rio...2 Correio Braziliense...4 Brasil/SAÚDE...4 Febre maculosa ataca no Rio...4

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2015 - PROCESSO SELETIVO SIMPLICADO.

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2015 - PROCESSO SELETIVO SIMPLICADO. GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer Subsecretaria de Educação Básica EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/201 - PROCESSO SELETIVO SIMPLICADO. SELEÇÃO PARA VOLUNTÁRIOS

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL WWF Brasil Maio/ 2003 OBJETIVOS: Levantar informações para subsidiar o planejamento e a avaliação da comunicação da WWF Brasil. Gerar conhecimentos relevantes

Leia mais

Apresentação. O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal é um órgão do Poder Judiciário Federal. Suas principais atividades são:

Apresentação. O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal é um órgão do Poder Judiciário Federal. Suas principais atividades são: Apresentação A Carta de Serviços ao Cidadão é um instrumento de gestão criada pelo Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GesPública, instituída por intermédio do Decreto nº. 6932/2009

Leia mais