MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade"

Transcrição

1 MINUTA DE RESOLUÇÃO ARCON-PA Concessão de Gratuidade Estabelece procedimentos complementares necessários ao cumprimento das normas do Artigo Nº. 249, VI, a, da Constituição do Estado do Pará. O DIRETOR GERAL DA AGÊNCIA ESTADUAL DE REGULAÇÃO E CONTROLE DE SERVIÇOS PÚBLICOS - ARCON, no uso de suas atribuições previstas no artigo 16 e inciso I do artigo 19, da Lei 6.099, de 30 de dezembro de 1997, de acordo com a deliberação da Diretoria, e; Considerando a nece ssidade de se estabelecer os procedimentos a que se refere o artigo 249, VI, a da Constituição Estadual que regulamenta as isenções de tarifa no serviço de transporte intermunicipal de passageiros concedidos, permitidos e autorizados no Estado do Pará; RESOLVE: CAPÍTULO I DO DIREITO À ISENÇÃO TARIFÁRIA EM VIRTUDE DE DEFICIÊNCIA PERMANENTE Art. 1 É assegurado o direito à isenção tarifária nos transportes coletivos rodoviários e aquaviários intermunicipais regulados por esta agência, às pessoas com deficiência mental, sensorial e motora, de caráter permanente, instituído pelo Art. 249, VI, a, da Constituição do Estado do Pará. Parágrafo único. O direito à isenção tarifária por motivo de deficiência não se aplica aos serviços de afretamento, vez que os mesmos se realizam em circuito fechado, não possuindo características de transporte regular, nem cobrança de passagens individuais. CAPÍTULO II DOS CONCEITOS Art. 2º Para os fins desta Resolução, adotam-se os critérios e definições da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU (Decreto Legislativo nº 186/2008), da Lei nº /2012 e dos Decretos nº 3.298/1999 e 5.296/2004, além daqueles nacionalmente aceitos, nos termos a seguir consignados:

2 I - Deficiência: toda perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade, dentro do padrão considerado normal para o ser humano; II -Deficiência permanente: aquela que ocorreu ou se estabilizou durante um período de tempo suficiente para não permitir recuperação ou ter probabilidade de que se altere, apesar de novos tratamentos; III - Laudo: documento comprobatório da deficiência de caráter permanente, emitido conforme modelo do Anexo I da presente Resolução, com a finalidade específica de atestar o direito do periciado à isenção tarifária no transporte intermunicipal no Estado do Pará. IV Junta Médica: a equipe composta por, pelo menos, um Médico e um outro profissional da área de saúde, conforme normatização da SESPA. Parágrafo único. Considera-se para efeito deste regulamento, as seguintes deficiências: I - Deficiência mental: funcionamento intelectual significativamente inferior à média, inclusive Transtorno do Espectro do Autismo, com manifestação antes dos dezoito anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, tais como: a) comunicação b) cuidado pessoal c) habilidades sociais d) utilização dos recursos da comunidade e) saúde e segurança f) habilidades acadêmicas g) lazer h) trabalho; II Deficiência sensorial: presença de deficiência auditiva ou visual; a) Deficiência auditiva: é a perda bilateral, parcial ou total, de (41) quarenta e um decibéis (db) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz b) Deficiência visual: cegueira, na qual a acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; a baixa visão, que significa acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica; os casos nos quais a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos for igual ou menor que 60 o ; ou a ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores;

3 c) Deficiência motora: alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, deficiência renal crônica, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções. CAPÍTULO III DOS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA EMISSÃO DA CARTEIRA DE GRATUIDADE Art. 3 - O interessado com direito ao benefício deverá agendar e submeter-se à perícia por junta médica devidamente credenciada para esse fim pelo SUS, a qual, verificando a deficiência de caráter permanente, emitirá laudo comprobatório em duas vias, atestando-a de acordo com o modelo constante do Anexo I desta Resolução. 1º. A ARCON-PA disponibilizará em seu site o respectivo formulário de Laudo Médico para emissão pelo usuário, em duas vias, e divulgará as providências a serem tomadas junto à entidade habilitada para avaliação e emissão do Laudo em conformidade com as determinantes desta resolução. 2º. Após avaliação pela junta médica, as duas vias do laudo serão entregues ao requerente do beneficio, ficando o mesmo responsável pelo envio de uma delas à ARCON-PA. Art. 4 O beneficiário deverá encaminhar os documentos abaixo listados à ARCON-PA, via correios, por meio de carta registrada, ou por meio de protocolo presencial, de modo a viabilizar seu cadastro, registro e emissão de carteira de gratuidade: I Laudo Médico; II - Documentos de identificação, em cópia simples; III - Comprovante de residência, em cópia simples. Parágrafo Único. Para os fins desta Resolução, consideram-se documentos de identificação: a. Cédula de identidade, expedida pela Secretaria de Segurança Pública, de todos os Estados Brasileiros e Distrito Federal; b. Cédula Funcional emitida pelo Exército, Marinha, Aeronáutica, Polícia Militar, Polícia Civil ou Corpo de Bombeiros; c. Carteiras profissionais, emitidas por Conselhos Regionais ou pela Ordem dos Advogados do Brasil, desde que válida como documento de identificação; d. Passaporte brasileiro; e Carteira Nacional de Habilitação (somente o modelo com foto).

