NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET"

Transcrição

1 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :10 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Alpestre Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Acidente por Animais Peçonhentos 1 Atendimento Anti-Rábico Humano 5 Hepatites Virais 4 Meningite 1 Tuberculose 2 Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências 7 TOTAL 20 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

2 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :11 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Erval Grande Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Acidente por Animais Peçonhentos 13 Atendimento Anti-Rábico Humano 13 Hepatites Virais 1 Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências 8 TOTAL 35 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

3 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :12 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Faxinalzinho Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Acidente por Animais Peçonhentos 2 Atendimento Anti-Rábico Humano 4 TOTAL 6 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

4 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :12 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Itatiba do Sul Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Atendimento Anti-Rábico Humano 1 Hepatites Virais 2 Tuberculose 1 Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências 5 TOTAL 9 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

5 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :13 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Nonoai Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Acidente por Animais Peçonhentos 10 Atendimento Anti-Rábico Humano 38 Coqueluche 1 Gestantes HIV + 1 Hanseníase 1 Hepatites Virais 6 Influenza 2 Meningite 3 Varicela 71 Intoxicações Exógenas 1 Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências 6 TOTAL 140 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

6 TabNet Win32 2.7: NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificado of 1 08/10/ :14 Ajuda Os anos relacionados no Campo "Períodos Disponíveis" são baseados no ano da notificacao NOTIFICAÇÃO INDIVIDUAL - Casos Notificados (Confirmados e Descartados) no Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINANNET Notificações segundo Agravo Notificado Ano da Notific: 2013 Ano In.Sint/Acid/Diag: 2013 Mun Resid RS: Rio dos Índios Período: 2013 Agravo Notificado Notificações Acidente por Animais Peçonhentos 4 Atendimento Anti-Rábico Humano 9 Varicela 1 Violência Doméstica, Sexual e/ou outras Violências 2 TOTAL 16 Copia como.csv Copia para TabWin Fonte: - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - sinannet Notas: 1) Excluídos casos não residentes no RS 2) Total de casos notificados (confirmados e descartados). 3) Para obter os casos confirmados tabular o agravo desejado.

7

8

9

10

11

12

13

14

MANUAL PRÁTICO TABWIN

MANUAL PRÁTICO TABWIN MANUAL PRÁTICO TABWIN TUBERCULOSE JANEIRO 2012 Salvador-BA Índice Sumário EXECUTAR TABULAÇÃO... 2 Procedimento 1 - Para tabular dados... 4 Procedimento 2 Para salvar tabela no tabwin... 4 Procedimento

Leia mais

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996

Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 Índice dos Boletins Epidemiológicos de Porto Alegre de 2014 a 1996 XV 55 Novembro de 2014 Especial Vigilância Ambiental da Dengue em Porto Alegre XV 54 Fevereiro de 2014 Atual Cenário Epidemiológica da

Leia mais

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória

ANEXO I. Lista de Notificação Compulsória 1. Acidentes por animais peçonhentos; 2. Atendimento antirrábico; 3. Botulismo; 4. Carbúnculo ou Antraz; 5. Cólera; 6. Coqueluche; 7. Dengue; 8. Difteria; 9. Doença de Creutzfeldt-Jakob; ANEXO I Lista

Leia mais

BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE

BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE Salvador-BA Agosto/2012 DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA TUBERCULOSE - BAHIA MANUAL PRÁTICO TABNET TUBERCULOSE

Leia mais

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc.

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc. AIDS Para construir série histórica de alguns indicadores epidemiológicos e operacionais referentes a casos de aids adulto e criança anteriores ao ano de 2007, incluídos no SinanW, deve-se utilizar os

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde.

