DESENVOLVIMENTO DE UM MAPA TÁTIL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO PERCURSO DO USUÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE UM MAPA TÁTIL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO PERCURSO DO USUÁRIO"

Transcrição

1 DESENVOLVIMENTO DE UM MAPA TÁTIL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO AO PERCURSO DO USUÁRIO João Vilhete Viegas d Abreu 1, Núbia Bernardi 2 1 Dr., Núcleo de Informática Aplicada à Educação - NIED/UNICAMP, Campinas, SP 2 Dra, Faculdade de Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo - FEC/UNICAMP, Campinas, SP RESUMO A utilização e manipulação de Mapa Tátil Sonoro como ferramenta para propiciar segurança no percurso de um ambiente físico faz parte, desde 2003, de uma das linhas de pesquisa do grupo de Robótica Pedagógica do NIED/UNICAMP. Essa atividade teve seu início com o projeto desenvolvido em uma escola Pública no Município de Araras - SP, numa parceria entre NIED e Centro de Análise e Planejamento Ambiental (Ceapla/Unesp), Rio Claro - SP, a partir do ano 2009, passou a ser desenvolvida junto aos pesquisadores da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP, que já atuavam nesta linha de estudo. Esta parceria tem possibilitado novas pesquisas e ações afirmativas na área da inclusão social, espacial e digital. Este artigo apresenta alguns aspectos que dizem respeito à pesquisa na área de concepção, desenvolvimento e implementação de Mapa Tátil Sonoro. Espera-se que o desenvolvimento de Mapas Táteis Sonoros conduza ao aprimoramento de equipamentos que auxiliem o processo de construção da cidadania, oferecendo uma condição de locomoção mais segura e autônoma para indivíduos com diferentes habilidades visuais. Palavras-Chave: Mapa Tátil Sonoro; Deficiência Visual; Acessibilidade; Desenho Universal; Robótica Pedagógica.

2 ABSTRACT The use and manipulation of Talking Tactile Map as a tool to provide safe course of a physical environment is a part, since 2003, a line of research group Robotics Pedagogical NIED / UNICAMP. This activity which started with the project developed into a public school in Araras-SP, a partnership between NIED and Center for Analysis and Planning Environmental (Ceapla/Unesp), Rio Claro-SP, from the year 2009, it became be developed along with researchers from the Faculty of Civil Engineering, Architecture and Urbanism, UNICAMP, who has worked in this line of study. This partnership has enabled new research and affirmative action in the area of social inclusion and digital space. This article presents some aspects that relate to research in design, development and implementation of sound tactile map. It is expected that the development of Talking Tactile Map lead to the improvement of equipment that helps the process of building citizenship, providing a condition of locomotion and autonomous safer for individuals with different visual abilities. Keywords: Talking Tactile Map; Visual Impairment; Accessibility; Universal Design; Pedagogical Robotic. 1 Introdução O desenvolvimento de mapa tátil sonoro como ferramenta para propiciar autonomia ao deficiente visual no uso de um ambiente físico é uma das linhas de pesquisa do grupo de Robótica Pedagógica do Núcleo de Informática Aplicada à Educação - NIED e da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, ambos da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Desenvolver instrumentos de leituras táteis e sonoros que atuem como facilitadores para o percurso de indivíduos com deficiência visual é uma atividade de pesquisa que já possibilitou a implementação do Mapa Tátil Sonoro do piso térreo da Biblioteca Central Cesar Lattes (BCCL) da UNICAMP. Pesquisas visando o aprimoramento, tanto do ponto de vista eletrônico (hardware e software de controle) quanto de usabilidade de mapa tátil sonoro serão discutidas neste trabalho. Este equipamento possibilita a compreensão, a percepção do espaço e a navegação em um ambiente interno ou externo, permitindo

3 potencializar o uso das habilidades individuais através de respostas sensoriais do indivíduo, atuando como orientadores de percurso de pessoas com deficiência visual. Um mapa tátil e sonoro pode oferecer uma condição de locomoção segura e autônoma para indivíduos com diferentes habilidades visuais, estimular o uso do resíduo visual dos indivíduos com baixa visão através da leitura do ambiente e, principalmente, ampliar o potencial de uso do espaço construído, garantindo assim inclusão social e cultural. Nesse sentido, este artigo apresenta alguns aspectos que dizem respeito à pesquisa na área de concepção, desenvolvimento e implementação de mapa tátil sonoro tais como: 1. aprimoramento e ampliação de estudos sobre acessibilidade através do desenvolvimento de novos recursos tecnológicos; 2. atuação no âmbito pedagógico conscientizar e preparar os futuros profissionais para a importância da acessibilidade, no caso de estudantes de arquitetura e engenharia civil através de metodologias de ensino que abordem os conceitos do Desenho Universal na disciplina de Projeto Arquitetônico; Aos alunos de engenharia eletrônica e mecatrônica, incentivar o processo de desenvolvimento de interfaces de hardware e/ou software para controle e automação de dispositivos que podem propiciar acessibilidade às pessoas com deficiência. 3. atuação no âmbito social através do oferecimento de atividades e oficinas em escolas da rede pública brasileira e outros ambientes de aprendizagem, com o uso da maquete tátil sonora como elemento de aprendizado e reabilitação do indivíduo com deficiência visual, auxiliando na orientação espacial no ambiente edificado ou no espaço da cidade. A pesquisa, construção e difusão deste equipamento de leitura pretende, sobretudo, oferecer um instrumento que amplie a autonomia, a inclusão e a acessibilidade de pessoas com deficiência visual no âmbito social, educacional e cultural. 2 Revisão de Literatura O Estado da Arte sobre pesquisas que envolvem o desenvolvimento e uso de mapas táteis sonoros pode ser abordado sob diferentes vertentes teóricas. Algumas

4 contribuições nesta área são: Loch (2008) que trata de Cartografia Tátil: mapas para deficientes visuais; Welch (1995) que trabalha o conceito de acessibilidade aplicando o princípio do Desenho Universal; Bernardi (2007), que investiga a aplicação do conceito do Desenho Universal no ensino de arquitetura e o uso e desenvolvimento de instrumentos de leitura de projeto; Sassaki (1997) no que diz respeito à inclusão de pessoas com deficiência; Oliveira (1993) que trata a autonomia sob as perspectivas do indivíduo e sua cultura, sua trajetória particular de vida e seu processo histórico; Jacobson (1999) que trabalha com maquetes táteis e sonoras no contexto da cartografia; D Abreu e Martins (2008) que pesquisam a implementação e uso de maquetes táteis e sonoras; Mantoan e Baranauskas (2009) no que diz respeito à publicação de materiais didáticos produzidos com o objetivo de orientar as universidades brasileiras para tratar a questão do acesso ao conhecimento no âmbito da acessibilidade educacional. 3 Materiais e Métodos O projeto prevê a análise de uso de mapas táteis e sonoros que auxiliem a orientação espacial de usuários com deficiência visual. A metodologia inclui estudos de campo com testes de usabilidade de instrumentos de leitura junto a voluntários/usuários com deficiência visual, comunidade que potencialmente usará este tipo de equipamento. Prevê-se a realização de testes em instrumentos desenvolvidos no NIED e FEC Unicamp: o uso destes protótipos de mapa tátil sonoro com uma pessoa deficiente visual permitirá verificar a usabilidade dos mesmos. Os instrumentos desenvolvidos são representativos de ambientes construídos do campus da Unicamp. A manipulação será realizada por usuários com perfis diferenciados: usuários com deficiência visual; total e/ou parcial. Serão aplicados questionários aos usuários durante as atividades de manipulação. O objetivo da aplicação destes questionários será identificar a compreensão e legibilidade da simbologia arquitetônica, escala do mapa, dispositivos sonoros, texturas e materiais empregados. Estas análises contribuirão para a elaboração de diretrizes de projeto

5 para a concepção, desenvolvimento e implementação deste tipo de instrumento de leitura e orientação espacial. A metodologia engloba três grandes frentes de trabalho: 1. Revisão da literatura sobre a construção de mapas táteis e sonoros: conhecimento do Estado da Arte sobre produção e uso de maquetes e mapas táteis sonoros, no âmbito nacional e internacional; 2. Análise do uso e manipulação de mapa tátil sonoro representativo de espaço físico do térreo da Biblioteca Central Cesar Lattes (BCCL) da Unicamp: Levantamento dos materiais gráficos (projetos executivos) e consulta ao acervo da documentação arquitetônica do edifício da BCCL; Visitas in loco para verificação das atuais condições físicas do entorno e ambiente construído (registros técnicos e fotográficos da edificação, dos elementos arquitetônicos, dos acessos, mobiliário interno e barreiras arquitetônicas existentes no percurso); Verificação da usabilidade do mapa tátil sonoro do térreo da BCCL produzido pelos pesquisadores do NIED. 3. Desenvolvimento de diretrizes para a confecção de instrumentos de auxílio ao percurso do deficiente visual em ambiente físico: Desenvolver diretrizes para a concepção de novos mapas táteis sonoros Desenvolver diretrizes pedagógicas para a aplicação deste equipamento junto aos usuários com deficiência Estabelecer critérios para sua manipulação e utilização. 3.1 Contexto das Atividades de Campo realizadas no Laboratório de Acessibilidade (LAB) A realização de testes de aceitabilidade no uso de protótipos de mapa tátil sonoro é uma ação coordenada deste grupo de pesquisa que envolve a participação voluntária de pessoas com deficiência visual que freqüentam e realizam atividades didáticas no Laboratório de Acessibilidade (LAB) da Biblioteca Central César Lattes da Unicamp. No contexto de desenvolvimento dessa pesquisa o LAB se constitui em

6 importante parceiro, fortemente engajado nas atividades de pré-testes e testes de protótipos implementados. Para cada protótipo implementado são realizados prétestes de verificação da usabilidade, o que, em muito tem contribuído com o aprimoramento dos modelos construídos. A seguir apresenta-se uma breve descrição do LAB. O Laboratório de Acessibilidade (LAB) é um órgão da Universidade Estadual de Campinas (http://www.todosnos.unicamp.br:8080/lab/sobre) que tem como missão proporcionar aos usuários com deficiência, na Unicamp, um ambiente adequado às suas necessidades educacionais especiais, garantindo-lhes o direito de realizar estudos e pesquisas com maior autonomia e independência. O LAB é composto de dois ambientes: Sala de Acesso à Informação, para os serviços bibliotecários e o Laboratório de Apoio Didático, para elaboração e adaptação de materiais especiais, avaliações e exames para o alfabeto Braille. A proposta do LAB é tornar acessível, às pessoas com deficiência visual, todos os serviços disponíveis a quaisquer usuários, tais como a orientação à pesquisa, acesso, localização e obtenção de documentos impressos ou eletrônicos, normalização de trabalhos científicos, empréstimo entre bibliotecas, etc. Quanto aos serviços especializados, o LAB dispõe de Tecnologias de Informação e Comunicação que viabilizam a inclusão destes cidadãos na vida acadêmica, facilitando o acesso à informação. Os computadores, aliados a softwares leitores de tela (sintetizadores de voz), permitem que usuários com deficiência visual plena naveguem na Internet, leiam textos digitalizados e acessem todo o conteúdo do Windows. Para digitalizar os textos e livros impressos, há scanners que os transformam em arquivos digitais para posterior leitura com síntese de voz ou impressos em braile no próprio LAB, que possui duas impressoras para tal fim. Os leitores de tela mais requisitados são o Jaws, Virtual Vision e DOSVOX. O software Zoom Text é ampliador de tela para pessoas com baixa visão, que também contam com lupa digital acoplada a uma TV tela plana, além de lupas

7 manuais. Adaptações de gráficos, tabelas, mapas e outros são possíveis com a ajuda do software TGD. Através de parcerias envolvendo grupos de pesquisadores da Unicamp, pedagogos, bibliotecários, alunos de graduação e pós-graduação e estagiários, o LAB integra o grupo Todos Nós (http://styx.nied.unicamp.br:8080/todosnos/sobre) que tem por objetivo articular iniciativas multifacetadas e colaborativas no âmbito do Programa de Apoio a Educação Especial (PROESP) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Ministério da Educação e Cultura (MEC), Mantoan e Baranauskas (2009). Trata-se de um programa de natureza interdisciplinar, cuja amplitude e complexidade exigem a integração de áreas de conhecimento da educação, da computação e atendimento educacional especializado, para a planificação e execução de ações, cujo objetivo mais amplo é garantir aos alunos com deficiência o direito de realizar seus estudos de nível superior em ambientes inclusivos de ensino e aprendizagem. 4 Resultados Parciais/Finais O desenvolvimento do mapa tátil sonoro do piso térreo da BCCL/Unicamp da (Figura 1), permitiu um grande avanço na continuidade desta pesquisa, visto a riqueza de informações obtidas com os testes de usabilidade do instrumento. O desenvolvimento deste protótipo permitiu investigar várias questões sobre o processo de produção de um mapa tátil sonoro, desde aquelas relacionadas à implementação dos dispositivos robóticos de sonorização, às questões de usabilidade e manipulação pelos usuários até as características da simbologia arquitetônica representada no mapa e seu impacto para a compreensão e leitura do ambiente. Este mapa foi confeccionado através da tecnologia de prototipagem rápida, que é um processo aditivo de fabricação de objetos em três dimensões, feito com o auxílio de softwares que permitem o desenvolvimento de desenho arquitetônico. Aliado a esta tecnologia foram desenvolvidos e implementados os dispositivos de hardware e software, incluindo os sensores sonoros.

8 A implementação de sensores conectados ao computador e inseridos no próprio instrumento permite que palavras ou frases previamente gravadas, sejam reproduzidas de forma sonora sempre que o sensor for pressionado, relacionando a percepção do sensor tátil aos objetos distribuídos no referido espaço. A verificação da usabilidade foi realizada através de um estudo de caso realizado na BCCL/Unicamp. Os testes foram aplicados dentro do Laboratório de LAB/Unicamp, onde foram instalados a maquete, o notebook e as caixas de som, com espaço para a manipulação do mapa e para o preenchimento dos questionários que foram aplicados a voluntários com diversos graus de deficiência, ou seja, desde baixa visão até a cegueira total. Alguns voluntários eram freqüentadores assíduos do ambiente da Biblioteca, outros, no entanto, não conheciam o ambiente. Essa diversidade auxiliou bastante na abrangência dos resultados obtidos. Antes da aplicação dos testes, cada voluntário foi instruído e recebeu informações sobre a fundamentação do projeto. A atividade de manipulação mostrou que instrumentos de leitura como mapas táteis são importantes para proporcionar uma noção global sobre o ambiente construído, com a finalidade de facilitar a compreensão e locomoção dos usuários. O mapa em questão proporciona um bom entendimento da circulação e acessos à edificação. Entretanto, os resultados parciais demonstraram a necessidade de aprimoramento e desenvolvimento de novos recursos neste tipo de dispositivo, assim como algumas modificações na representação do espaço físico (Destefani, 2009). Conforme mencionado anteriormente, o mapa tátil sonoro da (Figura 1), representa o piso térreo da BCCL/Unicamp. Nesta figura os botões são sensores que quando pressionados falam o nome de um objeto no espaço que o mapa representa. No caso específico desta figura 1, são 14 botões representando 14 objetos distintos.

9 5 Considerações Parciais/Finais Figura 1: Maquete Tátil Sonora. Fonte: D Abreu e Martins (2008) Com o desenvolvimento desta pesquisa, espera-se obter um produto que possa servir como um instrumento que auxilie pessoas com deficiência visual na aquisição de noções e compreensão de um determinado espaço geográfico. Embora vivendo em uma sociedade globalizada em que a informação se encontra ao alcance de todos, a inclusão social e digital ainda faz-se necessária para garantir a igualdade de oportunidades e a vivência saudável em comunidade. Espera-se que o desenvolvimento de mapas táteis sonoros conduza ao aprimoramento de equipamentos que auxiliem nesse processo de construção da cidadania, oferecendo uma condição de locomoção mais segura e autônoma para indivíduos com diferentes habilidades visuais. Como um dos resultados espera-se obter um produto patenteável e que possa ser difundido à comunidade. Almeja-se propiciar integração e inclusão mais efetiva de pessoas com deficiência visual total ou parcial tanto no contexto educacional, potencializando a capacidade de aprendizagem, quanto no ambiente

10 da cidade. Ou seja, expandir o uso de mapas táteis sonoros, sobretudo, em postos de saúde, hospitais, centros de atendimento de pessoas idosas, enfim nos mais diversos locais freqüentados pela população em geral, em busca de cuidados relacionados à deficiência visual. Espera-se que a contribuição do Desenho Universal seja cada vez mais evidenciada como forma de possibilitar que a usabilidade de maquetes e mapas sejam acessíveis e disponibilizados adequadamente ao seu público alvo. Na área de Robótica Pedagógica, espera-se que a construção de dispositivos com recursos tecnológicos diferenciados seja ampliada para possibilitar a concepção, desenvolvimento e implementação de equipamentos que atendam outros tipos de deficiências. Em termos acadêmicos pretende-se que este grupo constitua uma efetiva linha de trabalho, com contribuições significativas no âmbito nacional e internacional, participando do avanço científico desta importante área de pesquisa e contribuindo para ações de abrangência social.

11 6 Referências BERNARDI, N. A Aplicação do Conceito do Desenho Universal no Ensino de Arquitetura: o uso de mapa tátil como leitura de projeto f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Campinas, São Paulo, D'ABREU, J. V. V. e MARTINS, R. J. Implementation and Usage of a Sound-Tactile Model for Sightless People. Revista Avances en Sistemas e Informática, Medellín, v. 05, p , DESTEFANI, A. Verificação da usabilidade de instrumento de leitura tátil e sonoro representativo de espaço arquitetônico da Biblioteca Central César Lattes da Unicamp. Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, FEC/UNICAMP, 2009, 16p. Pibic/Cnpq Relatório de Pesquisa (Iniciação Científica) JACOBSON, R.D. Talking tactile maps and environmental audio beacons: An orientation and mobility development tool for visually impaired people, Proceedings of the ICA Commission on maps and graphics for blind and visually impaired people, Ljubjiana, Slovenia, p ,1996. LABORATÓRIO DE ACESSIBILIDADE (LAB). Disponível em Acesso em 15/06/2010. LOCH N. E. R Cartografia Tátil: mapas para deficientes visuais. Portal da Cartografia. Londrina, Londrina, v.1, n.1, p , Disponível em Acesso em 22 de abril de MANTOAN, M. T. E. e BARANAUSKAS, M. C. C. Autores da Inclusão na Universidade Formação e Compromisso, Biblioteca Central César Lattes, Unicamp, OLIVEIRA, M. K., Vygotsky: Aprendizado e Desenvolvimento um Processo Sócio- Histórico. Série Pensamento e ação no Magistério. São Paulo: Scipione, SASSAKI, R. K.; Inclusão: Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: Wva, TODOS NÓS UNICAMP ACESSÍVEL. Disponível em Acesso em 15/06 /2010. WELCH, Polly (Ed.). Strategies for Teaching Universal Design. Boston, USA: Adaptive Environments Center, 1995.

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE.

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 O USO DO COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PARA TRABALHAR COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Jane Aparecida de Souza Santana (FCT/Unesp) Ms. Flaviana dos Santos Silva Profª Drª Elisa Tomoe Moriya Schlünzen

Leia mais

Robótica Pedagógica e Currículo

Robótica Pedagógica e Currículo Robótica Pedagógica e Currículo João Vilhete Viegas d Abreu 1, Maria de Fátima Garcia 2 1 Núcleo de Informática Aplicada à Educação NIED/UNICAMP Caixa Postal 6082 Unicamp CEP: 13083-970 Campinas SP Brasil

Leia mais

Educação Inclusiva: práticas pedagógicas estruturadas pela acessibilidade digital

Educação Inclusiva: práticas pedagógicas estruturadas pela acessibilidade digital Educação Inclusiva: práticas pedagógicas estruturadas pela acessibilidade digital 1 Paulo Cesar Turci Maria da Piedade Resende da Costa Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Conselho Nacional de

Leia mais

TECNOLOGIA ASSISTIVA E INCLUSÃO. Terapeuta Ocupacional: Luana Jardim Avelar Crefito-4/ 14534TO

TECNOLOGIA ASSISTIVA E INCLUSÃO. Terapeuta Ocupacional: Luana Jardim Avelar Crefito-4/ 14534TO TECNOLOGIA ASSISTIVA E INCLUSÃO Terapeuta Ocupacional: Luana Jardim Avelar Crefito-4/ 14534TO TECNOLOGIA ASSISTIVA INTRODUÇÃO Para que a Educação Especial Inclusão se efetive é necessário que ela disponha

Leia mais

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES

Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Síntese de voz panorama tecnológico ANTONIO BORGES Quase todos nós vamos precisar de óculos um dia (a menos que a tecnologia médica promova a substituição deste artefato por alguma outra coisa tecnológica,

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Cegos, Audiotextos, Inclusão, Comunidade Universitária

PALAVRAS-CHAVES: Cegos, Audiotextos, Inclusão, Comunidade Universitária PRODUÇÃO DE AUDIOTEXTOS: UM MOVIMENTO PARA A INCLUSÃO RAMPELOTTO, Elisane Maria 1 DORNELES, Marciele Vieira 2 JOST, Sabine 3 RESUMO O presente trabalho consiste num desdobramento do Projeto de Extensão

Leia mais

PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES

PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES PESSOA COM DEFICIENCIA VISUAL E EDUCAÇÃO A DISTANCIA: POSSIBILIDADES E ADVERSIDADES Eurides Miranda Edna Aparecida Carvalho Pacheco Diego de Morais Batista Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Leia mais

ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR

ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS PARA O ALUNO SURDOCEGO ADQUIRIDO NA ESCOLA DE ENSINO REGULAR Tais Pereira de Sousa Lima Ma. Cyntia Moraes Teixeira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Leia mais

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA Maria Antônia Tavares de Oliveira Endo mariantonia@cead.ufop.br Curso de Geografia 1900 Paulo

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO. Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO Responsabilidade social e acessibilidade no ensino superior: a trajetória do UniCEUB 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL 1.1. Histórico da prática eficaz Desde 1988, o Centro

Leia mais

Acessibilidade Web na Universidade O que é? Por quê? Como Fazer? Amanda Meincke Melo amanda.melo@unipampa.edu.br http://ammelobr.blogspot.

