INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL"

Transcrição

1 INTERVENÇÕES RECENTES NO PATRIMÓNIO LOCAL

2 ÍNDICE: INDRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS ALGUNS EXEMPLOS DE INTERVENÇÃO 2.1 Braga, Edifício, Rua do Anjo 2.2 Braga, Mosteiro de Tibães Reabilitação de coberturas 2.3 Vila Verde, Solar de Gomariz Reabilitação da Torre, Solar, construção nova 2.4 Guimarães, Quinta dos Eidos Reabilitação da casa 2.5 Guimarães, Reabilitação de Solar CONCLUSÕES

3 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS O património representa, em termos gerais, uma herança, um conjunto de bens naturais ou culturais de importância reconhecida num determinado lugar, região, país ou até da humanidade. O caso particular do património arquitectónico engloba todos os monumentos, conjuntos arquitectónicos e sítios. Representa a herança cultural de um povo, com os seus costumes e a sua história. Também se aplica às obras modestas que, com o tempo, adquiriram significado cultural. Conseguimos identificar imediatamente um sítio, um monumento nas regiões por onde os nossos antepassados andaram e deixaram memória.

4 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Edifícios antigos Todos os que foram construídos antes do advento do Betão Armado. Conservação Medidas necessárias para salvaguardar e prevenir a degradação, para prolongar o tempo de vida e salvaguardar os valores históricos e arquitectónicos de um edifício. Restauro Conjunto de ações altamente especializadas desenvolvidas, de modo a recuperar a imagem, a concepção original ou o momento áureo da história do edifício, no qual a sua arquitetura apresentava maior coerência.

5 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Reabilitação Conjunto de ações destinadas a tornar funcional um edifício, ou conjunto urbano, envolvendo, frequentemente, melhoramentos. Reabilitação de um edifício histórico Ato ou processo de possibilitar um uso eficiente e compatível de um edifício, através de reparações, alterações e acrescentos. Deverão ser preservadas as partes ou características que transmitem o seu valor histórico, cultural e arquitetónico. Reabilitação urbana Requalificação da cidade existente, mediante estratégias e ações destinadas a potenciar os valores socioeconómicos, ambienteis e funcionais de determinadas áreas urbanas, para melhorar a qualidade de vida das populações.

6 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Problemas sociais resultantes da construção desenfreada das décadas passadas, com a degradação do existente; Fachadismo, com perda de autenticidade (que depende da natureza do património e do seu contexto cultural), não respeitando: A forma, seja arquitetural ou outra; A função para qual foi criada; Tradições e técnicas; Situação e localização; A utilização que teve; A superfície exposta; Os materiais; A estrutura. Predomínio do BA, em detrimento novos materiais e novas práticas mais adequadas à reabilitação.

7 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Fachadismo (perda de autenticidade)

8 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Neste momento estamos a sofrer as consequências da falta de controlo na construção: Critérios muito restritivos no crédito à habitação; Redução drástica do número de habitações construídas e consequente aumento da taxa de desemprego e diminuição do nível de confiança das famílias e empresas; Sobre-endividamento das famílias, aliada à conjuntura nacional e internacional; Endividamento assinalável das empresas; Contenção orçamental do investimento público

9 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS ESTADO DO SECTOR DA CONSTRUÇÃO O Sector da construção civil engloba, no caso da construção para habitação : A Construção Nova de habitação; A Reabilitação dos edifícios existentes.

10 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Em 2001 a Reabilitação de edifícios correspondia a cerca de 5,6% do volume de negócios do sector da construção (cerca de 50% em certos países da Europa) Portugal investiu, durante décadas, muito pouco na reabilitação e mais na construção nova.

11 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Como abordar o problema: Deverá ser pensado uma nova abordagem do problema, atendendo a: Uma nova FORMA DE VIVER; De preferência no núcleo urbano na baixa ; Intervenção em pequenas frentes; Nos centros históricos, famílias pequenas, jovens; Mercado de arrendamento; Criação de Cursos orientados para a reabilitação;

12 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Como abordar o problema: Nova abordagem do problema: Resolução para: Espaço reduzido e dificuldades de acesso; Ter presente o aumento do volume de tráfego; Edifícios vizinhos com estrutura antiga e frágil; Dificuldade legal em desmontes provisórios; Dificuldades de financiamento; Realojamento de inquilinos; Demora na aprovação de processos; Dificuldade de estacionamento; Tendo sempre em atenção, o edifício em causa: A autenticidade.

13 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Como abordar o problema: A especificidade da reabilitação de edifícios: Envolve uma grande especificidade e complexidade, contenção e maior rigor na abordagem e execução; Reabilitar é, por vezes, mais complexo do que construir de raiz; Consideração de novas práticas e novos materiais (madeira, alvenaria, ferro, compósitos..) Utilização de materiais tradicionais, com técnicas ainda desconhecidas e muitas vezes incompatíveis com o ritmo rápido da construção atual; Utilização de materiais não tradicionais, emergentes e a adequabilidade e compatibilidade com as estruturas e materiais primitivos atualmente;

14 1. INTRODUÇÃO ALGUNS CONCEITOS Como abordar o problema: A especificidade da reabilitação de edifícios: Formação dos quadros técnicos, desde os projectistas até à produção; Alteração da lei dos alvarás, de modo a que as empresas que se dediquem à reabilitação, bem como as que se dedicam à conservação e restauro do Património Arquitectónico, sejam classificadas em conformidade, após fazerem prova das suas competências Evitar que empresas sem qualificação possam fazer concorrência desleal às que têm as habilitações necessárias para estes trabalhos; Problema dos empreiteiros generalistas, por exemplo;

15 2.1 Braga, Edifício, Rua do Anjo 2.2 Braga, Mosteiro de Tibães Reabilitação de coberturas 2.3 Vila Verde, Solar de Gomariz Reabilitação da Torre, Solar, construção nova 2.4 Guimarães, Quinta dos Eidos Reabilitação da casa 2.5 Guimarães, Reabilitação de Solar

16 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

17 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

18 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

19 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

20 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

21 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

22 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo

23 2.1 Braga - Edifício de habitação e comércio, rua do Anjo Ficha técnica: Dono de Obra: Cardoso e Filho, Lda. Projeto: Arquitetura est.] LOFTSPACE - PROJECTOS, Lda Técnico Responsável: Rui Correia [arq.] Colaboradores: Catarina Sampaio [arq. Mariana Costa [arq. est.] Execução: AOF

24 2.2 Braga, Mosteiro de Tibães Reabilitação de coberturas

25

26

27

28

29 2.2 Braga, Mosteiro de Tibães Reabilitação de coberturas Ficha técnica: Dono de Obra: Direcção Regional da Cultura Norte, DRCN Projeto: Arquitetura João Carlos dos Santos, Arq.to Execução: AOF

30 2.3 Vila Verde, Cervães, Solar de Gomariz: Reabilitação de torre, solar e construção nova TORRE

31 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ 1. INTRODUÇÃO A Torre de Gomariz é um edifício, de planta quadrada, datado dos séculos finais da idade média, de características defensivas. Apresenta uma estrutura resistente em alvenaria de granito, de aparelho cuidado e relevantes elementos ornamentais.

32 TORRE : DO SOLAR DE GOMARIZ edifício não teve quaisquer obras de manutenção ou conservação nos últimos cem anos, estando exposto, entre outros, a: Condições climatéricas adversas, (lixiviação provocada pelas águas das chuvas, gelo-degelo, entre outras); Ataque dos insectos xilófagos Apresentava fortes evidências de ruína, a nível estrutural. O seu interior encontrava-se desprovido de qualquer estrutura de pavimento ou outra. Apresentava grande colonização biológica.

33 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ Em consequência estão a ser executadas obras na edificação, no sentido de lhe restituir a imagem original e que compreendem os seguintes trabalhos: Obras de consolidação; Obras de conservação; Obras de reconstrução.

34 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ

35 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ Trabalhos realizados: TRABALHOS PREPARATÓRIOS ALVENARIARIAS COBERTURA PAVIMENTOS SERRALHARIAS PINTURAS DIVERSOS Implantação e marcação da obra Reconstrução de paredes em alvenaria de granito Execução de cobertura plana Alçapão de acesso à cobertura Estrado de madeira Lajeado de granito Fornecimento e colocação de escada metálica Pintura sobre metais com tinta de esmalte Limpeza do edifício

36 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ 3. PROCESSO DE INTERVENÇÃO (CONT.): Alvenarias Reconstrução de paredes em alvenaria de granito Parte superior da torre em estado de ruína. Desmonte e remoção dos elementos em risco de queda ou que origem obstáculos aos trabalhos de consolidação estrutural; Escolha e numeração dos elementos dispersos na periferia da construção para reaplicação ou armazenagem em vazadouro;

37 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ PROCESSO DE INTERVENÇÃO (CONT.): Alvenarias Reconstrução de paredes em alvenaria de granito Parte superior da torre em estado de ruína. Colocação de elementos novos em substituição dos perdidos, reproduzindo, o mais fielmente possível, as peças iniciais; Limpeza cuidadosa dos paramentos, antes e depois da reconstrução.

38 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ PROCESSO DE INTERVENÇÃO (CONT.): Alvenarias Reconstrução de paredes em alvenaria de granito (cont.) Consolidação dos paramentos, compreendendo: Colocação de pedras nas restantes zonas em falta; Travamento dos panos de parede com colocação de pedras pequenas, rachas, para uniformização dos esforços ao longo das superfícies das pedras; Refechamento e guarnecimento das juntas à cor da pedra; Injecção com caldas de cal e meta caulinos posolânicos, nas juntas dos paramentos de pedra, compreendendo, colocação de tubos de injecção, em polietileno.

39 TORRE DO SOLAR DE GOMARIZ Cobertura Execução de cobertura plana Isolamento térmico com placas rígidas de poliestireno extrudido, 60 mm de espes; Camada de forma realizada com betão de argila expandida; Tela impermeabilizante, constituída por duas membranas de betume modificado elastómero e armadura de poliéster, com espessura de 4+4mm; Camada de betão poroso, para drenagem, com aplicação de filtro separador em manta geotêxtil, não tecido e impermeável ao vapor de água; Estrado de madeira, composto por réguas de madeira de IPÊ, sobre estrutura. Fornecimento e aplicação de caleiras, incluindo descargas para as gárgulas existentes, com rufagens em zinco nº 12, na impermeabilização de muretes e outras partes; Fornecimento e aplicação de estrutura metálica, de acesso à cobertura; Revestimento da estrutura metálica da cobertura, com chapa de zinco;

40 2.3 Vila Verde, Cervães, Solar de Gomariz: Reabilitação de torre, solar e construção nova Ficha técnica: Dono de Obra: José Carlos de Castro Silva Couto.Dr Projeto: Arquitetura Estrutura Paulo Braga Soares, Arq.to Paulo Lourenço, Prof. Eng Luis Ramos, Prof. Eng Execução: AOF

41 2.4 Guimarães, Quinta dos Eidos Reabilitação da casa

42 2.4 Guimarães, Quinta dos Eidos Reabilitação da casa

43

44

45

46 2.4 Guimarães, Quinta dos Eidos Reabilitação da casa Ficha técnica: Dono de Obra: Maria Augusta Vieira Coelho, Dra Projeto: Arquitetura: Pedro Guedes de Oliveira, Arq.to Execução: AOF Fotografia: Armenio Texeira

47 2.5 Guimarães, Reabilitação de Solar

48

49

50

51 3. CONCLUSÕES A. Deveremos considerar a reabilitação como solução para os problemas atuais, aproximando-nos dos níveis europeus. B. Deveremos ter sempre em atenção o património que temos, não permitindo que seja destruído, pela ruína ou com intervenções mal pensadas. C. É possível fazer reabilitação, respeitando a pré-existência. D. Deverá haver uma mudança de mentalidade a vários niveis: legislativo, educação, formação e inovação. E. Deverá haver uma distribuição entre investimento em construção nova e em reabilitação. Não é admissível passarmos de uma situação de predomínio do primeiro para outra de predomínio do segundo. F. Por último, não podemos permitir que se cometam os mesmos erros do passado, com a construção nova, na REABILITAÇÃO! MUITO OBRIGADO!

Listagem de Erros e Omissões

Listagem de Erros e Omissões Listagem de Erros e Omissões - No ponto 13 do caderno de encargos - Critérios de adjudicação, factor preço, uma fórmula matemática, em que uma das parcelas, nomeadamente a PREm - o menor preço proposto,

Leia mais

P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura

P812 BAVIERA EXPO. Projecto de Execução da Reparação da impermeabilização da cobertura P812 BAVIERA EXPO Projecto de Execução da Reparação da Abril 2014 MEMÓRIA DESCRITIVA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEDIÇÕES ANEXOS ÍNDICE DE PEÇAS DESENHADAS ÍNDICE Memória Descritiva... 6 1 Introdução...

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

O PATRIMÓNIO CULTURAL CONSTRUÍDO FACE AO RISCO SÍSMICO INTERVIR

O PATRIMÓNIO CULTURAL CONSTRUÍDO FACE AO RISCO SÍSMICO INTERVIR 1 INTERVIR NAS 1. 2. TÉCNICAS REFORÇO 3. DISPOSITIVOS LIGAÇÃO Ã NIKER 4. MECANISMO COLAPSO. COLAPSO MÉTODO - ESTUDO CASO ESTUDO CASO O PATRIMÓNIO CULTURAL CONSTRUÍDO FACE AO RISCO SÍSMICO INTERVIR 1. INTERVIR

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

DER/PR EM-R 01/05 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO

DER/PR EM-R 01/05 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax

Leia mais

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP 2ª Semana de Tecnologia da Construção Abril 2011 1 1-) Premissas Construtivas: 1-1) Manutenção do andar existente 1-2) Executar estruturas de apoio independentes

Leia mais

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 07AV.11.--.--. SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES

CE-CTET-GERAL AAP+AECOPS GER 00X / 00Y 07AV.11.--.--. SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES 07AV.11.-- TÍTULO07AV ALVENARIAS CAPÍTULO.1-. TIJOLO CERÂMICO SUB.CAPº.11. ALVENARIA DE TIJOLO EM PAREDES SIMPLES I. UNIDADE E CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Medição por metro quadrado. II. DESCRIÇÃO DO TRABALHO

Leia mais

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS

14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS 14.02 - DRENAGEM CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Aplicam-se a todos os materiais as disposições constantes do capítulo 14.00 deste caderno de encargos, nomeadamente 14.00.1, 14.00.2, 14.00.3 e 14.00.4 e

Leia mais

Abordagem ao Ciclo de Vida Reintegração de Materiais em Fim de Vida. Ana Paula Duarte, Rui Frazão LNEG-UPCS

Abordagem ao Ciclo de Vida Reintegração de Materiais em Fim de Vida. Ana Paula Duarte, Rui Frazão LNEG-UPCS Abordagem ao Ciclo de Vida Reintegração de Materiais em Fim de Vida Ana Paula Duarte, Rui Frazão LNEG-UPCS Workshop Ciclo de Vida dos Edifícios 31 de janeiro de 2012 ENQUADRAMENTO A nível mundial, há uma

Leia mais

Relatório do Modo Como Decorreu a Execução da Obra. Identificação da Obra Forte da Graça - Elvas

Relatório do Modo Como Decorreu a Execução da Obra. Identificação da Obra Forte da Graça - Elvas Concurso Público para a Empreitada de Forte da Graça Obras de 1ª Intervenção Câmara Municipal de Elvas Relatório do Modo Como Decorreu a Execução da Obra Identificação da Obra Forte da Graça - Elvas Não

Leia mais

Notas Sobre o Reforço Estrutural de Edifícios Antigos

Notas Sobre o Reforço Estrutural de Edifícios Antigos Boletim Lisboa Urbanismo - Ano 1999 Boletim nº 3 Fernando Domingues* Notas Sobre o Reforço Estrutural de Edifícios Antigos A acção e, cumulativamente, a falta de acção do Homem tem conduzido e agravado

Leia mais

CIMENTOS COLA ADHERE

CIMENTOS COLA ADHERE CIMENTOS COLA ADHERE Cimentos Cola Adhere. Introdução 03 A utilização de revestimentos cerâmicos como elemento decorativo nas paredes e pavimentos remonta à antiguidade, constituindo uma parte integrante

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE ORÇAMENTOS

APRESENTAÇÃO DE ORÇAMENTOS APRESENTAÇÃO DE ORÇAMENTOS ID 3302 Reparação de Coberturas em Terraço Prédio em Amadora João Venes Eng. Civil Tel: 92 408 28 82 joao.venes@casaviva.pt www.casaviva.pt geral@casaviva.pt 808 304 304 21 726

Leia mais

GSEducationalVersion LIGHT STEEL FRAME P R O J E T O E C O N S T R U Ç Ã O

GSEducationalVersion LIGHT STEEL FRAME P R O J E T O E C O N S T R U Ç Ã O GSEducationalVersion LIGHT STEEL FRAME P R O J E T O E C O N S T R U Ç Ã O SEDIAME Quem Somos Construção em LSF 03 SISTEMA CONSTRUTIVO Características Exemplos 04 07 SOLUÇÕES MODULARES Módulos para Mercados

Leia mais

Acórdão nº205 /05-6.Dez-1ªS/SS

Acórdão nº205 /05-6.Dez-1ªS/SS Acórdão nº205 /05-6.Dez-1ªS/SS Proc. nº 2 496/05 1. A Câmara Municipal de Lisboa remeteu para fiscalização prévia deste Tribunal o Adicional ao contrato da empreitada de Recuperação e Reabilitação da Fonte

Leia mais

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães

C2faup. Construção em Light Steel Frame. Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães C2faup Construção em Light Steel Frame Ana Luísa Mesquita Marco Moreira Orlando Guimarães Introdução Neste trabalho pretendemos estudar o sistema construtivo de estrutura em aço leve, ou Light Steel Frame.

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012.

SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012. Tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social em reassentamentos. SISTEMA CONSTRUTIVO EM WOOD FRAME FICHA CATALOGRÁFICA-21 DATA: OUTUBRO/2012. Tecnologias, sistemas

Leia mais

Instruções para a colocação mosaicos cerâmicos

Instruções para a colocação mosaicos cerâmicos 1. É importante realizar a escolha correcta das ferramentas e utensílios para a colocação dos mosaicos: espátula dentada, espátula de borracha, ventosas, cruzetas para a colocação e espátula de borracha

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PEDREIRA. Para esse efeito, foi feita uma vistoria ao prédio bem como á zona envolvente.

AVALIAÇÃO DE PEDREIRA. Para esse efeito, foi feita uma vistoria ao prédio bem como á zona envolvente. AVALIAÇÃO DE PEDREIRA 1. PREÂMBULO Em conformidade com o pedido que nos foi formulado pelo Exmo. Sr. Dr. Nuno Oliveira da Silva, procedeu-se à avaliação da Pedreira em Vila Praia de Âncora, concelho de

Leia mais

Reabilitação de Edifícios Antigos e Sustentabilidade

Reabilitação de Edifícios Antigos e Sustentabilidade João Appleton Abril de 2010 A sustentabilidade corresponde a um conceito recente que, pode dizerse, substituiu o de análise custo/benefício, no que refere à construção e reabilitação de edifícios. A noção

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA

REGULAMENTO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA REGULAMENTO DO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA INTRODUÇÃO O levantamento socioeconómico da população residente nas zonas antigas evidencia um significativo número

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Refere-se a presente Memória Descritiva e Justificativa ao Projecto de Arquitectura relativo á obra de Construção do Quartel/Sede da Associação Humanitária dos Bombeiros

Leia mais

REAÇÃO AO FOGO DE REVESTIMENTOS EXTERIORES DE FACHADAS. Eng. Pina dos Santos, LNEC

REAÇÃO AO FOGO DE REVESTIMENTOS EXTERIORES DE FACHADAS. Eng. Pina dos Santos, LNEC REAÇÃO AO FOGO DE REVESTIMENTOS EXTERIORES REVESTIMENTOS EXTERIORES Porque devemos estar preocupados com o desempenho de reação ao fogo? LNEC 2 Os revestimentos tradicionais das fachadas eram constituídos,

Leia mais

GABINETE PARA O CENTRO HISTÓRICO

GABINETE PARA O CENTRO HISTÓRICO GABINETE PARA O CENTRO HISTÓRICO FICHA TÉCNICA DA OBRA Recuperação do Imóvel sito na Rua Joaquim António de Aguiar, nºs 48 a 52 Dono de Obra: Câmara Municipal de Coimbra Localização e Implantação: Projecto:

Leia mais

Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares... 3. Manutenção... 4. Ambiente... 4. Segurança... 4. Sistemas de Impermeabilização...

Descrição Geral...2. Aplicação em Obra...2. Pontos Singulares... 3. Manutenção... 4. Ambiente... 4. Segurança... 4. Sistemas de Impermeabilização... ÍNDICE Descrição Geral...2 Aplicação em Obra...2 Pontos Singulares... 3 Manutenção... 4 Ambiente... 4 Segurança... 4 Sistemas de Impermeabilização... 5 Coberturas Acessíveis... 5 Coberturas de Acessibilidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS:

MEMORIAL DESCRITIVO NORMAS GERAIS: MEMORIAL DESCRITIVO INFORMAÇÕES GERAIS: OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO DE P.S.F. CIDADE/UF: GOIATUBA / GO DATA: ABRIL DE 2013. UNIDADE: RECREIO DOS BANDEIRANTES (307) NORMAS GERAIS: 1. Os materiais e serviços

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

Intervenção em Bens Culturais. Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia

Intervenção em Bens Culturais. Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia Intervenção em Bens Culturais Edificados Centro de Ensino Superior do Amapá (CEAP) Prof.: Msc. Dinah Tutyia O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO NO PATRIMÔNIO EDIFICADO? Compreende-se por Projeto de Intervenção

Leia mais

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR)

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR) Curitiba, 16 de Janeiro de 2015 ESCLARECIMENTO N.º 05 TOMADA DE PREÇOS 2014/14641(7419) - Contratação de reforma, sem ampliação, de agência incorporada, Agência Itajaí/Besc (SC), para adequação de ambiência.

Leia mais

REABILITAÇÃO DO PALÁCIO DA BOLSA 2ª FASE

REABILITAÇÃO DO PALÁCIO DA BOLSA 2ª FASE REABILITAÇÃO DO PALÁCIO DA BOLSA 2ª FASE REABILITAÇÃO DO PALÁCIO DA BOLSA 2ª FASE A ASSOCIAÇÃO COMERCIAL INICIOU EM 1842 A CONSTRUÇÃO DO PALÁCIO DA BOLSA, UM DOS MAIS NOTÁVEIS MONUMENTOS PORTUENSES DA

Leia mais

Isolamento Térmico EZ

Isolamento Térmico EZ Catálogo de produtos Grazimac Isolamento Térmico EZ www.grazimac.pt 2 GRAZIMAC O isolamento térmico EZ é a solução indicada para uma cobertura inclinada. Permite aumentar o conforto térmico e diminuir

Leia mais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais

ARTº DESCRIÇÃO Nº Elemen- Partes Comp. Largura Altura tares Parciais Totais CAPº 0 - TRABALHOS PREPARATÓRIOS 0,01 Montagem e desmontagem de estaleiro, incluindo mobilização e desmobilização de todos os equipamentos, de acordo com a legislação em vigor, incluindo o fornecimento

Leia mais

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção.

Para utilização em coberturas Ajardinadas, acessíveis a pessoas quando com protecção mecânica pesada ou acessíveis para manutenção. DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FV40 + PY50G JARDIM COBERTURAS JARDIM DTA 06 Impermeabilização de coberturas FEVEREIRO DE 2012 1. - DESCRIÇÃO As membranas ECOPLAS 40, ECOPLAS PY 50G JARDIM

Leia mais

Recuperação de estruturas de coberturas tradicionais de madeira análise de alguns exemplos

Recuperação de estruturas de coberturas tradicionais de madeira análise de alguns exemplos Seminário Coberturas de Madeira, P.B. Lourenço e J.M. Branco (eds.), 2012 73 Recuperação de estruturas de coberturas tradicionais de madeira análise de alguns exemplos Filipe Ferreira AOF Augusto de Oliveira

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA Desde há muito que se vem fazendo sentir a necessidade de uma intervenção de carácter social, no âmbito da habitação. Existindo na área do Município de Condeixa, um número significativo

Leia mais

Sistemas de Impermeabilização

Sistemas de Impermeabilização Sistemas de Impermeabilização Projecto de Construção CET Seia Eng. Sá Neves Eng. Sá Neve Sistema invertido ou tradicional : Os sistemas em cobertura invertida são os mais aconselháveis devido a maior durabilidade

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DATA agosto/2013 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.2 74209/001 Aquisição e assentamento de placas de obra em aço galvanizado. Abrigo Provisorio de madeira executado na obra para m² 6,00 157,35 944,10 1.3 01520.8.1.1

Leia mais

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO

EMPREITADA DE REABILITAÇÃO DAS FACHADAS DO EDIFÍCIO VILA MAR B - PROJECTO DE EXECUÇÂO Total Cap I ESTALEIRO 1.1 Montagem e desmontagem do Estaleiro, incluindo elementos infraestruturais necessários, transportes e todos os trabalhos e materiais necessários para o efeito, de acordo com mapa

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA SANTO ANTÔNIO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA SANTO ANTÔNIO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA SANTO ANTÔNIO EMPREENDIMENTO: Paróquia Santo Antônio do Partenon PROPRIETÁRIO: Mitra da Archidiocese de POA Paróquia St Antônio do Partenon

Leia mais

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS E COBERTURA DE EDIFÍCIOS Hélder Maurício Antunes Cruz * a40472@alunos.uminho.pt José Barroso de Aguiar aguiar@civil.uminho.pt Resumo A presente comunicação reflecte um estudo na

Leia mais

Cruz do Peso 3740-209 Sever do Vouga. E.N.1 Zona Industrial dos Areeiros Lugar dos Pisões 3800 200 Albergaria a - Velha. Counterfess@gmail.

Cruz do Peso 3740-209 Sever do Vouga. E.N.1 Zona Industrial dos Areeiros Lugar dos Pisões 3800 200 Albergaria a - Velha. Counterfess@gmail. 1 Posicionamento da Counterfess 1.1 Dados de identificação da empresa DESIGNAÇÃO SOCIAL SEDE FABRICA TELEFONE/ FAX E-MAIL COUNTERFESS ESTRUTURAS METÁLICAS, LDA. Cruz do Peso 3740-209 Sever do Vouga E.N.1

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL

REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL REGRAS BÁSICAS PARA UMA BOA INSTALAÇÃO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL O presente documento visa servir o interesse do cliente da EPAL, dando a conhecer algumas das condições ideais de construção, de

Leia mais

Reabilitação Sustentável

Reabilitação Sustentável Reabilitação Sustentável APRESENTAÇÃO 4 A empresa QUEM SOMOS 5 A nossa visão, missão e valores SOLUÇÕES 6 À sua medida REABILITAÇÃO SUSTENTÁVEL 7 O próximo desafio ARQUITETURA 8 Deixe que as suas ideias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza EXERCÍCIO IMPERMEABILIZAÇÃO A seguir está modificado um

Leia mais

Market One Ermesinde

Market One Ermesinde Market One Ermesinde Localização Chave Inserido na Zona Industrial de Ermesinde, Market One Ermesinde, dispõe de todas as infra-estruturas necessárias à optimização de todo o processo de transporte que

Leia mais

N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO. Estudo Comparativo.

N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO. Estudo Comparativo. N.14 Abril 2003 PAREDES DIVISÓRIAS PAINEIS PRÉFABRICADOS DE ALVENARIA DE TIJOLO REVESTIDA A GESSO Estudo Comparativo Mafalda Ramalho EDIÇÃO: Construlink, SA Tagus Park, - Edifício Eastecníca 2780-920 Porto

Leia mais

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO SALAS COMERCIAIS E ESTACIONAMENTOS 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO...03 1.1. O EMPREENDIMENTO...03 1.2. PROJETOS E ÁREAS...03 1.3. - LOCAÇÃO DA OBRA...04

Leia mais

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS

ISOLAMENTOS ACÚSTICOS ISOLAMENTOS ACÚSTICOS Ruídos de impacto (intra inquilinos): Aplicação em pisos Außer ia02 Außer ia0 Außer ia1 Außer ia Ruídos aéreos: Aplicação em divisórias verticais Außer ia1 Außer ia Außer ia60 Außer

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

Marcação CE na Indústria Extractiva e Transformadora

Marcação CE na Indústria Extractiva e Transformadora CTCV Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro 1 de Abril 2009 Marcação CE na Indústria Extractiva e Transformadora Francelina Pinto 1 Apresentação da associação ANIET Associação Nacional da Indústria

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA FONTES DE : SINAPI REFERENCIAL 05/14, MERCADO UNITÁRIO TOTAL 1.00 ADMINISTRAÇÃO LOCAL R$ 4.086,08 1.1 Mestre de obras mês 2,00 R$ 17,22 R$ 34,44 22,53% R$ 42,19 SINAPI IS 4069 1.2 PPRA/PCMSO und 1,00 R$

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO

MEMORIAL DESCRITIVO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO CAMARA DE VEREADORES DE ABELARDO LUZ - SC MEMORIAL DESCRITIVO 1.- GENERALIDADES 1.1.- OBJETO O presente Memorial Descritivo tem por finalidade estabelecer as condições que orientarão os serviços de construção,

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESCAVAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS ESCAVAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CAPÍTULO I MOVIMENTO DE TERRAS ARTº 1.1 I ESCAVAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO CRITÉRIO DE MEDIÇÃO Salvo menção expressa em contrário, todas as medições deverão ser consideradas

Leia mais

Projecto para um conjunto de habitações unifamiliares São Luís, Maranhão, Brasil. Projecto

Projecto para um conjunto de habitações unifamiliares São Luís, Maranhão, Brasil. Projecto O sistema construtivo é simples, tendo sido dada preferência a materiais correntes, ou seja, de utilização mais frequente no local, com soluções técnicas enquadradas na mão-de-obra local e adequadas ao

Leia mais

Edifício Varadero Residencial

Edifício Varadero Residencial Edifício Varadero Residencial MEMORIAL DESCRITIVO PADRÃO 1. Infra-Estrutura: 2. Supra-Estrutura: 3. Alvenarias: Movimentação de Terra: Será realizada a limpeza do terreno, removendo todo o obstáculo que

Leia mais

S13. A casa ideal. Marco Silva S13

S13. A casa ideal. Marco Silva S13 S13 A casa ideal Marco Silva S13 A Casa Ideal Quando sonhamos com a casa ideal, pensamos num lugar bonito, agradável, luminoso, quente no Inverno e fresco no Verão, com o ar puro, de fácil manutenção,

Leia mais

Residencial Geraldo Pacheco

Residencial Geraldo Pacheco Residencial Geraldo Pacheco 1/6 Memorial Descritivo Rua Rio Branco, esquina com Rua Marajó, Parque das Castanheiras, Vila Velha - ES Projeto arquitetônico - Sandro Pretti Planejado de acordo com normas

Leia mais

MORADIA RELVA NORDELA SÃO MIGUEL

MORADIA RELVA NORDELA SÃO MIGUEL MORADIA RELVA NORDELA SÃO MIGUEL NOTA TÉCNICA DE PATOLOGIAS (Elaborado por António Barbosa de Campos, AATAE CP3309, Pós-graduação em Engenharia de Qualidade) 1. INTRODUÇÃO O objeto da presente Nota Técnica

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Concepção/ Construção da Nova Ponte da Longra. 2. LOCALIZAÇÃO Localizada na ex-en 110-2, na ligação entre Ceira e Vendas de Ceira, sobre o Rio Ceira.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA E ADAPTAÇÃO DO 2 PELOTÃO/2 CIA DO 5º BATALHÃO DO CBMMG PARA IMPLANTAÇÃO DE BASE DESCENTRALIZADA DO SAMU - 192 CONSIDERAÇÕES GERAIS O presente memorial tem por objetivo especificar

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO.

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO. UNID. QUANT. UNITÁRIO TOTAL CÓD. DEOSP 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 1.2 Aquisição e assentamento de placas de obras pronta de 3,00 x 2,00 m, conforme modelo. Barracão de obra em chapa de madeira compensada

Leia mais

MAPA DE ACABAMENTOS DA MORADIA UNIFAMILIAR POÇOS/CRASTO AROUCA

MAPA DE ACABAMENTOS DA MORADIA UNIFAMILIAR POÇOS/CRASTO AROUCA www.luiscastro.pt www.luiscastro.pt www.luiscastro.pt Luís Castro, Lda Compra e Venda de Imóveis Rua João de Deus,76 6ºE 3700 149 S. João da Madeira Tel. e Fax. 256 823 974 Tlm. 917 322 318 Email: lcastrolda@gmail.com

Leia mais

Local - Rua Vergueiro, 3073 - Vila Mariana - São Paulo/SP

Local - Rua Vergueiro, 3073 - Vila Mariana - São Paulo/SP ANEXO IV - PLANILHA REFERENCIAL - ADEQUAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DO PRÉDIO DA ANATEL EM SÃO PAULO ER-1(ao Convite nº 2/2006) Local - Rua Vergueiro, 3073 - Vila Mariana - São Paulo/SP Item Descrição Unid. Quant.

Leia mais

REQUALIFICAÇÃO DA BAIXA DE VILAMOURA

REQUALIFICAÇÃO DA BAIXA DE VILAMOURA REQUALIFICAÇÃO DA BAIXA DE VILAMOURA Designação Requalificação da Baixa de Vilamoura Função Espaço Público Localização Vilamoura - Quarteira - Loulé Data conclusão da obra Ano 2011 Gabinete Projectista

Leia mais

LIGHT STEEL FRAMING. Em Portugal o sistema é vulgarmente conhecido por Estrutura em Aço Leve.

LIGHT STEEL FRAMING. Em Portugal o sistema é vulgarmente conhecido por Estrutura em Aço Leve. Light Steel Framing PORTEFÓLIO 2 QUEM SOMOS A INSIDEPLAN foi criada com o intuito de responder às exigências do mercado no âmbito da prestação de serviços a nível de projecto e obra. Na execução de projectos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO CLIENTE: OBJETIVO: OBRA: PROJETO: LOCAL: CIDADE: MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 21º ANDAR EDIFICIO CENTRAL REFORMA 21º ANDAR EDIFÍCIO CENTRAL RUA CALDAS JUNIOR Nº 120-21º ANDAR- Centro Porto Alegre/RS

Leia mais

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO: O Empreendimento seguirá as características constantes do memorial abaixo descrito. 1- Especificação Técnica: 1.1 - Fundações: Serão executadas de acordo com sondagem a ser realizada

Leia mais

DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA

DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA DIÁRIO ECONÓMICO LISBOA OCIDENTAL OBRAS CONCLUÍDAS, EM CURSO E A REALIZAR BONS EXEMPLOS DE REABILITAÇÃO URBANA Lisboa, 21 de Novembro de 2011 1. LOCALIZAÇÃO DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DA LISBOA OCIDENTAL,

Leia mais

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE SERRALVES

MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE SERRALVES MUSEU DE ARTE CONTEMPORÃ NEA DE SERRALVES www.serralves.pt 1 MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA DE SERRALVES APRESENTAÇÃO O Museu tem como objectivos essenciais a constituição de uma colecção representativa da

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE

SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE F SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE renolit waterproofing EXCELLENCE IN ROOFING 1 SISTEMA SEMI-INDEPENDENTE INFORMAÇÃO DO PRODUTO alkorplan F 35276 Membrana sintética de impermeabilização, à base de PVC-P, armada

Leia mais

SOBRE A TABELA DE CUSTOS:

SOBRE A TABELA DE CUSTOS: SOBRE A TABELA DE CUSTOS: As composições de custos unitários de serviços aqui apresentadas integram o banco de dados de composições genéricas da PINI resumido no livro TCPO14 - Tabelas de Composições de

Leia mais

Reabilitação de revestimentos de pisos correntes com recurso a argamassas

Reabilitação de revestimentos de pisos correntes com recurso a argamassas Reabilitação de revestimentos de pisos correntes com recurso a argamassas A. Jorge Sousa Mestrando IST Portugal a.jorge.sousa@clix.pt Jorge de Brito ICIST/IST Portugal jb@civil.ist.utl.pt Fernando Branco

Leia mais

Capítulo 6 CAP 5 OBRAS DE TERRA - ENGª KÁRITA ALVES

Capítulo 6 CAP 5 OBRAS DE TERRA - ENGª KÁRITA ALVES Capítulo 6 SOLOS REFORÇADOS - EXECUÇÃO 6. Solo reforçado Com o aumento das alturas de escavação, os custos com estruturas de contenção tradicionais de concreto aumentam consideravelmente. Assim, as soluções

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

OS NOSSOS SERVIÇOS! TIROMATO Limpeza e Proteção Florestal, Lda. Qualidade e Profissionalismo

OS NOSSOS SERVIÇOS! TIROMATO Limpeza e Proteção Florestal, Lda. Qualidade e Profissionalismo TIROMATO Limpeza e Proteção Florestal, Lda. A responsabilidade social e a preservação ambiental significa um compromisso com a vida. OS NOSSOS SERVIÇOS! Qualidade e Profissionalismo TIROMATO, Lda. A limpeza

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS

CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS CONDIÇÕES TÉCNICAS ESPECIAIS Coberturas Inclinadas de Telhado 1 de 10 1.Objectivos 1.1 A presente especificação estabelece as condições técnicas a satisfazer em coberturas inclinadas de telhado LightCob

Leia mais

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais.

Parabond Zinco. Produto elástico para todo tipo de metais. Parabond Zinco Produto elástico para todo tipo de metais. Produto: Parabond Zinco é um elastómero de alta qualidade, de rápido endurecimento, permanentemente elástico, à base de MS polímero com elevada

Leia mais

ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS

ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS Transitou em julgado em 04/07/06 ACÓRDÃO Nº 192 /06-14 JUN.2006-1ª S/SS P. nº 371/06 1. A Câmara Municipal de Silves remeteu para efeitos de fiscalização prévia o segundo adicional ao contrato da empreitada

Leia mais

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL

ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU. VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL ANEXO I PARTE A ANTEPROJETO DE LEI ITABUNA IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU VALOR DO m² PARA CÁLCULO DO VALOR PREDIAL TABELA DOS TIPOS E PADRÕES DE CONSTRUÇÃO TIPO 1 - RESIDENCIAL - PADRÃO "E"

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

RELATÓRIO DE OBRAS. Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus

RELATÓRIO DE OBRAS. Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus RELATÓRIO DE OBRAS 2009 Dinamizador e Relator: Rui Alexandre Teixeira de Jesus ***Procedeu-se à limpeza e desobstrução das condutas de águas pluviais situadas nas garagens, utilizou-se máquina própria

Leia mais

Perspectivas de uma Empresa de Construção Civil.

Perspectivas de uma Empresa de Construção Civil. Actividade: Construção Civil Certificada desde 2008 - ISO 9001:2008 e OHSAS 18001:2007 Certificada desde 2011 ISO14001:2004 PLANO DE GESTÃO DA QUALIDADE/PRMM REVISÃO DOS PRMM LIÇÕES APRENDIDAS/DT Melhoria

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

PROJETO BÁSICO RESTAURO DA CASA DA MEMÓRIA

PROJETO BÁSICO RESTAURO DA CASA DA MEMÓRIA PROJETO BÁSICO RESTAURO DA CASA DA MEMÓRIA Apresentação Partindo da premissa de que a memória é a imagem viva de tempos passados ou presentes e que os bens, que constituem os elementos formadores do patrimônio,

Leia mais

... escute o silêncio...

... escute o silêncio... ...TCHUU Nas suas diferentes funções os edifícios encerram um conjunto de exigência funcionais das quais o comportamento acústico é, ao nível do conforto, um dos aspectos centrais. Quer se trate de edifícios

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro

Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro Soluções de Reforço de Fundações e Melhoramento de Solos em Edifícios Patrimoniais da Cidade de Aveiro Edifício C. M. Aveiro Edifício da Antiga Capitania de Aveiro Teatro Aveirense Edifício na Av. Dr.

Leia mais

CAP. IV VIDA ÚTIL DAS CONSTRUÇÕES 1. INTRODUÇÃO FERNANDO BRANCO. DECivil GESTEC. DECivil GESTEC

CAP. IV VIDA ÚTIL DAS CONSTRUÇÕES 1. INTRODUÇÃO FERNANDO BRANCO. DECivil GESTEC. DECivil GESTEC CAP. IV VIDA ÚTIL DAS CONSTRUÇÕES FERNANDO BRANCO 1. INTRODUÇÃO 1 1. INTRODUÇÃO O TEMPO DE VIDA DAS CONSTRUÇÕES É HABITUALMENTE SUPERIOR À VIDA HUMANA. ISTO LEVA AS PESSOAS A ASSOCIAREM ÀS CONSTRUÇÕES

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

6 - O ARRANJO FÍSICO DE ESTALEIROS DE OBRA

6 - O ARRANJO FÍSICO DE ESTALEIROS DE OBRA 6. O Arranjo Físico de Estaleiros em Obra 1/12 6 - O ARRANJO FÍSICO DE ESTALEIROS DE OBRA JOSÉ AMORIM FARIA VERSÃO 10 FEVEREIRO 2014 6. O Arranjo Físico de Estaleiros em Obra 2/12 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS

TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS Universidade do Algarve Instituto Superior de Engenharia TECNOLOGIA DE EDIFÍCIOS ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS António Morgado André UAlg-EST-ADEC aandre@ualg.pt 1 Exercício 2.1 Considere uma sala de aula de 4,5x

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP

MEMORIAL DESCRITIVO. MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP MEMORIAL DESCRITIVO Revisão: 00 MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP 1. PROJETOS Serão executados de acordo com as normas vigentes. 2. FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES Serão executados

Leia mais

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO La Bella Città Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA PROJETO ARQUITETÔNICO ARQUITETA CARMEN LUCIA PEZZETTE

Leia mais

REGULAMENTO DO PROJECTO MUNICIPAL LOURES REPARA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO

REGULAMENTO DO PROJECTO MUNICIPAL LOURES REPARA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO REGULAMENTO DO PROJECTO MUNICIPAL LOURES REPARA PEQUENAS REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO (Aprovado na 16.ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 20 de Agosto de 2008 e na 4.ª Sessão Extraordinária

Leia mais

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Construção civil Execução de obras, tais como moradias, edifícios, pontes, barragens, estradas, aeroportos e outras

Leia mais