EDIÇÃO MOÇAMBIQUE. Preço de Capa: 50 Meticais nº 2 FEVEREIRO 2013 MOÇAMBIQUE A HORA DE APOSTAR NO IMOBILIÁRIO CHEGOU!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDIÇÃO MOÇAMBIQUE. www.mz.vidaimobiliaria.com Preço de Capa: 50 Meticais nº 2 FEVEREIRO 2013 MOÇAMBIQUE A HORA DE APOSTAR NO IMOBILIÁRIO CHEGOU!"

Transcrição

1 EDIÇÃO MOÇAMBIQUE Preço de Capa: 50 Meticais nº 2 FEVEREIRO 2013 MOÇAMBIQUE A HORA DE APOSTAR NO IMOBILIÁRIO CHEGOU! Crescimento económico impulsiona investimento na Construção, Obras, Públicas & Imobiliário TEKTÓNICA está de regresso a Maputo em 2013

2

3 EDITORIAL De olhos postos no futuro Moçambique é um país irmão de Portugal e as enormes potencialidades que oferece a nível económico, imobiliário, turístico, e mesmo a nível de recursos naturais, têm atraído cada vez mais portugueses, que escolhem o país para trabalhar, fazer negócios, habitar ou visitar. O país, que tem vindo a sentir um fulgor económico admirável, desempenha um papel estratégico no mapa de investimento internacional, especialmente no eixo lusófono, e atrai cada vez mais investidores internacionais, com os quais poderá também capitalizar experiência e know-how. Na senda da sua vocação lusófona e dos laços com os países africanos, Portugal e as empresas portuguesas que preferem Moçambique para investir podem ter um contributo importante para o desenvolvimento do país, transmitindo e disseminando o know-how adquirido ao longo das últimas duas décadas no imobiliário nacional, e acompanhando, assim, o país num caminho que Portugal já percorreu e para o sucesso do qual poderá ter uma palavra a dizer. A exportação do know-how adquirido ao longo das últimas décadas nos diversos segmentos do imobiliário nos quais Portugal já deu provas de qualidade pode ser um bom exemplo das mais-valias que este intercâmbio poderá aportar. Apreender as boas práticas de quem já desenvolveu produtos imobiliários noutros países é um percurso natural de qualquer indústria e Portugal é um parceiro preferencial para Moçambique nesta relação, dada a sua proximidade cultural, linguística e até afectiva. A Vida Imobiliária espera poder estar na vanguarda deste intercâmbio, apresentando o mercado moçambicano na sua área de especialização, nomeadamente imobiliário, construção e obras públicas, disseminando a informação entre todos os players, e servindo de plataforma para que os dois países possam estabelecer relações longas e proveitosas. Há um ano demos os primeiros passos em Moçambique com o lançamento da primeira revista inteiramente dedicada ao país, e que foi distribuída na Tektónica Maputo. Um ano depois, estamos de volta, com uma nova edição, mantendo-nos firmes na aposta neste mercado que é um destino óbvio e confirmado para as empresas portuguesas da fileira da construção e do imobiliário. António Gil Machado Diretor, Vida Imobiliária 3

4 ÍNDICE VIDAIMOBILIÁRIA Director António Gil Machado EDITORIAL VI NEWS Moçambique EVENTOS Tektónica 2013 OPINIÃO Luís Lima, Presidente da CIMLOP DOSSIER As oportunidades imobiliárias em Moçambique Economia moçambicana em rota de crescimento atrai mais investimento Opinião: António Raposo Subtil João Ricardo Nóbrega Prime Yield MZ lança estudo sobre o mercado imobiliário moçambicano na Tektónica Oferta imobiliária está a qualificar-se em Moçambique O desenvolvimento do mercado imobiliário A internacionalização consolidada Afaplan Southern Africa projecta crescimento de 70% para 2013 Mozta Engenharia ganha terreno no mercado moçambicano Edição Susana Ribeiro MARKETING & NEW BUSINESS Osvaldo Nogueira GESTÃO DE CLIENTES Clara Marcos Marta Brandão Colaboradores Paula Moreira DESIGN GRÁFICO PMD - Design Impressão Uniarte Gráfica R. Pinheiro de Campanhã nº Porto Assinaturas Clara Marcos Proprietário Imoedições Publicações Periódicas e Multimédia, Lda. Periodicidade Mensal NIPC Preço Preço avulso : 50 meticais TIRAGEM exemplares Redacção, Administração E Assinaturas Porto Rua Gonçalo Cristovão, 185 6º Porto Tel Fax Redacção, Administração E Assinaturas LISBOA Av. Fontes Pereira de Melo nº 6 4º andar Lisboa Tel Fax Registo nº da Entidade Reguladora da Comunicação Social 4

5

6 Looking for a house in Portugal? Discover the view and the home of your dreams... VIVA IN PORTUGAL is a multiplatform concept with the mission of promoting Residential Tourism in Portugal. It includes a web site, communication through national and international press as well as presence in trade events.

7 Find out more on our site vivainportugal.com

8 VINEWS MOÇAMBIQUE Central Térmica da Ncondezi Coal arrancará em 2015 A Ncondezi Coal Company estima arrancar em 2015 com as obras de construção da nova central térmica alimentada a carvão mineral que será erguida na região norte do distrito de Moatize, província de Tete. Em declarações ao matutino Notícias, de Maputo, o director da empresa, David Eshmade disse ainda que a central térmica será construída próxima da mina da companhia e a aproximadamente 95 km da linha de transmissão de energia eléctrica da rede nacional da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB). A Ncondezi Coal Company é detentora de 100% das licenças 804L e 805L conhecidas como Projecto Ncondedzi, no distrito de Moatize, e o empreendimento dispõe de recursos avaliados em milhões de toneladas de carvão. A mina de carvão da Ncondezi Coal Company dista cerca de 25 km da linha de caminho-de-ferro de Sena, que termina na vila de Moatize, e nela serão extraídos dois tipos de carvão térmico considerados ideais para os mercados da Ásia e que são comparáveis aos tipos de referência internacional. De olhos no futuro, a empresa está neste momento a analisar quatro rotas para exportar a produção. A estratégia de curto prazo está focada no acesso a um dos dois corredores ferroviários existentes para os portos da Beira e de Nacala para satisfazer a primeira fase de produção. Como opção a longo prazo, David Eshmade disse haver perspectivas para um novo projecto ferro-portuário, dispondo já de um acordo com o grupo Rio Tinto, que está a desenvolver os estudos deste projecto a fim de conseguir escoar o carvão extraído naquela província de Moçambique. Rangel investe 5 milhões de dólares até 2014 O grupo Rangel deu mais um importante passo na sua estratégia de internacionalização e, depois de Angola, chegou agora a Moçambique, onde deverá investir 5 milhões de dólares até 2014 para fomentar a sua entrada neste mercado. A entrada do grupo no país deverá proporcionar 100 novos postos de trabalho até Os primeiros passos do grupo em território moçambicano foram marcados pela compra da empresa LFP Logística em 2012, actualmente dominada Rangel Moçambique. Para este ano, a empresa prevê inaugurar uma filial em Nacala, bem como arrancar com a construção de um Terminal Logístico em Maputo, o que corresponderá a um investimento na ordem dos 3 milhões de dólares. Eduardo Rangel, presidente do grupo, disse que «até ao final de Março, estaremos a desenvolver um estudo de mercado para um bussiness plan em Moçambique, mês no qual prevemos abrir uma filial a norte, em Nacala, e, em Abril, deveremos avançar com a construção de uma plataforma logística com m², em Maputo». Segundo o responsável, a aposta em Moçambique englobará também o desenvolvimento de uma rede de distribuição que cubra todo o território moçambicano e a criação de uma outra filial, desta feita na Beira. «Há uma forte necessidade de melhorar e inovar os sistemas de logística no território moçambicano, nomeadamente nos segmentos do retalho alimentar, banca e distribuição de medicamentos, explica Eduardo Rangel. Por isso, acrescenta, «temos em mãos um plano de desenvolvimento centrado no transporte internacional aéreo, marítimo e terrestre, sobretudo vindo da África do Sul, assim como no desembaraço aduaneiro, gestão de stocks, transportes especiais e na entrega ao cliente final». Grupo Accor anuncia 30 novas unidades em África O grupo hoteleiro Accor tem um plano de expansão em África que prevê a abertura de 30 novos hotéis no continente nos próximos três anos. A informação foi revelada pelo presidente e director geral do grupo, Dennis Hennequin, que falou na cerimónia de inauguração do novo hotel Íbis de Dakar (Senegal). Na ocasião, o responsável falou também da expansão daquela chancela, revelando que «o nosso objectivo é passar dos 116 para os 146 hotéis e de oferecer novos quartos até 2016». Para 2020, o objectivo é a abertura de mais 35 unidades hoteleiras, revelou a mesma fonte. Actualidade do mercado. Moçambique Portugal Angola Brasil 8 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

