Canibalismo, pacificação e monitoramento ELIANE K. CARVALHO 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Canibalismo, pacificação e monitoramento ELIANE K. CARVALHO 1"

Transcrição

1 Canibalismo, pacificação e monitoramento ELIANE K. CARVALHO 1 Apesar de recente, a disseminação do uso da internet, conectando pessoas dos mais diferentes lugares sem a necessidade de deslocamento físico, a partir de uma comunicação instantânea, alterou o fluxo no que diz respeito tanto à quantidade quanto à velocidade de informações e a própria maneira de interagir com as pessoas, as coisas e o planeta. O próprio funcionamento da internet modificou-se nestas duas últimas décadas, assimilando cada vez mais um caráter participativo, com a maior possibilidade de modificação de conteúdos e interação, além de sua função inicial de troca de informações. 2 Em um primeiro momento, a internet se mostrou, inclusive, um campo seguro para expressar os desejos e pensamentos menos convencionais, ou incomuns, e unir aqueles que compartilhassem desses desejos e pensamentos. Nesse sentido, se mostrou um campo propício para realizar (ou viabilizar) fantasias proibidas ou consideradas desviantes ainda que não fossem ilegais, virtual ou concretamente. Atualmente a internet (ou o espaço digital) é cada vez mais um espaço preferencial e mais garantido para conhecer pessoas, não tão incomuns, fazer contatos profissionais e amorosos. Os anarquistas (e anti-capitalistas, de modo geral) também encontraram no cyber espaço uma maneira de possibilitar encontros, trocar informações e mesmo organizar ações ao redor do planeta (SEBASTIÃO JR, 2013; PASSETTI, 2013). Este uso da internet logo foi assimilado ao chamado movimento antiglobalização no final dos anos de 1990, início dos anos 2000, articulando protestos simultâneos ao redor do planeta pelo meio virtual e com a utilização de novas tecnologias de comunicação, e que, em pouco tempo, tornaramse movimentos por alternativas, a partir de demandas pontuais (SEBASTIÃO JR, 2013). 3 Dessa maneira, o meio virtual foi caracterizado por alguns tanto quanto um campo 1 Pesquisadora no Nu-Sol (Núcleo de Sociabilidade Libertária) do PEPG-CS/PUCSP e doutoranda em Ciências Sociais pela PUC/SP, com a pesquisa Sexo no mercado: produções de verdade, orientada por Dorothea Voegeli Passsetti, com financiamento do CNPq. 2 Sobre o desenvolvimento e funcionamento da internet cf. dissertação de mestrado de Luíza Uehara Araújo (2013). 3 Para mais reflexões acerca dos movimentos na atualidade ver também o boletim mensal do Nu-Sol: hypomnemata 118 e hypomnemata 121; Disponíveis em:

2 de possíveis liberdades como também propício a perigos; campo de manifestações públicas e de conjunção de grupos ou indivíduos tidos como subversivos. uma história emblemática No ano de 2001, Armin Meiwes, com 41 anos na época, técnico de informática nascido na Alemanha, escreveu uma mensagem sob o codinome Franky em um fórum da internet direcionado à "simpatizantes de canibalismo", em que buscava por um "rapaz jovem entre 18 e 30 anos" 4 para ser esquartejado e devorado (DW, 03/12/2003). 5 Entre as diversas pessoas que responderam ao anúncio, segundo Meiwes, apenas uma pessoa correspondia, ainda que parcialmente, às suas expectativas. Apesar da idade, o engenheiro Bernd Jürgen Brandes, de Berlin, com então 42 anos, se ofereceu ao abate e os dois marcaram um encontro na casa de Meiwes em Rotenburg (AFP, 03/12/2003). Brandes e Meiwes tiveram relações sexuais, Brandes tomou sedativos com álcool e ambos tentaram comer seu pênis flambado. Quando o primeiro já se encontrava desacordado, Meiwes o matou e cortou seu corpo em pedaços que foram guardados no freezer e quase completamente comidos nos 10 meses seguintes. Desde o primeiro contato até a concretização da fantasia como definiu Meiwes tudo foi realizado com consentimento de ambos, inclusive com um registro em vídeo que confirmava o consentimento (DW, 03/12/2003). No ano seguinte, em 2002, Meiwes voltou a procurar por novos voluntários, mas foi denunciado por um estudante universitário em Innsbruck, na Áustria (JAG, 14/12/2009). Em alguns meses a polícia chegou à casa de Armin Meiwes, onde encontrou parte da carne de Brandes no freezer, além do registro em vídeo. Em dezembro de 2003 ele foi levado à juri. Em 2004, sentenciado a 8,5 anos por homicídio culposo e, em 2006, após apelação da promotoria, foi sentenciado a prisão perpétua por assassinato com motivação sexual. Apesar da apelação de Meiwes, em 2008 a mesma sentença foi anunciada sem 4 Em um dos primeiros anúncios disponível no arquivo do antigo fórum Cannibal Café [http://web.archive.org/web/ /http://necrobabes.org/perroloco/forum/messages/460.html] Franky buscava por um jovem entre 18 e 25 anos, posteriormente ele ampliou um pouco a faixa etária. 5 Maiores referências sobre a história podem ser encontradas em minha dissertação de mestrado (CARVALHO, 2008), mas para o presente artigo selecionei apenas algumas notícias que apresentam informações repetidas também em outros meios.

3 direito a outras apelações (RW, 30/01/2004; FOLHA/REUTERS/A. PRESS, 24/10/2008). A dificuldade em julgar o caso se deu pelo fato da chamada vítima ser voluntária e porque a prática de canibalismo não se constitui como crime na Alemanha. A explicitação dessa dificuldade apresentada pela mídia desde o início do julgamento 6 mostra que a grande questão no caso era saber como punir um ato que não era punível pelo código penal, mais ainda, que o grande horror se referia especificamente ao canibalismo. Apesar dos argumentos da defesa, a busca incessante por parte da promotoria foi arrumar argumentos para uma maior penalização diante da falta de argumentos. Para além da representação no tribunal, o caso teve repercussão mundial a partir da rapidez com que as informações circulavam na mídia eletrônica. As notícias foram traduzidas de agências internacionais, como a alemã Deutsche Welle, quase que imediatamente. O público, diante dos vereditos, foi convocado a dar a sua opinião de qualquer parte do planeta. No Brasil, por exemplo, A DW brasileira lançou uma enquete que colocava a questão: Você concorda com a sentença de 8,5 anos de prisão para o canibal de Rotenburg? Caso contrário, que pena você daria? (RW, 30/01/2004) 7. Na mesma época, o site da BBC lançou para aos seus leitores a questão: Was the cannibal verdict right? (BBC-NEWS, 30/03/2004). Apesar de argumentos sólidos que refutassem a chamada periculosidade de Meiwes como, por exemplo, o fato dele ter liberado outras possíveis vítimas que desistiram quando já estavam prontas para o abate e do fato de haver um consentimento por trás da prática, o veredito, dado em 2006, manteve-se. Enquanto não foi detectada nenhum desvio mental em Armin Meiwes (BBC, 29/12/2003), o que poderia resultar em sua inimputabilidade (e solucionar o problema moral colocado pelo seu ato), a promotoria delegou a inimputabilidade à Brandes. Apesar de morto, foi declarado que Brandes não tinha condições mentais de decisão e que, portanto, o mesmo foi conduzido por Meiwes para satisfazer aos desejos deste último (JAG, 30/07/2014). Na penitenciária Meiwes foi solicitado a colaborar com a investigação do que se 6 Em notícia veiculada à agencia Deutsche Welle encontra-se a seguinte constatação: If Brandes willingly offered himself to Meiwes for slaughter, as the video evidence of the whole incident suggests, then the problem, according to legal experts, is that a murder charge carrying a possible life sentence will be difficult to apply. (DW, 03/12/2003)

4 suspeitava serem outros dois crimes de canibalismo, realizados em 1998 e 2000 (REINHARDT, 22/10/2007). Na prisão de segurança máxima de Kassel, engajou-se no partido verde alemão, em 2007, liderando um grupo de discussão sobre políticas ambientais, além de ter se tornado vegetariano (HALL, 20/11/2007; OBST, 30/07/2013). A situação criada por Meiwes e Brandes e os seus desdobramentos são emblemáticos para se pensar o funcionamento da sociedade hoje. A crença do anonimato na rede virtual libera os seus usuários a exporem suas fantasias mais secretas. Possibilita a estes viver, virtualmente, uma vida que não se consegue, não se pode ou não se quer viver concretamente. Os sites de relacionamento, desde fóruns de discussão até, recentemente, as redes sociais, necessitam apenas que se depositem as informações pessoais, que ficarão disponíveis para serem vistas, agregadas, espiadas, selecionadas, consultadas, 24hs por dia, de maneira mais ou menos restrita (de acordo com os desejos de seus usuários), mas que, a qualquer momento, cada vez mais, podem ser rastreadas e disponibilizadas para órgãos específicos em nome da segurança. Se por um lado, este meio virtual convoca a participação por meio da exposição do que antes era tido como campo privado, ele também incita a vigilância de todos por cada um e intima os usuários de bem a denunciar quaisquer atividades suspeitas. E permite, ainda, que cada um dê sua opinião, seu julgamento, acerca das práticas e acontecimentos alheios. Os acontecimentos expostos na internet não ficam mais restritos aos lugares onde estes ocorreram, mas tomam, rapidamente, uma dimensão planetária, para além de fronteiras físicas. As opiniões midiáticas misturam-se com as opiniões do público geral e se retroalimentam. O alcance da mídia, torna os acontecimentos ainda maiores em sua amplitude e, ao mesmo tempo, estes mesmos acontecimentos podem dissolver-se e se tornarem obsoletos com a mesma rapidez e intensidade que foram conhecidos. O meio virtual, portanto, possibilita o desenvolvimento de relações muito próprias do que Deleuze chamou de sociedade de controle. O indivíduo, produto do pensamento iluminista, torna-se na atualidade um ser dividual, não mais restrito a uma identidades 7 Durante a pesquisa fiz um acompanhamento da enquete nos dias 13/03/2006; 18/09/2004; 06/08/2008, entretanto, ao acessar novamente o link em 30/07/2014 a enquete ou seus resultados não estavam mais

5 determinada, mas portador de uma série de identidades, inclusive fantásticas, possibilitadas pelo meio virtual. As massas, que também podem ser contabilizadas virtualmente, dissolvem-se em amostras, dados, mercados ou 'bancos'. (DELEUZE, 2004, p. 222). Para além disso, há um controle exercido por meio de acessos à informação, em que, por meio de senhas ou criptografias, se determina quem pode ter acesso à o que. Deleuze, entretanto, não supõe que a emergência desta nova forma de controle tenha suprimido outras técnicas como por exemplo o a técnica disciplinar de encarceramento, segundo Edson Passetti, a sociedade de controle não destrói o que a antecedeu: redimensiona o domínio de maneira mais sutil. (2004, p. 154). Se a sociedade disciplinar investia na produtividade do corpo e na docilidade política, como anunciara Foucault, na sociedade de controle pretende-se integrar as forças políticas por meio da materialidade econômica em fluxos, fazendo com que cada um participe criando e reformando programas.(...) Integra por meio da cultura de telecomunicação, da cultura de informática pela internet, uma emergente cultura biotecnologia que funde trabalho, lazer, corpo, política, escola. Trata-se de uma nova diversidade de assujeitamentos que se anuncia, ultrapassa e cria na instantaneidade, na atualização de outra virtualidade. (PASSETTI, 2003, p. 250) Como alertou Passetti, estas relações não são restritas ao meio virtual, seus efeitos incidem diretamente sobre o corpo e a vida de cada um. Armim Meiwes, que expôs seus desejos em um fórum da internet, concretizou-os e foi denunciado a partir do meio virtual, por alguém disposto a cumprir seu papel de cidadão-polícia. Já no interior do estabelecimento prisional, Meiwes foi convocado (e aceitou) a participar da solução de outros casos, do qual ele teria uma certa familiaridade, uma vez que foi identificado como um monstro especifico ainda que o fato dele ter tido uma experiência com canibalismo, não faça dele exatamente um expert no assunto, como se houvesse uma natureza canibal reconhecida por todos os seus adeptos: ou seja, um disponíveis, mas podem ser conferidas em CARVALHO, 2008.

6 monstro constituído, que reconheceria e compreenderia facilmente os seus. Assumiu sua celebridade monstruosa respondendo ao desejo comum de se estar em evidência, ainda que os desdobramentos desta exposição espetacular, não o tenham agradado quando se viu objeto de demonização para o entretenimento alheio 8 e quando, tarde demais, percebeu que a pena que desejada a monstros como ele são, irremediavelmente, perpétuas. Ainda assim, possivelmente com a ilusão de que sua pena poderia ser de alguma maneira amenizada, a participação de Meiwes não ficou restrita à cooperação policial. Engajou-se na causa ambiental, aderindo ao Partido Verde e tornando-se líder no grupo de discussão criado dentro da penitenciária. Armin Meiwes, teria declarado aos seus colegas de cela (HALL, 20/11/2007; OBST, 30/07/2013), que aprendeu que, o que se faz com os animais na indústria pecuária é 8 Antes mesmo do fim do julgamento, a história repercutiu em músicas, série e filmes. A banda alemã Rammstein fez a música Mein Teil (Meu pedaço/minha parte), em 2004, inspirada na história. A música chegou às paradas de sucesso no país (AFP, 27/08/2004) e, em 2006, Armin Meiwes mencionou processar a banda, mas, aparentemente, o processo não teve maiores desdobramentos (DW STAFF, 12/01/2006; BLABBERMOUTH, 12/01/2006; VÁRIOS, 09/2012). Outra banda, a sueca Bloodbath, inspirou-se em Brandes para criar a música Eaten (comido), também em Diferente das músicas, um filme inspirado na história de Armin Meiwes com Bernd J. Brandes, chegou a ser banido na Alemanha. [http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u58410.shtml] Em 2006, foi lançado o filme Rohtenburg, direção de Martin Weisz, sobre uma estudante na Alemanha que investiga o caso de um canibal muito similar a Meiwes, como tema de sua tese.[http://www.imdb.com/title/tt /?ref_=nm_knf_t2] A pedido de Meiwes, o Tribunal Estadual de Kassel julgou que os direitos individuais de Meiwes deveriam se sobrepor aos direitos artísticos. No ano de 2009, o Supremo Tribunal Federal da Alemanha revogou a decisão, considerando que, por não distorcer os fatos conhecidos publicamente, a história não violava os direitos de Meiwes [http://www.imdb.com/title/tt /trivia? ref_=tt_ql_2].o filme alemão Cannibal, de Marian Dora, foi lançado em vídeo em Ele deveria ser uma parceria com Ulli Lommel, mas por considerar o filme muito sangrento, Lommel preferiu fazer sua própria versão, afastando-se um pouco da história de Meiwes, com o filme Diary of a Cannibal, lançado, também em vídeo, em 2007 [http://www.imdb.com/title/tt /]. Nos EUA, o curta An Appetite for Bernard Brady, de 2005, com direção de Chris Mangano, também foi inspirado na história de Meiwes, assim como o filme alemão de Rosa von Praunheim: Dein Herz in Meinem Hirn (Seu coração no meu cérebro), também de A série britânica The IT Crowd, também teve como tema no episódio Moss and the German, em 2007, a história de um alemão que procurava pessoas para serem comidas a partir de sites na internet [http://www.imdb.com/title/tt /]. Além disso, como esperado, foram publicados diversos livros sobre o assunto, um deles escrito pelo próprio cientista forense envolvido no caso. Entre eles: Chloe Castleden. Issei Sagawa, Armin Meiwes, Robin Gecht: Three Cannibal Killers. Constable & Robinson, 2011; Günter Stampf. Interview with a Cannibal: The Secret Life of the Monster of Rotenburg. Phoenix Books, Inc., 2008 (do jornalista que entrevistou Meiwes na prisão); Lois Jones. Cannibal: The True Story of the Maneater of Rotenburg. Mass Market Paperback, 2005; Manfred Risse. Abendmahl der Mörder: Kannibalen Mythos und Wirklichkeit. Gebundene Ausgabe, 2007, (do cientista forense envolvido no caso); também o documentário: Der Kannibale von Rotenburg (2 DVDs) DVDs/dp/B0016KCBT6/ref=cm_cr_pr_product_top;

7 tão terrível quanto o próprio ato que ele mesmo havia cometido. Se em tempos remotos, no ocidente, Deus era a única possibilidade de salvação para as almas perdidas, na atualidade o ambientalismo assume como a nova religião e mesmo como a única salvação possível do planeta. (CARNEIRO, 2012) o insuportável Há, nesta história, no entanto, um elemento que ultrapassa o contexto atual da sociedade. O elemento insuportável do canibalismo. Retomando a emergência deste conceito, nos voltamos à época da chamada colonização dos índios na América do Sul. A palavra canibal tem origem na deformação da palavra Karib, pelos espanhóis, que chamavam de kanibales alguns povos guerreiros das antilhas que praticavam a antropofagia como parte de seu ritual de guerra (CLASTRES, 1995). O fato é que o termo passou a ser empregado de acordo com os interesses dos conquistadores, especialmente em um momento em que a matança e captura dos índios havia sido proibida neste território. Justificava-se assim, a morte dos índios ou a sua escravização, atribuindo a eles a prática, considerada insuportável, do canibalismo. Michel de Montaigne (1987), no século XVI, assim como Lévi-Strauss (2006), no século XX cada um a seu modo elaboram reflexões acerca dessa prática insuportável aos ocidentais. O primeiro justifica que na mesma época, atrocidades mais terríveis como por exemplo a tortura eram praticadas com frequência na Europa, sobre os corpos ainda vivos, enquanto que os canibais, ao menos matavam os seus antes de comê-los, poupandolhes o sofrimento do corpo. Lévi-Strauss, por outro lado, e um texto intitulado somos todos canibais, mostra que a prática de ingerir partes do corpo de nossa própria espécie, é uma prática comum em nossa sociedade, porém respaldada pela assepsia científica; neste sentido, a única coisa que justificaria o horror das práticas indígenas guerreiras, seria o fato de atribuir a estes uma inferioridade selvagem e subjugá-los. Mas para além deste ranço colonial com relação ao canibalismo, no caso específico de Meiwes e Brandes, a grande questão é que, diante do controle sobre a vida e o corpo,

8 ainda que por um momento, estes tomaram suas vidas e seus corpos para si. A internet, abre espaço para a incorporação das diferenças e, hoje em dia, mesmo do ponto de vista econômico, estas diferenças parecem ser muito bem vindas na medida em que revitalizam o próprio mercado. Mas essa diferença deve ser segura. Essa assimilação, portanto, respaldada em um discurso de pacificação, se dá na medida em que as diferenças não provoquem grandes rupturas ou que causem grandes convulsões, ao contrário. Estas diferenças são incorporadas, na medida em que possam amenizar conflitos latentes. Neste sentido, o insuportável está sempre relacionado com o que rompe. rupturas hoje Apesar de vivermos hoje em tempos de condutas conservadoras, revestidas de roupagens high-tech, ou no que Passetti (2007) chamou de conservadorismo moderado, algumas práticas mostram-se ao menos como possíveis rupturas. Recentemente, as chamadas jornadas de junho de 2013 fizeram emergir práticas que se tornaram insuportáveis às condutas moderadas. O estopim foi um ato, chamado também pelos meios virtuais, contra o aumento da tarifa de ônibus em vinte centavos. (PASSETTI, 2013) A expectativa para o ato é de que fosse algo pacífico, moderado talvez, mas diante de inconformidades que ultrapassavam uma questão financeira, o ato, tomou proporções maiores, na medida em que diante da violência da polícia a ação explosiva dos nomeados black blocs, fez repercutir um movimento de dimensões inesperadas na atualidade. A participação popular é algo assimilado, e mesmo desejado, na prática de governo dos corpos. A grande mídia, não no primeiro momento, mas em pouco tempo reconheceu como legítima as manifestações populares. Diante da sua legitimidade, muitos dos primeiros manifestantes, e outros incorporados a posteriori, assumiram o seu papel de cidadãos de bem em troca da sua participação pacífica e reconhecimento pela chamada sociedade. Neste momento, houve uma também uma ruptura entre os tipos de manifestantes: os manifestantes de bem, que apenas queriam seus direitos reconhecidos, e aqueles que

9 estavam interessados em uma algo mais significativo. Se a princípio estes últimos foram úteis ao movimento no que diz respeito ao seu alcance popular, no segundo momento eles passaram a ser, de certa forma, demonizados tanto pela mídia, como dentro do próprio movimento. (PASSETTI, 2013) Aqueles identificados como vândalos e depois como black bloc passaram a sofrer uma espécie de caça às bruxas. A própria assimilação do termo black bloc pela mídia, ainda que esse venha denominar uma tática específica anarquista, apareceu como uma construção mais favorável à identificação do insuportável (IDEM). As manifestações populares, em si, desde que pacificadas, coordenadas, e inofensivas, não são completamente indesejadas na medida em que dão à população uma sensação de saciedade de direitos e vozes, deixando intocados os velhos mecanismos de controle e usurpação da vida de cada um. Nesta caça às bruxas, a internet, que serviu e serve como meio aglutinador de pessoas e de coordenação de manifestações, passou também, com um afinco maior a servir de campo de monitoramento e controle daqueles considerados perigosos. Tal como a atribuição da prática de canibalismo a certos povos indígenas pode justificar o seu extermínio ou escravização, a identificação (real ou não) de pessoas com as táticas black bloc tem justificado prisões preventivas, saques policiais em casas de suspeitos, reforços policiais, etc. O perigo da tática black bloc, num determinado momento, está na não submissão à ordem necessária para a continuidade de governos e hierarquias. Da ameça da tomada de suas vidas por cada um, sem regulamentações externas. De certa maneira, foi essa mesma ameça que tornou tão insuportável o ato voluntário de canibalismo quanto as intervenções não-passivas dentro das manifestações. Entretanto, não podemos ignorar, que passadas os primeiros avanços, a própria tática black bloc, parece servir também à celebridade de mártires partidários e a estratégias ainda nebulosas. Essas práticas tem sua vitalidade quando propiciam rupturas na ordem, assim como foi com a relação própria de Meiwes e Brandes, mas que tal qual os primeiros, não esteve livre de uma captura que passou antes por uma criminalização.

10 O insuportável pode ser definido como tal, enquanto coloca um perigo não às pessoas, mas à própria sociedade. Se não fosse assim a própria existência da polícia seria rejeitada por grande parte da população, quando o que vemos é justamente a disseminação de uma conduta policial. Por outro lado, os meios de governo e os amantes da ordem, associam diretamente a sua agressividade a um perigo para as pessoas na sociedade de modo geral. Foi assim, por exemplo, que o horror diante da morte de um jornalista por manifestantes, em um acidente trágico e estúpido, se sobressaiu diante das intervenções violentas contínuas da polícia dentro e fora das manifestações. É desse modo que se justificam represálias, contenções e maximização de penas. É dessa maneira que se dá a construção dos monstros. Enquanto houver algo de incapturável em práticas quaisquer, essas serão sempre assimiladas dentro de uma monstruosidade que possa justificar o seu extermínio como aconteceu com os genocídios indígenas, a prisão perpétua de Armin Meiwes e a recente captura e prisão de manifestantes que foram relacionados de alguma maneira com as práticas black bloc (e estes são escassos exemplos). Os investimentos contra os chamados monstros, a caça às bruxas, fazem-se em nome da paz social. A grande expectativa na construção de uma dada cultura da paz, tão disseminada nas mídias e entre organizações não governamentais e intelectuais a serviço da ordem, justifica o controle e monitoramento minucioso da vida de cada um, por meio de informações e dados que cada pessoa é intimada a fornecer (e as vezes o fazem voluntariamente) sobre si mesmos. O espaço virtual incita a uma participação; coloca-se como um facilitador das intrincadas relações sociais; apresenta-se como solução para realização de fantasias e garante o encontro de pares. Enquanto se mantém no campo da fantasia, do platônico, os desejos mais obscuros permanecem inofensivos. As rupturas, as transformações, os riscos aparecem quando tomam o corpo concreto e escapam da virtualidade, e para isso, menos do que um espaço virtual é preciso alguma coragem. Nesse sentido, o espaço virtual tende a pacificar desejos, ou mesmo cria novos desejos que não se realizam além do espaço virtual. Os monitoramentos e rastreamentos eletrônicos, por outro lado, dificilmente satisfazem-se com os efeitos virtuais. A sua existência tem como objetivo primeiro incindir

11 sobre os corpos para além da virtualidade. Desta maneira, até as fantasias virtuais são identificadas como perigosas e devem constar nas medidas de prevenções. Aliás, alimentase de cada uma dessas vidas eletrônicas subrepticiamente até que algum acontecimento extraordinário o acesse. A internet, desse ponto de vista, é sem dúvida algum um lugar seguro para provocar pacificações. Para que exista uma ruptura qualquer, não há lugar seguro e, no entanto, elas não deixam de existir e para os amantes da paz e da ordem, isso é insuportável. Referências bibliográficas: CLASTRES, Pierre [1972]. Crônica dos Índios Guayaki: O que sabem os Ache, caçadores nômades do Paraguai. Tradução Tânia Stolze Lima e Janice Caiafa. Rio de Janeiro, Ed. 34, CARNEIRO, Beatriz S. A construção do dispositivo meio ambiente. In Revista Ecopolítica, vol. 4., São Paulo: Nu-Sol/PUCSP, Disponível em: CARVALHO, Eliane K. Canibalismo e normalização. Dissertação de mestrado. São Paulo: PEPGCS/PUCSP, DELEUZE, Gilles [1990]. Sobre as sociedades de controle. In: Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. Rio de Janeiro, Ed. 34, 2004, pp PASSETTI, Edson. Anarquismos e sociedade de controle. São Paulo, Cortez Editora, Segurança, confiança e tolerância: comandos na sociedade de controle. In São Paulo em Perspectiva, vol. 18 (1), São Paulo/ Internet, Disponível em: t&nrm=iso, pp Acesso em 15/06/ Poder e anarquia. Apontamentos libertários sobre o atual conservadorismo moderado In Verve, vol.12. São Paulo, Núcleo de Sociabilidade Libertária PEPG em Ciências Sociais, PUC-SP, 2007, pp Paisagens Jornadas de junho: o insuportável. Imagens por Mayara Cabeleira. In Revista Ecopolítica, vol. 6. São Paulo, Nu-Sol/PUCSP, 2013.

12 Diposnível em: LÉVI-STRAUSS, Claude [1993]. Somos todos canibais. Tradução de Dorothea Voegeli Passetti. In Verve, v. 9. São Paulo, Núcleo de Sociabilidade Libertária PEPG em Ciências Sociais, PUC-SP, 2006, pp MONTAIGNE, Michel de [1580]. Dos Canibais. In Ensaios. Tradução de Sérgio Milliet. São Paulo, Nova Cultural, Coleção Os Pensadores, SEBASTIÃO JR., Acácio Augusto. Política e antipolítica: anarquia contemporânea, revolta e cultura libertária. Tese de doutorado. São Paulo; PEPGCS/PUCSP, UEHARA, Luíza. Política e modulações. Há vida libertária na internet?. Dissertação de mestrado. São Paulo: PEPGCS/PUCSP, Referências em periódicos: AFP. "Rezei por nós e o comi", diz alemão acusado de canibalismo. Folha de S. Paulo, São Paulo, 03/12/2003. <http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u66241.shtml>.último acesso em: 30/07/2014. AFP. German Cannibal Inspires New Rammstein Hit. Deutsche Welle, Alemanha, 27/08/2004. <http://www.dw.de/german-cannibal-inspires-new-rammstein-hit/a >. BBC. Canibal não tem problemas mentais, diz médico. BBC Brasil. 29/12/2003. <http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2003/12/031229_canibalae.shtml>. BBC-NEWS. "Was the cannibal verdict right?". BBC News. Inglaterra, 09/02/2004. <http://news.bbc.co.uk/2/hi/talking_point/ stm>. BLABBERMOUTH. Rammstein sued by german cannibal". Blabbermouth.net, 12/01/2006. <http://www.blabbermouth.net/news/rammstein-sued-by-german-cannibal/>. DW. German cannibal trial opens in complexity. Deutsche Welle, Alemanha, 03/12/2003. <://www.dw.de/german-cannibal-trial-opens-in-complexity/a > Último acesso em: 30/07/2014. DW STAFF. "German Cannibal Back on Trial". Deutsche Welle, Alemanha, 12/01/2006. <http://www.dw.de/german-cannibal-back-on-trial/a >. Último acesso em: 30/07/2014.

13 FOLHA; REUTERS; ASSOCIATED PRESS. Tribunal alemão confirma condenação de canibal a prisão perpétua. Folha online. São Paulo, 24/08/2013. <http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2008/10/ tribunal-alemao-confirmacondenacao-de-canibal-a-prisao-perpetua.shtml>. HALL, Allan. "World's most infamous cannibal becomes a vegetarian". Mail online. Inglaterra, 20/11/2007. <http://www.dailymail.co.uk/news/article /worldsinfamous-cannibal-vegetarian.html>. JAG. Canibalismo o eutanasia?. Deutsche Welle, Alemanha, 14/12/2009. <http://www.dw.de/canibalismo-o-eutanasia/a >. REINHARDT, Ulrike. "Kannibale half Polizei bei Jagd auf Menschen-Fresser". Bild.de. Alemanha, 22/10/2007.<http://www.bild.de/news/2007/news/polizei-ermittlungunterstuetzung bild.html>. OBST, Franziska. "'Kannibale von Rotenburg' jetzt Vegetarier". news.de. Alemanha, 30/07/2013. <http://www.news.de/panorama/ /kannibale-von-rotenburg-postvon-peta-machte-ihn-zum-vegetarier/1/>. RW. Canibal condenado a oito anos de prisão. Deutsche Welle, Alemanha, 30/01/2004. <http://www.dwworld.de/dw/article/0,2144, ,00.html>. Acessos em: 13/03/2006; 18/09/2004; 06/08/2008. (Último acesso em 30/07/2014) VÁRIOS. "Meiwes sued Rammstein?". Rosenrot - Rammstein Fan Forum, 09/2012. <http://www.rosenrot.ca/forums/viewtopic.php?f=4&t=4134>. Último acesso em: 30/07/2014.

GRUPO DE TRABALHO 1 GÊNERO, CORPO, SEXUALIDADE E SAÚDE. SEXO, INTERNET E NOVAS AMEAÇAS NA ATUAL SOCIEDADE DE CONTROLE

GRUPO DE TRABALHO 1 GÊNERO, CORPO, SEXUALIDADE E SAÚDE. SEXO, INTERNET E NOVAS AMEAÇAS NA ATUAL SOCIEDADE DE CONTROLE 1 GRUPO DE TRABALHO 1 GÊNERO, CORPO, SEXUALIDADE E SAÚDE. SEXO, INTERNET E NOVAS AMEAÇAS NA ATUAL SOCIEDADE DE CONTROLE Eliane Knorr SEXO, INTERNET E NOVAS AMEAÇAS NA ATUAL SOCIEDADE DE CONTROLE Eliane

Leia mais

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância 128-TC-B5 Maio/2005 Marcio Vieira de Souza, Dr. Universidade do Vale do Itajai-UNIVALI-SC e-mail: mvsouza@univali.br Fernando Spanhol,

Leia mais

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil

As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil As Comunidades Virtuais e a Produção do Capital Social: 1 Uma análise sob a comunidade Lollapalooza Brasil Samira NOGUEIRA 2 Márcio Carneiro dos SANTOS 3 Universidade Federal do Maranhão, São Luís, MA

Leia mais

TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO

TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: COMUNICAÇÃO DIGITAL: UMA ANÁLISE DAS REDES SOCIAIS E AS NOVAS FORMAS DE COMUNICAÇÃO CATEGORIA:

Leia mais

Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade

Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade Locacaoemtemporada.com.br Política de Privacidade Esta Política de Privacidade implica em como usamos e protegemos sua informação pessoal. Ela se aplica ao locacaoemtemporada.com.br, e quaisquer outros

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede

Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Políticas de Segurança da Informação e Utilização de Recursos da Rede Índice 1 Introdução... 3 2 Política de cadastro e senhas... 5 3 Política de Utilização da Internet... 7 4 Política de Utilização de

Leia mais

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL

EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL EMPREGABILIDADE E MARKETING PESSOAL 1 2 Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci CARO ALUNO Não existem limites para a educação a distância. Seus desafios

Leia mais

O IMPACTO SOCIAL DA INTERNET

O IMPACTO SOCIAL DA INTERNET O IMPACTO SOCIAL DA Miguel Gomes da Costa Junior Rede de milhões de computadores de todo o mundo interligados por linhas telefônicas, fibra ótica e satélites. Poderosa fonte de informação e comunicação

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança.

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. Jaquelaine SOUSA 1 Dalva Borges de SOUZA 2 Programa de Pós-Graduação em Sociologia/Faculdade de Ciências

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

RESENHA A INTERNET À LUZ DO DIREITO CONSTITUCIONAL E CIVIL 1

RESENHA A INTERNET À LUZ DO DIREITO CONSTITUCIONAL E CIVIL 1 RESENHA A INTERNET À LUZ DO DIREITO CONSTITUCIONAL E CIVIL 1 Fabiana Rikils 2 Elói Martins Senhoras 3 A internet tem produzido uma crescente transformação fática na sociedade global que repercute em diferentes

Leia mais

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos $ 5(63216$%,/,'$'( &,9,/ '2 3529('25 '( $&(662,17(51(7 Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos A Internet se caracteriza

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O crime de divulgação de pornografia infantil pela Internet Breves Comentários à Lei 10.764/03 Demócrito Reinaldo Filho Foi publicada (no DOU do dia 13/11) a Lei Federal 10.764,

Leia mais

DECLARAÇÃO UNESCO/UBC VANCOUVER. A Memória do Mundo na Era Digital: Digitalização e Preservação

DECLARAÇÃO UNESCO/UBC VANCOUVER. A Memória do Mundo na Era Digital: Digitalização e Preservação DECLARAÇÃO UNESCO/UBC VANCOUVER A Memória do Mundo na Era Digital: Digitalização e Preservação 26 a 28 de Setembro de 2012 Vancouver, Colúmbia Britânica, Canadá A Tecnologia Digital oferece meios sem precedentes

Leia mais

Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação

Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação CULTURA NOS CEUs Proposta de programação cultural nos Centros Unificados de Educação Resumo São Paulo, março de 2013. Por Ney Piacentini O projeto CULTURA NOS CEUs pretende levar às instalações culturais

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso.

ANUCIANTE declara que aquiesceu com todas as condições apresentadas no presente Termo de Uso. O website e domínio www.busquecursos.co, bem como seus subdomínios, funcionalidades, conteúdo e demais aplicações e serviços (incluindo aplicações mobile) estão sujeitos aos termos e condições deste termo

Leia mais

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução

1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução 1. Introdução ao Campus Virtual 1.1. Introdução Este tutorial tem a finalidade de guiar o aluno, dando orientações necessárias para o acesso, navegação e utilização das ferramentas principais. Um ambiente

Leia mais

Como transformar Grupos em Equipes

Como transformar Grupos em Equipes Como transformar Grupos em Equipes Caminhos para somar esforços e dividir benefícios Introdução Gestores de diversos segmentos, em algum momento de suas carreiras, deparam-se com desafios que, à primeira

Leia mais

Walter Aranha Capanema. O monitoramento das atividades. do usuário pelo provedor

Walter Aranha Capanema. O monitoramento das atividades. do usuário pelo provedor O monitoramento das atividades do usuário pelo provedor Walter Capanema Introdução: Embora o Brasil tenha criado uma importante legislação que proteja e garanta os direitos do consumidor (Lei 8.078/90),

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO EPB0178 QUEBRA DO SIGILO PROFISSIONAL EM CASOS DE PEDOFILIA GABRIELE

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum.

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum. 1º ano A Filosofia e suas origens na Grécia Clássica: mito e logos, o pensamento filosófico -Quais as rupturas e continuidades entre mito e Filosofia? -Há algum tipo de raciocínio no mito? -Os mitos ainda

Leia mais

TERMO DE RESPONSABILIDADE

TERMO DE RESPONSABILIDADE TERMO DE RESPONSABILIDADE Pelo presente instrumento particular, declaro assumir a total responsabilidade pela utilização do CARTÃO FUNCIONAL e SENHA ELETRÔNICA, doravante chamados de IDENTIDADE DIGITAL

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA Camila Nicola Boeri Universidade de Aveiro Portugal camilaboeri@hotmail.com Márcio Tadeu Vione IFMT - Campus Parecis - MT mtvione@gmail.com

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA Mário Taveira Martins 1 (IF-SERTÃO PE) Lucas Samir Silva de Matos 2 (IF-SERTÃO PE) Resumo: Este artigo foi elaborado

Leia mais

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON

PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PESQUISA IBOPE / INSTITUTO AVON PERCEPÇÕES E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 2009 PARCERIAS INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO Planejamento e supervisão da pesquisa IBOPE INTELIGÊNCIA Campo

Leia mais

ROSO, Adriane Rubio¹; SANTOS, Claudia Soder²; BERNI, Vanessa Limana³; ALMEIDA, Nathiele Berger 4.

ROSO, Adriane Rubio¹; SANTOS, Claudia Soder²; BERNI, Vanessa Limana³; ALMEIDA, Nathiele Berger 4. ESPAÇO DE COMPARTILHAMENTOS SOBRE O ADOLESCER COM HIV/AIDS ROSO, Adriane Rubio¹; SANTOS, Claudia Soder²; BERNI, Vanessa Limana³; ALMEIDA, Nathiele Berger 4. ¹ Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia

Leia mais

GOVERNAMENTALIDADE NEOLIBERAL E A PRODUÇÃO DE SUJEITOS PARA A DINÂMICA INCLUSIVA

GOVERNAMENTALIDADE NEOLIBERAL E A PRODUÇÃO DE SUJEITOS PARA A DINÂMICA INCLUSIVA GOVERNAMENTALIDADE NEOLIBERAL E A PRODUÇÃO DE SUJEITOS PARA A DINÂMICA INCLUSIVA Juliane Marschall Morgenstern 1 - UNISINOS Agência Financiadora: Capes/Proex Resumo: O presente trabalho compõe uma proposta

Leia mais

SocialDB Social Digital Library

SocialDB Social Digital Library Social Digital Library Laboratório L3P NARRATIVA DO PROJETO SOCIALDB 06/2015 Gestor de uma coleção "Sou produtor cultural (ou fotógrafo) e quero criar um lugar na internet com uma seleção de obras artísticas

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social

Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social Resumo dos resultados de pesquisa de mídia social Introdução: Com a Web 2.0 e suas ferramentas interativas (blog, fórum, sites interativos, redes sociais, etc.) as pessoas criam conteúdo e informação de

Leia mais

Grupo Projeção. Portal Acadêmico. - Ambiente do Aluno -

Grupo Projeção. Portal Acadêmico. - Ambiente do Aluno - Grupo Projeção Portal Acadêmico - Ambiente do Aluno - Março / 2011 1 Índice Apresentando o Portal Acadêmico: Ambiente do Aluno... 3 Iniciando no ambiente do Aluno... 4 Meu Perfil... 6 Avisos... 6 Processos

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Caro Assinante, O presente escrito estabelece e explica a Política de Privacidade da SOCIAL COMICS ENTRETENIMENTO LTDA, adiante também mencionada por SOCIAL COMICS e/ou PLATAFORMA.

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES

COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES COMITÊ DE ÉTICA EM PUBLICAÇÕES (COPE): ORIENTAÇÃO SOBRE BOA PRÁTICA EM PUBLICAÇÕES Por que os protocolos foram criados? O comitê de publicação de ética (COPE) foi fundado em 1997 para tratar da questão

Leia mais

LEITURA Redação 8ºAno Professora Patrícia Pinheiro TEXTO DE OPINIÃO Objetivo Quando escrevemos um texto de opinião, nosso objetivo é o de convencer. Apresentamos nossa opinião em relação a determinado

Leia mais

INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br

INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br INSTITUTO TEOLÓGICO MONTE DAS OLIVEIRAS Site: www.itemol.com.br / E-mail: itemol@itemol.com.br DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES AOS ALUNOS PARA UTILIZAÇÃO DOS CAMPUS

Leia mais

Política de Proteção Infantil

Política de Proteção Infantil Política de Proteção Infantil Diga SIM à Proteção Infantil! Como uma organização internacional de desenvolvimento comunitário centrado na criança e no adolescente, cujo trabalho se fundamenta na Convenção

Leia mais

Como elaborar um relatório de pesquisa

Como elaborar um relatório de pesquisa Como elaborar um relatório de pesquisa Profa. Dra. Maria José B. Finatto - UFRGS - Instituto de Letras www.ufrgs.br/textecc Seminários Temáticos PROPESQ - 2012 Preâmbulo - sério! O Programa Institucional

Leia mais

www. Lifeworld.com.br

www. Lifeworld.com.br 1 Artigos da Constituição Mundial A Constituição Mundial é composta de 61º Artigos, sendo do 1º ao 30º Artigo dos Direitos Humanos de 1948, e do 31º ao 61º Artigos estabelecidos em 2015. Dos 30 Artigos

Leia mais

Ética e Segurança Digital RODRIGO JORGE CONSELHO TÉCNICO

Ética e Segurança Digital RODRIGO JORGE CONSELHO TÉCNICO 1 Ética e Segurança Digital RODRIGO JORGE CONSELHO TÉCNICO 2 O que é o Movimento? O Movimento é uma ação de Responsabilidade Social Digital que tem a missão de educar, capacitar e conscientizar os alunos,

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução

Resumo. Palavras-chave: Matemática; Geometria; Aulas Investigativas. Introdução III Seminário sobre Educação Matemática A desigualdade triangular em diferentes mídias Paulo César da Penha pcpenha@terra.com.br GRUCOGEO/USF/ Secretaria da Educação de Itatiba-SP Resumo O relato de experiência

Leia mais

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados

5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados 5 Considerações finais 5.1. Reflexões sobre os resultados Ao longo da história o boca a boca sempre se mostrou como um meio eficaz de promoção de produtos e serviços, como advento da Internet esse poder

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC

Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC Estudo de Regionalização e Tecnologias nos Websites e Jornais auditados pelo IVC Considerações iniciais O IVC audita publicações impressas e websites de seus filiados. O IVC não audita o mercado editorial

Leia mais

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB

DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB DIREITOS HUMANOS, FEMINISMO E POLÍTICAS PÚBLICAS DE GÊNERO: APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340/06 EM CAMPINA GRANDE/PB (ASFORA, R. V. S.) - Raphaella Viana Silva Asfora/Autora ¹ Escola Superior da Magistratura

Leia mais

Trilha IV Internet e Direitos Humanos

Trilha IV Internet e Direitos Humanos Trilha IV Internet e Direitos Humanos Temas e Posicionamentos Exposições das(os) Painelistas Posicionamentos Cláudio Machado (APAI-CRVS Programa Africano p/ Fortalecimento Registro Civil, terceiro setor)

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL Leia com atenção a nossa Política de Privacidade. Esta Política de Privacidade aplica-se à todos os usuários cadastrados no site, e integram os Termos e Condições

Leia mais

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão,

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

DIREITO AO ESQUECIMENTO NA INTERNET / / LIBERDADE DE INFORMAÇÃO (CASO PORTUGUÊS)

DIREITO AO ESQUECIMENTO NA INTERNET / / LIBERDADE DE INFORMAÇÃO (CASO PORTUGUÊS) DIREITO AO ESQUECIMENTO NA INTERNET / / LIBERDADE DE INFORMAÇÃO (CASO PORTUGUÊS) Cartagena das Índias, 15 de Outubro de 2013 Carlos Campos Lobo Índice Enquadramento Direito ao esquecimento Quadro normativo

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento

Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Interdisciplinareidade: a arte rompendo fronteiras entre as áreas do conhecimento Donald Hugh de Barros Kerr Júnior 1 Como pensar em ensino de arte e contemporaneidade, sem perceber as transformações que

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

Somos uma agência de notícias gratuita, que produz e difunde conteúdo jornalístico sobre inovações em educação.

Somos uma agência de notícias gratuita, que produz e difunde conteúdo jornalístico sobre inovações em educação. Somos uma agência de notícias gratuita, que produz e difunde conteúdo jornalístico sobre inovações em educação. Nosso objetivo é colaborar com a mídia para disseminar informações originais, interessantes

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa

UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa CULTURAS E CONHECIMENTOS DISCIPLINARES ANO 3 EDIÇÃO 16 UM MINUTO PRA FALAR DO MUNDO Davina Marques Ludmila Alexandra dos Santos Sarraipa O sabiá Teco vai fugir da gaiola em busca de um lugar melhor para

Leia mais

planejamento de comunicação 2011 1. INFORMAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO

planejamento de comunicação 2011 1. INFORMAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO 1. INFORMAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO 1 Nome da Organização: Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé 2 Data da Fundação: 15 de novembro de 1992 3 Localização: R. D. Pedro II 1892, sala 7 - Bairro Nossa Sra.

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Que informações nós coletamos, e de que maneira?

Que informações nós coletamos, e de que maneira? Política de Privacidade Vivertz Esta é a política de privacidade da Affinion International Serviços de Fidelidade e Corretora de Seguros Ltda que dispõe as práticas de proteção à privacidade do serviço

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA Ivania Skura 1, Julia Cristina Paixão 2, Joaquim

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO CIDADANIA PARA TODOS: PEDOFILIA NA INTERNET 1

PROJETO DE EXTENSÃO CIDADANIA PARA TODOS: PEDOFILIA NA INTERNET 1 PROJETO DE EXTENSÃO CIDADANIA PARA TODOS: PEDOFILIA NA INTERNET 1 Danielli Regina Scarantti 2, Lurdes Aparecida Grossmann 3. 1 Projeto de extensão Cidadania Para Todos realizado no curso de Graduação em

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO Apresentação Como ter sucesso na educação à distância A postura do aluno online Critérios de Avaliação da aprendizagem do aluno Como acessar a plataforma Perguntas freqüentes A PRESENTAÇÃO O Manual

Leia mais

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Maicon Ferreira de SOUZA 3 Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR. RESUMO O presente

Leia mais

Profissão: Estudantes de Jornalismo

Profissão: Estudantes de Jornalismo Profissão: Estudantes de Jornalismo Gus Vieira O jornalista tem uma função social bem clara: disponibilizar para a sociedade informação ética, de qualidade e democrática, atendendo ao interesse público.

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 030/2013 Estabelece a modernização do Disque Denúncia por meio de novas tecnologias e mantendo o anonimato. A Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo D E C R E T A Art. lº

Leia mais

Termos de Uso. 1. Elegibilidade aos serviços HIPERCONTAS. 2. Serviços HIPERCONTAS. 3. Propriedade Intelectual

Termos de Uso. 1. Elegibilidade aos serviços HIPERCONTAS. 2. Serviços HIPERCONTAS. 3. Propriedade Intelectual Termos de Uso HIPERCONTAS LTDA ME. com sede na cidade de Paranavaí - PR, inscrita no CNPJ/MF sob o número 12.619.242/0001-47, entitulada apenas como HIPERCONTAS, a PESSOA FISICA ou JURIDICA identificada

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO 1 DA ACEITAÇÃO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DE USO... 2 2 DA PLATAFORMA DIGITAL DE APRENDIZAGEM... 2 3 DO CADASTRO... 2 4 DO REGISTRO DE DADOS PESSOAIS... 3 5 DA UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA

Leia mais

Dicas de Segurança para Redes Sociais

Dicas de Segurança para Redes Sociais Segurança na Internet para as Crianças e sua Família Dicas de Segurança para Redes Sociais Por ser uma mídia social, a Internet permite aos jovens manter contato com os amigos fisicamente distantes e,

Leia mais

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA

4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4 NOÇÕES DE DIREITO E LEGISLAÇÃO EM INFORMÁTICA 4.1 Legislação aplicável a crimes cibernéticos Classifica-se como Crime Cibernético: Crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação), furtos, extorsão,

Leia mais

Internet: A Rede Revolução

Internet: A Rede Revolução Internet: A Rede Revolução A era da informação. Nunca se teve tanto acesso às notícias como agora. Nunca se recebeu tantas informações e fatos mundiais como hoje. As notícias chegam até nós de forma rápida,

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1

Manual do Aluno. NetAula. Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Manual produzido pela Coordenadoria de Capacitação e Formação Continuada 1 Manual do Aluno NetAula Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

Construção de redes sociais e humanas: um novo desafio. Sonia Aparecida Cabestré Regina Celia Baptista Belluzzo

Construção de redes sociais e humanas: um novo desafio. Sonia Aparecida Cabestré Regina Celia Baptista Belluzzo Construção de redes sociais e humanas: um novo desafio. Sonia Aparecida Cabestré Regina Celia Baptista Belluzzo Um pouco de história... Características Sociedade Agrícola Agricultura, Caça TERRA Sociedade

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS

CARACTERÍSTICAS OBJETIVOS PRODUTOS INTRODUÇÃO Niterói - cidade considerada digital já em 1999 é uma das mais conectadas em banda larga do país. Na cidade conhecida por seus belos casarões, museus e centros culturais, foi criada em agosto

Leia mais

Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica.

Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica. Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica. Além de tornar-se fundamental para a difusão do conhecimento e geração das relações interpessoais, a Internet

Leia mais

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO CONVERSA DE ELEVADOR Sendo um empreendedor social, você sabe como é importante ser capaz de descrever sua organização, definindo o que diferencia seu trabalho e detalhando o

Leia mais

50 ANOS DO CASO LÜCH

50 ANOS DO CASO LÜCH Faculdade 7 de Setembro CURSO DE DIREITO 50 ANOS DO CASO LÜCH BRUNA SOBRAL DE QUEIROZ FORTALEZA 2008 2 Faculdade 7 de Setembro CURSO DE DIREITO 50 ANOS DO CASO LÜCH BRUNA SOBRAL DE QUEIROZ 1 1 Aluna: Bruna

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ BIREME - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ - OPAS - OMS CENTRO DE INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA CICT PROJETO BVS DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS BRASIL Rio de Janeiro 2002 Doenças Infecciosas e Parasitárias na BVS

Leia mais

CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO *

CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO * CONVENÇÃO PARA A PREVENÇÃO E REPRESSÃO DO CRIME DE GENOCÍDIO * Aprovada e proposta para assinatura e ratificação ou adesão pela resolução 260 A (III) da Assembleia Geral das Nações Unidas, de 9 de Dezembro

Leia mais

PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL

PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL GOVERNO DO ESTADO DO EspíRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO - SEP INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES PROJETO BIBLIOTECA VIRTUAL-DIGITAL Vitória, 2011 GOVERNO DO ESTADO DO EspíRITO

Leia mais

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2

ABRIL 2010. Redes Sociais: revolução cultural na Internet. Ano 2 Número 2 ABRIL 2010 Redes Sociais: revolução cultural na Internet Ano 2 Número 2 SUMÁRIO EXECUTIVO As redes sociais: revolução cultural na Internet Apresentação Definindo as redes sociais As redes sociais formam

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS

CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS CHAMADA PÚBLICA PARA CADASTRO E SELEÇÃO DE OBRAS AUDIOVISUAIS BRASILEIRAS 1. Sobre a Sétima A SÉTIMA quer ajudar os realizadores, artistas, coletivos de audiovisual, distribuidoras e produtoras, que não

Leia mais