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Conceito: Forma tradicional de utilização da Epidemiologia nos serviços de saúde. Vigilância: (1) Observação de pessoas (2) Observação de doenças ou danos à saúde - VE Com vistas

Leia mais

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS

DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DOENÇAS DE NOTIFICAÇÃO COMPULSÓRIAS DEFINIÇÃO São doenças cuja gravidade, magnitude, transcendência, capacidade de disseminação do agente causador e potencial de causar surtos e epidemias exigem medidas

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVEP GERÊNCIA DE AGRAVOS DE TRANSMISSÃO RESPIRAT, SEXUAL, VIG DO ÓBITO E SIST DE INFORMAÇÃO E - GATRSVOSI NÚCLEO

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SinanNET - Versão 4.0 Patch 4.2. Diretoria de Informação em Saúde

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SinanNET - Versão 4.0 Patch 4.2. Diretoria de Informação em Saúde SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO - Versão 4.0 Patch 4.2 Diretoria de Informação em Saúde Objetivo Facilitar a formulação e avaliação das políticas, planos e programas de saúde, subsidiando

Leia mais

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR

Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Serviço de Epidemiologia Hospitalar: Hospital de Clínicas/UFPR Comunicações: 1. Vigilância da Coqueluche; 2. Vigilância das Síndromes Respiratórias Agudas Graves; 3. Liberação de tratamento para tuberculose

Leia mais

Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN

Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN REUNIÃO DA COMISSÃO INTERGESTORES TRIPARTITE Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN Jarbas Barbosa da Silva Jr Secretário de Vigilância em Saúde Brasília, 12 de dezembro de 2013 SISTEMA

Leia mais

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho;

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1 Caso suspeito ou confirmado de: 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; 2. Acidente de Trabalho

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA 1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE ASSUNTOS DESTE INFORME Agravos notificados

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

NORMA PROCEDIMENTAL REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS 10.03.002 1/09 1. FINALIDADE Estabelecer procedimentos e disciplinar o processo para realização de exames laboratoriais no Hospital de Clínicas - HC. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO Todas as unidades do HC, em

Leia mais

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância epidemiológica no Brasil 1990: Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN 2007 SINAN Net - http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE HOSPITAL DR. JOSÉ AUGUSTO DANTAS NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE HOSPITAL DR. JOSÉ AUGUSTO DANTAS NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE HOSPITAL DR. JOSÉ AUGUSTO DANTAS NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR RELATÓRIO TÉCNICO DAS ATIVIDADES REALIZADAS PELO NÚCLEO DE

Leia mais

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde.

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 NOTA TÉCNICA N.º 01/2011 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS Assunto: Liberação

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE TEMAS DESTE INFORME Entendendo um pouco mais

Leia mais

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação

Instrumento Administrativo Política Institucional Nº 02.03 Política de Vacinação Rev: 03 Data: 19/07/2010 Página 1 de 5 Anexo I - Rol de Vacinas cobertas por esta Política Vacina Nome da Droga Pré-requisitos para cobertura Documentação necessária Observação Crianças de 1 a 12 anos:

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Centro de Informações Estratégias e Resposta em Vigilância em Saúde Gerência Técnica do SINAN FLUXO DE RETORNO

Leia mais

Fluxos para notificação de casos de gestantes positivas para o HIV, crianças expostas, sífilis em gestantes e sífilis congênita

Fluxos para notificação de casos de gestantes positivas para o HIV, crianças expostas, sífilis em gestantes e sífilis congênita Fluxos para notificação de casos de gestantes positivas para o HIV, crianças expostas, sífilis em gestantes e sífilis congênita Em reunião realizada em 02 de junho de 2009 com representantes das dos DAPS,

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

Informe Técnico: Vigilância das Meningites no Estado de Santa Catarina

Informe Técnico: Vigilância das Meningites no Estado de Santa Catarina GOVERNO DE SANTA CATARINA Secretaria de Estado da Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Gerência de Vigilância de Doenças Imunopreveníveis e Imunização Informe

Leia mais

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico AGRAVO NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS 3-4 - 13-14 - 17-18 - 28-34 - 36-38 - 42-44 - 45 Cobertura Vacinal 7-8 - 9-10 - 12-14 - 16-18 - 19-22 - 23-25

