Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na"

Transcrição

1 Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Teoria Geral da Gestalt Fundamentado Cientificamente na Psicologia i da Percepção da Forma Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006

2 BIBLIOGRAFIA mais a do próprio p livro Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma 6 a Edição. Julho João Gomes Filho Escrituras Editora. São Paulo. Maio 2000

3 GESTALT Dados Básicos Escola de Psicologia Experimental Precursor : Von Ehrenfels - século XIX Inicío Efetivo : 1910 ( Universidade de Frankfurt ) Max Wertheimer... ( 1880 / 1943 ) Wolfang Kohler... ( 1887 / 1967 ) Kurt Koffka...( 1886 / 1941 ) çã çã ê ó çã çã ó â Significado do termo alemão Gestalt : figura, estrutura, forma.

4 Objetivos do Livro 1. Absorção de repertório teórico-conceitual / base científica 2. Otimização da performance projetual e prática / estudantes e profissionais 3. Absorção de terminologia adequada / diversas atividades Suporte conceitual para, por exemplo: - Design do objeto (definição da linguagem estético-formal). - Leitura, análise e diagnóstico crítico de um objeto. - Defesa de soluções estéticas, simbólicas, semióticas - Redação de textos com terminologia apropriada. Todas as Categorias Conceituais tem um sentido neutro. - Podem ser utilizadas de modo positivo ou negativo (implica talento e criatividade).

5 Nota Cada categoria, a seguir, é conceituada isoladamente por razões didáticas. Num mesmo objeto, pode-se perceber diversas outras categorias conceituais. A articulação entre elas, é feita ao longo de exercícios práticos de leitura do objeto. Aplicação > exemplos diversificados

6 Abrangência Todos os modos de manifestações visuais

7 Teoria Geral da Gestalt A Gestalt afirma o princípio de que vemos as coisas sempre dentro de um conjunto de relações. Tal fato, contribue para alterar nossa percepçao das coisas. Como nos fenômenos de ilusão de óptica e, em outros exemplos, baseado em figuras geométricas.

8 Teoria Geral da Gestalt Linhas inclinadas: absolutamente paralelas

9 Teoria Geral da Gestalt Linhas horizontais: absolutamente paralelas.

10 Teoria Geral da Gestalt Introdução de elementos retos e inclinados = efeito de lente na região esférica.

11 Teoria Geral da Gestalt As linhas diagonais têm o mesmo comprimento.

12 Teoria Geral da Gestalt Os dois círculos do meio são do mesmo tamanho

13 Teoria Geral da Gestalt Os quadradinhos magentas ficam com tonalidades mais escuras dentro dos verdes e, mais claras, dentro dos quadradinhos brancos.

14 Teoria Geral da Gestalt

15 Teoria Geral da Gestalt Focalize o ponto no centro. Mova sua cabeça junto com o corpo pra frente e pra trás.

16 Teoria Geral da Gestalt Sensação de Movimento

17 Teoria Geral da Gestalt Vemos as coisas dentro de relações. A primeira sensação já é de forma, já é global e unificada. A primeira vista não vemos partes isoladas, mas relações. Em resumo vemos o todo. Depois de um tempo, podemos ver os detalhes que fazem parte deste todo.

18 Teoria Geral da Gestalt Forças internas de organização da forma: > Mecanismo psicológico (?) Forças externas de organização da forma: > Luz > contraste > percepção

19 Teoria Geral da Gestalt Forças externas Forças internas

20 Leis da Gestalt Unidade Baseados numa série Segregação de experimentos, os psicologos da Gestalt Unificação Fechamento descobriram diversas leis de percepção, que são Continuação Proximidade comuns a grande maioria d i i Semelhança das pessoas: Pregnância da Forma (Principio Geral:Harmonia/ Ordem / Equilíbrio Visual)

21 Unidade É definida como um, ou mais de um, elemento que constitue um objeto. Unidades podem ser agrupamentos organizados ou parte de um todo. São percebidas, através de relações entre os elementos que as constituem.

22 Unidade Pode encerrar-se em si própria ou fazer parte de outros todos.

23 Segregação Percepção de formação de unidade(s) por diferenças de estimulação (por contraste) no campo visual ou na configuração do objeto. Mais estimulação Máximo de contraste Menos estimulação Médio contraste Nenhuma estimulação Nenhum contraste

24 Segregação Segregação de unidades por meio dos Contrastes. Cores/ Brilhos/ Matizes/ Nuanças/ etc

25 Segregação

26 Unificação Fundamentada nos princípios: - Harmonia - Ordem - Equilíbrio Visual.

27 Unificação Coerência visual de sua linguagem formal. Os fatores de proximidade e semelhança, geralmente, ajudam a promover e reforçar a unificação da figura.

28 Unificação Fundamentação: Princípios. Harmonia/ Ordem / Equilíbrio Visual. Graus de unificação > sutilezas Baixo. Médio. Alto. (qualificação: 1 a10). UnifiCação

29 Unificação

30 Fechamento As forças de organização visual da forma dirigem-se espontaneamente para uma ordem espacial. Obtem-se a sensação de fechamento visual pela continuidade id d de elementos numa ordem estrutural definida.

31 Fechamento Memória visual e repertório cultural como fatores importantes Conceito de figura fundo grau de prevalência

32 Fechamento

33 Fechamento Imagens: denotativas, Conotativas e simbólicas... Quem é figura? Quem é Fundo? Experiência anterior

34 Fechamento

35 Continuação É a impressão visual de como as partes (pontos, linhas, planos, volumes, texturas, brilhos, etc.) se sucedem através da organização perceptiva da forma. É a tendência dos elementos de acompanharem outros, de maneira que permitam a continuidade de um movimento numa direção já estabelecida, procurando alcançar a melhor forma possível, a mais estável estruturalmente.

36 Continuação

37 Continuação Formas Orgânicas

38 Continuação Formas Orgânicas Configurações curvílineas

39 Continuação Formas Orgânicas Configurações Geométricas

40 Continuação

41 Proximidade Elementos próximos uns dos outros tendem a ser vistos juntos e, por conseguinte, a constituírem unidades. Em alguns casos nem sempre forma unidade.

42 Proximidade As forças internas da organização visual da forma tendem a organizar a unidade mais simples de se perceber num primeiro momento

43 Proximidade As forças internas da organização visual da forma tendem a organizar a unidade mais simples de se perceber num primeiro momento.

44 Proximidade As forças internas da organização visual da forma tendem a organizar a unidade mais simples de se perceber num primeiro momento.

45 Semelhança A igualdade desperta a tendência de se construir unidades, de se estabelecer bl agrupamentos de partes semelhantes.

46 Proximidade e Semelhança Proximidade e semelhança são fatores que geralmente agem em comum. Muitas vezes se reforçam ou Se enfraquecem mutuamente Na formação de unidades ou Na promoção de uma maior unificação da figura.

47 Semelhança Em condições iguais os estímulos mais semelhantes entre si por cor, peso, tamanho, forma, textura, brilho etc terão maior tendência a constituírem unidades ou agrupamentos.

48 Proximidade Semelhança Proximidade e semelhança, juntos, reforçam a formação de unidades e dão maior unificação à forma.

49 Pregnância da Forma Lei Básica da Percepção : Qualquer padrão de estímulo tende a ser visto de tal modo que a estrutura resultante é tão simples quanto o permitam as condições dadas. Em outras palavras: quanto melhor for a organização visual da forma do objeto e mais rápida e fácil for a compreensão da leitura, maior será o índice de pregnância.

50 Pregnância da Forma

51 Pregnância da Forma Logotipo

52 Pregnância da Forma

53 Pregnância da Forma Figura e Fundo (testes) A Aa Aa Aa Aa Aa A Aa Aa Aa Aa Aa A Aa Aa Aa Aa Aa A Aa Aa Aa Aa Aa A Aa Aa Aa Aa Aa

54 Pregnância da Forma

55 Pregnância da Forma

56 Pregnância da Forma

57 Pregnância da Forma

58 Pregnância da Forma Imposição funcional - Legibilidade - Compreensão - Máximo de Clareza possível - Alta pregnância Não pode sucitar dúvidas!

59 çã

60 Forma A forma é a figura ou a Imagem visível do conteúdo. Informa sobre a natureza da aparência externa do objeto Tudo que se vê possui forma.

61 Propriedades da Forma Ponto Linha Plano Volume Configuração Enfoque conceitual ampliado

62 Forma ponto Singular. É a unidade mais simples e irredutivelmente t mínima de comunicação visual. Exerce grande força de atração visual. ATRAÇÃO ATRAÇÃO ATrAÇÃO

63 Forma linha Sucessão de pontos > Conforma, contorna e delimita objetos. Em design qualifica estilos formais

64 Forma plano Plano: sucessão de linhas (abstração) Plano: superfície (espessura miníma) Plano: tridimensional (fachada, parede, piso, etc)

65 Forma volume É algo que se expressa nas três dimensões do espaço. Objetos reais, concretos Objetos artificiais, virtuais Desenho, ilustração, pintura, etc: Criados artificialmente por meio de luzes, sombras, brilhos, texturas, Cores, etc

66 Forma configuração real Representação real do objeto: - Fotografia / Desenho / Pintura / Ilustração Etc. O objeto é reconhecível Pintura Fotografia / ilustração Ilustração

67 Forma configuração esquemática Representação esquemática do objeto: - Geralmente representações chapadas: desenhos ilustrações etc. O objeto não é plenamente reconhecível.

68 Curso Completo / Metodologia: - Apresentações - Realização de exercicios i -Trabalho final

69 Exercicio A Leitura do objeto - Pelas Leis da Gestalt Metodologia: 1. Escolha da imagem do Objeto 2. Ler e aplicar o Roteiro de DICAS de leitura (distribuido) 3. Redigir a leitura do objeto - texto & imagem Exemplo:

70 Exercicio A 1 ou 2 páginas Papel: Sulfite formato A4 Qualquer cor Nome do Exercicio Nome do Objeto Nome do participante te Exercicio i X Imagem: Poster Lord of the Rings Paulo João da Siva Imagem do Objeto Colada ou escaneada Texto da Leitura Digitada: Word Amamamamamamamamamamamamamamamam Aamamamamamamamamamamamamamamamam Amamamamamamamamamamam Mamamamamamamamamamamamamamamam Amamamamamamamamamamamamamama Mamamamamaa Mamamamamamamamamamamamamamamam Mamamamamamamamamamamamama Mamamamamamamamamamamamamamamamam mamamamamamamamamamamamamamamama Entrega Trabalho para Avaliação Via Br ou Colocado em um SITE

71 Obrigado pela atenção!

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma. Teoria Geral da Gestalt

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma. Teoria Geral da Gestalt Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Fundamentado Cientificamente na Psicologia da Percepção da Forma Teoria Geral da Gestalt Prof. Dr. João Gomes Filho I 2010 BIBLIOGRAFIA mais a do próprio

Leia mais

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma

Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Fundamentado Cientificamente na Psicologia da Percepção da Forma Prof. Dr. João Gomes Filho I 2010 BIBLIOGRAFIA João Gomes Filho Escrituras Editora.

Leia mais

Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução Nossa inteligência pode ser caracterizada pela nossa capacidade de identificar padrões, e o sistema visual é o nosso

Leia mais

Unificação Fechamento Continuidade

Unificação Fechamento Continuidade UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Curso: 1081 - COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA Matriz: 421 - COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA Componente Curricular: EXPRESSÃO GRÁFICA

Leia mais

13. A Gestalt e o Ensino de Geometria

13. A Gestalt e o Ensino de Geometria 13. A Gestalt e o Ensino de Geometria Claudia Georgia Sabba Introdução Cada vez mais os professores buscam em outras áreas recursos que os auxiliem na construção do conhecimento de seus aprendizes. Utilizar

Leia mais

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE

HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais HARMONIA EQUILÍBRIO CONTRASTE Prof. Dr. João Gomes Filho I 2011 BIBLIOGRAFIA www.joaogomes.com.br João Gomes Filho

Leia mais

Teoria da Gestalt. Teoria da Forma

Teoria da Gestalt. Teoria da Forma Teoria da Gestalt Teoria da Forma O Que é a Gestalt? Trata- se de uma corrente da psicologia que surge na Alemanha no início do século XX. Não existe uma tradução precisa para Gestalt, mas uma das palavras

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Percepção Visual e de Cores - Parte I Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Percepção Visual e de

Leia mais

Qual a diferença entre ver e perceber? Percepção Visual. Gestalt 02/04/2014. Prof. José Wilker. Prof. José Wilker. Prof.

Qual a diferença entre ver e perceber? Percepção Visual. Gestalt 02/04/2014. Prof. José Wilker. Prof. José Wilker. Prof. Percepção Visual conceitos iniciais Qual a diferença entre ver e perceber? Prof. José Wilker Prof. José Wilker 1 2 A percepção da obra de arte Campo visual humano padrão A percepção da obra de arte e sua

Leia mais

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex

REVISÃO GESTALT. Viviane Aiex REVISÃO GESTALT Viviane Aiex 1. Leitura Visual do Objeto pelas Leis da Gestalt 1) Unidades: que são os elementos que configuram a forma; 2) Segregação: que é o ato se separar, perceber ou identificar as

Leia mais

Gestalt. Gestalt é o termo intradutível do alemão utilizado para abarcar a teoria da percepção visual baseada na psicologia da forma.

Gestalt. Gestalt é o termo intradutível do alemão utilizado para abarcar a teoria da percepção visual baseada na psicologia da forma. Gestalt 29 de setembro de 2006 Gestalt é o termo intradutível do alemão utilizado para abarcar a teoria da percepção visual baseada na psicologia da forma. '''ORIGEM DA PSICOLOGIA DA FORMA''' Durante o

Leia mais

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas

Sistema de Leitura Visual da Forma. Técnicas Visuais Aplicadas Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Fundamentais Técnicas Visuais Aplicadas Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 Clareza Organizações visuais unificadas.facilidade

Leia mais

BASES PSICOLÓGICAS DO PACTO SOCIAL

BASES PSICOLÓGICAS DO PACTO SOCIAL BASES PSICOLÓGICAS DO PACTO SOCIAL GESTALT Max WERTHEIMER (1880 1943) Kurt KOFFKA (1886 1941) Wolfgang KÖHLER (1887 1967) Alemanha, 1912 O TERMO ALEMÃO QUER DIZER FORMA OU CONFIGURAÇÃO. Os gestaltistas

Leia mais

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta Design Web - Percepção Elisa Maria Pivetta GESTALT Percepção Visual Elisa Maria Pivetta Percepção visual No sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

CONTEXTUALIZAÇÃO. Surge na Alemanha por entre 1910-1920 KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) MAX WERTHEIMER (1880 1943)

CONTEXTUALIZAÇÃO. Surge na Alemanha por entre 1910-1920 KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) MAX WERTHEIMER (1880 1943) GESTALT CONTEXTUALIZAÇÃO Surge na Alemanha por entre 1910-1920 MAX WERTHEIMER (1880 1943) KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) Eu faço as minhas coisas Você faz as suas. Não estou neste

Leia mais

GESTALT E SEMIÓTICA VISUAL: PROCEDIMENTOS DISTINTOS OU SEMELHANTES PARA LEITURA DE IMAGENS?

GESTALT E SEMIÓTICA VISUAL: PROCEDIMENTOS DISTINTOS OU SEMELHANTES PARA LEITURA DE IMAGENS? GESTALT E SEMIÓTICA VISUAL: PROCEDIMENTOS DISTINTOS OU SEMELHANTES PARA LEITURA DE IMAGENS? Valéria Metroski de Alvarenga - UDESC 1 RESUMO No presente artigo visamos encontrar características semelhantes

Leia mais

A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital.

A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital. Elementos de Diagramação Comunicação Visual A diagramação é o ato de distribuir os elementos gráficos pontos, linhas, formas, textos, cores, em uma representação gráfica ou digital. É construir, estruturar

Leia mais

composição :: teoria da gestalt (teoria da forma) IPB. ESE. Dep. ARTES VISUAIS. MARCO COSTA

composição :: teoria da gestalt (teoria da forma) IPB. ESE. Dep. ARTES VISUAIS. MARCO COSTA composição :: teoria da gestalt (teoria da forma) IPB. ESE. Dep. ARTES VISUAIS. MARCO COSTA Figura impossível (ou não) As chamadas figuras impossíveis terão sido os elementos visuais que levaram ao aparecimento

Leia mais

Análise da Logomarca da Copa do Mundo FIFA de Futebol de 2014 1

Análise da Logomarca da Copa do Mundo FIFA de Futebol de 2014 1 Análise da Logomarca da Copa do Mundo FIFA de Futebol de 2014 1 Tatiana Lourenço MOREIRA 2 Riverson RIOS 3 Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE RESUMO As logomarcas criadas para representar as

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO DE DESIGN

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO DE DESIGN UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO DEPARTAMENTO DE EXPRESSÃO GRÁFICA CURSO DE DESIGN TEORIA DA FORMA Prof. Dr. Isaac A. Camargo INTRODUÇÃO À TEORIA DA GESTALT 1 A

Leia mais

APRENDIZAGEM POR MEIO DA GESTALT NA FORMAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO PROFISSIONAL DE DESENHO INDUSTRIAL

APRENDIZAGEM POR MEIO DA GESTALT NA FORMAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO PROFISSIONAL DE DESENHO INDUSTRIAL Aprendizagem por meio da Gestalt na formação de competências do profissional de Desenho Industrial APRENDIZAGEM POR MEIO DA GESTALT NA FORMAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO PROFISSIONAL DE DESENHO INDUSTRIAL Lílian

Leia mais

THE BRAND GUIDE BOOKLET

THE BRAND GUIDE BOOKLET THE BRAND GUIDE BOOKLET APRESENTAÇÃO 1ª Edição Março de 2015 A experiência de uma pedalada perfeita só pode ser intensificada por uma bicicleta perfeita. Audax foi criada por almas aventureiras que entendem

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica Composição fotográfica É a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Os arranjos são feitos colocando-se figuras ou objetos em determinadas posições. Às vezes, na

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

Técnicas Visuais Aplicadas

Técnicas Visuais Aplicadas Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Categorias Conceituais Técnicas Visuais Aplicadas Prof. Dr. João Gomes Filho I 2011 BIBLIOGRAFIA João Gomes Filho Escrituras Editora. São Paulo 9 a

Leia mais

FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP)

FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP) FERRAMENTAS DE CRIATIVIDADE MAPA MENTAL (MIND MAP) 1. O que é Mapa Mental (Mind Map) é um diagrama usado para representar palavras, idéias, tarefas ou outros itens ligados a um conceito central e dispostos

Leia mais

psicologia da percepção visual

psicologia da percepção visual psicologia da percepção visual 1º Ano, Design de Comunicação 1º Ano, Imagem Animada Psicologia da Gestalt Natureza e conceitos fundamentais Princípios da estruturação perceptiva Pregnância Fechamento Atitude

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2004/1 1 1 ACESSÓRIOS Fase: 5ª Carga Horária: 30h/a Créditos: 02 Concepção e desenvolvimento de desenho. Modelagem. Montagem. Técnicas de aprimoramento. Fichas técnicas. Processo de padronização. Mostruário.

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular CICLO GERAL OU CICLO BÁSICO AR081- FOLCLORE BRASILEIRO OBRIGATÓRIO 1 30 30 60 3 Fórmula: AR280 AR280- FOLCLORE BRASILEIRO FOLCLORE, ORIGENS, CAMPOS DE ATUAÇÃO E INTERLIGAÇÃO COM OUTRAS CIÊNCIAS, INFLUÊNCIA

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Planejamento. Educação infantil Ciranda Nível 3. Unidade 1: Cirandando

Planejamento. Educação infantil Ciranda Nível 3. Unidade 1: Cirandando Linguagem oral e escrita Planejamento Educação infantil Ciranda Nível 3 Unidade 1: Cirandando Formas textuais Conhecer diferentes tipos de textos. Conhecer um texto instrucional e sua função social. Priorizar

Leia mais

Teoria de Gestalt aplicada a IHM

Teoria de Gestalt aplicada a IHM Teoria de Gestalt aplicada a IHM José Gustavo de Souza Paiva Introdução [1] Gestalt: teoria de estudo de como os seres humanos percebem as coisas Percepção: visão de TODO, e não de PONTOS ISOLADOS Relações,

Leia mais

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre

Leia mais

Raciocínio Lógico e Erro

Raciocínio Lógico e Erro Raciocínio Lógico e Erro Definições de erro: Estar errado é acreditar que algo é verdadeiro quando é falso ou, de modo inverso, acreditar que algo é falso quando é verdadeiro. (Sócrates, 469 399 a. C.).

Leia mais

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho

Design Web Formas. Elisa Maria Pivetta. Sinto, penso, logo desenho Design Web Formas Elisa Maria Pivetta Sinto, penso, logo desenho Formas básicas em Design Comunicamos mediante linguagem falada, verbal, formada por letras, palavras, frases, etc. que, combinados, formam

Leia mais

Específicos: O aluno deverá ter a capacidade de interpretar mensagens na leitura de formas visuais.

Específicos: O aluno deverá ter a capacidade de interpretar mensagens na leitura de formas visuais. Ficha de Unidade Curricular Cursos de Design: Industrial e Ambientes 2009/2010 Unidade Curricular Designação: Comunicação Visual Área Científica: Design de Comunicação (DC) Ciclo de Estudos: Licenciatura

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

Aula 3 - Direção, movimento e ritmo. professor Rafael Hoffmann

Aula 3 - Direção, movimento e ritmo. professor Rafael Hoffmann Aula 3 - Direção, movimento e ritmo professor Rafael Hoffmann Direção Ascenção Intabilidade Direção Direção Todas as formas básicas expressam três direções visuais básicas e significativas: o quadrado,

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 6ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno è capaz de: Identificar a influência da textura ou da dimensão na perceção da cor. Distinguir diferenças entre cor

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO VISUAL E PLÁSTICA

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO VISUAL E PLÁSTICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO VISUAL E PLÁSTICA 8ª Classe 1º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Educação Visual e Plástica - 8ª Classe EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica, S.A. TIRAGEM:

Leia mais

IT- MKT-001-COM Data: 28/01/2015 versão: 04. Manual de aplicação da marca

IT- MKT-001-COM Data: 28/01/2015 versão: 04. Manual de aplicação da marca Manual de aplicação da marca IT- MKT-001-COM Data 15/08/2014 versão 02 SumárioApresentação 3 A marca 4 Memorial descritivo... 5 Versão preferencial... 6 Padrões cromáticos... 7 Versões positiva/negativa...

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos.

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. 1º PERÍODO Área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas DISCILINA: Metodologia Científica CARGA CÓDIGO CRÉDITOS HORÁRIA H11900 04

Leia mais

Fundamentos de design

Fundamentos de design Fundamentos de design gordongroup Sobre o gordongroup gordongroup é uma agência de marketing e comunicação de tempo integral e de balcão único, que oferece um conjunto exclusivo de serviços criativos,

Leia mais

4. Princípios de Design. JAMES ITALIANO italiano.james@gmail.com

4. Princípios de Design. JAMES ITALIANO italiano.james@gmail.com 4. Princípios de Design JAMES ITALIANO italiano.james@gmail.com Design é projetar A partir de uma necessidade Para contribuir na soluçāo de um problema Focado em um público específico Através de um processo

Leia mais

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1

Ementário do curso de Design de Moda Grade 2011/1 1 1 INTRODUÇÃO AO DESIGN DE MODA Terminologias e conceitos da área. Contextualização e processo de moda. Mercado. Ciência e. 2 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO Leitura analítica e crítica. Gêneros textuais.

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «21. No ensino do desenho de observação, qual o maior motivo de principiantes sentirem dificuldades em desenhar rostos humanos? a) Porque rostos humanos

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DISCIPLINA: FÍSICA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR UNIDADE POLIVALENTE MODELO VASCO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 91 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática para Internet

Leia mais

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Michelangelo Buonaroti ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 09 Percepção e Cognição: Mostradores, Comandos e Controles Mario S. Ferreira Maio, 2012 ERGONOMIA FÍSICA Limitações, Necessidades Aptidões

Leia mais

Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo.

Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo. Linguagem Fotográfica Artigo de Cláudio Feijó* Introdução Um trabalho fotográfico possui vida própria. É, ou deve ser, justificado por si mesmo. Cada fotógrafo deve estar consciente da ação de fotografar

Leia mais

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE

ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: 8º D V. DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: PROFESSOR (A): HISTÓRIA DA ARTE TEXTO COMPLEMENTAR - 1 2º trimestre TATIANE Fonte: http://www.musee-orsay.fr/fr/collections/catalogue-des-oeuvres/resultatcollection.html?no_cache=1&zoom=1&tx_damzoom_pi1%5bzoom%5d=0&tx_da mzoom_pi1%5bxmlid%5d=001089&tx_damzoom_pi1%5bback%5d=fr%2fcollec

Leia mais

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza

Curso de Design Linguagem Visual. Luciano Pedroza Curso de Design Linguagem Visual Luciano Pedroza O Designer O designer, ao contrário do pensamento comum não é artista, mas utiliza elementos da arte no desenvolvimento do projeto. O artista, por definição,

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA Coordenadora: Gláucia Centeno 13/04/2015 > 09/2016 400 horas Idioma: Português Aulas: Segundas e quartas das 19h30 às 22h30 PÚBLICO-ALVO Profissionais com

Leia mais

Ferramentas de Desenvolvimento do Webdesign

Ferramentas de Desenvolvimento do Webdesign Webdesign Ferramentas de Desenvolvimento do Webdesign Ferramentas de Desenvolvimento, design, cores e Posicionamento de Elementos Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2014 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Componente Curricular: Artes Série:

Leia mais

2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Agrupamento de Escolas Escultor António Fernandes de Sá 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PRINCÍPIOS A avaliação na Educação Pré-escolar assenta nos seguintes princípios: Coerência

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual Agrupamento de Escolas Júlio Dantas 1515 ESCOLA SECUNDÁRIA JÚLIO DANTAS LAGOS (00312) CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO Disciplina: sign Gráfico - 10ºH Professores: Mara Taquelim, Rui Calmeiro.

Leia mais

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010

Opção Profissional. Design Gráfico. Design Produto. Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 Opção Profissional? Design Gráfico ou Design Produto Prof. Dr. João Gomes Filho... 2010 CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL MEC Ensino Superior Desenho Industrial / Habilitações Projeto do Produto PP (Objetos

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm).

Óptica. Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Óptica Estudo da luz, como sendo a onda eletromagnética pertencentes à faixa do espectro visível (comprimento de 400 nm até 700 nm). Fenômenos ópticos Professor: Éder (Boto) Sobre a Luz O que emite Luz?

Leia mais

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico

Conceitos de Design Gráfico. Disciplina de Design Gráfico Conceitos de Design Gráfico Disciplina de Design Gráfico Índice Projeto de Design Gráfico Layouts Efetivos Elementos de Design Princípios de Design Referências Bibliográficas 2 Projeto de Design Gráfico

Leia mais

Identidade visual corporativa e institucional

Identidade visual corporativa e institucional Identidade visual corporativa e institucional O ser humano pensa visualmente! Ao contrário das palavras, as imagens agem diretamente sobre a percepção do cérebro. O homem moderno está cada vez mais privilegiando

Leia mais

Ferramentas de desenho

Ferramentas de desenho É na barra de desenho que estão localizadas as principais ferramentas de construção de figuras. Geralmente esta barra localiza-se na parte inferior do ambiente de trabalho. Se essa barra não estiver sendo

Leia mais

ENSINO DE ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: A FOTOGRAFIA E OS FRUTOS DO CERRADO

ENSINO DE ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: A FOTOGRAFIA E OS FRUTOS DO CERRADO ENSINO DE ARTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: A FOTOGRAFIA E OS FRUTOS DO CERRADO Luzanir Luíza de Moura Peixoto (Graduada em Arte-Educação - FESG-FAFICH) Ms. Miguel Luiz Ambrizzi (orientador CEPAE-UFG / FESURV)

Leia mais

CURSO DE DESIGN DE MODA

CURSO DE DESIGN DE MODA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 CRIATIVIDADE... 3 02 HISTÓRIA DA ARTE E DO DESIGN... 3 03 INTRODUÇÃO AO... 3 04 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 3

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 1º Período 26/28 aulas previstas

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

introdução à Óptica Geométrica

introdução à Óptica Geométrica PARTE II Unidade E capítulo 10 introdução à Óptica Geométrica seções: 101 Conceitos fundamentais 102 Princípios da Óptica Geométrica antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela os temas principais do

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Comunicação Visual Área Científica: Design de Comunicação (DC) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 1º ECTS: 6 Tempo

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

Principais correntes psicológicas do Século XX. Profª Bianca Werner Psicologia

Principais correntes psicológicas do Século XX. Profª Bianca Werner Psicologia Principais correntes psicológicas do Século XX Profª Bianca Werner Gestalt A da Forma Representantes: Ernest Mach (1888-1916) Cristian Von Ehrenfels (1859 1932) Desenvolveram a psicofísica estudando as

Leia mais

ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE

ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE ARQUITETURA: TEMAS DE COMPOSIÇÃO ROGER H. CLARK E MICHAEL PAUSE Síntese Introdutória do Método Utilizado para a Análise dos Projetos no Estudo dos Temas de Composição Disciplina:Idéia, Método e Linguagem

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação INTRODUÇÃO Processamento Digital de Imagens refere-se ao processamento imagens por meio de um computador

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 28/03/2014 10:03

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 28/03/2014 10:03 8/3/1 1:3 Centro de Ciências Tecnológicas Curso: 13 Design (Noturno) Currículo: 8/ 1 ARQ.11.1- Representação Tridimensional I Oficinas e seus recursos. Apresentação dos materiais e ferramentas das oficinas

Leia mais

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos

QUADRO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUADRO ANTERIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGENTE NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos QUADRO CURSO D PUBLICIDAD PROPAGANDA QUADRO ANTRIOR A 2001 ATÉ O CURRICULO VIGNT NO PRÓPRIO CURSO - 3 primeiros períodos DISCIPLINA A DISCIPLINA B CÓDIGO DISCIPLINA - 2008 C/H CUR -SO DISCIPLINA C/H CÓDIGO

Leia mais

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de

Primeiramente podemos classificar três diferentes tipos estruturais de VITRINAS 1 INTRODUÇÃO Elegantes e essenciais, as vitrinas são elementos versáteis criados nas mais diversas versões e representam o ponto chave para apresentação do produto a ser vendido nos mais diferentes

Leia mais

Manual de Identidade Visual CDL Celular

Manual de Identidade Visual CDL Celular Manual de Identidade Visual CDL Celular Índice Sistema... 03 Marca Símbolo... 04 Configuração Básica... 05 Sistema de Cores... 06 Uso Inadequado... 07 Identificação de Praças... 09 Aplicações - Promocional...

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

1 TÍTULO DO PROJETO DE TRABALHO Equipamento para Observação Didática e Análise da Influência da Temperatura de Cor sobre as Cores.

1 TÍTULO DO PROJETO DE TRABALHO Equipamento para Observação Didática e Análise da Influência da Temperatura de Cor sobre as Cores. 1 RELATÓRIO FINAL DE PROJETO DE TRABALHO Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação, Extensão e Cultura - ProPPEC Departamento de Pesquisa Programa de Bolsas do Artigo 170 1 TÍTULO DO PROJETO DE TRABALHO

Leia mais

Extensivo noite - Aulas 01 e 02

Extensivo noite - Aulas 01 e 02 1. (Unesp 2011) A figura 1 mostra um quadro de Georges Seurat, grande expressão do pontilhismo. De forma grosseira podemos dizer que a pintura consiste de uma enorme quantidade de pontos de cores puras,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

DESIGN GRÁFICO. Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04.

DESIGN GRÁFICO. Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04. DESIGN GRÁFICO Criação Desenho Industrial:Resolução n.º 3007, de 16.07.96, alterada a denominação através da Resolução CEPE n.º 98, de 18.08.04. Implantação do Curso na UEL 24.02.97 Reconhecimento Decreto

Leia mais

FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Turma 12º K. Plano de Formação

FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Turma 12º K. Plano de Formação CURSO DE DESIGN DE COMUNICAÇÃO Design Gráfico 2014 2015 FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Turma 12º K Plano de Formação CARATERIZAÇÃO A presente Formação em Contexto de Trabalho será concretizada com base

Leia mais

Teoria Geral de Sistemas TGS Parte 1. Disciplina: Sistemas de Informação - UNIP Professor: Shie Yoen Fang Agosto 2011

Teoria Geral de Sistemas TGS Parte 1. Disciplina: Sistemas de Informação - UNIP Professor: Shie Yoen Fang Agosto 2011 Teoria Geral de Sistemas TGS Parte 1 Disciplina: Sistemas de Informação - UNIP Professor: Shie Yoen Fang Agosto 2011 1 Conteúdo Exercício de Folha de Ponto Levantar os impactos em várias instâncias organizacionais

Leia mais

LENDO IMAGENS NO ENSINO DA FÍSICA: CONSTRUÇÃO E REALIDADE

LENDO IMAGENS NO ENSINO DA FÍSICA: CONSTRUÇÃO E REALIDADE LENDO IMAGENS NO ENSINO DA FÍSICA: CONSTRUÇÃO E REALIDADE SILVA,HENRIQUE CÉSAR DA 1 Universidade Católica de Brasília Palavras chave: Imagens; Realismo crítico; Iconicidade. INTRODUÇÃO Imagens

Leia mais

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação

LENTES E ESPELHOS. O tipo e a posição da imagem de um objeto, formada por um espelho esférico de pequena abertura, é determinada pela equação LENTES E ESPELHOS INTRODUÇÃO A luz é uma onda eletromagnética e interage com a matéria por meio de seus campos elétrico e magnético. Nessa interação, podem ocorrer alterações na velocidade, na direção

Leia mais

manual de identidade visual

manual de identidade visual manual de identidade visual manual-perpart2.indd 1 índice 02 03 Apresentação A Marca 20 Papelaria Institucional Cartão de Visita I 04 A Marca 21 Cartão de Visita II 05 Logotipo 22 Envelope Ofício 06 Símbolo

Leia mais

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte

Aula do Curso Noic de Física, feito pela parceria do Noic com o Além do Horizonte Espelhos esféricos são superfícies refletoras muito comuns e interessantes de se estudar. Eles são capazes de formar imagens maiores ou menores, inversas ou direitas, dependendo do tipo de espelho, suas

Leia mais

Análise sobre projeto Passo Certo

Análise sobre projeto Passo Certo UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ INSTITUTO UNIVERSIDADE VIRTUAL SISTEMAS E MÍDIAS DIGITAIS Disciplina de Cognição e Tecnologias Digitais Professor Dr. José Aires de Castro Filho Análise sobre projeto Passo

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Integrado em Comunicação Visual CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400h Introdução à Comunicação Visual 40 horas Não tem Desenho I 40 horas Não

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM DESIGN 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no mundo e no Brasil.

Leia mais

Exercícios de Óptica Conceitos básicos

Exercícios de Óptica Conceitos básicos COLÉGIO TIRADENTES DA POLÍCIA MILITAR BARBACENA MG POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS Exercícios de Recuperação de Física 1ª prova DATA: SOESP: Profª. Eliane Ensino Médio Série 2º Turmas 201-202-203 1ª etapa

Leia mais