NOVAS (?) CONCEPÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO BIOLÓGO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOVAS (?) CONCEPÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO BIOLÓGO"

Transcrição

1 NOVAS (?) CONCEPÇÕES PARA A FORMAÇÃO DO BIOLÓGO

2 HABILIDADES E FORMAÇÃO DO BIÓLOGO de pesquisa planejamento, execução e avaliação para produção de conhecimento; matemáticas uso de técnicas estatísticas para coleta, avaliação de dados lingüísticas e de apresentaçãotécnicas de discussão, de apresentação verbal da língua pátria;

3 HABILIDADES E FORMAÇÃO DO BIÓLOGO em técnicas bibliográficas leitura e busca de informações; em técnicas de observação descrição e registro de dados; metodologias em ciências compreensão das etapas do processo científico, formulação de conceitos... em técnicas de manuseio e preparação de materiais biológicos; em técnicas didáticas uso de instrumentos e técnicas metodológicas da práxis pedagógica

4 HABILIDADES E FORMAÇÃO DO BIÓLOGO NÚCLEOS CONCEITUAIS Biologia Celular, Molecular e Evolução; Diversidade Biológica; Fundamentos das Ciências Exatas e da Terra; Fundamentos Filosóficos e Sociais; Formação Pedagógica

5 Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Habilitar o Biólogo para o ensino da Biologia, capacitando-o para ministrar e planejar aulas, participar na laboração de currículos e demais atribuições relativas ao ensino da Biologia Área de atuação: Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior (pós-graduação)

6 Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas Habilitar o Biólogo para atuar como técnico e/ou pesquisador nos vários campos da Biologia, dentre os quais: Biodiversidade - Botânica e Zoologia (sistemática, anatomia e fisiologia); Ecologia - Biogeografia, Paisagismo, Preservação e/ou Gerenciamento Ambiental, Manejo de Recursos Naturais ; Biologia Molecular, Genética, Biotecnologia e Produção, Biologia Forense, Análises Clínicas, Saúde...

7 PARECER CFBio Nº 01/2010 GT REVISÃO DAS ÁREAS DE ATUAÇÃO Bacharel, como sendo o profissional apto a atuar em pesquisa, projetos, análises, perícias, fiscalização, emissão de laudos, pareceres e outros serviços nas áreas de meio ambiente, saúde e biotecnologia;

8 Os Cursos de Ciências Biológicas no Brasil (Público: 281% e Privado: 576%)

9 Distribuição regional dos cursos de Ciências Biológicas -2000/ N 520% NE 776% S 213% SE 229% C.O. 208% Fonte: INEP/MEC, SIGRAS/Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH, 2011

10 Oferta de vagas nos Cursos de Ciências Biológicas - Panorama Nacional (Público: 148% e Privado: 383%) Fonte: INEP/MEC, SIGRAS/Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH, 2011

11 Quantitativo de Concluintes dos Cursos de Ciências Biológicas (Público: 230% e Privado: 669%) Fonte: INEP/MEC, SIGRAS/Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH, 2011

12 O CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DO IBIO/ UFBA Reconhecimento - Decreto nº de 08/04/ Base Legal: Parecer nº 107/70 Anexa de do C.F.E Em 1968/69 com a reforma universitária e criação dos Institutos Básicos (Portaria nº 261/68) deixa de existir o Curso de História Natural, sendo criado o Curso de Ciências Biológicas - Modalidade: Licenciatura

13 Curso de Ciências Biológicas do IBIO: um pouco da sua história Curso de História Natural - Licenciatura 1968 nasce o Curso de C. Biológicas modalidade: Licenciatura ª reforma curricular regulamentação profissão Elementos norteadores - recente (03/09/1979) regulamentação da profissão de biólogo e a preocupação com o mercado de trabalho - concorrência de outros profissionais da área de saúde no campo do ensino da Biologia.

14 Grande momentos de mudanças As Reformas Curriculares 2ª reforma curricular criação do Bacharelado em duas modalidades: Zoologia com ênfase em Organismos Aquáticos e Ecologia com ênfase em Recursos Ambientais (aprovada pela Câmara de Graduação em 19/11/1986), tendo como critério fundamental foi o perfil técnico científico do corpo docente atuante na época. Elementos Norteadores: florescente mercado de trabalho, por conta do crescimento da indústria pesqueira no Estado e conseqüente diversificação de cultivos de espécies animais de importância econômica; progressiva criação de parques e reservas ecológicas pelo SEMA como a Chapada Diamantina, Raso da Catarina, Una, etc e a consolidação do Pólo Petroquímico de Camaçari e subseqüente impulso na área de Biotecnologia e de Impacto Ambiental.

