Red Hat Satellite 5.6 Guia de Refer ncia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Red Hat Satellite 5.6 Guia de Refer ncia"

Transcrição

1 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Refer ncia Um guia para os recursos avançados do Red Hat Satellite Edição 1 John Ha Lana Brindley Daniel Macpherson Athene Chan David O'Brien

2 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Refer ncia Um guia para os recursos avançados do Red Hat Satellite Edição 1 John Ha Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia Lana Brindley Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia Daniel Macpherso n Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia Athene Chan Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia David O'Brien Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia

3 Nota Legal Copyright 2013 Red Hat, Inc. T his document is licensed by Red Hat under the Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License. If you distribute this document, or a modified version of it, you must provide attribution to Red Hat, Inc. and provide a link to the original. If the document is modified, all Red Hat trademarks must be removed. Red Hat, as the licensor of this document, waives the right to enforce, and agrees not to assert, Section 4d of CC-BY-SA to the fullest extent permitted by applicable law. Red Hat, Red Hat Enterprise Linux, the Shadowman logo, JBoss, MetaMatrix, Fedora, the Infinity Logo, and RHCE are trademarks of Red Hat, Inc., registered in the United States and other countries. Linux is the registered trademark of Linus Torvalds in the United States and other countries. Java is a registered trademark of Oracle and/or its affiliates. XFS is a trademark of Silicon Graphics International Corp. or its subsidiaries in the United States and/or other countries. MySQL is a registered trademark of MySQL AB in the United States, the European Union and other countries. Node.js is an official trademark of Joyent. Red Hat Software Collections is not formally related to or endorsed by the official Joyent Node.js open source or commercial project. T he OpenStack Word Mark and OpenStack Logo are either registered trademarks/service marks or trademarks/service marks of the OpenStack Foundation, in the United States and other countries and are used with the OpenStack Foundation's permission. We are not affiliated with, endorsed or sponsored by the OpenStack Foundation, or the OpenStack community. All other trademarks are the property of their respective owners. Resumo Bem-vindo ao Guia de Referência do Red Hat Satellite 5.6. O Guia de Referência do Red Hat Satellite o guiará através dos recursos avançados do servidor do Satellite.

4 Índice Índice. Prefácio Audiência 7 2. Convenções de Documentos Convenções T ipográficas Convenções de Pull-Quote Notas e Avisos 9 3. Obtendo Ajuda e Fornecendo Comentários Você precisa de ajuda? Nós precisamos do seu Comentário! 10. Capítulo Informações do.... Red.... Hat.... Satellite Ferramentas de Administração de Configuração na Linha de Comandos Red Hat Network Actions Control Opções gerais da linha de comandos Red Hat Network Configuration Client Listando Arquivos de Configuração Obtendo um Arquivo de Configuração Visualizando Canais de Configuração Diferenciando entre arquivos de configuração Verificando arquivos de configuração Red Hat Network Configuration Manager Criando um Canal de Configuração Adicionando Arquivos a um Canal de Configuração Diferenciando entre os Arquivos de Configuração mais Recentes Diferenciando entre Versões Diversas Fazendo o Download de T odos Arquivos de um Canal Obtendo o Conteúdo de um Arquivo Listando T odos Arquivos de um Canal Listando T odos Canais de Configuração Removendo um Arquivo de um Canal Apagando um Arquivo de Configuração Determinando o Número de Revisões do Arquivo Atualizando um Arquivo de um Canal Upload de Arquivos Múltiplos Monitoramento Pré-requisitos Configurando o Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnmd) Instalando o Red Hat Network Monitoring Daemon Configurando o SSH Instalando a chave SSH Configurando o pacote mysql para as probes Habilitando Notificações Criando Métodos de Notificação Recebendo Notificações Redirecionando Notificações Apagando Métodos de Notificação Sobre as Detecções (Probes) Administrando probes Estabelecendo Limites Monitorando o Servidor do Satellite Monitoring Estado de detecção 29 1

5 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Status do Probe Critico Status do Probe Warning Status do Probe Desconhecido Status do Probe Pendente Status do Probe OK Status do Probe Todos Estado Atual Notificação Notificação Filtros Notification Notification Filters Active Filters Notificatção Filtros de Notificação Filtros Expirados Conjuntos de Probes Forçar Agente de Configuração Configuração Geral de Monitoramento 1.3. Satellites múltiplos Inter-Satellite Synchronization (Sincronização entre Satellites) Configuração de manual Configuração Automatizada Sincronização Organizacional Casos de Uso do Inter-Satellite Synchronization (Sincronização entre Satellites) Capítulo Informações específicas do... Solaris e.. do... Red..... Hat.... Satellite Guia de Suporte ao UNIX Introdução Variantes do UNIX Suportadas Pré-requisitos Funcionalidades Inclusas Diferenças nas Funcionalidades Funcionalidades Excluídas Preparação/Configuração do Servidor Satellite Preparação de Sistema Cliente Unix Baixando e Instalando os Pacotes Adicionais Instale Pacotes de T erceiros Configurando o Caminho de Busca de Biblioteca Baixando os Pacotes Cliente Red Hat Network Instalando os Pacotes do Red Hat Network Incluindo os Pacotes do Red Hat Network no PATH Implementando os Certificados SSL Cliente Configurando clientes Registro e Atualizações de Clientes da Unix Registrando Sistemas Unix Obtendo Atualizações Carregando Pacotes no Satellite solaris2mpm rhnpush com arquivos.mpm Atualizando Através do Site rhnsd Atualizando pela Linha de Comando Comandos Remotos Habilitando Comandos Invocando Comandos 57. Capítulo Informações sobre o.. Red.... Hat.... Satellite Proxy Utilizando o Red Hat Network Package Manager e Servindo Pacotes Locais através do Red Hat Network Proxy Criando um Canal Privado. 60 2

6 Índice Upload de Pacotes 60. Capítulo Administração de... Pacotes Personalizados Construindo Pacotes para o Red Hat Network Benefícios do RPM Red Hat Network RPM Guidelines Assinaturas Digitais para os pacotes do Red Hat Network Gerando um Par de Chaves GnuPG Assinando pacotes Importando Chaves Padronizadas GPG 66. Capítulo Solução de... problemas Espaço em Disco Instalação e Atualização Serviços Conectividade Autenticando e Reportando Erros Interface web Anaconda T racebacks Registro Kickstarts e Snippets Monitoring Satellites de Multi-Organização e Certificado Satellite Configuração e Instalação do Proxy 87. Probes (detecções) A.1. Diretrizes das Probes 93 A.2. Apache 1.3.x e 2.0.x 94 A.2.1. Apache::Processos 94 A.2.2. Apache::T raffic 95 A.2.3. Apache::Uptime 96 A.3. BEA WebLogic 6.x e mais recente 96 A.3.1. BEA WebLogic::Execute Queue 97 A.3.2. BEA WebLogic::Heap Free 97 A.3.3. BEA WebLogic::JDBC Connection Pool 98 A.3.4. BEA WebLogic::Server State 98 A.3.5. BEA WebLogic::Servlet 98 A.4. Geral 99 A.4.1. General::Remote Program (Geral::Programa Remoto) 99 A.4.2. General::Remote Program with Data (Geral::Programa Remoto com Dados) 100 A.4.3. General::SNMP Check 100 A.4.4. General::T CP Check 101 A.4.5. General::UDP Check 101 A.4.6. General::Uptime (SNMP) 102 A.5. Linux 102 A.5.1. Linux::CPU Usage (Linux::Utilização do CPU) 102 A.5.2. Linux::Disk IO T hroughput (Linux::Produção de E/S do Disco ) 103 A.5.3. Linux::Disk Usage (Linux::Uso do Disco ) 103 A.5.4. Linux::Inodes 104 A.5.5. Linux::Interface T raffic (Linux::T ráfego da Interface) 104 A.5.6. Linux:Load (Linux::Carga) 105 A.5.7. Linux::Memory Usage (Linux::Uso da Memória) 105 A.5.8. Linux::Process Counts by State (Linux::Contagem de Processos por Estado) 106 A.5.9. Linux::Process Count T otal (Linux::Contagem T otal de Processos) 106 3

7 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência A Linux::Process Health (Linux::Saúde dos Processos) A Linux::Process Running (Linux::Processo em Andamento) A Linux::Swap Usage (Linux::Uso de Swap) A Linux::T CP Connections by State (Linux::Conexões T CP por Estado) A Linux::Users (Linux::Usuários) A Linux::Virtual Memory (Linux::Memória Virtual) A.6. LogAgent A.6.1. LogAgent::Log Pattern Match (LogAgent::Correspondência de Padrões em Registros) A.6.2. LogAgent::Log Size (LogAgent::T amanho do Registro) A.7. MySQL A.7.1. MySQL::Database Accessibility A.7.2. MySQL::Opened T ables A.7.3. MySQL::Open T ables A.7.4. MySQL::Query Rate A.7.5. MySQL::T hreads Running A.8. Network Services A.8.1. Network Services::DNS Lookup A.8.2. Network Services::FT P A.8.3. Network Services::IMAP Mail A.8.4. Network Services::Mail T ransfer (SMT P) A.8.5. Network Services::Ping A.8.6. Network Services::POP Mail A.8.7. Network Services::Remote Ping (Serviços de Rede::Ping Remoto) A.8.8. Network Services::RPCService A.8.9. Network Services::Secure Web Server (HT T PS) A Network Services::SSH A Network Services::Web Server (HT T P) A.9. Oracle 8i, 9i, 10g, and 11g A.9.1. Oracle::Active Sessions A.9.2. Oracle::Availability A.9.3. Oracle::Blocking Sessions A.9.4. Oracle::Buffer Cache A.9.5. Oracle::Client Connectivity (Oracle::Conectividade do Cliente) A.9.6. Oracle::Data Dictionary Cache A.9.7. Oracle::Disk Sort Ratio A.9.8. Oracle::Idle Sessions A.9.9. Oracle::Index Extents A Oracle::Library Cache A Oracle::Locks A Oracle::Redo Log A Oracle::T able Extents A Oracle::T ablespace Usage A Oracle::T NS Ping A.10. Red Hat Satellite A Red Hat Satellite::Espaço de Disco A Red Hat Satellite::Execution T ime A Red Hat Satellite::Interface T raffic A Red Hat Satellite::Latency A Red Hat Satellite::Load A Red Hat Satellite::Probe Count A Red Hat Satellite::Process Counts A Red Hat Satellite::Processos A Red Hat Satellite::Process Health A Red Hat Satellite::Process Running A Red Hat Satellite::Swap

8 Índice A Red Hat Satellite::Usuários 134. Histórico de... Revisões

9 6 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência

10 Prefácio Prefácio 1. Audiência A audiência alvo para este guia inclui os administradores de sistema dos quais possuem por objetivo gerenciar atualizações para sistemas com uma rede interna. 2. Convenções de Documentos Este manual usa diversas convenções para destacar certas palavras e frases e chamar a atenção para informações específicas. Em PDF e edições de texto, este manual usa tipos de letras retiradas do conjunto Liberation Fonts. O conjunto de Fontes Liberation Fonts, também é usado em formato HT ML, caso o conjunto esteja instalado em seu sistema. Caso ainda não esteja, como forma alternativa, estão disponíveis tipos de letras equivalentes. Nota: O Red Hat Enterprise Linux 5 e versões mais recentes do mesmo, incluem o conjunto Liberation Fonts por padrão Convenções Tipográficas São usadas quatro convenções tipográficas para realçar palavras e frases específicas. Estas convenções, e circunstâncias a que se aplicam, são as seguintes: Negrito Espaço Único (Mono-spaced Bold) Usada para realçar entradas do sistema, incluindo comandos de shell, nomes de arquivos e caminhos. São também usadas para realçar teclas Maiúsculas/Minúsculas e as combinações de teclas. Por exemplo: Para ver o conteúdo do arquivo m y_next_bestselling_novel em sua pasta de trabalho atual, insira o comando cat m y_next_bestselling_novel na janela de solicitação e pressione Enter para executar o comando. O comando acima inclui um nome de arquivo, um comando de shell e uma tecla, todos apresentados em Negrito Espaço Único (Mono-spaced Bold) e todos distintos, graças ao conteúdo. As combinações de tecla podem ser diferenciadas de uma tecla individual pelo sinal positivo que conecta cada parte da combinação da tecla. Por exemplo: Pressione Enter para executar o comando. Pressione Ctrl+Alt+F2 para trocar ao terminal virtual. A primeira sentença, destaca uma tecla específica a ser pressionada. A segunda destaca duas combinações de teclas: um conjunto de três teclas pressionadas simultaneamente. Caso o código fonte seja discutido, serão apresentados como acima, os nomes de classe, métodos, funções, nomes de variantes e valores retornados mencionados em um parágrafo, em Negrito de Espaço Único (Mono-spaced Bold). Por exemplo: Classes baseadas em arquivo, incluem filesystem para sistemas de arquivo, file para arquivos, e dir para diretórios. Cada classe possui seu conjunto próprio de permissões associadas. Negrito Proporcional 7

11 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Esta representa as palavras e frases encontradas no sistema, incluindo os nomes de aplicativos, texto de caixa de diálogo, botões rotulados, caixa de seleção e rótulos de botão de opção, títulos de menus e sub-menus. Por exemplo: Escolha Sistema Preferências Mouse da barra do menu principal para lançar Mouse Preferences. Na aba Botões selecione o Botão da esquerda do m ouse selecione a caixa e cliquem emfecharpara mudar o botão inicial do mouse da esquerda para a direita (tornando o mouse adequado para o uso na mão esquerda). Selecione Applications Accessories Character Map a partir da barra de menu principal, com o objetivo de inserir um caractere especial ao arquivo gedit. Em seguida, selecione Search Find a partir da barra do menu Character Map, digite o nome do caractere no campo Search e clique em Next. O caractere pesquisado aparecerá destacado no Character T able. Clique duas vezes no caractere destacado para posicioná-lo no campo T ext to copy e clique no botão Copy. Retorne ao seu documento e selecione Edit Paste a partir da barra do menu gedit. O texto acima inclui nomes de aplicativos, nomes de menu e itens de todo o sistema, nomes de menu específicos do aplicativo, e botões e textos encontrados na Interface Gráfica GUI, todos apresentados em Negrito Proporcional (Proportional Bold) e todos diferenciados de acordo com o contexto. Itálico em Negrito de Espaço Único (Mono-spaced Bold Italic) ou Itálico em Negrito Proporcional (Proportional Bold Italic) Sendo o Negrito Espaço Único (Mono-spaced Bold) ou Negrito Proporcional (Proportional Bold), os itálicos extras indicam textos substituíveis ou variáveis. O Itálico denota o texto que você não inseriu literalmente ou textos exibidos que mudam dependendo das circunstâncias. Por exemplo: Para conectar-se à uma máquina remota usando o ssh, digite ssh nome do domain.name na janela de comandos. Por exemplo, considere que a máquina remota seja example.com e seu nome de usuário nesta máquina seja john, digite ssh exam ple.com. O comando m ount -o rem ount file-system remonta o sistema de arquivo nomeado. Por exemplo, para remontar o sistema de arquivo /home, o comando é mount -o rem ount /hom e. Para ver a versão de um pacote instalado, use o comando rpm -q package. Ele retornará um resultado como este: package-version-release. Perceba as palavras em negrito e itálico acima - username, domain.name, file-system, package, version e release. Cada palavra é um espaço reservado, tanto para o texto que você insere quando emitindo um comando ou para textos exibidos pelo sistema. Além de uso padrão para apresentar o título de um trabalho, os itálicos denotam a primeira vez que um termo novo e importante é usado. Por exemplo: O Publican é um sistema de publicação do DocBook Convenções de Pull-Quote Resultado de terminal e listagem de código fonte são definidos visualmente com base no contexto. O resultado enviado à um terminal é configurado em Romano de Espaço Único (Mono-spaced Rom an) e apresentado assim: 8

12 Prefácio books Desktop documentation drafts mss photos stuff svn books_tests Desktop1 downloads images notes scripts svgs As listas de código fonte também são configuradas em Romano de Espaço Único (Mono-spaced Rom an), porém são apresentadas e realçadas como a seguir: static int kvm_vm_ioctl_deassign_device(struct kvm * kvm, struct kvm_assigned_pci_dev * assigned_dev) { int r = 0; struct kvm_assigned_dev_kernel * match; mutex_lock(&kvm->lock); match = kvm_find_assigned_dev(&kvm->arch.assigned_dev_head, assigned_dev->assigned_dev_id); if (!match) { printk(kern_info "%s: device hasn't been assigned before, " "so cannot be deassigned\n", func ); r = -EINVAL; goto out; } kvm_deassign_device(kvm, match); kvm_free_assigned_device(kvm, match); out: } mutex_unlock(&kvm->lock); return r; 2.3. Notas e Avisos E por fim, usamos três estilos visuais para chamar a atenção para informações que possam passar despercebidas. Nota Uma nota é uma dica ou símbolo, ou ainda uma opção alternativa para a tarefa em questão. Se você ignorar uma nota, provavelmente não resultará em más consequências, porém poderá deixar passar uma dica importante que tornará sua vida mais fácil. Importante Caixas importantes detalham coisas que são geralmente fáceis de passarem despercebidas: mudanças de configuração que somente se aplicam à sessão atual, ou serviços que precisam ser reiniciados antes que uma atualização seja efetuada. Se você ignorar estas caixas importantes, não perderá dados, porém isto poderá causar irritação e frustração. 9

13 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Atenção Um Aviso não deve ser ignorado. Se você ignorar avisos, muito provavelmente perderá dados. 3. Obtendo Ajuda e Fornecendo Comentários 3.1. Você precisa de ajuda? Se encontrar dificuldades com o procedimento descrito nesta documentação, você pode encontrar ajuda visitando o Portal do Cliente da Red Hat em Você poderá realizar o seguinte através do portal do cliente: realize buscas ou navegue através da base de conhecimento dos artigos de suporte técnico sobre os produtos da Red Hat. insira o caso de suporte nos Serviços de Suporte Global da Red Hat (GSS). acesso a outra documentação da Red Hat. A Red Hat acomoda um grande número de listas de correio eletrônico para discussão de software e tecnologias da Red Hat. Você pode encontrar uma lista contendo as listas públicas disponíveis em https://www.redhat.com/mailman/listinfo. Clique no nome de qualquer lista para subscrever àquela lista ou acessar o histórico das listas Nós precisamos do seu Comentário! Se você encontrar erro ortográfico neste manual, ou se você tem uma sugestão para melhoramento deste manual, nós gostaríamos muito de ouvir sua opinião! Por favor submita um relatório em Bugzilla:http://bugzilla.redhat.com/ contra o produto Red Hat Network Satellite.. Ao submeter um relatório de erro, certifique-se de mencionar a identificação do manual:docs Reference Guide. Se você tiver uma sugestão para o melhoramento deste documento, por favor tente ser o mais específico possível em sua descrição. Caso você tenha encontrado um erro, por favor inclua o número da seção e alguns detalhes a respeito do texto para a nossa melhor identificação. 10

14 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Esta seção cobre diversos tópicos sobre a configuração avançada do Red Hat Satellite Ferramentas de Administração de Configuração na Linha de Comandos Além das opções providas no site do Red Hat Satellite, existem duas ferramentas de linha de comando para administrar os arquivos de configuração de um sistema: o Red Hat Network Configuration Client (Red Hat Network Cliente de Configuração) e o Red Hat Configuration Manager (Red Hat Network Gerenciador de Configuração). Há uma ferramenta complementar, Red Hat Network Actions Control (Red Hat Network Controle de Ações), usada para habilitar e desabilitar a administração de configuração nos sistemas cliente. Se você ainda não tem estas ferramentas instaladas, pode encontrálas no canal filho Red Hat Network T ools (Ferramentas Red Hat Network) de seu sistema operacional. Dica Sempre que um arquivo de configuração é implementado através de um website, é criado um backup do arquivo anterior incluindo seu caminho completo no diretório /var/lib/rhncfg/backups/ do sistema em questão. O backup mantém seu nome de arquivo, porém com uma extensão.rhn-cfg-backup anexada Red Hat Network Actions Control A aplicação Red Hat Network Actions Control (rhn-actions-control) é usada para habilitar e desabilitar a administração de configuração de um sistema. Os sistemas clientes não podem ser administrados desta maneira por padrão. Com esta ferramenta, os Administradores de Sistema podem habilitar ou desabilitar modos específicos de ações permitidas, como implementar um arquivo de configuração ao sistema ou carregar (upload) um arquivo do sistema, utlizando o diff para descobrir o que é administrado num sistema contra o que está disponível no momento ou então permitir rodar comandos remotos arbitrários. Estes modos diversos são habilitados/desabilitados ao inserir/remover arquivos e diretórios no diretório /etc/sysconfig/rhn/allowed-actions/. Devido às permissões padrões do diretório /etc/sysconfig/rhn/, O Controle de Ações do Red Hat Network deverá ser executado por alguém com acesso root Opções gerais da linha de comandos Há uma página m an disponível, como ocorre com a maioria das ferramentas da linha de comando. Simplesmente decida quais as ações agendadas do Red Hat Network devem ser habilitadas para administradores de sistemas. Estas opções habilitam os vários modos de ações agendadas: 11

15 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência T abela 1.1. opções rhn-actions-control Opção --enable-deploy --enable-diff --enable-upload --enable-mtime-upload --enable-all --enable-run --disable-deploy --disable-diff --disable-upload --disable-mtime-upload --disable-all --disable-run --report -f, --force -h, --help Descrição Permite ao rhncfg-client empregar arquivos. Permite ao rhncfg-client executar diff em arquivos. Permite ao rhncfg-client fazer upload de arquivos. Permite ao rhncfg-client fazer upload do mtime. Permite ao rhncfg-client habilitar tudo. Habilita script.run Desabilita a implementação. Desabilita o diff Desabilita o upload Desabilita o upload do mtime Desabilita todas as opções Desabilita o script.run Relata se os modos estão habilitados ou desabilitados Força a operação sem questionar exibe a mensagem de ajuda e fecha Quando o modo é definido, seu sistema fica pronto para o gerenciamento de configuração através do Red Hat Satellite. O rhn-actions-control --enable-all é uma opção comum Red Hat Network Configuration Client Como o nome implica, o Red Hat Network Configuration Client (rhncfg-client) é instalado e executado através de um sistema cliente separado. A partir deste, você pode obter o conhecimento sobre como o Red Hat Network emprega os arquivos de configuração nos clientes. O Red Hat Network Configuration Client oferece estes modos principais: listar (list), obter (get), canais (channels), diff e verificar (verify) Listando Arquivos de Configuração Para listar os arquivos de configuração da máquina e das etiquetas dos canais de configuração que as contém, execute o comando: rhncfg-client list O resultado se parece com a lista seguinte: Config Channel config-channel-17 config-channel-17 config-channel-14 File /etc/example-config.txt /var/spool/aalib.rpm /etc/rhn/rhn.conf Estes são os arquivos de configuração que se aplicam ao seu sistema. Entretanto, pode haver arquivos duplicados em outros canais. Por exemplo: invoque o seguinte comando: rhncfg-manager list config-channel-14 e observe o seguinte resultado: 12

16 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Files in config channel 'config-channel-14' /etc/example-config.txt /etc/rhn/rhn.conf Então, você pode se perguntar onde foi parar a segunda versão do /etc/exam ple-config.txt. A posição do arquivo /etc/exam ple-config.txt no config-channel-17 era mais alta que a posição do mesmo arquivo no config-channel-14. Consequentemente, a versão do arquivo de configuração no config-channel-14 não é empregada no sistema, apesar do arquivo ainda constar do canal. O comando rhncfg-client não lista o arquivo porque não será empregado neste sistema Obtendo um Arquivo de Configuração Para fazer o download do arquivo de configuração mais importante para a máquina, execute o comando: rhncfg-client get /etc/example-config.txt Você deve observar um resultado parecido com: Implementando /etc/example-config.txt Veja o conteúdo do arquivo com less ou um outro paginador. Note que o arquivo é selecionado como o mais importante baseado na posição do canal de configuração que o contém. Isso é feito na aba Configuration (Configuração) da página System Details (Detalhes do Sistema) Visualizando Canais de Configuração Para visualizar as etiquetas e nomes dos canais de configuração que se aplicam ao sistema, submeta o comando: rhncfg-client channels Você deve observar um resultado parecido com: Config channels: Label Name config-channel-17 config chan 2 configchannel-14 config chan 1 A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-client get: T abela 1.2. opções do rhncfg-client get Opção --topdir=t OPDIR Descrição T ornar todas as operações de arquivo relativas a este string. --exclude=exclude Exclui um arquivo de ser implementado com o 'get' / Pode ser utilizado diversas vezes. -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Diferenciando entre arquivos de configuração Para ver as diferenças entre os arquivos de configuração empregados no sistema e aqueles armazenados no Red Hat Network, submeta o comando: 13

17 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência rhncfg-client diff O resultado se parece com: testsatellite root]# rhncfg-client diff --- /etc/test +++ /etc/test :14: ,2 This is the first line +This is the second line added Além disso, você pode incluir a opção --topdir para comparar arquivos de configuração do Red Hat Network com aqueles situados numa localização arbitrária (e não usada) do sistema cliente, como: root]# rhncfg-client diff --topdir /home/test/blah/ /usr/bin/diff: /home/test/blah/etc/example-config.txt: No such file or directory /usr/bin/diff: /home/test/blah/var/spool/aalib.rpm: No such file or directory Verificando arquivos de configuração Para determinar rapidamente se os arquivos de configuração do cliente são diferentes daqueles associados no Red Hat Network, submeta o comando: rhncfg-client verify O resultado se parece com: modificado /etc/example-config.txt /var/spool/aalib.rpm O arquivo exam ple-config.txt está modificado localmente, enquanto o aalib.rpm não. A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-client verify: T abela 1.3. opções do rhncfg-client verify Opção -v, --verbose -o, --only -h, --help Descrição Aumenta a quantidade de detalhes do resultado. Apresenta as diferenças do modo, permissões do proprietário e do grupo, do arquivo de configuração específico. Somente exibir arquivos que diferem Exibe a mensagem de ajuda e fecha Red Hat Network Configuration Manager Ao contrário do Red Hat Network Configuration Client, the Red Hat Network Configuration Manager (rhncfg-m anager) é desenvolvido para manter o repositório central de arquivos e canais de configuração do RHN e não aqueles localizados nos sistemas cliente. Esta ferramenta oferece uma alternativa de linha de comando às funcionalidades de administração de configuração do site do Red Hat Network, assim como a habilidade de elaborar scripts para partes ou para toda a manutenção relacionada. Seu uso é direcionado aos Administradores de Configuração e requer um nome de usuário e senha do 14

18 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Red Hat Network que tenham as permissões apropriadas definidas. O nome de usuário pode ser especificado em /etc/sysconfig/rhn/rhncfg-manager.conf ou na seção [rhncfg-manager] de ~/.rhncfgrc. Quando o Red Hat Network Configuration Manager é executado como root, tenta trazer valores de configuração necessários do Red Hat Update Agent. Quando executado com qualquer outro usuário além de root, talvez seja preciso efetuar alterações de configuração no arquivo ~/.rhncfgrc. O arquivo da sessão é guardado no cache de ~/.rhncfg-m anager-session a fim de evitar a autenticação para cada comando. O tempo limite padrão do Red Hat Network Configuration Manager, é 30 minutos. Para alterar este valor, adicione a opção server.session_lifetime e o novo valor ao arquivo /etc/rhn/rhn.conf no servidor rodando o administrador, como: server.session_lifetime = 120 O Red Hat Network Configuration Manager oferece estes modos principais: adicionar (add), criar canal (create-channel), diferenciação (diff), diferenciação entre revisões (diff-revisions), download de canal (download-channel), obter (get), listar (list), listar canais (list-channels), remover (remove), remover canal (remove-channel), revisões (revisions), atualizar (update) e fazer upload de canal (upload-channel). Cada modo oferece seu próprio conjunto de permissões, que pode ser visto ao executar o comando seguinte: rhncfg-manager mode --help Substitua mode pelo nome do modo a ser inspecionado: rhncfg-manager diff-revisions --help Você pode ver esta lista de opções para o modo adicionar (add) na Tabela 1.4, opções do rhncfgmanager add Criando um Canal de Configuração Para criar um canal de configuração para sua empresa, execute o comando: rhncfg-manager create-channel channel-label Se for necessário, indique seu nome de usuário e senha do Red Hat Network. O resultado é semelhante a este: Red Hat Network username: rhn-user Password: Creating config channel channel-label Config channel channel-label created Após criar o canal de configuração, use os modos remanescentes listados acima para popular e manter aquele canal Adicionando Arquivos a um Canal de Configuração Para adicionar um arquivo a um canal de configuração, especifique a etiqueta do canal, assim como o arquivo local para upload. Por exemplo: 15

19 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência rhncfg-manager add --channel=channel-label /path/to/file Além da etiqueta do canal e do caminho para o arquivo necessário, você deve usar as opções disponíveis para modificar o arquivo durante sua adição. Por exemplo, você pode alterar o caminho e o nome do arquivo, incluindo a opção --dest-file no comando. Por exemplo: rhncfg-manager add --channel=channel-label --destfile=/new/path/to/file.txt/path/to/file O resultado se parece com: Alocando para o canal example-channel Arquivo local >/path/to/file -> arquivo remoto /new/path/to/file.txt A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager add: Tabela 1.4. opções do rhncfg-manager add Opção Descrição -c CHANNEL --channel=channel Faz o upload de arquivos para este canal de configuração -d DEST_FILE --dest-file=dest_file Faz o upload do arquivo conforme este caminho --delim-start=delim_st ART --delim-end=delim_end -i, --ignore-missing --selinux-context=selinux_cont EXT -h, --help Inicia o delimitador para intercalar variáveis Finaliza o delimitador para intercalar variáveis Ignora arquivos locais faltando Sobrescreve o contexto do SELinux exibe a mensagem de ajuda e fecha Nota Por padrão, o tamanho máximo de arquivo para arquivos de configuração é 128KB. Se você precisar modificar este valor, encontre ou crie a seguinte linha no arquivo /etc/rhn/rhn.conf: web.maximum_config_file_size=128 Além disso, encontre ou crie a seguinte linha no arquivo /etc/rhn/rhn.conf: maximum_config_file_size=128 Em ambos locais, mude o valor de 128 para qualquer limite que você deseja em bytes Diferenciando entre os Arquivos de Configuração mais Recentes Para ver as diferenças entre os arquivos de configuração no disco e as revisões mais recentes de um canal, execute o comando: rhncfg-manager diff --channel=channel-label --dest-file=/path/to/file.txt \ /local/path/to/file 16

20 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Você deve observar um resultado parecido com: --- /tmp/dest_path/example-config.txt config_channel: example-channel revision: /home/test/blah/hello_world.txt :08: foo +hello, world A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager diff: T abela 1.5. opções do rhncfg-m anager diff Opção Descrição -c CHANNEL, --channel=channel Obtém arquivo(s) deste canal de configuração -r REVISION, --revision=revision Usa esta revisão -d DEST_FILE, --dest-file=dest_file Faz o upload do arquivo conforme este caminho -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR T orna todos os arquivos relativos a este string -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Diferenciando entre Versões Diversas Para comparar versões diferentes de um arquivo dentre canais e revisões, use a opção -r para indicar qual revisão do arquivo deve ser comparada e a opção -n para identificar os dois canais a serem verificados. Consulte a Seção , Determinando o Número de Revisões do Arquivo para instruções. Especifique somente o nome de um arquivo aqui, já que você está comparando o arquivo a uma outra versão do mesmo. Por exemplo: rhncfg-manager diff-revisions -n=channel-label1 -r=1 -n=channel-label2 -r=1 /path/to/file.txt O resultado se parece com: --- /tmp/dest_path/example-config.txt :36:41 \ config channel: example-channel2 revision: /tmp/dest_path/example-config.txt :42:42 \ config channel: example-channel3 revision: ,20 -foo +blah BEGIN PGP SIGNATURE Version: GnuPG v1.0.6 (GNU/Linux) +Comment: For info see + +id8dbqa9zy6vse4xmfjpgwgrashcaj9ud9dabucdscdcqb8azp7e0fua0nmksdhqceowhx +VsDTfen2NWdwwPaTM+S+Cow= +=Ltp END PGP SIGNATURE----- A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager diff-revisions: 17

21 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência T abela 1.6. opções do rhncfg-m anager diff-revisions Opção Descrição -c CHANNEL, --channel=channel Usa este canal de configuração -r REVISION, --revision=revision Usa esta revisão -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Fazendo o Download de T odos Arquivos de um Canal Para fazer o download de todos os arquivos de um canal para o disco, crie um diretório e execute o seguinte comando: rhncfg-manager download-channel channel-label --topdir. O resultado se parece com: Copying /tmp/dest_path/example-config.txt -> \ blah2/tmp/dest_path/exampleconfig.txt A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager download-channel: T abela 1.7. opções do rhncfg-m anager download-channel Opção Descrição -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR O diretório ao qual todas os caminhos de arquivo são relativos. Esta opção deve ser definida. -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Obtendo o Conteúdo de um Arquivo Para direcionar o conteúdo de um arquivo específico para stdout, execute o comando: rhncfg-manager get --channel=channel-label \ /tmp/dest_path/example-config.txt Você deve observar o conteúdo do arquivo como resultado Listando T odos Arquivos de um Canal Para listar todos os arquivos de um canal, execute o comando: rhncfg-manager list channel-label Você deve observar um resultado parecido com: Arquivos no canal de configuração `example-channel3': /tmp/dest_path/exampleconfig.txt A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager get: 18

22 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite T abela 1.8. opções do rhncfg-m anager get Opção Descrição -c CHANNEL, --channel=channel Obtém arquivo(s) deste canal de configuração -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR T orna todos os arquivos relativos a este string -r REVISION, --revision=revision Obter esta revisão do arquivo -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Listando T odos Canais de Configuração Para listar todos os canais de configuração da sua empresa, execute o comando: rhncfg-manager list-channels O resultado se parece com: Available config channels: example-channel example-channel2 example-channel3 config-channel-14 config-channel-17 Note que este comando não lista os canais local_override ou server_im port Removendo um Arquivo de um Canal Para remover um arquivo de um canal, execute o comando: rhncfg-manager remove --channel=channel-label /tmp/dest_path/example-config.txt Se for necessário, indique seu nome de usuário e senha do Red Hat Network. Você deve observar um resultado semelhante a: Red Hat Network username: rhn-user Password: Removing from config channel example-channel3 /tmp/dest_path/example-config.txt removed A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager rem ove: T abela 1.9. opções do rhncfg-m anager rem ove Opção Descrição -c CHANNEL, --channel=channel Remove arquivos deste canal de configuração -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR T orna todos os arquivos relativos a este string -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha Apagando um Arquivo de Configuração Para eliminar um canal de configuração de sua empresa, execute o comando: rhncfg-manager remove-channel channel-label O resultado se parece com: 19

23 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Removing config channel example-channel Config channel example-channel removed Determinando o Número de Revisões do Arquivo Para descobrir quantas revisões (as revisões vão de 1 a N, sendo N um número inteiro maior que 0) de um arquivo/caminho existem num canal, execute o seguinte comando: rhncfg-manager revisions channel-label /tmp/dest_path/example-config.txt O resultado se parece com: Analisando arquivos no canal de config example-channel \ /tmp/dest_path/exampleconfig.txt: Atualizando um Arquivo de um Canal Para criar uma nova revisão de um arquivo num canal (ou adicionar a primeira revisão neste canal, caso nenhuma exista antes para o caminho provido), execute o seguinte comando: rhncfg-manager update \ --channel=channel-label --dest-file=/path/to/file.txt /local/path/to/file O resultado se parece com: Pushing to channel example-channel: Local file examplechannel/tmp/dest_path/example-config.txt -> \ remote file /tmp/dest_path/exampleconfig.txt A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager update: T abela opções do rhncfg-m anager update Opção Descrição -c CHANNEL, --channel=channel Faz o upload de arquivos para este canal de configuração -d DEST_FILE, --dest-file=dest_file Faz o upload do arquivo conforme este caminho -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR T orna todos os arquivos relativos a este string --delim-start=delim_st ART --delim-end=delim_end -h, --help Inicia o delimitador para intercalar variáveis Finaliza o delimitador para intercalar variáveis Exibe a mensagem de ajuda e fecha Upload de Arquivos Múltiplos Para fazer o upload de arquivos múltiplos do disco local para um canal de configuração de uma vez, execute o comando: rhncfg-manager upload-channel --topdir=topdir channel-label O resultado se parece com: 20

24 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Using config channel example-channel4 Uploading /tmp/ola_world.txt from blah4/tmp/ola_world.txt A tabela seguinte lista as opções do rhncfg-m anager upload-channel: T abela opções do rhncfg-m anager upload-channel Opção Descrição -t T OPDIR, --topdir=t OPDIR O diretório ao qual todas os caminhos de arquivo são relativos -c CHANNEL, --channel=channel Lista dos canais aos quais as informações de configuração serão salvas (uploaded). Os canais são delimitados por ','. Exemplo: --channel=foo,bar,baz -h, --help Exibe a mensagem de ajuda e fecha 1.2. Monitoramento O direito ao Monitoring da Red Hat Network permite a você executar diversas ações desenvolvidas para manter seus sistemas rodando apropriada e eficientemente. Através deste, você pode monitorar os recursos do sistema, serviços de rede, bancos de dados e também aplicações padrões e personalizadas. O Monitoramento oferece informações em tempo real e a história de alterações do estado, assim como dados métricos específicos. Ele fornece notificação de falhas de sistema e degradação de desempenho antes que ele se torne crítico. Ele também fornece informações que assiste o planejamento de capacidade e a correlação de eventos. Por exemplo: os resultados de uma detecção registrando o uso da CPU entre sistemas assistiria ao balancear as cargas nestes sistemas. Existem dois componentes para monitoramento do sistema: o monitoramento de sistema e o monitoramento scout. O sistema de monitoramento é instalado no Satellite e realiza funções em segundo plano, como armazenar dados de monitoramento e como agir nele. O monitoramento scout executa todas as probes e coleta dados de monitoramento. O monitoramento scout pode ser habilitado para executar em um Satellite ou em sistemas Red Hat Satellite Proxy. O monitoramento scout no Proxy lhe permite trabalhar sem carga no Satellite, fornecendo escalabilidade para as probes. O Monitoramento permite estabelecer os métodos de conexão, instalar probes em sistemas, rever periodicamente os estados de todas as probes e gerar relatórios com dados históricos de um sistema ou serviço. Esta seção procura identificar tarefas comuns associadas ao direito de Monitoramento. Lembre-se: praticamente todas as alterações que afetam sua infra-estrutura Monitoring devem ser finalizadas ao atualizar sua configuração através da página Scout Config Push Pré-requisitos Antes de tentar implementar o serviço de Monitoramento do Red Hat Network em sua infra-estrutura, assegure-se que você tenha todas as ferramentas necessárias. No mínimo, você precisa: Direitos ao Monitoramento - Estes direitos são necessários para todos os sistemas a serem monitorados. O Monitoramento é suportado somente em sistemas Red Hat Enterprise Linux. Red Hat Satellite com Monitoramento - Sistemas com Monitoring devem ser conectados a um Satellite com um sistema operacional base do Red Hat Enterprise Linux 5 ou posteriores. Administrador de Monitoramento - Esta função (role) deve ser agregada a usuários que instalem detecções (probes), criem métodos de notificação ou alterem a infra-estrutura de monitoramento de 21

25 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência qualquer forma. Lembre-se, o Satellite Administrator automaticamente herda todas as funções dentro de uma organização e pode portanto conduzir estas tarefas. Agregue esta função através da página User Details (Detalhes do Usuário) do usuário em questão. Red Hat Network monitoring daemon - Este daemon é necessário, juntamente à chave SSH, para o agente (scout) em sistemas monitorados para executar os processos internos. Você pode, no entanto, rodar estas probes usando o daemon SSH (sshd) do sistema. Consulte a Seção 1.2.2, Configurando o Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnm d) para obter instruções de instalação e uma lista rápida das probes que requerem esta conexão segura. Consulte o Apêndice A, Probes (detecções) para uma lista completa das probes disponíveis. Habilitar Monitoramento O Monitoramento é desativado por padrão e precisa ser ativado antes que possa ser usado. 1. Efetue o login como um usuário com previlégios de Administrador do Satellite e vá até Admin Configuração do Red Hat Satellite. Clique em Enable Monitoring e depois em Atualizar para salvar. 2. Reinicie os serviços para captar as mudanças. Vá para a aba reiniciar para reiniciar o Satellite. Isto fará que o Satellite fique off line por alguns minutos. 3. Verifique se a aba Monitoring está disponível sob o Red Hat Satellite Configuration para confirmar que o monitoring está habilitado. 4. Navegue até Admin Configuração do Red Hat Satellite Monitoramento. Clique em Habilitar Monitoram ento Scout para habilitar o scout. Clique em Atualizar Config para salvar. Nota É recomendado que você deixe os valores de configuração como valores padrões. Sendmail precisa ser configurado para usar notificações Configurando o Red Hat Network Monitoring Daemon (rhnmd) Para usufruir de seus direitos a Monitoramento ao máximo, a Red Hat sugere instalar o Red Hat Network monitoring daemon em seus sistemas clientes. Baseado no OpenSSH, o rhnm d possibilita ao Satellite comunicar-se seguramente com o sistema cliente para acessar processos internos e recuperar o estado da detecção. Por favor note que o Red Hat Network monitoring daemon requer que os sistemas monitorados permitam conexões na porta Ao invés disso, você pode evitar abrir esta porta e instalar o daemon de uma só vez, usando o sshd. Consulte o Seção , Configurando o SSH para mais detalhes. Alguns probes requerem um daemon. É necessária uma conexão criptografada, através do Red Hat Network monitoring daemon ou do sshd, nos sistemas cliente, para rodar as seguintes probes: Linux::CPU Usage (Linux::Utilização do CPU) Linux::Disk IO T hroughput (Linux::Produção de E/S do Disco ) Linux::Disk Usage (Linux::Uso do Disco ) Linux::Inodes Linux::Interface T raffic (Linux::T ráfego da Interface) Linux:Load (Linux::Carga) Linux::Memory Usage (Linux::Uso da Memória) 22

26 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Linux::Process Counts by State (Linux::Contagem de Processos por Estado) Linux::Process Count T otal (Linux::Contagem T otal de Processos) Linux::Process Health (Linux::Saúde dos Processos) Linux::Process Running (Linux::Processo em Andamento) Linux::Swap Usage (Linux::Uso de Swap) Linux::T CP Connections by State (Linux::Conexões T CP por Estado) Linux::Users (Linux::Usuários) Linux::Virtual Memory (Linux::Memória Virtual) LogAgent::Log Pattern Match (LogAgent::Correspondência de Padrões em Registros) LogAgent::Log Size (LogAgent::T amanho do Registro) Network Services::Remote Ping (Serviços de Rede::Ping Remoto) Oracle::Client Connectivity (Oracle::Conectividade do Cliente) General::Remote Program (Geral::Programa Remoto) General::Remote Program with Data (Geral::Programa Remoto com Dados) Note que todas as probes no grupo Linux têm este requisito Instalando o Red Hat Network Monitoring Daemon Instale o Red Hat Network monitoring daemon a fim de preparar os sistemas para o monitoramento usando as probes identificadas pelo rhnmd. Note que os passos desta seção são opcionais se você pretende usar sshd para permitir conexões seguras entre a infra-estrutura de monitoramento do Red Hat Network e os sistemas monitorados. Consulte a Seção , Configurando o SSH para mais instruções. O pacote rhnmd pode ser encontrado no canal Red Hat Network Tools para todas as versões do Red Hat Enterprise Linux. Para instalá-lo: 1. Registre os sistemas a serem monitorados no canal Red Hat Network T ools associado ao sistema. Isto pode ser feito separadamente através da sub-aba System Details Channels Software ou para sistemas múltiplos de uma vez através da aba Channel Details T arget Systems aba. 2. Após registrados, abra a aba Channel Details Packages e localize o pacote rhnmd rhnmd (sob 'R'). 3. Clique no nome do pacote para abrir a página Package Details. Clique na aba Target System s, selecione os sistemas desejados e clique em Install Packages. 4. Instale a chave pública SSH em todos os sistemas cliente a serem monitorados, conforme descrito na Seção , Instalando a chave SSH. 5. Inicie o Red Hat Network monitoring daemon em todos os sistemas cliente, usando o comando: service Red Hat Networkmd start 6. Ao adicionar probes que requeiram o daemon, aceite os valores default de Red Hat NetworkMD User e Red Hat NetworkMD Port: nocpulse e , respectivamente Configurando o SSH Se você deseja evitar instalar o Red Hat Network monitoring daemone abrir a porta 4545 nos sistemas cliente, pode configurar o sshd para oferecer uma conexão criptografada, necessária entre os sistemas e o Red Hat Network. Isto é especialmente recomendado se você já está com o sshd rodando. Para configurar o daemon para uso do monitoramento: 23

27 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência 1. Certifique-se de que o pacote SSH esteja instalado nos sistemas a serem monitorados: rpm -qi openssh-server 2. Identifique o usuário a ser associado com o daemon. Pode ser qualquer usuário disponível no sistema, desde que a chave SSH necessária possa ser inserida no arquivo ~/.ssh/authorized_keys do usuário. 3. Identifique a porta usada pelo daemon, de acordo com o arquivo de configuração /etc/ssh/sshd_config. A porta default é a Instale a chave pública SSH em todos os sistemas cliente a serem monitorados, conforme descrito na Seção , Instalando a chave SSH. 5. Inicie o sshd em todos os sistemas cliente, usando o comando: service sshd start 6. Ao adicionar probes que requeiram o daemon, insira os valores derivados dos passos 2 e 3 nos campos Red Hat NetworkMD User e Red Hat NetworkMD Port Instalando a chave SSH Independentemente de usar o Red Hat Networkm d ou o sshd, você deve instalar a chave pública SSH do Red Hat Network monitoring daemon nos sistemas a serem monitorados para completar a conexão segura. Para instalá-la: 1. Navegue para a página Monitoring Scout Config Push do site do Red Hat Network e clique no nome do Servidor Red Hat Network que monitorará o sistema cliente. A chave SSH id_dsa.pub está visível na página resultante. 2. Copie o string de caracteres (começando em ssh-dss e terminando com o nome da máquina do Satellite. 3. Selecione Sistem as do menu esquerdo e clique nas caixas de marcação próximas aos sistemas para os quais você quer enviar a chave SSH. Clique no botão Gerenciar no topo para terminar. 4. A partir do Gerenciador de Conjuntos do Sistem a (System Set Manager), clique em Executar com andos rem otos e então na caixa de texto Script, digite a seguinte linha: #!/bin/sh cat <<EOF >> ~nocpulse/.ssh/authorized_keys Então, pressione Enter cole a chave SSH e adicione EOF. O resultado deve ser parecido com o seguinte: #!/bin/sh cat <<EOF>> ~nocpulse/.ssh/authorized_keys ssh-dss AABBAB3NzaC3kc3MABCCBAJ4cmyf5jt/ihdtFbNE1YHsT0np0SYJz7xk hzokuuwnzmouqj7exotbgeczjzlppozgzaepw1vuhxfa/l9xixvsv8k5qmcu70h0 1gohBIder/1I1QbHMCgfDVFPtfV5eedau4AAACAc99dHbWhk/dMPiWXgHxdI0vT2 SnuozIox2klmfbTeO4Ajn/Ecfxqgs5diat/NIaeoItuGUYepXFoVv8DVL3wpp45E 02hjmp4j2MYNpc6Pc3nPOVntu6YBv+whB0VrsVzeqX89u23FFjTLGbfYrmMQflNi j8yyngrepimfhi= satellite.example.com EOF 5. Ajuste a data e hora que você quer para a ação acontecer, então clique em Agendar Comando Rem oto. 24

28 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Após inserir a chave e estar acessível, todas as probes (detecções) que a requerem devem permitir as conexões ssh entre a infra-estrutura de Monitoramento e o sistema monitorado. Então, você pode agendar probes requisitando o daemon de monitoramento para rodar nos sistemas recémconfigurados Configurando o pacote mysql para as probes. Se seu Red Hat Satellite servirá sistemas cliente com o direito à Monitoramento (Monitoring) nos quais você deseja rodar probes MySQL, você deve configurar o pacote mysql no Red Hat Satellite. Consulte o Apêndice A, Probes (detecções) para ver a lista de todas as probes disponíveis. Registre o Satellite no canal base do Red Hat Enterprise Linux e instale o pacote mysql utilizando up2date, yum ou Red Hat Network Hosted. Depois de finalizado, seu Satellite pode ser usado para organizar as probes de MySQL Habilitando Notificações Além de visualizar o estado das probes na interface do Red Hat Network, você pode ser notificado sempre que uma detecção tiver seu estado alterado. Isso é especialmente importante ao monitorar sistemas de produção de missão crítica. Por este motivo, a Red Hat recomenda a utilização desta funcionalidade. Para ativar as notificações de probes no Red Hat Network, você deve ter identificado um servidor de troca de correspondência e um domínio durante a instalação de seu Red Hat Satellite e ter configurado o sendmail para receber s apropriadamente. Consulte a seção Instalação do Guia de Instalação do Red Hat Satellite para mais detalhes Criando Métodos de Notificação As notificações são enviadas através de um método de notificação ou seja, um endereço de ou pager associado a um usuário específico do Red Hat Network. Apesar do endereço ser ligado a uma conta de usuário específica, pode servir a diversos administradores através de um codenome (alias) ou lista de s. Além disso, cada conta de usuário pode conter múltiplos métodos de notificação. Para criar um método de notificação: 1. Autentique-se no Satellite como o Satellite Administrator ou Administrador de Monitoramento. 2. Navegue até Usuários e selecione o username. Na página Detalhes de Usuário clique em Métodos de Notificação criar novo método. 3. Indique uma etiqueta intuitiva e descritiva para o nome do método, como diário para DBA e forneça o endereço correto do . Lembre-se: as etiquetas de todos os métodos de notificação estão disponíveis numa lista durante a criação da detecção, portanto devem ser únicas dentro de sua empresa. 4. Selecione a caixa de verificação, se você quiser que mensagens abreviadas sejam enviadas por . Ester formato mais curto contém somente o estado da detecção, nome do sistema, nome da detecção, hora da mensagem e ID do envio. O formato padrão, mais longo, exibe dados adicionais no cabeçalho da mensagem, detalhes da detecção e do sistema e instruções para a resposta. 5. Ao terminar, clique em Criar Método (Create Method). O novo método é apresentado na aba User Details Notification Methods e a página Notificação sob a categoria Monitoram ento. Clique em seu nome para editá-lo ou apagá-lo. 6. Ao adicionar probes, selecione a caixa Probe Notifications e então selecione o novo método de notificação no menu suspenso. Os métodos de notificação atribuídos às probes não podem ser apagados até que sejam desassociados da detecção. 25

29 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Recebendo Notificações Se você criar métodos de notificação e associá-los a probes, deve estar preparado para recebê-las. Estas notificações chegam na forma de breves mensagens de texto enviadas para endereços de especificados. Aqui está um exemplo de uma notificação por Subject: CRITICAL: [hostname]: Satellite: Users at 1 From: "Monitoring Satellite Notification" redhat.com) Date: Mon, 26 Aug :42: To: organization.com This is Red Hat Monitoring Satellite notification 01dc8hqw. Time: Mon Aug 26, 21:42:25 PST State: CRITICAL System: [hostname] ([IP address]) Probe: Satellite: Users Message: Users 6 (above critical threshold of 2) Notification #116 for Users Run from: Red Hat Monitoring Satellite Como você pode ver, as notificações por mais longas contêm praticamente tudo o que você precisará saber sobre a detecção associada. Além do comando da detecção, da hora de execução, do sistema monitorado e do estado, a mensagem contém o Send ID (ID de envio), um string único de caracteres representando a mensagem e detecção específicas. Na mensagem acima, o ID de envio é 01dc8hqw. Nota Como as notificações podem ser geradas sempre que uma probe (detecção) tem seu estado alterado, simples alterações em sua rede podem resultar no recebimento de muitas notificações. As notificações podem ser redirecionadas par auma caixa de entrada específica para notificações para evitar problemas com correio prioritário. A próxima seção discute sobre o redirecionamento de notificações Redirecionando Notificações Ao receber uma notificação, você pode redirecioná-la incluindo regras avançadas de notificação num e- mail de reconhecimento. Ative o redirecionamento de resposta de abrindo /etc/aliases e adicione a seguinte linha: rogerthat01: " /etc/smrsh/ack_queuer.pl" Uma vez que o parâmetro tiver sido configurado. Apenas responda à notificação e inclua a opção desejada. Estas são as opções de redirecionamento ou tipos de filtro possíveis: ACK MET OO - Envia a notificação ao(s) destino(s) de redirecionamento, além do destino default. ACK SUSPEND - Suspende a notificação por um determinado período. ACK AUT OACK - Não altera o destino da notificação, mas automaticamente reconhece os alertas coincidentes assim que são enviados. ACK REDIR - Envia a notificação ao(s) destino(s) de redirecionamento ao invés do destino default. 26

30 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite O formato da regra deve ser tipo_filtro tipo_probe duração endereço_ , onde o tipo_filtro indica um dos comandos avançados anteriores, o tipo_detecção indica check or host, duração indica o tempo de redirecionamento e o endereço_ é o recipiente pretendido. Por exemplo: ACK METOO host 1h As maiúsculas não são necessárias. A duração pode ser expressa em minutos (m), horas (h) ou dias (d). Os endereços de são necessários somente para notificações de redirecionamento (REDIR) e suplementares (MET OO). A descrição da ação contida no resultante tem como default o comando indicado pelo usuário. A razão listada é um resumo da ação, como ack redirect by onde user é o remetente do . Nota Você pode interromper (halt) ou redirecionar quase todas as notificações de detecção, respondendo aos s de notificação com uma variação do comando ack suspend host. No entanto, não é possível interromper (halt) as notificações das probes do Satellite ao responder a uma detecção com ack suspend host ou com outra resposta de redirecionamento. Estas probes requerem que você altere as notificações na interface web do Satellite Apagando Métodos de Notificação Algumas relações entre métodos e probes podem complicar este processo. Aqui estão os passos a seguir para remover um método de notificação: 1. Autentique-se no Satellite como o Satellite Administrator ou Administrador de Monitoramento. 2. Navegue até a página Monitoring Notifications e clique no nome do método a ser removido. 3. Em User User Details Notification Methods clique em delete m ethod. Se o método não estiver associado a quaisquer probes, você receberá uma página de confirmação. Clique em Confirm Deletion. O método de notificação será removido. Nota Já que ambos o nome do método de notificação e o endereço, podem ser editados, considere atualizar o método ao invés de removê-lo. Isso redireciona as notificações de todas as probes usando o método, sem precisar editar cada detecção e criar um novo método de notificação. 4. Se o método é associado a uma ou mais probes, é exibida uma lista de probes usando o método e os sistemas aos quais as probes estão ligadas, ao invés de uma página de confirmação. Clique no nome da detecção para ir direto à aba System Details Probes. 5. Selecione outro método de notificação e clique em Update Probe. 6. Retorne para a página Monitoring Notifications e remova o método de notificação Sobre as Detecções (Probes) Agora que o Red Hat Network monitoring daemon foi instalado e os métodos de detecção criados, você 27

31 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência pode começar a instalar probes em seus sistemas com direitos a Monitoramento. Se um sistema tem direitos a Monitoramento, aparecerá uma aba Probes em sua página Detalhes do Sistem a. É aqui que você efetuará a maior parte do trabalho relacionado às funções de probes(detecção) Administrando probes Detecções são criadas através do Servidor da Red Hat Satellite. Depois que as detecções foram criadas, elas são propagadas aos sistemas com monitoramento específico registrado no Satellite. Siga estes passos abaixo para adicionar uma detecção no servidor Satellite: 1. Autentique-se no site do Satellite como Satellite Administrator ou Administrador de Grupos de Sistemas(System Group Administrator). 2. Navegue até a aba System Details Probes e clique em create new probe. 3. Na página Criação de Probe de Sistem a (System Probe Creation), complete todos os campos necessários. Primeiro, selecione o Grupo de Comando de Probe (Probe Command Group). Isto altera a lista de probes, de outros campos e requisitos disponíveis. Consulte o Apêndice A, Probes (detecções) para obter uma lista completa das probes por grupo de comando. Lembre que algumas probes requerem a instalação do Red Hat Network monitoring daemon no sistema cliente. 4. Selecione o Probe Command (comando de probe) e o Monitoring Scout (agente de monitoramento) desejados, geralmente Red Hat Monitoring Satellite, mas possivelmente um Red Hat Proxy Server. Indique uma descrição breve e única para a probe. 5. Selecione a caixa de verificação Notificação de Probes (Probe Notifications) para receber notificações quando a detecção tiver seu estado alterado. Use o menu suspenso Intervalo de Checagem de Probe (Probe Check Interval) para determinar a freqüência de envio das notificações. Selecionando 1 m inute (e a caixa de verificação Probe Notification), você receberá notificações a cada minuto que a probe ultrapassar os limites CRIT ICAL (crítico) ou WARNING (aviso). Consulte a Seção 1.2.4, Habilitando Notificações para saber como criar métodos de notificação e reconhecer suas mensagens. 6. Use os campos RHNMD User e RHNMD Port, se aparecerem, para forçar a detecção a comunicar-se através do sshd, ao invés do Red Hat Network Monitoring Daemon. Consulte a Seção , Configurando o SSH para mais detalhes. Caso contrário, aceite os valores default nocpulse e , respectivamente. 7. Se o campo Timeout (Tempo limite) aparecer, reveja o valor default e ajuste-o conforme suas necessidades. A maioria dos (mas não todos) timeout resulta num estado UNKNOWN (desconhecido). Se as medidas da detecção são baseadas em tempo, garanta que o timeout não seja menor que o tempo alocado para os limites. Caso contrário, as medidas não terão propósito, já que a detecção terá seu tempo limite antes que os limites de estado sejam cruzados. 8. Use os campos restantes para estabelecer os limites de alerta da detecção, se for o caso. Os valores de CRIT ICAL e WARNING determinam em que ponto a detecção tem seu estado alterado. Consulte a Seção , Estabelecendo Limites para saber as recomendações relativas a estes limites. 9. Ao terminar, clique em Criar Probe (Create Probe). Lembre-se: você deve submeter a alteração de configuração de seu Monitoramento na página Scout Config Push para isso ter efeito. Para apagar uma detecção, navegue para sua página Current State (estado atual) clicando no nome da detecção na aba System Details Probes e depois clique em delete probe. Por fim, confirme a remoção Estabelecendo Limites Muitas das probes oferecidas pelo Red Hat Network contêm limites de alerta que, quando 28

32 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite ultrapassados, indicam uma mudança de estado da detecção. Por exemplo: a detecção Linux::CPU Usage (uso da CPU) permite que você defina os limites de CRITICAL e WARNING em relação à porcentagem de CPU usada. Se o sistema monitorado reportar 75 por cento de sua CPU usada e o limite WARNING estiver definido para 70 por cento, a detecção irá para o estado WARNING. Algumas probes oferecem diversos limites como este. Para tirar o máximo proveito de seu direitos a Monitoramento e evitar notificações falsas, a Red Hat recomenda executar suas probes sem notificações durante um tempo para estabelecer um desempenho base a cada um de seus sistemas. Apesar dos valores padrões oferecidos talvez servirem a você, cada empresa possui um ambiente diferente, que pode precisar de alterações dos limites Monitorando o Servidor do Satellite Além de monitorar todos seus sistemas cliente, você também pode usar o Red Hat Network para monitorar seu próprio Servidor Red Hat Network, seja um Servidor Satellite ou Proxy. Para monitorar seu Servidor RHN, encontre um sistema monitorado pelo servidor e clique na aba System Details Probes deste sistema. Clique em create new probe (criar nova detecção) e selecione o Probe Command Group (Grupo de Comando de Detecção) Satellite. Então, complete os campos restantes como você faria para qualquer outra detecção. Consulte a Seção , Administrando probes para mais instruções. Apesar do Servidor do Satellite ou Proxy parecer ser monitorado pelo sistema cliente, na verdade a detecção é executada pelo servidor nele mesmo. Os limites e notificações funcionam normalmente. Nota T odas as probes que requerem conexões ao Red Hat Network monitoring daemon não podem ser usadas no Red Hat Satellite ou num Red Hat Satellite Proxy Server no qual o software de Monitoramento está rodando. Isto inclui a maioria das probes no grupo de comando Linux, assim como as probes (detecções) do Agente de Registros e do Programa Remoto. Use as probes do grupo de comando Satellite para monitorar Red Hat Satellite s e Red Hat Satellite Proxy Servers. No caso de agentes do Proxy, as probes (detecções) são listadas sob o sistema para o qual estão reportando dados Monitoring Se você clicar na aba Monitoring na barra de navegação superior, aparecem a categoria e os links de Monitoring. Estas páginas, que requerem o direito à Monitoring, possibilitam que você veja os resultados das probes que determinou nos sistemas com o direito à Monitoring e administre a configuração da sua infra-estrutura de monitoramento. Inicie o monitoramento de um sistema através da aba Probes (Detecções), na página System Details (Detalhes do Sistema). Veja o Apêndice A, Probes (detecções) para uma lista completa de probes disponíveis Estado de detecção Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring 29

33 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência A página de Probe Status exibe por padrão quando você clica no Monitoring na barra de navegação superior. A página Probe Status (Estado da Probe) apresenta a contagem resumida das probes em vários estados e oferece uma interface simples para localizar rapidamente as probes problemáticas. Note que os totais da detecção nas abas do topo da página talvez não coincidam com os números de probes exibidas nas tabelas abaixo. A contagem do topo inclui as probes de todos os sistemas de sua empresa, enquanto as tabelas exibem as probes somente dos sistemas aos quais você tem acesso, através da função System Group Administrator. Além disso, a contagem das probes exibidas aqui podem estar fora de sincronia por aproximadamente um minuto de diferença. A lista seguinte descreve cada estado e identifica os ícones associados: - Critical - A detecção ultrapassou o limíte crítico. - Aviso (Warning) - A proble ultrapassou o límite de Atenção. - Desconhecido (Unknown) - A probe não é capaz de reportar com precisão dados métricos ou estados. - Pendente (Pending) - A probe foi agendada mas não foi ainda executada ou está incapaz de rodar. - OK - A probe está sendo executado com sucesso. A página Probe Status (Estado da Detecção) contém abas para cada um dos estados possíveis, além de uma aba que lista todas as probes. Cada tabela contém colunas indicando o estado da detecção, o sistema monitorado, as detecções usadas e a data e hora em que o estado foi atualizado pela última vez. Clicar no nome do sistema nestas tabelas, te leva à aba Probes (Detecções) da página System Details (Detalhes do Sistema). Clicar no nome da detecção te leva à sua página Current State (Estado Atual). A partir dali, você pode editar a detecção, apagá-la e gerar relatórios baseados em seus resultados. Dados e informações de estado de detecção do Monitoring que antes era disponível apenas através da interface Web pode agora ser exportado como um arquivo CSV. Clique nos links Baixar CSV encontrados nas páginas do Monitoring para baixar os arquivos CSV contendo informações relevantes. Os dados exportados podem incluir, mas não estão limitados à: Estado do Probe T odas as probes em um certo estado (OK, WARN, UNKNOWN, CRIT ICAL, PENDING) Um histórico de eventos de detecção Status do Probe Critico Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring As probes que ultrapassaram seus limites críticos (CRIT ICAL) ou atingiram este estado através de outras maneiras. Por exemplo, algumas probes tornam-se críticas (ao invés de desconhecidas) ao ultrapassarem seu tempo limite (timeout period). 30

34 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Status do Probe Warning Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring As probes que ultrapassaram seus limites WARNING (aviso) Status do Probe Desconhecido Importante É necessário possuir direitos de serviços de Monitoring para este recurso As probes incapazes de coletar as medidas necessárias para determinar seu estado. A maioria, mas não todas, das probes entram num estado desconhecido quando excedem seu tempo limite. Isto pode significar que o tempo limite deve ser extendido ou que a conexão ao sistema monitorado não pode ser estabelecida. T ambém é possível que os parâmetros de configuração da detecção não estejam corretos e seus dados não possam ser encontrados. Finalmente, este estado pode indicar a ocorrência de um erro no software Status do Probe Pendente Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring As probes cujos dados não foram recebidos pelo Red Hat Network. Este estado é esperado de uma detecção que foi recentemente agendada, mas ainda não foi executada. Se todas as probes recaem num estado pendente, sua infra-estrutura de monitoramento pode estar falhando Status do Probe OK Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring As probes efetuadas com sucesso, sem nenhum erro. Este é o estado desejado para todas as probes Status do Probe Todos Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring Os probes agendados nos sistemas em sua conta, listados em ordem alfabética por nome do sistema. 31

35 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Estado Atual Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring Identifica o estado da detecção selecionada e quando esta foi executada pela última vez, além de oferecer a capacidade de gerar um relatório sobre a detecção. Apesar desta página ser parte integrante do monitoramento, é acessada sob a aba Probes (Detecções), na página System Details (Detalhes do Sistema), já que sua configuração é específica ao sistema sendo monitorado. Para ver um relatório dos resultados da detecção, escolha uma duração relevante usando os campos date (data) e decida se você deseja visualizar os dados das medidas (metric data), o histórico de alteração do estado (state change history) ou ambos. Para obter os dados das medidas, selecione a(s) medida(s) que você deseja ver reportadas e decida (usando as caixas de verificação) se os resultados devem ser exibidos num gráfico, registro de erros (error log) ou ambos. Em seguida, clique em Generate report (Gerar Relatório) no rodapé da página. Se não houver dados para as medidas da detecção, você verá a seguinte mensagem NO DATA SELECTED TIME PERIOD AND METRIC (nenhum dado encontrado para o período de tempo e medidas) Notificação Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring Identifica os métodos de contato estabelecidos para sua empresa. Estes métodos incluem endereços de ou de pager, designados a receber alertas das probes. Há vários métodos de notificação disponíveis à sua empresa, listados na tela Notificação padrão. Os métodos estão listados de acordo com os usuários para os quais se aplicam. Para criar um novo método de notificação, clique no nome do usuário ao qual a notificação será aplicada. Aparece, então, a página User Details Notification Methods do usuário. Clique no título do método de notificação para editar suas propriedades Notificação Filtros Os filtros da notificação permitem criar regras de longo prazo que suspendem, redirecionam ou automaticamente reconhecem notificações padrão ou enviam notificações suplementares. Isto pode ser útil na administração da comunicação de probes detalhadas ou freqüentes Notification Notification Filters Active Filters Esta é a tela dpadrão da aba Notification Filters (Filtros da Notificação). Lista todos os filtros ativos disponíveis à sua empresa. Clique no nome do filtro para editar suas propriedades. Para criar um filtro da notificação, clique no link create new notification filter (criar novo filtro de notificação) no canto superior direito da tela. Configure cada opção listada abaixo e clique no botão Save Filter (Salvar Filtro) para criá-lo. 1. Description (Descrição): Indique um valor que distingua este filtro dos outros. 2. Type (T ipo): Determine a ação do filtro: redirecionar, reconhecer (acknowledge), suspender ou suplementar a notificação recebida. 32

36 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite 3. Send to (Enviar para): As opções Redirect Notification e Supplem ental Notification no passo dois requerem um endereço de para o qual enviar as notificações. As opções restantes não requerem um endereço de Scope (Alcance): Determine quais componentes do monitoramento estão sujeitos ao filtro. 5. Organization/Scout/Probe: Esta opção permite selecionar a empresa, agente(s) ou detecçã(ões) aos quais este filtro se aplica. Para selecionar itens múltiplos da lista, segure a tecla Ctrl enquanto clicar nos nomes do itens. Para selecionar uma gama de itens, segure a tecla Shift enquanto clicar no primeiro e último itens da gama. 6. Probes in State (Probes em Estado): Selecione qual(is) estado(s) da detecção se relacionam ao filtro. Por exemplo: você pode optar por criar uma notificação suplementar somente para probes críticas. Desmarque a caixa à esquerda dos estados que o filtro deve ignorar. 7. Notifications sent to (Notificações enviadas para): Este é o método de envio da notificação, caso não houver nenhum filtro. Você pode, por exemplo, redirecionar a outras pessoas as notificações que normalmente são enviadas a um usuário que saiu de férias, deixando todas as outras notificações da detecção inalteradas. 8. Match Output (Resultado de Correspondencia): Selecione os resultados precisos da notificação indicando uma expressão regular aqui. Se o resultado da "Mensagem:" da notificação não coincidir com a expressão regular, o filtro não é aplicado. 9. Recurring (Recorrente): Selecione se o filtro deve rodar continuamente ou de maneira recorrente. Um filtro recorrente roda múltiplas vezes durante um período mais curto que a duração do filtro. Por exemplo: um filtro recorrente pode rodar 10 minutos por hora entre o horário de início e de fim do filtro. Um filtro não-recorrente roda continuamente entre o horário de início e de fim do filtro. 10. Beginning (Início): Indique uma data e hora para o início da operação do filtro. 11. Ending (Fim): Indique uma data e hora para o fim da operação do filtro. 12. Recurring Duration (Duração Recorrente): Por quanto tempo uma instância recorrente do filtro está ativa. Este campo, aplicável somente a filtros recorrentes, inicia na hora Beginning(Início) indicada acima. T odas as notificações geradas fora da duração especificada não são filtradas. 13. Recurring Frequency (Frequencia de Recorrencia): A freqüência da ativação do filtro. Os filtros de notificação não podem ser apagados. No entanto, um filtro pode ser cancelado ao configurar a data final no passado. (Note que a data final deve ser igual ou posterior à data inicial, caso contrário a alteração falha.) Um outro método é selecionar um conjunto de filtros na página Active (Ativos) e clicar no botão Expire Notification Filters (Filtros de Notificação de Validade) no canto inferior direito. Estes filtros então são cancelados e aparecem na aba Expired Filters (Filtros Expirados) Notificatção Filtros de Notificação Filtros Expirados Esta aba lista todos os filtros da notificação com data final expirada. Os filtros expirados são armazenados indefinidamente; isto permite à empresa reciclar filtros úteis conforme necessário e oferece um registro histórico para a resolução de problemas Conjuntos de Probes Os Conjuntos de Detecções (Probe Suites) permitem configurar e aplicar uma ou mais probes a um sistema ou a um grupo de sistemas. Os Conjuntos de Probes podem ser configurados uma vez e aplicados a diversos de sistemas de uma só vez. Isto resulta em economia de tempo e consistência para clientes com direito à Monitoramento. Para criar e aplicar um Conjunto de Probes, primeiro crie um conjunto vazio e então configure as probes membros. Por fim, aplique o Conjunto aos sistemas selecionados. 33

37 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, selecione o link create probe suite (criar conjunto de probes). Indique um nome distinguível para o Conjunto de Probes. Você também pode escolher adicionar uma breve descrição deste conjunto. Clique no botão Create Probe Suite (criar conjunto de probes) para continuar. 2. Adicione e configure as probes que compõem este Conjunto. Clique no link create new probe (criar nova probe) no canto superior direito. 3. Configure a detecção e clique no botão Criar Probe no canto inferior direito. Repita este processo até adicionar todas as probes (detecções) desejadas. Nota O Sendmail deve ser configurado corretamente no seu Red Hat Satellite e cada sistema cliente no qual o conjunto de probes é aplicado deve ter o daemon rhnmd instalado e ativo. Consulte o Guia de Instalação do Red Hat Satellite para informações adicionais. 4. Na aba "Systems", adicione os sistemas aos quais o Conjunto de Probes se aplica. Clique no link add system s to probe suite no canto superior direito da tela para continuar. 5. A página seguinte exibe uma lista de todos os sistemas com serviços de Monitoramento. Selecione a caixa à esquerda do(s) sistema(s) ao(s) qual(is) deseja aplicar o Conjunto de Probes, selecione o agente de monitoramento (monitoring scout) e clique no botão Add system s to probe suite para completar a criação do Conjunto de Probes. Você pode apagar ou retirar probes do conjunto. Retirar uma detecção desassocia as probes do conjunto e converte-as em probes específicas dos sistemas. Isto significa que as alterações nas probes retiradas afetam somente aquele sistema. Apagar uma detecção remove-a do Conjunto para todos os sistemas. Para remover probes do Conjunto: 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Probes. 3. Selecione a caixa próxima à detecção que deseja remover. 4. Clique no botão Delete probes from Probe Suites (Apagar probes do Conjunto de Probes). Você também pode remover um sistema do Probe Suite (Conjunto de Probes). Há duas maneiras de fazê-lo. O primeiro método é desassociar o sistema do Conjunto de Probes. Neste caso, o sistema ainda tem as mesmas probes atribuídas. No entanto, agora você tem a habilidade para configurar estas probes separadamente sem afetar nenhum outro sistema. Para desassociar um sistema do conjunto: 1. Na página Monitoram ento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Sistem as. 3. Selecione a caixa próxima ao(s) sistema(s) que deseja remover do Conjunto de Probes. 4. Clique no botão Detach System(s) from Probe Suite (Retirar o(s) Sistema(s) do Conjunto de Detecções) O segundo método é remover o sistema do conjunto. Neste método, o sistema é removido do conjunto e 34

38 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite todas as probes ativas são apagadas do sistema. Nota Esta ação apaga todas as probes do sistema no Conjunto de Probes, assim como todos os dados históricos T ime Series e Event Log. Esta ação é irreversível. Para remover um sistema do Conjunto de Probes e apagar todas as probes associadas ao sistema: 1. Na página Monitoramento Conjunto de Probes, clique no título do Conjunto de Probes que deseja alterar. 2. Selecione a sub-seção Sistem as. 3. Selecione a caixa próxima ao(s) sistema(s) que deseja remover do Conjunto de Probes. 4. Clique no botão Rem ove System(s) from Probe Suite (Remover Sistema(s) do Conjunto de Probes). Finalmente, assim como é o caso com probes individuais, você também pode baixar um arquivo CSV contendo informação a respeito de conjuntos de probes. Clique no link Baixar CSV na parte inferior da página Monitoring Conjuntos de Probes para baixar o arquivo Forçar Agente de Configuração Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring Exibe o estado da sua infra-estrutura de monitoramento. Cada vez que você efetuar uma alteração na sua configuração de monitoramento, tal como adicionar uma detecção a um sistema ou editar os limites de uma detecção, você deve reconfigurar sua infra-estrutura de monitoramento. Faça isso selecionando a caixa de verificação do Servidor do Red Hat Network e clicando em Push Scout Configs. A tabela desta página identifica a data e hora de 'pushes' requisitados e completos. Clicar no nome de um servidor abre sua Chave Pública SSH do Red Hat Network Monitoring Daemon. Isto permite a você copiar e colar a chave SSH nos sistemas monitorados pelo agente (scout). Isto é preciso para que o daemon Red Hat Network Monitoring Daemon se conecte ao Satellite Configuração Geral de Monitoramento Importante Para visualizar esta aba é necessário possuir direitos de serviços de Monitoring A página se encontra no Configuração Geral do Monitoring no Admin Red Hat Satellite Configuration Monitoring. Ela coleta informações universalmente aplicáveis à sua infra-estrutura de Monitoring. Modificar qualquer coisa nesta página causa a reinicialização dos serviços de Monitoring no Red Hat Satellite, assim como agenda eventos para a reinicialização dos serviços Monitoring em todos os Red Hat Satellite Proxy Servers com Monitoring que conectam a este Satellite. Isto é feito para que os serviços Monitoring nestes servidores recarreguem sua configuração imediatamente. Normalmente, os defaults providos nos outros campos são aceitáveis, já que derivam da instalação de 35

39 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência seu Satellite. No entanto, você pode usar os campos desta página para alterar a configuração de seu Monitoring. Por exemplo: você pode alterar seu servidor de aqui. Esta página também permite a você mudar o destino de todos os s administrativos do Satellite. Quando terminar, clique em Update Config (Atualizar Configuração) Satellites múltiplos Inter-Satellite Synchronization (ISS) permite que um Satellite sincronize o conteúdo e permissões de outra instância do Satellite em um relacionamento peer-to-peer. No entanto, na seguinte seção, um Satellite que recebe conteúdo será referido como um "Satellite Slave" e um Satellite que age como a fonte onde o conteúdo é obtido, é chamado de "Satellite Mestre". Ao utilizar ISS para sincronizare o conteúdo, a instância do Satellite Escravo (Slave) pode ter uma configuração diferente do Mestre para entidades sem conteúdo como Usuários e Organizações. O Administrador do Satellite na instância do Escravo é grátis, e muda entidades independentemente do que ocorrer na instância Mestre. Nota Mestre e Escravo são termos de legacia que carregam as conotações de não serem forçados pelo protocolo ISS. Por favor mantenha seus significados restringidos em mente, como descrito acima, enquanto estuda esta seção. O recurso do ISS pode ser utilizado em diferentes formas dependendo da necessidade da organização. Existem configurações do ISS onde dois Satellites podem agir como ambos mestres e escravos ao mesmo tempo. Esta seção contém uma seção sobre o uso de casos, e como melhor configurar o ISS para adequar à sua empresa. Requerimentos do ISS Estas são as condições necessárias para poder utilizar o ISS: Dois ou mais servidores Red Hat Satellite Pelo menos um Red Hat Satellite populado com pelo menos um canal Privilégios de Administrador do Satellite em todos os sistems Satellite para ISS Inter-Satellite Synchronization (Sincronização entre Satellites) ISS pode ser configurado manualmente ou por uma ferramenta chamada spacewalk-sync-setup. Ambos os métodos são efetivos, e poderia ser deixado à escolha do usuário sobre qual utilizar Configuração de manual Procedimento 1.1. Configurando o Servidor Satellite Mestre Com o Satellite 5.6, o ISS permite que o Satellite Escravo duplique a hierarquia do trust da empresa e as permissões de canal padronizado a partir de configurações sobre o mestre. Isto é alcançado exportando informações sobre empresas específicas do Satellite Mestre para o Satellite Escravo receptivo. O Administrador do Satellite no Satellite Escravo pode então escolher mapear as Empresas do Master para Empresas Escravs específicas. Futuras operações do satellite-sync usam estas informações para atribuir a propriedade do canal padronizado à Empresa Escrava que é mapeada à Empresa Mestre específica. T ambém é possível mapear os relacionamentos do trust entre Empresas Mestre expostas a combinar empresas Escrava, criando relacionamentos equivalentes no Escravo. 1. Na Interface da Web: 36

40 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite a. Autentique-se como o Administrador do Satellite b. Clique em Admin ISS Configuration Master Setup. c. Do canto direito superior, clique em Add New Slave. d. Preencha as seguintes informações: Nome do Domínio T otalmente Qualificado Escravo (FQDN) Permitir Escravo Sincronizar? - Escolher este campo permite que o Satellite Escravo acesse este Master Satellite. Caso contrário, o ontato com este Escravo será negado. Sincronizar todas as orgs para Escravo? - Escolher este campo irá sincronizar todas as empresas para o Satellite Escravo. Nota Escolher a opção Sincronizar todas as Em presas para o Escravo? na página de Configuração do Mestre irá sobrescrever qualquer empresa selecionada especificamente na tabela de Empresa Local abaixo. e. Clique Create. f. (Opcional) Clique em qualquer empresa local para ser exportado para o Satellite Escravo. g. Clique Allow Orgs. Nota No Satellite 5.5, o Satellite Mestre usado para o parâmetro iss_slaves no arquivo /etc/rhn/rhn.conf para identificar qual escravo deve contatar o Satellite Mestre. O Satellite 5.6 usa a informação na página de Configuração do Mestre para determinar esta informação. 2. Na linha de Comando: a. Habilite o recurso de sincronização inter-satellite (ISS) no arquivo /etc/rhn/rhn.conf: disable_iss=0 b. Salve o arquivo de configuração, e reinicie o serviço httpd: service httpd restart Procedimento 1.2. Configurar Servidores Slaves Os servidores do Satellite Escravo são as máquinas que receberão conteúdo sincronizado a partir do Servidor Mestre. 1. Para tranferir seguramente o conteúdo aos servidores slave, você precisará do certificado ORG- SSL do servidor master. Você pode baixar o certificado por HT T P do diretório /pub/ de qualquer satellite. O arquivo é chamado Red Hat Network-ORG-T RUST ED-SSL-CERT, mas pode ser renomeado e colocado em qualquer lugar no sistema de arquivos local do slave, tal como o diretório /usr/share/red Hat Network/. 2. Autentique-se no Satellite Escravo como Administrador do Satellite. 3. Clique Admin ISS Configuration Slave Setup. 37

41 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência 4. Do canto direito superior, clique em Add New Mestre. 5. Preencha as seguintes informações: Nome de Domínio T otalmente Qualificado do Mestre (FQDN) Default Mestre? Nome de arquivo deste Certificado CA do Mestre - Use o caminho completo do certificado CA baixado no passo inicial deste procedimento. 6. Clique Add New Master. Procedimento 1.3. Realizando uma Sincronização Inter-Satellite Uma vez que os servidores master e slave estiverem configurados, você pode realizar a sincronização entre eles. Inicie a sincronização rodando o comando satellite-sync: satellite-sync -c your-channel Nota Opções de linha de comando que são fornecidas manualmente com o comando satellitesync irão sobrepor qualquer configuração personalizada no arquivo /etc/red Hat Network/Red Hat Network.conf. Procedimento 1.4. Mapeando as Empresas Exportadas do Satellite Mestre para as Empresas do Satellite Escravo Pré-requisito Depois de seguir os procedimentos antes deste, o Satellite Mestre deve exibir a Configuração do Escravo do Satellite Escravo sob Admin ISS Configuration Slave Setup. Caso não aconteça isso, por favor verifique novamente os passo acima. Um mapeamento entre os nomes organizacionais no Satellite Mestre conta com as permissões de acesso do canal serem definidas no Satellite Mestre e propagadas quando o conteúdo é sincronizado em um Satellite Escravo. Nem todas as organizações e detalhes de canais precisam ser mapeados para todos os Satellites Slaves, Administradores de Satellite podem selecionar quais permissões e organizações podem ser sincronizadas, permitindo ou omitindo mapeamentos. Para concluir o mapeamento, siga este procedimento no Satellite Escravo: 1. Autentique-se como o Administrador do Satellite 2. Clique no Admin ISS Configuration Slave Setup. 3. Selecione um Satellite Mestre clicando em seu nome. 4. Use a caixa suspensa para mapear o nome de organização mestre exportada para uma empresa local coincidente no Satelite Escravo. 5. Clique em Update Mapping. 6. Na linha de comando, emita o satellite-sync em cada canal padronizado para obter a estrutura do trust correta e permissões do canal: satellite-sync -c your-channel 38

42 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Configuração Automatizada spacewalk-sync-setup permite aos usuários especificar um mestre e exemplo Satellite Slave e usa arquivos de configuração para configurar as informações descritas tanto no mestre e configuração Slave. Ele pode criar um conjunto de arquivos de configuração padrão, se solicitado. Essencialmente, ele automatiza a configuração mapeada e instalada anteriormente para relacionamentos Master-Slave. Pré-requisitos Para que a configuração automatizada seja bem sucedida: O pacote spacewalk-util precisa ser instalado no sistema que irá emitir o comando spacewalksync-setup. Organizações existentes com permissões personalizadas no Satellite Master devem estar presentes. Organizações existentes dentro do Satellite Slave devem estar presentes. Procedimento 1.5. Configurando o Servidor Satellite Mestre 1. Habilite o recurso de sincronização inter-satellite (ISS) no arquivo /etc/rhn/rhn.conf: disable_iss=0 2. Salve o arquivo de configuração, e reinicie o serviço httpd: service httpd restart Procedimento 1.6. Configurar Servidores Slaves Servidores Satellites Slaves são as máquinas que terão seu conteúdo sincronizado ao servidor master. 1. Para tranferir seguramente o conteúdo aos servidores slave, você precisará do certificado ORG- SSL do servidor master. Você pode baixar o certificado por HT T P do diretório /pub/ de qualquer satellite. O arquivo é chamado Red Hat Network-ORG-T RUST ED-SSL-CERT, mas pode ser renomeado e colocado em qualquer lugar no sistema de arquivos local do slave, tal como o diretório /usr/share/red Hat Network/. 2. Autentique-se no Satellite Escravo como Administrador do Satellite. 3. Clique Admin ISS Configuration Slave Setup. 4. Do canto direito superior, clique em Add New Mestre. 5. Preencha as seguintes informações: Nome de Domínio T otalmente Qualificado do Mestre (FQDN) Default Mestre? Nome de arquivo deste Certificado CA do Mestre - Use o caminho completo do certificado CA baixado no passo inicial deste procedimento. 6. Clique Add New Master. Procedimento 1.7. Mapeando as Empresas do Satellite Mestre para as Empresas do Satellite Escravo com o pacewalk-sync-setup 1. Autentifique-se em um sistema. Não importa se é um Satellite Master ou Satellite Slave ou um sistema diferente, desde que o sistema possa acessar o XMLRPC API público do Master e Slave Satellites. 2. Emita um spacewalk-sync-setup em uma interface de linha de comando: 39

43 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência spacewalk-sync-setup --ms=[master_fqdn] \ --ml=[master_sat_admin_login] \ --mp=[master_sat_admin_password] \ --ss=[slave FQDN] --sl=[slave_sat_admin_login] \ --sp=[slave_sat_admin_password> \ --create-templates --apply Onde: --ms=mast ER, --master-server=mast ER é o FQDN do Master para se conectar ao --ml=mast ER_LOGIN, --master-login=mast ER_LOGIN é o login do Satellite Administrator login para o Master Satellite --mp=mast ER_PASSWORD, --master-password=mast ER_PASSWORD é a senha do login do Satellite Administrator no Master Satellite --ss=slave, --slave-server=slave é o FQDN do Slave Satellite para conectar. --sl=slave_login, --slave-login=slave_login é o login do Satellite Administrator para o Slave Satellite --sp=slave_password, --slave-password=slave_password é a senha para o login do Satellite Administrator login no Slave Satellite --ct, --create-templates é a opção para criar arquivo de configuração do master e slave para o par master/slave que apontamos --apply informa a instância do Satellite a realizar as mudanças especificadas pelos arquivos de configuração para as instâncias de Satellite específicas. Nota Para mais opções de configuração: spacewalk-sync-setup --help O resultado deste comando será este: INFO: Connecting to master-fqdn] INFO: Connecting to slave-fqdn] INFO: Generating master-setup file $HOME/.spacewalk-sync-setup/master.txt INFO: Generating slave-setup file $HOME/.spacewalk-sync-setup/slave.txt INFO: Applying master-setup $HOME/.spacewalk-sync-setup/master.txt INFO: Applying slave-setup $HOME/.spacewalk-sync-setup/slave.txt 3. Na linha de comando, emita o satellite-sync em cada canal padronizado para obter a estrutura do trust correta e permissões do canal: satellite-sync -c your-channel Sincronização Organizacional Sincronização Inter-Satellite também pode ser usada para importar conteúdo para qualquer organização específica. Isto pode ser feito localmente, ou usando a sincronização remota. Esta função é útil para um Satellite desconectado com várias organizações, onde os conteúdos são recuperados através de despejos de canal ou exportando a partir de satélites conectados e, em seguida, importá-lo para o satélite desconectado. Sincronização organizacional pode ser usado para exportar canais 4 0

44 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite personalizados a partir de satélites conectados. Ele também pode ser usado para mover efectivamente o conteúdo entre múltiplas organizações. A sincronização organizacional segue um conjunto de regras claras para manter a integridade da organização fonte: Se o conteúdo fonte pertence a uma organização NULL (que é conteúdo Red Hat), isto fará padrão à organização NULL, mesmo se uma organização destino é especificada. Isto certifica que o conteúdo especificado está sempre na organização NULL privilegiada. Se uma organização estiver especificada na linha de comando, o conteúdo será importado dessa organização. Se nenhuma organização é especificada, então será padrão a organização 1. A seguir estão três exemplos de cenários onde IDs organizacionais (orgid) são usados para sincronizar satellites: Exemplo 1.1. Importar Conteúdo do Master para o Satellite Slave Este exemplo importa conteúdo do master para o satellite slave: satellite-sync --parent-sat=master.satellite.example.com -c channel-name -- orgid=2 Exemplo 1.2. Importar Conteúdo de um Dump Exportado de uma Organização Este exemplo importa conteúdo de um dump exportado de uma organização específica: $ satellite-sync -m /dump -c channel-name --orgid=2 Exemplo 1.3. Importar conteúdo do Red Hat Network Hosted Este exemplo importa conteúdo de um Hosted Red Hat Network (considerando que o sistema está registrado e ativado): $ satellite-sync -c channel-name Casos de Uso do Inter-Satellite Synchronization (Sincronização entre Satellites) O Inter-Satellite Syncronization (ISS) pode ser usado de diversas maneiras, dependendo das necessidades de sua organização. Esta seção fornece exemplos de como você pode escolher o uso do ISS, e os métodos para configurar e operar nesses casos. 4 1

45 Red Hat Satellite 5.6 Guia de Referência Exemplo 1.4. Staging Satellite (Preparação do Satellite) Este exemplo usa um satellite como um staging satellite (teste) para preparar o conteúdo e realizar controle de qualidade dos pacotes para ter certeza que eles estão corretos para uso em produção. Quando o conteúdo é aprovado para produção, o satellite em produção pode sincronizar o conteúdo do satellite em teste. 1. Rode o comando satellite-sync para sincronizar os dados com rhn_parent (normalmente Red Hat Network Hosted): satellite-sync -c your-channel 2. Rode o seguinte comando para sincronizar os dados de um staging server (servidor em teste): satellite-sync --iss-parent=staging-satellite.example.com -c custom-channel Exemplo 1.5. Slaves sincronizados Neste exemplo, o satellite master fornece dados diretamente aos slaves e mudanças são sincronizadas regularmente. 4 2

46 Capítulo 1. Informações do Red Hat Satellite Exemplo 1.6. Conteúdo Personalizado do Slave Este exemplo usa o satellite master como um canal de desenvolvimento, do qual o conteúdo é distribuído para todos os satellites slaves. Alguns dos satellites slave possuem conteúdos extra que não estão presentes nos canais do satellite master. Estes pacotes são preservados, mas todas alterações do satellite master são sincronizadas aos slaves. Exemplo 1.7. Sincronia bi-direcional Neste ambiente, os dois servidores Red Hat Satellite agem como Master e salve entre si e podem sincronizar o conteúdo entre si. O servidor Satellite, onde o satellite-sync é executado irá obter o conteúdo de outro servidor do Satellite e os dados sincronizados dependerá das opções de execução com satellite-sync. Sem nenhuma opção, a sincronização tentará atualizar tudo o que foi previamente sincronizado. Veja Seção , Configuração de manual Para configurar um Satellite Master. Configurar ambos os servidores do Satellite como um Master irá criar uma sincronização bi-direcional. 4 3

Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições

Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições summary_unavailable Edição 1 Landmann Red Hat Portal do Cliente 1 RHN Gerenciamento de Subscrições summary_unavailable Edição 1 Landmann rlandmann@redhat.co

Leia mais

Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial. para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2.

Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial. para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2. Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 JBoss Cache Tutorial para uso com a Plataforma do Aplicativo JBoss Enterprise 5.0 Edição 2.0 Manik Surtani Galder Zamarreño Plataforma do Aplicativo JBoss

Leia mais

Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10

Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10 Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de Lan amento para 5.10 Notas de Lançamento para Red Hat Enterprise Linux 5.10 Edição 10 Red Hat Serviços de Conteúdo da Engenharia Red Hat Enterprise Linux 5 Notas de

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

Red Hat Subscription Asset Manager 1.0 Guia de instala o

Red Hat Subscription Asset Manager 1.0 Guia de instala o Red Hat Subscription Asset Manager 1.0 Guia de instala o Instalando e Usando um Gerenciador de Bens de Subscrição da Red Hat - Red Hat Subscription Asset Manager Edição 1 Sarah Chua Lana Brindley Red Hat

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Landmann Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Landmann rlandmann@redhat.co

Leia mais

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series

Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series Guia de configuração de destinos de digitalização e mensagens de alerta da X500 Series www.lexmark.com Julho de 2007 Lexmark e Lexmark com desenho de losango são marcas registradas da Lexmark International,

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia Red Hat Network Satellite Edição 4 Red Hat Equipe de Documentação Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Refer ncia Red Hat Network Satellite Edição 4 Red

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência. Red Hat Network Satellite

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência. Red Hat Network Satellite Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Guia de Referência Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Referência Red Hat Network Satellite Edição 1 Copyright 2010 Red Hat,

Leia mais

BlackBerry Enterprise Server

BlackBerry Enterprise Server BlackBerry Enterprise Server Versão: 5.0 Service pack: 3 Guia de monitoramento Publicado: 2011-04-02 SWD-1398426-0402045748-012 Conteúdo 1 Solução de monitoramento do BlackBerry Enterprise Server... 5

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Instala o

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Instala o Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Instala o Red Hat Network Satellite Edição 3 Daniel Macpherson Lana Brindley Athene Chan Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Instala o Red Hat Network Satellite

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia Elaborado por: Alexandre Faria de Oliveira Março de 2013 1 P á g i n a Sumário 1. Introdução... 3 2. Visão Geral...

Leia mais

Solução de acessibilidade. Guia do administrador

Solução de acessibilidade. Guia do administrador Solução de acessibilidade Guia do administrador Julho de 2014 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Configurando o aplicativo...4 Configurando o acesso do usuário...4 Desativando funções

Leia mais

Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free

Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free Como atualizar o arquivo de licença do HSC ISS Free Introdução Após instalar a versão gratuita do HSC Internet Secure Suite (HSC ISS Free), o cliente adquiriu uma licença de uso Standard ou Enterprise

Leia mais

Red Hat Subscription Asset Manager 1.1 Guia de instala o

Red Hat Subscription Asset Manager 1.1 Guia de instala o Red Hat Subscription Asset Manager 1.1 Guia de instala o Instalando e Usando um Gerenciador de Bens de Subscrição da Red Hat - Red Hat Subscription Asset Manager Edição 2 Sarah Chua Lana Brindley Red Hat

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia do usuário Publicado: 09/01/2014 SWD-20140109134951622 Conteúdo 1 Primeiros passos... 7 Sobre os planos de serviço de mensagens oferecidos para o BlackBerry

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais

Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite Edição 7 Red Hat Documentation Team Red Hat Network Satellite 5.5 Guia de Administra o de Canais Red Hat Network Satellite

Leia mais

Fedora 14. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas

Fedora 14. Imagens Fedora live. Como utilizar a imagem Fedora live. Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Fedora 14 Imagens Fedora live Como utilizar a imagem Fedora live Paul W. Frields Nelson Strother Nathan Thomas Copyright 2010 Red Hat, Inc. and others. The text of and illustrations in this document are

Leia mais

Geração e instalação de Certificado APNS

Geração e instalação de Certificado APNS Geração e instalação de Certificado APNS Manual Rápido para geração e instalação de um Certificado APNS Apple Versão: x.x Manual rápido MobiDM para Certificado APNS Página 1 Índice 1. CERTIFICADO APNS

Leia mais

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia de administração Publicado: 16/01/2014 SWD-20140116140606218 Conteúdo 1 Primeiros passos... 6 Disponibilidade de recursos administrativos... 6 Disponibilidade

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

Manual de referência do Device Storage Manager

Manual de referência do Device Storage Manager Manual de referência do Device Storage Manager Avisos sobre direitos autorais e marcas comerciais Copyright 2003 Hewlett-Packard Development Company, L.P. É proibida a reprodução, adaptação ou tradução

Leia mais

Seu manual do usuário BLACKBERRY INTERNET SERVICE http://pt.yourpdfguides.com/dref/1117388

Seu manual do usuário BLACKBERRY INTERNET SERVICE http://pt.yourpdfguides.com/dref/1117388 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para BLACKBERRY INTERNET SERVICE. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a

Leia mais

TeamViewer 9 Manual Management Console

TeamViewer 9 Manual Management Console TeamViewer 9 Manual Management Console Rev 9.2-07/2014 TeamViewer GmbH Jahnstraße 30 D-73037 Göppingen www.teamviewer.com Sumário 1 Sobre o TeamViewer Management Console... 4 1.1 Sobre o Management Console...

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma Neste STK apresentaremos como configurar seu servidor Windows 2008 R2 para abrir diretamente sua aplicação ao

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

Usando o Outlook MP Geral

Usando o Outlook MP Geral Usando o Outlook MP Geral Este guia descreve o uso do Outlook MP. Este guia é baseado no uso do Outlook MP em um PC executando o Windows 7. O Outlook MP pode ser usado em qualquer tipo de computador e

Leia mais

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0

Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Software Anti-Spyware Enterprise Module versão 8.0 Guia O que é o Anti-Spyware Enterprise Module? O McAfee Anti-Spyware Enterprise Module complementa o VirusScan Enterprise 8.0i para ampliar sua capacidade

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Expresso Livre Correio Eletrônico

Expresso Livre Correio Eletrônico Expresso Livre Correio Eletrônico 1. EXPRESSO LIVRE Para fazer uso desta ferramenta de correio eletrônico acesse seu Navegador de Internet e digite o endereço eletrônico expresso.am.gov.br. Figura 1 A

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi FACULDADE DE TECNOLOGIA DE OURINHOS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Felipe Luiz Quenca Douglas Henrique Samuel Apolo Ferreira Lourenço Samuel dos Reis Davi ENDIAN FIREWALL COMMUNITY 2.5.1 OURINHOS-SP 2012 HOW-TO

Leia mais

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Importante: as instruções contidas neste guia só serão aplicáveis se seu armazenamento de mensagens for Avaya Message Storage Server (MSS)

Leia mais

Guia do usuário do Cisco Unified MeetingPlace para Outlook versão 8.5 (MeetingPlace Scheduling)

Guia do usuário do Cisco Unified MeetingPlace para Outlook versão 8.5 (MeetingPlace Scheduling) Guia do usuário do Cisco Unified MeetingPlace para Outlook versão 8.5 (MeetingPlace Scheduling) Americas Headquarters Cisco Systems, Inc. 170 West Tasman Drive San Jose, CA 95134-1706 USA http://www.cisco.com

Leia mais

Manual de Instalação da VPN

Manual de Instalação da VPN Manual de Instalação da VPN Windows Vista e Windows 7 Sumário: Manual de instalação da VPN 1. OBJETIVO... 3 2. EFETUANDO O DOWNLOAD DO INSTALADOR DA VPN... 3 3. INSTALANDO A VPN... 6 4. CONFIGURANDO A

Leia mais

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais. Red Hat Network Satellite

Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais. Red Hat Network Satellite Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite 5.4 Guia de Administração de Canais Red Hat Network Satellite

Leia mais

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário BlackBerry Desktop Software Versão: 7.1 Guia do usuário Publicado: 2012-06-05 SWD-20120605130141061 Conteúdo Aspectos básicos... 7 Sobre o BlackBerry Desktop Software... 7 Configurar seu smartphone com

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais

Red Hat Enterprise Linux 6 Administra o de Cluster

Red Hat Enterprise Linux 6 Administra o de Cluster Red Hat Enterprise Linux 6 Administra o de Cluster Configurando e Gerenciando o Componente de Alta Disponibilidade Red Hat Serviços de Conteúdo de Engenharia Red Hat Enterprise Linux 6 Administra o de

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Red Hat Subscription Asset Manager 1.2 Guia de instala o

Red Hat Subscription Asset Manager 1.2 Guia de instala o Red Hat Subscription Asset Manager 1.2 Guia de instala o Instalando e Usando um Gerenciador de Bens de Subscrição da Red Hat ( Red Hat Subscription Asset Manager) - Lançamento Beta Edição 3 Sarah Chua

Leia mais

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível

Versão 1.0 Janeiro de 2011. Xerox Phaser 3635MFP Plataforma de interface extensível Versão 1.0 Janeiro de 2011 Xerox Phaser 3635MFP 2011 Xerox Corporation. XEROX e XEROX e Design são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros países. São feitas alterações periodicamente

Leia mais

Guia do Usuário do Cisco Unified CCX Web Chat Agent e Supervisor Desktop versão 9.0(1)

Guia do Usuário do Cisco Unified CCX Web Chat Agent e Supervisor Desktop versão 9.0(1) Guia do Usuário do Cisco Unified CCX Web Chat Agent e Supervisor Desktop versão 9.0(1) Cisco Unified Contact Center Express Maio de 2012 Matriz Américas Cisco Systems, Inc. 170 West Tasman Drive San Jose,

Leia mais

Google Drive Print. Guia do administrador

Google Drive Print. Guia do administrador Google Drive Print Guia do administrador Março de 2015 www.lexmark.com Conteúdo 2 Conteúdo Visão geral...3 Configuração do aplicativo...4 Adquirindo uma conta do Google...4 Acessando a página de configuração

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação

Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Dell Server PRO Management Pack 4.0 para o Microsoft System Center Virtual Machine Manager Guia de instalação Notas, avisos e advertências NOTA: uma NOTA indica informações importantes que ajudam você

Leia mais

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes.

É o UniNorte facilitando a vida de nossos docentes e discentes. ACESSO REMOTO Através do Acesso Remoto o aluno ou professor poderá utilizar em qualquer computador que tenha acesso a internet todos os programas, recursos de rede e arquivos acadêmicos utilizados nos

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MySQL

Manual de Instalação e Configuração MySQL Manual de Instalação e Configuração MySQL Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: 1. Baixar os seguintes arquivos no através do link http://ip.sysfar.com.br/install/ mysql-essential-5.1.46-win32.msi mysql-gui-tools-5.0-r17-win32.msi

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal)

Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Manual de Utilização do PLONE (Gerenciador de página pessoal) Acessando o Sistema Para acessar a interface de colaboração de conteúdo, entre no endereço http://paginapessoal.utfpr.edu.br. No formulário

Leia mais

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português

Kaseya 2. Guia do usuário. Version R8. Português Kaseya 2 vpro Guia do usuário Version R8 Português Outubro 23, 2014 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as defined in Kaseya s Click-Accept EULATOS as

Leia mais

Manual do usuário do Sistema de mensagens expressas de correio de voz Unity 2.3 da Cisco

Manual do usuário do Sistema de mensagens expressas de correio de voz Unity 2.3 da Cisco Manual do usuário do Sistema de mensagens expressas de correio de voz Unity 2.3 da Cisco Revisão: 1º de agosto de 2006, OL-10499-01 Primeira publicação: 1º de agosto de 2006 Data da última atualização:

Leia mais

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre

Manual. Configuração do. Samba. Compartilhamento e Servidor Samba Linux. Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba Linux Produzido por: Sergio Graças Desenvolvedor do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração do Samba Compartilhamento e Servidor Samba

Leia mais

Guia de instalação e configuração do Alteryx Server

Guia de instalação e configuração do Alteryx Server Guia de referência Guia de instalação e configuração do Alteryx Server v 1.5, novembro de 2015 Sumário Guia de instalação e configuração do Alteryx Server Sumário Capítulo 1 Visão geral do sistema... 5

Leia mais

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update

4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911. Xerox FreeFlow Core Guia de Instalação: Windows 8.1 Update 4.0 SP2 (4.0.2.0) maio 2015 708P90911 2015 Xerox Corporation. Todos os direitos reservados. Xerox, Xerox com a marca figurativa e FreeFlow são marcas da Xerox Corporation nos Estados Unidos e/ou em outros

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

IBM Business Process Manager Versão 7 Release 5. Guia de Instalação do Complemento do IBM Business Process Manager para Microsoft Office

IBM Business Process Manager Versão 7 Release 5. Guia de Instalação do Complemento do IBM Business Process Manager para Microsoft Office IBM Business Process Manager Versão 7 Release 5 Guia de Instalação do Complemento do IBM Business Process Manager para Microsoft Office ii Instalando Manuais PDF e o Centro de Informações Os manuais PDF

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Guia do Produto Revisão A. Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0

Guia do Produto Revisão A. Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0 Guia do Produto Revisão A Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0 COPYRIGHT Copyright 2011 McAfee, Inc. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, transmitida,

Leia mais

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK...

Instalando e Atualizando a Solução... 3. Arquivos de Instalação... 4. Instalação do Servidor de Aplicação... 7. Instalação JDK... Instalando e Atualizando a Solução... 3 Arquivos de Instalação... 4 Instalação do Servidor de Aplicação... 7 Instalação JDK... 7 Instalação Apache Tomcat... 8 Configurando Tomcat... 9 Configurando Banco

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00

AFS para Windows. Iniciação Rápida. Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 AFS para Windows Iniciação Rápida Versão 3.6 S517-6977-00 Nota Antes de utilizar estas informações e o produto a que elas se referem, leia as

Leia mais

Guia Rápido de Instalação

Guia Rápido de Instalação Guia Rápido de Instalação Conteúdo Passo 1 Download dos Arquivos de Instalação Passo 2 Tela de Boas Vindas Passo 3 Termos de Licença Passo 4 Local de Instalação Passo 5 Informações de Registro Passo 6

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. Guia de Instalação do SolidWorks 2009 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.2 PDF-SERVER5-B-Rev1_PT 2006 2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que expressamente concedida por escrito, nenhuma

Leia mais

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento do Jboss do Nimsoft jboss série 1.3 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

BlackBerry Link para Mac OS. Versão: 1.1.1. Guia do usuário

BlackBerry Link para Mac OS. Versão: 1.1.1. Guia do usuário BlackBerry Link para Mac OS Versão: 1.1.1 Guia do usuário Publicado: 15/08/2013 SWD-20130815094443327 Conteúdo Noções básicas...5 Sobre BlackBerry Link...5 Conheça BlackBerry Link... 5 Conectando a BlackBerry

Leia mais

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário

MODEM USB 3G+ WM31. Manual do Usuário MODEM USB 3G+ WM31 Manual do Usuário 2 Tabela de Conteúdo 1 Introdução... 3 2. Instalação... 5 3. Descrição da interface do cliente... 6 4. Conexão... 10 5.SMS... 11 6.Contatos... 14 7.Estatística... 18

Leia mais

Configurando DDNS no Stand Alone

Configurando DDNS no Stand Alone Configurando DDNS no Stand Alone Abra o seu navegador de internet e acesse o endereço http://www.advr.com.tw(ou, http://59.124.143.151 ). Clique em Register para efetuar o cadastro de um novo grupo.(foto

Leia mais

Request Tracker. Manual de Usuário Versão 1.0

Request Tracker. Manual de Usuário Versão 1.0 Request Tracker Manual de Usuário Versão 1.0 ÍNDICE 1. REQUEST TRACKER...3 2. CONCEITOS NO RT...4 2.1. TÍQUETE E FILA...4 2.2. ESTADOS DO TÍQUETE...5 2.3. PRIORIDADE DO TÍQUETE...5 2.4. PESSOAS...6 2.5.

Leia mais

International Syst S/A

International Syst S/A As informações contidas neste documento pertencem à International Syst S/A. Qualquer questão referente à utilização deste documento ou informações contidas no mesmo deverão ser dirigidas à International

Leia mais

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento STCP OFTP Web Admin Versão 4.0.0 Riversoft Integração e Desenvolvimento de Software Ltda Av.Dr.Delfim Moreira, 537 Centro Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais CEP 37540 000 Tel/Fax: 35 3471 0282 E-mail:

Leia mais

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express)

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) A Secretaria de Estado da Educação está disponibilizando uma nova ferramenta para acesso ao e-mail @see. Essa nova ferramenta permitirá

Leia mais

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon MDaemon GroupWare plugin para o Microsoft Outlook Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon Versão 1 Manual do Usuário MDaemon GroupWare Plugin for Microsoft Outlook Conteúdo 2003 Alt-N Technologies.

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Copyright. Isenção e limitação de responsabilidade

Copyright. Isenção e limitação de responsabilidade Manual do SMS Copyright 1998-2002 Palm, Inc. Todos os direitos reservados. Graffiti, HotSync, o logotipo da Palm e Palm OS são marcas registradas da Palm, Inc. O logotipo de HotSync e Palm são marcas comerciais

Leia mais

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Tutorial Hotmail Sobre o MSN Hotmail Acessando o Hotmail Como criar uma conta Efetuando o login Verificar mensagens Redigir

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647

Seu manual do usuário F-SECURE ONLINE BACKUP http://pt.yourpdfguides.com/dref/2859647 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para F-SECURE ONLINE BACKUP. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 09 de julho de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Guia do usuário do Cisco StadiumVision Director Self-Service Content

Guia do usuário do Cisco StadiumVision Director Self-Service Content Guia do usuário do Cisco StadiumVision Director Self-Service Content Primeira publicação: 29/05/2012 Revisão: 16/08/2012 Este guia é destinado a usuários de CSS (Self-Service Content) e descreve como publicar

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DE REDE

MANUAL DO USUÁRIO DE REDE MANUAL DO USUÁRIO DE REDE Armazenar registro de impressão na rede Versão 0 BRA-POR Definições de observações Utilizamos o seguinte ícone neste Manual do Usuário: Observações indicam como você deve reagir

Leia mais

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação.

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação. Este produto pode ser configurado utilizando qualquer navegador web atual, como por ex. Internet Explorer 6 ou Netscape Navigator 7 ou superior. DSL-2730B Roteador ADSL Wireless Antes de começar Certifique-se

Leia mais

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway

Leia mais

Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in

Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in Manual de referência do HP Web Jetadmin Database Connector Plug-in Aviso sobre direitos autorais 2004 Copyright Hewlett-Packard Development Company, L.P. A reprodução, adaptação ou tradução sem permissão

Leia mais

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012 Para WebReporter 2012 Última revisão: 09/13/2012 Índice Instalando componentes de pré-requisito... 1 Visão geral... 1 Etapa 1: Ative os Serviços de Informações da Internet... 1 Etapa 2: Execute o Setup.exe

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: Acesse o seguinte endereço e faça o download gratuito do SQL SRVER EXPRESS, conforme a sua plataforma x32 ou

Leia mais