4 Art. 5º - O controle e acompanhamento dos laudos emitidos pelo SUS e das carteiras a serem emitidas será realizado pela ARCON-PA, a partir do recebimento dos documentos exigidos no Art. 4. Art. 6º- Após receber os documentos e conferir a validade do laudo médico, a ARCON-PA procederá ao cadastro do requerente como beneficiário permanente da gratuidade nos transportes intermunicipais por motivo de deficiência no sistema de informações da agência. 1º. A ARCON-PA manterá banco de dados das pessoas que possuem o direito à gratuidade nos transportes coletivos rodoviários e aquaviários intermunicipais por motivo de deficiência de caráter permanente, disponibilizando lista dos beneficiários em seu sítio eletrônico para consulta pelos usuários e operadores interessados. Art. 7. Após o respectivo cadastro e registro, a ARCON-PA providenciará a emissão da carteira de gratuidade, a qual será encaminhada, via correios, para o endereço constante no comprovante de residência encaminhado à Agência pelo beneficiário, nos termos do inciso III, do Art Na hipótese de restar frustrada a entrega da carteira pelos correios, o usuário ou seu procurador deverá retirá-la na sede da ARCON-PA. Art. 8 - É de total responsabilidade do beneficiário o acompanhamento de seu pedido de emissão de carteira de gratuidade, a sua guarda e uso correto da carteira. Art. 9. Em caso de dano ou extravio da carteira de gratuidade, o usuário beneficiário deverá protocolar solicitação de emissão de 2ª via para a ARCON-PA, Parágrafo único. Os custos de emissão de 2ª via da carteira de gratuidade serão arcados pelo pelo beneficiário. CAPÍTULO IV DO GOZO DO BENEFÍCIO Art. 10 Para fazer jus ao benefício, o usuário deverá apresentar, no momento da aquisição do bilhete de passagem, a carteira de gratuidade por motivo de deficiência permanente emitida pela ARCON-PA e um documento de identidade, em via original ou cópia autenticada. Art. 11 Nos primeiros 90 (noventa) dias contados da emissão do laudo, o beneficiário poderá usufruir da gratuidade mediante apresentação de laudo comprobatório da deficiência de caráter permanente, expedido conforme modelo constante no Anexo I desta Resolução, em via original ou cópia autenticada, acompanhado de documento de identificação, em via original ou em cópia autenticada.

5 1 - Findo o prazo de 90 (noventa dias) estabelecido no caput, o beneficiário deverá adotar o procedimento previsto no art. 10 para fazer jus à gratuidade. Art. 12. A carteira de gratuidade por motivo de deficiência permanente terá validade de 5 (cinco) anos, podendo o beneficiário solicitar sua renovação mediante apresentação de comprovante de residência atualizado e cópia simples do documento de identidade. Art. 13. O direito à gratuidade é exclusivo do usuário cuja deficiência esteja comprovada pelo respectivo laudo, não sendo ampliado para o acompanhante, mesmo que o beneficiário seja menor de idade. CAPÍTULO VI DA EMISSÃO DOS BILHETES DE GRATUIDADE Art As empresas de transporte intermunicipal deverão solicitar previamente à ARCON, autorização para a impressão de bilhetes de passagens gratuitos. Art. 15- Os bilhetes de passagens gratuitos somente poderão ser utilizados pelas empresas de transporte intermunicipal após a autenticação pela ARCON, ou através de seus órgãos delegados. Art As empresas de transporte intermunicipal deverão informar à ARCON, conforme modelo definido no Anexo II desta resolução, a quantidade de bilhetes de passagens gratuitos, por categoria (pessoas com deficiência mental, sensorial e motora, de caráter permanente; menores de seis anos, inclusive; maiores de sessenta e cinco anos; policiais civis e militares e carteiros), efetivamente utilizados no mês, até o 10 (décimo) dia útil do mês subsequente. Parágrafo único: A referida listagem deverá conter dados que permitam a identificação do beneficiário, o motivo da gratuidade, um telefone para contato do beneficiário, o trecho e horário da viagem realizada Art. 17 Os modelos dos bilhetes de passagem gratuitos a serem utilizados pelas empresas de transporte intermunicipal, serão diferenciados por tipo de linha, interurbana e semi-urbana, conforme definidos nos anexos III, IV e V desta resolução, e deverão estar disponíveis aos beneficiários de isenção tarifária.

6 Art Na hipótese da não haver guichê de venda de bilhetes de passagens nos pontos de embarque, a entrega dos bilhetes de passagens para os beneficiários da isenção de que trata a presente resolução será feita pelos motoristas ou cobradores no interior dos veículos. Art. 19 O disposto no Parágrafo Único do art. 3º do Decreto nº 3.947/2000 somente se aplica para as linhas diretas. Parágrafo Único Nas linhas diretas, quando o número de passageiros com direito à isenção tarifária for superior às vagas decorrentes da aplicação do caput do art. 3º do Decreto nº 3.947/2000, e houver disponibilidade de assentos não ocupados por passageiros pagantes, o excedente de passageiros gratuitos poderá ocupar os assentos destinados aos demais passageiros. Art. 20 Nas linhas de natureza semi urbana, nas quais são admitidos passageiros em pé, as empresas deverão assegurar que 04 assentos estejam identificados para ocupação preferencial por idosos e pessoas com deficiência, conforme modelo a ser definido pela ARCON. CAPÍTULO VII DAS MULTAS PELO DESCUMPRIMENTO DESTA RESOLUÇÃO Art. 21. A transportadora que se recusar a conceder a gratuidade às pessoas com deficiência que cumpram os requisitos estabelecidos nesta Resolução incidirá nas infrações previstas nos artigos 61, IV, da Resolução ARCON n 01/2000, no artigo 29, II, d da Resolução ARCON n 05/99, no art. 74, XXVI da Resolução ARCON n 15/2010 e no art. art. 47, XXVII, da Resolução ARCON n 09/2000. CAPÍTULO VII DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS Art. 22. A ARCON-PA atuará em conjunto com órgãos, entidades, associações e Conselhos de defesa da pessoa com deficiência com a finalidade de divulgar o presente normativo Art. 23 Os Atestados Médicos expedidos nos moldes da Resolução nº 005/2000 permanecerão válidos por um ano, contado da data de publicação desta Resolução. Findo este prazo, somente serão aceitos os documentos previstos no artigo 10º e 11º. 1º. Os atuais detentores da carteira implementada pela resolução n 005/2000, deverão fazer a perícia instituída no artigo 3 desta resolução e ficam desde a data de publicação desta

7 resolução instados a providenciar os procedimentos necessários para o respectivo enquadramento nesta norma. Art. 24. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas todas as disposições em contrário. Diretor Geral da ARCON-Pa

8 ANEXO I Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Estado do Pará ARCON-PA GRATUIDADE Concessão de Gratuidade LAUDO DE JUNTA MÉDICA NOME DO BENEFICIÁRIO SEXO: CARTEIRA DE IDENTIDADE Nº DATA DE EMISSÃO: ORGÃO EMISSOR: ESTADO: DATA DE NASCIMENTO: CPF Nº: ENDEREÇO: BAIRRO: CIDADE: CEP: ESTADO: TELEFONE PRÓPRIO: TELEFONE PARA RECADOS: Anexar cópia do documento de identidade e de comprovante de residência informados. LOCAL DO EXAME: DATA: / / Atestamos, para a finalidade de concessão de gratuidade no transporte intermunicipal de passageiros, que o requerente acima qualificado, que se identificou, possui a deficiência permanente abaixo assinalada, nos termos do Art. 249, VI, da Constituição Estadual. TIPO DE DEFICIÊNCIA CID 10 Deficiência Motora =... Deficiência Auditiva Frequências: 500 Hz Hz Hz Hz Ouvido Direito: =... db =... db =... db =... db Ouvido Esquerdo: =... db =... db =... db =... db Deficiência Visual Olho Direito Olho Esquerdo Acuidade Visual:.../200.../200 Campo Visual: Deficiência Mental =... =... Obrigatório informar limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, conforme Artigo 2º da Resolução ARCON Nº /2010, alterado nos termos do Art. 249, VI, da Constituição Estadual -Transcrito no verso) a b c d e f g h =... Deficiência Renal Crônica ASSINATURA: ASSINATURA: CARIMBO E REGISTRO PROFISSIONAL CARIMBO E REGISTRO NO CRM

IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE E DADOS COMPLEMENTARES

IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE E DADOS COMPLEMENTARES ANEXO III LAUDO DE COMPROVAÇÃO DE DEFICIÊNCIA AUDITIVA E/OU VISUAL Serviço Médico/Unidade de Saúde: CNES: IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE E DADOS COMPLEMENTARES Nome: Data de Nascimento: / / Sexo: Feminino

Leia mais

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS.

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. Entra em vigor nesse mês a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência - Lei 13.146/2015, sancionada em julho e publicada

Leia mais

LEI N 511, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI N 511, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009. Pág. 1 de 7 LEI N 511, DE 14 DE SETEMBRO DE 2009. CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, no uso das atribuições

Leia mais

TERMO ADITIVO Nº 001/2013 AO EDITAL Nº 010/2013 PROCESSO SELETIVO Nº 010/2013. Retificação do edital alterando e incluindo os itens a seguir:

TERMO ADITIVO Nº 001/2013 AO EDITAL Nº 010/2013 PROCESSO SELETIVO Nº 010/2013. Retificação do edital alterando e incluindo os itens a seguir: TERMO ADITIVO Nº 001/2013 AO EDITAL Nº 010/2013 PROCESSO SELETIVO Nº 010/2013 Retificação do edital alterando e incluindo os itens a seguir: A SECRETARIA ESTADUAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA do Estado do Piauí

Leia mais

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação Deficiência Deficiência Estabelecidos pelo Decreto Federal 3.298 de 20 de dezembro de 1999 (art. 3º, I e 4 ), que foi alterado pelo Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004. É todo e qualquer comprometimento

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho Criada em 28/10/2002, com o objetivo

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE COMENTÁRIOS SOBRE A AVALIAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E INCAPACIDADES NA PERSPECTIVA DE UMA NOVA CLASSIFICAÇÃO NO BRASIL COORDENADORIA NACIONAL PARA INTEGRAÇÃO DA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA CORDE

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 2597, DE 22 DE SETEMBRO DE 2003. Regulamenta a Lei n.º 8.160, de 31 de março de 2003, que dispõe sobre a Política Municipal de Atenção às Pessoas

Leia mais

Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010.

Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010. Lei Municipal Nº 172/2010 De 30 de Dezembro de 2010. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência, do Município de São Francisco do Conde - CMDPPD

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITATUBA

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITATUBA ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITATUBA LEI Nº 407/2015 ITATUBA-PB, 11 de Março de 2015 CRIA O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DE ITATUBA E INSTITUI A 1ª CONFERÊNCIA

Leia mais

DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE ICMS PARA PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FÍSICA, VISUAL, MENTAL SEVERA OU PROFUNDA, OU AUTISTA

DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE ICMS PARA PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FÍSICA, VISUAL, MENTAL SEVERA OU PROFUNDA, OU AUTISTA DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE ICMS PARA PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FÍSICA, VISUAL, MENTAL SEVERA OU PROFUNDA, OU AUTISTA OBJETIVO DO SERVIÇO: Conceder isenção de ICMS para portadores de deficiência física, visual,

Leia mais

Parágrafo único. Incluem-se na condição de serviço convencional:

Parágrafo único. Incluem-se na condição de serviço convencional: DECRETO Nº 10.890, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. Regulamenta a Lei Nº 1307, de 15 de janeiro de 2004, que concede passe livre às pessoas idosas, e portadoras de deficiência. no sistema de transporte intermunicipal

Leia mais

Assinatura Carimbo e registro do CRM. Nome: Endereço:

Assinatura Carimbo e registro do CRM. Nome: Endereço: Anexo III - REVOGADO; (Redação dada pela Portaria nº 1.122 de 26.11.14). Redação Anterior: (4) Portaria nº 26 de 15.01.13. (Redação dada pela Portaria nº 26 de 15.01.13). Anexo III á Portaria SEFAZ nº

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 002/2015-CGPMCMV/PMM

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 002/2015-CGPMCMV/PMM EDITAL DE SELEÇÃO Nº 002/2015- NORMAS PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS INSCRITOS NO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PARA O RESIDENCIAL JARDIM AÇUCENA. A PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAPÁ, por meio do COMITÊ GESTOR

Leia mais

ALTERADO PELO DECRETO Nº: - 33.683, DE 24.01.13 DOE DE 25.01.13 (CONVÊNIO ICMS 135/12) - 34.214, DE 16.08.13 DOE DE 17.08.13 (CONVÊNIO ICMS 76/13)

ALTERADO PELO DECRETO Nº: - 33.683, DE 24.01.13 DOE DE 25.01.13 (CONVÊNIO ICMS 135/12) - 34.214, DE 16.08.13 DOE DE 17.08.13 (CONVÊNIO ICMS 76/13) DECRETO Nº 33.616, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2012 PUBLICADO NO DOE DE 16.12.12 ALTERADO PELO DECRETO Nº: - 33.683, DE 24.01.13 DOE DE 25.01.13 (CONVÊNIO ICMS 135/12) - 34.214, DE 16.08.13 DOE DE 17.08.13 (CONVÊNIO

Leia mais

PERÍCIA É O EXAME, VISTORIA OU AVALIAÇÃO DE COISAS OU PESSOAS, MATÉRIA, COM A FINALIDADE DE DAR UM PARECER TÉCNICO E CONCLUSIVO.

PERÍCIA É O EXAME, VISTORIA OU AVALIAÇÃO DE COISAS OU PESSOAS, MATÉRIA, COM A FINALIDADE DE DAR UM PARECER TÉCNICO E CONCLUSIVO. A PERÍCIA E OS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE PERÍCIA MÉDICA PERÍCIA E JUSTIÇA SOCIAL Novembro de 2008 MARCO AURÉLIO DA SILVA CESAR PERÍCIA PERÍCIA É O EXAME, VISTORIA

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79)

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) Disciplina a concessão e a administração do benefício de passe livre à pessoa com deficiência,

Leia mais

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Instituto Paradigma O Instituto Paradigma é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), dedicada a desenvolver e implementar projetos nas

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto nos arts. 20, inciso II, 22, inciso III, e 24, inciso IV, da Lei nº 10.233, de 5 de junho de 2001; e

CONSIDERANDO o disposto nos arts. 20, inciso II, 22, inciso III, e 24, inciso IV, da Lei nº 10.233, de 5 de junho de 2001; e Dispõe sobre procedimentos a serem observados na aplicação do Estatuto do Idoso no âmbito dos serviços de transporte rodoviário interestadual de passageiros, e dá outras providências. A Diretoria da Agência

Leia mais

Conselho de Recursos Administrativos - CORAD PROCESSO 0015-15/000002-0

Conselho de Recursos Administrativos - CORAD PROCESSO 0015-15/000002-0 Concurso Público. Serviços Notariais e Registrais. Recursos interpostos contra o indeferimento da inscrição na condição de PcD do concurso aberto pelo Edital nº 001/2013- CECPODNR. Conhecimento e improvimento

Leia mais

Reserva de vagas para pessoas portadoras de deficiência em concurso público

Reserva de vagas para pessoas portadoras de deficiência em concurso público Reserva de vagas para pessoas portadoras de deficiência em concurso público B. Siqueira Chefe de Gabinete do MPC Auditor Público Externo CONVENÇÕES Convenção 111 - Decreto 62.150 de 19/01/68 (discriminação

Leia mais

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 Art. 5 o Os órgãos da administração pública direta, indireta e fundacional, as empresas prestadoras de serviços públicos e as instituições financeiras deverão

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 197, DE 2010

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 197, DE 2010 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 197, DE 2010 Acrescenta o inciso VI, ao artigo 1º, da Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995, que dispõe sobre a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados

Leia mais

SAHUDES SOCIEDADE DE APOIO, HUMANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SERVIÇOS DE SAÚDE

SAHUDES SOCIEDADE DE APOIO, HUMANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SERVIÇOS DE SAÚDE SOCIEDADE DE APOIO, HUMANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SERVIÇOS DE SAÚDE SAHUDES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE MÉDICO E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O HOSPITAL

Leia mais

Acessibilidade à pessoa com deficiência

Acessibilidade à pessoa com deficiência Acessibilidade à pessoa com deficiência V1.01 - Novembro de 2012 1. Sigla E-EQI-01 Sumário: Sigla Nome Conceituação Domínio Relevância Importância Estágio do Ciclo de Vida Método de Cálculo Definição de

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ADM. 2013 2016

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ADM. 2013 2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE EDITAL 001/2015 O FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE, representado pelo SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE, no uso de suas atribuições

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SELEÇÃO PÚBLICA - EDITAL 001/2014 CONTRATO DE APRENDIZAGEM - JOVEM APRENDIZ GOVERNO FEDERAL - MINISTÉRIO DAS CIDADES EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PORTO ALEGRE S.A TRENSURB O Diretor-Presidente da Empresa

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1517/2012. Autor(es): Deputado XANDRINHO, ASPÁSIA CAMARGO E EDSON ALBERTASSI A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PROJETO DE LEI Nº 1517/2012. Autor(es): Deputado XANDRINHO, ASPÁSIA CAMARGO E EDSON ALBERTASSI A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROJETO DE LEI Nº 1517/2012 EMENTA: ESTENDE ÀS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA FÍSICA, VISUAL, AUDITIVA, MENTAL SEVERA OU PROFUNDA OU AUTISTA OS BENEFÍCIOS RELATIVOS AO ICMS, EM CONSONÂNCIA COM O CONVÊNIO

Leia mais

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC.

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC. Resolução nº509/08 ANATEL RESOLUÇÃO No 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM, no uso de suas atribuições legais; CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM, no uso de suas atribuições legais; CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS DECRETO nº 474, de 24 de março de 2015 Institui a Central de LIBRAS no Município e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM, no uso de suas atribuições legais; DECRETA: CAPÍTULO I DAS

Leia mais

A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014

A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014 A PESSOA COM DEFICIENCIA E O TRABALHO APAMT 25-10 - 2014 PERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIA IDADE ANTIGA 4000AC A 476 DC (Queda do Império Romano do Ocidente) IDADE MÉDIA 476 DC A 1453 (Queda do Império Romano do

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 241, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 241, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 241, DE 2011 Altera o 1º do art. 1º da Lei nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995, para incluir a linfadenectomia entre as condições que justificam a concessão

Leia mais

DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004

DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 Regulamenta o art. 40 da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições

Leia mais

Universidade Católica de Pelotas. Pró-Reitoria Acadêmica Edital 054/2015

Universidade Católica de Pelotas. Pró-Reitoria Acadêmica Edital 054/2015 Universidade Católica de Pelotas Pró-Reitoria Acadêmica Edital 054/2015 O Centro de Ciências Jurídicas, Econômicas e Sociais, no Programa de Pós-Graduação em Política Social, seleciona professor para o

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014 GLOSSÁRIO

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014 GLOSSÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA. PREFEITURA MUNICIPAL DE TURVO/SC SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA. EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA ADMISSÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA AS SECRETARIAS MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA.

Leia mais

FISCALIZAÇÃO PCD. Joaquim Travassos Leite. Auditor Fiscal do Trabalho Coordenador do Projeto de Inserção de

FISCALIZAÇÃO PCD. Joaquim Travassos Leite. Auditor Fiscal do Trabalho Coordenador do Projeto de Inserção de FISCALIZAÇÃO PCD Joaquim Travassos Leite Auditor Fiscal do Trabalho Coordenador do Projeto de Inserção de 1 Terminologia Pessoa com deficiência ou deficiente (físico, visual, intelectual, etc.) X não deficiente.

Leia mais

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 Dispõe sobre o afastamento para estudo, congressos, seminários ou reuniões similares de servidor e empregado da Administração Pública Distrital

Leia mais

ANEXO I - EDITAL Nº 17/2015

ANEXO I - EDITAL Nº 17/2015 Página 1 de 5 ANEXO I - EDITAL Nº 17/2015 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC/RN, representado por sua Administração Regional no Estado do Rio Grande do Norte, torna público, para o conhecimento de quantos

Leia mais

ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE POÁ

ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE POÁ DECRETO Nº DE DE DE 2015 Dispõe sobre regulamentação da Lei Complementar nº. 3.766, de 4 de dezembro de 2014, que criou o Passe Livre Estudantil, gratuidade no sistema de transporte coletivo aos estudantes

Leia mais

ISENÇÃO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

ISENÇÃO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA ISENÇÃO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA Maria Teresa Martinelli 1 Josiane de Campos Silva Giacovoni 2 RESUMO: Esse trabalho destina-se a difundir informações a respeito de um direito

