U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O"

Transcrição

1 PROTEÇÃO DA CABEÇA Capacetes de segurança utilizados para proteção da cabeça contra agentes meteorológicos (trabalho a céu aberto) e trabalhos em locais confinados, impactos provenientes de queda ou projeção de objetos, queimaduras, choque elétrico e irradiação solar. NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA CAPACETE DE PROTEÇÃO TIPO ABA FRONTAL UTILIZAÇÃO Proteção da cabeça em trabalho onde haja risco de queda de materiais CAPACETE DE PROTEÇÃO TIPO ABA TOTAL Proteção da cabeça em trabalho onde haja risco de queda de materiais e contra choque elétrico CAPACETE DE PROTEÇÃO COM JUGULAR Proteção da cabeça em trabalho onde haja risco de queda de materiais, trabalho em altura e choque elétrico CL 1

2 NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA CAPACETE DE PROTEÇÃO COM VISEIRA UTILIZAÇÃO Proteção da cabeça e face, em trabalho onde haja risco de explosões com projeção de partículas e queimaduras provocadas por abertura de arco voltaico (eletricidade). Uso correto dos capacetes de segurança Não devem ser usados gorros ou bonés com o capacete, pois prejudica sua eficácia; Utilizar o capacete sempre com a aba para frente O capacete só deverá ser utilizado completo (casco, carneira, jugular para trabalho em altura) CARNEIRA DOS CAPACETES Suspensão interna dos capacetes e peça essencial e obrigatória CL 2

3 Higienização e conservação do capacete Mergulhar por 1 minuto num recipiente contendo água e detergente ou sabão neutro; O casco deve ser limpo com pano ou outro material que não provoque atrito, evitando assim a retirada da proteção isolante de silicone (brilho), o que prejudicaria a rigidez dielétrica do mesmo; Secar a sombra. Higienização e conservação do protetor facial Lavar com água e sabão neutro; Secar com papel absorvente; Evitar atrito nas partes externas, acondicionamento inadequado e contato com substâncias químicas. OBS: O papel não poderá ser friccionado no protetor para não riscá-lo. CL 3

4 PROTEÇÃO DOS OLHOS ÓCULOS DE SEGURANÇA Utilizados para proteção dos olhos contra Agentes químicos, agentes físicos (radiação ultravioleta) e risco de acidentes. NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA ÓCULOS DE PROTEÇÃO UTILIZAÇÃO Utilizados para proteção dos olhos em trabalhos onde haja risco de projeção de partículas (esmeril, demolições de alvenaria) contra radiações ultravioleta e infravermelho ÓCULOS DE PROTEÇÃO AMPLA VISÃO Utilizados para proteção dos olhos em trabalhos onde haja risco de respingos de produtos químicos (com ou sem ventilação) PROTETOR FACIAL Utilizado para proteção da face, em trabalhos onde haja risco de projeção de partículas (serralheria, corte de grama, etc.), contra respingos de tintas, soluções e produtos químicos em geral. CL 4

5 MÁSCARA DE SOLDA Utilizada para proteção do usuário em serviços de solda. É importante verificar o tipo de solda e amperagem utilizada. Uso correto das proteções de olhos e face Utilizar os protetores, durante todo o ciclo de trabalho, onde haja exposição aos riscos mencionados acima. Higienização Lavar com água e sabão neutro; Secar com papel absorvente. Acondicionar na embalagem. CL 5

6 PROTEÇÃO AUDITIVA PROTETOR AURICULAR Utilizados para proteção de ouvido de ruídos, entrada de água e/ou vento excessivo NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA PROTETOR AUDITIVO TIPO CONCHA UTILIZAÇÃO Utilizado para proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos excessivos (utilização de martelete, serra circular, etc.). PROTETOR AUDITIVO TIPO CONCHA Utilizado para proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos excessivos (utilização de martelete, serra circular, etc.) (Modelo acoplável ao capacete) PROTETOR AUDITIVO TIPO CONCHA Utilizado para proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos excessivos (utilização de martelete, serra circular, etc.) (Modelo com haste atrás da nuca) CL 6

7 Uso correto do protetor auricular tipo concha Retire o excesso de cabelo que estiver entre o abafador e o ouvido Certifique-se de que a vedação é satisfatória, sem a interferência de objetos como elástico de respiradores ou armação de óculos, de modo a obter melhor desempenho As conchas devem ficar alinhadas verticalmente de modo a proporcionar a melhor vedação ATENÇÃO Não utilize com as conchas viradas para trás; Nunca manuseie o protetor com as mãos sujas; Após o uso, higienizar e guardar o protetor na embalagem. CL 7

8 NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA PROTETOR AUDITIVO TIPO PLUG, CONFECCIONADO EM SILICONE UTILIZAÇÃO Utilizado para proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos elevados (Áreas de transito de veículos intenso, utilização de maquinas e equipamentos ruidosos, etc.) Uso correto do protetor auricular tipo plug de silicone Passe uma das mãos de trás da cabeça e puxe levemente a parte superior da orelha e, com a outra mão, introduza o protetor no canal auditivo Nunca manuseie o protetor com as mãos sujas CL 8

9 ATENÇÃO Verificar o tamanho do protetor adequado para o tamanho da orelha (canal auditivo)do trabalhador NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA PROTETOR AUDITIVO TIPO INSERÇÃO, CONFECCIONADO EM ESPUMA MOLDÁVEL (DESCARTÁVEL) UTILIZAÇÃO Utilizado para proteção dos ouvidos nas atividades e nos locais que apresentem ruídos elevados Uso correto do protetor auricular tipo plug moldável (descartável) Com as mãos limpas, aperte e role o protetor entre os dedos até obter o menor diâmetro possível. Para facilitar a colocação, puxe a orelha para cima e coloque o protetor no canal auditivo. CL 9