9 Sauditas constroem a primeira Refinaria de Petróleo do país O Instituto de Gestão de Participações do Estado de Moçambique (IGEPE) e o grupo saudita Radyolla Holding Co. já assinaram o acordo que vai tornar possível a construção da primeira refinaria de petróleo em Moçambique. Em conferência de imprensa, o presidente do IGEPE, a entidade que cuida dos interesses empresariais do Estado moçambicano, Apolinário Panguene, explicou que para já irão ainda ser realizados estudos para a definição do custo e prazos de construção da refinaria. Este empreendimento será instalado na cidade de Nacala, província de Nampula, norte de Moçambique, que alberga um dos maiores portos de águas profundas do mundo. E, além de fornecer petróleo a Moçambique, a refinaria vai também abastecer países vizinhos. União Europeia apoia reordenamento urbano em Chimoio A capital da província de Manica, Chimoio, assinou recentemente um contrato de subvenção com a União Europeia (UE) no valor de dólares para financiar o reordenamento dos bairros 16 de Junho e Josina Machel. Este projecto enquadra-se no programa europeu de apoio às autoridades locais e aos actores não estatais, tendo uma duração de dois anos. O acordo foi assinado entre o presidente do município de Chimoio, Raul Conde Marques Adriano e o embaixador da UE em Moçambique, Paul Malin. Em comunicado à imprensa, a UE explica que «com este projecto, a União Europeia pretende apoiar o Conselho Municipal do Chimoio a velar pelo Ordenamento Territorial e Planeamento do Desenvolvimento Urbano, que é uma das missões das autoridades locais». Malin explicou também que a iniciativa inclui a participação dos cidadãos no reordenamento e legalização do território, e terá um impacto muito positivo na vida dos munícipes, contribuindo assim para apoiar a cidade do Chimoio «O IGEPE identificou um conjunto de projetos a serem implementados no país juntamente com outros parceiros e a Radyolla tem a vantagem de ter o músculo financeiro suficiente para nos ajudar a implementar o projeto de refinaria», afirmou Apolinário Panguene. Já o presidente da Radyolla Holding Co., Abdul Aziz, deixou a garantia de que o grupo «vai fazer o melhor na implementação dos projetos com que se comprometeu em Moçambique». como uma cidade mais aberta, mais equitativa e mais democrática. No documento poder ler-se ainda que «o objectivo desta iniciativa é melhorar as condições de vida dos munícipes da Cidade de Chimoio, especificamente dos residentes dos Bairros 16 de Junho e Josina Machel, assim como de fortalecer a cidadania activa num processo de desenvolvimento local». No âmbito deste processo de reordenamento, proceder-se-á à abertura de vias de acesso, construção de drenagens, poços e latrinas melhoradas, para além da definição de terrenos e atribuição do direito de uso e aproveitamento de terras permitindo assim a sua legalização. É co-financiado pela União Europeia através do programa de apoio aos Actores Não Estatais e Autoridades Locais em Desenvolvimento, representando um investimento de 8,9 milhões de euros. Banco de Moçambique quer mais agências em zonas rurais O governador do Banco de Moçambique lançou o apelo para a abertura de mais dependências bancárias nas zonas rurais do país, considerando que aquelas populações «produzem riqueza, mas carecem do apoio da banca, quer para depósito de poupanças, quer para investimentos». Em declarações à imprensa, Ernesto Gove chamou a atenção para o facto de mais de metade dos 128 distritos moçambicanos não estarem ainda servidos por agências bancárias. A cobertura territorial da rede de serviços e produtos financeiros às zonas rurais onde vive mais de metade da população é uma das principais preocupações das autoridades moçambicanas, que apostam no desenvolvimento dessas regiões para combater a pobreza. Nesse sentido, em 2007 o Banco Central de Moçambique lançou um plano de expansão dos bancos e dos serviços financeiros às regiões rurais, integrado no âmbito do plano de ampliação da rede que deu luz verde à abertura de mais de 400 agências bancárias no país. «Ainda que reconheçamos e saudemos o esforço realizado pelas instituições de crédito neste domínio, não restam dúvidas que há muito por realizar», incluindo o desenvolvimento das infra- -estruturas básicas, como as redes de transportes, comunicações e energia, disse o Governador, Ernesto Gove. Por isso, em 2012 aquela instituição decidiu estender por mais cinco anos o prazo de validade dos incentivos à ampliação da rede para as zonas rurais. 9

10 VINEWS MOÇAMBIQUE Hörmann vai reforçar equipa em Moçambique A Hörmann, líder no fabrico e comercialização de portas e automatismos, vai reforçar as suas equipas nos mercados lusófonos onde opera, integrando 30 novos colaboradores em Portugal, Angola e Moçambique até ao próximo mês de Junho. O grupo multinacional alemão procura preencher vagas no departamento de Marketing de Angola e, para a sucursal moçambicana está actualmente, em processo de selecção para contratar um diretor geral. A informação foi confirmada por Henrique Lehrfeld, director geral da empresa em Portugal, que disse que «até ao final do primeiro semestre deveremos integrar até 30 novos colaboradores na Hörmann Portugal, resultado, em grande parte, do nosso forte crescimento em Angola e da nossa recente entrada em Moçambique». Visite a sua nova loja. LIVROS REVISTAS EVENTOS E-BOOKS C&W Portugal expande actividade para Angola e Moçambique A diversificação da actividade para os dois principais mercados africanos lusófonos, Angola e Moçambique, é um dos objectivos estratégicos da consultora imobiliária Cushman & Wakefield (C&W) Portugal. Ao longo dos últimos meses, a filial portuguesa do grupo mundial de consultoria imobiliária tem vindo a apostar na diversificação da sua actividade para outras geografias, tendo já desenvolvido estudos de mercado para investidores, promotores e retalhistas em países como Espanha ou em regiões emergentes como a América do Sul e África. Construção de nova barragem arranca este ano na bacia do rio Púnguè A construção da nova barragem de Nhacangara, no rio Púnguè deverá arrancar ainda este ano na província de Manica, revelou o ministro das Obras Públicas e Habitação, Cadmiel Muthemba. De acordo com o governante, estão já disponíveis cerca de 80, 3 milhões de dólares o equivalente a milhões de meticais para o projecto, graças a um financiamento conjunto entre os governos moçambicano e italiano. Esta soma será aplicada na construção da barragem e numa drenagem de águas pluviais na capital do país, empreendimentos que irão contribuir para a redução do impacto das cheias ou inundações ao longo da bacia de Púnguè e em Maputo. Cadmiel Muthemba disse ainda que «estamos neste momento a preparar-nos para selecionar o empreiteiro que vai executar as obras e garantimos que a construção da barragem vai iniciar ainda este ano». E, segundo revelou o director-geral da Cushman & Wakefield, Eric van Leuven, estes trabalhos têm tido mais expressão nos mercados de Angola e Moçambique, onde a empresa ainda não possui escritórios, pelo que a equipa portuguesa tem trabalhado com a filial da África do Sul. Este projecto governamental surge no âmbito de um programa que tem como objectivo aumentar a disponibilidade de água para as cidades da Beira e Dondo, bem como garantir a irrigação de cerca de hectares de terras destinadas à agricultura e a regular os caudais daquela bacia no centro do país, de modo a reduzir o risco de enxurradas. Para a implantação do empreendimento, cerca de 400 famílias que se encontram actualmente a residir nas imediações da área abrangida poderão ter de vir a ser movimentadas. Já o novo sistema de drenagem de Maputo tem como objectivo a diminuição do elevado nível freático nos bairros de Maxaquene e Polana Caliço, bem como o impacto da erosão, e poderá implicar retirada de cerca de mais de 200 famílias. Estima-se que o investimento necessário para realojar as cerca de 600 famílias abrangidas por estes projectos galgue os 4,8 milhões de dólares, o equivalente a 131,2 milhões de meticais. 10 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

11 Ex-Facim Maputo Arquitectos Autores Arqtº. Frederico Valsassina Arqtº. Ricardo Bak Gordon Arqtº. João Ferreira Nunes Atelier Projectista VGN Architects Lda Os maiores negócios imobiliários do ano foram realizados pela Cushman & Wakefield A Cushman & Wakefield se orgulha de ter sido a empresa de Real Estate que concluiu os maiores negócios do ano no país. Desde a venda do empreendimento ícone de São Paulo, na Av. Paulista, até uma das torres do projeto corporativo mais grandioso da região de Alphaville. Isso é resultado da nossa abrangência global aliada ao entendimento profundo do mercado local. Av. 25 de Setembro 2834 Maputo Moçambique Consultores: Em seu próximo projeto, conte com a melhor e maior empresa de Rea COMERCIALIZAÇÃO INVESTIMENTO SUSTENTAB Maior empre Fundador anu_vida_vs-cbre.indd 1

12 VINEWS MOÇAMBIQUE Turvisa quer um hotel em todas as capitais de província Aeroporto internacional de Maputo vai ganhar complexo imobiliário O Aeroporto Internacional de Maputo vai ganhar um complexo imobiliário, com hotéis e restaurante, revelou o presidente da Aeroportos de Moçambique, Manuel Veterano. As obras deverão arrancar ainda este ano. O projecto de arquitectura já está pronto, estando agora a dar-se início ao projecto de engenharia. De acordo com Manuel Veterano, o objectivo é que os trabalhos de construção possam ter início dentro de alguns meses, ainda em O responsável escusou-se contudo a revelar qual o valor estimado para este investimento, bem como quem são os parceiros associados à empresa estatal no desenvolvimento do projecto. Promovido pela empresa pública Aeroportos de Moçambique, o complexo imobiliário será construído na área aeroportuária de Mavalane. Manuel Veterano realçou que o objectivo é que a prazo, o Aeroporto Internacional de Maputo possa oferecer a grande maioria dos serviços que se encontram em outros complexos aeroportuários do mundo, em que os passageiros em trânsito não precisam de sair do recinto do aeroporto para se hospedar, por exemplo. O presidente da Aeroportos de Moçambique falou após a adjudicação formal da elaboração do projecto de recuperação da pista principal, da placa de estacionamento, dos caminhos de circulação de pessoal e equipamentos aeroportuários e de toda a sinalização luminosa do Aeroporto Internacional de Maputo. Este projecto foi adjudicado à empresa de consultoria DHV, e a previsão é que possa estar pronto de forma a que as obras tenham início em Apostada em continuar a crescer em Moçambique, a Turvisa traçou um objectivo ambicioso: «implantar uma unidade hoteleira em todas as capitais de província», disse Margarida Pinheiro, directora-geral dos Girassol Hotels, a marca hoteleira do grupo Visabeira Moçambique. Traçando caminho para atingir este objectivo, a empresa está já a preparar o lançamento do seu próximo grande projecto: um hotel em Tete, que oferecerá 125 quartos, restaurante, ginásio, cabeleireiro e spa. Citada pela imprensa, a responsável explicou que este será «um investimento mais vocacionado para o turismo de negócios, tendo em conta o interesse que a região tem vindo a despertar em termos económicos». Actualmente, a oferta turística da Turvisa «aponta maioritariamente para o turismo de negócios», esclarece Margarida Pinheiro, acrescentando que «Moçambique é um mercado em crescimento atractivo para o investimento estrangeiro e, como tal, uma plataforma deveras interessante para este segmento». No entanto, garante, «o turismo de lazer também é uma aposta da Turvisa, aproveitando as condições únicas que Moçambique oferece». E, um das apostas mais recentes neste segmento é o Girassol Gorongosa Lodge & Safari, situado em pleno Parque Nacional da Gorongosa. Plano de estrutura da cidade de Nampula vai ser actualizado este ano O Plano de Estrutura da cidade de Nampula vai ser alvo de actualização ainda em 2013, anunciou o presidente da autarquia, Castro Namuaca. Para o efeito, foram já endereçados alguns convites ao Fundo de Investimento e Património do Abastecimento de Água (FIPAG) e à Electricidade Moçambique (EDM), que se deverão juntar a esta iniciativa. Em conferência de imprensa, o autarca reconheceu que o actual Plano de Estrutura da cidade, concebido há mais de dez anos, já se encontra totalmente desajustado da realidade actual, razão pela qual nos últimos três anos tenha sido desenhado um projecto de requalificação dos bairros. Na ocasião admitiu também os problemas relacionados com a ocupação desordenada na cidade, quer para fins de habitação, quer para instalação de infra-estruturas sociais e económicas. Para subsidiar esta estratégia, foram concebidos planos parciais em alguns pontos da cidade, com destaque para Namicopo e Namutequeliua, disse o edil. Além disso, disse Namuaca, neste momento estão em curso obras e edificação de um forte sistema de drenagem na cidade, para permitir o melhor escoamento das águas pluviais. O projecto inicial contemplava duas componentes, sendo a primeira virada para águas pluviais e outra para águas residuais, esta última ainda sem financiamento. 12 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

13 Colliers International tem nova parceira na África do Sul A Colliers International, especialista mundial em real estate services, tem uma nova parceira na África do Sul, onde acaba de se associar à Chelsea Manhattan, líder em property consultancy. Nos trâmites desta associação, a Chelsea Manhattan irá integrar-se totalmente na organização, assumindo a nova designação Colliers International. Com escritórios em Joanesburgo e na Cidade do Cabo, a nova empresa conta com 34 colaboradores, e irá prestar todos os serviços relacionados com a transacção de imóveis comerciais, destacando-se a elevada especialização na consultoria a grandes empresas (blue chip) internacionais. Mike Blair, Director Executivo na Chelsea Manhattan assumirá o cargo de Director Executivo da Colliers International na África do Sul. «Enquanto vital ponto de acesso ao continente africano, a África do Sul é um mercado chave para a Colliers. Este é um mercado emergente no imobiliário comercial e com grandes oportunidades para nós e para os nossos clientes. Esta é mais uma parte do nosso plano para crescer o nosso negócio na EMEA, quer organicamente, através dos nossos mais de 100 escritórios, quer através de fusões e aquisições», afirma Chris McLernon. Por seu turno, Mike Blair acrescenta que «nós somos líderes em property consultancy na África do Sul e sempre tivemos recursos internacionais. Porém, a Colliers International confere-nos uma plataforma internacional que beneficiará, quer os nossos colaboradores, quer os nossos clientes. O nosso atendimento personalizado não se alterará, mas agora teremos acesso a um conhecimento global em todos os sectores do imobiliário, quer através dos profissionais da Colliers, em mais de 500 escritórios distribuídos por 62 países». Programas-piloto de melhoramento de habitação vão beneficiar mais agregados Os programas-pilotos de melhoramento habitacional e de saneamento, em curso desde Julho de 2012 nos municípios de Maputo e Mandlakazi, no Sul de Moçambique, vão ser estendidos a mais 10 distritos, passando a beneficiar outros agregados familiares que vivem em condições de extrema pobreza. A informação foi avançada por fonte do Banco Mundial, citada pelo Correio da Manhã. que isso seja possível, a dotação orçamental de 2013 foi aumentada em 0,8% do PIB, com o objectivo de elevar o nível de assistência social para aquele número de beneficiários. O Banco Mundial explicou que o seu envolvimento neste projecto visa minimizar «as disparidades interprovinciais que permanecem muito elevadas e com tendência a agravar-se no país». Província de Sofala vai ganhar cinco novas fábricas de cimento A província de Sofala vai ganhar cinco novas fábricas de cimento, que representam um investimento globalmente avaliado em 250 milhões de dólares norte-americanos. Estas infra- -estruturas serão erguidas nos distritos de Chibabava, Inhaminga e nas cidades da Beira e Dondo, e as obras deverão arrancar ainda este ano. José Ferreira, director provincial da Indústria e Comércio em Sofala, revelou estar já em curso a tramitação dos processos para a implantação dos referidos projectos, os quais irão criar quinhentos postos de trabalho numa primeira fase. Segundo o responsável, caso não hajam constrangimentos no decurso das obras, pelo menos duas das fábricas de cimento poderão entrar em funcionamento até ao final deste ano. Paralelamente às acções ligadas à implantação destas infra-estruturas industriais, estão também em curso os trabalhos para a instalação de um novo forno na fábrica de cimento do Dondo. Beneficiando cerca de habitantes locais, as acções em curso estão a ser co-financiadas pelo Orçamento do Estado moçambicano e pelo Banco Mundial, e estão avaliadas em 1,7 biliões de meticais, o que corresponde ao aumento de cerca de 0,3% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2013 em relação ao Orçamento de Estado de Os dez distritos que também vão passar a ser abrangidos por este programa não foram, contudo, revelados. Sabe-se apenas que, para Neste sentido, acrescenta a mesma fonte, está actualmente em curso um trabalho de sensibilização das autoridades governamentais moçambicanas no sentido de cumprirem com os programas assinados com os doadores externos, já que em alguns casos «há incumprimento e eles estão insatisfeitos com isso», sobretudo devido «à lenta implementação de alguns projectos». O apoio externo deverá ser recuperado durante este ano e o próximo, «casa haja progressos de boa-governação e combate à corrupção». Actualize todos os dias as últimas novidades do mercado. 13

14 VINEWS MOÇAMBIQUE BAD apoia projecto sobre mudanças climáticas em Moçambique O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) acaba de assinar um acordo com o Governo Moçambicano dando luz verde a uma linha de crédito de mais de 14,8 milhões de dólares que viabilizará um projecto que visa a mitigação do efeito das mudanças climáticas e calamidades naturais. Este valor será distribuído em quatro distritos da provincia de Gaza, no sul do país, no «Projecto Moçambique Gestão Sustentável da Terra e Recursos Hídricos», que compreende as componentes de agricultura, água e desenvolvimento de infra-estruturas, bem como a restauração de habitats naturais e paisagens. De acordo com a nota de imprensa divulgada pelo Ministério da Planificação e Desenvolvimento, na mesma ocasião foi ainda assinado com o BAD um acordo para a doação de pouco mais de 3,1 milhões de dólares por aquela instituição financeira, que serão também aplicados no projecto. Sotecnisol associa-se ao Grupo Entreposto para entrar em Moçambique A Sotecnisol estabeleceu uma parceria com o Grupo Entreposto, criando a Sotecnisol- Entreposto, detida em partes iguais pelas duas empresas. A nova empresa tem como objectivo o desenvolvimento de actividades nas áreas de coberturas, fachadas e revestimentos, identificadas como «apresentando boas perspectivas de desenvolvimento futuro neste mercado». O objectivo é que a nova empresa possa expandir a sua oferta gradualmente em Moçambique e à medida das necessidades deste mercado, tendo também na mira as áreas da energia renovável, engenharia e materiais. Desta forma, Moçambique torna-se o quinto mercado internacional onde a portuguesa Sotecnisol está presente, depois de Espanha, Itália, Angola e Argélia. Actualmente, a actividade internacional tem um peso de 10% nas contas na empresa, que opera nos sectores da construção, ambiente e energia. Mas, a meta para os próximos meses é elevar para 30% o peso da facturação internacional. José Luis Castro, Presidente da Sotecnisol, diz que «Moçambique é um mercado estratégico para a Sotecnisol, pelo crescimento económico que vive actualmente e pela necessidade de investimento em infra-estruturas». Por isso, acrescenta, «a parceria com o Grupo Entreposto é uma grande mais-valia, pois trata-se de um grupo forte que opera no país há várias décadas e cuja oferta de produtos é complementar à nossa». Por seu turno, o presidente do Conselho de Administração Executivo do Grupo Entreposto, Pedro Palhinha, acrescenta que «a parceria com a Sotecnisol para Moçambique permite-nos alargar a nossa oferta de produtos e serviços para novas áres, estratégicas para o futuro deste país». Reynaers Aluminium marca presença na Tektónica A Reynaers Aluminium vai marcar presença na segunda edição da Tektónica Moçambique, a principal feira profissional para o mercado da construção, imobiliário e segurança, a ter lugar em Maputo entre 28 de Fevereiro e 4 de Março. Esta participação servirá para a empresa apresentar a sua gama de soluções de sustentabilidade dos edifícios, pensadas para o mercado moçambicano, exibindo um stand que vai dispor de várias novidades como o novo sistema de portas CD 45 Pa. Entre outras iniciativas, serão também apresentados os projectos de referência da Reynaers a nível mundial, com foco especial nos grandes projectos executados no mercado Moçambicano. Visite a nova loja da Vida Imobiliária Lançado o projecto de um novo hospital na província de Nampula O Gabinete da Primeira-Dama e a FBT IC, empresa especializada na construção de edifícios hospitalares e de educação, lançaram um novo projecto para a construção de um hospital generalista na província de Nampula, no norte de Moçambique. As obras deverão arrancar no próximo mês de Junho, prevendo-se que fiquem concluídas em Dezembro de João Silva director-geral da FBTIC explicou que o hospital será gerido pelo sector privado e contará com 50 consultórios e 33 especialidades médicas. Oferecerá 45 quartos duplos e 67 individuais, com uma capacidade de internamento para 157 pessoas. A escolha para a construção desta infra-estrutura recaiu sobre a província de Nampula porque esta é uma das províncias mais populosas do país e um ponto de referência na captação de mais investimentos, pelo que se impõe a necessidade de dotá-la com capacidade para responder às necessidades de desenvolvimento, explicou a directora do Gabinete da Primeira-Dama de Moçambique, Flávia Cuareneia. De acordo com esta responsável, o novo hospital terá também uma componente social para atender a população de baixa renda. 14 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

15 Projecto «Casa Jovem» atinge unidades em Maputo em 2013 O número de casas construídas ao abrigo do Projecto Casa Jovem na cidade de Maputo vai continuar a crescer em 2013, prevendo-se que atinja as unidades até ao final deste ano, informou o coordenador do projeto Eric Charas. Anunciado em 2010, o Projecto Casa Jovem tem como objectivo colmatar a ausência de oferta de habitação para os jovens moçambicanos, particularmente em Maputo. No âmbito desta iniciativa estão projectados cerca de apartamentos de diversas tipologias, incluindo 144 casas do tipo 1, 624 casas do tipo 2, 608 casas do tipo 3 e 160 casas do tipo 4. Os apartamentos serão distribuídos em 72 prédios de quatro pisos. Além da componente habitacional, o projecto Casa Jovem tem também projectados espaços comerciais multifuncionais, possibilitando abarcar o mais variado conjunto de serviços à disposição dos seus moradores, nomeadamente, supermercados, farmácias, padarias / pastelarias, ginásios, cafés, escritórios, locais de lazer, entre outros. Enquanto isso, decorre a conclusão de um lote de mais de 500 unidades previstas para a primeira fase. Os primeiros imóveis já começam a Construção da nova casa do Comité Olímpico de Moçambique prestes a arrancar Os trabalhos de construção do novo edifício que vai albergar o Comité Olímpico de Moçambique deverão arrancar no mês de Março em Maputo, prevê aquele organismo. Além de escritórios, o edifício de 15 andares irá também contar com uma zona comercial. Em declarações recentes à imprensa, o presidente do Comité Olímpico de Moçambique realçou a importância desta infra-estrutura que, garante, não vai só melhorar as condições de trabalho, mas também preparar os atletas nacionais em diferentes modalidades. ser entregues aos proprietários. Segundo a mesma fonte, está também prevista a construção de mais 400 casas do tipo três. E para 2013 está também projectada a construção de 15 residências a um custo subvencionado de meticais (cerca de dólares) para jornalistas. A construção de habitações para profissionais jovens de comunicação social será o fruto de uma parceria entre a empresa Charas Lda e a Associação para a Preservação da Verdade (APREVE). Segundo a Charas, esta iniciativa tem como objectivo contribuir para que os jovens profissionais da comunicação social sejam capazes de amortizar o valor de uma habitação, de forma faseada, sem comprometer os seus rendimentos. A cerimónia simbólica do lançamento da primeira pedra da obra teve lugar em Setembro de 2011, aquando da visita do Presidente do Comité Olímpico Internacional, Jacques Rouge. CPCI dá luz verde a quatro projectos no valor de 23,3 milhões de dólares O Centro de Promoção de Investimentos (CPCI) deu luz verde a quatro novos projectos de investimento para o país que, globalmente, estão orçados em 23,3 milhões de dólares norte americanos e que projectam a criação de 334 novos postos de trabalho para moçambicanos. Estes investimentos dizem respeito aos sectores da construção, serviços e transportes, e irão localizar-se nas províncias de Nampula, Sofala e na cidade de Maputo. Hotel Girassol já chegou à vila do Songo A rede hoteleira Girassol continua a crescer em Moçambique e, depois das unidades de referência em Maputo, Nampula, Lichinga e Gorongosa, já chegou também à vila do Songo, província de Tete. Equipado com uma oferta de 14 quartos sete singles e sete suítes nas tipologias T1 e T2 o novo Girassol Songo Hotel já foi visitado pelo Presidente da República de Moçambique, Armando Guebuza, que foi recebido por Fernando Nunes, presidente da empresa detentora dos hotéis Girassol, a Visabeira. Actualize todos os dias as últimas novidades do mercado. 15