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2012. Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2012. Manual do Usuário 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais (CRMV-MG)

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais (CRMV-MG) .1. RESOLUÇÃO Nº 332 Estabelece procedimento para a concessão de apoio financeiro e institucional. O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais (CRMV-MG), no uso da atribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 439/2014

RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 439/2014 RESOLUÇÃO CRCRJ Nº 439/2014 APROVA NOVO REGULAMENTO DE CURSOS DE ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL REALIZADOS PELO CRCRJ. O Plenário do CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (CRCRJ), no

Leia mais

PROGRAMA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO TRABALHO E EMPREGO EM SÃO PAULO SRTE/SP

PROGRAMA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO TRABALHO E EMPREGO EM SÃO PAULO SRTE/SP 14º ENCONTRO NACIONAL DE ENFERMAGEM DO TRABALHO - ANENT PROGRAMA DE INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO TRABALHO E EMPREGO EM SÃO PAULO SRTE/SP DADOS DEMOGRÁFICOS Brasil

Leia mais

A garantia de prioridade no atendimento. A criminalização do preconceito. Camila Bressanelli *

A garantia de prioridade no atendimento. A criminalização do preconceito. Camila Bressanelli * A garantia de prioridade no atendimento A criminalização do preconceito Camila Bressanelli * Antes mesmo de adentrar-se ao assunto proposto, acerca da criminalização do preconceito, vale ressaltar que,

Leia mais

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 REGULAMENTO DA CENTRAL DE INTERMEDIAÇÃO DE COMUNICAÇÃO TELEFÔNICA A SER UTILIZADA POR PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA OU DA FALA CIC CAPÍTULO I Da Abrangência

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE Edital nº 001/2014 SELEÇÃO DE REPRESENTANTES DA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PARA COMPOR O COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE

Leia mais

DECRETA: CAPÍTULO I DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE FRETAMENTO Seção I Disposições preliminares

DECRETA: CAPÍTULO I DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE FRETAMENTO Seção I Disposições preliminares Disciplina a autorização para prestação de serviço fretado de transporte rodoviário intermunicipal de pessoas e altera o Decreto nº 32.656, de 14 de março de 1991. GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS,

Leia mais

LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre o licenciamento para o exercício de atividades econômicas e sem fins lucrativos no âmbito do

Leia mais

L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2.

L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2. L E I n º 5 3 9 / 2 0 1 2 d e 0 6 d e j u l h o d e 2 0 1 2. Disciplina o serviço de transporte de passageiros em veículos de aluguel (táxi). A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE ITAQUIRAÍ, ESTADO DE MATO GROSSO

Leia mais

PREFEITURA DO RECIFE EDITAL

PREFEITURA DO RECIFE EDITAL 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES EDITAL 1.1. O processo seletivo simplificado de que trata estaportaria conjunta visa à contratação temporária de 64 (sessenta e quatro) profissionais de nível superior e

Leia mais

FUNDAÇÃO DO ABC. EDITAL nº 01/2014 DO PROCESSO SELETIVO 02/2014 ABERTURA

FUNDAÇÃO DO ABC. EDITAL nº 01/2014 DO PROCESSO SELETIVO 02/2014 ABERTURA FUNDAÇÃO DO ABC ABERTURA A FUNDAÇÃO DO ABC, TORNA PÚBLICA a realização do PROCESSO SELETIVO, sob regime da Consolidação das Leis Trabalhistas, para provimento de vagas do seu quadro de pessoal, de acordo

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM.

RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 006, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2010, DO REITOR DA UFTM. Dispõe sobre a solicitação, autorização, concessão e prestação

Leia mais

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO DECRETO N o 1.744, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1995 Regulamenta o benefício de prestação continuada devido à pessoa portadora de deficiência e ao idoso, de que trata a Lei n 8.742, de 7 de dezembro de 1993, e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DENATRAN Nº 01, de 09 de dezembro de 2003.

INSTRUÇÃO NORMATIVA DENATRAN Nº 01, de 09 de dezembro de 2003. INSTRUÇÃO NORMATIVA DENATRAN Nº 01, de 09 de dezembro de 2003. Estabelece orientações e procedimentos a serem adotados na celebração de Contratos, Convênios, Termos de Cooperação, Acordos de Cooperação

Leia mais

PARA SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, COMPREENDENDO O ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE INCAPACIDADES NO MUNICÍPIO DE RESENDE - RJ.

PARA SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, COMPREENDENDO O ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE INCAPACIDADES NO MUNICÍPIO DE RESENDE - RJ. EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2015 PARA SELEÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, COMPREENDENDO O ESTUDO DE PREVALÊNCIA DE INCAPACIDADES NO MUNICÍPIO DE RESENDE - RJ. A AFR ASSOCIAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL Nº 09/2011 PRAC SELEÇÃO PÚBLICA A Pró-Reitoria Acadêmica da Universidade Católica de Pelotas torna pública a abertura de SELEÇÃO DOCENTE,

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Pelo presente instrumento, na forma do art. 5.º, 6.º, da Lei n.º 7.347, de 24 de julho de 1985, alterado pelo art. 113 da Lei n.º 8.078, de 11 de novembro de 1990, de um

Leia mais

EMENTÁRIO LEI N.º 949, DE 10 DE MARÇO DE 2006

EMENTÁRIO LEI N.º 949, DE 10 DE MARÇO DE 2006 LEI N.º 949, DE 10 DE MARÇO DE 2006 (D.O.M. 16.03.2006 Nº. 1442 ANO VII) DISPÕE sobre Diretrizes do Sistema de Bilhetagem e Direitos dos Usuários dos Transportes Coletivos de Manaus. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

Edição Número 130 de 08/07/2004. Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências.

Edição Número 130 de 08/07/2004. Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências. Atos do Poder Executivo Edição Número 130 de 08/07/2004 DECRETO N o 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências.

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014. Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização da jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CEFOR/SES-PB. CURSO TÉCNICO SAÚDE BUCAL ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE EDITAL Nº. 06/2012/SES/CEFOR-PB A Secretaria do Estado da Saúde, através do CEFOR-PB, torna público para conhecimento dos interessados a realização de PROCESSO

Leia mais

SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS EDITAL N. 01, DE 28 DE MAIO DE 2013

SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS EDITAL N. 01, DE 28 DE MAIO DE 2013 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS EDITAL N. 01, DE 28 DE MAIO DE 2013 O Ministério Público do Trabalho - Procuradoria Regional do Trabalho da 14ª Região Procuradoria do Trabalho no Município de Rio Branco/AC, em

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005.

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 66, DE 12 DE MAIO DE 2005. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 24,

Leia mais

Inserção da Pessoa com Deficiência com Dignidade, Direitos e Obrigações DRT/SP

Inserção da Pessoa com Deficiência com Dignidade, Direitos e Obrigações DRT/SP Inserção da Pessoa com Deficiência com Dignidade, Direitos e Obrigações DRT/SP José Carlos do Carmo (Kal) Auditor Fiscal do Trabalho Médico do Trabalho Lei nº 8.213 1991 2.007 Dispõe sobre os Planos de

Leia mais

CONSIDERANDO as contribuições apresentadas nas Audiências Públicas nº 063/2007 e nº 083/2008, RESOLVE:

CONSIDERANDO as contribuições apresentadas nas Audiências Públicas nº 063/2007 e nº 083/2008, RESOLVE: AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RESOLUÇÃO Nº 2885, DE 09 DE SETEMBRO DE 2008 DOU de 23 DE SETEMBRO DE 2008 Estabelece as normas para o Vale-Pedágio obrigatório e institui os procedimentos de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA BENEFÍCIO FISCAL ELETRÔNICO PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES 1 1. Quais os benefícios fiscais direcionados às pessoas com deficiência? R.

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

00079B580040101AD0024DE50000277B. A Sua Excelência o Senhor Vereador JUARES CARLOS HOY Presidente da Câmara Municipal de Canoas

00079B580040101AD0024DE50000277B. A Sua Excelência o Senhor Vereador JUARES CARLOS HOY Presidente da Câmara Municipal de Canoas A Sua Excelência o Senhor Vereador JUARES CARLOS HOY Presidente da Câmara Municipal de Canoas PROJETO DE LEI - LEGISLATIVO Nº 0077/2013, DE 18/10/2013. Senhor Presidente, O Vereador CÉSAR AUGUSTO RIBAS

Leia mais

PROVIMENTO Nº 22/2015. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso das

PROVIMENTO Nº 22/2015. A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Regina Ferrari, no uso das PROVIMENTO Nº 22/2015 Regulamenta a forma e os modelos de autorizações de viagens intermunicipais, interestaduais e internacionais de crianças e adolescentes. atribuições, A Corregedora-Geral da Justiça,

Leia mais

JUSTI ÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEXTA REGIÃO RECIFE

JUSTI ÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEXTA REGIÃO RECIFE JUSTI ÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEXTA REGIÃO RECIFE EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA A SELEÇÃO DE ESTÁGIO REMUNERADO PARA ESTUDANTES DE NÍVEL SUPERIOR DO CURSO DE DIREITO DESTINADOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, no uso de suas atribuições

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 Dispõe sobre a participação de servidores do Tribunal Superior do Trabalho em ações de educação corporativa

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA PBPREV PARAÍBA PREVIDÊNCIA EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES DO 2º PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DA PBPREV

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA PBPREV PARAÍBA PREVIDÊNCIA EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES DO 2º PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DA PBPREV GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA PBPREV PARAÍBA PREVIDÊNCIA EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES DO 2º PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE ESTÁGIO DA PBPREV O PRESIDENTE DA PBPREV PARAÍBA PREVIDÊNCIA, tendo em vista

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2014 - FOZPREV DATA: 5 de junho de 2014 SÚMULA: Regulamenta critérios de participação em eventos externos e procedimentos para a utilização de diárias de viagem e passagens custeadas

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA

REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA REGULAMENTO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA ESTE REGULAMENTO DISPÕE SOBRE A IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DO SISTEMA DE BILHETAGEM ELETRÔNICA NA REDE DE TRANSPORTE COLETIVO NÃO INTEGRADA DA REGIÃO METROPOLITANA

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires DECRETO Nº 5.522, DE 04 DE JUNHO DE 2014 Regulamenta os Certames Públicos para fins de provimento dos Quadros de Pessoal do. AIRTON LUIZ ARTUS, PREFEITO MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES, no uso de suas atribuições

Leia mais

Secretaria de Estado da Educação - SEDUC

Secretaria de Estado da Educação - SEDUC Secretaria de Estado da Educação - SEDUC PORTARIA SEDUC Nº 195/2016 Estabelece normas e procedimentos para o processo de matrícula na Rede Estadual de Ensino / SEE para o ano letivo de 2016, e dá outras

Leia mais

V - Anexo V - solicitação de cancelamento ou atualização de habilitação.

