A. O Reilly, The Right to Decent Work of Persons with Disabilities, Geneva, ILO, 2003 (IFP/SKILLS «Working Paper» No. 14

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A. O Reilly, The Right to Decent Work of Persons with Disabilities, Geneva, ILO, 2003 (IFP/SKILLS «Working Paper» No. 14"

Transcrição

1 Anexo IV Textos Aconselhados e Sites Web A. O Reilly, The Right to Decent Work of Persons with Disabilities, Geneva, ILO, 2003 (IFP/SKILLS «Working Paper» No. 14 WHO, ICF. International Classification of Functioning, Disability and Health, Geneva 2001 Rapporto sullo Sviluppo Umano Gerard Quinn e Theresia Degener, Human Rights & Disability, New York, United Nations Office of the High Commissioner for Human Rights of Ginevra, 2002 Leandro O. Despouy, Human Rights and Disabled Persons, New York, United Nations, 1992 (No. E.92.XIV.4) Salamanca 5 Years On. A Review of UNESCO Activities in the Light of the Salamanca Statement and Framework for Action, Adopted at the World Conference on Special Needs Education: Access and Quality, Paris, UNESCO, 1999 G.E. Sarrionandía, M.Á. Verdugo Alonso, La Declaración de Salamanca sobre Necesidades Educativas Especiales 10 años después. Valoración y Prospectiva, Salamanca, Publicaciones del INICO, 2004 International Labour Organization, United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization and the World Health Organization, CBR: A Strategy for Rehabilitation, Equalization of Opportunities, Poverty Reduction and Social Inclusion of People with Disabilities: Joint Position Paper, Geneva, World Health Organization, 2004 World Health Organization. Community-Based Rehabilitation and the health care referral services. A guide for programme managers. Geneva, World Health Organization, 1994 Organizacion Internacional del trabajo, Repertorio de raccomandaciones practicas sobre la gestion de las discapacidades en lugar de trabajo. Reuniòn tripartita de espertos sobre la gestiòn de las discapacidades en lugar de trabajo, Ginebra, Oficina internacional del trabajo, 2001 (TMEMDW/2001/2)

2 Einer Helander, Prejudice and dignity: an introduction to community-based rehabilitation, United Nations publication. WHO, Guidelines for training personnel in developing countries for prosthetic and orthotic services. (Based on the outcome of a WHO consultation on the training of personnel for prosthetic and orthotic services in developing countries, WHO Eastern Mediterranean Regional Office, Alexandria, Egypt, June WHO, Guidelines for the prevention of deformities in polio, Geneva, WHO, Promoting the development of young children with cerebral palsy: a guide for mid-level rehabilitation, Geneva, David Werner, Disabled village children: a guide for community health workers, rehabilitation workers and families, Palo Alto, California, Hesperian Foundation, David Werner, Nothing about us without us: developing innovative technologies for, by and with disabled persons, Palo Alto, California, HealthWrights, Coleridge, P., Disability, Liberation and Development, Oxfam; 1993 Sites Web NAÇÕES UNIDAS Convenções ONU Textos originais das 7 Convenções sobre Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Adoptada e proclamada pela Assembleia geral da Nações Unidas com Resolução 217 (III) de 10 de Dezembro de Direitos Humanos das pessoas com deficiências Comissão dos Direitos Humanos resolução 2000/51 62 encontro, 25 de Abril 2000

3 En?Opendocument Declaração sobre os Direitos das pessoas com Atraso Mental Proclamado pela Assembleia Geral resolução 2856 (XXVI) de 20 de Dezembro de Declaração sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências Proclamado pela Assembleia Geral resolução 3447 (XXX) de 9 de Dezembro de Programa Mundial de Acção concernente às Pessoas com Deficiências Adoptado pela Assembleia Geral Resolução 37/52 de 3 de Dezembro de Linhas Guia de Talinn para uma Acção sobre Desenvolvimento de Recursos Humanos no campo da Deficiência Adoptado pela Assembleia Geral Resolução 44/70 de 15 de Março de Princípios para a Protecção das Pessoas com Doenças Mentais e Melhoria dos Tratamentos da Saúde Mental Adoptado pela Assembleia Geral Resolução 46/119 de 17 de Dezembro de Regras Padrão para a Equiparação das Oportunidades para Pessoas com Deficiências Adoptado pela Assembleia Geral das Nações Unidas New York, 20 de Dezembro de 1993 (Resolução 48/96) Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiências Adoptado em sessão Plenária da Assembleia Geral de 13 de dezembro de Alto Comissário para os direitos humanos da ONU

4 UNICEF UNICEF INNOCENTI RESEARCH CENTRE UNESCO Equipa de educação inclusiva URL_ID=7939&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html Convenção contra a Discriminação na Educação Paris, 14 de dezembro de Declaração Sundberg Adoptada pela Conferência Mundial da UNESCO sobre Acções e Estratégias para a Educação, Prevenção e Integração, Malaga (Espanha), 2-7 de Novembro de Declaração de Salamanca Adoptada pela Conferência Mundial da UNESCO sobre Necessidades Especiais na Educação: Acesso e Qualidade, Salamanca (Espanha), 7-10 de Junho de Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI: Visão e Acção Adoptada pela Conferência Mundial sobre Educação Superior 9 de Outubro de Educação para todos Metas adoptadas na estrutura de acção de Dakar URL_ID=50558&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO

5 R99 Reabilitação Vocacional (deficiências) Recomendação, Sessão da Conferência, Genebra 22:06:1955 R168 Reabilitação Vocacional ocupação (Pessoas com Deficiências) Recomendação, Sessão da Conferência, Genebra 20:06:1983 Convenção No. 159 concernente à Reabilitação Vocacional e a Ocupação das Pessoas com Deficiências Sessão da Conferência, Genebra 20:06:1983 Lidar com deficiências no lugar de trabalho Código de prática, trabalhadores com deficiências, direitos das pessoas com deficiências, gestão dos recursos humanos. OIT código de prática, 2002 O direito a um trabalho digno para as pessoas com deficiências 2003 ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE - OMS Doenças não contagiosas e grupo saúde mental Deficiências e Unidade de Reabilitação Declaração Alma Ata Resolução sobre classificação e funcionamento, deficiências e saúde 54 assembleia geral, nono encontro plenário, Consulta Internacional para a analise da reabilitação com base comunitária (relatório, 2003) Esse relatório segue a consulta global feita em Helsinki, Finlândia em Maio

6 de 2003 para analisar a reabilitação com abordagem com base comunitária que foi globalmente praticada por mais de duas décadas Reconsiderar os cuidados: da perspectiva das pessoas com deficiências relação da conferencia e recomendações (2001) O encontro sobre o qual baseia-se este relatório visa dar às pessoas com deficiências uma oportunidade de contribuir ao processo "rethinking care" em relação às políticas que se referem ao desenvolvimento de serviços sociais e sanitários e ao mesmo tempo indicar novos critérios e conhecimentos para que os Estados Membros da OMS possam formular novas recomendações CBR: Uma estratégia de Reabilitação, Equiparação das oportunidades, Redução da Pobreza e Inclusão Social das Pessoas com Deficiências (Carta Proposição Comum 2004) Essa publicação OIT/UNESCO/OMS foca a reabilitação com base comunitária como estratégia efectiva para incrementar as oportunidades das pessoas com deficiências. O documento enfatiza a importância da participação directa das pessoas com deficiências no planejamento e execução dos programas de reabilitação com base comunitária, a necessidade de uma maior colaboração entre os sectores que prestam serviços, e a necessidade do apoio do governo e do desenvolvimento de políticas nacionais. Arabic [pdf 401kb] Chinese [pdf 6.80Mb] English [pdf 1.17Mb] French [pdf 310kb] Portuguese [pdf 220 kb] Spanish [pdf 301kb] Classificação Internacional e funcionamento, deficiências e saúde - CIF OUTROS SITES WEB Disabled Peoples International DPI International Disability and Development Consortium IDDC

7 Global Partnership for Disability and Development (GPDD) CTION/EXTDISABILITY/0,,contentMDK: ~pagePK:210058~piPK: ~theSitePK:282699,00.html

cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global

cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global cátedra calouste gulbenkian de Saúde Global 2013 O que é a Saúde Global? Saúde Global é uma nova disciplina que visa a melhoria da saúde das populações e a luta pela equidade em saúde a nível mundial.

Leia mais

Diretrizes de RBC como Ferramenta para o Desenvolvimento Inclusivo Baseado na Comunidade

Diretrizes de RBC como Ferramenta para o Desenvolvimento Inclusivo Baseado na Comunidade Diretrizes de RBC como Ferramenta para o Desenvolvimento Inclusivo Baseado na Comunidade 2 Consórcio Internacional da Deficiência e do Desenvolvimento International Disability and Development Consortium

Leia mais

2.1 As pessoas com deficiências e a estratégia dos direitos humanos

2.1 As pessoas com deficiências e a estratégia dos direitos humanos 2. A condição das pessoas com deficiências Objectivos de aprendizagem O participantes adquirirão um conhecimento básico sobre: - a nova imagem das pessoas com deficiências baseada no modelo direitos humanos

Leia mais

Uma visão para WASH pós-2015

Uma visão para WASH pós-2015 Uma visão para WASH pós-2015 A visão da WaterAid para pós-2015 é uma estrutura de desenvolvimento nova e ambiciosa que unifica a erradicação da pobreza e os objectivos sustentáveis de desenvolvimento,

Leia mais

Princípios-chave para a educação especial

Princípios-chave para a educação especial Princípios-chave para a educação especial Recomendações para responsáveis políticos Agência Europeia para o Desenvolvimento da Educaçäo Especial Este documento é uma síntese da informação relativa às linhas

Leia mais

Quinquagésima-quarta sessão Brazzaville, Congo, 30 de Agosto - 3 de Setembro de 2004

Quinquagésima-quarta sessão Brazzaville, Congo, 30 de Agosto - 3 de Setembro de 2004 WORLD HEALTH ORGANIZATION REGIONAL OFFICE FOR AFRICA ORGANISATION MONDIALE DE LA SANTE BUREAU REGIONAL DE L AFRIQUE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE ESCRITÓRIO REGIONAL AFRICANO COMITÉ REGIONAL AFRICANO Quinquagésima-quarta

Leia mais

Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida

Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida Pessoas com Deficiência na Cidade de São Paulo Mais de 1.000.000 de pessoas tem algum tipo de deficiência Representando 10,32% da população

Leia mais

Quantas pessoas têm deficiência? Romeu Kazumi Sassaki

Quantas pessoas têm deficiência? Romeu Kazumi Sassaki ORGANISMO ESPECIALIZADO DE LA OEA Quantas pessoas têm deficiência? Romeu Kazumi Sassaki Consultor de reabilitação e inclusão, 1998. Fuente: http://www.educacaoonline.pro.br/quantas_pessoas_tem_deficiencia.html

Leia mais

Conferências - Educação de Necessidades Especiais: uma Perspectiva Internacional

Conferências - Educação de Necessidades Especiais: uma Perspectiva Internacional Conferências - Educação de Necessidades Especiais: uma Perspectiva Internacional Peter Mittler Nenhum país no mundo tem razões para estar satisfeito com a qualidade dos recursos educacionais colocados

Leia mais

Princípios-chave para a Promoção da Qualidade na Educação Inclusiva Recomendações para a prática

Princípios-chave para a Promoção da Qualidade na Educação Inclusiva Recomendações para a prática Princípios-chave para a Promoção da Qualidade na Educação Inclusiva Recomendações para a prática PRINCÍPIOS-CHAVE PARA A PROMOÇÃO DA QUALIDADE NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Recomendações para a prática European

Leia mais

Policy Direitos Humanos

Policy Direitos Humanos Policy Direitos Humanos ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 1. DESTINATÁRIOS 3 2. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 3 3. REFERÊNCIAS 5 4. DESCRIÇÃO DO PROCESSO E DAS RESPONSABILIDADES 6 5. ANEXOS 9 INTRODUÇÃO Consideramos

Leia mais

O envelhecimento ativoe as pessoas com deficiências ou incapacidade

O envelhecimento ativoe as pessoas com deficiências ou incapacidade O envelhecimento ativoe as pessoas com deficiências ou incapacidade ANO EUROPEU DO ENVELHECIMENTO ACTIVO E DA SOLIDARIEDADE ENTRE AS GERAÇÕES SAÚDE, PARTICIPAÇÃO, SEGURANÇA AUTONOMIA, INDEPENDÊNCIA ESTILOS

Leia mais

Regulação dos sistemas de saúde: segurança do paciente? Panorama mundial.

Regulação dos sistemas de saúde: segurança do paciente? Panorama mundial. Regulação dos sistemas de saúde: Como implementar políticas para a qualidade e segurança do paciente? Panorama mundial. Prof. Zenewton A. S. Gama Departamento de Saúde Coletiva - UFRN Coord. Mestrado Profissional

Leia mais

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM

ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM ACREDITAÇÃO DOS HOSPITAIS PADRÕES DE QUALIDADE E ENFERMAGEM Óbidos, Novembro 2008 Maria da Saudade de Oliveira Custódio Lopes SUMÁRIO DE APRESENTAÇÃO A Política de Qualidade para as Instituições de Saúde:

Leia mais

INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR OLIVEIRA, Linda Marques Pedadoga e acadêmica do Curso de Formação Psicologia da ACEG/FASU-Garça/SP linda_faculdade@yahoo.com.br Souza, Selma

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESCOLA REGULAR: PONTOS E CONTRAPONTOS DA PROPOSTA

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESCOLA REGULAR: PONTOS E CONTRAPONTOS DA PROPOSTA ARTIGO 1 EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESCOLA REGULAR: PONTOS E CONTRAPONTOS DA PROPOSTA 1 FERNANDES, Ivani Márcia da Costa. RESUMO: A educação inclusiva é pauta de pesquisas, projetos, documentos e debates variados

Leia mais

Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais

Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais PROCESSO DE AVALIAÇÃO EM CONTEXTOS INCLUSIVOS PT Avaliação para a Aprendizagem e Alunos com Necessidades Educativas Especiais O objectivo deste artigo é disponibilizar uma síntese das questões-chave que

Leia mais

UMA ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES DE ARTIGOS INTERNACIONAIS SOBRE A EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM IMPLANTE COCLEAR

UMA ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES DE ARTIGOS INTERNACIONAIS SOBRE A EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM IMPLANTE COCLEAR Londrina de 05 a 07 novembro de 203 - ISSN 275-960X UMA ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES DE ARTIGOS INTERNACIONAIS SOBRE A EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM IMPLANTE COCLEAR Nome dos Autores: REGIANE DA SILVA BARBOSA MARIA

Leia mais

Organizing Committee. Comissão Organizadora. Organização Mundial da Saúde Governo Federal. World Health Organization Federal Government of Brazil

Organizing Committee. Comissão Organizadora. Organização Mundial da Saúde Governo Federal. World Health Organization Federal Government of Brazil Organizing Committee World Health Organization Federal Government of Brazil Civil House of the Presidency Ministry of Cities Ministry of Education Ministry of External Affairs Ministry of Health Ministry

Leia mais

Desenvolvimento da Agenda da Educação Pós-2015

Desenvolvimento da Agenda da Educação Pós-2015 Desenvolvimento da Agenda da Educação Pós-2015 Histórico Educação para Todos (Dakar, Senegal, Abril de 2000) Seis objetivos de EPT: Expandir e melhorar a educação e os cuidados na primeira infância Universalizar

Leia mais

Resumo. O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil?

Resumo. O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil? O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil? Trabalho de pesquisa: O impacto do programa de formação vocacional do SENAI no emprego, salários

Leia mais

Plano de ação. Programa Mundial para educação em direitos humanos. Primeira etapa. Nações Unidas

Plano de ação. Programa Mundial para educação em direitos humanos. Primeira etapa. Nações Unidas Plano de ação Programa Mundial para educação em direitos humanos Primeira etapa Nações Unidas Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Escritório do Alto Comissariado das Nações

Leia mais

A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde

A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde A Declaração Política de Recife sobre Recursos Humanos para a Saúde: compromissos renovados para a cobertura universal de saúde 1. Nós, representantes dos governos que se reuniram no Recife, Brasil, de

Leia mais

BRICS Monitor. Especial RIO+20. Rio+20: a China e a Estrutura Institucional Internacional para o Desenvolvimento Sustentável.

BRICS Monitor. Especial RIO+20. Rio+20: a China e a Estrutura Institucional Internacional para o Desenvolvimento Sustentável. BRICS Monitor Especial RIO+20 Rio+20: a China e a Estrutura Institucional Internacional para o Desenvolvimento Sustentável Abril de 2012 Núcleo de Política Internacional e Agenda Multilateral BRICS Policy

Leia mais

Maputo, Moçambique 2008 6 Factores Externos Demográficos: (idade, sexo) Socio-económicos: (educação, ocupação) Ambiente: (conflitos, clima) Sistemas Saúde (DOTS) Disponibilidade Acesso Utilização Detecção

Leia mais

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD"

6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD 6$Ó'(2&83$&,21$/ 4XHUHOHYkQFLD" 5LFDUGR3DLV Kofi Annan, Secretário Geral O.N.U.: " Saúde e Segurança dos trabalhadores é parte integrante da segurança humana. Como agência líder das Nações Unidas pela

Leia mais

Catalogue des nouvelles acquisitions

Catalogue des nouvelles acquisitions Bulletin Bibliographique Edition Nº 03 Bissau, 18/06/2013 CID Centre d Information et Documentation Nations Unies, Guine-Bissau www.gw.one.un.org www.cidnubissau.net Catalogue des nouvelles acquisitions

Leia mais

A POLÍTICA EDUCACIONAL VOLTADA PARA PESSOA COM DEFICIENCIA NO BRASIL NO PARAMETRO DOS ULTIMOS CENSOS EDUCACIONAIS ABSTRACT

A POLÍTICA EDUCACIONAL VOLTADA PARA PESSOA COM DEFICIENCIA NO BRASIL NO PARAMETRO DOS ULTIMOS CENSOS EDUCACIONAIS ABSTRACT A POLÍTICA EDUCACIONAL VOLTADA PARA PESSOA COM DEFICIENCIA NO BRASIL NO PARAMETRO DOS ULTIMOS CENSOS EDUCACIONAIS Luciana Juliane Marques dos Reis 1 RESUMO A partir de sua concepção como direito social,

Leia mais

Horizonte 2020. Ciênciacom e paraa Sociedade. Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs

Horizonte 2020. Ciênciacom e paraa Sociedade. Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs Horizonte 2020 Ciênciacom e paraa Sociedade Cláudia Oliveira Ponto de Contacto Nacional Sociedades, Ciência & Sociedade, e PMEs Objectivos Objectivosdo programaciênciacome para a Sociedade, Artigo3.3b

Leia mais

Além da Prevenção e Tratamento: Desenvolvendo uma Cultura do Cuidado em resposta à Revolução da Longevidade

Além da Prevenção e Tratamento: Desenvolvendo uma Cultura do Cuidado em resposta à Revolução da Longevidade Declaração do Rio Além da Prevenção e Tratamento: Desenvolvendo uma Cultura do Cuidado em resposta à Revolução da Longevidade Preâmbulo Nós, profissionais e instituições que trabalhamos com e para os idosos

Leia mais

El proyecto sapuvetnet como promotor de una política para la enseñanza de la salud pública veterinaria

El proyecto sapuvetnet como promotor de una política para la enseñanza de la salud pública veterinaria El proyecto sapuvetnet como promotor de una política para la enseñanza de la salud pública veterinaria manuela vilhena* Fecha de recepción: 10 de septiembre de 2009 Fecha de aprobación: 10 de noviembre

Leia mais

Projetos e ações da IASLl International Association of School Librarianship Associação Internacional de Bibliotecas Escolares

Projetos e ações da IASLl International Association of School Librarianship Associação Internacional de Bibliotecas Escolares Projetos e ações da IASLl International Association of School Librarianship Associação Internacional de Bibliotecas Escolares Katharina B.L. Berg BIbliotecária Diretora Regional da IASL para América Latina

Leia mais

Palavras-chave: funcionalidade, deficiência física, integralidade da assistência, Classificação Internacional de Funcionalidade

Palavras-chave: funcionalidade, deficiência física, integralidade da assistência, Classificação Internacional de Funcionalidade A aplicação da Classificação Internacional de Funcionalidade da OMS como indicador de saúde funcional e estratégia de gestão pública no Centro de Reabilitação e Fisioterapia de Anápolis Andréa Souza ROCHA¹;

Leia mais

25 parceiros em rede

25 parceiros em rede CAAST-NET PLUS: EU-Africa knowledge and network support to HLPD Cooperaçãoeminvestigaçãoe inovaçãoentre África sub-sariana e Europa Maria Maia, FCT, Portugal caast-net-plus.org CAAST-Net Plusé um projeto

Leia mais

Interação entre crianças com e sem necessidades educacionais especiais: possibilidades de desenvolvimento

Interação entre crianças com e sem necessidades educacionais especiais: possibilidades de desenvolvimento Interação entre crianças com e sem necessidades educacionais especiais: possibilidades de desenvolvimento Interaction among children with and without special educational necessities: development possibilities

Leia mais

AFR/RC50/9 Página 1 INTRODUÇÃO

AFR/RC50/9 Página 1 INTRODUÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO 1. A Organização Mundial de Saúde calcula que 80% da população rural dos países em desenvolvimento depende da medicina tradicional para as suas necessidades no campo dos cuidados de

Leia mais

EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA EM PORTUGAL LISTA DE ABREVIATURAS

EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA EM PORTUGAL LISTA DE ABREVIATURAS EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA EM PORTUGAL LISTA DE ABREVIATURAS 261 ESTUDO BIBLIOGRAFIA Necessidades Especiais na Sala de Aula Caminhos para as Escolas Inclusivas. Formação Reflexiva de Professores: Estratégias

Leia mais

Reabilitação Baseada na Comunidade e a Convenção

Reabilitação Baseada na Comunidade e a Convenção Reabilitação Baseada na Comunidade e a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência 2 Consórcio Internacional de Deficiência e Desenvolvimento (IDDC):Colaborando globalmente para promover o

Leia mais

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS

SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS SCHOOLS LOOKING FOR STUDENTS FOR ERASMUS PLACEMENTS 2015 /16 ESTÁGIOS ERASMUS EM ESCOLAS * ERASMUS PLACEMENTS IN SCHOOLS * [POR FAVOR, PREENCHA O FORMULÁRIO NA (NUMA DAS) LÍNGUA(S) DE TRABALHO DO ESTÁGIO:

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA 1. Marcos Lógicos Publicação/Origem NORMATIVAS INTERNACIONAIS Convenção Relativa à Luta contra a Discriminação no Campo do Ensino Convenção

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: Inclusão; Níveis de envolvimento; Níveis de empenhamento.

Resumo. Palavras-chave: Inclusão; Níveis de envolvimento; Níveis de empenhamento. Resumo Letícia Monteiro Esteves* Eduardo Chaves Cruz** Rosangela Bertelli*** benefícios tanto para as crianças regulares quanto para aquelas com NEE. O presente estudo avaliou a qualidade do envolvimento

Leia mais

Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013

Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 CIDID, CIF, CONVENÇÃO E PROPOSTA DE MODELO ÚNICO DE AVALIAÇÃO Brasília - Dezembro 2013 Os Slides selecionados

Leia mais

Plano de Ação. Segunda Fase. Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos. Nações Unidas

Plano de Ação. Segunda Fase. Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos. Nações Unidas Plano de Ação Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos Segunda Fase Nações Unidas Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Escritório do Alto Comissariado das Nações

Leia mais

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde NOTA PEDAGÓGICA - CASO 1: A EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA O TRABALHO EM EQUIPE E PARA A

Leia mais

Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos

Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos Uma Abordagem para Gerência Estratégica de Portfólio com Foco na Seleção de Projetos Adler Diniz de Souza 1,2, Ana Regina Rocha 1, Gleison Santos 1, Tiago Vinícius Paiva do Carmo 2, Douglas Batista Alexandre

Leia mais

Educação Especial desafios em busca da inclusão

Educação Especial desafios em busca da inclusão Educação Especial desafios em busca da inclusão Yara Xangô Espíndola * Resumo: O objetivo do presente artigo é discutir algumas das principais questões relacionadas à Educação Especial, seus princípios

Leia mais

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA?

A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? A AUSTERIDADE CURA? A AUSTERIDADE MATA? 29.Nov.2013 Financiamento Sector público é a principal fonte de financiamento de cuidados de saúde. Apenas EUA e México apresentam menos de 50% de financiamento

Leia mais

J O S É L U I Z T E L L E S E S C O L A N A C I O N A L D E S A Ú D E P Ú B L I C A F U N D A Ç Ã O O S W A L D O C R U Z

J O S É L U I Z T E L L E S E S C O L A N A C I O N A L D E S A Ú D E P Ú B L I C A F U N D A Ç Ã O O S W A L D O C R U Z J O S É L U I Z T E L L E S E S C O L A N A C I O N A L D E S A Ú D E P Ú B L I C A F U N D A Ç Ã O O S W A L D O C R U Z P Ó S - D O U T O R A N D O N A E N S P - UNL POPULACIONAL ENVELHECIMENTO INDIVIDUAL

Leia mais

Definindo o Âmbito da Protecção Social. Daniel Kumitz Oficina SASPEN-FES Protecção Social Maputo, 1 de Setembro, 2014

Definindo o Âmbito da Protecção Social. Daniel Kumitz Oficina SASPEN-FES Protecção Social Maputo, 1 de Setembro, 2014 Definindo o Âmbito da Protecção Social Daniel Kumitz Oficina SASPEN-FES Protecção Social Maputo, 1 de Setembro, 2014 Índice 1. Protecção Social O que é? 2. Protecção Social Por quê? 3. Protecção Social

Leia mais

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA DE CARVALHO, P. E.; SALVADOR, C. A.; MIRANDA, T. T.; LOPES, J. Resumo: O acidente vascular

Leia mais

2003 - ANO INTERNACIONAL DA ÁGUA DOCE

2003 - ANO INTERNACIONAL DA ÁGUA DOCE 2003 - ANO INTERNACIONAL DA ÁGUA DOCE "Nenhuma medida poderia contribuir mais para reduzir a incidência de doenças e salvar vidas no mundo em desenvolvimento do que fornecer água potável e saneamento adequado

Leia mais

Anexo II A ONU e as pessoas com deficiências

Anexo II A ONU e as pessoas com deficiências Anexo II A ONU e as pessoas com deficiências O compromisso das Nações Unidas para a melhoria do Estado das pessoas com deficiências Mais de quinhentos milhões de pessoas são portadoras de deficiências,

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO: POLÍTICAS, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO MÓDULO 1 - POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO AMBIENTAL 23/02/2006

GESTÃO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO: POLÍTICAS, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO MÓDULO 1 - POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO AMBIENTAL 23/02/2006 GESTÃO AMBIENTAL NO ESTADO DE SÃO PAULO: POLÍTICAS, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO MÓDULO 1 - POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO AMBIENTAL 23/02/2006 Desenvolvimento sustentável e indicadores de sustentabilidade

Leia mais

Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1

Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1 Surdez: Desafios para o Próximo Milênio Mônica Pereira dos Santos 1 Introdução O presente trabalho objetiva se constituir em um ensaio a respeito das contradições com que o discurso pela igualdade se reflete

Leia mais

IX Ciclo de Sábados Falando Com Quem Faz. Associação Nacional de Docentes de Educação Especial Miranda do Corvo,6 de fevereiro

IX Ciclo de Sábados Falando Com Quem Faz. Associação Nacional de Docentes de Educação Especial Miranda do Corvo,6 de fevereiro IX Ciclo de Sábados Falando Com Quem Faz. Associação Nacional de Docentes de Educação Especial Miranda do Corvo,6 de fevereiro Enquadramento; Transição para a vida pós-escolar: População alvo; Planeamento;

Leia mais

8558 Diário da República, 2.ª série N.º 63 31 de março de 2014

8558 Diário da República, 2.ª série N.º 63 31 de março de 2014 8558 Diário da República, 2.ª série N.º 63 31 de março de 2014 Na profissionalização em serviço, na Universidade de Coimbra: as disciplinas de Psicologia Educacional e Desenvolvimento curricular, entre

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução. Preâmbulo. I. Requisitos para a igualdade de participação. Norma 1. Conscientização. Cuidados médicos. Norma 2. Norma 3.

SUMÁRIO. Introdução. Preâmbulo. I. Requisitos para a igualdade de participação. Norma 1. Conscientização. Cuidados médicos. Norma 2. Norma 3. Normas sobre a Equiparação de Oportunidades para Pessoas com Deficiência Parte 1 As normas sobre equiparação de oportunidades para pessoas com deficiência foram adotadas pela Assembléia Geral das Nações

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA Propriedade intelectual e a alta modernidade: redefinindo o sistema para adequação aos direitos fundamentais Projeto de pesquisa orientado

Leia mais

Mobilidade no espaço lusófono numa perspectiva de educação internacional: a experiência no curso de educação de infância

Mobilidade no espaço lusófono numa perspectiva de educação internacional: a experiência no curso de educação de infância Mobilidade no espaço lusófono numa perspectiva de educação internacional: a experiência no curso de educação de infância Julio Santos, Alice Bastos, Carla Faria, Isabel Carvalho, Melo de Carvalho e Jose

Leia mais

Este capítulo contém informações sobre o modo de planear (planejar) a educação do seu filho. Aqui, encontra:

Este capítulo contém informações sobre o modo de planear (planejar) a educação do seu filho. Aqui, encontra: A educação ao serviço do seu filho Este capítulo contém informações sobre o modo de planear (planejar) a educação do seu filho. Aqui, encontra: Uma descrição dos direitos jurídicos do seu filho no sistema

Leia mais

Pró- Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso

Pró- Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso Pró- Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso EDUCAÇÃO INCLUSIVA NA EDUCAÇÃO FÍSICA: ANALISE DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Autor: Marcus Vinicius Candido de

Leia mais

Saúde Bucal Coletiva. 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1

Saúde Bucal Coletiva. 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Promoção e Prevenção em Saúde Bucal Coletiva 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 S 2 1 Programa Promoção de saúde bucal baseada em evidências científicas Estratégias comuns de prevenção de

Leia mais

Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar.

Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar. Parecer sobre Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar. Sociedade Portuguesa de Educação Física Conselho Nacional das Associações de Professores e Profissionais

Leia mais

Solicitação DIRECIONADA de Propostas. Doações da Iniciativa Comunitária HSH América Latina

Solicitação DIRECIONADA de Propostas. Doações da Iniciativa Comunitária HSH América Latina Solicitação DIRECIONADA de Propostas Doações da Iniciativa Comunitária HSH América Latina To view the RFP in English please click here Para ver la solicitud de propuestas en español, haga clic aquí. Prazo

Leia mais

Ajudar mais pessoas a ter consciência do seu estado ao nível de VIH

Ajudar mais pessoas a ter consciência do seu estado ao nível de VIH Ajudar mais pessoas a ter consciência do seu estado ao nível de VIH Manual 4 Envolvimento com outros parceiros: organizações de VIH, profissionais de cuidados de saúde e responsáveis por políticas Obrigado

Leia mais

Programa de Bolsas de Estudos no exterior

Programa de Bolsas de Estudos no exterior Programa de Bolsas de Estudos no exterior N E S T E F O L D E R 1 Apresentação 1 Descritivo geral do Programa 2 Um programa sob medida para sua necessidade 2 Conteúdo programático 3 Organização do programa

Leia mais

-1- PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1

-1- PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 PREVENÇÃO DE ACIDENTES INFANTIS: FORMAÇÃO E ATUAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 GIMENIZ-PASCHOAL, Sandra Regina 2 VILAS BÔAS, Bruna 3 TÁPARO, Flávia Arantes 4 SCOTA, Bruna da Costa 5 Resumo

Leia mais

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1?

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1? Respostas às questões da secção 8 do LIVRO VERDE Melhorar a saúde mental da população Rumo a uma estratégia de saúde mental para a União Europeia Bruxelas 14.10.2005 (1) Qual a importância da saúde mental

Leia mais

Guião de educação. Género e cidadania. Recursos

Guião de educação. Género e cidadania. Recursos Guião de educação. Género e cidadania. Recursos 317 Guião de Educação. Género e Cidadania 3 ciclo 318 Lisboa, CIG, 2009 RECURSOS Sítios web de Organizações e Instituições Academia Nancy-Metz, Education

Leia mais

http://www.cchla.ufrn.br/saberes 124 REFLEXÕES ACERCA DOS CURRÍCULOS EDUCACIONAIS E A FUNÇÃO DA EDUCAÇÃO

http://www.cchla.ufrn.br/saberes 124 REFLEXÕES ACERCA DOS CURRÍCULOS EDUCACIONAIS E A FUNÇÃO DA EDUCAÇÃO http://www.cchla.ufrn.br/saberes 124 REFLEXÕES ACERCA DOS CURRÍCULOS EDUCACIONAIS E A FUNÇÃO DA EDUCAÇÃO Rodrigo Reis Lastra Cid * Resumo: O objetivo deste artigo é indicar qual a finalidade da educação

Leia mais

Serviço de Reabilitação

Serviço de Reabilitação Serviço de Reabilitação Relatório de Actividades.1.2.3.4 Tratamento de casos Implementação da política de reabilitação Desenvolvimento de equipamentos sociais Desenvolvimento de actividades 31 Relatório

Leia mais

TUBERCULOSE REGISTO DOS CASOS E MONITORIZAÇÃO DOS RESULTADOS

TUBERCULOSE REGISTO DOS CASOS E MONITORIZAÇÃO DOS RESULTADOS Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: SISTEMA DE INFORMAÇÃO INTRÍNSECO AO PROGRAMA DE TUBERCULOSE REGISTO DOS CASOS E MONITORIZAÇÃO DOS RESULTADOS Nº 8/DT Data: 9/05/00

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO)

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO) ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO) A UNESCO é uma das instituições especializadas das Nações Unidas, criada logo após o término da Segunda Guerra Mundial, em

Leia mais

AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 746 Janiele de Souza Santos 1, Denner Dias Barros 1, Ana Virginia Isiano Lima 2,

Leia mais

Lugar do professor itinerante no processo de inclusão de alunos com deficiência nas séries iniciais do Ensino Fundamental

Lugar do professor itinerante no processo de inclusão de alunos com deficiência nas séries iniciais do Ensino Fundamental Lugar do professor itinerante no processo de inclusão de alunos com deficiência nas séries iniciais do Ensino Fundamental Mércia Ramos de Barros 125, Kátia Maria da Cruz Ramos 126 Resumo A denominada educação

Leia mais

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects Local & Regional Development Expanding the positive impacts of mining projects Defining local and regional development Factors: Economic Social Specific to communities Need for ongoing consultations Link

Leia mais

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS

INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS INTERVENÇÃO PRECOCE NA INFÂNCIA (IPI) ORIENTAÇÕES PARA AS POLÍTICAS Introdução O presente documento pretende apresentar uma visão geral das principais conclusões e recomendações do estudo da European Agency

Leia mais

Documento Temático - Sessão 1

Documento Temático - Sessão 1 ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO Fórum da OIT sobre Trabalho Digno para uma Globalização Justa FDW Lisboa 31 de Outubro - 2 de Novembro de 2007 Documento Temático - Sessão 1 Empregabilidade: educação,

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO BRASIL CONTEXTO HISTÓRICO E CONTEMPORANEIDADE RESUMO

EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO BRASIL CONTEXTO HISTÓRICO E CONTEMPORANEIDADE RESUMO EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO BRASIL CONTEXTO HISTÓRICO E CONTEMPORANEIDADE Maricélia Tomáz de Souto 1 (mariceliatomaz@gmail.com) Beatriz da Silva Lima 1 (beatrizslima7@gmail.com) Erica Domingos Pereira 1 (ericadp.domingos@gmail.com)

Leia mais

Encontro Internacional de Educação Agenda e Palestrantes

Encontro Internacional de Educação Agenda e Palestrantes Encontro Internacional de Educação Agenda e Palestrantes 05.03.2013 1 Agenda 09h - Café de boas-vindas 02/04/13 03/04/13 09h30 - Abertura oficial (Françoise Trapenard) 10h - Palestra A visão do MEC sobre

Leia mais

Escola para todos - Uma utopia tangível? Maria Filomena Ventura

Escola para todos - Uma utopia tangível? Maria Filomena Ventura 1 Escola para todos - Uma utopia tangível? Maria Filomena Ventura O conceito de Escola para Todos, ou Escola Inclusiva, surge no âmbito da Conferência Mundial sobre Necessidades Educativas Especiais em

Leia mais

Os ODMs e os Direitos Humanos: Desafios e Oportunidades

Os ODMs e os Direitos Humanos: Desafios e Oportunidades Os ODMs e os Direitos Humanos: Desafios e Oportunidades Os Direitos Humanos são e deveriam ser instrumentos para o reconhecimento dos ODMs Introdução (Jeffrey Sachs, Conselheiro Especial do Secretário-Geral

Leia mais

Prevenção. Alianças. Direitos. Assistência. HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para os empregadores. www.oit.org/aids OIT/AIDS

Prevenção. Alianças. Direitos. Assistência. HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para os empregadores. www.oit.org/aids OIT/AIDS HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para os empregadores Prevenção Assistência Direitos Alianças Como utilizar o Repertório de Recomendações Práticas da OIT sobre o HIV/Aids e o Mundo do Trabalho e seu Manual

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES CAMARGO, Victor Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva ZUTTIN, Fabiana Docente da Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

Prevenção. Alianças. Direitos. Assistência. HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para. os sindicatos. www.oit.org/aids OIT/AIDS

Prevenção. Alianças. Direitos. Assistência. HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para. os sindicatos. www.oit.org/aids OIT/AIDS HIV/AIDS + TRABALHO Diretrizes para os sindicatos Prevenção Assistência Direitos Alianças Como utilizar o Repertório de Recomendações Práticas da OIT sobre o HIV/Aids e o Mundo do Trabalho e seu Manual

Leia mais

Educação para a cidadania global A abordagem da UNESCO

Educação para a cidadania global A abordagem da UNESCO United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization Educação para a cidadania global A abordagem da UNESCO BR/2015/PI/H/3 Educação para a cidadania global (ECG) A abordagem da UNESCO O que

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO TURISMO NA VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO

A INFLUÊNCIA DO TURISMO NA VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO A INFLUÊNCIA DO TURISMO NA VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO José Henrique Souza i Professor de Economia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Puccamp) josehenriquesouza@yahoo.com.br Márcia

Leia mais

Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas

Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas TRANSIÇÃO ESCOLAR Serviços e programas que influenciam as transições escolares de crianças pequenas Diane Early, PhD. FPG Child Development Institute University of North Carolina at Chapel Hill,EUA Julho

Leia mais

2ª Conferência Internacional de Educação Financeira UA/CGD

2ª Conferência Internacional de Educação Financeira UA/CGD Mercados bancários a retalho - A importância da informação e formação financeira - 2ª Conferência Internacional de Educação Financeira UA/CGD Culturgest - 28 de Setembro de 2010 Lúcia Leitão e Susana Narciso

Leia mais

Administração e Sustentabilidade

Administração e Sustentabilidade Administração e Sustentabilidade Prof. André Pereira de Carvalho andre.carvalho@fgv.br POI/ FGV-EAESP www.fgv.br/eaesp Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) www.fgv.br/ces Dilema: Falso dilema?

Leia mais

E. F. Pereira 1, L. R. Nobre 2

E. F. Pereira 1, L. R. Nobre 2 OFICINAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PROJETO ASSOCIAÇÃO DOS PESCADORES DA VILA SÃO MIGUEL - APESMI: PROMOVENDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA PESCA ARTESANAL NA COMUNIDADE SÃO MIGUEL NO MUNICÍPIO DO RIO

Leia mais

PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS

PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS ESCOLAS E s c o l a N a c i o n a l d e S a ú d e P ú b l i c a 7 / 1 2 / 2 0 1 2 A s s o c i a ç ã o P o r t u g u e s a p a r a a P r o m o ç ã o d a S a ú d e Saúde Escolar Palmela

Leia mais

O DESAFIO DO PROFESSOR E DA ESCOLA DA REDE REGULAR DE ENSINO FRENTE Á INCLUSÃO

O DESAFIO DO PROFESSOR E DA ESCOLA DA REDE REGULAR DE ENSINO FRENTE Á INCLUSÃO O DESAFIO DO PROFESSOR E DA ESCOLA DA REDE REGULAR DE ENSINO FRENTE Á INCLUSÃO PRESTES, Simone de Cássia Discente do Curso pedagogia da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva CERDEIRA, Valda

Leia mais

Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho

Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho Recomendação sobre o HIV e a Aids e o mundo do trabalho, aprovada pela Conferência Internacional do Trabalho em sua Nonagésima Nona Sessão, Genebra,

Leia mais

DIA MUNDIAL DE ZERO DISCRIMINAÇÃO 1º DE MARÇO DE 2016 EU APOIO A #ZERODISCRIMINAÇÃO FAÇA A SUA PARTE!

DIA MUNDIAL DE ZERO DISCRIMINAÇÃO 1º DE MARÇO DE 2016 EU APOIO A #ZERODISCRIMINAÇÃO FAÇA A SUA PARTE! DIA MUNDIAL DE ZERO DISCRIMINAÇÃO 1º DE MARÇO DE 2016 EU APOIO A #ZERODISCRIMINAÇÃO FAÇA A SUA PARTE! 1 DE MARÇO É O DIA MUNDIAL DE ZERO DISCRIMINAÇÃO FAÇA A SUA PARTE! No dia Mundial de Zero Discriminação

Leia mais

Marta Gil. Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas. e a Empregabilidade de Pessoas com Deficiência Visual

Marta Gil. Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas. e a Empregabilidade de Pessoas com Deficiência Visual Marta Gil Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas Sistema e a Empregabilidade de Pessoas com Deficiência Visual A ESCALA DA OPORTUNIDADE 9 entre 10 crianc as com deficie ncia

Leia mais

Análise de Acessibilidade Aplicada ao Website da Universidade Federal de Santa Maria

Análise de Acessibilidade Aplicada ao Website da Universidade Federal de Santa Maria 168 Análise de Acessibilidade Aplicada ao Website da Universidade Federal de Santa Maria Janaína Gomes 1, Paulo Henrique Vianna 1, Diego Carvalho 1, Sara Spolti Pazuch 1, Aline Lorini 1, Diego Carvalho

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras, pólo de Viseu

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras, pólo de Viseu UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras, pólo de Viseu Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais Licenciatura em Serviço Social 2º ano 1º Semestre Oficina do Serviço Social

Leia mais

ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa Serviços de Acção Social Gabinete de Aconselhamento ao Aluno

ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa Serviços de Acção Social Gabinete de Aconselhamento ao Aluno ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa Serviços de Acção Social Gabinete de Aconselhamento ao Aluno NORMAS GERAIS DE FUNCIONAMENTO 1. INTRODUÇÃO O Gabinete de Apoio ao Aluno, foi criado em Julho de 2007

Leia mais