16 EVENTOS TEKTÓNICA Tektónica Moçambique está de volta a Maputo Pelo segundo ano consecutivo, a Tektónica Moçambique volta a Maputo. De 25 de Fevereiro a 4 de Março, o Centro Internacional de Conferências Joaquim Chissano vai reunir a fileira da Construção, Obras Públicas e Imobiliário, consolidando o evento como o principal ponto de encontro do sector no país. E, com o objectivo de repetir o sucesso registado em 2012, esta segunda edição do certame aportará várias novidades, como conta o director da área de feiras da AIP Feiras, Congressos e Eventos, Jorge Oliveira, responsável pela organização. Vida Imobiliária (VI) - Qual o balanço da adesão dos parceiros empresariais à segunda edição da Tektónica Moçambique? Jorge Oliveira (JO) -A 2ª edição da Tektónica Moçambique apresenta uma significativa evolução em relação a Em primeiro lugar porque alarga o seu leque de abrangência ao ser realizada em simultâneo com a Intercasa Concept Moçambique e porque mais do que triplicou o seu número de expositores. A Tektónica Moçambique é hoje o grande evento moçambicano para o sector da construção, imobiliário, energia, ambiente e segurança e o local de apresentação por excelência dos grandes projectos em curso e perspectivados neste país. A AIP Feiras Congressos e Eventos conta com mais de 20 parceiros na organização da Tektónica Moçambique, de onde se destacam por exemplo: a Câmara de Comércio Moçambique Portugal, a AICEP, IPEX, CTA, FME, CPI, Confederação Empresarial dos Países de Língua Portuguesa, CIMLOP, CIALP. VI - O que podemos esperar da Tektónica, em termos de dimensão? JO -Muito mais do que uma feira, a Tektónica é um projecto dinâmico de aproximação entre empresas e instituições, funcionando como um acelerador na concretização e projectos de negócios. A Tektónica divide-se em 4 grandes pilares. Em primeiro lugar, existirá a exposição em conjunto com a Intercasa Concept Moçambique (com mais de 120 expositores em 2013). Haverão também encontros empresariais nas provín- Tektónica promove acções fora de Maputo A Tektónica Moçambique tem um vasto conjunto de acções importantes em várias cidades para além de Maputo. 26 de Fevereiro Encontro com empresários em Nampula e Nacala 27 de Fevereiro Encontro empresarial na cidade da Beira. Em simultâneo será realizada uma visita de cortesia ao município de Matola. 28 de Fevereiro Abertura da Tektónica Moçambique seguida da Conferência de Arquitectura e Urbanismo. 1 de Março Fórum da Construção e visita oficial de membros do governo de Portugal e Moçambique. Cerimónia de entrega de prémios. 16 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

17 cias, sendo que este ano estaremos em Nampula, em Sofala e no Município de Matola. Estamos também a organizar conferências e workshops, entre os quais destacamos o Fórum da Construção com parceria especial com a FME- Federação Moçambicana de Empreiteiros, a Conferência de Arquitectura e Urbanismo com parceria especial com as Ordens dos Arquitectos de Portugal e Moçambique. E, por último, teremos encontros de negócios e atribuições de prémios em 2013 apresentamos a primeira edição dos prémios Cooperação Moçambique Portugal, Tektónica Moçambique e Intercasa Concept Moçambique, distinguindo pessoas, empresas e instituições com trabalho relevante no mercado Moçambicano. VI - Quais são os setores de atividade (dentro da esfera da construção e do imobiliário) que estarão representados? JO - A presença das empresas expositoras é muito diversificada, desde as máquinas, ferramentas e equipamentos para a construção, pavimentos e revestimentos, promotores imobiliários, energias renováveis e eficiência energética, tubos e acessórios, isolamentos, espaço banho e cozinha, sanitários, isolamentos, argamassas, sistemas de segurança entre outros. VI - Qual será o peso das empresas nacionais no certame? E em termos de participação internacional, qual o balanço? JO - O peso das empresas portuguesas continua a ser relevante, embora seja cada vez maior a presença de empresas moçambicanas, ou empresas de capital luso-moçambicano. Também pela primeira vez vamos receber empresas de outros países, embora muito poucas, sendo no entanto expectável que já em 2014 esse perfil de empresas também tenha um grande aumento. VI - Existem muitos participantes que sejam repetentes da edição de 2012? JO- Há efectivamente muitas empresas repetentes e sobretudo apraz-nos verificar que algumas das que estiveram connosco em 2012 já se estabeleceram com parcerias em Moçambique. No entanto devido ao exponencial aumento do número de empresas este ano, a grande maioria vai pela primeira vez. A Tektónica Moçambique tem também esse importante papel de abrir as portas do mercado moçambicano sobretudo às PME s. VI - Que aspetos querem melhorar em relação à primeira edição desta feira, realizada em 2012? E quais as principais novidades? JO - Esta iniciativa organizada pela AIP - FCE encontra-se, conforme referi anteriormente, numa fase de crescimento acelerado, pelo qual nós temos tido o grande cuidado de dotar a Tektónica Moçambique de todas as ferramentas habituais nos certames mais evoluídos. Este mix de capacidade de estimular os encontros empresariais, os negócios e o reconhecimento de quem trabalha arduamente em prol do sector e dos respectivos países, coloca o certame com uma filosofia moderna e positiva capaz de ser uma alavanca importante para as empresas que nos visitam e que aqui apresentam os seus produtos e serviços. Há várias novidades, mas a 1ª edição dos prémios Cooperação Moçambique Portugal é seguramente um dos grandes momentos, sendo a sua apresentação no dia 1 de Março perante uma plateia de cerca de 200 empresários e entidades de Portugal e Moçambique. VI - De modo geral, quais são as expetativas da organização em relação a este certame? JO- A Grande expectativa é que a Tektónica Moçambique passe a ser um evento de características nacionais, movimentando empresários de norte a sul de Moçambique nas áreas de referência do certame. Os indicadores de que dispomos tendem a referir que esse objectivo será alcançado já este ano. VI - Quais são, no seu entender, as grandes mais valias aportadas pela realização de um evento deste género para o desenvolvimento do mercado da construção, imobiliário e obras públicas em Moçambique? JO - Uma das grandes preocupações da Tektónica Moçambique é a descentralização, levando o conhecimento a todas as províncias de Moçambique. Recordamos que é nas províncias que está uma importante parte do potencial de desenvolvimento de País. Aproximar e proporcionar trocas de experiências e necessidades entre entidades públicas, construtores, instaladores, comerciantes, arquitectos, engenheiros, outros técnicos qualificados, empresários em geral é o papel central da Tektónica Moçambique. Claro que em todo este processo é importante que a Tektónica Moçambique seja um momento importante na apresentação de novidades para os diferentes sectores envolvidos. VI - Como avalia o mercado da construção e do imobiliário moçambicano, e as oportunidades e desafios que encerra para as empresas que nele queiram apostar? JO- Moçambique é um mercado com tanto potencial, as relações empresariais entre Portugal e Moçambique podem ser impulsionadoras de tantos projectos conjuntos que por vezes é difícil quantificar a dimensão desta oportunidade para os dois países. Mais do que qualquer avaliação sectorial importa referir o trabalho que desenvolvemos junto dos empresários portugueses para apostarem no respeito pela cultura e história de moçambique, pelo conhecimento da sua maneira de estar nos negócios, as suas particularidades e as suas necessidades e anseios. A credibilidade e a correcção é hoje absolutamente fundamental no mundo dos negócios e felizmente os empresários portugueses lidam muito bem com esse conceito. O mercado moçambicano está com grandes projectos na área das infra-estruturas, impulsionados sobretudo pelas áreas da energia e minas. A rede de transportes, as telecomunicações, enfim, todo este desenvolvimento terá uma repercussão em cadeia que facilmente atinge o sector imobiliário quer para habitação, escritórios ou para o comércio e industria. Por fim parece-me importante frisar que as empresas que queiram trabalhar no mercado moçambicano, devem ter uma perspectiva de médio prazo e incorporar nesse desiderato os seus melhores quadros de recursos humanos. Quinzena Empresarial Moçambique Portugal Em 2013, a Tektónica Moçambique está integrada no âmbito da Quinzena Empresarial Moçambique Portugal, uma iniciativa da AIP Feiras, Congressos e Eventos, e que vai decorrer de 25 de Fevereiro a 7 de Março. O número de empresas envolvidas nesta missão empresarial ronda as 250. Jorge Oliveira, director da área de feiras da AIP, comenta que esta «é uma feliz coincidência, pois foi possível à AIP organizar este fórum alargado a sectores tão importantes como a Construção, o Imobiliário, Energia, Decoração, Hotelaria e Restauração, Agro Alimentar e Distribuição Alimentar». Esta iniciativa irá contribuir para «mostrar de uma vez por todas o muito que Portugal e Moçambique têm a ganhar com esta parceria cada vez mais forte. A grandeza que esta quinzena já atinge dá mais força a empresas, entidades oficiais e organizações como a AIP a continuar este trabalho de trazer à tona novas oportunidades de investimento, de negócio e de coesão empresarial», considera. 17

18 OPINIÃO CIMLOP Luís Lima Presidente da CIMLOP - Confederação do Imobiliário de Língua Oficial Português Investimento imobiliário promove desenvolvimento Económico Especialistas do Fundo Monetário Internacional (FMI), afirmam que Moçambique é um dos 10 países do mundo que mais cresceu na última década. Só em 2012, este país verificou um crescimento na ordem dos 7,5%, crescimento este essencialmente associado ao início das exportações e carvão e aos fortes desempenhos dos serviços financeiros e de sectores de transportes, comunicações e construção. Para 2013, a projecção de crescimento da produção global no país está na ordem dos 8,6%, sendo que, para a fileira do imobiliário e construção, esta projecção regista um incremento que se situa na ordem dos 5,6%. Com a paz devidamente consolidada no país, que vive também uma estabilidade política e um pleno e normal funcionamento das instituições, estes números ganham uma dimensão ainda mais importante. Esta pujança da economia moçambicana vem assim criar uma dinâmica aparentemente imparável, pelas grandes oportunidades que se apresentam e que têm sido alvo de grande interesse por parte de grandes, médios e pequenos investidores, nomeadamente vindos de países de Língua Oficial Portuguesa. De facto, Moçambique tem vindo a consolidar a sua posição junto dos mais diversos destinos de investimento e o sector do imobiliário e da construção, é um dos sectores em que os investidores mais procuram apostar. Neste sentido, a Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP), a que presido, tem vindo a desenvolver um papel importante, na promoção do conhecimento cruzado e complementado pela formação profissional especifica nos espaços que dela possam beneficiar, por parcerias comerciais entre as organizações que integram a CIMLOP e pela sensibilização dos poderes para as vantagens de aproximação das regras que tutelam os diferentes mercados, especialmente quando vocacionadas para fomentar a transparência de uma atividade económica que visa o desenvolvimento sustentado dos países. Não podemos esquecer que o crescimento do mercado imobiliário está directamente relacionado com a economia dos países, e que o incremento desta fileira em Moçambique representa desenvolvimento. Recordo que, há cerca de um ano, quando a minha presença na I Tektónica Moçambique, a maior feira profissional de Construção, Imobiliário, Energia, Ambiente e Segurança de Moçambique, fiquei particularmente impressionado com as oportunidades que o país tem para oferecer, especialmente no espaço da lusofonia, onde o país se inscreve e onde as oportunidades de investimento podem ser mais eficazes para todas as partes. No que diz respeito aos países de Língua Oficial Portuguesa, a língua em comum é uma vantagem inegável e um elemento facilitador para quem pretende estabelecer parcerias, garantindo assim que se ergam as pontes culturais necessárias a toda a cooperação no domínio dos negócios. No entanto, apesar desta inegável vantagem, as oportunidades que hoje se abrem no país exigem, de quem as procura, muita transparência e muito trabalho, que deverá ser levado a cabo com um espirito aberto à constituição de parcerias com empresas locais, que garantam um conhecimento específico da própria realidade do país. É deste modo que se poderá cimentar pontes e unir interesses que conjuguem a vontade de investir com a necessidade de desenvolvimento do país. 18 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

19 PONTE ARMANDO EMÍLIO GUEBUZA EM CAIA SOBRE O RIO ZAMBEZE NOVA PONTE DE TETE SOBRE O RIO ZAMBEZE EDIFÍCIO EPSILON 24 EM MAPUTO SHOPPING DE TETE SEDE DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA EM MAPUTO CONJUNTO HABITACIONAL NAS BARREIRAS EM MAPUTO SEDE DO BANCO ÚNICO EM MAPUTO EDIFÍCIO ESCOM BRAZZAVILLE NO CONGO PONTE MAPUTO-KATEMBE, MASTERPLAN DA KATEMBE E ESTRADA ATÉ PONTA DO OURO DESDE 1973 A PROJECTAR UM MUNDO MELHOR NA VANGUARDA DA ENGENHARIA Projectos Prediais Projectos de Infra-Estruturas Projectos de Obras de Arte BETAR Av. Elias Garcia 53 2º Esq., Lisboa. Portugal Projectos Viários Inspencção de Obras de Arte Gestão de Obras de Arte Estudos de Impacto Ambiental e Social Estudos de Viabilidade Técnica e Económica Planeamento e Fiscalização de Obras TORRE MARAVILHA EM LUANDA 4 EDIFÍCIOS SKY CENTER EM LUANDA BTR.AO R. Kwamne NKrumah 31 1ºD, Maianga, Luanda. Angola www. betar.pt MZ BETAR Av. 25 de Setembro 1509, 4º 5, Maputo. Moçambique www. betar.pt

20 Dossier As oportunidades imobiliárias em Moçambique 20 VIDAIMOBILIÁRIA EDIÇÃO 2

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO. SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SÍNTESE DA 15 a SESSÃO PLENÁRIA DO OBSERVATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO Maputo, Abril de 2014 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO... 3 II. TEMAS APRESENTADOS...

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS DOSSIER DE IMPRENSA ÍNDICE 1 PERFIL - A Empresa - Os Colaboradores - Os serviços 2 MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE - A Internacionalização VOLUME DE NEGÓCIOS 4 CERTIFICAÇÕES 5 PROJECTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3

A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 1 / 1 A Fazer Crescer o Nosso Futuro 2 / 3 ... os recursos petrolíferos devem ser alocados à constituição de reservas financeiras do Estado que possam ser utilizadas, de forma igualitária e equitativa,

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo

FACIM Feira Internacional de Maputo FACIM Feira Internacional de Maputo 50ª Edição 25 a 31 de Agosto de 2014 1. Sobre a FACIM Feira Internacional de Maputo A FACIM é uma feira multisetorial com periodicidade anual, e constitui o maior evento

Leia mais

Missão Empresarial a Moçambique. O financiamento para as empresas em Moçambique

Missão Empresarial a Moçambique. O financiamento para as empresas em Moçambique Missão Empresarial a Moçambique O financiamento para as empresas em Moçambique Maio de 2013 Enquadramento Macroeconómico Financiamento Bancário: - Tipos de Crédito; - Riscos de Crédito Água: Tipos de negócio

Leia mais

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011 Energia Para Moçambique Análise do potencial do país no âmbito da geração de energias renováveis e revisão dos projectos de energia solar, eólica, hídrica, biomassa e biodiesel Apresentado por: Miquelina

Leia mais

Soluções de Financiamento para a Internacionalização

Soluções de Financiamento para a Internacionalização Soluções de Financiamento para a Internacionalização por João Real Pereira Internacionalização para Moçambique Oportunidades e Financiamento 15 de Março de 2012 Braga Sumário 1. O que é a SOFID? Estrutura

Leia mais

CB RICHARD ELLIS PORTUGAL

CB RICHARD ELLIS PORTUGAL CB RICHARD ELLIS PORTUGAL Apresentação da Empresa 2011 Índice Página 1. CB Richard Ellis 3 2. CB Richard Ellis no Mundo 4 3. CB Richard Ellis na Região EMEA 7 4. O Grupo CBRE Portugal 8 5. Prémios Internacionais

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 II GALA PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 PRAÇA DO COMÉRCIO LISBOA 2015 年 10 月 29 日, 里 斯 本 商 业 广 场, Pátio

Leia mais

Workshop Internacionalização - Angola e Moçambique. Moçambique: Caracterização do Mercado e Oportunidades de Negócio

Workshop Internacionalização - Angola e Moçambique. Moçambique: Caracterização do Mercado e Oportunidades de Negócio Workshop Internacionalização - Angola e Moçambique Moçambique: Caracterização do Mercado e Oportunidades de Negócio 6 de Março de 2012 1 Agenda Dados Demográficos dados Sociais dados Políticos dados Económicos

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP ENTRE: A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA (AIP-CCI), com sede na Praça das Indústrias em Lisboa, 1300-307 Lisboa,

Leia mais

Powered by. Desenvolvimento

Powered by. Desenvolvimento Desenvolvimento de Sistemas Sustentáveis 1 Urbancraft Energia, S.A. FDO INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, SGPS, S.A. ALEXANDRE BARBOSA BORGES, SGPS, S.A. 50% 50% A URBANCRAFT ENERGIA, S.A é uma sociedade

Leia mais

Introdução. A Indústria e Ambiente é a revista portuguesa líder de engenharia, gestão e economia ambiental.