Leia mais

Informe Epidemiológico Mensal

Informe Epidemiológico Mensal Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas Superintendência de Vigilância a Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Informe Epidemiológico Mensal Ano VII Nº 10 Outubro de 2014 Nesta Edição EDITORIAL

Leia mais

Informe Epidemiológico Mensal

Informe Epidemiológico Mensal Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas Superintendência de Vigilância a Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Informe Epidemiológico Mensal Ano VII Nº 09 Setembro de 2014 Nesta Edição EDITORIAL

Leia mais

Política de Vacinação

Política de Vacinação Rol de s cobertas por esta Política Catapora ou Varicela contra Varicela Biken Crianças de 1 a 12 anos: esquema vacinal em dose única. Pacientes imunocomprometidos: portadores de leucemia linfóide aguda

Leia mais

ROTEIRO PARA USO DO SINAN NET, ANÁLISE DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS E CÁLCULO DE INDICADORES EPIDEMIOLÓGICOS E OPERACIONAIS CADERNO GERAL

ROTEIRO PARA USO DO SINAN NET, ANÁLISE DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS E CÁLCULO DE INDICADORES EPIDEMIOLÓGICOS E OPERACIONAIS CADERNO GERAL Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Gerência Técnica do Sinan ROTEIRO PARA USO DO SINAN NET, ANÁLISE

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE RESUMOS PARA A VI JORNADA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS HDT/HAA Período de envio dos resumos: 08/10/15 à 10/11/15. Envio dos resumos: os resumos deverão ser enviados

Leia mais

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM

CALENDÁRIOS VACINAIS. Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM CALENDÁRIOS VACINAIS Renato de Ávila Kfouri Sociedade Brasileira de Imunizações SBIM VACINA É PARA A VIDA TODA... Oportunidades para a Vacinação criança adolescente adulto Programa infantil Catch up (repescagem)

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Apresentação Sistemas de Informação Gisele Cristina Tertuliano Coordenação Vigilância Epidemiológica Um Sistema de Informação (SI) é um sistema cujo elemento principal é a informação. Seu objetivo é armazenar,

Leia mais

TOXOPLASMOSE CONGÊNITA

TOXOPLASMOSE CONGÊNITA FLUXO DE ENCAMINHAMENTO SOLICITAR: exames de rotina (TOXOPLASMOSE, VDRL, HIV e FEZES) PREENCHER: Questionário epidemiológico (orientar sobre as medidas de prevenção da toxoplasmose), assinar o Termo de

Leia mais

Escolas terão vacinação e ações contra obesidade

Escolas terão vacinação e ações contra obesidade NOVO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Escolas terão vacinação e ações contra obesidade Ministério da Saúde e da Educação convocam municípios à aderir MINISTÉRIO DA SAÚDE VAI DESTINAR R$ 89 MILHÕES PARA AÇÕES COM

Leia mais

Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde

Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade Departamento de Epidemiologia e Bioestatística Epidemiologia

Leia mais

Informe Epidemiológico Mensal

Informe Epidemiológico Mensal Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas Superintendência de Vigilância a Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica Informe Epidemiológico Mensal Ano V Nº 01 Edição Mensal Janeiro 2012 Nesta Edição

Leia mais

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo

Instruções de uso do TABNET. Linha, Coluna e Conteúdo O Tabnet, aplicativo desenvolvido pelo Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), permite ao usuário fazer tabulações de bases de dados on-line e foi gentilmente cedido para disponibilização

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde Gerência Executiva de Vigilância em Saúde Gerência Operacional de Resposta Rápida

Secretaria de Estado da Saúde Gerência Executiva de Vigilância em Saúde Gerência Operacional de Resposta Rápida INFLUENZA A (H1N1) SEMANA EPIDEMIOLÓGICA 35/2009 Até a semana epidemiológica - SE 35/2009, encerrada em 05/09/2009, foram notificados 131 casos suspeitos de Influenza, sendo 37 de Síndrome Gripal - SG

Leia mais

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008

ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 ANO: 02 Nº 01 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTANA DO IPANEMA AL JANEIRO Á JUNHO - 2008 Informe Este informe tem como objetivo fornecer informação semestral sobre a ocorrência de doenças de notificação

Leia mais

MicroBingo TABELA GERAL

MicroBingo TABELA GERAL MicroBingo TABELA GERAL DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS Poliomielite (paralisia infantil) pelo Poliovírus. que causa esta doença é oral (boca) ou fecal (fezes) e pode contaminar quem não tomou as Gotinhas do

Leia mais

Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde

Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde Panoramas e Desafios da Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Cheila Marina de

Leia mais

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes IMPLANTAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS NA ATENÇÃO BÁSICA Os Testes Rápidos de HIV e Sífilis são estratégias importantes para a melhoria da qualidade da atenção à gestante durante o pré-natal, por

Leia mais

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN O programa TabWin pode ser utilizado para calcular indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose bem como para análise da qualidade da base de dados do Sinan. O usuário deve ter a versão atualizada

Leia mais

Cenário Epidemiológico do Estado de Alagoas

Cenário Epidemiológico do Estado de Alagoas Cenário Epidemiológico do Estado de Alagoas Situação epidemiológica da AIDS em Alagoas 1 Registro de caso Total de casos Nº de óbitos Até 06.2010 1986 3842 949 (fonte MS/SVS/Departamento de DST/Aids e

Leia mais

SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Secretaria da Saúde Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto Estado de São Paulo www.saude.ribeiraopreto.sp.gov.br BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Quadro 1: Casos notificados de Dengue,

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Identificação e Análise de Riscos MÄdulo 1 NoÇÉes de Higiene Ocupacional

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Identificação e Análise de Riscos MÄdulo 1 NoÇÉes de Higiene Ocupacional Curso Técnico Segurança do Trabalho Identificação e Análise de Riscos MÄdulo 1 NoÇÉes de Higiene Ocupacional Noções de Higiene do Ocupacional Higiene Ocupacional é um conjunto de medidas preventivas multidisciplinares

Leia mais

PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006.

PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006. PORTARIA Nº. 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006. Inclui doenças na relação nacional de notificação compulsória, define doenças de notificação imediata, relação dos resultados laboratoriais que devem ser notificados

Leia mais

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LESTER PEREIRA Diretor Geral WINSTON LUIZ ZOMKOWSKI Superintendente

Leia mais

Indicador de nº 1: Percentual de casos notificados que foram encerrados oportunamente após notificação, exceto dengue clássico.

Indicador de nº 1: Percentual de casos notificados que foram encerrados oportunamente após notificação, exceto dengue clássico. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GT-SINAN/CGDT NOTA TÉCNICA PARA ORIENTAÇÃO DE COMO CALCULAR OS INDICADORES DE ACOMPANHAMENTO DO SINAN Indicador

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS ASPECTO FINANCEIRO E PRODUÇÃO DE SERVIÇOS 3º QUADRIMESTRE/2014 Quadrimestre União Estado Município Outras receitas 1º 99,97 4.972.3 1,06 297.86 289,98 2.454. 28,59 20.4 2º 62,69 4.701.5

Leia mais

Dra Euzanete Maria Coser Infectopediatra Preceptora da Residência Médica em Pediatria e Infectologia Pediátrica do HEINSG Vitória-ES

Dra Euzanete Maria Coser Infectopediatra Preceptora da Residência Médica em Pediatria e Infectologia Pediátrica do HEINSG Vitória-ES Dra Euzanete Maria Coser Infectopediatra Preceptora da Residência Médica em Pediatria e Infectologia Pediátrica do HEINSG Vitória-ES Características epidemiológicas especiais: crianças aglomeradas

Leia mais

Exames Periódicos. Admissão do Profissional SMO. Admissão do Profissional Orientações. Integração do Profissional

Exames Periódicos. Admissão do Profissional SMO. Admissão do Profissional Orientações. Integração do Profissional Admissão do Profissional SMO Avaliação inicial: Local de trabalho Função exercida Avaliação do Risco conforme NR 32 Anamnese/Exame físico A Segurança do Profissional da Saúde Profª Alessandra Destra Encaminhamentos

Leia mais

GUIA DE IMPLANTAÇÃO. Núcleo Hospitalar de Epidemiologia

GUIA DE IMPLANTAÇÃO. Núcleo Hospitalar de Epidemiologia GUIA DE IMPLANTAÇÃO Núcleo Hospitalar de Epidemiologia ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO I. Interesse por parte da Instituição II. Passar por aprovação pelo corpo diretivo da instituição III. Liberação de recursos

Leia mais

Nota Informativa 06/10/2015

Nota Informativa 06/10/2015 Secretaria Municipal de Saúde - Diretoria de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância Epidemiológica Prezados Colegas. Considerando a Portaria MS/GM nº 1.271, de 6 de junho de 2014, que define a Lista

Leia mais

PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010

PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.946, DE 19 DE JULHO DE 2010 Institui, em todo o território nacional, o Calendário de vacinação para os Povos Indígenas. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE,

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Manual das ações programáticas 1 M o d e l o S a ú d e T o d o D i a PROGRAMA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE AGRAVOS TRANSMISSÍVEIS INDICE INTRODUÇÃO... 5 FLUXOGRAMA DO ENVIO

Leia mais

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014

PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 PORTARIA MS Nº 1.271, DE 6 DE JUNHO DE 2014 Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN Diário Oficial do Estado Nº 197, Seção 1 sexta-feira, 17 de outubro de 2014

SÍNDROME DE DOWN Diário Oficial do Estado Nº 197, Seção 1 sexta-feira, 17 de outubro de 2014 Circular 565/2014 São Paulo, 20 de Outubro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) "CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO" PARA OS PORTADORES DA SÍNDROME DE DOWN Diário Oficial do Estado Nº 197, Seção 1 sexta-feira, 17

Leia mais

BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES

BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES BENTO GONÇALVES SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE SERVIÇO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES Serviço de Vigilância em Saúde (SVS) A partir da criação do SVS, em junho de 2003, todas as ações

Leia mais

Vigilância em Saúde na COPA 2014. Vigilância em Saúde do Trabalhador

Vigilância em Saúde na COPA 2014. Vigilância em Saúde do Trabalhador Estado do Rio Grande do Sul Secretaria de Estado de Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Vigilância em Saúde na COPA 2014 A preparação do Rio Grande do Sul Vigilância em Saúde do Trabalhador Ações

Leia mais

PORTARIA No- 3.318, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010

PORTARIA No- 3.318, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010 PORTARIA No- 3.318, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010 Institui em todo o território nacional, o Calendário Básico de Vacinação da Criança, o Calendário do Adolescente e o Calendário do Adulto e Idoso. O MINISTRO

Leia mais

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE 2013 IDADE VACINA A PARTIR DO NASCIMENTO 2 MESES BCG 1 HEPATITE B 2 VACINA VIP 3 PENTAVALENTE 7 ROTAVÍRUS

Leia mais

MENINGOCÓCICA C (CONJUGADA) DOSE < DE1ANO 1ANO 2a4 ANOS 5 a 8ANOS 9 a 12ANOS 13 a 19ANOS 20 a 59ANOS D1 VIP/VOP (SEQUENCIAL) DTP/HB/HIB (PENTA)

MENINGOCÓCICA C (CONJUGADA) DOSE < DE1ANO 1ANO 2a4 ANOS 5 a 8ANOS 9 a 12ANOS 13 a 19ANOS 20 a 59ANOS D1 VIP/VOP (SEQUENCIAL) DTP/HB/HIB (PENTA) IDENTIFICAÇÃO BOLETIM MENSAL DE S APLICADAS SI - API VERSÃO 10 MÊS ANO CÓDIGO DA UNIDADE NOME DA UNIDADE UF REGIONAL CÓDIGO DO MUNICÍPIO NOME DO MUNICÍPIO BCG ROTINA MENOR DE 1 ANO 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS

Leia mais

Prova Formação de Agente Comunitário de Saúde Prefeitura Municipal de Ouro Preto

Prova Formação de Agente Comunitário de Saúde Prefeitura Municipal de Ouro Preto Prova Formação de Agente Comunitário de Saúde Prefeitura Municipal de Ouro Preto Questão 1 Leia as afirmativas a seguir: I - O Sistema Único de Saúde (SUS) foi criado pela Constituição Federal de 1988

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 AIDS O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde estima que aproximadamente 734 mil pessoas vivam com HIV/aids no país, o que corresponde

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012 RESOLUÇÃO SES Nº 3244 DE 25 DE ABRIL DE 2012 Acrescenta agravos estaduais a Lista Nacional de Doenças de Notificação Compulsória e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE, Gestor do Sistema

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO O presente instrumento estabelece as normatizações técnicas do Programa Nacional de Imunizações referentes ao Calendário Nacional de Vacinação,

Leia mais

Melhoria da qualidade da informação dos dados nacionais de Hepatites Virais do Brasil

Melhoria da qualidade da informação dos dados nacionais de Hepatites Virais do Brasil Melhoria da qualidade da informação dos dados nacionais de Ronaldo de Almeida Coelho Silvano Barbosa de Oliveira Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais OBJETIVO Melhoria da qualidade da informação

Leia mais

Calendário de Vacinas 2011

Calendário de Vacinas 2011 Calendário de Vacinas 2011 Untitled-2 1 4/4/11 4:59 PM Atualizações + atualizações_arquivo.indd 1 2 Atualizações Calendário Básico de Vacinação 2011 Idade Vacina Dose Doenças evitadas Ao nascer BCG-ID

Leia mais

Calendário de Vacinação Ocupacional

Calendário de Vacinação Ocupacional Calendário de Vacinação Ocupacional Central de Atendimento: (61) 3329-8000 Calendário de Vacinaçã Profissionais indicados de acordo Vacinas Esquemas Saúde Alimentos e bebidas Militares policiais e bombeiros

Leia mais

Trabalho Final Atividades Integradoras IV. Aline dos Santos Novaes Martins

Trabalho Final Atividades Integradoras IV. Aline dos Santos Novaes Martins Trabalho Final Atividades Integradoras IV Aline dos Santos Novaes Martins Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo CVE/SP Missão A missão do Centro de Vigilância Epidemiológica Alexandre

Leia mais

Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança

Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança Calendário de Vacinação do Prematuro e da Criança Central de Atendimento: (61) 3329-8000 Calendário de Vacinação do Prematuro Vacinas BCG ID (intradérmica) Hepatite B (HBV) Pneumocócica conjugada Recomendações

Leia mais

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Corrimentos Gonorréia Clamídia Tricomonías e múltiplos bactéria NÃO SIM Candida albicans Neisseria gonorrhoeae Chlamydia trachomatis

Leia mais

PORTARIA Nº 104, DE 25 DE JANEIRO DE 2011

PORTARIA Nº 104, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 104, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 Define as terminologias adotadas em legislação nacional, conforme o disposto no Regulamento Sanitário Internacional 2005

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO

ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO ATUALIZAÇÃO DO CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO 2017 Seis vacinas terão seu público-alvo ampliado em 2017 Hepatite A: crianças Tetra Viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela): crianças Meningocócica C: crianças

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone/fax (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO 2010/2011 AUTARQUIA MUNICIPAL DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE LONDRINA DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE PERFIL EPIDEMIOLÓGICO GESTÃO MUNICIPAL GERSON ARAÚJO PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA EDSON ANTONIO DE

Leia mais

VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016.

VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016. VACINAS A SEREM DISPONIBILIZADAS PARA AS CRIANÇAS MENORES DE CINCO ANOS DE IDADE NA CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO 2016. VACINAS BCG ESQUEMA VACINAL Dose única ao nascer. Disponível para crianças menores de

Leia mais

Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015

Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015 Nota Técnica dos valores absolutos utilizados na construção dos indicadores do rol de Diretrizes, Objetivos, Metas e Indicadores 2014-2015 Contém os valores absolutos numeradores e denominadores utilizados

Leia mais

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DA REDE PÚBLICA DE SANTA CATARINA Última atualização em 05 de janeiro de 2016

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO DA REDE PÚBLICA DE SANTA CATARINA Última atualização em 05 de janeiro de 2016 Grupo alvo Idade BCG Hepatite B (1) VIP e VOP (10) Pentavalente Pneumo 10 Rotavírus (2) Meningo C Hepatite A Febre Amarela (3) Tríplice Viral (4) Tetraviral (5) HPV dtpa (8) Influenza (gripe) (9) Dupla

Leia mais

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 2

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 2 3. Vacinas de uso corrente no Brasil O Ministério da Saúde, através da Fundação Nacional de Saúde, estabeleceu as normas de uso de vacinas para prevenção e controle de doenças infecciosas humanas no País.

Leia mais

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: MEDICINA DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA DISCIPLINA: MICROBIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 150 HORAS CRÉDITOS: 07 CÓDIGO: SMP0002 PROFESSOR: CARMEN SARAMAGO

Leia mais

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA

MEMÓRIA DA REUNIÃO 1. PAUTA Assunto: Reunião/Palestra saúde para orientar e esclarecer as dúvidas da população sobre as ações preventivas na área da saúde pública em virtude da construção da UHE Belo Monte. Redator: Lucimara Rios

Leia mais

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Espírito Santo

Ministério da Saúde. Sistema Nacional de Vigilância em Saúde. Relatório de Situação. Espírito Santo Ministério da Saúde Sistema Nacional de Vigilância em Saúde Relatório de Situação Espírito Santo Brasília/DF 5ª edição Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Sistema Nacional de Vigilância

Leia mais

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA

UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Enfermagem Disciplina: Saúde Coletiva II Carga Horária: 90 h Teórica: 60 h Prática: 30 h Semestre: 2013.1 Professores: Maria Campos, Marta Guimarães,

Leia mais

SINAN Relatórios. Manual de Operação. Versão do produto: 4.2. Edição do documento: 1ª - Julho de 2011. Brasília DF 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE

SINAN Relatórios. Manual de Operação. Versão do produto: 4.2. Edição do documento: 1ª - Julho de 2011. Brasília DF 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE SINAN Relatórios Manual de Operação Versão do produto: 4.2 Edição do documento: 1ª - Julho de 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação-Geral

Leia mais

SIM - Sistema de Informações de Mortalidade

SIM - Sistema de Informações de Mortalidade Boletim Epidemiológico de Cachoeirinha APRESENTAÇÃO SIM - Sistema de Informações de Mortalidade O Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) foi criado pelo DATASUS para a obtenção regular de dados

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

Situação da Hepatite B no Estado de Santa Catarina

Situação da Hepatite B no Estado de Santa Catarina Situação da Hepatite B no Estado de Santa Catarina Gerência de DST/Aids/Hepatites Virais Diretoria de Vigilância em Saúde Gerência de Vigilância Epidemiológica Programa DST/HIV/Aids/HV Secretaria de Estado

Leia mais

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação UNIMED GOIÂNIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO PROCESSO SELETIVO 2013 PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NOS RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS 20 de outubro de 2012 Centro de Vacinação SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO

Leia mais

Danielle Guedes, Talita Wodtke e Renata Ribeiro

Danielle Guedes, Talita Wodtke e Renata Ribeiro Lorena Drumond Danielle Guedes, Talita Wodtke e Renata Ribeiro Leia o texto...... e marque no balão, quantas vezes a palavra vacinas apareceu. Tomar vacinas previne muitas doenças. É importante tomar todas

Leia mais

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas Isolamento HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC Isolamento Categoria Específico Isolamento Doença Específico 1987: Precauções Universais 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas 1996: Novo Guia de

Leia mais