OS DOIS LADOS DA CÂMERA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS DOIS LADOS DA CÂMERA"

Transcrição

1 OS DOIS LADOS DA CÂMERA Tão forte quanto a palavra pode ser o silêncio sobretudo quando é contraposto a ela. É perturbador. Eduardo Coutinho No dia 28 de fevereiro, no Largo de São Francisco centro do Rio de Janeiro, encontrei-me com o documentarista Eduardo Coutinho para uma entrevista. Esse encontro para mim significava aprofundar um pouco mais alguns papos que tenho alimentado há anos. Seja quando nos falamos, seja quando me embrenho por seus filmes, seja quando leio sobre seu trabalho ou quando nos resvalamos em seus momentos de agonia das horas de montagem de um novo documentário. Horas em que Coutinho nos dá a sensação de ser de grande sofrimento, mas como diria o Romildo 1 - não um sofrimento assim medonho, mas sim um sofrimento mais leve, mais maleável: um sofrimento satisfatório. Nossa conversa durou cerca de três horas, entrecortada por telefonemas, entradas e saídas de pessoas na sala em que estávamos 2. Coutinho falou com abundância, mas que tivemos que editar e aí o resultado é sempre passível de injustiças, pois a edição é sempre uma versão, entre tantas possíveis. Mas o mais importante não é apenas a versão mas o que pode ser feito com ela no sentido das várias possibilidades de leituras, associações, recortes, enfim, novas edições. Vamos a conversa. Valter Filé - A primeira coisa que eu gostaria de saber, para usar um bordão 3 seu, é saber como é ser cineasta, se é bom ser cineasta? * Fonte: FILÉ, Valter (org.). Batuques, Fragmentações e Fluxos. Rio de Janeiro: DP&A, p A gravação foi feita no Cecip Centro de Criação de Imagem Popular, onde Coutinho têm trabalhado os últimos anos 3 O bordão fala já dá pistas de como Coutinho se introduz num encontro. Essa abordagem é de uma importância capital para entendermos seu método de trabalho que se baseia num profundo respeito à singularidade do personagem, uma vez que na pergunta está a possibilidade de revelação deste personagem. Para explicar melhor vou recorrer ao documentário Boca de Lixo, que foi filmado num lixão da periferia do Estado do Rio de Janeiro. Eduardo Coutinho faz a seguinte pergunta: Como é que é aqui, é bom ou é ruim? Ou seja, a despeito de todas as certezas que se pode ter sobre uma situação que supostamente já está definida a priori, dar chance de que as pessoas falem e que possamos vislumbrar para além do que a vista alcança. No caso de Boca de Lixo, várias respostas confirmam a confiança do diretor uma delas responde Trabalhar aqui é melhor do que trabalhar em casa de madame!

2 Eduardo Coutinho Se é bom ser cineasta? Nunca fui outra coisa, fui jornalista pouco tempo... é, acho que é bom. Acaba se convertendo em destino. Não importa que seja arte, se você. faz e gosta de fazer e supostamente você. faz melhor que outras coisas, acaba sendo destino. VF Na verdade eu quero mesmo é falar com você sobre a linguagem. Não importa o formato, ou suporte se é cinema ou vídeo. Você filma, ou você faz documentário prá quê e por quê? EC (pausa) É uma coisa que me dá prazer e eventualmente posso até ganhar a vida fazendo. Embora as vezes tenha que fazer documentários encomendados pro serviço público, que são militantes porque na verdade você tem que fazer institucionais de esquerda, e isto te limita pois antes de se começar você já vai sabendo onde vai chegar, onde você tem que chegar. Os institucionais tem que ser uma coisa positiva e você não pode problematizar nada. Mas isso daí te ajuda a viver. Então porque que eu faço estes institucionais? Prá sobreviver. E na verdade quando eu consigo fazer um documentário e sobreviver, é um prêmio, é um prazer. É uma coisa que você não precisaria nem ser pago se você pudesse porque se tem prazer de fazer, porque se você não tiver prazer em fazer, prá que fazer? Quer dizer, não se trata só de fazer cinema, prá mim eu tenho que escolher um projeto que eu sinta que é essencial prá mim. E essencial por que? Porque os outros não vão fazer. A primeira coisa essencial é essa. O Santo Forte 4, eu sabia que ninguém ia fazer. Quem é que quer ouvir as pessoas, trabalhar a imagem, trabalhar a palavra do jeito que eu trabalhei, renunciando a estética da arte? Quase ninguém. E alguns que poderiam querer não podem. Se eu fizesse ficção seria o mesmo. Você chega numa idade na sua vida que se não for uma coisa absolutamente necessária prá você fazer e só você pode fazer, prá que fazer, se é uma coisa que cinqüenta pessoas podem fazer? O Caso do Cabra 5 é assim, só eu podia fazer porque eu estava envolvido na história. VF Só você. poderia fazer qual Cabra, o primeiro ou o segundo 6? EC O segundo. O primeiro qualquer um poderia fazer, mas o segundo era projeto meu, a idéia era minha eu estava envolvido na historia, era uma coisa visceral. 4 Documentário realizado basicamente só com depoimentos de moradores de uma favela da zona sul do Rio de Janeiro, sobre a religiosidade. 5 Cabra Marcado Para Morrer, filme que se tornou um clássico do documentário no Brasil. 6 Esta referência de primeiro e segundo não significa que existam dois filmes, mas que o filme foi realizado em duas etapas distintas. A primeira etapa no período da ditadura militar e outra dezessete anos depois. As primeiras gravações seriam baseadas na encenação da morte de um líder camponês, onde os atores eram as pessoas que conviveram com a vítima, ou sabiam do caso. Esta produção teve seu trabalho interrompido quando a equipe foi perseguida pela ditadura tendo que fugir apressadamente do local das gravações deixando vários materiais da filmagem escondidos. Na segunda etapa Coutinho vai recuperar a historia das pessoas que haviam participado da primeira etapa. O filme mostra uma parte da historia recente do Brasil, a partir dos rumos que haviam tomado a vida das pessoas envolvidas.

3 Os outros projetos são menos viscerais, mas também são viscerais no sentido de que, eu vou fazer o Lixo 7, não quero fazer uma coisa que já foi feita. Nem melhor nem pior. Quero fazer uma coisa que não foi feita e que eu posso fazer e eu acho essencial fazer para mim e pros outros. Pros outros por quê? Vai mudar o mundo? Não, não vai nada. Nenhum filme muda o mundo. Essa visão eu tenho inteiramente e nem estou a fim de mudar o mundo pelo fato até de que seja impossível, mas pelo fato de fazer um filme sobre o lixo, ou qualquer outro assunto destes, a médio prazo, de uma forma muito mediata, terá um efeito pros outros no sentido de conhecer o mundo, só isso. Quem faz um filme hoje não pode ter certeza de transformar e segundo porque você não pode transformar direito aquilo que você não conhece. Então você pode conhecer melhor qual é a mentalidade popular no Brasil sobre um catador de lixo e auxiliar o conhecimento de Brasil. VF O que você diria da atitude de cineastas que pretendem transformar o mundo? EC Primeiro é uma coisa voluntarista, onipotente e autoritária e pode ser pior. Tem gente que quer transformar o mundo e já quer transformar os personagens dos documentários que fazem. Em que sentido? Procuram aqueles personagens que pensem de acordo com aquela idéia transformadora que ele documentarista tem na cabeça, que eventualmente pode não ser a de outros. Até no processo do filme tentam transformar efetivamente os personagens, entende? Quando eu faço um filme, meu problema não é transfomá-los (os personagens) em nada. Pode ser até que, ao falar com ele e ele falando comigo, um discurso irrevelado surja pra ele e que ele mude alguma coisa mas, a minha função é simplesmente ser um mediador. Ser um mediador daquilo que ele pensa sobre ele e sobre o mundo. VF Coutinho você fala na revista Palavra, que tem muito respeito pelos personagens que você grava mas que não quer ficar amigo nem nada. Como você explica o caso da. Elizabete 8? EC O caso da Elizabete é diferente. Da. Elizabete mora muito longe, eu telefono no Natal e acho que foi um filme crucial na minha vida e eu espero que tenha sido na vida dela também. Os outros não, é totalmente diferente da relação dos personagens de Santo Forte, Não que eu não queira ficar amigo, mas não é pelo fato de ter feito um filme que eu vou ficar amigo. Primeiro porque eu sei o abismo que nos separa. Assim também porque tem gente que no filme que são generosos são maravilhosos, são maravilhosos pra mim, pro público e pra eles também, mas de repente se eu fosse conviver eu não agüentaria três dias. Têm um cara que eu convivi um hora com ele durante as filmagens que foi maravilhoso se eu tivesse que ficar o dia inteiro com ele eu não ia agüentar. O que eu posso ter prá conversar com essas pessoas se eu não sou assistente social nem freira? (risos). 7 Boca de Lixo documentário realizado no lixão de Itaocara em São Gonçalo - RJ. 8 Da. Elizabete é a personagem central de Cabra Marcado Para Morrer.

4 Eu tento ser o mais amável possível sem ser subserviente ou superior nas filmagens. Meus filhos devem até sentir ciúmes porque eu não sou amável com eles, nem com os colegas de trabalho, mas na filmagem eu sou. Só não vou dizer, quando terminar as filmagens: Da. Teresa a gente nunca vai se separar! Isso eu não digo. Continuo a gostar dela, se encontrá-la vai ser o maior prazer, mais isto eu não digo. Na verdade antes de filmar ou durante a filmagem eu nunca digo eu sou igual a você., tá? Eu não me visto de farrapos para falar com mendigos, eu não finjo que sou nordestino prá falar com nordestinos. Então, a partir dessa diferença, de que eu sou socialmente outro, superior socialmente ao que a pessoa na frente da câmera é. Além de que você tem o poder da câmera e ela não tem poder. A partir desta diferença bem estabelecida pode haver uma igualdade temporária e utópica. Então isso também funciona prá depois da filmagem. Ah os abismos estão transpostos! isso é falso. Pode haver excepcionalmente, mas é falso. Quando você se aproxima das pessoas para fazer uma filmagem não dissolve a profunda diferença social, econômica e cultural que existe entre você e o outro. Eventualmente acontece da pessoa até casar com a outra. Eu casei com uma mulher que trabalhava servindo à mesa, numa ficção que eu estava fazendo. Poderia ser num documentário e eu estar entrevistando. Na ficção é mais normal. Ela estava trabalhando lá, eu conheci, casei. Mas no documentário guardar as distancias prá mim é fundamental. Você não pode estar muito próximo nem muito distante. Isso de chegar dar beijinho ou então chegar pro índio e dizer você índio que é bom e puro e eu sou um filho da puta, diz pra mim toda a verdade (risos), isso daí é detestável! Os anos sessenta em geral e particularmente o Cinema Novo tinha uma onipotência, os filmes eram feitos para mudar o mundo e tal, sabe? Tinha uma onipotência com toda carga de autoritarismo que a onipotência tem. Os filmes eram grandiosos na época porque era a onipotência da época mudar o mundo, mudar o cinema. Daí veio 68 e o cinema marginal disse: não, isso aqui não tá mudando nada, vamos esculhambar o mundo, então foi o niilismo, que também teve o seu papel na época. Eu acho que quando eu fiz o Cabra, que é uma reflexão sobre os anos 60, o que é interessante é o seguinte, nem onipotente nem impotente, porque esculhambar é ser impotente e aceitar a impotência. Em essencial é o seguinte, aceitar sua relativa potência. Ser humilde, enquanto intelectual, enquanto artista enquanto ser humano, aí começa o problema. Tirar toda utopia do tipo, o mundo vai ser justo, o mundo vai ser igualitário. Não sei, esta pode não ser a minha pauta, eu não vou me pautar por isso. Eu vou me pautar por fazer uma coisa enquanto o mundo é hoje. Se eu o torno melhor é por ser conhecido. Melhor, não é ótimo. Nada que for prometido pra daqui a cem anos, presta! Esse negócio de filmar em função do paraíso que virá, não. Nem paraíso, nem inferno, se bem que a terra é o purgatório sem saber se existe purgatório... você vai pelas frestas apalpando, você experimenta você não sabe. Você sabe pouco e pode pouco a primeira coisa acho que é esta. No fundo o que é o populismo. Alguns intelectuais ou idolatram o povo ou desprezam. Mais comum é idolatrar, o pessoal de esquerda em geral idolatra... F Que é uma forma de desprezar...

5 C... é a pior forma, porque quando você idolatra o povo é o seguinte, quer ver? Quando alguns cineastas vão filmar sobre o problema da terra, vão ouvir caras que dizem pra eles aquilo que corresponde a visão que eles tem do Movimento Sem Terra. Então vem uma mulher e diz não, aqui as mulheres são iguais aos homens vem um homem e diz desde de criancinha eu lutei - vem uma criancinha e diz não, meu pai ajuda, eu trabalho junto com ele. Se de repente vem uma mulher e diz: - aqui tem muito mosquito não entra. Estes documentaristas idolatrando esse povo é a pior forma de desprezar porque eles não aceitam um representante desse povo que diga uma coisa que não esta de acordo com o que eles (cineastas) pensam, portanto esse representante não entra no programa deles. Isso é a pior forma de desprezo VF E o pior é que gera um tipo de imobilismo já que outros grupos que os assistam podem não ser tão fantásticos. Também que tais atitudes reforçam as relações viciadas da filmagem onde o entrevistado diz aquilo que supõe que o entrevistador deseja ouvir. Aí as pessoas só poderão ser aquilo que está na cabeça de quem vai ouvi-los. C Então o que é que acontece. Do começo ao fim do filme todos dizem a mesma coisa. É um problema até dramatúrgico. Não terceira vez você já encheu o saco. VF A sensação que eu tenho quando termino de ver seus documentários cabe na expressão: Puta merda a vida é muito complexa! EC É...No fundo, no fundo é isso. No Santo Forte, uns diziam - o povo que tem um imaginário deste, justifica uma nação - que é um lado da questão, agora de outro lado o buraco é mais embaixo, é muito complicado. Tem gente que só vê um lado o lado da alienação pela magia, mas isso é um lado e tem os dois lados ( no mínimo ) e eu não posso separar os dois lados,. meu Deus! As coisas são muito mais ricas, tanto pro bem quanto pro mal. Como é que as pessoas vêem o mundo, isso é que interessa. As pessoas dizem não, como você vê o mundo não interessa, interessa é como o mundo é Eu digo, não! A forma como você vê o mundo, influencia o mundo. Aquela velha coisa, só interessa o real, a economia a infra-estrutura. Se cinqüenta milhões de pessoas acreditam que o Padre Cícero é santo, meu velho, ele é santo. Se cem milhões de pessoas acreditam que o Brasil é um país maravilhoso, isto é uma força material. E por isso eles falam muito nos meus filmes porque as pessoas só podem dizer como vêem o mundo falando, não é por gestos... Daí que você vê que a loucura a riqueza, a complexidade, a contradição, a ambigüidade... a palavra ambigüidade é melhor que contradição. Às vezes pode ser mais interessante você encontrar um escravo que gosta de ser escravo do que o escravo que não gosta. É um problema ético complicadíssimo, aliás é ético e político. Agora eu acho que faz falta pro Brasil, quando se trata do povo brasileiro, que tenha essa tentativa de encontrar esse tipo de contradição.

6 VF você acha que é um problema ético e político por quê? C Porque alguns podem dizer, como o movimento negro - eu acho essencial levantar a auto-estima do negro - essencial tá certo, agora só que quando você faz um filme onde só tem as coisas que levantam a autoestima você não tem essa contradição real. Aí se eu faço um filme que tenha personagens que tenham a ambigüidade e que não sejam vilipendiados pelo filme ou por mim, vai parecer que eu estou contribuindo para gerar mais racismo e diminuir a auto-estima, etc. Eu acho que tudo depende do contexto, mas eu acho que faz falta essas coisas. VF Como você explica o uso radical da palavra no Santo Forte, num suporte que é supostamente dominado pela imagem, onde se diz que a palavra quase não tem vez? EC Pois é, na tv a palavra também é essencial, o que eles abominam é o silêncio, agora o primeiro preconceito que você tem que se despir para fazer um filme destes é o de que cinema é imagem. Cinema é audiovisual, a primeira coisa. Uma pessoa que fala, que constrói seu imaginário diante da câmera é tão emocionante quanto Rambo voar. Efeito especial, para mim é isto, entende? E eu sou anacrônico. Você pega o equipamento mais moderno e usa uma linguagem como há cinqüenta anos a atras, isto é que eu acho revolucionário. O Santo Forte foi sucesso de crítica, eu acho que é porque ele dá uma coisa que não se tem mais que é o contato face-a-face.. Na verdade os filmes que eu faço são registro de encontro dos dois lados da câmera, o assunto não importa. Os filmes vão ser sempre isso. Esse encontro é que é sagrado. O assunto pode ser religião, lixo, ou o que quiser, mas o encontro é que é o xis. Desse encontro ou se tem filme ou não se tem filme. Mas isso daí não é o que as pessoas pensam porque para registrar esse encontro você tem que gastar muito filme. Tem que filmar a chegada da equipe, tem que estar disposto a que o visual venha depois e tal. E por isso ninguém faz. Eu acho que do ponto de vista técnico e estético o documentário é isso. Essa disposição de você estar no grau zero da escritura. Sem trucagem, sem movimento de câmera quase, sem nenhuma tecnologia nova (efeito que disfarce o que esta sendo feito). E em segundo lugar o que acho mais complicado ainda é o problema da disposição espiritual tua. Eu acho que você tem que estar vazio, isso que eu acho que é o mais difícil. Vazio é o seguinte, a pessoa tem que sentir que você não espera dela nem a resposta sim nem não. Tem um vazio que ela tem que preencher. Então é um vazio curioso que quer saber dela, entender o que ela tem pra dizer. Essa coisa é muito mais difícil porque não é tecnológico, isso é interior e eu não sei explicar porque. Pra mim é como se fosse um exercício espiritual. VF- você fala de vazio, ou neutralidade?...

7 C- Não. É um vazio de outro tipo. Neutralidade você quer ser neutro, eu não quero ser neutro, eu quero ser vazio. Neutralidade é outra coisa. Vazio eu não quero saber se a Teresa viu aqueles fantasmas ou não viu isso é complicado porque esse vazio é um troço que você tem que ser receptivo, total. Vazio e receptivo, mas ativo. O ativo quer dizer o seguinte, a pessoa começa a contar uma historia e aí começa uma longa historia que não me interessa e eu tenho que passar invisivelmente que não estou gostando da historia, mas é quase que espiritual isto, ou então ver o momento em que eu posso interromper sendo educado, pra entrar noutro assunto, quer dizer é o que eu chamo de negociação dos desejos. Ela tem um desejo de contar uma historia que as vezes não coincide com o meu desejo de ouvir a historia. Ela pode querer contar uma historia que dure cinco horas, então é uma negociação. Por isso que eu digo que todo filme é uma negociação. Pagar dinheiro 9 é uma bobagem na negociação. Teve uma negociação antes quando a equipe foi la e disseram que eu ia filmar. Aí eu chego lá a negociação continua. Então, você pensa, eu tenho uma hora de entrevista da Teresa, entrou (quase) tudo. Por acaso a Da. Teresa foi brilhante, mas há uma negociação. Primeiro a pessoa quer ir para uma direção que você não quer, você tem que esperar um momento para desviar. Segundo, a todo momento você tem que intervir então era um exu ou não era. Você tem que ser o primeiro espectador do filme. É indispensável porque a toda hora você tem que negociar os desejos. Então você tem que estar ativíssimo e passivíssimo, essa é a complicação. Então estar vazio significa eu não quero transformar você, eu não quero julgar você, eu não quero nada de você. Quando eu digo eu não quero ser amigo, não é que eu diga, porra eu não quero ser amigo de você, nesse momento você está contando uma história, vai virar um personagem. O que eu quero é você seja a pessoa mais brilhante, se você me der isso você não pode me dar mais nada na vida. Eu não posso dar nada a você além de te deixar ser fiel a esse auto-retrato brilhante. VF Coutinho quando eu cheguei aqui, a primeira resposta que você me deu foi como eu te disse antes... C Eu falei? (risos) Este é um exemplo de por que eu não gosto de ir falar com as pessoas antes de gravar.. Tem gente que diz que temos que conhecer as pessoas. Tudo bem, mas no máximo é saber se a pessoa é rica, e pára. Se ela conta bem uma historia, eu sei que essa pessoa é rica. É aquela velha coisa, você pode ter uma vida medíocre e contar maravilhosamente a vida medíocre. Você pode ter uma vida maravilhosa e contar mal essa vida maravilhosa. Um exemplo é André, personagem do Santo Forte. A mulher dele tem uma vida terrível e conta mal e o marido dela que não ia entrar no filme chegou e contou duas historias que parecia o Paulo Autran. VF Coutinho, o que você acha das experiências de vídeo nas comunidades? 9 No Santo Forte estão incluídas imagens da produção pagando as pessoas que participaram das filmagens. Estas cenas geraram muita polêmica.

8 Essa coisa de vídeo nas aldeias, dar a câmera aos favelados para que eles mesmos façam a sua imagem, eu acho bacana, mas de qualquer forma se não tiver a visão do outro eles jamais vão falar certas coisas sobre eles mesmos. Há coisas que eles jamais poderão dizer.

Filmes com muitas vontades

Filmes com muitas vontades Filmes com muitas vontades Clarisse Alvarenga Desde a década de 1970, vêm sendo empreendidas algumas tentativas ainda autorais e incipientes, partindo de cineastas brasileiros, como Andrea Tonacci e Aluysio

Leia mais

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho.

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho. 1 AMAR... dir: Carlos Gregório CASA DE LAURA... - Você não vai dizer nada? - O que você quer que eu diga? - Qualquer coisa. - Olha,... Não foi tão importante pra mim... - Não... foi!!? - É... É isso mesmo.

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas?

Entrevistado: Data da Entrevista: Entrevista: 1- Como você percebe o processo de criação de marcas? Entrevistado: Guto Lacaz Data da Entrevista: 19 de Julho de 2011 Entrevista: Pessoalmente Formado em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura de São José dos Campos, faculdade onde também realizou cursos

Leia mais

AUTO DE NATAL OUTRO NATAL

AUTO DE NATAL OUTRO NATAL AUTO DE NATAL OUTRO NATAL Escrito em conjunto com Cristina Papa para montagem pelo curso Técnico Ator 2007/2008 do SENAC Araraquara-SP, sob supervisão do professor Carlos Fonseca. PERSONAGENS: CORO / NARRADORES

Leia mais

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari

08. Camilo Alfredo Faigle Vicari 08. Camilo Alfredo Faigle Vicari Nascido em São Paulo, em 1976, é biólogo e estudante de mestrado na UNIFESP. Em 26 de agosto de 2010 recebi Camilo numa sala de reuniões da UNIFESP. Ele chegou às 18h e

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:...

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:... ALEGRIA PERSONAGENS: Duas amigas entre idades adolescentes. ALEGRIA:... TATY:... Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento.

P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. museudapessoa.net P/1 Então por favor, começa com o seu nome completo, local e a data de nascimento. R Meu nome é Kizzes Daiane de Jesus Santos, 21 de julho de 1988, eu nasci em Aracaju, no estado do Sergipe.

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

Peça de Teatro Sinopse Argumento

Peça de Teatro Sinopse Argumento 1 Peça de Teatro Sinopse Duas crianças da comunidade...(comunidade local onde será encenada a peça) se encontram, conversam à respeito de limpar a rua e ser útil de alguma forma para o meio em que habitam.

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 14 Discurso: em encontro com professores

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com Tema:Humor Você vai ler a seguir um fragmento da peça teatral Lua nua, de Leilah Assunção, que foi encenada em várias cidades do país entre 1986 e 1989, sempre com grande sucesso de público e de crítica.

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

FILME JANELA DA ALMA REVISITADO UMA CONVERSA

FILME JANELA DA ALMA REVISITADO UMA CONVERSA DOI:10.20287/doc.d18.dt16 FILME JANELA DA ALMA REVISITADO UMA CONVERSA COM O DIRETOR JOÃO JARDIM Dago Schelin Há dois anos comecei meu doutorado na Philipps-Universitat Marburg aqui na Alemanha. Minha

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Regina Barbosa. Escritora e fundadora da ONG Ideário

Regina Barbosa. Escritora e fundadora da ONG Ideário Escritora e fundadora da ONG Ideário Levamos cinema para quem nunca foi até um. O piso é a areia branca, o teto é o céu estrelado e a tela é a vela da jangada. Na vela parada, as imagens em movimento.

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br

É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón. www.sisac.org.br É POSSÍVEL CONVIVER COM UM LOBO? Pr. Bullón www.sisac.org.br "No capítulo 7 da epístola aos Romanos, encontramos o grito desesperado de um homem que não conseguia viver à altura dos princípios que conhecia.

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra?

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra? Rádio Web Saúde dos estudantes de Saúde Coletiva da UnB em parceria com Rádio Web Saúde da UFRGS em entrevista com: Sarah Donetto pesquisadora Inglesa falando sobre o NHS - National Health Service, Sistema

Leia mais

ANEXO I - Transcrição das entrevistas

ANEXO I - Transcrição das entrevistas 147 ANEXO I - Transcrição das entrevistas ENTREVISTA 1 Nome: L.C. Idade: 58 anos. Formação: Pedagogia. Tempo de experiência em cursos de Licenciatura: 7 anos. Pq - A pesquisa em questão trata da ação docente

Leia mais

As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se

As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se 1 As coisas estavam indo bastante bem. Na verdade, eu diria que uma onda de paradas maneiras vinha rolando há uns seis meses. Por exemplo: mamãe se livrou do Steve, o namorado escroto dela. Por exemplo:

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS GEÓRGIA BALARDIN

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS GEÓRGIA BALARDIN CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS GEÓRGIA BALARDIN (depoimento) 2014 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto: Garimpando

Leia mais

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV DINO - Divulgador de Notícias Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV Marcos Tolentino conta sua trajetória e revela como o filho de um vendedor de carros

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

SÉRGIO SIQUEIRA Gerente de criação e produção da Rede Bahia.

SÉRGIO SIQUEIRA Gerente de criação e produção da Rede Bahia. SÉRGIO SIQUEIRA Gerente de criação e produção da Rede Bahia. Formado em administração, é fotógrafo, publicitário, curador e gerente de criação e produção da Rede Bahia, onde dirige o núcleo Bahia Cinema

Leia mais

Existe espaço para os covers mostrarem seus trabalhos? As pessoas dão oportunidades?

Existe espaço para os covers mostrarem seus trabalhos? As pessoas dão oportunidades? A Estação Pilh@ também traz uma entrevista com Rodrigo Teaser, cover do Michael Jackson reconhecido pela Sony Music. A seguir, você encontra os ingredientes da longa história marcada por grandes shows,

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

"Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo.

Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo. "Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo. Por Bill Sims, Jr. www.safetyincentives.com Na primeira parte desta história, expliquei sobre os três tipos de funcionários

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

Geração Graças Peça: A Páscoa Continua

Geração Graças Peça: A Páscoa Continua Geração Graças Peça: A Páscoa Continua Autora: Tell Aragão Personagens: Cantor Apresentador Maluco Nino Nana Sapinho 1 Sapinho 2 Voz de locutor Cena 1 A cortina abre. As duas crianças estão na sala assistindo

Leia mais

Afinal, O que São Gatilhos Mentais?

Afinal, O que São Gatilhos Mentais? 13 Gatilhos Mentais pra Explodir suas Vendas! Pra quem não sabe, gatilhos mentais são conceitos que aplicamos desde o primeiro contato com a lead (potencial cliente) para aumentar as chances de transformar

Leia mais

coleção Conversas #19 - fevereiro 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #19 - fevereiro 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #19 - fevereiro 2015 - Eu posso dizer para "NÃO" filho? meu Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu

Leia mais

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial Começo minha reflexão de hoje pensando um pouco na história da Administração, nos princípios de gestão e formas como as empresas hoje são geridas.

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA?

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? Sonhos, Execução e Responsabilidade. ROBERTO FERMINO (ROCO) Q uer saber... Esta semana você é minha prioridade! Fiquei tão movido pelas dúvidas e mensagens de apoio que o mínimo

Leia mais

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões

O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões O tema desta edição do EVP em Notícias é: Conexões Nosso entrevistado é o Prof. Dr. Rogério da Costa, da PUC-SP. A partir de um consistente referencial teórico-filosófico, mas em uma linguagem simples,

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal Sobral-CE, 17 de março de 2004 Meu caro governador do estado do Ceará, Lúcio Alcântara, Meu caro companheiro

Leia mais

ESCOLA COMO ESPAÇO DE GARANTIA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS

ESCOLA COMO ESPAÇO DE GARANTIA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS ESCOLA COMO ESPAÇO DE GARANTIA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS Verlani Catarina da Silva 1 ; Thales Valença Ferreira Castro 2 A escola como um espaço tão múltiplo de ideias, classes sociais e diversidades culturais

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. Nome da Equipa GMR2012 NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Nome da Equipa GMR2012 Alexandre Sousa Diogo Vicente José Silva Diana Almeida Dezembro de 2011 1 A crise vista pelos nossos avós

Leia mais

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #26 Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. Saí da prisão volto coleção Conversas #26 - setembro 2015 - e estou ou não desempregado, para o crime? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS, da

Leia mais

ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA. Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista

ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA. Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista Uma longa viagem começa com um único passo. - Lao-Tsé Ser Otimista não é uma tarefa fácil hoje em dia, apesar de contarmos hoje

Leia mais

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1

Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] 1 Realizado a partir do Roteiro para grupo focal com monitores - Pesquisa UCA/BA [Escola CETEP/Feira de Santana] Categorias Apresentação do instrumento [-] Mobilidade/ portabilidade [,] 0 0 Transcrição Alguns

Leia mais

of 5 28/10/2015 01:38

of 5 28/10/2015 01:38 O Brasil não terá índios no século XXI. A ideia de congelar o homem no estado primitivo de sua evolução é, na verdade, cruel e hipócrita, afirmou o ex-ministro brasileiro de Ciência e Tecnologia Hélio

Leia mais

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB!

O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! O Ponto entrevista Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para ATRFB! A história da Letícia Odorizi, aprovada em 1º lugar para Analista Tributário da Receita Federal do Brasil, é mais uma das histórias

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

CIFRAS - CUKA FRESCA

CIFRAS - CUKA FRESCA INTRODUÇÃO: D9 A/C# Bm7/11 G7+ D9 A/C# G7+ G/A A/C# CIFRAS - CUKA FRESCA EU VOU TE AMAR Bm7/11 G7+ G/A A/C# QUANDO SENTIR TRISTEZA E NÃO PUDER TE ACALMAR Bm7/11 G7+ G/A QUANDO HOUVER UM VAZIO QUE NÃO POSSA

Leia mais

DEPOIMENTO DE DONA IZAR NASCIMENTO ALVES IZAR NASCIMENTO ALVES *

DEPOIMENTO DE DONA IZAR NASCIMENTO ALVES IZAR NASCIMENTO ALVES * DEPOIMENTO DE DONA IZAR NASCIMENTO ALVES AO DO JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO SUL Diz-se que o Júri é o Tribunal do Povo. E é o que o depoimento de Izar Nascimento Alves revela com todas as letras. O relato

Leia mais

Escrita Eficiente sem Plágio

Escrita Eficiente sem Plágio Escrita Eficiente sem Plágio Produza textos originais com qualidade e em tempo recorde Ana Lopes Revisão Rosana Rogeri Segunda Edição 2013 Direitos de cópia O conteúdo deste livro eletrônico tem direitos

Leia mais

Entrevista com Maria Lúcia Raymundo

Entrevista com Maria Lúcia Raymundo Entrevista com Maria Lúcia Raymundo Revista Cena 2006 A Necessidade de Criar Necessidade de criar é como uma necessidade de sobrevivência, de se sentir vivo, já que a gente está numa civilização ocidental,

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis

Marcos Leôncio suka02@uol.com.br 1 VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio. Elenco: Olga Barroso. Renato Beserra dos Reis VOTO VENDIDO, CONSCIÊNCIA PERDIDA. Escrita por: Marcos Leôncio Elenco: Olga Barroso Renato Beserra dos Reis Zilânia Filgueiras Sérgio Francatti Dodi Reis Preparação de Atores e Direção: Dodi Reis Coordenação

Leia mais

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94)

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94) DIAS 94 de Claudio Simões (1990 / 94) 2 PERSONAGENS São cinco personagens identificadas apenas por números. Não têm gênero definido, podendo ser feitas por atores ou atrizes. As frases em que falam de

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Aula 5 Modelo de Roteiro Para Ser Usado nas Suas Entrevistas

Aula 5 Modelo de Roteiro Para Ser Usado nas Suas Entrevistas Aula 5 Modelo de Roteiro Para Ser Usado nas Suas Entrevistas OBS: Tudo que estiver nessa formatação: [vermelho] são os espaços onde você deve preencher com informações pertinentes ao seu projeto (avatar,

Leia mais

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados

Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados Sebastião Salgado atribui culpa a EUA e Europa por atual crise dos refugiados POR ENTRETEMPOS, JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO, 04.10.2015 Tião, como é chamado pelos amigos, não toma café. Ainda assim, motivado

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 1 Criando um vídeo Produzindo e divulgando fotos e vídeos Aula 1 Criando um vídeo Objetivos 1 Conhecer um pouco da história dos filmes. 2 Identificar a importância de um planejamento. 3 Entender como criar um roteiro. 4

Leia mais

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e Sexta Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e mudou o rumo da vida profissional FOLHA DA SEXTA

Leia mais

INQ Nº 20 HOMEM idade: 24 anos Escolaridade: 2 grau DOCUMENTADOR: Norma Lopes DATA: 06/10/1998 TRANSCRIÇÃO: Alessandra Lopes Fontoura

INQ Nº 20 HOMEM idade: 24 anos Escolaridade: 2 grau DOCUMENTADOR: Norma Lopes DATA: 06/10/1998 TRANSCRIÇÃO: Alessandra Lopes Fontoura PROGRAMA DE ESTUDOS DO PORTUGUÊS POPULAR FALADO DE SALVADOR PEPP INQ Nº 20 HOMEM idade: 24 anos Escolaridade: 2 grau DOCUMENTADOR: Norma Lopes DATA: 06/10/1998 TRANSCRIÇÃO: Alessandra Lopes Fontoura 1

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ANDRÉIA DOS SANTOS (MAYCON) (depoimento) 2014 FICHA TÉCNICA ENTREVISTA CEDIDA PARA PUBLICAÇÃO NO REPOSITÓRIO

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

Entrevista 1.02 - Brenda

Entrevista 1.02 - Brenda Entrevista 1.02 - Brenda (Bloco A - Legitimação da entrevista onde se clarificam os objectivos do estudo, se contextualiza a realização do estudo e participação dos sujeitos e se obtém o seu consentimento)

Leia mais