RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL"

Transcrição

1 RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo MATUCHESKI, Franciele Luci PUCPR Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas Agência Financiadora: não contou com financiamento Este trabalho tem por objetivo relatar uma experiência de estágio com aulas de Educação Física no contexto da Educação Física Infantil em um centro de Educação Infantil da Prefeitura de Curitiba. As idades das crianças que participaram das aulas foram de um ano e meio a três anos, distribuídas nas turmas de maternal I, maternal II e maternal III. Na Educação Infantil a Educação Física exerce um importante papel, pois, tem como essência o desenvolvimento das habilidades motoras básicas, que são essenciais para a realização de atividades motoras especializadas e consequentemente contribuem para a inserção do individuo ativo na sociedade. As aulas tiveram a frequência de uma vez por semana no período da tarde, durante o primeiro semestre de 2011, e o planejamento foi desenvolvido de acordo com os objetivos da Educação Física nesta fase educacional e os conteúdos distribuídos entre jogos e brincadeiras, brinquedos cantados, brinquedos alternativos e atividades rítmicas e expressivas. As aulas estão ostentadas em renomados autores da área como Garanhani (2008), Mattos e Neira (2008), Palma et.al (2008) e Freire (1991), que também fundamentaram este trabalho.com as aulas de Educação Física, que tiveram propostas diferenciadas do que já vinha sendo desenvolvida, fez com que os educandos tivessem um desenvolvimento e aprimoramento motor e cognitivo, além de contribuir para a sociabilização, para a afetividade e também para o desenvolvimento de valores humanos, tendo portanto, a Educação Física uma dimensão maior do que simplesmente o movimento pelo movimento na Educação Infantil, esta contribui para o desenvolvimento humano.este estágio foi de grande importância para o aprimoramento profissional, pois, a prática propicia a aquisição de diferentes conhecimentos que são indispensáveis para uma boa formação e também propicia indícios de que como ser um bom professor de Educação Física. Palavras-chave:. Educação Física. Educação infantil. Prática pedagógica. Introdução Este relatório foi desenvolvido acordo com o estágio supervisionado realizado na Educação Infantil em um Centro Municipal de Educação Infantil - CMEI, da Prefeitura de Curitiba, com as turmas do maternal I, do maternal II e do maternal III.

2 13152 A Educação Infantil é uma fase educacional crucial para o desenvolvimento da criança em diferentes dimensões como a motora, cognitiva, emocional e social, e para que este desenvolvimento global da criança seja conquistado com êxito, o papel do professor de Educação Física se torna imprescindível. Este papel neste contexto divide-se entre o cuidar e o ensinar, pois teoricamente, a Educação Infantil se concretiza na casa com os pais e familiares, mas, na prática, em virtude desta sociedade em que os pais precisam trabalhar em período integral, está função também foi resignada para a escola. O trabalhado desenvolvido nesta etapa de ensino, por educadores, professores e outros agentes educacionais, está comprometido com a formação desta criança em cidadão crítica e ativo na sociedade. O professor de Educação Física, na Educação Infantil, deve considerar o contexto da criança e respeitar as suas necessidades e limitações, por isso, o ato de brincar se torna uma ferramenta essencial de seu trabalho. Mas, para que a brincadeira e para que as aulas de Educação Física sejam significativas para o desenvolvimento da criança, os professores necessitam conhecer algumas particularidades como o desenvolvimento humano e as teorias de aprendizagem. O professor de Educação Física, precisa proporcionar as crianças diferentes estímulos, para que, estas se desenvolvam plenamente (MATTOS; NEIRA, 2008). Estes estímulos, devem levar em consideração as fases de desenvolvimento da criança, sendo na Educação Infantil de 0 a 5 anos de idade. Na acepção de Mattos e Neira (2008), o professor de Educação Física na Educação Física Infantil, deve ser um especialista em interação e um conhecedor da motricidade humana, visto que, nesta etapa de ensino, a criança está em um período sensível de desenvolvimento das habilidades motoras fundamentais que são a base para os movimentos especializados futuros que vão permitir o aluno a participar de esportes e executar movimentos adequados no trabalho e nos momentos de lazer. Para Gallahue e Ozmun (2005), a criança aos seis e sete anos de idade deverá estar com os movimentos fundamentais de locomoção, manipulação e estabilização maduros. E a partir disto, o papel do professor de Educação Física na Educação Infantil, é justificado, pois, este necessita promover atividades lúdicas correspondentes a faixa etária, mas, que acima do momento de lazer proporcione o desenvolvimento motor da criança, que é a essência da Educação Física.

3 13153 O CMEI, no qual foi desenvolvido as aulas de Educação Física, possui seis turmas, o berçário I e II, maternal I, maternal II e maternal III, e Pré, atendendo crianças dos 3 meses até 5 anos de idade. O aprendizado é ministrados dentro das salas por 3 professoras com o auxilio de 18 educadoras, sendo que ao todo são 150 alunos na escola divididos por turmas com aproximadamente 30 alunos por sala. A escola atende principalmente crianças de nível sócio econômico baixo e moradores de habitações simples de construção mista, onde a média de renda é de 1 a 3 salários mínimos. O estágio foi realizado no período da tarde das 13:30 até as 17:00 hrs, com as turmas do maternal I, II e III, com a faixa de idade variando entre 1 ano e 5meses até 3 anos. As aulas de Educação Física foram desenvolvidas em sua maioria nas salas de aulas, que têm um espaço que proporciona a realização de diferentes atividades, e também nos solários. Os materiais utilizados como corda, arco, balões, jornais, fitas, cd s, brinquedos alternativos entre outros, foram levados pelas estagiárias para a realização das atividades. A escola para trabalhar o desenvolvimento motor das crianças, possui brinquedos como peças de madeira, blocos de montar, motos de brinquedos, colchonetes, mas, frente a pouca quantidade, preferimos levar os materiais de forma que os mesmos fossem suficientes e promovessem os objetivos estabelecidos nos planejamentos. E também para proporcionar as educadoras possibilidades diferenciadas de trabalhos com o movimento. Os planejamentos das aulas levaram em consideração às necessidades motoras da faixa etária das crianças, assim como, a importância de sociabilização, e do lúdico para o desenvolvimento dos educandos. O lúdico foi enfatizado servindo de base para o trabalho do desenvolvimento motor; todas as aulas foram iniciadas com uma brincadeira cantada e com exercícios de alongamentos de maneira simbólica. As atividades propriamente ditas, em alguns momentos também foram fantasiosas, mas, que fizeram com que as crianças executassem diferentes ações corporais, que contribuíram para o desenvolvimento. Desenvolvimento

4 13154 O primeiro contato com a escola foi bem positivo, a diretora fez uma excelente recepção, apresentou as turmas, os espaços, as crianças, e também realizou sugestões e nos contou um pouco sobre a história e a rotina do CMEI. Os espaços apresentados correspondem com as necessidades das crianças, com salas amplas, solários, banheiros adaptados, refeitório, espaço livre para brincadeiras e playground. As salas, o espaço livre e os solários são locais nos quais as aulas de Educação Física foram realizadas e possibilitaram a realização de todas as atividades. A dificuldade foi em relação ao espaço livre, que é amplo, mas, tem acesso a rua, e as crianças ficam agitadas quando passam pessoas e/ ou carros. As educadoras no primeiro momento tiveram boa aceitação em ter aulas de Educação Física para as crianças, mas, em contra partida, não ofereceram nenhuma ajuda, o que de início gerou muita angústia e insegurança. A coparticipação, um momento tão esperado, foi uma faca de dois gumes, pois, enquanto no maternal I, as educadoras realizaram uma atividade de movimento a brincadeira da serpente- com início, meio e fim, e cumpriram o objetivo; no maternal II, as crianças ficaram brincando sem orientação com umas peças de madeiras, e no maternal III elas assistiram a um vídeo, que de nada contribuiu para o desenvolvimento motor. Após esta coparticipação, observou-se a necessidade de ir à busca de literaturas que dessem suporte para o planejamento das atividades nesta fase educacional, que é um momento tão importante e essencial na vida das crianças. E que acima de tudo, ajudasse a atingir os objetivos como o desenvolvimento motor, a aprendizagem motora e, sobretudo o controle motor que é fundamental nesta etapa. As brincadeiras, as músicas, os circuitos entre outras atividades foram experiências que a cada aula se aprimoraram, pois, as próprias crianças redefinem a aula pela motivação, entusiasmo e em algumas realizam sugestões. O trabalho com a Educação Física com várias datas a serem cumpridas, em um primeiro momento parecia complicado, pela falta de interesse de algumas educadoras, pela faixa etária, e até pelo contexto das crianças, que em sua maioria são carentes financeiramente e afetivamente. Mas, com o passar das aulas, tudo passou a ser um desafio, que só veio a contribuir com a formação, pois, este foi um momento de muito aprendizado prático, que é essencial e indispensável para uma boa formação.

5 13155 Para planejar as aulas, primeiramente foi construído um projeto de intervenção, no qual, foram colocados todas as aulas que seriam desenvolvidas, levando em consideração a faixa etária, o período sensível de desenvolvimento motor, as necessidades de sociabilização e interação, as teorias de aprendizagem e a abordagem utilizada que foi a desenvolvimentista. Para dar suporte na organização das aulas, foram utilizados os autores como Palma et al. (2008), os quais, sistematizaram os conteúdos da Educação Física da educação básica e contemplaram assim, a Educação Infantil. Os conteúdos se distribuíram em: conhecimento do corpo, movimentos locomotores fundamentais, jogos populares, expressão corporal, dança, brincadeiras cantadas, danças folclóricas e hábitos de higiene. Ademais, estes autores deixam claro, como devem ser trabalhados estes conteúdos, o que faz com que nas próximas séries as atividades não sejam repetidas. Teóricos como Piaget e Vygostky também foram considerados no planejamento e na execução das aulas, de modo que, o lúdico pelo lúdico não acontecesse, e os objetivos de desenvolvimento fossem atingidos. Assim como, a aprendizagem fosse concedida a todos os alunos, considerando as suas potencialidades e limitações. E foi a partir destes teóricos que as aulas diferenciadas foram planejadas, visto, que é importante propiciar diferentes estímulos, desequilibrando os alunos para que a aprendizagem aconteça. Como apontam Mattos e Neira (2008), as crianças para aprender necessitam ser estimulas a encontrar soluções para as tarefas difíceis, porém, passível de ser realizadas; é importante também combinar as ações com o que o aluno já conhece e ousar e ir além dos limites, fazendo que o aluno construa o conhecimento por meio de desafios. Seguindo os estudos de Piaget, é necessário que o aluno interaja com o objeto a ser conhecido, para assim, adquirir a aprendizagem; e é nessa perspectiva, que em quase todas as aulas os alunos exploraram o material, com o objetivo de além de gerar motivação, também facilitar a aquisição do conhecimento. Em relação à exploração do material há muito a se estudar, para desvendar questões encontradas na realização do estágio como, por exemplo, o porquê que em algumas turmas ocorre tranquilamente e em outras é quase impossível deixar o aluno interagir livremente com o material, em qual momento da aula é ideal? quanto tempo é necessário? Nas aulas que tiveram a exploração do material, esta foi realizada no final após a concretização das atividades, pois, anteriormente as crianças ficam muito agitadas e não se concentram no restante da aula. É claro, que o correto é deixar explorar o material e fazer um

6 13156 volta calma e posteriormente a isto, continuar a aula, mas, com o tempo médio de 30 minutos, que é o ideal para a faixa etária, é quase impossível. As aulas com o objetivo de aprimorar as habilidades básicas de movimento foram realizadas com materiais diferenciados para motivar os alunos na realização das mesmas. E, com a aprendizagem destas habilidades, assegurou-se o desenvolvimento das capacidades físicas e das capacidades perceptivo-motoras. A abordagem utilizada nas aulas, juntamente com a desenvolvimentista, foi à construtivista-interacionista, a qual é uma maneira de ultrapassar os moldes tradicionais de ensino, pois considera no processo de ensino e aprendizagem o conhecimento que o aluno já possui, resgatando a sua cultura de jogos e brincadeiras (DARIDO, 2008). Ademais, esta abordagem entre em consonância com a abordagem desenvolvimentista, que também é essencial e indispensável na Educação Infantil, já que, para Gallahue e Ozmun (2005), aos seis anos a criança já deve estar com os as habilidades motoras fundamentais em estágio maduro. E estas aulas, também levaram em consideração os três eixos propostos no caderno pedagógico de movimento da Prefeitura Municipal de Curitiba (2009), que são: autonomia e identidade corporal, sociabilização e ampliação das práticas corporais infantis. A autonomia e identidade corporal foram trabalhadas por meio de brincadeiras cantadas a atividades com materiais como balões, jornais; fazendo com que o aluno conheça o seu corpo e dos outros. A sociabilização embora não foi um objetivo geral das aulas, estava presente em todas as atividades de modo que o aluno aprimorasse o trabalho em equipe e que respeitasse os colegas durante as brincadeiras; e por fim, a ampliação de práticas corporais, que foi claramente trabalhada, visto que, as crianças não possuem muitas aulas dirigidas do movimento. E com estes três eixos, pode-se ampliar a cultura corporal dos educandos de modo a contribuir para a sua formação humana. E ainda, o movimento foi trabalhado na forma de linguagem com os alunos, já que estes se comunicam e se expressam pelo movimento, de modo que, não só se desenvolva as habilidades motoras, mas também, as capacidades expressivas. As aulas foram realizadas neste ano de 2011 nas seguintes datas: 17/03 com a observação do local de estágio, 24/03 com a coparticipação, 31/03 atividades com balão, 07/04 atividades com corda, 14/04 com os movimentos locomotores, 05/05 foi trabalhado o desenvolvimento motor, 12/05 atividades de expressão corporal com fita, 19/05 movimentos

7 13157 manipulativos com jornais, 26/05 atividades com arco, 02/06 foi realizado um momento com materiais alternativos como caixas de papelão, garrafas etc., 09/06 circuito locomotor, e o estágio foi finalizado no dia 16/06 com a ginástica artística. O estágio foi realizado das 13:30 até 17:00 hrs. As aulas foram realizadas por duas estagiárias de Educação Física de uma universidade de grande porte. conseguiu atingir os objetivos dos exercícios propostos, forneceu instruções visuais e orais para os alunos, proporcionou a sociabilização entre eles e teve como dificuldade o domínio dos alunos em alguns momentos das aulas; dificuldade a qual foi vivenciada e analisada pela dupla. Mas como os objetivos das aulas estavam sendo atingidos, não nos prendemos ao comportamento, até porque, o tempo de estágio é curto se comparado com o tempo que as educadoras permanecem com os alunos, então, em alguns momentos estas nos ajudavam, e buscamos driblar a agitação das crianças com brincadeiras que prendessem a atenção delas. Os planejamentos como já mencionado foram elaborados em conjunto e embasadas em autores do desenvolvimento infantil, das teorias de aprendizagem, especialistas em Educação Física Escolar e no caderno pedagógico da Prefeitura Municipal de Curitiba. Portanto, foram bem elaborados e foi um alicerce para as aulas, que tiveram começo, meio e fim bem definidos. Nestes, também foram colocados mais atividades para o tempo estipulado, para que também subsidiasse em qualquer emergência. Os alunos em totalidade gostaram das atividades e dos materiais, e no decorrer das aulas, estes foram mostrando evoluções nas habilidades motoras básicas como no andar, correr, saltar, lançar; alguns também aprimoraram o equilíbrio, o conhecimento do corpo e a noção de tempo e espaço. A sociabilização entre os educandos também foi desenvolvida nas aulas de Educação Física, pois, de inicio muitos não queriam realizar as atividades, não compartilhavam brinquedos, e ao final das aulas, já estavam trabalhando em grupo e participando atividades das brincadeiras. Estas evoluções tanto motoras quanto sociais, foram observadas, não houve tempo hábil para mensurá-las de maneira quantitativa, e as avaliações das aulas foram estas observações nas melhoras, tendo como base autores que descrevem o desenvolvimento da criança pequena. Ademais, esta forma de avaliar, contempla a abordagem pedagógica da Educação Física, a qual estruturou as aulas, que é a desenvolvimentista, mas também a construtivista-interacionista, que visa uma dimensão maior do que os dados nos moldes

8 13158 tradicionais, e, valoriza a interação do indivíduo no ambiente, propicia diferentes experiências e considera os conhecimentos que os alunos já possuem. Pois como aponta Darido (2008), a abordagem construtivista-interacionista não escolhe os alunos mais habilidosos, e proporciona possibilidades de aprendizagens a todos, considerando as suas potencialidades e limitações. Conclusão A partir dos estágios com as aulas de Educação Física na Educação Infantil, foi possível adquirir novos conhecimentos sobre esta fase educacional, como por exemplo, as atividades que potencializam o desenvolvimento motor, cognitivo, afetivo e social das crianças, as atividades que são de interesse destas crianças, a importância do lúdico nas aulas, entre outros, que enriquecem a prática profissional. As aulas com diferentes objetivos, que se distribuíram principalmente no desenvolvimento e aprimoramento do esquema corporal, da estruturação espacial e da orientação temporal, fizeram com que as crianças além de se divertirem com as atividades de movimento diferenciadas, também conquistassem um melhor domínio corporal, equilíbrio, lateralidade, entre outras habilidades, que são indispensáveis para o crescimento e desenvolvimento. Muitos autores reforçam a necessidade da Educação Física para o desenvolvimento da criança, Mattos e Neira (2008), salientam que o desenvolvimento da lateralidade, da noção temporal, facilita a alfabetização, pois, segundo estes mesmos autores, como é possível uma criança escrever em uma pequena folha, com linhas, se esta, não domina o conhecimento do próprio corpo. Para Gallahue e Ozmun (2008), estas atividades, que os quais denominam perceptivomotoras, além de contribuir para o desenvolvimento das habilidades motoras básicas, também podem potencializar o desempenho acadêmico da criança, já que as habilidades motoras estão inter-relacionadas com o cognitivo Mattos e Neira (2008) comentam que as ações motoras são à base do desenvolvimento cognitivo. As brincadeiras foram à essência das aulas, pois, este é o meio mais favorável de aprendizagem da criança, mas, estas, estavam fundamentadas teoricamente, e com objetivos bem definidos, pois, como comenta Garanhani (2008), o lúdico pelo lúdico não desenvolve.

9 13159 Portanto, brincando com ou sem materiais, as crianças apresentaram uma melhora nas habilidades motoras básicas como caminha, correr, saltar, agarrar, lançar, e um maior envolvimento com os demais colegas. E, foi possível também verificar uma melhora cognitiva, já que no decorrer das aulas a compreensão das atividades foi ficando mais fácil para os alunos, e estes já opinavam sobre as atividades que mais gostavam. Com este estágio, foi possível verificar de fato, a importância da Educação Física para as crianças pequenas, pois, estas estão no período sensível de desenvolvimento, e necessitam de atividades adequadas para este período e que acima de tudo, seja também prazerosa. E como já foi visto, estas atividades devem ter objetivos embasando as brincadeiras, e os movimentos das crianças devem ser encarados com muita intenção e significado (MATTOS E NEIRA, 2008). O professor de Educação Física é um especialista em movimento humano, conhece os períodos sensíveis dos seus alunos e as estratégias para o desenvolvimento das habilidades motoras. Há estudos de autores renomados na área como Garanhani (2008), que apontam a importância deste profissional no contexto da Educação Infantil, e também apontam as atividades que mais contribuem com esta fase. Com o estágio, foi possível verificar que além das brincadeiras, é possível trabalhar com os jogos, com as atividades rítmicas e expressivas, com circuitos, que aumentam o acervo motor e cognitivo da criança pequena; além de propiciar novos desafios e consequentemente novas aprendizagens. Ademais, o estágio se torna uma prática necessária e indispensável na formação de um bom professor de Educação Física, uma vez que propicia conhecimentos práticos que muitas vezes a teoria por si só não subsidia as ações pedagógicas. REFERÊNCIAS CURITIBA. Caderno Pedagógico Educação Infantil. Movimento Disponível: Acesso em: 20.Mar DARIDO, Suraya Cristina;Rangel, Irene Conceição Andrade. Educação Física na Escola: Implicações para a Prática Pedagógica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, GARANHANI, Marynelma. A Educação Física Na Educação Infantil: uma proposta em construção. In: FILHO, Nelson Figueredo de Andrade. (org). Educação Física para a Educação Infantil: Conhecimento e Especificidade. Sergipe: UFS, 2008.

10 13160 MATTOS, Mauro Gomes; NEIRA Marcos Garcia. Educação Física Infantil: Construindo o Movimento na Escola. 7ºed. São Paulo: Phorte, PALMA, Ângela Pereira Teixeira Victoria; et al. Educação Física e a Organização Curricular. Londrina: Eduel, 2008.

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS Resumo Scheila Medina 1 - PUCPR Luís Rogério de Albuquerque 2 - PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO Na vida de uma criança, para além do entretenimento, o jogo

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Resumo Juliana Silva Cristina 1 - UFU Maria Clara Elias Polo 2 - UFU Grupo de Trabalho - Formação

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL Acacia Silva Alcantara Graduanda/UEPB Danielly Muniz de Lima Graduanda/UEPB Glória Mª Leitão de Souza

Leia mais

AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Bianca das Neves Silva Professora da rede municipal de Jundiaí Profa. Dra. Luciene Farias de Melo Coord. do Curso de Educação Física da Faculdade

Leia mais

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

1. Pedagogia do esporte: características e princípios básicos

1. Pedagogia do esporte: características e princípios básicos Introdução Atualmente, o esporte possui enorme popularidade no cenário mundial, o que leva milhões de crianças e adolescentes a praticá-lo em alguma escola de iniciação esportiva. Dentre as inúmeras modalidades

Leia mais

Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio Brandl Neto

Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio Brandl Neto O PIBID COMO POSSIBILIDADE COLABORATIVA ENTRE O ENSINO SUPERIOR E A EDUCAÇÃO BÁSICA PARA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA AS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE AULAS MINISTRADAS POR PROFESSORES FORMADOS NA ÁREA.

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA AS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE AULAS MINISTRADAS POR PROFESSORES FORMADOS NA ÁREA. EDUCAÇÃO FÍSICA PARA AS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE AULAS MINISTRADAS POR PROFESSORES FORMADOS NA ÁREA. Inácio Brandl Neto 1 Carmem Elisa Henn Brandl 2 Resumo Este artigo se

Leia mais

COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR.

COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR. COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR. Michely Mattia* Joel Oliveira de Souza** Morgana Claudia

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL * Rita de Cássia Lindner Kaefer **Ana Eleonora Sebrão Assis RESUMO O objetivo do presente artigo é apresentar uma reflexão a respeito da importância

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA Resumo Gisele Brandelero Camargo 1 - UEPG Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora:

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 3 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA ATIVIDADE ESPORTIVA SOBRE ASPECTOS COGNITIVOS DE CRIANÇAS.

A INFLUÊNCIA DA ATIVIDADE ESPORTIVA SOBRE ASPECTOS COGNITIVOS DE CRIANÇAS. A INFLUÊNCIA DA ATIVIDADE ESPORTIVA SOBRE ASPECTOS COGNITIVOS DE CRIANÇAS. Resumo SOUZA, Daiane Silva De - PUCPR daianedesouza10@gmail.com RICOBONI, Henry Marcos Gomes - PUCPR henryricoboni@gmail.com Área

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO FÍSICA

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO FÍSICA PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO FÍSICA SMED / 2015 Coordenador Equipe Pedagógica: Prof. Theodorico M. dos Santos. Coordenadora de área de Ed. Física: Profª Rosane A. B. Alves. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA

Leia mais

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Ao conceber as instituições de Educação Infantil como espaços onde ocorre o processo educativo, processo este pelo qual os homens apropriam-se do desenvolvimento

Leia mais

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto Diversos pesquisadores têm

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu

Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL CONCEPÇÃO No decorrer do processo sócio-histórico, o homem se humaniza pelas relações sociais que estabelece por meio de sua

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA CYRILO, Silvana Pereira São silvanapscyrilo@gmail.com SAITO, Heloisa Toshie Irie (Orientadora) Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2º/2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Série / Ano 6º A Carga Horária Semanal: 4 horas Semestral: 80 horas Anual:

PLANO DE ENSINO 2º/2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Série / Ano 6º A Carga Horária Semanal: 4 horas Semestral: 80 horas Anual: Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2º/2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Pedagogia Disciplina

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso A influência do jogo e desenvolvimento cognitivo, motor e social da criança: análise dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Leia mais

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS MANIFESTAÇÕES LÚDICAS NO RECREIO DE CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS GERAÇÕES

7º Simpósio de Ensino de Graduação AS MANIFESTAÇÕES LÚDICAS NO RECREIO DE CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS GERAÇÕES 7º Simpósio de Ensino de Graduação AS MANIFESTAÇÕES LÚDICAS NO RECREIO DE CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS GERAÇÕES Autor(es) KELLY CRISTINA SILVA COTA Co-Autor(es) CAROLINE MANESCO

Leia mais

MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE

MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DE EDUCADORES AS DIMENSÕES DO CONTEÚDO DE JOGOS E BRINCADEIRAS Oficina Teórica e Prática PROF. POLLYANNA PESSOA DIAS QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DE EDUCADORES

Leia mais

O PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS AULAS DE JOGOS ESPORTIVOS COLETIVOS EM ESCOLAS DO CEAGB

O PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS AULAS DE JOGOS ESPORTIVOS COLETIVOS EM ESCOLAS DO CEAGB ISSN: 1981-3031 O PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS AULAS DE JOGOS ESPORTIVOS COLETIVOS EM ESCOLAS DO CEAGB Wagner Tenorio Cavalcante Brito Medeiros¹ Eriberto José Lessa de Moura² RESUMO Existe um vasto

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO EXTERNO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL: A CONSTRUÇÃO DE UM DOCUMENTO PEDAGÓGICO

ORIENTAÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO EXTERNO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL: A CONSTRUÇÃO DE UM DOCUMENTO PEDAGÓGICO ORIENTAÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO EXTERNO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL: A CONSTRUÇÃO DE UM DOCUMENTO PEDAGÓGICO Resumo GARANHANI, Marynelma Camargo 1 - UFPR Grupo de Trabalho Educação da

Leia mais

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo RIBEIRO, Amanda de Cassia Borges - UFSM acbr_amanda@hotmail.com JAHN, Angela Bortoli UFSM abjahn@terra.com.br BELING, Vivian Jamile UFSM

Leia mais

PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Edna Neves Pereira (1); Dacielle Antunes Santos (1); Sandra Alves de Oliveira

Leia mais

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. O projeto - o lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS.

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. Elaine Cristina Rodrigues Gomes Vidal. Gruhbas Projetos Educacionais

Leia mais

Suzana Bastos Ribas Koren Denis Marcelo Modeneze Evandro Murer Gláucia Regina Falsarella Renata Serra Sequeira

Suzana Bastos Ribas Koren Denis Marcelo Modeneze Evandro Murer Gláucia Regina Falsarella Renata Serra Sequeira 4 A Educação Física Escolar: Estímulo ao Crescimento e Desenvolvimento para uma Vida com Qualidade Suzana Bastos Ribas Koren Mestre em Educação Física UNICAMP Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO MOTORA PARA SISTEMATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO MOTORA PARA SISTEMATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO MOTORA PARA SISTEMATIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Carmem Elisa Henn Brandl 1 Inácio Brandl Neto 2 RESUMO A presente pesquisa faz parte de

Leia mais

ESPORTES E JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS COLETIVOS: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO NO CEU TRÊS LAGOS

ESPORTES E JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS COLETIVOS: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO NO CEU TRÊS LAGOS Universidade de Brasília FERNANDA APARECIDA CORTACCI SAIKALI ESPORTES E JOGOS PRÉ-DESPORTIVOS COLETIVOS: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA O PROGRAMA SEGUNDO TEMPO NO CEU TRÊS LAGOS São Paulo 2007 8 FERNANDA

Leia mais

A EDUCAÇÃO FÍSICA SOB O PONTO DE VISTA DE ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

A EDUCAÇÃO FÍSICA SOB O PONTO DE VISTA DE ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR A EDUCAÇÃO FÍSICA SOB O PONTO DE VISTA DE ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR MOURA, Gabriela 1 - PUCPR QUADROS, Emanuele 2 - PUCPR KOGUT, Maria Cristina 3 - PUCPR Grupo de Trabalho- Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A INFLUÊNCIA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA MILEO, Thaisa Rodbard thaisamileo@hotmail.com KOGUT, Maria Cristina Cristina.k@pucpr.br Eixo Temático:

Leia mais

DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL

DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL DESENVOLVENDO A ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL ATRAVÉS DOS PRÍNCÍPIOS DO FUTSAL Valéria Queiroz David 1 Simone Moreira 2 Maurício Augusto Pereira 3 Elix Victor Palomari Silva 4 Leonardo Celestino da Silva

Leia mais

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC)

FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) 1 FERNANDO FERNANDES DA SILVA PRODUÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA (OAC) IES: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA ORIENTADOR: Prof. DARTAGNAN PINTO GUEDES ÁREA CURRICULAR: EDUCAÇÃO FÍSICA DEZEMBRO 2008 LONDRINA

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO QUANTO À IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO QUANTO À IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL ISBN 97-5-191-5-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 3 de outubro de 29 PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO QUANTO À IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NAS SÉRIES

Leia mais

MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II

MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II Desenvolver reações físicas - rítmicas à música (palmas, marchas, etc); Representar, com movimentos corporais elementos e objetos do meio circundante; Deslocar com

Leia mais

AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO E TREINAMENTO DESPORTIVO

AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO E TREINAMENTO DESPORTIVO AJES - INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO VALE DO JURUENA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO E TREINAMENTO DESPORTIVO A PRÁTICA DO FUTSAL COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DO 9 ANO DA ESCOLA

Leia mais

CANTIGAS DE RODA, RODAS CANTADAS E BRINCADEIRAS EM RODA: UMA ESCRITA COM DIFERENTES AUTORES(AS)

CANTIGAS DE RODA, RODAS CANTADAS E BRINCADEIRAS EM RODA: UMA ESCRITA COM DIFERENTES AUTORES(AS) CANTIGAS DE RODA, RODAS CANTADAS E BRINCADEIRAS EM RODA: UMA ESCRITA COM DIFERENTES AUTORES(AS) Everton Arruda Irias E.P.G. Paulo Freire O desenvolvimento deste trabalho aconteceu no primeiro semestre

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA Thaylisa Almeida Franco 1 Sandra Aparecida Machado Polon 2 RESUMO: Este artigo é resultado do Estágio Supervisionado na Educação Infantil.

Leia mais

CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA

CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA CONSTRUINDO PONTES: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERCÂMBIO CULTURAL E TECNOLÓGICO ENTRE TRÊS ESCOLAS PÚBLICAS DO BRASIL E DA ARGENTINA Resumo Jessiel Odilon Junglos 1 - FURB Mauricio Capobianco Lopes 2 - FURB

Leia mais

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE.

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. Viviane de Almeida Silva (Graduanda em Pedagogia UEPB) Lilian de Araújo

Leia mais

RESUMO. Palavras Chaves: educação física, formação de professor, práticas pedagógicas. Albuquerque Denise Ivana de P¹. Thaís Fernanda de Carvalho²

RESUMO. Palavras Chaves: educação física, formação de professor, práticas pedagógicas. Albuquerque Denise Ivana de P¹. Thaís Fernanda de Carvalho² Abordagem Didático-Pedagógica do Processo Ensino-Aprendizagem da Educação Física Escolar na Educação Infantil e no Ensino Fundamental de 1ª a 4ª série. Albuquerque Denise Ivana de P¹. Thaís Fernanda de

Leia mais

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em

Procuramos verificar o que propõem alguns professores que ministram disciplinas relacionadas aos temas em questão nos cursos de licenciatura em A SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR RELACIONADA AOS TEMAS JOGOS E BRINCADEIRAS E CAPOEIRA, NA PERSPECTIVA DE DOCENTES DO ENSINO SUPERIOR André Barros Laércio Iório Luciana Venâncio

Leia mais

A RELAÇÃO DA NATAÇÃO COM O CONTEÚDO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

A RELAÇÃO DA NATAÇÃO COM O CONTEÚDO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 A RELAÇÃO DA NATAÇÃO COM O CONTEÚDO CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL Patrícia Ribeiro¹; Guilherme

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE PROFISSIONAL NO ESTÁGIO DE REGÊNCIA DE INGLÊS 1

A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE PROFISSIONAL NO ESTÁGIO DE REGÊNCIA DE INGLÊS 1 80 A CONSTRUÇÃO DE IDENTIDADE PROFISSIONAL NO ESTÁGIO DE REGÊNCIA DE INGLÊS 1 Raquel Gamero 2 Vera Lúcia Lopes Cristovão 3 RESUMO: Desenvolvido em um contexto de prática de ensino, no qual o modelo adotado

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO 0 Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO Margarida Fernandes de Sousa Graciano Autora: Cristiane Pereira

Leia mais

Psicomotricidade na Educação Infantil. e suas contribuições no desenvolvimento e no. processo da aprendizagem.

Psicomotricidade na Educação Infantil. e suas contribuições no desenvolvimento e no. processo da aprendizagem. A importância da Psicomotricidade na Educação Infantil e suas contribuições no desenvolvimento e no processo da aprendizagem. O que é psicomotricidade? É a relação entre os aspectos motores, intelectuais

Leia mais

o Movimento do corpo Infantil: uma linguagem da criança

o Movimento do corpo Infantil: uma linguagem da criança o Movimento do corpo Infantil: uma linguagem da criança Marynelma Camargo Garanhani Lorena de F. Nadolny Universidade Federal do Paraná Curitiba Resumo: Educadores e professores encontram-se em um processo

Leia mais

Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida *

Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida * Formação Continuada de Professores de Matemática: Uma Extensão Válida * Mariene Helena Duarte¹, Maria da Gloria Bastos de Freitas Mesquita² marieneduarte@hotmail.com ¹ Graduanda em Química Bolsista Iniciação

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa RESUMO Jacyene Melo de Oliveira Araújo Profª Drª UFRN- CE-SEDIS Os Estágios

Leia mais

Palavras-chave: Educação Especial; Educação Escolar Indígena; Censo Escolar

Palavras-chave: Educação Especial; Educação Escolar Indígena; Censo Escolar INTERFACE DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: ALGUMAS REFLEXÕES A PARTIR DO CENSO ESCOLAR SÁ, Michele Aparecida de¹ ¹Doutoranda em Educação Especial - UFSCar CIA, Fabiana² ²Professora Adjunta

Leia mais

TÍTULO: BIOMECÂNICA, EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E FORMAÇÃO DOCENTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA

TÍTULO: BIOMECÂNICA, EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E FORMAÇÃO DOCENTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO: BIOMECÂNICA, EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR E FORMAÇÃO DOCENTE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO AUTOR(ES):

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1 JARDIM, Aline 2 ; CAMPARA, Francieli 3 ; SOUZA, Carmen R. S. 4 1 Relatório de Estágio Supervisionado - UNIFRA. 2 Acadêmica do Curso de

Leia mais

Planos de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Planos de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial Planos de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Móveis FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II

VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II VIVÊNCIAS NO PIBID/EDUCAÇÃO FÍSICA/UNIUBE: ASSOCIANDO CULTURA E HABILIDADES MOTORAS NO ENSINO FUNDAMENTAL II Jackson Rodrigues Cordeiro 1, Cíntia Silva de Oliveira 2, Silas Queiroz de Souza 3, Marcelo

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Fabíola Nascimento dos Santos Paes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco fabiola.paes@gmail.com Dorghisllany

Leia mais

USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO

USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO Vera Lucia de Souza 1 ; Monique de Campos Ribeiro 2 ; Maria Rosa Leite da Silva 3; Kátia Nakamura 4; Maria de Lourdes dos Santos 5 1Bolsista/PIBID/PEDAGOGIA/UFGD.

Leia mais

A Importância de Atividades Psicomotoras no Processo de Ensino e Aprendizagem

A Importância de Atividades Psicomotoras no Processo de Ensino e Aprendizagem A Importância de Atividades Psicomotoras no Processo de Ensino e Aprendizagem Thaís de Pádua dos santos 1 Juliana de Alcântara Silveira Rubio 2 Resumo Este artigo expõe a aquisição da construção do conhecimento

Leia mais

Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão.

Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão. HABILIDADES MOTORAS HABILIDADE MOTORA Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão. Gallahue, 2008 Atos motores que surgem dos movimentos da vida diária do ser humano e dos animais,

Leia mais

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Andréa Nogueira de Souza¹; Andreza Emicarla Pereira Calvacante²; Francicleide Cesário

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SÉRIE: 6º ANO PROFESSORA:

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO

RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA INTRODUÇÃO Na EEMASA - Escola Estadual Maria Augusta Silva Araújo, antes do início do ano letivo, professores, coordenação pedagógica e direção da escola definem coletivamente, em

Leia mais

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento.

Palavras chaves: Criança, Educação Infantil, Corpo e Movimento. CORPO E MOVIMENTO: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOS PROFESSORES NA EDUCAÇÃO INFANTIL Tamiris Andrade dos Santos (UEL) tamiris_152@hotmail.com Gilmara Lupion Moreno gilmaralupion@uel.br RESUMO: Sabe-se da importância

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA INTRODUÇÃO Silvane Santos Souza(UNEB/Lusófona) No contexto atual em que a educação encontra-se inserida, surgem muitas inquietações

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA

JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA INTRODUÇÃO Juliana Karol de Oliveira Falcão¹ E-mail: julianakarol-16@hotmail.com Arthur Rodrigues de Lima² E-mail: arthur.rlima@hotmail.com

Leia mais

Educação Pré-escolar: Expressão e Educação Físico Motora

Educação Pré-escolar: Expressão e Educação Físico Motora Educação Pré-escolar: Expressão e Educação Físico Motora O corpo que a criança vai progressivamente dominando desde o nascimento e de cujas potencialidades vai tomando consciência, constitui o instrumento

Leia mais

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster.

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster. ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO A IDENTIDADE DOCENTE DO LICENCINADO EM PEDAGOGIA Sunária Rodrigues da Silva (sunariasilvagbi@hotmail.com) Maurina Souza Alves (maraalvespma@hotmail.com) Este trabalho

Leia mais

A VALORIZAÇÃO DO LÚDICO NO CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL MARGARIDINHA 1

A VALORIZAÇÃO DO LÚDICO NO CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL MARGARIDINHA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PROGRAMA NACIONAL ESCOLA DE GESTORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA A VALORIZAÇÃO DO LÚDICO NO CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO

ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO NADOLNY, Lorena de Fatima PMC e UFPR lorenaedf@gmail.com GARANHANI, Marynelma Camargo-

Leia mais

PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL

PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL Renata Fonseca Bezerra¹, Eliete Alves de Sousa¹, Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Francisco Cleiton da Rocha²

Leia mais

Software do tipo simulador e os conteúdos de química

Software do tipo simulador e os conteúdos de química Software do tipo simulador e os conteúdos de química Any C. R. Silva (IC) *1, Bianca C. Nabozny (IC)¹, Leila I. F. Freire (PQ)² 1 Licenciatura em Química - UEPG; 2 Departamentos de Métodos e Técnicas de

Leia mais

Jogos musicais com crianças de 3 a 5 anos: uma experiência com a leitura das notas musicais no pentagrama

Jogos musicais com crianças de 3 a 5 anos: uma experiência com a leitura das notas musicais no pentagrama Jogos musicais com crianças de 3 a 5 anos: uma experiência com a leitura das notas musicais no pentagrama Maria Luiza Feres do Amaral liza.amaral@hotmail.com Mônica Zewe Uriarte uriarte@univali.br Edson

Leia mais

A EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL: RELAÇÃO ENTRE LIMITES E FREIO INIBITÓRIO

A EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL: RELAÇÃO ENTRE LIMITES E FREIO INIBITÓRIO A EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL: RELAÇÃO ENTRE LIMITES E FREIO INIBITÓRIO Henrique Pureza de Souza Ana Eleonora Sebrão Assis RESUMO Este trabalho é resultado da pesquisa realizada para

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN

A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN A IMPORTÂNCIA DA PSICOMOTRICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PRÁTICAS DESENVOLVIDAS NO CENTRO EDUCACIONAL LUÍS DA CÂMARA CASCUDO EM MACAÍBA / RN Autora: Eliza Christina Toscano de Mendonça 1 Co-autores: Luanda

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Educação. em territórios de alta. vulnerabilidade

Educação. em territórios de alta. vulnerabilidade Educação em territórios de alta vulnerabilidade 1 A pesquisa procura responder à seguinte questão: A vulnerabilidade social do território inf luencia a qualidade da escola? Como? Por que foi feita a pesquisa?

Leia mais

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Rose Madalena Pereira da Silva (Pedagoga e Tutora em EaD) Sara Ingrid Borba (Pedagoga, Mestre em educação e Tutora em EaD) RESUMO Este

Leia mais

PLURALIDADE CULTURAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A CONTRIBUIÇÃO DE DIFERENTES POVOS

PLURALIDADE CULTURAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A CONTRIBUIÇÃO DE DIFERENTES POVOS PLURALIDADE CULTURAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: A CONTRIBUIÇÃO DE DIFERENTES POVOS BENTO *, Clovis Claudino NEFEF/UFSCar SPQMH bentocc@bol.com.br GONÇALVES JUNIOR **, Luiz PPGE NEFEF/DEFMH/UFSCar

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1. PERFIL DO CURSO O Curso de Pedagogia da PUC Minas, alinhado com o ideário humanista defendido pela Instituição, compromete-se com

Leia mais

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas

EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7.ºANO EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA - Disciplina semestral 32 aulas previstas CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados

Leia mais

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Daniele Barros Vargas Furtado Universidade Federal de Santa Maria dbvfurtado@yahoo.com.br Resumo Sendo a matemática tão presente em

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 24/2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia, na

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS Adriana Teixeira Gomes Jediã Ferreira Lima Rosana Marques de Souza Secretaria

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES RECREATIVAS E LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE UMA INSTITUIÇÃO SOCIAL A PARTIR DE UM PROJETO DE GRADUAÇÃO

O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES RECREATIVAS E LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE UMA INSTITUIÇÃO SOCIAL A PARTIR DE UM PROJETO DE GRADUAÇÃO O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES RECREATIVAS E LÚDICAS PARA CRIANÇAS DE UMA INSTITUIÇÃO SOCIAL A PARTIR DE UM PROJETO DE GRADUAÇÃO Resumo LONGO, Paula Fernanda - PUCPR paulafernandalongo@yahoo.com.br ALMEIDA,

Leia mais

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes

As crianças, a cultura. Lisandra Ogg Gomes As crianças, a cultura lúdica e a matemática Lisandra Ogg Gomes Aprendizagens significativas: Como as crianças pensam o cotidiano e buscam compreendê-lo? (Caderno de Apresentação, 2014, p. 33). O que as

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA.

DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA. DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA. Amanda Pathiely Serrânia Faria UFG/FEFD 1 Orientador e Coautor: Prof. Dr. Alexandre Ferreira UFG/FEFD 2 Graduanda do curso de Licenciatura

Leia mais

Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque

Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque O Desenvolvimento Motor (DM) pode ser entendido como um processo seqüencial, contínuo e relacionado à idade cronológica, pelo qual o ser humano

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul PROGRAMA DE ENSINO

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense - Campus Santa Rosa do Sul PROGRAMA DE ENSINO PROGRAMA DE ENSINO CURSO: Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio DISCIPLINA: Educação Física 2º Ano PERÍODO LETIVO: 2015 CARGA HORÁRIA: 80H PROFESSOR: Paulo Fernando Mesquita Junior EMENTA 1.

Leia mais

EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA GARANHANI, Marynelma Camargo UFPR marynelma@ufpr.br Área Temática: Profissionalização Docente

Leia mais

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica EDUCAÇÃO E PROFESSOR DIANTE DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Resumo Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Orientadora: Profª Ms. Eliane Brito de Lima- UEPB/PMCG eliabrito@ig.com.br

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A EVOLUÇÃO DAS CRIANÇAS

PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A EVOLUÇÃO DAS CRIANÇAS PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A EVOLUÇÃO DAS CRIANÇAS Ana Eleonora Sebrão Assis* RESUMO Este trabalho é resultado do estágio supervisionado III do curso de pós-graduação lato-sensu

Leia mais

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA SILVA, José Roberto Alves da 1 - UEPA Resumo Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância nº2 ( Brejo ) Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Agrupamento de Escolas de Samora Correia Direcção Executiva Conselho

Leia mais