10 Usando o dedo indicador mantenha-o nesta posição (30 segundos) até que ele tenha se expandido. NÃO É PERMITIDA A LAVAGEM DESTE TIPO DE PROTETOR TROQUE O PROTETOR QUANDO ESTIVER SUJO. ATENÇÃO Considerando as atividades com risco de contaminação biológica, os protetores auriculares deverão ser descartados imediatamente após a remoção dos ouvidos. Após removidos, em hipótese alguma os protetores devem ser inutilizados. Verificar o tamanho do protetor adequado para cada trabalhador. CL 10

11 PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA MÁSCARA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Utilizado para proteção do sistema respiratório nas atividades e nos locais que apresentem concentrações de poeiras (ex: serragem de madeira, mármore, etc.), névoas (ex: dedetização) fumos (ex: soldagem, incêndio), vapores ácidos e orgânicos (ex: tintas, solventes, produtos Químicos), e vírus e bactérias (ex: pesquisas, ambiente hospitalar, etc). Para garantir a eficácia de um protetor respiratório os seguintes itens devem ser verificados: NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO PROTETOR RESPIRATÓRIO SEM MANUTENÇÃO PFF 1 (DESCARTÁVEL) Poeiras e nevoas (baixa concentração) PROTETOR RESPIRATÓRIO SEM MANUTENÇÃO PFF 1 VO (COM VÁLVULA E DESCARTÁVEL) Poeiras e vapores orgânicos (tintas, vernizes, solventes, baixa concentração) CL 11

12 RESPIRADOR PURIFICADOR DE AR TIPO PEÇA SEMIFACIAL FILTRANTE PARA PARTÍCULAS PFF 2 / PFF 3 (SEM MANUTENÇÃO) Proteção contra poeiras, névoas, fumos, radionuclídeos e particulados altamente tóxicos PFF 2 / N 95 (N 95 SERVIÇOS DE SAÚDE) Proteção contra poeiras, névoas, fumos, vírus, bactérias e baixas concentrações de vapores orgânicos ATENÇÃO PFF: Significa Peça Facial Filtrante e os números são as classes dos filtros (nível de penetração dos agentes). USO CORRETO Leve o respirador ao rosto, apoiando-o inicialmente no queixo e depois cobrindo a boca e o nariz. Puxe o elástico de baixo, passando-o pela cabeça e ajustandoo na nuca. Depois faça o mesmo com o elástico superior, ajustando-o bem acima das orelhas CL 12

13 Para verificar o ajuste, coloque as mãos na frente do respirador cobrindo toda sua superfície e inale. O ar não deve passar pelas laterais Esta é a forma correta de colocação deste tipo de respirador NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA RESPIRADOR PURIFICADOR DE AR TIPO PEÇA FACIAL INTEIRA EMPREGO Proteção do sistema respiratório contra partículas (poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos) e gases emanados de produtos químicos. PARA CADA TIPO DE CONTAMINANTE DEVE-SE ESCOLHER UM FILTRO APROPRIADO. RESPIRADOR PURIFICADOR DE AR TIPO PEÇA SEMIFACIAL Proteção do sistema respiratório contra partículas (poeiras, névoas, fumos e radionuclídeos) e gases emanados de produtos químicos. PARA CADA TIPO DE CONTAMINANTE DEVE- SE ESCOLHER UM FILTRO APROPRIADO. CL 13

14 RESPIRADOR DE ADUÇÃO DE AR TIPO MÁSCARA AUTÔNOMA Utilizado para proteção respiratória em atividades e locais que apresentem tal necessidade (emergência, salvamento, espaço confinado ou em atmosfera IPVS - Imediatamente Perigosa a Vida e a Saúde). ATENÇÃO Os filtros devem ser selecionados de acordo com o contaminante presente no ambiente de trabalho, eles são responsáveis pela retenção dos contaminantes e são classificados como químicos, específicos para ácidos, específicos para vapores orgânicos, específicos para amônia etc., mecânicos, para serragem, poeira, etc. ou combinados para vapores orgânicos, ácidos, Serragem, poeira, etc... USO CORRETO Coloque o respirador no rosto e posicione o elástico superior sobre a cabeça. Encaixe os elásticos inferiores (de baixo) ligando as presilhas atrás do pescoço. CL 14

15 Puxe as extremidades dos elásticos superiores, e depois os inferiores, para fazer ajuste do respirador ao rosto. Para verificar a vedação com pressão positiva, coloque a palma da mão sobre a válvula de exalação e assopre suavemente várias vezes. A peça facial deverá se expandir suavemente sem ocorrer vazamento. Para realizar o teste de pressão negativa, coloque as mãos sobre os cartuchos e/ou filtros e inale com força várias vezes. A peça facial deverá comprimir-se levemente contra o rosto sem ocorrer vazamentos. Higienização, conservação e guarda Não deixe o respirador em lugares sujos e, se tiver que manuseá-lo com as mãos sujas, pegue-o pela parte externa; Quando não estiver utilizando o respirador, guarde-o em um saco plástico e coloque-o em um lugar apropriado; Se sentir dificuldade na respiração, cheiro ou gosto do produto com o qual está trabalhando, talvez esteja na hora de trocar o respirador por um novo, no caso de respiradores sem manutenção, ou substituí-lo por um respirador com filtro (com manutenção). CL 15

16 PROTEÇÃO DOS MEMBROS SUPERIORES Utilizados para proteger as mãos, braços e antebraços dos trabalhadores contra os riscos que podem existir nos ambientes de trabalho. NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO LUVA ISOLANTE DE BORRACHA Utilizada para proteção das mãos e braços contra choque em trabalhos e atividades com circuitos elétricos energizados LUVA DE COBERTURA Utilizada exclusivamente como proteção da luva isolante de borracha LUVA DE PROTEÇÃO EM RASPA E VAQUETA Utilizada para proteção das mãos e braços contra agentes abrasivos escoriantes (que pode provocar corte ou arranhões) CL 16

17 LUVA DE PROTEÇÃO EM LÁTEX Utilizada para proteção das mãos contra umidade, e produtos químicos (cozinha, laboratórios, construção civil, etc.) LUVA DE PROCEDIMENTO (LÁTEX) Utilizada para proteção das mãos e punhos contra agentes biológicos (bactérias, vírus, etc.) LUVA DE PROTEÇÃO DE NITRÍLICA Utilizada para proteção das mãos e punhos contra agentes químicos ( solvente, tintas) e biológicos( vírus) LUVA DE PROTEÇÃO EM PVC (HEXANOL) Utilizada para proteção das mãos e punhos contra recipientes contendo óleo, graxa e solvente LUVA CRIOGÊNICA Utilizada para proteção das mãos onde existe exposição a baixas temperaturas (Ex: Nitrogênio líquido) CL 17

18 LUVA DE KEVLAR Utilizada para proteção das mãos onde existe exposição a altas temperaturas (Fornos) LUVA DE MALHA DE AÇO Utilizada para proteção das mãos e dedos contra cortes MANGA DE PROTEÇÃO ISOLANTE DE BORRACHA Utilizada para proteção do braço e antebraço do empregado contra choque elétrico durante os trabalhos em circuitos elétricos energizados CREME PROTETOR PARA A PELE Utilizados para proteção das mãos e braços contra agentes químicos e / ou biológicos CL 18

19 ATENÇÃO Os cremes de proteção são enquadrados nos seguintes grupos: Grupo 1 - Água-resistente são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não são facilmente removíveis com água. Grupo 2 - óleo-resistente - são aqueles que, quando aplicados à pele do usuário, não são facilmente removíveis na presença de óleos ou substâncias apolares. Exemplo: Contra Agentes Químicos (solventes, tintas, etc.) Grupo 3 - Cremes especiais - são aqueles com indicações e usos definidos e bem especificados pelo fabricante. Exemplo: Contra Agentes Biológicos (Vírus. Bactérias, etc.) CL 19

20 PROTEÇÃO DOS MEMBROS INFERIORES CALÇADO DE PROTEÇÃO (calçado de segurança) Utilizado para proteção dos pés contra queda de material, torção, escoriações, derrapagens, umidade e outros. NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO CALÇADO DE SEGURANÇA Utilizados para proteção dos pés contra torção, escoriações, derrapagens e umidade CALÇADO DE SEGURANÇA COM BIQUEIRA DE AÇO Nos trabalhos onde houver risco de queda de materiais os calçados devem ter biqueira de aço CALÇADO E PROTEÇÃO TIPO BOTA DE BORRACHA (CANO LONGO) Utilizado para proteção dos pés e pernas contra umidade, derrapagens e agentes químicos agressivos CL 20

21 NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO PERNEIRA DE SEGURANÇA Utilizada para proteção das pernas contra objetos perfurantes, cortantes, ataque de animais peçonhentos, serviços com solda, etc BOTA CALÇA Utilizada para proteção das pernas contra umidade excessiva e exposição a agentes biológicos Higienização, conservação e guarda Armazenar em local protegido da umidade, ação direta de raios solares, produtos químicos, solventes, vapores e fumos; Se molhado, secar a sombra; Engraxar com pasta adequada para a conservação de couros. CL 21

22 VESTIMENTAS DE SEGURANÇA UNIFORME DE TRABALHO Utilizadas para proteger o corpo contra respingos de produtos químicos, agentes abrasivos escoriantes (que pode provocar corte ou arranhões), etc. em atividades especiais as vestimentas devem ser criteriosamente selecionadas, de acordo com os agentes de risco. NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO UNIFORME DE TRABALHO Utilizada para realizar atividades em geral que não envolvam riscos físicos UNIFORME IMPERMEÁVEL Utilizados para proteção do corpo contra chuva, umidade e produto químicos (verificar resistência para cada material) JAPONA COM CAPUZ Utilizados para proteção do corpo contra frio e umidade em câmaras frias CL 22

23 Conjunto de segurança Utilizado para proteção do corpo contra chamas e choque elétrico, para utilização de eletricistas CONSERVAÇÃO Acondicionar em sacos plásticos fechados a fim de evitar que sejam danificados; Acondicionar em local protegido da umidade, ação direta de raios solares, produtos químicos, solventes, vapores e fumos. AVENTAIS DE PROTEÇÃO Utilizado para proteção do corpo contra agentes diversos, conforme abaixo: NOME E IMAGEM ILUSTRATIVA EMPREGO AVENTAL GUARDA-PÓ Utilizada para realizar atividades em geral que não envolvam riscos físicos CL 23

24 AVENTAL EM TECIDO DE POLIÉSTER E PVC Utilizado para proteção do corpo contra agentes químicos (Ácido Sulfúrico 20%, Clorídrico 12%, Nítrico 10%, Fosfórico, Acético, Soda Cáustica 40%, etc. (dupla face) AVENTAL DE RASPA DE COURO Utilizado para proteção da parte frontal do usuário contra agentes abrasivos, escoriantes, que podem provocar corte ou arranhões (modelo barbeiro) AVENTAL ISOLANTE TÉRMICO Utilizado para proteção da parte frontal do usuário contra agentes térmicos (calor e chamas) Higienização, conservação e guarda Lavar e/ ou passar pano; Quando sujo de graxa limpar com pano umedecido com álcool. CL 24

25 PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS COM DIFERENÇA DE NÍVEL CINTURÃO DE SEGURANÇA TIPO PÁRA- QUEDISTA MODELO DE CINTURÃO EMPREGO Utilizado para proteção do empregado contra quedas em serviços onde exista diferença de nível. Deve estar ancorado a estrutura independente de andaimes, escadas, etc. Higienização, conservação e guarda Lavar com água e sabão neutro; Enxaguar com água limpa e passar um pano seco e limpo para retirar o excesso de umidade; Secar a sombra, em local ventilado; Caso haja contato com produtos químicos não lavar, encaminhá-lo para teste. Armazenar em local protegido da umidade, ação direta de raios solares, produtos químicos, solventes, vapores e fumos; CL 25

26 TALABARTES DE SEGURANÇA TALABARTE REGULÁVEL EMPREGO Utilizado para proteção do trabalhador contra queda em serviços onde exista diferença de nível, em conjunto com cinturão de segurança tipo pára-quedista e mosquetão trava tripla. Higienização, conservação e guarda Limpar com pano umedecido; Lavar periodicamente com água e sabão neutro, secando a sombra e local ventilado. Armazenar em local seco, sem dobrar; Se molhado, secar a sombra em local ventilado CL 26

27 DISPOSITIVO TRAVA- QUEDAS MODELO TRAVA-QUEDAS Utilizado para proteção do empregado contra queda em serviços onde exista diferença de nível, em conjunto com cinturão de segurança tipo pára-quedista. Higienização, conservação e guarda Armazenar protegido da umidade e ação direta dos raios solares; Manter afastado de produtos químicos; Se molhado, secar a sombra em local ventilado. Uso correto Em todos os trabalhos realizados acima de 2 metros de altura, deve ser utilizado o cinto de segurança, ancorado em estrutura independente de andaimes, escadas, etc. CL 27

28 ATIVIDADE: TRABALHO EM ALTURA EPI QUANDO USAR Capacete de proteção com ajuste jugular Durante todo o trabalho em altura Óculos de proteção contra impacto Proteção respiratória adequado ( PFF1, V.O, Ácidos, etc.) Luvas de proteção Onde haja risco de projeção de partículas Em trabalhos que existir risco de desprendimento de poeiras, produtos químicos, etc. Verificar na atividade o tipo mais indicado Cinto porta ferramentas Calçado de segurança Durante todo o trabalho em altura Durante toda jornada de trabalho Cinto de segurança tipo pára-quedista Em todas as atividades realizadas acima 2m de altura CL 28

29 Capacete Protetor auricular EPI ATIVIDADE: ALVENARIA QUANDO USAR Trabalhos realizados a céu aberto ou onde existir risco de queda de materiais Trabalhos em máquinas ruidosas Óculos de proteção (contra impacto) Em demolições em geral em que haja risco de projeção de partículas Protetor respiratório com filtros mecânicos PFF-1 Trabalhos de demolição e lixamento em geral Luvas de raspa de couro ou vaqueta Transporte de materiais Luvas de Látex Manuseio de materiais úmidos Creme protetor para membros superiores (grupo 1) Protetor solar Luvas de raspa de couro Calçado de segurança Bota de PVC Cinto de segurança ( tipo pára-quedista) Manuseio de cal, massa corrida, etc. (hidrossolúveis) Durante exposição aos raios solares No transporte de materiais, trabalhos de demolição Durante toda jornada de trabalho No preparo de massas ou locais alagados Em trabalhos realizados a partir de 2 metros de altura CL 29

30 Capacete Óculos de proteção Protetor auricular EPI ATIVIDADE: HIDRÁULICA QUANDO USAR Trabalhos onde existir risco de queda de matérias Trabalhos onde existir risco de respingo de Água suja ou produto químico Trabalhos com máquinas ou equipamentos ruidosos Creme de proteção para membros superiores (grupo 3) Luvas de raspa de couro Luvas de PVC Calçado de segurança com biqueira de aço Botas de PVC Bota-calça Cinto de segurança Em trabalhos realizados em caixas de esgotos ou com produtos químicos No transporte de materiais Nos trabalhos em esgotos Durante toda jornada de trabalho Em trabalhos realizados em locais úmidos ou encharcados Trabalhos realizados em boca de lobo ou locais encharcados Em todos os trabalhos realizados acima de 2m de altura CL 30

31 ATIVIDADE: PINTURA EPI Capacete com aba frontal Óculos de proteção (Ampla visão) Protetor respiratório com filtros químicos para vapores orgânicos Protetor Respiratório com filtros mecânicos para poeiras PFF-1 Luvas de Látex Creme de proteção (grupo 2) Botinas de segurança Cinto de segurança QUANDO USAR Trabalhos onde existir risco de queda de materiais Trabalhos de lixamento, sempre que haja risco de projeção de partículas e pintura com compressor Trabalhos com tintas, esmaltes, Thinner, aguarrás e solventes em geral Nos trabalhos de lixamento Preparo das tintas e lavagem dos equipamentos Manuseio de tintas e solventes Durante toda jornada de trabalho Em todos os trabalhos realizados acima de 2m de altura CL 31

32 Capacete ATIVIDADE: MARCENARIA / CARPINTARIA EPI QUANDO USAR Trabalhos realizados em locais onde haja risco de queda de materiais Óculos de proteção (contra impacto) Protetor Auricular (tipo plug) Protetor respiratório com filtros químicos para vapores orgânicos Protetor respiratório com filtros mecânicos para poeiras PFF1 Creme de proteção para as mãos (grupo 2) Calçado de segurança com biqueira de aço Cinto de segurança Trabalhos em que haja risco de projeção de partículas Trabalhos com máquinas ruidosas Utilização de cola, vernizes, tinta, etc Ao serrar ou lixar materiais Utilização de cola, vernizes, etc Durante toda jornada de trabalho Em todos os trabalhos realizados acima de 2m de altura CL 32

33 ATIVIDADE: JARDINAGEM EPI QUANDO USAR Capacete de proteção com viseira No corte de grama ( utilizando maquina costal) Óculos de proteção contra partículas Protetor auricular No corte de grama com tobata,na poda de arvores, etc. No corte de grama (utilização de maquina costal, trator, ou tobata) Luva de raspa Manipulação e transporte de materiais (vasos) Luva de PVC Manipulação e transporte de matérias úmidas Protetor solar com repelente Chapéu Durante exposição aos raios solares e locais que existam insetos Durante exposição aos raios solares Perneira de segurança Durante o corte de grama Botinas de segurança bico rígido Durante toda jornada de trabalho Botas de PVC Trabalhos em locais úmidos Capa de chuva Para utilização em dias chuvosos CL 33

34 EPI Capacete de proteção de aba total, contra choques elétricos ATIVIDADE: ELETRICIDADE QUANDO USAR Em trabalhos onde existir risco de choque e queda de materiais Óculos de proteção contra impacto Óculos Rayban Trabalhos onde haja risco de projeção de partículas Trabalho sujeito à radiação solar e arco voltaíco Elmo de segurança (proteção facial) Trabalhos em cabine ( Arco voltaico) Luvas isolante de borracha, tricotada e de cobertura / luvas de raspa ou vaqueta Manga de proteção isolante de borracha Vestimenta não condutiva de segurança contra choque elétrico Trabalhos em circuitos energizados Trabalhos em circuitos energizados Durante toda jornada de trabalho Cinto porta ferramentas Calçado de segurança (sem componentes metálicos) Cinto de segurança Sempre que necessário Durante toda jornada de trabalho Em todos os trabalhos realizados acima de de 2 metros de altura Creme protetor G2 Trabalhos com graxas e solventes em geral Protetor solar Trabalhos sujeitos a radiação solar CL 34

35 ATIVIDADE: ELETRICIDADE EM ESPAÇO CONFINADO EPI Capacete de proteção de aba total e ajuste jugular, contra choques elétricos QUANDO USAR Onde existir risco de choque, queda de materiais e no interior do espaço confinado Óculos de proteção contra impacto Proteção respiratória com mascara facial inteira de pressão positiva (autônoma) Luvas isolante de borracha, tricotada e de cobertura / luvas de raspa ou vaqueta Manga de proteção isolante de borracha Vestimenta não condutiva de segurança contra choque elétrico Onde haja risco de projeção de partículas, e não seja necessário uso de mascara autônoma. Em espaços confinados com baixo nível de oxigênio Trabalhos em circuitos energizados Trabalhos em circuitos energizados Durante toda jornada de trabalho Cinto porta ferramentas Calçado de segurança (sem componentes metálicos) Cinto de segurança Creme protetor G2 Lanterna acoplada no capacete Durante todo o trabalho no espaço confinado Durante toda jornada de trabalho Em todos os trabalhos realizados em espaço confinado, ancorado no equipamento de içar ( de salvamento). Trabalhos com graxas e solventes em geral Trabalhos em locais com baixa luminosidade Equipamento de comunicação ( rádio) sempre que necessário CL 35

36 EPI Capacete com aba frontal ATIVIDADE: SERRALHERIA GERAL QUANDO USAR Trabalhos onde existir risco de queda de materiais Viseira ou óculos protetor contra impacto Protetor Auricular Trabalhos realizados com esmeril, furadeira, serra, etc, em que haja risco de projeção de partículas Trabalhos em máquinas ou equipamentos ruidosos Protetor respiratório PFF1, para poeiras Nos trabalhos de lixar Creme protetor grupo 2 Luvas de Raspa Avental de Raspa Botinas de segurança com biqueira de aço Cinto de segurança Manuseio de graxas e solventes No transporte de materiais Durante todo o ciclo de trabalho Durante toda jornada de trabalho Trabalho acima de 2m de altura CL 36

37 Máscara de solda Mangotes de raspa Avental de raspa Luva de raspa Perneira de raspa ATIVIDADE: SERRALHERIA / SOLDAGEM EPI QUANDO USAR Durante todo o ciclo de soldagem Movimentação, transporte, corte e solda de materiais Durante todo o ciclo de trabalho No transporte e soldagem de materiais Movimentação, transporte, corte e solda de materiais Calçado de segurança com biqueira de aço. Cinto de segurança Durante toda jornada de trabalho Em todos os trabalhos realizados acima de 2m de altura. CL 37

38 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO MTE (Normas Regulamentadoras - NRs) FUNDACENTRO: Espaços confinados (Livreto do Trabalhador), Programa de Proteção Respiratória- PPR FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ FIOCRUZ COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DO SETOR ELÉTRICO DO ESTADO DE SÃO PAULO 3M DO BRASIL / SAÚDE OCUPACIONAL CL 38

ANEXO II EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O OS EPIS SÃO DE USO INDIVIDUAL E INTRANSFERÍVEL.

ANEXO II EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O OS EPIS SÃO DE USO INDIVIDUAL E INTRANSFERÍVEL. ANEXO II PROCEDIMENTO PARA UTILIZAÇÃO DE: EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS De acordo com estabelecido na NR-06 da Portaria 3.214/78 MTB, considera-se equipamento de proteção individual (EPI),

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS

NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS NR - 06 USO, CONSERVAÇÃO E HIGIENIZAÇÃO DOS EPIS OBJETIVO O objetivo deste treinamento é assegurar e informar a todos quanto a forma correta de utilização dos equipamentos de proteção de segurança do trabalho.

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Equipamento de Proteção Individual EPI Enquadramento NR 06 Anexo I A PROTEÇÃO DA CABEÇA Proteção da cabeça contra: A.1.1. Impactos de objetos sobre o crânio;

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Abrangência: empresas obrigadas a fornecer EPI aos trabalhadores. Conteúdo: lista completa de EPI s. Vigência:

Leia mais

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EP I) - NR 6 Em muitos servicos, o trabalhador precisa

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 Aquisição de Equipamentos de Proteção Individual - PLANTEQ/2012 1. JUSTIFICATIVA A presente aquisição justifica-se pela necessidade de atender a demanda do Projeto PLANTEQ /2012,

Leia mais

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio;

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1 - Capacete a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; b) capacete de segurança para proteção contra choques elétricos; c)

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

EPIS Segurança do Jatista

EPIS Segurança do Jatista EPIS Segurança do Jatista Capacete de Proteção do Jatista - Fibra Azul 200.370.00992 PC 28642 Branco 200.370.00107 PC Capacete de proteção do Jatista fabricado em fibra com visor de vidro temperado e saída

Leia mais

Equipamento de Proteção Individual

Equipamento de Proteção Individual Equipamento de Proteção Individual NR 6 Equipamento de Proteção Individual De acordo com a NR-6 da Portaria nº 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual EPI.

Equipamentos de Proteção Individual EPI. Equipamentos de Proteção Individual EPI. Considera-se EPI todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho Norma Regulamentadora 06 Segundo a NR 06, EPI é: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de

Leia mais

LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. Descrição Física Neste laboratório serão realizadas aulas práticas de primeiros socorros, avaliação ambiental, equipamento de proteção individual e técnicas de combate

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 194 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2010 (DOU de 08/12/10 Seção 1 Pág. 85) Altera a Norma

Leia mais

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008

ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI. objetos sobre o crânio; Choques elétricos. Proteção do crânio e pescoço contra: ISO 11612:2008 Equipamento de Proteção Individual EPI A PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1. CAPACETE A.2. CAPUZ ou BALACLAVA ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Enquadramento NR 06 Anexo I Proteção da cabeça contra: A.1.1.

Leia mais

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL (SRP) Nº 56/2013

PREGÃO PRESENCIAL (SRP) Nº 56/2013 1 2 AVENTAL EM RASPA INTEIRO Avental de proteção confeccionado em raspa de couro, com emendas, com altura de 1,00m e largura de 0,60m. AVENTAL IMPERMEÁVEL Avental de segurança tipo frontal, em Trevira,

Leia mais

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) Seja bem Vindo! Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 25hs Conteúdo Programático: Introdução O que é o Equipamento de Proteção Individual? Responsabilidades

Leia mais

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Definição Conforme a NR 06: EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Item 6.1 - Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo

Leia mais

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país.

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. NOÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. Pode até ser que a conhecida morosidade de nossa justiça

Leia mais

Venda Proibida - Gratuito

Venda Proibida - Gratuito NR 6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considerase Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso individual,

Leia mais

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92

Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91. Portaria DSST n.º 03, de 20 de fevereiro de 1992 21/02/92 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO

SEGURANÇA NO TRABALHO SEGURANÇA NO TRABALHO SINTRICOM 2009 Estas Normas de Segurança procuram proporcionar a você trabalhador, meios de conseguir tornar o ambiente de trabalho sadio, onde todos, possam desenvolver as suas competências

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) SEGURANÇA NA SOLDAGEM Segurança na Soldagem 1.1 - Principais riscos para um soldador 1.1.1 - Poluição por fumos de soldagem 1.1.2 - Radiações visíveis e invisíveis

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Transcrito pela Nutri Safety * 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo

Leia mais

Avental de Raspa. Objetivo PROTEGER O TRONCO DO USUÁRIO:

Avental de Raspa. Objetivo PROTEGER O TRONCO DO USUÁRIO: Objetivo Estabelecer regras para utilização, conservação e guarda dos Equipamentos de Proteção Individual EPI, de acordo com a legislação vigente e os padrões da Instituição. Avental de Raspa Objetivo

Leia mais

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7)

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF - MÓDULO 2 Equipamentos Elétricos -Fumos metálicos -Equipamentos de Proteção individual Serviço Especializado em Engenharia

Leia mais

ADENDO III ADENDO III. Microcomputador com monitor 2,00 Impressora Laserjet com impressão frente e verso

ADENDO III ADENDO III. Microcomputador com monitor 2,00 Impressora Laserjet com impressão frente e verso N.º 1 de 8 1. RELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS 1.1. Contrato de manutenção civil: Descrição Quant. Microcomputador com monitor 2,00 Impressora Laserjet com impressão frente e verso 2,00 Aspirador

Leia mais

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2)

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2) NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Medidas de Precaução

Medidas de Precaução Medidas de Precaução INFLUENZA A (H1N1) Gerência-Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde GGTES/Anvisa Medidas de Precaução Precaução Padrão Precauções Baseadas na Transmissão: contato gotículas aerossóis

Leia mais

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela.

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÂO POP 005000-OM -06 1/2 PINTURA DE PAREDE COM USO DE ANDAIME REVISÃO: 00 FOLHA 1- OBJETIVO ESTE PROCEDIMENTO ESTABELECE OS REQUISITOA MÍNIMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DE PINTURA.

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA DE TRABALHO RESPONSABILIDADE REV. 00-2010

MANUAL DE SEGURANÇA DE TRABALHO RESPONSABILIDADE REV. 00-2010 * Reconhecer atitudes/comportamentos individuais e/ou grupais que evidenciem a preocupação, o esforço e a busca continua de resultados consistentes em prevenção de acidentes. MANUAL DE SEGURANÇA DE TRABALHO

Leia mais

Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Dependente de Ruído (Level Dependent) Pro Tac II

Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Dependente de Ruído (Level Dependent) Pro Tac II Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Dependente de Ruído (Level Dependent) Pro Tac II DESCRIÇÃO Protetores auditivos tipo circum-auriculares com atenuação dependente do ruído, constituídos por: - 1 par

Leia mais

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo:

I Data: 24/07/03. II Grupo de Estudo: Parecer do Grupo Técnico de Auditoria em Saúde 007/03 Tema: Luvas de Procedimento I Data: 24/07/03 II Grupo de Estudo: Adolfo Orsi Parenzi. Clemilda Alvarenga Coelho Elen Cristina Queiroz Rezende Pinto

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1. Do Objeto A Empresa que firmar contrato com a Universidade São Judas Tadeu, obriga-se a cumprir integralmente os Procedimentos

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N.º 121, DE 30 DE SETEMBRO DE 2009 (D.O.U. de 02/10/09 Seção 1 Págs. 80 a 82) Estabelece as normas técnicas de ensaios e os

Leia mais

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS

5. CONSIDERAÇÕES GERAIS SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 3 1.1. Por que usar EPI 3 2. RESPONSABILIDADES 4 2.1. Cabe ao empregador quanto ao EPI 4 2.2. Cabe ao empregado quanto ao EPI 5 2.3. Penalidades 5 3. DEFINIÇÃO DE EPI 5 4. OBJETIVO