15 3ª reforma curricular- CURRÍCULO (06/2000 a 19/06/2006) Princípios Norteadores Flexibilidade - menor número de prérequisitos entre os componentes curriculares; Autonomia do Aluno, representada por um maior número de componentes optativos; Interdisciplinaridade - articulação e caráter dos componentes curriculares; Qualidade Acadêmica - garantia de um tronco comum entre as modalidades Bacharelado e Licenciatura representado por 30 componentes curriculares.

16 DESTAQUES DO CURRÍCULO Retirada das ênfases dos Bacharelados Extinção de BIO 155 e BIO 156 e criação de BIOA61- Estágio Curricular Supervisionado (300h 7º semestre) e BIOA62 Trabalho de Conclusão de Curso TCC (204h 8º semestre) para o Bacharelado em Ciências Biológicas. Reordenação das 03 disciplinas da área de Ecologia ( BIO 130 Ecologia Geral, BIO 127 Ecologia vegetal e BIO 140 Ecologia Animal) em duas: BIOA63 Ecologia I e BIOA64 Ecologia II Substituição das disciplinas: FIS 001 Física Geral e Experimental I por FIS A92 Física Geral e Experimental ; GEO 004 Geologia Geral I (102h) e GEO 005 (102) Geologia Geral II por GEOA74 Geologia Geral (68h) Inclusão das atividades de formação complementar, 200h para Licenciatura(diurna), 100h (noturna) e 68h para o Bacharelado em Ciências Biológicas

17 Resolução Nº 7 de 11 Março de 2002 Diretrizes Curriculares- Bacharel em Ciências Biológicas generalista, crítico, ético, e cidadão com espírito de solidariedade; detentor de adequada fundamentação teórica sobre diversidade dos seres vivos, sua organização e funcionamento em diferentes níveis, suas relações filogenéticas e evolutivas, suas respectivas distribuições e relações com o meio em que vivem; consciente da necessidade de atuar com qualidade e responsabilidade em prol da conservação e manejo da biodiversidade, políticas de saúde, meio ambiente, biotecnologia, bioprospecção, biossegurança, na gestão ambiental, tanto nos aspectos técnicos-científicos, quanto na formulação de políticas, e de se tornar agente transformador da realidade presente, na busca de melhoria da qualidade de vida; conduta profissional pautada em critérios humanísticos, compromisso com a cidadania e rigor científico, bem como por referenciais éticos legais; consciente de sua responsabilidade como educador, nos vários contextos de atuação profissional; apto a atuar multi e interdisciplinarmente, adaptável à dinâmica do mercado de trabalho e às situações de mudança contínua do mesmo; preparado para desenvolver idéias inovadoras e ações estratégicas, capazes de ampliar e aperfeiçoar sua área de atuação.

18 DESTAQUES DO CURRÍCULO DA LICENCIATURA Substituição das disciplinas; 1. EDC 140 Didática I por: EDCA11- Didática e Prática Pedagógica I e EDCA12- Didática e Prática Pedagógica II; 2. EDC 201 Metodologia e Prática do Ensino de Biologia I e EDC Metodologia e Prática do Ensino de Biologia II por EDCB33- Didática e Prática Pedagógica de Biologia I e EDCB 34- Didática e Prática Pedagógica de Biologia II Inclusão de EDCA03 Filosofia e Educação (2008.1) e de LET E46 Libras (2009.2) como obrigatórias Manutenção das disciplinas Anatomia I (ICS007); Histologia I (ICS026) e Fisiologia (ICS021) como obrigatórias.

19 Parecer nº CNE/CES 1.301/2001, aprovado em 06/11/2001. A modalidade Licenciatura deverá contemplar, além dos conteúdos próprios das Ciências Biológicas, conteúdos nas áreas de Química, Física e da Saúde, para atender ao ensino fundamental e médio. A formação pedagógica, além de suas especificidades, deverá contemplar uma visão geral da educação e dos processos formativos dos educandos. Deverá também enfatizar a instrumentação para o ensino de Ciências no nível fundamental e para o ensino da Biologia, no nível médio.

20 4ª Reforma Curricular - a mais recente currículo Princípios Norteadores: para contemplar a complexidade dos sistemas vivos, minimizando a fragmentação do conhecimento, buscou-se reforçar uma abordagem a partir do ponto de vista evolutivo, considerando a teoria da evolução como o grande princípio unificador das ciências biológicas

21 DESTAQUES DO CURRÍCULO Reordenação das disciplinas de Diversidade Animal e Diversidade Vegetal Zoologias e Botânicas e de Biologia Molecular e Celular e de Genética Substituição disciplinas BIO A63 Ecologia I e BIOA64 Ecologia por três disciplinas, a saber: BIO... Ecologia I- Ecologia de Indivíduos (34h); BIO... Ecologia II Populações e Comunidades (68h) e BIO...Ecologia III Inclusão de novas disciplinas: Métodos de Estudos, Formulação de Problemas, Estatística,Evolução e de várias optativas

22 DESTAQUES DO CURRÍCULO DA LICENCIATURA Reordenação das disciplinas da formação pedagógica: Didática e Práxis Pedagógica EDC h (EDCA11 e EDCA12): Estágio Supervisionado - 408h - Estágios I, II, III e IV (EDCB33- Didática e Prática Pedagógica de Biologia I e EDCB 34- Didática e Prática Pedagógica de Biologia II) Inclusão de EDCA03 Filosofia e Educação (2008.1) e de LET E46 Libras (2009.2) como obrigatórias Manutenção das disciplinas Anatomia I (ICS007); Histologia I (ICS026) e Fisiologia (ICS021) como obrigatórias.

23 RESOLUÇÃO CNE/CP 2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 I (quatrocentas) horas de prática, como componente curricular, vivenciadas ao longo do curso; II (quatrocentas) horas de estágio curricular supervisionado a partir do início da segunda metade do curso; III (mil e oitocentas) horas de aulas para os conteúdos curriculares de natureza científico-cultural; IV (duzentas) horas para outras formas de atividades acadêmico-científico-culturais.

24 Fluxograma Licenciatura Diurna - Currículo 2011

25 Fluxograma Bacharelado Currículo 2011

26 BIÓLOGO: Profissional do meio ambiente, biotecnologia, saúde e educação

27 Regulamentação da Profissão Lei nº 6684 de 3 de setembro de Conselho Federal de Biologia - Conselho Regional de Biologia Decreto nº de 28 de junho de regulamenta o exercício da profissão de Biólogo

28 Conselho Federal de Biologia CFBIO Conselhos Regionais de Biologia - CRBios Orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício legal da profissão de Biólogo; Contribuir para a formação e aprimoramento dos profissionais, zelando pelo prestígio e bom conceito do profissional e também pela qualidade dos serviços,

29 BIOLOGIA : PROFISSÃO VIDA CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA RESOLUÇÃO Nº 10, DE 5 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre as Atividades, Áreas e Subáreas do Conhecimento do Biólogo. ADMINISTRAÇÃO - Parques, Estações, Herbários, Museus, Jardins Zoológicos e Botânicos... AUDITORIA AMBIENTAL BIOLOGIA ECONÔMICA Paisagismo, Aquicultura, Sericultura, Apicultura, Piscicultura, Carcinocultura, Ranicultura,,Biologia de Pesca, Manejo de animais e espécies vegetais silvestres... BIOLOGIA MARINHA E OCEANOGRAFIA BIOLÓGICA BIOMEDICINA Análises Clínicas, Microbiologia, Parasitologia, Citopatologia e Embriologia, Genética e Fertilidade...

30 BIOLOGIA : PROFISSÃO VIDA CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA RESOLUÇÃO Nº 10, DE 5 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre as Atividades, Áreas e Subáreas do Conhecimento do Biólogo. BIOTECNOLOGIA.BOTÂNICA Sistemática, Anatomia, Fisiologia, Botânica Ornamental, Palinologia, Estudo e Análise de sementes, Hidroponia....CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS Citologia, Embriologia, Anatomia, Histologia....ECOLOGIA Vegetal, Animal, de Solos, Preservação e Conservação de Recursos Naturais, Planejamento Ambiental, Controle da Poluição, Reciclagem de resíduos orgânicos, Controle Biológico...

31 BIOLOGIA : PROFISSÃO VIDA CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA RESOLUÇÃO Nº 10, DE 5 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre as Atividades, Áreas e Subáreas do Conhecimento do Biólogo.. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ECOTURISMO.. GENÉTICA Melhoramento Genético, Aconselhamento Genético, Engenharia Genética, Genética Humana, Genética Molecular.... ZOOLOGIA Sistemática, Anatomia, Fisiologia, Zoologia de Invertebrados e de Vertebrados, Parasitologia, Zoogeografia, Zoologia Econômica...

32 Número de Empresas de propriedade de Biólogos inscritas no CRBio Bahia Piauí Sergipe Paraiba Alagoas R.G.Norte Pernambuco Fonte: CRBio -5ª Região-

33 Empresas de propriedade de Biólogos por área de atividade Análises clínicas Meio Ambiente Paisagismo Controle de Pragas Aquacultura Fonte: CRBio 5ª Região

Matriz 2007... 02. Matriz 2010... 04. Matriz 2013... 07

Matriz 2007... 02. Matriz 2010... 04. Matriz 2013... 07 Página 1 Sumário Matriz 2007... 02 Matriz 2010... 04 Matriz 2013... 07 Página 2 MATRIZ CURRICULAR 2007 1º Período 2º Período 3º Período Biologia Celular 54 Química Geral 54 Zoologia de Invertebrados I

Leia mais

ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia

ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia Anexo 1. Currículo do Curso de Licenciatura em Biologia, iniciado em agosto de 2002. Licenciatura - 1º. Ano - Disciplina Hora Aula Hora Relógio

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO. Biólogos Regulamentação das Atividades VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO Biólogos Regulamentação das Atividades Orientador Empresarial RESOLUÇÃO CFBio nº 227/2010 DOU: 19.08.2010 Dispõe sobre a regulamentação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares para o curso de graduação em Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 27/03/2015 Currículo de Cursos Hora: 09:52:59

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 27/03/2015 Currículo de Cursos Hora: 09:52:59 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Data: 27/03/2015 Currículo de Cursos Hora: 09:52:59 Curso: Ciências Biológicas - Licenciatura - Alegre Nível: Ensino Superior Grau Conferido: Licenciado Pleno em

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA INTA ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA 1º SEMESTRE

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA INTA ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOMEDICINA 1º SEMESTRE 1º SEMESTRE 1.1 Anatomia Humana I 30 15 45 03-1.2 Antropologia Teológica 30-30 02-1.3 Biologia Celular e Molecular 45 15 60 04-1.4 Biossegurança 30-30 02-1.5 Ética, Bioética e Legislação 30-30 02-1.6 Informática

Leia mais

Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso. Missão

Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso. Missão Informações do PPC que constarão na página eletrônica do Curso CURSO: Biomedicina Missão O Curso de Biomedicina tem como missão a formação de um profissional generalista, humanista, crítico e reflexivo

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Ciências Biológicas

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Ciências Biológicas Matriz Curricular: Modalidade: Bacharelado ingressantes a partir de 2012 Semanal s Conjuntas: Módulo I 72 60 72 60 4 72 60 Hora-aula Educação e Saúde: Noções Básicas 36 30 36 30 2 36 30 Planejamento e

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2009 Aprova a estrutura curricular do Curso de do Centro de Educação e Saúde

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MODALIDADE LICENCIATURA janeiro/2011 1 PROJETO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Petrolina-PE 2009.1 1 SUMÁRIO 1. Apresentação... 2. Justificativa... 3. Perfil do Egresso... 3.1 Perfil geral... 3.1Perfil específico... 4. Competências e Habilidades... 4.1

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 23/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Graduação em Engenharia de

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS SETEMBRO/2005 1 Índice 1.

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:09:29 Curso : ENGENHARIA

Leia mais

2º 02T 02P 04 90 horas Vegetais Criptogâmicos. 2º 03T 01P 04 75 horas Zoologia de Invertebrados I SER Elementos de 2º 04T - 04 60 horas inexiste

2º 02T 02P 04 90 horas Vegetais Criptogâmicos. 2º 03T 01P 04 75 horas Zoologia de Invertebrados I SER Elementos de 2º 04T - 04 60 horas inexiste Disciplinas Obrigatórias Código Disciplina Período Créditos Carga Pré-requisito SIE horária Citologia 1º 02T - 02 30 horas inexiste Embriologia 1º 02T - 02 30 horas inexiste 0005 Vegetais 1º 02T 02P 04

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO NOTURNO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO NOTURNO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO NOTURNO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA Reitora: Profª Drª Malvina

Leia mais

PARECER CEE/PE Nº 181/2011-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 12/12/2011 I RELATÓRIO:

PARECER CEE/PE Nº 181/2011-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 12/12/2011 I RELATÓRIO: INTERESSADA: AUTARQUIA BELEMITA DE CULTURA, DESPORTOS E EDUCAÇÃO - ABCDE /CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO SÃO FRANCISCO-CESVASF ASSUNTO: RECONHECIMENTO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 01/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de, na modalidade bacharelado,

Leia mais

Considerando a Resolução Nº 39/99, do CONSEPE/UFPB, que sistematiza a elaboração e reformulação dos projetos pedagógicos; e

Considerando a Resolução Nº 39/99, do CONSEPE/UFPB, que sistematiza a elaboração e reformulação dos projetos pedagógicos; e SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 21/2007 Aprova a estrutura curricular do curso de graduação

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA.

FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA. FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA. Mogi Guaçu SP 2000 OBJETIVOS GERAIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MARIA

Leia mais

AGRONOMIA. COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br

AGRONOMIA. COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br AGRONOMIA COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 65 Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Biomedicina. O Presidente

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE AGRONOMIA

CURRÍCULO DO CURSO DE AGRONOMIA 48 CURSO DE AGRONOMIA COORDENADOR DO CURSO DE AGRONOMIA Valterley Soares Rocha vsrocha@ufv.br Catálogo de Graduação 2002 49 ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro-Agrônomo desempenhar as atividades profissionais

Leia mais

CARGA HORÁRIA. Anatomia Humana I 72 36 36 - Biologia Celular e Genética 72 36 36 - Introdução à Enfermagem 36 36 - Introdução á Filosofia 36 36 -

CARGA HORÁRIA. Anatomia Humana I 72 36 36 - Biologia Celular e Genética 72 36 36 - Introdução à Enfermagem 36 36 - Introdução á Filosofia 36 36 - MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 2012.2 1º SEMESTRE Anatomia Humana I 72 36 36 - Biologia Celular e Genética 72 36 36 - Introdução à 36 36 - Fundamentos Sócio-antropológicos: Cultura e Relações

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR CURSOS DE GRADUAÇÃO

ESTRUTURA CURRICULAR CURSOS DE GRADUAÇÃO ADMINISTRAÇÃO PERÍODO DISCIPLINAS C.H. 1º Antropologia e Sociologia 60 Língua Portuguesa 60 Matemática Básica 60 Metodologia Científica 60 TGA I 60 2º Ciências da Religião 60 Instituições do Direito Público

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso Superior de Licenciatura em. Biologia. na modalidade presencial

Projeto Pedagógico do Curso Superior de Licenciatura em. Biologia. na modalidade presencial Projeto Pedagógico do Curso Superior de Licenciatura em Biologia na modalidade presencial Projeto Pedagógico do Curso Superior de Licenciatura em Biologia na modalidade presencial Área: Ciências da Natureza

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA

CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA CATÁLOGO DO CURSO DE BIOMEDICINA ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Biomedicina Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto Endereço de Funcionamento do Curso: Rua Yvette Gabriel Atique, 45 Bairro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.637, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.637, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.637, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Bacharelado

Leia mais

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP Apresentação ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP A Agronomia está intimamente ligada à produção de alimentos, sejam estes de origem animal ou vegetal. Compete ao Engenheiro Agrônomo produzir, conservar, transformar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO N 09/2006 Aprova a estrutura curricular do curso de graduação em Ciências Biológicas

Leia mais

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br ENGENHARIA FLORESTAL COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br 78 Currículos dos Cursos do CCA UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O Engenheiro estará

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas ORGANIZAÇÃO DO CURSO O curso de Licenciatura em Ciências Biológicas será desenvolvido por meio do ensino presencial, com as seguintes características: Regime escolar: Tempo de Duração: Turno de Funcionamento:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos

MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos PRIMEIRO PERÍODO - PRIMEIRO ANO Sociologia, Antropologia e Filosofia 40 33,33 Iniciação à Pesquisa em Enfermagem 80 66,67

Leia mais

Estrutura Curricular - Vigência a partir do 2º semestre de 2006 (Alteração homologada pela Resolução nº 36 CONSEPE, de 12/12/2008).

Estrutura Curricular - Vigência a partir do 2º semestre de 2006 (Alteração homologada pela Resolução nº 36 CONSEPE, de 12/12/2008). MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA Estrutura Curricular - Vigência a partir do 2º

Leia mais

BASE CURRICULAR 2013 Pré-requisitos CR H/A CH/T CH/P

BASE CURRICULAR 2013 Pré-requisitos CR H/A CH/T CH/P UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO Centro de Ciências da Saúde Curso de Medicina Veterinária Portaria nº 01 06/01/2012 D.O.U.: 09/01/2012 BASE CURRICULAR 2013 CR H/A CH/T CH/P 1º Anatomia

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.998, DE 05 DE JULHO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.998, DE 05 DE JULHO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.998, DE 05 DE JULHO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Engenharia

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012

ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012 ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012 Disciplinas em Seqüência Aconselhada Créditos Carga Per. Obrigatórias Aula Trab. Tot. Horária Ideal 0110113(5) Introdução à Engenharia Agronômica

Leia mais

GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014

GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014 GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014 Disciplinas em Seqüência Aconselhada Créditos Carga Per. Obrigatórias Aula Trab. Tot. Horária Ideal 0110113(5) Introdução à Engenharia Agronômica 2

Leia mais

Currículo do Curso de Enfermagem

Currículo do Curso de Enfermagem ENFERMAGEM 142 Currículos dos Cursos do CCB UFV Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em Enfermagem da UFV apresenta como perfil do formando egresso/profissional o enfermeiro, com formação generalista,

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv. 88 Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

35434 Trabalho de Conclusão I 6º semestre 3549E Estágio Supervisionado I 6º Semestre

35434 Trabalho de Conclusão I 6º semestre 3549E Estágio Supervisionado I 6º Semestre Currículo Novo - 2009/01 Reconhecido pela Portaria Ministerial 1.409, de 19/05/2004. 35332 Bioética e Regulamentação Biomédica - 11184 Anatomia Humana I - 35322 Biossegurança - 11304 Biofísica - 11404

Leia mais

III PROGRAMA DE CADA CURSO OFERECIDO E DEMAIS COMPONENTES CURRICULARES, SUA DURAÇÃO, REQUISITOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO.

III PROGRAMA DE CADA CURSO OFERECIDO E DEMAIS COMPONENTES CURRICULARES, SUA DURAÇÃO, REQUISITOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. III PROGRAMA DE CADA CURSO OFERECIDO E DEMAIS COMPONENTES CURRICULARES, SUA DURAÇÃO, REQUISITOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM MARKETING 1º SEMESTRE

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 07/2009 Aprova a estrutura curricular do Curso de do Centro de Educação e Saúde

Leia mais

Apresentação do novo currículo do Curso de Graduação em Enfermagem. Implantação a partir de 2010

Apresentação do novo currículo do Curso de Graduação em Enfermagem. Implantação a partir de 2010 Apresentação do novo currículo do Curso de Graduação em Enfermagem Implantação a partir de 2010 Matriz Curricular Currículo Novo 1º SEMESTRE Créditos Anatomia Humana I Citologia 02 Embriologia, Genética

Leia mais

CURSO: BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

CURSO: BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO: BACHARELADO EM ADMNSTRAÇÃO Duração: 08 semestres Carga Horária: 3.000 h/a O perfil profissional pretendido pela Faculdade Sete de Setembro FASETE para o Bacharel em Administração é o de um novo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIAS DE 24 DE AGOSTO DE 2005 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : AGRONOMIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 230 Optativos: 10. 1º Semestre

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : AGRONOMIA. CRÉDITOS Obrigatórios: 230 Optativos: 10. 1º Semestre Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:07:30 Curso : AGRONOMIA

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Aprovado pela Resolução nº 42/2010

Leia mais

ANEXO A RESOLUÇÃO Nº. 008/2007. I Departamento de Ciências da Saúde Biológicas e Agrárias - DCSBA:

ANEXO A RESOLUÇÃO Nº. 008/2007. I Departamento de Ciências da Saúde Biológicas e Agrárias - DCSBA: 1/7 ANEXO A RESOLUÇÃO Nº. 008/2007 I Departamento de Ciências da Saúde Biológicas e Agrárias - DCSBA: Área - TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO, Graduação - Engenharia Agronômica (Agronomia), Engenharia Agrícola

Leia mais

Colegiado do Curso de Biomedicina Matriz Curricular 2012.1 2015.2

Colegiado do Curso de Biomedicina Matriz Curricular 2012.1 2015.2 Colegiado do Curso de Biomedicina Matriz Curricular 2012.1 2015.2 1 o SEMESTRE Química Geral e Inorgânica 3 1 4 80 ---- Citologia e Genética 3 1 4 80 ---- Fundamentos de Biomedicina e Ética Profissional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 20/12/2004, seção 1, pág.29. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SERVIÇO SOCIAL

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SERVIÇO SOCIAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL Identificação do Curso SERVIÇO SOCIAL Nome do Curso: Serviço Social Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial Carga horária

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA. Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA. Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE BIOMEDICINA Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Fase Cod. Disciplina P.R Carga Horária Teórica Prática

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA MISSÃO DO CURSO O Curso de Engenharia Ambiental da IES tem por missão a graduação de Engenheiros Ambientais

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA - FASI CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA Autorizada pela Portaria 2857 de 13 de setembro de 2004

FACULDADE DE SAÚDE IBITURUNA - FASI CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA Autorizada pela Portaria 2857 de 13 de setembro de 2004 MATRIZ CURRICULAR PERÍODOS UNIFICADOS - ENTRADA JANEIRO PRIMEIRO PERÍODO CH. Morfologia I 3 2 5 100 Morfologia II 3 2 5 100 Filosofia da Ciência 2-2 40 Introdução e História da Biomedicina 2-2 40 Metodologia

Leia mais

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA (Bacharelado) Aplicada aos Ingressantes a partir de 2011/1 Turnos Integral Matutino/Vespertino e Integral Vespertino/Noturno 1 o Período BIOLOGIA CELULAR

Leia mais

LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES

LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES N 0 de vagas: 50, por curso. Origem das vagas: as vagas autorizadas para o turno da tarde, que não estão sendo oferecida no vestibular normal. Estrutura do curso:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: BIOMEDICINA - GRADUAÇÃO - BACHAREL GRADE: INGRESSANTES 2015/1

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: BIOMEDICINA - GRADUAÇÃO - BACHAREL GRADE: INGRESSANTES 2015/1 Página 1/3 Período: 1 ANATOMIA HUMANA I 72 BIOLOGIA CELULAR 36 BIOSSEGURANÇA 36 CIÊNCIAS SOCIAIS 36 ENADE INGRESSANTE 0 GENÉTICA HUMANA 72 PSICOLOGIA APLICADA A SAÚDE 36 QUÍMICA GERAL E ORGÂNICA 72 Total

Leia mais

Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841

Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841 Portaria Inep nº 232 de 13 de julho de 2010 Publicada no Diário Oficial de 14 de julho de 2010, Seção 1, pág. 841 A Presidente, substituta, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 57/2009/CONEPE Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA 1 RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/015/2011. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA Aprova o Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia/Primeira Licenciatura da Universidade Estadual da Paraíba. O

Leia mais

NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA.

NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA. NOVAS PROPOSTAS DE CURRÍCULOS DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA. MODALIDADES: LICENCIATURA E BACHARELADO COM ATRIBUIÇÕES TECNOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ (UFPI). Resumo Ana Lúcia Nunes Falcão de Oliveira

Leia mais

MATRIZ ENFERMAGEM TEMPO DE DURAÇÃO: 10 PERÍODOS ESTRUTURA CURRICULAR ENFERMAGEM - GRADUAÇÃO - 213

MATRIZ ENFERMAGEM TEMPO DE DURAÇÃO: 10 PERÍODOS ESTRUTURA CURRICULAR ENFERMAGEM - GRADUAÇÃO - 213 MATRIZ ENFERMAGEM TEMPO DE DURAÇÃO: 1 PERÍODOS ESTRUTURA CURRICULAR ENFERMAGEM - GRADUAÇÃO - 213 1º PERÍODO Carga Horária ANÁLISE TEXTUAL OBRIGATÓRIA 36 HISTÓRIA DA ENFERMAGEM OBRIGATÓRIA 36 ANATOMIA SISTÊMICA

Leia mais

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas.

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas- Período Integral NÚCLEO BÁSICO BA281 Anatomia Humana Geral 04 BB281 Bioquímica de Proteínas 04 BB381 Metabolismo 04 BC182 Biologia Celular I 04 BC282 Biologia

Leia mais

A formação profissional de engenharia UFRA. Prof. Sergio Pinheiro

A formação profissional de engenharia UFRA. Prof. Sergio Pinheiro A formação profissional de engenharia agronômica pela UFRA Prof. Sergio Pinheiro O Curso de Agronomia da UFRA Início: 1951 Escola de Agronomia da Amazônia (EAA) Criado pelo Decreto Lei nº. 8.290, de 05.12.1945.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.854 DE 29 DE ABRIL DE 2009

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.854 DE 29 DE ABRIL DE 2009 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.854 DE 29 DE ABRIL DE 2009 Aprova o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br 146 Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 147 Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta

Leia mais

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB;

a Resolução CONSEPE/UFPB nº. 34/2004, que orienta a elaboração e reformulação dos Projetos Políticos Pedagógicos dos Cursos de Graduação da UFPB; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 22 / 2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em, na modalidade

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 Aprova alterações na grade curricular do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas, Ênfase Biologia Marinha e e Ênfase Gestão Ambiental Marinha e. O Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

PUBLICAÇÃO DO RESULTADO DOS PEDIDOS DE DISPENSA DE DISCIPLINAS.

PUBLICAÇÃO DO RESULTADO DOS PEDIDOS DE DISPENSA DE DISCIPLINAS. EDITAL Nº 001/2016 DIVISÃO ACADÊMICA PUBLICAÇÃO DO RESULTADO DOS PEDIDOS DE DISPENSA DE DISCIPLINAS. O Chefe da Divisão Acadêmica, Prof. Darci José Pedrozo, no uso de suas atribuições e tendo em vista

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: FARMÁCIA - GRADUAÇÃO - BACHAREL GRADE: INGRESSANTES 2015/1

MATRIZ CURRICULAR Página 1/3 CURSO: FARMÁCIA - GRADUAÇÃO - BACHAREL GRADE: INGRESSANTES 2015/1 Página 1/3 Período: 1 ANATOMIA HUMANA I 72 BIOLOGIA CELULAR 36 BIOSSEGURANÇA 36 CIÊNCIAS SOCIAIS 36 ENADE INGRESSANTE 0 GENÉTICA HUMANA 72 PSICOLOGIA APLICADA A SAÚDE 36 QUÍMICA GERAL E ORGÂNICA 72 Período:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER CNE/CES 1.301/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em04/12/2001, publicado no Diário Oficial da União de 7/12/2001, Seção 1, p. 25. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA COORDENADOR Lúcio Paccori Lima lucio.lima@ufv.br 68 Currículos dos Cursos UFV ATUAÇÃO O curso de Licenciatura em Matemática oferece ao estudante a oportunidade de obter ampla

Leia mais

Matriz Curricular do curso de FARMÁCIA da Faculdade Santa Rita - FaSaR

Matriz Curricular do curso de FARMÁCIA da Faculdade Santa Rita - FaSaR 1º Período SEMANAL Introdução às Ciências Farmacêuticas 02-02 40 Anatomia Humana I 02 02 04 80 Citologia e Histologia 02 02 04 80 Química Geral e Inorgânica 02 02 04 80 Física Aplicada à Farmácia 02-02

Leia mais

Edital N 59/2013. Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. ANEXO I (Retificado) CARGOS E VAGAS

Edital N 59/2013. Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. ANEXO I (Retificado) CARGOS E VAGAS Cód. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Áreas de Atuação / Conhecimento Edital N 59/2013 Concurso

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO A Biologia tem como objeto de estudo o fenômeno Vida, contribuindo para formar sujeitos críticos e atuantes, por meios dos conteúdos que ampliem seu

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE Ministério da Educação CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 2, DE 27 DE SETEMBRO DE 2013 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Relações

Leia mais

Isto inclui o desenvolvimento de processos condizentes com a elaboração e a obtenção de produtos de interesse para as seguintes áreas:

Isto inclui o desenvolvimento de processos condizentes com a elaboração e a obtenção de produtos de interesse para as seguintes áreas: 1 4 - Seu Curso 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso É apresentada a importância crescente da Biotecnologia e os reflexos no campo de atuação de seus profissionais, em áreas como engenharia genética,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 21/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Ciências Biológicas, modalidade

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) ANATOMIA HUMANA CH 102 (2372) Estudo morfológico dos órgãos e sistemas que constituem o organismo humano, com ênfase para os

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM MATRIZ CURRICULAR

CURSO: ENFERMAGEM MATRIZ CURRICULAR 1º PERÍODO 2012/1 CURSO: ENFERMAGEM MATRIZ CURRICULAR Metodologia Científica Português Anatomia Humana 6 120 100.00 Introdução a Citologia Projeto Integrador Atividades Complementares - 40 33.20 () 20

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR. Patologia Clínica Veterinária

MATRIZ CURRICULAR. Patologia Clínica Veterinária MATRIZ CURRICULAR No Quadro II está apresentada a estrutura curricular do Curso de Medicina Veterinária da FATENE, distribuída de acordo com os conteúdos essenciais profissionais, definidos pelo Parecer

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA BACHARELADO PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO

Leia mais

ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013.

ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013. ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013. Vera Rejane Coelho, Pró-Reitora de Ensino da Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO: 1. a necessidade de

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 01/2008 Aprova a estrutura curricular do Curso de Graduação em Licenciatura

Leia mais

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR EDITAL 162/2013 Curso Sem. Disciplina Perfil do Docente Administração 1º Teoria Geral da Administração Administração 1º Empreendedorismo Administração 1º Sociologia das Organizações

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO 2014/1

MANUAL DO CANDIDATO 2014/1 MANUAL DO CANDIDATO 2014/1 UNIDADE BUENO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EDUCAÇÃO FÍSICA ENGENHARIA AMBIENTAL JORNALISMO PUBLICIDADE E PROPAGANDA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS UNIDADE CENTRO ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Leia mais

Edital N 59/2013. Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico RELAÇÃO CANDIDATO / VAGA

Edital N 59/2013. Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico RELAÇÃO CANDIDATO / VAGA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital N 59/2013 Concurso Público para Provimento de Cargos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.989, DE 10 DE JUNHO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.989, DE 10 DE JUNHO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 3.989, DE 10 DE JUNHO DE 2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Objetivos do Curso Curso da área da saúde, centrado nos aspectos ergonômicos e sociais da atividade humana. Visa à formação

Leia mais

No Anexo 03 referente ao perfil profissional exigido, ONDE SE LÊ:

No Anexo 03 referente ao perfil profissional exigido, ONDE SE LÊ: RETIFICAÇÃO DO EDITAL 08/2014 DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUE ATUARÃO NO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC/MEC DA ESCOLA AGRÍCOLA

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais