Quantos somos? Pesquisa de Assistência Médico- Sanitária do IBGE mostra o número de laboratórios no Brasil. Página 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quantos somos? Pesquisa de Assistência Médico- Sanitária do IBGE mostra o número de laboratórios no Brasil. Página 2"

Transcrição

1 PALC Os cinco passos para o profissional higienizar as mãos. Página 8 USP contra a aids Universidade recebe verba para desenvolver antirretroviral. Página 10 Fiocruz combate malária Fundação desenvolve medicamento mais eficiente. Página 10 Risco cardíaco Teste de sangue ajuda na prevenção. Página 11 UFRJ x câncer Nova opção de tratamento combate doença na tireoide. Página 12 Infecção hospitalar Sistema especial de iluminação ataca superbactérias. Página 15 Proteínas em movimento Espanha cria banco de dados com milhares de vídeos. Página 19 Medicamentos Anvisa mostra influência da indústria farmacêutica no SUS. Página 20 Recadastramento Última chance: médicos devem procurar o CRM de seu estado. Página 21 Quantos somos? Pesquisa de Assistência Médico- Sanitária do IBGE mostra o número de laboratórios no Brasil. Página 2 Teste rápido para sífilis Kit produzido por Bio-Manguinhos vai fornecer resultado em 15 minutos, com eficácia superior a 90%. Página 16 Editorial Prezados leitores IBGE, instituição de orgulho nacional, viessem a Para o editorial desta edição que encerra 2010 é público foi preciso que o Notícias - Medicina preciso destacar pontos não explicitados na Pesquisa Laboratorial desse a ênfase necessária. Essas de Assistência Médico-Sanitária, do IBGE, muito bem informações veiculadas pelo jornal da SBPC/ML são apresentada na reportagem que começa na página 2. importantes para servirem de referência à formação No mês de novembro, a imprensa nacional deu ampla profissional que nossa atividade necessita, à cobertura aos dados desse importante trabalho que, intensidade dos investimentos financeiros e sua esperamos, mantenha regularidade e periodicidade o distribuição geográfica e a tudo que contribua com mais curta possível, dado a rapidez com que os as políticas públicas de acesso da população ainda números se alteram no segmento da saúde no Brasil. desassistida de exames laboratoriais de caráter As notícias veiculadas concentraram-se no número preventivo, preditivo, diagnóstico e monitoramento de leitos, hospitais, leitos de UTI, equipamentos de terapêutico. tomografia, de ressonância magnética e outros Leiam com atenção a reportagem e observem os dados itens. Mas um setor de assistência à saúde, que mostrados nas tabelas. Vocês vão se surpreender com responde por quase 20 mil unidades de atendimento nossos números. no Brasil, e que influencia em cerca de 70% as Um feliz fim de 2010 e um ano novinho com esperanças decisões propedêuticas e terapêuticas foi, digamos, renovadas. sublimado pelos noticiários. Para que tais dados tão importantes apurados pelo Armando Fonseca - Editor-chefe

2 Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária apresenta dados que interessam ao setor de diagnóstico laboratorial A Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária (AMS) 2009, realizada pelo IBGE e divulgada em novembro, informa que, no ano passado, existiam laboratórios de análises clínicas no país e de anatomia patológica/citologia. Esses números incluem laboratórios que estão em hospitais, clínicas e outros estabelecimentos de saúde com ou sem internação. A última pesquisa desse tipo foi em Naquela ocasião os laboratórios não foram computados separadamente, mas considerados no total de serviços de apoio diagnóstico. A AMS 2009 mostra quantos laboratórios prestam serviços somente a particulares (incluindo planos de saúde), quantos atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e quantos têm os dois tipos de atendimento. Os dados se sobrepõem porque muitos estabelecimentos enquadram-se em mais de uma dessas situações (tabela ao lado).o quadro da página 3 apresenta o número de laboratórios por unidade da federação (UF), segundo o tipo de atendimento. Laboratórios de análises clínicas e anatomia patológica/citologia no Brasil Obs: Total = Público (SUS) + Privado Análises clínicas Anatomia patológica / citologia 4548 Total Tipo de atendimento Público (SUS) Privado Privado/SUS Laboratórios de análises clínicas por região geográfica CO N NE S SE 2

3 Laboratórios de anatomia patológica/citologia por região geográfica CO N NE S SE O IBGE pesquisou os estabelecimentos de saúde públicos que têm CNPJ próprio ou da mantenedora, os privados com CNPJ próprio ou da mantenedora e os que estão registrados como Pessoa Jurídica (têm CNPJ). Nos públicos, foram considerados os estabelecimentos que têm instalações físicas destinadas exclusivamente a ações na área da saúde. Nos privados, a pesquisa considerou os que têm pelo menos um funcionário pertencente à empresa, independentemente do número de profissionais de saúde (terceirizados ou não) que trabalham no local. A AMS 2009 informa o número de estabelecimentos que ofereciam também, ou exclusivamente, Serviços de Apoio Diagnóstico (SAD) ou Apoio à Diagnose e Terapia (SADT), segundo os serviços mais realizados. Não considerando imunização (vacinas), as análises clínicas estão em primeiro lugar nos setores público (4.917) e privado (11.740). Anatomia patológica/citologia aparece em sexto no segmento privado (4.554) e em décimo no setor público (1.300), atrás de serviços como eletrocardiografia, ultrassonografia, fisioterapia/reabilitação, radiologia, fonoaudiologia e psicoterapia. Outro dado da pesquisa é o número de estabelecimentos somente de SAD e SADT em cada região geográfica do país e o tipo de atendimento (SUS, privado e privado/sus). Como na tabela da página 2, os dados se sobrepõem porque muitos enquadram-se em mais de uma dessas situações. Em 2009, a maioria dos laboratórios concentrava-se na Região Sudeste A tabela abaixo também mostra que, em 2009, do total de estabelecimentos que realizavam exclusivamente SAD e SADT, (90,8%) faziam atendimento privado e (9,2%) atendiam pacientes do SUS. Desses, atendiam pacientes particulares e também mantinham convênio com o sistema público. Estabelecimentos exclusivamente SAD/SADT por região e tipo de atendimento Obs: Total = Público (SUS) + Privado Total Público (SUS) Privado Privado/SUS Brasil Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste

4 Perfil da saúde no Brasil A pesquisa AMS 2009 do IBGE procura apresentar uma visão dos serviços de saúde no país. O número de laboratórios é uma parte das informações disponíveis. A realização da AMS 2009 foi antecipada na edição de outubro do ano passado do Notícias - Medicina Laboratorial. O IBGE mostra o total de estabelecimentos de saúde no Brasil. Destes, ele informa o número dos que estavam em atividade, os desativados parados, mas com possibilidade de reabertura, os extintos e aqueles que estavam em atividade parcial funcionavam mas tinham pelo menos uma atividade paralisada ou desativada. Foram pesquisados estabelecimentos como postos e centros de saúde; clínicas e postos de assistência médica; pronto-socorros; unidades mistas; hospitais civis e militares; unidades de complementação diagnóstica e/ou terapêutica; clínicas odontológicas, radiológicas e de reabilitação; e laboratórios clínicos. Não foram incluídos consultórios particulares mantidos por médicos, psicólogos e outros profissionais de saúde autônomos que não se enquadram nos tipos mencionados antes. Também não foram p e s q u i s a d o s e s t a b e l e c i m e n t o s c o m o ambulatórios e gabinetes médicos ou dentários A pesquisa do IBGE apresenta um panorama dos serviços de saúde no Brasil em de rede escolar que atendem somente alunos e funcionários, de empresas particulares e públicas exclusivos para os empregados; ambulatórios médicos que fazem exclusivamente exames de capacitação (como clínicas de exames de vista para o Departamento de Trânsito); instituições de pesquisa e ensino que não atendem pacientes regularmente; e serviços de saúde criados para campanhas provisórias. Postos de trabalho A Pesquisa AMS 2009 mostra a evolução do com 21,4% ( ), Sul, 15,2% ( ), número de postos de trabalho na área da saúde Centro-Oeste, com (7%), e Norte, em geral, sem especificar a atividade ou tipo de (5%) (gráfico abaixo). estabelecimento em que os profissionais atuam. Em relação a 2005, quando foi realizada a pesquisa anterior, a oferta de vagas para nível superior cresceu 26,9% até Nesse período, passou de para O aumento foi mais acentuado na região Norte (42%). Nas outras regiões, ficou entre 21,8% e 28,3%. Postos de trabalho de nível superior por região geográfica 15% 5% Em 2009, os médicos eram a maioria entre os profissionais de nível superior, com 57,6% (636 mil), seguidos de enfermeiros, 163 mil (14,8%). Do total de postos de trabalho de nível superior, a região Sudeste ocupava o primeiro lugar, em 2009, com 51,4% ( ), seguida de Nordeste, 7% 21% 51% CO N NE S SE 4

5 Laboratórios de análises clínicas e anatomia patológica/citologia em estabelecimentos de saúde, com e sem internação, por tipo de atendimento Obs: Total = Público + Privado A coluna "Privado/SUS" refere-se aos laboratórios que fazem atendimento particular mas também atendem pacientes do SUS. Análises clínicas Anatomia patológica/citologia UF Total Público Privado Privado/SUS Total Público Privado Privado/SUS AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO

6 Balanço de fim de ano Canal direto O PALC também trouxe novidades, como o lança- mento da versão 2010 de sua Norma, que apresenta um capítulo específico sobre gestão dos riscos e da segurança do paciente. Com isso, o PALC mais uma vez mostra seu pioneirismo ao ser o primeiro programa brasileiro de acreditação laboratorial a incluir esse tema em seus requisitos. A cada final de ano é uma tradição analisarmos o que passou e o que fizemos, com o objetivo de melhorar nossa vida pessoal e profissional nos 12 meses que vêm pela frente, sempre com a expectativa que sejam melhores que aqueles que ficaram para trás. O primeiro ano de gestão da atual Diretoria da SBPC/ML foi marcado por grandes conquistas e novidades. Em primeiro lugar, destaco nosso 44º Congresso, realizado no Rio de Janeiro após sete anos sem acontecer na Cidade Maravilhosa. O sucesso foi total, sob todos os aspectos. No apagar das luzes de 2010 o PALC realizou mais um curso de formação de auditor externo da qualidade. Após cinco dias seguidos de aulas, com uma progra- mação puxada, os alunos foram submetidos a uma avaliação para serem escolhidos os novos auditores do Programa da SBPC/ML. Os aprovados continuarão sendo avaliados nas auditorias que realizarão sob supervisão nos meses seguintes. No congresso lançamos o livro Gestão da Fase Préanalítica - Recomendações da SBPC/ML, publicação de referência para o mercado que inova também em seu formato de fichário para poder ser atualizado com novos capítulos que serão lançados em 2011, de modo a tornar-se uma obra completa e de fácil consulta. Presidente: Diretor Científico: Diretor de Comunicação: Carlos Alberto Franco Ballarati Nairo Massakazu Sumita Luiz Eduardo Rodrigues Martins Vice-presidente: Vice-diretor Científico: Diretor de Acreditação: Ismar Venâncio Barbosa Murilo Rezende Melo Wilson Shcolnik Diretor Administrativo: Diretora Financeira: Diretor de Defesa de Classe: César Alex de Oliveira Galoro Leila Sampaio Rodrigues Paulo Sérgio Roffe Azevedo Vice-diretor Administrativo: Vice-diretora Financeira: Presidente do Conselho de Ex-presidentes: Rubens Hemb Natasha Slhessarenko Alvaro Martins Mais informações: sucesso não poderia ser possível sem a importante parceria firmada com a Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), que viabilizou economicamente o lançamento do portal. Os que não estiveram presentes no congresso do No começo deste texto mencionamos as conquistas Rio, onde o livro foi distribuído, podem encontrá-lo desta gestão. É importante destacar que essas na Biblioteca Digital SBPC/ML onde está disponível conquistas são resultado do trabalho de diretorias gratuitamente para download. anteriores que se dedicaram a fazer da SBPC/ML uma sociedade científica difusora do saber e do Ainda na área de publicações, apresentamos no conhecimento, além de ser uma referência entre congresso o novo jornal Notícias - Medicina profissionais e organizações na área da saúde e, Laboratorial, com projeto gráfico moderno e leitura especificamente, na medicina laboratorial. agradável, sem perder a qualidade do conteúdo. Outro destaque e igualmente bem sucedido foi o Para todos vocês, um feliz 2011! lançamento do portal Lab Tests Online BR, que Carlos Ballarati oferece ao público leigo informações confiáveis e Presidente da SBPC/ML sem viés comercial de exames laboratoriais, além Biênio 2010/2011 de ser uma importante fonte de consulta e de atualização para os profissionais do setor. Esse Conheça a Diretoria Executiva do biênio 2010/2011 Agenda da SBPC/ML a 19 de agosto 45º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica Medicina Laboratorial Centro de Convenções de Florianópolis - CentroSul Florianópolis - SC

7 7

8 Cinco passos para higienizar as mãos A conscientização dos profissionais de saúde para a importância de higienizar as mãos é alvo de campanha mundial liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Abaixo, reproduzimos o conteúdo de material de divulgação distribuído no Brasil, com apoio da World Alliance Pacient Safety, Organização Pan-americana de Saúde, Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária Antes do contato com o paciente Higienize as mãos antes de entrar em contato com o paciente. Após risco de exposição a fluidos corporais Higienize as mãos imediatamente após risco de exposição a fluidos corporais (e após a remoção de luvas). 4 Antes da realização de procedimento asséptico Higienize as mãos imediatamente antes da realização de qualquer procedimento asséptico. Após contato com o paciente Higienize as mãos após contato com o paciente, com as superfícies e objetos próximos a ele e ao sair do ambiente de assistência ao paciente. 5 Após contato com as áreas próximas ao paciente Higienize as mãos após tocar qualquer objeto, mobília e outras superfícies nas proximidades do paciente mesmo sem ter tido contato com o ele. PALC PALC faz curso de auditores externos Entre os dias 29 de novembro e 3 de dezembro aconteceu o Curso de Formação de Auditores Externos da Qualidade Norma PALC 2010, do Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos da SBPC/ML. Durante os cinco dias, os participantes submeteram-se a uma programação puxada, com aulas das 8h às 18h30. Além da parte teórica houve discussão de casos e trabalhos em grupo. Os instrutores foram a gerente Técnica do PALC, Carla Chaves e as auditoras Derliane Oliveira, Claudia Meira, Luisane Oliveira e Paula Távora (na foto, junto com os alunos). A turma era formada por 16 profissionais das cidades de Aparecida de Goiânia (GO), Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Manaus, Petrópolis (RJ), Rio de Janeiro, Sabará (MG), Santa Maria e São Leopoldo (RS) e São Paulo. Cerca de 20% dos exames realizados no país por mês são feitos por laboratórios acreditados pelo PALC. Uma das grandes diferenças do Programa da SBPC/ML em relação a outras certificadoras está na formação de seus auditores externos, que se reflete na confiança depositada pelos laboratórios, diz o diretor de Acreditação da SBPC/ML, Wilson Shcolnik. Ele lembra que existem requisitos para participar do curso como, por exemplo, ter experiência comprovada de pelo menos cinco anos na área e ser profissional habilitado legalmente para exercer a responsabilidade técnica de laboratórios clínicos. O curso reuniu profissionais de laboratórios acreditados pelo PALC e não acreditados. Fui picado pelo mosquito da qualidade há cerca de 1,5 ano, quando me tornei gerente da qualidade, diz Fernando Miranda, de Belo Horizonte, que trabalha há seis anos em laboratório. Inês Murai, de Curitiba, conta que o laboratório no qual trabalha há 25 anos tem PALC. Ela, que está há oito na área da qualidade, quer tornar-se auditora externa do Programa da SBPC/ML para ampliar seus conhecimentos e disseminá-los a outros colaboradores. O curso é muito importante porque podemos conhecer melhor a Norma PALC, acrescenta a paranaense.