Acessibilidade Web na Universidade O que é? Por quê? Como Fazer? Amanda Meincke Melo amanda.melo@unipampa.edu.br http://ammelobr.blogspot. Acessibilidade Web na Universidade O que é? Por quê? Como Fazer? Amanda Meincke Melo amanda.melo@unipampa.edu.br http://ammelobr.blogspot.com/ 2 Agenda Conceitos Acessibilidade Web Cenários Estudos de

Leia mais

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação Sigla Código Nome da Biblioteca Banheiros adaptados Bebedouros e lavabos adaptados Entrada/Saída com dimensionamento Banheiros com leiautes adaptados (lavatórios, espelhos, barras de apoio, vasos, papeleiras,

Leia mais

AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AMBIENTES POTENCIALIZADORES PARA INCLUSÃO: PESQUISA SOBRE INCLUSÃO, DIGITAL, ESCOLAR E SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 746 Janiele de Souza Santos 1, Denner Dias Barros 1, Ana Virginia Isiano Lima 2,

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 DESAFIOS DO LIVRO ACESSÍVEL: INFORMAÇÃO PARA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Ricardo Quintão Vieira Izete Malaquias da Silva 2 RESUMO O presente

Leia mais

A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1. Roberta Lucas SCATOLIM 2

A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1. Roberta Lucas SCATOLIM 2 A importância da acessibilidade como mediadora da informação na internet para os deficientes visuais 1 Roberta Lucas SCATOLIM 2 RESUMO A Interação Humano - Computador permite a avaliação e solução de problemas

Leia mais

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008)

Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva da Educação Inclusiva (2008) Público-alvo da Educação Especial Alunos com: surdez deficiência física, intelectual cegueira, baixa visão, surdocegueira

Leia mais

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO Dilma Almeida Martins 1 Monica Moura Neves 2 Raquel Nery Mendes Silva 3 INTRODUÇÃO No estabelecimento de ensino onde

Leia mais

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO)

JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) JUSTIFICATIVA PEDAGÓGICA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS NA FORMATAÇÃO DO SOFTWARE EDUCACIONAL (SIMULAÇÃO E ANIMAÇÃO) De acordo com o Edital de produção de conteúdo digitais multimídia, alguns aspectos

Leia mais

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web 2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web A eficiência da educação a distância (EAD) depende da contribuição de diversas disciplinas. É comum encontrarmos estudos nas áreas da ciência da computação,

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 Nota Técnica nº /2009/SID/MinC Em, de abril de 2009 Ao Sr. Chefe de Gabinete CG/SE/MinC

Leia mais

RELATÓRIO DO 3 SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS BRAILLE 3 SENABRAILLE, GOIÂNIA, GOIÁS, BRASIL 23-26 DE NOVEMBRO DE 2004

RELATÓRIO DO 3 SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS BRAILLE 3 SENABRAILLE, GOIÂNIA, GOIÁS, BRASIL 23-26 DE NOVEMBRO DE 2004 RELATÓRIO DO 3 SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS BRAILLE 3 SENABRAILLE, GOIÂNIA, GOIÁS, BRASIL 23-26 DE NOVEMBRO DE 2004 Reunindo um número expressivo de representantes de entidades da sociedade civil,

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA: PROJETOS, PESQUISA E EXTENSÃO.

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA: PROJETOS, PESQUISA E EXTENSÃO. NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA: PROJETOS, PESQUISA E EXTENSÃO. Palavras Chave: Educação Especial; Inclusão; Pesquisa; Introdução Mayra da Silva Souza UERJ Edicléa Mascarenhas

Leia mais

Informática e a Tecnologia Assistiva: Uma parceria que promove inclusão

Informática e a Tecnologia Assistiva: Uma parceria que promove inclusão Informática e a Tecnologia Assistiva: Uma parceria que promove inclusão Andressa de Oliveira Machado, Jonathan Luís Hackenhaar Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório

Leia mais

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA

O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA O PROCESSO DE INCLUSÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: UM ESTUDO DE METODOLOGIAS FACILITADORAS PARA O PROCESSO DE ENSINO DE QUÍMICA Bruna Tayane da Silva Lima; Eduardo Gomes Onofre 2 1 Universidade Estadual

Leia mais

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca PROPLAN Tutorial SisRAA Biblioteca Ana Carla Macedo da Silva Jaciane do Carmo Ribeiro Diego da Costa Couto Mauro Costa da Silva Filho Dezembro 2014 SUMÁRIO 1. Menu: Acessibilidade... 3 1.1 Opção de menu:

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Em que consiste o DOSVOX O programa é composto por:

Em que consiste o DOSVOX O programa é composto por: Projeto DOSVOX O que é o DOSVOX O DOSVOX é um sistema para microcomputadores que se comunica com o usuário através de síntese de voz, viabilizando, deste modo, o uso de computadores por deficientes visuais,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE ORIENTAÇÕES PARA DOCENTES DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE ORIENTAÇÕES PARA DOCENTES DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE ORIENTAÇÕES PARA DOCENTES DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA VISUAL Leilane Bento de Araújo Meneses Andreza Aparecida Polia De acordo com

Leia mais

OS RECURSOS COMPUTACIONAIS AUXILIANDO OS DEFICIENTES VISUAIS

OS RECURSOS COMPUTACIONAIS AUXILIANDO OS DEFICIENTES VISUAIS OS RECURSOS COMPUTACIONAIS AUXILIANDO OS DEFICIENTES VISUAIS 2011 Fabíola Magda Andrade Ventavoli Bacharel em Ciências da Computação, Licenciada em Matemática e Computação. Pós-graduada em Psicopedagogia

Leia mais

Temática(s): Tecnologias assistivas Tipo de Trabalho: Trabalho Técnico-Científico Título do trabalho: O USO DA TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Autores e Filiações: ALVES,L.A.(ILUMINAR) SANTOS,A.R.S.

Leia mais

NEAPI UMA PROPOSTA DE SUPORTE

NEAPI UMA PROPOSTA DE SUPORTE NEAPI UMA PROPOSTA DE SUPORTE PEDAGÓGICO NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DOS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA, TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO E ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO VANESSA PINHEIRO profvanessapinheiro@gmail.com

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FLORIANÓPOLIS

DOCUMENTO ORIENTADOR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FLORIANÓPOLIS DOCUMENTO ORIENTADOR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE FLORIANÓPOLIS A Educação Especial da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis/SC visa garantir as condições de o aluno, com deficiência

Leia mais

Atendimento Educacional Especializado AEE. Segundo a Política Nacional de Educação Especial, na Perspectiva Inclusiva SEESP/MEC (2008)

Atendimento Educacional Especializado AEE. Segundo a Política Nacional de Educação Especial, na Perspectiva Inclusiva SEESP/MEC (2008) Atendimento Educacional Especializado AEE Segundo a Política Nacional de Educação Especial, na Perspectiva Inclusiva SEESP/MEC (2008) Conceito O Atendimento Educacional Especializado - AEE É um serviço

Leia mais

Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade

Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade Programa de Educação Inclusiva: A educação tem muitas faces Educando e aprendendo na diversidade 1. Educação Especial: histórico, funcionamento e legislação Para suprir a demanda da Educação Especial e

Leia mais

Visão de Liberdade. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Visão de Liberdade. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Visão de Liberdade Mostra Local de: Maringá Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: CAP - Centro de Apoio Pedagógico / CONSEG - Conselho

Leia mais

Aplicação web para. Telecentros no Brasil»

Aplicação web para. Telecentros no Brasil» Aplicação web para A primeira unidade do projeto Casa Brasil em Manaus foi inaugurada no último dia 20/09 com a sala de leitura, auditório e sete salas equipadas com 20 computadores, que funcionarão como

Leia mais

Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância

Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância Análise do processo de avaliação contínua em um curso totalmente à distância Joice Lee Otsuka Instituto de Computação Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) 1 Caixa Postal 6176 CEP: 13083-970 - Campinas,

Leia mais

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Abril/2012 Apresentação O Planejamento Estratégico (PLANES) da UNICAMP é um processo acadêmico/administrativo dinâmico cujo objetivo central é de ampliar

Leia mais

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013

PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 PROJETO CURSO ALUNO INTEGRADO / 2013 INSTITUIÇÃO PROPONENTE: Ministério da Educação CNPJ: 00.394.445/0124-52 SETOR RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Secretaria de Educação Básica(SEB) ENDEREÇO: Esplanada dos Ministérios,

Leia mais

Relatório de Atividades

Relatório de Atividades 2013 Gabinete para a Inclusão GPI Janeiro, 2014 ÍNDICE 1. TAREFAS REALIZADAS DE FORMA PERMANENTE PELO GPI... 3 1.1 ATENDIMENTO... 3 1.2 RESPOSTA AOS PEDIDOS DE APOIO DOS ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA OU DOS

Leia mais

Palavras-chave: Deficiência Visual. Trabalho Colaborativo. Inclusão. 1. Introdução

Palavras-chave: Deficiência Visual. Trabalho Colaborativo. Inclusão. 1. Introdução PROFESSOR DE SALA COMUM E PROFESSOR ESPECIALISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADE DE TRABALHO COLABORATIVO NO ENSINO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL Karen Regiane Soriano Simara Pereira da Mata Flaviane

Leia mais

APRESENTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE DOSVOX PARA PROFESSORES DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO - SAEDE/DV DEFICIENTES VISUAIS

APRESENTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE DOSVOX PARA PROFESSORES DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO - SAEDE/DV DEFICIENTES VISUAIS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCACÃO E INOVAÇÃO 21ª GECCT NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL CRICIÚMA - SC APRESENTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE DOSVOX PARA

Leia mais

Palavras chave: Formação de Professores, Tecnologias Assistivas, Deficiência.

Palavras chave: Formação de Professores, Tecnologias Assistivas, Deficiência. FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO COM ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIAS Gislaine Coimbra Budel PUC PR Elaine Cristina Nascimento PUC PR Agência Financiadora: CAPES Resumo Este artigo apresenta

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

Humano-Computador (IHC)

Humano-Computador (IHC) 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WA Professora: Clarisse Sieckenius de Souza Acessibilidade: Uma questão de lei e direitos humanos 15/Mar/2010 Stephen Hawking um dos maiores

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PROPOSTA DE UMA ARQUITETURA DE INTERFACE DE SOFTWARE PARA GERAÇÃO DE NOTAS MUSICAIS PARA DETECÇÃO DE OBSTÁCULOS MAGNA CAETANO DA SILVA 1, GABRIEL DA SILVA 2 RESUMO Para realização deste trabalho foi realizada

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1125 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1125 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 06/02/2012-12:16:19 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1125 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 INCLUIR NA UFU ACESSIBILIDADE E PERMANÂNCIA COM QUALIDADE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Valéria Manna Oliveira FAEFI - Universidade Federal Uberlândia Claudia Dechichi CEPAE - Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Telma Maria Pereira dos Santos Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB e Pós-graduada em Educação

Leia mais

Título do trabalho: Entre ledores humanos e leitores digitais

Título do trabalho: Entre ledores humanos e leitores digitais Temática(s):Acessibilidade em Cultura e Educação Tipo de Trabalho: Relatos de Experiências Título do trabalho: Entre ledores humanos e leitores digitais Autores e Filiações: Arnais, Magali Ap. Oliveira

Leia mais

RESOLUÇÃO N 043, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2010

RESOLUÇÃO N 043, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLÓGIA DO CEARÁ RESOLUÇÃO N 043, DE 06 DE DEZEMBRO DE 2010 Aprova ad referendum do Conselho Superior o Projeto do IFCE para participação

Leia mais

Ações Inclusivas: NAPNE IFRS Campus Porto Alegre. Profª Lizandra Brasil Estabel 2010

Ações Inclusivas: NAPNE IFRS Campus Porto Alegre. Profª Lizandra Brasil Estabel 2010 Ações Inclusivas: NAPNE IFRS Campus Porto Alegre Profª Lizandra Brasil Estabel 2010 NAPNE IFRS Campus Porto Alegre Grupo de Trabalho: Profª Drª Lizandra Brasil Estabel Coordenadora; Ana Rosaura Springer

Leia mais

Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino

Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino Desafios para a gestão escolar com o uso de novas tecnologias Mariluci Alves Martino A escola e a gestão do conhecimento Entender as instituições educacionais pressupõe compreendê-las e colocá-las em relação

Leia mais

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011.

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro

Leia mais

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013

ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 LEGENDA: EM VERMELHO O QUE INCLUÍMOS NO FÓRUM EJA / RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE AMARELO PROPOSTA DO FÓRUM PARANAENSE, INCORPORADA NA DISCUSSÃO DO FÓRUM EJA/RJ DE 17/6/2013 ILUMINADO DE VERDE PROPOSTA

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS

VIII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG campus Bambuí VIII Jornada Científica TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS TECLADO VIRTUAL ACESSÍVEL PARA SMARTPHONES E TABLETS Daniele Nazaré Tavares¹; Daniela Costa Terra² ¹Estudante de Engenharia da Computação. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros

Leia mais

A MÚSICA NA PONTA DOS DEDOS: ENSINO E DIFUSÃO DA LEITURA E ESCRITA MUSICAL EM BRAILLE.

A MÚSICA NA PONTA DOS DEDOS: ENSINO E DIFUSÃO DA LEITURA E ESCRITA MUSICAL EM BRAILLE. A MÚSICA NA PONTA DOS DEDOS: ENSINO E DIFUSÃO DA LEITURA E ESCRITA MUSICAL EM BRAILLE. FABIANA FATOR GOUVÊA BONILHA (UNICAMP - INSTITUTO DE ARTES), CLAUDINEY RODRIGUES CARRASCO (UNICAMP). Resumo Este estudo,

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

PROJETO DE JARDINAGEM

PROJETO DE JARDINAGEM PROJETO DE JARDINAGEM ESCOLA ESPECIAL RENASCER APAE LUCAS DO RIO VERDE-MT JUSTIFICATIVA A escolha do tema jardinagem vem de acordo com a proposta pedagógica da Escola Especial Renascer que é proporcionar

Leia mais

EDUCAÇÃO. Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade ESCOLA PARA TODOS

EDUCAÇÃO. Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade ESCOLA PARA TODOS EDUCAÇÃO ESCOLA PARA TODOS Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade da educação são os eixos norteadores da política educacional do governo estadual,

Leia mais

O SERVIÇO DE REFERÊNCIA E A ACESSIBILIDADE AOS DEFICIENTES VISUAIS

O SERVIÇO DE REFERÊNCIA E A ACESSIBILIDADE AOS DEFICIENTES VISUAIS O SERVIÇO DE REFERÊNCIA E A ACESSIBILIDADE AOS DEFICIENTES VISUAIS Elizabete Cristina de Souza de Aguiar Monteiro 1 1 Bibliotecária, Universidade Estadual Paulista, Marília, São Paulo RESUMO As bibliotecas

Leia mais

Tarcia Paulino da Silva Universidade Estadual da Paraíba Tarcia_cg@hotmail.com. Roseane Albuquerque Ribeiro Universidade Estadual da Paraíba

Tarcia Paulino da Silva Universidade Estadual da Paraíba Tarcia_cg@hotmail.com. Roseane Albuquerque Ribeiro Universidade Estadual da Paraíba Tecnologias Assistivas e Inclusão Digital: A importância do computador no processo de aprendizagem de crianças com deficiência intelectual da APAE- Campina Grande/ PB Tarcia Paulino da Silva Universidade

Leia mais

ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO

ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO ACESSIBILIDADE E DIREITOS DOS CIDADÃOS: BREVE DISCUSSÃO Ana Elizabeth Gondim Gomes Luciana Krauss Rezende Mariana Fernandes Prado Tortorelli Índice Mini currículo dos autores RESUMO Observa-se atualmente

Leia mais

Computação Móvel para Contribuir à Educação e Sustentabilidade ESTUDO DE CASO

Computação Móvel para Contribuir à Educação e Sustentabilidade ESTUDO DE CASO Computação Móvel para Contribuir à Educação e Sustentabilidade ESTUDO DE CASO Marina Palmito Costa Lucas Rezende Monteiro Escola de Arquitetura e Urbanismo Universidade Federal de Minas Gerais Computação

Leia mais

O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES

O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES ANDREZA APARECIDA POLIA 1 MARIA DA CONCEIÇÃO NARKHIRA PEREIRA 2 LEILANE BENTO DE ARAÚJO MENESES 3 KARL MARX

Leia mais

ACESSIBILIDADE EM BIBLIOTECAS

ACESSIBILIDADE EM BIBLIOTECAS ACESSIBILIDADE EM BIBLIOTECAS São Paulo, 13 de novembro de 2009 LEGISLAÇÃO E BIBLIOTECAS: DIREITOS DO USUÁRIO As bibliotecas têm a responsabilidade de garantir e de facilitar o acesso às manifestações

Leia mais

PATRÍCIA NEVES RAPOSO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA panera@brturbo.com.br

PATRÍCIA NEVES RAPOSO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA panera@brturbo.com.br PATRÍCIA NEVES RAPOSO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA panera@brturbo.com.br De quem são esses olhos? De quem são esses olhos? De quem são esses olhos? De quem são esses olhos? De quem são esses olhos?

Leia mais

Design Gráfico e Digital - Curso de Graduação

Design Gráfico e Digital - Curso de Graduação SOBRE O CURSO A graduação em Design Gráfico e Digital tem ênfase na convergência das plataformas da comunicação visual, gráficas e digitais, de forma a ampliar o campo de atuação do aluno. Oferece conteúdos

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Painel Braille para deficientes visuais: interface computacional. Palavras-chave: Painel Braille, Tecnologia Assistiva,

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: ELABORAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Resumo Gisele Gomes Avelar Bernardes- UEG 1 Compreendendo que a educação é o ponto chave

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e; RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011 Institui os procedimentos e orientações para Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Sistema Municipal de Ensino de Manaus. O CONSELHO

Leia mais

INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA

INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA INVESTIGANDO O ENSINO MÉDIO E REFLETINDO SOBRE A INCLUSÃO DAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PÚBLICA: AÇÕES DO PROLICEN EM MATEMÁTICA RESUMO Elissandra de Campos Viegas; Cibelle de Fátima Castro de Assis Universidade

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores OFICINA DE MATERIAIS DIDÁTICOS ADAPTADOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS: UM ESPAÇO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde

Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde Sociedade da Informação A exemplo das políticas adotadas pelas Nações Unidas, especialmente pela convenção das pessoas com deficiência, da qual o Brasil

Leia mais

Atores da Inclusão na Universidade Formação e Compromisso.

Atores da Inclusão na Universidade Formação e Compromisso. Atores da Inclusão na Universidade Formação e Compromisso. M. Cecilia C. Baranauskas M. Teresa E. Mantoan Atores da Inclusão na Universidade Formação e Compromisso. M. Cecilia C. Baranauskas M. Teresa

Leia mais

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS UMA EXTENSÃO AO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM MOODLE PARA A ADAPTAÇÃO DE CONTEÚDOS A PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Sérgio M. Baú Júnior* e Marco A. Barbosa* *Departamento de Informática

Leia mais

ROBÓTICA EDUCATIVA/PEDAGÓGICA NA ERA DIGITAL

ROBÓTICA EDUCATIVA/PEDAGÓGICA NA ERA DIGITAL ROBÓTICA EDUCATIVA/PEDAGÓGICA NA ERA DIGITAL João Vilhete Viegas d'abreu, Josué J. G. Ramos, Luiz G. B. Mirisola, Núbia Bernardi Núcleo de Informática Aplicada à Educação - NIED/UNICAMP; Centro de Tecnologia

Leia mais

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Considerações sobre o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência Vivemos um momento complexo no que diz respeito às pessoas com deficiência: por um lado, temos (no campo do Direito) uma legislação específica

Leia mais

POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES.

POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES. 1 POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Indaial, Maio, 2011. Tatiana dos Santos da Silveira - UNIASSELVI silsa@terra.com.br Educação Universitária Nível Meso Gerenciamento, Organização e Tecnologia

Leia mais

Unidade 13: Acessibilidade de OA

Unidade 13: Acessibilidade de OA Autoria: Braga, Juliana Cristina; França, Roberta Kelly A. de; Ponchio, Rita A... Estamos na fase final do processo INTERA, é importante que as etapas onde se trabalham as qualidades técnicas e pedagógicas

Leia mais

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA

ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA ENSINO DA DISCIPLINA DE GEOMETRIA ANALÍTICA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA Divane Marcon Fundação Universidade Federal do Pampa divanemarcon@unipampa.edu.br Fabiane C. Höpner

Leia mais

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO A inclusão é uma realidade mundial. Desde a Declaração de Salamanca em

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação)

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a inclusão digital, instalando computadores nas escolas públicas de ensino fundamental

Leia mais

Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020

Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020 Fórum Estadual de Educação PR Plano Nacional de Educação PNE 2011/2020 Sessão de Debate Regional Sudoeste, 01/07/2011 UTFPR Campus Pato Branco Região: Sudoeste Cidade: Pato Branco Data do debate: 01-07-2011

Leia mais

O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down

O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down O Uso de Software Livre Educacional com crianças portadoras de Síndrome de Down Marília A. Amaral 1,2, Renata Ramos Pires 2 1 Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento UFSC Universidade

Leia mais

REDE DE INTERCÂMBIO ENTRE ESTUDANTES: UMA NOVA PROPOSTA DE INTERATIVIDADE E COMUNICAÇÃO PARA O ENSINO À DISTÂNCIA

REDE DE INTERCÂMBIO ENTRE ESTUDANTES: UMA NOVA PROPOSTA DE INTERATIVIDADE E COMUNICAÇÃO PARA O ENSINO À DISTÂNCIA 1 REDE DE INTERCÂMBIO ENTRE ESTUDANTES: UMA NOVA PROPOSTA DE INTERATIVIDADE E COMUNICAÇÃO PARA O ENSINO À DISTÂNCIA Indaial - SC Abril/2011 Francieli Stano Torres UNIASSELVI chellystano@yahoo.com.br Luis

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB EDUCAÇÃO AMBIENTAL: INTEGRANDO SABERES EM UMA ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE CUITÉ PB 1 Cláudia Patrícia Fernandes dos Santos, UFCG 2 Marcondes Fernando Pereira Carvalho, UFCG 3 Edson de

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi 140 Saber Digital O USO DA TECNOLOGIA EM PROL DA EDUCAÇÃO: IMPORTÂNCIA, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO E DOCENTES COM A INTEGRAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS À EDUCAÇÃO. Gabriela

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ 1 A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUÇÃO CURRICULAR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE MARKETING NA MODALIDADE EAD DA UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ Maio/2007 Fabiano Palhares Galão - Unopar Universidade

Leia mais

PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL

PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia CADISTA PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL Ceilândia Outubro de 2014 Reitoria Wilson Conciani Reitor Adilson Cesar de

Leia mais

O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC

O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC O uso do DOSVOX no Laboratório de Informática Educativa do IBC Bianca Della Líbera Vanessa França da Silva Instituto Benjamin Constant Eixo Temático: Tecnologia assistiva Palavras chave: deficiência visual,

Leia mais

Um protótipo de ambiente de desenvolvimento Web para a linguagem R

Um protótipo de ambiente de desenvolvimento Web para a linguagem R Um protótipo de ambiente de desenvolvimento Web para a linguagem R Katiano Favretto 1, Willingthon Pavan 1, José Maurício Cunha Fernandes 2, Cristiano Roberto Cervi 3, Jaqson Dalbosco 1, Clyde William

Leia mais

Resumo Expandido. Resumo:

Resumo Expandido. Resumo: Resumo Expandido Título da Pesquisa: Desenvolvimento de Ferramenta de conversão de texto em fala Palavras-chave: Conversão Texto-Fala. Processamento textual. Microsoft. System.Speech. Síntese de texto.

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais