BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDOS Turma Disponível em:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDOS Turma 2013. Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310"

Transcrição

1 BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDOS Turma Disponível em: IMPACTOS AMBIENTAIS GERADOS POR RESÍDUOS DE OBRAS RODOVIÁRIAS DEPOSITADOS À MARGEM DE CÓRREGO EM SUMARÉ-SP VINICIUS LUCIANO MORELI*, RUBENS MARIANO JUNIOR* & ARTHUR HENRIQUE CONDÉ Curso de graduação Faculdade de Engenharia Elétrica/UNICAMP dos autores correspondentes: e RESUMO: O presente trabalho tem por objetivo mostrar e discutir possíveis irregularidades da empresa Ellenco, terceirizada da AutoBan (concessionária de estradas no estado de São Paulo), que têm jogado uma grande quantidade de terra e entulho em um terreno localizado na frente da casa de um dos membros do grupo. De acordo com queixas de vizinhos da localidade, na área existem nascentes d água, o que tornaria a ação da empresa irregular. Partindo disso, o grupo propôs estudar o caso a fim de analisar possíveis ações que poderiam se tomadas para garantir a preservação ambiental do local. Ao decorrer da analise foi verificado outros pontos que poderiam ser graves infringências ambientais, tais como estabilidade do talude de terra que foi depositada, assoreamento de córregos que margeiam o terreno, alagamentos de ruas considerando que anteriormente o terreno servia para contenção de inundações. A partir destes pontos levantados, foi possível consultar especialistas e órgãos competentes para realização de uma denúncia ambiental. O crescimento urbano, consequência do aumento populacional, leva a expansão das cidades sobre ambientes naturais muitas vezes não respeitando limites estabelecidos essenciais para a conservação ambiental. Este avanço expõe frágeis estruturas da natureza, tais como nascentes d água e seus cursos, cada vez mais próximos do ambiente urbano, que necessitam de preservação cuidadosa. Aspecto importante consequente do desenvolvimento urbano, o aumento das inundações, de acordo com TUCCI & COLLISHONN (1998), é decorrência da redução da capacidade de escoamento provocada pelo assoreamento dos condutos e canais e não somente resultado do aumento da vazão. Sendo assim, sedimentos provenientes durante o desenvolvimento urbano comprometem a capacidade de escoamento de cheias dos canais, provocando as inundações em ruas e casas, construídas próximas a cursos d água. Próximo à residência de um dos integrantes do grupo, na Rua Americana, em Sumaré, Estado de São Paulo, Brasil, correm dois córregos, decorrência do curso do Ribeirão dos Quilombos, conforme analisado na hidrografia do Estado de São Paulo fornecida pelo IGC (Instituto Geográfico e Cartográfico do Estado de São Paulo). Estes córregos sofrem com as constantes enchentes de verão, causando inundações que invadem

2 as ruas marginais aos cursos. Um dos locais que a água costuma tomar, diminuindo o risco de invasão das casas, é uma propriedade particular, de aproximadamente quarenta e sete mil metros quadrados, que sofreu na última década a retirada de árvores que havia no local e atualmente não é ocupada por nenhuma edificação ou vegetação. Este terreno, ilustrado na Figura 1, localizado entre os dois córregos, começou a sofrer o depósito constante de grande quantidade de terra e entulho de construção civil, mostrado na Figura 2, a partir do final do ano de 2012, por parte de uma prestadora de serviços, Ellenco Construções Ltda., a serviço da empresa CCR AutoBAn Concessionária que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes, composto pelas rodovias Anhanguera (SP 330), entre os km 11 e 158, Bandeirantes (SP-348), entre os km 13 e 173, e pelas rodovias que fazem interligações, Dom Gabriel Paulino Bueno Couto (SP-300), entre os km 62 e 64, e Adalberto Panzan (SPI-102/330), entre os km 1 e 7. Figura 1: Vista área antiga do terreno. Fonte: Google Maps Google Figura 2: Depósito de terra na localidade Tal ação por parte da empresa gerou grande receio na vizinhança do terreno, que teme que a quantidade de entulho impeça a contenção da água do transbordamento dos córregos e possa invadir as casas. Como todos os integrantes do grupo vivem em áreas semelhantes, beira de córregos ou rios que estão em constante ameaça de inundações, esta é uma questão que sensibilizou o estudo de caso dos impactos

3 ambientais ocasionados pela ação do despejo de entulho gerado pela concessionária de rodovias no terreno mencionado. De acordo com a moradora da região Sra. Regina de Moura, a área já foi arborizada e era comum observar nascentes d água pelo local, porém em 2002 sofreu a derrubada de árvores pelo antigo dono que tinha intenção de realizar construções civis no local. Ainda segundo seu relato, as nascentes existentes foram canalizadas na época, através de trabalho manual. Ela demonstrou preocupação com a atual situação do terreno, pois com a possibilidade de alagamento, está havendo a desvalorização dos imóveis da rua. O presidente da Associação de Moradores do Bairro Parque Nova Veneza de Sumaré, Sr. João de Freitas, salientou que e o risco de inundação é algo que preocupa toda a comunidade, uma vez que o entulho no local que antes continha o transbordamento do córrego poderá ocasionar a invasão das águas de possíveis enchentes nas ruas e casas que margeiam o curso d água. Partindo das informações obtidas pelos moradores foi possível consultar a Profª Drª Sueli Yashinaga Pereira do Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) do Instituto de Geologia da Unicamp. Segundo a professora é comum em regiões como a do terreno em questão a existência de nascentes d água, pela proximidade com os canais. Orientou consultar se já foi atestada no local a existência de nascentes, anteriormente, por parte da prefeitura, o que impediria a ação da empresa. Ela também alertou a respeito de outros aspectos importantes que poderiam estar ocorrendo e deveriam ser analisados, como o assoreamento dos córregos e a estabilidade dos taludes dos montes de terra depositados. Por fim, sugeriu a realização de denúncia na Polícia Ambiental da região, que seria o órgão responsável por atuar em casos como esse. Destacando os problemas que podem estar ocorrendo na área, apresentado pela professora, além do risco de inundação citado anteriormente, são: Assoreamento - Problema causado pelo despejo de entulho, sedimentos, areia, entre outros num córrego ou canal, que pode comprometer a correnteza do curso. Crítico, pois reduz a profundidade podendo levar a morte do rio. Segundo RIOS (1990) o processo de assoreamento é acelerado quando se promove desmatamento da encosta, deposição de sedimentos nas margens e técnicas agrícolas inadequadas, que podem mudar drasticamente o rumo de um rio aumentando o nível de terra submersa e com isso o nível das enchentes, provocando alagamentos. Nascentes d água - Da definição do CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente), têm-se: - Resolução CONAMA nº 303, de 20 de março de 2002 (substitui a 04/85): II nascente ou olho d`água: local onde aflora naturalmente, mesmo que de forma intermitente, a água subterrânea; Para identificação de uma nascente, é indispensável bom conhecimento de geologia e

4 hidrogeologia da região especificada SANTOS (2009). Logo, para o terreno em questão, somente técnicos especializados podem caracterizar aquilo que aparenta ser uma nascente d água como tal. E uma vez definido, é constituído uma APP(Área de preservação permanente), com restrições também definidas pelo CONAMA: Art. 3º Constitui Área de Preservação Permanente a área situada: II ao redor de nascente ou olho d`água, ainda que intermitente, com raio mínimo de cinqüenta metros de tal forma que proteja, em cada caso, a bacia hidrográfica contribuinte; Talude de estabilidade - Para o despejo de grandes amontoações de terra como está sendo feito no terreno, é necessário atender critérios para a deposição. Talude é definido por DYMINSKI(2011) como a superfície inclinada que delimita um maciço terroso, sendo importante obedecer critérios técnicos para evitar deslizamentos de terra, e no caso da região efetuada, preservar os córregos do assoreamento citado anteriormente. DISCUSSÃO Após análise dos possíveis problemas do local focou-se em denunciar para órgãos competentes a ação da empresa, a fim de se conferir a realidade das suspeitas apontadas pelos moradores. Primeiramente, partindo da idéia da Profª Sueli de que deveria haver registro de nascente d água feito pela prefeitura da cidade, foi realizada denúncia no Departamento de Controle e Fiscalização de Sumaré, registrada sob o número 329/13, registrada pelo fiscal Rafael. Na mesma ocasião também foi realizada reclamação na Ouvidoria da Prefeitura de Sumaré, sob o protocolo nº: Após, durante reunião com os moradores do bairro, o Engenheiro da Secretaria de Obras, Sr. Carlos Henrique, ao ser questionado sobre o assunto respondeu que o dono da propriedade vinha sendo autuado pela ação da empresa, sem fornecer maiores detalhes. Também foi presenciada pelos moradores e por um integrante do grupo a visita de um fiscal da prefeitura ao local, que após detectar irregularidades, interrompeu o serviço. Porém, no dia seguinte à visita, a empresa continuou o despejo de material no terreno. Tendo em vista a falta de informação quanto às ações da prefeitura, não ficaram claras quais irregularidades estavam sendo detectadas para autuação do proprietário, nem o motivo da pausa de um único dia na obra. Realizando nova consulta a algum responsável na prefeitura, foi ouvido o Superintendente de Controle Ambiental da prefeitura de Sumaré, Sr. José Ceron a respeito da situação. De acordo com ele a área possui autorização para receber terra, que foi dada na gestão anterior. Mas as autuações estão sendo realizadas porque está em desacordo com a legislação, uma vez que não foi apresentado projeto. Isso se faz necessário porque está ocorrendo alteração no relevo. Outra irregularidade é o despejo de entulho de construção civil em meio a grandes quantidades de terra. Isso pode ser observado na Figura 3.

5 Figura 3: Montes de terra despejados. Destaque para tubo de construção civil. Pontos importantes ainda foram esclarecidos pelo Sr. Ceron. Como houve liberação para o depósito de terra, dado pela secretaria de meio ambiente, não existe atualmente nascentes no local, o que não exclui a possibilidade de um dia ter havido, como relataram os moradores. Não é possível afirmar se o talude realizado pela empresa está correto, pois a inexistência de projeto não garante condições técnicas para tal. Uma última ação tomada foi a denúncia para a Polícia Ambiental de Americana, que atende a cidade de Sumaré, seguindo a sugestão da Profª. Drª. Sueli. CONCLUSÃO Após o estudo do caso e insistência quanto à busca por informações e na tentativa de denunciar possíveis irregularidades ficou constatado que é possível obter respostas para questões importantes no âmbito ambiental, quando se tem conhecimento sobre como agir. Os moradores, muitas vezes perceptivos a problemas ambientais que podem inclusive atingir a eles próprios, normalmente não buscam órgãos competentes para tomar providências, seja pela falta de informação ou descaso. Dessa forma, no caso do terreno na Rua Americana, em Sumaré, a empresa está sendo penalizada por infringir leis ambientais, colocando em risco os córregos próximos e até as casas no caso de alagamento, após uma série de denúncias. Porém, fica a pergunta se no local existiam nascentes d água que foram destruídas e se uma denúncia realizada mais cedo não protegeria tais nascentes da destruição.

6 O descaso com questões ambientais no passado não podem servir de justificativa para novas perturbações, onde o crescimento urbano que continuará existindo deve ser planejado com a preocupação de poupar o equilíbrio do meio ambiente, fundamental para a vida. AGRADECIMENTOS: Agradecemos a Profª Drª Sueli Yashinaga Pereira, do DGRN do IG pela atenção e preciosas dicas. Também a Sra. Regina de Moura, Sr. José Lopes de Moura, Sr. José de Barros, Sr. João de Freitas, Sr. Osmar Moreli e Sr. João Gomes pelas importantes informações fornecidas. E os Srs. Carlos Henrique e José Ceron pelos válidos esclarecimentos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE, Resolução Conama nº303. Disponível em acesso em 29/06/2013. DYMINSKI, S. A. Noções de Estabilidade de Taludes e Contenções Notas de Aula da disciplina Estabilidade de Taludes UFPR, disponível em: Acesso em: 25/06/2013. RIOS, J. L. P. Curso de Sedimentologia CEFET Rio de Janeiro, SANTOS, A. R. As APPs associadas a nascentes: O que é uma nascente? Como identificá-la? Disponível em Acesso em 26/06/2013. TUCCI, C.E.M. & COLLISHONN, W. Drenagem urbana e controle de erosão in VI Simpósio nacional de controle de erosão. 29/3 a 1/4 de 1998, Presidente Prudente, São Paulo.

O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos

O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos Carlos A. Nobre Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento - SEPED Ministério de Ciência, Tecnologia

Leia mais

Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB.

Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB. Diagnóstico da Área de Preservação Permanente (APP) do Açude Grande no Município de Cajazeiras PB. Itallo Harlan Reinaldo Alves Gomes (1) ; Jessily Medeiros Quaresma (2) ; Francisco José (3) ; Laedy Cecília

Leia mais

Bairros Cota na Serra do

Bairros Cota na Serra do Geotecnia Ambiental Bairros Cota na Serra do Mar em Cubatão riscos em ebulição e planos de ação em andamento Os bairros localizados nas encostas da Serra do Mar, na cidade de Cubatão, passam por um processo

Leia mais

AUTOR(ES): ANDRÉ DOS SANTOS JANUÁRIO GARCIA, PAULO HENRIQUE DOS SANTOS

AUTOR(ES): ANDRÉ DOS SANTOS JANUÁRIO GARCIA, PAULO HENRIQUE DOS SANTOS TÍTULO: APP UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NA MICRO REGIÃO DE AURIFLAMA-SP CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): ANDRÉ DOS

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ANTES E APÓS A CONSTRUÇÃO DE RESERVATÓRIO DE ÁGUA PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ANTES E APÓS A CONSTRUÇÃO DE RESERVATÓRIO DE ÁGUA PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ANTES E APÓS A CONSTRUÇÃO DE RESERVATÓRIO DE ÁGUA PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Wellington Nunes de Oliveira Universidade Federal de Goiás,

Leia mais

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no Município de São Paulo, e dá outras providências. Jânio da Silva Quadros, Prefeito do Município

Leia mais

Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo.

Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo. LEI Nº 10.365, DE 22 DE SETEMBRO DE 1987. Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no município de São Paulo. JÂNIO DA SILVA QUADROS, Prefeito do Município de São Paulo, usando

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 502/2013

PROJETO DE LEI Nº 502/2013 PROJETO DE LEI Nº 502/2013 Autor(es): VEREADORA LAURA CARNEIRO EMENTA: INSTITUI O SISTEMA DE REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DEMOLIÇÕES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

ANÁLISE SÓCIO-ESPACIAL DO BAIRRO MIRANTE DO BUQUIRINHA, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP. Mariane Barbosa de Paula¹, Sandra Maria Fonseca da Costa¹

ANÁLISE SÓCIO-ESPACIAL DO BAIRRO MIRANTE DO BUQUIRINHA, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP. Mariane Barbosa de Paula¹, Sandra Maria Fonseca da Costa¹ ANÁLISE SÓCIO-ESPACIAL DO BAIRRO MIRANTE DO BUQUIRINHA, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP Mariane Barbosa de Paula¹, Sandra Maria Fonseca da Costa¹ ¹Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Educação e Artes,

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente LICENÇA DE OPERAÇÃO LO Processo n.º 1962 / 2014-DL A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual n.º 9.077, de 04/06/90, e com seus Estatutos aprovados pelo Decreto n.º 33.765, de

Leia mais

COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO

COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO COMPARTIMENTAÇÃO MORFOPEDOLÓGICA E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DA BACIA DO CÓRREGO AMIANTO, MINAÇU GO Uhênia Caetano PEREIRA Universidade Federal de Goiás (uhenea@hotmail.com) Cláudia Valéria LIMA

Leia mais

ENCHENTES URBANAS: CAUSAS E SOLUÇÕES. Geól. Álvaro Rodrigues dos Santos (santosalvaro@uol.c0m.br)

ENCHENTES URBANAS: CAUSAS E SOLUÇÕES. Geól. Álvaro Rodrigues dos Santos (santosalvaro@uol.c0m.br) ENCHENTES URBANAS: CAUSAS E SOLUÇÕES Geól. Álvaro Rodrigues dos Santos (santosalvaro@uol.c0m.br) ENCHENTES: CAUSAS E SOLUÇÕES EM QUALQUER RAMO DA ATIVIDADE HUMANA VALE UMA LEI BÁSICA: A SOLUÇÃO DE UM PROBLEMA

Leia mais

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014.

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. CENACID Centro de Apoio Científico em Desastres Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. Toda divulgação de material bibliográfico e as fotos

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO

DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO DIAGNÓSTICO DA COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS-GO Cinthia Martins dos SANTOS Programa de Pós Graduação em Engenharia do Meio Ambiente, Escola de Engenharia,

Leia mais

Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal

Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Seção São Paulo, entidade sem fins lucrativos de âmbito nacional que preconiza a defesa

Leia mais

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni

PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. Paulo Nobukuni 1 PERÍCIA AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1 Paulo Nobukuni RESUMO: O objetivo foi tratar sobre elementos da perícia ambiental como mobilizadores sociais, ocorrendo o estudo em trechos inundáveis da bacia

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU

O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU DISPÓE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA ARBORIZAÇÃO NO MUNICÍPIO DE ARACAJU E DÁ PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO DO MUNICIPIO DE ARACAJU seguinte Lei: Faço saber que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a Art.

Leia mais

Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais

Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Preparado Por Preparado Para ICF Consultoria do Brasil Ltda Av. das Américas, nº 700, Bloco 6, sala 251 Barra

Leia mais

Introdução. Porto Alegre Bacia do Arroio Areia

Introdução. Porto Alegre Bacia do Arroio Areia Manejo integrado de bacias urbanas e planos diretores de drenagem urbana: Porto Alegre e Caxias do Sul - RS - Brasil Adolfo O. N. Villanueva, Ruth Tassi e Daniel G. Allasia Instituto de Pesquisas Hidráulicas

Leia mais

TOPO DE MORRO NA RESOLUÇÃO CONAMA Nº 303

TOPO DE MORRO NA RESOLUÇÃO CONAMA Nº 303 TOPO DE MORRO NA RESOLUÇÃO CONAMA Nº 303 Sérgio Cortizo 1 5 de agosto de 2.007 RESUMO: É apresentada uma interpretação matemática da Resolução CONAMA nº 303 no que diz respeito à demarcação das Áreas de

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Sistema de Drenagem Urbana

Leia mais

Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO.

Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO. Avaliação da ocupação e uso do solo na Região Metropolitana de Goiânia GO. Marcos Vinícius Alexandre da SILVA Instituto de Estudos Sócio-Ambientais - IESA/UFG Mestrando em Geografia marcosalexandregeo@gmail.com

Leia mais

6 o RELATÓRIO DOS SERVIÇOS DE MONITORAMENTO DE TALUDES DA UHE MAUÁ (MARCO CONTRATUAL MC04 / EVENTO CONTRATUAL EC 08)

6 o RELATÓRIO DOS SERVIÇOS DE MONITORAMENTO DE TALUDES DA UHE MAUÁ (MARCO CONTRATUAL MC04 / EVENTO CONTRATUAL EC 08) 6 o RELATÓRIO DOS SERVIÇOS DE MONITORAMENTO DE TALUDES DA UHE MAUÁ (MARCO CONTRATUAL MC04 / EVENTO CONTRATUAL EC 08) Curitiba/PR Julho de 2012 1 1 INTRODUÇÃO: A Ingá Engenharia e Consultoria Ltda. vem

Leia mais

INUNDAÇÕES NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES EM GOIÂNIA-GO FLOODS IN PERMANENT PRESERVATION AREAS IN GOIÂNIA-GO

INUNDAÇÕES NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES EM GOIÂNIA-GO FLOODS IN PERMANENT PRESERVATION AREAS IN GOIÂNIA-GO INUNDAÇÕES NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTES EM GOIÂNIA-GO FLOODS IN PERMANENT PRESERVATION AREAS IN GOIÂNIA-GO Thalyta Lopes Rego Mestranda em Geografia, Universidade Federal de Goiás Instituto de

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Do Sr. Luiz Carlos Hauly) O CONGRESSO NACIONAL decreta:

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Do Sr. Luiz Carlos Hauly) O CONGRESSO NACIONAL decreta: PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Do Sr. Luiz Carlos Hauly) Cria a Área de Proteção Ambiental - APA - do rio Iguaçu. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei, em conformidade com a Lei n.º 9.985, de 18

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM Avaliação dos desastres naturais em Minas Gerais Dezembro 2013 Janeiro 2014 Objetivo O presente relatório tem por finalidade avaliar os desastres naturais ocorridos no

Leia mais

LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL

LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL PREFEITURA DO MUNICIPIO DE VALINHOS Estado de São Paulo Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MOINHO DE VENTO Condomínio residencial Moinho de Vento

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS RESOLUÇÃO/CEMAAM/Nº01/08 Estabelece normas e procedimentos para regularização ambiental de TANQUES, VIVEIROS, BARRAGENS, PEQUENOS RESERVATÓRIOS, CANAIS DE IGARAPÉS E TANQUES REDE DESTINADOS PARA A AQÜICULTURA

Leia mais

III-064 - ESTUDO PRELIMINAR DOS ATERROS DE ENTULHO DE CAMPO GRANDE

III-064 - ESTUDO PRELIMINAR DOS ATERROS DE ENTULHO DE CAMPO GRANDE III-064 - ESTUDO PRELIMINAR DOS ATERROS DE ENTULHO DE CAMPO GRANDE Jesner Marcos Escandolhero (1) Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Mestrando em Tecnologias Ambientais pela

Leia mais

DER/PR ES-T 03/05 TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS

DER/PR ES-T 03/05 TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS TERRAPLENAGEM: EMPRÉSTIMOS Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130 www.pr.gov.br/derpr Especificações

Leia mais

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO RODRIGO DELMASSO. PROJETO DE LEI Nº 174/2015 (Do Senhor Deputado RODRIGO DELMASSO - PTN)

CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL GABINETE DO DEPUTADO RODRIGO DELMASSO. PROJETO DE LEI Nº 174/2015 (Do Senhor Deputado RODRIGO DELMASSO - PTN) PROJETO DE LEI Nº 174/2015 (Do Senhor Deputado RODRIGO DELMASSO - PTN) Dispõe sobre a criação do Sistema de Identificação, Cadastramento e Preservação de Nascentes de Água no Distrito Federal e dá outras

Leia mais

- Consultoria Geoambiental Ltda

- Consultoria Geoambiental Ltda -------- Mensagem original -------- Assunto: APP de topo Data: Tue, 21 Oct 2008 09:45:29-0200 De: Dirceu Pagotto Stein Para: dominique.louette@mma.gov.br Caros membros do Conselho

Leia mais

PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS

PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS PRESERVANDO NASCENTES E MANANCIAIS A água é um recurso natural insubstituível para a manutenção da vida saudável e bem estar do homem, além de garantir auto-suficiência econômica da propriedade rural.

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO!

ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! ATIVIDADE 03 POR água ABAIXO! A água, elemento fundamental para a sobrevivência humana, foi motivo de muitos problemas para os moradores da Regional Norte. Além das dificuldades que eles tiveram de enfrentar

Leia mais

Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos

Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos PHD2537 Introdução A poluição das águas é gerada por: - efluentes domésticos (poluentes orgânicos biodegradáveis, nutrientes e bactérias); - efluentes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE AUDIÊNCIA PÚBLICA - ESTUDOS TÉCNICOS MACRODRENAGEM E APP S EM ÁREAS URBANA CONSOLIDADA PROPOSTA DE CONDICIONANTES E RESTRIÇÕES

Leia mais

ANTEPROJETO DE DECRETO (OU LEI) (A ser Publicado no Diário Oficial do Município/Estado)

ANTEPROJETO DE DECRETO (OU LEI) (A ser Publicado no Diário Oficial do Município/Estado) ANTEPROJETO DE DECRETO (OU LEI) (A ser Publicado no Diário Oficial do Município/Estado) Considerando: 1) A importância dos mananciais e nascentes do Município para o equilíbrio e a qualidade ambiental,

Leia mais

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis Universidade Metodista Recuperação Ambiental de Áreas Degradadas Impactos gerados pelo uso e ocupação do solo no meio urbano Final século XVIII Revolução Industrial Migração do homem do campo objetivo

Leia mais

E qual é a nossa realidade???

E qual é a nossa realidade??? E qual é a nossa realidade??? Área urbana invadindo a beira de rio MUNIC 2012 - Dos 366 municípios que declararam sofrer problemas de deslizamento de terra, 25% também declararam ter como causa da degradação

Leia mais

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE -NOVO CÓDIGO FLORESTAL MINEIRO LEI 20922/13 Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE(APPs) ART. 8º - São aquelas cobertas ou não por vegetação

Leia mais

As Áreas de Proteção Permanente (APP) e o Novo Código Florestal de Santa Catarina

As Áreas de Proteção Permanente (APP) e o Novo Código Florestal de Santa Catarina As Áreas de Proteção Permanente (APP) e o Novo Código Florestal de Santa Catarina Ana Monteiro Barros Hardman de Castro Geógrafa ana_hcastro@yahoo.com.br Jaqueline Passos Ferreira Peluzo Geógrafa LABGIS-NIMA

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA

ESTADO DO MARANHÃO GOVERNADORIA COMISSÃO CENTRAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO CCL ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA ESCLARECIMENTO REF.: CONCORRÊNCIA Nº 008/2015 CCL/MA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 53389/2015 CAEMA REFERÊNCIA Pedido de Esclarecimento ao Edital da Concorrência nº. 008/2015, o qual tem por objeto a contratação

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE FERNANDÓPOLIS FACULDADES INTEGRADAS DE FERNANDÓPOLIS PIBID- PROGRAMA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE FERNANDÓPOLIS FACULDADES INTEGRADAS DE FERNANDÓPOLIS PIBID- PROGRAMA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE FERNANDÓPOLIS FACULDADES INTEGRADAS DE FERNANDÓPOLIS PIBID- PROGRAMA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ESCOLA TANURI DISCUTINDO A SUSTENTABILIDADE DO MUNÍCIPIO

Leia mais

LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010

LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010 LEI Nº 1.982, DE 30 DE AGOSTO DE 2010 DISCIPLINA O CORTE E A PODA DE VEGETAÇÃO DE PORTE ARBÓREO EXISTENTE NO MUNICÍPIO DE BARUERI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. RUBENS FURLAN, Prefeito do Município de Barueri,

Leia mais

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ 10 de novembro de 2009 DAS CHEIAS ÀS INUNDAÇÕES Em meados do século XIX, surgem os primeiros registros da transformação

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO JUIZ DE DIREITO DA VARA DAS FAZENDAS PÚBLICAS DA COMARCA DE APARECIDA DE GOIÂNIA-GO

EXCELENTÍSSIMO JUIZ DE DIREITO DA VARA DAS FAZENDAS PÚBLICAS DA COMARCA DE APARECIDA DE GOIÂNIA-GO EXCELENTÍSSIMO JUIZ DE DIREITO DA VARA DAS FAZENDAS PÚBLICAS DA COMARCA DE APARECIDA DE GOIÂNIA-GO O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS, através da 4ª Promotoria de Justiça, no uso de suas atribuições

Leia mais

Produto 2: O Sistema Viário Estrutural: Análise e Diagnóstico decorrentes das Visitas de Campo

Produto 2: O Sistema Viário Estrutural: Análise e Diagnóstico decorrentes das Visitas de Campo Produto 2: O Sistema Viário Estrutural: Análise e Diagnóstico decorrentes das Visitas de Campo DA CARACTERIZAÇÃO INICIAL A cidade de Socorro foi colonizada no início de 1738, fundada em 09 de agosto de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ASPECTOS HIDROGEOMORFOLÓGICOS E SOCIOECONOMICOS DOS PONTOS ALAGÁVEIS DO CANAL JOSÉ LEAL MARTINS, BELÉM-PA.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ASPECTOS HIDROGEOMORFOLÓGICOS E SOCIOECONOMICOS DOS PONTOS ALAGÁVEIS DO CANAL JOSÉ LEAL MARTINS, BELÉM-PA. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ ASPECTOS HIDROGEOMORFOLÓGICOS E SOCIOECONOMICOS DOS PONTOS ALAGÁVEIS DO CANAL JOSÉ LEAL MARTINS, BELÉM-PA. Rafaela Braga da Silva 11190002701 Roberta Pena Fortes 11035002801

Leia mais

Delimitação de Áreas em Alto e Muito Alto Risco a Enchentes e Movimentos de Massa no Município de Campinas São Paulo - Maio 2013

Delimitação de Áreas em Alto e Muito Alto Risco a Enchentes e Movimentos de Massa no Município de Campinas São Paulo - Maio 2013 Delimitação de Áreas em Alto e Muito Alto Risco a Enchentes e Movimentos de Massa no Município de Campinas São Paulo - Maio 2013 Introdução e Objetivos Anualmente inúmeros desastres decorrentes de eventos

Leia mais

Desastre do Vale do Itajaí-Açu: uma visão geotécnica dos acidentes

Desastre do Vale do Itajaí-Açu: uma visão geotécnica dos acidentes Deslizamentos em SC - causas, consequências, medidas emergenciais e ações futuras Joinville SC 12/02/2009 Desastre do Vale do Itajaí-Açu: uma visão geotécnica dos acidentes Luiz A. Bressani, PhD Departamento

Leia mais

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga.

APPA Associação de Proteção e Preservação Ambiental de Araras A natureza, quando agredida, não se defende; porém,ela se vinga. O desmatamento, ao longo dos anos, no município de Araras, contribuiu para a redução no suprimento de água potável, devido à formação geológica local, que resulta nos aqüíferos do grupo Passa Dois e Basalto

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR Leticia Polesel Weiss (leticia_w@hotmail.com) Rosana Pinheiro Maria Aparecida Oliveira Hinsching

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais

Capítulo 135 Curva dos 100 anos

Capítulo 135 Curva dos 100 anos Capítulo 135 Curva dos 100 anos 135-1 Capítulo 135- Curva dos 100 anos 135.1 Introdução Nos Estados Unidos existe uma lei federal datada de 1973 que estabelece a área de inundação para período de retorno

Leia mais

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN)

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN) Logradouro: Rua Francisco Manoel, 10 1ª Categoria Terreno: 1400m² Observações: PMP: SIP3 INEPAC: Conjunto XI / 3 IPHAN: 1ª categoria, tipo V Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo Taxa de ocupação 30% - 30% 30%

Leia mais

Título do trabalho: Pesquisa para Elaboração do Diagnóstico do Recreio da Borda do Campo, Município de Santo André

Título do trabalho: Pesquisa para Elaboração do Diagnóstico do Recreio da Borda do Campo, Município de Santo André Título do trabalho: Pesquisa para Elaboração do Diagnóstico do Recreio da Borda do Campo, Município de Santo André Autores: Departamento de Gestão Ambiental SEMASA Serviço Municipal de Saneamento Ambiental

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E GEORREFERENCIAMENTO DAS INTERCONEXÕES DE ESGOTO NO SISTEMA DE DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS NA ÁREA URBANA EM JUAZEIRO BA RESUMO

CARACTERIZAÇÃO E GEORREFERENCIAMENTO DAS INTERCONEXÕES DE ESGOTO NO SISTEMA DE DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS NA ÁREA URBANA EM JUAZEIRO BA RESUMO CARACTERIZAÇÃO E GEORREFERENCIAMENTO DAS INTERCONEXÕES DE ESGOTO NO SISTEMA DE DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS NA ÁREA URBANA EM JUAZEIRO BA Uldérico Rios Oliveira 1 Tayron Juliano de Souza 2 Luana Costa Oliveira

Leia mais

Meio Ambiente discute soluções para lixo

Meio Ambiente discute soluções para lixo NIQUELÂNDIA Meio Ambiente discute soluções para lixo Euclides Oliveira A correta deposição do lixo produzido diariamente pelos moradores de Niquelândia, a operação adequada do aterro sanitário que dará

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS

IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS Salvador/BA 25 a 28/11/2013 IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS QUE APRESENTAM RISCOS GEOMORFOLÓGICOS PARA A POPULAÇÃO DA CIDADE DE MARAU/RS Daniel Varriento Escobar*, Alcindo Neckel, Suelen Marques * Gestor Ambiental.E-mail:

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE USOS DO SOLO E CONTROLE DE PROCESSOS EROSIVOS E ESTABILIZAÇÃO DAS ENCOSTAS UHE FOZ DO RIO CLARO

PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE USOS DO SOLO E CONTROLE DE PROCESSOS EROSIVOS E ESTABILIZAÇÃO DAS ENCOSTAS UHE FOZ DO RIO CLARO PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE USOS DO SOLO E CONTROLE DE PROCESSOS EROSIVOS E ESTABILIZAÇÃO DAS ENCOSTAS UHE FOZ DO RIO CLARO FRC-RS-ERO-CON-0901-0A JANEIRO 2009 CONSILIU Meio Ambiente & Projetos Empreendimento:

Leia mais

RELATÓRIO. Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses

RELATÓRIO. Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses RELATÓRIO Tragédia na Região Serrana do Rio de Janeiro após decorridos 6 meses 1 TRAGÉDIA ANUNCIADA! Após 6 meses decorridos da tragédia na Região Serrana em janeiro/2011, onde morreram mais de 900 pessoas,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO.

UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS LIVRES DA WEB, PARA O MONITORAMENTO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O RIO MEIA PONTE, GO: UM ESTUDO DE CASO. Patrícia Pinheiro da Cunha 1, Magda Beatriz de Almeida Matteucci

Leia mais

TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem.

TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem. TÍTULO: A Gestão de Clientes geradores de efluentes não domésticos para garantir o bom funcionamento do sistema de esgotamento em bacia de drenagem. Nome do Autor: Engº Renan Moraes Sampaio, engenheiro

Leia mais

V-045 - ESTUDO DO ASSOREAMENTO DE CORPOS D ÁGUA PELO MÉTODO GEOFÍSICO DE GEO-RADAR

V-045 - ESTUDO DO ASSOREAMENTO DE CORPOS D ÁGUA PELO MÉTODO GEOFÍSICO DE GEO-RADAR V-045 - ESTUDO DO ASSOREAMENTO DE CORPOS D ÁGUA PELO MÉTODO GEOFÍSICO DE GEO-RADAR Wagner França Aquino (1) Bacharel em Geofísica pelo Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG/USP).

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2011 (Do Sr. Deputado Marcelo Matos)

PROJETO DE LEI N.º, DE 2011 (Do Sr. Deputado Marcelo Matos) PROJETO DE LEI N.º, DE 2011 (Do Sr. Deputado Marcelo Matos) Institui diretrizes para a reutilização e reciclagem de resíduos de construção civil e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO JÁ NAS BOAS-VINDAS, A CERTEZA DE TER FEITO O MELHOR NEGÓCIO. Parabéns! Agora, na melhor localização de Palhoça, você vai longe. E a Lumis tem orgulho em fazer parte desta importante

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ

ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ ESTUDO DE IMPACTOS AMBIENTAIS EM TRECHOS DO ARROIO CANDÓI, LARANJEIRAS DO SUL, REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DO PARANÁ Aline da Silva Rodrigues de Oliveira Graduanda em Geografia Licenciatura e Bolsista Voluntária

Leia mais

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto

Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Projeto de Revitalização da Microbacia do Rio Abóboras Bacia Hidrográfica São Lamberto Autores: Emílio Rodrigues Versiani Junior 1 Geraldo Aristides Rabelo Nuzzi Andréa Rodrigues Fróes Resumo O Projeto

Leia mais

2.7. Informar se há reserva particular na propriedade com registro em órgão ambiental (IBAMA/IPAAM/Secretaria Municipal

2.7. Informar se há reserva particular na propriedade com registro em órgão ambiental (IBAMA/IPAAM/Secretaria Municipal TERMO DE REFERÊNCIA TR PARA PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL (PCA) P/ A ATIVIDADE DE AQUICULTURA (Este TR aplica-se a empreendimentos desenvolvidos em viveiros escavados a partir de 10,00 ha) O Instituto de

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 Dispõe de casos excepcionais no casos de utilidade pública, interesse social e de baixo impacto ambiental, que possibilitam a intervenção ou supressão de vegetação em áreas de preservação

Leia mais

Relato de Experiência Preservar é Preciso

Relato de Experiência Preservar é Preciso Estado do Piauí Prefeitura Municipal de Teresina Secretaria Municipal de Educação - SEMEC Escola Municipal Nova Brasília Relato de Experiência Preservar é Preciso Equipe: Ana Lúcia da silva Bezerra Maria

Leia mais

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014

Anais do Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014 Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014 O USO DO GEOPROCESSAMENTO COMO APOIO AO DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO BOM RETIRO, JAÚ SP Fábio César Martins 1, Rafael Aleixo Braga 2, José Carlos Toledo Veniziani Junior 3 1 Tecnólogo

Leia mais

I-146 - CARACTERIZAÇÃO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA DE POÇOS TUBULARES EM COMUNIDADES RURAIS NA AMAZÔNIA SUJEITAS À INUNDAÇÃO PERIÓDICA

I-146 - CARACTERIZAÇÃO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA DE POÇOS TUBULARES EM COMUNIDADES RURAIS NA AMAZÔNIA SUJEITAS À INUNDAÇÃO PERIÓDICA I-146 - CARACTERIZAÇÃO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA DE POÇOS TUBULARES EM COMUNIDADES RURAIS NA AMAZÔNIA SUJEITAS À INUNDAÇÃO PERIÓDICA Rainier Pedraça de Azevedo (1) Engenheiro Civil graduado pela Universidade

Leia mais

Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go

Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go Mapeamento, Identificação e Monitoramento das Áreas de Proteção Permanente ao longo do Ribeirão Anicuns no Município de Goiânia - Go Daniel Mathias Caixeta 1 1 Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

ENCARTE 1 INFORMAÇÕES GERAIS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO

ENCARTE 1 INFORMAÇÕES GERAIS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO ENCARTE 1 INFORMAÇÕES GERAIS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1.1. Ficha Técnica da Unidade de Conservação A ESEC Carijós localiza-se no noroeste da Ilha de Santa Catarina, junto à Baía Norte, compreendendo duas

Leia mais

EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO

EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO EDITAL DE MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE PARQUE AMBIENTAL: JANELAS PARA O RIO A AGÊNCIA PERNAMBUCANA DE ÁGUAS E CLIMA APAC, de acordo com o Plano Hidroambiental da Bacia do Rio Capibaribe, está recebendo manifestações

Leia mais

A IMPORTANCIA DA LEGISLAÇÃO NOS ESTUDOS AMBIENTAIS E SUAS INFLUENCIAS

A IMPORTANCIA DA LEGISLAÇÃO NOS ESTUDOS AMBIENTAIS E SUAS INFLUENCIAS A IMPORTANCIA DA LEGISLAÇÃO NOS ESTUDOS AMBIENTAIS E SUAS INFLUENCIAS Thaisa Cristiane da SILVA 1 Departamento de geografia da Universidade Estadual de Maringá thaisageouem@gmail.com Valéria LIMA Departamento

Leia mais

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO

ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO ESTUDO DA RECICLAGEM DO RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA USO EM ESTACA DE COMPACTAÇÃO Ronaldo Alves de Medeiros Junior Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco (POLI/UPE), Recife, Brasil,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E DISCUSSÃO SOBRE OS PROBLEMAS DO CÓRREGO GUMITÁ NA CIDADE DE CUIABÁ - MATO GROSSO

IDENTIFICAÇÃO E DISCUSSÃO SOBRE OS PROBLEMAS DO CÓRREGO GUMITÁ NA CIDADE DE CUIABÁ - MATO GROSSO IDENTIFICAÇÃO E DISCUSSÃO SOBRE OS PROBLEMAS DO CÓRREGO GUMITÁ NA CIDADE DE CUIABÁ - MATO GROSSO Edson José de Castro Júnior (1) Acadêmico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental pelo Instituto

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Aplicação da ecologia na engenharia civil ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com

GESTÃO AMBIENTAL. Aplicação da ecologia na engenharia civil ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.com ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Aplicação da ecologia na engenharia

Leia mais

O Conhecimento do seu Lugar: Arroio Mem de Sá e o bairro Bom Jesus

O Conhecimento do seu Lugar: Arroio Mem de Sá e o bairro Bom Jesus O Conhecimento do seu Lugar: Arroio Mem de Sá e o bairro Bom Jesus Susane Hübner Alves¹ Marco Antonio Mello² Suzi Maria Petró³ A educação sozinha não faz mudanças, mas nenhuma grande mudança se faz sem

Leia mais

Tecnologia Sabo se expande pelo mundo

Tecnologia Sabo se expande pelo mundo S A B O ~ 砂 防 ~ Sabo e a conservação do território nacional Ministério da Terra e dos Transportes Diretor de Sabo Hiroyuki Ohno Ministry of Land, Infrastructure, Transport and Tourism Tecnologia Sabo se

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL Maria Francisca Jesus Lírio Ramalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de Geografia/Area Geomorfologia

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO CONTRATO Nº 314/2014, FIRMADO ENTRE A PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO E A EMPRESA M C W CONSTRUÇÕES, COMÉRCIO E TERRAPLANAGEM LTDA, OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE AREIA ASFÁLTICA USINADA A QUENTE

Leia mais

NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 10 PROCEDIMENTOS E ROTINAS PARA MONITORAMENTO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO

NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 10 PROCEDIMENTOS E ROTINAS PARA MONITORAMENTO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO VALEC NAVA 10 1 de 13 NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 10 PROCEDIMENTOS E ROTINAS PARA MONITORAMENTO AMBIENTAL DA CONSTRUÇÃO VALEC NAVA 10 2 de 13 NORMA AMBIENTAL VALEC Nº 10 PROCEDIMENTOS E ROTINAS PARA MONITORAMENTO

Leia mais

UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO

UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO UM ESTUDO CRÍTICO SOBRE O PROCESSO DE TRANFORMAÇÃO ÁREA DE RISCO EM ÁREA DE RICOS NA AVENIDA FILADÉLFIA EM ARAGUAÍNA - TO Antonio Marcos P. Marinho - Acadêmico do curso de Geografia do CAMUAR-UFT marcosnvo@hotmail.com

Leia mais

SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA NFORMAÇÕES:

SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA NFORMAÇÕES: SECRETARIA GOVERNO DO DE ESTADO DO DO RIO DE JANEIRO 1. INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE INEA SEA Projeto: TERMO chrysomelas) Construção DE REFERÊNCIA de capturados recintos Nº em no 2013.0812.1029.37151

Leia mais

XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007

XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007 XII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Natal, 9 a 13 de Julho de 2007 Eixo Temático: Cidades e Regiões Metropolitanas: a Geografia frente aos problemas

Leia mais

III-100 PROPOSTA DE GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL MO MUNICÍPIO DE FORTALEZA.

III-100 PROPOSTA DE GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL MO MUNICÍPIO DE FORTALEZA. III-100 PROPOSTA DE GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL MO MUNICÍPIO DE FORTALEZA. Viviane de Sena Barros Mestre em Engenharia Civil, área de concentração em Saneamento Ambiental,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARÉ ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARÉ ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos ITEM 1: Realizar fiscalização nos estabelecimentos geradores de carcaças de animais e promover ações de conscientização sobre os problemas que a disposição inadequada de resíduos pode causar. No dia 13/10/2015,

Leia mais

NOVO PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA

NOVO PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA NOVO PADRÃO DE LIGAÇÃO DE ÁGUA MANUAL DE ] INSTALAÇÃO 2016 ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA INSTALAÇÃO Ao fazer uma ligação de água ou mudança de cavalete, o usuário deverá atender ao novo padrão de ligação de

Leia mais

Legislação Pertinente ao Licenciamento Ambiental

Legislação Pertinente ao Licenciamento Ambiental 1 Legislação Pertinente ao Licenciamento Ambiental Juceleine Klanovicz UNOPAR Universidade do Norte do Paraná Legislação Pertinente ao Licenciamento Ambiental Linha Dezenove, São Domingos do Sul, RS juceleinekla@bol.com.br

Leia mais

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Parecer Técnico DISAN 18562/2006 PARECER TÉCNICO DISAN N 18562/2006 Empreendedor: Prefeitura Municipal de Jequitibá Endereço: Av. Raimundo Ribeiro da Silva, 145 - Centro

Leia mais

NT-1805.R-1 - DESMATAMENTO E TERRAPLENAGEM EM TERRENOS E ACRESCIDOS DE MARINHA

NT-1805.R-1 - DESMATAMENTO E TERRAPLENAGEM EM TERRENOS E ACRESCIDOS DE MARINHA NT-1805.R-1 - DESMATAMENTO E TERRAPLENAGEM EM TERRENOS E ACRESCIDOS DE MARINHA Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 0244 de 29 de outubro de 1981. Publicada no DOERJ de 24 de novembro de 1981 1. OBJETIVO

Leia mais

cãra CNPJ 13.761.689/0001-19.------ 'j...-_

cãra CNPJ 13.761.689/0001-19.------ 'j...-_ Rumo ii IInl T~",po "Vi'U "~ "". cãra CNPJ 13.761.689/0001-19.------ 'j...-_ ",çl~ ENGENHEIRO AGRÔNOMO Os ocupantes do cargo têm como atribuições, a elaboração, a execução e direção de projetos de engenharia

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL OBRAS PÚBLICAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA: AÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL A Auditoria Geral do Estado constitui-se como órgão superior de controle interno no âmbito do Poder

Leia mais

ASPECTOS HIDROLÓGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO CÓRREGO DO BARBADO, EM CUIABÁ-MATO GROSSO

ASPECTOS HIDROLÓGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO CÓRREGO DO BARBADO, EM CUIABÁ-MATO GROSSO Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 ASPECTOS HIDROLÓGICOS E SOCIOAMBIENTAIS DO CÓRREGO DO BARBADO, EM CUIABÁ-MATO GROSSO Laudyana Aparecida Costa e Souza Acadêmica do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental

Leia mais