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Intrinsecamente Seguro (Não certificado no Brasil)

Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Intrinsecamente Seguro (Não certificado no Brasil) Comunicadores Modelo 3M Peltor Headset Intrinsecamente Seguro (Não certificado no Brasil) DESCRIÇÃO Protetores auditivos tipo circum-auriculares acopláveis a rádios comunicadores, constituídos por: - 1

Leia mais

Respirador de Adução de Ar tipo Linha de Ar Comprimido de Fluxo Contínuo Série-S Peça Semi Facial C.A. 27480

Respirador de Adução de Ar tipo Linha de Ar Comprimido de Fluxo Contínuo Série-S Peça Semi Facial C.A. 27480 Respirador de Adução de Ar tipo Linha de Ar Comprimido de Fluxo Contínuo Série-S Peça Semi Facial C.A. 27480 DESCRIÇÃO Respirador de adução de ar tipo linha de ar comprimido de fluxo contínuo, composto

Leia mais

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO

QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO QUEM É QUEM? EPI X UNIFORME EM SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO Por Profa.Dra. Cyllene de M.OC de Souza Dra em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFRRJ), Mestre em Vigilância Sanitária (INCQS-FIOCRUZ) Supervisora

Leia mais

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI Portarias de Alteração Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Portaria SSMT n.º 06, de 09 de março de 1983 14/03/83 Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91 Portaria DSST

Leia mais

NR 06. Luvas e/ou mangas de proteção e/ou cremes protetores devem ser usados em trabalhos em que haja perigo de lesão provocada por:

NR 06. Luvas e/ou mangas de proteção e/ou cremes protetores devem ser usados em trabalhos em que haja perigo de lesão provocada por: Página1 II - Proteção para os membros superiores: NR 06 Luvas e/ou mangas de proteção e/ou cremes protetores devem ser usados em trabalhos em que haja perigo de lesão provocada por: 1. Materiais ou objetos

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE 3 RESPONSABILIDADE DA CONTRATADA 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana. Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP) Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino Americana Termo de Adjudicação do Pregão Eletrônico Nº 00033/2015 (SRP) Às 16:06 horas do dia 20 de novembro de 2015,

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. * Texto de acordo com a Portaria SIT/DSST 25/2001. * V. Portaria SIT/DSST 162/2006 (Estabelece procedimentos

Leia mais

CAPACETE DE SEGURANÇA 2000/2010

CAPACETE DE SEGURANÇA 2000/2010 CAPACETE DE SEGURANÇA 2000/2010 DESCRIÇÃO GERAL: O capacete de segurança 2000/2010 é composto de: Casco (com ou sem tira refletiva), Suspensão (com ajuste simples ou com catraca), Tira de absorção de suor,

Leia mais

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas;

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas; NORMA REGULAMENTADORA 6 NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS.

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A Nome do Produto: VERCLEAN 900 FISQP N.º: 02 Página: 1/7 Última Revisão: 08/04/13 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: DETERGENTE VERCLEAN 900 Código Interno de Identificação: 101 Nome

Leia mais

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS Autores Luiz Antonio Bueno Gerente da Divisão de Segurança e Higiene Industrial Sueli Pereira Vissoto Técnica de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA DAST nº 01/2001 R3 3ª Revisão: 06/06/2007 1. OBJETIVO Determinar a sistemática para aquisição de óculos de segurança e definir as características técnicas dos

Leia mais

Compromisso com a Segurança

Compromisso com a Segurança Porque o desenvolvimento da inteligência e a capacidade de transformação do homem estão ligados a elas. Os dedos compridos e o polegar oposto aos outros dedos, é o que tornam esta ferramenta maravilhosa

Leia mais

Capacetes de Segurança 3M H-700

Capacetes de Segurança 3M H-700 Capacetes de Segurança 3M H-700 CA 29.637 (versão c/ ventilação) CA 29.638 (versão s/ ventilação) DESCRIÇÃO GERAL: O capacete de segurança 3M H-700 é composto de: Casco ventilado ou sem ventilação (ambos

Leia mais

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores.

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores. protrespsimples.doc Um guia para os usuários de respiradores, escrito de forma simples e de fácil entendimento. Mantenha este guia sempre à mão, releia-o periodicamente e conte sempre com a ajuda do seu

Leia mais

Proposta de Preços ANEXO I

Proposta de Preços ANEXO I PREGÃO PRESENCIAL Nº 088 / 2011 Proposta de Preços ANEXO I Processo 14.793 / 2011 Razão Social do Licitante: CNPJ: Insc. Estadual: Endereço: Cidade: Estado: Telefone : Fax : e-mail : INFORMACÕES PARA PAGAMENTOS

Leia mais

MANUAL DE USO CORRETO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

MANUAL DE USO CORRETO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL MANUAL DE USO CORRETO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Introdução O uso seguro de produtos fitossanitários exige o uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). As recomendações hoje

Leia mais

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha Isolantes de Índice Instruções Gerais EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) 5 8 Luvas Isolantes de Borracha 10 Mangas Isolantes de Borracha 12 EPC s (Equipamentos de Proteção Coletiva) 14 Manta Isolante

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL

SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL SINDICATO RURAL DE CARAMBEÍ Av. Dos Pioneiros, 2625 Carambeí PR Cep. 84145-000 (42)3231-1783 Email: sindicatopatronal.cbei@yahoo.com.br SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL Qual a lei que obriga a empresa fornecer

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS PROTEÇÃO CABEÇA E FACE CAPACETE PLASTCOR Ref: 200 CAPACETE - 3M Ref: 202 CAPACETE FOCUS TIPO III CLASSE A - MONTANA Ref: 204 CAPACETE COM ABAFADOR Ref: 205 ABAFADOR PROTEX - ZAPA Ref:

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As Normas Regulamentadoras aplicáveis aos serviços a

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

NR 35 TRABALHO EM ALTURA

NR 35 TRABALHO EM ALTURA Márcio F Batista Bombeiro e Tecnólogo de Segurança NR 35 TRABALHO EM ALTURA Objetivos Estabelecer os procedimentos necessários para a realização de trabalhos em altura, visando garantir segurança e integridade

Leia mais

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5

Revisão 15 Abril/13 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 FISPQ N o 0002-13 Página 1 de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME COMERCIAL Thinner 2750 NOME DO FABRICANTE ANJO QUIMICA DO BRASIL LTDA Rodovia SC, 447 Km 02 Criciúma Santa Catarina CEP: 88.817-440

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água.

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água. RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁCIDO MURIÁTICO Composição: Água e Ácido Clorídrico Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger

Leia mais

Respiradores sem Manutenção 9920 Dobrável (PFF-2)

Respiradores sem Manutenção 9920 Dobrável (PFF-2) 3 Respiradores sem Manutenção 9920 Dobrável (PFF-2) Dados Técnicos Descrição Geral Julho/2006 Substitui: CA 16366 O respirador 3M 9920, tipo peça semifacial filtrante para partículas PFF-2, modelo dobrável,

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Instalações Elétricas a) Manter quadros de distribuição trancados e circuitos identificados;

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS 1 O SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho elaborou esta norma com o objetivo de estabelecer as condições mínimas no cumprimento

Leia mais

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA As informações de segurança a seguir podem ajudá-lo a evitar perigos e choques elétricos. Mantenha sua área de trabalho limpa e seca. Nunca trabalhe ao redor de

Leia mais

DIVISÃO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DVSMT PROTEÇÃO DA CABEÇA, FACE E OLHOS

DIVISÃO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DVSMT PROTEÇÃO DA CABEÇA, FACE E OLHOS PROTEÇÃO DA CABEÇA, FACE E OLHOS CAPACETE DE SEGURANÇA CAP1 Proteção da cabeça do usuário contra impactos provenientes de queda ou projeção de objetos. a) Casco: deve ser confeccionado em polietileno de

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00 Nome do Produto: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml/200g Página 1 de 7 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Nome Comercial: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml / 200g 1.2 Código de

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico ORBI SPRAAY - LIMPA CONTATOS Fispq n : 007.748

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico ORBI SPRAAY - LIMPA CONTATOS Fispq n : 007.748 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: ORBI SPRAY - LIMPA CONTATOS Aplicação: Limpa Contatos Elétricos Eletrônicos Fornecedor: Orbi Quimica Ltda. Avenida Maria Helena, 600 - Leme SP

Leia mais

LOTE 1 - SISTEMA ANTIFURTO

LOTE 1 - SISTEMA ANTIFURTO QUANTIDADE ITEM PRODUTO ESPECIFICAÇÃO IMAGEM ILUSTRATIVA MAFRA BRUSQUE VIDEIRA TOTAL VALOR UNIT. VALOR TOTAL DO ITEM VALOR TOTAL DO LOTE LOTE 1 - SISTEMA ANTIFURTO 1.1 EQUIPAMENTO ELETROMAGNÉTICO DE REATIVAÇÃO/

Leia mais

NOME DO PRODUTO: MEGA PODIUM Revisão 01 FISPQ Nº 00030 Página 1de 5

NOME DO PRODUTO: MEGA PODIUM Revisão 01 FISPQ Nº 00030 Página 1de 5 FISPQ Nº 00030 Página 1de 5 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA NOME DO PRODUTO: MEGA PODIUM NOME COMERCIAL MEGA PODIUM (COLA UNIVERSAL) NOME DO FABRICANTE JN COM E IND DE PROD QUIMICOS LTDA RUA A

Leia mais

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 : 1/5 De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 Capítulo V Da Segurança e da Medicina do Trabalho Art 157 - Cabe às empresas: I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do

Leia mais

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400

MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 *Imagens meramente ilustrativas MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 Manual de Instruções www.v8brasil.com.br 1. DADOS TÉCNICOS MÁQUINA DE SOLDA MIG/MAG-400 Modelo Tensão nominal Frequência Corrente nominal Diâmetro

Leia mais

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda Página 1 de 6 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Botatop DM-W - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Rua Henry Martin, 235 Vargem Grande Paulista

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARCOS PCT ADM.2013 a 2016 PCT. Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados LOCAL : GUARITAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARCOS PCT ADM.2013 a 2016 PCT. Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados LOCAL : GUARITAS PCT Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados Programa de Gerenciamento e Prevenção de Acidentes no Trabalho com a Utilização de Equipamentos de Proteção Individual EPI S Prefeitura Municipal

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO /EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO /EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO /EMPRESA * Identificação do Produto: * Principais Usos: * Código Interno: M-30.XXX * Identificação da Empresa: Planquímica Industrial e Comercial Ltda. * Endereço: Rua Dos Rubis,

Leia mais

PROTEÇÃO AURICULAR. Modificações ou substituições de máquinas e equipamentos;

PROTEÇÃO AURICULAR. Modificações ou substituições de máquinas e equipamentos; PROTEÇÃO AURICULAR 1. EPI PARA PROTEÇÃO AUDITIVA O controle do ruído é uma ação que, em última análise, visa diminuir a exposição dos indivíduos ao ruído,ou seja, reduzir a dose de exposiçãodiária. Como

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL Prof. Joaquim Ribeiro 6. Conceito e importância da Ergonomia Origem nas palavras gregas: ergon (trabalho) e nomos (regras). 6.

Leia mais

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 124 ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Fernando Henrique Camargo Jardim¹ 1 Engenheiro

Leia mais

EBOLA MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE EM SERVIÇOS DE SAÚDE ANA RAMMÉ DVS/CEVS

EBOLA MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE EM SERVIÇOS DE SAÚDE ANA RAMMÉ DVS/CEVS EBOLA MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE EM SERVIÇOS DE SAÚDE ANA RAMMÉ DVS/CEVS Ebola Perguntas e Respostas 13 O que fazer se um viajante proveniente desses países africanos apresentar sintomas já no nosso

Leia mais