Estádios Brasileiros: Os desafios para 2014 e o Legado da Copa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estádios Brasileiros: Os desafios para 2014 e o Legado da Copa"

Transcrição

1 Promoção Realização 21 a 25 de setembro de 2009 Hotel Maksoud Plaza São Paulo Estádios Brasileiros: Os desafios para 2014 e o Legado da Copa Arq. Carlos de La Corte Doutor e consultor em arquitetura esportiva Comitê Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 Estádios Planejamento Projeto Viabilidade

2 A Realidade do Brasil

3 Brasil, o país do futebol Alguns Números População: 180 milhões 27 Estados federativos Aprox. 500 clubes de futebol profissional, aprox. 90 partidas por ano cada um; 300 mil empregos diretos; 30 milhões de participantes (formais e informais); 580 mil participantes em clubes (CBF) estádios (Brasil possui municípios Censo IBGE 2003) Receitas no mundo: U$ 250 bilhões (Fonte: FIFA) Receitas no Brasil : U$ 3,2 bilhões (menos que 2% no âmbito mundial Fonte CBF) A média de receita de clubes de 1ª linha no Brasil gira em torno de U$25 milhões

4 Estádios no Brasil Regiões do Brasil Centro Oeste Sul Número de estádios no Brasil 10,3% 18,5% Regiões Sudeste 40,3% Nordeste 24,2% Norte 6,7% 0,0% 5,0% 10,0% 15,0% 20,0% 25,0% 30,0% 35,0% 40,0% 45,0% Porcentagens sobre o total Fonte: Federações Estaduais e Gestão dos Estádios Brasileiros (acima de ) 41,9% Públicos Privados 58,1% Fonte: Federações Estaduais

5 Universo - Estádios mapeados no Brasil ( lugares)

6 Comparativo - Estádios no Brasil x Mundo Número de estádios inaugurados no Brasil por região e década (capacidade acima de ) Sul Número de estád dios Sudeste Centro Oeste Nordeste Norte Total Antes de a a a a a a 99 após 2000 Ano de Inauguração Número de estádios inaugurados no Mundo por região e década (capacidade acima de ) Brasil 70 Europa Núme ero de estádios América Latina e EUA (exclui Brasil) Africa Asia Oceania 0 Total Antes de 40 a a a a a a a Ano de Inauguração Fonte: Federações Estaduais e

7 Comparativo - Estádios no Brasil x Mundo Estádios projetados, remodelados ou em construção - De 2007 a 2011 ádios Número de est Brasil Europa América - exceto Brasil África Ásia Oceania TOTAL Regiões Estádios demolidos ou inativos Número de estádios Brasil Europa América - exceto Brasil África Ásia Oceania TOTAL Regiões Fonte:

8 Comparativo - Receitas de Clubes (Brasil x Mundo) Representação de Receitas (2006) %s 5000,0 4500,0 4000,0 3500,0 3000,0 2500,0 2000,0 1500,0 4352,1 10 maiores da Europa 10 maiores do Brasil 1000,00 500,0 0,0 416,3 Faturamento (em U$milhões) Representação de Receitas (2006) 45,0% 40,0% 41,7% 35,0% 30,0% 26,8% 29% 31,5% 10 maiores Europa %s 25,0% 20,0% 17% 23% Clubes Brasileiros 15,0% 10,0% 8% 11% 12% 5,0% 0,0% Biheterias Direito de TV Publicidade e Patrocínio Transferência de Jogadores Social e Amador Outras receitas Fonte: Deloitte e Casual Auditores

9 Comparativo - Média de público e receitas de entidades (Brasil x Mundo) Público Média dos Campeonatos Receitas das entidades País Média de Público Ano Alemanha Inglaterra Espanha Itália Entidade Receitas U$milhões Ano UEFA FIFA Brasil CBF Fonte: Sites das Federações Nacionais

10 Estádios Brasileiros Características Comuns Mais de 30 anos de uso Estruturas em concreto armado Sem cobertura Sem assentos individuais 2 ou 3 níveis de tribunas Presença de pista de atletismo

11 Estádios Brasileiros Características Comuns

12 Estádios Brasileiros Patologias Construtivas / Manutenção Manutenção ruim e deficiente Problemas estruturais Falta de verbas Falta de gestores profissionais

13 Estádios Brasileiros Patologias Construtivas / Manutenção

14 Estádios Brasileiros Comportamento

15 Estádios Brasileiros Má visibilidade, comportamento

16 Estádios Brasileiros Má visibilidade, comportamento

17 Estádios Brasileiros Pontos cegos, má visibilidade

18 Análise Pontos cegos Pacaembu Morumbi Mineirão Maracanã

19 Análise Capacidades Capacidade dita X Capacidade descontada lugares cegos PACAEMBU MORUMBI MINEIRAO MARACANA Capacidade dita Capacidade final descontando lugares cegos Capacidade dita X Capacidade descontada total Capacidade dita Capacidade final descontando lugares cegos e lugares fora das escadas PACAEMBU MORUMBI MINEIRAO MARACANA

20 Análise Curvas de visibilidade Pacaembu (65%) Morumbi (63%) Mineirão (49%) Maracanã (60%) % de filas prejudicadas por algum tipo de obstrução

21 Análise Qualidade de visibilidade Pacaembu Morumbi Mineirão Maracanã IDEAL: até 90m ADEQUADO: m INADEQUADO: >90m

22 Análise Qualidade de visibilidade QUALIDADE DE VISIBILIDADE 90,00% 80,00% 70,00% 60,00% 50,00% 40,00% 30,00% 20,00% 10,00% 0,00% 78,91% 77,00% 69,07% 62,81% 57,56% 38,02% 22,94% 20,99% 21,28% 16,85% 15,91% 7,99% 6,15% 4,42% 0,10% PACAEMBU MORUMBI MINEIRÃO MARACANÃ MÉDIA IDEAL (até 90m) ADEQUADO (90-190m) NÃO ADEQUADO (>190m)

23 Estádios brasileiros Típica situação financeira ,00 Resultado Orçamentário , , , ,00 Valor (R$) , ,00 Receita Despesa Resultado , , , ,00 Ano

24 71,50% Análise Itens de conforto e segurança COMPARATIVO ENTRE OS ITENS DAS MÉDIAS DE ATENDIMENTO DE CONFORTO E SEGURANÇA DOS ESTÁDIOS PESQUISADOS FACE ÀS NORMATIVAS INTERNACIONAIS (EXPRESSOS EM %) 16,75% 20,00% 28,25% 31,00% 33,00% 35, 75% 22.00% 48,50% 53,00% 58, 75% 59,,25% 60,00% 60,25% 62,00% 65,75% 70,00% 48,09% as Média Geral 80,00% 70,00% 60,00% 50,00% 40,00% 00% 30,00% 20,00% 10,00% 0,00% Altura dos degraus N Porto rtoes de acesso e catraca cas Dist. Assentos sanitarios ios Dist. Assentos e saidas Dist livre de passagem Dist. Bares e saidas as Lugares para deficientes Alturas dos guarda corpos os Capacidade de entrada Dimensões de Corredores es N de filas preju ejudicadas por obstrucoe oes N de assentos entre escada das Dimensões dos assentos Capacidade de Saída Tempos de saida Tipologia ia de grades entre setores Dimensões de Escadas

25 Estádios Brasileiros Vandalismo

26 Estádios Brasileiros Vandalismo

27 Estádios Brasileiros Segurança e violência

28 As tendências internacionais dos Estádios A evolução do Futebol

29 A evolução da segurança e do conforto O exemplo da Inglaterra Antes e Depois Situação anterior Hooliganismo Torcidas fanáticas Violência Superlotação Torcedores em pé Ausência de normas Ausência de responsabilidades As medidas tomadas após as tragédias nos estádios ingleses alteraram o modo comportamental do torcedor. O estádio tornou-se um edifício confortável e seguro Situação atual Torcidas mais comportadas Segurança total Conforto-Torcedores sentados Controle de capacidade Padronização P d i ã de normas Criação de Órgãos regulamentadores Estádios rentáveis

30 A evolução da segurança e do conforto A estrutura do futebol foi alterada (negócio) A partir das tragédias na Europa (especialmente na Inglaterra), o estádio tornou-se um lugar mais seguro (normas Green Guide / EN 12727:01 / PREN 13200) O esporte tornou-se um negócio, visando lucratividade O estádio, organizado, é um local mais seguro e rentável Novos níveis de conforto, ingressos mais caros Novo público (menos fanático, lazer, entretenimento, menos violento)

31 Evolução do estádio Multifuncional Novas receitas Campos deslizantes ou artificiais - Camarotes, assentos VIP Coberturas e arquibancadas retráteis - Espaços para conferências e eventos Acesso total ao gramado, shows, eventos - Direitos de venda do nome do estádio Contexto Urbano, integração com entorno - Locação de espaços

32 Evolução do estádio Grandes áreas de circulação para descanso, acesso aos sanitários e lanchonetes (Concourses) Proximidade do espectador do campo de jogo Monumentalidade arquitetônica, alta e qualidade de projeto e utilização de materiais de alta tecnologia Maior inclinação das arquibancadas

33 Mandamentos modernos dos estádios Facilidade de acesso, Circulação, Assentos, Setorização, Monitoramento, Organização, Conforto, Segurança, Transmissão de TV, Multifuncionalidade, Flexibilidade, Maximização de uso...

34 Estádio como um monumento de transformação urbana Uso da arquitetura e do urbanismo como catalisador para a imagem da cidade, turismo e transformação urbana (transporte, lazer, entretenimento, cultura)

35 Os desafios e oportunidades O Legado Possível

36 Realidade e Sugestões Legislação existente (Evolução) Código de conduta Justiça Desportiva MP 79 (2002) Estatuto do torcedor (2003) Carta de Brasília (Seminário Segurança nos estádios-março 2003) Comissão nacional de prevenção da violência para a segurança dos espetáculos esportivos (2004) Relatório final Comissão Paz no Esporte (2006) Normas locais (bombeiros, certificação de capacidades, institutos, laudos) Relatório de Inspeção dos Estádios - CBF Sugestões Emissão de normativas, manuais de segurança e guias de projeto aos profissionais i i Criar órgãos fiscalizadores Criar conselhos locais consultivos Ci Criação de cargos (gestores de segurança, adminstradores, d monitores, etc.) Determinar competências e responsabilidades Criar práticas de treinamento e aperfeiçoamento Criar normas (ABNT e especialistas) Possibilitar apoio técnico e financiero para as medidas Punir responsáveis

37 Desafios Estratégicos Gestão A gestão do estádio, sua operação, seu projeto arquitetônico e os investidores são determinantes para o sucesso do edifício O estádio é uma tipologia de edifício em que o lucro é muito difícil de se obter, demandando uma perfeita estruturação financeira O estádio necessita de um plano que permita oferecer garantias aos investidores A operação demanda profissionalização e competência gerencial Clubes, Estado e investidores privados são parte integrante da viabilidade do estádio Segurança, acessibilidade, flexibilidade, multi uso e conforto são mandatórios para o sucesso do estádio

38 Desafios Operacionais e Construtivos Principais vetores de custos Infraestrutura e acessos (estacionamento, transportes, vias, etc.) Terreno, desapropriações Custo de construção Custo do capital, empréstimos, investimentos Manutenção e Operação 69% % Custo na Vida do Estádio 26% 5% Construção Terreno Operação e Manutenção Como aproveitar estruturas existentes para as novas tendências? Como atrair investidores privados para as novas operações dos estádios? Como o Poder Público pode se beneficiar?

