CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CPS CP/ECEME - 2009 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA"

Transcrição

1 CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Al Nº: 1ª QUESTÃO (Valor 6,00) Comparar os sistemas de transportes da Região Norte com os da Região Centro-Oeste do Brasil, concluindo sobre as medidas passíveis de serem adotadas para a otimização desses sistemas, em cada uma dessas regiões, de modo a incrementar a integração econômica entre ambas as regiões. 1. MÉTODO MÉTODO TOTAL: 180 (cento e oitenta) escores PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS INTRODUÇÃO Escores Esc/Alun M1 Abordagem da ideia central. M2 Delimitação do espaço. 0 M3 Delimitação no tempo. 0 M4 Ideias Preparação correta para o desenvolvimento. 0 complementares. Não elaboração da introdução de forma abrupta. 0 M Ligação com o desenvolvimento. 0 M6 Não antecipação de partes do desenvolvimento. 0 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS DESENVOLVIMENTO Escores Esc/Aluno M7 Divisão da solução em introdução, desenvolvimento e conclusão. 1 M8 Realização da comparação ao longo do desenvolvimento. 1 Compreensão do nível de desempenho M9 M M11 M12 M13 Elaboração das conclusões parciais. Comparação dos objetos obedecendo aos mesmos referenciais (fatores de De forma dedutiva. Limitando-se a resumir. 0 Não elaborou as conclusões parciais. 0 Totalmente. Digressão de até 3. comparação). Digressão de mais de 3. 0 Atendimento das Totalmente. condicionantes de Digressão de até 3. 0 desenvolvimento. Digressão de mais de 3. 0 Totalmente. Comparação das com Até 3 incidências sem ligação. ligação de causa e efeito. Mais de 3 incidências sem ligação. 0 Divisão do todo em partes Totalmente. coerentes. 0 Pelo menos uma parte não está coerente com o todo. PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS CONCLUSÃO Escores Esc/Aluno M14 Retomada da ideia central. Conclusão Compreensão do nível de desempenho M1 Elaboração da síntese, reforçando as conclusões Com as essenciais e de forma dedutiva. Parcialmente com as essenciais e limitou-se a resumir. parciais. Não elaborou a síntese. 0 M16 Atendimento à imposição do problema. Na conclusão, todas as têm suporte na introdução ou no desenvolvimento. M17 Conclusão apenas sob aspectos desenvolvidos (lógica). GEOGRAFIA Na conclusão, pelo menos uma das não tem suporte na introdução ou no desenvolvimento. Na conclusão, mais de uma ideia não tem suporte na introdução ou no desenvolvimento. M18 Elaboração do parágrafo conclusivo. 20 Subtotal - MÉTODO 180 0

2 2 2. CONHECIMENTO CONHECIMENTO ( ) TOTAL: 300 (trezentos) escores 240 (duzentos e quarenta) escores atribuídos para essenciais 60 (sessenta) escores atribuídos para complementares 0 (cinquenta) escores atribuídos para novas* * A critério do oficial responsável pela correção, caso considere pertinentes que não constam do barema, devendo defini-las como essenciais ou complementares, e atribuir um valor a elas, no limite do estabelecido para novas (somente computar se o aluno obtiver menos de 300 escores e até esse limite). PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS INTRODUÇÃO Escores Esc/Aluno C1 Situação dos transportes no Brasil. C2 Características da região Norte. 0 C3 Características da região Centro-Oeste. 0 C4 Situação atual da integração econômica entre as regiões Norte e Centro-Oeste. C Importância da integração regional. C6 0 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS DESENVOLVIMENTO Escores Esc/Aluno a. Transportes terrestres Região Norte Rodovias do corredor Norte (BR 174, BR 401, BR 16, BR 364 C7 0 e BR 371). C8 Rodovias do corredor Araguaia-Tocantins (BR 13 e BR 0). 0 C9 Rodovias do corredor Oeste-Norte (BR 163, BR 230 e BR 429). 0 C Ferrovia Norte-Sul. 0 C11 Estrada de Ferro do Amapá. 0 C12 Estrada de Ferro Carajás. 0 C13 Estrada de Ferro Trombetas. 0 C14 Oleoduto Urucum-Coari. 0 C1 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 C16 Transporte multimodal de cargas. 0 C17 Região Centro-Oeste C18 Rodovias do corredor Araguaia-Tocantins (BR 13). 0 C19 Rodovias do corredor Oeste-Norte (BR 163, BR 364 e BR 070). 0 C20 Rodovias do corredor Sudoeste (BR 163, BR 060, BR 262 e BR 267). C21 Ferronorte. 0 C22 Novoeste. 0 C23 Gasoduto Brasil-Bolívia. 0 C24 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 C2 Transporte multimodal de cargas. 0 C26 C27 Conclusão Parcial (CP) comparação dos transportes terrestres concluindo sobre as medidas que podem ser adotadas para a otimização desse modal de maneira a incrementar a integração econômica entre as regiões. 0

3 3 C28 b. Transporte aquaviário Região Norte Bacia Amazônica (Hidrovia do Solimões, Hidrovia do Madeira, outros rios navegáveis Negro, Juruá, Japurá, Guaporé entre outros). C29 Hidrovia do Araguaia-Tocantins. 0 C30 Portos importantes (Manaus, Belém, Santarém entre outros). 0 C31 Terminais hidroviários interiores (Porto Velho entre outros). 0 C32 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 C33 Transporte multimodal de cargas. 0 C34 Região Centro-Oeste C3 Hidrovia Paraná-Paraguai. 0 C36 Hidrovia do Araguaia-Tocantins. 0 C37 Hidrovia Tietê-Paraná. 0 C38 Terminais hidroviários. 0 C39 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 C40 Transporte multimodal de cargas. 0 C41 C42 Conclusão Parcial (CP) comparação dos transportes aquaviários concluindo sobre as medidas que podem ser adotadas para a otimização desse modal de maneira a incrementar a integração econômica entre as regiões. c. Transporte aéreo Região Norte C43 Aeroportos internacionais (Manaus, Belém e outros). 0 C44 Aeroportos domésticos (Porto Velho e outros). 0 C4 Movimentação de cargas. 0 C46 Movimentação de passageiros. 0 C47 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 0 C48 Região Centro-Oeste C49 Aeroportos internacionais (Brasília, Cuiabá e outros). 0 C0 Aeroportos domésticos (Goiânia e outros). 0 C1 Movimentação de cargas. 0 C2 Movimentação de passageiros. 0 C3 Obras de ampliação da infraestrutura. 0 C4 C Conclusão Parcial (CP) comparação dos transportes aéreos concluindo sobre as medidas que podem ser adotadas para a otimização desse modal de maneira a incrementar a integração econômica entre as regiões.

4 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS CONCLUSÃO Escores Esc/Aluno Conclusão C6 Conclusão da construção de ferrovia Norte-Sul. 0 C7 Asfaltamento da BR 163 até Santarém. 0 C8 Implantação da hidrovia Tapajós-Teles Pires 0 C9 Construção e pavimentação da rodovia BR 0 no TO (alternativa à BR 13). C60 Pavimentação da BR 364 entre o MT e RO. 0 C61 Construção do trecho da BR 174 entre o MT e o PA. 0 C62 Pavimentação da BR 18 até a divisa entre o MT e o PA. 0 C63 Subtotal - CONHECIMENTO EXPRESSÃO ESCRITA EXPRESSÃO ESCRITA TOTAL: 120 (cento e vinte) escores PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS Escores Esc/Aluno A1 Incoerente, ilógico ou contraditório. 00 Coerência A2 Parcialmente compreensível. 0 A3 Plenamente coerente. Fácil compreensão. B1 Pouco claro. 00 Clareza B2 Falta de clareza em partes do texto. 1 B3 Claro. Fácil entendimento. 30 C1 Pouco objetivo. Vago. Texto com divagações inúteis. 00 Objetividade C2 Parcialmente objetivo. 0 C3 Objetivo. Linguagem direta. Preciso. D1 Pouco coeso. 00 Coesão D2 Emprego inadequado dos conectivos. D3 Emprego parcial dos conectivos. 20 D4 Coeso. Emprego e diversificado dos conectivos. 30 Ortografia E1 Pontuação E2 Retirar um escore por erro. Concordância E3 Regência E4 Subtotal EXPRESSÃO ESCRITA RESULTADO DA QUESTÃO ESCORES / GRAU BRUTO MÁXIMO 600 6,00 ESCORES / GRAU BRUTO OBTIDO 2ª QUESTÃO - Valor: 4,00 Justificar a relevância estratégica do Bioma Pantanal na preservação dos recursos naturais e da biodiversidade brasileira. 1. MÉTODO MÉTODO TOTAL: 80 (oitenta) escores PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS INTRODUÇÃO Escores Esc/Aluno M1 Abordagem da ideia central. M2 Delimitação do espaço. M3 Delimitação no tempo. M4 Ideias Preparação correta para o desenvolvimento. complementares. Não elaboração da introdução de forma abrupta. M Ligação com o desenvolvimento. M6 Não antecipação de partes do desenvolvimento.

5 PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS DESENVOLVIMENTO Escores Esc/Aluno M7 Divisão da solução em introdução e desenvolvimento. 1 Em todas as premissas. 1 Compreensão Justificativa das premissas Não apresentou até 3 premissas. do nível de M8 segundo as condicionantes desempenho (ligação de causa e efeito) Não apresentou mais de 3 2 premissas. M9 das premissas. Todas Subtotal - MÉTODO CONHECIMENTO CONHECIMENTO ( ) TOTAL : 240 (duzentos e quarenta) escores 160 (cento e sessenta) escores atribuídos para essenciais 80 (oitenta) escores atribuídos para complementares 0 (cinquenta) escores atribuídos para novas* * A critério do oficial responsável pela correção, caso considere pertinentes que não constam do barema, devendo defini-las como essenciais ou complementares, e atribuir um valor a elas, no limite do estabelecido para novas (somente computar se o aluno obtiver menos de 240 escores e até esse limite). PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS INTRODUÇÃO Escores Esc/Aluno C1 Definição de bioma. C2 Definição de biodiversidade. C3 Localização do bioma pantanal. C4 Caracterização do bioma pantanal. C Ligação com o desenvolvimento. PARÂMETRO IDEIAS C6 C7 C8 C9 C C11 C12 C13 ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS DESENVOLVIMENTO Ameaças ao bioma pantanal: pecuária extensiva, construção da usina hidroelétrica de Manso, aparecimento de espécies exóticas (mexilhão chinês e caramujo africano) e outras. Criação de mais Unidades de Conservação pelo atual governo brasileiro, particularmente no bioma pantanal. Aumento de áreas protegidas e de projetos de conservação. Crescente participação do setor privado com o estabelecimento de reservas privadas de preservação ambiental. Educação do povo em geral nos assuntos ambientais. Aperfeiçoamento da organização da sociedade civil local. Construção uma rede sócio-ambiental que envolve novas formas de apropriação do território na região pantaneira. Freio a mercantilização da natureza na região. Escores Esc/Aluno

6 6 C14 C1 C16 C17 C18 C19 C20 C21 Equilíbrio da produção agropecuária e da agroindústria com o meio ambiente. Aumento nos últimos anos do desequilíbrio ecológico. Acordos assinados pelo Brasil para redução do efeito estufa. Aproveitamento de plantas do extrativismo vegetal nas indústrias farmacêutica, de couro e de papel. Criação do Centro de Pesquisa do Pantanal pela EMBRAPA. Implantação do Programa para o Sustentável do Pantanal pelo Ministério do Meio Ambiente. Importância do bioma pantanal para a manutenção do ecossistema que abrange terras brasileiras, bolivianas e paraguaias. Subtotal - CONHECIMENTO EXPRESSÃO ESCRITA EXPRESSÃO ESCRITA TOTAL: 80 (oitenta) escores PARÂMETRO IDEIAS ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS Escore Esc/Aluno A1 Incoerente, ilógico ou contraditório. 00 Coerência A2 Parcialmente compreensível. 0 A3 Plenamente coerente. Fácil compreensão. B1 Pouco claro. 00 Clareza B2 Falta de clareza em partes do texto. 0 B3 Claro. Fácil entendimento. C1 Pouco objetivo. Vago. Texto com divagações inúteis. 00 Objetividade C2 Parcialmente objetivo. 0 C3 Objetivo. Linguagem direta. Preciso. D1 Pouco coeso. 00 Coesão D2 Emprego inadequado dos conectivos. 0 D3 Emprego parcial dos conectivos. 08 D4 Coeso. Emprego e diversificado dos conectivos. Ortografia E1 Pontuação E2 Retirar um escore por erro. Concordância E3 Regência E4 Subtotal EXPRESSÃO ESCRITA 80 RESULTADO DA QUESTÃO ESCORES / GRAU BRUTO MÁXIMO 400 4,00 ESCORES / GRAU BRUTO OBTIDO

7 VALOR DAS QUESTÕES 1ª Questão 6, ª Questão 4, TOTAL,00 00 RESULTADO FINAL ESCORES ESCORES OBTIDOS GRAU OBTIDO 7 OBSERVAÇÕES JULGADAS PERTINENTES PARA A ORIENTAÇÃO DOS ALUNOS

CP/CAEM/2004 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CP/CAEM/2004 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO CP/CAEM/2004 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO ( 4,0 ) Comparar os sistemas de transportes da Região Norte com os da Região Centro-Oeste, concluindo sobre as medidas

Leia mais

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÚDE)

CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÚDE) CP/ECEME/2007 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÚDE) 1ª QUESTÃO (valor 6,00) A privatização do Sistema Telebrás ocorreu no dia 29 de julho 1998 através de 12 leilões consecutivos

Leia mais

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 DPS CP/ECEME 201 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO Aluno nº GEOGRAFIA-SAÚDE 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) A n a l i s a r a e s t r u t u r a a t u a l d e s a n e a m e n t o b á s i c

Leia mais

PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) PEP/2011 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar o processo de ocupação da Região Norte do Brasil, a partir de 1970, e concluir sobre os impactos causados

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Al Nr GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Comparar as desigualdades sociais e econômicas existentes entre as Regiões Sudeste e Norte,

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2009 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME - 2009 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 29 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO (Valor 6,) Analisar as consequências político-econômicas da Guerra do Pacífico (1879-1881) e Guerra do Chaco (1932-1935) para

Leia mais

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO

PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUESTÃO PEP/2011 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO Analisar a atuação das Entradas e Bandeiras entre os séculos XVI e XVIII na expansão do território da América Portuguesa, concluindo

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 2008 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA Al Nr FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Em 2006, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer era de 72,3 anos, segundo mostra

Leia mais

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

DPS CP/ECEME 2015 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) DPS CP/ECEME 1 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO FAC 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA HISTÓRIA Aluno nº 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar as ações de Portugal na defesa do Brasil Colônia, frente às ameaças colonizadoras

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA CPS CP/ECEME - 2008 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA Al nº 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar a retomada do Programa Nuclear Brasileiro, com o enfoque nos aspectos econômico e científico-tecnológico,

Leia mais

PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO PEP/2012 1ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 GEOGRAFIA 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar o processo de urbanização no Brasil, com enfoque nos campos econômico e psicossocial, a partir

Leia mais

CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 CPS CP/ECEME 2013 AVALIAÇÃO DE RECUPERAÇÃO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Aluno nº GEOGRAFIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar a atual distribuição dos recursos hídricos e das fontes de energia na América

Leia mais

PEP /2013-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP /2013-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 PEP /2013-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os hábitos alimentares da população da região Norte do Brasil, nas expressões econômica

Leia mais

CP/CAEM/2004 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CP/CAEM/2004 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO CP/CAEM/2004 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO ( 6,0 ) Analisar os aspectos favoráveis e desfavoráveis nas relações comerciais do Brasil com a União Européia, concluindo

Leia mais

PEP /2013-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP /2013-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 PEP /2013-3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar a situação atual das endemias regionais (Dengue, Leishmanioses e Doença de Chagas) no

Leia mais

CPS CP/ECEME - 2010 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

CPS CP/ECEME - 2010 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA CPS CP/ECEME - 20 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA Aluno Nº 1 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar a disputa pela hegemonia na Ásia Central entre EUA, Rússia e China, a partir do ano

Leia mais

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para

A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para A palavra transporte vem do latim trans (de um lado a outro) e portare (carregar). Transporte é o movimento de pessoas ou coisas de um lugar para outro. Os transportes podem se distinguir pela possessão:

Leia mais

CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA

CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA CP/CAEM / 2006 2ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA DO BRASIL 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar as características da população brasileira segundo a expectativa de vida e a taxa de

Leia mais

PEP - 2016-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA

PEP - 2016-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 PEP - 2016-6ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar o emprego das novas tecnologias de informação e comunicação no mundo contemporâneo, de 1950

Leia mais

CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 09 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar a elevação dos níveis educacionais da população brasileira nas duas últimas décadas e suas consequências

Leia mais

PEP/2008 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP/2008 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO PEP/2008 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FIHA AUXILIAR DE ORREÇÃO GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) hina e Índia, as duas potências emergentes asiáticas, aumentarão sua capacidade nuclear entre seis e 10 vezes

Leia mais

ADITIVO 01/2016.1 EDITAL N 03 /2015

ADITIVO 01/2016.1 EDITAL N 03 /2015 ADITIVO 01/2016.1 EDITAL N 03 /2015 PROCESSO SELETIVO 2016.1 A FACULDADE DE TECNOLOGIA DO NORDESTE - FATENE, recredenciada pelo MEC, portaria n 259 de 24/03/2009, torna pública a abertura de inscrições

Leia mais

II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO

II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO aceleração do desenvolvimento sustentável no Brasil. Dessa forma, o país poderá superar os gargalos da economia e estimular o aumento da produtividade e a diminuição

Leia mais

PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA. 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) PEP/2010 5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 GEOGRAFIA 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) São muitas também as referências ao algo mais, à capacidade que tem o brasileiro de desenvolver com o

Leia mais

Plano de Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso - MT20

Plano de Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso - MT20 Plano de Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso - MT20 1ª oficina de prospecção de cenários (parte 2) Cuiabá, fevereiro, 2006 Condicionantes de futuro exógenos (nacionais) Condicionantes de futuro exógenos

Leia mais

A ABERTURA COMERCIAL, A INSERÇÃO DE MATO GROSSO NO CENÁRIO INTERNACIONAL E SEUS PRINCIPAIS EIXOS VIÁRIOS

A ABERTURA COMERCIAL, A INSERÇÃO DE MATO GROSSO NO CENÁRIO INTERNACIONAL E SEUS PRINCIPAIS EIXOS VIÁRIOS A ABERTURA COMERCIAL, A INSERÇÃO DE MATO GROSSO NO CENÁRIO INTERNACIONAL E SEUS PRINCIPAIS EIXOS VIÁRIOS Benedito Dias Pereira 1 RESUMO: A economia do Estado de Mato Grosso, mais acentuadamente nos dez

Leia mais

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE Novembro/2011 Introdução A demanda mundial por produtos originados de recursos naturais renováveis e não-renováveis

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais

EDITAL N 01/2012 - COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COMPERVE

EDITAL N 01/2012 - COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COMPERVE EDITAL N 01/2012 - COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COMPERVE A FACULDADE DO VALE DO JAGUARIBE - FVJ torna público aos interessados que está aberto o agendamento para o Vestibular 2012.2 dos cursos de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES 1 TRANSPORTE NO BRASIL Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 2 1 ROTEIRO GERAL DA PALESTRA 1) Função Transporte e Eficiência; 2) Considerações

Leia mais

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)

CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) CP/ECEME/2007 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA (SAÙDE) 1ª QUESTÃO (Valor 6,0)! "#$ &%'(!*)+,-,. / 01 2 3 4 %5 6. %, 87 9;:=?A@ BDC@E@ FGB

Leia mais

CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO - (Valor 6,0)

CPS CP/ECEME ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA - SAÚDE. 1ª QUESTÃO - (Valor 6,0) CPS CP/ECEME - 09 1ª AVALIAÇÃO SOMATIVA FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO Al Nº: 1ª QUESTÃO - (Valor 6,0) Analisar a participação do Brasil no G, nos campos econômico e político, concluindo sobre os impactos

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Ofício nº /2010/SPI/MP. Brasília, de abril de 2010. A Sua Senhoria o Senhor Nilo Sérgio de Melo Diniz Diretor do CONAMA Edifício Marie Prendi Cruz, W2 Norte, quadra 505, lote 2, bloco B, 1º andar Brasília/DF

Leia mais

Análise dos Estudos de PMIs Caso Rodovias. CICLO DE PALESTRAS Secretaria de Política Nacional de Transportes

Análise dos Estudos de PMIs Caso Rodovias. CICLO DE PALESTRAS Secretaria de Política Nacional de Transportes Análise dos Estudos de PMIs Caso Rodovias CICLO DE PALESTRAS Secretaria de Política Nacional de Transportes Brasília, DF - 23/out/2015 Objetivo Apresentar a metodologia de análise dos estudos de Procedimentos

Leia mais

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2013. RELATOR: Senador ROBERTO REQUIÃO I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DEFESA NACIONAL, sobre o Projeto de Decreto Legislativo nº 41, de 2013 (nº 564, de 2012, na origem), da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 1-008-12 ANEXO V CRITERIOS DE ELABORAÇÃO E JULGAMENTO DA PROPOSTA TECNICA

EDITAL DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 1-008-12 ANEXO V CRITERIOS DE ELABORAÇÃO E JULGAMENTO DA PROPOSTA TECNICA ANEXO V CRITÉRIOS DE ELABORAÇÃO E JULGAMENTO DA PROPOSTA TÉCNICA 1. ELABORAÇÃO DA PROPOSTA TÉCNICA 1.1 A Proposta Técnica consistirá em quatro quesitos: 1.1.1 Plano de Comunicação - a licitante apresentará

Leia mais

CP/CAEM/2005 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 2005 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

CP/CAEM/2005 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 2005 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO CP/CAEM/05 1ª AVALIAÇÃO FORMATIVA - 05 FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA DO BRASIL 1ª QUESTÃO (Valor 6,0) Analisar os fatores fisiográficos do espaço territorial do Brasil, concluindo sobre a influência

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BREJO SANTO PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU LEI DE ORGANIZAÇÃO TERRITORIAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BREJO SANTO PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO URBANO PDDU LEI DE ORGANIZAÇÃO TERRITORIAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BREJO SANTO PLANO DIRETOR DE DESENOLIMENTO URBANO PDDU LEI DE ORGANIZAÇÃO TERRITORIAL B APRESENTAÇÃO 2 APRESENTAÇÃO B A análise das experiências em planificação no Brasil deste

Leia mais

Discurso proferido pelo Deputado COSTA FERREIRA. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Juros altos, controle da inflção, ampliação do comércio

Discurso proferido pelo Deputado COSTA FERREIRA. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Juros altos, controle da inflção, ampliação do comércio 1 Para que a economia nacional prospere e se sustente é necessário investir em infra-estrutura. Apresento nesse discuro a prioriodade de tratamento às modalidades de transporte, principalmente rodoviário

Leia mais

Sincromodalidade destaque da saída por Miritituba

Sincromodalidade destaque da saída por Miritituba Sincromodalidade destaque da saída por Miritituba TRANS 2015 VI CONGRESSO INTERNACIONAL DE TRANSPORTES NA AMAZÔNIA II SEMINÁRIO INTERNACIONAL BRASIL/HOLANDA Iana Araújo Rodrigues Setembro 2015 Agenda Conceitos

Leia mais

Questão 45. Questão 47. Questão 46. alternativa D. alternativa B

Questão 45. Questão 47. Questão 46. alternativa D. alternativa B Questão 45 O aumento do número de mortes de soldados das forças de ocupação do Iraque, mesmo após o anúncio do final da guerra pelo governo dos Estados Unidos, deve-se à a) participação tardia da Rússia,

Leia mais

Art. 1º - Os dispositivos adiante discriminados do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, passam a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - Os dispositivos adiante discriminados do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, passam a vigorar com a seguinte redação: DECRETO Nº 55.149, de 10/12/2009 Dá nova redação a dispositivos do Decreto nº 47.400, de 04 de dezembro de 2002, que regulamenta disposições da Lei nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento

Leia mais

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT

Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas. André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Operador de Transporte Multimodal: Desafios e Perspectivas André Dulce G. Maia Especialista em Regulação - ANTT Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998 Art. 2º - Transporte Multimodal de Cargas é aquele

Leia mais

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1. RESULTADOS GERAIS No novo ciclo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entre 2015 e 2018, serão investidos de R$ 1,05 trilhão. Nesse período,

Leia mais

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL 64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL PALESTRA: DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA AQUAVIÁRIA Painel - Um modelo institucional para a infraestrutura logística dentro

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMAS BRASILEIROS Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMA: É CONJUNTO DE ECOSSISTEMAS TERRESTRES, CLIMATICAMENTE CONTROLADOS, QUE SÃO CARACTERIZADOS POR UMA VEGETAÇÃO PRÓPRIA (RAVEN ET AL., 2001) LOCALIZAÇÃO

Leia mais

2. OBJETIVOS 3. ÁREA DE INTERESSE

2. OBJETIVOS 3. ÁREA DE INTERESSE TERMO DE REFERÊNCIA Impactos ambientais potenciais e áreas terrestres e aquáticas vulneráveis e críticas para a conservação na área de influência do terminal portuário de Miritituba (Itaituba, PA) e na

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA

PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1 PEP 2012 3ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar os reflexos da primeira fase da Guerra Fria (1945-1962), nos campos político e econômico, para

Leia mais

2º Balanço. Julho - Setembro 2011

2º Balanço. Julho - Setembro 2011 2º Balanço Julho - Setembro 2011 Amapá Apresentação O programa que mudou o Brasil agora está de cara nova. Mais recursos para continuar construindo a infraestrutura logística e energética e sustentar o

Leia mais

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846

RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO - CEPEC Nº 846 Altera a denominação do Curso de Especialização em Redes de Computadores, criado pela Resolução CEPEC nº 422, e aprova o novo

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira

Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira Direito Ambiental para Não Advogados VIEX Americas Bastidores do Licenciamento Ambiental Simone Paschoal Nogueira São Paulo, 25 de fevereiro de 2016 Conceitos Principais Licenciamento ambiental Procedimento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DELIBERAÇÃO Nº 014/05 Autoriza a criação do Curso de Especialização em Controladoria com dois módulos: Controladoria Pública e Controladoria Societária. O CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento Específico do Curso de Especialização em Gestão e Tecnologia de Produção de Edifícios - CEGT CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES A exploração da UHE Teles Pires, pela Concessionária, será realizada em conformidade com a legislação em vigor

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) N.º 09/2010

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) N.º 09/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) (alterada pela Resolução Consepe n.º 24/2011) N.º 09/2010 Dispõe sobre as normas

Leia mais

Termo de Parceria Secretaria de Estado de Governo SEGOV OSCIP MDC Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Minas Gerais

Termo de Parceria Secretaria de Estado de Governo SEGOV OSCIP MDC Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Minas Gerais 4º Relatório da Comissão de Acompanhamento e Avaliação do Termo de Parceria, firmado entre a Secretaria de Estado de Governo e OSCIP MDC Movimento das Donas de Casa e Consumidores de Minas Gerais Período

Leia mais

LEI Nº 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965

LEI Nº 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965 LEI Nº 4.771, DE 15 DE SETEMBRO DE 1965 Institui o Novo Código Florestal.... Art. 3º Consideram-se, ainda, de preservação permanentes, quando assim declaradas por ato do Poder Público, as florestas e demais

Leia mais

Requerimento Nº /2011

Requerimento Nº /2011 Requerimento Nº /2011 (Da Sra. Deputada JANETE CAPIBERIBE) Solicita Audiência Pública a fim de debater os resultados parciais das ações planejadas resultantes do GT Naval, proposto no âmbito desta Comissão,

Leia mais

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Deputado ANSELMO, na Sessão Plenária do dia 31/03/06 Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Ocupo hoje a tribuna desta Casa para mostrar um panorama dos

Leia mais

PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 PEP/2013-2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) Estudar o fenômeno da migração entre as regiões brasileiras, ocorrida na segunda metade do século

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VALOR DO EMPREENDIMENTO

DECLARAÇÃO DE VALOR DO EMPREENDIMENTO Em atenção a condicionante 2.1, Programa 27, contida na Licença Prévia No. 318/2009, de 09 de julho de 2009, do licenciamento do Empreendimento de Implantação do Projeto de Exploração de Bauxita denominado

Leia mais

Plano Nacional de Logística & Transportes

Plano Nacional de Logística & Transportes INICIATIVA PARA LA INTEGRACIÓN DE LA INFRAESTRUCTURA REGIONAL SURAMERICANA IIRSA Plano Nacional de Logística & Transportes Taller de Casos Exitosos Bogotá, Colômbia, 4 de novembro de 2008 Engº Francisco

Leia mais

REFERÊNCIA Transporte Rodoviário Agenda Setorial 2012 Acompanhamento/Monitoramento da política pública de transporte rodoviário

REFERÊNCIA Transporte Rodoviário Agenda Setorial 2012 Acompanhamento/Monitoramento da política pública de transporte rodoviário 3ª Câmara de Coordenação e Revisão Consumidor e Ordem Econômica SAF Sul Quadra 4 Conjunto C Bloco B Sala 301; Brasília/DF, CEP 70050-900, (61)3105-6028, http://3ccr.pgr.mpf.gov.br/, 3camara@pgr.mpf.gov.br

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LINGÜÍSTICA APLICADA: ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

REGIMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LINGÜÍSTICA APLICADA: ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGIMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LINGÜÍSTICA APLICADA: ENSINO-APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Art. 1º- O Curso de Especialização em Lingüística Aplicada, da Universidade

Leia mais

Oficina de Integração Aérea Sulamericana

Oficina de Integração Aérea Sulamericana Oficina de Integração Aérea Sulamericana 10 e 11 de setembro de 2014 Rio de Janeiro, Brasil OBJETIVOS DA OFICINA: Analisar o sistema de rede de aeroportos (passageiros e carga) e as tendências operacionais

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014

LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014 LAUDO DE AVALIAÇÃO N.º / 2014 Em atendimento à solicitação da...delegou-se ao engenheiro..., CREA- MG:.../D a incumbência de proceder a avaliação dos imóveis localizados na Rua Frei Orlando nº 360 e nº

Leia mais

ATENDIMENTO DOS CONDICIONANTES DA LICENÇA AMBIENTAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA METROVIÁRIO DE SALVADOR 1ª

ATENDIMENTO DOS CONDICIONANTES DA LICENÇA AMBIENTAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA METROVIÁRIO DE SALVADOR 1ª ATENDIMENTO DOS CONDICIONANTES DA LICENÇA AMBIENTAL DE IMPLANTAÇÃO SISTEMA METROVIÁRIO DE SALVADOR 1ª Etapa: Lapa Pirajá (Linha 1) Tramo 1: Lapa Acesso Norte Tramo 2: Acesso Norte - Pirajá Portaria Nº

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES: ALTERNATIVAS DE ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NO ESTADO DE MATO GROSSO 1

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES: ALTERNATIVAS DE ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NO ESTADO DE MATO GROSSO 1 LOGÍSTICA DE TRANSPORTES: ALTERNATIVAS DE ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NO ESTADO DE MATO GROSSO 1 Nilton Marques de Oliveira, Msc 2 Heleno do Nascimento Santos, Dr 3 RESUMO O objetivo deste trabalho

Leia mais

Paulo Affonso Leme Machado

Paulo Affonso Leme Machado APP E PEQUENA PROPRIEDADE RURAL 2007 Paulo Affonso Leme Machado Professor de Direito Ambiental na Universidade Metodista de Piracicaba. Doutor em Direito (PUC/SP); Doutor Honoris Causa (UNESP), Mestre

Leia mais

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos.

I) A prova de Redação será escrita e respondida em Língua Portuguesa, no valor total de 100 (cem) pontos. EDITAL DO PROCESSO SELETIVO E MATRÍCULA DOS CANDIDATOS APROVADOS NO CURSO PRESENCIAL OFERECIDO PARA O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE MODAL (INÍCIO DAS AULAS EM FEVEREIRO DE 2016). De ordem do Sr.

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1 Anexo I da Resolução do Conselho Superior nº 46/2011, de 13/09/2011. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO DOS CURSOS

Leia mais

O programa brasileiro de unidades de conservação

O programa brasileiro de unidades de conservação O programa brasileiro de unidades de conservação MARINA SILVA Ministério do Meio Ambiente, Esplanada dos Ministérios, Brasília, Distrito Federal, Brasil. e-mail: marina.silva@mma.gov.br INTRODUÇÃO A Convenção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 57/2009/CONEPE Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação

Leia mais

EDITAL N 01/2016 CCV

EDITAL N 01/2016 CCV EDITAL N 01/2016 CCV A FAMETRO torna público aos interessados que estão abertas as inscrições para o processo seletivo dos cursos de graduação, nas condições indicadas neste Edital. 1. VALIDADE O presente

Leia mais

INFORMAÇÕES TRAVESSIA TRANSPANTANEIRA MS BIKE ADVENTURE

INFORMAÇÕES TRAVESSIA TRANSPANTANEIRA MS BIKE ADVENTURE 1) O que é o evento Travessia Transpantaneira - Bike Adventure? É um evento de cicloturismo organizado pela Espirito de Aventura Brasil (EDA Brasil), para praticantes da modalidade Mountain Bike, com uma

Leia mais

Programa de Investimento em Logística

Programa de Investimento em Logística Programa de Investimento em Logística HÉLIO MAURO FRANÇA Empresa de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VI DO MEIO AMBIENTE Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 Primeiro Semestre

EDITAL PROCESSO SELETIVO 2016 Primeiro Semestre EDITAL PROCESSO SELETIVO Primeiro Semestre O Diretor Geral da Faculdade Capital Federal, credenciada pela Portaria MEC no. 596 de 18 de junho de e publicada no Diário Oficial da União em 19 de junho de,

Leia mais

O Sr. OSVALDO REIS (PMDB-TO) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e. Senhores Deputados, sempre vale a pena insistir, nesta

O Sr. OSVALDO REIS (PMDB-TO) pronuncia o. seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e. Senhores Deputados, sempre vale a pena insistir, nesta O Sr. OSVALDO REIS (PMDB-TO) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, sempre vale a pena insistir, nesta tribuna, na priorização das hidrovias e na instalação de

Leia mais

HIDROENERGIA E INTEGRACION SUBREGIONAL

HIDROENERGIA E INTEGRACION SUBREGIONAL HIDROENERGIA E INTEGRACION SUBREGIONAL Ivo Brasil Agência Nacional de Águas Ivo.brasil@ana.gov.br Brasil Para bajar la presentación, haga click AQUI PARTE I A ÁGUA DOCE COMO INSTRUMENTO DE INTEGRAÇAO REGIONAL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE-FURG PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Av. Itália, Km8 Campus Carreiros Rio Grande, RS Brasil 96201-900 fone: 53.32336772 e-mail:prograd@furg.br

Leia mais

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 DISPÕE SOBRE O PLANO VIÁRIO DO MUNICÍPIO DE GOIOERÊ EM CONFORMIDADE COM A LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 001/2007 LEI DO PLANO DIRETOR, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROVAS SEGUNDO O MODELO ENADE. Profa. Tânia Moura Benevides

ELABORAÇÃO DE PROVAS SEGUNDO O MODELO ENADE. Profa. Tânia Moura Benevides ELABORAÇÃO DE PROVAS SEGUNDO O MODELO ENADE Profa. Tânia Moura Benevides Agenda QUESTÕES NORTEADORAS SINAES ENADE Estrutura da prova Responsabilidades Tipos de questões QUESTÕES NORTEADORAS O que nós professores

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001

RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001 RESOLUÇÃO Nº 279, DE 27 DE JUNHO DE 2001 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe são conferidas pela Lei n 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

Anexo. os projetos de infra-estrutura e o desenvolvimento regional. Fernando Henrique Cardoso

Anexo. os projetos de infra-estrutura e o desenvolvimento regional. Fernando Henrique Cardoso Anexo os projetos de infra-estrutura e o desenvolvimento regional Fernando Henrique Cardoso SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros CARDOSO, FH. Avança, Brasil: proposta de governo [online]. Rio de

Leia mais

Salvador, Bahia Terça-feira 27 de Maio de 2014 Ano XCVIII N o 21.434 EDITAL Nº 049/2014

Salvador, Bahia Terça-feira 27 de Maio de 2014 Ano XCVIII N o 21.434 EDITAL Nº 049/2014 Salvador, Bahia Terça-feira 27 de Maio de 2014 Ano XCVIII N o 21.434 EDITAL Nº 049/2014 O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais, torna público

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 378, DE 2013 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 9.074, de 7 de junho de 1995, e as Leis nº 10.847 e nº 10.848, ambas de 15 de março de 2004, para condicionar a realização

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades Metrô de Salvador Linha 1 Trecho Lapa - Acesso Norte Salvador BA apresentação O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) completa

Leia mais

PEP 2014-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE

PEP 2014-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 PEP 2014-5ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO GEOGRAFIA-SAÚDE 1 a QUESTÃO (Valor 6,0) O Brasil registrou IDH de 0,730, ante 0,728 em 2011, o que inclui o país entre os de desenvolvimento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ SECRETARIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ SECRETARIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ SECRETARIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO nº 028, de 17 de dezembro de 2014. Estabelece as diretrizes para a realização de Processo Seletivo Especial

Leia mais

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID. Edital de 27 de agosto de 2010 - Processo Seletivo Medicina - 1º Semestre de 2011

UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID. Edital de 27 de agosto de 2010 - Processo Seletivo Medicina - 1º Semestre de 2011 UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO - UNICID Edital de 27 de agosto de 2010 - Processo Seletivo Medicina - 1º Semestre de 2011 O Reitor da Universidade Cidade de São Paulo UNICID, com base no respectivo Regimento

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016

EDITAL DE RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 EDITAL DE RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2016 O Diretor da Faculdade de Direito do Sul de Minas, no uso de suas atribuições, torna público, para conhecimento dos interessados, a Retificação

Leia mais

CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO AMAZONAS CAU/AM EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 01/2013

CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO AMAZONAS CAU/AM EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 01/2013 CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO AMAZONAS CAU/AM EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO N. 01/2013 O CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO AMAZONAS CAU/AM, criado pela lei nº 12.378, de 31 de

Leia mais

INSCRIÇÕES NA SECRETARIA DA FACULDADE E PELA INTERNET www.fem.com.br DATA: ABERTURA - 27/10/2014 Segunda Feira ENCERRAMENTO - 05/12/2014 Sexta Feira

INSCRIÇÕES NA SECRETARIA DA FACULDADE E PELA INTERNET www.fem.com.br DATA: ABERTURA - 27/10/2014 Segunda Feira ENCERRAMENTO - 05/12/2014 Sexta Feira INSCRIÇÕES NA SECRETARIA DA FACULDADE E PELA INTERNET www.fem.com.br DATA: ABERTURA - 27/10/2014 Segunda Feira ENCERRAMENTO - 05/12/2014 Sexta Feira TAXA bancário. Será cobrada taxa de inscrição no valor

Leia mais

Discurso proferido pelo Deputado COSTA FERREIRA. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Hipoteco meu apoio irrestrito à MP 274 que tem por

Discurso proferido pelo Deputado COSTA FERREIRA. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Hipoteco meu apoio irrestrito à MP 274 que tem por 1 A Ferrovia Norte-Sul é estratégica para a economia nacional. Sua conclusão e ampliação têm caráter de urgência. Por isso, hipoteco meu apoio irrestrito à MP 274 que objetiva concluir o trecho entre Açailândia

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE COMISSÃO DE VESTIBULAR 2011/2

FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE COMISSÃO DE VESTIBULAR 2011/2 1 FACULDADE CATÓLICA DOM ORIONE COMISSÃO DE VESTIBULAR 11/2 EDITAL Nº 5/11 1.0 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Processo Seletivo 11/2 dos cursos de Administração e de Direito da Faculdade Católica Dom Orione

Leia mais