OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO"

Transcrição

1 OS GÊNEROS EMERGENTES NO BLOG E SUA INTERFACE NO APRENDIZADO RESUMO Luciano de Lima Costa Raquel Pessoni Tinonin Thaís Inácio Braga (G CLCA UENP/CJ) Luiz Antonio Xavier Dias (Orientador CLCA UENP/CJ) O aprendizado sobre gêneros textuais é reconhecidamente importante para uma melhor compreensão e produção textual. Analisaremos o blog a partir dos pressupostos teóricos sobre gêneros textuais, segundo Marcuschi (2002), Koch e Elias (2010). Trataremos desses gêneros contemporâneos e de sua implicação pedagógica no ensino, buscando explicitar esses recursos tecnológicos em favor do aprendizado do aluno. Nesse ensaio analisaremos o Blog, exemplificando como pode ser utilizado junto ao aprendizado prático de discentes e docentes. Objetiva-se com este estudo uma ampliação do aprendizado, a partir dessa aplicação da tecnologia ao ensino, apresentando o blog, propondo seu uso como ferramenta pedagógica. Com o advento da tecnologia no ensino, os novos gêneros virtuais precisam ser somados às técnicas tradicionais do ensino brasileiro. 1 Considerações Iniciais O aprendizado sobre gêneros textuais é reconhecidamente importante para uma melhor compreensão e produção textual dentro e fora da escola. Assim, para esta pesquisa mobilizamos o blog uma vez que acreditamos em seu potencial para utilização pedagógica em âmbito escolar, visto a partir dos pressupostos teóricos sobre gêneros textuais - Marcuschi (2002), Koch e Elias (2010). Nesse sentido, visa-se explorar o potencial pedagógico do gênero em pauta como eixo de transformação social. Nesse contexto, analisaremos o gênero blog na interface do saber e algumas práticas docentes e discentes em sala de aula. Objetivase com este estudo, ressaltar a importância do gênero em tela, a partir dessa tecnologia no ensino, propor seu uso como ferramenta pedagógica, pois endossamos que com o advento da tecnologia no ensino, os novos gêneros precisam ser somados às técnicas tradicionais do ensino brasileiro. O estudo sobre os gêneros é muito extenso e essencial para compreender a escrita e a fala, pois é por meio dos gêneros que nos comunicamos. Segundo Marcuschi (2008), os gêneros contribuem para ordenar e estabilizar as atividades comunicativas do dia-a-dia. 754

2 Dentre os nomes de estudiosos mais renomados encontram-se Marcuschi (2002), Koch e Elias (2010), os quais recorremos para embasar nosso ensaio. Os blogs são utilizados como atividades comunicativas para muitos usuários destes espaços sociais, assim como várias outras redes sociais. O ponto chave é que podemos estar usando essas ferramentas no desenvolvimento de uma nova prática pedagógica. Nesta pesquisa não vamos discorrer sobre todos os enunciados concretos materializados por gêneros uma vez que são inúmeros, todavia na pesquisa em tela apontamos para o blog, que está crescendo cada vez mais no cotidiano das pessoas. Assim, os grandes suportes tecnológicos da comunicação tais como o rádio, a televisão, o jornal, a revista, a internet, por terem uma presença marcante e grande centralidade nas atividades comunicativas da realidade social que ajudam a criar, vão por sua vez propiciando e abrigando gêneros novos bastante característicos. Daí surgem formas discursivas novas, tais como editoriais, artigos de fundo, notícias, telefonemas, telegramas, telemensagens, teleconferências, videoconferências, reportagens ao vivo, cartas eletrônicas ( s), bate-papos virtuais, aulas virtuais e assim por diante. (MARCUSCHI,2002 p.02) O objetivo desse estudo é colaborar para que os docentes trabalhem com esse recurso tecnológico, com o intuito de melhorar o rendimento do ensino em sala de aula, para que ocorra uma aproximação e interação entre o aluno e o professor, problema muito comum nas escolas. Vale ressaltar que a maioria dos jovens tem contato com a internet e até mesmo com o gênero blog, seja como ferramenta pessoal ou para pesquisa, que tal usar essa ferramenta para fortalecer o aprendizado? 2 DEFINIÇÃO DO BLOG Embora, seja difícil identificar a origem exata do blog, muitos estudiosos concordam que o termo weblog surgiu no final de 1997, usado pelo escritor Jorn Barger(Miller,2009); Um Blog (ou Weblog) é um registro publicado na internet relativo a um assunto, organizado cronologicamente (como as páginas de um diário). Tecnicamente, o termo blog, deriva da contração do termo Weblog, sendo o termo Web (rede,teia) e Log (registro diário),que por sua vez vem a significar diário virtual, que é a evolução dos antigos diários.um blog típico combina textos,imagens e links para outros blogs, páginas da Web e mídias relacionadas a seu tema,que possui uma estrutura capaz de ser atualizada rapidamente, por meio da publicação de artigos, também chamados de posts, que poderão ser comentados, criam uma via de mão 755

3 dupla, onde o receptor pode interagir com emissor, permite que os leitores opinem sobre as informações, através dos posts, e socializar seu pensamento para muitos internautas. Blogs geralmente trazem a personalidade do autor, seus interesses, gostos, opiniões e um relato de suas atividades, normalmente são simples, com textos curtos, predominando os narrativos (relatos), descritivos e opinativos com toque informal. Com o suporte internet ganhando cada vez mais força entre os meios de comunicação, o blog se popularizou de forma muito rápida pois, em 1999 o número de blogs era estimado em menos de 50; no final de 2000, a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois, os números saltaram para algo em torno de 2,5 a 4 milhões. Atualmente existem cerca de 112 milhões de blogs e cerca de 120 mil são criados diariamente. Com esse crescimento acelerado, os blogs começaram a se adaptar a se especializar. Segundo Miller (2009),surgiram outros tipos de blogs,como os blogs esportivos, foto-blogs, blogs de viagem, blogs de campanhas políticas e blogs educativos. Estes são chamados de blogs de gêneros, contudo, os blogs pessoais são os mais populares, normalmente são usados como gênero de diário com postagens voltadas para os acontecimentos da vida e as opiniões do usuário. Já os blogs corporativos e organizacionais estão sendo utilizados como ferramentas de divulgação e contato com clientes. A empresa líder em blogs pelo mundo é a Microsoft com total de 4500 blogs. Para melhor exemplificar o blog como ferramenta pedagógica produzimos um blog para a nossa sala do 2º ano de letras literatura a fim de testar esse novo método, em sala de aula, utilizando todos os recursos que esse gênero tem a oferecer. 2.1 CRIAÇÃO DO BLOG Utilizando-se do empirismo, criamos um blog com o intuito de utilizar o hipertexto, indo além da matéria ministrada em sala de aula, usando mais veículos comunicativos, seja para complementar, trazer de forma resumida, em vídeo aulas ou mesmo em áudio. Foi criado o blog com endereço onde está sendo divulgado os textos apresentados em seminários, slides, material complementar ao que está sendo ministrados pelos docentes, vídeo aulas, sempre no intento de ampliar o conhecimento e discussão sobre o tema proposto. Além de espaço para compartilhar os hipertextos encontrados por todos os alunos, adicionando mais formas ao aprendizado. 756

4 Criar um blog é demasiadamente simples e está ao alcance que qualquer pessoa com acesso ao computador e a internet. É necessário criar uma conta de , um endereço eletrônico, no servidor do Google, cria-se um nome de usuário, como exemplo, um professor x ficaria após criar a conta necessária, basta digitar o endereço e adicionar um nome ao novo blog, e assim poder publicar e trabalhar conteúdos com seus discentes e até mesmo entre os docentes. 3 ANÁLISE DO BLOG PROPOSTO O blog proposto para a sala do curso do 2º ano de Letras Literatura, pode ser considerado como um canal próprio de informação e discussão, sua importância cresce juntamente com a qualidade de conhecimento ali inserido. Este mesmo espaço pode ser criado por docentes e até mesmo por discentes para partilhar cultura e conhecimento, aluno ensinando aluno, e professores discutindo melhores formas de atingir o sucesso profissional e o desempenho significativo dos alunos. Alguns professores e alunos já usam todos os atrativos dos diários online para criar uma rede de ensino e comunicação, os blogs estão se profissionalizando e deixando de ser apenas "diário virtual adolescente" para virar palco de discussões e fonte de informações para muitos setores. No mundo corporativo, vários executivos têm seus próprios blogs, assim como jornalistas renomados também mantêm um canal próprio de informação e discussão. E esta febre começa a contagiar professores e educadores, que já veem nos blogs uma alternativa para comunicação na educação e um excelente meio para oferecer uma formação descentralizada. Pode faltar tempo de pesquisa em sala de aula, espaço esse que se amplia com o virtual, ganhando as telas nos computadores, laptops e tablets. É certo que o uso do blog ou qualquer outra ferramenta tecnológica não são suficientes para atingir a tão sonhada educação de qualidade para todos, mas que o letramento digital de professores e alunos, torna-se a cada dia mais necessário, também é evidente. O aprendizado destas novas tecnologias e o mais importante, a forma como irão utilizá-la como prática social e cultural na formação de cidadãos críticos e conscientes de seu papel na sociedade. 3.1 O BLOG COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA 757

5 No campo da educação é comum se deparar com colegas de profissão que se queixam da dificuldade que apresentam em dominar as modernas práticas pedagógicas. Para que o profissional encontre caminhos que facilite transferir o discurso pedagógico da teoria para a prática são necessárias diversas atitudes a serem observadas, bem como inseri-las na prática educacional. A proposta de trabalhar os gêneros textuais parte dos Parâmetros Curriculares Nacionais PCN, enfatizando tanto a oralidade quanto a escrita. Como recurso de aprendizagem, o blog vem ganhando espaço na educação. Aproveitar o conhecimento e o interesse dos jovens por esta forma de comunicação no contexto escolar pode ser uma maneira diferente de divulgar projetos e permitir a interatividade e a troca de experiências entre alunos e professores. O edublog, é um tipo de gênero voltado diretamente para a educação. Esse gênero específico, possibilita que o professor alcance o aluno, através de um meio que este já está habituado, assim o docente poderá trabalhar com essa tecnologia em favor do saber para que os alunos se interessem e compartilhem desse recurso tecnológico. Além disso, o uso de blogs estimulam os alunos a escrever de um maneira mais concisa, opinar, argumentar, trocar ideias, trabalhar em equipe, utilizar novas linguagens. 3.2 O que pode ser publicado dentro de um edublog? Atividades realizadas em sala de aula e as produções dos alunos em diferentes áreas de conhecimento. Elaboração de um diário, referente ao processo, de aulas, projetos ou atividades, tanto para alunos como professores, compartilhamento de ideias de atividades de ensino ou jogos de linguagem para uso em sala de aula. Apresentação de exemplos de trabalho em sala de aula, de atividades de vocabulário, ou de jogos gramaticais, reunião e organização de recursos da Internet para aulas específicas, fornecendo links para sites assim como informações sobre sua relevância, atividades extracurriculares para fixar a matéria em pauta. Produção de textos, narrativas, poemas, análise de obras literárias, publicação de fotos, desenhos, vídeos ou slides produzidos por alunos ou professores. Trabalhar com a ferramenta pedagógica Blog traz muitos benefícios para o aluno e para o professor, assim como, promove a alfabetização digital, aproxima professores e alunos, permite refletir sobre suas colocações, liga o professor ao mundo, amplia o espaço da sala de 758

6 aula, permite trocar experiências com colegas, torna o trabalho visível a mais pessoas e além do mais os blogs são dinâmicos e com respostas quase instantâneas. 3.3 Conceituando os Gêneros textuais Todos os falantes, ouvintes e escritores ao longo da vida desenvolve a chamada competência metagenérica que é aquela que nos permite identificar os gêneros, caracterizálos e determinar suas funções, é a partir dessa competência que sabemos qual gênero que devemos usar para determinada situação comunicativa que participamos e também é a competência metagenérica que nos orienta a leitura e a compreensão de textos.por isso, não contamos piada em velório, nem cantamos hino do nosso time de futebol em um conferência acadêmica(koch,elias,2010,p.54). Para cada situação comunicativa há um gênero que empregamos para que não haja discordância entre o que se quer falar e aonde se quer falar. Segundo Marcuschi(2008),a comunicação verbal só é possível por algum gênero textual. Portanto, já se tornou comum a ideia dos gêneros textuais como práticas sóciohistóricas. Segundo Marcuschi,(2008),os gêneros textuais são fenômenos históricos,profundamente vinculados à vida cultural e social.caracterizam - se como eventos textuais altamente maleáveis,dinâmicos e plásticos. Os gêneros são caracterizados pela sua função,conteúdo,estilo e composição. São inúmeros,sendo impossível fazer uma lista de todos eles,mas entre os quais estão a receita culinária,telefonema,carta pessoal,carta comercial,romance,bilhete,telegrama,bula de remédio,cardápio,lista de compras,horóscopo,conferência,aula expositiva,reunião de condomínio,sermão,edital de concurso,instruções de uso,outdoor,inquérito policial,resenha,piada,conversação espontânea,bate papo virtual. Entretanto, não nos aprofundaremos no nosso estudo sobre gêneros de um modo geral, e sim vamos analisar e pesquisar os gêneros virtuais emergentes através da internet e como as novas tecnologias poderão contribuir para os docentes e discentes como ferramenta pedagógica. 3.3 Gêneros virtuais emergentes 759

7 Gêneros virtuais é o nome dado às novas modalidades de gêneros textuais surgidas com o advento da Internet, dentro do hipertexto. Eles possibilitam, dentre outras coisas, a comunicação entre duas ou mais pessoas mediadas pelo computador, esta forma de intercâmbio caracteriza-se pela centralidade da escrita e pela multiplicidade de semioses : imagens, sons, texto escrito (cf. MARCUSCHI, 2004). O termo hipertexto remete a um texto em formato digital, ao qual se agregam outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas hiperlinks, ou simplesmente links. Esses links ocorrem na forma de termos destacados no corpo de texto principal, ícones gráficos ou imagens e têm a função de interconectar os diversos conjuntos de informação, oferecendo acesso sob demanda as informações que estendem ou complementam o texto principal. Ocorre principalmente nos meios digitais pois estes permitem acesso imediato a qualquer informação. As principais características de um hipertexto são: Intertextualidade, Velocidade, Precisão, Dinamismo, Interatividade, Acessibilidade, Estrutura em rede, Transitoriedade, Organização multilinear. As novas tecnologias, principalmente as ligadas à área da comunicação abrigam novos gêneros textuais. Por certo, não são propriamente as tecnologias per se que originam os gêneros e sim a intensidade dos usos dessas tecnologias e suas inferências nas atividades comunicativas diárias (MARCUSCHI,2008,p.20). Contudo, os grandes suportes tecnológicos como a internet, televisão, rádio,revista e o jornal por sua vez abrigam e criam outros gêneros,que são chamados de gêneros virtuais. Há outros gêneros que surgiram com essa tecnologia como os editoriais, , notícias,telefonemas,telegramas,telemensagens,teleconferências,videoconferências,reportagen s ao vivo,bate-papos virtuais(chats),aulas virtuais(aulas chats),artigos de fundo e blog. Portanto, pesquisaremos as origens do gênero blog, sua função, composição, estilo e conteúdo produzindo um estudo esclarecedor com a finalidade, propor o uso do blog em sala de aula e contribuir com o advento dessa ferramenta em prol da educação. 4 Considerações Finais Diante do exposto, podemos observar que o uso do blog somado as práticas pedagógicas vem somar novas formas de interação entre docentes e discentes, dentro e fora do ambiente escolar. Como podemos observar, o uso do blog criado para ampliar discussões sobre os temas tratados pelos professores, trazendo novos pontos de vista, melhor 760

8 esclarecimento do assunto, ampliação do tempo de estudo além do proposto pela universidade. O formato de diário, organizado cronologicamente, vem a contribuir para futuras pesquisas dos discentes, buscando os temas facilmente ali dispostos. Observamos com a criação e uso do blog, que futuramente como docentes, o letramento digital vem a ser uma peça fundamental às novas formas de ensino, visto que a busca por novidades em prol de interagir e cativar os discentes deve ser incessante. Além do aprendizado dessas novas ferramentas de ensino, visa-se explorar o potencial pedagógico do gênero em pauta como eixo de transformação social. 5 Referências BLOG. Disponível em: <http://cantinhovirtualdaeducacao.blogspot.com.br/ >Acessado em: 10 de setembro KOCH,I.V,ELIAS,V.M, Ler e escrever: estratégias de produção textual. 2. ed.,são Paulo,Contexto Introdução à lnguística textual: trajetória e grandes temas. São Paulo: Martins Fontes, KOMESU, Fabiana. Blogs e a prática de escrita sobre si na internet. In: MARCUSCHI, L. A. Gêneros virtuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In MARCUSCHI & XAVIER, Antônio Carlos dos Santos (orgs). Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, Para citar este artigo: BRAGA, Thaís I.; COSTA, Luciano de L.; TINONIN, Raquel P. Os gêneros emergentes no blog e sua interface no aprendizado. In: IX SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA SÓLETRAS - Estudos Linguísticos e Literários Anais... UENP Universidade Estadual do Norte do Paraná Centro de Letras, Comunicação e Artes. Jacarezinho, ISSN p

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso: Pedagogia - vespertino Disciplina: EDM0323 - Metodologia do ensino de português: a alfabetização. Docente: Prof.ª Nilce da Silva Aluna (nºusp): Flávia

Leia mais

A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1

A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1 A TECNOLOGIA DO HIPERTEXTO NA APRENDIZAGEM DE UM CURSO A DISTÂNCIA ON-LINE 1 Naziozênio A. LACERDA (UFPI/UFMG) 2 RESUMO: O objetivo deste trabalho é relatar uma experiência de uso da tecnologia do hipertexto

Leia mais

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET 110. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS?

BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS? BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS? Daiane Eloísa dos Santos (G-CLCA-UENP/CJ) Geovana Lourenço de Carvalho (G-CLCA-UENP/CJ) Vera Maria Ramos Pinto (Orientadora-CLCA-UENP/CJ) Resumo: Com base

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB Telma Cristina Gomes da Silva (PROLING/UFPB) telmapedist@hotmail.com Introdução A Cultura Digital impõe novos desafios pedagógicos

Leia mais

EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla

EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Caixa Postal 3037 - Lavras - MG - 37200-000 (35) 3829 1113 http://www.prg.ufla.br prg@ufla.br EDITAL PRG nº/22/2013/prg/ufla EDITAL PARA O PROGRAMA

Leia mais

Breves notas sobre o desafio das novas tecnologias na leitura e produção textual na escola básica Sandro Luis da Silva 1. Resumo

Breves notas sobre o desafio das novas tecnologias na leitura e produção textual na escola básica Sandro Luis da Silva 1. Resumo Breves notas sobre o desafio das novas tecnologias na leitura e produção textual na escola básica Sandro Luis da Silva 1 Resumo O tema educação e novas tecnologias tem despertado cada vez mais o olhar

Leia mais

O E-TEXTO E A CRIAÇÃO DE NOVAS MODALIDADES EXPRESSIVAS. Palavras-chave: texto, e-mail, linguagem, oralidade, escrita.

O E-TEXTO E A CRIAÇÃO DE NOVAS MODALIDADES EXPRESSIVAS. Palavras-chave: texto, e-mail, linguagem, oralidade, escrita. Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 191 195 O E-TEXTO E A CRIAÇÃO DE NOVAS MODALIDADES EXPRESSIVAS MARQUES, Fernanda Vieira ANDRADE, Antonio Carlos Siqueira de Palavras-chave: texto,

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Marília DALENOGARE 2 Aline MARTINS 3 Camila Pilla de Azevedo e SOUZA 4 Dieison MARCONI 5 Josafá Lucas ROHDE 6 Luciano MIRANDA 7 Universidade Federal de

Leia mais

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA LUCIANE MULAZANI DOS SANTOS PRODUÇÃO DE SIGNIFICADOS PARA OBJETOS DE APRENDIZAGEM: DE AUTORES E LEITORES PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de

Leia mais

Resumo. PALAVRAS-CHAVE: Mídia, leitura e escrita. 1- Introdução

Resumo. PALAVRAS-CHAVE: Mídia, leitura e escrita. 1- Introdução Jovens Governantes Interações virtuais e intervenções locais MSc.Nara Luz Chierighini Salamunes, da Secretaria Municipal da Educação de Curitiba, aluna do Programa de Doutorado em Informática na Educação

Leia mais

Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas

Língua portuguesa: ultrapassar fronteiras, juntar culturas LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO ACADÊMICO: O BLOG COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA E SUPORTE TEXTUAL Márcia de Souza LUZ-FREITAS 1 RESUMO Os problemas relatados nas atividades de leitura e produção de textos na

Leia mais

O TEXTO NA ESCOLA ATUAL: DO LIVRO PARA AS REDES SOCIAIS

O TEXTO NA ESCOLA ATUAL: DO LIVRO PARA AS REDES SOCIAIS 1 O TEXTO NA ESCOLA ATUAL: DO LIVRO PARA AS REDES SOCIAIS Ana Cátia Alves da Silva (Aluna do PROFLETRAS- UERN) anacatiacr@hotmail.com Ana Maria Fernandes ANACLETO (Aluna do PROFLETRAS-UERN) anamariauirauna@hotmail.com

Leia mais

Aula-passeio: como fomentar o trabalho docente em Artes Visuais

Aula-passeio: como fomentar o trabalho docente em Artes Visuais Aula-passeio: como fomentar o trabalho docente em Artes Visuais Introdução O objetivo deste trabalho é demonstrar como as artes visuais podem ser trabalhadas com visitas a museus e centros culturais. Apresenta

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Luiz Carlos Chiofi Universidade Estadual de Londrina - PDE luizquinzi@seed.pr.gov.br Marta Regina Furlan

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM UMA ANÁLISE DA REDE SOCIAL EDUCACIONAL SCHOOLING COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Ricardo Fidelis Dantas Universidade Estadual da Paraíba richarges@gmail.com Francisco Eudes Almeida da

Leia mais

ENSINO DE LEITURA PARA O ENSINO MÉDIO: UMA PROPOSTA COM BASE EM GÊNEROS DIGITAIS

ENSINO DE LEITURA PARA O ENSINO MÉDIO: UMA PROPOSTA COM BASE EM GÊNEROS DIGITAIS ENSINO DE LEITURA PARA O ENSINO MÉDIO: UMA PROPOSTA COM BASE EM GÊNEROS DIGITAIS Esp. Maciel José da Silva Firmindo (UNIGRANRIO) Prof.ª Me. Solimar Patriota da Silva (UNIGRANRIO) RESUMO: O objetivo deste

Leia mais

PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1. Fevereiro de 2013

PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1. Fevereiro de 2013 PLANEJAMENTO ESCOLAR: ALFABETIZAÇÃO E ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE 2 ANO 1 Fevereiro de 2013 Iniciando a conversa Nesta unidade discutiremos a importância do planejamento das atividades, da organização

Leia mais

NASCIMENTO, Pâmella de Souza 1 UEPB LIMA, Renally Arruda Martins 2 - UEPB PEREIRA, Mirla Farias 3 - UEPB. Resumo

NASCIMENTO, Pâmella de Souza 1 UEPB LIMA, Renally Arruda Martins 2 - UEPB PEREIRA, Mirla Farias 3 - UEPB. Resumo LETRAMENTO DIGITAL: A IMPLANTAÇÃO DOS GÊNEROS TEXTUAIS DE NATUREZA VIRTUAL COMO ESTRATÉGIA DE INFLUXO NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DA ESCRITA E DA LEITURA EM SALA DE AULA NASCIMENTO, Pâmella de Souza

Leia mais

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs O USO DO BLOG NO PROCESSO EDUCACIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA CÂNDIDA ZASSO DE NOVA PALMA. Franciele Liliane Vendruscolo 1 Kássia Quadros Ferreira 2

Leia mais

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG ISSN 2316-7785 EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DOCENTE DA MATEMÁTICA, FRENTE A DIGITALIZAÇÃO DOS ALUNOS COM O BLOG Resumo Michele Bulhões de Mendonça Instituto Federal de Alagoas (IFAL)

Leia mais

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO)

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) De acordo com o Edital de produção de conteúdo digitais multimídia, alguns aspectos

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Introdução à Comunicação Visual 40 horas Não tem Desenho I 40 horas Não

Leia mais

Perspectivas: língua portuguesa

Perspectivas: língua portuguesa Perspectivas: língua portuguesa Episódio: Oralidade e escrita Resumo O episódio Oralidade e escrita apresenta projetos desenvolvidos por professores de língua portuguesa com turmas de 7ª série (atual 8º

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC 1. Contexto A transmissão e o acesso às informações é uma preocupação constante do ser humano. Ser bem informado e informar bem são, portanto,

Leia mais

PESQUISA Práticas de Comunicação Digital OBJETIVO Traçar um panorama da utilização das mídias sociais nas redações dos principais jornais do país. principais práticas uso profissional e/ou pessoal existência

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias II Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após vermos uma breve abordagem acerca das novas tecnologias agregadas ao ensino, veremos

Leia mais

REGULAMENTO DE PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Tradutor e Intérprete Bacharelado Currículo: LTI 00001

REGULAMENTO DE PROJETOS INTERDISCIPLINARES Curso de Letras Tradutor e Intérprete Bacharelado Currículo: LTI 00001 REGULAMENTO DE PROJETOS INTERDISCIPLINARES Fundamentação Legal PARECER CNE/CES 492/2001 APROVADO em 03/04/2001 e HOMOLOGADO, com despacho do Ministro em 4/7/2001 e publicação no Diário Oficial da União

Leia mais

PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE

PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE PORTARIA Nº 123 DE 28 DE JULHO DE 2006. O Presidente, Substituto, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP, no uso de suas atribuições, tendo em vista a Lei nº 10.861,

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ A Revolução do Ensino a Distância Enir da Silva Fonseca Coordenador de Pólo EAD Campus Guarujá UNAERP - Universidade de Ribeirão Preto

Leia mais

BLOG COMO FERRAMENTA DE ENSINO. Palavras chaves:educação Matemática,Tecnologia, ensino-aprendizagem

BLOG COMO FERRAMENTA DE ENSINO. Palavras chaves:educação Matemática,Tecnologia, ensino-aprendizagem Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos 27 a 29 de Novembro UEPB Campina Grande, Paraíba. 2014 BLOG COMO FERRAMENTA DE ENSINO Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos FÓRUNS DE DISCUSSÃO NA EaD: INTERAÇÃO, LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevfaraujo@gmail.com Márcio Luiz Côrrea Vilaça (UNIGRANRIO)

Leia mais

PLANO DE APRENDIZAGEM CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUADA SOBRE RELACIONAMENTO DA JUSTIÇA COM A MÍDIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PLANO DE APRENDIZAGEM CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUADA SOBRE RELACIONAMENTO DA JUSTIÇA COM A MÍDIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PLANO DE APRENDIZAGEM CURSO DE FORMAÇÃO CONTÍNUADA SOBRE RELACIONAMENTO DA JUSTIÇA COM A MÍDIA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1. Data de início: 22 de outubro de 2015 2. Data de término: 29 de novembro

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Blog jurídico: uma poderosa ferramenta de negócios Marco Antonio P. Gonçalves Segundo a Wikipédia, weblog, ou simplesmente blog, é uma página da Web cujas atualizações (chamadas

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta MÍDIAS SOCIAIS Manual de Conduta Apresentação O Sistema Ocemg, atento às mudanças de mercado e preocupado em estar sempre próximo de seus públicos de interesse, assume o desafio de se posicionar também

Leia mais

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva O uso Wallwisher/Padlet no ensino de L2 e sua complexidade

Leia mais

Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação

Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Mídias sociais: novo modelo de marketing e comunicação Maria Fazanelli Crestana (USP) - crestana@usp.br Eidi Raquel Franco Abdalla (FMUSP) - eidi@biblioteca.fm.usp.br Fabiola

Leia mais

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM

ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM ANÁLISE DA CONVERGÊNCIA NA RÁDIO SÃO FRANCISCO FM INTRODUÇÃO/DESENVOLVIMENTO Bruna Vieira de Oliveira Ricardo Rigaud Salmito 1 Esta pesquisa pretende analisar se a criação do site da rádio São Francisco

Leia mais

Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental

Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental 1 Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental Rio de Janeiro- RJ- Maio/2012 Educação Universitária Métodos de Pesquisa em EAD

Leia mais

Vamos blogar? O blog na educação e nas aulas de geografia

Vamos blogar? O blog na educação e nas aulas de geografia Vamos blogar? O blog na educação e nas aulas de geografia Leandro Fabrício Campelo lfcampelo@ig.com.br Universidade Católica de Santos Introdução Trabalhar com os jovens atualmente é fundamental a utilização

Leia mais

Criar perfil de personagens literários na rede

Criar perfil de personagens literários na rede Criar perfil de personagens literários na rede Que tal aliar as leituras literárias da turma ao uso das redes sociais digitais? A proposta desta atividade é que os alunos criem, em rede social, perfis

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DA WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: USO DO DIPITY COMO INTERFACE DE CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA E COLABORATIVA

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DA WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: USO DO DIPITY COMO INTERFACE DE CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA E COLABORATIVA IE 2010 Congreso Iberoamericano de Informática Educativa Jaime Sánchez, Editor Santiago, Chile, 2010 TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DA WEB 2.0 NA EDUCAÇÃO: USO DO DIPITY COMO INTERFACE DE CONVERGÊNCIA

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CCL

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CCL Letras Licenciatura Português/Espanhol e Português/Inglês Letras Tradução Francês/Inglês/Português Letras Licenciatura Português/Inglês e Português/Francês Ementário (não mais ofertada em Processo Seletivo)

Leia mais

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente

DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente DESIGN DE INTERAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS - NPG1143 DESIGN DE INTEGRAÇÃO E INTERFACES DIGITAIS (04/08/2014) Perfil Docente Pós-graduação lato ou stricto sensu na área da disciplina. Currículo publicado

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA INTRODUÇÃO Silvane Santos Souza(UNEB/Lusófona) No contexto atual em que a educação encontra-se inserida, surgem muitas inquietações

Leia mais

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação X Prêmio Expocom Sul Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação

Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação X Prêmio Expocom Sul Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação Associação de Jovens e Adolescentes de São Miguel do Guaporé (Rondônia) 1 Diego Henrique da SILVA 2 Dilair Maria QUEIROZ 3 Elza Aparecida de Oliveira FILHA 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR RESUMO

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DOS ESTUDOS SOCIOGEOLINGÜÍSTICOS PARA A ESCOLHA LEXICAL NA RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS

A CONTRIBUIÇÃO DOS ESTUDOS SOCIOGEOLINGÜÍSTICOS PARA A ESCOLHA LEXICAL NA RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS A CONTRIBUIÇÃO DOS ESTUDOS SOCIOGEOLINGÜÍSTICOS PARA A ESCOLHA LEXICAL NA RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS Adriana Cristina Cristianini (USP, UNIBAN) dricris@usp.br Márcia Regina Teixeira

Leia mais

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Adriana M. das Virgens Chagas (adrianachagas3@hotmail.com) Aluna de graduação do curso de Pedagogia das Faculdades Integradas de Aracruz Luciana C.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira Projeto de trabalho Toda criança tem um repertório de conhecimentos

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL Cristina Haguenauer Latec/UFRJ cristina.haguenauer@gmail.com Fabiana Macieira Lawinscky

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais

PPGE/UNES. Eixo 5 Pesquisa em Pós-Graduação em Educação, Linguagem e Mídias. Categoria - Comunicação. Introdução

PPGE/UNES. Eixo 5 Pesquisa em Pós-Graduação em Educação, Linguagem e Mídias. Categoria - Comunicação. Introdução TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: ENSINANDO E APRENDENDO COM AS TIC, DO PROINFO INTEGRADO/SEED/MEC: ANÁLISE DO MATERIAL DIDÁTICO DESENVOLVIDO PARA O CURSO E ALGUMAS REPERCUSSÕES EM ESCOLAS Maria Aparecida Coelho

Leia mais

PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO A DISTÂNCIA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS UCPEL VIRTUAL

PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO A DISTÂNCIA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS UCPEL VIRTUAL PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO A DISTÂNCIA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS UCPEL VIRTUAL Gabriela Jurak de Castro UCPel gabriela.jurak@ucpel.tche.br Letícia Marques Vargas UCPel lvargas@ucpel.tche.br

Leia mais

O USO DO BLOG NA EDUCAÇÃO. Prof.ª Andréa Bruzaca

O USO DO BLOG NA EDUCAÇÃO. Prof.ª Andréa Bruzaca O USO DO BLOG NA EDUCAÇÃO Prof.ª Andréa Bruzaca O QUE É UM BLOG? Contração das palavras inglesas web (rede) e log (diário de bordo); Página web de atualização rápida, organizada de forma cronológica, tendo

Leia mais

Vilma Aparecida Gomes

Vilma Aparecida Gomes Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola Vilma Aparecida Gomes Mestre em Lingüística pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora de Língua Portuguesa da Escola de Educação

Leia mais

BLOG: APRENDIZAGEM INTERATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES. Belém - PA - Maio 2009

BLOG: APRENDIZAGEM INTERATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES. Belém - PA - Maio 2009 1 BLOG: APRENDIZAGEM INTERATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES Belém - PA - Maio 2009 Lorena Bischoff TRESCASTRO Secretaria Municipal de Educação SEMEC Instituto de Estudos Superiores da Amazônia

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

TRABALHANDO O GÊNERO E - MAIL EM SALA DE AULA: UMA ALTERNATIVA DE ENSINO RESUMO

TRABALHANDO O GÊNERO E - MAIL EM SALA DE AULA: UMA ALTERNATIVA DE ENSINO RESUMO TRABALHANDO O GÊNERO E - MAIL EM SALA DE AULA: UMA ALTERNATIVA DE ENSINO Ligiane Aparecida Bonacin (GP Leitura e Ensino CLCA UENP/CJ) Vera Maria Ramos Pinto (Orientadora CLCA UENP/ CJ) RESUMO As aulas

Leia mais

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar Tatiana Medeiros Cardoso Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório RS Brasil tati.info@gmail.com

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 E-MAIL: UM GÊNERO TEXTUAL A SER APRESENTADO NA ESCOLA Cassia Teixeira (UERJ) kassiarteixeira@hotmail.com INTRODUÇÃO Sabemos que a comunicação faz parte das necessidades do homem. E desde as civilizações

Leia mais

REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS

REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS REVISTAS SEMANAIS: UM SUPORTE PARA LEITURA DE VÁRIOS GÊNEROS RAFAEL DIREITO TEIXEIRA (UENP). Resumo O trabalho com gêneros textuais é uma exigência no conteúdo programático de Língua Portuguesa do Ensino

Leia mais

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA INICIANDO A CONVERSA APROFUNDANDO O TEMA Por que ensinar gêneros textuais na escola? Registro

Leia mais

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular.

Ferramentas de informações e comunicações e as interações possíveis Tecnologias populares para uma Educação à Distância mais Popular. Trabalha de Conclusão do Curso Educação a Distância : Um Novo Olhar Para a Educação - Formação de Professores/Tutores em EaD pelo Portal Somática Educar Ferramentas de informações e comunicações e as interações

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

Nas ondas do rádio produção de programa na Web

Nas ondas do rádio produção de programa na Web Nas ondas do rádio produção de programa na Web O rádio chegou ao Brasil na festa de centenário da Independência, em 7 de setembro de 1922. Hoje é um meio de comunicação amplamente difundido em nosso país,

Leia mais

WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta.

WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta. WEBQUEST NO ENSINO DE HISTÓRIA: Ligações interdisciplinares e aceitação dos alunos diante esta ferramenta. Michelle Mattar Pereira de Oliveira * Bianca Luiza Silva ** INTRODUÇÃO Primeiramente é necessário

Leia mais

AULAS DE ORATÓRIA: DO ENSINO DO GÊNERO ORAL FORMAL À CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA

AULAS DE ORATÓRIA: DO ENSINO DO GÊNERO ORAL FORMAL À CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA 1 AULAS DE ORATÓRIA: DO ENSINO DO GÊNERO ORAL FORMAL À CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA Bianca Alves LEHMANN 1 Universidade Federal de Pelotas/UFPel biancalehmann@gmail.com Resumo: A competência comunicativa é

Leia mais

Índice. 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3. Grupo 7.3 - Módulo 17

Índice. 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3. Grupo 7.3 - Módulo 17 GRUPO 7.3 MÓDULO 17 Índice 1. Os desafios das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs)...3 2 1. OS DESAFIOS DAS NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (NTICS) Chamam-se Novas Tecnologias

Leia mais

Aprimoramento através da integração

Aprimoramento através da integração Aprimoramento através da integração Uma parceria para implementar uma solução de aprendizagem em tempo recorde Visão Geral Com mais de 70 anos de excelência na produção de conhecimento no Brasil, a Fundação

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Tem como objetivo o estudo dos processos de ensino e aprendizagem de línguas materna e estrangeiras e, em especial, do papel da linguagem no desenvolvimento

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Brasília - DF- Fevereiro 2013 Priscila Alessandra da Silva Universidade Federal de Brasília priscilaalesilva@gmail.com Fernanda Carla Universidade

Leia mais

AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE

AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE AVANÇOS DAS AÇÕES EDUCATIVAS EM EAD, UTILIZANDO TELEDUC, DESENVOLVIDAS NA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SANTOS COMPARTILHANDO SABERES NA REDE Santos/SP- 02/2014 Carlos Eduardo da Silva Fontoura SEDUC/Santos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO Art. 1º Os Trabalhos de Conclusão de Curso,

Leia mais

O USO DOS GÊNEROS TEXTUAIS NA MODALIDADE DE ENSINO JOVENS E ADULTOS EJA

O USO DOS GÊNEROS TEXTUAIS NA MODALIDADE DE ENSINO JOVENS E ADULTOS EJA O USO DOS GÊNEROS TEXTUAIS NA MODALIDADE DE ENSINO JOVENS E ADULTOS EJA SILVA E SOUSA, Maria do Socorro de Araujo Integrante do GEPeeeS-CCAE UFPB - CNPq msasousasilva@hotmail.com SOUSA, Rosineide Marta

Leia mais

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS TESTE 2 SEGUNDO SEMESTRE 2010 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Presidência do Instituto Nacional

Leia mais

Possibilidades de uso na sala de aula

Possibilidades de uso na sala de aula Capítulo3 Possibilidades de uso na sala de aula As possibilidades de uso da lousa digital são inúmeras. Segundo a Revista Nova Escola, da Editora Abril, o professor pode preparar apresentações em PowerPoint,

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1

INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1 INTELIGÊNCIA COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DO SABER: aprendizagem em ambientes virtuais. 1 Laís Tolentino Muniz CAMPOS 2 Fernanda Gabriela Gadelha Romero 3 Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB RESUMO

Leia mais

WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO

WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO Juliana da Silva Cabral PIBID Universidade Estadual da Paraíba/ julianacabralletras2@gmail.com Janaína da Costa Barbosa PIBID Universidade Estadual da Paraíba/

Leia mais

mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho

mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho mídia, psicologia e subjetividade I 2014-2 I egc I ufsc sílvio serafim marisa carvalho Sumário Conhecimento introdução EGC estudo Mídias conceito teoria Cibercultura processo Inovação mídias Temas seminários

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR

NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL PROFESSOR 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL

Leia mais

PRODUÇÃO JORNALÍSTICA E MÍDIAS DIGITAIS: ALCANCE E DIVULGAÇÃO EM REDE DO SITE CULTURA PLURAL

PRODUÇÃO JORNALÍSTICA E MÍDIAS DIGITAIS: ALCANCE E DIVULGAÇÃO EM REDE DO SITE CULTURA PLURAL ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( X) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PRODUÇÃO JORNALÍSTICA E MÍDIAS DIGITAIS: ALCANCE

Leia mais

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação.

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação. Karen Alves de Andrade 1 RESUMO A inserção dos gêneros textuais no ensino vem mudando a dinâmica da educação em língua portuguesa em nosso país. A importância de se trabalhar a língua em uso, através de

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos UMA ANÁLISE DOS GÊNEROS DIGITAIS PRESENTES NOS LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute os gêneros digitais que são abordados

Leia mais

BLOG: POSSIBILIDADES PARA A PRÁTICA COMPARTILHADA DE SABERES

BLOG: POSSIBILIDADES PARA A PRÁTICA COMPARTILHADA DE SABERES BLOG: POSSIBILIDADES PARA A PRÁTICA COMPARTILHADA DE SABERES Autor: Leonardo Feitoza Matos 1 Universidade Tiradentes UNIT - e-mail- leomatos.f@gmail.com Co-autor: Maria Conceição da S. Linhares 2 Universidade

Leia mais

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais