ANO INTERNACIONAL DA JUVENTUDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANO INTERNACIONAL DA JUVENTUDE"

Transcrição

1 Os Jovens merecem um grande compromisso da nossa parte: acesso pleno à educação, atenção adequada na saúde, oportunidades de emprego e participação plena na vida pública. Ban Ki-moon Secretário Geral das Nações Unidas

2 1965 Resolução 2037, de 7 de Dezembro, Declaração sobre a Promoção entre os Jovens dos Ideais de Paz, Respeito Mútuo e Compreensão entre os Povos Resolução 40/14, Proclamado o 1.º ANO INTERNACIONAL DA 1995 e 2007 Resolução 50/81, de 14 de Dezembro de 1995 Resolução 62/126 de 18 de Dezembro de 2007, aprovam o Programa de Acção Mundial para a Juventude até e para além do Ano º Aniversário do ANO INTERNACIONAL DA Participação, Desenvolvimento e Paz

3 Programa de Acção Mundial para os Jovens Acções prioritárias Educação Emprego Fome e Pobreza Saúde Meio Ambiente Uso indevido de drogas Delinquência Juvenil Actividades recreativas Crianças e Jovens Participação dos Jovens na vida da sociedade Globalização VIH/SIDA Jovens e Conflitos Armados Questões Inter-geracionais Tecnologia de Informação e Comunicações

4 1998, em Portugal, sob a égide das Nações Unidas decorreram: 3.º Fórum Mundial da Juventude, Festival Mundial da Juventude, 1.ª Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude em colaboração com as Nações Unidas. O Fórum Mundial da Juventude, propõe à Conferência de Ministros a celebração de um Dia Mundial da Juventude. Em 1999 a Assembleia Geral das Nações Unidas institui o Dia 12 de Agosto como Dia Internacional da Juventude! A Conferência de Ministros compromete-se na promoção e continuação da implementação do Programa Mundial de Acção para a Juventude.

5 1998 (cont.) O Fórum Mundial da Juventude, propõe à Conferência de Ministros a celebração de um Dia Mundial da Juventude. Em 1999 a Assembleia Geral das Nações Unidas institui o Dia 12 de Agosto como Dia Internacional da Juventude! A Conferência de Ministros aprova medidas tendentes à promoção da implementação do Programa Mundial de Acção para a Juventude. Desde 1999 Portugal tem protagonizado na Assembleia Geral das Nações Unidas a aprovação sucessiva de resoluções sobre Juventude.

6 Considerando: Organização Nações Unidas Assembleia Geral Dezembro de 2009 Os princípios enunciados na Carta das Nações Unidas Os ideais de paz De respeito pelos direitos humanos Liberdades fundamentais Solidariedade Objectivos de progresso e desenvolvimento Na Resolução 64/134 proclamou «O ANO INTERNACIONAL DA»

7 Tema DIÁLOGO e COMPREENSÃO MÚTUA Slogan O NOSSO ANO, A NOSSA VOZ!

8 OBJECTIVOS: Sensibilizar Intensificar Aumentar o empenhamento nos JOVENS Como: - Reconhecendo o contributo dos Jovens para a realização dos Objectivos do Milénio. - Promovendo a compreensão das desigualdades. - Aprofundando o conhecimento sobre os Jovens.

9 OBJECTIVOS: Mobilizar e Implicar Reforçar a participação dos JOVENS Apoiar parcerias Como: - Institucionalizando mecanismos de participação dos Jovens nos processos de tomada de decisão. - Apoiando as organizações e parcerias de Jovens de modo a aumentar os seus contributos para a sociedade.

10 OBJECTIVOS: Estabelecer e Construir pontes Fortalecer a compreensão intercultural entre os JOVENS Como: - Promovendo interacções entre os Jovens - Intensificando e apoiando os Jovens como agentes de inclusão social e de Paz.

11 Deseja alcançar os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Erradicar a pobreza extrema e a fome. Alcançar o ensino primário universal. Promover a igualdade de género e a autonomização da mulher. Reduzir a mortalidade infantil. Melhorar a saúde materna. Combater o HIV/SIDA, a malária e outras doenças. Garantir a sustentabilidade ambiental. Criar uma parceria global para o desenvolvimento.

12 Em 2010 já se realizaram Eventos Internacionais: 5.º Congresso Mundial da Juventude Turquia, 31 Julho a 13 Agosto; 1.ºs Jogos Olímpicos da Juventude Singapura, 14 a 26 de Agosto; Conferência Mundial da Juventude México, 24 a 27 de Agosto.

13 PORTUGAL A Resolução de Conselho de Ministros n.º 65/2010 institui a celebração do Ano Internacional da Juventude. Com o objectivo de: - Reunir sinergias. - Reforçar a participação cívica dos Jovens. - Aprofundar a transversalidade das políticas direccionadas para a juventude.

14 Convite às: - Entidades Governamentais - Organizações Juvenis - Sociedade Civil para participarem no AIJ Com a Resolução n.º 65/2010 foi criada a Comissão Nacional de Acompanhamento constituída por 32 Entidades. - Entidade Coordenadora e Dinamizadora: IPJ, I. P.

15 Comissão Nacional de Acompanhamento Instituto Português da Juventude Ministério da Justiça Ministério das Finanças e Administração Públicas Ministério Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas Ministério Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério Administração Interna Ministério da Saúde Ministério dos Negócios Estrangeiros Ministério Ambiente e Ordenamento do Território Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Educação Ministério da Cultura Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Governo da Região Autónoma dos Açores Governo da Região Autónoma da Madeira

16 Comissão Nacional de Acompanhamento Movijovem FDTI Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género Agência Nacional para o Programa "Juventude em Acção" Fundação da Juventude CNJ FNAJ Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses Associação Estudantes Ensino Superior Associação Estudantes Ensino Básico e Secundário Associação Nacional de Municípios Portugueses Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE) União Geral de Trabalhadores ANJE Centro Norte-Sul do Conselho da Europa

17 Como promover. e celebrar. Recomendações das Nações Unidas: Organizar (um) evento(s). Divulgar (um) evento(s) no Calendário de Eventos. Participar nos eventos. Participar nas discussões online. Colocar o banner oficial do AIJ, no respectivo site com link para o sítio oficial.

18 Temáticas Mensais SETEMBRO - Prevenção Rodoviária OUTUBRO - Participação Cívica NOVEMBRO - Empreendedorismo e Inovação DEZEMBRO - Voluntariado JANEIRO - Direitos e Igualdade FEVEREIRO - Cultura e Diversidade MARÇO - Educação Não Formal, Formal e Ciência ABRIL - Emancipação dos Jovens e Democracia MAIO - Estilos de Vida Saudável e Desenvolvimento Sustentável JUNHO - Associativismo Juvenil e Participação Local JULHO - Mobilidade Juvenil AGOSTO - O Futuro

19 Mais informações: No Portal da Juventude em do secretariado técnico do AIJ: Junta a TUA à NOSSA VOZ!

20 Imaginemos um ANO em que todas as pessoas da sociedade são persuadidas a falar sobre OS JOVENS O ANO INTERNACIONAL DA dá essa oportunidade. Não a desperdicemos! O NOSSO ANO A NOSSA VOZ!

Plano de Atividades da Comissão Nacional para os Direitos Humanos (CNDH) para 2014

Plano de Atividades da Comissão Nacional para os Direitos Humanos (CNDH) para 2014 Plano de Atividades da Comissão Nacional para os Direitos Humanos (CNDH) para 2014 1. Coordenação dos vários membros da CNDH, com vista ao cumprimento pelo Estado Português das suas obrigações em matéria

Leia mais

Apresentação Intercultura. Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura

Apresentação Intercultura. Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura Apresentação Intercultura Introdução Missão História da Organização Estrutura da Organização Programas da Intercultura Introdução A Intercultura é uma Associação de Juventude e de Voluntariado; É uma organização

Leia mais

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 1. Participação, Cultura e Criatividade Existem diferentes formas de participação na democracia e várias formas de utilização do programa Juventude

Leia mais

Apresentação. Objetivos do Programa

Apresentação. Objetivos do Programa Diálogo Jovem 0 Índice Assunto Pagina Apresentação 2 Objetivos do Programa 2 Resultados esperados 3 Demandas do Programa 3 Por que investir 4 Origem dos Recursos 5 Metodologia 6 Roteiro do Primeiro encontro

Leia mais

Europa e África: que futuro comum? Conferência Sala 1 da Fundação Gulbenkian, Lisboa, 12 de Março de 2014. Declaração Final

Europa e África: que futuro comum? Conferência Sala 1 da Fundação Gulbenkian, Lisboa, 12 de Março de 2014. Declaração Final Europa e África: que futuro comum? Conferência Sala 1 da Fundação Gulbenkian, Lisboa, 12 de Março de 2014 Declaração Final Nós, representantes das Entidades 1 de referência para as diversas áreas específicas

Leia mais

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho

CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA. Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66. OTA Secretariado-Geral do Conselho CO SELHO DA U IÃO EUROPEIA Bruxelas, 3 de Outubro de 2011 (06.10) (OR.en) 14552/11 SOC 804 JEU 53 CULT 66 OTA de: Secretariado-Geral do Conselho para: Delegações n.º doc. ant.: 14061/1/11 REV 1 SOC 759

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE GOVERNO DA PROVÍNCIA DE MAPUTO DIRECÇÃO PROVINCIAL DA JUVENTUDE E DESPORTOS DE MAPUTO 5. Realizações da instituição, Planos da Instituição e Serviços prestados ao Publico 5.1 NO

Leia mais

PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE

PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE CURSO NEON PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009. Profª Andréa Azevêdo Disciplina: DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO SOCIAL ANDRÉA AZEVÊDO Professora. e-mail: professoraandreaazevedo@yahoo.com.br

Leia mais

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Emprega o Futuro

Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Emprega o Futuro Ficha de Caracterização de Entidade/Projecto Emprega o Futuro 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Emprega o Futuro Programa Escolhas 4ª Geração Promotor(es): ISU - Instituto de Solidariedade

Leia mais

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL

PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL PROPOSTA DE REVISÃO CURRICULAR APRESENTADA PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA POSIÇÃO DA AMNISTIA INTERNACIONAL PORTUGAL A Amnistia Internacional Portugal defende a manutenção Formação Cívica nos 2.º

Leia mais

FICHA DO PROJECTO. Desporto para todos. Fundação Aragão Pinto - IPSS

FICHA DO PROJECTO. Desporto para todos. Fundação Aragão Pinto - IPSS FICHA DO PROJECTO Desporto para todos Nome do Projecto: Sport For All - Desporto e Inovação Objectivos do projecto:. Envolvimento de jovens na criação de um programa inovador de prevenção e integração

Leia mais

A República Portuguesa e a República Democrática e Popular da Argélia, doravante designadas «as Partes»:

A República Portuguesa e a República Democrática e Popular da Argélia, doravante designadas «as Partes»: Decreto n.º 3/2006 Aprova o Acordo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República Democrática e Popular da Argélia nas Áreas da Educação, do Ensino Superior e da Investigação Científica, da Cultura,

Leia mais

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais e os. Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais e os. Objetivos de Desenvolvimento do Milênio A Assembleia Legislativa de Minas Gerais e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio A Assembleia Legislativa de Minas Gerais e os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Belo Horizonte 2014 1 Mesa da

Leia mais

Orçamento Participativo 2016. Carta de Princípios

Orçamento Participativo 2016. Carta de Princípios Carta de Princípios A Câmara Municipal de Leiria reconhece, com a criação e implementação do Orçamento Participativo, o imperativo de partilhar com os cidadãos a definição de um rumo para o concelho. A

Leia mais

Centro de Informação Europeia Jacques Delors. Oferta formativa

Centro de Informação Europeia Jacques Delors. Oferta formativa Oferta formativa 2009/2010 Centro de Informação Europeia Jacques Delors DGAE / Ministério dos Negócios Estrangeiros Curso de Formação «A Cidadania Europeia e a Dimensão Europeia na Educação» Formação acreditada,

Leia mais

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3

Estado de direito democrático...2. Tarefas fundamentais do Estado...2. Liberdade de associação...2. Direitos dos trabalhadores...3 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (Texto nos termos da última revisão constitucional (sexta revisão constitucional) operada pela Lei Constitucional n.º 1/2004, de 24 de Julho) Estado de direito democrático...2

Leia mais

O Plano Regional Integra:

O Plano Regional Integra: O Plano Regional Integra: 1. Acções estratégicas de combate à pobreza e exclusão social com efeitos a médio e longo prazo; 2. Acções/eventos com o objectivo de mobilizar e envolver a sociedade civil desenvolvidas

Leia mais

RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO

RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO RELATÓRIO ATIVIDADE TECNICO ADMINISTRATIVO Nome do Técnico Estado Número de Participantes KARYM RACHEL MAMI COLLESEL AMAZONAS 153 PARTICIPANTES ANEXAR AO RELATÓRIO Cópia da Lista de Presença Cópia do Cerimonial

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA. Nota justificativa REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS PELO MUNÍCIPIO DE MORA Nota justificativa A prossecução do interesse público municipal concretizado, designadamente através de políticas de desenvolvimento cultural,

Leia mais

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio

Objectivos de Desenvolvimento do Milénio Em 2000, 189 chefes de Estado e de Governo assinaram a Declaração do Milénio que levou à formulação de 8 objectivos de desenvolvimento, a alcançar entre 1990 e 2015. Os ODM - Objectivos de Desenvolvimento

Leia mais

DEBATE SOBRE PROMOÇÃO ECONÔMICA MUNICIPAL CAMPINAS SÃO PAULO 26 DE MAIO DE 2009

DEBATE SOBRE PROMOÇÃO ECONÔMICA MUNICIPAL CAMPINAS SÃO PAULO 26 DE MAIO DE 2009 DEBATE SOBRE PROMOÇÃO ECONÔMICA MUNICIPAL CAMPINAS SÃO PAULO 26 DE MAIO DE 2009 1 Estruturação para o desenvolvimento Medida Micro e Pequena Empresa Desenvolvimento 2 A importância das MPEs 67% 96% 99%

Leia mais

Agenda Nacional de Trabalho Decente

Agenda Nacional de Trabalho Decente Agenda Nacional de Trabalho Decente Brasília, 2006 Sumário Gerar Trabalho Decente para Combater a Pobreza e as Desigualdades Sociais A. Antecedentes...5 B. Prioridades...9 B.1. Prioridade 1: Gerar mais

Leia mais

IX Colóquio Os Direitos Humanos na Ordem do Dia: Jovens e Desenvolvimento - Desafio Global. Grupo Parlamentar Português sobre População e

IX Colóquio Os Direitos Humanos na Ordem do Dia: Jovens e Desenvolvimento - Desafio Global. Grupo Parlamentar Português sobre População e IX Colóquio Os Direitos Humanos na Ordem do Dia: Jovens e Desenvolvimento - Desafio Global Grupo Parlamentar Português sobre População e Cumprimentos: Desenvolvimento Assembleia da República 18 de Novembro

Leia mais

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA PARTE III DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA Gilberto Carvalho Crescer distribuindo renda, reduzindo desigualdades e promovendo a inclusão social. Esse foi o desafio assumido pela presidente Dilma Rousseff

Leia mais

Em Agenda: NEWSLETTER N.º 12 EDITORIAL

Em Agenda: NEWSLETTER N.º 12 EDITORIAL NEWSLETTER N.º 12 DEZEMBRO.2015 Em Agenda: Facebook: Mulheres Socialistas da Faul www.psfaul.com/dfms/ Roteiro Mais Igualdade Laboral - Visita à BERNER, S.A. segunda-feira, dia 11 de Janeiro, às 17h, Local:

Leia mais

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Introdução Este trabalho foi-nos proposto na aula de Área de Projecto pela Professora. Pretendemos

Leia mais

Local, Regional, Nacional. Faro Local Falta de interesse dos alunos paa estes temas. Falta de mo vação

Local, Regional, Nacional. Faro Local Falta de interesse dos alunos paa estes temas. Falta de mo vação Timestamp Tipo de Organização/ Entidade área de intervenção concelho abrangência 12-04-2012 16:46 Projeto Escolhas inclusão social 2. Interculturalidade/ Solidariedade Inter-Geracional OBSTÁCULOS/ DESAFIOS

Leia mais

RECONHECIDA PELO GOVERNO DE CABO-VERDE, CONFORME O BOLETIM OFICIAL N.º 40 I SERIE, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2001

RECONHECIDA PELO GOVERNO DE CABO-VERDE, CONFORME O BOLETIM OFICIAL N.º 40 I SERIE, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2001 PROJECTO FORUM INTERNACIONAL JUVENTUDE (FIJ)- UMA FORMA DA CIDADANIA ENCURTAR A DISTÂNCIA, FORTALECER A CIDADANIA ILHA DO SAL, REPÚBLICA DE CABO-VERDE DE 11 A 16 DE MAIO DE 2009 ACM-BREVE HISTORIAL A Associação

Leia mais

A equipa somos nós. Ano letivo 2015/2016. Ser derrotado normalmente é uma condição temporária. Desistir é o que a faz permanente. Marylin vos Savant

A equipa somos nós. Ano letivo 2015/2016. Ser derrotado normalmente é uma condição temporária. Desistir é o que a faz permanente. Marylin vos Savant A equipa somos nós Ano letivo 2015/2016 Ser derrotado normalmente é uma condição temporária. Desistir é o que a faz permanente. Marylin vos Savant Projeto curricular escola Ano letivo 2015/2016 Entende-se

Leia mais

CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA

CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA Fiscalizar os prazos para adaptações previstas no Decreto lei 163 e aplicação de coimas. Campanha de sensibilização para comerciantes, etc. Publicação quais os seus

Leia mais

1. Garantir a educação de qualidade

1. Garantir a educação de qualidade 1 Histórico O Pacto pela Juventude é uma proposição das organizações da sociedade civil, que compõem o Conselho Nacional de Juventude, para que os governos federal, estaduais e municipais se comprometam

Leia mais

Encontro Os Jovens e a Política

Encontro Os Jovens e a Política Encontro Os Jovens e a Política Grupo de Trabalho de Política Local 2 Recomendações às Organizações de Juventude - Promover a formação de líderes e dirigentes associativos juvenis. 3 Recomendações ao Governo

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

Os Jovens nas Nações Unidas www.un.org/youth. Relatório Mundial sobre a Juventude: Os Jovens Hoje e em 2015

Os Jovens nas Nações Unidas www.un.org/youth. Relatório Mundial sobre a Juventude: Os Jovens Hoje e em 2015 Os Jovens nas Nações Unidas www.un.org/youth Relatório Mundial sobre a Juventude: Os Jovens Hoje e em 2015 Síntese No dia 4 de Outubro de 2005, o Programa das Nações Unidas para a Juventude, do Departamento

Leia mais

ANIMAR propõe forte investimento na pequena produção agrícola e programas de dinamização da economia local

ANIMAR propõe forte investimento na pequena produção agrícola e programas de dinamização da economia local BOLETIM DE INFORMAÇÃO E LIGAÇÃO DA REDE ANIMAR ANO IV JAN./MAIO 2010 Nº 13 ANIMAR propõe forte investimento na pequena produção agrícola e programas de dinamização da economia local Uma delegação da ANIMAR

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Asamblea Parlamentaria Euro-Latinoamericana Euro-Latin American Parliamentary Assembly Assemblée Parlementaire Euro-Latino Américaine Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana Parlamentarische Versammlung

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

ATA Nº 02/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 02/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 02/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 21-03-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 18h00 Hora do fecho: 20h30 Presenças:

Leia mais

1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA

1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA 1ª CONFERÊNCIA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL ANGOLA Fórum de Responsabilidade Social Corporativa () das Empresas Petrolíferas em Angola 1 Objectivos da da partes interessadas da final 2 Objectivos

Leia mais

2011 2012 AÇÃO DE FORMAÇÃO ARTE FLORAL

2011 2012 AÇÃO DE FORMAÇÃO ARTE FLORAL PLANO DE AÇÃO ANUAL 2012 dezembro de 2011 a junho 2012 AÇÃO DE FORMAÇÃO ARTE FLORAL Público-alvo: Beneficiários Do Rendimento Social de Inserção Nº de Participantes: 16 Horário: 9h00-17h30 Contacto: 249

Leia mais

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva Às sextas na Cidade Águeda - cidade inclusiva Índice Águeda - cidade inclusiva: Como pode a cidade ser mais inclusiva? idosos, crianças, pessoas com necessidades especiais A cidade é de TODOS! Índice INCLUSÃO

Leia mais

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL Lançado em 2000, o Pacto Global das Nações Unidas constitui uma convocação às empresas de todo o mundo para que alinhem suas estratégicas e operações

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE Discurso de S.E o Presidente da Assembleia Nacional na cerimónia de abertura da I Conferência Internacional Uma Criança, Um Cidadão. Senhora Ministra da Educação

Leia mais

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW)

Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Declaração dos Mecanismos das Mulheres da América Latina e do Caribe frente ao 58º Período de Sessões da Comissão do Status da Mulher (CSW) Cidade do México, México 7 de fevereiro de 2014 Nós, ministras

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO SANTA MARIA-RS/BRASIL EDUCAÇÃO: ECONOMIA SOLIDÁRIA E ÉTICA PLANETÁRIA

FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO SANTA MARIA-RS/BRASIL EDUCAÇÃO: ECONOMIA SOLIDÁRIA E ÉTICA PLANETÁRIA Carta de Santa Maria FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO SANTA MARIA-RS/BRASIL EDUCAÇÃO: ECONOMIA SOLIDÁRIA E ÉTICA PLANETÁRIA Nós, participantes do Fórum Mundial de Educação, realizado em Santa Maria (RS-Brasil),

Leia mais

A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude.

A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude. www.eurodesk.eu O que é? A Eurodesk é uma rede com acesso à informação europeia para os jovens e para os profissionais da área de juventude. No sítio da rede Eurodesk podes aceder às tuas oportunidades.

Leia mais

2037 (XX). Declaração sobre a Promoção entre os Jovens dos Ideais de Paz, Respeito Mútuo e Compreensão entre os Povos

2037 (XX). Declaração sobre a Promoção entre os Jovens dos Ideais de Paz, Respeito Mútuo e Compreensão entre os Povos Suplemento40 Assembleia Geral 20 a Sessão 3. Sugere que o secretário-geral coopere diretamente com os secretários executivos das comissões econômicas regionais na elaboração de relatórios bienais dos avanços

Leia mais

SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS JOVENS SOBRE A DÉCADA DA EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1

SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS JOVENS SOBRE A DÉCADA DA EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS JOVENS SOBRE A DÉCADA DA EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 Philippe Pomier Layrargues Educador ambiental, técnico da Diretoria de Educação Ambiental

Leia mais

Núcleo Regional de Piên

Núcleo Regional de Piên Núcleo Regional de Piên Municípios participantes Lapa Mandirituba Quitandinha Tijucas do Sul Agudos do Sul Campo do Tenente Piên Rio Negro Ações prioritárias para a região Objetivo 1: Erradicar a extrema

Leia mais

SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS

SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS SOBRE HERANÇAS E PRESENTES: O QUE PENSAM OS JOVENS SOBRE A DÉCADA DA EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 Philippe Pomier Layrargues Educador ambiental, técnico da Diretoria de Educação Ambiental

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014

COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 COMISSÃO DIRETORA PARECER Nº 522, DE 2014 Redação do vencido, para o turno suplementar, do Substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 90, de 2013 (nº 757, de 2011, na Casa de origem). A Comissão

Leia mais

Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social

Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social Declaração tripartida de Yaoundé sobre a instituição de um Pacote de Base de Protecção Social Nós, os delegados tripartidos de 47 Estados Africanos membros da Organização Internacional do Trabalho ao Segundo

Leia mais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais Estudo 2015 Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais OPBPL Novembro de 2009 e Março de 2015 http://opbpl.cies.iscte-iul.pt O OPBPL

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD

Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD Plano Nacional de Trabalho Decente - PNTD Ministério do Trabalho e Emprego Assessoria Internacional Junho de 2009 Trabalho Decente Contar com oportunidades de um trabalho produtivo com retribuição digna,

Leia mais

Telemóvel + 351 91 846 15 85

Telemóvel + 351 91 846 15 85 CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome RODRIGUES, MARTA ANDREIA SILVA Morada RUA DR. FRANCISCO SÁ CARNEIRO, Nº 752 CASAL DA SILVEIRA 1685 800 FAMÕES ODIVELAS PORTUGAL Telemóvel + 351 91 846 15 85 Correio

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte

Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte Carta Internacional da Educação Física, da Atividade Física e do Esporte Preâmbulo A Conferência Geral da UNESCO, 1. Recordando que, na Carta das Nações Unidas, os povos proclamaram sua fé nos direitos

Leia mais

LA EDUCACION RURAL Y SU IMPACTO EM EL DESARROLLO LOCAL

LA EDUCACION RURAL Y SU IMPACTO EM EL DESARROLLO LOCAL LA EDUCACION RURAL Y SU IMPACTO EM EL DESARROLLO LOCAL Argileu Martins da Silva Diretor do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural Secretário Adjunto de Agricultura Familiar SAF A EDUCAÇÃO

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP)

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE MINISTROS DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) Lisboa, 29 de Agosto de 2009 DECLARAÇÃO FINAL Os Ministros responsáveis

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA, IOLANDA CINTURA SEUANE, MINISTRA DA MULHER E DA ACÇÃO SOCIAL DE MOÇAMBIQUE SOBRE O TEMA DESAFIOS DA PROTECÇÃO SOCIAL PARA ALCANÇAR A SEGURANÇA ALIMENTAR

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PODER EXECUTIVO Governo do Município de Tobias Barreto

ESTADO DE SERGIPE PODER EXECUTIVO Governo do Município de Tobias Barreto Poder Executivo Lei Ordinária Sancionada em 27/03/2008 Marly do Carmo Barreto Campos Prefeita Municipal LEI ORDINÁRIA nº 0849/2008 DE 27 de março de 2008 (do PLO 003/2008 autor: Poder Executivo) Institui

Leia mais

Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão

Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão MEMO/05/124 Bruxelas, 12 de Abril de 2005 Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão 1. Em que consiste este pacote? A Comissão aprovou hoje 3 comunicações

Leia mais

5ª Conferência Internacional de Educação Financeira

5ª Conferência Internacional de Educação Financeira A Educação Financeira nas Escolas: O Referencial de Educação Financeira e a formação de docentes 5ª Conferência Internacional de Educação Financeira Perspetivas e reflexões: por uma cidadania ativa Educação

Leia mais

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas Introdução A Freguesia de Odivelas é uma realidade complexa que a todos diz respeito, uma realidade que deve ser alvo de uma intervenção de todos que nela participam para que seja executado um trabalho

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 182 17 de Setembro de 2010 4097 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Resolução do Conselho de Ministros n.º 74/2010 O acolhimento e a integração dos imigrantes constituíram

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 468/XI/2ª CRIA A REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Exposição de motivos A importância das Bibliotecas Públicas As Bibliotecas Públicas são um serviço público essencial

Leia mais

nossa vida mundo mais vasto

nossa vida mundo mais vasto Mudar o Mundo Mudar o Mundo O mundo começa aqui, na nossa vida, na nossa experiência de vida. Propomos descobrir um mundo mais vasto, Propomos mudar o mundo com um projecto que criou outros projectos,

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 233/XII

PROPOSTA DE LEI N.º 233/XII PROPOSTA DE LEI N.º 233/XII PLANO NACIONAL DE AÇÃO PARA OS DIREITOS DA CRIANÇA As crianças são encaradas como sujeitos de direitos, a partir do momento em que o seu bem-estar é concebido como uma consequência

Leia mais

Relatório de Atividades 2015

Relatório de Atividades 2015 1 Introdução No ano de 2015, a FNERDM desenvolveu diversas atividades e representou as suas Entidades Associadas em vários organismos. Neste relatório são apresentadas as acções concretizadas pela FNERDM,

Leia mais

CONVOCATÓRIA. II Conferência Internacional Com Todos e para o Bem de Todos

CONVOCATÓRIA. II Conferência Internacional Com Todos e para o Bem de Todos CONVOCATÓRIA II Conferência Internacional Com Todos e para o Bem de Todos O programa mundial de atividades em homenagem a José Martí por ocasião do seu 160º aniversário natalício abre imensas possibilidades

Leia mais

OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO E A UNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES

OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO E A UNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO E A UNIÃO GERAL DOS TRABALHADORES os ODM e a UGT PARTE 1 - BREVE HISTÓRICO PARTE 2 - SÍNTESE PARTE 1 - BREVE HISTÓRICO 3 COMO TUDO COMEÇOU? Em setembro de 2000,

Leia mais

SOMOS. Programa Municipal de. Educação para a Cidadania Democrática. e Direitos Humanos. Câmara Municipal de Lisboa

SOMOS. Programa Municipal de. Educação para a Cidadania Democrática. e Direitos Humanos. Câmara Municipal de Lisboa SOMOS Programa Municipal de Educação para a Cidadania Democrática e Direitos Humanos Câmara Municipal de Lisboa Ficha Técnica Presidente da CML: Fernando Medina Vereador dos Direitos Sociais: João Carlos

Leia mais

DEBATE DO PLANO E ORÇAMENTO 2014 INTERVENÇÃO DE TRIBUNA DO DEPUTADO RICARDO RAMALHO POLÍTICAS DE JUVENTUDE - PARTICIPAÇÃO E EMANCIPAÇÃO JOVEM

DEBATE DO PLANO E ORÇAMENTO 2014 INTERVENÇÃO DE TRIBUNA DO DEPUTADO RICARDO RAMALHO POLÍTICAS DE JUVENTUDE - PARTICIPAÇÃO E EMANCIPAÇÃO JOVEM DEBATE DO PLANO E ORÇAMENTO 2014 INTERVENÇÃO DE TRIBUNA DO DEPUTADO RICARDO RAMALHO POLÍTICAS DE JUVENTUDE - PARTICIPAÇÃO E EMANCIPAÇÃO JOVEM Senhora Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente

Leia mais

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural

http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural http://ec/europa/eu/portugal/pdf/guia_di_pt.pdf Ano Europeu do Diálogo Intercultural Porquê este guia prático? A diversidade cultural e linguística constitui um recurso pedagógico de que dispõem muitas

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Artigo 2º. Natureza. Artigo 3º. Competência Territorial

REGULAMENTO INTERNO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Artigo 2º. Natureza. Artigo 3º. Competência Territorial REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1. A Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, n.º 147/99 de 1 de Setembro, regula a criação, competência e funcionamento das Comissões

Leia mais

PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL

PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL 1 Na concretização destas políticas dar-se-á seguimento à execução do actual Plano para a Integração dos Imigrantes onde o Governo contará com os contributos da sociedade

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe república de angola ministério da educação PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 12ª Classe 2º Ciclo do Ensino Secundário Geral Ensino Técnico-Profissional FASE DE EXPERIMENTAÇÃO Ficha Técnica Título Programa de

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 18.2.2009 COM(2009) 64 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

Leia mais

Projecto Educação Para a Saúde

Projecto Educação Para a Saúde AGRUPAMENTO VERTICAL FERNANDO CASIMIRO Escola Básica Integrada Fernando Casimiro Introdução Projecto Educação Para a Saúde No seguimento do Ofício-Circular nº 69 de 20 de Outubro de 2006 procedente do

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.179, DE 20 DE MAIO DE 2010. Institui o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, cria o seu Comitê Gestor,

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE ACÇÃO 2012 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 6 PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

DICAinformativa. Quem pode considerar-se REFUGIADO?

DICAinformativa. Quem pode considerar-se REFUGIADO? DICAinformativa Quem pode considerar-se REFUGIADO? De acordo com a Convenção de Genebra (1951) e com a lei portuguesa, um refugiado é uma pessoa que é testemunhalmente ou comprovadamente perseguida em

Leia mais

CADERNO APFN Apostar na Família Construir o Futuro

CADERNO APFN Apostar na Família Construir o Futuro CADERNO APFN 5 Apostar na Família Construir o Futuro Fevereiro 2002-1 - DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS DA APFN Acreditamos que: 1. A vida humana deve ser respeitada, reconhecida e protegida desde o momento da

Leia mais

O Programa CLDS: Abrir Caminhos para a Inovação Maria José Maia 3º SECTOR: CONTRIBUTOS PARA A INOVAÇÃO. Odivelas, 31 de Março de 2011

O Programa CLDS: Abrir Caminhos para a Inovação Maria José Maia 3º SECTOR: CONTRIBUTOS PARA A INOVAÇÃO. Odivelas, 31 de Março de 2011 O Programa CLDS: Abrir Caminhos para a Inovação Maria José Maia 3º SECTOR: CONTRIBUTOS PARA A INOVAÇÃO Odivelas, 31 de Março de 2011 1 3º SECTOR REFERENCIAL TEORICO- CONCEPTUAL Conceito utilizado pela

Leia mais

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 ÍNDICE ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 CASINHA DA ROUPA 9 OS RATINHOS DE REBOREDA 10 CRIAÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

XIII REUNIÃO DOS MINISTROS DO TRABALHO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP 30 de abril a 1 de maio, Timor-Leste

XIII REUNIÃO DOS MINISTROS DO TRABALHO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP 30 de abril a 1 de maio, Timor-Leste XIII REUNIÃO DOS MINISTROS DO TRABALHO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP 30 de abril a 1 de maio, Timor-Leste Declaração de Tíbar As Ministras e os Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais dos Estados-Membros

Leia mais

Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia

Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Os desafios ambientais e de sustentabilidade em Engenharia 1ª aula Maria do Rosário Partidário Desafios Ambientais e

Leia mais

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso 64 ÁREA DE INTERVENÇÃO IV: QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO 1 Síntese do Problemas Prioritários Antes de serem apresentadas as estratégias e objectivos para

Leia mais

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social REDE SOCIAL Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social REDE SOCIAL A Rede Social pretende constituir um novo tipo de parceria entre entidades públicas e privadas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Programa Nacional de Extensão Universitária PROEXT Programa Mais Cultura nas Universidades Gramado, RS 21/05/2015 PROEXT Legislação Decreto n 6.495, de 30/06/08 Institui o PROEXT

Leia mais

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 O Conselho Nacional de Juventude (CNJ) organizou, de 30 de outubro a 1 de novembro de 2015, em Cascais, na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril, o

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2013/2014 ÍNDICE I INTRODUÇÃO... 1 II CALENDÁRIO ESCOLAR... 2 III ÁREAS DE INTERVENÇÃO... 3 1 PLANEAMENTO E ORGANIZAÇÃO ESCOLAR... 3 1.1- PREPARAÇÃO DO ANO ESCOLAR... 3 1.2 ABERTURA

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de julho de 2014. Série. Número 99

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 2 de julho de 2014. Série. Número 99 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 2 de julho de 2014 Série Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DAMADEIRA Resolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250 PROGRAMA Nº- 250 QUALIFICAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS E DEPENDENTES QUÍMICOS SUB-FUNÇÃO: 244 ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA Realizar Cursos de Capacitação para Profissionais que atuam na área de reabilitação

Leia mais

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE

D SCUR CU S R O O DE D SUA U A EXCE DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, DR. RUI MARIA DE ARAÚJO, POR OCASIÃO DA ATRIBUIÇÃO DA PRESIDÊNCIA DA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL DA CPLP A

Leia mais

Prioridades assumidas para 2010. Planejamento estratégico da Equipe Provincial para 2010

Prioridades assumidas para 2010. Planejamento estratégico da Equipe Provincial para 2010 PLANEJAMENTO 2010 Prioridades assumidas para 2010 Formação continuada para líderes, coordenadores de grupo, animadores e assessores. Aprofundar a identidade através da mística e espiritualidade apostólica

Leia mais