CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DOS TRABALHADORES ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA IULHA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DOS TRABALHADORES ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA IULHA"

Transcrição

1 CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DOS TRABALHADORES ESCOLA DE TURISMO E HOTELARIA CANTO DA IULHA

2 APRESENTA TRABALHO COLETIVO DOS EDUCANDOS (AS) ELABORADO NOS PERCURSOS FORMATIVOS

3 EQUIPE PEDAGÓGICA E TURMAS DE EDUCANDOS

4 Mundos da Pesca

5 HISTÓRICO DA PESCA Acredita-se que os ancestrais do homem moderno pescavam principalmente moluscos e crustáceos que, ao contrário dos peixes, podiam ser capturados com as mãos. Aos poucos o homem desenvolveu métodos que permitiram a captura de peixes antes inacessíveis.

6 ... Foram desenvolvidas também embarcações que possuíam habilidades de pescar em diversas áreas, atuando em várias modalidades, mesmo antes da mecanização fazer parte da pesca. Estas embarcações gradualmente aumentaram de tamanho e peso, o que permitiu maiores capturas... As redes utilizadas também aumentaram de tamanho.

7 . No começo do século XX, a mecanização permitiu grandes avanços, principalmente na pesca industrial. Foi também a partir deste momento que houve o empobrecimento de milhares de pescadores em todo mundo.

8 Atualmente existem no mundo cerca de dez milhões de pescadores artesanais, responsáveis por quase metade da produção pesqueira, seja em águas costeiras, litorâneas ou interiores. No Brasil, os pescadores artesanais são responsáveis por grande parcela da captura do pescado, destinada tanto à exportação quanto ao consumo interno.

9

10 Como é natural aos municípios litorâneos, Florianópolis tem sua história econômica ligada diretamente ao mar e a pesca, herança dos nativos e imigrantes.

11 » mas nos dias atuais, os estoques pesqueiros vem diminuindo, trazendo um forte questionamento ao setor e obrigando as populações tradicionais a procurar outras atividades para a sua sobrevivência.

12 Ao longo de vinte anos, segundo o IBGE, a produção da pesca artesanal diminuiu de toneladas, em 1975, para toneladas desembarcadas, em 1995, na grande Florianópolis;

13 Essa baixa é conseqüência do grande esforço de pesca, da pesca predatória,

14 destruição de mangues, ocupação imobiliária desordenada do litoral e competição com a pesca industrial;

15 fazendo com que seja impossível se pensar em política de geração de emprego e renda fundamentada exclusivamente na expansão da atividade de captura.

16 Em decorrência de toda ordem de agressão imposta a esses ecossistemas marinhos usados, quer seja pela própria atividade de pesca exercida de forma abusiva,

17 quer seja pelos demais setores da economia ou até mesmo pela população ribeirinha, a produção pesqueira apresenta sinais de substancial enfraquecimento, culminando com inviabilização econômica de alguns grupos de pescarias.

18 Conhecer o movimento das marés, dos ventos Conhecer e das o correntes movimento marítimas, das marés, bem dos como ventos se e orientar das correntes em alto marítimas, mar. Estes bem são alguns dos muitos conhecimentos imprescindíveis para a profissão de pescador como se orientar em alto mar. Estes são alguns dos muitos conhecimentos imprescindíveis para a profissão de pescador

19 ...As Embarcações

20 Barco de arrasto Utilizado por pescadores artesanais no arrasto de camarões na região norte e centro do estado, principalmente em baias e enseadas.

21 Canoa à remo Embarcações utilizadas na captura de camarões ou peixes nas regiões costeiras.

22 Barco cabinado Comum nos principais pontos de desembarque da frota pesqueira de Santa Catarina. São embarcações acima de 10 toneladas de pescado armazenado.

23 Escunas Usadas em todo litoral catarinense para o transporte de turistas

24 Tarrafa É um dos apetrechos mais utilizados no litoral catarinense.

25 A PESCA NO MUNDO

26 CARGUEIRO ESPANHOL

27 MAURITÂNIA - ÁFRICA

28 SANTA CATARINA

29 TAILÂNDIA

30 VALENCIA - ESPANHA

31 GUINÉ - ÁFRICA

32 PIRIAPOLIS - URUGUAI

33 TAILÂNDIA

34 PATTAYA - TAILÂNDIA

35 ROCHA-URUGUAI

36 MÉXICO

37 ILHA DO MEL - PARANÁ

38 FRANÇA

39 TIMOR-INDONÉSIA

40

41 Abençoados os pescadores que lutam pela dignidade de seu trabalho. Entre o azul do céu e o verde do mar, em águas frias ou quentes num mundo tão diversificado.

42 A PESCA NO NORTE DA ILHA DE FLORIANÓPOLIS Pesquisa dos educandos com pescadores das comunidades do Norte da Ilha

43 DADOS SOBRE O COTIDIANO Além de vários problemas e dificuldades enfrentadas pelos pescadores, eles ainda estão expostos à várias doenças causadas pelo sol e pelo trabalho no mar. Entre elas estão: câncer de pele, úlcera reumatismo, resfriado, coluna e visão.

44 Outras dificuldades: Barcos de arrastão de fora Temporal em alto mar Poluição das águas Dificuldades com os surfistas Baixo custo de comercialização do pescado

45 Além da Pesca... Devido as muitas dificuldades enfrentadas pelos pescadores nos dias atuais, vários deles exercem outras funções para sobreviverem. Ex:jardineiro, garçom, vigilante, pedreiro. Estas e outras atividades servem como complemento da renda familiar.

46 Carga horária de trabalho dos pescadores Os pescadores vivem em eterna vigília do mar. Trabalham em média 12 horas diárias, mas há aqueles que trabalham bem mais. É um trabalho extremamente cansativo, mas que a maioria dos pescadores entrevistados diz não trocar por nada porque amam seu trabalho e o mar.

47 Como resolver os problemas existentes? Mais fiscalização Conscientização da população Criação de cooperativas de pesca Proteção da pesca artesanal

48 Segundo o Sr. Chiquinho (foto ao lado), pescador mais velho da região, foram pescadas 15 mil tainhas. O arrastão envolveu 47 pescadores artesanais que puxaram 27 redes PESCA DA TAINHA EM 2004 NA PRAIA LAGOINHA - NORTE DA ILHA

49 A pesca de subsistência é exercida com objetivo de obtenção de alimento, não tendo finalidade comercial.

50 Histórico da Ilha Os primeiros habitantes da Ilha de Santa Catarina foram os índios Carijós, pertencentes a nação Tupi- Guarani...

51 Os Carijós viviam em pequenas aldeias e sua base alimentar era a caça, pesca e o cultivo de milho e mandioca. Seu artesanato era muito diversificado. Produziam redes, esteiras, cestos, cerâmicas, armas trabalhadas em pedra polida e madeira, canoa escavada em tronco do guarapuvu, fabricavam bebidas e farinha...

52 A fundação efetiva da Povoa de Nossa Senhora do Desterro, e posterior Desterro, ocorreu por volta de 1673, por iniciativa do bandeirante paulista Francisco Dias Velho.

53 A partir de 1748 chegaram em Desterro inúmeras famílias vindas do arquipélago de Açores (Portugal)

54 A cidade foi se modernizando e hoje em dia Florianópolis (como foi batizada), é a capital do estado de Santa Catarina.

55 PRODUÇÃO Turmas de educandos dos cursos de Informática, de Gastronomia, de Espanhol, de Manutenção de Motores de Barco e de Educação Profissional com Elevação de Escolaridade Orientação Pedagógica: Equipe de Educadores e Coordenação Pedagógica Agradecimentos às Comunidades do Norte da Ilha de Florianópolis que colaboraram na pesquisa de campo realizada Projeto de Educação Integral dos Trabalhadores da Pesca - Escola de Turismo e Hotelaria Canto da Ilha - Florianópolis - SC

56 Patrocínio: Realização:

A Pesca Industrial no Estado de São Paulo

A Pesca Industrial no Estado de São Paulo Apresentação FIESP Os Múltiplos Usos do Mar e a Atividade Pesqueira A Pesca Industrial no Estado de São Paulo PESCA INDUSTRIAL ATIVIDADE REGULAMENTADA LICENCIADA NÃO CRIMINOSA TIPOS DE PESCA A pesca industrial

Leia mais

OBJETIVOS LG NB. 1- Investigar se os pescadores artesanais percebem as mudanças ambientais. X X

OBJETIVOS LG NB. 1- Investigar se os pescadores artesanais percebem as mudanças ambientais. X X Efeitos das mudanças socioambientais na pesca artesanal do litoral norte de São Paulo (Componente IV) Imagem: João Vianna Workshop Projeto Clima 2013 Dra. Cristiana S. Seixas Luziana Garuana Natália Bahia

Leia mais

Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo;

Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo; CENTRO CULTURAL SÃO SEBASTIÃO TEM ALMA DESDE 1989 VALORIZANDO A CULTURA CAIÇARA E O MEIO AMBIENTE Quem Somos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1989 no município de São Sebastião, Litoral Norte

Leia mais

BAIRRO DA BARRA CONTEXTO SOCIOECONÔMICO

BAIRRO DA BARRA CONTEXTO SOCIOECONÔMICO Quadro 5: Contexto socioecológico do Bairro da Barra, município de Balneário Camboriú (SC). BAIRRO DA BARRA DESCRIÇÃO DOS RECURSOS - Morrarias - Foz do Rio Camboriú - Limite com Rio Camboriú - Rio Camboriú

Leia mais

TÍTULO: ETNOECOLOGIA DE CAÇÕES NA PRAIA DOS PESCADORES DE ITANHAÉM/SP.

TÍTULO: ETNOECOLOGIA DE CAÇÕES NA PRAIA DOS PESCADORES DE ITANHAÉM/SP. TÍTULO: ETNOECOLOGIA DE CAÇÕES NA PRAIA DOS PESCADORES DE ITANHAÉM/SP. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: ECOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA AUTOR(ES): ALINE

Leia mais

Unidade 8. Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas

Unidade 8. Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas Unidade 8 Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas Ciclos Biogeoquímicos Os elementos químicos constituem todas as substâncias encontradas em nosso planeta. Existem mais de 100 elementos químicos,

Leia mais

Belém e Ilha de Marajó 7 dias

Belém e Ilha de Marajó 7 dias A surpreendente paisagem das praias marajoaras Belém é encantadora por suas mangueiras centenárias que sombreiam as ruas da capital paraense, localizada em uma baía rodeada por água e floresta amazônica.

Leia mais

PESQUISAS SOBRE A IMIGRAÇÃO ESPANHOLA NO RIO GRANDE DO SUL

PESQUISAS SOBRE A IMIGRAÇÃO ESPANHOLA NO RIO GRANDE DO SUL PESQUISAS SOBRE A IMIGRAÇÃO ESPANHOLA NO RIO GRANDE DO SUL Drª Regina Weber Daiane Souza Renata K. Veleda Vagner M. Corrêa Aluisio Lessa Os espanhóis chegaram ao Rio Grande do Sul, o estado mais meridional

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Flávio Bezerra)

REQUERIMENTO. (Do Sr. Flávio Bezerra) REQUERIMENTO (Do Sr. Flávio Bezerra) Requer o envio dessa Indicação ao Poder Executivo, por intermédio do Ministério do Trabalho que conceda carteira de licença de pesca da lagosta aos pescadores já inscritos

Leia mais

PESCA ARTESANAL E PETRÓLEO NO RECÔNCAVO BAIANO: GESTÃO AMBIENTAL FEDERAL COMO MEDIADORA DE CONFLITOS

PESCA ARTESANAL E PETRÓLEO NO RECÔNCAVO BAIANO: GESTÃO AMBIENTAL FEDERAL COMO MEDIADORA DE CONFLITOS PESCA ARTESANAL E PETRÓLEO NO RECÔNCAVO BAIANO: GESTÃO AMBIENTAL FEDERAL COMO MEDIADORA DE CONFLITOS Lívia Gomes de Vasconcellos Mestranda em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social, Universidade

Leia mais

Disciplina: Geografia. Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17. Turma: B

Disciplina: Geografia. Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17. Turma: B Disciplina: Geografia Trabalho realizado por: Mónica Algares nº 17 Turma: B 1 Índice Introdução... 3 Principais fontes de poluição dos oceanos e mares... 4 Prejuízos irremediáveis... 5 As marés negras...

Leia mais

Hans Staden. um aventureiro no Novo Mundo. Jô Oliveira. Adaptação e ilustrações. e m q u a d r i n h o s

Hans Staden. um aventureiro no Novo Mundo. Jô Oliveira. Adaptação e ilustrações. e m q u a d r i n h o s Hans Staden e m q u a d r i n h o s um aventureiro no Novo Mundo Jô Oliveira Adaptação e ilustrações 4 Primeiro Em um dia do ano de 1553, uma pequena embarcação transportando um grupo de marinheiros enfrentava

Leia mais

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA

Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA 3º Seminário de Comunicação Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável P A L E S T R A COMUNICAÇÃO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Antonio Carlos Lago Analista Ambiental - IBAMA Relações Públicas P e Jornalista

Leia mais

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca

Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Departamento de Geografia e Meio Ambiente Políticas Públicas e Qualidade de Vida na Baía de Sepetiba (RJ): modernização infraestrutural afetando a população carioca Introdução/Justificativa: Aluna: Izânia

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PESCA ARTESANAL E O CONHECIMENTO PESQUEIRO LOCAL NO VALE DO RIBEIRA E LITORAL SUL DE SÃO PAULO

CARACTERIZAÇÃO DA PESCA ARTESANAL E O CONHECIMENTO PESQUEIRO LOCAL NO VALE DO RIBEIRA E LITORAL SUL DE SÃO PAULO Revista Ceciliana Jun 4(1): 3743, 2012 ISSN 2177224 2011/2012 Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana CARACTERIZAÇÃO DA PESCA ARTESANAL E O CONHECIMENTO

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Senhor Flávio Bezerra)

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Senhor Flávio Bezerra) REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Senhor Flávio Bezerra) Requer o envio desta Indicação ao Poder Executivo, por intermédio do Ministério do Meio Ambiente para a recriação de Recifes Artificiais por meio de

Leia mais

Economia de Santa Catarina A economia de Santa Catarina é diversificada, no território são desenvolvidas atividades econômicas no ramo da indústria, extrativismo (animal, vegetal e mineral), agricultura,

Leia mais

Visconde do Rio Branco, 210 Centro - 12020-040 Taubaté/SP, gomesdasilvaster@gmail.com

Visconde do Rio Branco, 210 Centro - 12020-040 Taubaté/SP, gomesdasilvaster@gmail.com A preservação da biodiversidade marinha e estuarina no nordeste do Pará como estratégia de enfrentamento à sobrepesca. Oswaldo Gomes de Souza Junior 1,Mario Augusto da Silva Botelho 2, Antonio Erasmo Feitosa

Leia mais

EXPANSÃO URBANA NA PENÍNSULA DE BARRA VELHA/SC E PROBLEMAS AMBIENTAIS RESULTANTES

EXPANSÃO URBANA NA PENÍNSULA DE BARRA VELHA/SC E PROBLEMAS AMBIENTAIS RESULTANTES Geógrafos, Vitória: UFES/AGB,. GILNEI MACHADO Universidade Estadual de Londrina, gilmachad@gmail.com CRISTINA BURATTO GROSS MACHADO Universidade Estadual de Londrina, cris_buratto@gmail.com EXPANSÃO URBANA

Leia mais

Santa Catarina - Altitude

Santa Catarina - Altitude Santa Catarina - Altitude RELEVO O relevo catarinense caracteriza-se por sua ondulação, que variam dependendo da região do estado. No litoral, o que predomina são as planícies, as chamadas baixadas litorâneas,

Leia mais

Plano Safra da Pesca e Aquicultura 2012/2013/2014. Você investe no pescado. O Brasil investe em você.

Plano Safra da Pesca e Aquicultura 2012/2013/2014. Você investe no pescado. O Brasil investe em você. Plano Safra da Pesca e Aquicultura 2012/2013/2014 Você investe no pescado. O Brasil investe em você. Plano Safra da Pesca e Aquicultura. 4,1 bilhões em crédito e investimentos. Mais crédito e investimentos.

Leia mais

O Ecossistema Manguezal

O Ecossistema Manguezal 1º TEXTO O Ecossistema Manguezal O manguezal é um ecossistema complexo e um dos mais produtivos do planeta. É considerado um ecossistema costeiro de transição entre os ambientes terrestre e marinho. Característico

Leia mais

Por conseguinte, eles lançam um apelo aos Estados e à comunidade internacional para:

Por conseguinte, eles lançam um apelo aos Estados e à comunidade internacional para: Propostas e recomendações da Aliança dos Guardiões da Mãe Natureza aos Estados e à comunidade internacional para a preservação do clima e das gerações futuras No final da Assembléia dos Guardiões da Mãe

Leia mais

Deputado Estadual Neodi Saretta Julho de 2015

Deputado Estadual Neodi Saretta Julho de 2015 Deputado Estadual Neodi Saretta Julho de 2015 O País é banhado por uma costa marítima de 8,5 mil quilômetros e possui 12% da água doce do planeta; O pescado é a proteína animal mais saudável e consumida

Leia mais

DESCRITIVO DE PASSEIOS

DESCRITIVO DE PASSEIOS DESCRITIVO DE PASSEIOS BEACH PARK Localizada 25 km de Fortaleza, está a praia de Porto das Dunas, onde fica o Complexo Turístico do Beach park, composto do maior parque aquático da América Latina, com

Leia mais

Ensino, pesquisa e extensão em Rede social

Ensino, pesquisa e extensão em Rede social Workshop IFES/SAGE(COPPE) Ensino, pesquisa e extensão em Rede social prof. Rogerio Valle 28/08/2009 Roteiro 1. Contexto 2. Uma resposta possível: organização em redes 3. O caso do SAGE/COPPE/UFRJ 1. CONTEXTO:

Leia mais

Contribuição do CCR Sul relativamente à consulta da CE sobre a revisão do regime de acesso à pesca de alto mar

Contribuição do CCR Sul relativamente à consulta da CE sobre a revisão do regime de acesso à pesca de alto mar Amarelo: Questão? Azul: inserção Contribuição do CCR Sul relativamente à consulta da CE sobre a revisão do regime de acesso à pesca de alto mar * O CCR Sul agradece à Comissão Europeia a oportunidade que

Leia mais

AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL. Senhor Presidente,

AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL. Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 31/05/2011. AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL Senhor Presidente, Senhoras

Leia mais

Rota Gastronômica: Belém e Ilha de Marajó 8 dias 30 de Maio a 06 de Junho de 2015

Rota Gastronômica: Belém e Ilha de Marajó 8 dias 30 de Maio a 06 de Junho de 2015 Açai: um dos principais ingredientes dos pratos amazônicos da culinária paraense. A Turismo Consciente e Central Pirarucu Gastronomia fazem uma parceria de dar água na boca! Lançam em 2015 as Rotas Gastronômicas

Leia mais

Ministério das Pescas

Ministério das Pescas Ministério das Pescas Assembleia Nacional Resolução n.º 4/06 de 22 de Fevereiro Considerando que à luz das disposições da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, de 10 de Dezembro de 1982,

Leia mais

Curiosidade logística: Naquele período havia congestionamento de navios graneleiros de soja.

Curiosidade logística: Naquele período havia congestionamento de navios graneleiros de soja. No período de 01 a 05 de junho de 2013, alunos das Faculdades Projeção dos cursos de Administração e Logística juntamente com os Professores Ivan Calderon e Eduardo Paixão, tiveram a oportunidade de conhecer

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ GRUPO GESTOR ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ARTESANATO DA REGIÃO NORTE.

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ GRUPO GESTOR ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ARTESANATO DA REGIÃO NORTE. GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ GRUPO GESTOR ESTADUAL DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO ARTESANATO DA REGIÃO NORTE Meio-Norte SEPLAN SEDET SECTEC SDR SETUR/ PIEMTUR SFA / MAPA FAPEPI

Leia mais

Dimensão ambiental. Oceanos, mares e áreas costeiras

Dimensão ambiental. Oceanos, mares e áreas costeiras Dimensão ambiental Oceanos, mares e áreas costeiras Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 81 11 Balneabilidade Apresenta o estado da qualidade da água para fins de recreação de contato

Leia mais

DESCRIÇÃO DE PASSEIOS CITY TOUR. www.bahiatransportes.com.br

DESCRIÇÃO DE PASSEIOS CITY TOUR. www.bahiatransportes.com.br DESCRIÇÃO DE PASSEIOS CITY TOUR. www.bahiatransportes.com.br SALVADOR PANORÂMICO: Saída (09:00 ás 12:00 e 14:00 ás 17:00) Duração: 03 horas. VALOR: R$ 55,00 Saída do hotel, rumo ao Morro do Ipiranga, segue

Leia mais

MULHERES DA PESCA E DO CINEMA UM EXPERIMENTO CINEMATOGRÁFICO NO MUNICIPIO DE ITAPISSUMA - PE

MULHERES DA PESCA E DO CINEMA UM EXPERIMENTO CINEMATOGRÁFICO NO MUNICIPIO DE ITAPISSUMA - PE MULHERES DA PESCA E DO CINEMA UM EXPERIMENTO CINEMATOGRÁFICO NO MUNICIPIO DE ITAPISSUMA - PE Silvana Marpoara 1, Maria do Rosário de Fátima de Andrade Leitão 2 1 Silvana Marpoara é jornalista, produtora

Leia mais

ADENDA AO MANUAL SOBRE A APLICAÇÃO PRÁTICA DO REGULAMENTO INN

ADENDA AO MANUAL SOBRE A APLICAÇÃO PRÁTICA DO REGULAMENTO INN ADENDA AO MANUAL SOBRE A APLICAÇÃO PRÁTICA DO REGULAMENTO INN Trata-se de uma adenda à primeira edição do Manual sobre a aplicação prática do Regulamento (CE) n.º 1005/2008 do Conselho, de 29 de Setembro

Leia mais

EVOLUÇÃO DO SETOR PESQUEIRO EM TORRES RS.

EVOLUÇÃO DO SETOR PESQUEIRO EM TORRES RS. EVOLUÇÃO DO SETOR PESQUEIRO EM TORRES RS. BIANCHI, Aline Barrim Bolsista PIBIC/UFSM Universidade Federal de Santa Maria UFSM Centro de Ciências Naturais e Exatas CCNE Curso de Geografia Licenciatura email:

Leia mais

Distrito do Porto Concelho de Vila Nova de Gaia ESTAÇÃO LITORAL DA AGUDA (ELA)

Distrito do Porto Concelho de Vila Nova de Gaia ESTAÇÃO LITORAL DA AGUDA (ELA) Distrito do Porto Concelho de Vila Nova de Gaia ESTAÇÃO LITORAL DA AGUDA (ELA) O Pilado Nome dado ao caranguejo Polybius henslowi que serviu de adubo para os campos de agricultura. HISTORIAL Data da Fundação:

Leia mais

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas.

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições

Leia mais

Clima e Saúde: papel do planeamento e do ordenamento urbano

Clima e Saúde: papel do planeamento e do ordenamento urbano Clima e Saúde: papel do planeamento e do ordenamento urbano Centro de Estudos Geográficos Universidade de Lisboa Área de Geo-ecologia ecologia Henrique Andrade Maria João Alcoforado Sandra Oliveira 1.

Leia mais

Programa de Educação Ambiental

Programa de Educação Ambiental Programa de Educação Ambiental 2015 / 2016 Escolas Centro de Formação Ambiental SEDE - Lisboa 2 Horário de Funcionamento das Actividades 2ª feira a 6ª feira: 9h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h30 4 horários:

Leia mais

Bilhete 084/14. Bilhete 084/14 Santo André, 25 de novembro de 2014. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil.

Bilhete 084/14. Bilhete 084/14 Santo André, 25 de novembro de 2014. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos da Educação Infantil. Senhores Pais dos alunos do 1º ano. Senhores Pais dos alunos do 1º ano. Senhores Pais dos alunos da turma 1F8.

Leia mais

PESCA ARTESANAL ENTRE CRISE ECONÔMICA E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS: ESTUDO DE CASO NOS MUNICÍPIOS DE GAROPABA E IMBITUBA (SC)

PESCA ARTESANAL ENTRE CRISE ECONÔMICA E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS: ESTUDO DE CASO NOS MUNICÍPIOS DE GAROPABA E IMBITUBA (SC) PESCA ARTESANAL ENTRE CRISE ECONÔMICA E PROBLEMAS SOCIOAMBIENTAIS: ESTUDO DE CASO NOS MUNICÍPIOS DE GAROPABA E IMBITUBA (SC) ADINOR JOSÉ CAPELLESSO 1 ADEMIR ANTONIO CAZELLA 2 Apresentação O objetivo deste

Leia mais

ATIVIDADES DE PESCA ARTESANAL MARINHA DA REGIÃO NORTE FLUMINENSE

ATIVIDADES DE PESCA ARTESANAL MARINHA DA REGIÃO NORTE FLUMINENSE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MESTRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MODALIDADE PROFISSIONAL AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS CAUSADOS PELO COMPLEXO PORTUÁRIO RIO DO AÇU A U SOBRE AS ATIVIDADES DE

Leia mais

A HORTA ESCOLAR NA ILHA DO MEL: Instrumento de ensino-aprendizagem na preservação do meio e ambiente e na divulgação da alimentação saudável.

A HORTA ESCOLAR NA ILHA DO MEL: Instrumento de ensino-aprendizagem na preservação do meio e ambiente e na divulgação da alimentação saudável. A HORTA ESCOLAR NA ILHA DO MEL: Instrumento de ensino-aprendizagem na preservação do meio e ambiente e na divulgação da alimentação saudável. Gustavo Trierveiler Anselmo 1 ; Rosangela Valachinski Gandin

Leia mais

2.10.2.2. Consciência do Papel do Cidadão no Processo de Desenvolvimento do Setor

2.10.2.2. Consciência do Papel do Cidadão no Processo de Desenvolvimento do Setor 2.10. CAPACITAÇÃO DA POPULAÇÃO PARA TURISMO Este item traz uma abordagem da disposição da população para acolher os turistas, levando em conta, questões sobre seus valores éticos e sua consciência no processo

Leia mais

É esta imensidão de oceano, que mais tarde ou mais cedo teremos de aproveitar de um modo sustentável.

É esta imensidão de oceano, que mais tarde ou mais cedo teremos de aproveitar de um modo sustentável. Pescas Senhor Presidente da Assembleia Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente do Governo Senhoras e Senhores Membros do Governo É inevitável olhar as ilhas na sua descontinuidade e imaginá-las

Leia mais

Fonte: SOS MATA ATLÂNTICA www.sosmatatlantica.org.br

Fonte: SOS MATA ATLÂNTICA www.sosmatatlantica.org.br A Mata Atlântica Fonte: SOS MATA ATLÂNTICA www.sosmatatlantica.org.br A Mata Atlântica está presente tanto na região litorânea como nos planaltos e serras do interior, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande

Leia mais

Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca

Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca Desenvolvimento Sustentável da Aqüicultura Desenvolvimento Sustentável da Pesca Gestão da Política Pesqueira Sumário Executivo Em 2005, do total previsto para

Leia mais

Impacto da Mitilicultura no desenvolvimento das comunidades tradicionais ao entorno das Praias da Cerca e Guaibura, Guarapari, ES.

Impacto da Mitilicultura no desenvolvimento das comunidades tradicionais ao entorno das Praias da Cerca e Guaibura, Guarapari, ES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE ECOLOGIA E RECURSOS NATURAIS CURSO DE GRADUAÇÃO EM OCEANOGRAFIA BRUNO DE LAQUILA OLIVEIRA Impacto da Mitilicultura

Leia mais

TESTE DE LONGA DURAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DE WAIMEA PLANO DE TRABALHO. BLOCO BM-C-41, BACIA DE CAMPOS Processo IBAMA Nº 02022.

TESTE DE LONGA DURAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DE WAIMEA PLANO DE TRABALHO. BLOCO BM-C-41, BACIA DE CAMPOS Processo IBAMA Nº 02022. TESTE DE LONGA DURAÇÃO E PLANO DE TRABALHO BLOCO BM-C-41, BACIA DE CAMPOS Processo IBAMA Nº 02022.000204/10 Volume 00 Revisão 02 Agosto/2011 RESPOSTA AO PARECER TÉCNICO CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 330/11 Projeto

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NA FALÉSIA COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura orientada por capítulos Interpretação do texto/funcionamento da Língua Fichas de trabalho para

Leia mais

Biomas, Domínios e Ecossistemas

Biomas, Domínios e Ecossistemas Biomas, Domínios e Ecossistemas Bioma, domínio e ecossistema são termos ligados e utilizados ao mesmo tempo nas áreas da biologia, geografia e ecologia, mas, não significando em absoluto que sejam palavras

Leia mais

Sim. Ampla infraestrutura. turistas no Parque de exposições e na cidade.

Sim. Ampla infraestrutura. turistas no Parque de exposições e na cidade. Feira Internacional do Milho (Fenamilho) Festival Cidade das Tortas Parque Municipal de Exposições Siegrefid Ritter Centro Histórico Santo Ângelo Custódio São 7 dias de feira com exposições de diferentes

Leia mais

3.8 Atrações e Produtos Turísticos

3.8 Atrações e Produtos Turísticos 3.8 Atrações e Produtos Turísticos Conforme se observa na relação de produtos primários e complementares, a Costa dos Coqueirais se caracteriza como uma área interligada. Pelo exposto, observa-se que os

Leia mais

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC)

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) 1 FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) IES: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA ORIENTADOR: Prof. DARTAGNAN PINTO GUEDES ÁREA CURRICULAR: EDUCAÇÃO FÍSICA DEZEMBRO 2008 LONDRINA

Leia mais

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Sessão Desenvolvimento e Competitividade Económica: O Papel do Poder Local Viana do Castelo, 9 de abril de

Leia mais

18/5/2008 DEDICATÓRIA. Carmen Helena Moscoso Lobato CEFET-MA carmenlobato@superig.com.br A QUEM VIVE DA E NA PESCA,

18/5/2008 DEDICATÓRIA. Carmen Helena Moscoso Lobato CEFET-MA carmenlobato@superig.com.br A QUEM VIVE DA E NA PESCA, DEDICATÓRIA A QUEM VIVE DA E NA PESCA, QUE ME LEVA A SONHAR QUE, TALVEZ, UM DIA, COM ESTA MINHA ANDANÇA, EU POSSA DIZER QUE PESQUEI PELO MENOS UM SONHO, PARA ALIMENTAR OS TANTOS SONHOS, SEJA DE UM PESCADOR.

Leia mais

Elaboração do. Projeto de Alterações Climáticas Ao Nível das Comunidades Rurais Relatório Final 28/7/2014. Elaborado por, André Bragança GOMES,

Elaboração do. Projeto de Alterações Climáticas Ao Nível das Comunidades Rurais Relatório Final 28/7/2014. Elaborado por, André Bragança GOMES, Elaboração do 28/7/2014 Projeto de Alterações Climáticas Ao Nível das Comunidades Rurais Relatório Final Elaborado por, André Bragança GOMES, Sumário Sumário I. Introdução... 2 II. Atelier de Lançamento...

Leia mais

Roteiro de entrevistas

Roteiro de entrevistas Roteiro de entrevistas 1 / 10 Destino: Local: Entrevistador: Entrevistado(s): Instituição: Data: Aspectos Ambientais 1.Preparação e atendimento a emergências ambientais 1.1. Há riscos de emergências ambientais?

Leia mais

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB

ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB ANÁLISE DA DEGRADAÇÃO DO BIOMA CAATINGA NAS IMEDIAÇÕES DA CIDADE DE SANTA CECÍLIA PB Roseana Barbosa da Silva Graduada em Geografia, Universidade Estadual do Vale do Acaraú UVA/UNAVIDA E-mail: roseanabsilva@gmail.com.br

Leia mais

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade

Ficha de Protocolo. Resumo do Protocolo. Contactos da Entidade Ficha de Protocolo Resumo do Protocolo Entidade: Pedras d el Rei e Pedras da Rainha Local: Tavira Serviços/Produtos: Alojamento turístico Benefícios e Vantagens: Notas: 01 Novembro 2014 a 27 Março 2015

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente

Ministério do Meio Ambiente Localização e limites Objetivos: assegurar a proteção da população residente de golfinhos, bem como os remanescentes de mata atlântica e fontes hídricas de relevante interesse para a sobrevivência das

Leia mais

Plano de Educação Ambiental. 2º Biênio 2014/2016

Plano de Educação Ambiental. 2º Biênio 2014/2016 Plano de Educação Ambiental 2º Biênio 2014/2016 PROJETO JUNTOS PELO AMBIENTE Ações: Levantamento ambiental das áreas a atuar dos municípios envolvidos; Análise e discussão de resultados para os municípios

Leia mais

Execução: Associação para a Pesca, Diversidade e Segurança Alimentar (FIFO)

Execução: Associação para a Pesca, Diversidade e Segurança Alimentar (FIFO) Execução: Associação para a Pesca, Diversidade e Segurança Alimentar (FIFO) www.fisheriesandfood.org 1 Ecologia de Pescadores Artesanais da Baía de Ilha Grande Estudo executado por FIFO (2009) com base

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

Objetivo da rede TBTI

Objetivo da rede TBTI Experiências em Monitoramento da Pesca de Pequena Escala(SSF) no Brasil Cristiana Simão Seixas Grupo Gestão e Conservação de Commons(CGCommons) Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais(NEPAM) Universidade

Leia mais

'É necessário ter um cesto de soluções'

'É necessário ter um cesto de soluções' Vitória (ES), edição de 11 e 12 de agosto de 2007 ENTREVISTA MARIO PETROCCHI Consultor de Turismo e professor universitário O plano turístico para o Espírito Santo precisa ser um somatório 'É NECESSÁRIO

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOCIOECONOMICO DOS MUNICÍPIOS COSTEIROS DE SANTA CATARINA PARA A ELABORAÇÃO DA CARTA SAO DA BACIA DE SANTOS

DIAGNÓSTICO SOCIOECONOMICO DOS MUNICÍPIOS COSTEIROS DE SANTA CATARINA PARA A ELABORAÇÃO DA CARTA SAO DA BACIA DE SANTOS Área do conhecimento: Planejamento Urbano e Regional DIAGNÓSTICO SOCIOECONOMICO DOS MUNICÍPIOS COSTEIROS DE SANTA CATARINA PARA A ELABORAÇÃO DA CARTA SAO DA BACIA DE SANTOS Rodrigo Xavier Sciorilli Camacho

Leia mais

ROTEIROS TURÍSTICOS EM JOINVILLE

ROTEIROS TURÍSTICOS EM JOINVILLE O seu passeio personalizado ROTEIROS TURÍSTICOS EM JOINVILLE OPÇÃO 01 CULTURAL. -Museu da Imigração, Rua das Palmeiras, Panorâmico nas Praças do Imigrantes, da Barca, Prefeitura Municipal. Parque Zoobotanico,

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 UM DIA CHUVOSO NA ESCOLA Hoje amanheceu chovendo muito e o vento soprava forte. A nossa sala estava pronta e arrumada para receber as crianças, mas o mau tempo fez com que elas se

Leia mais

Projeto Água Doce. Três Marias, MG Brazil. Barbara Johnsen SEMEIA - PMTM (Secretária Municipal de Meio Ambiente, Prefeitura Municipal Três Marias)

Projeto Água Doce. Três Marias, MG Brazil. Barbara Johnsen SEMEIA - PMTM (Secretária Municipal de Meio Ambiente, Prefeitura Municipal Três Marias) PROJECT PROPOSAL Projeto Água Doce Três Marias, MG Brazil Barbara Johnsen SEMEIA - PMTM (Secretária Municipal de Meio Ambiente, Prefeitura Municipal Três Marias) Projeto Água Doce Duração 2º Semestre de

Leia mais

CURSO SOBRE PARTICIPAÇÃO DE GRUPOS DE INTERESSE

CURSO SOBRE PARTICIPAÇÃO DE GRUPOS DE INTERESSE CURSO SOBRE PARTICIPAÇÃO DE GRUPOS DE INTERESSE CENÁRIO: GESTÃO COLABORATIVA DE PESCAS Este caso de estudo é largamente fictício e foi baseado em Horrill, J.C., n.d. Collaborative Fisheries Management

Leia mais

TRILHAS. Projeto Trilhas Interpretativas

TRILHAS. Projeto Trilhas Interpretativas TRILHAS Projeto Trilhas Interpretativas O Projeto Trilhas Interpretativas, desenvolvido desde 1996 com uma proposta de educação ambiental informal, realiza atividades de bem estar em áreas naturais. A

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SÃO JOSÉ DO BURITI FELIXLÃNDIA M.G. SRE - Curvelo

ESCOLA ESTADUAL SÃO JOSÉ DO BURITI FELIXLÃNDIA M.G. SRE - Curvelo ESCOLA ESTADUAL SÃO JOSÉ DO BURITI FELIXLÃNDIA M.G. SRE - Curvelo Elaboração e execução: Edriane Maria Pereira da Silva Regente de turma do Projeto Escola em Tempo Integral. Colaboração: Vandenice Carvalho

Leia mais

1. Descrição da Cidade

1. Descrição da Cidade 1. Descrição da Cidade 2. Top Atrações da Cidade 2.1 - Atração Pantano do Sul 2.2 - Atração Praia da Silveira 2.3 - Atração A Casa Açoirana 2.4 - Atração Tear Manual 2.5 - Atração Forte Sant'Ana 2.6 -

Leia mais

As diretrizes básicas contidas na PNRM objetivam principalmente:

As diretrizes básicas contidas na PNRM objetivam principalmente: II.5.A PLANOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS Apresentam-se a seguir o levantamento dos principais planos e programas de abrangência nacional e estadual, cujas atividades possuam interface com os aspectos ambientais

Leia mais

PLANO DE GESTÃO PARA O USO SUSTENTÁVEL DA TAINHA, Mugil liza Valenciennes, 1836, NO SUDESTE E SUL DO BRASIL.

PLANO DE GESTÃO PARA O USO SUSTENTÁVEL DA TAINHA, Mugil liza Valenciennes, 1836, NO SUDESTE E SUL DO BRASIL. MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA MPA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MMA PLANO DE GESTÃO PARA O USO SUSTENTÁVEL DA TAINHA, Mugil liza Valenciennes, 1836, NO SUDESTE E SUL DO BRASIL. Brasília, abril de 2015

Leia mais

III CRUZEIRO RELIGIOSO E CULTURAL DO TEJO

III CRUZEIRO RELIGIOSO E CULTURAL DO TEJO «Nas margens do rio está a árvore da Vida» (Ap.22.2) III CRUZEIRO RELIGIOSO E CULTURAL DO TEJO Vila Velha de Ródão - Oeiras 30 Maio a 14 Junho 2015 Foto: Tânia Pissarra 37 Paróquias 30 Freguesias 20 Concelhos

Leia mais

Boletim Informativo do Gaia Village

Boletim Informativo do Gaia Village Boletim Informativo do Gaia Village Abril 2013 Fundação Gaia Legado Lutzenberger Notícias & Integração com a Comunidade O Centro de Atendimento ao Turista inova, e é o primeiro prédio público de Garopaba

Leia mais

OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE

OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE OPÇÕES DE TURISMO DURANTE A FEIRA EM JOINVILLE Roteiro Turístico por Joinville Saída do Hotel e iniciando pelo Museu da Imigração, Rua das Palmeiras, Panorâmico nas Praças do Imigrantes, da Barca, Prefeitura

Leia mais

Estratégia de Recursos Marinhos Questionário de consulta

Estratégia de Recursos Marinhos Questionário de consulta Estratégia de Recursos Marinhos Questionário de consulta Department of the Environment Environment Division Howard Davis Farm Trinity, JE3 5JP Economic Development Department Cyril Le Marquand House The

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.119, DE 2012 (Do Sr. Felipe Bornier)

PROJETO DE LEI N.º 4.119, DE 2012 (Do Sr. Felipe Bornier) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.119, DE 2012 (Do Sr. Felipe Bornier) Libera a pesca artesanal ou amadora com utilização de linha de mão, varas e anzóis, com ou sem molinete, pesca subaquática

Leia mais

A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I. Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo

A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I. Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo A REPRESA CAIGUAVA E OS INDIOS GUARANI DA ALDEIA ARAÇA-I Mario Sergio Michaliszyn Antropólogo Universidade Positivo Áreas de Proteção Ambiental APAs OBJETIVOS: Conciliar o desenvolvimento econômico e a

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

Carta Pedagógica de Alagoas

Carta Pedagógica de Alagoas Carta Pedagógica de Alagoas...colhida na cuia das mãos para lavar a alma e manter desperto o coração 1. A Rede de Educação Cidadã Alagoas está inserida nas microrregiões do Agreste, Zona da Mata, Metropolitana

Leia mais

3º Encontro de Economia Gaúcha PUC-RS 25 e 26 de maio de 2006 TRABALHO:

3º Encontro de Economia Gaúcha PUC-RS 25 e 26 de maio de 2006 TRABALHO: 3º Encontro de Economia Gaúcha PUC-RS 25 e 26 de maio de 2006 TRABALHO: CONTRIBUIÇÂO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS NA CAPTURA, NA COMERCIALIZAÇÃO E NA GERAÇÃO DE RENDA DA ATIVIDADE PESQUEIRA ARTESANAL NO RIO

Leia mais

AMBIENTALISMO NO MUNDO GLOBALIZADO

AMBIENTALISMO NO MUNDO GLOBALIZADO AMBIENTALISMO NO MUNDO GLOBALIZADO Asuperfície da Terra está em constante processo de transformação e, ao longo de seus 4,6 bilhões de anos, o planeta registra drásticas alterações ambientais. O avanço

Leia mais

Atividade de Produção de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos

Atividade de Produção de Gás e Condensado no Campo de Mexilhão, Bacia de Santos Pág. 638 / 950 Atividade de Produção de Gás e Condensado no Considerações Finais A análise das informações levantadas na elaboração do presente relatório demonstra que os dados sobre a atividade pesqueira,

Leia mais

Manejo Comunitário de Recursos Naturais e Segurança Alimentar em Paraty, Rio de Janeiro

Manejo Comunitário de Recursos Naturais e Segurança Alimentar em Paraty, Rio de Janeiro Manejo Comunitário de Recursos Naturais e Segurança Alimentar em Paraty, Rio de Janeiro çã Conteúdos do livreto Sumário Manejo Comunitário de Recursos Naturais e Segurança Alimentar em Paraty, Rio de Janeiro

Leia mais

1. Descrição da Cidade

1. Descrição da Cidade 1. Descrição da Cidade 2. Top Atrações da Cidade 2.1 - Atração Passeios de Lancha 2.2 - Atração Passeio de Escuna 2.3 - Atração Lagoa Azul 2.4 - Atração Lagoa Verde 2.5 - Atração Aqueduto 2.6 - Atração

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ Semestre 15-16 Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Animação Turística Inglês para Animação I Língua Estrangeira I (Espanhol I / Alemão

Leia mais

A PESCA ARTESANAL BRASILEIRA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO PESQUEIRA EM DIFERENTES ESCALAS

A PESCA ARTESANAL BRASILEIRA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO PESQUEIRA EM DIFERENTES ESCALAS A PESCA ARTESANAL BRASILEIRA: UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO PESQUEIRA EM DIFERENTES ESCALAS Felippe Andrade Rainha Mestrando do PPGG da FFP-UERJ / Bolsista FAPERJ felippe.rainha@gmail.com INTRODUÇÃO É correto

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Outubro 2013

ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Outubro 2013 ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL Outubro 2013 Relatório Sinop Outubro/2013 C I S E - U N E M A T Página 1 O ICE ÍNDICE DE CONFIANÇA EMPRESARIAL O ICE Índice de Confiança Empresarial busca mapear a percepção

Leia mais

ÁREA DE PRODUÇÃO AQUÍCOLA APA TAVIRA DESPACHO N.º 4223/2014, 21 MARÇO

ÁREA DE PRODUÇÃO AQUÍCOLA APA TAVIRA DESPACHO N.º 4223/2014, 21 MARÇO ÁREA DE PRODUÇÃO AQUÍCOLA APA TAVIRA DESPACHO N.º 4223/2014, 21 MARÇO 9 de abril de 2014 Dinâmica dos usos e atividades da Economia do Mar Pesca e Aquicultura, 2005 a 2012 A atividade aquícola é uma prioridade

Leia mais

A Proposta: www.negocios.org.br. Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira.

A Proposta: www.negocios.org.br. Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira. A Proposta: www.negocios.org.br Experimentar e demonstrar maneiras de promover negócios sustentáveis na Amazônia Brasileira. Missão Reduzir a pressão negativa sobre a floresta por meio de negócios com

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins - IFTO Núcleo de Pesquisa Aplicada a Pesca e Aquicultura do Tocantins Núcleo Norte 5 Origem da criação do Núcleo de Pesquisa Termo de Cooperação

Leia mais

Olá! Vamos lá? A viagem vai começar!

Olá! Vamos lá? A viagem vai começar! Olá! Com este guia exclusivo desenvolvido pelo Hotel Chácara do Mosteiro você terá um roteiro de viagem no litoral de São Paulo. Reunimos para você 10 lugares para você visitar enquanto estiver na Litoral

Leia mais

Lixo no Mar. Publicado na revista BEM PÚBLICO nº 43 janeiro/fevereiro 2013 Jornalistas: Arthur Conceição e Marcos Scotti

Lixo no Mar. Publicado na revista BEM PÚBLICO nº 43 janeiro/fevereiro 2013 Jornalistas: Arthur Conceição e Marcos Scotti Lixo no Mar Publicado na revista BEM PÚBLICO nº 43 janeiro/fevereiro 2013 Jornalistas: Arthur Conceição e Marcos Scotti O que o mar leva o mar devolve. Nem sempre no mesmo lugar, mas devolve. Essa simples

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE INCUBAÇÃO DE COOPERATIVAS POPULARES NA CADEIA PRODUTIVA DO TURISMO NO NORDESTE BRASILEIRO

A EXPERIÊNCIA DE INCUBAÇÃO DE COOPERATIVAS POPULARES NA CADEIA PRODUTIVA DO TURISMO NO NORDESTE BRASILEIRO A EXPERIÊNCIA DE INCUBAÇÃO DE COOPERATIVAS POPULARES NA CADEIA PRODUTIVA DO TURISMO NO NORDESTE BRASILEIRO Katia T. P. da Silva* Rodrigo Ramiro ** 1 INTRODUÇÃO A experiência de incubação de cooperativas

Leia mais