EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL"

Transcrição

1 EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL Acacia Silva Alcantara Graduanda/UEPB Danielly Muniz de Lima Graduanda/UEPB Glória Mª Leitão de Souza Melo Orientadora/UEPB RESUMO Este trabalho tem por objetivo relatar experiências no Estágio Docente em Educação Infantil, através do componente curricular Estágio III, realizado em duas Creches e Pré-Escolas do Município de Campina Grande PB, nos meses de setembro, outubro e novembro de Este processo é caracterizado pela primeira etapa do estágio, antecedendo a efetiva atuação docente em educação infantil. Assim, a observação do currículo e a prática pedagógica deste nível de ensino, caracteriza a vivência dos/as alunos/as em campo de estágio. As observações ocorreram através de visitas realizadas nas instituições de ensino, conversas com as professoras e funcionários/as relacionadas com seu cotidiano escolar e suas respectivas experiências, e pesquisa bibliográfica sobre o tema. Nessas instituições foi possível observar a estrutura física, e seu funcionamento, a prática das professoras, sua forma de atuar em sala (com ou sem planejamento) e o relacionamento de todos/as os/as funcionários/as com os/as alunos/as. Assim, pretendemos descrever a análise das etapas vividas durante todo período de observação. Diante disto, consideramos de fundamental importância à observação e colaboração realizada durante o período de estágio, pois, sem elas, não teríamos a oportunidade de unir a teoria estudada em sala com a realidade das práticas pedagógicas das instituições visitadas. PALAVRAS-CHAVE: Educação infantil. Estágio. Prática Pedagógica. 1

2 1. INTRODUÇÃO O Estágio é um período de mudança pelo qual passa o estudante em formação. É o local onde a identidade do profissional é construída, cujo objetivo é desenvolver uma aprendizagem vivenciada através de observação e norteada pela ação de alguém mais experiente, mas, com a finalidade de despertá-lo para uma ação reflexiva e crítica construída sistematicamente. Sendo assim, este trabalho objetiva relatar experiências decorrentes do estágio docente em educação infantil, a partir de observações ao cotidiano e ao currículo desse nível de ensino. Trata-se de um estagio que integra o componente curricular, Estágio III, do curso de Pedagogia da Universidade Estadual da Paraíba, o qual foi realizado em duas Creches e Pré-Escolas do Município de Campina Grande PB, nos meses de Setembro, Outubro e Novembro de Este componente curricular caracteriza-se pelo período de observação às práticas curriculares da educação infantil. É um período que representa a primeira etapa do estágio, antecedendo a efetiva atuação docente em educação infantil. Assim, a observação ao currículo e a prática pedagógica deste nível de ensino, caracteriza a vivência dos/as alunos/as em campo de estágio. As observações ocorreram através de visitas realizadas nas instituições de ensino, conversas com as professoras e funcionários/as relacionadas com seu cotidiano 2

3 escolar e suas respectivas experiências, e uma pesquisa bibliográfica sobre o tema. O período de observação das instituições ocorreu desde a estrutura física e funcionamento das mesmas a prática das professoras, sua forma de atuar em sala (com ou sem planejamento) e o relacionamento de todos/as os/as funcionários/as com os/as alunos/as. Assim, pretendemos descrever a análise das etapas vividas durante todo período de observação. 2. OBSERVAÇÕES AO COTIDIANO E ÀS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL A primeira instituição visitada, denominada Instituição I comporta cerca de 82 crianças, mais com capacidade para atender 100. Trabalhando com duas faixas etárias, de 2 a 3 anos na creche e de 4 a 5 anos na pré-escola. No entanto, durante o período da observação, o prédio da creche encontrava-se em reforma. Sendo assim, nosso estagio aconteceu no prédio ao lado da instituição, onde diariamente há distribuição de leite, programa desenvolvido pelo governo do estado. Nesse primeiro momento nossa intenção foi observar o espaço físico, exterior e interior do local. Observamos que o mesmo é composto por duas salas grandes, uma 3

4 onde foi adaptada para atender as crianças da creche (denominada de Maternal I) no primeiro horário e refeitório no segundo horário, a outra sala atende a pré-escola (denominada de pré II) no primeiro horário e no segundo horário é usado como dormitório. Em uma cantina pequena foi adaptada para funcionar outra turma da creche (o maternal II). Além disso há um banheiro uma sala onde funciona a conzinha, um almoxarifado, uma área ao lado da entrada do prédio onde serve para estender algumas roupas (toalhas). A partir do segundo momento, nos detemos a observação da rotina das crianças, que tinha inicio as 7:00hs e o seu termino as 17:00 hs. Durante nossa observação, a instituição não estava funcionando em tempo integral devido as condições físicas do local em que estavam abrigados. No decorrer das visitas percebemos que na Instituição I o cotidiano das crianças, era muito monótono porque não existia espaço para que as elas pudessem desenvolver suas atividades com mais liberdade. Principalmente espaço para recreação. Durante todo o período de observação, só presenciamos uma vez, em que a professora do maternal II levou as crianças pra brincarem e tomarem sol no banco de areia, que fica na creche ao lado. Assim, determinada realidade encontrava-se contraditória no que está posto nos Referenciais Curriculares Nacionais de Educação Infantil - RECNEI: È importante possibilitar diferentes movimentos que aparecem em atividades como lutar, dançar, subir e descer de árvores ou obstáculos, jogar bola, rodar bambolê etc. Essas experiências devem ser oferecidas sempre... ( BRASIL,1998,v3,p.37). Porque de acordo com o documento, o movimento é um dos primeiros eixos de conhecimento que deve ser contemplado na proposta curricular nesta modalidade de ensino. Pois o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil mostra que O Movimento é uma importante dimensão do desenvolvimento e da cultura humana. As crianças se movimentam desde que nascem, adquirindo cada vez maior 4

5 controle sobre seu próprio corpo e se apropriando cada vez mais das possibilidades de interação com o mundo [...] (BRASIL, 1998 p. 15). Pois, em concordância com este documento, é de fundamental importância que os professores contribuam nesse aspecto, referente ao movimento através da psicomotricidade. Atividade pela qual deve fazer parte constantemente do cotidiano escolar em todas as modalidades de ensino e em especial na Educação Infantil. Ao chegarmos nesta instituição, as crianças já estavam na sala trocando de roupa, para em seguida tomarem café, e depois fizeram algumas atividades orientadas pelas professoras. Uma das atividades era com tampinhas de garrafa de várias cores. De acordo com a professora, o objetivo dessa atividade era o de conhecer as cores. Logo após, as crianças foram fazer higiene corporal e em seguida, para o repouso. No dia seguinte elas estavam na sala de aula - algumas assistindo televisão enquanto esperavam a sua vez para trocarem de roupa, para que todas, depois, fossem tomar café. A atividade orientada foi realizada com massinha de modelar. De acordo com a professora o objetivo era desenvolver a coordenação motora. Em outras visitas, encontramos as crianças realizando outros tipos de atividades, como: pintura, desenho, assistindo TV, brincando no tanque de areia, dentre outras. Segundo as professoras. Após essas atividades, as crianças eram sempre encaminhadas para higiene corporal ou para o repouso. As crianças do maternal II realizaram uma atividade de desenho, para desenhar o brinquedo que tinham ganhado de presente no dia das crianças. Após a atividade se lavaram para almoçar e depois foram dormir. Em outro dia, elas se envolveram com a contação de histórias e com a festa em comemoração ao dia da criança. No nosso primeiro dia com a turma pré I e pré II, antes do café, a professora fez uma oração com eles (as). Logo após o café foram fazer uma atividade de pintura. 5

6 Depois a professora os entregou jogos da memória para que eles (as) montassem. No dia seguinte, depois do mesmo procedimento antes do café da manhã, a professora pediu para que eles (as) fizessem um circulo e sentassem para contar histórias a partir de figuras que ela os oferecia. Em seguida foram fazer uma atividade de pintura e logo após foram lavar as mãos para almoçar. Segundo as professoras, é muito complicado trabalhar com as crianças tendo que manté-las sentadas nas mesinhas; por causa das instalações físicas do local como o desnível do piso, pudemos perceber o medo que sentiam ao vê-las correrem, pois poderiam cair e se machucar nos objetos e máquinas encostadas num canto das salas. Pois sabemos que de acordo com os RECNEI: A organização do ambiente, dos materiais e do tempo visa a auxiliar que as manifestações motoras das crianças estejam integradas nas diversas atividades da rotina. Para isso,os espaços externos e internos devem ser amplos o suficientes para acolher as manifestações da motricidade infantil. Os objetivos, brinquedos e materiais devem auxiliar as atividades expressivas e instrumentais do movimento. (BRASIL, 1998, p.39) Quanto à prática pedagógica, percebemos que as professoras do maternal I e II, e o do pré II dos turnos manhã e tarde, apesar das dificuldades enfrentadas por causa da mudança do espaço físico, tinham sempre a preocupação de não perder de vista o foco pedagógico. Percebemos em suas práticas que havia planejamento nas rotinas das crianças. Entretanto, em uma de nossas visitas a turma do pré II /manhã, a professora que estava envolvida em outra atividade referente a semana da criança e para passar o tempo e não atrapalhá-la enquanto ela preparava as decorações da sala para a data comemorativa, distribuiu revistas e pediu que as crianças foliassem. 6

7 No entanto, as crianças fizeram o contrário e começaram a rasgá-las, causando um grande descontentamento por parte da professora, fazendo com que ela pedisse para que nós a ajudássemos. Assim, pudemos desenvolver algumas atividades com as crianças. Então a partir das revistas, mostramos para as crianças como elas poderiam confeccionar brinquedos como a peteca e o barquinho. Em seguida fomos participar das brincadeiras com as crianças. Enquanto ela ( professora ) concluía a tarefa de decoração. Nesse sentido, destacamos que: [...] Prestar atenção a ação da criança em suas atividades, nas atuais práticas pedagógicas, representa, por parte do professor, ou professora, não apenas à consideração a um sujeito ativo com potencialidades, direitos e linguagens que lhes são próprias, mas a consciência de que pela observação atenta a essa criança, que sua ação docente pode ser melhor avaliada e adequada a situações que favoreçam a qualidade do processo de desenvolvimento desse pequeno sujeito [...] (MELO, BRANDÃO, MOTA, 2009, p.130). Como podemos perceber, a partir das autoras acima, nós professores precisamos prestar mais atenção nas nossas praticas pedagógicas, principalmente em nossas crianças. Atenção esta, que deve ser um exercício constante em nossa atividade pedagógica, para assim melhorá-la. 7

8 O final do período de estágio foi realizado em outra instituição, a que denominaremos de Instituição II. Chegamos por volta das 7:00 hs, mas não entramos porque a gestora não se encontrava e os funcionários não permitiram a nossa entrada no local. Após a chegada da gestora, que apesar de dias anteriores nos ter exigido uma declaração da coordenadora das creches para podermos ter acesso a mesma; nos recebeu amistosamente e nos conduziu para conhecermos o espaço físico que atende 63 crianças de três faixas etárias. De ¾ meses e 3 a 11 meses no berçário e 2/3 anos no maternal I. Diferente da instituição I, a rotina das crianças é variada. Essa mesma instituição era composta por: uma sala de estimulação, um dormitório, um berçário, um refeitório, três banheiros - sendo um deles exclusivo para o banho -, um pátio onde ficam expostos os brinquedos como os cavalinhos, escorregos e castelos. E mais uma área de recreação coberta, uma conzinha, uma rouparia, onde é guardada todas as roupas lavadas e passadas, um setor de serviços, uma guarita com banheiro e uma coordenação. Todos os ambientes eram, aparentemente, em perfeitas condições físicas. Na Turma 1 do berçário, percebemos que a rotina deles (as) já tinha sido iniciada, eles (as) já estavam todos no berçário, as duas turminhas juntas, alguns já estavam dormindo nos berços, enquanto outros estavam no chão junto as professoras, que eram três, uma para os bebês de colo, outra para os do maternal I e a terceira para auxiliar o trabalho das professoras. No Maternal I as crianças ficaram um pouco juntas com às do berçário, depois tomaram banho, e em seguida a professora os levou para o refeitório para almoçarem, depois escovaram os dentes e logo após cada um foi pegando as cobertinhas e foram se dirigindo aos berços para dormirem. Quanto aos bebês às professoras pegavam as chupetas e os lençóis de cada um, e um a um eles (as) iam sendo colocados (as) no berço para dormirem. 8

9 Antes de qualquer atividade, há um momento de socialização de todas as crianças do berçário, inclusive dos brinquedos, na hora do banho, na hora de irem dormir, assim, as crianças só se separavam na hora das atividades que são específicas de acordo com cada faixa etária, como também na hora do almoço, porque as criancinhas maiores de 2/3 anos já sentam a mesa para fazerem as refeições, e os bebês precisam que as professoras os alimentem, pois alguns deles usam a mamadeira. Em uma dessas rotinas percebemos que as crianças da instituição II após as refeições, já tinha ao lado do refeitório a piazinha para escovarem os dentes. Que iam uma a uma assim que terminavam as refeições, escovavam os dentes e pegavam as cobertinhas para irem para os berçinhos dormirem, algo que não foi visto na instituição I. Percebemos que na instituição II havia uma preocupação com a socialização e a higienização das crianças desde cedo. O interessante deste contexto do cotidiano da instituição II é que, as professoras valorizavam a questão da socialização entre as crianças. Isso nos chamou a atenção por causa da teoria de Vygotsky, quando ressalta que o desenvolvimento das crianças se da pela interação com o outro e com o meio em que estão expostas. Percebemos que as professoras tinham o domínio da teoria e que por causa disto parecia ser tão fácil a prática pedagógica das mesmas. É preciso, no entanto, entender que a criança é um ser como um todo, que está em pleno desenvolvimento e que deve ser vista como tal; considerando principalmente cada fase pela qual toda criança passa, mas que também é construída mediante as etapas que cada uma delas apresenta, através da interação com o meio, tendo em vista as mudanças que acontece nas sociedades da qual cada uma está inseridas. 9

10 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS Este trabalho nos fez ver e conviver com duas realidades totalmente diferentes, mesmo se tratando de um mesmo tema, a Educação Infantil, bem como também ao atendimento oferecido às crianças. Talvez por fatores externos como é o caso da primeira instituição observada. É que durante o período do nosso estágio, esta (instituição) estava se organizando para receber uma reforma por parte do governo estadual e que até então estavam a espera desses serviços para retornarem as suas instalações. Entretanto pudemos perceber que há falhas no sistema, principalmente em relação ao compromisso com a educação dessas crianças, uma vez que a burocracia ou falta de interesse dos governos responsáveis pela infraestrutura e pela política de funcionamento e atendimento dessas instituições. É aparente o descompromisso político, através da ausência de providências devidas, principalmente no que se refere a reformas em estruturas físicas e a qualificação profissional, bem como a qualidade da educação oferecida às nossas crianças, a exemplo da primeira instituição aqui observada, que tem capacidade para atender 100 crianças, mais por causa da reforma, que até o termino deste trabalho as obras de reformas ainda não tinha sido iniciadas. Isso desfavorece, cada vez mais, o acesso a uma educação de qualidade e a permanência dessas crianças muito mais difícil na escola. Essa dificuldade de acesso e permanência à educação infantil, representa a falta de um atendimento educacional favorável ao desenvolvimento e aprendizagem da criança pequena, o qual é um direito legal da criança, conforme Constituição Federal, que expõe na sessão I da Educação, no seu Art.205. Como também na LDB ( Lei de Diretrizes e Bases ) na sessão II da Educação Infantil no seu Art.29. A educação infantil, primeira etapa da educação, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus 10

11 aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. Após a análise destes documentos, vimos que há uma certa preocupação explicita nos mesmos. Para que todos, pais e educadores possam ver esse sujeito (criança) como um ser completo em todos os seus aspectos, e principalmente respeitando as fases de desenvolvimento dessas crianças, como o próprio texto acima afirma. Em alguns dos momentos de nossas visitas a uma dessas instituições, não tivemos ou não ficou muito clara essa questão. REFERÊNCIAS PIMENTA. S. G. e LIMA. M. S. L. Estágio e Docência. (coleção docência em formação. Series saberes pedagógicos ). São Paulo. Cortez, LIZITA. Verbena Moreira S. de S. SOUSA. Luciana Freire E. C. P. Políticas educacionais, práticas escolares e alternativas de inclusão escolar. In Estágio supervisionado na formação docente. Rio de Janeiro. DP&A, BRASIL. Constituição da República do Brasil. 36 edição Atualizada e Ampliada. São Paulo: Saraiva, (Coleção Saraiva de Legislação). BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil/ Brasília: MEC/SEF, v. 11

12 MELO. G. M. L. S.; BRANDÃO, S. M. B. A.; MOTA, M. S. Ser Criança: Repensando o lugar da criança na Educação Infantil. Campina Grande: ADUEPB, ECA- Estatuto da Criança e do Adolescente. Disponível em 12

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo MATUCHESKI, Franciele Luci PUCPR francielematucheski@yahoo.com.br Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA CYRILO, Silvana Pereira São silvanapscyrilo@gmail.com SAITO, Heloisa Toshie Irie (Orientadora) Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Ao conceber as instituições de Educação Infantil como espaços onde ocorre o processo educativo, processo este pelo qual os homens apropriam-se do desenvolvimento

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA

1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UM OLHAR SOBRE A CRECHE TEREZA GIOIA - CAMPINA GRANDE/PB Carla Priscila Gonçalves Cesário - Graduanda/UEPB Érika Barbosa Santos Graduanda / UEPB Nívia Kaliana da Silva Costa - Graduanda/

Leia mais

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE.

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. Viviane de Almeida Silva (Graduanda em Pedagogia UEPB) Lilian de Araújo

Leia mais

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto Diversos pesquisadores têm

Leia mais

Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB. Camila Matos Viana - Graduanda Pedagogia/UEPB

Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB. Camila Matos Viana - Graduanda Pedagogia/UEPB BRINCANDO TAMBÉM SE APRENDE! CONTRIBUIÇÕES DAS MÚLTIPLAS FORMAS DE BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL E PARA A INTERAÇÃO SOCIAL DAS CRIANÇAS. Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA Thaylisa Almeida Franco 1 Sandra Aparecida Machado Polon 2 RESUMO: Este artigo é resultado do Estágio Supervisionado na Educação Infantil.

Leia mais

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização.

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização. Educação Infantil: Procedimentos Teleaula 1 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Pedagogia (PUCPr) Especialização em Psicopedagogia

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CRUZ, Aline Matos Oliveira ¹ COSTA, Andréia de Oliveira Santos¹ SILVA, Raquel Rodrigues de Andrade ¹ FERREIRA, Jalmira

Leia mais

Relatório de Grupo. 1º Semestre/2015

Relatório de Grupo. 1º Semestre/2015 Relatório de Grupo 1º Semestre/2015 Turma: Maternal B Professora: Larissa Galvão de Lima Professora auxiliar: Giseli Jancoski Floriano Coordenação: Lucy Ramos Torres Professora: Eleonora Dantas Brum Professora

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância

em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância em ação Edição VI Ano III Março de 2013 Nas cores da infância 1 editorial Por Beto Vieira, do Sarte Fique Ligado Assistência técnica aos agricultores Por Jesaias de França, Diretor Executivo Coobtec mata

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 3 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO CAMILA SONALY QUEIROZ TITO¹ MAÍSE RODRIGUES LÚCIO² O presente artigo tem por objetivo levar educadores da Educação Infantil a repensar sobre as concepções e metodologias

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Tatyane Andreza Araújo Santos Graduanda em Pedagogia (UFCG) tatyane-andreza@hotmail.com Luzia Camila Faustino da Costa Graduanda em Pedagogia (UFCG) luziacamilafaustino@hotmail.com

Leia mais

JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RECICLANDO E FAZENDO - DE - CONTA

JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RECICLANDO E FAZENDO - DE - CONTA JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: RECICLANDO E FAZENDO - DE - CONTA Elayne Cristina da Silva Lima (UFAL) Email: laysilvalima@gmail.com Thamires Santana Barros (UFAL) Email:thamsb@hotmail.com Resumo

Leia mais

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI Resumo ATAÍDE, Sandra Terezinha Guimarães 1 - UNIPLAC Eixo Temático: Formação de Professores e Profissionalização

Leia mais

Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283

Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283 O PAPEL DO PROFESSOR E DO AUXILIAR DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL E DO ESTAGIÁRIO: Um diálogo necessário OLIVEIRA, Elisangela 1 SERAFIM, Lindineide 2 OLIVEIRA, Elizabete Gaspar de 3 RESUMO O presente estudo

Leia mais

AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Profa. Bianca das Neves Silva Professora da rede municipal de Jundiaí Profa. Dra. Luciene Farias de Melo Coord. do Curso de Educação Física da Faculdade

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA Resumo Gisele Brandelero Camargo 1 - UEPG Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora:

Leia mais

O desafio de consolidar a condição docente na educação infantil

O desafio de consolidar a condição docente na educação infantil O PROFESSOR E O MUNDO DA ESCOLA artigo Gilson de Almeida Pereira Doutor em Educação pela PUCRS, psicopedagogo clínico e institucional gilsonalmeidapereira@yahoo.com.br 1 O desafio de consolidar a condição

Leia mais

ANINHA, UMA AMIGA ESPECIAL: RESIGNIFICANDO A PALAVRA NEGRO ATRAVÉS DA LUDICIDADE.

ANINHA, UMA AMIGA ESPECIAL: RESIGNIFICANDO A PALAVRA NEGRO ATRAVÉS DA LUDICIDADE. 1 ANINHA, UMA AMIGA ESPECIAL: RESIGNIFICANDO A PALAVRA NEGRO ATRAVÉS DA LUDICIDADE. Livânia Beltrão Tavares Universidade Estadual da Paraíba li.vania@hotmail.com Ana Claudia Dias Ivazaki Universidade Estadual

Leia mais

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo RIBEIRO, Amanda de Cassia Borges - UFSM acbr_amanda@hotmail.com JAHN, Angela Bortoli UFSM abjahn@terra.com.br BELING, Vivian Jamile UFSM

Leia mais

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL ATIVIDADES PERMANENTES PARA APRENDER MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Daniele Barros Vargas Furtado Universidade Federal de Santa Maria dbvfurtado@yahoo.com.br Resumo Sendo a matemática tão presente em

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

Projeto - Profissões. Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos. Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia

Projeto - Profissões. Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos. Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia Projeto - Profissões Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia Duração: 5 semanas Justificativa: Este projeto visa apresentar às crianças

Leia mais

Histórias em Sequência

Histórias em Sequência Histórias em Sequência Objetivo Geral Através das histórias em sequência fazer com que os alunos trabalhem com a oralidade, escrita, causalidade e vivências pessoais. Objetivos Específicos Trabalho envolvendo

Leia mais

BRINCADEIRAS NO PARQUINHO: O ENCONTRO COM AS CRIANÇAS POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

BRINCADEIRAS NO PARQUINHO: O ENCONTRO COM AS CRIANÇAS POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA BRINCADEIRAS NO PARQUINHO: O ENCONTRO COM AS CRIANÇAS POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA RESUMO Eixo 3 Identidades e formação docente Leticia Cavassana Soares 1 Este trabalho apresenta as práticas vivenciadas

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS.

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. Elaine Cristina Rodrigues Gomes Vidal. Gruhbas Projetos Educacionais

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS PROPOSTAS PEDAGÓGICAS PARA A EFETIVAÇÃO DE PRÁTICAS QUE RESPEITEM OS DIRETOS DAS CRIANÇAS.

A IMPORTÂNCIA DAS PROPOSTAS PEDAGÓGICAS PARA A EFETIVAÇÃO DE PRÁTICAS QUE RESPEITEM OS DIRETOS DAS CRIANÇAS. 712 A IMPORTÂNCIA DAS PROPOSTAS PEDAGÓGICAS PARA A EFETIVAÇÃO DE PRÁTICAS QUE RESPEITEM OS DIRETOS DAS CRIANÇAS. Indira Aparecida Santana Aragão ¹, Gilza Maria Zauhy Garms ² ¹ Aluna do curso de Pedagogia

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões)

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões) 1. Paulo Freire na sua concepção pedagógica parte de alguns princípios que marcam, de forma clara e objetiva, o seu modo de entender o ato educativo. Considerando as características do pensamento desse

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL NA CONTEMPORANEIDADE: CONCEPÇÃO E DESAFIO

EDUCAÇÃO INFANTIL NA CONTEMPORANEIDADE: CONCEPÇÃO E DESAFIO EDUCAÇÃO INFANTIL NA CONTEMPORANEIDADE: I ENCONTRO ESTADUAL MEC E MPPE DE EDUCAÇÃO ACESSO E QUALIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM PERNAMBUCO 20.09.2013 Aspectos históricos (tempo recente) Século XX: Os direitos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EM CARÁTER TEMPORÁRIO PARA ATUAR NO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL Nº 02/2013 NOME DO CANDIDATO: Nº DE INSCRIÇÃO: CARGO: AUXILIAR DE CRECHE E BERÇÁRIO

Leia mais

Animação, infantil, escovação, cuidados, dentes, respeito.

Animação, infantil, escovação, cuidados, dentes, respeito. DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S) Os óculos da vovó 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio Os óculos da vovó faz parte

Leia mais

FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA FORMAÇÃO INICIAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM PROGRAMA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Resumo Juliana Silva Cristina 1 - UFU Maria Clara Elias Polo 2 - UFU Grupo de Trabalho - Formação

Leia mais

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL Profª Drª. Altina Abadia da Silva 1 Profª Ms. Heloísa Vitória Castro de Paula 2 Profª Ms. Priscilla de Andrade Silva Ximenes

Leia mais

EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA

EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAMOVIMENTO: PROJETO DE PARCERIA ESCOLA/UNIVERSIDADE/ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA GARANHANI, Marynelma Camargo UFPR marynelma@ufpr.br Área Temática: Profissionalização Docente

Leia mais

HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i

HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i HISTORIANDO GUARIBAS: UMA EXPERIÊNCIA DE ESCOLARIZAÇÃO DO SESC LER i Rozenilda Maria de Castro Silva ii O trabalho que pretendemos socializar é o Projeto Pedagógico Historiando Guaribas, de alfabetização

Leia mais

RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT.

RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT. RESOLUÇÃO N 276/ 2000-CEE/MT. Fixa normas para a oferta da Educação Infantil no Sistema Estadual de Ensino. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições legais, em consonância

Leia mais

ATITUDES INOCENTES QUE REFORÇAM ESTEREÓTIPOS DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ATITUDES INOCENTES QUE REFORÇAM ESTEREÓTIPOS DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL ATITUDES INOCENTES QUE REFORÇAM ESTEREÓTIPOS DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Marcela da Fonseca Lemos Grupo de Pesquisa Linguagem desenhadas e educação ProPEd/UERJ celalora_rj@hotmail.com INTRODUÇÃO O texto

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 UM DIA CHUVOSO NA ESCOLA Hoje amanheceu chovendo muito e o vento soprava forte. A nossa sala estava pronta e arrumada para receber as crianças, mas o mau tempo fez com que elas se

Leia mais

Palavras - chaves: Educação Infantil - Meio Ambiente - Experimentação.

Palavras - chaves: Educação Infantil - Meio Ambiente - Experimentação. MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Mírian Trajano 1 miriantraj@gmail.com Fabrícia Carla de Albuquerque Silva 2 fabriciacarla2007@hotmail.com Cleriston

Leia mais

A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL.

A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL. A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL. Resumo: MIGUEL, Rebeca Signorelli UNICAMP rebs.rebequinha@gmail.com PRODÓCIMO, Elaine UNICAMP elaine@fef.unicamp.br

Leia mais

AÇÕES SOCIAIS LYON ENGENHARIA Nº 001/13

AÇÕES SOCIAIS LYON ENGENHARIA Nº 001/13 Muito se ouve falar na Lyon Engenharia sobre Programa de Ações Sociais. Mas afinal de contas... Quem ajudamos com esse programa? Em que consiste? Quais os custos envolvidos? Quem pode participar? QUEM

Leia mais

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Formação Continuada em Jogos e Brincadeiras na Educação Infantil

Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Formação Continuada em Jogos e Brincadeiras na Educação Infantil MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Formulário de Aprovação de Curso e Autorização da Oferta PROJETO

Leia mais

Educação Infantil. Grupos 1 e 2 Compêndio

Educação Infantil. Grupos 1 e 2 Compêndio Educação Infantil Grupos 1 e 2 Compêndio Apresentação Este documento apresenta aos profissionais da Educação informações a respeito da Coleção de Livros Didáticos destinados aos professores e às crianças

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância nº2 ( Brejo ) Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Agrupamento de Escolas de Samora Correia Direcção Executiva Conselho

Leia mais

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova.

No final desse período, o discurso por uma sociedade moderna leva a elite a simpatizar com os movimentos da escola nova. 12. As concepções de educação infantil Conforme OLIVEIRA, a educação infantil no Brasil, historicamente, foi semelhante a outros países. No Séc. XIX tiveram iniciativas isoladas de proteção à infância

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 88-GR/UNICENTRO, DE 12 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Educação e Formação Empreendedora, modalidade de educação a distância, aprovado pela

Leia mais

Projeto Girassol de Ideias Fábio Pereira da Silva Valéria Cristiani de Oliveira Vivian da Silva Francini

Projeto Girassol de Ideias Fábio Pereira da Silva Valéria Cristiani de Oliveira Vivian da Silva Francini Projeto Girassol de Ideias Fábio Pereira da Silva Valéria Cristiani de Oliveira Vivian da Silva Francini A favor da comunidade, que espera o bloco passar Ninguém fica na solidão Embarca com suas dores

Leia mais

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS

O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS O ENSINO DO HANDEBOL NA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS Resumo Scheila Medina 1 - PUCPR Luís Rogério de Albuquerque 2 - PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Outubro 2013

Atividades Pedagógicas. Outubro 2013 Atividades Pedagógicas Outubro 2013 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. GRUPO III A GRUPO III B GRUPO III C GRUPO III D ATIVIDADES DE SALA

Leia mais

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo.

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo. A OBSERVAÇÃO DA ROTINA ESCOLAR COMO MEIO DE CONHECIMENTO: POSSIBILIDADES FORMATIVAS PARA O FUTURO PROFESSOR, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID. Santos, Vanessa Lago dos Licencianda em Pedagogia,

Leia mais

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO SILVA, Hayana Crislayne Benevides da. Graduanda Pedagogia - UEPB/Campus I hayana_benevides@yahoo.com.br SILVA, Alzira Maria Lima da. Graduanda

Leia mais

BERÇÁRIO HORÁRIOS ATIVIDADES COMPLEMENTOS Ambiente 07 08:00 ás 08:15 Acolhida Musicalidade Ambiente 14 08:15 ás 09:00 Historinhas com Musicalidade

BERÇÁRIO HORÁRIOS ATIVIDADES COMPLEMENTOS Ambiente 07 08:00 ás 08:15 Acolhida Musicalidade Ambiente 14 08:15 ás 09:00 Historinhas com Musicalidade PERÍODO INTEGRAL BERÇÁRIO HORÁRIOS ATIVIDADES COMPLEMENTOS Ambiente 07 08:00 ás 08:15 Acolhida Ambiente 14 08:15 ás 09:00 Historinhas com fantoches Ambiente 14 09:00 ás 09:30 Lanche Ambiente 14 09:30 ás

Leia mais

Avaliação Inicial na Educação Infantil

Avaliação Inicial na Educação Infantil Avaliação Inicial na Educação Infantil - Algumas Considerações Por: Tânia Cunha Constantino Assessora Pedagógica da Educação Infantil Em todo inicio de ano há uma preocupação, necessária, por parte de

Leia mais

Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio Brandl Neto

Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio Brandl Neto O PIBID COMO POSSIBILIDADE COLABORATIVA ENTRE O ENSINO SUPERIOR E A EDUCAÇÃO BÁSICA PARA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Carmem Elisa Henn Brandl Prof. Dr. Inácio

Leia mais

:: NOVA ESCOLA ON-LINE ::

:: NOVA ESCOLA ON-LINE :: Page 1 of 5 Planos de aula Educação Infantil Formação social e pessoal Cuidados Cuidar de si Plano de trabalho Cuidar de si Introdução O bebê humano é dependente de outras pessoas para cuidar de si mesmo.

Leia mais

Palavras-chave: Currículo. Educação Infantil. Proposta Curricular. Políticas Curriculares.

Palavras-chave: Currículo. Educação Infantil. Proposta Curricular. Políticas Curriculares. REFORMULAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE SANTA RITA/PB: o processo de formulação das políticas BARROS, Maria Cristitna de Oliveira Bezerra 1 AMORIM, Ana Luisa Nogueira

Leia mais

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA Profa. Me. Michele Costa (Professora do Curso de Pedagogia das Faculdades COC) CONVERSAREMOS SOBRE: Rotina na Educação Infantil A rotina proporciona à criança

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO Na vida de uma criança, para além do entretenimento, o jogo

Leia mais

Faculdade de São Paulo. Regimento do ISE

Faculdade de São Paulo. Regimento do ISE Faculdade de São Paulo Regimento do ISE 2 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO (ISE) Art. 1. O Instituto Superior de Educação ISE é o órgão responsável pela supervisão dos cursos de licenciatura, zelando pela

Leia mais

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO Resumo MUNIZ, Cláudia Pereira - SME cmuniz@sme.curitiba.pr.gov.br SANTOS, Taís Wojciechowski SME taissantos@sme.curitiba.pr.gov.br Eixo Temático:

Leia mais

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster.

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster. ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO A IDENTIDADE DOCENTE DO LICENCINADO EM PEDAGOGIA Sunária Rodrigues da Silva (sunariasilvagbi@hotmail.com) Maurina Souza Alves (maraalvespma@hotmail.com) Este trabalho

Leia mais

Quem é quem. Eloiza Helena Coordenadora Pedagógica Segmento I. Andréa Cristiani Orientadora Educacional e psicopedagoga Segmento I

Quem é quem. Eloiza Helena Coordenadora Pedagógica Segmento I. Andréa Cristiani Orientadora Educacional e psicopedagoga Segmento I SEGMENTO I Quem é quem. Eloiza Helena Coordenadora Pedagógica Segmento I Andréa Cristiani Orientadora Educacional e psicopedagoga Segmento I ORGANIZAÇÃO DOS SEGMENTOS O Colégio São Geraldo é organizado

Leia mais

O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka.

O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka. 1175 O VERDADEIRO MUNDO DA CRECHE: EDUCAR OU PRESTAR ASSISTÊNCIA? Drielly Adrean Batista, Rita Melissa Lepre, Rodrigo Cesar Costa, Aline kadooka. Programa de pós-graduação em psicologia da Universidade

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL PROPOSTA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL Coordenadora: Sheila Kaltenbacher Arantes A Educação Infantil do Instituto Educacional Jaime Kratz propiciará ao seu(sua) filho(a) situações de cuidados, brincadeiras

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FACULDADE DE MANTENA 2010-2014 Mantena-MG INTRODUÇÃO A Faculdade de Mantena FAMA - é um estabelecimento particular de ensino superior, que visa a atender

Leia mais

PROJETO IDENTIDADE: UM DIÁLOGO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROJETO IDENTIDADE: UM DIÁLOGO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO IDENTIDADE: UM DIÁLOGO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Dandara Queiroga de Oliveira Sousa Ana Luiza Silva Costa Gleidson Patrick Melo de Paula Maria Aparecida Dias

Leia mais

A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP

A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP A PERSPECTIVA FREIREANA NA ARTICULAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS SINOP José Luiz Müller 1 RESUMO Marion Machado Cunha 2 Exte texto tem como objetivo central

Leia mais

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica EDUCAÇÃO E PROFESSOR DIANTE DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Resumo Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Orientadora: Profª Ms. Eliane Brito de Lima- UEPB/PMCG eliabrito@ig.com.br

Leia mais

O PAPEL DO COORDENADOR PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DO COORDENADOR PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 O PAPEL DO COORDENADOR PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Karine Adriana Camilo 1 Sandra Aparecida Machado Polon 2 RESUMO: Este artigo é resultado do Estágio Supervisionado da Educação Infantil, o qual

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas.

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas. REVELANDO SENTIDOS E DESPERTANDO PERTENÇAS: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.639/03 EM UMA ESCOLA DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CAMPINA GRANDE-PB Acacia Silva Alcantara Graduanda Pedagogia UEPB/PROPESQ/PIBIC-Af

Leia mais

Impulsionadas pelo diálogo

Impulsionadas pelo diálogo COR, INFÂNCIA E POLÍTICAS PÚBLICAS Impulsionadas pelo diálogo desenvolvido com os(as) estagiários(as) do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) sobre a condição das escolas de

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1. PERFIL DO CURSO O Curso de Pedagogia da PUC Minas, alinhado com o ideário humanista defendido pela Instituição, compromete-se com

Leia mais

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES: UM OLHAR CRÍTICO Ivone Garcia Barbosa 1 Nancy Nonato de Lima Alves 2 Telma Aparecida Teles Martins 3 RESUMO: O presente estudo teórico apresenta reflexões

Leia mais

VII Mostra de Trabalhos ABC na Educação Científica - Mão na Massa LAVA, LAVA, LAVA

VII Mostra de Trabalhos ABC na Educação Científica - Mão na Massa LAVA, LAVA, LAVA LAVA, LAVA, LAVA Luciana M. M. C. Françoso Luciane Martins Gisele Ap. de Souza Resumo Este projeto foi desenvolvido em uma escola municipal do interior do estado de São Paulo, em uma sala de educação infantil

Leia mais

PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Marta Quintanilha Gomes Valéria de Fraga Roman O planejamento do professor visto como uma carta de intenções é um instrumento articulado internamente e externamente

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM E NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM E NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 O LÚDICO NA APRENDIZAGEM E NO DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 RENK, Eliza Ferreira²; SCHNEIDER, Datiele Denise²; DALLA CORTE, Marilene Gabriel³ ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina

Leia mais

PROJETOS FUMDECA 2015

PROJETOS FUMDECA 2015 PROJETOS FUMDECA 2015 Registro dos Projetos FUMDECA-2015 - TEMÁTICOS PROJETO/ENTIDADE 1: Acompanhamento psicológico à Crianças e Adolescentes vítimas de violência sexual CRAMI Objetivos: Objetivo geral:

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2. EPISÓDIO TRABALHADO Leite, O Meu Melhor Amigo. 3. SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Leite, O Meu Melhor Amigo é um episódio da

Leia mais

Avaliação e observação

Avaliação e observação Avaliação e observação Objetivo da Aula Identifi car o papel da avaliação no processo de ensino-aprendizagem. A avaliação é uma prática social, estamos sempre avaliando, fazendo escolhas. Avaliamos o que

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso 2. EPISÓDIO TRABALHADO O caçador de tesouros 3. SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO O episódio O caçador de Tesouros faz parte

Leia mais

Contribuições da tecnologia assistiva para a prática pedagógica inclusiva na educação infantil

Contribuições da tecnologia assistiva para a prática pedagógica inclusiva na educação infantil Contribuições da tecnologia assistiva para a prática pedagógica inclusiva na educação infantil Fernanda Aparecida de Souza Corrêa Costa (UNESP FC/Bauru) e-mail: nanda_life@yahoo.com.br; Eliana Marques

Leia mais

Orientação às Famílias

Orientação às Famílias Ministério da Educação Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Cartilha Orientação às Famílias Brasília, 10 de agosto de 2012. 1 Presidência da República Ministério da

Leia mais

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas. RELATÓRIO DE GRUPO MATERNAL A 2º SEMESTRE DE 2014 Professora: Jéssica Oliveira Professora auxiliar: Elizabeth Fontes Coordenação: Lucy Ramos Torres Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Leia mais

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES 2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES De acordo com a Abordagem Histórico-Cultural, que fundamenta está proposta, a Instituição de Educação Infantil deverá ser pensada

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa RESUMO Jacyene Melo de Oliveira Araújo Profª Drª UFRN- CE-SEDIS Os Estágios

Leia mais

FORMAÇÃO EM TEATRO E SUA REPERCUSSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATOS DE UMA EXPERIÊNCIA. Roberta Liz de Queiroz Sousa de Deus 1

FORMAÇÃO EM TEATRO E SUA REPERCUSSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATOS DE UMA EXPERIÊNCIA. Roberta Liz de Queiroz Sousa de Deus 1 FORMAÇÃO EM TEATRO E SUA REPERCUSSÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATOS DE UMA EXPERIÊNCIA Roberta Liz de Queiroz Sousa de Deus 1 robertalizqs@yahoo.com.br Universidade Federal de Uberlândia Comunicação - Relato

Leia mais

Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu

Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu PROPOSTA CURRICULAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL CONCEPÇÃO No decorrer do processo sócio-histórico, o homem se humaniza pelas relações sociais que estabelece por meio de sua

Leia mais

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS

A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS A EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS NO CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE MANAUS/AMAZONAS Adriana Teixeira Gomes Jediã Ferreira Lima Rosana Marques de Souza Secretaria

Leia mais

Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil. TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro

Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil. TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL (2010) (p. 19-20) Organização de Espaço, Tempo e

Leia mais

1/5. Parecer CME/005/2007

1/5. Parecer CME/005/2007 PARECER CME/THE Nº. 005/2007 CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE TERESINA Emite parecer favorável à autorização de funcionamento, por um período de quatro anos, do curso de Educação Infantil, do Educandário

Leia mais

PREFEITURA DE ORLEANS CONCURSO PÚBLICO Nº 003/2012 CARGO DE AUXILIAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL

PREFEITURA DE ORLEANS CONCURSO PÚBLICO Nº 003/2012 CARGO DE AUXILIAR DE EDUCAÇÃO INFANTIL CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PREFEITURA DE ORLEANS 1) Nos Centros de Educação Infantil a forma como é feita a acolhida é muito importante, não só para a criança, mas também para os pais. Das alternativas

Leia mais

DAS IMAGENS DAS TELAS ÀS IMAGENS VIVIDAS

DAS IMAGENS DAS TELAS ÀS IMAGENS VIVIDAS DAS IMAGENS DAS TELAS ÀS IMAGENS VIVIDAS Stella Maria Peixoto de Azevedo Pedrosa Doutoranda - Depto. Educação - PUC-Rio Isabel da Silva Lopes dos Santos Professora do Ensino Fundamental INTRODUÇÃO O projeto

Leia mais