V - Anexo V - solicitação de cancelamento ou atualização de habilitação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22, DE 20 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2014 CONSUNI (Alterada pela Resolução n 107/2014 CONSUNI)

RESOLUÇÃO Nº 052/2014 CONSUNI (Alterada pela Resolução n 107/2014 CONSUNI) RESOLUÇÃO Nº 052/2014 CONSUNI (Alterada pela Resolução n 107/2014 CONSUNI) Institui o Programa de Auxílio à Mobilidade Estudantil Nacional e Internacional da UDESC PROME Nacional e PROME Internacional.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL SEPLAG/SEDESE Nº. 01/2013, de 28 de junho de 2013 CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DE ANALISTA

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL SEPLAG/SEDESE Nº. 01/2013, de 28 de junho de 2013 CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DE ANALISTA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL SEPLAG/SEDESE Nº. 01/2013, de 28 de junho de 2013 CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DE ANALISTA DE GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS EM DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006.

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. Institui a Política Estadual de fomento à Economia Popular Solidária no Estado do Rio Grande do Norte e estabelece outras disposições. O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa pública federal, criada pelo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO UNIDADE: HOSPITAL REGIONAL DE ASSIS EDITAL nº. 22/2015 CATEGORIA: Médico I Especialidade: NEFROLOGIA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO UNIDADE: HOSPITAL REGIONAL DE ASSIS EDITAL nº. 22/2015 CATEGORIA: Médico I Especialidade: NEFROLOGIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO UNIDADE: HOSPITAL REGIONAL DE ASSIS EDITAL nº. 22/2015 CATEGORIA: Médico I Especialidade: NEFROLOGIA A Coordenadoria de Serviços de Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde,

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 055/2005

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 055/2005 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 055/2005 Aprova o Programa de Atendimento a Pessoas com Necessidades Especiais da Universidade do Contestado-UnC O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições,

Leia mais

DECRETO Nº 2.108/2009

DECRETO Nº 2.108/2009 DECRETO Nº 2.108/2009 Súmula: Estabelece Procedimentos e critérios para os atestados médicos dos Servidores Públicos Municipais. O Prefeito Municipal de Colombo, no uso de suas atribuições que lhe são

Leia mais

EDITAL SEPLAG/SEE Nº. 05/2014, de 24 de novembro de 2014

EDITAL SEPLAG/SEE Nº. 05/2014, de 24 de novembro de 2014 EDITAL SEPLAG/SEE Nº. 05/2014, de 24 de novembro de 2014 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DAS CARREIRAS DE ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA DO QUADRO DE PESSOAL

Leia mais

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário.

Art. 2º Este Ato Administrativo entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições em contrário. ATO ADMINISTRATIVO REITORIA Nº 16/2015 Aprova o Edital do Processo Seletivo dos Cursos Superiores na modalidade a Distância Vestibular 2º Semestre de 2015 O REITOR DA UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO,

Leia mais

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10 PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10 O Vice-Reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina Campus de São Miguel do Oeste SC,

Leia mais

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8 PORTARIA JUCERJA N.º 1.408, DE 25 DE AGOSTO DE 2015. APROVA REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PERITOS GRAFOTÉCNICOS, NO ÂMBITO DA JUCERJA. O PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, CONSELHOS COMUNITÁRIOS Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHOS COMUNITÁRIOS ORGAO COLEGIADO GABINETE DO PREFEITO Tornar os cidadãos parte ativa no exercício do governo, mediante

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E MODERNIZAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 02/2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E MODERNIZAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 02/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANDRÉ SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO E MODERNIZAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO 02/2014 1. A Prefeitura Municipal de Santo André torna pública a abertura de inscrições para Concurso

Leia mais

RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral.

RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. RESOLUÇÃO 23.190 INSTRUÇÃO Nº 127 CLASSE 19ª BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Interessado: Tribunal Superior Eleitoral. Dispõe sobre pesquisas eleitorais (Eleições de 2010).

Leia mais

E. Cartão de Estacionamento em Vagas de Deficientes Decreto

E. Cartão de Estacionamento em Vagas de Deficientes Decreto 1 E. Cartão de Estacionamento em Vagas de Deficientes Decreto Municipal nº 36.073, de 09 de maio de 1996, disciplinado pela Portaria DSV/SMT nº 14, de 02/04/2002. O Cartão DeFis-DSV é uma autorização especial

Leia mais

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas registradas

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 85, DE 2015 (Nº 1.759/2007, NA CASA DE ORIGEM) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 85, DE 2015 (Nº 1.759/2007, NA CASA DE ORIGEM) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 85, DE 2015 (Nº 1.759/2007, NA CASA DE ORIGEM) Dispõe sobre as empresas de sistemas eletrônicos de segurança e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais