Boletim meteorológico para a agricultura

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim meteorológico para a agricultura"

Transcrição

1 CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 49, janeiro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 12 Situação agrícola 13 Anexos RESUMO Boletim Meteorológico para a Agricultura Janeiro 2015 Produzido por Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. O mês de janeiro foi caracterizado por valores de temperatura média abaixo do valor normal ( ). Na primeira década do mês os valores médios da temperatura média do ar foram inferiores ao valor normal em quase todo o território. Nas duas últimas décadas os desvios em relação ao valor médio mantiveram-se negativos apenas nas regiões do Norte e em alguns locais do Centro, tendo sido superiores nas restantes regiões do território do Continente. O número de dias com temperatura mínima inferior a 0 C foi cerca de 1.5 a 4 vezes superior ao normal em quase todo o território do Continente. Ocorreu uma onda de frio 1 em Setúbal, Alcácer do Sal e Alvalade entre 30 de dezembro 2014 e 5 de janeiro O mês de janeiro classifica-se como seco, apresentando um valor de precipitação inferior ao valor médio (117.3 mm). O número de horas de frio (temperaturas inferiores a 7.2ºC) acumulado entre 1 de outubro de 2014 e 31 de janeiro de 2015 é superior a 500 horas nas regiões do Norte e interior Centro, sendo mesmo superior a 1000 noras na região Nordeste. 1 Considera-se que ocorre uma onda de frio (do ponto de vista climatológico) quando num intervalo de pelo menos 6 dias consecutivos, a temperatura mínima é inferior em 5 C ao valor médio diário (no período de referência ). Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 1 14

2 Situação Sinóptica Descrição meteorológica e agrometeorológica 1ª Década, de janeiro de 2015 O estado do tempo na primeira década do ano foi condicionado por uma vasta região anticiclónica sobre a Europa e que se estendia em crista sobre o Atlântico. A partir do dia 5, verificou-se um deslocamento para oeste, da referida região, passando o núcleo principal a estar localizado no Atlântico, na região dos Açores. O céu apresentou-se geralmente pouco nublado, o vento soprou fraco, tendo predominado o fluxo de quadrante leste em grande parte da década. Houve acentuado arrefecimento noturno com formação de gelo e geada. Verificou-se a ocorrência de neblinas ou nevoeiros, que persistiram, por vezes durante todo o dia, em Trás-os-Montes. Nos dias 6 e 7, para além da região transmontana, verificou-se a persistência de neblinas ou nevoeiros nas regiões da Beira Interior, Alentejo e Vale do Tejo. Registou-se uma descida acentuada da temperatura entre os dias 6 e 8, tendo-se verificado uma subida gradual da máxima a partir de dia 8. 2ª Década, de janeiro de 2015 O estado do tempo nos primeiros dois dias da década foi condicionado por uma região anticiclónica, com núcleo principal a oeste dos Açores e que se estendia em crista até à Península Ibérica. A partir de dia 13, a localização da região anticlónica no Atlântico, com núcleo principal a sudoeste dos Açores, bem como a aproximação e passagem de sucessivos sistemas frontais influenciaram as condições meteorológicas. Nos primeiros dois dias da década o céu esteve geralmente pouco nublado. A partir do dia 13, o céu apresentou-se geralmente muito nublado, ocorreram períodos de chuva ou aguaceiros, que foram por vezes fortes nos dias 15 e 18, e, sob a forma de granizo e acompanhados de trovoada no dia 16. Nas terras altas do Norte e Centro, nos últimos 6 dias da década, registou-se queda de neve tendo a cota descido para os 600m no dia 17. O vento foi em geral fraco, tendo-se tornado, a partir do dia 15, fraco a moderado predominando do quadrante norte e temporariamente do quadrante sul. A partir do dia 17, o vento soprou do quadrante norte, moderado a forte nas terras altas e litoral, tendo as rajadas sido da ordem dos 95km/h, no dia 17, na Pampilhosa da Serra e da ordem dos 90 km/h nos Cabos Carvoeiro e Roca, nos dias 18 e 19, registando-se, no dia 19, rajadas da ordem dos 130km/h no Cabo da Roca. Verificou-se a ocorrência de neblinas ou nevoeiros persistentes nos vales e em Trás-os-Montes, em especial entre os 11, 14 e no dia 17. Houve formação de geada em alguns locais, durante toda a década. Registou-se uma descida gradual da temperatura até dia 18, em especial da máxima. 3ª Década, de janeiro de 2015 O estado do tempo na terceira década de janeiro foi condicionado por um anticiclone, com núcleo principal geralmente localizado na região dos Açores. Entre os dias 24 e 28 verificou-se uma intensificação do referido anticiclone que se estendeu em crista sobre o Golfo da Biscaia. Fora deste período, a passagem de sistemas frontais e/ou massas de ar frio e instável condicionaram também o estado do tempo. Entre os dias 21 e 23, o céu apresentou períodos de muito nublado, ocorreram aguaceiros, que por vezes foram de neve em alguns locais das terras altas do Norte e Centro. O vento predominou de noroeste fraco a moderado, por vezes forte e com rajadas nas terras altas e no litoral, tendo atingido os 95 km/h no Cabo da Roca no dia 21. De 24 a 28, o céu apresentou-se geralmente pouco nublado e o vento foi em geral fraco do quadrante norte. Ocorreram neblinas ou nevoeiros que foram por vezes persistentes em Trás-os- Montes e nos vales e terras baixas do restante território. A partir de dia 29, o céu esteve geralmente muito nublado, ocorreram períodos de chuva ou aguaceiros que foram por vezes fortes, sob a forma de granizo e acompanhados de trovoada, nas regiões do Norte nos dias 30 e 31. O vento predominou do quadrante oeste tendo soprado forte e com rajadas no litoral e terras altas. Nas terras altas, as rajadas foram da ordem dos 94 km/h nas Penhas Douradas, no dia 20; dos 120 km/h, na Covilhã no dia 30 e da ordem dos 113 km/h na Pampilhosa da Serra, no dia 31. No litoral atingiram no Cabo da Roca, os 90 km/h, no dia 31. Relativamente à temperatura do ar, registou-se, em geral, uma descida gradual dos valores da máxima a partir de dia 24 e até ao fim da década e uma subida acentuada da mínima entre os dias 28 e 30, seguida por uma descida acentuada deste parâmetro no último dia da década. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 2 14

3 1. Descrição Meteorológica 1.1 Temperatura Os valores médios da temperatura média do ar na 1ª década de janeiro foram inferiores ao valor normal em quase todo o território. Na 2ª e 3ª década os valores de temperatura média mantiveram-se inferiores ao valor normal apenas nas regiões do Norte e em alguns locais do Centro, tendo sido superiores nas restantes regiões do território do Continente (Quadro I e Figura 1). Quadro I - Temperatura média do ar e respetivas anomalias nas 3 décadas do mês de janeiro de 2015 ( C) Valores da temperatura média do ar e respetivas anomalias ( C ) Estações 1ª Dec 2ª Dec 3ª Dec Tmed Anomalia Tmed Anomalia Tmed Anomalia Bragança Vila Real Coimbra Castelo Branco Santarém Lisboa Viana do Alentejo Beja Faro ªd. 2ªd. 3ªd. Figura 1 - Distribuição espacial da temperatura média do ar nas 1ª, 2ª e 3ª décadas de janeiro de Precipitação acumulada Na Figura 2 apresentam-se os valores da quantidade de precipitação mensal e acumulada no ano hidrológico 2014/15, assim como o valor acumulado da normal nas regiões agrícolas do Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 3 14

4 Figura 2 - Precipitação mensal e acumulada no ano hidrológico 2014/15 e média da quantidade de precipitação mensal acumulada ( ) em algumas estações meteorológicas e mapa com a percentagem da precipitação acumulada no ano hidrológico em Portugal Continental Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 4 14

5 1.3 Temperatura e Precipitação a Norte e a Sul do Tejo Apresentam-se os valores médios decendiais da temperatura e da precipitação a Norte e a Sul do rio Tejo e respetivos desvios em relação a para o mês de janeiro de 2015 (Quadro II). Quadro II - Temperatura e Precipitação a Norte e a Sul do Tejo janeiro de Informação Agrometeorológica 2.1 Temperatura acumulada 2 /Avanço-Atraso das Culturas Na Figura 3 apresentam-se para alguns locais das regiões Norte, Centro, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve (de acordo com as regiões agrícolas) os valores da temperatura acumulada desde o início do ano hidrológico (1 de outubro de 2014) considerando a temperatura base de 0 C e desde 1 de janeiro de 2015 para a temperatura base de 6 C. 2 Método das temperaturas acumuladas (Ta)/graus-dia: permite analisar o efeito da temperatura na fenologia das plantas. Admitindo que a temperatura base (Tb) é aquela a partir da qual determinada espécie se desenvolve, num período de n dias a Ta é o somatório das diferenças entre a temperatura média diária e a Tb. Sempre que a temperatura média diária for inferior à Tb, a Ta considera-se nula. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 5 14

6 Figura 3 Temperaturas acumuladas calculadas para a temperatura base de 0 C para o ano hidrológico (outubro de 2014 a setembro de 2015) e para a temperatura base de 6 C no ano civil (janeiro a dezembro de 2015). Comparação com valores normais Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 6 14

7 No Quadro III apresentam-se os valores da temperatura acumulada e o número de dias potencial do avanço e atraso das culturas no mês de janeiro de 2015, para algumas localidades do Continente, para temperaturas base de 0, 4, 6 e 10 C. Quadro III - Temperaturas acumuladas (graus-dia) e número de dias potencial do avanço e atraso das culturas no mês de janeiro de 2015 para diferentes temperaturas base Temperaturas acumuladas Estações T0 ºC Nº dias avanço atraso T4 ºC Nº dias avanço atraso T6 ºC Nº dias avanço atraso T10 ºC Bragança Vila Real Nº dias avanço atraso Porto Viseu/C.C Coimbra Castelo Branco Portalegre Lisboa/I.G Évora Beja Faro Temperatura acumulada da Vinha Na Figura 4 apresenta-se a distribuição espacial da temperatura acumulada para a vinha entre 01 e 31 de janeiro de 2015, para Portugal Continental e no Quadro III apresentam-se os valores da temperatura acumulada no mesmo período para as regiões vitivinícolas, estimados a partir de análises do modelo numérico ALADIN. Figura 4 - Temperaturas acumuladas entre 01 e 31 de janeiro de 2015 para uma temperatura base de 3.5ºC, estimadas a partir de análises do modelo numérico ALADIN Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 7 14

8 Quadro III - Temperaturas acumuladas entre 01 e 31 de janeiro de 2015 para a temperatura base de 3.5ºC na vinha Regiões Vitivinícolas T acumuladas (ºC) desde 01 de janeiro 2015 Tb = 3.5ºC Média Mínimo Máximo Valor na Sede distrito Algarve Faro 262 Península Setúbal Setúbal 202 Lisboa Lisboa Leiria 147 Tejo Santarém 180 Alentejo Beiras Minho Portalegre Évora 150 Beja 170 Viseu Aveiro Guarda - 49 Coimbra Castelo Branco 145 Viana do Castelo Braga 113 Douro Porto 139* Vila Real 63 Pinhão 7 Trás-os-Montes Bragança - 37 * Inclui-se o valor da sede do distrito do Porto apesar de não pertencer à região vitivinícola Douro e Porto 2.2 Número de horas de frio Na Figura 5 apresenta-se o número de horas de frio (temperaturas inferiores a 7.2ºC) acumulado desde 1 de outubro de 2014 e estimado a partir de análises do modelo numérico ALADIN 3. Verifica-se que o número de horas de frio acumulado é superior a 500 horas nas regiões do Norte e interior Centro, sendo mesmo superior a 1000 horas na região Nordeste. No quadro IV apresentam-se os valores do número de horas de frio acumulado entre 1 de outubro e 31 de janeiro de 2015 nas sedes de distrito de Portugal Continental, com o valor mais elevado na Guarda (1522 horas). No quadro V apresentam-se as horas de frio para a pera rocha, estimado para os concelhos da região oeste, os 8 maiores valores médios do número de horas de frio, assim como os respetivos valores máximos e mínimos e na sede de concelho. 3 Modelo de previsão numérica, de área limitada, desenvolvido e aplicado no âmbito do consórcio europeu ALADIN Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 8 14

9 Quadro IV - Número de horas de frio entre 01 de outubro 2014 e 31 de janeiro de 2015 Distrito Valor sede distrito V. Castelo 533 Bragança 1368 Vila Real 1155 Braga 889 Porto/P.R 737 Viseu 1003 Aveiro 603 Guarda 1522 Coimbra 720 C. Branco 716 Leiria 680 Portalegre 903 Santarém/F.B 551 Lisboa/I.G. 136 Setúbal 463 Évora 740 Beja 624 Faro 157 Figura 5 - Número de horas de frio acumulado entre 01 de outubro 2014 e 31 de janeiro 2015 em Portugal Continental (análises do modelo Aladin). Quadro V - Número de horas de frio entre 01 de outubro 2014 e 31 de janeiro de 2015 na região Oeste (análises do modelo numérico Aladin) Estações Média do Concelho Mínimo no Concelho Máximo no Concelho Sede de Concelho Porto de Mós Batalha Leiria Alcobaça Santarém Rio Maior Cartaxo Marinha Grande Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. 9 14

10 2.3 Evapotranspiração de referência (ET0) Na Figura 6 apresenta-se a distribuição espacial, por décadas, dos valores de evapotranspiração de referência (ET 0, Penman-Monteith) em janeiro de 2015, estimada com base em análises do modelo numérico ALADIN, e segundo o método da FAO. Apresenta-se também a distribuição espacial da evapotranspiração de referência (ET 0, Penman-Monteith) acumulada entre 1 de outubro 2014 e 31 de janeiro de 2015 (ano hidrológico). 1ªd. 2ªd. 3ªd. Figura 6 Evapotranspiração de referência nas 1ª, 2ª e 3ª décadas de janeiro de 2015 e evapotranspiração de referência acumulada de 1 de outubro 2014 a 31 de janeiro de Balanço hídrico climatológico Na Figura 7 apresenta-se a evolução decendial, durante o ano de 2015, do défice e excesso de água. Este procedimento segue a metodologia adotada por Thornthwaite & Mather (1955). Consideraram-se os valores de capacidade máxima de água disponível no solo, para os diferentes tipos de solo, propostos pela FAO. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

11 Figura 7 Balanço hídrico climatológico decendial em Água no solo Na Figura 8 apresentam-se os valores em percentagem de água no solo, em relação à capacidade de água utilizável pelas plantas, no final de janeiro de Em relação a 31 de dezembro de 2014, verificou-se uma diminuição da percentagem de água no solo em todo o território do Continente. Os valores estavam abaixo dos valores normais para esta época do ano. Figura 8 - Percentagem de água no solo a 31 de janeiro de 2015 Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

12 Previsão 2.6 Previsão de precipitação para 5 dias Para os próximos 5 dias prevê-se a ocorrência de precipitação inferior ao normal em todo o território do Continente. Figura 9 Previsão da precipitação total acumulada do ECMWF (período: de 13/02/2015 a 17/02/2015) 2.7 Previsão mensal 4 Período de 16/02 a 15/03 de 2015: Na precipitação total semanal prevêem-se valores abaixo do normal, para todo o território, nas semanas de 16/02 a 22/02 e de 02/02 a 08/03 e apenas para as regiões norte e centro na semana de 23/02 a 01/03. Na semana de 09/03 a 15/03 não é possível identificar a existência de sinal estatisticamente significativo. Na temperatura média semanal prevêem-se valores abaixo do normal, em todo o território, para as quatro semanas abrangidas pela previsão, entre 16/02 e 15/ Situação agrícola (Fonte: INE) As previsões agrícolas, em 31 de dezembro, apontam para uma campanha de cereais de outono/inverno a decorrer sem grandes incidentes, apesar dos atrasos provocados pela instabilidade meteorológica registada no início do outono, não se prevendo alterações significativas da superfície semeada face ao ano anterior. Relativamente à produção de azeitona, os lagares encontram-se em plena laboração, confirmando-se a diminuição prevista de 25% face à campanha anterior, sendo o azeite produzido de menor qualidade, devido às más condições sanitárias da matéria-prima (muito afetada por ataques de mosca da azeitona e gafa). 4 Previsão com base no modelo do Centro Europeu de Previsão do Tempo a Médio Prazo (ECMWF) Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

13 Anexo I - Valores de alguns elementos meteorológicos em janeiro de 2015 por década (1ª, 2ª e 3ª) Estação Tmin (ºC) Tmáx (ºC) Prec (mm) HR (%) V (Km/h) ( a 10m) Década 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª V. Castelo Bragança Vila Real Braga Porto/P.R Viseu Aveiro Guarda Coimbra C. Branco Leiria Portalegre Santarém/F.B Lisboa/I.G Setúbal Évora Beja Faro No Anexo I apresentam-se os valores médios decendiais da temperatura mínima (Tmin), temperatura máxima (Tmax), humidade relativa às 09UTC (HR) a 1.5 m, os valores totais decendiais da precipitação (Prec) e o vento médio diário (V) a 10 m. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

14 Anexo II - Valores de alguns elementos agrometeorológicos em janeiro de 2015 por década (1ª, 2ª e 3ª) Estação Trelva (ºC) Tsolo 5cm(ºC) Tsolo 10cm(ºC) ET0 (mm) Água Solo (%) Acumulado Década 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 1ª 2ª 3ª 31 janeiro V. Castelo Bragança Vila Real Braga Porto/P.R Viseu Aveiro Guarda Coimbra C. Branco Leiria Portalegre Santarém/F.B Lisboa/I.G Setúbal Évora Beja Faro No Anexo II apresentam-se os valores decendiais da temperatura da relva (Trelva), temperatura do solo a 5 e a 10cm de profundidade (Tsolo), da evapotranspiração de referência (ET0 das 00UTC às 24UTC) estimada com base em análises do modelo numérico ALADIN e segundo o método da FAO para as 3 décadas do mês e o valor acumulado no ano hidrológico em curso (com início a 1 de outubro e fim a 30 de setembro), e percentagem de água no solo, em relação à capacidade de água utilizável pelas plantas. Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Março de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 5 6 Figura 1 Desvios

Leia mais

Boletim climatológico mensal dezembro 2012

Boletim climatológico mensal dezembro 2012 Boletim climatológico mensal dezembro 2012 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 06 Caracterização Climática Mensal 06 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Insolação

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Novembro de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Monitorização da Seca Radiação Tabela Resumo mensal

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Fevereiro de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Neve Tabela Resumo mensal 2 3 5 8 8 9 http://www.ipma.pt

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental SETEMBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 9 10 Instituto

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Março de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Índice NAO Tabela Resumo mensal 2 2 4 9 10 11

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Junho de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 2 2 8 10 11 Instituto Português

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Janeiro de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 7 8 Instituto Português

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Maio de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 2 5 7 8 Instituto Português

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Janeiro de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Vento Tabela Resumo mensal 2 3 4 6 7 8 http://www.ipma.pt Figura

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 61, janeiro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 13 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura Nº 52, abril 2015 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

Boletim climatológico mensal novembro 2011

Boletim climatológico mensal novembro 2011 Boletim climatológico mensal novembro 2011 CONTEÚDOS 14:50 UTC 14:55 UTC 15:00 UTC 15:05 UTC 15:10 UTC 15:15 UTC IM,I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática

Leia mais

Boletim climatológico mensal maio 2012

Boletim climatológico mensal maio 2012 Boletim climatológico mensal maio 2012 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Insolação

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 63, março 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 53, maio 2015 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 55, julho 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 64, abril 2016 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Boletim Climatológico Anual - Ano 2010

Boletim Climatológico Anual - Ano 2010 Boletim Climatológico Anual - Ano 2010 CONTEÚDOS IM 01 Resumo Anual 05 Caracterização Climática Anual 05 Temperatura do Ar 08 Precipitação 11 Factos e Fenómenos Relevantes Figura 1 RESUMO ANUAL Ano 2010

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 59, novembro 2015 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Apoio Meteorológico Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais

Apoio Meteorológico Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, IPMA Apoio Meteorológico Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais RELATÓRIO MENSAL JUNHO 2013 Caracterização Meteorológica e Climatológica Índices de Risco

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº 77, maio 2017 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica

Leia mais

Boletim Meteorológico para a Agricultura

Boletim Meteorológico para a Agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRECTOR: Dr. Adérito Vicente Serrão Boletim Meteorológico para a Agricultura Nº1, Janeiro 2011 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 02 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 67, julho 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim climatológico mensal fevereiro 2012

Boletim climatológico mensal fevereiro 2012 Boletim climatológico mensal fevereiro 2012 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 06 Caracterização Climática Mensal 06 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Insolação

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 66, junho 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 56, agosto 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 60, dezembro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 58, outubro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 08 Previsão 09 Situação agrícola

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2013

Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2013 Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2013 CONTEÚDOS 23 de setembro 1923, atribuição ao observatório da Horta do nome de Príncipe Alberto de Mónaco. 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura BOLETIM METEOROLÓGICO PARA A AGRICULTURA Boletim meteorológico para a agricultura Nº43, julho 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica 10 Previsão 10

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 68, agosto 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 79, julho 2017 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 10 Previsão 11 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº27, março 2013 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº40, abril 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº38, fevereiro 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 71, novembro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 11 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº28, abril 2013 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Dr. Adérito Vicente Serrão Boletim meteorológico para a agricultura Nº9, setembro 2011 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

PROGNÓSTICO DE VERÃO

PROGNÓSTICO DE VERÃO 1 PROGNÓSTICO DE VERÃO (Janeiro, Fevereiro e Março de 2002). O Verão terá início oficial às 17h21min (horário de verão) do dia 21 de dezembro de 2001 e estender-se-á até às 16h15min do dia 20 de março

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Nº 70, outubro 2016 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 08 Previsão 09 Situação agrícola

Leia mais

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍ ÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura ISSN 2182-0597 Publicação Mensal DIRETOR: Jorge Miguel Miranda Boletim meteorológico para a agricultura Nº37, janeiro 2014 CONTEÚDOS IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Descrição Meteorológica 03 Descrição Agrometeorológica

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010 Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010 CONTEÚDOS Observatório José Agostinho 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 03 Caracterização Climática Mensal 03 Precipitação total 04

Leia mais

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002).

PROGNÓSTICO CLIMÁTICO. (Fevereiro, Março e Abril de 2002). 1 PROGNÓSTICO CLIMÁTICO (Fevereiro, Março e Abril de 2002). O Instituto Nacional de Meteorologia, órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base nas informações de análise e prognósticos

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014

Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014 Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014 CONTEÚDOS Detalhe do posto meteorológico de Angra do Heroísmo, instalado na Igreja do Colégio (c. 1927). 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Dezembro de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 5 7 8 Instituto

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO Dezembro 2016

BOLETIM CLIMATOLÓGICO Dezembro 2016 ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Dezembro 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 6 Monitorização da Seca 8 Tabela Resumo Mensal 10 Instituto Português

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO

BOLETIM CLIMATOLÓGICO ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Janeiro 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 6 Monitorização da Seca 8 Radiação 9 Tabela Resumo Mensal 10 Instituto

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). 1 PROGNÓSTICO TRIMESTRAL (Setembro Outubro e Novembro de- 2003). O prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento,

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

Leia mais

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003).

PROGNÓSTICO TRIMESTRAL Agosto-Setembro-Outubro de 2003. Prognóstico Trimestral (Agosto-Setembro-Outubro de 2003). 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Endereço: Eixo Monumental VIA S1 Telefone: + 55 61 344.3333/ Fax:+ 55 61 344.0700 BRASÍLIA / DF - CEP:

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO Novembro 2016

BOLETIM CLIMATOLÓGICO Novembro 2016 ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Novembro 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 5 Monitorização 6 da Seca Tabela Resumo 8 Mensal Instituto Português

Leia mais

INMET/CPTEC-INPE INFOCLIMA, Ano 13, Número 07 INFOCLIMA. BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 13 13 de julho de 2006 Número 07

INMET/CPTEC-INPE INFOCLIMA, Ano 13, Número 07 INFOCLIMA. BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 13 13 de julho de 2006 Número 07 INFOCLIMA BOLETIM DE INFORMAÇÕES CLIMÁTICAS Ano 13 13 de julho de 2006 Número 07 PERMANECE A TENDÊNCIA DE CHUVAS ABAIXO DA MÉDIA NA REGIÃO SUL SUMÁRIO EXECUTIVO A primeira semana da estação de inverno,

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental DEZEMBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 5 7 8 Figura 1 Variabilidade

Leia mais

Boletim Climatológico Sazonal - outono 2012

Boletim Climatológico Sazonal - outono 2012 Boletim Climatológico Sazonal - outono 2012 CONTEÚDOS IPMA 01 Resumo Sazonal 04 Resumo das condições meteorológicas 06 Caracterização Climática Sazonal 06 Temperatura do Ar 09 Precipitação 10 Fenómenos

Leia mais

Outubro Portugal Continental

Outubro Portugal Continental ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Outubro 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 5 Monitorização 6 da Seca Tabela Resumo 8 Mensal Instituto Português

Leia mais

CLÁSSICA NACIONAL BARCELONA

CLÁSSICA NACIONAL BARCELONA CLÁSSICA NACIONAL BARCELONA A Federação Portuguesa de Columbofilia realizou a prova clássica nacional de Barcelona / Igualdada, no dia 29 de Junho de 2012. Os pombos percorreram distâncias situadas entre

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA Instituto Nacional de Meteorologia INMET Coordenação Geral de Agrometeorologia 1 PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2003 TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. A primavera começa neste ano às 07:47h do dia 23 de setembro e vai até 05:04h (horário de Verão) de Brasília, do dia

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO

BOLETIM CLIMATOLÓGICO ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Março 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 4 Monitorização da Seca 6 Radiação 7 Tabela Resumo Mensal 8 Instituto

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Abril de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 2 4 6 7 Figura 1 Precipitação

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011

Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011 Boletim Climatológico Mensal Janeiro 2011 CONTEÚDOS IM, I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 06 Precipitação Total 08 Outros

Leia mais

Fevereiro Portugal Continental ISSN

Fevereiro Portugal Continental ISSN ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Fevereiro 2017 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 3 Precipitação 5 Vento forte 7 Precipitação intensa 8 Monitorização da Seca 9 Tabela

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental FEVEREIRO de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 6 7 8 Instituto

Leia mais

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Ministério da Educação Portaria n.º 1298/03 de de Novembro A unificação

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Geografia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 719/2.ª Fase 16 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 -

EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 - EMPRESAS DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - ANO DE 2010 - FICHA TÉCNICA Título: Empresas de Mediação Imobiliária Análise Económico-Financeira Ano de 2010 Autoria: Henrique Graça Fernanda

Leia mais

01 DE JANEIRO A 15 DE SETEMBRO

01 DE JANEIRO A 15 DE SETEMBRO NÚMERO 07/2014 DATA 16/09/2014 TÍTULO RELATÓRIO PROVISÓRIO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS - 2014 01 DE JANEIRO A 15 DE SETEMBRO RELATÓRIO PROVISÓRIO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS 2014 01 DE JANEIRO A 15 DE SETEMBRO

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014 Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014 CONTEÚDOS Observatório Magnético e Sismológico de S. Miguel (c. 1944). 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal

Leia mais

Março Portugal Continental ISSN

Março Portugal Continental ISSN ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Março Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 3 Precipitação 5 Monitorização da Seca 7 Tabela Resumo Mensal 9 Instituto Português do Mar

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental JANEIRO de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Análise da Pressão Tabela Resumo mensal 1 2

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO AGOSTO 2017

BOLETIM CLIMATOLÓGICO AGOSTO 2017 ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO AGOSTO 2017 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 3 Precipitação 7 Monitorização da Seca 8 Tabela Resumo Mensal 10 Figura 1 - Anomalias

Leia mais

Abril Portugal Continental ISSN

Abril Portugal Continental ISSN ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Abril 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 4 Monitorização da Seca 5 Radiação 6 Tabela Resumo Mensal 7 Instituto

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental NOVEMBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 4 7 8 Figura 1 Variabilidade

Leia mais

BOLETIM CLIMATOLÓGICO

BOLETIM CLIMATOLÓGICO ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Fevereiro 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 6 Monitorização da Seca 8 Radiação 9 Tabela Resumo Mensal 10 Instituto

Leia mais

Construção continua em queda

Construção continua em queda Construção: Obras licenciadas e concluídas 2º Trimestre de 2012 - Dados preliminares 13 de setembro de 2012 Construção continua em queda O licenciamento de obras acentuou a sua trajetória descendente,

Leia mais

Características Climáticas da Primavera

Características Climáticas da Primavera Previsão Climática para a Primavera/2013 Data da Previsão: 16/09/2013 Duração da Primavera: 22/09/2013(17h44min) a 21/12/2013 (14h11min*) *Não acompanha o horário de verão Características Climáticas da

Leia mais

O MEIO AMBIENTE CLIMA E FORMAÇÕES VEGETAIS

O MEIO AMBIENTE CLIMA E FORMAÇÕES VEGETAIS 2011/2012 Geografia 7º Ano de escolaridade O MEIO AMBIENTE CLIMA E FORMAÇÕES VEGETAIS Estado do tempo e clima Elementos e fatores do clima A ATMOSFERA: Invólucro gasoso (camada de ar) que envolve a Terra;

Leia mais

Boletim Climatológico Sazonal - outono 2011

Boletim Climatológico Sazonal - outono 2011 Boletim Climatológico Sazonal - outono 2011 CONTEÚDOS IM 01 Resumo Sazonal 04 Resumo das condições meteorológicas 06 Caracterização Climática Sazonal 06 Temperatura do Ar 09 Precipitação Total 11 Fenómenos

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Junho de 2015 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 2 6 8 9 Instituto Português

Leia mais

Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense. Cluster dos vinhos da Região do Douro

Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense. Cluster dos vinhos da Região do Douro 3/4/2 ADVID Associação para o Desenvolvimento da Viticultura Duriense Cluster dos vinhos da Evolução do ciclo vegetativo - Abrolhamento Branca Teixeira Maria do Carmo Val Cristina Carlos Fernando Alves

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Maio de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 2 2 5 7 8 Instituto Português

Leia mais

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Síntese A taxa de ocupação-quarto registada no país, em 2012, foi de 51,5%, com os residentes

Leia mais

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios)

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Dia Mundial da Tuberculose 24 de março de 2013 Índice Introdução... 3 Metodologia...

Leia mais

Prova Escrita de Geografia A

Prova Escrita de Geografia A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Geografia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 719/Época Especial 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Versão integral disponível em digitalis.uc.pt

Versão integral disponível em digitalis.uc.pt 124 Iiivista da Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra Ny 1 ba,, isto ó, dos quadrados dos quartos constituintes de cada locus da Tabela XV que serviu para o cálculo do coeficiente de contingência.

Leia mais

Camadas da atmosfera da Terra

Camadas da atmosfera da Terra Camadas da atmosfera da Terra A Camada de Ozônio Nuvens: formação e tipos Formação de nuvens Formação por convecção Nuvem de tempestade na Praça Panamericana - São Paulo-SP. Levantamento devido

Leia mais

PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001. TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro.

PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001. TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. 1 PROGNÓSTICO DE ESTAÇÃO PARA A PRIMAVERA DE 2001 TRIMESTRE Outubro-Novembro-Dezembro. A Primavera começa este ano às 22h04min (hora de Brasília), no dia 22 de setembro e termina às 17h20min (horário de

Leia mais

VERSÃO 1. Prova Escrita de Geografia A. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 719/2.ª Fase EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

VERSÃO 1. Prova Escrita de Geografia A. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 719/2.ª Fase EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Geografia A 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 719/2.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental Abril de 2013 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 2 2 5 7 8 Instituto Português

Leia mais

Boletim Climatológico Sazonal - Verão 2010

Boletim Climatológico Sazonal - Verão 2010 Boletim Climatológico Sazonal - Verão 2010 CONTEÚDOS DESTAQUES VERÃO 2010 3 Ondas de calor: 2 em Julho e 1 em Agosto Julho com o maior valor da temperatura máxima do ar, desde 1931 e o mais seco dos últimos

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008

Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008 Boletim Climatológico Mensal Agosto 2008 CONTEÚDOS IM 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Outros elementos

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal

Boletim Climatológico Mensal ISSN 2183-1076 Boletim Climatológico Mensal Portugal Continental OUTUBRO de 2014 CONTEÚDOS Resumo Situação Sinóptica Temperatura do Ar Precipitação Radiação Tabela Resumo mensal 1 2 3 7 10 11 Figura 1

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E.

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospital Central de Faro - E.P.E. Instituto Português Oncologia de Lisboa Hospital Central do Funchal Hospital Central do Funchal Preferencial Hospital Curry

Leia mais

Julho Portugal Continental ISSN

Julho Portugal Continental ISSN ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Julho 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 9 Monitorização da Seca 11 Radiação 11 Tabela Resumo Mensal 12 Instituto

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Dezembro 2009

Boletim Climatológico Mensal Dezembro 2009 Boletim Climatológico Mensal Dezembro 2009 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo Mensal 05 Resumo das Condições Meteorológicas 06 Caracterização Climática Mensal 06 Temperatura do Ar 07 Precipitação Total 09 Outros

Leia mais

Boletim climatológico mensal Junho 2011

Boletim climatológico mensal Junho 2011 Boletim climatológico mensal Junho 2011 CONTEÚDOS IM,I.P. 01 Resumo Mensal 04 Resumo das Condições Meteorológicas 05 Caracterização Climática Mensal 05 Temperatura do Ar 06 Precipitação Total 08 Insolação

Leia mais

Climatológico Sazonal. Boletim Climatológico Sazonal Primavera de 2017

Climatológico Sazonal. Boletim Climatológico Sazonal Primavera de 2017 ISSN 2183-1084 Boletim Climatológico Sazonal Primavera 2017 Resumo A primavera (março, abril e maio) em Portugal Continental foi muito quente e muito seca (Figura 1). Foi a 3ª primavera mais quente desde

Leia mais

Junho Portugal Continental ISSN

Junho Portugal Continental ISSN ISSN 2183-1076 BOLETIM CLIMATOLÓGICO Junho 2016 Portugal Continental Resumo 1 Situação Sinóptica 2 Temperatura do Ar 2 Precipitação 4 Monitorização da Seca 7 Radiação 8 Tabela Resumo Mensal 9 Instituto

Leia mais