Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR"

Transcrição

1 Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR O art. 100 da Constituição Federal de 1988 dispõe sobre a forma de pagamento de precatórios judiciais, que se realizarão na ordem cronológica de apresentação, por conta de dotação específica obrigatoriamente prevista no orçamento, sendo que os de natureza alimentícia terão precedência sobre aos demais, proibida, em todas as hipóteses, a distinção de casos ou de pessoas nas dotações. O 3º do art. 100, da CF/88, cuja redação foi determinada pela Emenda Constitucional nº 30, de 13 de setembro de 2000, excluiu do propósito disposto pelo caput deste artigo, os débitos considerados por Lei como sendo de pequeno valor. O entendimento de Débito de Pequeno Valor é dado pelo art. 87 dos Atos das Disposições Constitucionais Transitórias (ADCT), acrescido pela Emenda Constitucional nº 37, de 12 de junho de Desta forma, é considerado de pequeno valor, até que se dê publicação oficial das respectivas leis definidoras dos entes da federação, os débitos iguais ou inferiores a trinta salários-mínimos. Pelo dispositivo em questão, pode-se afirmar que débito de pequeno valor é aquele quantum determinado por Lei municipal, conforme sua capacidade econômico-financeira, para pagamento de dívidas reclamadas na Justiça, observado, para tanto, o limite máximo de trinta salários-mínimos. Diferente dos precatórios judiciais, que serão apresentados até o dia 1º de julho, de acordo com o 1º do art. 100, da CF/88; os débitos considerados como sendo de pequeno valor, serão pagos no prazo determinado pelo juízo de 1º grau, após o trânsito em julgado da sentença executória. Desatendida a requisição judicial, o Juiz poderá requisitar ou determinar o seqüestro dos recursos financeiros suficientes ao cumprimento da decisão. Esta possibilidade, é só para os casos de débito de pequeno valor, nos demais débitos, compete ao Presidente do Tribunal que confirmou a sentença exeqüenda, expedir ordem judicial de seqüestro de recursos financeiros. Ante o exposto, a ausência de Lei Municipal devidamente aprovada e publicada prevendo, o que venha ser débito de pequeno valor, para seu âmbito, implica na aceitação do valor estabelecido constitucionalmente, ou seja, trinta salários-mínimos (art. 87, ADCT). DA DECLARAÇÃO DE BENS E VALORES É obrigatória a apresentação de declaração de bens e valores por parte dos agentes públicos: servidores (efetivos ou comissionados), os que exercem função pública (contratados temporários por excepcional interesse público) ou agentes políticos (Prefeito, Vice-Prefeito, Secretários e Vereadores). A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado, a fim de ser arquivada no Serviço de Pessoal competente.

2 Assim, a declaração de bens e valores deve ser apresentada não só no ingresso na Administração Pública, mas também no final de cada exercício financeiro, no término da gestão ou mandato e nas exonerações, renúncias ou afastamentos definitivos de todos quantos exerçam mandatos eletivos e cargos, empregos ou funções na administração direta e indireta, de qualquer dos Poderes do Município. Compete, portanto, ao serviço de pessoal da Administração Pública municipal manter, em pasta/prontuário, o competente registro dos bens e valores declarados e a respectiva atualização anual até a data do término do mandato dos ocupantes de cargos eletivos e, no caso de servidor, atualização anual até a data que porventura deixar o cargo, emprego ou função. A declaração em questão compreenderá móveis, imóveis, semoventes, dinheiro, títulos, ações e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais, localizados no País ou no exterior, abrangendo, quando houver, os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro, dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante, excluindo apenas os objetos e utensílios de uso doméstico. O entendimento explanado acima tem por fundamento o art. 13 da Lei Federal nº 8.429, de 02 de junho de 1992 (Lei de Improbidade Administrativa) e a Lei Federal nº 8.730, de 10 de novembro de 1993 (Estabelece a obrigatoriedade da declaração de bens e rendas). SÚMULA VINCULANTE Nº 13 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL O Supremo Tribunal Federal STF aprovou, por unanimidade, a 13º Súmula Vinculante da Corte, que proíbe o nepotismo nos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, no âmbito da União, dos Estados, Distrito Federal e dos Municípios. Em 29 de agosto de 2008 a Súmula Vinculante nº 13 foi publicada com o seguinte enunciado: A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica, investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança, ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta, em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal. A aludida Súmula veda também o ajuste mediante designações recíprocas, mais conhecido como nepotismo cruzado, que ocorre quando dois agentes públicos empregam familiares um do outro como troca de favor. Assim, a partir da Súmula publicada, será possível contestar no próprio STF, por meio de Reclamação, a nomeação de cônjuge, companheiro e parentes para cargos/funções de confiança da administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes dos Entes Federativos, bem como o ajuste mediante designações recíprocas.

3 BENEFÍCIOS CONCEDIDOS ÀS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE NAS LICITAÇÕES PÚBLICAS A Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, que Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, previu grandes inovações em favor das pequenas empresas microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP), entre outras, a possibilidade de regularização de defeito na situação fiscal e criação de uma espécie de empate ficto nas licitações públicas, conforme os dispositivos legais abaixo apresentados: I DA REGULARIZAÇÃO DA SITUAÇÃO FISCAL: O art. 43 da Lei Complementar nº 123/2006 diz respeito à regularidade da situação fiscal, prevendo o seguinte: Art. 43. As microempresas e empresas de pequeno porte, por ocasião da participação em certames licitatórios, deverão apresentar toda a documentação exigida para efeito de comprovação de regularidade fiscal, mesmo que esta apresente alguma restrição. 1º. Havendo alguma restrição na comprovação da regularidade fiscal, será assegurado o prazo de 2 (dois) dias úteis, cujo termo inicial corresponderá ao momento em que o proponente for declarado o vencedor do certame, prorrogáveis por igual período, a critério da Administração Pública, para a regularização da documentação, pagamento ou parcelamento do débito, e emissão de eventuais certidões negativas ou positivas com efeito de certidão negativa. 2º. A não-regularização da documentação, no prazo previsto no 1º deste artigo, implicará decadência do direito à contratação, sem prejuízo das sanções previstas no art. 81 da Lei nº , de 21 de junho de 1993, sendo facultado à Administração convocar os licitantes remanescentes, na ordem de classificação, para a assinatura do contrato, ou revogar a licitação. (grifos nosso) Como se vê a pequena empresa ME ou EPP deve apresentar todos os documentos de habilitação previstos no instrumento convocatório, mas não será inabilitada se porventura apresentar defeito em sua situação fiscal. Em termos práticos, constatada restrição, na análise da documentação etapa de habilitação - na regularidade fiscal da EPP ou ME, tal verificação não é causa de inabilitação, podendo a pequena empresa prosseguir na licitação em igualdade de condições com as demais participantes, apresentando o documento fiscal sem defeito posteriormente. Assim, se a licitante vencedora for EPP ou ME, com restrições na regularidade fiscal apurada na etapa de habilitação, a partir da data da divulgação do ato que a declara vencedora, inicia-se o prazo de 2 (dois) dias úteis para regularização da situação, sob pena de decadência do direito de contratar, podendo, inclusive, ser prorrogado por igual período, a critério da Administração Pública, mediante requerimento. devidamente fundamentado da licitante, nos dois dias úteis inicialmente concedidos (antes que o prazo expire). Inclusive, não há a possibilidade de regularidade da situação fiscal posteriormente, quando na licitação participar somente entidades empresariais não enquadradas nas categorias de pequenas empresas (empresas de pequeno porte EPP ou microempresas ME).

4 II DO DIREITO DE PREFERÊNCIA EMPATE FICTO A Lei Complementar nº 123/2006 estabelece: Art. 44. Nas licitações será assegurada, como critério de desempate, preferência de contratação para as microempresas e empresas de pequeno porte. 1º Entende-se por empate aquelas situações em que as propostas apresentadas pelas microempresas e empresas de pequeno porte sejam iguais ou até 10% (dez por cento) superiores à proposta mais bem classificada. 2º Na modalidade de pregão, o intervalo percentual estabelecido no 1º deste artigo será de até 5% (cinco por cento) superior ao melhor preço. Ocorre o empate ficto nas licitações nas modalidades previstas na Lei nº 8666/1993, quando a proposta apresentada por uma pequena empresa (ME ou EPP) for até 10% superior à proposta mais bem classificada (formulada por um licitante comum). Para a licitação na modalidade pregão Lei nº / será considerado empate ficto sempre que a proposta apresentada pela pequena empresa (ME ou EPP) for até 5% superior à proposta mais bem classificada de um licitante comum, ou seja, que não se enquadra como pequena empresa. Nesse sentido, a Lei Complementar nº 123/2006 estabelece um conceito próprio de empate de valores, prevendo, em decorrência, o direito de preferência, que consiste na possibilidade de apresentação de uma segunda proposta somente às ME e EPP, conforme dispõe seu art. 45 verbis: Art. 45. Para efeito do disposto no art. 44 desta Lei Complementar, ocorrendo o empate, proceder-se-á da seguinte forma: I a microempresa ou empresa de pequeno porte mais bem classificada poderá apresentar proposta de preço inferior àquela considerada vencedora do certame, situação em que será adjudicado em seu favor o objeto licitado; II não ocorrendo a contratação da microempresa ou empresa de pequeno porte, na forma do inciso I do caput deste artigo, serão convocadas as remanescentes que porventura se enquadrem na hipótese dos 1º e 2º do art. 44 desta Lei Complementar, na ordem classificatória, para o exercício do mesmo direito; III no caso de equivalência dos valores apresentados pelas microempresas e empresas de pequeno porte que se encontrem nos intervalos estabelecidos nos 1º e 2º do art. 44 desta Lei Complementar, será realizado sorteio entre elas para que se identifique aquela que primeiro poderá apresentar melhor oferta. 1º Na hipótese da não-contratação nos termos previstos no caput deste artigo, o objeto licitado será adjudicado em favor da proposta originalmente vencedora do certame. 2º O disposto neste artigo somente se aplicará quando a melhor oferta inicial não tiver sido apresentada por microempresa ou empresa de pequeno porte. 3º No caso de pregão, a microempresa ou empresa de pequeno porte mais bem classificada será convocada para apresentar nova proposta no prazo máximo de 5 (cinco) minutos após o encerramento dos lances, sob pena de preclusão. (grifos nosso)

5 Assim, ocorrendo o empate ficto, a pequena empresa mais bem classificada poderá apresentar uma nova proposta inferior ao ofertado pela primeira colocada - desde que esta não seja também ME ou EPP. Dessa maneira, quando houver, ME ou EPP participando de um procedimento licitatório com outras empresas não enquadradas nestas categorias, não basta o melhor preço, já que a preferência dessas empresas (ME - EPP) deverá ser observada pela Administração. Inclusive, não há o direito à preferência ou aplicação do critério do desempate acima apresentado, quando participar da licitação apenas empresas de pequeno porte e microempresas, ou somente empresas de pequeno porte, ou somente microempresas ou somente entidades empresariais não pertencentes a essas categorias. Destaca-se, ainda, que a Lei Complementar nº 123/2006 está silente quanto ao tipo de julgamento licitatório. No entanto, a doutrina balizada orienta no sentido da aplicação do direito de preferência, na hipótese de empate ficto, somente nas licitações do tipo menor preço, haja vista a incompatibilidade da sistemática própria de outros tipos de julgamento (melhor técnica e técnica e preço) com relação às regras dos seus artigos 44 e 45. Ademais, para a modalidade pregão, a Lei Complementar nº 123/2006 estabeleceu um prazo de 5 (cinco) minutos para oferecimento de nova proposta em valor inferior à proposta ofertada pela licitante melhor classificada, sem menção, contudo, de prazo e momento para as modalidades licitatórias tradicionais, cuja solução compete à Administração regulamentar no instrumento convocatório. Vale lembrar, também, que a comprovação da regularidade jurídica da licitante e seu enquadramento como microempresa - ME e empresa de pequeno porte EPP, dar-se-á com a apresentação de ato constitutivo, devidamente registrado na Junta Comercial ou Registro Civil das Pessoas Jurídicas, ou documento equivalente expedido por uma dessas duas entidades que comprove que a licitante pertence à categoria de pequena empresa, conforme exigido no instrumento convocatório. As normas aqui apresentadas estão em pleno vigor, apesar da existência de questionamento acerca do desrespeito de um dos princípios constitucionais o da isonomia que assegura o acesso a todos os interessados que desejam participar de licitações, em igualdade de condições. Por todo o exposto, o mais recomendável é que o instrumento convocatório da licitação contenha regras claras sobre o assunto, o que poderá reduzir os conflitos e simplificar a atuação dos agentes encarregados de conduzir o certame. PERGUNTAS E RESPOSTAS - ÁREA DE PESSOAL 1) Pergunta: Pode o Prefeito enviar projeto de lei ao Poder Legislativo dispondo sobre o reajuste do subsídio do Prefeito e Vice-Prefeito? Resposta: Não! A competência para alterar o subsídio dos agentes políticos (Prefeito, Vice- Prefeito e Secretários) é da Câmara Municipal, mediante lei, conforme dispõe o art. 37, inc. X da Constituição Federal.

6 2) Pergunta: Servidora pública efetiva (concursada) foi nomeada como membro de comissão permanente de licitação, o qual permaneceu durante 4 (quatro) anos, recebendo gratificação por esse exercício. Poderia incorporar a gratificação uma vez que tem lei federal admitindo? Resposta: Não! A matéria é de competência afeta ao Município. Tão somente com lei municipal prevendo a possibilidade de incorporar gratificações ao vencimento é que poderá admitir o caso acima descrito. Respaldado pelo art. 37 c/c art. 30, I, da Constituição Federal de ) Pergunta: É obrigatório à Administração Direta municipal constituir uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (CIPA) para seus servidores e empregados? Resposta: A CIPA é obrigatória para os entes públicos que possuam empregados com vínculo de emprego sob o regime da CLT. Deverá levar em consideração o número de empregados efetivamente vinculados ao regime celetista. A ampliação das questões relativas à CIPA para as categorias de trabalhadores que não estão enquadrados nas formatações dos vínculos de emprego em especial servidores públicos não foi possível, face à falta de regulamentação constitucional que defina a quem cabe regulamentar a questões de segurança para essa categoria de trabalhadores (Norma Regulamentar nº 5 do Ministério do Trabalho). 4) Pergunta: O servidor ocupante de cargo em comissão no caso de ser exonerado faz jus ao recebimento das férias não gozadas e ao décimo terceiro salário? Resposta: A Constituição Federal estende aos servidores ocupantes de cargos públicos os direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, conforme dispõe o art. 7º c/c o art. 39, 3º (CF/88). Os ocupantes de cargos em comissão, como servidores que são, têm direito ao gozo de férias anuais e a remuneração do décimo terceiro salário, denominado em muitos casos, por força de lei municipal (Estatuto dos Servidores) como gratificação natalina. Constata-se nos dispositivos legais referidos que o servidor tem direito ao gozo das férias, não ao recebimento de valor respectivo em dinheiro. Assim, a possibilidade de pagamento das férias não gozadas, no caso de exoneração de servidor, depende de autorização da legislação local estatutária, que através de disposição expressa estabelecerá a forma do pagamento de férias não gozadas. O direito a remuneração do décimo terceiro salário ao trabalhador servidor estatutário é constitucional, contudo, a forma do pagamento deve estar disciplinada em lei municipal. É comum constar na legislação local autorização para pagamento de gratificação natalina (décimo terceiro salário) no caso de exoneração de servidor comissionado, considerando como mês integral a fração igual ou superior a 15 (quinze) dias. No entanto, no caso de férias não gozadas, em muitos casos não há previsão de pagamento das mesmas, nem a forma de pagamento, o que enseja alteração da lei, com inclusão de dispositivo específico, no caso de se objetivar o pagamento.

7 5) Pergunta: Objetivamos fazer um concurso público para o preenchimento de algumas vagas, mas a Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO não prevê a realização do mesmo. Posso fazer o concurso, ou devo fazer alteração na LDO colocando a respectiva previsão? Resposta: A realização de concurso público não precisa estar expressamente prevista na LDO, o que necessita constar na LDO é a concessão de vantagem ou aumento de remuneração, a criação de cargos, empregos e funções ou alteração de estrutura de carreiras, bem como a admissão ou contratação de pessoal, a qualquer título (art. 169 da CF/88). TRANSPARÊNCIA FISCAL O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais - TCE/MG, com base no 2º do art. 4º e 1º do art. 8º da Instrução Normativa nº 12, de 3 de dezembro de IN-TCE/MG 12/08 - dispõe acerca da publicidade, respectivamente, do Relatório de Gestão Fiscal, do Relatório Resumido da Execução Orçamentária e do Comparativo das Metas Bimestrais de Arrecadação. Assim, considerando a Instrução supracitada, o Poder Executivo deverá dar publicidade aos relatórios acima referidos, em até trinta dias após o encerramento de cada data-base, por meio eletrônico e por afixação em local de fácil acesso ao público, nas dependências da Prefeitura, da Câmara e das Entidades da Administração Indireta e, ainda, por outros meios necessários à Transparência da Gestão Fiscal. Como se vê, além da publicidade por meio eletrônico, os relatórios e seus complementos, deverão ser encaminhados, no prazo devido, a Câmara Municipal e às Entidades da Administração Indireta Municipal, se existentes, para a afixação em local de fácil acesso ao público.

CAPÍTULO V DO ACESSO AOS MERCADOS. Seção única. Das Aquisições Públicas

CAPÍTULO V DO ACESSO AOS MERCADOS. Seção única. Das Aquisições Públicas CAPÍTULO V DO ACESSO AOS MERCADOS Seção única Das Aquisições Públicas Art. 42. Nas licitações públicas, a comprovação de regularidade fiscal das microempresas e empresas de pequeno porte somente será exigida

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, no uso de suas atribuições

Leia mais

SAIBA O QUE É UMA SÚMULA VINCULANTE

SAIBA O QUE É UMA SÚMULA VINCULANTE SAIBA O QUE É UMA SÚMULA VINCULANTE Tatiana Takeda Advogada, professora, assessora do Tribunal de Contas do Estado de Goiás, articulista semanal do Diário da Manhã, especialista em Direito Civil e Processo

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Regulamenta a Lei Estadual nº 11.170/2008, dispondo sobre a progressão funcional dos servidores no âmbito do Poder Judiciário do Estado da Bahia. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO Nº 08/2014

ORDEM DE SERVIÇO Nº 08/2014 ORDEM DE SERVIÇO Nº 08/2014 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no exercício de suas atribuições legais, de conformidade com o art. 57, inciso XVIII, da Lei Orgânica do Município de Porto

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências.

Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências. LEI N o 0692/2012 Córrego do Ouro/GO.,06 de Dezembro de 2012. Altera e consolida o Plano de Cargos e Salários da Câmara Municipal de Córrego do Ouro, e dá outras providências. O Prefeito Municipal. Faço

Leia mais

REPUBLICADA POR ERRO MATERIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 28/TCE/RO-2012

REPUBLICADA POR ERRO MATERIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 28/TCE/RO-2012 REPUBLICADA POR ERRO MATERIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 28/TCE/RO-2012 Regulamenta a remessa das Declarações de Bens e Rendas dos agentes públicos, prevista nas Leis Federais n. 8.730, de 10 de novembro de

Leia mais

Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM

Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a partir da ADI 4167 Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM A Lei 11.738/2008 A Lei nº 11.738, de 17/7/2008, instituiu o piso salarial

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N. 27/99 De 12 de Novembro de 1999 Aprova o Plano de Cargos dos Servidores do Poder Executivo Municipal e contém providências

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 155 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. Altera dispositivos da Lei Complementar nº 142 de 29 de dezembro de 2008, e dá outras providências.

LEI COMPLEMENTAR Nº 155 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. Altera dispositivos da Lei Complementar nº 142 de 29 de dezembro de 2008, e dá outras providências. LEI COMPLEMENTAR Nº 155 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. Altera dispositivos da Lei Complementar nº 142 de 29 de dezembro de 2008, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que

Leia mais

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo

República Federativa do Brasil Estado do Ceará Município de Juazeiro do Norte Poder Executivo LEI Nº 4311, DE 28 DE ABRIL DE 2014 Dispõe sobre a qualificação de entidades sem fins lucrativos como organizações sociais e adota outras providências O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JUAZEIRO DO NORTE,. FAÇO

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 590/DILEP.CIF.SEGPES.GDGSET.GP, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre as regras e procedimentos adotados para concessão, indenização, parcelamento e pagamento

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: II somente perderão seus mandatos nos casos de:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: II somente perderão seus mandatos nos casos de: PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2007 Complementar Dispõe sobre a nomeação e demissão do Presidente e diretores do Banco Central do Brasil e sobre a organização de seu quadro funcional. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DO CERTAME

REGULAMENTO OPERACIONAL DO CERTAME Banco do Brasil - edital nº 2007/21407 (7420) - Registro de Preços - edital 8. REGULAMENTO OPERACIONAL DO CERTAME 8.2 CREDENCIAMENTO NO APLICATIVO LICITAÇÕES 8.2.7 Em se tratando de Microempresa ou Empresa

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VERA CRUZ SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO EDITAL DE LICITAÇÃO Nº 01/2010 MODALIDADE CONVITE PROCESSO Nº 058/2010 Contratação de serviços

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal FÉRIAS Cód.: FER Nº: 55 Versão: 10 Data: 01/02/2016 DEFINIÇÃO Período de descanso remunerado com duração prevista em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. Servidor efetivo: - Possuir 12 (doze) meses de efetivo exercício

Leia mais

Cargos e empregos de provimento em comissão

Cargos e empregos de provimento em comissão Cargos e empregos de provimento em comissão Tipos de vínculo de trabalho Cargo público conjunto de atribuições e responsabilidades, criado por lei em número determinado, com nome certo e remuneração especificada

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E AGRICULTURA EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 38/2015 TIPO MENOR PREÇO EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE TUBOS DE CONCRETO O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960

LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 LEI Nº 3.849, DE 18 DE DEZEMBRO DE 1960 Federaliza a Universidade do Rio Grande do Norte, cria a Universidade de Santa Catarina e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG

MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG MINUTA DA RESOLUÇÃO DA COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO DAS 30 HORAS SEMANAIS DO CEFET-MG Regulamenta o processo de implementação e avaliação da flexibilização da jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos

Leia mais

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO.

EDITAL TOMADA DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA EMEI GENI TEREZINHA COLOMBO. PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. EDITAL TOMADA DE PREÇOS Nº 72/2015 TIPO MENOR PREÇO EXCLUSIVO PARA ME s e EPP s, CONFORME REDAÇÃO DADA PELA LC 147/2014.

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE

Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE DEFINIÇÕES CONCURSO PÚBLICO, NOMEAÇÃO E POSSE Cód.: CNP Nº: - Versão: 02 Data: 22/02/2016 Concurso público Processo de seleção de natureza competitiva, aberto ao público geral, para provimento de cargo

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 669 Institui a modalidade de remuneração por subsídio e o Plano de Carreira para os servidores ocupantes dos cargos de Músico de Orquestra Nível Superior, Músico A e Músico B e dá outras

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida,

Leia mais

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do

a) Relação explícita do pessoal técnico especializado, adequado e disponível para a realização do 2. CONDIÇÕES PARA CREDENCIAMENTO 2.1. Poderão participar deste Credenciamento, as empresas que: 2.1.1 Atendam a todas as exigências deste Edital, inclusive quanto à documentação constante deste instrumento

Leia mais

Contribuir, mensalmente, para o Plano de Aposentadoria com:

Contribuir, mensalmente, para o Plano de Aposentadoria com: PLANO DE APOSENTADORIA - INSCRIÇÃO Nome Completo (em letra de forma): Empresa / Matrícula: Telefone p/ Contato: E-Mail: CPF: Instruções para Preenchimento O preenchimento de todos os campos é obrigatório;

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI DE FUNDAÇÕES DE APOIO: POSSIBILIDADES E EXPECTATIVAS PARA AS IFES FORPLAD DOURADOS 30, 31/10/2013 e 01/11/2013

ALTERAÇÕES NA LEI DE FUNDAÇÕES DE APOIO: POSSIBILIDADES E EXPECTATIVAS PARA AS IFES FORPLAD DOURADOS 30, 31/10/2013 e 01/11/2013 ALTERAÇÕES NA LEI DE FUNDAÇÕES DE APOIO: POSSIBILIDADES E EXPECTATIVAS PARA AS IFES FORPLAD DOURADOS 30, 31/10/2013 e 01/11/2013 1 - ASPECTOS INTRODUTÓRIOS O marco legal das fundações de apoio: Lei 8.958/94

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO Poder Judiciário COMISSÃO INTERDISCIPLINAR Portaria nº 201, de 21 de dezembro de 2006 Supremo Tribunal Federal. VERSÃO: 11.01.2007 PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART.

Leia mais

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Lei Ordinária Nº 5.519 de 13/12/2005 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PIAUÍ, FAÇO saber que o Poder Legislativo decreta

Leia mais

BIZU DA LEI Nº 9.784/99 (PARTE 1) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. Quadro de Avisos:

BIZU DA LEI Nº 9.784/99 (PARTE 1) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ. Quadro de Avisos: Quadro de Avisos: Prezados(as) concurseiros(as), Espero que todos estejam bem! A fim de auxiliá-los(as) no estudos da Lei nº 9.784/99, que regula o processo administrativo no âmbito da Administração Pública

Leia mais

Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010

Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010 Licitações de Agências de Publicidade Lei nº 12.232/2010 * Rodrigo Corrêa da Costa Oliveira 1. INTRODUÇÃO A contratação de Agências de Propaganda pela Administração Pública sempre se pautou pela Lei Geral

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Orientador Empresarial Administração Pública Contratação de Bens e Serviços de Informática e Automação p Regulamentação

Leia mais

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento:

DADOS PESSOAIS. Endereço: Município: Bairro: CEP: Complemento: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL DADOS PESSOAIS Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino Data de Nascimento: / / Naturalidade:

Leia mais

Resposta apresentada por Elpídio Donizetti - Sentença Parte 1/2 Parte 2/2 - Acórdão

Resposta apresentada por Elpídio Donizetti - Sentença Parte 1/2 Parte 2/2 - Acórdão Resposta apresentada por Elpídio Donizetti - Sentença Parte 1/2 Parte 2/2 - Acórdão A nomeação de parentes para ocupar cargos na Administração Pública, prática conhecida como nepotismo, sempre esteve presente

Leia mais

Redação Original Alteração Proposta Justificativa

Redação Original Alteração Proposta Justificativa QUADRO COMPARATIVO DAS ALTERAÇÕES DO ESTAUTO SOCIAL DO CNBPREV FUNDO DE PREVIDÊNCIA DOS CARTÓRIOS Novembro/2013 Redação Original Alteração Proposta Justificativa Estatuto Social CNBPrev Fundo de Previdência

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS RESOLUÇÃO Nº 002/00 - COPLAD Dispõe sobre a avaliação de desempenho em estágio probatório do servidor técnico-administrativo e do docente. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO da Universidade Federal do Paraná,

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA LEI Nº. 209/12, DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO

Leia mais

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007

DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 DECRETO Nº. 6.204, DE 5 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 06.09.2007 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas e empresas de pequeno porte nas contratações públicas de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal. Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP

Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal. Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP Atuação do Controle Interno na Contratação de Pessoal Reinaldo Gomes Ferreira Diretor da DAP CONTRATAÇÃO DE PESSOAL 1. Controle Interno Normas / Atos de Pessoal; 2. Procedimentos do controle interno nas

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES 1. OBJETIVOS DO PLANO BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES 1.1. Os objetivos do Plano de Opção de Compra de Ações da BR Malls Participações S.A. ( Companhia

Leia mais

SÚMULA VINCULANTES SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL 08/03/2012 SÚMULA VINCULANTE Nº 1

SÚMULA VINCULANTES SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL 08/03/2012 SÚMULA VINCULANTE Nº 1 SÚMULA VINCULANTE Nº 1 OFENDE A GARANTIA CONSTITUCIONAL DO ATO JURÍDICO PERFEITO A DECISÃO QUE, SEM PONDERAR AS CIRCUNSTÂNCIAS DO CASO CONCRETO, DESCONSIDERA A VALIDEZ E A EFICÁCIA DE ACORDO CONSTANTE

Leia mais

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 Altera a Lei nº 256, de 30 de março de 2000, para aperfeiçoar as regras e procedimentos sobre o Plano de Carreira e Remuneração (PCR) do Grupo Ocupacional do Magistério

Leia mais

www.concursovirual.com.br

www.concursovirual.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: CONHECIMENTOS GERAIS CORREIOS/2015 CONHECIMENTOS GERAIS ESTADO UNITÁRIO - PODER CENTRAL (França) ESTADO COMPOSTO ESTADO UNITÁRIO (Formação histórica) ESTADO REGIONAL MENOS

Leia mais

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos Setor de Licitações

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos Setor de Licitações Fls: 11 AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL N.º 14/2013 Modalidade: CONVITE Tipo: MENOR PREÇO Objeto: AQUISIÇÃO DE DETERGENTES PARA LIMPEZA DE VEÍCULOS Vera Maria Schornes Dalcin, Prefeita do Município de JÚLIO

Leia mais

PROGRAMA DE DESLIGAMENTO INCENTIVADO PDI

PROGRAMA DE DESLIGAMENTO INCENTIVADO PDI PROGRAMA DE DESLIGAMENTO INCENTIVADO PDI BRASÍLIA - DF MARÇO/2007 PROGRAMA DE DESLIGAMENTO INCENTIVADO - PDI A Diretoria Executiva da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977.

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. DÁ NOVA REDAÇÃO À RESOLUÇÃO N o 18, DE 10.02.72, DO CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE 27.03.72. CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIO DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDESTE

PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIO DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDESTE PLANO DE CARREIRA, CARGOS E SALÁRIO DO PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DA FUNDESTE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E OPERACIONALIZAÇÃO Art. 1º - O Plano de Carreira do Pessoal Técnico-Administrativo da Fundeste,

Leia mais

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 711, de 17 de fevereiro de 1961. CRIA O ISNTITUTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DE CAMPO GRANDE, REGULA O SEU FUNCIONAMENTO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE: Faço saber

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

GABINETE DO GOVERNADOR

GABINETE DO GOVERNADOR GABINETE DO GOVERNADOR LEI N 5.674 DE 21 DE OUTUBRO DE 1991 Dispõe sobre o Fundo de Desenvolvimento Econômico do Estado do Pará - FDE, de que trata o Art. 40 do Ato das Disposições Transitórias da Constituição

Leia mais

[Nota: os instrumentos de alteração contratual devem conter o número de registro da sociedade no CNPJ e o número de inscrição da sociedade na OAB/ES]

[Nota: os instrumentos de alteração contratual devem conter o número de registro da sociedade no CNPJ e o número de inscrição da sociedade na OAB/ES] ... ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DO CONTRATO SOCIAL DA SOCIEDADE DE ADVOGADOS...(nome da Sociedade)... [Nota: os instrumentos de alteração contratual devem conter o número de registro da sociedade no CNPJ

Leia mais

RESUMO DO DECRETO MUNICIPAL Nº 49.511/08 - SP

RESUMO DO DECRETO MUNICIPAL Nº 49.511/08 - SP RESUMO DO DECRETO MUNICIPAL Nº 49.511/08 - SP O Decreto Municipal Nº 49.511/08 regulamenta, no âmbito do Município de São Paulo, as normas definidas na Lei Complementar nº 123/06, que criou o Estatuto

Leia mais

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS. Seção I. DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208)

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS. Seção I. DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208) CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208) Art. 207 - Lei complementar disporá sobre finanças públicas, observados os princípios estabelecidos

Leia mais

Controle Eletrônico de Assiduidade e Pontualidade. Legalidade, Implicações para as chefias e Posicionamento dos Órgãos de Controle.

Controle Eletrônico de Assiduidade e Pontualidade. Legalidade, Implicações para as chefias e Posicionamento dos Órgãos de Controle. Controle Eletrônico de Assiduidade e Pontualidade Legalidade, Implicações para as chefias e Posicionamento dos Órgãos de Controle. BASE LEGAL DECRETO Nº 1.590, DE 10 DE AGOSTO DE 1995. Dispõe sobre a jornada

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 581/2007

PROJETO DE LEI Nº 581/2007 1 PUBLICADO DOC 09/02/2008, PÁG. 85 EMENDA Nº 01 AO PROJETO DE LEI Nº 581/2007 Altera-se redação do artigo 2º como segue Art. 2º. Ficam instituídas as carreiras dos servidores de nível superior da Prefeitura

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO

Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO Prefeitura Municipal de Floriano Peixoto 01.612.289/0001-62 Avenida Alfredo Joahnes Dücker - 99.910-000 - Floriano Peixoto/RS EDITAL DE LICITAÇÃO Processo...: 8/2015 Modalidade.: Convite Número...: 6/2015

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 530. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 28/12/2009) LEI COMPLEMENTAR Nº 530 Altera dispositivos da Lei Complementar nº 16, de 09.01.1992; da Lei Complementar nº 353, de 06.01.2006; da

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha)

PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) *C0054196A* C0054196A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.939, DE 2015 (Do Sr. Weverton Rocha) Dispõe sobre a criação e a estruturação do regime jurídico de Advogado de Empresa Estatal Federal e

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 001/2012 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Estudos de Cultura Contemporânea CEDEC, entidade privada sem fins lucrativos,

Leia mais

Pagamento de Despesa por Meio de Adiantamento. DNT/SSSCI/SF Março 2013

Pagamento de Despesa por Meio de Adiantamento. DNT/SSSCI/SF Março 2013 Meio de Adiantamento DNT/SSSCI/SF Março 2013 Realização Secretaria da Fazenda Subsecretaria do Sistema de Controle Interno Departamento de Normas Técnicas Apresentação David Fabri Monique Junqueira Ferraz

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 86

LEI COMPLEMENTAR N. 86 LEI COMPLEMENTAR N. 86 Dispõe sobre a criação do Emprego Público de Agente Comunitário de Saúde e Agente de Combate às Endemias, sobre o respectivo processo seletivo público e dá outras providências. Faço

Leia mais

PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3.

PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3. PORTARIA Nº 4.984 DE 11 DE JULHO DE 2013. (Republicação) (Texto compilado com as alterações promovidas pela Portaria nº 3.029/2014) Regulamenta a Gratificação por Encargo de Curso no âmbito da Justiça

Leia mais

COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA

COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO - SCI FOLHA DE VERIFICAÇÃO - DALC COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA Processo: TRT/SOF nº Volumes: Exercício: Subelemento:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PORECATU - PARANÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE PORECATU - PARANÁ A MESA EXECUTIVA DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORECATU, usando de suas atribuições que lhe são conferidas por lei, apresenta à judiciosa apreciação da Colenda Câmara de Vereadores de Porecatu, o seguinte: PROJETO

Leia mais

E D I T A L Nº 1975/2011

E D I T A L Nº 1975/2011 E D I T A L Nº 1975/2011 MODALIDADE: Convite ABERTURA: Dia 06 de Junho de 2011, às 10:00 horas TIPO: Menor preço por item LOCAL DE ABERTURA: Setor de Licitações, localizado na Rua Benjamin Constant, 686

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PARNAMIRIM Casa Antônio Lustosa de Oliveira Cabral CNPJ n.º 35.446.376/0001-09

CÂMARA MUNICIPAL DE VEREADORES DE PARNAMIRIM Casa Antônio Lustosa de Oliveira Cabral CNPJ n.º 35.446.376/0001-09 LEI N.º 741/2009 EMENTA: Dispõe sobre a instituição do Sistema de Controle Interno SCI do Poder Legislativo Municipal, cria o Órgão Central do SCI e dá outras providências. A MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 1.749-C DE 2011 Autoriza o Poder Executivo a criar a empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares EBSERH; acrescenta dispositivos ao Decreto-Lei

Leia mais

Conselho Regional de Economia da Paraíba 21ª Região

Conselho Regional de Economia da Paraíba 21ª Região EDITAL DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE CONTADOR PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFISSIONAIS CONTÁBEIS E DE ASSESSORIA CONTÁBIL PARA O CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA 21ª REGIÃO PARAÍBA CONVITE Nº 002/2016

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRAS ALTAS Gabinete do Prefeito

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRAS ALTAS Gabinete do Prefeito EDITAL Nº 006/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 02/2015 O PREFEITO MUNICIPAL DE PEDRAS ALTAS, no uso de suas atribuições legais, TORNA PÚBLICO que estarão abertas, na cidade de Pedras Altas/RS,

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO DIREITO CONSTITUCIONAL PODER LEGISLATIVO Atualizado em 03/11/2015 PODER LEGISLATIVO No plano federal temos o Congresso Nacional composto por duas casas (Câmara dos Deputados e Senado Federal). No âmbito

Leia mais

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br

Questões Extras Direito Tributário Profº Ricardo Alexandre www.lfg.com.br/ www.cursoparaconcursos.com.br TRIBUTO - CONCEITO 1. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Na atividade de cobrança do tributo a autoridade administrativa pode, em determinadas circunstâncias, deixar de aplicar a lei. 2. (ESAF/GEFAZ-MG/2005) Segundo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe

Leia mais

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL

Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Elaborado por RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Página 2 de 14 1 INTRODUÇÃO O Plano de Cargos e Salários do CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MINAS GERAIS CRA-MG, cuja última versão data de maio/2014,

Leia mais

ATO PGJ N.º 122/2013. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais, e

ATO PGJ N.º 122/2013. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições legais, e ATO PGJ N.º 122/2013 REGULAMENTA O ARTIGO 10, DA LEI Nº 2.708/2001, ALTERADO PELA LEI PROMULGADA Nº 89, DE 21 DE OUTUBRO DE 2010. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos Setor de Licitações

Prefeitura Municipal de Júlio de Castilhos Setor de Licitações AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL N.º 132/2011 Modalidade: CONVITE Tipo: MENOR PREÇO Objeto: AQUISIÇÃO DE CORDÕES DE CONCRETO ATRAVES DA SECRETARIA DE AGRICULTURA DO GOVERNO DO MUNICÍPIO JOÃO VESTENA, Prefeito

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Capítulo I DO OBJETO

MINUTA DE RESOLUÇÃO. Capítulo I DO OBJETO MINUTA DE RESOLUÇÃO Dispõe sobre a atividade de corretagem de resseguros, e dá outras providências. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da atribuição que lhe confere o art. 34, inciso

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DA JORNADA DE TRABALHO

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: CAPÍTULO I DA JORNADA DE TRABALHO DECRETO nº 1877, de 03 de julho de 2012 Disciplina a jornada de trabalho dos servidores pertencentes ao Poder Executivo do Município de Contagem e estabelece diretrizes para elaboração, aprovação e aplicação

Leia mais

CARTILHA DO SUBSÍDIO

CARTILHA DO SUBSÍDIO CARTILHA DO SUBSÍDIO Cléa da Rosa Pinheiro Vera Mirna Schmorantz A Direção do SINAL atenta às questões que dizem com a possibilidade de alteração da estrutura remuneratória das carreiras de Especialista

Leia mais

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010

ESTADO DO ACRE DECRETO Nº 5.966 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010 Regulamenta o tratamento favorecido, diferenciado e simplificado para as microempresas, empresas de pequeno porte e equiparadas nas contratações de bens, prestação de serviços e execução de obras, no âmbito

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 1.213, DE 2015 (Do Sr. João Fernando Coutinho)

PROJETO DE LEI N.º 1.213, DE 2015 (Do Sr. João Fernando Coutinho) *C0052894A* C0052894A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 1.213, DE 2015 (Do Sr. João Fernando Coutinho) Altera as Leis nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, para

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

ERRATA. Recebimento e Abertura dos Envelopes DOCUMENTOS e PROPOSTA: Data: 29/09/2011

ERRATA. Recebimento e Abertura dos Envelopes DOCUMENTOS e PROPOSTA: Data: 29/09/2011 DIRETORIA DE APOIO AOS NEGÓCIOS E OPERAÇÕES CSL RECIFE PE/L1CITAÇÃO BA Recife (PE), 03 de novembro de 2011 SRS LICITANTES, ERRATA TOMADA DE PRECOS 2011/22433 (7420) - Contratação de empresa para a substituição

Leia mais

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares)

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares) TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO (para servidores militares) VERSÃO 2014 Layout para a importação

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012

RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012 RESOLUÇÃO nº 076 de 13 de setembro de 2012 Dispõe sobre a obrigatoriedade da criação do controle interno nos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, bem como no Ministério Público e Tribunal de Contas,

Leia mais

Quanto ao órgão controlador

Quanto ao órgão controlador Prof. Ms. Cristian Wittmann Aborda os instrumentos jurídicos de fiscalização sobre a atuação dos Agentes públicos; Órgãos públicos; Entidades integradas na Administração Pública; Tem como objetivos fundamentais

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS Art. 1º. A Bradesco Vida e Previdência S.A., doravante denominada EAPC, institui o Plano de Pecúlio por Morte, estruturado no Regime

Leia mais

EDITAL EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA EMBRAPA HORTALIÇAS

EDITAL EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA EMBRAPA HORTALIÇAS EDITAL EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA EMBRAPA EMBRAPA HORTALIÇAS Processo de Recrutamento e Avaliação da Habilitação de Candidatos ao Cargo de Chefe-Geral da Embrapa Hortaliças O Presidente

Leia mais

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007

DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 ESTADO DO CEARÁ DECRETO N 28.662, DE 08 DE MARÇO DE 2007 * Publicado no DOE em 12/03/2007. REGULAMENTA O ART.25 DA LEI COMPLEMENTAR Nº58, DE 31 DE MARÇO DE 2006 (DOE-CE DE 31.03.2006), QUE DISPÕE SOBRE

Leia mais

ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014

ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014 ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014 Consultam-nos as secretarias municipais de saúde acerca da aplicabilidade imediata da Lei 12.994/14 que altera a Lei 11.350/06 para instituir o piso

Leia mais

Neste comentário analisaremos as regras acerca do adicional de insalubridade, dispostas no art. 189 e seguintes da CLT.

Neste comentário analisaremos as regras acerca do adicional de insalubridade, dispostas no art. 189 e seguintes da CLT. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE - Considerações Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 02/05/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Atividades e Operações Insalubres 3 - Adicional de Insalubridade

Leia mais

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008;

considerando o Decreto nº 6.114, de 15 de maio de 2007; considerando a Portaria/MEC nº 1.084 de 02 de setembro de 2008; Dispõe sobre os critérios e valores para pagamento de Gratificações por Encargo de Cursos ou Concursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). A COORDENADORA-GERAL

Leia mais

FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO. INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010)

FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO. INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010) FAAP MÓDULO MÉDIA CÁLCULO DA MÉDIA ARITMÉTICA SIMPLES DAS 80% MAIORES BASES DE CONTRIBUIÇÃO INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO (uso somente em Excel 2010) 1) O que é? É uma ferramenta de cálculo simplificado e automatizado

Leia mais