Maison & Exportadores nacionais apresentam inovação e qualidade na Maison. VidaEconómica. Feiras profissionais. Colunex. Empresas.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Maison & Exportadores nacionais apresentam inovação e qualidade na Maison. VidaEconómica. Feiras profissionais. Colunex. Empresas."

Transcrição

1 Maison & Objet VidaEconómica ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DA VIDA ECONÓMICA Nº 1282, DE 30 DE Janeiro DE 2009, E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Exportadores nacionais apresentam inovação e qualidade na Maison & Objet de Paris Feiras profissionais são a via de acesso à internacionalização Colunex aposta na capacidade de diferenciação Empresas estão a responder aos concorrentes directos Feiras são o veículo mais importante de promoção Mais de 40 exportadores nacionais participaram na Maison & Objet e Meuble Paris Empresas portuguesas apostam no design de interiores A Maison & Objet e a Meuble Paris fizeram de Paris o centro europeu do design de interiores, atraindo mais de três mil expositores e mais de 100 mil visitantes. A indústria portuguesa teve uma presença activa nos dois certames com mais de 40 expositores e um elevado de visitantes profissionais. A Vida Económica organizou uma visita para um grupo de três dezenas de profissionais e um jantar-debate em Paris sobre a estratégia de divulgação dos produtos da fileira casa, onde participaram a directora do Centro da Aicep em Paris e a directora-geral da Promosalons. Esta iniciativa contou com o apoio do Banco Espírito Santo e da Promosalons Portugal. Para Maria Manuel Osório, directora da Promosalons Portugal, a Maison & Objet é um dos principais certames do calendário de salões profissionais franceses. A Maison & Objet e a Meuble Paris ocuparam a totalidade da área disponível do parque de exposições de Villepinte e do Bourget, ocupando m2. Os dois salões levam a Paris um número considerável de visitantes e expositores portugueses, contribuindo para que Portugal ocupe uma posição de destaque no ranking de países onde a Promosalons está presente. A Maison & Objet e a Meuble Paris suscitaram também a presença e participação de várias associações do sector. Além da presença de dirigentes e associados da Aimmp, da Apima, e da Associação Empresarial de Felgueiras, há a referir a visita de um grupo de associados da Associação Empresarial de Paços de Ferreira e de José Ribeiro, director-executivo daquela estrutura associativa.

2 2 sexta-feira, 30 Janeiro de 2009 Maison & Objet Madalena Silva, administradora da Sotubo Empresas devem crescer de forma sustentada O desafio que as empresas portuguesas têm pela frente é racionalizar os custos e dinamizar com quadros especializados considerou Madalena Silva, administradora da Sotubo. A empresa, especializada na fabricação de mobiliário, foi criada com 15 trabalhadores e actualmente emprega 80 pessoas. Ao longo da sua existência, a empresa cresceu de forma sustentada. Madalena Silva afirma que a empresa está devidamente apetrechada a nível técnico e é bem dirigida. Hoje, dizemos não à crise. Vamos continuar a caminhar com passos firmes. Estamos com projectos em Angola e acreditamos que o futuro será risonho disse Manuela Silva. Alberto Dias, administrador da Aldeco Dimensão do mercado interno é um incentivo à internacionalização A Aldeco, fabricante de tecidos de decoração, tem distribuidores em 12 países, e participou nos últimos certames do sector em Valência, Verona e agora em Paris, na Maison&Objet. A empresa já está presente em Hong-Kong. Viemos para a internacionalização porque pensamos que pelo menos éramos tão bons como os outros e porque acreditamos que temos extremo bom gosto disse Alberto Dias, administrador da empresa. Penso que podemos continuar acreditar que esta arrogância pode levar os portugueses a um lugar que podia ser uma desvantagem mas não é. De facto, temos um mercado muito pequeno e é isso que nos atira para a internacionalização e é aí que acredito que nós, portugueses, temos de encontrar o nosso lugar no mundo - acrescentou. Elsa Leite, directora da Fenabel Feiras são o veículo mais importante de promoção Não sabemos promover Portugal considera Elsa Leite, directora da Fenabel. Há uns anos atrás, algumas empresas que iam para feiras no estrangeiro chegavam a esconder que eram portuguesas. Para Elsa Leite, saber vender o nosso país é fundamental. Enquanto nós próprios não gostarmos do que temos, também não o conseguimos promover. No meu sector perco perante os italianos por causa da marca que eles têm e não por causa do nosso produto, porque temos um produto idêntico a preços competitivos. Contudo, não tem imagem e isso é fundamental para quem está no exterior afirmou. Preços no mercado global têm que ser competitivos Indústria das madeiras e mobiliário com os olhos postos nos mercados externos Como fazer face a um mercado pequeno e a uma crise financeira? A resposta pode estar na internacionalização. É o que tem feito o sector das madeiras, através de uma das suas associações, a Associação das Indústrias da Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP). O seu presidente, Fernando Rolin, numa entrevista que deu há pouco tempo à VE, não tem dúvidas sobre o assunto e diz-nos que esta é uma das grandes prioridades do sector. Quando temos, acrescenta, um mercado que é pequeno, só nos ocorre uma coisa: ir para o lado de lá das nossas fronteiras. Mas que fronteiras?, questiona a VE. Aqui, Fernando Rolin fala de um projecto de internacionalização para mercados não convencionais. E, como explica o presidente da AIMMP, por convencionais entende-se aqueles mercados como o britânico que, apesar de próximos, não eram, até agora, uma opção. A este aqui tudo se consome quando se fala de produtos de madeira, destaca Fernando Rolin -, a associação das madeiras e mobiliário acrescenta ainda os Estados Unidos, os PA- LOP como Angola, Moçambique, Cabo Verde, bem como o Médio Oriente e ainda o Norte de África. E Fernando Rolin lembra, por exemplo, países como a Tunísia, a Líbia ou o nosso vizinho Marrocos. As empresas, essas, parecem estar receptivas a esta vontade de ir além fronteiras. Pelo menos, é isso que nos diz Fernando Rolin ao dar conta que o projecto de internacionalização para este ano ficou aquém da demanda. Mas é caso para dizer que os industriais da madeira, os seus dirigentes associativos não vão ficar por aqui. É que a um plano de internacionalização do sector junta-se um outro, agora, mais ligado à produção. As palavras de Fernando Rolin são esclarecedoras: Temos um projecto de base estruturado, dotado de um conjunto de acções na área da inovação, do design, da produção. Tudo isto para que as empresas, com base em consultoria especializada, se preparem com Reino Unido surge como uma prioridade em termos de vendas solidez para voos mais altos, lá está, como os da internacionalização. AIMMP apela à união de esforços entre associações Há associações a mais no país, diz Fernando Rolin. Uma queixa de outros dirigentes associativos e que este responsável gostaria de ver resolvida, através da união de esforços. Não fazemos outra coisa que propor aos nossos pares do sector a formação de uma federação, revela. As respostas, essas, não são concludentes, com Fernando Rolin a afirmar que cada um gosta de prosseguir o seu caminho isolado. As razões? O presidente da AIMMP fala das questões ligadas aos protagonismo, aos interesses instalados. SANDRA RIBEIRO Fora do país, a Fenabel apresenta-se com outro tipo de Stand e de decoração porque assim é exigido também pelos outros expositores e pela própria organização. Os problemas que surgem no exterior são a dificuldade que as empresas têm com a tesouraria e a área financeira, porque têm de vender a preços muito competitivos pelo mercado global. E esses preços competitivos fazem com que tenhamos de olhar no dia-a-dia para os nossos custos e estes são desde a mão-deobra à matéria-prima mas também uma componente quase maioritária com o marketing e a promoção e a publicidade comentou Elsa Leite. No caso concreto da Fenabel, as feiras têm sido o veículo mais importante para elevar a empresa ao nível que tem atingido. Para Elsa Leite, o esforço é enorme para as empresas. A nossa marca, Portugal, é divulgada pelo futebol mas quando viajamos para fora da Europa é muito pouco conhecida. Precisamos de dizer ao mundo que trabalhamos bem e quem somos disse a directora da Fenabel. Vista Alegre expõe na Maison & Objet O grupo Vista Alegre, com sede em Ílhavo e que detém quatro unidades industriais, produzindo anualmente cerca de 15 milhões de peças de porcelana, esteve presente na edição 2009 da Maison & Objet, que decorreu entre 23 e 27 de Janeiro no Parc d Expositions de Paris-Nord Villepinte (França). A Vista Alegre, recorde-se, possui 43 lojas espalhadas pelo país, 41 em Espanha, uma em Luanda (Angola), uma em Maputo (Moçambique) e uma em S. Paulo (Brasil), exportando os seus produtos para mais de 20 países em todo o Mundo. Fundado em 1824 por José Ferreira Pinto Basto, o grupo Vista Alegre fundiu-se com o grupo Atlantis para formar a Vista Alegre Atlantis. O core business da empresa incide sob a produção de peças em porcelana e cristal e é organizado em diversas áreas de negócio como porcelana de mesa, decorativa e de hotel. De acordo com a empresa, a marca Vista Alegre comunica o melhor de Portugal, o saber fazer europeu e a qualidade que assegura a Vista Alegre como o maior grupo Ibérico de Tableware e Giftware e um dos maiores da Europa. Os serviços Vista Alegre são, aliás, usados oficialmente na Casa Branca e por muitas famílias e personalidades institucionais de todo mundo, como a Rainha Isabel II de Inglaterra e o Rei Juan Carlos de Espanha. As peças Vista Alegre estão também nas vitrinas de museus tão famosos como o Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque ou nos leilões VIP Christies, à semelhança dos bens de Marlon Brando. Phillipe Starck escolheu também o serviço de hotel para o seu último restaurante Madrid. A política da empresa passa ainda por convidar artistas internacionais para desafiar o design da casa e importar referências culturais dos seus países de origem. Este ano, na Maison et Objet que terminou esta semana, a empresa foi eleita para fazer parte do salão Now, facto resultante da apresentação dos projectos considerados inovadores, concebidos com elevados padrões de qualidade por designers reconhecidos.

3

4 4 sexta-feira, 30 Janeiro de 2009 Maison & Objet Vida Económica debateu estratégias de internacionalização em Paris com exportadores e o centro da Aicep Teresa Moura, directora do centro da Aicep, afirma Empresas portuguesas estão a apresentar produtos mais inovadores e de maior qualidade A Maison & Objet e a Meuble Paris são feiras muito exigentes, em termos de qualidade, de criatividade, de inovação, e de posicionamento afirmou Teresa Moura, directora do Centro da Aicep em Paris, no jantar-debate organizado na capital francesa pela Vida Económica. Esta iniciativa, que contou com o apoio do Banco Espírito Santo e da Promosalons Portugal, reuniu mais de 50 profissionais do sector, incluindo visitantes e expositores, além da equipa do Centro da Aicep em Paris. estar presente na feira já representa ter ganho um conjunto de desafios referiu Teresa Só o Moura. Num contexto de clara adversidade em termos de conjuntura económica internacional, é particularmente corajoso vir a esta feira. São aqui feitos negócios com parceiros de todas as regiões salientou. A directora do Centro da Aicep em Paris recordou que o mercado francês está em contracção. Na economia francesa o sector dos serviços é extremamente importante. No plano A qualidade do design português é reconhecida e tem prestígio afirma Teresa Moura. do sector automóvel, ferroviário, aeroespacial, nuclear. São sectores em que é difícil o ajustamento em períodos de contracção. Do lado do mercado francês, os seus industriais, em conjunto com o governo e com as câmaras de comércio, estão a tomar as medidas que pensam mais apropriadas para poder ultrapassar esta fase. Temos mais de 43 expositores portugueses na Maison & Objet e na Meuble Paris, alguns deles ocupando áreas muito significativas. Temos por outro lado, uma grande fidelização. Vemos também empresas novas que estavam em lista de espera e que fizeram um grande esforço e que a Aicep orgulha-se em ter podido ajudar junto das autoridades competentes para conseguir que estivessem presentes disse Teresa Moura. Consumidores cada vez mais exigentes Neste momento, o grande desafio é saber estar e continuar porque a tendência natural é ceder ao desejo de facturação imediata e tentar ir pela via de esmagar preços e de diminuir na exigência disse a directora do Centro da Aicep em Paris. As crises são cíclicas e o que ficará é um consumidor que é cada vez mais exigente em termos de qualidade, de segurança, inovação e criatividade. Os fabricantes portugueses nas várias áreas que estão presentes na Maison & Objet apresentaram produtos com marca e estão a escolher o seu caminho no sentido do topo porque esse é que nós dá imunidade em relação as crises. A resposta tem de ser a de aumentarmos o ritmo na caminhada, no sentido da exigência para apresentarmos produtos mais inovadores e de maior qualidade. Somos todos parceiros no sentido de enquadrar e apoiar esta caminhada que Portugal encetou já há uns anos com sucesso e que não podemos deixar que a crise nos distraia afirmou Teresa Moura. Leva muito tempo a conquistar uma boa imagem e a consolidar uma marca, mas, se permitirmos períodos mesmo que curtos, de descontinuidade, é como se deitássemos o trabalho todo fora. Isso traria consequências muito graves e não é esse o caminho disse a directora do Centro da Aicep em Paris. Há algumas marcas que não são portuguesas e que resultam de colaborações com designers portugueses e marcas italianas. A qualidade do design português é reconhecida e tem muito prestígio e isso é algo que temos de continuar apoiar e a estimular concluiu Teresa Moura.

5 Maison & Objet sexta-feira, 30 Janeiro de Hugo Vieira, director da Apima Empresas portuguesas estão a responder aos concorrentes directos Temos uma presença de mais de 40 empresas numa das principais feiras a nível internacional, que marcam um estatuto de excelência e de qualidade do que é o produto português afirmou Hugo Vieira, director da Apima, no jantar debate organizado pela Vida Económica com o apoio do BES e da Promosalons Portugal. As empresas portuguesas souberam numa década dar uma Para Hugo Vieira, a internacionalização faz resposta capaz aos seus parte do vocabulário das empresas portuguesas. concorrentes directos -, acrescentou. Para Hugo Vieira, a crise sustenta-se numa falta de confiança. Tendo confiança na capacidade de ultrapassar os desafios, é necessário trabalhar mais do que trabalhamos até agora, e dar continuidade ao que este sector tem sido capaz de fazer - afirmou. Conforme referiu, Portugal é um país de comerciantes, é um país em que a internacionalização acaba por fazer parte vocabulário das empresas. A forte presença de exportadores portugueses, no início do ano neste certame que abre efectivamente a época dos certames internacionais revela uma atitude positiva por parte da indústria. Claude Dimont-Mellac, directora-geral da Promosalons, afirma Feiras profissionais são a via de acesso à internacionalização A Promosalons vai aprofundar a especialização dos seus serviços dirigidos aos expositores e visitantes estrangeiros disse Claude Dimont-Mellac, directora geral da Promosalons, no jantar debate organizado pela Vida Económica. A gestora francesa salientou o papel insubstituível das grandes feiras internacionais como ponto de encontro entre a oferta e a procura e fonte de informação sobre as tendências dos diferentes sectores de actividade e a evolução dos mercados. Claude Dimont-Mellac dirige uma rede de escritórios presente em 65 países, nos cinco continentes, que presta todos os serviços de apoio aos expositores e visitantes estrangeiros dos salões franceses. Para a directora-geral da Promosalons, existe um grande espaço para a inovação em termos dos contactos que se estabelecem e na informação que é possível obter nos salões. Claude Dimont-Mellac dirige a actividade da Promosalons em 65 países. Em paralelo com as visitas de profissionais que a Vida Económica tem vindo a organizar, Claude Dimont-Mellac apontou a elaboração de uma agenda com as principais áreas de interesse dos visitantes, possibilitando o agendamento de reuniões temáticas com os responsáveis das empresas expositoras. Ao nível dos salões franceses, Portugal continua a ter uma expressão superior à da sua dimensão relativa. No passado recente esteve em 10.º lugar no ranking da Promosalons, reflectindo o dinamismo das empresas portuguesas na procura de novos produtos e de novos mercados. A directora-geral da Promosalons salientou que a Maison&Objet e a Meubles Paris são certames particularmente bem sucedidos, trazendo a Paris inúmeras missões de visitantes estrangeiros vindos de mercados tão diversos como o Brasil, China, Japão ou Argentina entre os mais de 60 países onde a Promosalons está presente e desenvolve a sua actividade de apoio aos visitantes e expositores. Eugénio Santos, administrador da Colunex Apostar na capacidade de diferenciação A Colunex esteve pelo segundo ano em Paris, dando sequência ao trabalho iniciado no mercado externo, num sector associado à presença de fabricantes nórdicos. Uma das mensagens que tentamos passar para o mercado, num ano em que tivemos presentes em Paris, Milão, Madrid e no Dubai, é fazer algo diferente face à oferta que existe explicou Eugénio Santos no jantar debate da Vida Económica. Somos uma PME de um país pequeno que não tem grandes aspirações de futuro e por isso tentamos fazer do pouco muito acrescentou. O sucesso não é algo que se consiga de um dia para o outro, sendo necessário andar muitos anos até que haja algum retorno. Eugénio Santos lamentou que em Portugal se invista pouco em formação, equipamentos e tecnologia. As empresas estavam habituadas ao fim de três anos a terem retorno. Seria interessante chegarmos no próximo ano e sentirmos ainda mais orgulho nos stands portugueses, ou seja, ver mais diferenciação de stand para stand. Isso significa que, em lugar de se estar a olhar para as empresas concorrentes para se fazer igual, devemos investir em novas tendências. Temos bons designers, boas empresas, bons empresários mas não os melhores do mundo. Porque a nós basta que sejamos suficientemente bons para estarmos nas equipas que estão a vencer afirmou o administrador da Colunex. Hoje em dia as empresas precisam de dinheiro para crescer e de capacidade de investimento. O que precisamos é de não fazer nas empresas vida de rico. Somos tão bons como os outros mas não somos os melhores - acrescentou. Miguel Ferreira, director do Banco Espírito Santo, afirma Internacionalização permite diversificar os riscos As empresas que se estão a internacionalizar têm necessidades diferentes das restantes empresas afirma Miguel Ferreira. Acreditamos que mesmo nestes períodos de crise os nossos empresários conseguem ultrapassar as dificuldades desde que tenham a capacidade de inovar, internacionalizar ou investir. São os três objectivos mágicos nesta altura. afirmou Miguel Ferreira, director do Centro de Empresas do BES de Guimarães, no jantar-debate promovido pela Vida Económica em Paris, durante a Maison&Objet e Meuble Paris. É importante que as empresas sejam capazes de inovar, de ter produtos diferenciados e competitivos. Para Miguel Ferreira, a internacionalização permite desde logo diversificar riscos num período de crise como o actual e identificar mercados com taxas de crescimento que são superiores aos mercados tradicionais das exportações portugueses. Achamos que este é um caminho que as empresas portuguesas têm de fazer, procurando zonas geográficas onde a atractividade seja maior e onde existam oportunidades - referiu. As oportunidades existem desde que as empresas sejam capazes de produzir a preços competitivos um produto em que nalguma geografia haja necessidade. São essas oportunidades que todos temos de saber explorar salientou. O BES criou recentemente uma unidade internacional no âmbito do departamento Corporate, composta por gestores com experiência na área de empresas, e do comércio internacional. O apoio do Banco Espírito Santo a estes eventos visa, por um lado, fomentar os processos de internacionalização das empresas portuguesas e, por outro lado, corresponder às suas expectativas, adequando a nossa oferta e a forma de trabalhar aquelas que são as necessidades das empresas que se estão a internacionalizar e que sabemos que são diferentes das restantes empresas disse Miguel Ferreira.

6 6 sexta-feira, 30 Janeiro de 2009 MAISON & OBJET Associações promovem criatividade e inovação no mobiliário AIMMP promove marca Associative Design MOBILIÁRIO PORTUGUÊS RECONHECIDO NO MERCADO BRITÂNICO A AIMMP Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal lançou na última edição da Interiors Birmingham, certame recentemente realizado em Inglaterra, a Associative Design que, segundo afirma num comunicado, já está a marcar pontos nos mercados internacionais. Durante os quatro dias que durou a feira de decoração de Birmingham de 18 a 21 de Janeiro, a AIMMP apresentou ao mercado a Associative Design, cuja missão é fomentar uma rede de cooperação entre as empresas da Fileira Casa portuguesa, promovendo a qualidade e o design dos seus produtos, daí apresentar-se com a assinatura The Best of Portugal. Na prática, a marca focaliza-se na organização de stands colectivos que primam pela decoração produtos de diferentes empresas são conjugados por arquitectos e decoradores, dando forma a interiores capazes de atrair os consumidores para a oferta portuguesa. Feira rendeu 100 mil euros e veio compensar a quota de mercado perdida recentemente em Espanha Objectiva-se, assim, reposicionar internacionalmente esta fileira. No certame, presentes nesta casa-decoração estiveram as empresas de mobiliário ADC, JetClass e Haut de Gamme esta última expondo as marcas Colonial Casa e Francesco Rossi, que deixaram em Inglaterra os móveis que levaram para apresentar as suas colecções. Satisfeitos e surpreendidos era, pois, como se mostravam no regresso a Portugal. Em tempo de crise, não nos podemos queixar. Fizemos uma série de contactos, vendemos todos os produtos que tínhamos no stand e ainda tivemos encomendas para o Dubai, conta Fernando Moreira, da JetClass, para quem a feira rendeu 100 mil euros e veio compensar a quota de mercado perdida recentemente em Espanha. Também Américo Campos, da ADC, e Fernando Lourenço, da Haut de Gamme, deixaram a sua oferta em Inglaterra, mostrando muita satisfação pelos contactos estabelecidos e pela recuperação de margens de crescimento nas vendas. A Associative Design contou ainda com a Jamor Móveis, Ambitat, Castro & Filhos, Anaric, Designerspad e Carisma, para além do patrocínio da JCA Electrodomésticos e da Delta Cafés. Todas as associações ligadas ao sector do mobiliário participam na organização de um concurso de design. O Design Export Home tem como objectivo reconhecer a importância do design em Portugal, pelo que alia designers/empresas das áreas do mobiliário, da iluminação e da têxtil. O que está em causa é promover a criatividade e a inovação nestes sectores de actividade. Podem concorrer todas as empresas portuguesas presentes na feira Export Home, que decorre na Exponor de 3 a 7 de Março, sem limite de inscrições, mas das quais serão pré-seleccionadas 30 empresas para o evento de design. Assim, os interessados deverão contactar a AEP, identificando o segmento de mercado a que a peça a concurso se destina. Importa notar que as peças a concurso deverão fazer parte de uma linha de comercialização, terem um ou mais designers como colaboradores, factos a que o júri deverá ter acesso para comprovação. O júri deliberará por maioria de votos. Os principais critérios a ter em conta são a adaptabilidade das propostas aos objectivos, a inovação e a originalidade. Empresas aderem à campanha Capital do móvel em movimento A campanha Capital do móvel em movimento está a superar as expectativas dos seus promotores. A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) tem já inscritas 142 viaturas de transporte de mercadorias, a maioria das quais do sector do mobiliário. Estes veículos vão circular com o logótipo da Capital do Móvel. O projecto resulta de uma parceria entre a associação e a autarquia local, destinando-se à colocação de publicidade da marca da região nas viaturas comerciais pertencentes sobretudo a empresas com sede em Paços de Ferreira. Se os empresários decorarem as suas viaturas com o logótipo e este ocupar pelo menos 75% da área disponível nas laterais do veículo, a associação financia até 100% o valor total. Alguns veículos TIR estão a circular nas estradas estrangeiras com a decoração em causa. O objectivo desta campanha é que todas as viaturas comerciais da região possam ostentar aquela imagem de marca, reforçando a respectiva presença visual junto dos consumidores.

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Assim, a dívida externa bruta é hoje já superior a 200% do PIB!

Assim, a dívida externa bruta é hoje já superior a 200% do PIB! INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NO SEMINÁRIO «COMO EXPORTAR NO CENÁRIO GLOBAL» NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA MARIA

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

Calçado português reforça aposta no mercado alemão

Calçado português reforça aposta no mercado alemão Calçado português reforça aposta no mercado alemão O mercado alemão é uma prioridade estratégica para a indústria portuguesa de calçado. Por esse motivo, a presença nacional na GDS, o grande evento do

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org

1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA. JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org 1º FÓRUM UNIÃO DE EXPORTADORES CPLP 26 E 27 DE JUNHO DE 2015 CENTRO DE CONGRESSOS DE LISBOA JUNTOS IREMOS LONGE www.uecplp.org CONCEITO Realização do 1º Fórum União de Exportadores CPLP (UE-CPLP) que integra:

Leia mais

PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015

PLANO DE FEIRAS E MISSÕES EMPRESARIAIS 2015 2015 1. INTRODUÇÃO O acesso a novos mercados e o aumento da base económica de exportação são determinantes para o reforço da competitividade do tecido empresarial dos Açores. Atividades de apoio às empresas

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização

A AICEP e os Apoios à Internacionalização A AICEP e os Apoios à Internacionalização Guimarães, 12 de junho de 2015 Índice 1. Enquadramento / Desafios 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

FIL 2015. promova o seu negócio! 22A25DEOUT LUANDA ANGOLA. projectar o futuro, construindo o presente

FIL 2015. promova o seu negócio! 22A25DEOUT LUANDA ANGOLA. projectar o futuro, construindo o presente 22A25DEOUT Feira Internacional de Equipamentos e Materiais para a Construção Civil, Obras Públicas, Urbanismo e Arquitectura projectar o futuro, construindo o presente FIL 2015 LUANDA ANGOLA promova o

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

RESULTADOS ANUAIS 2011

RESULTADOS ANUAIS 2011 RESULTADOS ANUAIS 2011 15 de Fevereiro de 2011 VAA - Vista Alegre Atlantis, SGPS, SA sociedade aberta com sede no Lugar da Vista Alegre em Ílhavo, com o número de contribuinte 500 978 654, matriculada

Leia mais

História. Realização da Primeira Feira Industrial. Criação da Primeira Escola de Ensino Técnico Profissional. Publicação do Jornal da Associação

História. Realização da Primeira Feira Industrial. Criação da Primeira Escola de Ensino Técnico Profissional. Publicação do Jornal da Associação História 1849 1852 1852 1854 1856 Fundação 3 de Maio, por Decreto Régio da Rainha D. Maria II Criação da Primeira Escola de Ensino Técnico Profissional Publicação do Jornal da Associação Apoio na Criação

Leia mais

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal

75% 15 a 18 de Maio 2015 Praça da Independência - Maputo Moçambique Pavilhão de Portugal aposta no Sistema Educativo Formação e Criação de Novas Infra-Estruturas UMA OPORTUNIDADE PARA O SEU SECTOR CO-FINANCIADO 75% 1ª PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA DA FILEIRA DA EDUCAÇÃO AIP - Feiras, Congressos

Leia mais

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas Internacionalização e Promoção Externa Leça da Palmeira, 26 de Junho de 2008 A/C Direcção Comercial/Exportação

Leia mais

O Mobiliário em Portugal e o Elo de Ligação à Europa. 01 Julho 2010, Brasília. Jorge da Silva Brito Consultor Especialista da UE.

O Mobiliário em Portugal e o Elo de Ligação à Europa. 01 Julho 2010, Brasília. Jorge da Silva Brito Consultor Especialista da UE. O Mobiliário em Portugal e o Elo de Ligação à Europa 01 Julho 2010, Brasília Jorge da Silva Brito Consultor Especialista da UE Sumário 1.INDÚSTRIA DE MOBILIÁRIO NA PENÍNSULA IBÉRICA 2.EXEMPLO DE 3 EMPRESAS

Leia mais

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa

Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa QUIDGEST Q-DAY: INOVAÇÃO CONTRA A CRISE Inovação e Inteligência Competitiva: Desafios para as Empresas e para a Economia Portuguesa André Magrinho TAGUSPARK: 09 de Setembro 2009 SUMÁRIO 1. Globalização

Leia mais

Portugal é 4 0. na criação de empresas na

Portugal é 4 0. na criação de empresas na Portugal é 4 0. na criação de empresas na Europa, mas está também no topo do 'ranking' dos países em que as empresas têm maior taxa de mortalidade, soube-se no "VIII Encontro PT Negócios/Diário Económico",

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Sector da Construção Brasil 21 a 25 de Outubro de 2013 Enquadramento Com uma extensão territorial de aproximadamente 8,5 milhões km 2, vastos recursos

Leia mais

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov.

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. 19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. Stop-over Ilha de Santiago Cidade da Praia 16-17 de Nov. Proj. Conjunto Internacionalização PT2020

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial, cuja Atrair investimento

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012 A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Porto, 25 de Setembro de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial,

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Outras conclusões: Recrutamento na área de Marketing Digital registou crescimento de 15%. Área de E- commerce cresceu 6% Remuneração dos profissionais

Leia mais

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 08 Abril 2015 Há quase três décadas que Portugal recebe fundos europeus, mas o próximo quadro comunitário de apoio está a merecer uma

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M.

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Blend Point é uma empresa que engloba algumas marcas das quais, para este projecto, se destacam a CorkWay Store e a Gods From

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro semestre de 20, foi a subida das taxas do

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议

PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 II GALA PARCERIA DE FUTURO 2015 年 第 二 届 中 国 葡 萄 牙 庆 典 未 来 的 合 作 关 系 COM FÓRUM EMPRESARIAL E CONFERÊNCIA DE NEGÓCIOS 含 商 务 论 坛 及 商 业 贸 易 会 议 PRAÇA DO COMÉRCIO LISBOA 2015 年 10 月 29 日, 里 斯 本 商 业 广 场, Pátio

Leia mais

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira

XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011. Diogo Gaspar Ferreira XXXVII Congresso Nacional APAVT - Turismo: Prioridade Nacional Viseu, 01 a 04 de Dezembro de 2011 Diogo Gaspar Ferreira 1. PONTOS FRACOS E FORTES DO TURISMO RESIDENCIAL PORTUGUÊS 2. PLANO ESTRATÉGICO A

Leia mais

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise?

Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? Na minha opinião como estão as empresas a atravessar a crise? O sector empresarial sente a crise como está a sentir a restante sociedade. A elevada taxa de desemprego de 12,3% traduz bem o drama social

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro

Lusoflora 2015. Crédito Agrícola. Santarém, 27 de Fevereiro Lusoflora 2015 Crédito Agrícola Santarém, 27 de Fevereiro Agenda 1. Quem somos 2. Proposta Valor 3. Soluções Crédito Agrícola para EMPRESAS/ ENI 4. CA Seguros 2 Quem somos O Grupo Crédito Agrícola é um

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO 4 de Agosto de 2011 MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO Apresentar um novo modelo de organização de serviços e organismos do Estado vocacionados para: - Promoção e captação de investimento estrangeiro; - Internacionalização

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

Sessão de Apresentação. Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011

Sessão de Apresentação. Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011 Sessão de Apresentação Barcelos On Road 2010 Barcelos On Road 2011 Apoio ACIB: - Preparação das visitas, através da realização de sessões de trabalho com a equipa de consultores; - Organização das viagens,

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

INDÚSTRIA NACIONAL MOTOR DA MUDANÇA

INDÚSTRIA NACIONAL MOTOR DA MUDANÇA INDÚSTRIA NACIONAL MOTOR DA MUDANÇA no World Trade Center Viana 10 13 DEZEMBRO 2015 10 A 13 DEZEMBRO WORLD TRADE CENTER 10 A 13 DEZEMBRO WORLD TRADE CENTER DE VIANA A grande Exposição Nacional dedicada

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

Data: 2 Fevereiro 2012

Data: 2 Fevereiro 2012 Data: 2 Fevereiro 2012 Assunto: Agrocluster Página: 18 e 19 Assunto: Agrocluster recebe selo Bronze Página: 23 Data: 2 Fevereiro 2012 Data: 1 Março 2012 Assunto: Agrocluster e Inovcluster articulam projetos

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Março 2012 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia em

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO

Look back to move forward. Marco Teixeira CEO Marco Teixeira, arquitecto qualificado com vasta experiência na área, desenvolveu as suas competências em algumas das mais conceituadas empresas, estabelecendo contactos com uma vasta lista de clientes,

Leia mais

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA Empresas INOVAÇÃO PRODUTOS DIMENSÃO MERCADO PRODUÇÃO MARKETING GESTÃO LIDERANÇA FINANCIAMENTO RH COMPETÊNCIAS Empreendedorismo VISÃO ESTRUTURADA

Leia mais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais

Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais 24 de maio de 2012 Auditório ISEGI - UNL Patrocínio Principal Apoios Patrocinadores Globais APDSI A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Lisboa,

Leia mais

PROGRAMA STEP BY STEP

PROGRAMA STEP BY STEP PROGRAMA STEP BY STEP A Nossa Dica para um Processo de Internacionalização com Sucesso Antes de decidir exportar ou internacionalizar conheça primeiro o mercado. Todos sabemos que hoje o desígnio nacional

Leia mais

26 e 27 SET 2013 EXPONOR

26 e 27 SET 2013 EXPONOR 26 e 27 SET 2013 EXPONOR O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: O NOSSO FÓRUM E EXPOSIÇÃO SUSTENTA-SE EM TRÊS PILARES: Uma marca.

Leia mais

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto

Certificar para Ganhar o Futuro. Orador: Carla Pinto Certificar para Ganhar o Futuro Agenda APCER Quem Somos? Porquê Certificar para Ganhar o Futuro? Região da Beira Baixa como Mercado com Potencial Acções Previstas Quem Somos Início de actividade em 1996;

Leia mais

FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde

FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde FIC - Feira Internacional de Cabo Verde Cabo Verde 19 a 22 de Novembro de 2009 Enquadramento A aicep Portugal Global, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional, propõe-se dinamizar a presença

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA

MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA 03 A 06 DE NOVEMBRO DE 2008 RELATÓRIO FINAL MISSÃO EMPRESARIAL À TUNÍSIA 03 A 06 DE NOVEMBRO DE 2008 1. Introdução À semelhança de iniciativas anteriores, a Nersant organizou

Leia mais

MISSÃO PORTUGAL BRANDS LIDERAR O MAIOR MOVIMENTO DE PROMOÇÃO DE MARCAS PORTUGUESAS NO MUNDO.

MISSÃO PORTUGAL BRANDS LIDERAR O MAIOR MOVIMENTO DE PROMOÇÃO DE MARCAS PORTUGUESAS NO MUNDO. MISSÃO PORTUGAL BRANDS LIDERAR O MAIOR MOVIMENTO DE PROMOÇÃO DE MARCAS PORTUGUESAS NO MUNDO. SERVIÇOS PORTUGAL BRANDS DESIGN EVENTS PORTUGALBRANDS.COM OFICINA DA MARCA SPEED MEETING YEAR BOOK VIP VERY

Leia mais

República de Moçambique

República de Moçambique República de Moçambique Nota Conceitual da FIEI 2013 Ponto de negócio e oportunidade de investimento Maputo Contexto Quadro orientador O Programa Quinquenal do Governo (PQG) prevê no âmbito do Vector Económico

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer por uma competitiva

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR Prioridades Estratégicas Indústria Portuguesa Agro-Alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares XI LEGISLATURA 2009-2013 XVIII

Leia mais

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho Visita a Portugal do importador Exclusivos Camacho Sector Cerâmica e Faiança Decorativas Espanha 14 a 16 de Janeiro de 2014 Enquadramento : Como consequência da nova situação económica em Espanha, os últimos

Leia mais

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012

Como participar em Feiras Internacionais. 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais 19 de Junho de 2012 Como participar em Feiras Internacionais A - Tipologias de Feiras B -Vantagens de Participar numa Feira C - Principais fases envolvidas nas

Leia mais

50 the International Paris Air Show

50 the International Paris Air Show Cluster Aeroespacial Nacional Pavilhão de Portugal 50 the International Paris Air Show Paris - Le Bourget 17 a 23 de Junho de 2013 www.salon-du-bourget.fr ENQUADRAMENTO e OBJECTIVO Na continuidade das

Leia mais

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio.

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio. Missão Empresarial Moçambique 28 agosto 3 setembro 2014 Moçambique: porta de entrada na África Austral Moçambique é hoje um mercado em expansão com mais de 24 milhões de consumidores, que tem vindo a registar

Leia mais

CNAI 10 4ª Conferência Nacional de Avaliação de Impactes. O Processo de AIA e os Serviços de Consultoria. Pedro Bettencourt Coutinho

CNAI 10 4ª Conferência Nacional de Avaliação de Impactes. O Processo de AIA e os Serviços de Consultoria. Pedro Bettencourt Coutinho O Processo de AIA e os Serviços de Consultoria Pedro Bettencourt Coutinho Associação Portuguesa de Projectistas e Consultores ÍNDICE 1. Avaliação Ambiental: o papel dos consultores 2. O estado actual e

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

CONCLUSÕES. No dia 16 de Novembro de 2007 na parte da manhã, decorreu na APA Agência Portuguesa do Ambiente, em

CONCLUSÕES. No dia 16 de Novembro de 2007 na parte da manhã, decorreu na APA Agência Portuguesa do Ambiente, em CONCLUSÕES Workshop O Sector Empresarial do Ambiente Oportunidades de Internacionalização No dia 16 de Novembro de 2007 na parte da manhã, decorreu na APA Agência Portuguesa do Ambiente, em Lisboa, o Workshop

Leia mais

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020

Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 Plano Estratégico para a Fileira da Construção 2014-2020 1. A EVOLUÇÃO DOS MERCADOS 1.1 - A situação dos mercados registou mudanças profundas a nível interno e externo. 1.2 - As variáveis dos negócios

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA MOÇAMBIQUE ARGÉLIA TUNÍSIA ÁSIA AMÉRICA CHINA PERU EQUADOR CUBA ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 3 CUSTOS: MOÇAMBIQUE

Leia mais

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS Exmo. Senhor Presidente do Grupo Caixa Geral de Depósitos, Engº Fernando Faria de Oliveira Exmo. Senhor Presidente do IAPMEI e da InovCapital, Dr. Luís Filipe

Leia mais

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa

ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS. AEP - Associação Empresarial de Portugal. Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa ALIMENTAÇÃO & BEBIDAS AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas - Internacionalização e Promoção Externa FEIRA GULFOOD & HOTEL EQUIPMENT DUBAI E.A.U 21 A 24 DE FEVEREIRO

Leia mais

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 Caixa acelera expansão em Angola Controlo da parceria com Totta será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 BANCA CGD antecipa controlo do Caixa Totta e acelera expansão em Angola

Leia mais

Associativismo e cooperativismo na Andaluzia e Múrcia - Caso de estudo. 05 de Fevereiro de 2013

Associativismo e cooperativismo na Andaluzia e Múrcia - Caso de estudo. 05 de Fevereiro de 2013 1 Associativismo e cooperativismo na Andaluzia e Múrcia - Caso de estudo Razões da escolha 2 Proximidade cultural e geográfica; Andaluzia: região com maior nº de cooperativas e representando o maior volume

Leia mais

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A.

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A. 1 Reunir várias entidades do sector óptico nacional e discutir o futuro do sector bem como os temas cruciais para os empresários e intervenientes da área foram os objectivos do evento Visão de Futuro 2010,

Leia mais

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP

Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP Perspetivas de colaboração Portugal China, Apoios à internacionalização e o papel da AICEP AIMINHO Braga, 24 de Outubro, 2014 1 P a g e Distintas Entidades aqui presentes, Senhores Empresários, Minhas

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA

Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA Espírito Santo Investment Bank Overview FIT FOR A NEW ERA December 2011 Espírito Santo Investment Bank Somos: A unidade de Banca de Investimento do Grupo Banco Espírito Santo O Banco de Investimento de

Leia mais

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011 Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011 Lisboa, 2 de Junho de 2011 1. A aicep Portugal Global 2. Rede Nacional e Lojas da Exportação 3. Rede Externa 4.

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA ARGÉLIA TUNÍSIA MOÇAMBIQUE ÁSIA AMÉRICA CHINA CUBA PERU EQUADOR ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 DESCRIÇÃO

Leia mais

A Indústria Portuguesa de Moldes

A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes A Indústria Portuguesa de Moldes tem vindo a crescer e a consolidar a sua notoriedade no mercado internacional, impulsionada, quer pela procura externa, quer pelo conjunto

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Entrevista com Omnitrade, Revestimentos Metálicos, SA. Diogo Osório Administrador Patrícia Carvalho Administradora. www.omnitrade.

Entrevista com Omnitrade, Revestimentos Metálicos, SA. Diogo Osório Administrador Patrícia Carvalho Administradora. www.omnitrade. Entrevista com Omnitrade, Revestimentos Metálicos, SA Diogo Osório Administrador Patrícia Carvalho Administradora www.omnitrade.pt Quality Media Press O que representa a empresa o mercado português? R.

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Fevereiro 2010 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia

Leia mais

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva

Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva centro tecnológico da cerâmica e do vidro coimbra portugal Mecanismos e modelos de apoio à Comunidade Associativa e Empresarial da Indústria Extractiva Victor Francisco CTCV Responsável Unidade Gestão

Leia mais

Ser empreendedor em Portugal é ser:

Ser empreendedor em Portugal é ser: Ser empreendedor em Portugal é ser: Um pouco louco; Muito curioso; Muito persistente; Capaz de arriscar de forma sustentada; É ter noção das limitações do mercado nacional e das potencialidades do mercado

Leia mais

CREATE LOCAL THINK GLOBAL

CREATE LOCAL THINK GLOBAL CREATE LOCAL THINK GLOBAL O LISBOA DESIGN SHOW (LXD) É UM EVENTO DEDICADO AO DESIGN EM TODAS AS SUAS FORMAS DE EXPRESSÃO: PRODUTO, MODA, VISUAL E INTERIORES, À INOVAÇÃO E À CRIATIVIDADE NACIONAL E INTERNACIONAL,

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

Marketing para exportadores de vinho

Marketing para exportadores de vinho Marketing para exportadores de vinho Apesar da longa tradição de fabrico de vinho em Portugal, as informações sobre o marketing destes produtos ainda são muito escassas. Dada a importância do sector para

Leia mais

Como as empresas podem inovar num contexto de crise Económica?

Como as empresas podem inovar num contexto de crise Económica? Rui Ferreira Docente ISCTE-IUL rui.ferreira@iscte.pt Como as empresas podem inovar num contexto de crise Económica? Portalegre 28/2/2012 As noticias sucedem-se Para 2012, as expectativas são negras. A

Leia mais