Moçambique Plano Estratégico Moçambique Plano Estratégico

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Moçambique Plano Estratégico 2012 2015. Moçambique Plano Estratégico"

Transcrição

1 Moçambique Plano Estratégico Moçambique Plano Estratégico

2 Rainha Juga, beneficiaria de uma campanha de cirurgia do Hospital Central da Beira ao distrito de Gorongosa 2

3 Moçambique Plano Estratégico Introdução Dados chave População (2009) : 22.4 milhões 1 Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,284 (165 de 169 países) 1 Esperança de vida: 48.4 anos 1 Cuidados médicos: <5 Médicos por habitantes 1 Prevalência de cegueira: 1 % 2 Moçambique é um dos países mais pobres do mundo com poucos doadores institucionais directamente orientados para as necessidades das pessoas com deficiência. O governo moçambicano adoptou várias políticas de inclusão com apoio do movimento das pessoas com deficiência, e alcançou grande sucesso ao introduzir a inclusão na agenda política ao longo dos últimos anos. Porém, a implementação das políticas por todos os sectores e os parceiros de desenvolvimento, continua sendo um desafio que necessitará de um comprometimento contínuo por parte do governo e da sociedade civil. Desde 2003, Moçambique é um dos países prioritários para o apoio da LI- GHT FOR THE WORLD. Nos próximos quatro anos, a LIGHT FOR THE WORLD não só renovará este comprometimento; também expandirá significativamente o seu programa a nível nacional. A estratégia de implementação de pretende continuar a fortalecer Projectos a decorrer apoiados pela LIGHT parcerias existentes e a expansão de projectos FOR THE WORLD 2011 em curso. O objectivo deste Plano Estratégico é de enfatizar as ligações entre os projectos para que se forme um programa abrangente, desenhado para promover o desenvolvimento inclusivo e ajudar a criar uma sociedade inclusiva. A presente estratégia foi desenvolvida através de um processo amplo, incluindo uma análise situacional e consultas externas com agentes chaves em Moçambique e na Europa, realizado entre Abril de 2010 e Setembro de A implementação começou no Relatório de Desenvolvimento Humano 2010, UNDP 3

4 LIGHT FOR THE WORLD O quadro de orientação da estratégia global da LIGHT FOR THE WORLD O objectivo estratégico global da LIGHT FOR THE WORLD é uma sociedade inclusiva, na qual todas pessoas possam participar equitativamente no seu ambiente social, politico, económico e cultural. O nosso trabalho baseia-se nos direitos humanos: os princípios da não discriminação, da participação, da emancipação e da responsabilização. O nosso apoio promove o desenvolvimento efectivo nos países parceiros. Estamos comprometidos com estratégias de desenvolvimento locais e ajustamos o nosso trabalho de acordo com estas estratégias. Nas nossas iniciativas coordenamos e trabalhamos em parceria com outros actores. As principais áreas de apoio da LIGHT FOR THE WORLD são: Saúde ocular/ prevenção da cegueira: O nosso principal objectivo é eliminação das barreiras físicas, sociais, culturais e de comunicação que impedem o acesso equitativo aos serviços de cuidados oculares de elevada qualidade para todos, em especial, para os que vivem na pobreza extrema. Reabilitação e educação inclusiva: Temos como objectivo utilizar sistemas de intervenção abrangentes e sustentáveis orientados para os direitos e as necessidades de pessoas com deficiência e assegurar que estas possam utilizar o seu potencial, as suas competências e as suas capacidades para participar plenamente na sociedade. Desenvolvimento inclusivo e direitos das pessoas com deficiência: Temos como objectivo o desenvolvimento inclusivo que assegure a participação e inclusão de pessoas com deficiência em todos processos de desenvolvimento do país. Outras áreas de trabalho Adicionalmente às áreas principais acima descritas, outros assuntos de relevância particular para Moçambique, são situações como o HIV/SIDA, as práticas tradicionais nocivas ou a violência contra pessoas com deficiência, os quais também podem requerer atenção. Embora a LIGHT FOR THE WORLD não prevê intervenções específicas nestas áreas, mantém uma flexibilidade para responder necessidades urgentes e incluir-os como parte da abordagem programática abrangente dos nossos parceiros de projecto. Em casos de catástrofes, também irá assegurar que a preparação e a resposta face a esses fenómenos possam ser incluídas dentro do programa abrangente à medida que as necessidades de apoio a nível local aumentam dependendo de magnitude da emergência. 4

5 Moçambique Plano Estratégico Um Moçambique inclusivo: Apoiando o desenvolvimento inclusivo Os objectivos da LIGHT FOR THE WOLRD para o seu programa em Moçambique até 2015 são: Estar activamente envolvida na promoção da saúde ocular em cinco províncias do centro e norte de Moçambique: Sofala, Zambézia, Tete, Cabo Delgado e Niassa; Ser um dos actores principais na promoção da reabilitação baseada na comunidade, da educação inclusiva e da promoção dos direitos de pessoas com deficiência no centro de Moçambique, com enfoque em Sofala. Saúde ocular/prevenção da cegueira A cegueira é um dos problemas de saúde pública em Moçambique, que necessita de esforços conjuntos do governo e da sociedade civil. A LIGHT FOR THE WORLD estabeleceu com êxito parcerias com estruturas governamentais em 5 das 11 províncias, concretamente em Sofala, Tete, Niassa, Zambézia e Cabo Delgado, sendo actualmente um dos actores principais na saúde ocular no país. Entre manteremos os nossos esforços para a promoção da saúde ocular com o objectivo de assegurar o acesso de pessoas cegas e de pessoas com deficiência visual no centro e norte de Moçambique a serviços de saúde ocular de elevada qualidade, abrangentes e acessíveis, visando especialmente para aqueles que vivem em condições de pobreza extrema, particularmente nas zonas rurais. Campanha de cirurgia do Hospital Central da Estão previstos os seguintes resultados: Recursos Humanos estão disponíveis para fornecer serviços a nível provincial e distrital em 5 províncias do centro e norte de Moçambique. Formação de técnicos de oftalmologia na Beira e desenvolvimento profissional contínuo do pessoal existente de nível médio na área da saúde ocular; Formação em gestão e liderança para Responsaveis Provincais de Saúde Ocular e outros líderes; Integração de cuidados oculares primários na formação geral do pessoal técnico de saúde, dos agentes polivalentes elementares e activistas. Beira no distrito de Gorongosa 5

6 LIGHT FOR THE WORLD Serviços de cuidados oculares permanentes e descentralizados estão disponíveis nas 5 províncias apoiadas pela LIGHT FOR THE WORLD. A qualidade e variedade dos serviços são melhoradas. Apoio às Direcções Provinciais de Saúde na nomeação de Responsaveis Provinciais do Programa de Saúde Ocular, os quais terão um papel crucial na implementação e coordenação de actividades do Plano Nacional de Saúde Ocular a luz da Visão 2020 a nível provincial; Apoiar na aquisição de materiais, consumíveis, equipamentos e fortalecimento de infra-estruturas para todas as unidades sanitárias com serviços de oftalmologia a nível distrital e provincial; Desenvolvimento de estratégias CARA nos distritos identificados com epidemia de tracoma com autoridades da saúde e outros parceiros não-governamentais; ONGs internacionais, actores da sociedade civil e entidades governamentais empenhados na planificação, supervisão e harmonização de actividades de saúde ocular. O reforço da Mozambique Eye Care Coalition enquanto órgão de coordenação da sociedade civil com o fim de promover advocacia e pesquisas conjunta; Desenvolvimento de um Plano Nacional de Saúde Ocular a luz da Visão 2020 e de um Comité Nacional da Visão 2020 através de assessoria técnica e facilitação ao Ministério da Saúde. Reabilitação Baseada na Comunidade (RBC) A maioria da população pobre em Moçambique não tem acesso a serviços de reabilitação adequados. Actualmente o número de intervenientes com iniciativas de reabilitação baseada na comunidade em Moçambique ainda é limitado. Nos programas existentes há muitas diferenças especificamente no enfoque e dimensão das iniciativas. Nota-se uma fraqueza na coordenação e intercâmbio entre os programas. No entanto, um número crescente de actores da sociedade civil nacional e internacional, assim como as autoridades governamentais em Moçambique têm demonstrado interesse no modelo de Reabilitação Baseada na Comunidade, criando um impulso para promover o modelo internacionalmente reconhecido como estratégia para a promoção da inclusão a nível comunitário por todo Moçambique. No período a LIGHT FOR THE WORLD continuará a investir no trabalho pioneiro da Reabilitação Baseada na Comunidade para assegurar que as pessoas com deficiência vivendo na pobreza tenham acesso à reabilitação, educação, saúde, subsistência e participem activamente nas suas comunidades em cinco áreas piloto apoiadas pela LIGHT FOR THE WORLD na província de Sofala. O acesso à reabilitação, educação, saúde e subsistência é melhorado para aproximadamente 1,000 pessoas com deficiência em 5 diferentes áreas de implementação na província de Sofala. A expansão da Reabilitação Baseada na Comunidade (RCB) para uma terceira área de imple- 6

7 Moçambique Plano Estratégico mentação dentro da Beira e o estabelecimento de duas novas iniciativas de Reabilitação Baseada na Comunidade em zonas rurais (em dois distritos da Província de Sofala); O desenvolvimento das capacidades dos parceiros de RCB na resposta à todos os elementos das Directrizes de RBC (de acordo com orientações da Organização Mundial de Saúde), com enfoque na integração de pessoas com deficiência nas estruturas e serviços existentes; Continuar a promover o desporto para jovens com deficiência; O desenvolvimento de estratégias adequadas de sustentabilidade para parceiros de RCB e associações desportivas para pessoas com deficiência. O governo provincial de Sofala assume o seu papel quanto à promoção, coordenação, facilitação e supervisão de actividades de Programas de Reabilitação Baseada na Comunidade. Edivania, Programa de Reabilitação Baseada Desenvolvimento de uma estratégia provincial de Reabilitação na Comunidade em Macarungo (Beira) Baseada na Comunidade; Desenvolvimento de capacidades internas da Direcção Provincial da Mulher e Acção Social em matéria de RBC; Desenvolvimento de capacidades de formação local que facilitará uma futura réplica de Programas de RBC. A nível nacional, o governo adopta o modelo de Reabilitação Baseada na Comunidade como estratégia de intervenção para promover a inclusão de pessoas com deficiência de nível comunitário. Promoção de estabelecimento de uma rede de trabalho de Reabilitação Baseada na Comunidade; Promoção de uma estratégia nacional de RBC focalizada nas linhas orientadoras da OMS através da rede de trabalho de RBC, incluindo todos actores chaves e representantes de pessoas com deficiência. Educação Inclusiva Apenas um número muito limitado de crianças com deficiência em Moçambique tem acesso a educação formal. Recentemente, o governo Moçambicano abriu 3 novos centros de recursos para promover a educação inclusiva. Vários doadores institucionais têm mostrado um compromisso crescente na promoção da educação para todos. No entanto, as actividades concretas a um nível local continuam a ser importantes no sentido de promover desenvolvimentos a nível comunitário. No período a LIGHT FOR THE WORLD continuará a assegurar que pessoas com 7

8 LIGHT FOR THE WORLD deficiência nos programas por si apoiados tenham acesso e adiram à educação inclusiva. As experiências locais de várias iniciativas pilotos na Província de Sofala serão capitalizadas. As iniciativas de modelo para educação inclusiva em cooperação com parceiros de projecto e associações de pessoas com deficiências são fortalecidas. A expansão da iniciativa piloto de ensino primário inclusivo em Mangunde para um segundo distrito em Sofala. Promoção de aprendizagem interno, consolidação de ligações ao movimento de pessoas com deficiência e partilha de lições aprendidas com outros actores chaves na educação inclusiva; A promoção da sensibilização e apoio técnico á centros de formação vocacional, promovendo a adopção de modelos de educação inclusiva e concedendo bolsas para estudantes com deficiência. Victoria, Programa de Reabilitação Baseada na Comunidade em Macarungo (Beira) As crianças com deficiência nas áreas abrangidas pelos Programas de Reabilitação Baseada na Comunidade apoiados pela LIGHT FOR THE WORLD são inscritas e mantidas nas escolas inclusivas locais. A formação de professores e o reforço da consciencialização em escolas locais, sensibilização das famílias e das comunidades através de parceiros de RBC; A coordenação e o diálogo permanente entre programas de RBC e as autoridades de educação. Promovendo o Desenvolvimento Inclusivo e os Direitos das Pessoas com Deficiência O quadro legal de Moçambique determina objectivos claros relativamente aos direitos humanos de pessoas com deficiência em todos os aspectos da vida. Em Janeiro de 2012, Moçambique também ratificou oficialmente a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos de Pessoas com Deficiência (CRPD) e está actualmente a desenvolver o seu segundo Plano de Acção Nacional relativo à Deficiência (PNAD II). Os recentes desenvolvimentos criam oportunidades de fortalecer o desenvolvimento de estratégias para implementação dos direitos estabelecidos com o fim de convertê-las em acções concretas no terreno. No período a LIGHT FOR THE WORLD irá apoiar o movimento de pessoas com deficiência em Sofala para desenvolver acções de promoção dos direitos das pessoas com deficiência. Também irá apoiar organizações de desenvolvimento no sentido de tornar os seus programas mais inclusivos e acessíveis a pessoas com deficiência. 8

9 Moçambique Plano Estratégico Aspectos chaves do Segundo Plano de Acção Nacional de Deficiência são implementados na província de Sofala num esforço conjunto entre o governo e o movimento de pessoas com deficiência. Facilitar o Fórum das Associações Moçambicanas dos Deficientes (FAMOD) a fazer parte de um processo participativo na elaboração, implementação e supervisão do PNAD II, na província de Sofala; Assessorar o FAMOD em Sofala no desenvolvimento de estratégias para sensibilizar, influenciar, apoiar e monitorar as autoridades governamentais provinciais; Assessorar à Direcção Provincial da Mulher e Acção Social de Sofala na coordenação e supervisão da implementação do PNAD II entre as diferentes autoridades governamentais envolvidas a nível provincial. Cinco programas de educação e empoderamento económico na província de Sofala são mais acessíveis e inclusivos para pessoas com deficiência. Martinho DANIEL Sensibilização dos parceiros de desenvolvimento existentes (dois Associação de Deficientes Moçambicanos (ADEMO) actuais) para a adopção de uma abordagem mais inclusiva nas várias áreas do seu trabalho; Assegurar a inclusão e a acessibilidade de pelo menos 3 novos programas de desenvolvimento, com enfoque nas iniciativas de empoderamento económico; Reforçar a capacidade do Escritório Local da LIGHT FOR THE WORLD e das Associações de Pessoas com Deficiência em Sofala para o seu papel como assessores das organizações de desenvolvimento em aspectos de desenvolvimento inclusivo. Tornar a Estratégia de Moçambique uma Realidade A LIGHT FOR THE WORLD apoia iniciativas de organizações parceiras locais para salvaguardar a propriedade local e cultural, assim como promover sustentabilidade estrutural. No trabalho com os parceiros, sublinhamos o desenvolvimento de capacidades locais, respeitando ao mesmo tempo as necessidades expressas pelos parceiros. A LIGHT FOR THE WORLD pode adoptar diferentes papéis, dependendo das necessidades do projecto: Conceder apoio financeiro; Conceder apoio técnico profissional e recursos técnicos; Implementar directamente actividades; Facilitar comunicação (p. e. promovendo ligações entre parceiros para partilha de experiências, participando em redes de trabalho). 9

10 LIGHT FOR THE WORLD Em Moçambique, a LIGHT FOR THE WORLD adopta todos estes papéis em âmbitos diferentes, mas tem um papel cada vez mais relevante no atendimento das necessidades locais de formação e na assessoria técnica. Parceiros O papel mais importante na implementação dos projectos é dos parceiros locais. Segue-se a lista de parceiros (por ordem alfabética) que actualmente implementam projectos apoiados pela LIGHT FOR THE WORLD. A lista detalhada e actualizada dos projectos apoiados pode ser encontrada no relatório anual de actividade da LIGHT FOR THE WORLD disponível em www. light-for-the-world.org: Associação dos Deficientes Moçambicanos (ADEMO) Associação ADPP (Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo) Associação Amigos Unidos Associação AMJUDE (Associação Moçambicana de Ajuda aos Deficientes) Associação Desportiva para Pessoas Portadores de Deficiência de Niassa Associação Desportiva para Pessoas Portadores de Deficiência de Manica Associação Desportiva para Pessoas Portadores de Deficiência de Sofala Associação Desportiva para Pessoas Portadores de Deficiência de Tete Associação EsMaBaMa (Estaquinha, Mangunde, Barada, Machanga) Associação NUDESMO (Núcleo de Desenvolvimento dos Surdos de Moçambique) Associação OREBACOM (Organização de Reabilitação Baseada na Comunidade em Moçambique) Hospital Central da Beira (Oftalmologia) Instituto de Ciência de Saúde da Beira Direcção Provincial da Mulher e Acção Social de Sofala Direcção Provincial da Saúde de Cabo Delgado / Hospital Provincial de Pemba (Oftalmologia) Direcção Provincial da Saúde de Niassa / Hospital Provincial de Lichinga (Oftalmologia) Direcção Provincial da Saúde de Sofala Direcção Provincial da Saúde de Tete / Hospital Provincial de Tete (Oftalmologia) Direcção Provincial da Saúde de Zambézia / Hospital Provincial de Quelimane (Oftalmologia) Adicionalmente, mantemos cooperações com várias redes e Associações, incluindo: Mozambique Eye Care Coalition (Fórum das ONGs activas na área de Saúde Ocular em Moçambique) Programa Nacional de Oftalmologia a luz da Visão 2020 no Ministério da Saúde Delegação do Fórum das Associações Moçambicanas dos Deficientes (FAMOD) na Beira Várias associações de pessoas com deficiência na Beira, incl. ACAMO, ASUMO, AJODEMO, ADEMO, ACRIDEME, AMOPUDESO Instituto de Deficientes Visuais da Beira Direcção Provincial da Educação e Cultura de Sofala Fórum Provincial das ONG s em Sofala Secretaria Provincial de Sofala 10

11 Moçambique Plano Estratégico Estrutura de apoio O escritório local da LIGHT FOR THE WORLD na Beira é o primeiro ponto de contacto para os nossos parceiros e irá desempenhar um papel vital em apoiá-los na implementação desta estratégia. Suas principais responsabilidades são: monitorar e apoiar a gestão da qualidade dos projectos; facilitar a aprendizagem e troca de expêriencia entre parceiros; aconselhar os parceiros sobre questões de gestão e governação; identificação de novos / potenciais parceiros de implementação; advocacia e disseminação dos objectivos desta estratégia. Com base no sucesso do apoio fornecido por especialistas nacionais e internacionais, vamos continuar a expandir o nosso grupo de especialistas internos e externos nas áreas de saúde ocular, reabilitação baseada na comunidade, promoção dos direitos das pessoas com deficiência e educação inclusiva. Também promoveremos ainda mais a troca de experiência com outros países apoiados pela LIGHT FOR THE WORLD. A Coordenadora do Programa de Moçambique baseada na LIGHT FOR THE WORLD Áustria ainda apoiará a implementação da presente estratégia através das seguintes actividades: apoiar e administrar as finanças e actividades do programa; estabelecer ligações com especialistas e a cooperação para o desenvolvimento internacional / actores / tendências internacionais de desenvolvimento; apoiar e desenvolver a abordagem holística; promover o co-financiamento através do estabelecimento de relações com doadores; avaliação global do programa de país. Recursos financeiros Em 2011, o total de despesas da LIGHT FOR THE WORLD em Moçambique atingiu aproximadamente os 700,000 euros. O orçamento previsto para os próximos quatro anos considera um crescimento significativo no nosso trabalho através de: apoio para nova infra-estrutura e formação de recursos humanos para prevenção da cegueira; expansão de programas de RCB; continuidade das nossas actividades na educação inclusiva; novos projectos de desenvolvimento inclusivo. As despesas e orçamentos e relatórios financeiros detalhados para o programa em Moçambique são publicadas no relatório anual de actividades da LIGHT FOR THE WORLD. 11

12 LIGHT FOR THE WORLD em Moçambique Avenida Mártires da Revolução 1817 Macuti, Beira Moçambique Tel: +258 (23) LIGHT FOR THE WORLD Áustria Niederhofstraße Viena Áustria Tel: Edição e publicação: LIGHT FOR THE WORLD Áustria Responsável pelo conteúdo: Rupert Roniger Editor: Irmgard Neuherz, Ruth Coleman Gráficos: Barbara Weingartshofer Fotografias: LIGHT FOR THE WORLD, Ulrich Eigner Todas as estatísticas e dados a vigorar desde 01/01/2012.

Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique. Primeiro Draft

Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique. Primeiro Draft Plano de Acção da Estratégia para a Fiscalização Participativa de Florestas e Fauna Bravia em Moçambique Primeiro Draft Meta estratégica Lograr no prazo de cinco anos (2006-2010) que todas a províncias

Leia mais

Apresentação de São Tomé e Principe

Apresentação de São Tomé e Principe REUNIÃO DOS MINISTROS DA SAÚDE DOS PEQUENOS ESTADOS INSULARES DA REGIÃO AFRICANA Apresentação de São Tomé e Principe Comores, 09-12 Mar. 2011 Por: Dr. António Lima Sumario 1. Preparação e resposta às catástrofes

Leia mais

Informe 6 Novembro de 2008

Informe 6 Novembro de 2008 Parceria para os Direitos da Criança em Moçambique Informe 6 Novembro de 28 O QUE DIZ A PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO 29 SOBRE A PREVISÃO DE RECURSOS NO SECTOR DE ACÇÃO SOCIAL? Mensagens Chave A Proposta

Leia mais

Av. Filipe Samuel Magaia, Edificio do INSS, Lichinga, Moçambique Tel: Fax: Cel: Av.

Av. Filipe Samuel Magaia, Edificio do INSS, Lichinga, Moçambique Tel: Fax: Cel: Av. Quem somos? GOVERNO SUECO GOVERNO MOÇAMBICANO PROGRAMA AVANTE NIASSA (COORDENAÇÃO) SECTOR PÚBLICO INFRA- ESTRUTURAS SECTOR PRIVADO PROGRAMA MALONDA PROGRAMA MALONDA -AMODER- Nakosso - Nakosso - SOCIEDADE

Leia mais

CAADP Moçambique. Até onde o processo avançou com o PNISA. Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário

CAADP Moçambique. Até onde o processo avançou com o PNISA. Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário CAADP Moçambique Até onde o processo avançou com o PNISA Seminário sobre Crescimento e Transformação do Sector Agrário Maputo, 09 de Dezembro de 2013 CAADP em Moçambique Estrutura I. Enquadramento/CAADP

Leia mais

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto

Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Banco Mundial Governo de Moçambique Gestão dos Projectos Bartolomeu Soto Revisão do Desempenho da Carteira de Projectos (CPPR) 18 de Setembro de 2009 Assuntos Críticos a Considerar Desafios e Recomendações

Leia mais

As PME s em Moçambique

As PME s em Moçambique MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Seminário Económico Moçambique Portugal As em Moçambique Por Claire Zimba Existimos para Auditório da Culturgest, 10:40Hrs 11:00Hrs, 17 de Julho de 2015, Lisboa - Portugal

Leia mais

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS

PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS PROJECTOS EM PIPELINE DO SECTOR DE ÁGUAS Direcção Nacional de Águas (DNA), Maputo, 31 de Maio de 2013 1 CONTEÚDO 1. ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL 2. FONTES E MECANISMO DE FINANCIAMENTO DE PROJECTOS 3. PROCESSO

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADORES UNAIDS 2015 O QUE É A OMS? As novas orientações consolidadas de tratamento da OMS representam mais um salto adiante para uma

Leia mais

Políticas Pública de Redução da Pobreza

Políticas Pública de Redução da Pobreza Políticas Pública de Redução da Pobreza Ministério da Planificação e Desenvolvimento Direcção Nacional de Planificação Por: Cristina Matusse (Técnica de Planificação) Maputo, 16 de Abril de 2009 Estrutura

Leia mais

A SITUAÇÃO DA PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE

A SITUAÇÃO DA PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE República de Moçambique REUNIÃO NACIONAL DE CONSULTA A SITUAÇÃO DA PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE Março de 2006 a Março de 2008 1 CONTEUDO Introdução Antecedentes Progressos realizados por Moçambique Conclusões

Leia mais

DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO

DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO DESAFIOS E O IMPACTO DAS GRANDES OBRAS PÚBLICAS NA GOVERNAÇÃO INDICE 1. Introdução 2. Planificação 3. Projecto 4. Licitação 5. Execução Papel da fiscalização 6. Operação e manutenção 7. Problemas relacionados

Leia mais

Crescimento e competitividade da economia moçambicana João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012

Crescimento e competitividade da economia moçambicana João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012 Crescimento e competitividade da economia moçambicana 2001-2010 João Mosca Lisboa, ISEG/UTL, 22 de Março 2012 Que padrão de crescimento Factores do crescimento e da competitividade (com enfoque macro ex

Leia mais

DESCRIÇÃO DE TAREFAS. Posição: Oficial de projecto Localização: Nampula. Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 6

DESCRIÇÃO DE TAREFAS. Posição: Oficial de projecto Localização: Nampula. Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 6 DESCRIÇÃO DE TAREFAS Posição: Oficial de projecto Localização: Nampula Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 6 Viajem: 70% dentro de Moçambique e da província Child safeguarding

Leia mais

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL DIRECÇÃO NACIONAL DE GESTÃO AMBIENTAL DESAFIOS NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Apresentado por: Julia Ussy Félix Maputo, Fevereiro de 2014 SEQUÊNCIA

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA. Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA. Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE DIRECÇÃO NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA Situação da epidemia de Cólera em Moçambique em 2009 Maputo, Janeiro de 2010 I. Introdução Tradicionalmente, a epidemia de

Leia mais

Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento

Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REUNIÃO FINAL DO PROCESSO DA REVISÃO ANUAL 2014 Intervenção de Sua Excelência Aiuba Cuereneia Ministro da Planificação e Desenvolvimento Maputo, 16 de Maio de 2014 SENHORES MEMBROS

Leia mais

Formação sobre exploração de Hidrocarbonetos: Participação Pública & Transparência. Resumo do Encontro

Formação sobre exploração de Hidrocarbonetos: Participação Pública & Transparência. Resumo do Encontro Formação sobre exploração de Hidrocarbonetos: Participação Pública & Transparência Resumo do Encontro Participantes: ONGs, OCBs, instituições locais do Estado e sector privado Local: Cidade de Pemba Data:

Leia mais

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos

Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO Seminário Nacional sobre a Avaliação do Programa do FIDA em Moçambique nos últimos 10 anos Discurso de Abertura de Sua Excelência o

Leia mais

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2015 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2015 Refª: 038 DE JOVEM A LIDER Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO. Lisboa, 20 de Junho de 2009

FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO. Lisboa, 20 de Junho de 2009 FUNAB FUNDO NACIONAL DO AMBIENTE DE MOÇAMBIQUE FONTES INTERNAS DE FINANCIAMENTO Lisboa, 20 de Junho de 2009 INTRODUÇÃO O FUNAB é uma pessoa colectiva, de direito público, com personalidade jurídica e dotado

Leia mais

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, de junho de 2008

Pacto Europeu. para a Saúde. Conferência de alto nível da ue. Bruxelas, de junho de 2008 Pacto Europeu para a Saúde Mental e o Bem-Estar Conferência de alto nível da ue JUNTOS PELA SAÚDE MENTAL E PELO BEM-ESTAR Bruxelas, 12-13 de junho de 2008 Slovensko predsedstvo EU 2008 Slovenian Presidency

Leia mais

A Resolução n." 13/96, de 4 de Outubro, da Comissão Permanente do Conselho de Ministros, estabelece no n." 2 do artigo 6.

A Resolução n. 13/96, de 4 de Outubro, da Comissão Permanente do Conselho de Ministros, estabelece no n. 2 do artigo 6. MINISTÉRIO DOS PETRÓLEOS Despacho n," 16/97 de 16 de Maio A Resolução n." 13/96, de 4 de Outubro, da Comissão Permanente do Conselho de Ministros, estabelece no n." 2 do artigo 6. que a forma de aplicação

Leia mais

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10

Escola ES/3 Dos Carvalhos Março 2007 Geografia A - 10 Análise da notícia Lisboa mais pobre Trabalho Realizado por: Ana Luísa nº2 Maria Elisa nº16 Mariana nº18 Marta Daniela nº19 10ºD 1 Título da Notícia Lisboa mais pobre Data de edição da notícia Setembro

Leia mais

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP )

Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em Moçambique (PEPIP ) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CONFERENCIA DE INVESTIDORES DO CORREDOR DE NACALA Plano Estratégico de Promoção de Investimento Privado em

Leia mais

-Divulgar a fim de dar visibilidade ao inquérito e conseguir o feedback

-Divulgar a fim de dar visibilidade ao inquérito e conseguir o feedback Objectivos Gerais da Campanha de sensibilização A Campanha visará informar, divulgar e mobilizar as famílias cabo-verdianas para o Inquérito às Despesas e Receitas Familiares, a fim de conseguir informações

Leia mais

A NOSSA HISTÓRIA O passado, o presente e o futuro da UNICEF

A NOSSA HISTÓRIA O passado, o presente e o futuro da UNICEF A NOSSA HISTÓRIA O passado, o presente e o futuro da UNICEF 1946 Mantimentos para a Europa No final da II Guerra Mundial, a fome e a doença ameaçavam as crianças da Europa. Em Dezembro de 1946, as Nações

Leia mais

O Programa da Assistência para Projectos Comunitários Embaixada do Japão

O Programa da Assistência para Projectos Comunitários Embaixada do Japão O Programa da Assistência para Projectos Comunitários A concede um programa de assistência financeira à projectos comunitários para responder as diversas necessidades dos paises em desenvolvimento. Conhecido

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS Lisboa, 10 de Dezembro 2007 DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS, DESENVOLVIMENTO LOCAL E PARCERIAS LIÇÕES DE UMA DÉCADA DE EXPERIMENTAÇÃO Alberto Melo Delegado Regional IEFP, Delegação Regional do Algarve

Leia mais

CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO

CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO CRIAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO DE ADMINISTRADORES DE INSOLVÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO 1. Introdução O Estado Moçambicano encetou um processo de reformas legislativas e administrativas, visando dotar o País de leis

Leia mais

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT

Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT Relatório de Avaliação Grau de Satisfação - Colaboradores CRIT - 2010 Grau de Satisfação para Colaboradores sobre a Satisfação Global Nº de inquéritos recebidos 90 P1. Imagem global da organização. 0 2

Leia mais

A Vida é a nossa maior inspiração

A Vida é a nossa maior inspiração PLANO ACTIVIDADES & ORÇAMENTO 2017 A Vida é a nossa maior inspiração O ano de 2017 será um ano de crescimento. A partir de Janeiro de 2017, a Vida Norte alargará a sua intervenção para o concelho de Braga.

Leia mais

Função Principal do Cargo: Promover a paz e a segurança na Região. Áreas Principais de Resultados

Função Principal do Cargo: Promover a paz e a segurança na Região. Áreas Principais de Resultados ANÚNCIO DE VAGA O Secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) convida os cidadãos dos Estados Membros da SADC, devidamente qualificados e com experiência, a candidatarem-se para

Leia mais

SEMINÁRIO CPC. A actividade do Conselho de Prevenção da Corrupção e a sua recomendação sobre os Planos de prevenção de Riscos

SEMINÁRIO CPC. A actividade do Conselho de Prevenção da Corrupção e a sua recomendação sobre os Planos de prevenção de Riscos SEMINÁRIO CPC A actividade do Conselho de Prevenção da Corrupção e a sua recomendação sobre os Planos de prevenção de Riscos O Conselho de Prevenção da Corrupção veio preencher uma lacuna em Portugal.

Leia mais

Assuntos Económicos e Monetários PROJECTO DE PARECER. da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários

Assuntos Económicos e Monetários PROJECTO DE PARECER. da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Assuntos Económicos e Monetários 17.9.2009 2009/0096(COD) PROJECTO DE PARECER da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários dirigido à Comissão do Emprego e dos Assuntos

Leia mais

EMBAIXADA DE FRANÇA EM MOÇAMBIQUE SERVIÇO DE COOPERACÇÃO E DE ACÇÃO CULTURAL

EMBAIXADA DE FRANÇA EM MOÇAMBIQUE SERVIÇO DE COOPERACÇÃO E DE ACÇÃO CULTURAL EMBAIXADA DE FRANÇA EM MOÇAMBIQUE SERVIÇO DE COOPERACÇÃO E DE ACÇÃO CULTURAL Projectos inovadores da sociedade civil e das coligações de actores (PISCCA) «Poder escolher a sua cidade: sociedade civil,

Leia mais

DISTRITOS SANITÁRIOS

DISTRITOS SANITÁRIOS DISTRITOS SANITÁRIOS CONCEITO: É unidade mais periférica de administração sanitária, que detém responsabilidades e poder decisório ante a política local de saúde, tendo como objetivo chegar a uma integração

Leia mais

127.ª REUNIÃO DA MESA DO COMITÉ DAS REGIÕES 26 DE JANEIRO DE 2011

127.ª REUNIÃO DA MESA DO COMITÉ DAS REGIÕES 26 DE JANEIRO DE 2011 Bruxelas, 10 de Janeiro de 2011 127.ª REUNIÃO DA MESA DO COMITÉ DAS REGIÕES 26 DE JANEIRO DE 2011 PONTO 6 CONSTITUIÇÃO DA PLATAFORMA DE AGRUPAMENTOS EUROPEUS DE COOPERAÇÃO TERRITORIAL (AECT) Apresentado

Leia mais

PLANTAÇÕES FLORESTAIS EM MOÇAMBIQUE DESAFIOS. Brazil, 23 de Fevereiro de 2015

PLANTAÇÕES FLORESTAIS EM MOÇAMBIQUE DESAFIOS. Brazil, 23 de Fevereiro de 2015 PLANTAÇÕES FLORESTAIS EM MOÇAMBIQUE DESAFIOS Brazil, 23 de Fevereiro de 2015 1 Conteúdo I. Introdução II. Empresas existentes no País III. Problemas IV. Desafios e Acções de seguimento 2 I. INTRODUÇÃO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MOÇAMBIQUE

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MOÇAMBIQUE ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MOÇAMBIQUE PLANO ESTRATÉGICO E DE ACTIVIDADES 2014-2018 VISÃO: UMA ASSOCIAÇÃO MÉDICA FORTEMENTE ENGAJADA DEFESA DA CLASSE MÉDICA MOÇAMBICA Actividades T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 OE1:

Leia mais

Desenvolvendo o quadro legal e institucional para a REDD+ em Moçambique

Desenvolvendo o quadro legal e institucional para a REDD+ em Moçambique Desenvolvendo o quadro legal e institucional para a REDD+ em Moçambique Seminário - 2 a 4 de Maio 2012 Contexto : O Governo Moçambicano está implementando um processo nacional REDD+, com o objetivo de

Leia mais

ANÁLISE SITUACIONAL DA NUTRICAO EM MOÇAMBIQUE - NA PERSPECTIVA AGRICOLA. Por: Dercio Matale

ANÁLISE SITUACIONAL DA NUTRICAO EM MOÇAMBIQUE - NA PERSPECTIVA AGRICOLA. Por: Dercio Matale ANÁLISE SITUACIONAL DA NUTRICAO EM MOÇAMBIQUE - NA PERSPECTIVA AGRICOLA Por: Dercio Matale SUMARIO DA APRESENTACAO Magnitude e impacto das deficiências de micronutrientes em Moçambique Tendencia de Malnutricao

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS Metodologia para a Elaboração das Propostas do ORÇAMENTO DO ESTADO - Exercício Económico de 2016 - Julho, 2015 As instruções que se seguem visam orientar o preenchimento

Leia mais

do Governo República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga=

do Governo República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga= República de Moçambique Governo da Província do Niassa Direcção Provincial de Educação e Desenvolvimento Humano =Lichinga= Informação hh para o Portal do Governo Educação Solidária e Desenvolvimento Humano

Leia mais

Este relatório destaca as informações chave publicadas e disponíveis na Lei do Orçamento do Estado de 2014 Foto: UNICEF/Moçambique

Este relatório destaca as informações chave publicadas e disponíveis na Lei do Orçamento do Estado de 2014 Foto: UNICEF/Moçambique Este relatório destaca as informações chave publicadas e disponíveis na Lei do Orçamento do Estado de 2014 Foto: UNICEF/Moçambique Informe Orçamental Sector da Acção Social em Moçambique MENSAGENS CHAVE:

Leia mais

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique,

Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, Quarta Avaliação Nacional da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique, 2014-15 Ministério da Economia e Finanças Outubro 2016 Introdução O PARP 2011 2014 estabelece que A avaliação do PARP 2011 2014 [ ] será

Leia mais

O Impacto da Política Agrária em Moçambique

O Impacto da Política Agrária em Moçambique O Impacto da Política Agrária em Moçambique Dezembro de 2010 ORAM e ROSA Pesquisa realizada: Centro de Estudos Moçambicanos e Internacionais CEMO António Álvaro Francisco Hortêncio Sunde Manuel Lopes e

Leia mais

National Meeting on the Mozambique Case Study on Trade in Services and Sustainable Development

National Meeting on the Mozambique Case Study on Trade in Services and Sustainable Development National Meeting on the Mozambique Case Study on Trade in Services and Sustainable Development Venue: VIP Hotel, Maputo, Mozambique 6-7 November 2006` Enquadramento Institucional do Turismo em Mocambique

Leia mais

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA

Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA Estratégias de Melhoria da Gestão Escolar em Moçambique TANZÂNIA C A B O N I A S S A D E L G A D O ZÂMBIA Lichinga Pemba T E T E MALAWI N A M P

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária.

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária. PROGRAMA DE ACÇÃO A diversidade e complexidade dos assuntos integrados no programa de acção da OMA permitirá obter soluções eficazes nos cuidados primários de saúde, particularmente na saúde reprodutiva

Leia mais

Resultados do Exercício. cio de Priority Setting

Resultados do Exercício. cio de Priority Setting Resultados do Exercício cio de Priority Setting (Namaacha, 9 Maio Junho, 6) Raúl Pitoro de Junho, 6 MINAG Apresentação Metodologia Resultados do exercício cio de priorização Constatações e Recomendações

Leia mais

Agência Japonesa de Cooperação Internacional

Agência Japonesa de Cooperação Internacional Agência Japonesa de Cooperação Internacional Factos e Figuras Sobre a JICA 1. O que é JICA Desde a sua adesão ao Plano de Colombo em 1954, o Japão tem vindo a providenciar assistência técnica e financeira

Leia mais

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2012 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2012 Refª: 047 Reajustar Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

Mesa-redonda Internacional de Doadores. sobre a Guiné-Bissau. Intervenção do Embaixador Murade Murargy. Secretário Executivo da CPLP

Mesa-redonda Internacional de Doadores. sobre a Guiné-Bissau. Intervenção do Embaixador Murade Murargy. Secretário Executivo da CPLP Mesa-redonda Internacional de Doadores sobre a Guiné-Bissau Bruxelas, 25 de Março de 2015 Intervenção do Embaixador Murade Murargy Secretário Executivo da CPLP Eximo. Senhor Primeiro-ministro da República

Leia mais

James Garrett, IFPRI Dialogo sobre a Promoção de Crescimento Agrícola em Moçambique 21 de Julho de 2011 Maputo

James Garrett, IFPRI Dialogo sobre a Promoção de Crescimento Agrícola em Moçambique 21 de Julho de 2011 Maputo James Garrett, IFPRI Dialogo sobre a Promoção de Crescimento Agrícola em Moçambique 21 de Julho de 2011 Maputo O que é o MozSAKSS? um programa colaborativo entre Direcção de Economia do Ministério da Agricultura

Leia mais

Plano de Actividades e Orçamento 2010

Plano de Actividades e Orçamento 2010 Plano de Actividades e Orçamento 2010 1 2 1. Missão A CooLabora é uma cooperativa de consultoria e intervenção social criada em 2008. Tem por missão contribuir para a inovação social no desenvolvimento

Leia mais

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 1 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

Leia mais

ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT)

ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT) Departamento de Saúde Pública JOVENS E TABACO - COMO INTERVIR? ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT) Rosa Branca Mansilha DSP da ARS Norte 29 Novembro 2013 PELT 2006-2009 PROGRAMA Escolas

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

Estratégia de Comunicação para a Mudança Social e de Comportamento para a Prevenção da Desnutrição em Moçambique

Estratégia de Comunicação para a Mudança Social e de Comportamento para a Prevenção da Desnutrição em Moçambique Estratégia de Comunicação para a Mudança Social e de Comportamento para a Prevenção da Desnutrição em Moçambique 2015 2019 i Introdução No âmbito da implementação do Plano de Acção Multissectorial para

Leia mais

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique

Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição. Junho de Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique Apoio Internacional ao Plano Nacional de Investimento do Sector Agrário (PNISA) e Nutrição Junho de 2013 Matthew Brooke, Delegação da UE, Moçambique 1 Breve Historial Mais de 70%vivem da agricultura Pequenos

Leia mais

PROJECTO ACES Diagramas casuais: perceber a relação entre serviços de ecossistemas e bem-estar rural. 5 de Agosto de 2015 Lichinga

PROJECTO ACES Diagramas casuais: perceber a relação entre serviços de ecossistemas e bem-estar rural. 5 de Agosto de 2015 Lichinga PROJECTO ACES Diagramas casuais: perceber a relação entre serviços de ecossistemas e bem-estar rural 5 de Agosto de 2015 Lichinga Introdução Acções para Melhorar o Bem Estar Rural e Ecossistema Florestal

Leia mais

Id: (30 years)

Id: (30 years) Foto não disponível Id: 37689 (30 years) DADOS PESSOAIS: Gênero: Masculino Data de nascimento: 05/10/1986 País: Mozambique, Região: Zambezia, Cidade: Quelimane Ver CV completo Grave o CV TRABALHO DESEJADO:

Leia mais

R T S S T Representantes dos Trabalhadores para a Segurança e Saúde no Trabalho 30 MARÇO Mário Rui Mota. Caso Prático: RTSST-Montepio (1)

R T S S T Representantes dos Trabalhadores para a Segurança e Saúde no Trabalho 30 MARÇO Mário Rui Mota. Caso Prático: RTSST-Montepio (1) 30 MARÇO 2011 Mário Rui Mota Caso Prático: RTSST-Montepio (1) RESUMO 1. Enquadramento da SST 2. SST nos serviços financeiros 3. Gestão da SST no Montepio 4. Os RTSST-Montepio 5. Conclusões Caso Prático:

Leia mais

I (Comunicações) CONSELHO

I (Comunicações) CONSELHO I (Comunicações) CONSELHO Resolução do Conselho e dos Representantes dos Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, sobre o reconhecimento do valor da aprendizagem não formal e informal no domínio

Leia mais

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas

Câmara Municipal de Elvas. Plano de Acção. Conselho Local de Acção Social de Elvas Câmara Municipal de Elvas Plano de Acção 2007 Julho de 2006 Conselho Local de Acção Social de Elvas PROGRAMA REDE SOCIAL Co-financiado pelo Estado Português, Ministério da Segurança Social PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004

V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 V CONFERÊNCIA DOS CHEFES DE ESTADO E DE GOVERNO DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA São Tomé, 26 e 27 de Julho de 2004 ACORDO DE COOPERAÇÃO ENTRE OS ESTADOS MEMBROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE

Leia mais

PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE PETIÇÃO: ALTERNATIVAS PARA FINANCIAMENTO AO SECTOR DA EDUCAÇÃO EXCELENTÍSSIMA SENHORA PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE A luz da Constituição da Republica, Artigo 88, a educação constitui

Leia mais

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica

Módulo 3 Técnicas para envolvimento. 3c Comunicação estratégica Módulo 3 Técnicas para envolvimento 3c Comunicação estratégica No Módulo 3c... Porquê e o que comunicar? Comunicação eficaz Uso de redes Ser estratégico Sessão de trabalho Porquê e o que comunicar? A comunicação,

Leia mais

Quadro Resumo. Metodologias de Elaboração do Orçamento do Estado

Quadro Resumo. Metodologias de Elaboração do Orçamento do Estado Quadro Resumo Metodologias de Elaboração do Orçamento do Estado Introdução A programação do orçamento do estado na base do género significa que os seus distintos classificadores e a estrutura da despesa

Leia mais

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos

Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Projecto de Promoção da Cidadania Activa entre jovens Moçambicanos Programa de Apoio aos Actores não Estatais (PAANE), financiado pela União Europeia Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Contrato:

Leia mais

DESCRIÇÃO DE TAREFAS. projecto Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 8

DESCRIÇÃO DE TAREFAS. projecto Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 8 DESCRIÇÃO DE TAREFAS Posição: Gestor Técnico de projecto Localização: Nampula Departmento: Técnico Contrato: 1 ano Role type: Nacional Grade: 8 Viajem: 40% dentro de Moçambique Child safeguarding level:

Leia mais

Politica da Acção Social

Politica da Acção Social Politica da Acção Social Introdução O Presente documento contém as linhas gerais da política e estratégia do governo moçambicano, sobre as questões da Acção Social do país, da filosofia do equacionamento

Leia mais

Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional

Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutricional Sumário do 2º Encontro dos parceiros de SAN 31 Consultivo do MINAG 1 Dezembro 2012 Introdução No dia 14 de Dezembro de 2012, no anfiteatro do Ministério

Leia mais

Investigação em Saúde Pública

Investigação em Saúde Pública Investigação em Saúde Pública José Pereira Miguel 2º Congresso Nacional de Saúde Pública Porto 28 10 2010 Out 2010 I&D em Saúde Pública - JPM Sumário Conceito e crise da Saúde Pública Tipologias i de investigação

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL

ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL ENCONTRO NACIONAL DE QUADROS DA SEGURANÇA SOCIAL PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO DO ESTATUTO ORGÂNICO JESUS MAIATO Director Nacional de Segurança Social do MAPTSS Benguela. 22. Maio 2014 INSTALAÇÃO DOS NOVOS DEPARTAMENTOS

Leia mais

João Mata Moçambique Corretores e Consultores de Seguros Lda, é um novo projecto profissional que se afirma na actividade seguradora Moçambicana.

João Mata Moçambique Corretores e Consultores de Seguros Lda, é um novo projecto profissional que se afirma na actividade seguradora Moçambicana. 1 Apresentação João Mata Moçambique Corretores e Consultores de Seguros Lda, é um novo projecto profissional que se afirma na actividade seguradora Moçambicana. A experiência e especialização da casa mãe

Leia mais

Onde vê a inserção (referencia aos documentos) forneça as seguintes informações para cada documento:

Onde vê a inserção (referencia aos documentos) forneça as seguintes informações para cada documento: Questionário traduzido Por uma questão de simplicidade, usamos o termo promoção da saúde para abranger a promoção da saúde, a educação para a saúde e os aspectos relacionados com as práticas públicas de

Leia mais

Balcão Único é um projecto que visa criar facilidades aos investimentos reduzindo as barreiras administrativas;

Balcão Único é um projecto que visa criar facilidades aos investimentos reduzindo as barreiras administrativas; O QUE É? da Zambézia O QUE É BALCÃO ÚNICO? Balcão Único é um projecto que visa criar facilidades aos investimentos reduzindo as barreiras administrativas; É um serviço de informação e atendimento permanente

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA

PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA ONU - ACÇÃO DIREITOS HUMANOS E O ENVELHECIMENTO Lisboa, 12 de ABRIL 2012 PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA ODETE SEVERINO População mundial Outubro 2011: 7 bilhões de Pessoas 893

Leia mais

Critérios de Mérito. Critério Sub critério Descrição e regras de avaliação Pontuação CRITÉRIOS QUALITATIVOS

Critérios de Mérito. Critério Sub critério Descrição e regras de avaliação Pontuação CRITÉRIOS QUALITATIVOS Critérios de Selecção A fim de assegurar um nível mínimo de qualidade das candidaturas, os candidatos seleccionados têm de pontuar pelo menos 30 pontos nos critérios qualitativos, sob pena de exclusão.

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DA SAÚDE 40 ANOS DO SERVIÇO NACIONAL DE SAUDE Luanda, 06 Outubro de 2015 PLANO DE APRESENTAÇÃO Caracterização geográfica, demográfica e administrativa de Angola Evolução

Leia mais

Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior

Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior Os desafios da Gestão e da Qualidade do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa 15 de Novembro de 2011 Sustentabilidade: Desafio Actual do Ensino Superior Instituto Superior Técnico,

Leia mais

Crescimento sem Mudança: A Elusividade da Transformação Agrícola e Económica em Moçambique

Crescimento sem Mudança: A Elusividade da Transformação Agrícola e Económica em Moçambique Diálogo sobre Promoção do Crescimento Agrário em Moçambique Hotel VIP, Maputo 21 de Julho de 2011 Crescimento sem Mudança: A Elusividade da Transformação Agrícola e Económica em Moçambique B. Cunguara

Leia mais

Regulamento Cidade do Vinho 2017

Regulamento Cidade do Vinho 2017 Regulamento Cidade do Vinho 2017 CIDADE DO VINHO 2017 REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO A designação de "Cidade do Vinho" tem o objectivo de contribuir para valorizar a riqueza, a diversidade e as características

Leia mais

Informação e Monitorização Estratégica: A experiência em curso no QREN

Informação e Monitorização Estratégica: A experiência em curso no QREN Conferência Ad Urbem Porto, 26-27 de Novembro Informação e Monitorização Estratégica: A experiência em curso no QREN 2007-2013 Paulo Areosa Feio Informação e Monitorização Estratégica: A Experiência do

Leia mais

José Francisco Jaime Chidengo José Panganhe Chidengo & Margarida Januário Chidengo

José Francisco Jaime Chidengo José Panganhe Chidengo & Margarida Januário Chidengo INFORMAÇÃO PESSSOAL Nome Filiação Data de nascimento 01/03/1980 Nacionalidade Moçambicano Naturalidade Estado Civil Endereços José Panganhe Chidengo & Margarida Januário Chidengo Beira- Sofala Casado Bairro

Leia mais

Sumário. Adis-Abeba (Etiópia) 28 e 29 de Março de 2011 NAÇÕES UNIDAS CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL COMISSÃO ECONÓMICA PARA ÁFRICA

Sumário. Adis-Abeba (Etiópia) 28 e 29 de Março de 2011 NAÇÕES UNIDAS CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL COMISSÃO ECONÓMICA PARA ÁFRICA NAÇÕES UNIDAS CONSELHO ECONÓMICO E SOCIAL COMISSÃO ECONÓMICA PARA ÁFRICA Quadragésima-quarta Sessão da Comissão Quarta reunião anual conjunta da Conferência dos Ministros de Economia e Finanças da União

Leia mais

Autarquias Locais em Moçambique: Lógicas e Dinâmicas Políticas. Salvador Forquilha IESE

Autarquias Locais em Moçambique: Lógicas e Dinâmicas Políticas. Salvador Forquilha IESE Autarquias Locais em Moçambique: Lógicas e Dinâmicas Políticas Salvador Forquilha IESE Plano Autarcização e Democratização em Moçambique; Gradualismo e ocupação do espaço político a nível local; Herança

Leia mais

Inauguração do Moinho de Cimento

Inauguração do Moinho de Cimento Press Kit NOVO Inauguração do Moinho de Cimento Fábrica da Matola, Moçambique 8 de Setembro de 2011 1 5 MOINHO DUPLICA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO NA FÁBRICA DA MATOLA EM MOÇAMBIQUE Novos investimentos reforçam

Leia mais

Responsabilidades. Governo da Provincia de Sofala Actualização Direcção do Regulamento da LFFB ZONA NORTE. Conselho de Ministros. Beira, Maio de 2013

Responsabilidades. Governo da Provincia de Sofala Actualização Direcção do Regulamento da LFFB ZONA NORTE. Conselho de Ministros. Beira, Maio de 2013 Republica de Moçambique REPÚBBLICA DE MOÇAMBIQUE Governo da Provincia de Sofala Actualização Direcção do Regulamento da Proposta Provincial LFFB de Revisão de Agricultura do Regulamento Base Legal da da

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades

PARLAMENTO EUROPEU. Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades PARLAMENTO EUROPEU 1999 2004 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades 16 de Dezembro de 2002 PE 323.514/1-49 ALTERAÇÕES 1-49 Projecto de relatório (PE 323.514) Lissy Gröner sobre

Leia mais

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us.

ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS. OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. ABREU INTERNATIONAL LEGAL SOLUTIONS OUR INNOVATIVE SOLUTIONS WHEREVER YOU NEED US. our innovative solutions wherever you need us. Constituída em 1993 a AB é uma das maiores Sociedades de Advogados portuguesas

Leia mais

DELEGAÇÃO DA BEIRA ÁREA DA PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO CONFERÊNCIA SOBRE EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO- PPE UP- BEIRA 2016

DELEGAÇÃO DA BEIRA ÁREA DA PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO CONFERÊNCIA SOBRE EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO- PPE UP- BEIRA 2016 DELEGAÇÃO DA BEIRA ÁREA DA PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO CONFERÊNCIA SOBRE EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO- PPE UP- BEIRA 2016 TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO A área da Pós-Graduação, Pesquisa

Leia mais

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2014 Refª: 092 Hospital Vet. Solidário Portugal Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ------ MINISTÉRIO DA TERRA, AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO RURAL DIRECÇÃO NACIONAL DO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A REALIZAÇÃO DO INVENTÁRIO

Leia mais

Projecto Carvão Moatize

Projecto Carvão Moatize Projecto Carvão Moatize Quem somos A Vale é uma mineradora pioneira que trabalha com paixão, transformando recursos minerais em ingredientes essenciais para o dia-a-dia das pessoas. Actuamos em mais de

Leia mais

O ENFERMEIRO NA SOCIEDADE PORTUGUESA

O ENFERMEIRO NA SOCIEDADE PORTUGUESA O ENFERMEIRO NA SOCIEDADE PORTUGUESA (conferência proferida no Dia Internacional do Enfermeiro) Maio 1988 José Maria Rodrigues da Rocha Enf.º Monitor na Escola de Enfermagem S. João-Porto e Especialista

Leia mais

Industrialização em África

Industrialização em África Industrialização em África Apresentação crítica do relatório do desenvolvimento industrial da UNIDO 2002/2003 por Carlos Nuno Castel-Branco 21/11/2002 Visão geral do relatório da UNIDO Importância da indústria

Leia mais

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE

PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE ESCOLA SECUNDÁRIA DO RESTELO 402679 PADRÕES de DESEMPENHO DOCENTE 2010-2011 Desp.n.º 16034-2010, ME (20 Out.) VERTENTE PROFISSIONAL, SOCIAL E ÉTICA Compromisso com a construção e o uso do conhecimento

Leia mais