Introdução. A Indústria e Ambiente é a revista portuguesa líder de engenharia, gestão e economia ambiental. Introdução A Indústria e é a revista portuguesa líder de engenharia, gestão e economia ambiental. Qualidade, fiabilidade e actualidade dos conteúdos, são características que lhe conferem um lugar de destaque

Leia mais

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar!

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar! GRUPO ROLEAR Porque há coisas que não podem parar! INOVAÇÃO COMO CHAVE DO SUCESSO Desde 1979, com sede no Algarve, a Rolear resulta da oportunidade identificada pelo espírito empreendedor do nosso fundador

Leia mais

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um Sr. Vice-Governador do BNA; Srs. Membros do Conselho de Administração do BNA; Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Sr Representante das Casas de Câmbios Srs. Directores e responsáveis

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2007-2009) 2ª Conferência Ministerial, 2006

Leia mais

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE

POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE POLÍTICA E ESTRATÉGIA DE HABITAÇÃO PARA MOÇAMBIQUE Apresentado por :Zefanias Chitsungo (Director Nacional de Habitação e Urbanismo) INTRODUÇÃO Moçambique tem mais de 20 milhões de habitantes; sendo que

Leia mais

1. (PT) - Diário Económico, 07/12/2012, Portuguesa Gesto Energy ganha planeamento energético de Angola 1

1. (PT) - Diário Económico, 07/12/2012, Portuguesa Gesto Energy ganha planeamento energético de Angola 1 Tema de Pesquisa: Internacional 07 de Dezembro de 2012 Revista de Imprensa 07-12-2012 1. (PT) - Diário Económico, 07/12/2012, Portuguesa Gesto Energy ganha planeamento energético de Angola 1 2. (PT) -

Leia mais

Audiência Parlamentar Internacional em Moçambique Maputo, 19 de Setembro de 2009 1. ELECTRIFICAÇÃO RURAL EM MOÇAMBIQUE Moçambique é rico em recursos energéticos, como é o caso da energia hidroeléctrica,

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial, cuja Atrair investimento

Leia mais

L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE

L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE L ATITUDE PEMBA O MAR NO HORIZONTE TANZÂNIA Mocimboa da Praia MALAWI Lichinga NIASSA CABO DELGADO NAMPULA Pemba Nacala TETE TETE ZAMBEZIA PEMBA MANICA SOFALA Quelimane CHIMOIO BEIRA para Hararre GAZA INHAMBANE

Leia mais

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA

DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA DECLARAÇÃO EMPRESARIAL DE LUANDA Por iniciativa da Confederação Empresarial da CPLP e das associações empresariais dos PALOP, realizou-se em Luanda, República de Angola, a 17 de Julho de 2014, o Fórum

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2013 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria. Luanda, 26.05.2014

Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria. Luanda, 26.05.2014 Workshop Financiamento às Infraestruturas, à Agricultura e Agro-indústria Luanda, 26.05.2014 Agenda 1. Cenário Internacional 2. Formas de apoio 3. Estratégia de atuação na África Depto. de Suporte a Operações

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012 A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Porto, 25 de Setembro de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial,

Leia mais

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS

PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E ENERGIAS RENOVÁVEIS Enquadramento Protocolo de Quioto Cimeira de Joanesburgo Directiva Renováveis Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável Programa E4 Nova Resolução do Conselho de Ministros INTERREG Programas Regionais

Leia mais

VISABEIRA GLOBAL > Telecomunicações Energia Tecnologia Construção. VISABEIRA INDÚSTRIA > Cerâmica e Cristal Cozinhas Recursos Naturais

VISABEIRA GLOBAL > Telecomunicações Energia Tecnologia Construção. VISABEIRA INDÚSTRIA > Cerâmica e Cristal Cozinhas Recursos Naturais 1 VISABEIRA GLOBAL > Telecomunicações Energia Tecnologia Construção VISABEIRA INDÚSTRIA > Cerâmica e Cristal Cozinhas Recursos Naturais VISABEIRA TURISMO > Hotelaria Entretenimento & Lazer Restauração

Leia mais

. Reação e Antecipação. Espírito de Equipa e Estabilidade. Consistência e Coerência das Prestações oferecidas

. Reação e Antecipação. Espírito de Equipa e Estabilidade. Consistência e Coerência das Prestações oferecidas 2 Apresentação JOÃO MATA, Angola - Corretores e Consultores de Seguros, é um novo projeto profissional que se afirma na atividade seguradora Angolana, associando a experiência e especialização da sua casa

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental I. Contexto Criada em 1996, a reúne atualmente oito Estados Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 1. A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS 1.1 - A situação dos mercados registou mudanças profundas a nível interno e externo. 1.2 - As variáveis dos negócios

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas Internacionalização e Promoção Externa Leça da Palmeira, 26 de Junho de 2008 A/C Direcção Comercial/Exportação

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

40 Anos de Internacionalização A Experiência de uma Empresa de Engenharia

40 Anos de Internacionalização A Experiência de uma Empresa de Engenharia A Experiência de uma Empresa de Engenharia Victor Carneiro Presidente da Comissão Executiva da COBA www.coba.pt Fundada em 1962, a COBA, S.A0 é hoje uma das maiores empresas de Consultores de Engenharia

Leia mais

Pequenas e médias empresas:

Pequenas e médias empresas: Pequenas e médias empresas: Promovendo ligações empresariais efectivas entre as grandes e as pequenas e médias empresas para o desenvolvimento de Moçambique Comunicação de Sua Excelência Armando Emílio

Leia mais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais

I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA. Cascais, 23 de junho de 2015. Declaração de Cascais I REUNIÃO DE MINISTROS DA ENERGIA DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Cascais, 23 de junho de 2015 Declaração de Cascais Os Ministros responsáveis pela Energia da Comunidade dos Países de Língua

Leia mais

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu.

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título Opções de financiamento para a CPLP não é meu. FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu. Poderia dar ideia que há opções de financiamento específicas para a CPLP em si mesma e para os Estados

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo

A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento. Participativo Cecília Branco Programa Urbal Red 9 Projecto Orçamento Participativo Reunião de Diadema Fevereiro 2007 A Participação Voluntária No Planeamento, Execução E Controlo Social Do Orçamento Participativo Município

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

Projetos Internacionais

Projetos Internacionais Projetos Internacionais Projetos Nacionais de Desenvolvimento Nacional de Água (I e II) - Banco Mundial (IDA) Cerca de 130 milhões USD (1998-2007) para a produção de água em zonas rurais e urbanas e para

Leia mais

Sociedade de capitais exclusivamente públicos, criada em Novembro de 2004 CAPITAL

Sociedade de capitais exclusivamente públicos, criada em Novembro de 2004 CAPITAL Reabilitação Urbana Sustentável o caso do Centro Histórico e da Baixa da cidade do Porto Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Porto, 13 de Julho de 2015 Porto Vivo, SRU Sociedade

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE

ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE ENQUADUADRAMENTO DO SECTOR IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE LANÇAMENTO DO LIVRO LEGISLAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO DE MOÇAMBIQUE MERCADO IMOBILIÁRIO MOÇAMBIQUE 2014 Nelson Rêgo Diretor Geral da Prime Yield MZ ÍNDICE

Leia mais

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda.

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. RELATÓRIO DE GESTÃO Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. 2012 ÍNDICE DESTAQUES... 3 MENSAGEM DO GERENTE... 4 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO... 5 Economia internacional... 5 Economia Nacional... 5

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Novembro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Pontos Fortes 03 1.2 Áreas de Oportunidade 03 2. Dificuldades 04 2.1 Pontos Fracos

Leia mais

Apoio à Internacionalização das Empresas

Apoio à Internacionalização das Empresas Apoio à Internacionalização das Empresas 26 de Novembro de 2009 Apoio à internacionalização das empresas Moçambique: Dados Gerais O Sector Financeiro em Moçambique O Grupo Caixa Geral de Depósitos Soluções

Leia mais

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS Projecto do PNUD financiado pela Cooperação Espanhola Ministério da Hotelaria e Turismo República de Angola Angola PROJECTO DESENVOLVENDO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO PNUD / CNUCED "GESTÃO DE PROJECTOS

Leia mais

A excelência ao serviço do cliente

A excelência ao serviço do cliente A ENGIMAGNE A excelência ao serviço do cliente A ENGIMAGNE é uma resposta de excelência para as necessidades de empresas, instituições e particulares em tecnologias e soluções de engenharia, energia e

Leia mais

Chave para Negócios. em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo

Chave para Negócios. em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo Case study SOFID: Chave para Negócios em Moçambique por Diogo Gomes de Araújo Business Roundtable: Moçambique Lisboa, 1 de Abril de 2011 1. O que é a SOFID? 2. O que oferece? 3. Onde actua? 4. Para quê?

Leia mais

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola

PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola PESGRU - Plano Estratégico para a Gestão de Resíduos Urbanos em Angola 1º CONGRESSO DOS ENGENHEIROS DE LÍNGUA PORTUGUESA 18 de Setembro de 2012 Agenda da apresentação do PESGRU I. Enquadramento do PESGRU

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. São Tomé e Príncipe Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. São Tomé e Príncipe Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar São Tomé e Príncipe Condições Legais de Acesso ao Mercado Abril 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 3 3. Quadro Legal 6 2

Leia mais

SETOR FINANCEIRO BRASIL MOÇAMBIQUE UM LONGO HISTORIAL DE EMPREENDEDORISMO

SETOR FINANCEIRO BRASIL MOÇAMBIQUE UM LONGO HISTORIAL DE EMPREENDEDORISMO SETOR FINANCEIRO 2014 SETOR FINANCEIRO BRASIL MOÇAMBIQUE UM LONGO HISTORIAL DE EMPREENDEDORISMO Tendo reestruturado recentemente o seu portefólio no setor financeiro, o Grupo Américo Amorim concentra

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 MISSÃO EMPRESARIAL ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 ANGOLA Com capital na cidade de Luanda, Angola é um país da costa ocidental de África, cujo território principal é limitado a norte

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA. CIP FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA UM NOVO PASSO Seminário 16 de abril de 2012 Intervenção do Presidente da CIP Bem vindos a este novo passo do projeto CIP - FAZER ACONTECER A REGENERAÇÃO URBANA.

Leia mais

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA

INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA 2 PROGRAMA INTERNACIONALIZAR EM PARCERIA A Mota-Engil Indústria e Inovação e a Caixa Capital celebraram um acordo para a concretização de um Programa, designado Internacionalizar

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Re-Search Angola Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Está a emergir em Angola uma classe média, com maior poder de compra e interesse em adquirir casa própria. Esta é uma

Leia mais

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E SEGURANÇA ALIMENTAR OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO AGRONEGÓCIO EM MOÇAMBIQUE ABRIL, 2015 Estrutura da Apresentação 2 I. Papel do CEPAGRI II. III. IV.

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Intervenção do Secretário Executivo da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Embaixador Murade Murargy

Intervenção do Secretário Executivo da. Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) Embaixador Murade Murargy Conferência 1º Fórum União de Exportadores CPLP CPLP: Comunidade de povos abrangente auto-sustentável Lisboa, 26 e 27 de junho de 2015 Sessão de Encerramento 27 de junho de 2015 Intervenção do Secretário

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 Colômbia Aspectos Gerais País muito jovem - 55% da população com menos de 30 anos. 7 Áreas Metropolitanas com

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais 24 de maio de 2012 Auditório ISEGI - UNL Patrocínio Principal Apoios Patrocinadores Globais APDSI A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Lisboa,

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014. Company of ENH, EP Group

Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014. Company of ENH, EP Group Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014 Company of ENH, EP Group Agenda 1 ENH Logistics 2 Áreas de Oportunidade 3 Reflexões sobre Conteúdo Local 2 ENH Logistics ENH Logistics

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

Contexto das PME s em Moçambique

Contexto das PME s em Moçambique MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO Conferência sobre Fontes Alternativas de Financiamento às Contexto das em Moçambique Por Claire Zimba, Director Geral Indy Village, 09:30Hrs, 21 de Maio de 2015, Cidade

Leia mais

associados do Mukhero

associados do Mukhero Oportunidades e Desafios do Comércio Externo em Moçambique Principais serviços do IPEME que contribuem formalização dos associados do Mukhero Por: Adriano Claire Zimba, Director Geral 27 de Maio de 2014

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS DIRECÇÃO NACIONAL DE PLANIFICAÇÃO E ORÇAMENTO ORÇAMENTO CIDADÃO 5ᵃ Edição ORÇAMENTO CIDADÃO 2016 Visão: Assegurar a participação do Cidadão em

Leia mais

INVESTIR EM PORTUGAL

INVESTIR EM PORTUGAL INVESTIR EM PORTUGAL 投 资 与 移 民 门 道 是 专 门 提 供 投 资 与 移 民 服 务 的 独 立 咨 询 机 构 我 们 的 多 学 科 团 队 精 心 研 究, 旨 在 为 客 户 提 供 最 佳 的 商 业 战 略 和 国 际 投 资 方 案 INVESTIMENTO E EMIGRAÇÃO A GATEWAY É UMA CONSULTORA INDEPENDENTE,

Leia mais

Portugal num mundo em mudança TROCA DE INFORMAÇÕES BANCÁRIAS, RESIDÊNCIA FISCAL E OUTROS TEMAS

Portugal num mundo em mudança TROCA DE INFORMAÇÕES BANCÁRIAS, RESIDÊNCIA FISCAL E OUTROS TEMAS Portugal num mundo em mudança TROCA DE INFORMAÇÕES BANCÁRIAS, RESIDÊNCIA FISCAL E OUTROS TEMAS Porquê Portugal? Portugal é um país dinâmico, seguro, com uma taxa de criminalidade baixa, trabalhadores altamente

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6.

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevistado: Embaixador Miguel Costa Mkaima Entrevistador:

Leia mais

Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social

Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social Mário de Jesus Economista Membro fundador do FRES Fórum de Reflexão Económica e Social Se tivermos em atenção os factos, comprovados pelos registos e estatísticas mais ou menos oficiais, de cariz económico,

Leia mais

SOBRE O INVESTE NORDESTE 2015

SOBRE O INVESTE NORDESTE 2015 SOBRE O INVESTE NORDESTE 2015 É o Expo-Fórum internacional totalmente dedicado a explorar as grandes oportunidades de investimentos, parcerias comerciais e trocas de tecnologias entre Brasil e Portugal.

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES.

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU NOS DOMÍNIOS DO EQUIPAMENTO, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Decreto n.º 28/98 de 12 de Agosto Protocolo de Cooperação entre a República Portuguesa e a República da Guiné-Bissau nos Domínios do Equipamento, Transportes e Comunicações, assinado em Bissau em 11 de

Leia mais

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE REPENSAR O TURISMO EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Num contexto de modernização e inovação constante, torna-se imperioso e urgente criar uma legislação turística em São Tomé e Príncipe, sendo este um instrumento

Leia mais

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA December 2011 Espírito Santo Investment Bank Somos: A unidade de Banca de Investimento do Grupo Banco Espírito Santo O Banco de Investimento de

Leia mais

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

Capítulo 15. Impactos Cumulativos

Capítulo 15. Impactos Cumulativos Capítulo 15 Impactos Cumulativos ÍNDICE 15 IMPACTOS CUMULATIVOS 15-1 15.1 INTRODUÇÃO 15-1 15.1.1 Limitações e Mitigação 15-1 15.1.2 Recursos e Receptores Potenciais 15-3 15.2 IMPACTO CUMULATIVO DA ZONA

Leia mais