39 As Oportunidades Financeiras e Urbanas Ausência de Normas + Tragédias + Evento Internacional = Oportunidade Áreas nobres + Clubes endividados + Maximização de receitas = Receitas bilheterias + Eventos + Venda de Nome + Locação = Oportunidade Oportunidade Conforto + Segurança + Demanda Reprimida = Oportunidade Revitalização Urbana + Boa Arquitetura + Turismo = Oportunidade Clubes Como o Poder Público pode contribuir? Interesse Viabilizar a área Comum Auxiliar na captação de investimentos atraentes Investidores Estado Investimento em infra-estrutura anexa Privados Poder Público Aplicação de verbas públicas de Ministérios Garantias aos investidores Participação na sociedade, exigindo retornos sociais ou mesmo econômicos

40 Principais Conclusões Normativas de avaliação Critérios de Projeto Diretrizes de transformação Padronização Selo de qualidade Modernização Parceria Poder Público / Clubes / Investidores Potencial Turístico OPORTUNIDADE ÚNICA RESULTADOS Sustentabilidade Social Sustentabilidade Financeira Revitalização Urbana Segurança Conforto Saneamento dos Clubes Futebol Espetáculo Diminuição da Violência

COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES. GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP

COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES. GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP COPA 2014 DESAFIOS E OPORTUNIDADES GEAE Grupo de Excelência em Administração Esportiva Conselho Regional de Administração - SP A INDÚSTRIA DO ESPORTE A Indústria do Esporte Atividades econômicas relacionadas

Leia mais

PROJETO de REVITALIZAÇÃO do FUTEBOL CAPIXABA 2009-2014. João Henrique Areias. Diretor Executivo da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo

PROJETO de REVITALIZAÇÃO do FUTEBOL CAPIXABA 2009-2014. João Henrique Areias. Diretor Executivo da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo PROJETO de REVITALIZAÇÃO do 2009-2014 João Henrique Areias Diretor Executivo da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo Curriculum 1973-1974 Grupo Tristão - RJ 1975-1987 IBM Brasil Vendas Marketing

Leia mais

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 A Casual Auditores Independentes, empresa de auditoria especializada em entidades desportivas estuda as informações financeiras dos clubes de

Leia mais

1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios

1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios 1 1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios 2 Objetivo Apoio do Governo do Estado/Municipal/Federal Petrobras - FERJ para captar patrocínio

Leia mais

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para Code-P0 Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para a engenharia brasileira O Mundial e o Desenvolvimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Manaus, 30 de março de 2012 Code-P1

Leia mais

DESPORTO SUBSECTORES E PROFISSÕES

DESPORTO SUBSECTORES E PROFISSÕES DESPORTO SUBSECTORES E PROFISSÕES 1 Maior número de Act. Físicas/desportivas; Início das Act. Físicas/desportiva em idades cada vez mais novas; Act. Física/desportiva praticada durante mais tempo - aumento

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO DO ÓRGÃO / ENTIDADE FISCALIZADA. Município/UF: Fortaleza / CE

1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DA FISCALIZAÇÃO DO ÓRGÃO / ENTIDADE FISCALIZADA. Município/UF: Fortaleza / CE 1. APRESENTAÇÃO IDENTIFICAÇÃO Município/UF: Fortaleza / CE DA FISCALIZAÇÃO Objeto da fiscalização: Estádio Plácido Aderaldo Castelo Tipo de obra: Estádio de futebol Período abrangido pela fiscalização:

Leia mais

12 propostas para TRANSFORMAR o futebol Brasileiro

12 propostas para TRANSFORMAR o futebol Brasileiro Visão PLURI 12 propostas para TRANSFORMAR o futebol Brasileiro PLURI Consultoria São Paulo - Brasil Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria Fernando Ferreira Economista, Especialista em Gestão

Leia mais

Secretaria. de Futebol de 2014

Secretaria. de Futebol de 2014 Secretaria Especial de Articulação para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 SECOPA Assistir direta e indiretamente ao Prefeito na condução aos assuntos referentes a Copa do Mundo; Parcerias com a sociedade

Leia mais

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2015 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 6 CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

MEDIDAS PARA RECUPERAÇÃO DO FUTEBOL BRASILEIRO

MEDIDAS PARA RECUPERAÇÃO DO FUTEBOL BRASILEIRO ANTONIO ROQUE CITADINI O futebol é o maior produto do Brasil. Ninguém discorda desta afirmativa, além de ser identidade nacional, o futebol é marca intrinsicamente vinculada ao Brasil. Em qualquer parte

Leia mais

Futebol alemão X Futebol brasileiro

Futebol alemão X Futebol brasileiro Futebol alemão X Futebol brasileiro Um fez sua revolução. Outro nem começou! Novembro de 2015 A revolução na Alemanha Eliminação precoce na Eurocopa de 2000 impulsionou as mudanças. Plano de longo prazo

Leia mais

8º ENCONTRO. da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014

8º ENCONTRO. da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014 8º ENCONTRO da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014 O DESAFIO DAS ARENAS CONSTRUÇÃO, MODERNIZAÇÃO E ACESSO Eng. VLADIMIR ANTONIO

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. MANAUS A Copa da Amazônia

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. MANAUS A Copa da Amazônia Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 MANAUS A Copa da Amazônia Janeiro de 2009 ÍNDICE Agenda proposta a FIFA e CBF em 04/02 e 05/02/09 Introdução ao Amazonas ( Lima Projeto Básico de Arquitetura e Engenharia

Leia mais

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO Nome do estádio: Apelido do estádio: Endereço completo do estádio: Cidade: Estado: Site: Proprietário: E-mail: Gestor do estádio:

Leia mais

Ainda na visão dos entrevistados, as razões para profissionalização envolvem benefícios esperados, como a otimização da utilização de recursos, e

Ainda na visão dos entrevistados, as razões para profissionalização envolvem benefícios esperados, como a otimização da utilização de recursos, e 7 Conclusão No mundo de negócios, as organizações constantemente buscam melhorias e aperfeiçoamento de suas gestões para sobreviver e crescer em face de um mercado competitivo. Nesse movimento, percebe-se

Leia mais

Operação de Arenas Multiuso. Danielle Senatore. Primeiro Fórum de Gestão de Arenas e Estádios

Operação de Arenas Multiuso. Danielle Senatore. Primeiro Fórum de Gestão de Arenas e Estádios Operação de Arenas Multiuso Danielle Senatore Odebrecht Properties Entretenimento Primeiro Fórum de Gestão de Arenas e Estádios São Paulo, Dezembro de 2013 Investimentos em ativos diferenciados e otimizados

Leia mais

1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios

1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios 1 1. Objetivo 2. Histórico 3. Justificativas 4. Descrição 5. Características 6. Espaço Comunitário 7. Benefícios 2 Objetivo Apoio do Governo do Estado/Municipal/Federal Petrobras - FERJ para captar patrocínio

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

INÊS MAGALHÃES. Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades

INÊS MAGALHÃES. Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades INÊS MAGALHÃES Secretária Nacional de Habitação Ministério das Cidades PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA OBJETIVOS Estimular a provisão de habitação de interesse social em larga escala e em todo o território;

Leia mais

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios

O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios O Perfil de Renda das Torcidas Brasileiras e o Público nos Estádios Os 6 grandes grupos de torcedores do Brasil Não torce para ninguém; 21% Demais clubes do país; 19% Flamengo; 15% Corinthians; 13% São

Leia mais

A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?.

A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?. A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?. AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE. Hipótese: Os processos de reestruturação urbana implementados para as cidades sedes da região Nordeste

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE 2016

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE 2016 DOS PARTICIPANTES Art. 1º - Integrarão o Campeonato Estadual de Futebol da Primeira

Leia mais

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte SEMINÁRIO NACIONAL DO ESPORTE EM CONSTRUÇÃO: SISTEMAS PÚBLICOS NACIONAIS E MODELOS ESPORTIVOS INTERNACIONAIS Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte Prof. Dr.

Leia mais

Conhecimento da torcida é importante que os organizadores conheçam as expectativas dos espectadores estrangeiros e compartilhem inteligência.

Conhecimento da torcida é importante que os organizadores conheçam as expectativas dos espectadores estrangeiros e compartilhem inteligência. COMUNICADO À IMPRENSA ICSS007/11 29 de novembro de 2011 O Centro Internacional de Segurança Esportiva (International Centre for Sport Security - ICSS) revela descobertas-chave da Cúpula de Especialistas

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA ENADE 2014 LICENCIATURAQUÍMICA REVISÃO CONHECIMENTOS GERAIS ÁREA 5 Prof. Cleriston S. Silva

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA ENADE 2014 LICENCIATURAQUÍMICA REVISÃO CONHECIMENTOS GERAIS ÁREA 5 Prof. Cleriston S. Silva CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA ENADE 2014 LICENCIATURAQUÍMICA REVISÃO CONHECIMENTOS GERAIS ÁREA 5 Prof. Cleriston S. Silva QUESTÃO 01 Leia os textos abaixo. TEXTO 1 Os megaeventos esportivos passaram

Leia mais

SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL

SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PROPOSTA DE ALTERAÇÃO QUADROS COMPETITIVOS NACIONAIS A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) apresentou, a 4 de Abril de 2005, uma proposta de alteração

Leia mais

Copa Rio Profissional :: 2015

Copa Rio Profissional :: 2015 Copa Rio Profissional :: 2015 REGULAMENTO DA COPA RIO DE PROFISSIONAIS 2015 Art. 1º - Poderão participar da Copa Rio de 2015 até 20 associações, a saber, ressalvadas as disposições do parágrafo único do

Leia mais

DIRETRIZES TÉCNICAS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC

DIRETRIZES TÉCNICAS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC DIRETRIZES TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC 1 DIRETRIZES TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES Presidente: Camil Eid. Vice Presidente Técnica: Miriana

Leia mais

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA Brasil, 2007 PIB R$ 1,8 trilhão Alfabetização 88,6% Expec. de Vida 71,7 anos PIB per capita US$ 8.402 Fonte: ONU e IBGE Brasil, 2015 PIB R$ 2,1 trilhões Alfabetização

Leia mais

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO

IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO IQV INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA SUMÁRIO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA JOINVILLE, FLORIANÓPOLIS, BLUMENAU, CHAPECÓ, TUBARÃO Qualidade de vida é ter condições de vida plena, gozar de saúde e respeito,

Leia mais

Porque estádios tão vazios? Pt. 3. 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios. Fernando Ferreira

Porque estádios tão vazios? Pt. 3. 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios. Fernando Ferreira PLURI Especial Porque estádios tão vazios? Pt. 3 17 Motivos para NÃO ir aos Estádios PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Curitiba-PR Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria

Leia mais

Clubes Europeus avançam sobre Torcedores Brasileiros

Clubes Europeus avançam sobre Torcedores Brasileiros PLURI View Clubes Europeus avançam sobre Torcedores Brasileiros PLURI Consultoria Pesquisa, Valuation, Gestão e marketing Esportivo. Curitiba-PR Twitter: @pluriconsult www.facebook/pluriconsultoria Fernando

Leia mais

Rede Nacional de Treinamento Legado olímpico para a infraestrutura do esporte brasileiro

Rede Nacional de Treinamento Legado olímpico para a infraestrutura do esporte brasileiro Rede Nacional de Treinamento Legado olímpico para a infraestrutura do esporte brasileiro Parque Poliesportivo do Campus Central da UFRN, a ser inaugurado nesta terça-feira (29.04.14) em Natal, é mais uma

Leia mais

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015.

LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. LEI Nº. 602/2015, DE 08 DE OUTUBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE FIXAÇÃO DE REGRAS PARA PROMOÇÃO DO ESPORTE NO MUNICÍPIO DE MATADE SÃO JOÃO-BA. O Prefeito Municipal de Mata de São João, Estado da Bahia, faz saber

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013. (Do Sr. JOSÉ STÉDILE)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013. (Do Sr. JOSÉ STÉDILE) PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. JOSÉ STÉDILE) Determina que empresas de direito público, no âmbito federal, ao patrocinarem clubes de futebol, destinem 5% do valor do patrocínio para ser utilizado em

Leia mais

1º INFORMATIVO - 24.03.2015. CHAMAMENTO PÚBLICO DPR n.º 001/2015 (PROCESSO ADMINISTRATIVO n.º 014/2015 - ARENA MULTIUSO).

1º INFORMATIVO - 24.03.2015. CHAMAMENTO PÚBLICO DPR n.º 001/2015 (PROCESSO ADMINISTRATIVO n.º 014/2015 - ARENA MULTIUSO). 1º INFORMATIVO - 24.03.2015 CHAMAMENTO PÚBLICO DPR n.º 001/2015 (PROCESSO ADMINISTRATIVO n.º 014/2015 - ARENA MULTIUSO). Após os apontamentos levantados na reunião de esclarecimentos do dia 12.03.2015

Leia mais

CONCESSÃO DO COMPLEXO MARACANÃ

CONCESSÃO DO COMPLEXO MARACANÃ CONCESSÃO DO COMPLEXO MARACANÃ O COMPLEXO MARACANÃ CONFIGURAÇÃO ATUAL O COMPLEXO MARACANÃ CONFIGURAÇÃO DO PROJETO O COMPLEXO MARACANÃ CONFIGURAÇÃO DO PROJETO Investimento previsto: R$ 594.162.148,71 Depoimento

Leia mais

A ARENA PERNAMBUCO COMO NOVO ELEMENTO DE REESTRUTURAÇÃO URBANA E DINÂMICAS NA CIDADE

A ARENA PERNAMBUCO COMO NOVO ELEMENTO DE REESTRUTURAÇÃO URBANA E DINÂMICAS NA CIDADE A ARENA PERNAMBUCO COMO NOVO ELEMENTO DE REESTRUTURAÇÃO URBANA E DINÂMICAS NA CIDADE Marcelo Allgayer de Holanda Cavalcanti Bacharel em Geografia - UFPE Mestrando do Programa em Pós-Graduação em Desenvolvimento

Leia mais

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro

Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro Como a Copa do Mundo vai movimentar o turismo brasileiro 10 dias para a copa O estudo Destaques Principais mercados emissores Chegadas internacionais nas cidades sede Saídas do Brasil Junho-Julho 2014

Leia mais

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa. Oficina de Comunicação Apex-Brasil. O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Oficina de Comunicação Apex-Brasil O papel estratégico da Assessoria de Imprensa Relacionamento com a Mídia - Demonstrar o papel das entidades como fonte; - Cultivar postura de credibilidade;

Leia mais

Uma Política Nacional de Esporte

Uma Política Nacional de Esporte Uma Política Nacional de Esporte Todas as ações do Governo Federal na área do esporte seguem, hoje, uma Política Nacional de Esporte, algo inédito no Brasil. São conceitos e ações desenvolvidos pelo Ministério

Leia mais

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009 COPA Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC 29 de Outubro 2009 1 SINAENCO Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO

TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO TERMO DE REFERÊNCIA VISANDO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE SONDAGEM, ELABORAÇÃO DO PROJETO DE FUNDAÇÃO E DO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO CENTRO DE INICIAÇÃO AO ESPORTE CIE -TIPOLOGIA M3R40 1 SIGLAS E DEFINIÇÕES ABNT

Leia mais

PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO ANEXO F CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO

PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO ANEXO F CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO PRODETUR NACIONAL COMPONENTE I: PRODUTO TURÍSTICO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO 1. INTRODUÇÃO. 2 Este documento tem a finalidade de estabelecer

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2014 DOS PARTICIPANTES Art. 1º - Integrarão o Campeonato Estadual de Futebol da Primeira

Leia mais

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada BRA-MEB001-100209-0 Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada São Paulo, 9 de março de 2010 0 BRA-MEB001-100209-1 O que o Brasil quer com uma Copa do Mundo FIFA Mobilizar

Leia mais

Copa do Mundo aquece venda de camarotes em arenas do país

Copa do Mundo aquece venda de camarotes em arenas do país B O L E T I M OFERECIMENTO SEGUNDA-FEIRA, 18 DE MAIO DE 2015 NÚMERO DO DIA US$ 200 mil o Boca Juniors pagará de multa pelo ocorrido na Libertadores; o time foi eliminado do torneio EDIÇÃO 256 Copa do Mundo

Leia mais

Programa de Ação para o Desenvolvimento do Turismo no Nordeste PRODETUR / NE I. Relatório de Finalização de Projeto Project Completion Report -PCR

Programa de Ação para o Desenvolvimento do Turismo no Nordeste PRODETUR / NE I. Relatório de Finalização de Projeto Project Completion Report -PCR Programa de Ação para o Desenvolvimento do Turismo no Nordeste PRODETUR / NE I Relatório de Finalização de Projeto Project Completion Report -PCR PCR PRODETUR/NE I Apresentação: PRODETUR/NE I sem linha

Leia mais

Proposta para a nova entrada social. -vista da Recepção, administração, salão de festas e restaurante-

Proposta para a nova entrada social. -vista da Recepção, administração, salão de festas e restaurante- Introdução Junto com o crescimento da cidade de são José dos Campos surgiram também novos espaços de convivência, salões de eventos e grandes redes de academias. Os novos condomínios são entregues com

Leia mais

DICAS DE OURO O que você precisa saber para aproveitar cada momento dos Jogos Rio 2016

DICAS DE OURO O que você precisa saber para aproveitar cada momento dos Jogos Rio 2016 LEGENDA ACESSÍVEL: ILUSTRAÇÃO DO PICTOGRAMA ESPORTIVO COM MARCA E IDENTIDADE VISUAL DOS JOGOS OLÍMPICOS BEM-VINDO! Você agora faz parte do maior evento esportivo do mundo. O Guia do Espectador dos Jogos

Leia mais

1 Disponível em: <http://www.bomsensofc.org.br/blog/um-novo-calendario-em-defesa-do-futebol-edos-seus-postos-de-tra>.

1 Disponível em: <http://www.bomsensofc.org.br/blog/um-novo-calendario-em-defesa-do-futebol-edos-seus-postos-de-tra>. O DRAMA DO CALENDÁRIO DO FUTEBOL BRASILEIRO Ramon Bisson Ferreira* É do conhecimento de todos os amantes do futebol que o calendário brasileiro representa um dos atuais entraves para o desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2013

REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAMPEONATO ESTADUAL DE FUTEBOL DA PRIMEIRA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS DO RIO GRANDE DO NORTE - 2013 DOS PARTICIPANTES Art. 1º - Integrarão o Campeonato Estadual de Futebol da Primeira

Leia mais

Proposta de projetos para o desenvolvimento do remo nacional Autor: Gustavo Maia Atualizado em: 27/03/2015

Proposta de projetos para o desenvolvimento do remo nacional Autor: Gustavo Maia Atualizado em: 27/03/2015 P1. Implantação e manutenção de unidades gerenciais na CBR Aumentar o nível de maturidade gerencial da CBR A melhoria do gerenciamento da CBR causará impacto positivo em todas as partes interessadas Captação

Leia mais

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10 Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014 Salvador 04/11/10 É a vez do Brasil! Linha do Tempo Eventos Esportivos Copa das Confederações 2013 Copa do Mundo FIFA 2014 Olimpíadas e Paraolimpíadas

Leia mais

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012

Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia. SINAENCO 18 de Maio de 2012 Programa Copa 2014 na Bahia Planejamento, Realizações e Legados do Mundial na Bahia SINAENCO 18 de Maio de 2012 AGENDA 1. Linha do Tempo 2. A Copa em números 3. Programa Copa 2014 na Bahia 4. Plano Diretor

Leia mais

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social Nosso ponto de partida Responsabilidade Social: conceito em evolução e práticas em difusão, sendo incorporadas ao cotidiano dos empresários

Leia mais

Relatório ARENAPLAN 06/03/2013 Pesquisa: Faturamento das Novas Arenas

Relatório ARENAPLAN 06/03/2013 Pesquisa: Faturamento das Novas Arenas Relatório ARENAPLAN 06/03/2013 Pesquisa: Faturamento das Novas Arenas Consultoria Financeira e Tecnológica http://www.arenaplan.com.br São Paulo-SP Email: contato@arenaplan.com.br Twitter: @arenaplan Facebook:

Leia mais

UM NOVO DESPERTAR PARA FAIR PLAY?

UM NOVO DESPERTAR PARA FAIR PLAY? UM NOVO DESPERTAR PARA FAIR PLAY? PESQUISA ANUAL COM DIRETORES DE FINANÇAS DE CLUBES DE FUTEBOL DO REINO UNIDO 2013 Introdução Caro leitor Você está recebendo o estudo elaborado pela BDO sobre o Fair

Leia mais

Indústria do Esporte. Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo

Indústria do Esporte. Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo Indústria do Esporte Análise de Faturamento FIFA Copa do Mundo Fevereiro 2013 Com a proximidade da Copa do Mundo no Brasil, a BDO RCS fez um levantamento sobre a evolução da receita da FIFA desde a sua

Leia mais

NORMA TÉCNICA N. O 03/2011

NORMA TÉCNICA N. O 03/2011 ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA E DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR COORDENADORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS NORMA TÉCNICA N. O 03/2011 Prevenção Contra Incêndio e Pânico em Estádios

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 - Cidade de Manaus Projeto 1 Estádio PROJETO 1 - ESTÁDIO VIVALDO LIMA (VIVALDÃO) OBJETIVO: Atender os requerimentos estabelecidos pela FIFA (Fédération Internationale

Leia mais

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO Um Check-list! Uma arena multiuso, na maioria das vezes utilizada para jogos de futebol (daí sua importância capital na sociedade brasileira), deve partir de premissa

Leia mais

PLANO GERAL DE AÇÃO DO EVENTO ESPORTIVO DIRETRIZ DO FUTEBOL PAULISTA

PLANO GERAL DE AÇÃO DO EVENTO ESPORTIVO DIRETRIZ DO FUTEBOL PAULISTA PLANO GERAL DE AÇÃO DO EVENTO ESPORTIVO DIRETRIZ DO FUTEBOL PAULISTA O Departamento de Competições da Federação Paulista de Futebol, dando seqüência à normatização que rege as competições esportivas no

Leia mais

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social BNDES e a Copa 2014 Novembro de 2011 Rodolfo Torres Área de Infraestrutura Social Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação do BNDES Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO E VOCÊ

PLANEJAMENTO FINANCEIRO E VOCÊ PLANEJAMENTO FINANCEIRO E VOCÊ Objetivo 3ª Semana Nacional de Educação Financeira - 2016 Divulgar a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), uma política pública lançada em 2010, com a finalidade

Leia mais

FEDERAÇÃO BAHIANA DE FUTEBOL COPA GOVERNADOR DO ESTADO PRIMEIRA E SEGUNDA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS EDIÇÃO 2011

FEDERAÇÃO BAHIANA DE FUTEBOL COPA GOVERNADOR DO ESTADO PRIMEIRA E SEGUNDA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS EDIÇÃO 2011 FEDERAÇÃO BAHIANA DE FUTEBOL COPA GOVERNADOR DO ESTADO PRIMEIRA E SEGUNDA DIVISÃO DE PROFISSIONAIS EDIÇÃO 2011 PLANO GERAL DE AÇÃO DE SEGURANÇA, TRANSPORTES E CONTINGÊNCIAS Lei nº 10.671/03, de 15/05/2003

Leia mais

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico

SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico Plano Mestre para o evento Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 Março de 2009 Deloitte Touche Tohmatsu Deloitte Touche Tohmatsu Rua

Leia mais

Reservas Internacionais 1988-2008

Reservas Internacionais 1988-2008 BRASIL: País de Oportunidades e Reserva Turística Mundial Tóquio, setembro/2009 BRASIL: País de Oportunidades Brasil Japão Uma Relação Equilibrada COMÉRCIO BILATERAL 2002-2008 US$ milhões 7000 6000 Exportações

Leia mais

ANEXO I LAUDO DE SEGURANÇA

ANEXO I LAUDO DE SEGURANÇA ANEXO I LAUDO DE SEGURANÇA 1 LAUDO TÉCNICO PREVISTO NO DECRETO Nº 6.795 DE 16 DE MARÇO DE 2009 LAUDO DE SEGURANÇA 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO 1.1. Nome do estádio: 1.2. Apelido do estádio: 1.3. Endereço

Leia mais

GESTÃO ESPORTIVA: NOVOS RUMOS PARA O FUTEBOL BRASILEIRO

GESTÃO ESPORTIVA: NOVOS RUMOS PARA O FUTEBOL BRASILEIRO RAE-DOCUMENTO GESTÃO RAFAEL ESPORTIVA: VALENTE NOVOS MAURÍCIO RUMOS C. SERAFIM PARA O FUTEBOL BRASILEIRO GESTÃO ESPORTIVA: NOVOS RUMOS PARA O FUTEBOL BRASILEIRO Rafael Valente Graduando em Jornalismo na

Leia mais

Federação de Futebol do Estado de Rondônia Fundada em 29 de Outubro de 1944 Filiada à Confederação Brasileira de Futebol - CBF

Federação de Futebol do Estado de Rondônia Fundada em 29 de Outubro de 1944 Filiada à Confederação Brasileira de Futebol - CBF 1 PLANO GERAL DE AÇÃO - 2015 1. INTRODUÇÃO O presente documento foi elaborado visando atender as determinações da Lei n 10.671, de 15/05/2003 Estatuto de Defesa do Torcedor e suas alterações (Lei 12.199/2010),

Leia mais

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5 Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania Sedpac 2015 Apresentação Criado pela Lei nº 21.144, de 14 de janeiro de 2014, o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso tem o objetivo

Leia mais

PROJETO ARENA FONTE NOVA. São Paulo, 27 de novembro de 2014

PROJETO ARENA FONTE NOVA. São Paulo, 27 de novembro de 2014 São Paulo, 27 de novembro de 2014 CONTRATOS PPP/BA CONTRATOS ASSINADOS % EM RELAÇÃO A RCL 2014 2015 2016 2017 2018 Contrato n 30/2010 - Hospital do Subúrbio 0,655% 0,635% 0,613% 0,592% 0,571% Contrato

Leia mais

CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA

CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA PROGRAMA DE SÓCIOS PROGRAMA DE SÓCIOS CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA DESDE 1898 PROGRAMA DE SÓCIOS - INTRODUÇÃO Um programa de sócios forte e eficiente é atualmente a principal saída dos clubes brasileiros

Leia mais

Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo

Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo Prefeitura Municipal da Estância Climática de Santo Antonio do Pinhal Estado de São Paulo LEI N 980, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a criação do Fundo Municipal de Turismo (FUMTUR), no Município

Leia mais

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Letras Departamento de Economia

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Letras Departamento de Economia Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e Letras Departamento de Economia MONOGRAFIA Mercado do Futebol: uma análise sobre a concorrência entre os clubes empresas Graduando: Pedro Luís Otani

Leia mais

Estudo Especial. Evolução do EC Bahia Finanças e Marca 2008/2012

Estudo Especial. Evolução do EC Bahia Finanças e Marca 2008/2012 Estudo Especial Evolução do EC Bahia Finanças e Marca 2008/2012 1 Sumário Introdução... pg 04 Análise do Balanço Patrimonial... pg 05 Highlights... pg 06 Principais Indicadores... pg 16 Valor da Marca...

Leia mais

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL 1. DIMENSIONAMENTO E CLASSIFICAÇÕES 1.1 Área do terreno: 7.528,02m² (sete

Leia mais

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012

Pesquisa da 10ª Semana. Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Pesquisa da 10ª Semana de Museus Coordenação de Estudos Sócioeconômicos CESES Departamento de Difusão Fomento e Economia de Museus DDFEM Ibram, 2012 Panorama geral - Pesquisa da 10ª Semana Nº entradas

Leia mais

Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014

Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014 Projeto PERNAMBUCO NA COPA 2014 4º Fórum de Direito do Turismo 20 de Maio de 2011 ARRANJO INSTITUCIONAL - GOVERNO DE PERNAMBUCO SECOPA-PE Atribuições Planejar, coordenar e gerir as iniciativas dos órgãos

Leia mais

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS Instrutora: Adelaide Bittencourt P. Coelho Participação: Paula Romano TCEMG Novembro/2009 IMPORTÂNCIA DO TEMA As obras são a parte mais aparente das

Leia mais

Fundação Seade. www.seade.gov.br

Fundação Seade. www.seade.gov.br Julho de 00 N o 9 Parceria Seade-Agemcamp para gerenciamento dos portais na Internet Portais web para divulgação institucional, atração de investimentos e promoção da cultura e do turismo de negócios na

Leia mais

privadas. É consolidado e reconhecido pelo seu trabalho v o l u n t á r i o n a c i d a d e o n d e a t u a.

privadas. É consolidado e reconhecido pelo seu trabalho v o l u n t á r i o n a c i d a d e o n d e a t u a. O projeto desenvolvido para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) refere-se à construção de um edifício privado com características de edifício público, investigado a partir de uma demanda já existente

Leia mais

ANEXO II CONCENTRAÇÕES PÚBLICAS E OCORRÊNCIAS ESPECIAIS

ANEXO II CONCENTRAÇÕES PÚBLICAS E OCORRÊNCIAS ESPECIAIS 10000 Feiras, Exposições, Congressos, Mostras, Desfiles de Moda, Solenidades ou outros s similares realizados em centros de exposição, casas de espetáculo ou locais similares em recinto fechado, público

Leia mais

A Década de Ouro para o Gerenciamento de Projetos no Brasil Alessandro Prudêncio Lukosevicius, M.Sc, PMP Dinsmore Associates

A Década de Ouro para o Gerenciamento de Projetos no Brasil Alessandro Prudêncio Lukosevicius, M.Sc, PMP Dinsmore Associates A Década de Ouro para o Gerenciamento de Projetos no Brasil Alessandro Prudêncio Lukosevicius, M.Sc, PMP Dinsmore Associates Brasil, país do futuro? 2 Para o país do futuro, finalmente é amanhã O Brasil

Leia mais

Missão Oficial China 26 a 30 de outubro de 2015. Departamento de Comissões Decom Comissão do Esporte Cespo

Missão Oficial China 26 a 30 de outubro de 2015. Departamento de Comissões Decom Comissão do Esporte Cespo Missão Oficial China 26 a 30 de outubro de 2015 Departamento de Comissões Decom Comissão do Esporte Cespo Novembro de 2015 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 1. UNIVERSIDADE DE ESPORTES DE BEIJING BEIJING SPORTS

Leia mais

2014 Saneamento na Rede

2014 Saneamento na Rede 2014 Saneamento na Rede A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO E DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA João Alberto Viol, presidente nacional do Sinaenco Copa 2014 e Olimpíadas

Leia mais

Email: contato@arenaplan.com.br Twitter: @arenaplan Facebook: http://www.facebook.com/arenaplanconsultoria

Email: contato@arenaplan.com.br Twitter: @arenaplan Facebook: http://www.facebook.com/arenaplanconsultoria Relatório ARENAPLAN 09/12/2013 Pesquisa: O Estádio do seu Clube São Paulo-SP Email: contato@arenaplan.com.br Twitter: @arenaplan Facebook: http://www.facebook.com/arenaplanconsultoria Márdel Cardoso Diretor

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri

SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Palestrante: Carolina Ferri SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Palestrante: Carolina Ferri Programa de Saúde da Família Estratégia de reorientação do modelo assistencial, operacionalizada mediante a implantação de equipes

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL Escritório de Gerenciamento de Grandes Eventos - EGGE

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL Escritório de Gerenciamento de Grandes Eventos - EGGE POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL Escritório de Gerenciamento de Grandes Eventos - EGGE Planejamento Operacional BRASIL X JAPÃO Copa das Confederações 2013 Jogo de abertura 15/06 16h00 Fases da Operação

Leia mais

Plano de Trabalho ESTADO DE SANTA CATARINA. Descrição. Proponente 82.747.460/0001-42 ASSOC DOS MUNICIPIOS DA REGIAO DA FOZ DO RIO ITAJAI

Plano de Trabalho ESTADO DE SANTA CATARINA. Descrição. Proponente 82.747.460/0001-42 ASSOC DOS MUNICIPIOS DA REGIAO DA FOZ DO RIO ITAJAI Proponente 82.747.460/0001-42 ASSOC DOS MUNICIPIOS DA REGIAO DA FOZ DO RIO ITAJAI Transferência 2013TR002277 Programa Transferência 2013000017 Regionalização do Turismo - Eventos Unidade Gestora 230094

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Mobilidade Urbana Sustentável Seminário Infraestrutura turística, megaeventos e promoção da imagem do Brasil no exterior 16 e 17 de agosto de 2011 MINISTÉRIO DAS CIDADES MISSÃO Combate

Leia mais

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo

Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo AS CONQUISTAS DO BRASIL COM O MEGA EVENTO - COPA DO MUNDO DE FUTEBOL 2014 CONCEITO Os megaeventos são caracterizados pela grandiosidade em termos de público, fluxo turístico, cobertura pela mídia, construção

Leia mais

Emissão Original: 21/11/2013

Emissão Original: 21/11/2013 COPA DO NORDESTE/2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Nordeste de 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente

Leia mais

COPA AVALIAÇÃO DOS POSSÍVEIS IMPACTOS DA COPA 2014 NO ESTADO DE PERNAMBUCO.

COPA AVALIAÇÃO DOS POSSÍVEIS IMPACTOS DA COPA 2014 NO ESTADO DE PERNAMBUCO. COPA AVALIAÇÃO DOS POSSÍVEIS IMPACTOS DA COPA 2014 NO ESTADO DE PERNAMBUCO. INTRODUÇÃO O país-sede se transforma em uma vitrine mundial; Todo país-sede quer ter sucesso dentro e fora dos estádios; Todo

Leia mais

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA maio/2016 ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA A elaboração do orçamento doméstico nem sempre é uma tarefa fácil. Definir quais são as suas necessidades e

Leia mais

Projeto Copa Gothia. Festa de abertura da Copa Gothia Estádio Ullevi Gotemburgo, Suécia.

Projeto Copa Gothia. Festa de abertura da Copa Gothia Estádio Ullevi Gotemburgo, Suécia. Projeto Copa Gothia A Copa Gothia é realizada anualmente em Gotemburgo, Suécia, onde foi criada em 1975. Em mais de três décadas, o evento já recebeu 840 mil jovens de 133 países diferentes. Mesmo não

Leia mais

Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte

Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte 8ª BIENAL INTERNACIONAL DA ARQUITETURA Workshop para Qualificação Urbana em Cidades-Sede da COPA 2014 Belo Horizonte Alternativas para as propostas da Copa em Belo Horizonte 24 a 27 de novembro de 2009

Leia mais

Programas e Ações Ministério do Esporte

Programas e Ações Ministério do Esporte Ministro do Esporte Aldo Rebelo Secretário Executivo Luis Fernandes Gabinete do Ministro / Assessor Federativo - João Luiz dos Santos Santos Programas e Ações Ministério do Esporte Contato Assessoria Parlamentar

Leia mais