Dieta alemã para peixes de todas as nacionalidades.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dieta alemã para peixes de todas as nacionalidades."

Transcrição

1

2 Dieta alemã para peixes de todas as nacionalidades. Seus peixes podem ter uma alimentação de primeiro mundo. Divididas entre as linhas especial e premium, as rações oferecem alto valor nutricional para diferentes espécies. Além da melhor nutrição, diferenciais tornarão o aquarismo cada vez mais interessante e prático: grânulos que afundam a diferentes velocidades, eficiência na alimentação de todos os peixes e o exclusivo sistema click. Com ele, você disponibiliza a quantidade exata de alimento a ser oferecida aos peixes. JBL. Alemã por natureza.

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14 Anablepsoides cryptocallus (Seegers, 1980) Hyphessobrycon pulchripinnis Ahl, 1937 Albino Fêmea

15

16 Ludwigia arcuata Walter, 1788 Ceratophyllum demersum Linné, 1753 Flor Emersa Flor

17 (Produtos, peixes e manutenção) Pet Shop S.O.S. ANIMAL Banho & Tosa - Hotel o supermercado para seus animais Av. Juscelino Kubischeck (Perimetral), Zona 02 - CEP MARINGÁ - PR Fone: /

18

19 Origem Espécie Nome popular América do Norte e Central Ásia: China e Japão América do Norte e Central Ásia: Índia América Central e Norte da América do Sul Ásia: China, Mianmar, Laos, Tailândia, Cambodia e Vietnã Da Europa à Ásia Ásia: Paquistão, Índia, Bangladesh, Nepal e Mianmar Ásia: Paquistão, Índia e Bangladesh Ásia: Península Malaia, Tailândia e Indonésia Xiphophorus hellerii Heckel, 1848 Carassius auratus Linnaeus, 1758 Xiphophorus maculatus (Günther, 1866) Dawkinsia arulius (Jerdon, 1849) Poecilia sphenops Valenciennes, 1846 Betta splendens Regan, 1910 Cyprinus carpio Linnaeus, 1758 Danio rerio (Hamilton, 1822) Trichogaster lalius (Hamilton, 1822) Trichogaster leerii (Bleeker, 1852) Espada, espadinha Kinguio, peixe-dourado Plati Barbo Molinésia Beta, peixe-de-briga Carpa Paulistinha, zebra-danio Colisa Tricogaster Principal bacia de origem Espécie Nome popular Rio Negro Paracheirodon axelrodi Neon, tetra-cardinal (Schultz, 1956) Petitela georgiae Géry & Rodóstomo Boutière, 1964 Hyphessobrycon erythrostigma Rosáceo (Fowler, 1943) Carnegiella strigata (Günther, Borboleta 1864) Rios Juruá e Purus Corydoras spp. Coridora Otocinclus spp. Limpa-vidro Médio rio Solimões, rios Symphysodon aequifasciatus Acará-disco Madeira e Uatumã Pellegrin, 1904 Apistogramma spp. Apistograma Corydoras spp. Coridora Rios Tapajós e Xingu Ancistrus spp. Cascudo, acari Peckoltia spp. Cascudo-tigre Hypostomus spp. Cascudo, acari

20 Espécie OSTEICHTHYES CHARACIFORMES Characidae Hyphessobrycon eques (Steindachner, 1882) Hyphessobrycon flammeus Myers, 1924 Gymnocorymbus ternetzi (Boulenger, 1895) SILURIFORMES Loricariidae Pterygoplichthys ambrosettii (Homberg, 1893) CYPRINODONTIFORMES Poecilidae Poecilia reticulata Peters, 1859 Poecilia vivipara Bloch & Schneider, 1801 Xiphophorus helleri Heckel, 1840 Xiphophorus maculatus (Günther, 1866) PERCIFORMES Cichlidae Astronotus crassipinis Heckel, 1840 Geophagus proximus (Castelnau, 1855) Laetacara sp. Nome popular Mato-grosso Flame-tetra Tetra-negro Cascudo-abacaxi, cascudo-pintado Lebiste, guppy Barrigudinho, guaru Espada, espadinha Plati, platy Oscar, apaiari Cará, acará, porquinho Carazinho

21

22

23

24

25 Equilíbrio constante em seu plantado Com CO2 Life, você terá um aquário de plantas exuberantes e saudáveis, sem complicação. Disponível em dois modelos: Para aquários de 40 a 150 litros e para aquários de 100 a 250 litros. O funcionamento é simples, e você pode ajustar a produção de CO 2 de acordo com as necessidades do seu aquário. Fácil manutenção: Troca de cartucho a cada 2 a 4 meses, dependendo das características do aquário. Tecnologia Para resultados ainda melhores, você pode usá-lo em conjunto com um filtro canister ou hang-on. Praticidade Totalmente imerso no aquário, ele não interfere no layout, pois não tem garrafas ou cilindros externos. Por isso o CO2 Life é uma excelente opção para quem quer um sistema seguro e um layout incrível

26

27

28 Disponível nas versões: X100 - esferas de 8-10 mm (500 g) X100 mini - esferas de 6-8 mm (150 g) X100 - O novo conceito em mídia biológica. Esferas de vidro sinterizado, até 5X mais eecientes que as mídias cerâmicas. Possui alto poder de colonização de bactérias aeróbicas e anaeróbicas. Acompanha ampola com bactérias lioolizadas para iniciar a ltragem biológica de seu aquário de forma rápida e com as bactérias ideais. Para aquários de água doce e salgada. SAC (14)

APOSTILA DO CURSO REPRODUÇÃO DE PEIXES ORNAMENTAIS DE ÁGUA DOCE

APOSTILA DO CURSO REPRODUÇÃO DE PEIXES ORNAMENTAIS DE ÁGUA DOCE APOSTILA DO CURSO REPRODUÇÃO DE PEIXES ORNAMENTAIS DE ÁGUA DOCE NOÇÕES BÁSICAS Palestrante: Mauricio K. Nagata Zootecnista, Pesquisador Científico do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento de Peixes Ornamentais

Leia mais

Comércio de Peixes Ornamentais na cidade de Porto Alegre, RS.

Comércio de Peixes Ornamentais na cidade de Porto Alegre, RS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal Curso de Especialização em Diversidade e Conservação da Fauna Comércio de Peixes Ornamentais

Leia mais

PANORAMA DO MERCADO DE ORGANISMOS AQUÁTICOS ORNAMENTAIS. Ciências animais (felipe@ufersa.edu.br).

PANORAMA DO MERCADO DE ORGANISMOS AQUÁTICOS ORNAMENTAIS. Ciências animais (felipe@ufersa.edu.br). PANORAMA DO MERCADO DE ORGANISMOS AQUÁTICOS ORNAMENTAIS Felipe de Azevedo Silva RIBEIRO 1, Marco Tulio LIMA 2 e Carlos João Batista Kochenborger FERNANDES 2 1 Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA

Leia mais

Aquacultura de peixes ornamentais no Brasil

Aquacultura de peixes ornamentais no Brasil Aquacultura de peixes ornamentais no Brasil Túlio Pacheco Boaventura Universidade Federal de Minas Gerais Disciplina de Limnologia Aplicada à Aquiculura. Prof. Ricardo Motta Pinto-Coelho Curso de Aquacultura/

Leia mais

9 Baryancistrus niveatus Acari Bola Branca White Spotted Pleco L026 10 Baryancistrus sp Acari marrom Brown pleco?

9 Baryancistrus niveatus Acari Bola Branca White Spotted Pleco L026 10 Baryancistrus sp Acari marrom Brown pleco? Anexo 13.3.3-3 Lista de espécies disponíveis para avaliação Família Loricariidae 1 Acanthicus hystrix Acari avião, Guariba Lyre tail pleco L155 2 Ancistrus ranunculus Preto velho Medusa Pleco L034 3 Ancistrus

Leia mais

40 CiênCia Hoje vol. 45 nº 266

40 CiênCia Hoje vol. 45 nº 266 E C O L O G I A A criação de peixes ornamentais em aquários o aquarismo é uma das atividades de lazer mais praticadas no mundo, mas também é uma crescente fonte de disseminação de peixes não nativos em

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 45 2013 COORDENAÇÃO

Leia mais

Peixes do Rio Fruteiras (Bacia do Itapemirim): Na área de influência da PCH Fruteiras - EDP

Peixes do Rio Fruteiras (Bacia do Itapemirim): Na área de influência da PCH Fruteiras - EDP Peixes do Rio Fruteiras (Bacia do Itapemirim): Na área de influência da PCH Fruteiras - EDP Realização: ENERGEST - PCH Fruteiras Elaboração: Água Viva Coordenação do Projeto: Catálogo das Espécies de Peixes

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 44 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

por: alberto oliveira lima Photo: Ricardo Kobe

por: alberto oliveira lima Photo: Ricardo Kobe por: alberto oliveira lima Photo: Ricardo Kobe O que representa o mercado mundial O comércio de peixes ornamentais representa menos de 1% do total de todas transações com peixes no mundo; Ainda assim,

Leia mais

Lima, F.C.T. & Caires, R.A.

Lima, F.C.T. & Caires, R.A. Peixes da Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins, bacias dos rios Tocantins e São Francisco, com observações sobre as implicações biogeográficas das águas emendadas dos rios Sapão e Galheiros Biota

Leia mais

Distribuição Gratuita

Distribuição Gratuita Ano II Número 4 Julho/Agosto/Setembro/2009 Revista feita por e para aquaristas amantes da natureza Distribuição Gratuita Pantanal do Mato Grosso do Sul Projetando um plantado Parte 3: O que adquirir? Peixes

Leia mais

LAPE - AQUÁRIO: aqua = água e rium = lugar

LAPE - AQUÁRIO: aqua = água e rium = lugar LAPE - AQUÁRIO: aqua = água e rium = lugar Os aquários podem ser definidos como qualquer recipiente contendo certa quantidade de água com organismos (plantas e animais), podem ser construídos para uso

Leia mais

COMPOSIÇÃO ICTIOFAUNÍSTICA DO RIO DAS CINZAS BACIA DO RIO PARANAPANEMA, SÃO PAULO, BRASIL

COMPOSIÇÃO ICTIOFAUNÍSTICA DO RIO DAS CINZAS BACIA DO RIO PARANAPANEMA, SÃO PAULO, BRASIL COMPOSIÇÃO ICTIOFAUNÍSTICA DO RIO DAS CINZAS BACIA DO RIO PARANAPANEMA, SÃO PAULO, BRASIL Tiago Debona 1, Evelini Arsego 1, Vinicius Valiente dos Santos 1, Daniele Zaneratto Damasceno 2, Norberto Castro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA COLEGIADO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO. Renato Silva Cardoso

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA COLEGIADO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO. Renato Silva Cardoso UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA COLEGIADO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Renato Silva Cardoso CARACTERIZAÇÃO DA AQUICULTURA ORNAMENTAL NA ZONA DA MATA MINEIRA Belo Horizonte Escola

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO CURSO TÉCNICO EM PESCA

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO CURSO TÉCNICO EM PESCA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CABEDELO CURSO TÉCNICO EM PESCA PANORAMA DO COMÉRCIO DE PEIXES ORNAMENTAIS NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB SEVERINO ADRIEL DE LIMA NETO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N 194, DE 2 DE OUTUBRO DE 2008. O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA, no uso das suas atribuições legais previstas no

Leia mais

Revista Agrogeoambiental - v.7, n.1 - Março 2015

Revista Agrogeoambiental - v.7, n.1 - Março 2015 COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DA COMUNIDADE DE PEIES DE UM AFLUENTE DO RIO TIETÊ, BACIA DO ALTO RIO PARANÁ 1 Jane Piton Serra Fabio de Faria e Souza Campos 3 André Luis da Silva Castro 2 Resumo A América do Sul

Leia mais

Fish, Barra Bonita River, upper Paraná River basin, state of Paraná, Brazil.

Fish, Barra Bonita River, upper Paraná River basin, state of Paraná, Brazil. Fish, Barra Bonita River, upper Paraná River basin, state of Paraná, Brazil. Álvaro Maier 1 Cláudio Henrique Zawadzki 2 Weferson Júnio da Graça 2 Alessandro Gasparetto Bifi 2 1 Universidade Estadual do

Leia mais

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO

RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO RELATÓRIO DO MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA DAS PCHS BOM JESUS DO GALHO E SUMIDOURO CEMIG GERAÇÃO E TRANSMISSÃO S.A. RELATÓRIO FINAL: 2010/2011 DATA DA COLETA: 03 de agosto/2010 e 25 de janeiro/2011 DATA

Leia mais

ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL

ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA ICTIOFAUNA DO MÉDIO RIO CASCA, BACIA DO (ALTO) RIO DOCE, MINAS GERAIS, BRASIL Siqueira, R.C.; Oliveira Júnior, P.R.; Silveira, V.C; Melo, R S.; Teixeira, T.M.; Guedes, E.A; Sousa,

Leia mais

Variações espaciais na assembléia de peixes no Rio Paraíba do Sul (Barra Mansa, Barra do Piraí), Rio de Janeiro, Brasil

Variações espaciais na assembléia de peixes no Rio Paraíba do Sul (Barra Mansa, Barra do Piraí), Rio de Janeiro, Brasil Variações espaciais na assembléia de peixes no Rio Paraíba do Sul (Barra Mansa, Barra do Piraí), Rio de Janeiro, Brasil Francisco Gerson Araújo 1 liana Fichberg 1 Benjamin Carvalho Teixeira Pinto 1 Magna

Leia mais

Peixes de riachos e novas Unidades de Conservação no sul da Bahia

Peixes de riachos e novas Unidades de Conservação no sul da Bahia Peies de riachos e novas Unidades de Conservação no sul da Bahia MAURICIO CETRA 1, LUISA MARIA SARMENTO-SOARES 2 & RONALDO FERNANDO MARTINS-PINHEIRO 2 1 UFSCar - Universidade Federal de São Carlos, Ciências

Leia mais

Carlos Figueiredo Cristiano Fernandes Fábio Pinheiro Curso Profissional de Técnico de Manutenção Industrial/Electromecânica 12ºAno

Carlos Figueiredo Cristiano Fernandes Fábio Pinheiro Curso Profissional de Técnico de Manutenção Industrial/Electromecânica 12ºAno Carlos Figueiredo Cristiano Fernandes Fábio Pinheiro Curso Profissional de Técnico de Manutenção Industrial/Electromecânica 12ºAno A Biodiversidade desta região é única e uma das mais ricas do mundo. Estima-se

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Levantamento da ictiofauna da Floresta Nacional de Canela, na região superior da bacia hidrográfica do Rio Caí, Rio Grande do Sul, Brasil

Levantamento da ictiofauna da Floresta Nacional de Canela, na região superior da bacia hidrográfica do Rio Caí, Rio Grande do Sul, Brasil Levantamento da ictiofauna da Floresta Nacional de Canela, na região superior da bacia hidrográfica do Rio Caí, Rio Grande do Sul, Brasil Biota Neotrop. 2009, 9(2): 221-226. On line version of this paper

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PESCADO NA BAIXADA MARANHENSE São Bento/MA

DESCRIÇÃO DO PESCADO NA BAIXADA MARANHENSE São Bento/MA DESCRIÇÃO DO PESCADO NA BAIXADA MARANHENSE São Bento/MA Resumo: Diego Carvalho Viana¹ Amilton Cesar dos Santos² Rennan Lopes Olio³ Luís Miguel Lobo 4 Carlos Eduardo Malavasi Bruno 5 Douglas de Jesus Soares

Leia mais

As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu

As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu Considerado morto dentro dos limites da cidade de São Paulo, o rio Tietê abriga a menos de 80 km do centro da capital espécies de peixes não descritas pela

Leia mais

GUIA FOTOGRÁFICO E ASPECTOS DA BIOLOGIA DOS PRINCIPAIS PEIXES DE ÁGUA DOCE DO PARQUE NACIONAL DA LAGOA DO PEIXE, RS

GUIA FOTOGRÁFICO E ASPECTOS DA BIOLOGIA DOS PRINCIPAIS PEIXES DE ÁGUA DOCE DO PARQUE NACIONAL DA LAGOA DO PEIXE, RS GUIA FOTOGRÁFICO E ASPECTOS DA BIOLOGIA DOS PRINCIPAIS PEIXES DE ÁGUA DOCE DO PARQUE NACIONAL DA LAGOA DO PEIXE, RS Fabiano CORRÊA 1, Marlucy Coelho CLAUDINO 2, Alexandre Miranda GARCIA 3 Laboratório de

Leia mais

Fish, Sorocaba river sub-basin, state of São Paulo, Brazil.

Fish, Sorocaba river sub-basin, state of São Paulo, Brazil. Fish, Sorocaba river sub-basin, state of São Paulo, Brazil. Welber Senteio Smith 1 Miguel Petrere Jr. 2 Valter Barrella 3 1 Instituto Manchester Paulista de Ensino Superior (IMAPES) / Universidade Paulista

Leia mais

Mandaguaçu - 2 Participantes Cambé - 2 Participantes Londrina - 13 Participantes. Maringá - 4 Participantes

Mandaguaçu - 2 Participantes Cambé - 2 Participantes Londrina - 13 Participantes. Maringá - 4 Participantes ~ O quarto Concurso Paranaense de Aquapaisagismo, ediçao 2011, contou com 48 trabalhos inscritos por 42 aquapaisagistas, que representam 11 cidades espalhadas por todo o Estado. Maringá - 4 Participantes

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil

A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil BOL. MUS. BIOL. MELLO LEITÃO (N. SÉR.) 24:119-142. DEZEMBRO DE 2008 119 A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil Luisa M. Sarmento-Soares 1,2*, Rosana Mazzoni 1 & Ronaldo

Leia mais

Adolfo Franco António Albuquerque Maria Teresa Ferreira. Limnologia 2010. XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO IBÉRICA DE LIMNOLOGIA

Adolfo Franco António Albuquerque Maria Teresa Ferreira. Limnologia 2010. XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO IBÉRICA DE LIMNOLOGIA DESENVOLVIMENTO DO MÉTODO HIDRO-ACÚSTICO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO PISCÍCOLA E DO POTENCIAL ECOLÓGICO EM ALBUFEIRAS: RESULTADOS PRELIMINARES DA ALBUFEIRA DO MARANHÃO Adolfo Franco António Albuquerque Maria

Leia mais

A fauna de peixes nas bacias do sul do Espírito Santo, Brasil

A fauna de peixes nas bacias do sul do Espírito Santo, Brasil DOI: 10.13102/scb218 ARTIGO A fauna de peixes nas bacias do sul do Espírito Santo, Brasil Luisa Maria Sarmento-Soares 1,2* & Ronaldo Fernando Martins-Pinheiro 1 1 Museu de Biologia Prof. Mello Leitão/

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 42 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS MG.BIOTA Belo Horizonte v.2, n.6 fev./mar. 2010 SUMÁRIO Editorial... 3 Apresentação... 4 A ictiofauna da

Leia mais

ANEXO I-C PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO

ANEXO I-C PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO ANEXO I-C PREGÃO ELETRÔNICO Nº 3/2012 ENCARTE DE SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO 1. DA ESPECIFICAÇÃO DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO 1.1. O serviço de alimentação consiste do fornecimento de refeições (almoço, jantar,

Leia mais

PRODUÇÃO DE PEIXES NATIVOS ORNAMENTAIS. Jener Alexandre Sampaio Zuanon Universidade Federal de Viçosa

PRODUÇÃO DE PEIXES NATIVOS ORNAMENTAIS. Jener Alexandre Sampaio Zuanon Universidade Federal de Viçosa PRODUÇÃO DE PEIXES NATIVOS ORNAMENTAIS Jener Alexandre Sampaio Zuanon Universidade Federal de Viçosa Introdução Região Neotropical: maior diversidade de peixes de água doce do mundo (Goulding, 1980) Amazônia:

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADE 1

PLANO DE ATIVIDADE 1 PLANO DE ATIVIDADE 1 Questão-Problema Para que serve e como funciona o filtro? Material - Filtro de Aquário - 2 Garrafas de Plástico 2L - Tesoura - Colher - Copo transparente - Terra - Areia de Aquário

Leia mais

Sumário. Zeca. O amigo da água. 04. A importância da água. 05. Por que preservar 06. Como a água chega à sua casa 07. Dicas para preservar a água 09

Sumário. Zeca. O amigo da água. 04. A importância da água. 05. Por que preservar 06. Como a água chega à sua casa 07. Dicas para preservar a água 09 Sumário Zeca. O amigo da água. 04 A importância da água. 05 Por que preservar 06 Como a água chega à sua casa 07 Dicas para preservar a água 09 Diga não ao desperdício 10 Água de beber em casa 11 Olá!

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº, 203, DE 22 DE OUTUBRO DE 2008 Dispõe sobre normas, critérios

Leia mais

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA

MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA MONITORAMETO DE ICTIOFAUNA NO RESERVATÓRIO E A JUSANTE DA UHE DE SÃO SIMÃO, RIO PARANAÍBA, BACIA DO PARANÁ RELATÓRIO ANUAL OUTUBRO / 2006 1 RESPONSABILIDADE TÉCNICA TECNEVES

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GIA 27 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XI GRUPO DE ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS GIA ESTUDO ICTIOFAUNÍSTICO PARA

Leia mais

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (CMBio) CONSERVATION INTERNATIONAL MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI (MPEG)

INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (CMBio) CONSERVATION INTERNATIONAL MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI (MPEG) INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (CMBio) CONSERVATION INTERNATIONAL MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI (MPEG) RELATÓRIO DE ESTUDOS DA FAUNA DE PEIXES PARA O PLANO DE MANEJO DA FLORESTA

Leia mais

INTRODUÇÃO INTENCIONAL E SUA RELAÇÃO COM O ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES INVASORAS

INTRODUÇÃO INTENCIONAL E SUA RELAÇÃO COM O ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES INVASORAS INTRODUÇÃO INTENCIONAL E SUA RELAÇÃO COM O ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES INVASORAS Oporto, Lorena Torres 1,a ; Latini, Anderson Oliveira 2,a INTRODUÇÃO Atualmente, a presença de espécies exóticas em ambientes

Leia mais

Ana Cecília Hoffmann 1, Mario L. Orsi 2 & Oscar A. Shibatta 1

Ana Cecília Hoffmann 1, Mario L. Orsi 2 & Oscar A. Shibatta 1 Diversidade de peixes do reservatório da UHE Escola Engenharia Mackenzie... 319 Diversidade de peixes do reservatório da UHE Escola Engenharia Mackenzie (Capivara), Rio Paranapanema, bacia do alto rio

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO AMBIENTAL

RELATÓRIO TÉCNICO AMBIENTAL RELATÓRIO TÉCNICO AMBIENTAL N. C. P. DOS SANTOS PET SHOP - ME. Responsável Técnico João Luiz Rodrigues da Cunha CRMV-MG 1198 Z 1 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO Nome: N. C. P. dos Santos Pet Shop -

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CENTRO DE AQÜICULTURA (CAUNESP) Ictiofauna da Represa Municipal de

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CENTRO DE AQÜICULTURA (CAUNESP) Ictiofauna da Represa Municipal de unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CENTRO DE AQÜICULTURA (CAUNESP) Ictiofauna da Represa Municipal de São José do Rio Preto, SP, rio Preto, afluente do rio Turvo, drenagem do rio Grande: Diversidade

Leia mais

CADASTRO 7- Indústrias

CADASTRO 7- Indústrias CADASTRO 7- Indústrias 1.Identificação Empresa/Interessado: Endereço para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Fone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento: End. Contato: Bairro:

Leia mais

Policultivo de acará-bandeira e camarão marinho

Policultivo de acará-bandeira e camarão marinho UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CENTRO DE AQUICULTURA DA UNESP CAMPUS DE JABOTICABAL Policultivo de acará-bandeira e camarão marinho Felipe de Azevedo Silva Ribeiro Zootecnista Prof. Dr. João Batista K.

Leia mais

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL

Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Peixes e crustaceos Nativos da PVSuL Alguns, encobertos pela água. Outros, ativos à noite. A maioria, raramente vista. Os peixes e crustáceos presentes no PV-Sul representam dois grupos de animais presentes

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS

RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS RELATÓRIO FINAL DO MONITORAMENTO DE ICTIOFAUNA E ICTIOPLÂNCTON NA UHE SÃO DOMINGOS - MS Janeiro de 2015. SUMÁRIO 1 EQUIPE TÉCNICA... 4 2 INTRODUÇÃO... 5 Ictiofauna... 5 Ictioplâncton... 6 2.1. OBJETIVO

Leia mais

é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em

é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em Módulo: Responsabilidade Socioambiental Educador: Flavio Furtado. O que é compostagem? é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal

Leia mais

Entenda o Programa Fome Zero

Entenda o Programa Fome Zero Entenda o Programa Fome Zero 1. O que é o Programa Fome Zero? O Programa Fome Zero é um conjunto de ações que estão sendo implantadas gradativamente pelo Governo Federal. O objetivo é promover ações para

Leia mais

CRÉDITOS. Foto Capa: Ascom/ Arout

CRÉDITOS. Foto Capa: Ascom/ Arout Peixes 2013 CRÉDITOS Foto Capa: Ascom/ Arout Edição e Texto: - Diego de Oliveira Tavares - James Blanco Nunes - Kauana Peixoto Mariano - Tatiane Santiago Lopes - Marina Alberti Macedo - Laryssa Lorrany

Leia mais

Fone: (22) E mail: (22)

Fone: (22) E mail: (22) Fone: (22) 2646-7799 E mail: maramarpet@uol.com.br (22)98111-0328 Catálago Super Premium 2016 Ração de Alta Palatibilidade Estimula o crescimento do Koki dos Flowerhorns e potencializa a coloração. Indicado

Leia mais

EFEITOS DA FRAGMENTAÇÃO FLORESTAL SOBRE AS ASSEMBLÉIAS DE PEIXES DE IGARAPÉS DA ZONA URBANA DE MANAUS, AMAZONAS. HÉLIO DANIEL BELTRÃO DOS ANJOS

EFEITOS DA FRAGMENTAÇÃO FLORESTAL SOBRE AS ASSEMBLÉIAS DE PEIXES DE IGARAPÉS DA ZONA URBANA DE MANAUS, AMAZONAS. HÉLIO DANIEL BELTRÃO DOS ANJOS INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA INPA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM EFEITOS DA FRAGMENTAÇÃO FLORESTAL SOBRE AS ASSEMBLÉIAS DE PEIXES DE IGARAPÉS DA ZONA URBANA DE MANAUS, AMAZONAS. HÉLIO

Leia mais

Serviço Pedagógico Águas Livres Biodiversidade

Serviço Pedagógico Águas Livres Biodiversidade Serviço Pedagógico Águas Livres Biodiversidade Índice Biodiversidade Conceito Biodiversidade nos Rios de Abastecimento da EPAL Rio Alviela Rio Tejo Rio Zêzere Dicas para manter a biodiversidade ICNB Dra.

Leia mais

Liberty Comércio & Serviços

Liberty Comércio & Serviços Liberty Comércio & Serviços Coberturas Incêndio/Queda de Raio/Explosão/Fumaça e Queda de Aeronaves; Danos elétricos; Vendaval; LIBERTY SEU NEGÓCIO COMÉRCIO E SERVIÇOS Roubo de Bens; Roubo de Valores; +

Leia mais

Há espaço para mais um?

Há espaço para mais um? Há espaço para mais um? Situação nacional dos animais exóticos nos ecossistemas fluviais de Portugal. Pedro Anastácio / Filipe Ribeiro Fonte de informação: Anastácio, P.M., Ribeiro, F., Sousa, R., Capinha,

Leia mais

R.: b) E quais são números naturais ímpares? R.: c) Dentre os números dados está o sucessor do número natural 2 999. Ele expressa o quê? R.

R.: b) E quais são números naturais ímpares? R.: c) Dentre os números dados está o sucessor do número natural 2 999. Ele expressa o quê? R. PROFESSOR: EQUIPE DE MATEMÁTICA BANCO DE QUESTÕES - MATEMÁTICA - 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Por que a Amazônia é tão valiosa?

Leia mais

Ichthyophthririus multifiliis agente causador da Íctiofitríase, doença conhecida como Íctio. O peixe afetado fica coberto de pontos brancos pequenos.

Ichthyophthririus multifiliis agente causador da Íctiofitríase, doença conhecida como Íctio. O peixe afetado fica coberto de pontos brancos pequenos. ICTIO NO AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE: Ichthyophthririus multifiliis agente causador da Íctiofitríase, doença conhecida como Íctio. O peixe afetado fica coberto de pontos brancos pequenos. O Íctio é uma doença

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES - BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO SÊNIOR CNPq- PRIMEIRO ANO

RELATÓRIO DE ATIVIDADES - BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO SÊNIOR CNPq- PRIMEIRO ANO RELATÓRIO DE ATIVIDADES - BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO SÊNIOR CNPq- PRIMEIRO ANO DIVERSIDADE, ENDEMISMO E ANÁLISE BIOGEOGRÁFICA DE SILURIFORMES EM SISTEMAS HÍDRICOS POUCO EXPLORADOS NO EXTREMO SUL DA BAHIA

Leia mais

SACOLA PLÁSTICA Hábitos e Atitudes

SACOLA PLÁSTICA Hábitos e Atitudes SACOLA PLÁSTICA Hábitos e Atitudes Pesquisa de mercado quantitativa Preparada por IBOPE Inteligência, para o INP Novembro/2007 Job 1026/07 OBJETIVOS Levantar hábitos e atitudes em relação ao uso de sacolas

Leia mais

INVENTário da Ictiofauna do rio Santa catarina, bacia do Rio são francisco) no município de vazante, minas gerais

INVENTário da Ictiofauna do rio Santa catarina, bacia do Rio são francisco) no município de vazante, minas gerais ISSN 2236-3866 DOI: 10.7902/ecb.v4i1.53 Acesso livre em www.simposiodabiodiversidade.com.br/ecb 14 INVENTário da Ictiofauna do rio Santa catarina, bacia do Rio são francisco) no município de vazante, minas

Leia mais

Catálogo de Produtos 2009

Catálogo de Produtos 2009 Catálogo de Produtos 2009 Alimentos Básicos para Peixes Tropicais TetraMin 12g, 28g, 62g, 200g, 850g (caixa), 2050g (balde) - Alimento mais vendido e conhecido do mundo; - Até 97% de digestibilidade, mais

Leia mais

*A Sínica (China, Mongólia, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Taiwan e Sudeste Asiático).

*A Sínica (China, Mongólia, Coréia do Norte, Coréia do Sul, Taiwan e Sudeste Asiático). REGIONALIZAÇÃO O continente asiático é o maior do mundo e é dividido em seis grandes regiões: Ásia Central, Ásia Meridional (Sul), Ásia Setentrional (Norte), Sudeste Asiático, Oriente Médio e Extremo Oriente.

Leia mais

POTENCIAL DE INTRODUÇÃO DE ESPÉCIES DE PEIXES ORNAMENTAIS NÃO-NATIVAS NA REGIÃO OESTE DO PARANÁ. Cleonice Cristina Hilbig, Sérgio Makrakis

POTENCIAL DE INTRODUÇÃO DE ESPÉCIES DE PEIXES ORNAMENTAIS NÃO-NATIVAS NA REGIÃO OESTE DO PARANÁ. Cleonice Cristina Hilbig, Sérgio Makrakis POTENCIAL DE INTRODUÇÃO DE ESPÉCIES DE PEIXES ORNAMENTAIS NÃO-NATIVAS NA REGIÃO OESTE DO PARANÁ Cleonice Cristina Hilbig, Sérgio Makrakis Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Centro de Engenharia e

Leia mais

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS

INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS MG DIRETORIA DE BIODIVERSIDADE GERÊNCIA DE PROJETOS E PESQUISAS MG.BIOTA Belo Horizonte v.2, n.5 dez./jan. 2009/2010 SUMÁRIO Editorial... Apresentação... Distribuição, impactos

Leia mais

FUENTE DE VIDA PROJETO AGUA VIDA NATURALEZA [ PROJETO ÁGUA VIDA NATUREZA ] RELATÓRIO CHOCOLATERA INTRODUÇÃO.

FUENTE DE VIDA PROJETO AGUA VIDA NATURALEZA [ PROJETO ÁGUA VIDA NATUREZA ] RELATÓRIO CHOCOLATERA INTRODUÇÃO. FUENTE DE VIDA PROJETO AGUA VIDA NATURALEZA [ PROJETO ÁGUA VIDA NATUREZA ] RELATÓRIO CHOCOLATERA INTRODUÇÃO. Este teste foi feito para descobrir se poderíamos plantar no lugar mais difícil da Terra com

Leia mais

Polietileno: Microesfercas causando macro problemas. Autores: Julia Ruiz e Vinicius Correia Vilela

Polietileno: Microesfercas causando macro problemas. Autores: Julia Ruiz e Vinicius Correia Vilela Polietileno é um polímero cristalino e flexível, amplamente aplicado das maneiras mais variadas industrialmente, como: embalagens plásticas, baldes, e até mesmo como em produtos para cuidados pessoais

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 1 Água para todos Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Analisar a quantidade de água potável disponível em nosso planeta 2 Identificar os diferentes estados da água 3 Conhecer o ciclo

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Centro de Hidráulica e Hidrologia Prof. Parigot de Souza RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DA ICTIOFAUNA NA ÁREA DA UHE MAUÁ RELATÓRIO TÉCNICO Nº 39 2012 COORDENAÇÃO

Leia mais

ENSAIO PRELIMINAR UTILIZANDO CULTURAS DE DAPHNIA SIMILIS, PARA A DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE REPRODUÇÃO, SEGUNDO A EQUAÇÃO DE MALTHUS

ENSAIO PRELIMINAR UTILIZANDO CULTURAS DE DAPHNIA SIMILIS, PARA A DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE REPRODUÇÃO, SEGUNDO A EQUAÇÃO DE MALTHUS ENSAIO PRELIMINAR UTILIZANDO CULTURAS DE DAPHNIA SIMILIS, PARA A DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE REPRODUÇÃO, SEGUNDO A EQUAÇÃO DE MALTHUS Roberta Vendramini do Nascimento*, Laís Donini Abujamara*, Laura Fernandes

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2016 Institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da Caatinga. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui a Política de Desenvolvimento Sustentável da

Leia mais

A Mata Atlântica é uma formação vegetal brasileira. Acompanhava o litoral do país do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões meridional e

A Mata Atlântica é uma formação vegetal brasileira. Acompanhava o litoral do país do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões meridional e Mata Atlântica A Mata Atlântica (floresta pluvial costeira) está situada entre o R.N e o R.S. É um dos hotspots (O conceito dos Hotspots, criado em 1988 pelo Dr. Norman Myers, estabeleceu 10 áreas críticas

Leia mais

A ictiofauna de cabeceiras do rio Tietê, São Paulo, Brasil

A ictiofauna de cabeceiras do rio Tietê, São Paulo, Brasil Biota Neotrop., vol. 11, no. 3 A ictiofauna de cabeceiras do rio Tietê, São Paulo, Brasil Alexandre Pires Marceniuk 1,3, Alexandre Wagner da Silva Hilsdorf 1 & Francisco Langeani 2 1 Laboratório de Genética

Leia mais

USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS USO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS NA MELHORA DA QUALIDADE DE VIDA DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS Camila Franco de Carvalho 1 Luciana Santos de Assis 2 2 RESUMO: e hamsters PALAVRAS-CHAVE: Medicina

Leia mais

Carcinicultura. (Camarão de Água Doce) AQUICULTURA. José NAILTON Canuto e Silva Engenheiro de Pesca - IFES

Carcinicultura. (Camarão de Água Doce) AQUICULTURA. José NAILTON Canuto e Silva Engenheiro de Pesca - IFES Carcinicultura (Camarão de Água Doce) AQUICULTURA José NAILTON Canuto e Silva Engenheiro de Pesca - IFES Carcinicultura Carcinicultura O Camarão Espécie: Macrobrachium rosenbergii Popular: camarão da Malásia

Leia mais

Anexo 13.3.3-5 Referências Bibliográficas. Avaliação da Viabilidade Social do Projeto

Anexo 13.3.3-5 Referências Bibliográficas. Avaliação da Viabilidade Social do Projeto Anexo 13.3.3-5 Referências Bibliográficas Avaliação da Viabilidade Social do Projeto CARVALHO, JR.J.; CARVALHO, N. A. S. NUNES. J. L. G.; CAMÕES A.; BEZERRA, M. F. da C.; SANTANA, A. R.; NAKAYAMA, L. Sobre

Leia mais

A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil

A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil BOL. MUS. BIOL. MELLO LEITÃO (N. SÉR.) 24:119-142. DEZEMBRO DE 2008 119 A fauna de peixes dos Rios dos Portos Seguros, extremo sul da Bahia, Brasil Luisa M. Sarmento-Soares 1,2*, Rosana Mazzoni 1 & Ronaldo

Leia mais

Bacias hidrográficas brasileiras

Bacias hidrográficas brasileiras Bacias hidrográficas brasileiras O Brasil possui o maior volume de água potável em estado liquido do globo. Isso se deve as suas extensas e caudalosas bacias hidrográficas. Por sua vez essas bacias devem

Leia mais

Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Naturais, Belém, v. 3, n. 1, p. 11-34, jan.- abr. 2008

Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Naturais, Belém, v. 3, n. 1, p. 11-34, jan.- abr. 2008 Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Naturais, Belém, v. 3, n. 1, p. 11-34, jan.- abr. 2008 Os peixes da Floresta Nacional de Caxiuanã (municípios de Melgaço e Portel, Pará - Brasil) The fishes of National

Leia mais

Título: Investigando o conhecimento dos educandos da escola Fleurides

Título: Investigando o conhecimento dos educandos da escola Fleurides Título: Investigando o conhecimento dos educandos da escola Fleurides Local: Escola Fleurides Cavallini Menechino Objetivos: Investigar o conhecimento dos alunos sobre o recolhimento do lixo Tabular e

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NA INDÚSTRIA TÊXTIL

SUSTENTABILIDADE NA INDÚSTRIA TÊXTIL SUSTENTABILIDADE NA INDÚSTRIA TÊXTIL CASO DA MALWEE ACIJS Jaraguá do Sul Eng. Cassiano Ricardo Minatti Coordenador Ambiental Setembro/2012 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Empresa têxtil, especializada na fabricação

Leia mais

BIE-212: Ecologia Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental. Ecossistemas

BIE-212: Ecologia Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental. Ecossistemas BIE-212: Ecologia Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental Ecossistemas Programa Introdução Módulo I: Organismos Módulo II: Populações Módulo III: Comunidades Módulo IV: Ecossistemas - Ecossistemas

Leia mais

INS TI TU TO ESTA DUAL DE FLO RES TAS MG

INS TI TU TO ESTA DUAL DE FLO RES TAS MG miolo:mg BIOTA v.2 n.5 REV03.qxd 27/11/2014 12:54 Page 1 INS TI TU TO ESTA DUAL DE FLO RES TAS MG DIRETORIA DE PESQUISA E PROTEÇÃO À BIODIVERSIDADE GERÊN CIA DE PRO JE TOS E PES QUI SAS MG.BIOTA Belo Horizonte

Leia mais

Um barco único em águas brasileiras

Um barco único em águas brasileiras www.sailor.com.br j Desenvolvido para pesca com conforto para passeios Um barco único em águas brasileiras Robusta, com cabine fechada para pernoite de quatro pessoas e grande cockpit, a Oceania 30WA é

Leia mais

APARTAMENTOS. O Faial Prime Suits, categoria 4 estrelas executivo, possui 115 suítes divididas em 3 categorias:

APARTAMENTOS. O Faial Prime Suits, categoria 4 estrelas executivo, possui 115 suítes divididas em 3 categorias: F L O R I A N Ó P O L I S - S C APARTAMENTOS O Faial Prime Suits, categoria 4 estrelas executivo, possui 115 suítes divididas em 3 categorias: Premium, Executive Superior e Executive As suítes são equipadas

Leia mais

Ictiofauna de igarapés de terra firme: estrutura das comunidades de duas bacias hidrográficas, Reserva Florestal Adolfo Ducke, Amazônia Central.

Ictiofauna de igarapés de terra firme: estrutura das comunidades de duas bacias hidrográficas, Reserva Florestal Adolfo Ducke, Amazônia Central. UNIVERSIDADE DO AMAZONAS INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA Ictiofauna de igarapés de terra firme: estrutura das comunidades de duas bacias hidrográficas, Reserva Florestal Adolfo Ducke, Amazônia

Leia mais

Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar

Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar Francisco Soares Santos Filho Professor / Biólogo Conceitos fundamentais em Ecologia Espécie População Comunidade Biológica ou Biocenose Biótopo

Leia mais

NOSSA MISSÃO, NESTE DIA, É TENTAR MOSTRAR AOS SENHORES, QUE A CO LHEDORA SANTAL TANDEM SII, NÃO É O CORTE DE MUDAS, MAS TAMBÉM É

NOSSA MISSÃO, NESTE DIA, É TENTAR MOSTRAR AOS SENHORES, QUE A CO LHEDORA SANTAL TANDEM SII, NÃO É O CORTE DE MUDAS, MAS TAMBÉM É ALTO RENDIMENTO DE COLHEITA MECANIZADA COM BAIXO CONSUMO DE COMBUSTÍVEL. NOSSA MISSÃO, NESTE DIA, É TENTAR MOSTRAR AOS SENHORES, QUE A CO LHEDORA SANTAL TANDEM SII, NÃO É SOMENTE A MELHOR MÁQUINA PARA

Leia mais

Jornal Informativo Alcon

Jornal Informativo Alcon Distribuição Gratuita Jornal Informativo Alcon Setembro 2008 - nº 12 1 Alc on ma is Ec ológi ca Con tribu i nd o para u m mu nd o melh or Nosso Planeta pede processos produtivos mais sustentáveis, ações

Leia mais

A fauna de peixes na bacia do Rio Itanhém, leste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia

A fauna de peixes na bacia do Rio Itanhém, leste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia A fauna de peixes na bacia do Rio Itanhém, leste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia LUISA MARIA SARMENTOSOARES 1, ROSANA MAZZONI 2 & RONALDO FERNANDO MARTINSPINHEIRO 1 1 Museu de Biologia Prof. Mello

Leia mais

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO DA ICTIOFAUNA USINA HIDRELÉTRICA SÃO SIMÃO CONTRATO Nº 4570010988/510 ÁGUA E TERRA PLANEJAMENTO AMBIENTAL JULHO/2011 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA ICTIOFAUNA E AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS AMBIENTAIS DE DUAS SUB-BACIAS DO BAIXO SOROCABA, SP.

CARACTERIZAÇÃO DA ICTIOFAUNA E AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS AMBIENTAIS DE DUAS SUB-BACIAS DO BAIXO SOROCABA, SP. CARACTERIZAÇÃO DA ICTIOFAUNA E AVALIAÇÃO DOS ATRIBUTOS AMBIENTAIS DE DUAS SUB-BACIAS DO BAIXO SOROCABA, SP. Cruz, B. B. 1 ; Teshima, F. A. 1 ; Cetra, M. 1 ¹ Universidade federal de São Carlos, Campus Sorocaba.

Leia mais