AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB."

Transcrição

1 ADPF 186 AÇÃO PROPOSTA PELO PARTIDO DEMOCRATAS ENCAMPANHANDO A TESE DE MESTRADO DA DRA. ROBERTA KAUFFMAN PROCURADORA DO DF E MESTRE PELA UNB. O QUÊ PEDEM OS DEMOCRATAS A ação movida pelo Democratas impugna os atos normativos acerca do sistema de cotas para afrodescendentes instituído pela UNB, especificamente a Ata da Reunião Extraordinária do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão -CEPE, datada de ; Resolução nº 38, de do CEPE; e o Edital do 2º Vestibular de Estes atos estão sendo inquinados de violadores do princípio republicano, princípio da igualdade e seus consectários, ao direito universal à educação, à autonomia universitária e ao princípio meritocrático. Os Democratas entendem que o sistema de cotas raciais implantado pela UNB há mais de 5 anos não terá a eficácia desejada pois na sociedade brasileira não é o racismo mas a pobreza que impede que os negros tenham acesso às universidade públicas. Entende que copiar modelo de ações afirmativas adotado em outros países é se furtar à analise efetiva da origem dos problemas raciais. No Brasil, a eficácia de assimilação de programas formulados por outros países seria, quando muito, relativa, e poderia originar medidas apenas simbólicas no sentido de passar uma imagem do Estado preocupado com o politicamente correto. Acatar pacificamente propostas de ações afirmativas, criadas a partir de experiências totalmente distintas, para resolução dos nossos problemas, poderia trazer consequências desastrosas, acirrando os conflitos raciais ao invés de combatê-los. Acusam a UNB de que para concretização das cotas raciais está promovendo verdadeiro massacre ao princípio da igualdade e da dignidade da pessoa humana, na medida em que institucionalizou um tribunal racial para definir quem é negro no Brasil, supostamente ressuscitando os ideais nazistas, hitlerianos, de que é possível decidir, objetivamente, a que raça a pessoa pertence. Defendem teses científicas/biológicas de que não existem raças porque geneticamente todos são iguais, e que não se pode falar em racismo no Brasil porque a democracia racial ou a

2 miscigenação da população brasileira tirou de nós a identificação racial, sendo praticamente impossível identificar quem seriam os beneficiários de um política inclusivista. Asseveram que os defensores dos programas afirmativos racialistas procuram justificar a opção por tais medidas a partir, basicamente, da teoria da Justiça Compensatória, e vocifera que não se pode responsabilizar os brancos descendentes de pessoas que no passado remoto praticaram a escravidão. Alardeiam que o sistema de cotas trará uma tamanha insurgência civil, tal como ocorreu em Ruanda, e que o modelo adotado nos Estados Unidos não pode ser simplesmente copiado porque a realidade racista da nação americana em nada se assemelha à democracia racial, harmônica e suave que reina no Brasil. Argumentam que as assertivas categóricas de que o Brasil se constitui um país racista tomado apenas em dados estatísticos devem ser analisados com cautela porque os dados tendem a ser manipulados. A sub-representatividade dos negros brasileiros está diretamente relacionada às profissões nas quais se faz necessário um maior investimento financeiro, seja pelo alto valor das mensalidades cobradas em tais cursos pelas universidades particulares, seja pelos gastos com o material utilizado na profissão. Mas que há maior representatividade dos negros nos cursos mais teóricos, em que os alunos não precisam de equipamentos sofisticados além dos livros, exceto no curso de Direito, cuja concorrência muito alta, nas universidades públicas, termina por afastar a população menos preparada. Os Democratas afirmam que até a instituição do tribunal racial na UNB nunca houvera qualquer tentativa de limitar o acesso das pessoas a determinadas atividades por causa da raça, ou de classificar a raça das pessoas a partir de critérios objetivos preestabelecidos. E que mesmo nas pesquisas censitárias sempre se adotou o sistema de autoclassificação, e em algum momento, identificaram-se 135 cores no país, o que demonstraria que o brasileiro não possui consciência exata a que cor pertence, o que seria produto de um Estado nãoracializado.

3 Como não seria possível determinar quem é efetivamente negro no Brasil, utilizar critérios objetivos para determinar a ancestralidade genômica implicaria custos seriíssimo que não poderiam ser ignorados. Os Democratas defendem que o mito da democracia racial no Brasil serve, ao menos, para fixar a expectativa de conduta a ser seguida pelo homem médio que compõe a sociedade. Gera nas pessoas a expectativa ainda que não corresponda totalmente à realidade de que não há preconceito racial, de modo que qualquer conduta desviante desse padrão passa a ser observada com desprezo e antipatia. Segundo o Partido, o mito, então funciona como um desejo da sociedade de que venha a ser concretizado, e não simplesmente como uma mentira. Mais ainda. Insistem que atribuir toda a culpa das desigualdades sociais sofridas pelo negro ao preconceito e à discriminação é uma redução simplista do problema. Apesar de existentes, o preconceito e a discriminação no País não serviram para impedir a formação de uma sociedade plural, diversa e miscigenada, na qual os valores nacionais em grande parte se identificam com os valores da comunidade negra, sobretudo, não serviram de impedimento para que muitos pardos e pretos conseguissem alcançar postos de destaques nos mais amplos espectros sociais, como na política, na magistratura, na universidade, nos esportes e nas artes. Para os Democratas, o problema da relativa falta de integração do negro às camadas sociais mais elevadas pode ser resolvido no Brasil sem que desperte manifestações de ódio racial extremado ou violento. Isso somente se torna possível porque, no âmbito social, a nossa comunidade foi capaz de se desenvolver a partir da interpenetração das culturas das mais diversas e, na esfera biológica, houve uma forte miscigenação entre as raças. Coroa este pensamento com a assertiva de que no Brasil, muitas vezes a ascendência africana pode ser suavizada, outras vezes esquecida, seja por questões econômicas negro rico vira branco e pobre branco vira negro seja pelo fenótipo apresentado a chamada válvula de escape do mulato. Ao analisar as cotas raciais instituída pela UNB sob a ótica do princípio da proporcionalidade, os Democratas concluem que há ofensa ao subprincípio da adequação,

4 no que concerne à utilização da raça como critério diferenciador de direitos entre os indivíduos, posto ser a pobreza a grande mazela a dificultar o acesso dos negros às universidades. Os Democratas entendem que as ações afirmativas, consubstanciadas neste momento nas cotas raciais, revelam a institucionalização do racismo contra os negros e também contra os brancos, além de ensejarem a discriminação e a ofensa à dignidade da pessoa humana, tendo em vista que nos anos anteriores o vestibulando cotista tinha que ser fotografado no ato da inscrição do vestibular. Os Democratas defendem que as cotas raciais seriam inconstitucionais porque excessivas, uma vez que a imposição de um modelo assistencialista, que objetivasse integrar os pobres de todas as cores, seria menos lesivo aos direitos fundamentais e terminariam por atingir também a finalidade pretendida, sem gerar a racialização do País, já que 70% dos pobres são negros. Requer a concessão de medida liminar para: a) suspender a realização do registro (matrícula) dos alunos aprovados mediante o sistema universal e o sistema de cotas para negros na Universidade de Brasília, que aconteceu nos dias 23 e 24 de julho de 2009; b) estabelecer que o CESPE divulgue nova listagem de aprovados, considerando todos os candidatos como se inscritos no sistema universal de ingresso; c) ordenar que o CESPE/UNB abstenha-se de publicar quaisquer editais para selecionar e/ou classificar candidatos para ingresso na Universidade com acesso diferenciado baseado na raça e determinar que se abstenha de praticar qualquer ato institucional racializado para tentar identificar quem é negro dentre os candidatos; e d) assentar que os juízes e Tribunais de todo o país suspendam imediatamente todos os processos que envolvam, aplicação do tema cotas raciais para o ingresso em Universidades, até o julgamento definitivo da presente ação, ficando impedidos de proferir qualquer nova decisão que garanta acesso privilegiado de candidato negro em universidades em decorrência de raça. OS SENHORES SABEM QUE O MINISTRO GILMAR NÃO CONCEDEU A LIMINAR PORQUE ENTENDEU QUE: EMBORA A IMPORTÂNCIA DOS TEMAS EM DEBATE MEREÇA A APRECIAÇÃO CÉLERE DESTA SUPREMA CORTE, NESTE MOMENTO NÃO HÁ URGÊNCIA A JUSTIFICAR A CONCESSÃO DA MEDIDA LIMINAR.

5 O SISTEMA DE COTAS RACIAIS DA UNB TEM SIDO ADOTADO DESDE O VESTIBULAR DE 2004, RENOVANDO-SE A CADA SEMESTRE. A INTERPOSIÇÃO DA PRESENTE ARGUIÇÃO OCORREU APÓS A DIVULGAÇÃO DO RESULTADO FINAL DO VESTIBULAR , QUANDO JÁ ENCERRADOS OS TRABALHOS DA COMISSÃO AVALIADORA DO SISTEMA DE COTAS. ASSIM, POR ORA, NÃO VISLUMBRO QUALQUER RAZÃO PARA A MEDIDA CAUTELAR DE SUSPENSÃO DO REGISTRO(MATRÍCULA) DOS ALUNOS QUE FORAM APROVADOS NO ÚLTIMO VESTIBULAR DA UNB OU PARA QUALQUER INTERFERÊNCIA NO ANDAMENTO DOS TRABALHOS NA UNIVERSIDADE. COM ESTAS BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O TEMA, INDEFIRO O PEDIDO DE MEDIDA CAUTELAR, AD REFERENDUM DO PLENÁRIO. Foi designado como relator o Ministro Ricardo Lewandowski Mais informações sobre esta ação podem ser encontradas no site do STF: no link processos ADPF 186/2009.

LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS

LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS LEVANTAMENTO SOBRE A POLÍTICA DE COTAS NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD/UFMS 5 Educação Superior Karoline dos Reis Macedo 1 Carina Elisabeth Maciel 2 Pôster Resumo: Este texto é parte da pesquisa

Leia mais

Comentário à Jurisprudência

Comentário à Jurisprudência Comentário à Jurisprudência OS TRATADOS DE DIREITOS HUMANOS NA JURISPRUDÊNCIA DO STF APÓS A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 45/2004 CÁSSIO HENRIQUE AFONSO DA SILVA Oficial do Ministério Público 1. Introdução

Leia mais

O SENADO. ETNIAS e as AÇÕESA AFIRMATIVAS. Frei David Santos OFM 18/12/2008

O SENADO. ETNIAS e as AÇÕESA AFIRMATIVAS. Frei David Santos OFM 18/12/2008 O SENADO ETNIAS e as AÇÕESA AFIRMATIVAS Frei David Santos OFM 18/12/2008 UMA BOA NOTÍCIA: POR 54 VOTOS A FAVOR E APENAS 2 VOTOS CONTRA OS CORAJOSOS DEPUTADOS DO RIO DE JANEIRO, APROVARAM A CONTINUAÇÃO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinado partido político, que possui dois deputados federais e dois senadores em seus quadros, preocupado com a efetiva regulamentação das normas constitucionais,

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR COTAS RACIAIS NO BRASIL SOB A ÓTICA DAS AÇÕES AFIRMATIVAS E DIREITOS HUMANOS

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR COTAS RACIAIS NO BRASIL SOB A ÓTICA DAS AÇÕES AFIRMATIVAS E DIREITOS HUMANOS COTAS RACIAIS NO BRASIL SOB A ÓTICA DAS AÇÕES AFIRMATIVAS E DIREITOS HUMANOS Maria Carolina de Sá França* RESUMO Este artigo objetiva desenvolver um estudo a cerca das cotas raciais na perspectiva das

Leia mais

A Política de Cotas nas Universidades Públicas Brasileiras

A Política de Cotas nas Universidades Públicas Brasileiras A Política de Cotas nas Universidades Públicas Brasileiras Muitas pessoas se assustam ao ouvirem a idéia de criação de cotas para negros nas universidades públicas Brasileiras. Este artigo busca compreender

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO, DIGNISSÍMO RELATOR

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO, DIGNISSÍMO RELATOR Signature Not Verified Assinado por ALEXANDRE DE MORAES em 31/01/2012 22:49:19.132-0200 Alexandre de Moraes EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO, DIGNISSÍMO RELATOR Autos: ADI 4638/DF A ANAMATRA

Leia mais

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte:

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte: DECISÃO RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL. ALEGADO DESCUMPRIMENTO DA SÚMULA VINCULANTE N. 10 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. RECLAMAÇÃO PROCEDENTE. Relatório 1. Reclamação, com pedido de antecipação de tutela, ajuizada

Leia mais

PREPARADO POR MARIANA GRACIOSO BARBOSA (ESCOLA DE FORMAÇÃO, 2005)

PREPARADO POR MARIANA GRACIOSO BARBOSA (ESCOLA DE FORMAÇÃO, 2005) ESCOLA DE FORMAÇÃO 2006 ESTUDO DIRIGIDO AULA 12: POLÍTICA DE COTAS PREPARADO POR MARIANA GRACIOSO BARBOSA (ESCOLA DE FORMAÇÃO, 2005) MATERIAL DE LEITURA PRÉVIA: 1) Petição inicial da ADIn 2858 2) Parecer

Leia mais

A medida da lei de cotas para o ensino superior

A medida da lei de cotas para o ensino superior Versão 2, 1/12/2008 A medida da lei de cotas para o ensino superior Simon Schwartzman Qual o verdadeiro alcance da lei de cotas para o ensino superior aprovada pelo Congresso Nacional no Dia da Consciência

Leia mais

Declaração de Salvador

Declaração de Salvador Declaração de Salvador Os Chefes de Estado da República Federativa do Brasil, da República de Cabo Verde, da República da Guiné, da República Oriental do Uruguai, o Vice-Presidente da República da Colômbia,

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa pública federal, criada pelo

Leia mais

Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO

Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO Coleção Cadernos Afro-Paraibanos APRESENTAÇÃO O racismo é um fenômeno das relações sociais do Brasil. No estado da Paraíba, onde mais de 60% da população é negra, não encontramos essa mesma proporcionalidade

Leia mais

Antirracismo e Não Discriminação

Antirracismo e Não Discriminação Antirracismo e Não Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente

Leia mais

RESOLUÇÃO 203,DE 23 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO 203,DE 23 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO 203,DE 23 DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre a reserva aos negros, no âmbito do Poder Judiciário, de 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2004 Define os crimes resultantes de discriminação e preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem. Seção I Disposição preliminar Art. 1º Serão punidos, na forma desta

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA

RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA RAÇA E EDUCAÇÃO: PERFIL DOS CANDIDATOS COTISTAS AUTONOMEADOS NEGROS DE ESCOLA PÚBLICA DO PROGRAMA UFGInclui. BASTOS, Rachel Benta Messias (8ªt. Doutorado FE/UFG;rachelbenta@hotmail.com) RESENDE, Anita

Leia mais

AÇÕES AFIRMATIVAS NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS: UM ESTUDO INICIAL

AÇÕES AFIRMATIVAS NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS: UM ESTUDO INICIAL AÇÕES AFIRMATIVAS NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS: UM ESTUDO INICIAL Gina Glaydes Guimarães de Faria Fábia de Oliveira Santos NEPPEC FE/UFG guima.fa@uol.com.br fabia.psi@gmail.com Objetiva-se, neste

Leia mais

IX Conferência Ibero-americana de Cultura Montevidéu, 13 e 14 de julho de 2006 CARTA CULTURAL IBERO-AMERICANA PROJETO

IX Conferência Ibero-americana de Cultura Montevidéu, 13 e 14 de julho de 2006 CARTA CULTURAL IBERO-AMERICANA PROJETO IX Conferência Ibero-americana de Cultura Montevidéu, 13 e 14 de julho de 2006 CARTA CULTURAL IBERO-AMERICANA PROJETO 1 CARTA CULTURAL IBERO-AMERICANA PREÂMBULO Os Chefes de Estado e de Governo dos países

Leia mais

Agenda semanal CJF. Acontece. Mural do

Agenda semanal CJF. Acontece. Mural do Acontece Agenda semanal Reunião do Comitê Gestor Institucional do Data: segunda-feira (06/04) Horário: 14h30 Local: Sala de Sessões 3º andar Reunião da Comunidade TIControle Data: terça-feira (07/04) Horário:

Leia mais

JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO:

JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO: JUSTIFICATIVA AO PROJETO DE LEI Institui o sistema de cotas para negros, índios, alunos oriundos da rede pública de ensino e pessoas com deficiência para ingresso nas universidades públicas e demais instituições

Leia mais

No STF, relator vota pela legalidade de cotas raciais em universidades

No STF, relator vota pela legalidade de cotas raciais em universidades Page 1 of 15 globo.com notícias esportes entretenimento vídeos e-mail Globomail Pro Globomail Free Criar um e-mail central globo.com assine já todos os sites Vestibular e Educação 25/04/2012 19h09 - Atualizado

Leia mais

Relações Étnico-raciais no Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Ementa da Disciplina. Teleaula 1. Conceitos Básicos.

Relações Étnico-raciais no Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. Ementa da Disciplina. Teleaula 1. Conceitos Básicos. Relações Étnico-raciais no Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana Teleaula 1 Profa. Dra. Marcilene Garcia de Souza Grupo Uninter Ementa da Disciplina Contextos e conceitos históricos sobre

Leia mais

: DES. FEDERAL VLADIMIR SOUZA CARVALHO - 2ª TURMA

: DES. FEDERAL VLADIMIR SOUZA CARVALHO - 2ª TURMA Tribunal Regional Federal da 5ª Região PJe-AGRAVO DE INSTRUMENTO 0800442-29.2015.4.05.0000 AGRAVANTE (Relatório) O desembargador federal Vladimir Souza Carvalho: Cuida-se de agravo de instrumento interposto

Leia mais

Um olhar a favor das cotas raciais

Um olhar a favor das cotas raciais Um olhar a favor das cotas raciais Elane Maria Silva de Brito Graduanda em Direito pela Faculdade Farias Brito RESUMO O presente artigo tem como objetivo a análise do instituto das ações afirmativas, apresentando

Leia mais

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida

Direito Constitucional Dra. Vânia Hack de Ameida 1 Controle da Constitucionalidade 1. Sobre o sistema brasileiro de controle de constitucionalidade, é correto afirmar que: a) compete a qualquer juiz ou tribunal, no primeiro caso desde que inexista pronunciamento

Leia mais

Boletim Informativo 1

Boletim Informativo 1 Boletim Informativo 1 ADMISSÃO UnB abriu 3.958 vagas em 92 cursos de graduação 2º Vestibular de 2010 teve 21,8 mil inscritos, entre candidatos e treineiros. Provas foram aplicadas nos dias 17 e 18 de julho

Leia mais

CADERNO DE NORMAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PICDTI/PRPPG/UFPR

CADERNO DE NORMAS DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO - PICDTI/PRPPG/UFPR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Rua Dr. Faivre, 405Ed. D. Pedro II 1.º andar - Centro 80060-140 - Curitiba - PR Tel.: (41) 3360-5332 Fax:

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal HABEAS CORPUS 115.126 SÃO PAULO RELATORA IMPTE.(S) : MIN. ROSA WEBER :ZHEN HAIFANG :WU LIZHEN :ZHOU XINYOU :LIU PEIHUA :WANDERLEY RODRIGUES BALDI :DELEGADO DE POLÍCIA FEDERAL QUE ATUA JUNTO AO AEROPORTO

Leia mais

SENTENÇA. Vistos, etc. CLAUS PETER DE OLIVEIRA WILLI ajuizou a presente AÇÃO ORDINÁRIA contra o INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS.

SENTENÇA. Vistos, etc. CLAUS PETER DE OLIVEIRA WILLI ajuizou a presente AÇÃO ORDINÁRIA contra o INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS. fls. 57 SENTENÇA Processo Digital n.º: 1007976-71.2014.8.26.0286 Classe Assunto: Procedimento Ordinário - Salário-Maternidade (Art. 71/73) Requerente: CLAUS PETER DE OLIVEIRA WILLI Requerido: INSTITUTO

Leia mais

A requerente sustenta, mais, em síntese:

A requerente sustenta, mais, em síntese: A Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, com fundamento no art. 4º da Lei 4.348/64, requer a suspensão da execução da medida liminar concedida pelo relator do Mandado de Segurança nº 2006.01.00.043354-2

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO Nº. 200/2004-CONEPE PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO E INCLUSÃO ÉTNICO-RACIAL - PIIER DA A adoção da reserva

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 15.303 RIO DE JANEIRO RELATOR : MIN. LUIZ FUX RECLTE.(S) :MUNICÍPIO DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS PROC.(A/S)(ES) :PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DE ARMAÇÃO DOS BÚZIOS RECLDO.(A/S)

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO Dá nova redação ao artigo 86 e revoga o 1º do artigo 247 e o inciso XII do artigo 187, todos do Regimento Interno do TCE/RO, relativos à vista, carga e devolução de processos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN EDITAL Nº 05/2015 do Curso Técnico em Comércio Exterior Vagas remanescentes A Universidade Federal

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR RELATÓRIO O Exmº. Sr. Desembargador Federal EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR (Relator): Cuida-se de apelação interposta pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, visando à reforma de sentença que, em assegurando

Leia mais

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello

Reclamação 17.383-SP-Eletrônico Celso de Mello Nº 2.791 PGR-RJMB -Eletrônico Relator: Ministro Celso de Mello Reclamante: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Reclamado: Tribunal Superior do Trabalho RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL E ADMINIS- TRATIVO.

Leia mais

Direito Constitucional Peças e Práticas

Direito Constitucional Peças e Práticas PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL ASPECTOS JURÍDICOS E PROCESSUAIS DA RECLAMAÇÃO Trata-se de verdadeira AÇÃO CONSTITUCIONAL, a despeito da jurisprudência do STF a classificar como direito de petição

Leia mais

NOTA TÉCNICA N.º 01 /DMSC/DSST/SIT Brasília, 14 de janeiro de 2005.

NOTA TÉCNICA N.º 01 /DMSC/DSST/SIT Brasília, 14 de janeiro de 2005. NOTA TÉCNICA N.º 01 /DMSC/DSST/SIT Brasília, 14 de janeiro de 2005. ASSUNTO: Médico do Trabalho. Definição. INTERESSADO: Associação Nacional de Medicina do Trabalho - ANAMT EMENTA: Médico do Trabalho.

Leia mais

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade

FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS. TÍTULO I Da Entidade FACULDADE PALOTINA DE SANTA MARIA ESTATUTO DO DIRETÓRIO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO DA FAPAS TÍTULO I Da Entidade Artigo 1º - O Diretório Acadêmico de Administração da Faculdade Palotina de Santa Maria,

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA Nº E-179/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 286, DE 2007 (Apenso o Projeto de Le nº 666, de 2007 ) Determina a criação de cursinhos pré-vestibulares gratuitos, utilizando as salas

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015 O Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, Prof. Francisco César de Sá Barreto, no uso

Leia mais

O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA

O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA O SISTEMA DE COTAS PARA INGRESSO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICA BRASILEIRA Andrea Palmerston Muniz 1 Jones Ferreira Matos 2 Lília Mara Sousa Ribeiro 3 Marciene Batista Soares 4 RESUMO: O presente

Leia mais

72,0% DA POPULAÇÃO É NEGRA É DE 75,6% ALAVANCADO PELO GRANDE NÚMERO DE PESSOAS QUE SE AUTODECLARAM PARDAS (68,1%) 40,2 MILHÕES 38,0 MILHÕES

72,0% DA POPULAÇÃO É NEGRA É DE 75,6% ALAVANCADO PELO GRANDE NÚMERO DE PESSOAS QUE SE AUTODECLARAM PARDAS (68,1%) 40,2 MILHÕES 38,0 MILHÕES IGUALDADE RACIAL AGENDA IGUALDADE RACIAL O Governo Federal vem promovendo a incorporação da perspectiva da igualdade racial nas políticas governamentais, articulando ministérios e demais órgãos federais,

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 17.446 RIO GRANDE DO NORTE RELATORA RECLTE.(S) ADV.(A/S) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :MUNICÍPIO DE LUCRÉCIA :AMARO BANDEIRA DE ARAÚJO

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 19.511 DISTRITO FEDERAL RELATOR : MIN. GILMAR MENDES RECLTE.(S) :SINDICATO ESTADUAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DO RIO DE JANEIRO - SEPE/RJ ADV.(A/S) :ITALO PIRES AGUIAR

Leia mais

ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG

ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG Processos de Seleção ANÁLISES E APONTAMENTOS ACERCA DAS RESERVAS DE VAGAS PARA ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS ADOTADAS NO INSTITUTO FEDERAL DE GOIÁS IFG 2010/2-2011/2 GOIÂNIA JUNHO DE 2012 MEC MINISTÉRIO DA

Leia mais

EDITAL FAPERGS/IBRAVIN 13/2014 PROGRAMA DE BOLSAS DE MESTRADO PROFISSIONAL

EDITAL FAPERGS/IBRAVIN 13/2014 PROGRAMA DE BOLSAS DE MESTRADO PROFISSIONAL EDITAL FAPERGS/IBRAVIN 13/2014 PROGRAMA DE BOLSAS DE MESTRADO PROFISSIONAL A FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL FAPERGS e o INSTITUTO BRASILEIRO DO VINHO IBRAVIN tornam público

Leia mais

A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA

A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA A EDUCAÇÃO QUILOMBOLA Moura (2001) nos traz um desafio preocupante, não só a partir do debate sobre a melhoria estrutural das escolas em comunidades quilombola, da qualificação continuada dos professores,

Leia mais

Parecer pela denegação do mandado de segurança.

Parecer pela denegação do mandado de segurança. Ministério Público Federal Procuradoria-Geral da República 19756 OBF PGR Mandado de Segurança 31.068 3 - DF Relator: Ministro Luiz Fux Impetrante: Cláudio Topgian Rollemberg Impetrado: TCU Mandado de segurança.

Leia mais

A C Ó R D Ã O Nº 70067495689 (Nº CNJ: 0434946-98.2015.8.21.7000) COMARCA DE PORTO ALEGRE AGRAVANTE LUIS FERNANDO MARTINS OLIVEIRA

A C Ó R D Ã O Nº 70067495689 (Nº CNJ: 0434946-98.2015.8.21.7000) COMARCA DE PORTO ALEGRE AGRAVANTE LUIS FERNANDO MARTINS OLIVEIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO. MANDADO DE SEGURANÇA. SERVIDOR PÚBLICO. DELEGADO DE POLÍCIA. AFASTAMENTO PREVENTIVO DO CARGO. REQUISITOS PARA A MEDIDA LIMINAR. 1. A concessão de medida liminar em mandado de segurança

Leia mais

Impetrante: CONSELHO FEDERAL DE BIOMEDICINA - CFBM Impetrado: DIRETOR GERAL DO DEPARTAMENTO DE ENSINO DA AERONAUTICA D E C I S Ã O

Impetrante: CONSELHO FEDERAL DE BIOMEDICINA - CFBM Impetrado: DIRETOR GERAL DO DEPARTAMENTO DE ENSINO DA AERONAUTICA D E C I S Ã O Impetrante: CONSELHO FEDERAL DE BIOMEDICINA - CFBM Impetrado: DIRETOR GERAL DO DEPARTAMENTO DE ENSINO DA AERONAUTICA D E C I S Ã O Recebo a petição de fls. como emenda à inicial. Retifique-se a autuação

Leia mais

EDITAL Nº 124/2016, DE 04 DE MAIO DE 2016

EDITAL Nº 124/2016, DE 04 DE MAIO DE 2016 EDITAL Nº 124/2016, DE 04 DE MAIO DE 2016 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES DO SELEÇÃO 2016/I A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 14. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 14. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 14 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua MECANISMOS LEGAIS E INSTITUCIONAIS QUANTO A GÊNERO GENERO Programa Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM) Central de Atendimento à

Leia mais

Reabertura de Inscriçõ es

Reabertura de Inscriçõ es Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá Diretoria de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico EDITAL PIBIC/CNPq/IEPA 2015/2016 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MOSTRA DE ENSAIOS E SABORES AUDIOVISUAIS - MESA Este Concurso Cultural, denominado Mostra de Ensaios e Sabores Audiovisuais- MESA" (Concurso) é promovido pela INFOGLOBO COMUNICAÇÃO

Leia mais

POR UMA ESCOLA DE QUALIDADE: O DESFAZER DOS MITOS

POR UMA ESCOLA DE QUALIDADE: O DESFAZER DOS MITOS POR UMA ESCOLA DE QUALIDADE: O DESFAZER DOS MITOS Ramiro Marques Portugal tem conhecido, nos últimos 25 anos, um conjunto de inovações educativas de carácter contraditório mas que têm em comum, além de

Leia mais

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA

Art. 1º Definir o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelecer diretrizes e normas para o seu funcionamento. DA NATUREZA UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 07/04 Define o ensino de graduação na UNIVILLE e estabelece diretrizes e normas para seu funcionamento.

Leia mais

EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: ELEMENTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DE UMA PRÁTICA DE FORMAÇÃO DOCENTE

EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: ELEMENTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DE UMA PRÁTICA DE FORMAÇÃO DOCENTE 19 EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: ELEMENTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DE UMA PRÁTICA DE FORMAÇÃO DOCENTE Alexandre do Nascimento - FAETEC - RJ Resumo No Brasil, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação,

Leia mais

COTAS RACIAIS. Lab. 11

COTAS RACIAIS. Lab. 11 COTAS RACIAIS Lab. 11 Cotas Raciais Sistema de cotas, ou cotas raciais: medida governamental que cria uma reserva de vagas em instituições públicas ou privadas para classes sociais mais desfavorecidas.

Leia mais

(Referendo) TRIBUNAL PLENO SESSÃO DE 07.05.2014 SECÇÃO ESTADUAL EXAMES PRÉVIOS DE EDITAL

(Referendo) TRIBUNAL PLENO SESSÃO DE 07.05.2014 SECÇÃO ESTADUAL EXAMES PRÉVIOS DE EDITAL (Referendo) TRIBUNAL PLENO SESSÃO DE 07.05.2014 SECÇÃO ESTADUAL EXAMES PRÉVIOS DE EDITAL Processos: 1916.989.14-8 2037.989.14-2 2047.989.14-0 Representantes: Representada: Diretor Presidente: Assunto:

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Ministério da Cultura publicou, na imprensa oficial, edital de licitação que veio assinado pelo próprio Ministro da Cultura, na modalidade de tomada de preços,

Leia mais

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13

Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 Manual de GUIA PRÁTICO ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Adoção (32 V4.08) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos EDITAL UFU/PROGRAD Nº 02, DE 09 DE JANEIRO DE 2015, PARA O PREENCHIMENTO DAS VAGAS NOS CURSOS QUE EXIGEM CERTIFICAÇÃO EM HABILIDADES ESPECÍFICAS PARA INGRESSO NO PRIMEIRO SEMESTRE LETIVO DE 2015. PROCESSO

Leia mais

Código de Conduta e de Boas Práticas

Código de Conduta e de Boas Práticas Código de Conduta e de Boas Práticas Preâmbulo Aos membros da comunidade académica da Universidade de Lisboa (docentes e investigadores, trabalhadores não docentes e não investigadores, bolseiros de investigação,

Leia mais

COR NO ENSINO SUPERIOR: PERFIL DE ALUNOS DOS CURSOS DE HISTÓRIA, ECONOMIA E DIREITO DA UFMT.

COR NO ENSINO SUPERIOR: PERFIL DE ALUNOS DOS CURSOS DE HISTÓRIA, ECONOMIA E DIREITO DA UFMT. COR NO ENSINO SUPERIOR: PERFIL DE ALUNOS DOS CURSOS DE HISTÓRIA, ECONOMIA E DIREITO DA UFMT. SANTOS, Cássia Fabiane dos - UFMT 1 GT: Afro-brasileiros e Educação / n.21 Agência Financiadora: Não contou

Leia mais

DIRETIVA n.º 3/2014. Novo Regime Jurídico do Processo de Inventário. A intervenção do Ministério Público

DIRETIVA n.º 3/2014. Novo Regime Jurídico do Processo de Inventário. A intervenção do Ministério Público DIRETIVA n.º 3/2014 Novo Regime Jurídico do Processo de Inventário. A intervenção do Ministério Público A entrada em vigor do Regime Jurídico do Processo de Inventário, aprovado pela Lei n.º 23/2013, de

Leia mais

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título As Faculdades Santo Agostinho, por meio de seu Núcleo de Relacionamento Acadêmico e em conformidade

Leia mais

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos.

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO E MATRÍCULA DOS CANDIDATOS APROVADOS NO CURSO PRESENCIAL OFERECIDO PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE MODAL (INÍCIO DAS AULAS EM FEVEREIRO DE 2016). De ordem do Sr.

Leia mais

ARTIGO - A AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATOS NO DIREITO BRASILEIRO

ARTIGO - A AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATOS NO DIREITO BRASILEIRO ARTIGO - A AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATOS NO DIREITO BRASILEIRO *Maraísa Santana No mês passado (abril/2014) escrevi artigo (AÇÃO REVISIONAL DE FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS É GARANTIDA POR LEI), que foi publicado

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015 A EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, empresa

Leia mais

DESPACHO SEJUR N.º 508/2015

DESPACHO SEJUR N.º 508/2015 DESPACHO SEJUR N.º 508/2015 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 14/10/2015) Expediente n.º 9073/2015 Ementa: Reserva aos negros. Concurso público. Critérios para definição de raça. Matéria ética. Perícia

Leia mais

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.

Art. 1º. Aprovar as alterações do Estatuto da Universidade Federal de Juiz de Fora, com sede na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Portaria 1.105, de 28 de setembro de 1998 O Ministro de Estado da Educação e do Desporto, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto 1.845, de 28 de março de 1996, e tendo em vista o Parecer

Leia mais

EDITAL 001/2016 REFERENTE AO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA XI TURMA DO CURSO PRÉ-VESTIBULAR MUNICIPAL.

EDITAL 001/2016 REFERENTE AO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA XI TURMA DO CURSO PRÉ-VESTIBULAR MUNICIPAL. M. SAMPAIO DOS SANTOS (INSTITUTO INTELECTUS) PRÉ- VESTIBULAR MUNICIPAL SÃO JOSÉ DE RIBAMAR EDITAL 001/2016 REFERENTE AO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA XI TURMA DO CURSO PRÉ-VESTIBULAR MUNICIPAL. A

Leia mais

Preconceito juízo pré-concebido atitude discriminatória

Preconceito juízo pré-concebido atitude discriminatória PRECONCEITO RACIAL O QUE É PRECONCEITO? Preconceito é um juízo pré-concebido, que se manifesta numa atitude discriminatória, perante pessoas, crenças, sentimentos e tendências de comportamento. O preconceito

Leia mais

A POLÍTICA DE EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS DA POPULAÇÃO NEGRA. Prof. Dr. Silvio Luiz de Almeida

A POLÍTICA DE EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS DA POPULAÇÃO NEGRA. Prof. Dr. Silvio Luiz de Almeida A POLÍTICA DE EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS DA POPULAÇÃO NEGRA Prof. Dr. Silvio Luiz de Almeida As ações afirmativas na construção de um horizonte ético Democracia, Republicanismo e Cidadania - Questão racial:

Leia mais

O que são Direitos Humanos?

O que são Direitos Humanos? O que são Direitos Humanos? Técnico comercial 4 (1º ano) Direitos Humanos são os direitos e liberdades básicas de todos os seres humanos. O principal objetivo dos Direitos Humanos é tratar cada indivíduo

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE DIREITOS HUMANOS

SECRETARIA MUNICIPAL DE DIREITOS HUMANOS SECRETARIA MUNICIPAL DE DIREITOS HUMANOS EDITAL DE CADASTRAMENTO DE ENTIDADES NÃO GOVERNAMENTAIS INTERESSADAS EM PARTICIPAR DO FÓRUM MUNICIPAL DO POVO NEGRO, ONDE SERÃO ELEITOS OS MEMBROS DO MOVIMENTO

Leia mais

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta:

Antonio Henrique Lindemberg. 1 - Assinale a assertiva correta: Antonio Henrique Lindemberg 1 - Assinale a assertiva correta: a. Segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, pode-se invocar validamente o princípio do direito adquirido em face das leis de ordem

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA A Sua Excelência o Senhor Embaixador Gonçalo de Barros Carvalho e Mello Mourão Diretor Geral do Instituto

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS N. 200810000017819 RELATOR : CONSELHEIRO JOSÉ ADONIS CALLOU DE ARAÚJO SÁ REQUERENTE : MINISTÉRIO PÚBLICO JUNTO AO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE GOIÁS

Leia mais

EDITAL Nº 004/2016 - PIBIC/CNPq/UFSM

EDITAL Nº 004/2016 - PIBIC/CNPq/UFSM Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa EDITAL Nº 004/2016 - PIBIC/CNPq/UFSM A Pró-reitoria de Pós-graduação e Pesquisa da Universidade Federal

Leia mais

Pronunciamento em defesa das políticas de ações afirmativas no Brasil. Senhor Presidente, Senhoras Deputadas, Senhores Deputados,

Pronunciamento em defesa das políticas de ações afirmativas no Brasil. Senhor Presidente, Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, Pronunciamento em defesa das políticas de ações afirmativas no Brasil Senhor Presidente, Senhoras Deputadas, Senhores Deputados, Conhecemos as desigualdades raciais no Brasil, que estão inequivocamente

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE PERNAMBUCO PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE PERNAMBUCO PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DE PERNAMBUCO PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA Nº E- 035/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I REGULAMENTO DE BOLSAS DE ESTUDO EM PORTUGAL PARA O ENSINO SUPERIOR DESTINADAS A ESTUDANTES AFRICANOS DE LÍNGUA PORTUGUESA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº. 1º. 1. A Fundação Calouste Gulbenkian, através

Leia mais

Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI

Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI 1 Com muita honra e responsabilidade, falo uma vez mais em nome da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS EDITAL Nº 001/14 PROEN/DE, de 17 de fevereiro de 2014. PROGRAMA

Leia mais

ALICE PORTUGAL, PCDOB,

ALICE PORTUGAL, PCDOB, ALICE PORTUGAL, PCDOB, Bahia. Saudação aos Prefeitos participantes da IX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Realização de reunião da Frente Parlamentar em Defesa da Polícia Rodoviária Federal

Leia mais

INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS - IAB COMISSÃO PERMANENTE DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1. {J~ IVL.-O,--

INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS - IAB COMISSÃO PERMANENTE DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1. {J~ IVL.-O,-- INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS - IAB COMISSÃO PERMANENTE DE DIREITO CONSTITUCIONAL INTRODUÇÃO Trata-se da Indicação no consócio Dr. Joycemar Lima Tejo sobre" EMENTA: INDICAÇÃO n" 01712014, DE AUTORIft.,.

Leia mais

Nº 70011932688 COMARCA DE CACHOEIRINHA A C Ó R D Ã O

Nº 70011932688 COMARCA DE CACHOEIRINHA A C Ó R D Ã O ALIMENTOS. REVISÃO. PRINCÍPIO DA PROPORCIONALDIADE. COISA JULGADA. Fixados os alimentos desatendendo ao princípio da proporcionalidade, cabível sua revisão, ainda que não tenha ocorrido alteração no binômio

Leia mais

PROC. Nº TST-CSJT-195.998/2008-000-00-00.0. A C Ó R D Ã O CSJT IGM/ft/rf

PROC. Nº TST-CSJT-195.998/2008-000-00-00.0. A C Ó R D Ã O CSJT IGM/ft/rf A C Ó R D Ã O CSJT IGM/ft/rf UTILIZAÇÃO DE ADESIVOS INSTITUCIONAIS PARA INGRESSO NO ESTACIONAMENTO PRIVATIVO DOS TRIBUNAIS FORNECIMENTO INDISCRIMINADO DE ADESIVOS E DISTINTIVOS POR TRIBUNAIS E ASSOCIAÇÕES

Leia mais

a) operações cobertas de venda de ações ou de lançamento de opções;

a) operações cobertas de venda de ações ou de lançamento de opções; Dispõe sobre a Constituição de funcionamento de Clubes de Investimento. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS torna público que o Colegiado, em sessão realizada nesta data, e de acordo com o

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÕES AFIRMATIVAS (cotas para egressos de escolas públicas, negros e indígenas) ORIENTAÇÕES BÁSICAS

PROGRAMA DE AÇÕES AFIRMATIVAS (cotas para egressos de escolas públicas, negros e indígenas) ORIENTAÇÕES BÁSICAS PROGRAMA DE AÇÕES AFIRMATIVAS (cotas para egressos de escolas públicas, negros e indígenas) ORIENTAÇÕES BÁSICAS (Elaboradas pela Comissão Institucional criada conforme previsto na Resolução Normativa N

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 94 Discurso na solenidade em homenagem

Leia mais

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Medidas Assecuratórias PONTO 2: Medidas Assecuratórias em Espécie PONTO 3: Sequestro PONTO 4: Arresto 1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

carregando Brasil Governo Federal Ministério da Educação

carregando Brasil Governo Federal Ministério da Educação isu de 22 25/11/2013 11:59 Sisu - Sistema de Seleção Unificada. MEC - Ministério da Educação carregando Brasil Governo Federal Ministério da Educação Termo de Adesão 1 - Dados cadastrais da Instituição

Leia mais