9 Belém recebe Jornada e curso do PALC Entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro a SBPC/ML realizou a 1ª Jornada de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial de Belém e o Curso de Formação de Auditor Interno da Qualidade - Norma PALC Aos que não conseguiram participar por falta de vagas, a SBPC/ML explica que é necessário limitar o número de participantes para não prejudicar a qualidade das aulas e o desempenho do grupo. A Jornada, que aconteceu no dia 2, contou com mais de Os alunos do curso tiveram aulas sobre o processo de 100 participantes, o que demonstra o interesse dos acreditação, auditorias da qualidade, gestão do profissionais da região em se atualizar e adquirir novas sistema da qualidade, controle de documentos e informações sobre a atividade. registros, de não conformidades, da fase pré-analítica, Os palestrantes apresentaram conferências sobre de equipamentos, de pessoal e de garantia da qualidatemas como urinálise, risco cardiovascular, infecções de, entre outros temas. da corrente sanguínea, doença renal crônica, analisadores hematológicos, resistência bacteriana e anemias. O curso do PALC começou no dia 31 e durou três dias, com lotação máxima - 50 pessoas (foto). Como era de se esperar, todas as vagas foram preenchidas logo no início do período das inscrições. Homenagem a patologista clínico O médico patologista clínico Jacob Sessim (na foto, à direita), membro do Conselho Fiscal da SBPC/ML, foi homenageado no dia 28 de outubro pela Associação Médica de São João de Meriti (AMSJM), no estado do Rio de Janeiro. Na cerimônia, ele recebeu do presidente da Associação, Dario Feres, uma placa alusiva à sua escolha como Médico do Ano. A votação foi unânime. Jacob Sessim é associado da SBPC/ML desde Sua participação no Conselho Fiscal da Sociedade começou na diretoria do período 1987/1989. Foto: divulgação Foto: divulgação Reconhecimento internacional O médico patologista clínico e ex-presidente da SBPC/ML Mario Flavio Paes e Alcantara recebeu da Associação Latino-americana de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (Alapac/ML) o título de Doctor Honoris Causa por sua dedicação à especialidade no continente e no mundo e sua atuação como delegado da Alapac/ML junto à Associação Mundial das Sociedades de Patologia e Medicina Laboratorial (WASPaLM, na sigla em inglês). A homenagem aconteceu no 20º Congresso da Alapac/ML, realizado em novembro, na cidade de Quito, Equador. Associado da SBPC/ML desde 1969, o patologista clínico foi presidente da SBPC/ML de 1981 a Membro da diretoria da Alapac/ML desde 1982, foi seu presidente de 1992 a Em 2003, foi eleito Diretor para a América Latina da WASPaLM, cargo em que permaneceu por seis anos representando os interesses do continente. Atualmente, na associação mundial é membro do Secretariado para Educação da Patologia nos Países em Desenvolvimento. Também participou da organização de cursos de acreditação, para os quais obteve financiamento, realizados no Uruguai, Peru, Cuba e Equador. 9

10 USP vai desenvolver droga contra a Aids A USP de Ribeirão Preto (SP) vai pretende viabilizar a fabricação Mais R$ 1,6 milhão será destinado a receber R$ 9,85 milhões para em escala industrial, em parceria uma pesquisa sobre o uso farmadesenvolver e produzir medicamen- com uma indústria farmacêutica. cêutico do óleo da copaíba, e R$ tos. Um deles é o antirretroviral Os recursos são da Financiadora 1,4 milhão será empregado na tenofovir, que compõe o coquetel de Estudos e Projetos (Finep), avaliação de um anti-inflamatório. anti-hiv. A verba para este é R$ 4,8 ligada ao Ministério da Ciência e A Finep ainda aprovou recursos milhões e destina-se à Faculdade de Tecnologia. para pesquisas do Hospital das Ciências Farmacêuticas. Além desse projeto, a instituição Clínicas de São Paulo, da Unicamp Segundo um dos membros da vai liberar R$ 1,8 milhão para a e das universidades federais de pesquisa na universidade, o Faculdade de Medicina de Ribeirão São Paulo, Goiás, Pernambuco e professor Giuliano Cesar Clososki, Preto desenvolver uma droga para Santa Catarina. a patente do medicamento deve imunoterapia de pacientes com HIV. Fonte: jornal Folha de S.Paulo expirar em breve. Até lá, a USP Fiocruz desenvolve novo medicamento contra a malária O sal híbrido Mefas promete ser mefloquina usados separadamente coordena o trabalho. mais eficiente no combate a ou sob a forma do ASMQ. Agora, é preciso encontrar uma malária, com a vantagem de não Em testes feitos em animais, o empresa farmacêutica ou instituiapresentar efeitos colaterais Mefas mostrou que pode curar a ção que financie os estudos finais provocados pelo tratamento usado doença com metade da dose desses até obter o produto registrado. atualmente, o ASMQ, dose combi- medicamentos. nada de artesunato e mefloquina, Fontes: Agência Fapesp e Agência recomendado pela OMS. Espera-se também que haja uma Fiocruz de Notícias redução no custo de desenvolvi- Resultante da combinação dessas mento e produção do medicamenduas substâncias, o Mefas está to, tendo em vista que as dificuldasendo desenvolvido pelo Instituto des técnicas poderão ser minimizade Tecnologia em Fármacos da das pela utilização de apenas um Fiocruz (Farmanguinhos). Mesmo IFA insumo farmacêutico ativo, o quando utilizado em dose 100 que não ocorre no ASMQ, no qual vezes maior que a necessária, o sal são utilizados dois IFAs, explica a híbrido causou menos efeitos pesquisadora Núbia Boechat, que colaterais do que o artesunato e Relatório sobre bancos de sangue umbilical A Agência Nacional de Vigilância existem dois tipos de bancos de O relatório aponta que existem, em Sanitária (Anvisa) divulgou o sangue de cordão. Os serviços para todo o país, 15 bancos do tipo primeiro relatório sobre Bancos uso alogênico não-aparentado BSCUPA: um no Centro-Oeste, dois de Sangue de Cordão Umbilical e (BSCUP) são mantidos pelo poder no Sul, três no Nordeste e nove no Placentário para Uso Autólogo. público. Nestes, o sangue armaze- Sudeste. Entre 2003 e 2009, foram Esses serviços fazem coleta, nado é proveniente de doações e armazenadas nesses bancos t e s t a g e m, p r o c e s s a m e n t o, poderá ser utilizado por qualquer unidades de CPH para uso autólogo. armazenamento, liberação e pessoa que necessite, inclusive O primeiro balanço mostrou, ainda, t r a n s p o r t e d e C é l u l a s pelo próprio doador, desde que que muitos bancos enviam informa- Progenitoras Hematopoéticas haja compatibilidade e o sangue ções incompletas. Por isso, a (CPH) provenientes de sangue de estiver disponível. Agência estuda a implantação de cordão umbilical e placentário. Já os bancos para uso autólogo uma planilha padronizada e expli- As CPH, ou células-tronco hemato- (BSCUPA) são instituições privadas cativa para facilitar o preenchimenpóéticas, são células primitivas que possuem autorização exclusi- to e informar os prazos de envio das que têm a capacidade de autorre- vamente para armazenar unida- informações. O relatório está no novação e diferenciação em des que serão utilizadas pelo site da Anvisa: diversos tipos de células. No Brasil, próprio paciente. Fonte: Imprensa da Anvisa 10

11 Alguns motores intracelulares trabalham melhor sozinhos Um estudo da Universidade de Rice professor assistente de bioenge- fracos que as cinesinas, podem (www.rice.edu), nos EUA, mostra nharia em Rice. funcionar melhor em grupo. que as cinesinas proteínas que O estudo mostra que duas cinesinas O artigo Two Kinesins Transport atuam como motores intracelulares devem permanecer próximas uma Cargo Primarily via the Action of que se locomovem usando microtúda outra para atuarem de forma One Motor: Implications for bulos como trilhos trabalham eficaz, mas sem estarem ligadas. Intracellular Transport foi publicamelhor sozinhas do que em pares. Do contrário, uma delas tende a do na edição on line de 3 de novem- Há algum tempo são investigadas assumir toda a carga. bro de 2010 do Biophysical Journal. as propriedades mecânicas Os pesquisadores acreditam que Fontes: Science Daily e individuais dessas proteínas, mas outras classes de motores intrace- Universidade de Rice esta é a primeira vez que se lulares, que são um pouco mais consegue estudá-las trabalhando em conjunto. O transporte intracelular ganhou importância nos últimos anos porque descobriu-se que avarias nesse sistema estão relacionadas a doenças neurodegenerativas, como a esclerose lateral amiotrófica (ELA) e a doença de Huntington. Sabemos que alguns desses motores estão atrelados à maioria das cargas. Então, entender como eles funcionam bem juntos, ou não funcionam, é a chave para uma melhor compreensão do sistema de transporte intracelular, diz o pesquisador chefe, Michael Diehl, Teste de sangue ajuda a prever risco cardíaco Uma equipe da Faculdade de Medicina estudou cerca de 4 mil pessoas com O artigo Association of serial da Universidade de Maryland em 65 anos ou mais que não estavam measures of cardiac troponin T Baltimore (www.umaryland.edu), nos hospitalizadas, sem sintomas de using a sensitive assay with inci- EUA, desenvolveu um teste que ajuda a falha cardíaca e sem doença dent heart failure and cardiovasprever com antecedência os riscos de aguda. As amostras, coletadas ao cular mortality in community problemas cardíacos em pessoas sem longo dos anos, foram preserva- dwelling older adults foi publicado sintomas. O método, que ainda não das em condições especiais. Com na edição on line de 15 de novemestá disponível comercialmente, isso, os pesquisadores de bro de 2010 do The mede a troponina T em indivíduos Maryland puderam analisá-las Journal of American aparentemente saudáveis em níveis usando técnicas modernas. O M e d i c a l dez vezes mais baixos do que se estudo também mostrou que os A s s o c i a t i o n consegue atualmente. níveis de troponina variam com o (JAMA). tempo, para mais ou para menos, Quanto maior o nível de troponina, F o n t e : com correspondente variação do maior é o risco de falha cardíaca e S c i e n c e risco cardíaco. de morte em dez a 15 anos, explica Daily o médico Christopher defilippi, O estudo não considera os novos autor principal do estudo. tratamentos, como o uso de estatinas, que podem alterar os O trabalho baseou-se no projeto valores preditivos dos níveis de Cardiovascular Health Study (CHS), troponina. feito nos EUA desde 1989, que 11

12 PCR identifica tuberculose em até 1 hora Pesquisadores da Agência de Proteção da Saúde do sis. A doença ressurgiu recentemente nos países Reino Unido HPA, na sigla em inglês (www.hpa.org.uk) desenvolvidos devido à resistência que as cepas desenvolveram um teste molecular tão sensível como adquiriram aos medicamentos. o tradicional, capas de detectar o Mycobacterium Os resultados do trabalho Prospects for new molecular tuberculosis em uma hora. diagnostic and typing approaches foram apresentados A técnica utiliza a reação em cadeia da polimerase dia 15 de setembro de 2010 na convenção anual da HPA, (PCR) para identificar uma pequena região do DNA da realizada na Universidade de Warwick, no Reino Unido. bactéria. PCR é um técnica de biologia molecular que amplifica e gera milhões de cópias de uma determinada Fontes: HPA e OMS sequência do DNA. Segundo os autores, o método consegue detectar quantidades muito pequenas da bactéria. O teste tradicional de escarro pode demorar várias semanas para fornecer o resultado. Nesse período, há risco do paciente infectar muitas outras pessoas. Como o novo teste apresenta um resultado rápido, o tratamento pode ser iniciado imediatamente, o que representa um grande avanço, comemora a autora principal, a médica Catherine Arnold, chefe da Unidade de Genômica da HPA. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 1/3 da população mundial é portadora da M. tuberculo- Foto: divulgação UFRJ desenvolve tratamento contra câncer de tireoide Pesquisadores do Programa de de câncer, o que exige reposição dos Oncobiologia e médicos endocrinolo- hormônios produzidos pela glândula. gistas da Universidade Federal do Rio Mas há casos em que as reposições de Janeiro (UFRJ) criaram uma hormonais criam problemas em alternativa para aperfeiçoar o outras áreas do corpo e afetam a tratamento utilizado em pacientes qualidade de vida do paciente. Para a com câncer na tireoide. pesquisadora é necessário impedir a progressão do tumor para aliviar as Desenvolvemos estudos relacionacomplicações e aumentar a sobrevidos a novas opções terapêuticas para da do paciente. os pacientes que apresentam carcinoma avançado da tireoide. Esse tratamento oferece principal- Utilizamos ácido retinoico na tenta- mente o aumento nas chances de tiva de aumentar a reposta dos sobrevida do paciente com câncer na pacientes à radioiodoterapia. tireoide, diz a pesquisadora. Iniciamos novos protocolos com a Ela explica que pacientes com associação de drogas nos pacientes carcinoma avançado na tireoide já que não responderam ao ácido recebem essa medicação como retinoico isoladamente, explica a protocolo experimental no Instituto professora Denise Pires de Carvalho Nacional do Câncer e hospital da (foto), pesquisadora do programa de UFRJ, e em outros estados, com Oncobiologia e diretora do Instituto resultados positivos. de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF), da UFRJ. Fonte: Olhar Vital/UFRJ A retirada da tireoide ocorre na maioria dos pacientes com esse tipo 12

13

14 A culpa é da hemoglobina A sepse grave, que se caracteriza por queda repentina da pressão sanguínea e perda progressiva das funções de órgãos vitais após infecção, é uma das causas de morte mais comuns em UTIs em todo o mundo. A taxa de mortalidade varia de 30% a 70%, mesmo nas melhores condições médicas. Uma equipe do Instituto Gulbenkian de Ciência - IGC (www.igc.gulbenkian.pt), de Portugal, descobriu que o grupo heme, liberado pelos glóbulos vermelhos durante uma infecção, é responsável pela perda de funções dos órgãos. Os pesquisadores também encontraram uma forma eficaz de neutralizar o efeito tóxico do grupo heme através da molécula hemopoxina, encontrada no organismo. A equipe, liderada pelo PhD Miguel Soares, descobriu que a hemoglobina é o principal responsável por essa reação. Ela está associada a quatro moléculas, os grupos heme, cada um dos quais tem um átomo de ferro que captura o oxigênio. No desenvolvimento da sepse, a hemoglobina é liberada dos glóbulos vermelhos e os grupos heme, agora livres na circulação, tornam-se tóxicos. Eles podem, então, prejudicar vários órgãos, afetar a sua função e levar o paciente à morte. A pesquisa contou com o apoio de uma equipe internacional, da qual fez parte o brasileiro Fernando Bozza, da Fiocruz. Eles verificaram que entre pacientes de UTIs com sepse grave, os que morreram tinham nível baixo de hemopoxina circulante, comparado com os que sobreviveram. O artigo A central role for free heme in the pathoge- nesis of severe sepsis foi publicado na edição on line de 29 de setembro de 2010 de Science Translational Medicine. Fontes: AlphaGalileo e IGC Pele transformada em sangue Pesquisadores da Universidade A técnica foi repetida várias vezes McMaster (www.mcmaster.ca), do durante dois anos usando pele de Canadá (foto), transformaram fibro- jovens, adultos e idosos para comproblastos de tecido conjuntivo direta- var se ela funciona independentemenmente em geradores de sangue. te da idade do doador. Isso foi conseguido sem precisar passar Os autores acreditam que essa técnica por um estágio intermediário, pluripo- ajudará a desenvolver fontes de tente, em que podem dar origem a células para aplicações clínicas. No outros tipos de células humanas. A futuro, pacientes que precisarem de equipe usou o fator de transcrição sangue para cirurgia, tratamento de OCT4 junto com um tratamento câncer, anemia ou outra condição específico com citocinas (proteínas ou poderão ser capazes de ter o sangue peptídeos que podem ser produzidos criado a partir de células de sua por diversas células) para gerar, em própria pele. O grupo avalia que os laboratório, progenitores capazes de testes clínicos começarão em dar origem a uma ampla gama de O artigo Direct conversion of human células sanguíneas maduras. fibroblasts to multilineage blood Agora que aprendemos o processo, progenitors foi publicado na edição on vamos trabalhar para poder criar line de 7 de novembro de 2011 da outros tipos de células humanas a revista Nature. partir da pele, diz Mick Bhatia, diretor Fontes: Agência Fapesp e Universidade científico do Instituto de Pesquisas em McMaster Células Tronco e Câncer da universidade e um dos autores do trabalho. 14

15 Luz combate infecção hospitalar Um sistema de iluminação que pode matar superbactérias (foto) foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Strathclyde em Glasgow volveram uma variação na (www.strath.ac.uk), Escócia. tonalidade da luz que permite Os testes clínicos mostraram que usá-la na iluminação ambiente consegue-se reduzir considera- dos hospitais. velmente a contaminação no ar e O comprimento de onda de luz em superfícies expostas, em usado mata os patógenos e é ambientes hospitalares, onde há inofensivo aos seres humanos, o presença de Staphylococcus que significa que será possível aureus resistente à metilcilina fazer desinfecções contínuas de (MRSA) e Clostridium difficile. UTIs e salas de isolamento, diz O dispositivo usa um facho de luz um dos autores do estudo, o HINS sigla em inglês de Espec- microbiologista John Anderson. tro Visível de Alta Intensidade. O artigo Environmental deconta- As moléculas que contêm as mination of a hospital isolation bactérias são estimuladas pela room using high-intensity luz, o que provoca uma reação narrow-spectrum light foi química mortal a elas. publicado na edição de novem- Segundo os pesquisadores, os bro de 2010 do The Journal of efeitos são notados até mesmo Hospital Infection. nos locais alcançados somente Fontes: Science Daily e por luz refletida. Eles desen- Universidade de Strathclyde Países testam em bloco antirretroviral O Brasil e mais seis países mentos, segundo o diretor do começam a testar em bloco, Departamento de Aids e em 2011, o ritonavir termoes- Hepatites Virais do Ministério tável, variação do antirretro- da Saúde, Dirceu Greco. viral tradicional que tem a O governo brasileiro gasta por vantagem de não precisar ser ano R$ 11,45 milhões na compra guardado em geladeira. do remédio, atualmente usado O medicamento usa matéria- por pacientes. A tendênprima da China e de laboratóri- cia é que a indicação do medicaos particulares brasileiros e foi mento aumente nos próximos desenvolvida pela Fundação anos, acrescenta Greco. Oswaldo Cruz com uma nova Os países envolvidos no teste tecnologia. compõem uma rede de coope- É um esforço conjunto. Uma ração tecnológica em aids que vez verificada a segurança do procura desenvolver e testar produto, o Brasil repassará a medicamentos, kits de diagtecnologia para os demais nóstico e outros produtos países do bloco, diz a consul- importantes para o tratamentora do Ministério da Saúde e to contra a doença. coordenadora do projeto do A rede de cooperação tecnolódesenvolvimento da droga, gica é formada pelo Brasil, Eloan Pinheiro. Tailândia, Rússia, Ucrânia, Além de ser mais fácil de Argentina, Cuba e China. conservar, a droga pode ser combinada com outros medica- Fonte: jornal O Estado de S.Paulo Foto: divulgação Novas infecções por HIV caíram 20% em dez anos É o que informa relatório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids). Em 2009, foram registrados 2,6 milhões de novos casos contra 3,1 milhões em O documento mostra também que, entre os jovens, a taxa de prevalência do HIV caiu em mais de 25% nos 15 países mais severamente afetados pelo vírus. De acordo com o Unaids, a redução se deu em razão da adesão dos jovens a práticas sexuais mais seguras. Fonte: Agência Brasil Obesidade nos jovens preocupa deputados Tramitam na Câmara dos Deputados pelo menos 15 projetos relacionados à obesidade e à promoção da alimentação saudável em crianças e jovens. Um deles prevê a criação de uma Política Nacional de Combate à Obesidade Infantil, com princípios e diretrizes para ações voltadas para educação nutricional e segurança nutricional da população e a obrigatoriedade da divulgação de advertência sobre o risco de obesidade em embalagens de produtos altamente calóricos. Fonte: Agência Câmara 480 mil novos casos de câncer Esta é a estimativa para o ano de 2010, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Os tipos de tumor mais frequentes nos homens são os de pele (não melanoma), próstata e pulmão. Nas mulheres, os mais diagnosticados são os de pele (não melanoma), mama e colo do útero. A pesquisa do instituto foi feita em 17 cidades brasileiras, de 2000 a Fonte: Agência Brasil 15

16 Camundongo recebe células T humanas Em uma experiência realizada no No timo são desativadas as células Centro de Medicina Molecular T que identificam as estruturas do M a x - D e l b r ü c k d e B e r l i m próprio organismo e poupadas as ( w w w. m d c - b e r l i n. d e ), n a que reconhecem os invasores. Alemanha, um camundongo Os receptores das células T no transgênico recebeu um repertócamundongo reconhecem as rio de células T humanas. Elas têm tumorais como invasoras. Em receptores na superfície que humanos, os receptores não são reconhecem invasores para que o tão eficientes porque o organismo sistema imunológico os combata. os destrói para que ataquem suas As células também identificam as próprias estruturas. Só permaneproteínas estranhas ao corpo, cem as células T com receptores de modo que o organismo não menos eficientes, explica ataque suas próprias proteínas. Blankenstein. Segundo o professor Thomas O artigo Transgenic mice with a Blankenstein (foto), que coordena o e m m a m í f e r o s, c é l u l a s T diverse human T cell antigen trabalho, o sistema imunológico tem imaturas do sistema imunológilimitações para combater células de receptor repertoire foi publicado co, que ainda não possuem na edição de setembro de 2010 de tumores e não consegue diferenciáreceptores, deslocam-se para Nature Medicine. las das células saudáveis. o timo, onde seus genes são Fontes: Medica.com e MDC Para contornar essa condição, rearrumados, e tornam-se foi usado um processo no qual, maduras automaticamente. Foto: Maj Britt Hansen Teste rápido para sífilis O Instituto de Tecnologia em a doença congênita pode se Imunobiológicos da Fiocruz (Bio- manifestar provocando de anemi- Manguinhos) produzirá um teste as a deformidades ósseas e para detectar sífilis em 15 minu- dificuldades cognitivas. tos, com eficácia superior a 90%. Antonio Gomes Pinto, gerente do O objetivo principal é diminuir os Programa de Reativos para casos da doença congênita, que Diagnóstico de Bio-Manguinhos, atinge cerca de 12 mil crianças explica que os testes disponíveis todos os anos, segundo o no mercado - como VDRL, RPR, Ministério da Saúde. FTA-ABS ou Elisa - dependem, em O teste vai usar a Dual Path Platform boa medida, da qualidade dos (DPP), que reúne dois tipos de exames técnicos e dos laboratórios em uma mesma plataforma tecnoló- responsáveis pelo exame. gica. A solução é resultado do desen- Os resultados podem variar se não volvimento conjunto entre uma forem obedecidos os mínimos empresa dos EUA e Biomanguinhos, detalhes da técnica de execução, e através de um contrato de transfemuitas vezes não são confiáveis. rência de tecnologia. O novo exame será oferecido na Segundo estudos de 2004, cerca forma de um kit prático que de 1,6% das gestantes no Brasil dispensa treinamento complexo tinham sífilis. Dessas, 0,4% seria para ser usado. portadora do HIV. Fontes: Agência de Notícias da Cerca de 40% das crianças infecta- Fiocruz e jornal O Estado de das com sífilis morrem ainda no S.Paulo útero ou prematuras. Nas demais, Foto: Peter Ilicciev - Fiocruz Imagens 16

17

18 Técnica usa chip para diagnóstico de câncer Uma parceria internacional, Bélgica, que participa do projeto, batizada de Projeto Miracle o uso da tecnologia lab-on-a-chip (www.miracle-fp7.eu), reúne 14 aumenta a rapidez do processo e universidades, institutos de diminui os custos porque integra pesquisa e empresas da Europa muitas etapas que seriam necespara desenvolver um lab-on-a-chip sárias caso o trabalho fosse para localizar, contar e genotipar realizado em um laboratório células tumorais que se dissemi- clínico tradicional nam na corrente sanguínea. Neste, a análise para detectar A tecnologia lab-on-a-chip consiste células tumorais pode levar mais de um dispositivo que reúne uma de um dia. ou várias funções de um laboratómensageiro (RNAm) das células. Vários marcadores relacionados O método desenvolvido pelo rio clínico em um único chip, mede ao câncer serão amplificados Projeto Miracle promete revolucio- de poucos milímetros a alguns pela técnica de multiplex (MLPA) nar o diagnóstico e acompanha- centímetros quadrados e processa e detectados por sensores mento de pacientes com câncer. pequenos volumes de fluidos, podendo chegar a picolitros (1 pl = eletroquímicos. Fontes: LabMedica.es, IMEC e 1 trilionésimo de litro). Segundo informações do Centro Projeto Miracle Para determinar o genótipo, o I n t e r u n i v e r s i t á r i o d e dispositivo do Miracle extrai o RNA M i c r o e l e t r ô n i c a - I M E C (www2.imec.be/be_en), da Amostra de sangue determina idade Uma técnica desenvolvida por Circles. O número dessas um grupo do Centro Médico da moléculas diminui em uma Universidade de Rotterdam taxa constante com o aumento (www.erasmusmc.nl), na da idade. Holanda, permite estimar a Quantificamos o número de idade do indivíduo a partir de sjtrecs no DNA total extraído uma amostra de sangue. Esse de uma pequena amostra de método pode ser aplicado sangue e usamos um gene de para identificar criminosos ou referência que não se altera suas vítimas. com a idade para compensar a Os métodos convencionais que quantidade total de DNA na existem para determinar a amostra, explica Kayser. idade baseiam-se na análise de Os resultados permitem estidentes, ossos ou outras partes mar a idade com uma variação do corpo. O nosso teste é de até nove anos. Segundo simples e muito sensível, diz Kayser, essa precisão é maior Manfred Kayser, um dos autores. que a dos testes usados hoje em Seu método emprega células T dia que se baseiam em DNA para do sistema imunológico. Estas determinar a idade. usam seus receptores para O artigo Estimating human age identificar organismos invasofrom T-cell DNA rearrangeres. A diversidade de receptoments foi publicado na edição res é obtida por um rearranjo on line de 23 de novembro de específico do DNA das células T, 2010 da revista Current processo que produz pequenas Biology. moléculas circulares de DNA - sj TRECs, sigla em inglês de Fonte: ScienceDaily signal joint TCR Excision 18

19 Banco de dados tem vídeos de proteínas Depois de quatro anos de observar o movimento de suas cálculos intensos no supercom- estruturas e estudá-las com putador MareNostrum, do mais precisão, explica Centro de Supercomputação de Modesto Orozc, que coordena Barcelona, pesquisadores do o trabalho. instituto de pesquisas daquela Ele diz que o MoDEL possui em c i d a d e, I R B B a r c e l o n a seu acervo 30% das estruturas (www.irbbarcelona.org), na de proteínas humanas que têm Espanha, montaram o MoDEL, potencial para uso em pesquibanco de dados com mais de sas de medicamentos. O 1,7 mil proteínas que permite objetivo é crescer mais ainda vê-las em movimento. O para que, em até três anos, objetivo é ajudar nas pesquisas chegue a ter 80% das proteínas sobre proteínas e de novos de interesse farmacêutico. medicamentos. O artigo MoDEL (Molecular Os estudos atuais trabalham Dynamics Extended Library): A com as proteínas estáticas e D a t a b a s e o f A t o m i s t i c perde-se muito tempo procu- M o l e c u l a r D y n a m i c s rando descobrir as falhas das Trajectories foi publicado na terapias com novos fármacos edição de 10 de novembro de porque usa-se um cenário que 2010 da revista Structure. não é o real pois as proteínas são dinâmicas. O MoDEL tem Fontes: Science Daily e IRB de 10 mil a 100 mil fotos por Barcelona proteína, o que permite 250 milhões de diabéticos no mundo É o que mostra relatório da OMS. A estimativa é que haverá 380 milhões, em 2025, se não forem adotadas políticas eficientes de prevenção. No Brasil, existem 10 milhões de pessoas com a doença. Destes, 7,6 milhões têm o tipo 2. Segundo o Ministério da Saúde, o número dos portadores desse tipo de diabetes equivale a 5,8% da população com mais de 18 anos. O maior número de pessoas com o tipo 2 está na Região Sudeste, cerca de 3,5 milhões de pessoas, sendo 2,06 milhões somente no estado de São Paulo. Fonte: Agência Brasil

20 Pesquisa mostra influência da propaganda de medicamentos Propaganda da Anvisa, Maria José gestores. Segundo a pesquisa, 75% Delgado Fagundes. dos entrevistados recebem representantes As informações irão subsidiar da indústria que ofertam tanto as ações de monitoramento, brindes e impressos sobre os fiscalização e regulação da propadestas medicamentos. A frequência ganda quanto as estratégias para visitas é, na maioria das Nem o SUS escapa das ações de fortalecer a racionalidade na vezes, mensal. marketing da indústria farmacêu- aquisição, dispensação e uso de Entre os dispensadores responsática. É o que mostra uma pesquisa medicamentos nas unidades veis pelas farmácias das UBS, da Agência Nacional de Vigilância básicas de saúde, diz. 70,4% não são farmacêuticos. Sanitária (Anvisa) em parceria Dentre os médicos e dentistas das Desses, 57,9% são da área da com instituições de ensino superi- UBS, 41,3% afirmaram receber enfermagem (enfermeiro, técnico or de 15 cidades. visitas de representantes de medienfermagem), o que viola a legisla- de enfermagem e auxiliar de O objetivo foi obter um diagnóstico camentos em seu local de trabalho, de como está a promoção de sendo que essas podem ocorrer ção e constitui exercício ilegal da medicamentos nas Unidades mensalmente (60,9%), quinzenal- profissão farmacêutica. Básicas de Saúde do SUS, segundo mente (14,5%), semanalmente Os resultados da pesquisa estão no explica a gerente geral de (16,4%) ou diariamente (8,2%). site da Anvisa (www.anvisa.gov.br). Monitoramento e Fiscalização de A indústria também age sobre os Fonte: Anvisa Queda nos níveis de hemoglobina pode indicar câncer colorretal A variação a longo prazo nos amostras de sangue dos participan- hemoglobina, em uma taxa superiníveis de hemoglobina no sangue tes em um período de dez anos. or a 0,28 g/dl a cada seis meses. pode mostrar um sangramento Descobriram que a redução É importante observar a tendêngastrointestinal sutil que indica, contínua, em um longo período, cia de redução para cada paciente. precocemente, o surgimento de pode indicar o início do câncer. Se uma pessoa apresenta uma câncer colorretal. Mesmo que os níveis de hemoglo- diminuição constante em relação a Um estudo da Escola de Saúde bina possam variar em cada seus níveis médios, pode ser um Pública da Universidade de Tel Aviv indivíduo como resultado do sinal de preocupação, alerta o (www.tau.ac.il), em Israel, compa- envelhecimento, eles encontra- médico e autor principal do estudo rou casos de pacientes entre ram uma tendência definida nos Inbal Goldshtein. 45 e 75 anos que desenvolveram participantes do estudo que O artigo Variations in hemoglobin essa doença e tinham níveis apresentaram câncer colorretal. before colorectal cancer diagnosis normais de hemoglobina, com Aproximadamente quatro anos foi publicado na edição de julho de indivíduos sadios. antes do diagnóstico, as amostras 2010 do European Journal of No estudo retrospectivo, os pesqui- de sangue começaram a mostrar Cancer Prevention. sadores analisaram os dados das uma redução contínua nos níveis de Fonte: Labmedica.es Notícias medicina LABORATORIAL Jornal da SBPC/ML - Periodicidade mensal Sociedade Brasileira de Patologia Clínica Medicina Laboratorial Rua Dois de Dezembro, 78 sala 909 CEP Rio de Janeiro - RJ Tel. (21) Fax (21) Presidente 2010/2011 Carlos Ballarati Diretor de Comunicação Luiz Eduardo Martins Editor-chefe Armando Fonseca Conselho Editorial Adagmar Andriolo Alvaro Martins Carlos Senne Elimar Antônio Bittar João Nilson Zunino José Carlos Lima Marilene Melo Mário Flávio Alcântara Ulysses Moraes de Oliveira Wilson Shcolnik Jornalista responsável Roberto Duarte Reg. Prof. RJ 23830JP Criação e diagramação Rodrigo Paiva Assinaturas & Publicidade Ana Karina Impressão Grafitto Gráfica Ltda. 20

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Valor Econômico Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Sérgio Bueno Criada pelo médico gaúcho Fernando Kreutz, de 39 anos, uma vacina terapêutica contra o câncer da próstata pode

Leia mais

ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo... 2 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia...

ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo... 2 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia... ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo...2 O Estado de S.Paulo...2 Vida&...2 Rede de bancos poderá facilitar transplantes...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia...4 Nem tão exemplar...4 O

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

Transplantes de órgãos crescem 24,3% Qui, 24 de Setembro de 2009 00:00

Transplantes de órgãos crescem 24,3% Qui, 24 de Setembro de 2009 00:00 Qui, 24 de Setembro de 29 : Aumento é relativo ao número de procedimentos realizados com órgãos de doadores falecidos no primeiro semestre de 29 em relação ao primeiro semestre de 28. Ministério da Saúde

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip.

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip. EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXÍLIO FINANCEIRO DO PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DO SUS (PROADI-SUS) PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM CAPTAÇÃO, DOAÇÃO E TRANSPLANTES DE

Leia mais

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit

Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Anuncie na revista oficial da raça Campolina Marchador. Midia Kit Foto: Mairo Wellington Criada em 1870 por Cassiano Campolina para ser utilizada pela guarda do Imperador D. Pedro II, a raça Campolina

Leia mais

MEDICAMENTOS GENÉRICOS

MEDICAMENTOS GENÉRICOS MEDICAMENTO GENÉRICO Uma importante conquista para a saúde pública no Brasil 15 anos 15 anos , 15 ANOS DE BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA. Ao completar 15 anos de existência no país, os medicamentos

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas. Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015

Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas. Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015 Perspectivas para a indústria farmacêutica brasileira, seus investimentos e suas pesquisas Ministério da Saúde Brasília, 12 de agosto de 2015 POLÍTICA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Define a assistência

Leia mais

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa

A Carreira Muller. As melhores soluções para sua empresa ABRIL 2.013 A Carreira Muller ESTUDO REEMBOLSO QUILOMETRAGEM ABRIL 2013 As melhores soluções para sua empresa A Carreira Muller é uma empresa de consultoria empresarial que desenvolve e implanta soluções

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro Notícias - 18/06/2009, às 13h08 Foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos. A análise das informações auxiliará

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro

Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro Cientistas anunciam descoberta de três substâncias candidatas a anti retroviral brasileiro Grupo de pesquisadores da Fundação Ataulpho de Paiva, da Universidade Federal Fluminense e do Instituto Oswaldo

Leia mais

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014

Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Clipping Eletrônico Sexta-feira dia 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C1 14/11/2014 Jornal Em Tempo - Dia a Dia - Página C5 14/11/2014 Portal Acrítica - Saúde - 13 de novembro de 2014 Av.

Leia mais

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER Área Temática: Saúde Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenadora) Claudecir Delfino Verli 2 Aline Maria de Almeida Lara 3 Modalidade: Comunicação

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Capacitação ACS /FEMAMA 2012 Eduardo Cronemberger Oncologia em 120 anos Willian Halsted Aqui está minha sequencia! Mastectomia

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 21/00 GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N 91/93 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO 13/04/2009 Levantamento inédito sobre a situação do controle da infecção hospitalar realizado pelo Conselho Regional

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

JORNAL A TARDE ONLINE DATA: 24/09/2009. SEÇÃO: BRASIL ASSUNTO: SAÚDE Obesidade na infância pode adiantar doença em 20 anos

JORNAL A TARDE ONLINE DATA: 24/09/2009. SEÇÃO: BRASIL ASSUNTO: SAÚDE Obesidade na infância pode adiantar doença em 20 anos JORNAL A TARDE ONLINE DATA: 24/09/2009 SAÚDE Obesidade na infância pode adiantar doença em 20 anos Agência Estado A obesidade na infância e na adolescência pode adiantar em até 20 anos os problemas cardiovasculares,

Leia mais

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União,

DO COLETÂNEA ONLINE. Brasil Dados Públicos. atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, folheto de especificações ONLINE atos oficiais atos administrativos processos judiciais editais, Avisos e Contratos orçamentos da União, Estados e Municípios Base de dados eletrônica que contém a íntegra

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo

Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) Tratamento do Tabagismo O tabagismo é, reconhecidamente, uma doença crônica, resultante da dependência à droga nicotina, e um fator de risco para cerca

Leia mais

Saúde Indígena no Brasil

Saúde Indígena no Brasil PAINEL I Particularidades genéticas das populações amazônicas e suas possíveis implicações Coordenação de Mesa: Wim Degrave. Saúde Indígena no Brasil Mário R. Castellani Abordarei um pouco do que estamos

Leia mais

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê?

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? O profissional mais estratégico que a empresa precisa ter: O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? Diagnostica. Avalia. Cria. Planeja. Resolve. O Economista é um profissional imprescindível

Leia mais

GRUPO OTIMISMO DE APOIO AO PORTADOR DE HEPATITE

GRUPO OTIMISMO DE APOIO AO PORTADOR DE HEPATITE GRUPO OTIMISMO DE APOIO AO PORTADOR DE HEPATITE Av. Copacabana, 1133 SL. 205 - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 22060-001 ONG - Registro n. 176.655 - RCPJ-RJ - CNPJ: 06.294.240/0001-22 e-mail: hepato@hepato.com

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

Consulta Pública n.º 09/2013

Consulta Pública n.º 09/2013 Consulta Pública n.º 09/2013 Diretor Relator: Dirceu Barbano Regime de tramitação: comum Publicação: 02/04/2013 Prazo para contribuição: 30 dias 09/04 à 08/05 Agenda Regulatória: não Área Técnica: GGTES

Leia mais

Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde

Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde Ministério da Saúde cria o Programa Nacional de Segurança do Paciente para o monitoramento e prevenção de danos na assistência à saúde Rede Sentinela Desde 2011, 192 hospitais da Rede Sentinela monitoram

Leia mais

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012

Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Pesquisa de Informações Básicas Estaduais 2012 Informações Básicas Recursos Humanos Foram pesquisadas as pessoas que trabalhavam na administração direta e indireta por vínculo empregatício e escolaridade;

Leia mais

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica A Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic) e a Pesquisa de Informações Básicas Municipais

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014

Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 Resultados da Movimentação de Viagens Organizadas na Temporada de Inverno 2014 EQUIPE TÉCNICA DO IPETURIS Coordenação: Mariana Nery Pesquisadores: César Melo Tamiris Martins Viviane Silva Suporte: Gerson

Leia mais

AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO

AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO AUMENTA A CONCENTRAÇÃO DE MÉDICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO Com um médico para 410 habitantes, taxa cresceu 33% em dez anos, revela levantamento do Cremesp realizado em março de 2010 Aconcentração de médicos

Leia mais

Política Nacional de Saúde Bucal

Política Nacional de Saúde Bucal MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE SAÚDE BUCAL Política Nacional de Saúde Bucal Brasil Sorridente, suas ações, abrangências e como as

Leia mais

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Ajudando futuros pais a tomar uma decisão consciente Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa O que é sangue de cordão umbilical

Leia mais

Azul. Novembro. cosbem. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata.

Azul. Novembro. cosbem. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR Novembro Azul Mês de Conscientização, Preveção e Combate ao Câncer De Próstata. Mergulhe nessa onda! A cor da coragem é azul. NOVEMBRO AZUL Mês de Conscientização,

Leia mais

Reportagem Gestão de Resíduos

Reportagem Gestão de Resíduos 22 Reportagem Gestão de Resíduos Conexão 32 Setembro/Outubro 2010 23 Enfermagem na gestão de resíduos Uma das etapas mais complexas da segurança e da limpeza hospitalar está relacionada à gestão dos Resíduos

Leia mais

PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS

PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS PARECER Nº 2414/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N. º 58/2012 PROTOCOLO N. º 23448/2012 ASSUNTO: ASSINATURA DE LAUDOS DE EXAMES PARECERISTA: CONS.ª ANA MARIA SILVEIRA MACHADO DE MORAES EMENTA: Assinatura

Leia mais

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO

Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Perguntas e Respostas Conselho de Usuários VIVO Resolução n o 623, de 18 de Outubro de 2013 1. Qual a Resolução que trata sobre Conselho de Usuários e onde ela está disponível? Trata-se da Resolução n

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Disque Denúncia Nacional: DDN 100 Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças

Leia mais

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1

Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I. Atenção Básica e a Saúde da Família 1 Disciplina MSP 0670-Atenção Primária em Saúde I Atenção Básica e a Saúde da Família 1 O acúmulo técnico e político dos níveis federal, estadual e municipal dos dirigentes do SUS (gestores do SUS) na implantação

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015

Investe São Paulo. Campinas, 17 de março de 2015 Investe São Paulo Campinas, 17 de março de 2015 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos e a expansão dos negócios existentes, gerando inovação tecnológica, emprego e renda. Promover a competitividade

Leia mais

O Amarelinho mantém liderança

O Amarelinho mantém liderança Mídia Kit O CAMPEÃO DAS BANCAS! O melhor jornal de empregos mídia exclusiva Empregos, estágios, cursos e concursos Páginas 6, 7 e 8 perfil do leitor Instituto define quem é o leitor do Amarelinho Página

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999

PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 2.031, DE 1999 Dispõe sobre o atendimento obrigatório aos portadores da Doença de Alzheimer no Sistema Único de Saúde - SUS, e dá outras providências.

Leia mais

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos

2014 DEZEMBRO. Caderno de Informação da Saúde Suplementar. Beneficiários, Operadoras e Planos 2014 DEZEMBRO Caderno de Informação da Saúde Suplementar Beneficiários, Operadoras e Planos Elaboração, distribuição e informações: MINISTÉRIO DA SAÚDE Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Diretoria

Leia mais

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa

Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa COMEMORAÇÃO DOS 29 ANOS DO ICICT/FIOCRUZ Mapeamento de Experiências Municipais e Estaduais no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa O papel da COSAPI no incentivo de experiências exitosas de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

Demografia Médica no Brasil. Vol 2

Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Mário Scheffer Conselho Federal de Medicina, 6 de fevereiro 2013 Equipe da pesquisa Mário Scheffer (coordenador) Alex Cassenote Aureliano Biancarelli Cooperação acadêmica

Leia mais

Perguntas mais Frequentes - Concurso Público 2010 (versão 2)*

Perguntas mais Frequentes - Concurso Público 2010 (versão 2)* Rio de Janeiro, setembro de 2010 Perguntas mais Frequentes - Concurso Público 2010 (versão 2)* Pré-requisitos 1 Nos pré-requisitos para nomeação no cargo, serão aceitas titulações em qualquer área de conhecimento/atuação

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

Número de casos de aids em pessoas acima de 60 anos é extremamente preocupante

Número de casos de aids em pessoas acima de 60 anos é extremamente preocupante 22 Entrevista Número de casos de aids em pessoas acima de 60 anos é extremamente preocupante Texto: Guilherme Salgado Rocha Fotos: Denise Vida O psicólogo Nilo Martinez Fernandes, pesquisador da Fundação

Leia mais

Regiões Metropolitanas do Brasil

Regiões Metropolitanas do Brasil Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia IPPUR/UFRJ CNPQ FAPERJ Regiões Metropolitanas do Brasil Equipe responsável Sol Garson Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Juciano Martins Rodrigues Regiões Metropolitanas

Leia mais

Clipping Eletrônico - Terça-feira dia 30/12/2014

Clipping Eletrônico - Terça-feira dia 30/12/2014 Clipping Eletrônico - Terça-feira dia 30/12/2014 Jornal Diário do Amazonas - Brasil Pág. 15-30 de dezembro de 2014 Jornal Diário do Amazonas Radar de Notícias Pág. 32-30.12. 2014 Portal D24AM - Saúde 29

Leia mais

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS

Edital nº 001/2010/GSIPR/SENAD / MS PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL SECRETARIA NACIONAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS MINISTÉRIO DA SAÚDE Comitê Gestor do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras drogas

Leia mais

Testes Rápidos de HIV e Sífilis

Testes Rápidos de HIV e Sífilis Testes Rápidos de HIV e Sífilis Videoconferência Nº 04 Ministério da Saúde Outubro de 2012 PRÉ-NATAL A partir da adesão dos municípios, recursos para: TODAS AS GESTANTES Ultrassonografia 100% das gestantes

Leia mais

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ

Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ Cartilha REGISTROS DE CÂNCER E O RHC DO HAJ O que é um registro de câncer? -Centro de coleta, armazenamento, processamento e análise - de forma sistemática e contínua - de informações (dados) sobre pacientes

Leia mais

O Estado de S.Paulo 30/01/2007 câncer câncer Vigilância Sanitária Anvisa Medicamentos medicamentos câncer câncer câncer câncer câncer INCIDÊNCIA

O Estado de S.Paulo 30/01/2007 câncer câncer Vigilância Sanitária Anvisa Medicamentos medicamentos câncer câncer câncer câncer câncer INCIDÊNCIA O Estado de S.Paulo Vida & Liberada droga contra câncer de pulmão Tarceva é o 1º remédio de terapia-alvo para combater a doença; um mês de tratamento custará R$ 8 mil Adriana Dias Lopes O primeiro remédio

Leia mais

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Em 2012, ocorreram 2.767 óbitos por Aids no Estado de São Paulo, o que representa importante queda em relação ao pico observado em 1995 (7.739). A

Leia mais

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012

Educação no Brasil. Aloizio Mercadante. São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação no Brasil Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação São Paulo, 30 de novembro de 2012 Educação Infantil Taxas de atendimento Creches 36,3 23,6 9,4 12,2 Brasil Carinhoso: 2,8 milhões de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO Artigo 1º Atendendo à Portaria de número

Leia mais

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011

RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 RELATÓRIO DA GERÊNCIA DE MONITORAMENTO PANORAMA DO COOPERATIVISMO BRASILEIRO - ANO 2011 Março 2012 SUMÁRIO I - EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE COOPERATIVAS, COOPERADOS E EMPREGADOS, 3 II - ANÁLISE POR RAMO, 8 2.1

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

Brasil precisa de médicos

Brasil precisa de médicos 1 Brasil precisa de médicos Médicos/mil habitantes Brasil 1,8 Argentina Uruguai Portugal Espanha Reino Unido Austrália Itália Alemanha 3,2 3,7 3,9 4 2,7 3 3,5 3,6 2 22 estados estão abaixo da média nacional

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS

Leia mais

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA Prevenção em dobro Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel O eixo de Prevenção do Câncer do Programa Cuide-se+ acaba de ganhar um importante reforço no atendimento aos trabalhadores das

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil

Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil Koichi Kameda Doutorando CERMES3-EHESS / IMS-UERJ Mercado de teste diagnóstico

Leia mais

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência)

Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Imunizações: SIPNI (nominal e procedência) Desenvolvido a partir de 2009: integra as bases de dados dos Sistemas de registros de aplicadas doses (SI-API), Eventos adversos (SI-EAPV), usuários de imunobiológicos

Leia mais

Apresentação do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS)

Apresentação do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS) Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 Apresentação do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS) Arthur Chioro Ministro da Saúde Preparação conjunta com as cidades-sede Brasília DF Cuiabá MT Curitiba

Leia mais

6A Aids e a tuberculose são as principais

6A Aids e a tuberculose são as principais objetivo 6. Combater Hiv/aids, malária e outras doenças O Estado da Amazônia: Indicadores A Amazônia e os Objetivos do Milênio 2010 causas de mortes por infecção no mundo. Em 2008, 33,4 milhões de pessoas

Leia mais

Onde os Biomédicos atuam?

Onde os Biomédicos atuam? Onde os Biomédicos atuam? Os profissionais Biomédicos estão distribuídos por todas as esferas científicas públicas e privadas das universidades, faculdades, centros universitários, institutos de pesquisas,

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA NO DIAGNÓSTICO

Leia mais

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC

Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP. Ministério da Educação MEC 01) Qual o seu estado civil? A) Solteiro(a). B) Casado(a). C) Separado(a)/desquitado(a)/divorciado(a). D) Viúvo(a). E) Outro. 02) Como você se considera? A) Branco(a). B) Negro(a). C) Pardo(a)/mulato(a).

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DO TITULO DE ESPECIALISTA EM ENDOSCOPIA NOVEMBRO DE 2013 Goiânia (GO)

EDITAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DO TITULO DE ESPECIALISTA EM ENDOSCOPIA NOVEMBRO DE 2013 Goiânia (GO) EDITAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DO TITULO DE ESPECIALISTA EM ENDOSCOPIA NOVEMBRO DE 2013 Goiânia (GO) A Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), em convênio com a Associação Médica Brasileira

Leia mais

Formulário para envio de contribuições em Consulta Pública. Apresentação e orientações

Formulário para envio de contribuições em Consulta Pública. Apresentação e orientações Formulário para envio de contribuições em Consulta Pública FORMULÁRIO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES EM CONSULTA PÚBLICA Apresentação e orientações Este Formulário possui a finalidade de enviar contribuições

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Portaria GM/MS n 1.823, de 23 de agosto de 2012 MARCOS LEGAIS: Constituição Federal de 1988 Art. 200 Ao SUS compete, além de outras atribuições,

Leia mais

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva EDITAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DO TITULO DE ESPECIALISTA EM ENDOSCOPIA 2011 A Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), em convênio com a Associação Médica Brasileira (AMB), e em obediência

Leia mais

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA O HPV - 2016 Sobre o HPV Vírus muito disseminado, transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas Mais de 200 tipos de HPV sendo 13 oncogênicos Os HPV tipos

Leia mais

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 *

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * Andréa Branco Simão UFMG/Cedeplar Luiza de Marilac de Souza UFMG/Cedeplar Palavras Chave:

Leia mais

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS

EVOLUÇÃO & PROGNÓSTICOS APRESENTAÇÃO POPULAÇÃO CARCERÁRIA BRASILEIRA O objetivo deste trabalho, elaborado pela Comissão de Monitoramento e Avaliação do DEPEN, é realizar um levantamento, de forma sucinta, sobre o quadro evolutivo

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO Objetivo: O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores

Leia mais

Dengue: situação epidemiológica e estratégias de preparação para 2014

Dengue: situação epidemiológica e estratégias de preparação para 2014 Dengue: situação epidemiológica e estratégias de preparação para 2014 Secretaria de Vigilância em Saúde Jarbas Barbosa 11 de novembro de 2013 Casos Prováveis e internações por dengue/fhd Brasil, 1986-2013*

Leia mais

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO

ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO ANEXO II QUADRO DE ATRIBUIÇÕES, REQUISITOS E REMUNERAÇÃO FUNÇÃO / REMUNERAÇÃO Médico Infectologista REQUISITO Medicina e Título de Especialista concedido pela Respectiva Sociedade de Classe ou Residência

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais