ACESSIBILIDADE EM VEÍCULOS PARA O TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACESSIBILIDADE EM VEÍCULOS PARA O TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação da Conformidade - Divec PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - ADAPTAÇÃO DE ACESSIBILIDADE EM VEÍCULOS PARA O TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS Veículos com características rodoviárias - código 3431 Portaria Inmetro nº 168/2008 e Portaria Inmetro nº 290/2010 Veículos com características urbanas - código 3432 Portaria Inmetro nº 260/2007 e Portaria Inmetro nº 292/2010 Selo Acessibilidade Portaria Inmetro nº 036/ DEFINIÇÕES 1.1. Acessibilidade - Possibilidade e condição de alcance para utilização com segurança e autonomia, total ou assistida, do transporte coletivo rodoviário, urbano e seletivo de passageiros, por pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida Adaptação de Acessibilidade - Modificação realizada no veículo destinado ao transporte coletivo rodoviário, urbano e seletivo de passageiros para torná-lo acessível à pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida, garantida por meio do conjunto de adaptações Micro-ônibus - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano ou rodoviário de passageiros com capacidade para transporte de até 20 pessoas, com 01 ou 02 portas Ônibus Articulado - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, com capacidade de transporte acima de 120 pessoas, com 03 ou mais portas Ônibus Biarticulado - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, com capacidade de transporte acima de 170 pessoas, com 04 ou mais portas. 1.6 Ônibus Convencionais - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano, rodoviário e seletivo de passageiros com capacidade de transporte acima de 20 lugares Ônibus Double-Deck - Ônibus que se caracterizam por ter dois andares, com três ou quatro eixos em razão do seu alto peso. É mais utilizado para turismo de alto padrão e linhas rodoviárias de médias e longas distâncias. Pode conjugar distintas características em cada um de seus andares, como, por exemplo, executivo no salão superior e leito, no inferior Ônibus Executivo - Ônibus que oferecem poltronas e arranjo interno mais confortável que o ônibus convencional Ônibus Leito - Ônibus com dimensões e arranjo físico das poltronas de forma a possibilitar a acomodação e conforto diferenciado aos usuários, atendendo aos propósitos esperados Ônibus Padron - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros com capacidade de transporte acima de 80 pessoas, com 03 a 05 portas Ônibus Piso Baixo - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, onde o piso interno pode ser rebaixado em alguma seção do salão de passageiros, seja na dianteira, na parte central, na traseira ou ainda, em sua totalidade. Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 1

2 1.12. Ônibus Rodoviário - Ônibus que transita por estrada municipal, estadual ou federal, sem catraca, podendo ou não dispor de dispositivo eletrônico de controle e tarifação, e que permite o transporte de bagagem em compartimento específico Ônibus Semi Leito - Ônibus com arranjo físico interno diferenciado, com nível de conforto próximo ao ônibus leito. Devem possuir poltronas amplas com apoio de pernas Selo Acessibilidade - Selo de Identificação da Conformidade adotado pelo Inmetro, preenchido e emitido por Organismo de Inspeção Acreditado e Entidade Técnica Pública ou Paraestatal, após aprovação técnica das inspeções da adaptação de acessibilidade em veículos de características rodoviárias ou urbanas para o transporte de passageiros Símbolo Internacional de Acesso - Símbolo que identifica, assinala ou indica o local, equipamento ou serviço habilitado ao uso de pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida Veículo Acessível - Veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros que sofreu modificação de suas características originais de fábrica, para permitir o acesso, deslocamento e acomodação segura de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2.1. Portaria Inmetro nº 260/2007 Aprova o Regulamento Técnico da Qualidade para Inspeção da Adequação de Acessibilidade em Veículos de Características Urbanas para o Transporte Coletivo de Passageiros Portaria Inmetro nº 168/2008 Aprova o Regulamento Técnico da Qualidade para Inspeção da Adaptação de Acessibilidade em Veículos de Características Rodoviárias para o Transporte Coletivo de Passageiros Portaria Inmetro nº 36/2010 Determina que o Selo Acessibilidade deverá ser afixado internamente, somente na parte superior do vidro da porta de serviço dianteira dos veículos acessíveis de características urbanas ou rodoviárias e cancela-se a afixação do Selo Acessibilidade nos para-brisas Portaria Inmetro nº 290/2010 Determina que os veículos de características rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros, fabricados entre 1º de janeiro de 2009 e 17 de dezembro de 2010, deverão atender aos requisitos estabelecidos no Regulamento Técnico da Qualidade aprovado pela Portaria Inmetro 168/08 e ser inspecionados por Organismos de Inspeção Acreditados (OIA) Portaria Inmetro nº 292/2010 Determina que os veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros, fabricados entre 16 de outubro de 2008 e 17 de dezembro de 2010, deverão atender aos requisitos estabelecidos no subitem (Adaptação de Acessibilidade Tipo 1) do Regulamento Técnico da Qualidade aprovado pela Portaria Inmetro 260/07 e ser inspecionados por Organismos de Inspeção Acreditados (OIA). Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 2

3 2.6 Portaria n.º 364/2010. Determina que os veículos de características rodoviárias que trafegam em vias urbanas, utilizados no serviço seletivo para transporte coletivo de passageiros, fabricados até 17 de dezembro de 2010, deverão atender aos requisitos estabelecidos no Regulamento Técnico da Qualidade para Inspeção da Adaptação de Acessibilidade em Veículos de Características Rodoviárias para Transporte Coletivo de Passageiros, aprovado pela Portaria Inmetro n. 168/08, e ser inspecionados por Organismo de Inspeção Acreditado (OIA). 3. CONDIÇÕES GERAIS Em todas as empresas (garagens) de veículos de características rodoviárias e/ou urbanas para o transporte coletivo de passageiros. (Artigo 6º da Lei 9933). Nas empresas (garagens) de transportes coletivos, os veículos de características rodoviárias e/ou urbanas e/ou seletivos, certificados com Selo de Identificação da Conformidade (placa de metal) a fiscalização deverá utilizar-se do procedimento específico para aquele veículo, característica urbana ou rodoviária, conforme o caso. ATENÇÂO: Em todas as empresas o agente fiscal deve verificar o quantitativo total da frota da empresa e anotar o percentual avaliado e adaptado. 4. METODOLOGIA 4.1. VEÍCULOS NÃO ADAPTADOS Sem o selo de acessibilidade: Notificar para que a empresa faça a adaptação, seja inspecionado por um OIA e emitir auto de infração para a empresa de veículo Enquadramentos: Veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Artigo 3º da Portaria Inmetro 260/2007 Veículos de características rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros Artigo 4º da Portaria Inmetro 168/ VEÍCULOS EM PARTE, NÃO ADAPTADOS (conforme lista de inspeção) Com o selo de acessibilidade: Veículos de características rodoviárias ou urbanas para o transporte coletivo de passageiros: evidenciado a falta de algum dos itens descritos na lista de inspeção correspondente. Notificar para que a empresa faça a adequação determinada e emitir auto de infração para a empresa de ônibus. Enquadramentos: Veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Artigo 3º da Portaria Inmetro 260/2007 Veículos de características rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros Artigo 4º da Portaria Inmetro 168/2008 Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 3

4 4.3. VEÍCULOS ADAPTADOS Veículo sem o selo de acessibilidade: Notificar para que seja afixado o Selo Acessibilidade na parte superior do vidro da porta de serviço dianteira do veículo e emitir auto de infração para a empresa de ônibus. Enquadramentos: Veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros 2º do artigo 6º da Portaria Inmetro 260/2007. Veículos de características rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros Parágrafo Único do artigo 7º da Portaria Inmetro 168/ Selo de acessibilidade afixado em local diferente do determinado (internamente na parte superior do vidro da porta de serviço dianteira do veículo): Notificar para que seja afixado o Selo Acessibilidade no local determinado e emitir auto de infração para a empresa de ônibus. Enquadramentos: Veículos de características urbanas ou rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros Artigo 1º da Portaria Inmetro 36/ Selo de acessibilidade não corresponde ao determinado, no Anexo B das Portarias: Notificar para que seja afixado o Selo Acessibilidade na parte superior do vidro da porta de serviço dianteira do veículo e autuar a empresa de ônibus. Enquadramentos: Veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros 2º do artigo 6º da Portaria Inmetro 260/2007 Veículos de características rodoviárias para o transporte coletivo de passageiros Parágrafo Único do artigo7º da Portaria Inmetro 168/2008 RODOVIÁRIO URBANO Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 4

5 Irregularidades SGI Nº Descrição Veículo(s) de características rodoviárias para transporte coletivo de passageiros sem 01 estarem adequado à acessibilidade ou em parte, com ausência do Selo Acessibilidade afixado na porta de serviço dianteira. art. 4º da Portaria Inmetro nº 168/2008 Veículo(s) de características rodoviárias para transporte coletivo de passageiros 02 adequados à acessibilidade, com ausência do Selo Acessibilidade afixado na porta de serviço dianteira. Parágrafo Único do art. 7º da Portaria Inmetro nº 168/2008 Veículo(s) de características rodoviárias para transporte coletivo de passageiros 03 adequados à acessibilidade, com o Selo Acessibilidade afixado em local diferente do determinado art. 1º da Portaria Inmetro nº 36/2010 Veículo(s) de características rodoviárias para transporte coletivo de passageiros adequados à acessibilidade, com o Selo Acessibilidade não correspondente ao 04 determinado no Anexo B, do Regulamento Técnico da Qualidade. Parágrafo Único do art. 7º da Portaria Inmetro nº 168/2008 Irregularidades SGI Nº Descrição Veículo(s) de características urbanas para transporte coletivo de passageiros sem 01 estarem adequado à acessibilidade ou em parte com ausência do Selo Acessibilidade afixado na porta de serviço dianteira. art. 3º da Portaria Inmetro nº 260/2007 Veículo(s) de características urbanas para transporte coletivo de passageiros 02 adequados à acessibilidade, com ausência do Selo Acessibilidade afixado na porta de serviço dianteira. 2º do art. 6º da Portaria Inmetro nº 260/2007 Veículo(s) de características urbanas para transporte coletivo de passageiros 03 adequados à acessibilidade, com o Selo Acessibilidade afixado em local diferente do determinado art. 1º da Portaria Inmetro nº 36/2010 Veículo(s) de características urbanas para transporte coletivo de passageiros adequados à acessibilidade, com o Selo Acessibilidade não correspondente ao 04 determinado no Anexo B, do Regulamento Técnico da Qualidade. 2º do art. 6º da Portaria Inmetro nº 260/2007 Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 5

6 Lista de Verificação (Acessibilidade - Veículo Rodoviário) - RBMLQ-I 1. Dados Gerais Empresa visitada: Marca/modelo do veículo verificado: Nº do chassi do veículo verificado: Placa do veículo verificado: Data ou ano de fabricação: 2. Selo Acessibilidade (Inmetro) A R OBS Localização : Integridade : 3. Documentação do Veículo A R OBS CRLV ou CRV (nº) : Renavam (n ): 4. Adaptação de Acessibilidade no Veículo A R OBS Cadeira de transbordo (não obrigatória no veículo) 4.1 Adaptações Obrigatórias 1) Vão livre mínimo de 550mm para passagem na porta de serviço (embarque) e de 400mm na porta de serviço (do salão) 2) Inexistência de cestos de lixo e anteparos obstruindo a passagem dos passageiros 3) Pega-mão (lado esquerdo) e corrimão (lado direito) para embarque 4) Bancos preferenciais posicionados próximos às portas (quando possível) Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 6

7 5) Apoios de braço escamoteáveis nos bancos preferenciais 6) Solicitação de parada específica com indicação visual no painel de controles 7) Existência de interruptor próximo aos bancos preferenciais 8) Cinto de segurança retrátil nos bancos preferenciais 9) Identificação visual nos encostos de cabeça dos bancos preferenciais na cor amarela 10) Adesivos com símbolos específicos junto aos assentos preferenciais 11) Perfis amarelos de acabamento: a) nos limites dos degraus das escadas b) nos limites dos desníveis internos c) nos limites da plataforma (quando existir) 12) Aplicação do SIA a) Lateral direita b) Dianteira 13) Iluminação dos degraus 14) Área reservada para cão-guia à frente dos bancos preferenciais (300 x 700 x 300mm) Legendas: A - Aprovado / R - Reprovado / OBS Observação Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 7

8 2. Selo Acessibilidade (Inmetro) A R OBS Localização: Integridade: 3. Documentação do Veículo A R OBS CRLV ou CRV (nº): Renavam (n ): Lista de Verificação (Acessibilidade - Veículo Urbano) RBM LQ-I 1. Dados Gerais Empresa visitada: Marca/modelo do veículo verificado: Nº do chassi do veículo verificado: Placa do veículo verificado: Data ou ano de fabricação: 4. Adaptação de Acessibilidade no Veículo A R OBS Plataforma elevatória veicular Rampa de acesso 4.1 Adaptação de Acessibilidade Tipo 1 1) Inexistência de colunas que estrangulem a passagem (porta com vão livre menor que 1.100mm) 2) Inexistência de cestos de lixo e anteparos que obstruam a passagem 3) Pega-mãos nas portas de serviço 4) Balaústres e/ou colunas a cada 2.000mm (alternadamente) 5) Interruptores para solicitação de parada (tecla na cor laranja): a) junto a cada porta de serviço b) junto aos bancos preferenciais c) ao longo do salão (pelo menos 01 de cada lado) 6) Colunas / balaústres que possuem interruptores para solicitação de parada na cor amarela 7) Letreiro frontal: a) pano oleado (tecido) na cor amarelo-limão ou verde-limão b) eletrônico na cor amarelo âmbar ou branco Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 8

9 c) caracteres com 135mm de altura para ônibus e 90mm para microônibus 4.2 Adaptação de Acessibilidade Tipo 2 1) Bancos preferenciais posicionados próximos às portas de serviço. 2) Identificação visual nos encostos de cabeça dos bancos preferenciais na cor amarela. 3) Adesivos com símbolos específicos junto aos assentos preferenciais. 4) Iluminação dos degraus (superior ou inferior). 5) Perfis amarelos de acabamento nos degraus (visão superior e frontal). 6) Perfis amarelos nos limites das plataformas e nas rampas (visão superior e frontal). 4.3 Adaptação de Acessibilidade Tipo 3 1) Inexistência de passarela indutora de fluxo de passageiros (chiqueirinho) 2) Catraca com altura máxima de 1.050mm e vão inferior de 400mm 3) Apoio de braço basculante nos bancos preferenciais 4.4 Adaptação de Acessibilidade Tipo 4 1) 02 portas com vão de 800mm no mínimo no nível piso interno 2) Dispositivo selecionador de portas 4.5 Complementos das Adaptações de Acessibilidade Tipos 1, 2, 3 e 4. 1) Área reservada para cadeira de rodas e cão-guia (1.200 x 800mm) 2) Guarda corpo na área reservada, devidamente ancorado 3) Cinto de segurança de 03 pontos com mecanismo retrátil devidamente ancorado 4) Sistema de travamento da cadeira de rodas 5) Corrimão resiliente na área reservada 6) Interruptor na área reservada (sinal diferenciado) 7) Material antiderrapante na área reservada Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 9

10 8) Instalação de adesivos específicos na área reservada a) direito de uso da área (com símbolos específicos) b) uso cinto de segurança e sistema travamento (símbolos e texto) 9) Dispositivo tátil na área reservada 10) Aplicação do SIA: a) nas laterais (junto à porta com plataforma ou rampa) b) na dianteira (no lado do condutor) c) na traseira (no canto inferior esquerdo) d) dimensão de 300 x 300mm, admitida redução proporcional 100mm 11) Dispositivos de segurança nos veículos com plataforma elevatória: a) Dispositivo que não permita a partida do veículo com as portas abertas e suas aberturas com o veículo em movimento b) Sinal sonoro conjugado com o acionamento da plataforma c) Sinal ótico conjugado com o acionamento da plataforma Legendas: A - Aprovado / R - Reprovado / OBS Observação Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 10

11 Anexo A 1. Adaptação de Acessibilidade Tipo 1 (veículos produzidos entre 01/01/2002 e 15/10/2008) Modificação realizada no veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, composta pelo conjunto das adaptações tipos 2 e 3, na qual deve atender as adequações no salão de passageiros para facilitar o deslocamento interno, principalmente das pessoas com deficiência visual ou mobilidade reduzida, além da comunicação visual atender a identificação de bancos preferenciais, pontos de apoio ao longo do salão, e as adequações do letreiro da linha operada pelo veículo. Pode estar integrada a essa modificação a instalação da plataforma elevatória veicular. 2. Adaptação de Acessibilidade Tipo 2 (veículos produzidos entre 01/01/1997 e 31/12/2001) Modificação realizada no veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, composta pela adaptação tipo 3, na qual deve atender as adequações de reposicionamento dos bancos preferenciais para próximo da porta principal de acesso, além da melhoria na iluminação interna, e da região dos degraus, inclusive a identificação dos limites dos degraus. Pode estar integrada a essa modificação a instalação da plataforma elevatória veicular. 3. Adaptação de Acessibilidade Tipo 3 (veículos produzidos anteriormente a 31/12/1996) Modificação realizada no veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, na qual deve atender as adequações de eliminação da passarela indutora de fluxo de passageiros (chiqueirinho) e eventual readaptação da catraca registradora de passageiros. Pode estar integrada a essa modificação a instalação da plataforma elevatória veicular. 4. Adaptação de Acessibilidade Tipo 4 (todos os veículos, independentemente do ano de fabricação) Modificação realizada no veículo destinado ao transporte coletivo urbano de passageiros, composta pelo conjunto das adaptações tipos 1, 2 e 3, específica para situações de embarque e desembarque ao nível do piso do veículo. 5. Extensão de requisitos (Portaria Inmetro n.º 292/2010) a) Padronização de alguns requisitos de comunicação visual e de segurança a todos os veículos fabricados até 17/12/2010. b) Atendimento aos requisitos do Tipo 1 nos veículos fabricados entre 16/10/2008 e 28/02/2009, sem comprovação do atendimento à norma ABNT NBR 14022, devidamente registrado na nota fiscal ou declaração do fabricante da carroçaria. c) Atendimento aos requisitos do Tipo 1 nos veículos fabricados a partir de 01/03/2009, sem comprovação do atendimento às normas ABNT NBR e ABNT NBR 15570, devidamente registrado na nota fiscal ou declaração do fabricante da carroçaria. Dconf/Divec ver2 outubro/ Página 11

Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009 e 364/2010 Código: 3466

Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009 e 364/2010 Código: 3466 PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO EM VEÍCULOS ACESSÍVEIS, FABRICADOS COM CARACTERÍSTICAS RODOVIÁRIAS QUE TRAFEGAM EM VIAS URBANAS PARA TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS Portaria Inmetro 27/2011, 152/2009

Leia mais

ACESSIBILIDADE PÚBLICA. Uma estratégia para Transporte Público

ACESSIBILIDADE PÚBLICA. Uma estratégia para Transporte Público ACESSIBILIDADE PÚBLICA Uma estratégia para Transporte Público Pedro Bisch Neto Diretor Superintendente Vinicio Salvagni Diretor de Trasnporte Metropolitano DEFINIÇÃO AFINAL, O QUE É MOBILIDADE URBANA E

Leia mais

Normas de A c e s s i b i l i d a d e para o Transporte Coletivo

Normas de A c e s s i b i l i d a d e para o Transporte Coletivo Normas de A c e s s i b i l i d a d e para o Transporte Coletivo OBJETIVOS: - Apresentar aos clientes e empresários de veículos do transporte coletivo urbano e rodoviário de passageiros esclarecimentos

Leia mais

PORTARIA INMETRO Nº 364, DE 17 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 21.09.2010

PORTARIA INMETRO Nº 364, DE 17 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 21.09.2010 PORTARIA INMETRO Nº 364, DE 17 DE SETEMBRO DE 2010 DOU 21.09.2010 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO, no uso de suas atribuições, conferidas

Leia mais

ACESSIBILIDADE MANUAL DE ÔNIBUS

ACESSIBILIDADE MANUAL DE ÔNIBUS ACESSIBILIDADE MANUAL DE ÔNIBUS Índice 1. Apresentação 2. Legislação aplicável 08 12 2.1. Constituição Federal de 1988 2.2. Lei federal nº 7.853, de 24/10/1989 2.3. Decreto federal nº 3.298, de 20/12/1999

Leia mais

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS 1. Introdução Diante da importância do tema Acessibilidade dos veículos de transporte público urbano por ônibus e da necessidade de reestabelecer

Leia mais

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO

PROCEDIMENTO FISCALIZAÇÃO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO Julho /

Leia mais

Portaria nº 260, de 12 de julho de 2007.

Portaria nº 260, de 12 de julho de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 260, de 12 de julho de 2007.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 402 DE 26 DE ABRIL DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 402 DE 26 DE ABRIL DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 402 DE 26 DE ABRIL DE 2012. Estabelece requisitos técnicos e procedimentos para a indicação no CRV/CRLV das características de acessibilidade para os veículos de transporte coletivos de passageiros

Leia mais

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15320 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Acessibilidade à pessoa com deficiência no transporte rodoviário Accessibility in highway transportation Palavras-chave:

Leia mais

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Administração Empresarial Ltda. Caso tenha necessidade de orientações

Leia mais

1.1 Adaptação acessibilidade tipo 1 (veículos produzidos entre 2007 e 2002)

1.1 Adaptação acessibilidade tipo 1 (veículos produzidos entre 2007 e 2002) Objetivo Guia pratico para inspeção de acessibilidade Referência - Portaria Nº 260 de 2007 Inmetro - Portaria Nº 358 de 2009 Inmetro -Portaria Nº 64 de 2009 Inmetro - NBR14022 1.0 MANUAL PRATICO PARA A

Leia mais

Portaria n.º 168, de 05 de junho de 2008.

Portaria n.º 168, de 05 de junho de 2008. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 168, de 05 de junho de

Leia mais

PORTARIA BHTRANS DPR Nº 102/2011 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2011

PORTARIA BHTRANS DPR Nº 102/2011 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2011 PORTARIA BHTRANS DPR Nº 102/2011 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2011 Estabelece critérios para admissão de veículos no Serviço Público de Transporte Suplementar de Passageiros do Município de Belo Horizonte. O Diretor-Presidente

Leia mais

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816

CADEIRA DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Portaria n.º 683/2012, 51/2013 e 359/2014 Código SGI - 3816 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR ANEXO VI VEICULAR Para a prestação do serviço de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do, as operadoras deverão utilizar veículos adequados às especificações veiculares definidas neste Anexo.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº DE DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº DE DE 2012. RESOLUÇÃO Nº DE DE 2012. Dispõe sobre as características, especificações e padrões técnicos a serem observados nos ônibus utilizados na operação dos serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional

Leia mais

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros EMENDA 1 20.02.

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros EMENDA 1 20.02. NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14022 EMENDA 1 20.02.2009 Válida a partir de 20.03.2009 Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Accessibility in vehicles

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS GPT/M008/10/R6 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO SELETIVO DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados

Leia mais

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO...3 2. APRESENTAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS...3 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...4 3.1 Características Gerais...4 3.2 Carroceria...4 4. ACESSIBILIDADE...8 4.1

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS GPT/M002/12/R8 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO CONVENCIONAL DO TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DE CAMPINAS O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem

Leia mais

PADRÃO DE ÔNIBUS NO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PORTO ALEGRE

PADRÃO DE ÔNIBUS NO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PORTO ALEGRE PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DOS TRANSPORTES EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO ANEXO V (Resolução nº 03/2012) PADRÃO DE ÔNIBUS NO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO GPT/M012/10/R4 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO NOTURNO DO TRANSPORTE COLETIVO DE CAMPINAS CORUJÃO O presente documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo III - A Manual de Especificações da Frota do Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre. Anexo III - A Manual de Especificações da Frota do Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo III - A Manual de Especificações da Frota do Transporte Coletivo por Ônibus de Porto Alegre ANEXO III - A Manual de Especificações da Frota do Transporte

Leia mais

RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS RTQ CAR - INSPEÇÃO PERIÓDICA DE CARROÇARIAS DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E CAÇAMBAS INTERCAMBIÁVEIS PARA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas

Leia mais

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 450, de 03 de outubro de 2014. CONSULTA

Leia mais

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 Institui o Código de Trânsito Brasileiro. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO XI DO REGISTRO

Leia mais

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809

Portaria Inmetro nº 388/2012 Códigos SGI 03807, 03808 e 03809 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal.

Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal. Novo Iveco CityClass Escolar: na teoria e na prática, a melhor solução para o transporte escolar municipal. 0088_IVECO_FOLHETO_CITY_CLASS_20_2x2.indd 9/9/ 7:38 PM O que é o programa Caminho da Escola?

Leia mais

Portaria n.º 232, de 30 de junho de 2008.

Portaria n.º 232, de 30 de junho de 2008. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 232, de 30 de junho de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 469 DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. Altera dispositivos e os Anexos da Resolução CONTRAN nº 402, de 26 de abril de 2012, com redação dada pelas Deliberações nº 104 de 24 de dezembro de 2010 e nº

Leia mais

A) Ônibus com capacidade para 23, 31 e 44 passageiros:

A) Ônibus com capacidade para 23, 31 e 44 passageiros: ANEXO IV - RESOLUÇÃO Nº 035/2007/CD/FNDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA CAMINHO DA ESCOLA ESPECIFICAÇÕES A) Ônibus com capacidade para 23, 31 e 44 passageiros:

Leia mais

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842

BLOCOS DE CONCRETO PARA ALVENARIA Portaria Inmetro nº 220/2013 CÓDIGO: 3842 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade- Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec

Indicador de Pressão para Extintor de Incêndio. Ademir Ribeiro Dconf/Divec Ademir Ribeiro Dconf/Divec INTRODUÇÃO: Considerando que os Indicadores de Pressão para Extintores de Incêndio são componentes fundamentais por permitir ao usuário identificar a qualquer momento, se o extintor

Leia mais

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014.

Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 466, de 16 de outubro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Oportunidades e dificuldades para melhoria da qualidade do Serviço do Transporte Público por Ônibus. -Visão da FABUS Setor Fabricante de Ônibus

Oportunidades e dificuldades para melhoria da qualidade do Serviço do Transporte Público por Ônibus. -Visão da FABUS Setor Fabricante de Ônibus Oportunidades e dificuldades para melhoria da qualidade do Serviço do Transporte Público por Ônibus -Visão da FABUS Setor Fabricante de Ônibus Síntese da Apresentação FABUS Reflexão! Obstáculos, Desafios

Leia mais

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012.

Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 656, de 17 de dezembro de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

4.1 Especificações Técnicas de Veículos

4.1 Especificações Técnicas de Veículos Anexo_IV/08/R1 4.1 Especificações Técnicas de Veículos O objetivo deste Anexo é especificar e caracterizar tipos e modelos de veículos a serem utilizados nas modalidades operacionais do Sistema de Transporte

Leia mais

NBR 14022 Transporte - Acessibilidade à pessoa portadora de deficiência em ônibus e trólebus, para atendimento urbano e intermunicipal

NBR 14022 Transporte - Acessibilidade à pessoa portadora de deficiência em ônibus e trólebus, para atendimento urbano e intermunicipal ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas DEZ 1997 NBR 14022 Transporte - Acessibilidade à pessoa portadora de deficiência em ônibus e trólebus, para atendimento urbano e intermunicipal Sede: Rio de

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - EMBALAGENS PARA TERRESTRE DE PRODUTOS PERIGOSOS. Portarias Inmetro 326/2006, 71/2008 e 452/2008- Códigos 3378 e 3798 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012

EQUIPAMENTOS DE AQUECIMENTO SOLAR DE ÁGUA Portarias Inmetro 352/2012, 301/2012 e 164/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

SOCIEDADE CLASSIFICADORA. Programa para Vistorias de Habitabilidade e Acessibilidade de Passageiros no Sistema de Transporte Aquaviário 2014

SOCIEDADE CLASSIFICADORA. Programa para Vistorias de Habitabilidade e Acessibilidade de Passageiros no Sistema de Transporte Aquaviário 2014 Programa para Vistorias de Habitabilidade e Acessibilidade de Passageiros no Sistema de Transporte Aquaviário 2014 REGISTRO BRASILEIRO DE NAVIOS E AERONAVES 1/41 Tel 00 55 21 2178-9560 - Fax 00 55 21 2178-9561

Leia mais

CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS ÔNIBUS RURAL ESCOLAR 1. DAS DEFINIÇÕES...02 2. DOS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES... 03

CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS ÔNIBUS RURAL ESCOLAR 1. DAS DEFINIÇÕES...02 2. DOS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES... 03 CADERNO DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS ÔNIBUS RURAL ESCOLAR SUMÁRIO 1. DAS DEFINIÇÕES...02 2. DOS DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES... 03 3. DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 03 4. DAS CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS

PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS GPT/M009/10/R4 PADRONIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO VISUAL DOS VEÍCULOS DO PROGRAMA DE ACESSIBILIDADE INCLUSIVA DE CAMPINAS Este documento estabelece os padrões de comunicação visual a serem observados nos veículos

Leia mais

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14022 Quarta edição 06.01.2011 Válida a partir de 06.02.2011 Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Accessibility in vehicles

Leia mais

ABNT NBR NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros TGCNICAS

ABNT NBR NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros TGCNICAS NORMA BRASILEIRA ABNT NBR Segunda edição 16.1 0.2006 Válida a partir de 16.1 1.2006 Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Acessibility in city

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL CONMETRO

CONSELHO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL CONMETRO CONSELHO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL CONMETRO Resolução n 14/88 O CONSELHO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - CONMETRO, usando das atribuições

Leia mais

COMPLEMENTO DE REGRA DE CERTIFICAÇÃO CADEIRAS DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS

COMPLEMENTO DE REGRA DE CERTIFICAÇÃO CADEIRAS DE ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS Página 1 de 16 Elaborado por: Diego Alves de Oliveira Verificado por: Karen C. Martins Aprovado por: Maria Lucia Hayashi Data Aprovação: 02/06/2015 1 - OBJETIVO Estabelecer os requisitos para o Programa

Leia mais

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros

ABNT NBR 14022 NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14022 Terceira edição 20.02.2009 Válida a partir de 20.03.2009 Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros Accessibility in

Leia mais

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371

Portaria Inmetro 332/2012 Código 3371 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ANEXO III REQUISITOS MÍNIMOS PARA A PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS 1 1. Estrutura Física / Equipamentos de Garagens e Pátios de Estacionamento 1.1. Especificação do Padrão das Garagens e Pátios de Estacionamento

Leia mais

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012

PNEUS REFORMADOS AUTOMOTIVO e EMPRESAS DE REFORMAS DE PNEUS. Portarias Inmetro 227/2006, 272/2008, 444/2010 e 019/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469

PROCEDIMENTO PARA FISCALIZAÇÃO DE AGENTE REDUTOR LÍQUIDO DE NOx AUTOMOTIVO ARLA 32 Portaria Inmetro 139/2011 - Código: 3469 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÕES PARA A VALIDAÇÃO DE SOFTWARES E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS EM INSPEÇÃO DE SEGURANÇA VEICULAR

Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÕES PARA A VALIDAÇÃO DE SOFTWARES E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS EM INSPEÇÃO DE SEGURANÇA VEICULAR Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÕES PARA A VALIDAÇÃO DE SOFTWARES E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS EM INSPEÇÃO DE SEGURANÇA VEICULAR Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-025 Revisão 01 DEZ/2012

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO ESPECIFICAÇÕES PRELIMINARES ÔNIBUS URBANO ESCOLAR ACESSIVEL Condições Gerais Condições Gerais: os ônibus

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DISPOSITIVOS DE RETENÇÃO PARA CRIANÇAS. Portaria Inmetro 38/2007 Código 3332 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

CV 3001. Manual de Instruções. Cadeira Auto. Dispositivo de Retenção para Crianças. 20110717 manual CV3001_voyage.indd 1 30/06/11 13:24

CV 3001. Manual de Instruções. Cadeira Auto. Dispositivo de Retenção para Crianças. 20110717 manual CV3001_voyage.indd 1 30/06/11 13:24 CV 3001 Manual de Instruções Cadeira Auto Dispositivo de Retenção para Crianças 20110717 manual CV3001_voyage.indd 1 30/06/11 13:24 Apresentação Este é um dispositivo de retenção para crianças, utilizado

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre o transporte de menores de 10 anos e a utilização do dispositivo de retenção para o transporte

RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre o transporte de menores de 10 anos e a utilização do dispositivo de retenção para o transporte RESOLUÇÃO N.º 277, DE 28 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre o transporte de menores de 10 anos e a utilização do dispositivo de retenção para o transporte de crianças em veículos. regulamentação dos artigos

Leia mais

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado prover a concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia,Normalização e Qualidade Industrial - Inmetro Portaria n.º 158, de 29 de agosto de 2005. O PRESIDENTE

Leia mais

ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA

ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA ISSN 1984-9354 ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA Área temática: Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional

Leia mais

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP)

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) CÓDIGO: DC 1.3/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 9 Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) (LUIZA ERUNDINA DE SOUZA, Prefeita do Município

Leia mais

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício

ALFREDO CARLOS ORPHÃO LOBO Presidente do Inmetro em Exercício MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 31, de 22 de janeiro de 2004. O PRESIDENTE

Leia mais

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014

PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 PORTARIA Nº 592, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Altera a Norma Regulamentadora n.º 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 1.280, DE 02 SETEMBRO DE 2008 (D.O.M. 03.09.2008 N. 2037 Ano IX) DISPÕE sobre o serviço de transporte de pequenas cargas em conjunto com passageiros, denominado táxi-frete, e dá outras providências.

Leia mais

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14 INTRODUÇÃO Este material tem o objetivo de avaliar a acessibilidade mínima de estabelecimentos comerciais e de serviço ao público. Ele avalia basicamente a acessibilidade física do local e as condições

Leia mais

INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES

INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES INSPEÇÃO VEICULAR DO SISTEMA MUNICIPAL DE TRANSPORTES De acordo com a Lei 13.241/01 e o Decreto nº 43.582/03 compete ao Município de São Paulo, por intermédio da Secretaria Municipal de Transportes - SMT,

Leia mais

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO NA ÁREA DE SEGURANÇA VEICULAR

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO NA ÁREA DE SEGURANÇA VEICULAR CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO NA ÁREA DE SEGURANÇA VEICULAR NORMA Nº: NIT-DIOIS-002 APROVADA EM JUL/2011 Nº 01/13 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto:

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto: 1. Introdução A acessibilidade é um direito de todos. Promover espaços, onde todas as pessoas possam usufruir com igualdade, liberdade e autonomia, é um compromisso de cada cidadão. Esta cartilha tem o

Leia mais

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO Nome do estádio: Apelido do estádio: Endereço completo do estádio: Cidade: Estado: Site: Proprietário: E-mail: Gestor do estádio:

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR 001/2015

EDITAL COMPLEMENTAR 001/2015 EDITAL COMPLEMENTAR 001/2015 Modalidade: PREGÃO ELETRONICO Nº 021/2015 A, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 03.507.514/0001-26, com sede na Avenida Coronel Botelho, 458, Centro, CEP: 78.170-000, Nossa Senhora

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO - SEGURANÇA EM BRINQUEDOS. Portarias Inmetro 108/2005, 49/2008, 321/2009 e 377/2010 Código 3049 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira de apoio de piso para suporte de braço e aplicação de injeção. Altura regulável por mandril,base de ferro,

Leia mais

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012

COMPONENTES DE BICICLETA DE USO ADULTO Portaria Inmetro 656/2012 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade - Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997. Mensagem de veto Vide texto compilado Institui o Código de Trânsito Brasileiro. O PRESIDENTE

Leia mais

Lista de Inspeção e Registro de Não Conformidades INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO

Lista de Inspeção e Registro de Não Conformidades INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE (MEC/FNDE) CAMINHÃO FRIGORÍFICO Lista de Inspeção e Registro de Não Conformidades INSPEÇÃO DE RECEBIMENTO Procedimento Técnico - Programa Nacional de Alimentação

Leia mais

PORTARIA N º 190, DE 29 DE JUNHO DE 2009.

PORTARIA N º 190, DE 29 DE JUNHO DE 2009. PORTARIA N º 190, DE 29 DE JUNHO DE 2009. Estabelece o procedimento para a concessão do código de marca/modelo/versão de veículos do Registro Nacional de Veículos Automotores RENAVAM. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO

Leia mais

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA 1) - Normas Gerais de Circulação e Conduta: a)- Trânsito é a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação,

Leia mais

Portaria n.º 293, de 12 de junho de 2012. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para Plataforma Elevatória Veicular.

Portaria n.º 293, de 12 de junho de 2012. CONSULTA PÚBLICA. OBJETO: Regulamento Técnico da Qualidade para Plataforma Elevatória Veicular. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 293, de 12 de junho de 2012. CONSULTA

Leia mais

Índice de Aferição de Acessibilidade Física

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Área de Aproximação à porta Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há área de manobra para cadeira de rodas? (raio mínimo=de 1,20m a 1,50m) Dimensões da área frontal à porta Dimensões

Leia mais

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS Este documento tem como objetivo estabelecer as características básicas aplicáveis aos veículos produzidos para

Leia mais

APOSTILA DE INSPEÇÃO VEICULAR

APOSTILA DE INSPEÇÃO VEICULAR AUDITOR FISCAL DE ATIVIDADES URBANAS ESPECIALIDADE TRANSPORTES CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL PROFESSOR ALDROVANDO SOARES APOSTILA DE INSPEÇÃO VEICULAR 2 Brasília, 2011 1. INSPEÇÃO VEÍCULAR A inspeção

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria Inmetro/Dimel/Nº 171, de 29 de agosto de 2006.

Leia mais

MANUAL DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO ALTERNATIVO

MANUAL DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO ALTERNATIVO GPM/M003/12/R6 MANUAL DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS VEÍCULOS DO SERVIÇO ALTERNATIVO O objetivo deste documento é especificar e caracterizar tipos e modelos de veículos a serem utilizados no Serviço Alternativo

Leia mais

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Regulamenta o Art. 16 da Lei Orgânica, que diz respeito à garantia de acesso adequado aos portadores de deficiência física ou mental aos bens e serviços coletivos,

Leia mais

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior)

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior) Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há interferência das portas na faixa livre apenas nas áreas privativas da edificação Área de Aproximação à porta Há área de manobra para cadeira

Leia mais

DECRETO Nº 18.095, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012.

DECRETO Nº 18.095, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012. DECRETO Nº 18.095, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012. Regulamenta a Lei nº 11.277, de 14 de maio de 2012 que determina que os veículos de transporte coletivo do Município de Porto Alegre possuam bancos reservados

Leia mais

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311

PROCEDIMENTO DE FISCALIZAÇÃO DE EXTINTORES DE INCÊNDIO Portarias Inmetro 206/2011, 05/2011, 486/2010, 412/2011 e 500/2011 Códigos 3295 / 3310 / 3311 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria de Avaliação da Conformidade Dconf Divisão de Fiscalização

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares

NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB. Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Publicada no Diário Oficial de 26 de Janeiro de 2013. NORMA TÉCNICA Nº 005/2013 CBMPB Segurança relativa ao combate a incêndio e controle de pânico nos veículos de shows, palcos de show e similares Sumário:

Leia mais

A-001. CATÁLOGO TÉCNICO DE PEÇAS AUDACE A001 - Conjunto Caixa de Rodas e Para Pedras ITEM CÓDIGO DESCRIÇÃO OBSERVAÇÃO

A-001. CATÁLOGO TÉCNICO DE PEÇAS AUDACE A001 - Conjunto Caixa de Rodas e Para Pedras ITEM CÓDIGO DESCRIÇÃO OBSERVAÇÃO Cat ál ogotécni codepeças A001 - Conjunto Caixa de Rodas e Para Pedras 01 209-MIA00101 CHAPA PARA-PEDRAS 02 209-MIA00102 CHAPA PARA-PEDRAS 03 209-MIA00103 CHAPA PARA-PEDRAS 04 209-MIA00104 CHAPA PARA-PEDRAS

Leia mais

ANEXO I. Pará Pag.: 2 Governo Municipal de Água Azul do Norte. Preço Unit (R$) Código

ANEXO I. Pará Pag.: 2 Governo Municipal de Água Azul do Norte. Preço Unit (R$) Código Pará Pag.: 1 001835 LOCAÇÃO DE VEICULO UTILITÁRIO CAMIONETE 1.500,0000 DIA PICK-UP 4X4 Cabine Dupla, Potência Mínima de 120 CV, Direção Hidráulica, Ar-Condicionado,Bancos Reclináveis, Freio a Disco nas

Leia mais

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade 1. Conceito/objetivo do produto: O relatório destina-se a informar e orientar as condições de acesso e utilização de equipamentos e instalações

Leia mais

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997 Institui o Código de Trânsito Brasileiro. CAPÍTULO IX DOS VEÍCULOS Da Segurança dos Veículos Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre outros a

Leia mais

Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda

Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda Viaturas Eléctricas MEGA E-Worker VANTA GE NS - Fiabilidade e Qualidade - Baixa manutenção - Sem emissões poluentes - Custos de operação MUITO reduzidos GAR ANTIA

Leia mais

Como garantir uma cidade mais acessível

Como garantir uma cidade mais acessível Como garantir uma cidade mais acessível Arq. Adriana Romeiro de Almeida Prado mestre em gerontologia e especialista em acessibilidade técnica da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas Cogepp 25

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

Resolução CONAMA nº 18, de 06/05/86 - Institui em caráter nacional o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE.

Resolução CONAMA nº 18, de 06/05/86 - Institui em caráter nacional o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE. 1 OBJETIVO Estabelecer as diretrizes do Programa de Autocontrole de Emissão de Fumaça Preta por Veículos Automotores do Ciclo Diesel PROCON FUMAÇA PRETA, no qual os responsáveis pelas empresas vinculadas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 593, DE 24 DE MAIO DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº 593, DE 24 DE MAIO DE 2016. RESOLUÇÃO Nº 593, DE 24 DE MAIO DE 2016. Estabelece as especificações técnicas para a fabricação e a instalação de para-choques traseiros nos veículos de fabricação nacional ou importados das categorias

Leia mais

PROGRAMA CAMINHO DA ESCOLA

PROGRAMA CAMINHO DA ESCOLA PROGRAMA CAMINHO DA ESCOLA * Imagens ilustrativas. Documento: Procedimento Técnico. Elaboração (Entidade): Inmetro / Dqual / Dipac. Elaboração (Autor): Marcos Valério Barradas. Colaboração: FNDE / CEFTRU.

Leia mais

Aplicação lateral. Aplicação traseira. Rotativa

Aplicação lateral. Aplicação traseira. Rotativa Plataforma Bipartida Electro-hidráulica Tem como objectivo facilitar a entrada de menos-válidos que se desloquem em cadeira de rodas. Passível de ser aplicada na entrada lateral ou traseira da viatura.

Leia mais